a product message image
{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade

Page 1

ESTA EDIÇÃO DO JORNAL DA CIC DESCANSOU POR 24 HORAS ANTES DE SER DISTRIBUÍDA, PARA MINIMIZAR AS CHANCES DE CONTAMINAÇÃO. LAVE AS

COPEL suspende cortes em residências e hospitais

MÃOS ANTES E DEPOIS DE LER.

2

Anvisa aprova três novos testes para diagnóstico do coronavírus

Curitiba, março de 2020

#29 CONTEÚDO / INOVAÇÃO / CIDADANIA WWW.JORNALDACIC.COM.BR

Página

4

COVID-19: AÇÕES MUNICIPAIS E ESTADUAIS PARA CONTER O NOVO VÍRUS COVID-19: a melhor proteção é a prevenção

5

Brasileiro na China: como é a vida póspandemia?

7

FabLab começa a produzir máscaras em impressoras 3D

7


02

BOAS NOVAS

Jornal da CIC março de 2020

MAPAS MOSTRAM OS CASOS DE COVID-19 NO MUNDO, BRASIL E PARANÁ

GOVERNO DO ESTADO USA AERONAVES PARA AGILIZAR EXAMES DA COVID-19 Uso de transporte aéreo apressa envio de materiais e de exames para o Lacen, permitindo planejar melhor leitos de UTI e enfermarias, uso de aparelhos hospitalares, material e EPIs.

PACOTE SOCIAL DE R$ 400 MILHÕES VAI AJUDAR FAMÍLIAS PARANAENSES Haverá repasses diretos, ampliação dos programas sociais de Sanepar e da Copel e adiamento das parcelas dos programas de habitação da Cohapar, além de reforço no programa da agricultura familiar.

CASOS CONFIRMADOS EM 25/03/2020 MUNDO: 458.927 BRASIL: 2.433 PARANÁ: 97 CURITIBA: 46

PROFESSORES E ESTUDANTES DA UEL PRODUZEM ÁLCOOL 70% Duzentos litros do produto feito a partir álcool etílico hidratado a 92,8% foram repassados ao Hospital Universitário (HU/UEL). A capacidade de processamento é de até 300 litros por dia. O álcool 70% também poderá ser distribuído a outros serviços da universidade que precisarem.

ESTUDANTES DE MEDICINA COMEÇAM A ATUAR NA OUVIDORIA DO SUS

COPEL AMPLIA LUZ FRATERNA E SUSPENDE CORTES EM RESIDÊNCIAS E HOSPITAIS A Copel informa que a faixa de isenção para subsídio

da fatura de energia elétrica para famílias de baixa renda será ampliada e que, também, irá suspender por 90 dias, a partir desta quarta-feira (25), os cortes por inadimplência de unidades consumidoras residenciais, inclusive as de baixa renda, além de serviços e atividades consideradas essenciais, conforme a legislação, tais como hospitais e assistências médicas. A medida vale para toda a área de concessão da Companhia e tem o objetivo de permitir que as pessoas afetadas economicamente pela crise trazida pela pandemia do coronavírus possam se organizar para realizar os pagamentos. MAIS FAMÍLIAS O governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciou em coletiva, na tarde desta terça, o aumento da faixa de consumo que isenta do pagamento as famílias cadastradas na tarifa social de energia elétrica. Com a ampliação para 150 kWh de consumo por mês, estima-se que 217,5 mil famílias terão as faturas de energia custeadas pelo Governo do Estado, porestes 90 dias. De acordo com as regras atuais, toda família cadastrada recebe 100% de desconto quando consome até 120 kWh por mês. O aumento desse limite permitirá aumentar o benefício para mais 57,5 mil famílias. A suspensão dos cortes e outras adequações adotadas pela Copel para o período de contingência se alinham às orientações da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), órgão que regulamenta o setor no Brasil. Nos casos de pagamento posterior à data de vencimento da conta de luz permanecem as regras anteriores, incidindo multa de 2%, juros de mora de 1% ao mês calculados com atualização diária, e atualização monetária baseada no IGP-M (Fundação Getúlio Vargas). A cobrança das faturas das demais classes e aquelas anteriores às mudanças anunciadas continuam válidas. Portanto, o consumidor que teve sua energia cortada por falta de pagamento

