Page 1

ANO CXX EDIÇÃO 35 DOMINGO, 29.08.2021

R$ 3.20 ISSN 1679-0189 ÓRGÃO OFICIAL DA CONVENÇÃO BATISTA BRASILEIRA

FUNDADO EM 1901

Notícias do Brasil Batista

Notícias do Brasil Batista

Missões Mundiais

Notícias do Brasil Batista

Assembleia presencial

Novos obreiros

Ajude Agora - Haiti

Homens Batistas

CIBUC realiza 24a Assembleia e elege nova diretoria

Seminário do Sul forma alunos de 2020

JMM prepara ações para ajudar o país

Homens Batistas de Goiás promovem congresso online

pág. 08

pág. 10

pág. 11

pág. 12


2

REFLEXÃO

O JORNAL BATISTA Domingo, 29/08/21

EDITORIAL

Recomeçamos

Cinco domingos de muito conteúdo sobre juventude, notícias do Brasil Batista, informações das juntas missionárias, artigos, colunas. O mês de agosto em O Jornal Batista foi intenso e abençoador. A última edição do mês segue nesse ritmo. Destacamos o encerramento do Mês da Juventude, que teve o tema “Recomeçar”, e a Juventude Batista Bra-

sileira (JBB) aproveita para divulgar mais uma campanha em apoio ao Setembro Amarelo, que terá como título “Esperançar”. Assim como foi em agosto, durante o mês de setembro teremos mais conteúdos da JBB em O Jornal Batista. Nesta semana, você confere os últimos devocionais. Leia também as notícias do Brasil Ba-

tista. Temos notícias de juventude, Con- semanalmente. Esperamos vocês em venções, Seminário. Informações que, setembro, para mais um período de comcom certeza, vão te inspirar e edificar. partilhamento, aprendizado e edificação. Falando em inspiração, que as ediBoa leitura e que Deus te abençoe. n ções de O Jornal Batista durante o mês de agosto tenham abençoado a sua vida, Estevão Júlio que o Senhor tenha falado ao seu corajornalista no Departamento de Comunicação da Convenção Batista ção através de cada artigo e notícia. É Brasileira esse o nosso objetivo ao preparar OJB

( ) Impresso - 120,00 ( ) Digital - 50,00

O JORNAL BATISTA Órgão oficial da Convenção Batista Brasileira. Semanário Confessional, doutrinário, inspirativo e noticioso. Fundado em 10.01.1901

SECRETÁRIO DE REDAÇÃO Estevão Júlio Cesario Roza (Reg. Profissional - MTB 0040247/RJ) CONSELHO EDITORIAL Francisco Bonato Pereira; Guilherme Gimenez; Othon Ávila; Sandra Natividade

INPI: 006335527 | ISSN: 1679-0189 PUBLICAÇÃO DO CONSELHO GERAL DA CBB

EMAILs Anúncios e assinaturas: jornalbatista@batistas.com Colaborações: decom@batistas.com

FUNDADOR W.E. Entzminger PRESIDENTE Fausto Aguiar de Vasconcelos DIRETOR GERAL Sócrates Oliveira de Souza

REDAÇÃO E CORRESPONDÊNCIA Caixa Postal 13334 CEP 20270-972 Rio de Janeiro - RJ Tel/Fax: (21) 2157-5557

Fax: (21) 2157-5560 Site: www.convencaobatista.com.br A direção é responsável, perante a lei, por todos os textos publicados. Perante a denominação Batista, as colaborações assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam, necessariamente, a opinião do Jornal. DIRETORES HISTÓRICOS W.E. Entzminger, fundador (1901 a 1919); A.B. Detter (1904 e 1907); S.L. Watson (1920 a 1925); Theodoro Rodrigues Teixeira (1925 a 1940);

Moisés Silveira (1940 a 1946); Almir Gonçalves (1946 a 1964); José dos Reis Pereira (1964 a 1988); Nilson Dimarzio (1988 a 1995) e Salovi Bernardo (1995 a 2002) INTERINOS HISTÓRICOS Zacarias Taylor (1904); A.L. Dunstan (1907); Salomão Ginsburg (1913 a 1914); L.T. Hites (1921 a 1922); e A.B. Christie (1923). ARTE: Oliverartelucas IMPRESSÃO: Folha Dirigida


REFLEXÃO

O JORNAL BATISTA Domingo, 29/08/21

3

Caminho de vida e recomeço Júnior Almeida

ministro de Jovens e Adolescentes da Igreja Batista do Rio da Prata - RJ

“E anunciar o ano da graça do Senhor” (Lucas 4.19). Jesus, no Evangelho de João, Se apresenta como O caminho da vida (João 14.6). Essa afirmação é de grande profundidade. Ele não estava se restringindo a ser somente um lugar que indicava o final de uma jornada, nem mesmo uma plataforma para iniciar um caminho, mas, sim, o Deus que pode ser experimentado durante todo o percurso da vida. No início de uma jornada, existe um caminho a ser trilhado. Jesus Se coloca como

este caminho. A grande maravilha é que a qualquer momento do percurso, a possibilidade de viver a extraordinária experiência do recomeço é para todos. Em um momento muito importante de sua vida, Jesus Se percebeu diante do Seu próprio povo que o conhecia como “O filho de José” e faziam disso pauta para desprezá-lo. Por isso, diante deles, declara uma de Suas palavras mais contundentes: “Eu vim anunciar o ano da graça de Deus”. Isso foi o suficiente para expressar o fundamento e consciência de Sua missão. Jesus declarou a finalidade da ação do Espírito em Sua vida, mesmo antes de libertar os cativos, restaurar a visão dos cegos, consolar os que choram e tantas outras ações de

manifestação da Sua graça. Esse “ano da graça de Deus” é entendido pelos Judeus como o Ano do Jubileu, que era o fim do sétimo período de ciclos de sete anos. Segundo a lei do povo de Israel, no fim de todo período de sete anos, era ordenado que os escravos fossem libertos (Êxodo 21.2) e que dívidas fossem apagadas (Deuteronômio 15.1), ou seja, o sétimo ano era marcado pela expectativa de libertação dos escravos e do perdão das dívidas. O Jubileu se dava no final do 49º ano. Dessa forma, no 50° ano era ordenado que todas as terras retornassem aos seus donos originais (Levítico 25.10-13). Com o Jubileu, o caminho do recomeço estava aberto a todos. Talvez lhe venha

à mente as seguintes perguntas: O que isso significa? Jesus veio trazer novamente o jubileu? A resposta é que, em Jesus, o Jubileu representa algo completamente novo. É uma libertação sem fim. Libertação, que segundo Jürgen Moltmann, é a primeira experiência que o homem vive em Deus. Jubileu significa restauração e vida em recomeço. Jesus encarnou isso em Sua vida e pelo poder do Espírito somos assim chamados a viver. Já não é mais necessário esperar 50 anos; o ano da graça é aberto como um caminho de vida para todos os que querem trilhar o caminho que nos faz livres. Jesus, o caminho da vida, é recomeço para mim e recomeço para você! n

atinge, óbvio. É simplesmente isso: por pior que eu esteja, o mundo não para. Os boletos, os “jobs”, os eventos “online”, o governo atual e suas decisões… tudo segue no ritmo normal do cotidiano desse mundão, ou seja: na velocidade da luz. Respira, inspira. Em uma pesquisa descobri que Ariano Suassuna levou 12 anos para terminar seu “Romance d’A Pedra do Reino”. Claro que há obras maravilhosas escritas num toque de caixa, coisa de um mês, uma semana, ou até um dia. Ou canções compostas em meia hora.

