Issuu on Google+

Jornal Amunam 2.indd 1

04/02/2013 16:35:28


2

Projeto

Dando a Volta por Cima

apresenta resultados positivos

O Projeto Dando a Volta por Cima viabilizou durante todo o ano de 2012, atendimentos a sessenta crianças e adolescentes na faixa-etária de 08 a 17 anos, que vivem em situação de vulnerabilidade socioeconômica, no município de Nazaré da Mata. Visando a prevenção e o enfrentamento da violência doméstica e sexual. São oferecidos às meninas oficinas de Cidadania, propiciando o conhecimento O Projeto, realizado pela AMUNAM,

longo de três anos, uma transformação

te (ECA); oficinas de Educação Sexual;

com o apoio do Programa Todos com a

social na vida das meninas atendidas na

Meio Ambiente; Artesanato com material

Nota - Governo do Estado de Pernambu-

Instituição, a exemplo disto estar sendo a

reciclável, a oficina Meu Bairro – Minha

co, através da Secretaria de Desenvol-

experiência da leitura em praça pública.

História; Teatro; Danças Culturais; Futsal;

vimento Social e Direitos Humanos e a

Acompanhe, nos próximos textos desta

Karatê; Informática; e a oficina de Leitura.

Secretaria da Fazenda vem trazendo ao

página as realizações desse Projeto!

E DI TOR IA L

do Estatuto da Criança e do Adolescen-

Célia Lino

Coordenadora Executiva da AMUNAM

Jornal Amunam 2.indd 2

Os dias passam tão rápidos que, por vezes nos perguntamos: já chegamos ao final do ano? Pois é! Estamos encerrando mais um ano e na expectativa do novo que há de chegar! O ano de 2013 marca os 25 anos de criação da AMUNAM. Para nós que fazemos e somos essa organização, é motivo de muita comemoração, de muito júbilo, pois chegar até onde estamos não foi fácil! As lutas se sucederam, mas as vitórias também! Neste número do Mulher Cidadã, de forma especial, trazemos a memória do que realizamos no ano de 2012 e registramos o aniversário da AMUNAM, da Rádio Alternativa FM e do jornal que está nas mãos do/a leitor/a. Que lendo essas páginas, sinta a alegria que carregamos no coração e na alma, por sermos AMUNAM. Nossa história, dia 05 de março de 2013, poderá ser lida, através da leitura do livro que será lançado, com o registro de toda nossa caminhada! Aguardem!

04/02/2013 16:35:28


3

Oficina de estímulo à leitura A leitura, como se sabe, leva ao conhecimento, ao descobrimento e desperta para um olhar crítico. Assim acreditando, a AMUNAM lançou a oficina de leitura na Praça, “Árvore que dá livros”, com as crianças e adolescentes assistidas pelo projeto Dando a Volta por Cima, coordenado e executado pela AMUNAM. “A nossa proposta é realizar sessões de contação e de leitura na Praça Doutor Herculano Bandeira de Mello, de forma a estimular a leitura e a oralidade. Estamos nos propondo a instigar esse processo, de forma dinâmica e interativa”, explicou a educadora social da AMUNAM, Gilcélia Barboza. Para dinamizar os encontros, são utilizados personagens de histórias infantis. Uma das histórias que tem sido trabalhada nas sessões de contação é Fadas ou Borboleta, de autoria de Luís Norberto Pascoal, Editora Educar Dpaschoal, distribuído pela Fundação Childohood, fundado por SM. Rainha Sílvia da

Suécia. A adolescente Beatriz Karine faz parte do projeto Dando a Volta por Cima, declara: “Estou gostando muito da oficina de leitura do outro lado da AMUNAM, lá na praça. A gente quando participa fica ainda mais gostando de lê, porque outras pessoas se aproximam da gente para ouvir e participam também; e agora estou também gostando de lê em casa, coisa que eu não fazia, antes. As sessões de contação e de leitura na Praça estão ocorrendo todas as sextas-

