Page 1

ISSN 1679-0189

o jornal batista – domingo, 18/02/18

Órgão Oficial da Convenção Batista Brasileira

Ano CXVII Edição 07 Domingo, 18.02.2018 R$ 3,20

Fundado em 1901

Primeira Igreja Batista em Piúma - ES movimenta o verão no balneário Foram diversas programações dentro e fora da Igreja com o objetivo de alcançar moradores e turistas. Página 08

Missões Nacionais

Notícias do Brasil Batista

Aracaju - SE sedia o primeiro Congresso Multiplique Regional de 2018

Instituto Betel do Brasil em Pernambuco forma 16 novos teólogos

Página 07

Página 08

Notícias do Brasil Batista

Notícias do Brasil Batista

Parceria entre CBEES e Igreja Batista de Vitória lança projeto social

Projeto Missionário celebra 120 anos da PIB em Macaé - RJ

Página 09

Página 12


2

o jornal batista – domingo, 18/02/18

reflexão

EDITORIAL O JORNAL BATISTA

Órgão oficial da Convenção Batista Brasileira. Semanário Confessional, doutrinário, inspirativo e noticioso. Fundado em 10.01.1901 INPI: 006335527 | ISSN: 1679-0189 PUBLICAÇÃO DO CONSELHO GERAL DA CBB FUNDADOR W.E. Entzminger PRESIDENTE Luiz Roberto Silvado DIRETOR GERAL Sócrates Oliveira de Souza SECRETÁRIA DE REDAÇÃO Paloma Silva Furtado (Reg. Profissional - MTB 36263 - RJ) CONSELHO EDITORIAL Celso Aloisio Santos Barbosa Francisco Bonato Pereira Guilherme Gimenez Othon Avila Sandra Natividade EMAILs Anúncios e assinaturas: jornalbatista@batistas.com Colaborações: decom@batistas.com REDAÇÃO E CORRESPONDÊNCIA Caixa Postal 13334 CEP 20270-972 Rio de Janeiro - RJ Tel/Fax: (21) 2157-5557 Fax: (21) 2157-5560 Site: www.batistas.com

Q

Eu mereço esse sofrimento?

uando experimentamos adversidades e provações, podemos começar um processo de autocomiseração no qual culpamos a nós mesmos pelo que está acontecendo. Então, começamos a sentir que fizemos alguma coisa errada para merecer aquela punição. Embora o exame da nossa vida, comportamento e motivações seja algo muito saudável, nós devemos evitar ceder a uma “viagem da culpa” que nos leve a concentrar nas nossas faltas e erros. Quem não os tem? Isso tudo pode ainda ficar pior, se outras pessoas tentam colocar sobre os nossos ombros o peso da culpa quando estamos passando por um momento de dificuldade. Foi exatamente isto o que aconteceu com Elifaz, amigo de Jó. Ele era um homem com uma grande percepção de quem era Deus e dos Seus padrões morais.

Ele corretamente observou que quando estamos fazendo o que é certo, estamos fazendo apenas o que Deus requer de nós. Por isso, não deveríamos esperar elogios ou bênçãos especiais por sermos corretos e justos, pois “Que lucro tem Deus se você é correto em todas as coisas?” Mas, infelizmente, ele estava errado ao insistir que a razão dos problemas de Jó era “…porque cometeu muitos pecados, e as suas maldades não têm conta.” Ele também errou ao prometer a Jó que os seus problemas desapareceriam imediatamente se ele se arrependesse dos seus pecados. É verdade que existe alívio interior quando pedimos a Deus perdão pelos nossos pecados porque, “…se confessarmos os nossos pecados a Deus, Ele cumprirá a Sua promessa e fará o que é justo; perdoará os nossos pecados e nos limpará de toda maldade.” Entretanto, fazer isso de forma al-

guma nos livra das consequências desses mesmos pecados. Além do mais, a maioria dos nossos problemas são o resultado direto de vivermos em um mundo imperfeito. Deus usa as adversidades para tornar-nos pessoas mais fortes e para preparar-nos para ajudar a outros. O apóstolo Paulo disse que Deus nos conforta de tal maneira que nos capacita a levar uma palavra de ânimo aos que têm necessidade. Esta é a sua afirmação: “Louvado seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai bondoso, o Deus de quem todos recebem ajuda!” Ele nos auxilia em todas as dificuldades para podermos ajudar os que têm as mesmas dificuldades que nós temos. E nós damos aos outros a mesma ajuda que nós recebemos de Deus.” Devemos nos lembrar sempre de que Deus nunca está no sofrimento, mas sempre no coração de quem sofre.

Quando problemas invadem nossa vida ou a vida de outros perto de nós, vamos evitar fazer um julgamento rápido e leviano dizendo: “Eu bem que mereci!...”; “O que será que eu fiz de errado?” ou “Bem feito!... Só podia acontecer isso… Ela só colheu o que plantou…” Ao invés disso vamos buscar o conforto de Deus para os nossos corações, para que possamos levar conforto também. Vamos experimentar uma vida mais gostosa de ser vivida tornando-a melhor para aqueles que estão ao nosso redor. Devemos sempre lembrar de que Deus nunca está no sofrimento, mas Deus sempre está no coração sofredor trazendo conforto e ajudando a crescer. Luiz Roberto Silvado, pastor, presidente da CBB

A direção é responsável, perante a lei, por todos os textos publicados. Perante a denominação batista, as colaborações assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam, necessariamente, a opinião do Jornal. DIRETORES HISTÓRICOS W.E. Entzminger, fundador (1901 a 1919); A.B. Detter (1904 e 1907); S.L. Watson (1920 a 1925); Theodoro Rodrigues Teixeira (1925 a 1940); Moisés Silveira (1940 a 1946); Almir Gonçalves (1946 a 1964); José dos Reis Pereira (1964 a 1988); Nilson Dimarzio (1988 a 1995) e Salovi Bernardo (1995 a 2002) INTERINOS HISTÓRICOS Zacarias Taylor (1904); A.L. Dunstan (1907); Salomão Ginsburg (1913 a 1914); L.T. Hites (1921 a 1922); e A.B. Christie (1923). ARTE: Oliverartelucas IMPRESSÃO: Folha Dirigida

! Aviso importante

A partir da primeira edição de O Jornal Batista do ano de 2018, todas as Igrejas vinculadas à Convenção Batista Brasileira passarão a receber o OJB apenas em formato digital. Pedimos que a liderança das Igrejas atualizem os seus cadastros de e-mail, para evitarmos equívocos.


o jornal batista – domingo, 18/02/18

reflexão

3

Conhecendo e acatando a soberania de Deus Celson Vargas, pastor, colaborador de OJB “… Vivendo ainda a criança, jejuei e chorei, porque dizia: Quem sabe o Senhor se compadecerá de mim, e continuará viva a criança? Porém, agora que é morta, por que jejuaria eu? Poderei eu faze-la voltar?…” (II Samuel 12.22-23)

O

rei Davi, enquanto seu filho esteve gravemente enfermo, jejuou e cla-

mou ao Senhor por sua cura. Após a morte dele, encerrou sua devoção e acatou serenamente o fato, por conhecer e aceitar a soberania de Deus. Como cristãos, também devemos estar preparados para situações semelhantes. Inevitavelmente, passaremos por infortúnios em nossas vidas, e diante desses, assim também agir. Para isso, necessitamos primeiro saber que as origens dos infortúnios têm diversas raízes: um grave pecado encoberto ou não assumido, como foi com Davi, narrado

no texto acima; uma relutância em obedecer algum propósito de Deus para nós; um ato de Deus para provar nossa fidelidade, ou nos corrigir por algum erro persistente em nossa vida espiritual; ou ainda por descumprimento de algum voto feito por nós a Ele. “Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; Melhor é que não votes do que votes e não cumpras”. (Eclesiastes 5.4 - 5). Devemos, ainda, mesmo dentro dos momentos de

tribulações, clamar ao Senhor pelos livramentos que julgamos necessitar, a exemplo do que fez Davi. Somos tendenciosos em nesses momentos nos entregarmos a inércia espiritual, e até mesmo a reclames contra o Senhor. O que precisamos é buscar Nele forças para um clamor ardente, enquanto há esperança. Cumprindo-se, entretanto, Seus soberanos propósitos, devemos acatá-los com toda aquietação, mesmo que tenham sido contrários às nossas expec-

tativas, ou seja, não tenham sido como desejaríamos. Ele é soberano, Ele nos deu a vida, a Ele pertence o direito de findá-la. Assim respondeu Jó a sua esposa, que o aconselhava a amaldiçoar Deus no momento de seu sofrimento extremo: “...Falas como qualquer doida; temos recebido o bem de Deus, e não receberemos o mal? Em tudo isso não pecou Jó...” (Jó 2.10). Que o Senhor nos abençoe para sempre acatarmos com resignação, a Sua soberania.

Jesus tem todo o poder Cleverson Pereira do Valle, pastor, colaborador de OJB

E

m Mateus 28.18, Jesus diz: “É me dado todo poder no céu e na terra.” Não podemos esquecer que Jesus é o criador de todas as coisas; o evangelista João registra, no seu primeiro capítulo, verso três, que “Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez.”