Não é esse o ponto. A questão é que muitas coisas precisam de fermentação. A criação precisa do descanso. “E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera” (Gn 2.3). Precisamos de um período para apenas, como Deus, sentar e apreciar a própria obra. Ou a obra uns dos outros, no nosso caso, para podermos assimilar e entender o outro e assim crescer. Às vezes é preciso e é bom desacelerar e recomeçar. É a esperança te dando um sinal. n

Desacelerar e recomeçar Sergio Almeida

coordenador de Comunicação e Marketing da Juventude Batista Brasileira

Desacelerar e recomeçar. Essas são as palavras do meu momento de vida, sabe? Nos últimos dias percebi e cheguei a conclusão que eu preciso viver o agora, no meu tempo, que não é igual ao de ninguém. Se eu não tiver pelo menos duas ou três abas abertas no computador, se não ouvir música enquanto escrevo, ou assistir um vídeo enquanto lavo a louça,

ou responder alguém enquanto pesquiso algo, parece que estou perdendo tempo. Fazer apenas uma coisa virou sinônimo de fazer nada; e fazer nada, ainda que por um momento, é um pecado mortal. Afinal, há tantos livros e tão pouco tempo. Tantos filmes, séries e reality shows, tantas novidades, tantas canções, tantas notícias, tanto a aprender, tanto trabalho, tanto, tanto, tanto… As metas diárias estabelecidas são irreais, mas a gente não se dá conta. Já começa o dia com metas dobradas, sem nem esperar atingir para dobrar. E não


4

REFLEXÃO

O JORNAL BATISTA Domingo, 29/08/21

Conselhos para recomeçar Solange Alves

coordenadora do 29+ da Juventude Batista Brasileira

“Todavia, lembro-me também do que pode me dar esperança: Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as suas misericórdias são inesgotáveis” (Lm 3.21-22). Quando o profeta Jeremias cita essas palavras, ele as coloca num contexto de adversidades. Jerusalém foi invadida pelo exército de Nabucodonosor, os judeus foram mortos, torturados e parte deles levados como escravos e outra parte tinha ficado em Jerusalém; o profeta era um deles. Jeremias tinha a função de levar a mensagem de arrependimento da parte de Deus àquele povo que se tornara idolatra. Além da dor do exílio, ele ainda se depara com essa situação dos judeus. A dor de Jeremias se assemelha a de Jesus, quando olha pra Jerusalém e lamenta suas práticas; ele estava melancólico e deprimido. Mas existe algo diferente na dor e no sofrimento deste homem: ele escolhe lembrar daquilo que lhe traz vida, esperança. Jeremias entendeu que deveria tirar os olhos do problema e focar sua

Olavo Feijó

atenção em Deus. Mesmo triste, sua forma de pensar mudou. Em um mesmo contexto de adversidade, porém pós-exílio, estava o profeta Ageu. Em dois capítulos, ele faz um chamamento ao renovo. Ele apresenta ao povo três profecias que levam os judeus a refletirem sobre suas novas vidas, projetos e o sonho de retorno a sua terra natal. A primeira profecia está em Ageu 1.1-15, onde Deus declara: “Considerai o vosso passado; refleti sobre o que tens feito”. O povo foi chamado a observar suas ações, pois eles só estavam preocupados com seus afazeres e em reconquistar seus bens, que nem perceberam que a Casa de Deus estava em ruínas. Precisamos olhar o que temos feito, onde estamos investindo nosso tempo e nossas energias. Já em Ageu 2.1-9, na segunda profecia, Deus promete fortalecer e dar novo ânimo ao povo para a execução do Seu serviço. Muitas vezes tememos o novo, mas, se Deus lá está, não tem por que temer. Nos versículos 10 a 19, a terceira profecia. Deus convoca o povo a se purificar antes mesmo de iniciar a reconstrução do templo. Não adianta fazermos as coisas para Deus, se não temos comunhão com Ele. Deus não quer simples trabalhadores, Ele quer filhos que se

pastor & professor de Psicologia

“Corrige meus erros” “Quem pode entender os seus er- do Senhor é perfeita e nos dá novas ros? Expurga-me tu dos que me são forças. Os seus conselhos merecem ocultos” (Sl 19.12). confiança e dão sabedoria às pessoas simples” (Sl 19.7). Nem sempre um atleta percebe, Estudar a Bíblia e buscar obedepor conta própria, suas deficiências. cê-la é a maneira infalível de viver Quando isto acontece, ele continua corretamente e produtivamente. O repetindo seus erros e põe em risco salmista declara: “A Tua Palavra é a própria carreira. Daí, a importância lâmpada para guiar os meus passos do Salmo 19, que nos ensina a oração e é luz que ilumina o meu caminho” (Sl que visa ao próprio aperfeiçoamento: 119.105). Em resposta à pergunta fei“Quem pode entender os próprios er- ta por Tomé, Jesus revelou: “Eu sou o ros: Expurga-me, Senhor, dos que me caminho, a verdade e a vida - ninguém são ocultos” (Sl 19.12). pode chegar até o Pai a não ser por Na oração que expressou ao escre- Mim” (Jo 14.6). ver o Salmo 19, Davi nos revela: “A Lei relacionem com Ele. No recomeço precisamos fazer como Jeremias, tirar os olhos do problema e focar nas maravilhas e promessas de Deus; é necessário analisar o nosso passado, aprender com ele, entendermos onde falhamos e porque precisamos de um novo começo. No recomeço precisamos de forças e coragem; às vezes, o mais fácil

é deixar como está, mas lembre-se que Jesus prometeu estar conosco todos os dias. E, por fim, no recomeço é lugar de reconciliação com o Senhor. Lembre-se, Deus não quer apenas o trabalho das suas mãos, Ele quer relacionar-se contigo. Jesus será sempre nossa esperança, fôlego e onde poderemos sempre recomeçar. n

Fundo do poço Elkênita Guedes

membro da Coordenadoria do 29+ da Juventude Batista Brasileira

“Ficou surpreso que poderia experimentar um terror tão extremo, mas mesmo assim estava caminhando e pensando, do mesmo modo como homens na guerra ou doentes se surpreendem ao descobrir o quanto podem suportar. “Isso vai nos enlouquecer”, “isso vai nos matar imediatamente”, dizemos, e então acontece de a gente nem enlouquecer nem morrer e ainda permanecemos firmes em nossa missão” (C.S. Lewis – Perelandra). É possível aprender muitas lições com a vida de Jeremias e uma situação específica que ele passou nos ensina a recomeçar. No capítulo 38, o encontramos lançado ao fundo do poço, na lama mes-

mo. E, quantas vezes, nós mesmos, não nos encontramos na mesma situação? Lançados à lama, no fundo do poço? É interessante notar que quando ele estava lá, Ebede-Meleque (38.7) percebe esta situação e busca formas de tirá-lo de lá, pois, se permanecesse, certamente morreria. Aqui aprendemos a importância de estarmos cercados de pessoas que nos enxerguem, percebam nossa dor, mesmo que não cheguemos a expressá-la. Mas também, de sermos as pessoas que veem quando os outros estão em momentos difíceis. Ebede-Meleque não tinha todos os recursos para tirar Jeremias do fundo do poço, mas fez o quase impossível, transformou trapos velhos numa corda e o tirou de lá. Para recomeçar é importante não caminharmos sozinhos, mas estarmos juntos de

pessoas que se disponham a fazer até o que parece impossível para nos ajudar, com os recursos que eles têm à mão e, principalmente, com muito amor prático expresso pelo cuidado. A caminhada acompanhada, se torna mais leve, a segunda milha flui melhor. Contudo, recomeçar não é apenas sair do fundo do poço. Jeremias poderia dizer que agora não iria mais se envolver com nada (e em geral, esse é nosso primeiro impulso: deixar tudo pra lá, não nos envolver e, assim, evitar mágoas), mas o que se pode aprender com ele é que recomeçar implica em se engajar com as causas que se acredita. No caso dele significou envolver-se com a mesma causa que o levou a ser lançado no fundo do poço: a Verdade. Recomeçar não pode ser apenas o

sair da situação extrema (o fundo do poço, a lama), mas também, o voltar a envolver-se, mesmo que seja difícil. O poço vai estar ali para nos lembrar que chegamos, sim, ao limite, chegamos a ficar na lama, mas, com apoio, saímos de lá; e não para abandonar tudo, porém, é para novamente acreditar! E no capítulo seguinte, dessa história, poder ouvir que: ‘Mas eu o resgatarei naquele dia’, declara o Senhor; ‘você não será entregue nas mãos daqueles a quem teme. Eu certamente o resgatarei; você não morrerá pela espada, mas escapará com vida, porque você confia em mim’, declara o Senhor” (Jr 39.17,18) Sugestão de textos para leitura: Jeremias 38 | Jeremias 39.17-18 | Mateus 5.38-44 | Eclesiastes 4.9-12 | Gálatas 6.2 n