anterior deve quitar o débito e solicitar a religação nos canais de atendimento da empresa. Todos os serviços operacionais essenciais da Copel continuam funcionando, e a religação será feita no prazo normal. SEM SAIR DE CASA A programação de débito automático da fatura de energia continua sendo a melhor opção para manter as contas em dia. Em tempos de circulação do coronavírus, a opção também serve para evitar o contato social e aglomerações. Quem tem conta nos principais bancos pode fazer o cadastro de débito automático no aplicativo da Copel, disponível de graça para Android e iOS. São 15 instituições financeiras conveniadas: Banco do Brasil, Banco Inter, Bradesco, Bancoob, Caixa Econômica Federal, Credialiança, Credicoamo, Credicoopavel, Itaú, Mercantil do Brasil, Safra, Santander, Sicredi, Uniprime Central, Uniprime Norte. Em outros bancos, é possível fazer o cadastro no autoatendimento ou por site e aplicativo. Para isso, é preciso ter em mãos uma fatura de energia para inclusão pelo código de barras ou pelo número da unidade consumidora. No Banco do Brasil, é preciso informar o número do convênio da Copel: 13896.

O grupo recebeu treinamento com instruções sobre o coronavírus e a doença Covid-19 nesta terça-feira (24), além de orientações sobre o funcionamento e fluxo de atendimento da Ouvidoria.

APOIO À AGRICULTURA FAMILIAR E PROGRAMAS SOCIAIS NÃO PARAM Mesmo com a epidemia do coronavírus e a suspensão das aulas, associações de agricultores continuam entregando sua produção para manter o atendimento à população mais carente do Estado.

DOAÇÕES E VOLUNTARIADO CONTRIBUEM COM ENFRENTAMENTO AO CORONAVÍRUS NO PARANÁ As doações são coordenadas pela Defesa Civil, que organiza o que é recebido e distribui entre órgãos e instituições sociais. A população também pode doar diretamente às entidades através do aplicativo Paraná Solidário. O site http://www.coronavirus.pr.gov.br ganhou um campo específico para quem quer ajudar, seja por meio de doações ou voluntariado.

COMERCIAIS Quem não possui conta bancária pode realizar o pagamento em mais de mil estabelecimentos comerciais credenciados para receber a conta da Copel, em todo o Paraná. Farmácias, supermercados e mercearias são alguns exemplos que constam na lista, disponível no site www.copel.com. Na página, também é possível emitir a segunda via da conta, sem custo. Já no aplicativo para celulares, o histórico das faturas fica armazenado, evitando a perda ou extravio da conta.

EXPEDIENTE DIREÇÃO: Larissa Santin- 0011466/PR Razão Social: Larissa Bonilauri Santin CNPJ:28.650.673/0001-06 *distribuição gratuita


VIOLÊNCIA DOMÉSTICA PODE CRESCER DURANTE ISOLAMENTO, DIZ ONU

ANVISA APROVA TRÊS NOVOS TESTES PARA DIAGNÓSTICO DE CORONAVÍRUS Por: Júlia Pereira / Observatório do Terceiro Setor

03

Por: Júlia Pereira / Observatório do Terceiro Setor

DELEGACIA DA MULHER: Tel: (41) 32198600

Na última segunda-feira (23/03), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou três novos testes para detectar o novo coronavírus, causador da Covid-19, contabilizando já 11testes registrados e aprovados no país.