Pastoril da AMUNAM na programação natalina O pastoril formado com crianças e adolescentes do projeto Dando a Volta do Cima está na programação oficial dos festejos natalinos de Nazaré da Mata. Formado por 20 crianças e adolescentes, o pastoril foi criado em 2009 e é sempre muito prestigiado nas suas apresentações, inclusive fora do ciclo natalino. “Tivemos a grata satisfação de levar o pastoril para se apresentar no Encontro Nacional de Coordenadores do Programa de Proteção a Criança e ao Adolescente Ameaçado de Morte, evento integrado à Jornada Estadual de Direitos Humanos, realizado em Olinda, no mês de novembro. O evento contou com a participação de representantes de 11 estados brasileiros e todos eles elogiaram o pastoril. Isto é muito bom, porque estimula a equipe a aprimorar sempre o seu trabalho”, comemora o Instrutor de Danças Culturais da AMUNAM, Danilo Bárcelos.

Jornal Amunam 2.indd 3

feiras e vem despertando o interesse não só de crianças e de adolescentes, mas também dos adultos. “É gratificante poder perceber o olhar encantado e curioso das crianças e adolescentes atendidas pelo Projeto e as pessoas que visitam nosso espaço de leitura na Praça, essa inovação da Oficina tem tido um resultado positivo porque vem incentivando e mostrando a importância para as crianças a lerem mais”. Michelly Lino, Educadora Social do Projeto Dando a Volta por Cima.

PROGRAMAÇÃO DAS APRESENTAÇÕES DO PASTORIL 28/11/2012: Encontro Nacional de Coordenadores do Programa de Proteção a Criança e ao Adolescente Ameaçado de Morte, evento integrado à Jornada Estadual de Direitos Humanos - em Olinda/PE; 06/12/2012: Encerramento dos Cursos: Políticas Públicas para Educadoras Sociais e o Mídia Portátil – em Nazaré da Mata/PE; 09/12/2012: Apresentação I em frente à Igreja Catedral Nossa Sra. Da Conceição – em Nazaré da Mata/PE 15/12/2012: Apresentação II em frente à Igreja Catedral Nossa Sra. Da Conceição – em Nazaré da Mata/PE 20/12/2012: Apresentação no Encerramento do Ano Letivo, na Escola Municipal Dom Mota – em Nazaré da Mata/PE

04/02/2013 16:35:30


4

Livro contará a história da AMUNAM A história da AMUNAM, que começou em uma conversa informal das mulheres, à sombra de uma árvore, está contada no livro AMUNAM: uma história de amor à vida, que será lançado dia 05 de março de 2013, no auditório da Associação. A publicação, escrita pela jornalista Francicleide Palhano, mostra as dificuldades enfrentadas e as vitórias conquistadas, fazendo uma linha do tempo. “Foi muito bom podermos reviver tantos fatos que fazem parte da história da AMUNAM, mas que é também a nossa história de vida. Remexemos no passado, olhamos o presente, imaginamos o futuro. Essa construção nos permitiu apresentar nossa

história, com alegria pelo que já fizemos e com esperança no que ainda temos que conquistar”, declarou a coordenadora executiva da AMUNAM, Célia Lino. Os depoimentos colhidos pelas mulheres da Associação compõem a maior parte do livro. Outras informações foram obtidas nos registros documentais, nas publicações como o Jornal Mulher Cidadã, por exemplo. “Mas as falas das mulheres, as que coordenam e que são contratadas pela AMUNAM, assim como as que são voluntárias ou assistidas pela Associação, foram a essência do conteúdo”, explica Célia Lino.

Medalhas às vencedoras!