REFLEXÃO

O JORNAL BATISTA Domingo, 29/08/21

5

Reboot, o apavorante caminho para encontrar o novo (Neemias 2.5) Sergio Rosa

pastor da Primeira Igreja Batista Universitária do Brasil - RJ

O tema “Recomeçar” me faz lembrar as tantas vezes que eu tive que recomeçar algo em minha vida. Eu chego aos 54 anos com o privilégio de colecionar bem poucos fracassos e com a alegria de experimentar alguns recomeços. Posso confessar que recomeçar é algo assustador. Trata-se de um desafio enorme ter que recuar passos atrás para, novamente, reiniciar. Dar reboot não é para todos. É algo que mexe profundamente com o nosso emocional e também com o espiritual. Quando falamos de recomeço, muitos textos me vêm à mente: penso no povo hebreu que saiu do Egito para reiniciar uma vida nova em um lugar que eles não tinham a menor ideia de como seria. Eles levaram 40 anos naquela aventura

de mudança de endereço. Apesar de enfrentarem lutas e guerras durante a caminhada, conseguiram se estabelecer como uma poderosa nação. Foi preciso muita determinação, coragem, ousadia e perseverança. Muitos daqueles que estavam sob a liderança de Moisés quiseram, não apenas voltar, mas, desanimar todo o povo. Eles ficaram com medo de fracassar, morrer em confronto com os povos cananeus, que lhes pareciam gigantes invencíveis. Eles tinham um grande problema de autoestima que os levava a enxergar a si mesmo como gafanhotos. Josué e Calebe foram aqueles que conseguiram enxergar além da evidência, eles perceberam que Deus seria aquele que os fortaleceria. Penso também em Esdras e Neemias, no retorno para a sua terra natal. Eles assumiram o enorme desafio de reconstruir o templo e os muros de Jerusalém que estavam em ruínas. Eu sem-

pre penso no povo que ficou na terra, aqueles que não foram levados cativos, os mais pobres, que diariamente passavam em frente aos muros e ao templo. Deveria ser uma visão desanimadora. Pedras espalhadas, o mato crescendo e a tristeza consumindo. Eu me pergunto, porque eles não iniciaram a obra de reconstrução antes? Foram 70 anos sem fazer nada, apenas esperando. Talvez sonhando, mas, sem se mover. O que me leva a crer que sem decisão não há movimento e sem movimento não há recomeço. Esdras e Neemias desafiaram o povo a iniciar a obra, a condução deles os levou a enfrentar perseguições e nisto foram fortalecidos. Estes textos e personagens me fazem refletir sobre alguns recomeços, por exemplo, quando eu deixei o ministério na Bahia para retornar ao Rio de Janeiro, após oito anos de um lindo trabalho. Deus me deu a visão clara de

que a sua missão ali comigo havia acabado e teria que recomeçar em outro lugar que ele ainda me apresentaria.. É de doer o coração. Depois de tudo pronto, templo novo, liderança treinada, muitos batismos, senso de realização e de dever cumprido. Então eu ouço Deus dizer: “acabou, volte, vamos recomeçar!” É nesta hora que a nossa fé é provada. Somos tentados a desconfiar no Deus provedor. Acredito que este era o dilema dos antigos diante das situações difíceis. Mas, eu escolhi confiar e isto fez toda a diferença. Recomeçar é um desafio que nos leva a lugares novos. É preciso coragem, determinação, ousadia e, sobretudo, muita fé em Deus. O que eu aprendo com os antigos irmãos, lendo os textos bíblicos, é que eles venceram o medo, a dor e o cansaço e prosseguiram plenamente confiantes em Deus. Creio que este é o segredo para recomeçar. n

É tempo de recomeçar após os erros e as perdas Josimar da Silva Alves

casado com Vanessa, pai do Arthur e Aurora; pastor em São João de Meriti - RJ

“Então Davi se levantou da terra, e se lavou, e se ungiu, e mudou de roupas, e entrou na casa do Senhor, e adorou. Então foi à sua casa, e pediu pão; e lhe puseram pão, e comeu” (II Sm 12.20). A história do rei Davi, conhecido como homem segundo o coração de Deus, é certamente uma das grandes evidências bíblicas da graça de Deus. Desde a escolha como o segundo rei de Israel, passando pela vitória improvável contra o gigante Golias e tantos outros acontecimentos marcantes. No entanto,

um episódio se mostra como uma grande manifestação deste favor imerecido de Deus. No livro de II Samuel 12 encontramos o relato da confrontação que o profeta Natã faz a Davi, com relação ao erro gravíssimo, cometido contra Urias. Relacionamento sexual ilícito, traição e homicídio, tudo no mesmo pacote. E ainda uma consequência de todo esse erro, uma gravidez. O relato bíblico nos informa que esse bebê fica muito doente. Agora, todos os pensamentos de Davi se voltam para a restauração da saúde da criança. Ele passa a se derramar diante de Deus, em jejum e orações, clamando para que a criança sobreviva. Não é difícil imaginar, que enquanto buscava a cura do meni-

no, com todas as forças da sua alma, também se penitenciasse, sentindo toda a culpa por aquela circunstância dificílima. Os cuidados médicos da época, somados as orações e jejuns, não foram suficientes para que o bebê sobrevivesse. E agora? Davi, ao tomar conhecimento do ocorrido, surpreende a todos. Tendo sofrido tanto, enquanto o bebê convalescia, toma uma atitude de retomada da vida. O pecado cometido e o sofrimento pela enfermidade e perda de um filho não poderiam pará-lo em relação ao que Deus tinha planejado quando o escolheu graciosamente. Mesmo com uma promessa de que dias difíceis viriam (e vieram), Davi se levanta, consola

Bate-Seba e, futuramente, tem grandes sonhos para Deus, como construir o grande Templo (para o qual levantou os recursos), mesmo que não tenha podido construí-lo. Devemos confiar verdadeiramente na graça de Deus, que perdoa pecados, em Sua compaixão, que nos cura das dores da vida e em Seus propósitos que nos guiam aos planos que Ele mesmo preparou para nós. A despeito de todas as ameaças e consequências, devemos confiar no bom propósito de Deus e seguir em frente pela fé. Há pessoas a consolar e projetos a colaborar. É tempo de recomeçar. Levante-se, “lave o rosto” e busque seguir na direção que o Senhor lhe mostrar. n