O meu pai sempre citava esta frase: “os homens têm força, mas Deus tem poder.” O poder de Jesus é apresentado nos evangelhos de forma clara e podemos ler relatos sobre o agir dele na natureza. Jesus andou sobre o mar, ele acalmou a tempestade e o vento, multiplicou pães e peixes. Jesus também tem poder sobre os espíritos malignos e sobre a doença. O Novo Testamento registra vários

momentos de Jesus curando enfermos, não só concedendo a cura física, mas, principalmente, a cura espiritual. Precisamos entender que Jesus é o único que tem poder para perdoar pecados. Ninguém na face da terra tem condições de dar o perdão de nossos pecados. Cientes disso devemos depositar nossa inteira confiança em Jesus, sabendo que ele tem todo o poder. Foi ele quem morreu na cruz do Calvário

para pagar o preço de nossos pecados. O que traz segurança a todos que o seguem é o fato de saber que Ele tem poder sobre a morte, a morte não assusta mais os que seguem Jesus. Assim como Jesus venceu a morte, ressuscitando ao terceiro dia, nós também ressuscitaremos com Ele, pois todo poder pertence a Ele. Em Atos 1.8 Ele prometeu que os Seus seguidores re-

ceberiam o poder também. Ele disse: “Mas recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santos, e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém, Judéia, Samaria e até os confins da terra.” Também temos poder para testemunhar de Cristo com ousadia, em tempo e fora de tempo. Jesus tem todo o poder, por isso, descanse nas Suas promessas, confie que Ele está na direção de sua vida, prossiga em frente.


4

o jornal batista – domingo, 18/02/18

reflexão

Sabedoria da autenticidade

GOTAS BÍBLICAS NA ATUALIDADE

OLAVO FEIJÓ pastor, professor de Psicologia

Nossa sabedoria é igual a lixo Rubin Slobodticov, pastor, colaborador de OJB

“A

sabedoria que vem do alto é, primeiramente, (1) pura, depois, (2) pacífica, (3) amável (moderada), (4) tratável (compreensiva), (5) cheia de misericórdia e de bons frutos, (6) sem parcialidades (imparcial), e (7) sem hipocrisia”. A ênfase: “sem hipocrisia”, isto é, sabedoria sincera. A vida não é um teatro onde o ator demonstra virtude ou sentimento que não lhe pertencem, onde mostra apenas a sua arte de representar. É daí que vem a ideia do hipócrita.

A sabedoria autêntica não se utiliza do fingimento porque, quem a possui, não precisa ser falso; não esconde sentimentos sinceros porque é honesta. Por isso, a pessoa que procura ter sabedoria autêntica não faz discurso hipócrita, e não tem motivos para se esconder. Tiago diz que a sabedoria que vem do alto é sem hipocrisia. Sabedoria hipócrita maquia palavras. Assim, o que diz não revela a verdadeira feição do que está a dizer. O hipócrita vive debaixo de máscara. Jesus é a sabedoria que veio do alto, tal como diz João: “O Verbo se fez carne e habitou entre nós e nós a vimos e testificamos como

cheia de graça e de verdade.” (Jo1.1 e 14) Jesus, quando esteve na terra, demonstrou todo o poder até então não revelado, com palavras de sabedoria, sem máscara; sem cera no rosto (maquiagem). Ele em nós, a sabedoria que veio do alto - Jesus, nos faz viver sem hipocrisia. Então, palavras e ações devem ser transparentes como a luz, sem sombras, tão reais que qualquer pessoa que queira conferir a sabedoria de um convertido a Jesus, por mais que confira, não verá maquiagem: tão somente sabedoria que vem do alto, sem hipocrisia. Que Deus nos capacite a ter sabedoria autêntica e sincera.

enorme cultura teológica de Paulo era conhecida e respeitada pelos demais discípulos de Jesus (II Pedro 3.15). O encontro com o Jesus ressuscitado, entretanto, trouxe revelações que transformaram a vida e a doutrina do grande apóstolo. Foi assim que ele se explicou, escrevendo aos Filipenses: “Considero tudo uma completa perda, comparado com aquilo que tem muito mais valor, isto é, conhecer completamente Cristo Jesus, o meu Senhor. Eu joguei tudo fora como se fosse lixo, a fim

de poder ganhar a Cristo.” (Fp 3.8) Somente uma pessoa de muita erudição teria a capacidade de avaliar, eruditamente, o significado da sua cultura filosófica e científica. Não é por acaso que indivíduos profundamente cultos se caracterizem por uma postura de humildade. Quanto mais conhecemos, mais descobrimos o tamanho da nossa ignorância. “Conhecer a Cristo”, de acordo com Paulo, é colocar no Seu altar o que quer que a vida nos tenha dado ou ensinado. Quando o fazemos, o tamanho do Cristo e Sua importância tomam conta de nós. Cristo deve ser o critério de avaliação da nossa vida. Ele transforma a nossa cultura e o nosso lixo. O desafio constante da vida cristã é entregar o nosso “lixo” a Cristo. Em troca, Ele nos alimenta com Seu Espírito.

disso. Mas essas pessoas nos mostram diariamente que é possível atingir um grau de maturidade, é possível melhorar, orar mais, ler mais a Bíblia, amar e se comprometer mais com a Igreja. Muitos admiram o nível de maturidade, santidade e compromisso de alguns e querem ter isso para si. No entanto, nem todos querem pagar o preço que esses irmãos pagam. Nem todos querem investir o tempo que esses irmãos investem em suas ora-

ções e na leitura da Palavra. Nem todos aceitam serem conduzidos pelo Espírito Santo a um deserto (Mateus 4.1). Muitos buscam a chegada sem ao menos terem percorrido o caminho; querem colher os frutos sem nunca terem plantado. Pobre é o indivíduo que se encaixa nesse exemplo. Andar com Cristo é andar rumo à maturidade. É tornar-se alguém melhor e nunca pior. É crescer! Que esta seja a nossa grande meta de vida.

“E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo.” (Fp 3.8)

A

Maturidade: nossa grande meta Edson Landi, pastor, colaborador de OJB

S

abemos que viver com Cristo é ser chamado ao amadurecimento. Esta maturidade espiritual é demonstrada por meio das nossas atitudes. Ninguém é maduro o bastante, ninguém atingiu a perfeição. Deus está trabalhando na vida de cada um dos Seus filho s à medida que os mesmos permitem com que o Espírito Santo atue. Vemos isto na

vida de Moisés. Quando estava no Egito era facilmente vencido pela ira até chegar ao ponto mais extremo: tirar a vida de alguém (Êxodo 2.1112). Anos depois, vemos esse homem sendo trabalhado por Deus ao mesmo tempo em que suas ações eram submetidas ao Senhor. Notamos uma imensa diferença oriunda de uma maturidade espiritual: “E era o homem Moisés mui manso, mais do que todos os homens que havia sobre a terra” (Nm 12.3). O deserto

lhe fora pedagógico. Deus nos leva para o deserto planejando o nosso crescimento. Muito me intriga o fato de uma pessoa estar em uma Igreja há anos e não demonstrar nenhum tipo de maturidade, conservando em seu comportamento as mesmas ideias de sempre, os mesmos costumes e até o mesmo linguajar. Os crentes que tanto admiramos, aqueles cuja vida e o caráter são exemplos para nós, são pessoas que não atingiram à perfeição, sabemos


reflexão

o jornal batista – domingo, 18/02/18

DIFICULDADES BÍBLICAS

5

Ebenézer Soares Ferreira

Diretor-geral do Seminário Teológico Batista de Niterói – RJ

E OUTROS ASSUNTOS

E o sol parou... “(...) O sol, pois, se deteve no meio do céu, e não se apressou a pôr-se, quase um dia inteiro.” (Js 10.13b)