Câmara Municipal de Nazaré da Mata ganha reforço feminino O direito da mulher brasileira votar é uma conquista que, em 2012, completou 80 anos. Direito que vem sendo vivenciado, cada vez mais, de forma consciente e madura. Nas eleições de 07 de outubro, registrou-se um aumento do número de mulheres eleitas para as Câmaras Municipais e um aumento maior para as Prefeituras. Mas, embora esse avanço, o país ainda continua muito longe da paridade de gênero na política (50%/50%). No município de Nazaré da Mata, foram eleitas duas vereadoras. Este é o segundo mandato com a participação de mulheres. Na gestão anterior apenas a vereadora Maristela Maribel fora eleita. Nesta eleição, ela foi reeleita e a vereadora Aninha Araújo foi eleita pela primeira vez. A AMUNAM deposita confiança nessas mulheres eleitas e deseja que exerçam o mandato com seriedade, transparência e com um pensamento voltado à melhoria da qualidade de vida das mulheres nazarenas.

AMUNAM recebe título de Patrimônio Histórico Material e Imaterial de Nazaré da Mata O ano quase chegando ao final, e mais um grande motivo para a AMUNAM começar o ano de 2013 com alegrias, contabilizando vitórias: no dia 05 de dezembro as pesquisadoras Nátalli Araújo e Rosely Tavares emocionaram a equipe da AMUNAM e as convidadas e convidados ao anunciar que a AMUNAM e o Maracatu Coração Nazareno receberam o título de Patrimônio Histórico Material e Imaterial de Nazaré da Mata, com registro no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O reconhecimento foi dado após pesquisa realizada pela Fundação Apolônio Sales, Compesa e Universidade Federal Rural de Pernambuco, para amostra da pesquisa sobre os Registros dos Bens Patrimoniais de Nazaré da Mata. “Esta é mais uma conquista e alegria para a equipe que a cada dia busca trabalhar com amor, responsabilidade, dignidade e transparência, declara emocionada, a idealizadora da AMUNAM” Eliane Rodrigues.

Jornal Amunam 2.indd 4

Três adolescentes e cinco medalhas! Foi o resultado obtido pela AMUNAM, na competição de Karatê da Mata Norte, realizado em outubro, no Colégio Salesiano do Carpina, com a participação de cerca de 100 estudantes da Mata Norte, reunidos nas fases fraldinhas e juvenis. As adolescentes Kathy Kely (15 anos), Maria Tamires ( 14 anos) e Deisiele Tamires (11 anos) fazem parte do Projeto Dando a Volta por Cima e representaram a AMUNAM na categoria Juvenil. Elas venceram a competição e receberam do presidente da Confederação Nacional de Karatê, Oswaldo Canér, as cinco medalhas (Kathy Kely e Maria Tamires conquistaram duas medalhas e Deisiele Tamires, uma medalha). Para as adolescentes, foi um momento de muita alegria: “Pra nós foi muito emocionante ter lutado e ganhado a nossa esperada medalha. Elas representam o quanto crescemos, e acreditamos que temos ainda muito caminho a trilhar na nossa história da AMUNAM e do Karatê, e ainda levar o nome de Nazaré da Mata por onde passamos”.

04/02/2013 16:35:32


5

AMUNAM comemora bodas de prata O ano de 2013 já começa com um grande motivo de celebração para as/os que fazem a Associação das Mulheres de Nazaré da Mata – AMUNAM: a organização completará 25 anos da sua fundação. “Para nós, chegar ao vigésimo quinto ano de fundação da AMUNAM é motivo de muita alegria. É também uma oportunidade para uma avaliação mais aprofundada. A instituição que hoje existe, formou-se e foi se desenvolvendo a partir de sonhos, desejos, mas, sobretudo, de muita ação. E nessa celebração das bodas de prata da AMUNAM, queremos enfatizar o que

nos movimenta e o que nos leva adiante é acreditar que, juntas, podemos mudar a realidade. Como temos feito!”, comemora a coordenadora executiva da Associação, Célia Lino.