6

REFLEXÃO

O JORNAL BATISTA Domingo, 29/08/21 VIDA EM FAMÍLIA

Cheiro de filho Há alguns anos, a Polícia Federal, depois de muito tempo de investigação, estourou, como se diz na linguagem policial, uma rede de pedófilos que usava a internet para propagar fotos de crianças e adolescentes. Um dos componentes dessa rede era justamente um adolescente residente no Rio de Janeiro. Ao saber que a PF estava em seu apartamento e vasculhando os computadores da casa, esse adolescente, possivelmente querendo fugir, pulou da janela, mas para sua infelicidade, morreu na queda. Vivemos num mundo cruel, onde a tecnologia tem sido usada, muitas vezes, para a propagação da imoralidade e da violência contra a mulher, crianças e adolescentes. Muitas vezes essa imoralidade ou fonte de propagação do mal pode estar bem ao lado do nosso apartamento ou casa, ou até mesmo, como o caso citado, dentro da própria casa. Para ilustrar: uma família recebeu a

visita de um casal, onde um dos cônjuges era especializado em informática. A anfitriã pediu para que desse uma olhada no seu computador, pois estava com muitos vírus. Para surpresa de todos, aquele técnico em informática comunicou à dona da casa que seu filho adolescente estava visitando páginas comprometidas com pedofilia e pornografia. Um dos grandes desafios hoje dos pais é conciliar trabalho e família. Muitos dedicam tempo demasiado ao trabalho e se esquecem de travar um relacionamento próximo e amigo com os filhos. Dar um celular com um chip aos filhos para acompanhar seus pais não resolve. É preciso que esse relacionamento seja presencial. Para ajudar você nessa reflexão, quero fazer algumas perguntas. Meu objetivo não é jogar sentimento de culpa sobre você, mas levá-lo a uma avaliação. Pare um pouco e responda as perguntas abaixo.

Qual foi a última vez que você, pai ou mãe, saiu com seu filho para fazer um lanche e conversar de forma amistosa sobre seus medos, amizades e dilemas? No último mês, em algum momento você brincou com seu filho? Orou com ele? Você poderia afirmar, com certeza, os nomes dos três amigos do seu filho ou filha? Você tem conversado com seus filhos, de forma amiga e natural, sobre drogas, sexo, pornografia, violência? Você sabe que tipo de sites seus filhos estão visitando ou com quem estão conversando? Três perguntas todos os pais devem responder sem pestanejar. Quando saem de casa, você pai ou mãe, deve responder as seguintes perguntas: “Você sabe onde seus filhos estão?” “Com quem estão?” e “E o que estão fazendo?”. Na Bíblia encontramos um texto que pode nos ajudar na compreensão da importância de estar perto dos nossos filhos.

No relato da bênção de Jacó, encontramos por duas vezes, indicações que Isaque conhecia de perto seus filhos Esaú e Jacó. Talvez, pela idade, teve dificuldades de reconhecer com nitidez a voz de Jacó. Mas ao passar a mão sobre a pele de seus filhos sabia quem era Esaú e Jacó (Gênesis 27.15-17). Vivia tão perto de seus filhos que podia distinguir o cheiro de cada um deles (Gênesis 27.25-27). Esses textos mostram-nos que havia proximidade entre pai e filhos. Essa mesma intimidade e proximidade devemos cultivar com nossos filhos, para que diminuamos consideravelmente a possibilidade de termos surpresas desagradáveis. n Por: Gilson Bifano Preletor, escritor na área de família e casamento. Siga-me no Instagram e no Twitter: @gilsonbifano. Facebook: facebook/gilsonbifano E-mail: oikos@ministeriooikos.org.br

E se o Isaque (ou a Rebeca) não chegar? Um dia desse vi alguém proferindo uma palavra de ânimo e de esperança a uma pessoa solteira que desejava muito se casar. E a palavra foi esta: “fique tranquila, o seu Isaque vai chegar!”. Certamente, a ouvinte, por ser cristã, entendeu a frase prontamente. A amiga estava se referindo a história bíblica de Isaque e Rebeca. O texto, Gênesis 24, é conhecido pelos cristãos e não deixa de ser uma linda história de amor. Quando ouvi a palavra de encorajamento dada aquela pessoa solteira, eu fique pensando: mas se o Isaque não chegar? Certamente casar é muito bom, como já canta, há muito tempo, Atilano Muradas, na sua canção “Casar”, quando diz que “casar é muito, você vai ver”. Casar é bom porque foi Deus quem inventou o casamento. Mas, casar é bom quando os noivos tomam a decisão de se casarem de forma madura, consciente e que a despeito dos problemas a serem

enfrentados, caminharão juntos até o final da vida. Mas, voltando ao tema, se o Isaque não chegar, ou por alguma circunstância da vida Deus não enviá-lo ou não enviar a Rebeca de sua vida? Deus terá se esquecido deste solteiro ou desta solteira? Infelizmente, só apontamos para os solteiros que a única possibilidade de ser feliz ou realizada é se casando. Com esta postura só contribuímos, ainda mais, para a frustração das pessoas solteiras, muitas e nem todas, em nossas comunidades cristãs. Quais seriam as alternativas, então, que os solteiros poderiam buscar para serem realizados como pessoas, caso os Isaques ou Rebecas de suas vidas não aparecem no deserto da vida? Viver a vida em comunhão com Deus e sabendo que somente Ele é quem completa uma pessoa é o primeiro passo. Nenhum solteiro ou nenhuma solteira

está incompleta nesta condição, pois Cristo é quem nos completa totalmente. Buscar ser uma bênção no Reino de Deus, enquanto solteiro, é outro alvo a ser alcançado (Gênesis 12.1,2). Muitos homens e mulheres foram e são uma bênção para o Reino de Deus somente porque são solteiros. Se fossem casados, talvez não seriam tão usados como foram ou são enquanto solteiros. Render-se à vontade de Deus é um outro bom conselho para aqueles que não terão ou ainda não avistaram o Isaque (ou a Rebeca) ao longo do caminho. Nada acontece sem a autorização de Deus sobre nossas vidas. Se Deus ainda não enviou ou não enviar, de forma definitiva, o Isaque é porque Ele tem planos melhores para vida e os solteiros devem se lembrar que a vontade de Deus é e sempre será boa, agradável e perfeita (Romanos 12.2). Não cultive a amargura, lamentação e lamúrias em seu coração (Colossenses

3.5). A Bíblia recomenda que não devemos reclamar, questionar a bondade de Deus se isto acontecer. Você pode, caso tenha um desejo ardente de se casar, continuar sempre colocando este desejo nas mãos de Deus e continuar suplicando pela resposta a esta oração, mas não reclame com Deus se você está solteira ou solteiro. Na Bíblia e na própria história da Igreja cristã há muitos homens e mulheres que não avistaram seus Isaques ou suas Rebecas na estrada da vida, mas nem por isso deixaram de ser felizes e plenamente realizados enquanto pessoas. n Por: Gilson Bifano Preletor, escritor na área de família e casamento. Siga-me no Instagram e no Twitter: @gilsonbifano. Facebook: facebook/gilsonbifano E-mail: oikos@ministeriooikos.org.br


MISSÕES NACIONAIS

O JORNAL BATISTA Domingo, 29/08/21

7

Mais uma turma no curso de Capelania Escolar O ambiente escolar também precisa conhecer o evangelho e, pela graça de Deus, a igreja do Senhor Jesus tem se preparado para abençoar as muitas escolas do nosso país. Com a missão de multiplicar discípulos e de alcançar a comunidade escolar com a Palavra de Deus, mais uma turma de vocacionados para o trabalho já iniciou as aulas. O curso de Capelania Escolar visa dar ferramentas para levar o Reino de Deus até a comunidade escolar, respeitando as leis que a regulam, com estratégias específicas na abordagem e na implantação do VIVER Escola na unidade de educação da região do aluno do curso. É importante lembrar que escola não é igreja e que, portanto, é preciso atuar A preparação é importante. Por isso, de escutar, missão da igreja, o que é com conhecimento para atuação na são oferecidas disciplinas das proble- Capelania Escolar, seu conceito históescola. máticas da atualidade da escola, arte rico, o que a lei diz e outros assuntos

relevantes relacionados a formação do capelão escolar. Uma das funções do curso é despertar seus alunos para enxergar a escola como um campo missionário. A Capelania é um serviço de apoio espiritual, comprometido com uma visão integral do ser humano: corpo, emoções, intelecto e espírito. Diante de tanta responsabilidade, o conhecimento sobre o contexto e como atuar nele se torna indispensável. O curso já começou e cremos que será um tempo especial de preparo, conhecimento e troca de experiências, para abençoar as vidas de muitos alunos, funcionários e famílias. O Projeto VIVER Escola tem um sonho: um missionário capelão em cada escola brasileira. Ore por esse trabalho e por toda a comunidade escolar do nosso país. n