A

declaração é da Bíblia. Os críticos se apegam a textos como o referido acima para dizer que a Bíblia apresenta muitos erros científicos. Para que o leitor compreenda o assunto em tela é preciso que façamos uma explanação ligeira do ocorrido: A cidade de Gibeão, que pertencia aos heveus, que faziam parte do povo de Canaã (Josué 11.3-19), foi sitiada por cinco reis que eram de Jerusalém, Hebrom, Jarmute, Laquis e Eglon. Por que houve essa confederação para atacar os gibeonitas? A resposta nós a encontramos no passo bíblico de Josué 10.2-4: “Temeram muito, porque Gibeom era

uma cidade grande, como uma das cidades reais, e ainda maior do que Ai, e todos os seus homens valentes. Pelo que Adoni-Zedeque, rei de Jerusalém, enviou a Hoão, rei de Hebrom, e a Pirão, rei de Jarmute, e a Jafia, rei de Laquis e a Debir, rei de Eglom, dizendo: Subi a mim, e ajudai-me, e firamos a Gibeom, porquanto fez paz com Josué e com os filhos de Israel.” Como os cinco reis aludidos tivessem investido, com seus exércitos, contra a cidade de Gibeão, esta que se tornara aliada do povo de Israel e com ele firmara um pacto de paz, Josué, ao receber a notícia do ataque, levantou-se em socorro da mesma. Como um grande estrategista, Josué usou do fator surpresa e atacou o inimigo. Logo verificou que a vitória se lhe desenhava fácil. Mas o dia de-

clinou e a interferência divina se faz (como em muitas outras vezes) necessária. Deus pôs em fuga o inimigo, derramando sobre ele uma tempestade de granizo (Josué 10.11). Como os raios do sol iam morrendo nas fímbrias do horizonte, e notando Josué que a vitória não estava conquistada totalmente, exclamou: “Sol, detém-te em Gibeom, e tu, lua, no vale de Ajalom.” (Josué 10.12) É aqui que reside o problema, pois qualquer estudante sabe que não é o sol que se move, mas a terra em torno do seu próprio eixo. A declaração de Josué estava de acordo com a crença científica da época, pois os sábios julgavam que a terra fosse o centro fixo do Universo. Ainda no século II da nossa era, o sábio e astrônomo Ptolomeu expunha no seu “Almagesto”

esse ensino. Era a concepção geocêntrica. A concepção heliocêntrica só foi exposta muito mais tarde. Nicolau Copérnico, no século XVI, publicou sua famosa obra “De Revolutionibus Orbium Coelestium Libri VI”. Nela, Copérnico apresentou a nova concepção, que é aceita hoje: o sol é o centro do sistema planetário e a terra faz parte do mesmo. Perguntará o leitor: “Houve milagres ou não houve?”. “Sim”, respondemos. Deus teria feito com que a terra parasse no seu movimento de rotação por algum tempo, a fim de que o milagre se operasse. E isso não é problema para quem fez o mundo do nada. Várias interpretações têm sido propostas. Vejamos algumas. 1) - Para Hugo Grotius, o

que houve foi um reflexo do sol sobre uma nuvem no horizonte. O reflexo dava a impressão de ainda estar de dia; 2) - Alguns acham que houve uma chuva de meteoros. Esses, com sua grande luminosidade, teriam iluminado a terra como se fosse dia durante muitas horas. Lembram a explosão de um meteoro na Sibéria Central, em 30 de julho de 1908, a qual provocou notável prolongação das horas do dia. 3) - J. D. Michaelis acha que foram relâmpagos que teriam iluminado extraordinariamente a noite. Concordando ou não com as explicações dadas, temos que convir que houve um milagre e, rendendo-nos à Bíblia em adoração ao seu Autor, declarar como o astrônomo W. B. Rimmer: “Senhor, eu creio!”.

Aviso importante As inscrições para a 98ª Assembleia da Convenção Batista Brasileira, que será realizada em Poços de Caldas - MG, entre os dias 26-29 de abril de 2018, deverão ser feitas pelo site www.convencaobatista.com.br. Para esta edição do evento, não teremos a ficha de inscrição publicada em O Jornal Batista. Fique atento para não perder o prazo das inscrições!


6 vida em família

reflexão

o jornal batista – domingo, 18/02/18

Gilson e Elizabete Bifano

Retrato de família

U

m dia desses, em um sábado pela manhã, fui passear no Centro da cidade do Rio de Janeiro, mais precisamente na feira de antiquário da Praça XV. Todos os sábados, na famosa praça, acontece um encontro de mercadores que vendem muitas coisas interessantes. É curioso andar pelas ruas e perceber o comportamento das pessoas. Na referida feira de antiquário, vi homens barbados reunidos ao redor de uma barraca que só vendia coisas ligadas ao filme Guerra nas Estrelas. Como eles conversavam e citavam os nomes dos personagens. Mas, o que me chamou a atenção mesmo foram as barracas que vendem fotografias

antigas. Ali você encontra fotografias antigas da cidade do Rio de Janeiro, de pessoas e de famílias. Uma delas me chamou a atenção: tratava-se de uma fotografia muito antiga, de uma família ao lado de uma árvore de Natal. O pai, a mãe e duas crianças faziam parte daquela família. Peguei a fotografia e fiquei a pensar: quem são essas pessoas? Moravam onde? Eram ricas ou pobres? Por andam seus descendentes? Mas, uma inquietação tomou conta do meu coração. Aquela fotografia um dia foi valorizada e, talvez, exposta na sala de visita da casa. Hoje estava lá, em uma calçada de uma rua para ser vendida com tantas outras fotografias. A minha reflexão tornou-

-se mais intensa porque duas semanas antes deste meu passeio, eu, minha esposa, filhas, genros e netos fomos juntos e bem arrumadinhos para um estúdio e lá tiramos várias fotografias. Fiquei a pensar: talvez, daqui a alguns anos, uma daquelas fotografias que eu tirei com minha família estará em uma calçada, exposta friamente para ser vendida. E então, cheguei a conclusão de que as fotografias porque marcam a história de uma família. Mas, o fundamental é o que fazemos com nossa família hoje. Como tem sido o relacionamento com o nosso cônjuge hoje? Temos valorizado o tempo que passamos juntos com os nossos familiares? Temos brincado com os nossos ne-

tos? Nossos pais têm recebido nossa atenção e carinho? Tem havido dedicação de tempo aos nossos filhos? Às vezes, o nosso foco tem se voltado para tantas outras coisas que nos esquecemos que o mais importante é o nosso relacionamento com as pessoas mais próximas, que é a nossa família, e também nossos amigos. Quando o nosso foco não está na família e nos amigos corremos o risco de chegar ao final da vida e perceber que colocamos a escada na parede errada. Alguém já disse que ninguém chega ao final da vida com o desejo de ter trabalhado mais, dedicado mais tempo à empresa. Gosto muito do texto bíblico que narra a visita de Jesus em

Betânia, na casa de Marta, Maria e Lázaro. Enquanto Marta estava preocupada em trabalhar, Maria priorizou o estar com Jesus. E, por essa atitude, foi elogiada pelo Mestre (João 12.1-8). Viver em família é priorizar mais os relacionamentos, o estar juntos. Um dia, eu, você e nossos familiares não vamos mais estar aqui. Talvez, só imagens. Que as fotografias que tiramos hoje sejam destes momentos alegres, felizes e ternos que Deus tem nos dado ao lado da nossa família. Palestrante, escritor e coach na área de casamento e família. Siga-me no Instagram: @gilsonbifano oikos@ministeriooikos.org.br


missões nacionais

o jornal batista – domingo, 18/02/18

Mulher alcançada pela Capelania Prisional em MG é batizada após ser solta

7

Aracaju - SE recebe primeiro Congresso Multiplique Regional de 2018

Primeiro Congresso Multiplique aconteceu em Aracaju - SE

Cerca de 600 líderes participaram do Encontro Kelly foi alcançada pela Capelania Prisional e hoje vive uma nova vida

K

elly é mais uma mulher transformada por Cristo após ser alcançada pelo trabalho de Capelania Prisional de Missões Nacionais em Minas Gerais. Ela foi abordada pela missionária Mônica Peixoto ainda na prisão, quando estava grávida. Ao sair, grávida de sete meses, ela encontrou suporte na Casa Alma Livre, que recebe mulheres egressas do sistema prisional

com suas famílias. Hoje ela vive na casa com seu filho e se prepara para recomeçar sua vida. No último fim de semana, Kelly foi batizada, confessando publicamente sua fé em Cristo. O batismo aconteceu na Igreja Batista Manancial em Sabará - MG, onde atua o pastor Márcio Cleiton. A Igreja tem sido parceira deste lindo trabalho, recebendo e acolhendo as mulheres que estão

recomeçando sua vida fora do sistema prisional. Você também pode dar suporte a esse trabalho sendo um parceiro da Capelania Prisional Batista. Acreditamos que há transformação em Cristo para essas pessoas e nosso objetivo é ter uma Igreja em cada presídio. Acesse <https://www.atos6.com/missoesnacionais/projetos/monica-peixoto> e saiba mais.

A

Primeira Igreja Batista de Aracaju - SE recebeu, entre os dias 02 e 04 de fevereiro o primeiro Congresso Multiplique de 2018. O Multiplique de Verão reuniu cerca de 600 pessoas, que foram desafiadas a multiplicar discípulos e puderam participar de oficinas, painéis e plenárias. Os pastores Diogo Carvalho e Flavio Lucius e a missionária Ruth Goulart estiveram ministrando as plenárias e

desafiando os Batistas sergipanos a cumprirem mais e mais a missão. Louvamos a Deus pela Convenção Batista Sergipana e a toda liderança pelo grande investimento em uma nova geração de líderes! Assim começa mais um ano de disseminação da visão de Igreja Multiplicadora pelo Brasil! Conheça mais sobre a visão de Igreja Multiplicadora e veja as datas e locais dos próximos congressos regionais em <www. igrejamultiplicadora.org.br>.