Jornal Amunam 2.indd 5

As palavras da coordenadora podem ser traduzidas nos resultados da Associação, que atua em vários municípios da Zona Canavieira da Mata Norte e Sul e Região Metropolitana de Pernambuco. Através dos projetos sociais que são desenvolvidos pela AMUNAM, as mulheres que participam dos projetos são sensibilizadas e encorajadas a lutarem pelos seus direitos e a não se deixarem vencer pela violência. Mulheres que, empoderadas e fortalecidas, conseguem melhorar a autoestima. “Eu posso assegurar com todas as palavras: se não fosse a AMUNAM, a minha vida não seria como é. Quando cheguei aqui, eu era uma pessoa sem brilho no olhar, sem esperança no coração e não pensava que a vida poderia ser diferente. Hoje, tenho orgulho de quem sou! E foi na AMUNAM que eu aprendi a me valorizar!”, declara Maria do Socorro da Conceição, mulher atendida.

O reconhecimento do trabalho que vem sendo realizado não é só das mulheres assistidas pela Associação. A forma de atuar junto às mulheres e suas famílias., abordando questões relacionadas a gênero, raça/etnia, feminismo, educação sexual, enfrentamento da violência contra a mulher, governança, políticas públicas, educação ambiental, cidadania, geração de renda e cultura levou a AMUNAM a receber reconhecimento além dos muros da instituição (veja Box). Com o seu jeito próprio de mobilizar a sociedade pela inclusão social das mulheres e de seus familiares, nos diferentes espaços de discussão e de decisão de políticas públicas, projetou a organização internacionalmente, como é o caso das parcerias celebradas ente a instituição e a Childhood, fundado por SM. Rainha Sílvia da Suécia, Global Fund For Womem, dos Estados Unidos; Manitese, da Itália e Cordaid, da Holanda. “Hoje, somos convidadas a participar de eventos locais, estaduais, nacionais e internacionais, para mostrar o nosso trabalho”, diz a coordenadora da Instituição. No ano de 2012, a AMUNAM, além de participar de fóruns, debates, seminários, em nível nacional, participou também de dois encontros internacionais: no Fórum Mulher & Poder, em Lima no Peru; e o Encontro Feminista, em Quito, no Equador.

04/02/2013 16:35:37


6

Instrumentos de comunicação da AMUNAM completam uma década de existência Para disseminar as suas informações, trabalhar a divulgação e a formação, a AMUNAM conta com dois instrumentos de comunicação, que têm sido fundamentais para levar a mensagem ao público: a rádio Comunitária Alternativa FM 98,5 e o Jornal Mulher Cidadã. Ambos, no ano de 2013, completam dez anos de existência. “Esses dois instrumentos de comunicação são, para nós, de suma importância. Nós recebemos o retorno de leitoras, leitores e ouvintes, diariamente. Estamos alinhados ao que exige a era da comunicação. Com esses veículos, chegamos mais longe. E, claro, hoje, podemos contar também com o suporte da internet: A TV Alternativa, o nosso site e blog são complementos do nosso sistema de comunicação”, explica o comunicador social, estudante de jornalismo, Salatiel Cícero A Alternativa FM transmite, durante toda a semana, programas sociais, musicais, de entretenimento e informativos produzidos e apresentados pela equipe formada por jovens e profissionais comunicadores sociais. Além de produzir programas com conteúdos sociais, a Alternativa FM tem também como objetivo contribuir para formar novos comunicadores sociais, através da teoria e da prática, e servir de espaço para expressão dos diferentes grupos sociais. Graças à tecnologia, a programação da Rádio Alternativa FM é também transmitida em tempo real para mais de 40 Países, por meio do blog www.alternativafmamunam.blogspot.com. A rádio Comunitária Alternativa foi fundada em 08 de março de 2003. Para manter a programação no ar, a AMUNAM enfrentou várias dificuldades, inclusive com interdições da rádio. Mas, hoje, possui a concessão para o funcionamento e as/os que fazem a Associação só têm a comemorar pelos dez anos de programação no ar.

Um jornal pra chamar de seu! O jornal Mulher Cidadã é o instrumento que a AMUNAM edita, a cada três meses, para levar informações de qualidade ao seu público. No jornal, são veiculadas as matérias que falam das ações da Associação, além de informações sobre projetos, entrevistas, dicas de saúde, e outras comunicações que objetivam levar ao conhecimento do leitor e da leitora que a AMUNAM tem a dizer sobre assuntos como gênero, educação sexual, cidadania, enfrentamento da violência, as políticas públicas para as mulheres, além de anunciar cursos, palestras, seminários, etc. “Esse jornal foi criado para atender a nossa necessidade de comunicação, inclusive na tentativa de sensibilizarmos as mulheres à participação dos nossos projetos. Costumamos dizer que é um jornal das e para as mulheres!”, explica, a idealizadora Eliane Rodrigues, comemorando os dez anos de vida do Mulher Cidadã.

Coração Nazareno fez bonito no lançamento de livro que fala sobre a Mulher no Maracatu Rural O Maracatu Feminino, Coração Nazareno está nas páginas do livro “A mulher no maracatu rural”, que é o resultado da especialização de Tamar Talles, em História do Século XX, realizada na Universidade Federal de Pernambuco. Tratase do quarto volume da coleção Maracatus e Maracatuzeiros, lançado no dia 6 de dezembro, na Livraria Cultura (Recife). A publicação, que conta com incentivo do Funcultura, aborda a história e o cotidiano das mulheres dedicadas ao maracatu de baque solto na Mata Norte pernambucana. As narrativas de vida de Maria Josefa Souza, Marinalva Isabel de Freitas, Maria José de Almeida, Adriana Maria de Almeida e Célia, Maria Josefa de França (Deda), Cleonice Lourenço da Silva (Dinha), Marcicleide Francisca de Lima (Cleide), Severina Batista (Bia) e

Jornal Amunam 2.indd 6

Maria José Marques dos Santos se entrelaçam à história e ao saber do maracatu rural e trazem à tona o protagonismo das mulheres na vida política, cultural, social e econômica da região. Tamar entrevistou 13 pessoas, dos quais apenas dois eram homens, Ederlan Fabio e Mestre Zé Duda. Todas as outras entrevistas foram realizadas com as mulheres que fazem parte do Maracatu Feminino, Coração Nazareno, da Associação das Mulheres de Nazaré da Mata (AMUNAM) e do Maracatu Estrela de Ouro (Aliança). “Esse livro é como se fosse nosso! Cada página que fala do Coração Nazareno, me emociona, porque a gente trás a alma, a leveza, a emoção e a feminilidade da mulher rural para as entrelinhas deste livro, recriando as tradições populares através do Coração Naza-

reno”, declara a coordenadora e cabocla de frente do Coração Nazareno, Marinalva Izabel. A autora conta que fez, primeiramente, um comparativo entre o tradicional maracatu Estrela de Ouro de Aliança, composto de homens e mulheres, com atuação masculina ainda forte; e o Coração Nazareno, única referência de maracatu feminino. “Observar estas diversas mulheres foi o ponto importante do trabalho, foi verificar na prática como elas se percebem enquanto maracatuzeiras, mães, esposas, trabalhadoras, mulheres”, descreve a historiadora.

04/02/2013 16:35:37


7

Feminista nazarena participa de encontro no Equador Mulheres de diferentes nacionalidades, como Peru, Colômbia, México, Equador, Brasil, entre outros países, participaram do Encontro Feminista, em Quito, no Equador, com o objetivo de discutir “O que passa com o feminismo da América Latina?”. O evento contou com a participação das palestrantes: Florence Thomas, Feminista ativista francesa e Julieta Paredes, Feminista comunitária boliviana, fundadora do grupo Mulheres Criando Comunidades e da Assembléia das Mulheres.

O encontro foi promovido pela Fundação Oxfam, em parceria com o Centro das Mulheres do cabo, a Casa da Mulher do Nordeste, entre outros. Para a coordenadora Municipal de Políticas Públicas para Mulheres e educadora social da AMUNAM, Otenilda Oliveira, “representar as mulheres brasileiras, pernambucanas e nazarenas, em um evento desse porte, foi de grande importância. A oportunidade serviu para reforçar ainda mais o quanto nós do movimento feminista necessitamos nos juntarmos mais, para discutirmos es-

tratégias feministas e contribuirmos para a construção de novas cidadanias, para a América Latina”.

Campanha pelo fim da violência contra a mulher tem vasta programação Uma extensa programação está sendo realizada em parceria com a AMUNAM, a Prefeitura Municipal de Nazaré da Mata, através da Coordenadoria Municipal da Mulher e a Secretaria da Mulher do Estado, para marcar a Campanha dos 16 dias de ativismos pelo fim da violência contra a mulher, com o tema Uma vida sem violência é um direito das mulheres. A campanha realizada no período de novembro a dezembro. A campanha 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres foi criada em 1991, por 23 feministas de diferentes países, reunidas pelo Centro de Liderança Global de Mulheres (CWGL), localizado nos Estados Unidos. Trata-se de uma mobilização educativa e de massa, que luta pela erradicação desse tipo de violência e pela garantia dos direitos humanos das mulheres. Atualmente, a campanha acontece em 159 países. Internacionalmente, ela começa no dia 25 de novembro (Dia Internacional da NãoViolência contra as Mulheres) e termina no dia 10 de dezembro (Dia Internacional dos Direitos Humanos). No Brasil, a campanha tem início no dia 20 de novembro (Dia Nacional da Consciência Negra), com o objetivo de destacar a dupla discriminação sofrida pelas mulheres negras. “Com mais esta campanha acreditamos que contribuímos para uma Nazaré da Mata de Paz, e sem violência. Mulheres e homens participantes das ações adquiriram conhecimentos sobre a Lei Maria

Jornal Amunam 2.indd 7

da Penha e estão mais sensibilizadas/os para uma cultura de paz. Finalizamos o ano de 2012 com a perspectiva de que tenhamos um 2013 sem violência às mulheres, pois viver sem violência é um direito das mulheres! Comprometa-se!” Convoca a coordenadora municipal de políticas para mulheres e educadora da AMUNAM, Otenilda Oliveira. 19/11/12 - Programa de Rádio – Lançando a IV Campanha dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher, no Programa Espaço da Mulher, na Rádio Alternativa FM, às 09:00h, com a participação: Coordenadoria Municipal da Mulher, Sec.Municipal de Saúde / NASF, Sec. Municipal de Assistência Social, Sec. Municipal de Educação, AMUNAM, GRE , DEPOL e 2º BPM. 19/11/12 - Programa de Rádio – Lançando a IV Campanha dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher, no Programa Espaço Aberto, da Naza FM, às 12:00h, com a participação: Coordenadoria Municipal da Mulher, Sec. Municipal de Saúde / NASF, Sec. Municipal de Assistência Social, Sec. Municipal de Educação, AMUNAM, GRE, DEPOL e 2º BPM. 20/11/12 - Oficina sobre Educação Sexual e violência doméstica; às 14:00h, no Auditório da AMUNAM, para as mulheres da comunidade. 22/11/12 - Palestra sobre Tráfico de Pessoas e Violência Doméstica; às

14:00h, no Auditório da AMUNAM, para as mulheres da comunidade. 27/11/12 - Palestra sobre a Lei Maria da Penha - 11.340/2006, para as Gestantes do Projeto Nascer Feliz, da Secretaria Municipal de Assistência Social; às 09:00h, no Centro Administrativo. 28/11/12 - Panfletagem sobre o enfrentamento da violência contra a mulher, às 09:00h, na Feira Livre, deste município. 29/11/12 - Palestra sobre As faces da violência contra as mulheres no subterrâneo das cidades, para as/os jovens integrantes do PROJOVEM, da Sec.Municipal de Assistência Social; às 09:00h, na Sala de Aula, no Centro Administrativo. 03/12/12 - Palestra sobre DST’s/ AIDS – Prevenção para a não disseminação do vírus, para as mulheres e homens da comunidade; às 14:00h, no Auditório da AMUNAM. 04 a 07/12 - Ciclo de Palestras em Escolas Públicas Municipal, sobre Violência Contra a Mulher. “Um Olhar Psicológico à Violência Contra a Mulher”. Escola Municipal Tancredo de Almeida Neves, Monsenhor Calábria, Dom Mota, Maciel Monteiro e CREFAS. 11/12/12 - Oficina sobre os Mecanismos de Proteção às Mulheres Vítimas de Violência, previsto na Lei Maria da Penha, para as idosas e idosos do Grupo CRAS; às 09:00h em sua sede.

04/02/2013 16:35:39


8

“Aprender é um dos passos básicos

“Que a mulher seja mais valorizada

para nossa evolução, buscando direcio-

e respeitada e juntas darmos um basta a

nar nossas vidas pautadas em decisões

violência; porque nós mulheres somos o

verdadeiras e centradas no poder da Fé.

seio da humanidade .” (Maria da Penha)

Que em 2013 possamos ser transparen-

“Que Cristo Jesus possa fazer em

tes conosco mesmos, não permitindo que

nossas vidas transformações para viver-

as ilusões do ego deturpem nossa verda-

mos num mundo sem desigualdades en-

deira felicidade”. (Fernanda Cristina)

tre homens e mulheres”. (Mauricélia Lino)

“Chegamos ao final de 2012. Aguar-

O ano de 2012 foi um ano de grandes

damos a chegada de mais um Ano Novo.

conquistas às mulheres. “Que lutemos a

E para este ano vindouro façamos uma

cada dia, para que tenhamos um 2013 de

reflexão da nossa vida para o ano que se

transformação e sucesso no universo fe-

aproxima. É hora de olhar o passado, de

minino.” (Eliane Rodrigues)

modo agradecida por tudo que conseguimos realiza, e de encarar o futuro com

Aguardo 2013 com a perspecti-

novos planos e desejos para um ano de conquistas e realizações”. (Michelly Lino) “Desejo que 2013 seja um ano de realizações, que todas e todos consigam atingir todas às suas metas e que seja um ano de paz, saúde e alegria. O futuro é construído por nossas decisões diárias. Um dia nasce um primeiro passo, um longo caminho, um desafio, uma oportunidade e um pensamento: “Que nesse ano as realizações alcançadas sejam apenas sementes plantadas, que serão colhidas com maior sucesso no ano vindouro. Feliz Ano Novo! Feliz 2013!” (Lucicleide Silva)

Jornal Amunam 2.indd 8

va de que as mulheres possam ter uma “Chegamos ao final de mais um ano e com ele muito do que eu pensei, sonhei e almejei; consegui realizar. E pensando nessa energia contagiante quero externar em dobro toda essa conquista a Deus por ter me abençoado, a família por ter me apoiado e a instituição por ter me oportunizado os momentos. Sabedor dessas vitórias, quero que em 2013 tudo de bom possa se realizar em nossas vidas e que nós nunca possamos esquecer que tudo dependerá de nós para almejar nossas realizações”. Feliz 2013! (Salatiel Cícero)

vida sem violência. Sucesso a todas mulheres!”(Otenilda Oliveira) “Que em 2013 o Criador nos conceda a graça de mais amor no coração. Amor que movimenta. Amor Ação!” (Francicleide Palhano) “Um ano novo de muita paz, para que possamos caminhar juntas e cobertas de paz, de conquistas e realizações visando a transformação de uma sociedade mais justa e mais igualitária entre o gênero”. (Neide Lino)

04/02/2013 16:35:41


Jornal AMUNAM 2013.1