8

NOTÍCIAS DO BRASIL BATISTA

O JORNAL BATISTA Domingo, 29/08/21

Juventude Batista Belforroxense, no RJ, promove conferência para capacitação ministerial “Conferência Training” ofereceu série de workshops. Juventude Batista Belforroxense Promovida pela Juventude Batista Belforroxense (JUBAB), a “Conferência Training” aconteceu no dia 17 de julho, na Igreja Batista Boas Novas, em Santa Maria, Belford Roxo-RJ. O primeiro evento presencial da JUBAB em 2021 teve a participação de 280 pessoas e tinha como objetivo preparar os jovens Batistas em diversas áreas, para capacitá-los a desenvolver tais atividades em suas Igrejas. A Conferência, que começou às 14:00, ofereceu os seguintes workshops: Comunicação Cristã: Sergio Almeida, membro da Primeira Igreja Batista em Vila Rosali, em São João de Meriti-RJ, e coordenador de Comunicação e Marketing da Juventude Batista Brasileira; Teatro: Fabiano Peixoto, pastor na Primeira Igreja Batista em Santa Amélia, em Belford Roxo-RJ; Dança ministerial: Rodrigo Guimarães, da Comunidade Evangélica Vida Abundante, em Nova Iguaçu-RJ, e Samira Carvalho, da Primeira Igreja Batista em

Jovens de diversas regiões da cidade participaram da Conferência Bairro das Graças, em Belford Roxo-RJ Evangelismo: Rodrigo Vicente, pastor na Primeira Igreja Batista em Heliópolis, em Belford Roxo-RJ; Música: Vagner Araújo, da Primeira Igreja Batista em São João de Meriti-RJ Liderança: Andrews Louzada, pastor na Primeira Igreja Batista da Piam, em Belford Roxo-RJ; Laís Vianna, da Primeira Igreja Batista em Heliópolis, em Belford Roxo-RJ; e Jeiel e Elane Marins, da Primeira Igreja Batista em Figueira, em

Nova Iguaçu-RJ. Na parte da noite, a programação teve um culto, que teve a participação Ministério de Louvor da Primeira Igreja Batista em Parque São Vicente, em Belford Roxo-RJ, dos integrantes da oficina de música e dos palestrantes da oficina de dança. A mensagem foi ministrada pelo pastor Hélio Junior, conselheiro da JUBAB. Agradecemos aos participantes, palestrantes, pastores, diáconos, às Igrejas,

em especial a Igreja Batista Boas Novas, que nos recebeu para a realização desse evento; à Associação Batista Belforroxense (ABB) e a todos que diretamente e indiretamente apoiaram, participaram e trabalharam na Conferência Training. Somos gratos a Deus por tudo, mas principalmente pela certeza de que, com a permissão e direcionamento dEle, jovens foram despertados, estimulados e capacitados a assumirem o chamado de Deus para suas vidas. Nesse momento, em que a humanidade enfrenta tantas adversidades, acreditamos que novos líderes, evangelistas, comunicadores, atores, dançarinos e músicos se levantarão, em prol da expansão do Reino do Deus Todo Poderoso. Na segunda edição, em 2022, teremos mais um momento de muita comunhão e aprendizagem. Acompanhe a JUBAB nas redes sociais: Instagram: @somosjubab Facebook: facebook.com/somosjubab n

Após dois anos, CIBUC realiza Assembleia Geral presencial em Fortaleza Vagas para 20ª Assembleia foram limitadas e esgotadas dias antes do evento.

Thiago Pinheiro

Comunicação e Missões CIBUC

No dia 14 de agosto de 2021 foi realizada a 20ª Assembleia da Convenção das Igrejas Batistas Unidas do Ceará (CIBUC), após dois anos sem uma Assembleia presencial. O evento aconteceu na Igreja Batista Elohim da Sapiranga, em Fortaleza-CE. O decreto estadual impede que sejam promovidos eventos de grande porte, por isso, as vagas foram limitadas apenas aos mensageiros. Participaram 26 Igrejas e 165 inscritos. O encontro também teve duração reduzida de três dias para uma tarde e noite, das 14:00 às 21:00. A ênfase da Assembleia estava na eleição da diretoria, prorrogada no ano de 2020. Assim ficou composta a diretoria para o biênio 2022-2023: Presidente: Ximenes Filho; 1º vice-presidente: pastor Gilmario Saraiva;

Diretoria eleita durante a 20ª Assembleia da CIBUC 2º vice-presidente: pastor José Maria Moura; 3º vice-presidente: pastor Deusimar Rodrigues; 1ª secretária: Enílima Braid; 2º secretário: pastor Mateus Fernandes; 3º secretário: Ubiratan Castro. Na ocasião, também foram eleitos o Conselho Geral para 2 anos e 3 anos, bem como o Conselho Fiscal.

À noite foi realizado o culto missionário com a apresentação do “Ofertômetro”, bem como o desafio em relação às ofertas da Campanha de Missões Estaduais. Neste ano, boa parte das Igrejas começaram suas arrecadações em julho e finalizarão em meados de setembro. O culto também foi especial devido a formatura e consagração da 2ª Turma do Radical Metropolitano Fortaleza.

Após meses de treinamento e aulas online, os radicais são direcionados para revitalização e implantação de novos trabalhos na capital. Ore pela Campanha de Missões Estaduais, para que, além de alcançar o alvo, as Igrejas estejam aptas para “Ouvir o Clamor do Povo” e atender ao gemido do oprimido e necessitado que suspira por socorro (Salmos 12.5). Ore também pelo direcionamento do trabalho da Convenção das Igrejas Batistas Unidas do Ceará (CIBUC), a fim de que a gestão seja conduzida por Cristo e a nova diretoria tenha sabedoria em todas as decisões. Acesse o Livro do Mensageiro escaneando o QR Code ou digite no seu navegador https://tiny.cc/livromensageiro. Veja como foi a 20ª Assembleia Geral da CIBUC transmitida no canal do YouTube CIBUCBatistasUnidos. Siga as redes sociais: Instagram: @batistasunidos e Facebook: facebook.com/batistasunidosoficial. n


JBB

O JORNAL BATISTA Domingo, 29/08/21

9


10

NOTÍCIAS DO BRASIL BATISTA

O JORNAL BATISTA Domingo, 29/08/21

Dia histórico: Seminário do Sul forma duas turmas para o ministério cristão Cerimônia foi para os formandos de 2020. No dia 14 de agosto tivemos mais uma formatura da Faculdade Batista do Rio de Janeiro | Seminário do Sul. Foi um momento de emoção e gratidão dos formandos de 2020, da turma Professor Luiz Roberto dos Santos, agora formada em Bacharel em Teologia, e também da turma Professor Marcelo Nelles, que se formou em Licenciatura em Música. A formatura contou com a presença do diretor geral da FABAT, Fernando Brandão; do diretor acadêmico, doutor Valtair Miranda; do patrono da turma de Licenciatura em Música, professor Marcelo Nelles Santos, e da paraninfa, professora Rosângela Sant’anna; do patrono da turma de Bacharel em Teologia, professor Luiz Roberto dos Santos, e o paraninfo professor Carlos César Novaes; além de outros professores, pastores, amigos e familiares tanto presencialmente quanto pela transmissão do evento. “O Seminário do Sul continuará firme, formando líderes, homens e mulheres vocacionados para o ministério cristão”, disse o reitor Fernando Brandão, quando relembrou das dificuldades que o Seminário do Sul enfrentou nesses últimos tempos por conta da pandemia e do