8

notícias do brasil batista

o jornal batista – domingo, 18/02/18

Instituto Betel do Brasil em Pernambuco forma 16 novos teólogos Kátia Lopes Araújo, secretária do Instituto Betel do Brasil - PE

O

Instituto Betel do Brasil (IBB) funciona no interior de Pernambuco com polo em várias cidades; além de Petrolina - PE está presente em Garanhuns, Caruaru, Serra Talhada e Ouricuri, onde formou em dezembro de 2017, 16 novos teólogos, membros de nove Igrejas Batistas em nove cidades diferentes, entre elas, uma no Piauí. Foram três anos de intenso estudo, coroado com uma bela solenidade no templo da Primeira Igreja Batista em Ouricuri - PE, como destaca o formando Marcos Antônio, membro da Primeira Igreja Batista em Araripina: “Conviver com mestres dedicados que não mediram esforços para que pudéssemos fazer algo tão necessário e rico para o nosso aprendizado e vida espiritual é também a certeza de uma vitória alcançada”. Já o aluno Leonarth Piancó, membro da Primeira Igreja Batista em Trindade, diz

PIB em Ouricuri - PE foi a escolhida para a solenidade

que “Foi um período de muito aprendizado. Sou grato a Deus por ter me dado essa chance”. Para a aluna Valtermaria Vieira, “Foi uma oportunidade de novos desafios, me ajudou a ampliar minha visão de Reino” conclui. Com uma logística de trabalho diferenciada, onde o polo funciona por um ciclo, ou seja, quando se forma uma turma e não havendo mais demanda o polo deixa de funcionar e se instala em outra cidade. Todos os polos funcionam em Igrejas Batistas, e o IBB tem levado oportunidade a muitos que teriam dificuldade em se deslocar para uma grande cidade para estudar Teologia.

Com um programa enxuto, contudo dentro das exigências da Associação Brasileira das Instituições Batistas de Ensino Teológico (ABIBET), os polos do IBB têm atendido a um perfil bem definido. São homens e mulheres, em sua maioria já com um curso superior e que buscam aprofundamento no conhecimento das Escrituras; também se destacam jovens vocacionados que têm como aperfeiçoar seu chamado. Os resultados são observados nas Igrejas Batistas no sertão de Pernambuco e da Bahia, onde 90% dos egressos estão trabalhando no campo, seja como líderes em ministérios

Formandos do Instituto Betel do Brasil - PE

específicos ou à frente de Igrejas e Congregações. “Observamos que onde um polo se instala os trabalhos têm uma aceleração no desenvolvimento em razão de que os que saem do Seminário estão motivados a abrir novos trabalhos”, observa o pastor Emanuel Alírio de Araújo, diretor do IBB. Nas cidades onde já houve um polo do IBB, começa a se instalar a segunda fase desse processo, que é o aperfeiçoamento e a construção de conhecimento continuado com cursos de pós-graduação, a exemplo das cidades de Araripina e Serra Talhada, bem como mestrado em Petrolina.

Muitos são os desafios, como destaca o pastor Emanuel Alírio: “Nosso grande desafio é motivar os vocacionados ao estudo; muitos veem o seminário como algo distante de si. Outro desafio é encontrar professores dentro dos padrões que buscamos trabalhar sob orientação da ABIBET. Alguns professores se deslocam por centenas de quilômetros, alguns vêm de Recife, a quase 800 quilômetros para ministrar aulas”. Mesmo com tantos desafios, o IBB continua sua caminhada, entendendo que a formação do obreiro em sua região facilita o diálogo com a comunidade, permitindo identificação e empatia com o outro.

Primeira Igreja Batista em Piúma - ES movimenta o verão no balneário

Junnia Cunha Rodrigues, Ministério de Comunicação da Primeira Igreja Batista em Piúma - ES

O

Projeto “Verão com Adoração”, realizado pela Primeira Igreja Batista em Piúma - ES, agitou os fins de semana do mês de janeiro no município. Foram diversas programações dentro e fora da Igreja com o fim de alcançar moradores da cidade e turistas. O Verão com Adoração aconteceu em três fins de semana, de 13 a 28 de Janeiro, e todos os eventos foram marcados pela alegria e presença de Deus. “Projetos como esse são uma oportunidade para que a Igreja seja percebida como organização atuante e viva. Foram feitos movimentos de divulgação semanais, em que os membros e pastores entregavam os convites e tinham a oportunidade de conversar com as pessoas. Tivemos,

Igreja realizou luau na praia de Piúma - ES

Israel Salazar foi uma das atrações da programação

inclusive, um grupo de louvor que cantava pagode enquanto outros abordavam aqueles que passavam. Percebemos o impacto que a alegria do povo de Deus causa nos que estão ao redor. As pessoas eram atraídas, e algumas pediam o nosso material antes que pudéssemos ter a oportunidade de entregar”, disse Jessyka Silva, líder do Ministério de Comunicação da Igreja. A programação começou com um luau na praia de Piúma. As pessoas que participaram puderam desfrutar da linda noite de

de alimentação. Apresentações de música e dança embalaram a noite enquanto transmitiam a mensagem do Evangelho. Outra proposta do Verão com Adoração é levar as pessoas ao templo para que tenham a oportunidade de ouvir a Palavra. Nos três domingos de programação, a PIB Piúma recebeu irmãos para conduzir a Igreja no período de adoração por meio das canções. Estiveram presentes o Ministério Hebrom, Brunna Olly e Israel Salazar, respectivamente. Foram momentos preciosos de louvor

verão enquanto cantavam junto com as participações musicais em estilo acústico e aproveitavam o bate-papo com os amigos. O ambiente convidativo atraiu muitas pessoas que passavam na praia e paravam para participar. Outro evento realizado fora da Igreja foi o Festival de Verão, que já acontece há cinco anos na PIB Piúma. O foco dele é proporcionar a comunhão, por isso, mesas e cadeiras são espalhadas pelo local para que as pessoas possam conversar enquanto degustam os pratos servidos nos stands

ao Senhor e muitas vidas se quebrantaram nos apelos. No culto de encerramento do evento, o pastor Edson Cunha (pastor presidente) transmitiu o sentimento que permanece no coração da Igreja: “O Verão com Adoração se encerrou, mas os adoradores permanecerão”. A ideia da liderança da Igreja é que os frutos desse tempo de celebração e aprendizado perdurem e se multipliquem. Essa é a segunda edição do Projeto e há uma grande expectativa para os próximos anos.


notícias do brasil batista

o jornal batista – domingo, 18/02/18

9

CB do Espírito Santo e Igreja Batista de Vitória firmam parceria e lançam projeto social Jairo Júnior, Comunicação da Convenção Batista do Estado do Espírito Santo

N

a tarde do dia 30 de janeiro de 2018, na sede da Convenção Batista do Estado do Espírito Santo, foi selada a parceria entre a CBEES e a Igreja Batista de Vitória (IEBV), representadas nesse ato pelos seus presidentes, pastor Doronézio Pedro de Andrade e pastor João Brito Costa Nogueira, respectivamente, para o lançamento do projeto social de recuperação de mulheres – CER Mulheres – Compartilhando Amor. Estiveram presentes o diretor Executivo da CBEES, pastor Diego Bravim e outros

Representantes da CBEES e da IEBV selaram parceria

Projeto tem objetivo de devolver dignidade às mulheres

membros da diretoria, dentre outros representantes dos Batistas capixabas. O Projeto CER Mulheres – Compartilhando Amor tem como propósito a devolução

Especial de Reabilitação de Mulheres fica no Município de Serra, instalado em uma chácara, com infraestrutura e beleza natural admirável. O programa inclui cuidados pes-

da dignidade, reabilitação dos vícios e formação do caráter cristão para mulheres que escolhem espontaneamente esta opção de tratamento para recuperação. O Centro

soais, assistência à saúde, psicológica e também espiritual. Os Batistas do Espírito Santo celebram mais esta conquista no avanço da relevância social da Igreja.

