Page 1


RECONHECER VALIDAR REGISTRAR E TORNAR PÚBLICA A EXCELÊNCIA DO FRANCHISING PELA FORÇA DO DESIGN


SUMÁRIO 6


PALAVRA DA PRESIDENTE DA ABF............................................................. 04 PALAVRA DO PRESIDENTE DO RDI...............................................................06 DESIGN NO FRANCHISING............................................................................... 08 A EVOLUÇÃO E A VALORIZAÇÃO DO DESIGN NAS FRANQUIAS........................................................................... 19 PROJETOS VENCEDORES...................................................................................24 BRAND DESIGN..................................................................................................................26 DESIGN CONSCIENTE.....................................................................................................32 EMBALAGEM.......................................................................................................................38 PRODUTO.............................................................................................................................. 44 PROJETO ARQUITETÔNICO - LOJA........................................................................... 50 PROJETO ARQUITETÔNICO - QUIOSQUE...............................................................56 VISUAL MERCHANDISING - AÇÃO DE PONTO DE VENDA...........................62 VISUAL MERCHANDISING - CAMPANHA DE PONTO DE VENDA.............68 VISUAL MERCHANDISING - VITRINE.....................................................................74

7


PALAVRA DA PRESIDENTE DA ABF

DESIGN COMO ESTRATÉGIA DE NEGÓCIO NO

8

A

cada ano temos a convicção de que o Prêmio ABF + RDI Design, instituído pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) em parceria com o Retail Design Institute (RDI) no Brasil, nos revela que a cultura do design está intrinsecamente ligada às estratégias de negócios das redes e em sua relação com o cliente final. A excelência do design aplicado às redes de franquias refletida no Prêmio é a exaltação a todos os criativos profissionais que buscaram por meio de seus projetos aliar conceitos técnicos à inovação. Esses elementos agregam à marca um valor intangível e diferenciais que somente o design, como ferramenta estratégica, pode proporcionar, criando diferentes soluções para que as marcas interajam eficazmente com seu público.

O resultado desse trabalho em lojas físicas e outros pontos de venda, em produtos e em ações que extrapolam a relação comercial entre o consumidor e a marca privilegia a experiência de compra do cliente. Este livro que chega à segunda edição reúne os autores, os projetos e as marcas premiados em seis categorias: Projeto Arquitetônico – Loja e Quiosque; Visual Merchandising – Vitrine, Ação de Ponto de Venda e Campanha de Ponto de Venda; Produto; Embalagem; Brand Design e Design Consciente. Neste ano concorreram ao Prêmio 84 projetos, de 52 marcas, entre os quais 28 sagraram-se vencedores. Parabéns a todos! Esta obra é, ainda, uma síntese do que o franchising brasileiro produz na área de design, como


um dos setores que mais utiliza dos recursos que

trabalhos. A cada ano do Prêmio ABF + RDI Design é no-

ele oferece para serem aplicados aos negócios e encantar os clientes. Ao vermos os trabalhos aqui apresentados temos a clareza do quão importante é o design para as franquias e da relevância desse Prêmio como um estímulo aos profissionais que primam pela excelência do setor. O propósito da ABF e do RDI ao publicar esta obra é torná-la uma referência e uma fonte de informação para o mercado e um marco da valorização dos profissionais e das marcas que se destacaram no Prêmio.

tável a qualidade dos projetos que, em suma, refletem a própria evolução do franchising brasileiro. Um forte abraço!

A todos que se inscreveram faço um agradecimento especial, como também às marcas, aos profissionais premiados e aos jurados que cumpriram, mais uma vez, a difícil missão de selecionar os melhores

Cristina Franco, Presidente da Associação Brasileira de Franchising

9


PALAVRA DO PRESIDENTE DO RDI

DESIGN

CAMINHOS

V

ivemos na era da informação, na qual a tecnologia permeia tudo o que está à nossa volta. “A nova interdependência eletrônica recria o mundo em uma imagem de aldeia global”, disse há já um bom tempo o teórico da comunicação canadense Marshall McLuhan. Em consequência dessa evolução fantástica, os consumidores têm à sua disposição, cada vez mais, ferramentas e aplicativos para que possam fazer suas escolhas em casa, no trabalho ou em qualquer outro lugar. Basta um clique. Mas, por mais que essa possibilidade traga praticidade para as pessoas, algumas atividades ainda precisam de bases físicas para que sejam realizadas. E não porque resistam irracionalmente às mudanças, mas porque, adaptando-se a elas, podem potencializar suas possibilidades. Uma dessas atividades são os pontos de venda. Eles são fundamentais para o varejo, porque é ali que os con-

10

sumidores têm contato com as marcas, podendo estabelecer com elas uma relação multidimensional. Os consumidores podem ver os produtos, tocá-los, compará-los, degustá-los enquanto os fornecedores podem conhecer melhor as expectativas desses possíveis clientes em relação à marca, criando assim melhores condições para atender e mesmo superar as expectativas dos clientes. As marcas de sucesso sabem que é necessário manter constantemente seus conceitos nos pontos de venda, de forma a ter sinergia entre todos os momentos e pontos de contato dos consumidores com seus produtos e serviços. Somente assim esses produtos e serviços se tornarão relevantes, preferenciais e poderão ser eleitos objetos de desejo dos clientes. E os pontos de venda também precisam se renovar constantemente: nas cores, na linguagem visual, no diálogo, na ambientação, nos elementos gráficos aplicados


ao espaço, na forma de atender, no mix de produtos, na tecnologia aplicada, na infraestrutura, no entretenimento e até na experiência de compra como ferramenta para aumentar a performance das lojas e rentabilidade do negócio. No design, enfim. Na relação entre franqueados e franqueadores, o uso do design como ferramenta estratégica é cada vez mais importante na obtenção dos resultados desejados, como um Retorno sobre Investimento (ROI) mais rápido e relevante; a geração de mais tráfego de clientes-alvo; a manutenção da motivação da equipe; a possibilidade de oferecer uma experiência diferenciada aos clientes; o controle da evolução da marca; o uso eficiente dos recursos; a competição com

encontrar amigos ou novas pessoas, descobrir novidades, namorar, trabalhar, divertir-se. Ou seja, eles buscam produtos, mas também buscam esses locais para atividades de lazer e entretenimento. Por essa razão, o design das lojas deve levar em conta essa necessidade mais ampla, buscando adaptar a oferta de produtos e serviços a um ambiente agradável aos consumidores. O Brasil tem profissionais qualificados para cada área do design, e os investimentos nesse segmento tornarão as operações mais competitivas, fazendo com que seu negócio seja mais atrativo para investidores.

diferenciais vantajosos; programas de treinamento eficientes; o destaque no ponto de venda. Não podemos esquecer que os consumidores vão a uma loja por várias razões, além de comprar: passear,

George R. Homer Jr., Presidente do Retail Design Institute

11


O PAPEL ESTRATÉGICO DO DESIGN DESIGN NO FRANCHISING

Jurados do Prêmio ABF + RDI Design 2016 discutem a relevância do design para a construção e a consolidação das marcas e o fortalecimento do sistema de franquias no Brasil

12

1.

O DESIGN COMO ALMA DA MARCA O design está presente em todos os aspectos da sociedade, no dia a dia das pessoas, na cozinha, na casa e na arquitetura e urbanismo. “No segmento de varejo de franquias, o design cria valor e personalidade para o negócio e vai além da marca, pois inclui a vitrine, a loja, a embalagem, o projeto arquitetônico. Como profissionais, queremos conscientizar as pessoas desse aspecto abrangente do design. Nós, do franchising, já consideramos o design como parte da nossa cultura”, explica Carlos Zilli. No franchising, portanto, o design contribui de forma decisiva para o desenvolvimento da expressão, do sentido e dos propósitos das redes. Da concepção de um projeto ou modelo de negócio até a sua concretização, associada ao desejo de compartilhar uma experiência exitosa, inerente ao espírito empreendedor, o sistema de franquias busca, com o design, expressar a identidade essencial da marca por meio de iconografias, símbolos, formatos, métodos e linguagens, aglutinando empreendedores, investidores, colaboradores, parceiros e consumidores.

Carlos Zilli Tem 30 anos de experiência profissional – 20 deles no franchising – em empresas como Shell, Hering, Imaginarium e Love Brands e em companhias internacionais, como a chinesa Able Creation Development Limited. Hoje, integra o Conselho de Administração da Imaginarium, da Haco Etiquetas, da CottonBaby e do Grupo Lunelli, além de ser professor do MBA de Franquias na FIA-SP, mentor da Endeavor e conselheiro da ABF desde 2016.


Paulo Alimonda Diretor de Novos Negócios na Epigram Brand Union, empresa especializada em branding, varejo e jornada de consumo. Publicitário há 34 anos, é idealizador e proprietário da marca Bretail. Foi co-fundador e presidente da Ampro (Associação Brasileira de Marketing Promocional). Mestre em Gestão Internacional pela Thunderbird School of Global Management, nos EUA.

Decio Pecin Jr. Presidente da rede de ensino de idiomas CNA e diretor de Marketing da ABF (Associação Brasileira de Franchising). Contador e Administrador de Empresas, com especialização em Economia e MBA em Gestão Empresarial. É professor de Economia e Gestão Financeira de Empresas, palestrante e autor de artigos sobre economia e negócios.

O design é a alma da marca, devendo apresentar a proposta e o posicionamento dessa marca para o público consumidor. Segundo Paulo Alimonda, “a função do design no negócio é estratégica, pois ela abrange todos os territórios de atuação; promove o pertencimento e o engajamento e gera relacionamentos”. Para ele, o sistema de franquias que valoriza o design contribui para a percepção da credibilidade e da estrutura dos negócios. “E isso é fundamental, pois o consumidor de hoje é multicanal, atualizado, tem repertório de conhecimento à disposição 24 horas por dia, sete dias por semana, 365 dias por ano e é ávido por valor. E o design entrega valor e inovação. O design caminha com o varejo”. A proposta de valor de uma marca deve atender e superar as expectativas do cliente. Por isso, particularmente no ponto de venda, o design para a franquia é essencial para que os produtos se destaquem entre as ofertas. Com um design profissional e qualificado, o franqueador pode oferecer soluções que garantam maior eficácia e rendimento. No franchising, o design deve estar presente não apenas na fachada do estabelecimento, mas em todos os pontos de contato com o cliente. Quando se trata de uma rede de lojas ou produtos, o design permitirá que a experiência de marca seja implementada e reproduzida em toda a cadeia, tornando-se uma poderosa ferramenta de marketing. “Sob o ponto de vista estratégico e operacional, além de fornecer ao franqueado orientações e apoio para uma loja funcional e esteticamente alinhada à filosofia da marca, o design também garante que os consumidores tenham familiaridade com a franquia, independentemente da unidade que eles visitem”, destaca Decio Pecin Jr.

13


DESIGN NO FRANCHISING

E, em um mundo cada vez mais preocupado com a sustentabilidade, o design também exerce papel relevante para ajudar na construção de uma sociedade ambientalmente consciente e responsável, mobilizando as pessoas a repensarem seus valores e estilos de vida. “No universo do franchising, onde tudo ganha escala e as regras são ditadas pelo franqueador, está nas mãos dele optar por um design fundamentado na sustentabilidade, que irá posicionar positivamente a sua marca no mercado e, ao mesmo tempo, compartilhar informações que remetem a sociedade a esse senso”, afirma Eleine Bélaváry.

2.

O DESIGN E O CLIENTE FINAL Atualmente, os clientes querem não apenas conhecer produtos, mas também se relacionar com as marcas. “Para tanto, é necessário entender o posicionamento, a filosofia, as bandeiras e os credos das marcas. Ao materializar o posicionamento e os diferenciais competitivos da marca, por meio do projeto do ponto de venda, da vitrine, das campanhas e dos produtos, o design estabelece uma forte via de comunicação com o mercado e com o consumidor”, explica Manoel Alves Lima. Para que isso aconteça, é preciso pesquisar para descobrir o que faz a diferença na vida das pessoas e o que elas desejam. Quando se entende do quê o consumidor gosta, o link se faz por meio do design.

14

Eleine Bélaváry Sócia-diretora da Connexion, empresa com foco em sustentabilidade e reconhecimento de marca. Em 2005, foi co-fundadora e diretora-executiva da AFRAS (Associação Franquia Sustentável). Colaboradora de comitês da ABF, como “Mulheres do Franchising” e “Gestão e Negócios Sustentáveis”. Graduada em Ciências Biológicas pela PUC-Campinas.

Manoel Alves Lima Arquiteto, palestrante internacional, e desde 1986 sócio-diretor da FAL Design Estratégico para Varejo, pela qual desenvolveu conceitos para mais de 120 empresas. Vice-presidente do Retail Design Institute, co-editor do Blog da FAL e professor na pós-graduação e no MBA em Gestão e Estratégia de Varejo da FGV.


George Homer Designer especialista em varejo, com mais de 30 anos na área de Visual Marketing. É sóciofundador da GH & Associados, com escritórios em Nova York e São Paulo. É professor do FIT (Fashion Institute of Technology), em Nova York; da FAAP, em São Paulo; e do ISEM/Navarra, em Madrid. Palestrante internacional e presidente-fundador do Retail Design Institute - Brasil.

Assim, o design permitirá construir uma conexão emocional entre o produto e o consumidor. Esse é o conceito do design emocional, que propõe a construção elaborada de experiências a serem vividas pelo usuário final, impactando as pessoas por meio dos cinco sentidos. A experiência que uma marca promove em uma loja, no atendimento e no ambiente está relacionada aos conceitos de retail design, design de serviços, e environmental design, ou design de ambiente. O resultado dessa experiência é o estabelecimento de conexões com o consumidor. “A todo momento, a franquia pode utilizar o design para criar uma relação mais próxima com seus clientes, considerando a expectativa, o momento e o estilo de vida, a condição econômica e até o estado de espírito dos consumidores”, lembra George Homer. Com isso, na avaliação do presidente do RDI, as marcas podem projetar o fluxo de atendimento em suas lojas para atender aos seus clientes com eficiência, oferecendo a melhor experiência de compra dentro da proposta de valor com maior produtividade aos franqueados. “É preciso identificar todos os pontos de contato do cliente com a marca e criar uma imagem única no trajeto deste cliente no ponto de venda, usando todos os recursos que o varejo oferece, seja na identificação dos produtos, no reconhecimento do serviço ou no entendimento da comunicação com uma linguagem clara e pertinente entre a marca e o que está sendo ofertado”, completa Homer. Também é preciso levar em conta as expectativas da geração atual de buscar marcas humanizadas e com bons propósitos. Para tanto, o design deve atu-

15


DESIGN NO FRANCHISING

ar estrategicamente na produção e disseminação de conceitos éticos, criando vínculos afetivos entre a marca e seus clientes.

16

“O mais importante é compreender quem é o cliente, o que ele deseja e quais são suas frustrações e atritos durante o processo de compra. Uma vez estabelecida essa conexão, ficará mais fácil desenvolver soluções e interfaces que sejam úteis. As marcas precisam entender muito a fundo seus públicos, a fim de resolver problemas, pois o design tem também o papel de resolver problemas”, define Zeh Henrique Rodrigues. Finalmente, o design também deve, de diversas formas, criar sinergia com o cliente. Indiretamente, com os operadores do ponto de venda, que são a interface humana e final com o cliente. Esses, ao se identificarem com a marca e o ambiente de trabalho, poderão transmitir ao consumidor final a sua própria confiança na marca. E, de forma direta, envolvendo o consumidor em um ambiente que o motive a viver a experiência proporcionada pela marca, representada por seus produtos, os quais ele compra para se sentir parte daquilo que o ponto de venda materializa. Nos grandes centros metropolitanos, os consumidores expressam sua identidade aderindo ou recusando uma marca com base em suas crenças e valores. Há, portanto, na relação dos consumidores com as marcas, infinitas oportunidades de trocas de experiências e um vasto campo para a formação do consumo consciente e da cidadania. Assim, o design pode atuar para reforçar a identidade do produto com o consumidor.

Zeh Henrique Rodrigues CEO da Brainbox Branding 360 e Presidente POPAI Brasil. Teve trabalhos publicados na Graphis (Nova York), e já ganhou prêmios no Brasil e exterior, como o iF Communication Award, Prêmio About, e Bienal Brasileira de Design. Palestrante nacional e professor nos temas de Branding, retail trends e experiência de consumo (pós-graduação).


“Um produto ou serviço que agregue valor ao simples ato de consumo, que considere não só os aspectos econômicos, mas também as pessoas e o meio ambiente; que se distancie do consumismo e que se alinhe ao consumo consciente, tem real poder transformador. Ele faz que os clientes se sintam mais felizes, identificados e apaixonados pela marca. O design, no sistema de franquias, não pode ser pensado de forma egoísta; afinal, ele envolverá centenas ou milhares de consumidores, causando impactos que vão muito além da mera obtenção de lucros”, analisa Claudio Tieghi.

3.

INVESTIR PARA EVOLUIR

Claudio Tieghi Diretor de Inteligência de Mercado, Relacionamento e Sustentabilidade na ABF. Tem mais de 20 anos de experiência no franchising. Especializado em marketing pela Anhembi Morumbi. Membro do Conselho Consultivo do prêmio Melhores Franquias do Brasil da revista PEGN (Editora Globo). Fundador e presidente por três vezes da AFRAS (Associação Franquia Sustentável).

Com tantas incertezas no mercado e com as constantes mudanças de comportamento do consumidor, as empresas precisam rotineiramente se reinventar para se manterem competitivas. Assim, o investimento em design pelas redes de franquia é estratégico para garantir o desempenho do ponto de venda e fixar a marca como objeto de desejo no consumidor. Sem o investimento em design, a marca acaba perdendo a força de encantamento e terá que compensar essa deficiência com políticas agressivas de preço, que podem levá-la a um patamar de comoditização do produto e consequente perda de espaço no mercado, até ser completamente ofuscada pela concorrência e desaparecer. Empresas de todos os portes têm concluído que investir em design é uma decisão necessária e inevitável, pois, além das razões expostas, esse investimento tende

17


DESIGN NO FRANCHISING 18

a se diluir na proporção do crescimento da rede. Por sua vez, existem alguns mercados que, em razão de sua consolidação, tornam as marcas homogêneas. Com isso, o design representa um importante atributo para aqueles que querem dar uma cara própria ao seu negócio. Além disso, sobretudo em um mercado cada vez mais competitivo, o design pode ser justamente o fator de desempate, ao conseguir gerar familiaridade, encantamento e conforto para o cliente. “Justamente para criar essa diferenciação estratégica, entendendo que o design não contempla somente a plasticidade criativa, é necessário mais do que nunca um equilíbrio entre eficiência, objetividade e até sustentabilidade”, sustenta Emerson Aguiar. “O mercado está cada vez mais competitivo, com produtos virando commodities, com preços similares. O design passa, então a ter um papel cada vez mais protagonista, sendo um dos principais diferenciais da marca”, completa Marcos Morrone. O design e a inovação têm por obrigação trazer soluções que atendam às expectativas dos consumidores. Ele também está presente nos bastidores e no diálogo com o mercado, em que as operações são projetadas para atender as equipes da marca e os franqueados da melhor maneira possível, bem como projetar a comunicação da experiência de compra. “A área de embalagem, por exemplo, representa um custo operacional para a franquia que não pode ser negligenciado. Este custo não pode mais ser aplicado apenas para embalar ou carregar o produto. A embalagem

Emerson Aguiar Sócio-fundador da FCK! Comunicação, com mais de 20 anos de experiência em gestão e desenvolvimento de negócios no varejo de redes próprias e franqueadas, planejamento comercial e treinamento de equipes comerciais para marcas nacionais e multinacionais. Atua como membro do Comitê de Comunicação da ABF.

Marcos Morrone Sócio-fundador da Design Novarejo, especializada em conceitos de espaços comerciais com ênfase em design, layout e arquitetura de interiores. Realizou projetos para as maiores redes de varejo do Brasil, América do Sul e Europa. Bacharel em Comunicação Visual e Desenho Industrial pela FAAP. É palestrante e tem artigos publicados em revistas especializadas.


Fabio Mestriner Designer com 42 anos de experiência profissional. Professor Coordenador do Núcleo de Estudos da Embalagem da ESPM, Escola Superior de Propaganda e Marketing. Foi Presidente da ABRE (Associação Brasileira de Embalagem) e representante do Brasil na WPO (World Packaging Organization), entre 2002 e 2006.

precisa trabalhar para o negócio da empresa e o mesmo pode ser dito do design. Esse deve ser o principal sentido do investimento em design, pois está confirmado pelas grandes marcas que ‘bom design é bom negócio’”, sublinha Fabio Mestriner. Investir no design, portanto, faz com que as franquias garantam o diferencial que vai fazer seu modelo de negócio prosperar. Além disso, o design é um investimento com excelente custo-benefício, contribuindo para transformações importantes, como ampliação do portfólio da empresa, conquista de novos consumidores, geração de valor para marcas e serviços, entre outros. Para Leonardo Koboldt de Araújo, o design é um elemento crítico para o futuro da economia por ser uma força competitiva que potencializa a produtividade e traz diferenciação para produtos e serviços em um mercado global. “Vivemos uma nova era na qual os designers têm aumentado a demanda para o processo de repensar os problemas e criar novas soluções para o mercado como um todo, desde o setor privado até os serviços públicos”, explica.

4.

INOVAR PARA SOBREVIVER Leonardo Koboldt de Araújo Arquiteto, é sócio e diretor de criação do GAD, consultoria com foco na construção e gestão de marcas. Atua como especialista em desenvolvimento dos ambientes das marcas, nas áreas de arquitetura comercial e corporativa, e em sistemas de sinalização e soluções de visual merchandising há mais de 25 anos.

A inovação é a base de todo crescimento econômico. Mas muitas vezes custa caro inovar o produto ou o modelo de negócio e a opção é inovar o design, dando-lhe um novo significado aos produtos. “As marcas brasileiras são fantásticas e estão prontas para aprimorar cada vez mais o design, seja do produto, seja da marca da loja. Ser inovador não é só fazer ótimos produtos, mas dar ressignificação

19


DESIGN NO FRANCHISING 20

a tudo que usamos. É preciso pensar no engajamento da marca com seu consumidor e principalmente ser sustentável”, destaca Sylvia Demetresco. Num mercado tão dinâmico e voltado para a moda como o brasileiro, inovar é essencial. A inovação deve ser constantemente incorporada à cultura empresarial para que as marcas estejam sempre um ou mais passos à frente da concorrência. Mas é preciso lembrar que a marca deve realizar esse trabalho com coerência e consistência. Gisela Schulzinger acredita que toda inovação tem valor para o negócio, em qualquer nível, desde a incremental até a mais disruptiva. No seu entendimento, inovação hoje deve ser uma prática constante no negócio, pois é ela que garantirá perenidade, sustentabilidade e, principalmente, a competitividade do negócio. “O consumidor hoje é empoderado, conectado, ativo e informado, e nesse sentido, exige das marcas entregas relevantes e que satisfaçam seus desejos de forma inspirada e inovadora”, analisa. O nível de inovação deve ser compatível com a capacidade de gestão dos franqueados e franqueadores, com a habilidade e o potencial de absorção pelos clientes e de acordo com a proposta de valor da marca. A tecnologia está em alta e as marcas devem considerá-la no desenvolvimento de seus processos. Ela deve estar presente e ser utilizada para tomada de decisões em todos os níveis da operação e também ser utilizada para se aproximar dos consumidores ou para oferecer a melhor experiência de compra. “Quanto mais inovador e disruptivo for o design, mais rápido e efetivo será a aterrisagem do posicio-

Sylvia Demetresco Trabalhou como diretora da empresa de relógios Rolex, de 1972 a 2002, e da Natura, entre 2005 a 2010. Presta consultoria e dá aulas em escolas e empresas nacionais e internacionais. Doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP. Cofundadora do Instituto Suíço do Merchandising.

Gisela Schulzinger Atua na área de design há mais de 25 anos. É sócia da Pande Design, agência especializada em desenvolvimento de projetos de Branding e Design Estratégico e Inovação. Presidente da ABRE (Associação Brasileira de Embalagem). Formada pela ESPM e pósgraduada em Ciências do Consumo Aplicadas. Palestrante e jurada de prêmios como Young Lions Cannes.


namento e diferenciação de uma marca no mercado. Idealmente, devemos incorporar o cliente final desde o início do processo de criação para validar a plataforma, maximizar o investimento e dar segurança à tomada de decisão”, afirma Marcos Bicudo.

Marcos Bicudo CEO da Masisa em Santiago, Chile. Com sua experiência empresarial em desenvolvimento sustentável, é chairman do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) no Brasil desde 2008. Foi presidente da Amanco Brasil entre 2006 e 2009 e da Philips para a América Latina entre 2009 e 2012.

Pedro Caribé Arquiteto, trabalha com Design, Arquitetura e Fotografia. Atua com foco na integração entre Design e Merchandising. Desenvolveu móveis para mostras de decoração da Casa Cor. É diretor financeiro do RDI São Paulo desde 2012. Cursou Arquitetura e Urbanismo no Mackenzie, em São Paulo.

5.

CENÁRIO PARA O SUCESSO A inovação também deve compreender questões básicas, como o cenário, o usuário, os problemas e as necessidades da marca. Deve compreender ainda o papel da franquia no mercado; seu propósito, sua razão de existência; e avançar na análise de quais pontos de diferenciação ela apresenta e as vantagens dessa marca em relação à concorrência. “A inovação deve ser sempre a maior possível, pois é por meio dela que uma marca consegue melhorar seus processos, melhorar sua imagem e se destacar de seus concorrentes. A inovação pode ser hi-tech, mas também pode ser low-tech; pode ter alto ou baixo custo de implantação. Inovar significa fazer de forma diferente; significa entender que não há caixas, e que devemos sempre pensar fora da caixa. A inovação deve ser a principal ferramenta do empreendedor. E a inovação no design se comunica direta e imediatamente com seu consumidor”, destaca Pedro Caribé. Antes de tudo, a inovação deve fazer parte da cultura da empresa, questionando, propondo, entendendo as pessoas e antecipando tendências. O nível mais re-

21


DESIGN NO FRANCHISING

levante seria considerar as relações com os consumidores como um permanente processo interativo, visando entender de forma qualitativa suas necessidades, transformando o processo de design em uma busca permanente de solução de problemas. “Saber quem é o consumidor, o que tem valor para ele e como a melhoria dos processos pode alavancar o negócio são alguns fatores determinantes para que as franquias possam se reinventar sempre que necessário, antecipando tendências e buscando a vantagem competitiva”, avalia Rose de Paula. O design, como ferramenta de inovação e diferenciação, agrega valor às franquias, atuando como elemento fundamental quando o consumidor compara as marcas para tomar sua decisão final de compra. O nível de inovação do design deve estar sintonizado com as estratégias de marketing que detectam as reais necessidades dos consumidores.

Rose de Paula Atua na área de Marketing de Incentivo, Marketing Promocional e Eventos há mais de 30 anos. CEO do Expertise Group, agência com 17 anos de atividades que atende as maiores empresas dos mais diversos segmentos de mercado. É formada em Comunicação Social, com especialização em Publicidade e Propaganda e MBA em Gestão Empreendedora e Inovação.

22


EVOLUÇÃO

VALORIZAÇÃO E

m sua sexta edição, a ABF e o RDI se unem mais uma vez em torno do Prêmio ABF + RDI Design com o propósito de valorizar, endossar, comunicar e registrar a excelência do franchising por meio do design, que se fortalece cada vez mais como ferramenta de sobrevivência, além da simples diferenciação de um produto ou serviço. O prêmio privilegia a sinergia e os desejos da tríade que sustenta um modelo saudável de franquia, formado por franqueado, franqueador e cliente final e serve como inspiração para a evolução deste segmento de mercado. Além disso, a necessidade de um ROI (Retorno sobre Investimento) adequado fez do design thinking uma ferramenta poderosa e obrigatória no desenvolvimento de franquias.

23


O INÍCIO

PRÊMIO ABF +RDI DESIGN 2016

A ideia da premiação surgiu em 2010, quando se identificou a necessidade de conscientizar o universo do franchising a respeito do uso do design como ferramenta estratégica do desenvolvimento e implantação de negócios.

CONCEITO

O Prêmio ABF + RDI Design foi criado com o objetivo de incentivar o design na qualificação cada vez mais crescente das franquias existentes e proporcionar o desenvolvimento mais eficiente dos novos formatos de franquias.

OBJETIVO

O objetivo do prêmio é realizar a conscientização do design como ferramenta estratégica no desenvolvimento, operação e renovação de franquias, reconhecendo os projetos cujas soluções refletem o melhor do franchising no Brasil.

RECONHECIMENTO

As marcas e os profissionais participantes são reconhecidos pela qualidade e aplicação do design estratégico na gestão de uma marca e de uma rede de franquia, em pequenos ou grandes projetos.

AVANÇOS

Na última edição, em 2015, o Prêmio ABF + RDI Design foi atualizado para incorporar e reconhecer outras categorias importantes para o desenvolvimento de franquias além do design do ponto de venda, e adotou critérios de avaliação para seis categorias. Além disso, a comissão julgadora passou a avaliar os projetos de forma digital e a cerimônia de entrega do prêmio foi incorporada à Convenção da ABF

VENCEDORES

Os melhores do ano – que você confere a seguir – estão enquadrados em seis categorias participantes: Projeto Arquitetônico (Quiosque e Loja); Visual Merchandising (Vitrine, Ação de Ponto de Venda, Campanha de Ponto de Venda); Produto; Embalagem; Brand Design; e Design Consciente. Em cada categoria, estão as classificações Ouro, Prata e Bronze.

24


ENTENDA AS CATEGORIAS

1.

Brand Design Reconhece a excelência no desenvolvimento que reflete a significação dos valores da empresa e que vai ao encontro de suas estratégias.

4.

Produto Reconhece a excelência no desenvolvimento, distribuição e aceitação dos produtos pelos clientes e suas equipes.

2.

Design Consciente Premia empresas que utilizaram em seus projetos os conceitos ecologicamente corretos e socialmente responsáveis, contribuindo para uma franchising mais responsável.

3.

Embalagem Premia empresas que melhor desenvolveram embalagens para seus produtos, considerando o design, a funcionalidade, a composição gráfica, o uso de materiais, o impacto visual e a integração com a marca.

5.

Projeto Arquitetônico Reconhece a empresa que melhor utilizou o design para transformar seu ponto de venda num ambiente encantador, proporcionando uma excelente experiência aos seus clientes e as melhores condições operacionais para o negócio. É dividida em duas subcategorias: loja e quiosque.

6.

Visual Mechandising Reconhece a excelência nas ações e peças promocionais aplicadas no ponto de venda a caráter temporário, incluindo o projeto de vitrine e toda a sua integração no ponto de venda. É dividida em três subcategorias: Ação de Ponto de Venda (VM), Campanha de Ponto de Venda (VM) e Vitrine (VM).

25


CONHEÇA OS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EVOLUÇÃO E VALORIZAÇÃO

Inovação: design, experiência e fabricação. Benefícios ao usuário: desempenho, conforto, segurança, facilidade de uso, interface com o usuário, ergonomia, funções e acesso em geral, qualidade de vida e preço.

Responsabilidade: benefícios para a sociedade, meio ambiente, cultura e economia (melhoria de acesso a uma maior percentagem da população; melhoria nas necessidades básicas das populações de baixa renda; redução de doenças; melhoria da competitividade; geração de riqueza; melhoria da qualidade de vida; apoio à diversidade cultural; melhoria da eficiência energética; durabilidade; efeitos do ciclo de vida do produto sobre o meio ambiente; utilização de materiais de baixo impacto no seu todo e no processo de ciclo de vida; projetado para reutilização, reparação e reciclagem; abordagem de questões de toxicidade; e o uso de material reduzido e redução de resíduos).

Benefícios ao cliente e à rede franqueada: lucratividade, aumento de vendas, reputação da marca e motivação do público interno.

Apelo visual e estética apropriada

26


Projeto arquitetônico: para a premiação das categorias design de loja ou quiosque a empresa deve notar os seguintes critérios: a) Store Planning: layout, integração das áreas, circulação, contribuição na operação e na experiência de compra e no design global do projeto. b) Iluminação: solução e utilização da iluminação, em especial para destacar o design da loja e contribuir no seu ambiente. c) Materiais/Acabamentos: seleção inovadora e uso dos materiais e acabamento que tenham relevância com o conceito do projeto. d) Sinalização/Gráficos: solução, relevância e execução da sinalização interna e uso dos elementos gráficos que contribuem para o projeto. e) Visual Merchandising: solução de exposição geral e apresentação dos produtos vendidos no espaço de venda que contribuem para a performance, a ambientação da loja e para elevar a qualidade da experiência de compra. f) Conceito/Inovação: solução criativa que contribui para o projeto de forma especial, consistente e inovadora. g) Mobiliário/Expositores: excelência na estética do design dos equipamentos e mobiliário utilizados para expor e apresentar os produtos, a relevância em sua função e contribuição para o ambiente da loja.

27


PROJETOS VENCEDORES 28


CATEGORIAS: BRAND DESIGN....................................................................................................................26 DESIGN CONSCIENTE.......................................................................................................32 EMBALAGEM.........................................................................................................................38 PRODUTO................................................................................................................................ 44 PROJETO ARQUITETÔNICO - LOJA............................................................................. 50 PROJETO ARQUITETÔNICO - QUIOSQUE.................................................................56 VISUAL MERCHANDISING - AÇÃO DE PONTO DE VENDA.............................62 VISUAL MERCHANDISING - CAMPANHA DE PONTO DE VENDA...............68 VISUAL MERCHANDISING - VITRINE.......................................................................74

29


MAXSUSHI BRANDING (DESIGN DE IDENTIDADE E POSICIONAMENTO ESTRATÉGICO)

BRAND DESIGN

Design: BR/BAUEN Conceito: Fundada em 2007, a Maxsushi atua no sistema de “casual food” de comida japonesa. Reconhecida pela qualidade dos produtos, a franquia carecia de um posicionamento não atrelado a atributos meramente funcionais, mas que trouxessem ao público uma imersão na cultura oriental. Com elementos que identificam o Japão popularizado, a marca se reinventou tornando-se mais receptiva, amigável e divertida.

Descrição: A nova identidade corporativa da marca se apropriou de elementos da cultura japonesa que fugiam daquilo que era comumente comunicado entre os concorrentes – uma identidade de um Japão antigo, feudal e totalmente tradicional – e se apropriou de elementos de uma cultura contemporânea divertida “Kawai”. O novo posicionamento foi trabalhado em toda a comunicação da marca e pontos de venda.

Objetivo: O segmento de comida japonesa e a grande maioria dos concorrentes comunicavam-se de forma muito idêntica: elementos extremamente tradicionais eram enaltecidos. Para se mostrar de forma diferente, a Maxsushi rejuvenesceu a sua comunicação, relacionan-

Particularidades: O grande diferencial do projeto vai além de uma estética visual. Está na maneira de conversar com o público: foram analisadas as formas como as pessoas seriam tratadas e como gostariam de ser tratadas. A identidade definida também passa pelos colaboradores da empresa; todo o treinamento de atendimento, e a forma de lidar com eles, foi remodelado para se adaptar ao novo posicionamento.

do-se de forma menos dura com as novas gerações e fugindo dos padrões que se limitavam a dragões, telhados orientais e outros elementos clássicos.

30


OURO

Resultados: A mudança veio para destacar a marca entre os players do mercado. O impacto no faturamento foi comprovado numericamente devido uma maior percepção de valor. Isso oxigenou a animação dos franqueados e também do público interno. Houve engajamento do público e aceitação da marca no ponto de venda, nos canais de relacionamento e pelo público infantil.

31


LOGOMARCA

5ÀSEC _ DIGITAL

BRAND DESIGN

Design: FCK! Comunicação – Gustavo Martins Conceito: A marca reconhecida pela personalidade de “A Lavanderia Inteligente” agora se prepara para ocupar espaço no universo digital, com serviços e alternativas diversas, oferecendo ao público novos meios de comunicação e contato com a marca e seus serviços. Para propor esse novo conceito, a 5àsec inova com uma linguagem moderna e conectada com esse universo. Objetivo: Criar uma nova plataforma de comunicação, preparando a marca no Brasil para os novos desafios no ambiente digital e para o consumidor conectado. Pesquisa realizada aponta que, um novo consumidor – mais jovem e com características diferentes do tradicional – surge com grande força e capacidade de modificar o perfil de demanda de serviços.

32

Descrição: Diferente do tradicional da marca, a nova linha de comunicação foi toda construída em Flat Design, com cores sólidas e composta por ícones ilustrados um a um, representando toda a grade de serviços que a marca oferece ao consumidor. Particularidades: A construção dos boxes com ícones substitui toda a construção anterior com fotos, o que tornou a comunicação mais limpa e impactante e proporcionou uma construção de formas e cores muito mais eficiente para os novos desafios do varejo. Resultados: Nos primeiros seis meses de lançamento da campanha, a marca atingiu os melhores resultados em redes sociais, em alcance e engajamento do segmento de lavanderias entre todos os players do franchising. Além disso, obteve números de CTR acima da média de todas as ferramentas utilizadas de mídia programática e maior reconhecimento de marca e do produto na comunicação e PDV.


PRATA

33


LOGOMARCA

EVOLUÇÃO DE MARCA POSÉ

BRAND DESIGN

Design: Áquila Gestão de Marcas – Priscila Áquila Fernandes Granja

34

Conceito: Como uma marca que atende o universo do cuidado e da beleza, a Posé tem como linha central na filosofia a serenidade, a liberdade e a atitude. Sua comunicação tem como principal objetivo impactar um público que cuida da sua aparência, saúde e bem estar. Objetivo: A Posé acompanhou por 8 anos em mercado a evolução da mulher e suas necessidades e desejos pela liberdade de estar linda quando quiser, sem que para isso precise passar por processos dolorosos ou estressantes. Para isso é necessário que as empresas adequem produtos, serviços e o tempo para ela, e não o inverso. Percebeu-se então a necessidade de evoluir e transformar também a marca Posé, devendo traduzir os conceitos de serenidade, beleza e liberdade, de forma mais sofisticada e que fosse percebido rapidamente o valor agregado dos seus serviços e produtos.

Descrição: Para o símbolo foi usada a Borboleta como emblema universal da transformação, beleza, leveza e liberdade, formada a partir das letras “P” e “B”, iniciais de “Posé Beleza”, o que trouxe muita personalidade para a marca. As cores usadas foram o preto, que para traduzir a atitude; o dourado, valor agregado e sofisticação; e o branco, serenidade e segurança. A tipografia ficou mais limpa, com espessura mais fina e cantos arredondados que sugerem mais conforto e sofisticação. Esta mudança foi aplicada em todos os novos projetos Posé, desde arquitetura, sinalização e comunicação. Particularidades: A tipografia desenhada para esse projeto, de formas arredondadas, revisita elementos clássicos mas mantém seu design atemporal. A marca surpreende também por meio de seu símbolo que carrega em suas asas de borboleta as letras da empresa, os conceitos de liberdade e transformação e os valores que ela representa. Essa modernização serviu para inovar, traduzir e impulsionar a trajetória de crescimento e expansão da empresa, reposicionando e consequentemente fortalecendo sua marca.


BRONZE

Resultados: Com aceitação de franqueados e do público final na loja conceito, foi estabelecido que todas as unidades adequarão seus projetos de loja em até 18 meses contados a partir da data de lançamento da nova identidade visual da Posé. A adequação por meio de produtos e itens usados em procedimento estão sendo feitas paulatinamente de forma a não haver grandes choques no reconhecimento da marca, embora a expectativa seja de um incremento real de número de clientes fidelizados e de faturamento por meio de receita incremental na venda de produtos e outros serviços disponíveis em cada unidade.

35


ELETRONIC SYSTEM IGUI

DESIGN CONSCIENTE

Design: iGUi – Filipe Sisson Conceito: O conceito de mobilidade, comodidade e sustentabilidade (reduz o uso de produtos químicos) faz parte do projeto Eletronic System, filtro de piscina que automatiza a piscina e a área de lazer com acesso remoto via celular. Oferece baixo consumo de energia, economia de água, timer para filtragem, regulador de nível e clorador que transforma sal em cloro e faz a desinfecção da água. Objetivo: O desafio foi criar um produto inovador, ecologicamente correto e automatizado. Tanto o aplicativo (disponível para dispositivos móveis, como smartphones) quanto o painel possuem opções de acesso para filtragem, aquecimento, iluminação e cascata. Também disponibiliza quatro opções de automação da área de lazer, como iluminação do jardim, som, ventiladores, além do portão eletrônico. Descrição: Eletronic System é um sistema completo de filtragem de água para piscinas, composto por casa de máquinas

36

(filtro) e quadro de comando elétrico fabricados em materiais poliméricos. Oferece sistema de automação com acionamento das funções, manuseio remoto através de dispositivos móveis (smartphones). Conta com sensores de proteção que preservam o equipamento e usuários. Particularidades: O grande diferencial desse equipamento é agrupar todas as funções para manutenção, segurança e qualidade da piscina. Capta a água por gravidade, garantindo a segurança dos usuários. A água passa pelo elemento filtrante (poliéster 100% - 100g/m²), que retém 85% das impurezas na faixa de ≥ 30 a < 50µm, conforme ensaios realizados em laboratório. Resultados: O equipamento oferece economia de água, energia e produtos químicos, além de ser um produto ecologicamente correto, o que vem ao encontro da filosofia da empresa de investir em responsabilidade social. Por sua alta eficiência e tecnologia, o Eletronic System conquistou parceiros e o público mais exigente (profissionais), além de consumidores das classes A e B, que buscam produtos diferenciados.


OURO

37


SHARING BEAUTY WITH ALL DESIGN CONSCIENTE

Design: Equipe de Compras Indiretas L’Oreal Brasil Conceito: Nossa visão de sustentabilidade consiste em tornar a beleza sustentável e a sustentabilidade bonita. Temos o compromisso de melhorar a forma como fazemos negócio, da pesquisa à operação, do marketing à comunicação com o consumidor, ao mesmo tempo em que continuamos a compartilhar nosso crescimento com os fornecedores, colaboradores e comunidades que nos cercam. Objetivo: Trazer para o projeto dos quiosques Maybelline a visão de sustentabilidade e consciência social do “Sharing Beauty with all”. Descrição: Durante a cotação de fornecedores dos quiosques Maybelline, os participantes, além de passarem pela auditoria social da L’Oréal, propuseram projetos de sustentabilidade para os próximos três anos, duração do contrato com a L’Oréal.

38

Particularidades: Esse projeto foi concebido dentro dos preceitos do programa “Sharing Beauty with all”, da L’Oréal, e por isso possuiu como um dos pilares o “Solidary sourcing” dentro da cadeia de compras. Resultados: Além da troca de materiais por versões mais sustentáveis, esse projeto promove a capacitação das comunidades no entorno das fabricas, desenvolvendo e empregando.


PRATA

39


LOGOMARCA    

#COMPARTILHEAMORTIPTOP

DESIGN CONSCIENTE

Design: fri.to Conceito: A Tip Top convida todos a tirarem do fundo das gavetas aquela roupinha que não serve mais nos seus filhos e compartilhar todo o seu amor com as crianças que necessitam.

Particularidades: Esforço feito regionalmente, pois cada loja destina as roupas arrecadadas para instituições locais. Dessa forma, conseguimos compartilhar amor por quase todas as regiões do País.

Objetivo: Compartilhe Amor Tip Top é uma campanha que começou em novembro de 2015, a qual tem como objetivo incentivar a solidariedade por meio da doação de roupas.

Resultados: Na primeira fase da ação social Compartilhe Amor, entre arrecadações por parte das lojas e doações Tip Top (fábrica), tivemos mais de cinco mil peças doadas. Essa iniciativa encantou os consumidores e funcionários, conscientizando-os sobre a importância de ajudar os pequenos que vivem em uma situação menos favorecida, além de levar alegria e diversão para as suas vidas.

Descrição: As roupas arrecadadas nas mais de 100 lojas da Tip Top serão doadas para instituições (cada loja escolheu uma) que cuidam de crianças. Além disso, para cada peça doada na loja, a Tip Top contribuirá com R$ 1,00 em peças novas, para a mesma instituição escolhida por aquela loja. Exemplo: a loja arrecadou 1.000 peças, a Tip Top contribuirá com R$ 1.000,00 em peças novas, além das que foram doadas.

40


BRONZE

41


LOGOMARCA

BOWL NUTTY BAVARIAN EMBALAGEM

Design: Equipe de marketing Nutty Bavarian Conceito: Foi formulado de acordo com a ideia de que é uma embalagem prática e que atende bem a forma de consumo dos produtos por parte dos consumidores. Junto a isso, foi desenvolvida uma parceria com a FOX, com a franquia ‘A Era do Gelo – O Big Bang’, para fortalecer ainda mais o conceito e as vendas do produto. Objetivo: Criar uma embalagem prática e confortável de carregar as nuts. Também ter apelo criativo aproveitando o Scrat (esquilo do ‘A Era do Gelo’) na embalagem e tendo uma alusão aos produtos. Descrição: Bowl em embalagem durável, sendo um plástico injetado e com o molde de acordo com o que foi solicitado na criação.

42

Particularidades: É uma embalagem colecionável, que possui o apelo do filme ‘A Era do Gelo – O Big Bang’, e que possui um formato totalmente exclusivo. Também há uma noz na ponta da tampa, criando um toque especial. Resultados: Aproximadamente 70 mil unidades vendidas em toda a rede, gerando um faturamento bruto de mais de R$ 2 milhões e com um alto nível de satisfação de todos os franqueados e clientes. A embalagem foi tão bem aceita que, durante o período da ação, os quiosques Nutty Bavarian viraram ponto de destino, ou seja, as pessoas foram até os estabelecimentos comerciais para comprar o produto.


OURO

43


FONDUE GO

EMBALAGEM

Design: Fábrica Di Chocolate – House – Fabio Palucci Pantoni Conceito: Embalagem para viagem do produto Fondue GO, desenvolvida para encantar visualmente e despertar o interesse do público que busca uma opção produto para “viagem” e que possa ser compartilhado com mais pessoas em um outro momento que não seja no PDV. Busca uma integração social e um momento de prazer entre amigos, familiares, namorados e demais. Objetivo: Desenvolver uma embalagem de forte presença que dialogue com o público-alvo através de um conceito clean e com ilustrações que remetem à flora brasileira, em especial o cacau; nossa principal matéria-prima. Focamos em obter um resultado em que o cliente possa vivenciar uma experiência sensorial no momento da abertura da embalagem, com elementos gráficos ricos em cores e sutilezas estruturais.

44

Descrição: Embalagem externa em papel craft laminado e embalagem interna em PET cristal reciclável. Particularidades: Além do alto apelo visual do formato, a embalagem possui uma alça superior que permite o prático transporte pelo usuário. Essa alça suporta o peso de até 2,5kg. A preocupação com o meio ambiente está presente pela ausência de qualquer ponto de cola, utilizando-se para o fechamento apenas dobras e encaixes. Resultados: Conseguimos com o design da embalagem de “Fondue Go” transmitir ao cliente os atributos do produto, isto é, confiabilidade, qualidade, marca e experiência inovadora, já que não possui produtos similares no mercado. No ponto de venda, obtivemos um eficaz ‘vendedor silencioso’, pois sabíamos que o produto iria concorrer com outros, inclusive importados, em preço, qualidade, marca, imagem e apresentação.


PRATA

45


EMBALAGEM “ESPAGUETE DISNEY” EMBALAGEM

Design: Nova Comunicação – iGUi – Carlos Almeida Conceito: Embalagem sustentável, reciclável e multiuso, servindo para proteção, transporte, armazenamento e exposição do produto no ponto de vendas.

formato da orelhinha do Mickey) unindo em uma só embalagem as qualidades necessárias para proteção do produto, transporte, armazenamento e exposição.

Objetivo: O objetivo foi criar uma embalagem sustentável, atrativa para as crianças (licenciada Disney/usando personagem Mickey), reciclável e que pudesse ser usada para proteção, transporte, armazenamento e display expositor do produto, atraindo atenção sem ocupar grande espaço no ponto de vendas. Cada embalagem/expositor comporta 30 flutuadores de piscina modelo “espaguete” no formato da orelhinha do Mickey.

Particularidades: Flexibilidade de uso: A embalagem serve de display expositor, ocupa pouco espaço, oferece visibilidade, é sustentável e reciclável, na loja ou em eventos, é transportada e reutilizada várias vezes, garantindo sempre a mesma exposição e atratividade. Evita criação e utilização de prateleiras, ou similar, economizando tempo e matéria-prima, chega pronta ao ponto de vendas, é só abrir e expor.

Descrição: Caixa de papelão medindo 40cm x 33,5cm x 1,66m de altura, fabricada em Kraft Virgem (certificada e feita em madeira de reflorestamento) reciclável, capaz de comportar 30 flutuadores modelo “Espaguete Disney” (no

46

Resultados: Economia de recursos naturais (papelão é certificado e provém de reflorestamento) e financeiros, material de baixo custo, reaproveitado, dispensa reembalagem no transporte, ocupa pouco espaço na loja e no armazenamento e isenta o uso de prateleiras. Por ser resistente e inteligente, também é carregado para todas as ações fora da loja, ajudando a divulgar a marca e a parceria com a Disney.


BRONZE

47


ELETRONIC SYSTEM IGUI PRODUTO

Design: PROGEU – Desenvolvimento de Projetos – Wolmar Padilha Conceito: Eletronic System é um filtro de piscinas que utiliza sistema de automação para fazer a integração entre a piscina, a casa e a área de lazer, tudo controlado via celular. Além da automação, o produto é ecologicamente correto: possui clorador, que utiliza sal para higienizar a piscina, mantendo-a tratada e com economia de água, energia e produtos químicos. Objetivo: Esse sistema de automação completo para operação e tratamento da água traz nova alternativa: o clorador, que funciona transformando o sal em cloro por meio de uma reação química. O clorador trabalha quebrando a molécula de sal que é adicionada à água, dispensando o uso de outros produtos químicos e fazendo sozinho a desinfecção da água da piscina. Descrição: O Eletronic System é uma evolução tecnológica no mundo da piscina e leva a área de lazer para o

48

celular. Com esse filtro, é possível controlar pelo celular os comandos da piscina como: filtragem da água, aquecimento, iluminação, cascata e outras funções da casa, como abrir e fechar o portão eletrônico, acender as luzes da área de lazer, ligar ventiladores etc. Particularidades: O sistema funciona com três tipos de conexão: local, como se fosse via Bluetooth, distância máxima de 10 metros do quadro de comando; Wi-Fi, mais de 100 metros, dependerá do roteador; e conexão remota, que consegue conectar de qualquer lugar do Brasil ou do mundo. Resultados: O equipamento oferece economia de água, energia e produtos químicos, além de ser um produto ecologicamente correto, o que vem ao encontro da filosofia da empresa de investir em responsabilidade social. Por sua alta eficiência e tecnologia, o Eletronic System conquistou parceiros e o público mais exigente (profissionais), além de consumidores das classes A e B, que buscam produtos diferenciados.


OURO

49


LOGOMARCA

EVEREST GUIDE SYSTEM Design: Sinapse – Jorge Geras

PRODUTO

Conceito: Alta tecnologia em ortodontia digital

50

Objetivo: Revolucionar a instalação do aparelho ortodôntico, através do planejamento computadorizado e a fabricação de uma guia de colagem indireta dos bráquetes. Descrição: Partindo do escaneamento da boca do paciente, utilizamos um avançado software para definir, com a máxima precisão, a posição ideal de colagem dos bráquetes. Depois, utilizamos a tecnologia 3D para imprimir e confeccionar uma guia de colagem, na qual os bráquetes estão posicionados seguindo exatamente o local definido no planejamento.

Particularidades: Um grande diferencial do Everest é permitir que o paciente veja a simulação do seu tratamento. Isso contribui para que ele tenha mais confiança no tratamento indicado. Além disso, o Everest possibilita a redução da instalação do aparelho ortodôntico para uma única sessão de 30 minutos e, devido à precisão do posicionamento dos bráquetes, o tratamento tem uma evolução mais rápida. Resultados: O Everest Guide System possibilitou uma inovação no serviço de ortodontia. Conseguimos criar uma nova forma para o tratamento ortodôntico tornando-o um produto, com embalagem, ritual de entrega, e criando uma nova experiência para o paciente. O lançamento, ancorado na figura do Luan Santana, também contribuiu para uma maior exposição e fortalecimento da marca Odontoclinic no mercado.


PRATA

51




BRACELETE CRIE & COMBINE – FECHO PANDORA PRODUTO

Design: Pandora SA – Product Merchandising Conceito: Representante maior do conceito Crie & Combine difundido pela marca, o bracelete de prata de lei leva às mulheres um luxo acessível com um preço mais baixo do que as altas joalherias. Com o bracelete da Pandora, cada mulher pode levar consigo momentos inesquecíveis que marcaram sua vida ou representar sonhos. É um produto versátil, no qual a consumidora pode criar diversos looks para diferentes ocasiões.

Descrição: Bracelete de Prata de Lei 925, fecho em formato barril. Tamanhos disponíveis 17cm, 18cm, 19cm, 20cm, 21cm e 23cm.

Objetivo: Produto de luxo acessível, com design fluido e clean. O fecho carrega o logo da Pandora e as roscas – desenhadas especialmente para que rosqueiem perfeitamente com os charms – mantêm a segurança das

Resultados: O bracelete é nosso produto mais desejado e foi pioneiro do conceito ‘Crie & Combine’. Acreditamos que, com ele, levamos todos os dias mais brilho a muitas mulheres e elas nos presenteiam carregando suas mais nobres lembranças, sonhos e formas de se expressar, materializando sua confiança e autoestima nas múltiplas combinações possíveis.

joias nele colocadas, além de permitir que a consumidora personalize a posição das peças dividindo o bracelete por sessões, com o auxílio dos clipes desenvolvidos para se encaixarem perfeitamente sobre as roscas.

52

Particularidades: Seu preço permite acesso ao luxo e metais preciosos; fecho barril é patenteado pela marca. Roscas para segurança e divisão do bracelete em sessões.


BRONZE

53


PROJETO ARQUITETÔNICO LOJA

OUTER. SHOES NOVA AMÉRICA Design: Kube Arquitetura – Juliana Neves Conceito: A aspiração da Outer. é permitir a transformação do homem absorvido pelo ritmo cosmopolita em um homem mais integrado ao compasso da natureza, sem perder sua modernidade e sofisticação contemporânea. Para refletir esse desejo, desenvolveu-se o conceito Jardim Urbano para as lojas da marca. Objetivo: O objetivo principal do projeto para a loja era a criação de uma atmosfera leve, fresca, contemporânea e inserida nos habitats da marca, trazendo um pouco de natureza para dentro da cidade. Descrição: A mistura de elementos reaproveitados e novos, somada a objetos cotidianos como revistas, livros, vasos, ferramentas e imagens, faz com que o cliente se sinta à vontade para tocar e experimentar os produtos. Eles são divididos por famílias e linhas e são colocados sobre um caixote velho, gerando uma exposição simples

54

e sofisticada. Nos nichos de cada móvel há lâmpadas que ressaltam os detalhes do produto. Particularidades: Para essa marca, não há um padrão. Cada ponto é um ponto e tem um formato diferente. A atmosfera é a mesma, mas os detalhes variam, de forma que cada loja é única. A paleta de cores e materiais, que são marca registrada da Outer., estão em todos os projetos. Esse é um recurso usado para desenhar cada ponto, sempre evoluindo o conceito de forma que nenhuma outra loja fique datada. Resultados: O projeto tem um papel muito importante que é transmitir, para o consumidor, o conceito da marca. Uma história valoriza o produto e faz com que o cliente compre mais, fale mais da marca e queira fazer parte dela. Quem entra na loja recebe a história da Outer. por meio do projeto arquitetônico, e isso aumenta a fidelização, a taxa de conversão e o ticket médio.


OURO

55


PROJETO ARQUITETÔNICO LOJA

LOGOMARCA

56

THE BODY SHOP NEW GENERATION BRAZIL Design: OWE Gerenciamento e Produções – Ricardo Gato Conceito: A loja repleta de produtos feitos com ingredientes dos quatro cantos do mundo é uma experiência única de beleza. Desenhada com elementos naturais, como prateleiras de madeira e plantas, a loja convida os clientes para descobrir os ingredientes e conhecer nossos serviços de beleza. Os produtos estão sempre disponíveis para que os consumidores possam tocar, cheirar e experimentar.

Descrição: Layout funcional dividido por linhas de produto e pensando na jornada do cliente dentro de loja. A iluminação branca deixa o ambiente mais aconchegante e uma mesa para experimentação de Skin Care convida para a experiência. Plantas naturais desidratadas e mobiliário com certificação FSC ajudam a compor os elementos naturais da marca. Conta com displays iluminados e vídeos sobre os valores dos produtos.

Objetivo: Tropicalizar o conceito The Body Shop (dentro da essência da marca e com foco em trazer o máximo de elementos naturais para a loja), realçar os produtos e a história dos ingredientes (que devem ser os protagonistas) e criar áreas para as diferentes categorias (mantendo a consistência de um visual único de loja). Tudo implementado com materiais sustentáveis e com certificações.

Particularidades: Na entrada temos um display de forte apelo sensorial (sabonetes com diferentes fragrâncias) e um totem para produtos em lançamento. Convidamos o consumidor a percorrer o espaço chamando atenção pelas cores, dividindo as linhas de produtos com mobiliários. A iluminação é direcionada aos produtos. A adoção de folhagens desidratadas e tratadas contribui para o ambiente aconchegante.


PRATA

Resultados: Foi a primeira loja do conceito “New Generation”, desenvolvido em 2015 exclusivamente para o mercado brasileiro. Com feedback muito positivo de clientes, franqueados e da The Body Shop International – o que permitiu o rollout em mais de 30 lojas em menos de um ano –, aumentamos a participação dos produtos de cuidado facial para 17% das vendas totais; 10% acima da média do País.

57


PROJETO ARQUITETÔNICO LOJA

DUMOND – CALÇADOS FEMININOS DO GRUPO PAQUETÁ Design: Kawahara & Takano Retailing Conceito: Trabalhamos fortemente o conceito de modularidade e flexibilidade, tornando possível a fácil replicação da loja em qualquer localidade. A praticidade também foi priorizada com sistema de engate de prateleiras que permitem flexibilidade ao visual merchandising. Trabalhamos um pé direito alto e fachada convidativa, permitindo que a loja funcione como uma grande vitrine. Objetivo: Desde o início, a intenção foi fortalecer a imagem da marca através de uma arquitetura moderna e minimalista, promovendo uma nova experiência da marca Dumond.

58

Descrição: A iluminação é geral e também focal. As cores da loja foram combinadas com materiais leves, com chapas e perfis de aço carbono maciço, para conseguir estruturas com a menor dimensão possível nos móveis. Esses foram pensados para destacar e aumentar o valor percebido do produto. Particularidades: Apostamos na flexibilidade do projeto e na iluminação diferenciada para se destacar em meio a tantos concorrentes. Resultados: Conseguimos uma loja replicável e de fácil adaptação ao visual merchandising. A loja é facilmente transformada conforme a ocasião. Com a produção dos móveis de forma independente da obra, conseguimos agilidade e redução de custos na implantação da loja.


BRONZE

59


PROJETO ARQUITETÔNICO QUIOSQUE

LOGOMARCA

THE BODY SHOP QUIOSQUE Design: FAL Design Estratégico Conceito e objetivo: Para o conceito do quiosque, buscamos trazer a identidade original da marca que preza pela sua matéria-prima e ativismo em relação à natureza. Também reforçamos o apelo sensorial e inserimos o tom de voz próximo e acessível que a TBS pratica em suas campanhas. O design incorpora o grande diferencial da marca, o serviço de consultoria oferecido em nossas lojas. Descrição: O layout foi desenhado para dar visibilidade às linhas, com pontos de contato para comunicar a mensagem de marca e da campanha. As categorias de Bodycare e fragrâncias são expostas do lado de fora devido à alta rotatividade. Já Skincare, uma categoria de maior uso pessoal, fica na parte interna para realização da consultoria facial. A iluminação em cada prateleira valoriza as embalagens.

60

Particularidades: O quiosque deixa os produtos bastante acessíveis para os clientes, trabalhando bem a comunicação visual para contar mais sobre as linhas, sua origem e seus benefícios. Além da área de experimentação de produtos e consultoria facial, o quiosque conta com espaço para embalagem de presentes e funcionalidade para identificar as categorias com itens de visual merchandising. Resultados: O novo formato exclusivo do Brasil foi apresentado ao público pela primeira vez na ABF Expo Franchising em 2016. Conseguimos mais de 200 candidatos interessados, sendo que um deles já validou a abertura de três quiosques até final do ano. O primeiro abriu no aeroporto de Congonhas, em um modelo de experimentação, e contou com alta cobertura na mídia, aumentando o conhecimento da marca.


OURO

61


PROJETO ARQUITETÔNICO QUIOSQUE

FLAGSHIP MAYBELLINE Design: DIAM Internacional – Antonio Bernal Conceito: Maybelline é uma marca de Nova York com mais de 100 anos, entretanto com um espírito jovem e empreendedor. O projeto deve espelhar o ar cosmopolita de Nova York, a tecnologia dos seus produtos e a jovialidade e conectividade de nossas clientes. Objetivo: Desenvolver um ponto de venda com o perfil da consumidora Maybelline: jovem, moderna e conectada. Descrição: A planta fechada em “C” cria um caminho para a shopper conhecer a marca através dos eixos (face, unhas, olhos e lábios), descobrindo a cada passo os produtos em um “Planograma Candy Shop”, que convida para a experimentação. Nas quinas, temos os bolsões de res-

62

piro, onde a shopper descobre os últimos lançamentos da marca e pode ver os resultados visíveis dos nossos produtos nos espelhos candeeiros iluminados. Particularidades: O “Planograma Candy Shop” com impacto cor, tela com feeds do Instagram, checkout e área de maquiagem reservada são particularidades do quiosque e “best practice”, tanto nacionalmente quanto internacionalmente. Resultados: A modernização do quiosque resultou em um incrível crescimento de 35% de receita no primeiro trimestre de funcionamento, comparado com o ano anterior.


PRATA

63


PROJETO ARQUITETÔNICO QUIOSQUE

LOGOMARCA

CARRINHO GRANDE NUTTY BAVARIAN Design: Equipe Nutty Bavarian

PLANTA Resultados: Maior aceitação de alguns estabelecimen-

Conceito: O objetivo principal foi atender alguns estabelecimentos comerciais que não aceitam a operação com produção das nuts no local. O conceito foi todo adaptado para seguir a temática e essência da Nutty Bavarian. Objetivo: Buscar novas possibilidades frente ao mercado. Descrição: Quiosque de madeira, com iluminação em LED, placas de comunicação em PS, tubos dispensers para acomodação das nuts e exposição dos produtos. Particularidades: Quiosque pequeno, com possibilidade de encaixar em qualquer local.

64

tos comerciais por ser uma estrutura menor e compatível em pequenos locais; carrinhos grandes instalados no Brasil; e maior interesse do franqueado já existente para ter uma operação complementar à estrutura padrão dele, de fácil gestão e mobilidade.

PLANTA


BRONZE

65


VISUAL MERCHANDISING AÇÃO DE PONTO DE VENDA

TIP TOP VITRINE DIA DAS CRIANÇAS FUNDO DO MAR E MEU PEDIDO DE NATAL Design: Studio VM Conceito: Frescor do verão, levando os pequenos ao clima de praia e convidando-os para um delicioso mergulho. Objetivo: Propor uma vitrine, atrativa para o público da marca, com baixo custo, dentro do tema praia, fundo do mar. Além disso, divulgar a ação/brinde de Dia das Crianças e criar uma vitrine que facilitasse a venda. Atraindo a criança/mãe para a loja e mantendo a criança entretida. Materiais e aplicação: Toda a montagem foi feita in loco, por isso a maioria dos materiais utilizados na construção dessa vitrine foi com base PS para display, tecido e pelúcia. A aplicação e a montagem foram feitas pela equipe de vendas das respectivas lojas, portanto a facilidade no manuseio e na construção foram fatores muito importantes.

66

Iluminação e comunicação visual: Sinalizado com móbile temático preso ao teto utilizado também de forma lúdica e com voil estampado ao fundo Particularidades: O voil possibilita uma ambientação muito bacana, sem perder a visão geral da loja. Além disso, outro diferencial importante é a interação do brinde (boia), com a temática da vitrine “fundo do mar”, a qual utilizamos nos braços dos manequins, criando desejo de compra no público-alvo. Resultados: Proporcionou o encantamento do no nosso consumidor, com o crescimento de vendas de 10% comparado ao ano anterior.


OURO

67


VISUAL MERCHANDISING AÇÃO DE PONTO DE VENDA

CADERNO DE VIAGEM VIA MIA + DISPLAY Design: Equipe Via Mia Conceito: Na hora de viajar, nós sempre precisamos (ou tentamos) ter algum tipo de planejamento. Por isso, a Via Mia resolveu procurar entender como poderia ajudar a tornar a viagem mais bem pensada e registrada. Objetivo: A ideia foi desenvolver um caderninho de viagens, com check-list para não esquecer de levar nada, e espaço para registrar tudo o que a experiência tivesse de mais incrível. No ponto de venda, para que a cliente pegasse o espírito do produto que havíamos desenvolvido, criamos um display de MDF em formato de mala. Materiais e aplicação: Em relação aos materiais e aplicação, os cadernos de viagem são impressos em papel pólen e sua capa tem laminação fosca. O display é feito

68

em MDF, foi todo carimbado, o texto foi feito em adesivo de vinil e a alça é em couro. Iluminação e comunicação visual: O display seguiu o padrão visual adotado para a linha de viagens, com o uso de carimbos estilo passaporte. Não há iluminação especial para o projeto. Particularidades: A ideia do display foi muito bem recebida e vários clientes queriam levá-lo junto do caderninho de viagens. Entretanto, era apenas um material expositor. Resultados: Foi uma parceria com uma marca afim e estratégica, além de ter trazido um produto de valor para o cliente, que foi visto como um cuidado para o momento da viagem. Foram produzidas 987 unidades e todas foram vendidas, por R$ 29 cada.


PRATA

69


VISUAL MERCHANDISING AÇÃO DE PONTO DE VENDA

IGUI CASA COR Design: Departamento de Arquitetura iGUi – Anderson Macelani Conceito: Apresentar a marca iGUi através de produtos desenvolvidos para o público que visita a mostra e profissionais que especificam os mesmos em seus projetos. Objetivo: Inserirmos a marca iGUi dentro da maior vitrine de arquitetura, decoração e paisagismo da América Latina, a Casa Cor, bem como apresentarmos aos especificadores (arquitetos e paisagistas) a adequação da piscina com pastilhas de vidro “pastilhada” e do filtro Eletronic System, que automatiza a piscina e a casa permitindo controlar todos os comandos via celular. Materiais e aplicação: Lançamento da Piscina “pastilhada” e do Eletronic System. A piscina pastilhada é feita em fibra recoberta com pastilhas de vidro, sofisticada, pode substituir a alvenaria, chega pronta e é ecologicamente

70

correta, emitindo menos CO² que uma de alvenaria do mesmo tamanho. O Eletronic System é um filtro que automatiza os comandos da piscina via celular com economia de água e energia. Iluminação e comunicação visual: Os créditos da iGUi nas placas dos ambientes Casa Cor mais anúncios nos anuários das mostras. Também foi capa do anuário Casa Cor Espírito Santo. Em todas as mostras é um dos ambientes mais visitados. Particularidades: A piscina de alvenaria emite 32 vezes mais CO² que a piscina de fibra “pastilhada” em seu processo construtivo. Oferecemos, ainda, a cor da pastilha, tamanhos da piscina e escadas ergonômicas. Já o Eletronic System filtra automaticamente com “clorador” (transforma sal em cloro) e oferece sistema de automação com acionamento através de dispositivos móveis (smartphones).


BRONZE

Resultados: Houve aumento em torno de 15% a 20% nas vendas de produtos premium da marca (piscina pastilhada). O lançamento do Eletronic System também já desperta o interesse e começa a entrar nos orçamentos. Além disso, estreitamos contatos com especificadores, como arquitetos, paisagistas e designers; fechamos parcerias com arquitetos; e atingimos o público A e B, entrando no mercado de luxo e tecnologia.

71


VISUAL MERCHANDISING CAMPANHA DE PONTO DE VENDA

LOGOMARCA

SABORES DO MUNDO VIVENDA DO CAMARÃO Design: ICE Propaganda Conceito: O lançamento da campanha “Sabores do Mundo” foi fruto do momento de transcender o formato fast food. Estrelada pelo Chef Guga Rocha, a essência da série foi traduzida em pratos diferenciados, impulsionados pelo movimento olímpico ao eleger a diversidade de cinco países, com uma culinária de peixes e camarões. A marca buscou produtos sofisticados por um preço competitivo e com uma comunicação convidativa. Objetivo: A especialidade em frutos do mar, somada à tradição de pratos inspirados em receitas internacionais, visava atrair o consumidor, apresentando uma nova experiência com a marca. A estratégia de trazer um toque gourmet para o fast food foi concebida como um desafio, reinventando o imaginário do público.

72

Materiais e aplicação: PDV: materiais POP (take one, forro de bandeja, totem, móbile, orelha de monitor, digital signage, banner), Midia Mall (cancelas, mesas da praça de alimentação, totem, totem digital) e ações na web (Youtube, Google e redes sociais). Iluminação e comunicação visual: A estratégia de comunicação foi concebida contemplando toda a jornada de compra do consumidor Vivenda, desde o contato nos meios digitais, o impacto na entrada dos shoppings e em áreas comuns e, finalizando, na praça de alimentação, em contato com a própria loja. Particularidades: A consistência da campanha veio com a parceria com um chefe renomado, muito presente nos meios de comunicação: o Chef Guga Rocha. O teor internacional também trouxe um aspecto de novidade que o menu precisava. A criação de um canal com dicas culinárias que usam os produtos da marca, comercializados através do e-commerce “Vivenda em Casa”, também ganhou notoriedade.


OURO

Resultados: O resultado esperado com a ação era atrair o consumidor da praça de alimentação, com sugestões diferenciadas de pratos gourmet a preço justo. Logo na primeira semana, foram vendidos pouco mais de mil pratos. As menções à marca também dispararam nas redes sociais. Ao final da campanha, a Vivenda atingiu a marca de mais de 40.000 pratos vendidos, em um período de três meses.

73


VISUAL MERCHANDISING CAMPANHA DE PONTO DE VENDA

LOGOMARCA

5ÀSEC – LAVE MAIS, PAGUE MENOS Design: FCK! Comunicação – Gustavo Martins Conceito: Sob o tema “Lave Mais, Pague Menos”, conquistar o reconhecimento de personalidade de marca aplicada ao varejo, apresentando acessibilidade e variados serviços para atender aos diversos perfis de consumidor. A capilaridade da rede faz com que, sob o mesmo tema, as particularidades regionais sejam atendidas, oferecendo praticidade e conquistando reconhecimento de marca. Objetivo: Criar uma campanha que conquiste o reconhecimento pelo público do DNA de varejo da 5àsec e atenda aos diversos perfis de consumidor e suas necessidades ao redor do Brasil.

74

Materiais e aplicação: O enxoval de ponto de venda contempla: menu board de promoções em tecido impresso; banner promocional em tecido impresso; painéis de vitrine em lona impressa; e cardápio de promoções de balcão em polietileno impresso. Iluminação e comunicação visual: O projeto de ponto de venda foi planejado para que o consumidor tenha contato com as promoções por três planos: da rua (painéis em lona para visualização externa); da frente à loja (banner interno em tecido, para visualização do estacionamento); e em frente ao balcão (menu de promoções em tecido, para visualização do balcão). Também foi impresso cardápio de promoções em polietileno para manuseio e detalhamento das mecânicas das promoções.


PRATA

Particularidades: As peças impressas em tecido têm movimento e a leveza que remete ao próprio cuidado com que a marca cuida das roupas. Os cardápios de balcão informam enquanto o cliente aguarda o manuseio das suas peças e a produção em polietileno impresso confere durabilidade e mantém o material sempre como novo. Resultados: Nos primeiros seis meses de campanha, a Promoção 5+1 alcançou 980 mil peças processadas e 9.292 clientes novos. Já o Plano 5àsec obteve 37 mil peças processadas e 260 clientes novos por meio da promoção.

75


VISUAL MERCHANDISING CAMPANHA DE PONTO DE VENDA

LOGOMARCA

LIG-LIG, A VERDADEIRA COMIDA CHINESA Design: FCK! Comunicação – Gustavo Martins Conceito: A Lig-Lig é a primeira rede de comida chinesa a inaugurar loja no Brasil. Essa tradição, que vem desde 1992, agora passa por uma reestruturação, apresentando uma nova linguagem, novos personagens e novos produtos, no objetivo de, além dos sabores, criar uma verdadeira experiência em tudo o que remete à China. Objetivo: Criar uma campanha com foco em varejo de resultado que divulgue o diferencial da marca, explorando a tradição da cozinha chinesa, potencializando vendas, amplificando resultados e, acima de tudo, proporcionando uma experiência na tradição chinesa a cada contato com a marca. Materiais e aplicação: O enxoval completo contempla: cardápio padrão, cardápio executivo, painéis de parede, móbile e boxes promocionais

76

Iluminação e comunicação visual: O projeto de ponto de venda foi planejado para que o consumidor tenha contato com a nova comunicação e com as promoções da entrada da loja até o momento do pedido no balcão, com peças de impacto que ajudam na escolha dos pratos, oferecendo promoções e apresentando a diversidade do cardápio. Particularidades: A marca é tradicionalmente conhecida pelo personagem Liguinho, presente no logo e em toda a comunicação. Na nova construção de branding, o Liguinho apresenta “seus dois grandes amigos”: Lig-Lee, mestre em artes marciais que está sempre apresentando uma grande promoção com super desconto, e Chun-Lig, uma dragãozinha que interage com pratos, sugestões e brincadeiras para as crianças. Resultados: Grande impacto junto à rede e ao consumidor, aumento de vendas e reconhecimento de marca. Recebemos depoimentos como: “hoje fica mais fácil decidir qual prato escolher, entre tantas possibilidades” e “a loja ficou mais clara, mais alegre, os clientes ficaram surpresos”.


BRONZE

77


VISUAL MERCHANDISING VITRINE

PUKET ICE CREAM Design: Puket – Mariana Almeida Conceito: Todo mundo ama sorvete, até nossos coalas! Sorvetes e casquinhas, coalas e vaquinhas estampados em uma coleção de babar. Objetivo: Promover o lançamento da coleção Ice Cream de forma lúdica e criativa. Materiais e aplicação: Fizemos um carrinho de sorvete em MDF adesivado com farol de milha. O piso, também em MDF, foi adesivado com casquinha de sorvete e colocamos um sorvete gigante derretendo no piso e espalhando cor pela vitrine. As mesas em formato de casquinha de sorvete foram produzidas em plástico PET adesivado. Na janela (onde havia uma TV de LED) um vídeo do coala e da vaquinha.

Iluminação e comunicação visual: Iluminação focada nos produtos e personagens da marca, sorvetes e sundaes construídos com meias fofas em casquinhas de sorvete e personagens em MDF reforçando as estampas da coleção. Sorvetes, casquinhas, coalas e vaquinhas por toda a parte. Pura diversão! Particularidades: O carrinho de sorvete com farol de milha (que acende!) para expor os produtos da coleção e as mesas em formato de casquinha de sorvete foram o destaque. O vídeo com a ilustração dos personagens curtindo o mundo encantado dos sorvetes reforçou a comunicação. As casquinhas de sorvetes em papel para expor as meias criaram um efeito fantástico na vitrine, despertando desejo. Resultados: Uma vitrine colorida e muito divertida. Impossível passar pela loja e não se encantar com os produtos da coleção Ice Cream e com os personagens mais fofos da Puket. Quem não gosta de sorvete? Todo mundo quer levar para casa!

78


OURO

79


VISUAL MERCHANDISING VITRINE

IMAGINARIUM – CAMPANHA DIA DOS NAMORADOS, PERFECT MATCH Design: Equipe Imaginarium Conceito: Em uma era digital, em que as pessoas interagem e se conhecem online, a Imaginarium traz o universo do Tinder – o aplicativo mais famoso e mais apaixonante da internet – que mostra para a pessoa o seu “Perfect Match” (“Par Perfeito” ou “Combinação Perfeita”). Além disso, brincamos com a palavra Match, que, em inglês, também quer dizer “Fósforo” e casamos tudo nesse clima de encontro, paixão e fogo. Objetivo: Selecionamos 18 lojas para participar de uma experiência: integrar o on-line e o off-line. O objetivo foi reforçar a Imaginarium como a marca descolada que está sempre à frente do seu tempo quando o assunto é Dia dos Namorados. Pensamos em uma ação para atrair mídia espontânea em grandes veículos de comunicação e unimos isso ao engajamento das redes oficiais da marca, alavancando as vendas.

80

Materiais e aplicação: As lojas selecionadas receberam televisores, onde exibimos um vídeo com possíveis casais ou “match” da vida real. Convidamos clientes na loja, os fãs e seguidores nas redes sociais para aparecerem nos vídeos da vitrine. Além disso, toda a ambientação da loja possuiu detalhes com fogo, fósforos e caixas de fósforo em tamanho gigante, fechando o clima para a campanha de Dia dos Namorados. Iluminação e comunicação visual: Para iluminação, utilizamos cinco spots de luz cálida focadas nos produtos e cinco lâmpadas amarelas em pontos estratégicos para dar a impressão de fogo/calor, conforme o tema da campanha. Particularidades: Televisão instalada especialmente para essa campanha usada para interação do público com a vitrine, que, além dos produtos, expõe a imagem


PRATA

dos nossos clientes e fãs da marca, compondo o objetivo da campanha (além de formar possíveis casais na vida real). Traz o on-line para o PDV, e leva o PDV para o on-line. Resultados: Com a campanha “Perfect Match” e com as vitrines especiais, tivemos excelentes resultados principalmente pela natureza multicanalidade, que ampliou a conversa e levou clientes das lojas físicas para uma continuidade no ambiente virtual (mídias sociais), e vice-versa. Tivemos crescimento de vendas comparado com o mesmo período em 2015 e no Facebook adquirimos mais de 18 mil novos seguidores.

81


VISUAL MERCHANDISING VITRINE

LOGOMARCA

NOVA PADRONIZAÇÃO VISUAL CI Design: L Mais Arquitetura – Lia Garcia Conceito: O conceito criativo por trás da nova loja da CI foi definido a partir da mala do viajante: o que se leva com ela e o que se traz nela, encontrando referências a objetos de viagens, fotos e sensações. Na vitrine, foi desenvolvido um projeto especial, distinto do restante das lojas. Optamos por um display digital, dando mais energia à comunicação institucional e promocional, veiculada 24h/dia. Objetivo: Por se tratar da loja conceito em um dos pontos mais caros e movimentados da cidade, o desafio do briefing foi pensar uma comunicação elegante, chamativa e, ao mesmo tempo, promocional. Materiais e aplicação: Foram utilizados materiais nobres na testeira, como acrílico e retroiluminação em LED, para garantir uma iluminação homogênea, duradoura e econômica. A vitrine foi totalmente pintada de laranja, o que a

82

integra à testeira de forma orgânica e natural, e foi instalada uma TV de LED de 65”. Iluminação e comunicação visual: O ponto alto da vitrine é a tela de LED de 65”, instalada em uma vitrine totalmente pintada de laranja. Além disso, a testeira também se integra ao projeto de forma orgânica, em função do laranja, o que possibilita grande visibilidade durante o dia e, em função de ser totalmente retro iluminada, se destaca durante a noite, cumprindo sua função de comunicar a marca em tempo integral. Particularidades: O diferencial fica por conta da testeira totalmente retro iluminada e da TV de LED com comunicação em tempo integral. Por se tratar da loja conceito da marca. Resultados: Após a finalização desse novo modelo de fachada, a unidade percebeu um crescimento de 20% a mais de clientes interessados nos produtos oferecidos pela empresa, que são divulgados diariamente na TV da vitrine.


BRONZE

83


VISUAL MERCHANDISING VITRINE

VITRINE VERÃO 2017 VIA MIA Design: Equipe de Visual Merchandising Via Mia Conceito: Cores, elementos e detalhes marcantes, em uma combinação alegre com a leveza do Verão. Tendências étnicas se juntam a inspirações tropicais e formam a coleção da Via Mia, em uma tradução divertida e colorida como a marca. Objetivo: Nossas vitrines têm a função de expor, no mínimo, oito produtos de forma clara e comunicando nossa coleção. Dessa vez, usamos as cordas ornamentadas para trazer o clima étnico apresentado nos nossos produtos e comunicação, usando muitas cores para representar o frescor do clima tropical. Materiais e aplicação: Sua composição é feita por cordas de algodão envoltas com fios de poliéster, em diversas cores, e amarradas a círculos expositores de ferro. Algumas das cordas são apenas decorativas e não têm exposição de produtos. Todas são presas ao teto e chão com ganchos de metal.

84

Iluminação e comunicação visual: As cordas utilizadas remetem aos colares tipicamente africanos, que são a representação visual do clima étnico. Com fundo amarelo alaranjado, Abóbora Coral, a vitrine já ganha um tom vibrante fortalecido pelos spots localizados no teto que garantem a iluminação dos produtos sem deixar a cenografia criar tanta sombra. Particularidades: Esse projeto conseguiu viabilizar a verticalização da vitrine, isto é, aproveitar melhor sua altura sem concentrar todos os produtos em alguma mesa ou cenografia baixa. Especialmente ao falar de acessórios, por não usarem manequins, esse é um grande desafio. Resultados: Nas vitrines, pôde-se traduzir as inspirações étnicas da coleção e a essência colorida da Via Mia, de forma inusitada e marcante. Os produtos organicamente se misturaram com a cenografia, gerando curiosidade e prazer estético no público.


BRONZE

85


REALIZAÇÃO

PRODUÇÃO:

IMPRESSÃO


Publicação Vencedora


Livro Prêmio ABF +RDI Design 2016  

Livro Prêmio ABF +RDI Design 2016