Momentos de oração também marcaram o dia de formatura questionamento de alguns alunos sobre sua formatura. Graças a Deus, hoje todos esses alunos estão formados e aptos para servir no ministério conforme suas vocações. Numa palavra aos formandos, Nancy Gonçalves, representando a Convenção Batista Brasileira (CBB), fez questão de destacar: “Vocês estão sendo preparados, foram preparados e vão se preparar mais para que o corpo de Cristo seja edificado, quer seja na música, no ensino ou na pregação”. É um diferencial dos nossos alunos, já antes mesmo de sua formação, servirem ao corpo de Cristo com a visão missionária. Como as formandas Débora Medeiros e Joyce Leão, que acompa-

Após muita emoção, o Diretor Acadêmico, Prof. Valtair Miranda, conduziu a oração final

nhadas da aluna Débora Cádimo, estão à frente do projeto Sons da Missão. Um projeto que através do ensino musical tem levado o Evangelho e uma nova perspectiva de vida aos acolhidos da Cristolândia Rio de Janeiro. “A música nas nossas mãos deve ser um meio para alcançar pessoas, um meio para que vocês levem a marca do Seminário do Sul onde Deus mandar”, disse a paraninfa da turma de Licenciatura em Música, professora Rosângela Sant’anna, em seu discurso aos formandos quando destacou a trajetória da turma e os novos desafios para cada um deles. “Permaneçam firmes em seus propósitos, mas não sacrifiquem em troca

desses propósitos, valores que nos são muito caros e preciosos”, afirmou o paraninfo da turma de Bacharel em Teologia, professor Carlos Novaes, em seu discurso aos formandos, que incentivou que todos cumpram seu chamado, mas não percam suas almas em detrimento de ganhar o mundo. Ao final do evento tivemos a colação de grau das duas turmas, que outorgou o título de Bacharel em Teologia e Licenciatura em Música aos formandos. Agradecemos a Deus por mais uma formatura e o preparo de mais líderes e vocacionados pela Faculdade Batista do Rio de Janeiro | Seminário do Sul que servirão ao corpo de Cristo. n

Equipe da Convenção Batista Mineira participa de treinamento no Centro Batista de Treinamento e Lazer Todos puderam aprender mais sobre si e sobre o parceiro de trabalho.

Comunicação da Convenção Batista Mineira A equipe do escritório da Convenção Batista Mineira (CBM) participou de treinamento no Centro Batista de Treinamento e Lazer (CTBL), no dia 06 de agosto, com a equipe de psicólogos da Qualivida: Edson Andrade, Ellen e Leidiane. A proposta era ampliar os sentidos da equipe quanto ao autoconhecimento e o reconhecimento do outro. Por meio de palestras e dinâmicas de grupo todos puderam aprender mais sobre si e sobre o parceiro de trabalho. Segundo Edson Andrade, psicólogo e responsável pela capacitação, todos precisavam sair dali com a seguinte convicção: “Vocês fazem parte de uma

Palestras e dinâmicas fizeram parte da programação do treinamento dos colaboradores da CBM organização que tem como objetivo gerar e edificar vidas e transformar o mundo. Por isso, precisamos que essa engrenagem funcione para que entregue o melhor!”.

Segundo o diretor executivo da CBM, pastor Marcio Santos, esse dia com a equipe do escritório da CBM foi muito importante: “Deus usou este momento de forma especial para falar aos nossos

corações, nos ensinando, fortalecendo e renovando em nós a certeza de que tudo o que fazemos é para honra e glória Dele”. n


MISSÕES MUNDIAIS

O JORNAL BATISTA Domingo, 29/08/21

11

Há fome no Haiti: ajude agora Missões Mundiais segue o seu compromisso de chegar aos povos que nunca ouviram falar sobre Jesus e também aos mais pobres da Terra e anuncia a ação Ajude Agora - Haiti. Uma resposta emergencial de cuidado nutricional às crianças deste país caribenho, que sofre as trágicas consequências do terremoto de 7.2 na escala Richter, ocorrido sábado, 14 de agosto, e que já provocou a morte de mais de 2 mil pessoas. Todos os recursos financeiros arrecadados ao longo desta ação serão enviados às lideranças Batistas parceiras de Missões Mundiais no Haiti para a compra e distribuição de alimentos a crianças mais vulneráveis. O PIX para ofertas é o haiti@doeagora.com. Veja outras formas de participar ao fim desta matéria. O problema da desnutrição infantil no Haiti já era uma dura realidade em razão da grave crise política e uma crise humanitária com escassez de alimentos e aumento da violência que perdura ao longo dos anos. A pandemia de COVID-19 contribuiu para o agravamento da fome em todo o mundo, segundo o relatório anual O Estado da Segurança Alimentar e Nutrição no Mundo, divulgado no dia 12 de julho, pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). De acordo com o estudo, em 2020, entre 720 milhões e 811 milhões de pessoas passaram fome em todo o

mundo. Segundo o documento, desse total, mais de 118 milhões de pessoas começaram a passar fome no ano passado em razão da pandemia. O relatório informa que, entre as pessoas que começaram a passar fome no ano passado, 14 milhões vivem na América Latina e no Caribe, onde está localizado o Haiti. Previsão de envio de voluntários É fundamental uma resposta imediata às necessidades mais urgentes de meninas e meninos haitianos. Isso é viver o Evangelho na prática; uma forma de amar o próximo. E, assim que as condições sanitárias para o controle do avanço da COVID-19 e de segurança para entrada no Haiti permitirem, uma caravana do programa Voluntários Sem Fronteiras será enviada ao país para atender a necessidades nas áreas de construção civil e saúde, entre outras.

Hoje, isso ainda não é possível, pois o Haiti também vive uma onda de violência sem precedentes, resultado da formação de uma milícia que tem aterrorizado o país. Mas, pela fé, confiamos que em breve as condições permitirão uma viagem missionária para lá. Para mais informações e pré-inscrição, escreva para o e-mail: voluntarios@jmm.org.br, colocando no assunto: Haiti. Ajude Agora - Haiti A farinha enriquecida, que hoje já é usada por Missões Mundiais para alimentar crianças venezuelanas com sérios riscos de desnutrição, será um dos alimentos usados também para ajudar a salvar a vida de crianças haitianas. Segundo nutricionistas, a mistura, acrescentada às refeições, ajuda a prevenir doenças coronarianas, cálculo renal e diabetes, atua como calmante natural e reduz as cáries. Na merenda escolar,

melhora o humor e a concentração. Os alimentos para crianças haitianas serão adquiridos no próprio país com recursos que entrarem nas contas de Missões Mundiais destinados à ação de ajuda ao Haiti. Diariamente atendemos a 900 crianças e queremos não só manter este atendimento, como ampliá-lo. Para fazer a sua oferta, a partir de R$ 40,00 você pode usar o PIX: haiti@doeagora.com ou por meio de transferência, ou depósito, em uma das contas abaixo: BANCO DO BRASIL - Agência: 3010-4 cc: 141900-5 BRADESCO - Agência - 1125-8 cc: 59000-2 CAIXA ECONÔMICA - Agência: 0201 cc: 1165-4 ITAÚ - Agência: 9218 CC: 65100-9 SANTANDER - Agência: 3894 cc: 13001270-8 SICREDI - Agência: 4501 cc: 31168-5 CNPJ 34.111.088/0001-30 n

Um símbolo de coragem e amor Jessé e Quésia Carvalho

coordenadores de Missões Mundiais para o Oriente Médio, Norte da África e Sahel Africano