Primeira Igreja Batista do Bairro PTB, em Betim - MG, tem dupla comemoração

Ilimani Rodrigues, jornalista da Convenção Batista Mineira

N

o dia 20 de janeiro, a Primeira Igreja Batista do bairro PTB, em Betim - MG, celebrou os 18 anos de consagração ministerial do pastor Samuel Amaro e também 12 anos dele à frente da amada Igreja. Foi um momento de grande alegria, que contou também com a posse do pastor Aílton Sudário como novo coordenador da Associação Batista Metropolitana. Presente à frente da Igreja Batista do PTB há 12 anos está o pastor Samuel Amaro, que se destaca hoje em Minas Gerais como um líder de grande visão, sensível à voz de Deus e engajado na expansão do Evangelho por meio do trabalho missionário. “Após 18 anos da minha ordenação, me sinto maduro ministerialmente. Sinto que o trabalho realizado ao longo deste tempo é gratificante, pois Deus tem permitido que eu dê minha contribuição para a denominação Batista, que tanto amo. Há 12 anos à frente da Igreja do PTB, concluo que o ministério longo faz bem

Da esquerda para direita: Abilene Amaro, pastor Samuel Amaro, pastor Zito Pedro Vieira, pastor Ailton Sudário e irmã Odete Gomes de Souza

para o exercício do pastorado, porque possibilita desenvolver projetos a longo prazo, e é o que tenho experimentado aqui neste tempo. Quando cheguei, a Igreja precisava de revitalização. Hoje, ela se encontra em franca expansão, um grande avanço para o reino de Deus”, analisa o pastor Samuel. Com 40 anos de idade, a Primeira Igreja Batista do PTB é hoje uma referência, tanto na proclamação do Evangelho, quanto no relevante trabalho social que realiza. Com mais de 200 pessoas, entre membros e frequentadores, a Igreja conta hoje com 03 Congregações e 06 seminaristas, dos quais 03 aguardam o concílio para darem início a sua carreira pastoral. Recentemente, sob a coordenação do pastor Samuel

Amaro, a Igreja passou por uma grande reforma, com a construção de um novo espaço para culto, mais confortável, amplo e com acessibilidade para deficientes físicos e idosos. Além de cumprir com excelência seu chamado espiritual, a Igreja do PTB é também muito relevante do ponto de vista social. Atualmente, a Igreja possui importante parceria com a secretaria de saúde do município, abrindo suas portas para que pacientes de saúde mental se reúnam, recebendo palestras e também orientações de saúde. Para 2018, a Igreja pretende ampliar esta parceria, por meio da inserção das crianças e dos adultos em projetos sociais, cursos profissionalizantes e outras iniciativas relevantes, criando oportunidades para a

Liderança da Convenção Batista Mineira orando pela vida do pastor Aílton Sudário

proclamação do Evangelho. Para o pastor Zito Pedro Vieira, que trouxe uma breve palavra aos presentes, “a vida do pastor Samuel é preciosa para os Batistas, pois ele é uma referência de liderança hoje para o estado de Minas Gerais, sendo notório a relevância da Igreja Batista do PTB hoje para a cidade de Betim”. Na ocasião da homenagem, também aconteceu a posse do novo coordenador da Associação Batista Metropolitana, pastor Ailton Sudário, que chega para somar a equipe. “Minha expectativa é que a ABAME continue a se desenvolver, organizando Congregações em Igrejas, auxiliando na formação de pastores e líderes, tanto para si quanto para a denominação e as outras Associações, e que

seja sempre presente, acolhedora e comprometida com os valores e o crescimento do Reino”, ponderou o pastor Ailton. “Hoje, 12 anos depois à frente do PTB e 18 anos da minha ordenação, me sinto um pastor que tem condições de prestar um bom serviço para nossa denominação. Esta é minha meta, este é o meu desejo e este é meu projeto. Acredito que ainda poderei fazer muito mais para os Batistas mineiros e também brasileiros”, comentou o pastor Samuel Amaro, que além de pastor titular da Igreja do PTB, também é presidente da Associação Batista Metropolitana, presidente da Subsecção da Ordem dos Pastores Batistas de Minas Gerais na ABAME, e primeiro-secretário da diretoria da Convenção Batista Mineira.


10

o jornal batista – domingo, 18/02/18

notícias do brasil batista

Jaci e a Arte da CBRio

J

aci é mais uma das grandes riquezas artísticas que temos no nosso meio Batista. Foi uma honra poder conhecer mais da sua vida e ministério. Acompanhe a entrevista a seguir: 1. Quem é Jaci? Sou uma pessoa feliz pelo fato de poder servir a Deus com os dons e talentos que ele me deu, onde ele me mandar. Sou graduada em design gráfico e alguns anos mais tarde me especializei em Marketing e depois em Cultura visual. Desde sempre, cada novo conhecimento ou habilidade que tenho adquirido ao longo da minha trajetória, tem sido naturalmente incorporado ao que Deus me convida a realizar na sua Igreja ou em outro lugar. Sinto imensa alegria em servir a Deus compartilhando conhecimentos que Ele me permite apreender, usando os talentos que Ele me emprestou. É o melhor investimento de vida que posso fazer: servir. 2. Fale um pouco do potencial artístico da CBRio A CB Rio é uma Igreja fantástica! O potencial cultural e artístico passa por música, teatro, TV, pintura, cenografia, artes gráficas e outros. Deus tem nos agraciado trazendo gente talentosa, criativa e com muita disposição em compartilhar e servir. Tudo certamente flui bem, porque nossos pastores também são criativos e sempre apoiam as ações artísticas e culturais que são desenvolvidas. 3. Qual a importância das artes gráficas na expansão das

Boas Novas? Designers valorizam o equilíbrio, o planejamento visual e os atributos estéticos de tudo que criam, sem perder de vista que o fruto de seu trabalho deve contribuir para a compreensão e valorização da informação. O resultado do bom design não é um visual mais colorido e cheio de formas, mas uma peça funcional, porque cumpre o papel de comunicar com eficácia e eficiência. Particularmente, acho fundamental que não apenas textos e imagens sejam bem pensados, alinhados com os objetivos de comunicação de cada situação, mas também o layout como um todo, o que inclui o design gráfico. No caso do design a serviço do Reino, as revistas, folhetos, campanhas inteiras, logotipos, sites, peças de comunicação digital, cenários etc. precisam ter projetos criativos, atuais, interessantes e relevantes para transmitir, com precisão, a mensagem de Salvação. Precisamos valorizar a comunicação e o design utilizados nas Igrejas e organizações religiosas, principalmente porque temos a melhor notícia de todas para contar pra todo mundo: Jesus não está morto! As marcas de serviços e produtos investem milhões de reais para que suas mensagens tenham todos os atributos necessários para atingir seus consumidores. Nosso público-alvo (e nós mesmos) estamos acostumados com determinado nível de qualidade na comunicação e no design de tudo que nos cerca. Para atingirmos estas pessoas, também precisamos caprichar

na qualidade da apresentação das mensagens, materiais e marcas. Neste cenário de tecnologia e informação, o Evangelho torna-se “mais uma” das mensagens que concorre com a atenção destas pessoas. Se não formos relevantes, a chance de sermos notados, lidos, vistos e ouvidos cai muito. Obviamente a parte de Deus Ele faz, mas como a Bíblia nos ensina através de vários exemplos, há sempre uma parte do milagre que Deus delega ao homem. Temos que fazer nossa parte! 4. Como sua Igreja vê e utiliza as artes para promover o Reino de Deus? Na CB Rio não há um ministério de artes, mas todas as vezes que necessitamos de voluntários para montar apresentações, peças teatrais, musicais, eventos especiais, cenários e o que mais for necessário, contamos com excelentes profissionais em nossa Igreja. Essa atuação contribui para realizarmos ações consistentes, não apenas por seu conteúdo, mas também por seu visual, apresentação e qualidade de execução. Tudo sem gastar muito dinheiro.

é uma excelente ferramenta de evangelismo. Conheci a proposta do Kids Games através do pastor Marcos Grava, quando eu trabalhava na JMM. Fiquei encantada com o potencial desta ferramenta desde então, e imaginei que seria muito legal vê-la trabalhada no contexto da Igreja local, através do ministério infantil. Certamente, essa lembrança veio à minha memória e imaginei que EBF e Kids Games, juntos, dariam um belo casamento. Procurei o pastor Roberto Maranhão e começamos a sonhar juntos o formato, o currículo e a programação. Apresentei a proposta à liderança da Igreja, às líderes do CB Kids e embarcamos juntos neste projeto, desenvolvendo uma EBF - CBRIO Kids Games muito linda. Foram mais de 50 voluntários, 120 crianças participantes, 25 pais na Oficina de Pais, além das oficinas de artes, bonecos, música, missões, tênis de mesa e muito mais. O Evangelho foi anunciado de forma lúdica, interativa e houve decisões por Cristo. Pura benção! A participação do pastor Maranhão foi chave para o sucesso da programação que teve até música oficial composta por ele. Por falar nele, seu exemplo como artista a serviço do Reino é inspiração para todos que acreditam que a arte também é ferramenta de evangelização.

5. Fale sobre a EBF/KidsGames que aconteceu em sua Igreja debaixo da sua liderança e equipe Uma experiência maravilhosa! Já estamos sonhando com a próxima. Há quase um ano estou liderando o CB Kids (Ministério infantil da CB Rio). Uma das atividades que 6. Fale um pouco sobre a estavam no calendário 2018 sua empresa e como as Igrejas era a quinta edição de nossa podem ser visitadas pelos seus EBF, que sempre faz muito dons artísticos. sucesso com pais e crianças e Há quase 20 anos tenho uma

empresa de comunicação e design, a JMD Comunicação. Minha missão de vida está no DNA da minha empresa: usar a criatividade para abençoar e sinalizar o reino de Deus. Com isso, além das empresas “comuns” com quem trabalhamos, temos grande alegria de atender Igrejas e organizações religiosas sempre que nos procuram. Concluindo, posso afirmar que é muito bom poder usar minha profissão para contribuir com o avanço do evangelho de Cristo. Como as pessoas podem entrar em contato com você? A JMD fica no Rio, na Barra da Tijuca. Quem se interessar em saber mais sobre nossa EBF Kids Games ou sobre o ministério infantil CB Rio, pode me contatar pelo e-mail jaci@ cbrio.com.br. Caso o interesse seja em Comunicação, Design e Marketing para Igrejas e/ou organizações religiosas, pode falar comigo pelo e-mail jaci@ jmdcomunicacao.com.br A experiência de ministrar com a Jaci foi inesquecível, como também poder ter a Estela e Cintia, que vieram do interior de São Paulo para serem voluntárias com a Jady, seminarista da Igreja Batista do Tauá - RJ. Sem falar na honra que tive de poder batizar a Cintia, minha querida filha na fé. Tudo foi maravilhoso! Que Deus continue levantando pessoas talentosas para servir os interesses do seu Reino. Escreva para nós e conte sobre os seus dons e talentos. Arte e Cultura CBB Pr. Roberto Maranhão. marapuppet@hotmail.com


missões mundiais

o jornal batista – domingo, 18/02/18

11

“Eu queria morrer por minha religião, até saber que Jesus já tinha morrido por mim” Redação de Missões Mundiais

O

jornalista Koorosh era de uma família tradicional em Teerã. Mas quando ficou encarregado de investigar por que tantos iranianos estavam se tornando cristãos, sua vida deu uma reviravolta que ele nunca imaginou. “Quando eu tinha oito anos, alguém me perguntou o que eu queria ser quando crescesse. Eu disse: “Eu quero ser um mártir da minha fé”. Sempre gostei da minha religião. Eu cresci durante a guerra do Irã-Iraque: um conflito impregnado de retórica religiosa com foco no martírio. Minha família era muito devota e estávamos estreitamente alinhados ao governo. Eu me dediquei à filosofia, teologia e cultura. Meu pai ficou orgulhoso quando me formei no segundo curso superior. Eu estava em um bom caminho. Em logo comecei a traba-

lhar como jornalista em uma importante revista de cultura. Um dia, um colega contou que tinha ouvido que muitos iranianos estavam se tornando cristãos. Os editores concordaram que esse fenômeno precisava de mais investigação. Por causa da minha sólida formação religiosa e do meu conhecimento de teologia e filosofia, a tarefa de escrever aquela reportagem caiu para mim. Eu estava muito ansioso para começar, pois estava convencido de que os cristãos estavam de alguma forma enganando as pessoas para que seguissem sua fé distorcida. Fiquei meses tentando abrir uma linha de investigação, mas sempre me frustrava por encontrar sempre um obstáculo. Até que encontrei um jeito de me infiltrar. Conheci uma mulher que era visivelmente diferente de qualquer pessoa que eu conhecia. Na mesa dela, estava escrito “Deus é amor”. Esse conceito era novo para mim,

então comecei a suspeitar que ela era cristã. Deliberadamente fiz amizade com ela, e o tempo mostrou que minhas suspeitas estavam certas. Ela me deu uma Bíblia e explicou sobre o cristianismo. Porém, meu principal objetivo era convencê-la a me levar até a Igreja. Depois de alguns meses, ela concordou. Finalmente começavam as minhas investigações! Quando entrei na Igreja pela primeira vez, fiquei estupefato ao ver uma multidão de convertidos ao cristianismo. Meu coração se encheu de ira com um sentimento misturado com medo, raiva e desapontamento. Como todas aquelas pessoas deixaram nossa religião? Tudo o que eu ouvi naquele dia entrou em conflito com o tudo o que me ensinaram: o pastor pregou que Jesus era Deus. As canções falaram de Jesus deixando o céu e se humilhando para vir a terra. Tudo errado. Mas eu precisava escrever o meu artigo, então voltei sema-

nalmente por muitos meses, mas não consegui descobrir como aqueles cristãos estavam enganando as pessoas. Naquela época, eu frequentemente contava a meu melhor amigo sobre minhas descobertas. Eu ria quando contava as coisas ultrajantes que os cristãos ensinavam. Eu até lhe dei uma Bíblia para provar o quão bobas eram as crenças deles. Aquilo foi um grande erro. Um dia, ele me disse que se tornaria cristão por causa de tudo o que eu tinha compartilhado com ele. Fiquei atônito. Ao mesmo tempo, algo em meu próprio coração estava mudando. Um medo profundo me encheu quando eu entendi que não tinha mais certeza sobre qual era o caminho certo: minha religião ou o cristianismo. Foi quando eu comecei a ler a Bíblia. Não era mais um exercício acadêmico. Enquanto lia, eu descobria lentamente que era minha própria religião, não o cristianismo,

que era um ardil. No Evangelho de João, vi que Deus realmente é amor e que Ele provou isso vindo morrer por mim. Era o contrário do que eu havia dito quando criança: pensei que eu daria a minha vida por Deus. Mas agora entendi que ele já tinha morrido por mim. Naquele momento, meu coração foi transformado radicalmente. Na vez seguinte em que fui à igreja, eu fui à frente e me ajoelhei para me arrepender e dedicar meu coração a Jesus. Desde então, eu O tenho seguido. Eu larguei o meu trabalho na revista e nunca escrevi a reportagem. Atualmente, o fenômeno continua e, de fato, está aumentando: inúmeras pessoas no Irã estão se tornando cristãs por todo o país. O que continua a causar perplexidade.” Em 2017, Koorosh e a esposa fizeram o treinamento do Ministério Elam, parceiro de Missões Mundiais. Eles agora servem em uma Igreja de língua persa no Oriente Médio.

convidado para ajudar na plantação de uma Igreja em Bangcoc, capital tailandesa, onde os missionários já atuam uma vez por semana com o ensino esportivo, como ferramenta para ensinar os valores supremos de Cristo. A família também vai iniciar este ano um projeto chamado, Step by Step Learning Cen-

ter (Centro de Aprendizagem Passo a Passo), no qual será proporcionada a educação básica e ensino religioso para crianças. Ore por esses novos desafios e projetos no país, para que os missionários tenham recursos humanos, financeiros e continuem firmes e motivados na obra de Deus.

Projetos para alcançar vidas na Tailândia Redação de Missões Mundiais

U

m novo ano inspira novos projetos, e na Tailândia as metas e desafios foram renovados para que novos projetos sejam implantados no campo. Além do projeto Brazilian Sports Academy (Aca-

demia de Esportes Brasileira), a família missionária que atua no país busca novidade para o ano de 2018. O projeto com esporte tem a ajuda de um jovem local, o que facilita o trabalho dos missionários. “Estou feliz porque encontrei uma pessoa que está me ajudando com a escola de futebol e para o qual tenho tido

a oportunidade de mostrar a visão missionária, a qual Deus tem nos dado”, comenta o missionário Gladimir Fernandes. O jovem colaborador passou a participar das atividades de uma Igreja local, e hoje professa em seu coração que crê em Jesus Cristo. Recentemente, o casal Gladimir e Márcia Fernandes foi


12

notícias do brasil batista

o jornal batista – domingo, 18/02/18

Pastor Natanael Cruz completa 36 anos de ministério pastoral na Primeira Igreja Batista em Jaboatão - PE Luciel Vitorino da Silva, secretária do pastor Natanael Cruz desde 1990

O

pastor Natanael Menezes Cruz foi batizado no dia 19 de novembro de 1963, na Primeira Igreja Batista em Aracaju - Sergipe, pelo Pastor Eduardo Bruce Trott. Formou-se em Bacharel em Teologia, pelo Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil, em 1975. Casado com a diaconisa Dulcélia Lobão Cruz, com quem teve cinco filhos: Natanael, Tito Ângelo, Filipe, Ebenézer e Williams, este último adotivo. Os quais lhes deram quatro noras, oito netos e dois bisnetos. Consagrou-se ao Ministério Pastoral no dia 25 de agosto de 1973. Exerceu o pastorado na Igreja Evangélica Batista de João Pessoa - PB por quase nove anos, onde assumiu a vice-presidência da Junta Administrativa do Seminário Teológico Batista do Brasil, assumindo depois a Presidência. Liderou com outros irmãos a Campanha do Centenário dos Batistas de Pernambuco

Robson Melo Câmara, pastor da Primeira Igreja Batista em Macaé - RJ; Lione Acácia Pereira Coelho, jornalista

U

ma das Igrejas Batistas mais antigas do Brasil, a Primeira Igreja Batista de Macaé - RJ celebrará 120 anos de organização no mês de maio. A Igreja tem realizado várias atividades e uma delas acontecerá entre os dias 09 a 19 de Março, que é o Projeto Guatemala, levando um grupo de 33 irmãos, membros da Igreja e convidados, para o campo missionária da Guatemala. Localizado na América Central, o país escolhido pelos missionários da PIB de Macaé conta com a presença do pastor Rodrigo G. Pinheiro e sua esposa irmã Viviane, da Junta de Missões Mundiais da CBB, que estão à frente dos projetos de capelania, CEPE, PEPE, educação para adultos, assistência a pessoas de rua,

em 1983; fez parte e exerceu o pastorado interinamente nas seguintes Igrejas: IB Santa Rita - PB; IB Pilar - PB; Itapororoca - PB, IB Natal - RN, IB Socorro - PE, IB Caruaru - PE e IB Feitosa - PE. Foi pastor na Igreja Evangélica de João Pessoa e presidente da Convenção Batista Paraibana. No Rio Grande do Norte foi pastor interino da IB em Natal. Foi professor do Seminário de Educação Cristã (SEC), servindo na Casa da Amizade, indicado pela professora Icléa Cervino. Presidiu duas campanhas de evangelismo em massa a nível Estadual. Pregou na Campanha Estadual de Evangelização “Só Jesus Cristo Salva”. Presidiu a Campanha de Evangelização Estadual Franklin Graham. Como também duas Campanhas locais, em Jaboatão, de Evangelização em massa, levando o tema: “Jaboatão para Cristo”, pregando em uma delas. Foi orador da Ordem dos Pastores Batistas do Brasil. Participou do Congresso Internacional de Evangelismo em Amsterdam-Holanda, no ano 2000. Recebeu os títulos de

Cidadão Pernambucano, em 13/01/2003, e Jaboatonense, em agosto de 1984. Em 2017 foi citado no Livro “Exemplos que inspiram sucesso”, de autoria do publicitário Jota Gilson. O Pastor Natanael Menezes Cruz é pastor presidente da Primeira Igreja Batista em Jaboatão PE desde 30 de janeiro de 1982. Em 36 anos, seu ministério deixa marcas concretas, exemplificado por organizações de Igrejas, Congregações na Cidade de Jaboatão e no Sertão, construção do Prédio de Educação Religiosa, Cantina, Espaço de Louvor e Lazer e Estacionamento, como também construções e reformas de casas para irmãos carentes da Igreja, construção da Casa do Ancião, em Vista Alegre, compra de carro (Kombi), consagração de pastores e diáconos dentre outros. Registramos também sua viagem à Jerusalém em 1996, quando batizou quatro pessoas no Rio Jordão e pregou no Monte Carmelo. Criou e apresentou vários programas, tais como: Programa A Voz do Santuário, cerca de sete anos no ar na Rádio Maranata

FM 103.9; programa O Caminho da Vida, por dez anos, e o Programa Cristo é Vida por 31 anos e até os dias atuais, na Rádio FM Evangélica 100.7. Como também o programa Cristo é Vida, na Rádio local Som Brasil, cerca de 30 anos, ao vivo, sendo atualmente retransmitido. Portanto, são quarenta e quatro anos e seis meses de vida ministerial, dos quais 36 deles dedicados integralmente à PIBAJA, a qual neste ano está comemorando o seu Centenário. No dia 28 de janeiro de 2018, foi celebrado um culto de gratidão a Deus por trinta e seis anos de ministério do pastor Natanael na PIBAJA, onde foram entoadas várias canções de louvor ao nos-

Projeto missionário celebra 120 anos da PIB Macaé - RJ

Parte da equipe que estará no campo missionário da Guatemala

combate à desnutrição e ainda o pastoreio da Igreja Batista no bairro Gallito. Eles receberão a equipe exatamente durante o Mês de Missões Mundiais da Convenção Batista Brasileira. Com 14 milhões de habitantes, a Guatemala é considerada o segundo país mais violento do mundo, 52% das pessoas em estado de pobreza extrema e 80% de crianças desnutridas (a maior taxa de desnutrição crônica do Continente), um lugar muito carente, tanto financeira quanto espiritualmente. Com tantas necessidades, nossa equipe de

voluntários realizará várias frentes de trabalho, divididos em sete grupos: equipe de saúde com médicos, dentistas, enfermeiros e fisioterapeutas; equipe de construção, que cuidará das reformas de alguns templos e no centro de reabilitação; equipe kid’s games, cujo alvo será crianças de escolas públicas e das Igrejas; cooperativa de manicures, pedicures e podólogas; capacitação e reciclagem pedagógica para professores e também treinamento técnico com oficinas para homens, mulheres e jovens.

Os 33 participantes da viagem missionária fizeram treinamento com um curso de imersão em missões, um curso de espanhol e o treinamento oficial dos Voluntários sem Fronteiras da JMM. Eles estão bem preparados para servir em muitas ações missionárias, evangelísticas e nos cultos, com pregações e músicas. O trabalho realizado será transformado em um documentário com vídeos e fotos, captados por uma jornalista que acompanha o grupo. Ao todo serão seis intérpretes dando suporte aos grupos de trabalho. “Tenho acompanhado a preparação dos irmãos e estamos felizes. Eles receberam todo treinamento e orientação necessária. Sabemos que a jornada missionária inicia muito antes do trabalho no campo e já estamos orando há cerca de um ano. É um trabalho que envolve todo o povo de Deus”, ressalta o pastor Robson Melo Câmara, há sete anos pastor titular da PIB Macaé.

so Deus, pelo Coro Memorial, Quarteto, conjuntos e solos, homenagens, e a participação de todos os pastores oficiais da Igreja e das congregações, ocasião em que cada um deixou uma palavra de gratidão pela vida do nosso pastor, os quais foram: pastor Rubens Menezes do Vale, pastor Cássio Nobre, pastor Raimundo Moraes, pastor Eduardo Adriano Nascimento, pastor Silvio Ronaldo Santos e pastor José Geraldo de Melo, este último representando os missionários no Sertão. Foi um culto onde objetivamos agradar e louvar a Deus pela vida do seu servo, pastor Natanael. Sua vida tem sido um exemplo de dedicação incansável e cumprimento da missão que recebeu de Deus. Para mim é um privilégio saber que destes 36 anos, fiz e faço parte deles, há vinte e oito anos, como secretária. Nossa oração é que Deus continue abençoando o pastor Natanael Menezes Cruz e sua família, dando-lhe forças para continuar apascentando este rebanho com ciência e sabedoria até o dia que Ele quiser. Que Deus seja louvado!

Além da viagem à Guatemala, os 120 anos da Igreja serão celebrados com outros eventos: no mês de abril, o Congresso Nacional da Universidade da Família (UDF), com a presença do líder internacional, pastor Rich Young (EUA), e também de uma semana especial com sete dias de cultos, entre os dias 06 e 13 de maio, com a presença de vários pastores, Coro e Orquestra da Igreja, e uma equipe de irmãos liderados pelos pastores Doug e David Bray, da Igreja Batista Gateway Church, de San Diego, Califórnia-EUA, fundadores da Global Outreach Mission. Organizada em 13 de maio de 1898, pelo missionário pastor Salomão Luiz Ginsburg, a Primeira Igreja Batista na cidade de Macaé é uma das Igrejas Batistas mais antigas do nosso país, segundo dados de historiadores da CBB, sendo a 34ª Igreja Batista organizada no Brasil e a 9ª no Estado do Rio de Janeiro.


o jornal batista â&#x20AC;&#x201C; domingo, 18/02/18

13


14

o jornal batista – domingo, 18/02/18

ponto de vista

A importância de dar uma parada Emanuel Uchôa, pastor

E

u cresci ouvindo meu pai dizer, com orgulho, que não tirava férias. Aquilo para mim soava heroico, tipo o superpoder que fazia dele um Super-homem, indestrutível. Todavia, quando o vi morrer aos 56 anos, descobri que as coisas não eram como eu pensava quando criança. A dignidade do trabalho é afirmada de forma muito clara na Escritura, pois, ao contrário do que muitos pensam, não foi por causa do pecado que o trabalho foi instituído por Deus – apesar de que tudo

ficou muito mais difícil depois disso (Genêsis 3.17-19). O que vemos é a afirmação antes mesmo da queda que “o Senhor Deus colocou o homem no Jardim do Éden para cuidar dele e cultivá-lo” (Gn 2.15). Trabalhar, portanto, faz parte do mandato de Deus para todo homem e, provavelmente por isso, o preguiçoso aparece lado a lado com o perverso na sabedoria bíblica (Provérbios 6.9-15). No entanto, quando olhamos para o outro lado da moeda, percebemos que o descanso também é extremamente valorizado na Palavra de Deus. Jesus, por exemplo,

tomado pelo cansaço físico, precisa parar em alguns momentos para recompor as forças (João 4.6), chegando até a dormir profundamente em um barco sob intensa tempestade (Marcos 4.37, 38). Quando lemos passagens como estas somos forçados a refletir sobre nossas limitações, pois, se o próprio Filho de Deus, ao assumir a humanidade na encarnação, foi obrigado a separar momentos para descanso, porque nós nos acharíamos livres disso? Além disso, o repouso não é somente uma necessidade física, pois também nos permite buscar a face de Deus

mais livremente, contemplar a Sua criação, adorá-lo e renovar nossa confiança total Nele. Momentos assim trazem fortalecimento espiritual e conforto emocional também. Foi para isto que Deus estabeleceu o sábado na antiga aliança: para que o seu povo soubesse o quanto precisava de um descanso definitivo e dependia Dele para alcançá-lo. A guarda deste dia (assim como toda Lei cerimonial do Antigo Testamento) apontava simbolicamente para Cristo, e uma vez que ele tenha se manifestado, sua observância perde o sentido (Colossenses 2.16,17; Hebreus 4.1-10). No

entanto, o princípio do descanso permanece, não como uma exigência ou prova de amor a Deus, mas como uma grande bênção Dele para nós. Querido irmão, você precisa descansar de vez em quando. Seja valente e excelente no trabalho, mas também separe momentos para recarregar seu corpo e alma. Valorize seus dias de folga e aproveite suas férias anuais, pois, se até mesmo o Criador que “não se cansa nem fica exausto” (Isaías 40. 28) deu uma parada para contemplar a sua obra maravilhosa (Genêsis 2.2), não deveríamos nós, criaturas, fazer o mesmo?

Deus está no controle Flávio Vital Chaves, pastor, membro da Igreja Batista do Jardim Oriental - RJ

Q

uantas vezes você já ouviu essa expressão? Ela é muito utilizada em dias difíceis, quando não há mais nada a fazer, senão esperar pelo Senhor. É preciso não apenas saber que Deus está no controle, como também viver dia após dia nessa perspectiva. Um viver na perspectiva de “Deus no controle” somente pode ser expresso com fé, esperança e adoração, ainda que as coisas não caminhem conforme planejado. Na Bíblia temos a história do profeta Habacuque. Ele teve que aprender, na prática,

o que é viver dia após dia na perspectiva de “Deus no controle”. Em seu pequeno livro, o profeta apresenta uma grande inquietação diante da situação de injustiça presente entre o seu povo. Habacuque pede a Deus por uma intervenção, porém, diante da surpreendente resposta do Senhor, ele entra em crise. Deus haveria de julgar o Seu povo através de uma nação má – os babilônios! Como isso poderia ser possível? Habacuque, abalado com a disciplina administrada pelo Senhor para com o seu povo, busca por uma resposta. Deus simplesmente não responde ao profeta, apenas o exorta a continuar confiando em Sua justiça.

O profeta, enfim, compreende o que é viver na dimensão de “Deus no controle” e encerra o seu livro com uma oração que tem um das mais belas passagens da Bíblia: “Mesmo não florescendo a figueira, e não havendo uvas nas videiras, mesmo falhando a safra de azeitonas, não havendo produção de alimento nas lavouras, nem ovelhas no curral nem bois nos estábulos, ainda assim eu exultarei no Senhor e me alegrarei no Deus da minha salvação.” (Hb 3.17-18) Como é importante que aprendamos com a vida do profeta Habacuque. Temos pela frente um novo ano que promete ser bastante difícil. Será talvez o ano mais curto da história de nosso país. É ano

de Copa do Mundo e Eleições. Vivemos ainda com uma taxa de desemprego absurda. Poder de compra diminuindo a cada dia. Além de notícias diárias de violência e corrupção, caos na saúde e educação, etc. O que fazer diante do cenário em que se encontra o nosso país, senão viver pela fé expressando, desta maneira, que a nossa vida está sob o controle de Deus? A vida pela fé de que Deus está no controle não tem todas as respostas, mas confia plenamente na providência divina. Deus é a nossa esperança. Mesmo não entendendo os desdobramentos de seu plano eterno em sua vida você confia nele, porque ele já deu provas desse amor quando “...Cristo Jesus

veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o pior.” (I Timóteo 1.15) Portanto, externe sua devoção a Deus dando o seu testemunho público de fé mesmo em um contexto extremamente difícil. A nós foi dada a Graça não somente de crer como também de padecer (Filipenses 1.29). Aprender a viver contente em toda e qualquer situação é uma disciplina que adquirimos com aquele que nos fortalece, Jesus Cristo (Filipenses 4.13). Que Deus te abençoe neste ano que está por vir. Não permita que as circunstâncias abalem sua fé, minem sua esperança e atrapalhem a sua missão. Deus está no controle! Sendo assim, “...mesmo não florescendo (...) eu exultarei...”


o jornal batista – domingo, 18/02/18

ponto de vista

15

Ninguém tira o seu valor Davi Nogueira, pastor, colaborador de OJB

N

inguém pode tirar o seu valor. Sua vida é preciosa. Você é importante para Deus. O Senhor confia em você. Ele quer usá-lo e fazer de você uma bênção em Suas mãos. A Bíblia revela claramente o quão preciosos somos para Deus. No livro do Gênesis, capítulo 2, vemos o relato da criação. Deus colocou o homem no Jardim do Éden para cultivá-lo (Gênesis 2.15). Deus dá uma companhia ao homem, no caso, Adão. Alguém que lhe

auxiliasse e lhe correspondesse (2.18). Estes indicativos de Deus revelam o valor de uma vida. A vida não tem preço; de tão valiosa que ela é, não tem valor. Por isso, ninguém pode tirar o seu valor. 1) - Talvez você esteja quebrado Sua vida está estragada. Passou o prazo de validade. Você está danificado. Com panes. Com interferências. Sua vida não processa como antes. O brilho dos seus olhos não é o mesmo. Você está quebrado. Olha-se no espelho, e percebe que as coisas não estão bem. Mas

3) - Deus quer usá-lo quero lhe dizer, que do jeito Isaías achava que não tinha que está, o Senhor te ama, e quer que você acredite que valor. Ele disse para Deus que era um homem de lábios não perdeu o seu valor. impuros e vivia no meio de 2) - O Senhor pode recu- pessoas com lábios impuros. Jeremias disse a Deus, perá-lo Juntar os cacos. Remendar chorando, lamentando, que as partes. Ligar os pontos. era despreparado, não era Abaixar a poeira. Polir a su- a pessoa ideal para ser um perfície. Engraxar as engre- profeta de Deus na Terra. nagens. Lubrificar as peças. Moisés disse para Deus que Deus pode restaurar sua vida! sua língua era muito pesada. Imagine que você é uma má- Ele não poderia liderar o quina industrial inutilizável, povo hebreu no Êxodo. Mas parada, encostada, no escan- Deus viu valor em todos esteio. O Senhor pode colocar- ses homens, e usou a vida de -lhe para produzir com todo cada um deles. Você não perdeu o seu vapor, com toda a energia, pois Deus encontra valor em valor! Se alguém disse que você não é valioso, não você.

acredite. Ninguém pode tirar o seu valor. Deus te considera em alta estirpe. Deus te vê como a primordial parte da criação. Deus te dá ânimo, visão, sabedoria, força, te livra do mal, não te deixa cair em tentação, provê o seu alimento diário, te dá companhia. Ele faz tudo isso, pois te ama. Acredita no seu potencial. No seu valor. Aos olhos de Deus somos todos iguais. Filhos dEle. Servos. Que ele agracia com a mesma porção do seu Espírito. E quer fazer de cada um de nós bênçãos em suas mãos. Ninguém tira o seu valor. A sua vida não tem preço.

lhe pergunta: O que queres que eu te faça? Ele é cirúrgico em sua resposta. Eu quero ver! Bartimeu poderia ter pedido uma esmola, uma ajuda, mas ele quer ver, quer sair da escuridão em que se encontrava. Ele, na verdade, querida sair da cegueira espiritual. Por último, Bartimeu nos ensina que Ele quer andar no caminho e não à parte dele. O verso 46 de Marcos

capítulo 10 nos diz que ele estava à beira do caminho. Após o encontro com Jesus, ele está junto com Jesus no caminho. Bartimeu não se tornou um crente nominal, mas um crente de compromisso com Jesus Cristo. Em um mundo onde as pessoas se esquivam das responsabilidades, Bartimeu nos estimula a nos compromissar com o Reino de Deus.

Lições do cego Bartimeu José Manuel Monteiro Jr., pastor, colaborador de OJB

O

s evangelistas Mateus, Marcos e Lucas registram em cores vivas o drama que este homem vivia até encontrar-se com Jesus Cristo. Ele era cego, e não sabemos se ele ficou cego por conta de algum acidente, ou se foi um defeito congênito. Além disto,

era também um mendigo. Sua condição social era humilhante. Este homem, que aparentemente estaria condenado a uma vida desgraçada, tem sua vida mudada ao se encontrar com Jesus Cristo. O encontro dele com Jesus ensejam-nos lições preciosas. A primeira delas é que Ele não desistiu de Jesus, apesar da oposição. A multidão repreendia Bartimeu para que

ele se calasse. Entretanto, ele clamava com mais ímpeto. Ele foi perseverante, pois sabia que era importantíssimo chamar a atenção de Jesus. Nos dias de hoje, alguns desistem de Jesus por conta da pressão dos familiares, amigos, etc. Por Jesus vale a pena fazer algumas rupturas. Outra lição importante é que Ele tem um profundo desejo de sair da escuridão. Jesus


MISSÕES MUNDIAIS EM NÚMEROS e resultados

www.missoesmundiais.com.br/campanha

OJB Edição 07 - Ano 2018  

Confira os destaques de O Jornal Batista

OJB Edição 07 - Ano 2018  

Confira os destaques de O Jornal Batista

Advertisement