Dois dos novos testes são moleculares e usam uma técnica conhecida como PCR, que verifica a presença de material genético do vírus nas amostras das vias respiratórias dos pacientes. Esse tipo de teste tem um alto grau de precisão e leva em torno de quatro horas para mostrar os resultados. O terceiro teste é conhecido como “teste rápido”. É necessária uma pequena amostra de sangue do paciente para detectar a presença de anticorpos contra o vírus. Em geral, o teste rápido leva de 10 a 30 minutos para obter resultados. De acordo com laboratórios que fornecem o teste com PCR, o organismo leva cerca de cinco dias para produzir anticorpos que são detectados nos testes rápidos. Por isso, o teste que analisa as vias respiratórias dos pacientes (teste com PCR) tem maior grau de precisão. Na semana passada, a Anvisa já havia aprovado outros oito registros de testes rápidos para venda a laboratórios e serviços de saúde do país. Nenhum dos 11 testes aprovados até agora tem oferta direta ao consumidor; todo o material é direcionado a serviços de saúde. Um dos novos testes aprovados na segunda-feira é importado pela Roche Diagnóstica e está sendo analisado pelo Ministério da Saúde para possível oferta na rede de saúde. Atualmente, o Ministério da Saúde utiliza testes do tipo PCR, por meio de kits fabricados pelo laboratório Bio-Manguinhos, da Fiocruz.

Nesta

semana, a ONU Mulheres divulgou a publicação ‘COVID-19 na América Latina e no Caribe: como incorporar mulheres e igualdade de gênero na gestão da resposta à crise’. O documento contém 14 orientações com o objetivo de minimizar os impactos da pandemia causada pelo novo coronavírus na vida das mulheres. Um dos alertas da cartilha é que “em um contexto de emergência, aumentam os riscos de violência contra mulheres e meninas, especialmente a violência doméstica”. Isso porque crescem as tensões em casa e “as sobreviventes daviolência podem enfrentar obstáculos adicionais para fugir de situações violentas ou acessar ordens de proteção que salvam vidas e/ou serviços essenciais devido a fatores como restrições ao movimento de quarentena”. Outro ponto de atenção sobre as especificidades de gênero é a exploração sexual para fins comerciais, resultante do cenário negativo de enfrentamento à crise, como o fechamento de serviços de alimentação nas escolas e comunidades, diminuição de alimentos e restrições ao movimento de pessoas. A publicação trata ainda dos impactos físicos e psicológicos na população feminina, parcela mais afetada pelo trabalho não remunerado. As tarefas de cunho doméstico recaem principalmente sobre as mulheres neste momento devido à saturação dos sistemas de saúde e fechamento de escolas, resultando na maior responsabilidade de cuidado de familiares doentes, pessoas idosas e crianças. Além disso, as mulheres são maioria entre os trabalhadores informais e domésticos. Em momentos de crise como este, muitas perdem seus trabalhos e, consequentemente, o sustento de vida própria e da família. Por fim, a publicação elaborada pela ONU ressalta que as mulheres que trabalham no setor da saúde, domésticas, trabalhadoras informais, refugiadas, migrantes e em situação de violência estão mais expostas à Covid-19 e precisam estar inclusas nas tomadas de decisões locais e nacionais a respeito da pandemia.

MINISTÉRIO DA SAÚDE DISPONIBILIZA CURSO ONLINE GRATUITO SOBRE O CORONAVÍRUS

O

Ministério da Saúde disponibilizou um curso online gratuito sobre o novo coronavírus. Intitulado ‘Vírus respiratórios emergentes, incluindo Covid-19’, o curso foi desenvolvido pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAN). A capacitação oferece uma introdução geral sobre o Covid-19 e outros vírus respiratórios. Em relação ao coronavírus, ele explica de maneira didática como se dá o contágio, como é possível evitar a transmissão, o que de-

vemos fazer em caso de contágio e quais são os sintomas. Aberto ao público e gratuito, o curso está dividido em 4 módulos e pode ser acessado em sua plataforma..


04

Jornal da CIC março de 2020

CORONAVÍRUS: A MELHOR PROTEÇÃO É A PREVENÇÃO As medidas preventivas simples ainda são a melhor maneira de se proteger contra o coronavírus, que ainda não tem vacina. A covid-19 pode ser transmitida de forma semelhante à influenza ou outros vírus respiratórios, pelas gotículas respiratórias, por tosse e espirros em curta distância ou pelo contato com objetos contaminados pelo vírus.

O que a pessoa pode fazer para se proteger?

As investigações sobre transmissão do novo coronavírus ainda estão em andamento, mas a disseminação é de pessoa para pessoa pelas gotículas respiratórias, por tosses e espirros em curta distância ou contato com objetos contaminados.

Lavar as mãos com frequência, ou utilizar álcool 70%, principalmente antes de consumir algum alimento. Utilizar lenço descartável para higiene nasal. Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir. Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca, higienizar as mãos após tossir ou espirrar. Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas. Manter ambientes bem ventilados, evitar contato próximo com pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença. Pessoas com sintomas de infecção respiratória aguda devem praticar etiqueta respiratória: cobrir a boca e nariz ao tossir e espirrar, preferencialmente com lenços descartáveis, e depois lavar as mãos.

Quais são os sintomas apresentados por uma pessoa que foi infectada pelo novo coronavírus?

Estive em viagem recente para uma região com a circulação da doença, mas não tenho sintomas, qual a orientação?

Febre associada a sintomas respiratórios, como tosse e dificuldade para respirar, semelhantes a outras doenças respiratórias.

Isolamento de 7 dias, independentemente de ter ou não sintomas, e de 14 dias, se sentir algum dos sintomas.

Existe tratamento para um novo coronavírus?

Tive contato com alguém que esteve em viagem para uma região com circulação da doença, devo tomar alguma precaução?

O que é o novo coronavírus? É um novo vírus da família coronavírus que tem causado doença respiratória, recentemente identificado na China. Qual é a forma de transmissão?

Até o momento não há antiviral específico recomendado para a infecção Covid-19. As pessoas devem receber tratamento e cuidados de suporte para aliviar os sintomas. Qual é o período de incubação deste novo coronavírus? De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), presume-se que até o momento o tempo de exposição ao vírus e o início dos sintomas sejam de até duas semanas, ou seja 14 dias. Qual é a definição de caso suspeito? Na primeira semana de março o Ministério da Saúde ampliou as regiões de viagem para considerar casos suspeitos de infecção pelo novo coronavírus. A partir da data todas a pessoas que chegarem a Curitiba vindas de viagem do exterior ou de estados com transmissão comunitária e apresentarem sintomas de infecções respiratórias, como febre, coriza, tosse, falta de ar, dor de garganta, nos próximos 14 dias após o retorno da viagem devem ser considerados como casos suspeitos. Existe

uma

vacina

para

o

novo

coronavírus?

Não. Trata-se de um novo vírus, portanto ainda não há vacinas. Tomei a vacina contra a gripe e/ou contra pneumonia. Estou protegido contra o novo coronavírus? Não. A vacina da gripe protege somente contra o vírus influenza, a vacina contra pneumonia protege contra doenças causadas pela bactéria pneumococo.

Monitore o início de sintomas respiratórios nos próximos 14 dias, caso surjam, mesmo que leves, procure um serviço de saúde e informe já no início do atendimento sobre o contato. Estou com sintomas respiratórios, mas não viajei para nenhuma região com a circulação do novo coronavírus, o que devo fazer? Pessoas com sintomas leves de infecção respiratória não devem procurar as unidades básicas de saúde e as Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs). O objetivo é evitar a proliferação de doenças respiratórias e também preservar a rede de atendimento de saúde para os casos graves. Pessoas com quadros respiratórios, seja qual for, devem sempre que possível devem evitar locais fechados e aglomerados. Qual o nível de gravidade da doença? Dados iniciais publicados pelas autoridades internacionais de saúde pública que monitoram os casos pelo mundo, indicam que a letalidade seja entre 2% e 3%. Onde obter informações sobre o coronavírus? Para esclarecimentos busque os canais de comunicação da Prefeitura de Curitiba e da Secretaria Estadual de Saúde do Paraná. Procure fontes de informações confiáveis, como órgãos públicos, e serviços de saúde.


06

Jornal da CIC março de 2020

SUL E SUDESTE ALINHAM ESTRATÉGIA PARA EVITAR DESABASTECIMENTO

O

governador Carlos Massa Ratinho Junior participou nesta segundafeira (23) de uma videoconferência com o ministro da Infraestrutura,Tarcísio de Freitas, juntamente com os demais governadores dos estados que formam o Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud). O colegiado decidiu que as divisas ficarão abertas ao transporte de produtos essenciais para evitar o desabastecimento. Ratinho Junior destacou as medidas adotadas pelo Paraná para não prejudicar a circulação de caminhões. Ele citou o reforço na estrutura de apoio aos motoristas em Paranaguá. “Criamos um ambiente favorável para atender esses profissionais neste momento tão difícil, mostrando que o Paraná se preocupa com essa atividade tão importante para a população”, afirmou o governador. “Uma área para saúde, higienização e acomodação para os caminhoneiros. Também estamos trabalhando para garantir a alimentação dessas pessoas”, disse. Os governadores também trataram de questões de saúde envolvendo a pandemia de coronavírus, como a necessidade da viabilização de mais testes, assim como o reforço na estrutura hospitalar de todo o País, com a disponibilização de leitos. DECRETO Ratinho Junior ressaltou que o Governo do Estado emitiu decreto estabelecendo as 33 atividades essenciais que precisam manter o funcionamento mesmo com a orientação para se evitar a circulação. Basicamente, serviços de interesse público. Entre eles, lembrou o governador, está o transporte e entrega de cargas em geral. “Estamos atuando em sintonia constante com o governo federal”, afirmou. PREOCUPAÇÃO O ministro da Infraestrutura revelou que a União busca uma unidade sobre o tema entre os Estados, impedindo que qualquer determinação mais abrangente impeça a circulação de mercadorias e remédios. “Não podemos permitir que falte produtos nos supermercados, farmácias e hospitais”, disse Gomes de Freitas. Entre as preocupações colocadas pelo ministro está a atenção aos motoristas. “O mesmo vale para restaurantes e oficinas localizadas na beira de estradas. Se o caminhão estragar, precisa ser consertado. E os caminhoneiros precisam se alimentar”, completou. Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo se comprometeram a manter as divisas abertas, mas com reforço na fiscalização para evirar a circulação do vírus. AGENDA O grupo voltará a se reunir virtualmente na quarta-feira (25) para avaliar as decisões tomadas pelo Governo Federal em relação ao combate ao COVID-19. Os governadores dos Estados do Sul e Sudeste também esperam agenda com o presidente da República Jair Bolsonaro.

COMUNICADO DO PREFEITO RAFAEL GRECA À CIDADE INDUSTRIAL DE CURITIBA "Quero dizer aos moradores da CIC que eu determinei às secretarias de Educação e Segurança Alimentar para que garantam a merenda escolar para as famílias vulneráveis e aos curitibinhas que estão sem ir à escola por causa da epidemia do coronavírus. _ São 12.867 crianças receberão cada uma um crédito de 70 reais para compra de mantimentos, como arroz, feijão, óleo, açúcar, sal, macarrão, produtos oferecidos pelos Armazéns de Família da nossa Prefeitura. Foi a forma que nós encontramos para dar segurança alimentar aos mais humildes nesse momento tão sensível da vida brasileira. Aproveito a ocasião para comunicar aos curitibanos que nós continuamos seguindo as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) de não sair de casa, lavar sempre as mãos com água e sabão e usar álcool em gel, evitar aglomerações, manter os ambientes bem ventilados e não compartilhar talheres e toalhas. Juntos vamos vencer esta doença. Tomem cuidado com a vida. Viva Curitiba!" Rafael Greca de Macedo


BRASILEIRO NA CHINA: COMO É A VIDA PÓS-PANDEMIA DE COVID-19

07

Erasto Santos Cruz vive há dois anos e meio em Zhuhai, na província de Guangdong, e viveu todos os estágios da contenção do vírus pelo governo chinês.

O tradutor e doutorando em Estudos Literários e Interculturais

na Universidade de Macau, Erasto Santos Cruz, 35, conversou com o Jornal da CIC para contar como é o momento pós-pandemia na China. JC - Você já estava vivendo na China quando começou a epidemia. Como foi esse momento? E -No começo da epidemia, eu e minha esposa, que é chinesa, passávamos o dia inteiro em quarentena voluntária, saindo de casa só uma vez por semana para comprarcomida.As ruas estavamvazias e só se podia entrarem estabelecimentos como mercados e farmácias de máscara e depois de termos a temperatura medida por um funcionário que fica na porta. Os chineses agiram de forma muito coordenada com as recomendações do governo e não faltou nada nos mercados e os preços também não subiram. Ficamos nessa rotina por dois meses. JC - Atualmente o vírus está controlado no território chinês, como você recebeu a notícia? E - A notícia da contenção veio duas semanas atrás. Desde a semana passada a minha esposa voltou a trabalhar. De duas semanas para cá o número de casos novos internos é praticamente é zero. As lojas que estavam fechadas começaram a abrir, fábricas voltaram a operar. Há bem mais gente nas ruas. Mas ainda todos de máscara e muitos lugares ainda medem a temperatura antes de se poder entrar, principalmente em condomínio, o que é o caso de onde eu moro. Mas importante frisar que escolas e universidade ainda não voltaram ao normal. Meu doutorado, que é presencial, está sendo feito on-line neste semestre por causa da epidemia, e isso vale para as escolas. Outra coisa importante de mencionar é que, agora no final (espero) da epidemia, a China está muito atenta ao que vem do exterior. Os poucos casos novos e todos vieram de fora. JC - Então tudo já voltou ao normal?

FABLAB COMEÇA A PRODUZIR MÁSCARAS EM IMPRESSORAS 3D

E - Ainda não é como se tudo tivesse voltado ao normal. Ainda há bairros bloqueados em quarentena, pois apesar de o número de casos novos estar muito mais baixo, ainda há os infectados em recuperação. Nesses bloqueio sempre há funcionários do governo controlando a entrada e saída. Somente de pessoal autorizado, claro. Quem está dentro, não sai, e quem está fora, não entra. Mas a grande maioria do povo chinês segue a risca sem reclamar ou causar problemas. JC - O que você observa como fator importante para contenção do vírus no país? E - É cultural o povo chinês confiar muito no seu governo. E também é cultural deles não quererem contagiar os outros. Aqui, o uso de máscaras nas ruas é algo absolutamente comum. É só pegar um resfriado para o chinês usar e tentar evitar de contagiar os outros.Em tempos sem epidemia, impossível você não se esbarrar com pelo menos um chinês de máscara. Aviões que chegam do exterior fazem desembarque em portões específicos, onde já tem um ônibus esperando para levar todos os passageiros para fazer exames. Os que não apresentam sintomas são encaminhados a um hotel para uma quarentena obrigatória de 14 dias, e os que apresentarem algum sintoma, claro, são encaminhados a um hospital. JC - Houve alguma tentativa de quebra de quarentena por razões econômicas? E- Não. De forma alguma. E aqui, o isolamento foi para todos. Até porque os jovens e saudáveis têm um potencial maior ainda de transmissão, pois muitos são assintomáticos, mas infectam as outras pessoas. Pode acontecer de ter o vírus, não saber e contribuir com a morte de um monte de pessoas que fazem parte dos grupos de risco. JC - Algum conselho para nós aqui no Brasil? E - Algo importante a dizer é que, além de todas as recomendações básicas de evitar contato, lavar bem as mãos, desinfetar etc, devemos nos manter saudáveis. Boa alimentação e prática de exercícios. Se uma pessoa saudável pega a doença, trata-se dos sintomas individualmente que tem grandes chances de se recuperar, mas com uma saúde debilitada a história pode ser outra. Pesquisem embasados na ciência e bom senso.

SANEPAR COMUNICA A EXTENSÃO DO RODÍZIO NO ABASTECIMENTO EM CURITIBA

A

Sanepar comunica a extensão do rodízio abastecimento em Curitiba e Região Metropolitana sexta-feira (27), com normalização no sábado, dia

O

FabLab da Prefeitura, na Rua da Cidadania do Cajuru, deve começar a produzir, nesta quinta-feira (26/3), máscaras em impressão 3D para profissionais da saúde de Curitiba. A expectativa é fabricar 220 unidades por dia. Os equipamentos serão feitos nas 21 impressoras dos Faróis do Saber e Inovação, que, nesta terça-feira (24/3), começaram a ser transferidas para o FabLab. Além disso, as três impressoras já instaladas no local serão usadas na produção. “A iniciativa ajudará a equipar quem vai ter contato mais direto com os pacientes suspeitos da covid-19”, explica o prefeito Rafael Greca. Vários órgãos do município, como Agência Curitiba de Desenvolvimento, Fundação de Ação Social (FAS) e Secretaria da Educação, além de empresas privadas, se mobilizaram para implantação da linha de produção de máscaras em impressão 3D no FabLab. Você pode ajudar As impressoras 3D irão produzir o suporte das máscaras e será preciso um grande volume de filamentos poliméricos, a matéria-prima de fabricação. “As empresas e mesmo pessoas que tenham a impressora 3D podem se unir a este grande esforço de toda a cidade e doar filamentos para a produção da estrutura das máscaras. Toda ajuda é muito importante para contermos a pandemia do coronavírus”, diz Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento. A chapa frontal transparente da máscara (que cobre o rosto) será adquirida pela Prefeitura. Modelo A produção será feita com base em um modelo de máscara disponibilizado na internet por uma empresa da República Tcheca. Já os ajustes para simplificar e tornar um pouco mais rápida a produção foram feitos pela startup curitibana Maha 3D, que oferece solução técnicas em impressão 3D. A presidente da Agência Curitiba estima que a produção de cada máscara levará em torno de duas horas. O corte da chapa frontal do equipamento de proteção deve levar cerca de cinco minutos e será feito com equipamentos do FabLab. Serão produzidas 220 unidades por dia.

no até 28

A orientação é que os moradores façam uso racional da água, mas sem deixar de lado os hábitos de higiene, principalmente para a prevenção do coronavírus. O uso da água deve ser priorizado para alimentação e higiene pessoal. Outras atividades, como lavar carros, calçadas, regar jardins, devem ser adiadas para quando passar o período de estiagem. Clientes que tiverem dúvidas podem ligar para o 0800-200-0115, com o número da matrícula do imóvel. Também devem baixar o aplicativo Sanepar Mobile e cadastrar seu telefone celular para receber por SMS avisos de falta d´água. A Sanepar reitera que as áreas de produção, tratamento, distribuição e controle operacional vão continuar trabalhando 24 horas por dia.


CORONAVÍRUS. A MELHOR PROTEÇÃO É A PREVENÇÃO. ADOTE ESTES HÁBITOS:

Lave sempre as mãos com água e sabonete líquido ou higienize com álcool gel 70%. Evite tocar os olhos, o nariz e a boca. Use lenço descartável para assoar o nariz. Ao tossir ou espirrar, apoie no cotovelo, nunca nas mãos. Abra as janelas e mantenha os ambientes ventilados.

DÚVIDAS SOBRE O CORONAVÍRUS: saude.curitiba.pr.gov.br | 41 3350-9000

Não compartilhe copos, talheres e objetos pessoais. Evite locais com aglomeração de pessoas e ambientes fechados. Algumas infecções respiratórias podem ser prevenidas. Verifique sua carteira de vacinação pelo Aplicativo Saúde Já Curitiba, ou vá até uma unidade de saúde.

Profile for Jornal da CIC

Jornal da CIC #29  

Edição de março de 2020

Jornal da CIC #29  

Edição de março de 2020

Advertisement