Quando chegamos ao Oriente Médio, em 2008, não imaginávamos que utilizar símbolos ou sinais que expressassem nossa fé seria possível. De início, nós estávamos preocupados se poderíamos usar símbolos cristãos, mas depois descobrimos que os cristãos árabes faziam questão de usar em seus carros e em suas casas esses símbolos da fé, tal como as decorações de natal e o crucifixo em um cordão ou em um brinco, um adesivo no carro, etc. Nada escrito, pois isso poderia ser considerado proselitismo, mas os símbolos eram usados. Vimos nisso um sinal de coragem da parte deles e passamos também a fazê-lo, em especial usar a cruz como um adereço de enfeite em um cordão. Isso chamava a atenção de todos os muçulmanos com quem nos encontrávamos. Esse gesto tem gerado até hoje oportunidades aos nossos irmãos

de compartilhar a sua fé com os muçulmanos. Ana (nome fictício) ganhou uma Bíblia de um de seus parentes, um novo convertido. Ele pediu que ela lesse com atenção e deixasse que Deus falasse ao seu coração. Ela começou a ler junto com sua família, e quanto mais liam, mais dúvidas e perguntas lhe vinham à mente. Um dia em seu trabalho, uma jovem senhora entrou para fazer algumas compras. Depois da senhora pagar a conta, Ana, propositalmente se ofereceu a ajudar a levar as compras até o carro. Ao chegar no estacionamento, longe dos colegas de trabalho, Ana perguntou

a senhora: “A senhora é cristã?” Pois Ana tinha reparado o crucifixo usado pela senhora em um colar. A senhora respondeu afirmativamente e perguntou a Ana, a razão de sua pergunta. Ana respondeu que havia ganhado uma Bíblia e que estava lendo e havia muitas perguntas, e que ela e sua família gostariam de conhecer melhor sobre Jesus, e precisavam de pessoas capazes de explicar. Aquela senhora falou que estava pronta a ajudar. Logo na semana seguinte, ela foi com outro crente à casa de Ana e ali expôs o Evangelho para Ana e sua família, naquele mesmo dia, todos termina-

ram de joelhos entregando suas vidas a Jesus. A partir daí, Ana e sua família participam de um pequeno grupo de estudos, onde secretamente outros muçulmanos também estudavam a Bíblia. Aquela senhora não tinha vergonha e muito menos medo de expor a sua fé através daquele símbolo, a Cruz. Isso criou a oportunidade de partilhar de Jesus com Ana e sua família. Ore para que nossos irmãos da Igreja sofredora, continuem a ter coragem e ousadia em testemunhar de sua fé em Cristo. Muito obrigado por continuar conosco, por orar por nós, sem suas orações não teríamos chegado até aqui. Nós também seguimos orando por todos que nos apoiam. Que Deus continue a suprir todas as vossas necessidades. Ore por Ana e sua família que continuam a crescer na fé. Ore por esse grupo e outros que estão se reunindo para estudar a Bíblia. Continue a orar para que Deus continue a guardar nossos irmãos, tanto na saúde como dos perigos. Ore por nossos irmãos que ainda estão na prisão por causa de Cristo. n


12

NOTÍCIAS DO BRASIL BATISTA

O JORNAL BATISTA Domingo, 29/08/21

União Batista Latino-Americana promove semana de oração Objetivo era fortalecer a visão de um trabalho conjunto.

Ana María León

União Batista Latino-Americana

A Semana de Oração pela América Latina promovida pela União Batista Latino-Americana (UBLA) foi realizada de 02 a 06 de agosto de 2021, às 18 horas (horário de Brasília). A programação aconteceu durante a Sala de Oração da Junta de Missões Nacionais (JMN) da Convenção Batista Brasileira (CBB) e foi transmitida nas redes sociais da organização, em nossa página no Facebook e na rádioweb Rede 3.16. Objetivo do encontro online era mobilizar o povo Batista para orar e fortalecer a visão de um trabalho conjunto. Tivemos a participação do pastor Parrish Jácome, diretor executivo da UBLA; pastor Tomaz Mackey, presidente da Aliança Batista Mundial (BWA); pastor Fausto Aguiar de Vasconcelos, presidente da CBB; pastor Fernando Brandão, diretor executivo da JMN e diretor de evangelismo da UBLA, entre outros irmãos que estiveram conosco durante esta semana de oração. Agradecemos ao Senhor porque durante a Semana de Oração tivemos a participação de irmãos de diferentes partes

Pr. Fernando Brandão (JMN e UBLA)

Parrish Jácome (UBLA)

do Continente, da América Central e do Sul. Pudemos contar com a presença de um grande contingente de irmãos do Brasil, que se encarregaram da programação e nos desafiaram a cada dia a orar por diversos motivos, recebemos a palavra de pastores de diferentes partes de nossa região, curtimos a comunhão de oração em nossas línguas: espanhol e português. Mostrando que a comunhão com Deus não conhece barreiras culturais ou linguísticas, foi um momento maravilhoso para nos unirmos, aprendermos mais sobre as necessidades do Continente e

Pr. Fausto Aguiar de Vasconcelos (CBB)

Pr. Tomaz Mackey (BWA)

podermos nos afirmar em nosso moviNossa missão é vincular os Batistas mento “Jesus, Transformação e Vida”. latino-americanos, para compartilhar experiências, recursos, estratégias, a fim SOBRE A UBLA de contribuir para a extensão do Reino A União Batista Latino-Americana - de Deus. UBLA é uma organização cristã evanSomos organizações nacionais e jungélica que reúne e coordena as Conven- tas missionárias estrangeiras no amor ções, Uniões e Fraternidades das Igrejas do Senhor, para cumprirmos ombro a Batistas da América Latina e suas co- ombro a grande tarefa que Deus nos munidades de língua espanhola e por- confiou no Continente e no mundo. tuguesa no mundo, para, segundo sua própria declaração: “… a propagação do SIGA AS NOSSAS REDES SOCIAIS evangelho”. Simultaneamente, é um dos Facebook: facebook.com/ublaonl seis órgãos regionais representados na Instagram: @ublaonl Aliança Batista Mundial. Site: www.ubla.net n

Homens Batistas do estado de Goiás participam de Congresso Estadual Temática do evento online foi pautada no cuidado do lar.

Éder Moisés

primeiro-secretário da União Missionária de Homens Batistas de Goiás

Marcado por desafios, o homem Batista tem que lidar com as pressões da vida moderna e suas exigências, as quais sempre estão de mudança a cada instante. E lidar com tudo isso, faz com tenhamos que tomar uma posição, ou ser influenciador ou se deixar ser influenciado. Valores têm sido distorcidos, mas nós, homens Batistas, como “Embaixadores de Cristo” somos chamados por Deus, a combater o bom combate e representá-lo em toda e qualquer circunstância e lugar. Diante dessa premissa, a União Missionária de Homens Batistas de Goiás (UMHBGO) realizou no dia 07 de agosto de 2021 o Congresso Estadual dos Homens Batistas Goianos, com o Tema: “O Homem Batista e o desafio do sacerdócio no lar”, com as presenças dos ilus-

Congresso online dos homens Batistas de Goiás foi marcado por homenagens e aprendizado tres pastores: Lourival da Silva Santos, de Goiânia-GO; Fernando Borja, de Belo Horizonte-MG e Endrygo Amazonas, do Rio de Janeiro-RJ. Ambos trouxeram temas que despertaram o homem Batista goiano a entender o seu papel no sacerdócio do seu Lar, não permitindo que as influências maléficas venham prejudicar o seu lar. O homem cristão tem que ser um homem

de honra como em I Reis 2.2: “Coragem, pois, e sê homem”. Homens que não se curvam diante da sedução dos prazeres e nem das perseguições deste mundo. Homens que assumam a sua liderança e o sacerdócio do seu lar, assim como fez Josué declarando que ele e sua casa serviriam ao SENHOR. Também celebramos, através de algumas homenagens, os 36 anos de

atuação da União Missionária de Homens Batistas de Goiás (UMHBGO) e os 100 anos de trabalho Batista em Goiás, alcançado em 2020. Precisamos, assim como grandes homens do passado assumiram o seu papel de serem sacerdotes e liderar suas famílias, fazermos o mesmo, sermos homens de honra. n


JBB

O JORNAL BATISTA Domingo, 29/08/21

13


14

PONTO DE VISTA

O JORNAL BATISTA Domingo, 29/08/21

Somos embaixadores do Rei Jesus!

Rogério Araújo

colaborador de OJB

25 de agosto é o Dia do Soldado, que luta pelo país em que vive. E, talvez, por essa razão, também escolhida para o Dia do Embaixador do Rei, na denominação Batista. O nome “embaixador” é aplicado à pessoa que representa o governo em outro país, zelando pelo nome e interesses deste. Em nosso caso específico, somos embaixadores do Rei Jesus e nossa tarefa é mostrar aos outros o que é “ser cristão”. Mas, para que isso aconteça é preciso que todos vejam Cristo em nossa vida. A divisa desta importante organização diz, em II Coríntios 5.20, que “De sorte que somos Embaixadores da parte de Cristo como se Deus por nós rogássemos, rogamo-vos por nós que vos reconcilieis com Deus”. Que responsabilidade nós temos! O texto bíblico do apóstolo Paulo é muito claro. Não é o pastor ou representante da Igreja que tem maior compro-

misso quanto a viver por e para Cristo, mas todos os cristãos! Como temos agido como “embaixadores” do nosso Rei Jesus? Somos bons representantes dele ou deixamos a desejar em diversos aspectos? Os outros têm visto Jesus em nossas ações no dia a dia? Alguns trechos do hino oficial, diz assim: “Sendo embaixador eu quero. Ser leal a Cristo o Rei. Conhecer seus mandamentos, pertencer a sua grei (...) Meu propósito está firme. Sou embaixador do Rei. O Senhor em quem confio, dá-me plena paz eu sei. Sendo embaixador eu quero ter um corpo limpo e são. Ter a mente pura eu posso e também o coração (...) Ser precioso a meu Jesus trabalhando na seara, espalhando a sua luz, Cristo a mim é mui precioso. Sendo eu embaixador como conselheiro o aceito Guia, Rei e Salvador”. Uma linda letra! Mas a maior beleza está em vivê-la e não apenas em falar ou cantar! Que sejamos genuínos Embaixadores do Rei Jesus! n

Dormindo e acordando na presença do Senhor Marinaldo Lima

pastor, colaborador de OJB

Em paz posso deitar-me e dormir tranquilamente; Meu Deus cuida de mim e me guarda em segurança. E quando eu acordo sei que Ele me sustenta; Em meio à tempestade eu me sinto na bonança. Meu sono é tranquilo na presença do meu Deus. Eu durmo e acordo envolvido em seu amor. Não tenho pesadelos, insônia e terror noturno E amanheço nas misericórdias do Senhor. Misericórdias que se renovam a cada dia E são a causa de eu não ser consumido. Suas misericórdias não tem fim; Deus é fiel. Ele não permite que eu seja oprimido. A cada manhã contemplo a graça do Senhor E vejo quão grande é a sua fidelidade. “A minha porção é o Senhor, diz a minha alma”; Então, espero nEle hoje e na eternidade. n


PONTO DE VISTA

O JORNAL BATISTA Domingo, 29/08/21

15

A morte não é o fim para nós

Davi Nogueira

pastor, colaborador de OJB

Falecer é algo natural. Recentemente perdi o meu pai e pessoas amadas. Um dia finda a nossa jornada na Terra, porém, não será o fim. Quando isso acontecer estaremos na eternidade. É desejo de Deus que todos sejam salvos e eu também quero. Tenho a esperança

de ver os meus pares no céu. Eu tenho a certeza da vida eterna. E muitos outros também creem nisso, pois Jesus Se doou para recebermos essa recompensa. Jesus nos liga com o céu. Ele nos levará para lá um dia. Portanto, morrer não será o fim para nós, mas será o começo de uma nova vida, de uma nova jornada. Eu creio nas maravilhas do céu. Eu

creio que o céu foi preparado caprichosamente por Deus para nós. Há uma habitação, uma moradia segura para todos nós. Sei que perder alguém que amamos é doloroso. O falecimento do meu pai é recente, bem como de outras pessoas que amei e sinto saudade de todos, mas eu sei que nada acabou para eles, agora vivem a melhor experiência de suas vidas em um lugar perfeito, com

a ausência do pecado e vivendo face a face com Deus. A morte não será o fim para mim e nem para você. Viva até o dia que Deus te chamar e, quando isso acontecer, o Senhor te acolherá como um filho amado, querido em Seus braços de amor, e nada, absolutamente nada poderá separar você do amor de Deus. n

Semear com lágrimas Izabela Maciel e Vinicius Vargas

membros da Missão Batista em Jardim América - RJ

A Bíblia narra, no Salmo 126, a alegria da volta do cativeiro da Babilônia nos três primeiros versos. Mas o verso 4 traz um pedido a Deus. Um clamor para que o Senhor os tire do cativeiro. A alegria da primeira metade do salmo é uma expectativa daquilo que aconteceria. Era uma festa programada para um grande momento que estava por vir. Vai acontecer, mas ainda não é o presente. Ainda era momento de semear com lágrimas, mas pela fé podiam vislumbrar o momento de colher com alegria!

Momentos como este, em que o nosso planeta se vê em meio à pandemia da COVID-19, percebemos que o mundo inteiro está semeando com lágrimas. Temos visto tantas coisas tendo fim. Temos nos despedido para sempre de tanta gente querida. Lágrimas não nos faltam. A situação social, econômica e sanitária atual tem nos preocupado. Temos momentos que nunca vivemos antes, de isolamento, confinamento, angústia ao recebermos a notícia de que mais alguém próximo a nós adoeceu. É um tempo de lágrimas, muitas lágrimas. No entanto, temos fé em um Deus que pode todas as coisas, e que, mesmo em meio ao sofrimento, nos ensina e nos dá forças para continuar e recome-

çar. Ele nos permite semear em meio a lágrimas, mas nos alegra na certeza de que quando colhermos, o faremos com alegria. Toda provação e dificuldade são passageiras. Podemos nos alegrar em Deus, mesmo em meio à dor, pois Ele nos garante que no final, Ele mesmo enxugará nossas lágrimas. Os tempos não têm sido fáceis. Nossa geração nunca viveu uma crise de proporções globais que alteraram o rumo das relações internacionais, que fecharam fronteiras e cancelaram milhares de eventos. Até nossas Igrejas, ministérios de juventude e pequenos grupos tiveram que se reinventar nesses tempos. Foi doloroso, mas temos aprendido maneiras novas de fazermos

as coisas, novas habilidades foram desenvolvidas e percebemos a importância do contato pessoal e das artes para ocupar nossa cabeça em tempos de isolamento. Muita coisa já aconteceu. Muita tempestade, ventania, desespero e lágrimas. Mas vai passar! Deus nos conduzirá para um momento em que poderemos sorrir. Lá na frente, nos lembraremos com carinho daqueles que se foram, abraçaremos bem forte aqueles que reencontraremos. Sorriremos e nos alegraremos em Deus. Não porque superamos, mas porque Deus nos fez suportar e crescer em meio a tudo isso. Estamos semeando com lágrimas, mas colheremos com alegria! n


Profile for Jornal Batista

EDIÇÃO OJB 35 - ANO 2021  

Na última edição de OJB em agosto, a JBB encerra o Mês de Juventude e lança o projeto para o Setembro Amarelo: “Esperançar é preciso”. Leia...

EDIÇÃO OJB 35 - ANO 2021  

Na última edição de OJB em agosto, a JBB encerra o Mês de Juventude e lança o projeto para o Setembro Amarelo: “Esperançar é preciso”. Leia...

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded