Page 1

A IGREJA CATÓLICA PERDE O BISPO EMÉRITO DOM JOSÉ DE AQUINO PEREIRA

Notável Evangelizador e Hábil Administrador DIOCESE DECRETA LUTO OFICIAL DE 7 DIAS

Curso de Pós-graduação de Parapsicologia em RP O Conselho Latino-Americano de Parapsicologia (Clap), com o apoio da diocese de São José do Rio Preto, vai ministrar o curso a partir de 8 de março. págs. 3 e 13

Dom Paulo e Pe. Quevedo.

Campanha da Fraternidade 2012 Veja, nesta edição no Editorial e página 3, o Curso de Formação da Campanha da Fraternidade 2012, que aconteceu na Catedral de São José. páginas 2 e 3

JORNAL

1920 - 2011

O jornal “DH” presta homenagem a Dom José Págs.25 a 32

CIRCULAÇÃO NACIONAL

Padre Preza completa 90 anos

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012 ANO 16 Nº 169 S. J. RIO PRETO/SP

pág. 23

Ceia de Natal aos moradores de rua

A Pastoral do Povo de Rua vai oferecer uma ceia de Natal (às 18 horas do dia 24), na praça próxima ao Palácio das Águas, às pessoas em situação de rua. página 4

Edicat forma terceira turma

Foto: Lar São Francisco na Providência de Deus

A Escola Diocesana de Catequese (Edicat) formou a terceira turma no dia 27 de novembro de 2011. São mais 42 catequistas para a nossa diocese. O curso, de oito módulos, é realizado em dois anos. página 7

Eucaristia Fest impulsionou evangelização

Os temas mais importantes foram a defesa da vida e da família e a promoção do Evangelho. Esse evento inédito na nossa diocese foi uma iniciativa do bispo Dom Paulo Mendes Peixoto. Páginas 10 e 11

Região tem 60 companhias de reis

Há pelo menos 60 companhias de reis na área territorial da nossa diocese. E são mais de 20 capelas de Santos Reis, onde são rezados terços, celebradas missas e ocorrem os encontros festivo-religiosos. Página 9

DIOCESE E “MISSÃO HAITI” * Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus realiza, em conjunto com a comunidade, a Campanha Sonho de Natal - Brasil-Haiti. * Dom Luiz Demétrio Valentini, bispo de Jales, comentou em entrevista a campanha que a Cáritas empreendeu, em nome da CNBB. “Há perspectiva de o grupo do frei Nélio assumir um hospital da Arquidiocese de Porto Príncipe”, revelou Dom Demétrio. Páginas 5, 30 e 31

O Arcebispo Dom Joviano, da Província Eclesiástica de Ribeirão Preto, lembra que tema, em andamento, o projeto “Ser Igreja em Missão” - veja a entrevista na página 30 e 31.

Rio Preto recebe Bipos da Província Eclesiástica de Ribeirão Preto

Os bispos da Província falam com exclusividade ao “Diocese Hoje” “Precisamos renovar as nossas estruturas pastorais; ter, à frente das comunidades, líderes para a coordenação e animação da ação evangelizadora.”

Dom Joviano, arcebispo de Ribeirão Preto.

Dom Demétrio, Bispo de Jales.

Dom Davi, Bispo de São João da Boa Vista.

Dom Otacílio, Bispo de Catanduva.

Dom Edmilson, Bispo de Barretos.

Dom Paulo, Bispo de São José do Rio Preto.

Dom Edmilson: “Estou muito contente com os projetos, com a caminhada”. páginas 30 e 31


PALAVRA DO BISPO

2

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

Assembleia Diocesana de Pastoral

A diocese de São José do Rio Preto tem procurado dar alguns passos de grande importância na sua caminhada de ação pastoral. Pelo menos vem procurado atender, com bastante determinação, as exigências dos documentos oficiais da Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), naquilo que se refere aos planejamentos pastorais. Sem isso, não passamos de trabalhos infecundos e sem rumo para atingir objetivos concretos. Um dos fatos marcantes em sua história, que acontece todos os anos, é a Assembleia Diocesana de Pastoral. Trabalhamos o ano todo na pastoral, voltados para essa data que às vezes, é avaliativa; outras, de tomar

decisões na pastoral. O Plano Diocesano de Pastoral, por exemplo, é aprovado numa dessas Assembleias. Isso significa que é o órgão mais importante e representativo de toda a diocese em relação ao seu empenho pastoral. Neste ano de 2011, no sábado do dia 05 de dezembro, no Salão Paroquial da Paróquia Santuário das Almas, aconteceu mais uma dessas Assembleias. Ela veio sendo preparada já há muito tempo, começando pelas reuniões nas doze Regiões Pastorais da Diocese, passando pelos Encontros dos Padres Coordenadores de Regiões e pelo CPD, Conselho Pastoral Diocesano, ambos com reuniões de dois em dois meses. Neste ano, a Assembleia Diocesana, em preparação para o próximo Plano Diocesano de Pastoral, deu atenção para o estudo das Diretri-

zes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, 2011 a 2015. O pano de fundo dos Planos Pastorais das dioceses deve ser as orientações da CNBB em suas Diretrizes Pastorais. A nossa caminhada será por aí, levando em conta as riquezas que já temos na nossa história pastoral. Com a presença de umas trezentas pessoas, sendo representantes de todas as forças vivas de nossa diocese, realizamos a 15ª Assembleia Diocesana como momento forte de fraternidade, convivência e estudo das Diretrizes da CNBB. Contamos com a ajuda de alguns assessores padres de nossa região, despertando em todos os participantes a importância de uma pastoral orgânica e sintonizada com a caminhada da Igreja no Brasil. Dom Paulo Mendes Peixoto

futsal em parceria com a Prefeitura Municipal de São José do Rio Preto. Padres novos foram ordenados e colocados à frente de suas paróquias, até mesmo em missão na Amazônia. Para o bem geral do povo de Deus, o bispo fez mudanças ainda nunca antes vista entre nós. A pastoral de Cultura Sertaneja promoveu megacavalgada de Rio Preto a Aparecida do Norte. O CRAF(Centro de Reeducação e Atendimento da Familia) atendeu 90 pessoas, durante o ano de 2011, e Vila Vicentina em Mirassol é modelo de atendimento a idosos. O Cursilho de Cristandade realizou o 144 Encontro Masculino, e a diocese aprovou, para 2012, o curso de pós-graduação em Parapsicologia. As Festas de Santos Reis reviveram com suas mais de 60 companhias implantadas na região. No apagar das luzes de 2011, tivemos a Assembleia Diocesana de Pastoral, com exposição das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil e a Formação diocesana da Campanha da Fraternidade de 2012, que tem por tema Fraternidade e saúde pública, e por lema Que a saúde difunda sobre a terra (Eclo 38,8). Renovando o espírito natalino, Dra Hygia, de Nova Granada, apresentou-nos o centenário presépio feito por seu pai, o Dr Hildeberto. Na sua história de vida, o diácono permanente Antônio Guerreiro conta como Jesus o libertou do vício, e Pe. Preza fala como dedicou seus 90 anos totalmente a Deus: ele é o presbítero do mês. Este jornal diocesano deseja a você, sua comunidade paroquial e sua família um Santo e Feliz Natal. Que o Ano Novo seja pleno de sonhos e realizações! É bom lembrar que os únicos sonhos que se realizam são aqueles que nós sonhamos juntos. Deus o(a) abençoe!

EXPEDIENTE

Fundador: Donizeti Della Latta Endereço: Avenida Constituição, 1372 - São José do Rio Preto - SP Presidente e Diretor Responsável: Dom Paulo Mendes Peixoto Colaboradores: Pe. José Irineu Vendrami e Pe. Jarbas Brandini Dutra Fone: (17) 2136.8699 E-mail: allansanti@gmail.com * Os artigos publicados são de inteira responsabilidade de seus autores

Dom Paulo Mendes Peixoto

Confraternizações de Natal

Passagem de ano

O Jornal Diocese Hoje é editado pela Fundação Mater Ecclesiae.

“ Quando chegou a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de uma mulher...., para resgatar os que estavam sob a lei “ (GI, 4-5). Esperamos e desejamos que este Natal resgate em nós a dignidade batismal, de discípulos missionários, condição fundamental para o testemunho cristão neste tempo de “mudanças de Época”. Que o menino Jesus, na chegada do novo ano, ilumine os nossos caminhos, tornando-os mais claros na vivência da Palavra Deus. Com isso, coloquemos em prática a fraternidade, a simplicidade, a paz e o amor fraterno.

Bispo Diocesano.B

Editorial

Todos nós já passamos, estamos passando, ou vamos passar por momentos que, por razões, mudaram nossas vidas. A passagem de ano é uma referência que se tornou convencional. Há mais lógica no Ano Litúrgico, que seguem os ciclos sazonais. Esta edição do “Diocese Hoje” quer encerrar o grande bloco de atividades que realizamos no final de 2011 e início de 2012. Essa sequência nos dá sensação de que permanecemos ativos sem nos dar conta do que, realmente, valeu a pena realizar ou viver. Duas grandes perdas tivemos em 2011, a morte de Dom José e de Pe. Edemur. O jovem que veio da Vila Real (Portugal) com sua, família, tornou-se bispo de Dourados-MS, Presidente Prudente-SP e São José do Rio Preto-SP. Pe Edemur era Pároco de Nossa Senhora Aparecida, em Votuporanga: cada um deixando seu legado pessoal. A Pastoral Catequética perpassou o período com acontecimentos mega-regionais,diocesanos e paroquiais, quer pelos encontros e escolas de formação, quer pela figura do catequista Emídio, quer pelas, quer pelas novas experiências de descentralização. Outro a contecimento que impulsionou a evangelização diocesana foi o Eucaristia Fest realizada pelas diversas regiões pastorais. A PASCOM (Pastoral da Comunicação) promoveu FOCO. A Fraternidade de Frei Francisco e as Apóstolas do Coração de Jesus chegaram ao Haiti para ficar. Os bispos da Província, assessorados pelos seus coordenadores diocesanos de pastoral, avaliaram às Diretrizes Gerais da CNBB para 2012-2015. Houve avanços na Pastoral Carcerária, e a Fé e Política da diocese foi o 8 Nacional de Embu das Artes. A Rede Vida inaugurou a Casa de Acolhida, e a Pastoral dos Surdos promoveu um

Feliz Natal

Distribuição gratuita Distribuido nas cidades de Adolfo, Altair, Alvares Florense, Américo de Campos, Bady Bassitt, Bálsamo, Buritama, Cedral, Cosmorama, Floreal, Gastão Vidigal, Guapiaçu, Ida Iolanda, Jaci, José Bonifácio, Lourdes, Macaubal, Magda, Mendonça, Mirassol, Mirassolândia, Monções, Monte Aprazível, Nhandeara, Nipoã, Nova Aliança, Nova Granada, Nova Luzitânia, Onda Verde, Orindiúva, Palestina, Parisi, Paulo de Faria, Planalto, Poloni, Pontes Gestal, Potirendaba, Riolândia, São José do Rio Preto, Sebastianópolis do Sul, Tanabi, Turiúba, Ubarana, Uchôa, União Paulista, Valentim Gentil, Votuporanga e Zacarias.

Da Redação Bispos da Província Eclesiástica de Ribeirão Preto, clero, religiosas, funcionários da diocese de São José do Rio Preto-SP estiveram reunidos por ocasião do Natal. Os encontros com os bispos, seminaristas, as irmãs e os funcionários aconteceram no Palácio Episcopal Dom Lafayette Libânio, respectivamente nos dias 1º, 6, 20 e 22 de dezembro. E no dia 13 o encontro com o clero se deu em uma chácara em Cedral. Dom Paulo foi o anfitrião de todos eles. A Confraternização contou com dezenas de participantes e teve seu ápice na capela do Palácio, com momento de orações e troca de presentes.

Edição Especial do jornal “ Diocese Hoje” Da Redação O jornal “Diocese Hoje”, de circulação por toda a diocese e outras repartições, preparou uma edição especial para o leitor. Essa edição está circulando com 32 páginas e tiragem de 12 mil exemplares. CORREÇÃO: devido a preparação dessa edição, especificamente na página 22- matéria-: Haras Dal Bem - o jornal recebeu a seguinte noticia: a parceria que existia entre Haras Dal Bem e a APAE de Votuporanga, encerrou em 01/12/2011. Isto se deu antes do encerramento de nossa edição especial. Melhores detalhes e outras informações o leitor terá nas próximas edições de 2012. PARCERIA O Haras Dal Bem está buscando parceria com empresas que queiram patrocinar crianças para essas atividades.


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

3

Dom Paulo aprova pósgraduação em Parapsicologia Da Redação O Conselho Latino-Americano de Parapsicologia (Clap), com o apoio da diocese de São José do Rio Preto, vai ministrar, a partir de 8 de março, curso de pós-graduação em Parapsicologia, na Paróquia da Santa Cruz. São 50 vagas. As aulas serão sempre às quintas-feiras, das 19h30 às 22h30. A duração é de dois anos. Preço da mensalidade: R$ 350,00. “Destina-se a todas as pessoas que querem ter e dar orientação científico-religiosa, tais como médicos, psicólogos, educadores, padres, religiosos, agentes de pastoral”, disse o padre Oscar, da Paróquia da Santa Cruz. Para fazer o curso, é necessário ter diploma universitário, em qualquer área. “É um preço acessível. O curso, em São Paulo, custaria em torno de R$ 1.500 ,00 mensal”, declarou o pároco. “O Vaticano recomenda: todo sacerdote deve fazer curso de Parapsicologia”, que a partir de 2012, poderá ser feito em São José do Rio Preto. O padre Oscar explicou que 44 temas diferentes serão abordados durante o curso, entre os quais – a importância da parapsicologia, fenômenos parapsicológicos através da História, cultos afro-brasileiros, espiritismo, fenômenos paranormais, psicologia, psiquiatria, transe, mágica, fenômenos e efeitos místicos, aparições, milagres (estudo científico sobre perspectivas da morte), bioética, ilusionismo, comunicação com os mortos (é possível?). Como surgiu a ideia da realização desse curso? No dia

Foto: Mohamad H. Kharfan

Padre Oscar, Dom Paulo e Padre Quevedo em Rio Preto.

em que o padre Oscar Quevedo proferiu palestra em São José do Rio Preto, houve uma conversa entre o palestrante, o bispo Dom Paulo Mendes Peixoto e o padre Oscar. Assunto: possibilidade do Conselho Latino-Americano de Parapsicologia de proporcionar o curso de pós-graduação em São José do Rio Preto. Esse curso é feito há mais de 40 anos na clínica desse Conselho, em São Paulo. “Dom Paulo gostou e aprovou a ideia. Ficamos nós – Quevedo, Dom Paulo e eu – de organizarmos esse curso em São José do Rio Preto”, disse o padre Oscar. A realização desse curso será divulgada em toda a Província Eclesiástica de Ribeirão Preto (abrange 8 dioceses). O padre Oscar Quevedo vai convidar o bispo de Catanduva, Dom Otací-

lio, que é parapsicólogo, para ser um dos palestrantes. Dom Paulo Mendes Peixoto, também, deve ministrar uma aula. A Paróquia de Santa Cruz contribuirá para a realização do curso, oferecendo alimentação, estada para os palestrantes e o local para as aulas. Para o bispo de Catanduva, “o curso oferecerá uma formação mais esclarecida tanto para os leigos quanto para os padres”. QUEVEDO O padre Oscar Quevedo proferiu palestra sobre milagres, na Paróquia da Santa Cruz. “Falou de milagres, destacando o de Nossa Senhora de Guadalupe”, revelou o pároco da Santa Cruz. Quase 1.500 pessoas assistiram à palestra do padre Quevedo, uma das maiores autoridades mundiais em Parapsicologia.

Assessores da Equipe Sul-1 realizam curso para formação da CF 2012 em RP

Da Redação No último fim de semana - dia 11 de novembro 2012 - a diocese de São Jose do Rio Preto promoveu um encontro de formação para a Campanha da Fraternidade 2012, o qual ocorreu no salão da Sé Catedral; participaram desse evento cerca de 170 pessoas. O curso de formação foi ministrado pelo casal diácono Dr João Vicente e Drª Maria Emilia da Arquidiocese de Campinas. A formação se deu em torno do Texto-base da CF 2012. Dr. João e Dra Maria Emilia, ressaltaram que, apesar dos problemas, o SUS é um dos melhores sistemas de saúde do mundo por visar atendimento universalizado “embora”, na prática, deixe muito a desejar. O encontro esteve sobre o comando da professora Áurea, coordenadora diocesana da CF 2012, e de seu assessor, Padre Jarbas Brandini Dutra. Dr. João Vicente e Drª Maria Emília, da Arquidiocese de Campinas.

Salão da Catedral de São José Rio Preto.

Fotos: DH


4

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

Natal/Ano Novo

Ceia para o Águia 2 estende seu povo de rua horário no natal Da Redação

A Pastoral do Povo de Rua vai oferecer uma ceia de Natal (às 18 horas do dia 24), na praça próxima ao Palácio das Águas, às pessoas em situação de rua. No cardápio, lombo fatiado com molho branco, farofa, arroz, salada e refrigerante. No ano 2011, a pastoral transferiu-se para um prédio da Vila Maceno, cedido pela diocese. Antes, ocupava uma casa alugada. Recebe ajuda de voluntários. “Uma

pessoa paga prestações de um freezer novo; outra paga taxa de água e luz; uma terceira pessoa faz doação de alimentos”, disse Maria Inês Canzela, da coordenação pastoral. “Em 2012 vamos substituir os equipamentos velhos e antiquados.” Também são realizadas promoções, uma delas o bazar, cuja renda é destinada, principalmente, para pagar o gás consumido pela pastoral, são consumidos mensalmente de 5 a 6 botijões.

Da Redação Nesse período natalino/ano novo, o helicóptero Águia 2, da base de Radiopatrulha Aérea de São José do Rio Preto, vai estender seu horário para o período noturno. Esse novo horário começou no dia 9 de dezembro e termina no dia 5 de janeiro, anunciou o comandante do radiopatrulhamento aéreo, capitão Marcus Vinicius Baracho. A base rio-pretense atua em 96 municípios (de Catanduva a Santa Fé do Sul; e do rio Tietê ao rio Grande). A orientação do capitão Baracho, principalmente neste período de intenso movimento comercial: evite andar com grande quantidade de dinheiro na carteira ou na bolsa; evite manusear cheques e dinheiro à vista de pessoas estranhas; não aceite ajuda de estranhos para preencher cheques ou para colocar senha no banco ou manusear seu cartão; planeje suas compras com antecedência. A Polícia Militar vai dar suporte, garantia pra que as pessoas tenham tranquilidade para fazer compras. O comandante Ferrari, do 1º Grupamento de Bombeiros, (Aeroporto), faz essas recomendações: evite bebidas alcoólicas antes de entrar na água, antes de dirigir. Nas prainhas, entre sempre

Pastoral da Sobriedade promove confraternização Da Redação Pessoas atendidas pela Pastoral da Sobriedade da Paróquia Nossa Senhora do Brasil, participaram de jantar de confraternização no dia 15 de dezembro. Também estiveram presentes colaboradores e voluntários da pastoral. O jantar foi servido no salão paroquial da Igreja. No dia seguinte, a confraternização se deu com as crianças da Associação de Assistência São Deocleciano, com a participação de seus pais, professores, funcionários e colaboradores. “Temos 27 crianças nesse projeto. Elas ficam na Associação no período da manhã e, à tarde, vão para a escola. Para as crianças, servimos café da manhã, almoço; depois, elas vão direto para a escola”, disse Cidinha Canzela, da Associação de Assistência São Deocleciano. São ministrados para as crianças cursos de informática, de teatro, de dança, de karatê, judô e outros. Também adolescentes, adultos e idosos podem fazer informática. Cidinha revelou que houve

Dom Paulo visitou a base da rádio patrulha aérea, em São José do Rio Preto.

com a água na altura da cintura; evite comer bastante antes de entrar na água; tenha bastante cautela, porque são muito perigosos os locais de banho (prainhas, represas). Para crianças, é bom que elas utilizem boias e coletes salva-vidas. VISITA Sobre a visita do bispo Dom Paulo Mendes Peixoto à Base de Radiopatrulha Aérea, o comandante Ferrari disse: “Foi uma surpresa a visita. Ficamos muito contentes; ele trouxe uma mensagem positiva para todos nós”.

E o capitão Baracho declarou: “Foi uma honra muito grande recebê-lo aqui. Ficamos muito felizes; divulgamos sua visita no informativo da nossa base”. O capitão Baracho revelou que o jornal Diocesano Hoje “é muito bem feito” e a reportagem sobre a Base deRadiopatrulhamento Aérea foi muito positiva. “Encaminhei o jornal para o nosso comando, em São Paulo”. Em sua mensagem de Natal, capitão Baracho disse: “Que todos tenham um Feliz Natal, um Feliz 2012, com a proteção de Deus”!

Santa Edwirges se estrutura logisticamente Foto: DH

Cidinha Canzela, da Associação de Assistência São Deocleciano.

encontro com o bispo Dom Irineu Danelon, que proferiu palestra sobre a importância da Pastoral da Sobriedade e o papel dos agentes da Pastoral, no Salão Paroquial da Nossa Senhora de Fátima. O tema foi “A importância da Pastoral da Sobriedade”. Mais de 100 pessoas estavam presentes à reunião. “Estivemos na Redentora, participando da comemoração da

Foto: DH

Semana Nacional do Trânsito no dia 1º de setembro. Celebrou-se missa. Foi um momento de conscientização para que respeitemos mais as leis do trânsito, evitando acidentes. Depois, houve confraternização”, disse Cidinha. Neste Natal, a Pastoral Social da Igreja Nossa Senhora do Brasil distribuirá a famílias carentes do bairro uma cesta básica especial.

Da Redação Um novo salão paroquial, uma cozinha industrial, estacionamento e banheiros novos são construções previstas para 2012, na Paróquia Edwirges, de São José do Rio Preto. Em 2011, foram realizados encontros de formação, capacitação para liderança e outros eventos; para o ano que vem, estão programados encontros de jovens, de casais e de evangelização. “A visita pastoral de Dom Paulo Mendes Peixoto, em novembro, foi um dos pontos importantes na nossa paróquia, este ano. Foi um marco, um momento histórico”, declarou o pároco Marcos Vinicius Cavallini. BERAKÁ “A renovação carismática católica desenvolveu trabalho muito bonito este ano. Houve momentos de oração, de aprofundamento da fé e da doutrina da Igreja”, disse o sacerdote. “Ao mesmo tempo”, prosseguiu,“o Beraká foi um momento importante, que reuniu milhares de pessoas da nossa diocese e de outras dioceses. No ano que vem, o Beraká acontecerá em julho”. Padre Marcos acompanha o Beraká desde o primeiro, realizado há 16 anos. “Só perdi três encontros (foi no período em que estive na Itália). Houve uma evolução muito grande em organização, em público, em participação”. O sacerdote lembra que, antes do Beraká, aconteceu, no estádio do América, o evento denominado “Cenáculo”. O então bispo Dom José de Aquino Pereira esteve presente. “Ele sempre deu apoio para a renovação carismática.” EVANGELIZAÇÃO O Centro de Evangelização Dom José de Aquino Pereira, de Talhados, recebeu melhoramentos este ano: foi forrado, instalados ventiladores e seu funcionamento já foi liberado pelo corpo de bombeiros. A capacidade desse centro é para 1.500 pessoas.


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

5

Missão: Haiti

Associação e Fraternidade conseguem casa para instalar hospital e definem missão em Porto Príncipe - Saúde crianças com desnutrição, portadoras de HIV, tuberculose e outras doenças infecciosas; - Educação cuidar de crianças órfãs; - Evangelização catequisar e rezar com o povo haitiano, seguindo assim Jesus Cristo nos passos de São Francisco de Assis: entre os pobres dos pobres.  Frei Francisco Belotti e Frei Paulo Batista estiveram no Haiti entre os dias 01 e 06 de novembro. Lá, eles se juntaram aos frades Gabriel e Davi (enfermeiros), e às Irmãs Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus, Irmã Maria Emília (enfermeira) e irmã Maria Zelinda (pedagoga e psicóloga), que moram em Porto Príncipe e desenvolvem pequenos atendimentos de saúde e evangelização.  Além dos religiosos, a Casa São Francisco de Assis na Providência de Deus conta com um leigo/franciscano, Heverton, e doze jovens haitianos que desejam ingressar na vida religiosa. Eles estão sendo formados pelos frades.  Missão – Na visita ao Haiti, Frei Francisco e demais frades se reuniram com o Arcebispo de Porto Príncipe, Dom Guire Poulard, que com alegria recebeu os missionários Brasileiros. Dom Guire destacou a importância de um trabalho de saúde na periferia de Porto Príncipe e indicou um local onde poderia ser instalado o Hospital da Associação.  Um padre da Diocese acompanhou os frades até a chácara, que fica na periferia da capital. É o lugar mais pobre da capital, com um grande número de acampados, não existindo nenhum serviço de saúde, educação e evangelização.  A intenção da Associação e Fraternidade é montar um ambulatório com estrutura hospitalar, para atender as crianças e adultos doentes em estado mais grave. O local vai funcionar também como abrigo, já que parte das crianças é órfã de pais que faleceram no terremoto. A casa deve passar por algumas adequações e a previsão é que o trabalho se inicie em janeiro. Enquanto isso, trabalhamos no Ambulatório e Hospital juntamente com as Irmãs da Madre Teresa de Calcutá.  No local, será instalada ainda uma escola de lata, doada pela Cáritas do Brasil, para atender as crianças da região. No Haiti, todos os estudos são pagos. Aqueles que não têm condição de pagar não são alfabetizados. Pedimos que cada um adote uma criança para que a escola possa funcionar. O

assessoria de imprensa

Pastoral dos Surdos promove torneio de futsal em parceria com a prefeitura de Rio Preto

Frei Francisco e Pe. Alessandro assessoria de imprensa

Pe. Irineu Vendrami, equipe de futsal da Pastoral dos Surdos e a Profª Leonor.

Da Redação

Nilson Viana e irmãos

Arcebispo Dom Guire também solicitou aos frades e as irmãs que trabalhem na evangelização dos moradores da região.  Parcerias – Além da parceria com a Cáritas, que ajuda na manutenção da missão, a Associação e Fraternidade atuam ao lado das Missionárias da Caridade, que já mantém um Ambulatório na capital. As filas para atendimento são quilométricas, e a maioria dos pacientes são crianças. Frei Gabriel, Frei Davi, Irmã Maria Emília e Irmã Zelinda, todos com formação na área da saúde, ajudam no atendimento dos doentes.  Frei Francisco também firmou parceria com o grupo de jovens “Luz de Cristo”, que voluntariamente ensinam cerca de 40 crianças que não têm acesso à escola.  A Associação e Fraternidade agradece à Providência de Deus, que tem provido a missão no Haiti,

e pede a todos que se unam neste sonho de ser sinal de Cristo entre os mais pobres dos pobres. SONHO DE NATAL: COLABORE! A Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus realiza, em conjunto com a comunidade, a Campanha Sonho de Natal – Brasil Haiti, que tem como objetivo de fortalecer e manter a missão desempenhada desde fevereiro na Casa São Francisco de Assis na Providência de Deus, em Porto Príncipe. Mais do que proporcionar um único dia de natal, a campanha quer ajudar diariamente (com apenas um pãozinho) os irmãos haitianos, que padecem diariamente, vítimas da fome e inúmeras doenças. Como cristãos, cremos que onde há amor, há natal.

A equipe de futsal da Pastoral dos Surdos da Diocese de São José do Rio Preto ergueu o troféu de campeã do torneio da 3ª Copa Interestadual de Futsal Para Surdos, promovido pela Pastoral dos Surdos de São José do Rio Preto e Secretaria de Esporte e Lazer do Município de São José do Rio Preto. A vice-campeã, da cidade de Ribeirão Preto, e 3º lugar a equipe de Hortolândia que receberam troféu de 2º e 3º lugares. Atletas dos times classificados em quarto lugar da cidade de Franca e quinto lugar da cidade de Frutal (MG) receberam medalhas. A competição aconteceu no dia 12 de novembro deste corrente ano, no Ginásio de Esportes Antônio Natalone e 19 de Março. Inscreveram 20 equipes dos estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais e Paraná, mas somente 08 equipes puderam participar (02 Pastorais e 06 Associações). A abertura do torneio ocorreu na manhã de 12 de novembro deste ano. Nesta solenidade, o vigário geral padre Irineu Vendrami representou o bispo diocesano Dom Paulo Mendes Peixoto. Samuel Souza, de Campo Grande (MS), disse que de sua cidade vieram 10 pessoas; é

a segunda vez que atletas da Pastoral dos Surdos da capital de Mato Grosso do Sul participam de campeonato de futsal em São José do Rio Preto. E sua mensagem natalina? - Souza diz: “A todos, bom Natal, com muitas festas e muito sucesso em 2012”. Profª Leonor assessora da Pastoral dos Surdos, e organizadora do evento disse que participaram aproximadamente desse campeonato 250 surdos e 40 pessoas ouvintes. Diocese Hoje: Leonor qual é a sua mensagem? Leonor responde: “Desejo Feliz Natal a todos. Vamos encerrar o ano com uma missa de confraternização dos surdos no início de dezembro”. Mas as atividades religiosas e evangelizadoras para os surdos continuam, como também a assistência as paróquias que necessitam de orientação quando surgem em suas comunidades pessoas surdas, favor entrar em contato com a Pastoral dos Surdos (17) 97144235 ou na Diocese. José Armando da Silva, da Liga de Futebol de Salão de São José do Rio Preto, comentou: “Foi um evento emocionante; não tivemos problemas na arbitragem. As regras não mudam nas partidas entre deficientes; em vez do apito, usamos bandeiras”.

Em sua mensagem natalina, padre Irineu Vendrami disse:

Pe. Irineu Vendrami ao lado de Samuelde Souza, de Campo Grande/MS.


6

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

100 ANOS

Emídio Malvezzi, o senhor catequista Da Redação “Eu estou muito feliz; agradeço a Deus pelos meus 100 anos e agradeço a todos pela presença. Não esperava uma homenagem tão grande assim”, disse Emídio Malvezzi, de Potirendaba, na festa do centenário do seu nascimento, realizada no dia 30 de setembro. Ele foi catequista, congregado mariano, ministro da Eucaristia e pertenceu ao Apostolado da Oração. Desde criança e até hoje, com 100 anos de idade, assiste missa pelo menos uma vez por semana. Na festa do seu aniversário, realizada em uma chácara, estavam presentes 165 pessoas, a maioria familiares (filhos, netos, noras, genros, sobrinhos), além dos padres Júlio Cesar Sanches Lázaro, José Mendes de Carvalho Júnior, o diácono Marcelo Vieira da Silva. Maria Paula Gonçalves Malvezzi, nora do aniversariante, declarou: “Ele (Emídio) é exemplo para a família; é exemplo de viver e conviver com os outros. Aprendi muito com o meu sogro, e também com o meu pai, ambos muito religiosos”. Maria Paula é coordenadora da Rede de Comunidades, em Potirendaba,

fotos: DH e colaboradores

Familiares do Sr. Emílio compareceram em massa.

Sr. Emílio no momento dos parabéns dos 100 anos. Sr. Emídio exibindo álbum de família.

desde o início da administração Dom Paulo Mendes Peixoto. Ela é, também, ministra da Eucaristia.

Familiares e amigos comemoraram o aniversário do Sr. Emílio.

Filha Lia Marina e a nora Maria Paula Gonçalves ao lado do aniversariante.

Emídio Malvezzi

- Nascimento: 30 de setembro de 1911. Natural de Matão. - Ainda criança, seus pais mudaram-se para Potirendaba. Compraram a Fazenda Santa Maria e dedicaram-se à cultura do café. - Emídio, ainda adolescente, viajava da fazenda dos pais à cidade (percurso de 24 km) para assistir missa. Lia diariamente a Bíblia. - Reunia trabalhadores da fazenda e seus familiares para divulgar o Evangelho. Cativava a todos, tinha o dom da comunicação. Tornou-se catequista. - Um de seus catequizan-

dos, o menino José Mendes de Carvalho Júnior, entrou no Seminário e, hoje, é o pároco da Paróquia Nossa Senhora do Carmo/São José do Rio Preto. Um outro catequizando, também padre, trabalha em uma diocese do interior paulista. - Emídio Malvezzi foi simpatizante do fundador da Ação Integralista Brasileira, o escritor, pensador e político Pároco Sidney Plínio Sal- Roberto Martins: gado. Em “Ele é uma pessoa 1937, Plí- de fé, uma pessoa nio Salga- santa”. do foi pre-

FRASES

so e exilado em Portugal. Retornou ao Brasil em 1945, fundando o PRP (Partido da Representação Popular). Escreveu “A Vida de Jesus”, “O estrangeiro” e outras obras. - Na década de 1970, Emídio foi convidado pelo pároco de Potirendaba para ser ministro da Eucaristia. “Você já provou que é um ótimo evangelizador”, disse-lhe o pároco. E Emídio cumpriu mais essa missão pastoral. Padre José Mendes de Carvalho Júnior: “Emídio sempre esteve a serviço da Igreja. Foi um autêntico evangelizador, um pregador leigo que viveu e praticou o sacerdócio”.


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

EDICAT forma terceira turma A Escola Diocesana de Catequese (Edicat) formou a terceira turma no dia 27 de novembro de 2011. São mais 42 catequistas para a nossa diocese. O curso, de oito módulos, é realizado em dois anos. “A escola está se acentuando de maneira muito bonita. Entusiasmados, os catequistas das duas primeiras turmas pedem encontro entre eles. Já marcamos dois encontros, em 2012, com esses ex-alunos”, disse Irmã Rosângela Fontoura, da Pastoral Catequética. A Edicat já formou 90 catequistas. Qual é a sua mensagem? Irmã Rosângela diz: “Agradecemos tudo aquilo que os catequistas realizaram nas comunidades da diocese, e que continuem firmes nessa missão. Que o Menino Deus continue nascendo no coração de cada um dos nossos catequistas!”.

7

Fotos e textos: DH

Irmã Rosângela.

A terceira turma da Edicat recebem diplomas na Casa do Clero, no dia 27 de novembro de 2011.

Dom Paulo.

Formandos recebem CD com as vivências da escola.

Pe. Calazans - Bruna Padovez - Dom Paulo.

Dom Paulo e a formanda Dalva, de Mirassol.

Pe. Fábio Dunge, Antônio e Dom Paulo.

Pe. Marcelo, Antônia e Dom Paulo.

Padres: Calazans, Marcelo, Gerson, Alexandre, Amauri, Fábio Dunge, Jair Marches e Dom Paulo.

Pe. Calazans - Bruna Padovez - Dom Paulo.

Roberto e formandos.

Dom Paulo e João da Paróquia Nossa Senhora Brasil.

Juvêncio, Engenheiro Schmidt, e Dom Paulo.


8

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

CATEQUESE

Sulão, um dos destaques de 2011

Da Redação Para Vanilda Silveira, da equipe de coordenação da Catequese Sul-1, em 2011 ocorreram vários encontros importantes, um deles o VII Sulão, em São José do Rio Preto, no mês de agosto. “Foi um seminário que valeu a pena”, disse. “O pessoal trabalhou muito bem, cada um no seu tema, sempre dentro da Mistagogia Catequética.” O VII Sulão reuniu lideranças religiosas e leigas de cinco Estados: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul. Participaram desse encontro, realizado no Ipê Park Hotel, 293 pessoas. “O padre Paulo Gil, da coordenação do Sulão, disse que a organização, o acolhimento, o trabalho das demais equipes, tudo foi fantástico”, revelou Vanilda. Quanto à cobertura dos trabalhos, ela destacou a Rede Vida de Televisão e o jornal Diocese Hoje. CATEQUESE Em 2012, as 8 sub-regionais no Estado de São Paulo farão simpósios; em nossa sub-região, Dom Paulo Mendes Peixoto sugeriu uma data em agosto, disse Vanilda. “O objetivo dessas reuniões é fazer com que nós, catequistas, nos envolvamos mais com a Bíblia; a Bíblia é a nossa ferramenta de trabalho”. E, nos dias 28, 29 e 30 de setembro do ano que vem, acontecerá o Simpósio Bíblico. A Semana Catequética em Votuporanga e São José do Rio Preto será realizada nos dias 30

fotos: DH e arquivo

Dom Paulo e bispos participantes do Sulão, no Ipê Park Hotel.

e 31 de janeiro e de 1 a 3 de fevereiro do ano que vem. Outras regiões pastorais também farão a Semana Catequética, em datas diferentes. “Vamos trabalhar o mesmo tema na

Diocese toda. Em sua mensagem natalina, declarou: “Que Jesus permaneça no coração de todo catequista! Então, todo dia vai ser Natal”.

Participantes de vários Estados no Sulão.

Coordenador Pe. Paulo Gil, irmã Rosângela e participantes do Sulão.

O Sulão foi realizado no Ipê Park Hotel, em Rio Preto.


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

9

JANEIRO:

Região tem 60 companhias organizadas Da Redação Há pelo menos 60 companhias de reis na área territorial da diocese de São José do Rio Preto. E são mais de 20 capelas de Santos Reis, onde são rezados terços, celebradas missas e ocorrem os encontros festivo-religiosos. Essas companhias (folias de reis) evoluíram e inovaram. Compraram instrumentos, estão uniformizadas, têm vozes afinadas e há mestres que são compositores. A maioria delas admitiu mulheres, adolescentes e crianças. Há meninas tocando bumbo ou se apresentando como “palhaça”. Até 1980, quase todas as companhias de reis eram formadas apenas por homens. Hoje, em algumas delas, de 30 a 35% dos seus componentes são mulheres e crianças. Os que cantam são o mestre, contra-mestre, contralto, e as quarta, quinta, sexta e sétima vozes. Os instrumentos tradicionais são a viola, o violão, caixa, violino, cavaquinho, pandeiro, triângulo, chocalho. Algumas companhias introduziram o acordeon. As companhias estruturadas e organizadas se apresentam nos Encontros e Festivais de Folias de Reis, em datas festivas, na reza do terço e até durante missas. De novembro a dezembro, esses grupos fazem peregrinação por bairros rurais e urbanos, entoando versos que falam do

fotos: DH

Moça que se veste de palhaça na folia de reis de Gastão Vidigal.

nascimento de Jesus. E, no início de janeiro, realizam a grande festa de Santos Reis. Oficialmente, 6 de janeiro,

Integrantes da Companhia de Reis, de José Bonifácio

mas a comemoração pode ser realizada em uma outra data, geralmente, num sábado ou domingo.

Igreja dos Santos Reis-Escola, projeto inédito em Palestina

Para manter viva a tradição dos Santos Reis e difundir essa manifestação popular-religiosa, o aposentado Benedito Antônio de Medeiros, de 76 anos, idealizou e está empenhado na construção de uma Igreja dos Santos Reis-Escola, em Palestina. Essa iniciativa tem o apoio do padre Martelo. Ele explica: “Esta Igreja teria espaço para ministrarmos aulas para crianças, jovens e adultos sobre dança, música, instrumentos, e história dos Santos Reis, de Catira e de outros grupos folclóricos, que falam de Jesus e propagam o amor, a paz, o respeito, a solidariedade e a fé em Deus”. Haveria aulas sobre a função de cada pessoa nesses grupos. “O mestre de folia de reis, por exemplo, precisa ter sensibilidade e ser um poeta. Ele improvisa versos”. Essa Igreja-Escola acolheria, no mínimo, 300 pessoas. A cúpula do prédio se assemelharia a uma coroa. Teria um barracão de festas, que também seria utilizado como sala de aula. O prefeito de Palestina, Nicanor Batista Branco, fez cessão de uma área de 2.822 m² de terreno municipal para a construção da Igreja de Folia de Reis, mas também prometeu fazer a limpeza da mesma. Segundo o prefeito, a cessão é por 20 anos, podendo ser prorrogada por mais 20 anos. O prefeito prometeu, ainda, fazer a limpeza da área. Outro projeto de Benedito Medeiros é criar a Associação Cultural de Santos Reis de Palestina, que reuniria grupos da região. REATIVOU COMPANHIA DE REIS

Nascido em Palestina a 15 de outubro de 1934, ainda jovem cantava na folia de reis do bairro Duplo Céu. “Eu era a quinta voz”, disse Benedito de Medeiros. Ele deixou Palestina e viveuu em outras cidades; agora, aposentado, voltou à sua terra natal com a missão de reativar a companhia de reis “Tradição”, fundada pela família Rosa (bairro Duplo Céu), que estava inativa há 30 anos. Benedito de Medeiros relata: “Quando voltei à Palestina, João Rosa de Carvalho conversou comigo e disse: ajude-me a fazer o encontro de bandeiras. Então, formamos uma comissão, a Igreja Católica aprovou, e realizamos a 1ª Festa em 2006. Esperávamos de 1.000 a 1.500 pessoas, mas apareceram mais de 3.500 devotos. Até o pároco Martelo se surpreendeu com o numeroso público. Eu disse: Padre, há muitos católicos que gostam de folia de reis”. A Cia. de Reis do bairro Duplo Céu tem, hoje, 8 integrantes, que tocam viola, violão, pandeiros, caixa; há os cantores e palhaços. “Já gravamos um CD”. Em novembro e dezembro, o grupo faz o giro por sítios e fazendas; arrecada alimentos para a festa, em janeiro, quando churrasco, arroz, feijão bem temperado, linguiça, farofa são oferecidos aos presentes. Tudo de graça. Benedito de Medeiros diz que o relacionamento entre a Cia. de Reis e o pároco Luis Carlos Martelo “é muito bom”. E falou do bispo dom Paulo Mendes Peixoto: “É uma pessoa meiga, humilde e faz um bom trabalho na Diocese”.

Sr. Benedito Antonio de Medeiros, Palestina.


10

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

Eucaristia Fest impulsionou evangelização O Eucaristia Fest, realizado em 2011 nas regiões pastorais diocesanas, além de impulsionar a evangelização, todas as suas ações foram nutridas com muita alegria, música, reflexões e cerimônias. Os temas mais importantes foram a defesa da vida e da família e a promoção do Evangelho. Esse evento inédito na nossa diocese foi uma iniciativa do bispo Dom Paulo Mendes Peixoto. Padres, religiosos, lideranças leigas participaram da organização desses encontros, aos quais estiveram presentes, em cada um deles, milhares de pessoas. O início desse novo tempo de atitudes evangelizadoras ocorreu, no Colégio Santo André-RP, no dia 15 de maio. Houve celebrações, exibições artísticas (teatro, dança, música). E muita animação, inspirada na fé e devoção. No dia 5 de junho, as regiões pastorais de José Bonifácio organizaram o segundo Eucaristia Fest, no Ginásio de Esportes em José Bonifácio. Houve reflexão da realidade missionária, orações, apresentação de grupos musicais,

1

2

4

3

5

15

Legendas: 1) Paróquia da matriz de Buritama.

17

2) Ginásio de Esportes de Buritama, onde foi realizado o Eucaristia Fest Buritama/ Nhandeara.

16

3) Paróquia Nossa Senhora Aparecida, de Votuporanga, local onde foi realizado o Eucaristia Fest. 4) Jaci, local da realização do Eucaristia Fest. 5) Jaci, Lar São Francisco da Providência de Deus. 6) Colégio Santo André, local onde foi realizado o 1º Eucaristia Fest. 7) O Eucristia Fest da região de José Bonifácio foi realizado no ginásio de esportes. 8) Centro de Catequese de Buritama. 9) As crianças compareceram em massa no Eucariti Fest de Buritama. 10) Colégio Santo André. 11) Centro de Eventos da Festa do Milho de Jaci. 12) Dom Paulo Mendes Peixoto, bispo diocesano, compareceu em todos os eventos realizados em 2011 do Eucaristia Fest. 13) Os diáconos fizeram parte das celebrações em várias regiões.

teatrais e de danças. Votuporanga sediou o terceiro encontro no dia 17 de julho, também com celebrações, palestras e números artístico-culturais. As regiões pastorais

6

to evento no Esporte Clube Granadense. Cada paróquia levou comida e bebida e, ao final, juntou-se tudo e fez-se a partilha de alimentos. No dia 25 de setembro, as regiões pastorais de Mi-

de Buritama e Nhandeara promoveram, no dia 24 de julho, o quarto Eucaristia Fest, com variado programa artístico e religioso. No dia 11 de setembro, em Nova Granada, aconteceu o quin-

rassol e Monte Aprazível promoveram no Celeiro da Vida, em Jaci, o último Eucaristia Fest do ano, com a presença de três mil pessoas. Além da celebração eucarística, houve a exibi-

ção do grupo “Dançarinos de Deus”, de Neves Paulista; frades de Jaci fizeram apresentação teatral;as dançarinas de Neves Paulista e os jovens de Bálsamo encenaram a Última Ceia.

14) Ginásio de esportes de José Bonifácio. 15) Ginásio de Esportes de Buritama. 16) Dom Paulo e coordenadores da região de Nhandeara e Buritama. 17) Paróquia Nossa Senhora Aparecida, matriz de Votuporanga.

7

9

11

13

8

10

12

14

11


12

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

7 DE JANEIRO

Festa da Companhia de Reis Centenário Da Redação A Companhia de Reis Centenário, de Potirendaba, vai realizar a tradicional festa de Santos Reis no dia 7 de janeiro, a partir das 14h30. Haverá celebrações na capela construída em homenagem aos Reis Magos e, depois, churrasco para 5 mil pessoas. Tudo de graça. Trabalham na organização dessa festa de 20 a 30 pessoas, diz Joaquim Augusto da Silva, mestre da Companhia Centenário. O ritual da entrada das bandeiras é um dos pontos altos da festividade. Com 10 componentes – o mais jovem deles tem 45 anos de idade –, a Companhia de Reis Centenário é a mais antiga, em atividade, na região. Completou 129 anos de existência. Ela inicia o giro no primeiro sábado de novembro. Durante 45 dias, percorre sítios, fazendas e bairros de Potirendaba, São José do Rio Preto, Votuporanga, Nhandeara, Magda, General Salgado e outras localidades. Consegue doações de 120 a 140 bezerros. Faz leilão desses animais e o dinheiro arrecadado é para compra de carne e outros alimentos para a festa dos Santos Reis.

fotos: DH

Anísio e a Companhia de Reis do bairro Pozzobon, de Votuporanga.

Joaquim Augusto da Silva, mestre da Companhia Centenário.

O fundador dessa tradicional Companhia de Reis foi Valêncio, que morava em José Bonifácio; os mestres seguintes foram Pedro Thomé, Miguelzinho Generoso, Maximiano Vaz de

Integrantes da Companhia de Reis Centenário, de Potirendaba.

Capela de Santos Reis, Buritama.

Carvalho e, agora, Joaquim Augusto da Silva. Com a ajuda da população, a Companhia Centenário construiu um salão de festas e a capela dos Santos Reis numa das praças de Potirendaba.

Guajuvira.

Srª Ivone e o marido Ademir.


SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

DIOCESE 82 ANOS

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

13

DIA 27

Milagre, palestra do Pe. Quevedo Padre Oscar Quevedo, renomado parapsicólogo, proferiu palestra sobre “Nossa Senhora de Guadalupe e Milagres” no dia 27 de novembro, às 18h30, na Paróquia Imaculada Coração de Maria/São José do Rio Preto. Esse milagre (fenômeno supranormal) ocorreu no México, em dezembro de 1531: Nossa Senhora apareceu ao índio Juan Diego. A imagem santa ficou gravada no manto do índio. “É uma imagem cujos olhos reagem com a luz (pupilas dilatam no escuro e restringem na claridade); a temperatura da imagem é sempre de 36 graus (igual a do corpo humano); as cores da imagem são, ainda, inexplicáveis (não é pintura)”, disse o padre Oscar Donizeti Clemente, pároco da Igreja Imaculado Coração de Maria.É também parapsicólogo (trabalha com hipnoterapia) e professor no Seminário Diocesano, ministrando aulas de História de Israel e Teologia Bíblica. Padre Quevedo, que já proferiu palestras por todo o Brasil e em dezenas de países, vem a convite do

fotos: Mohamad H. Kharfan

CURA PELA HIPNOTERAPIA

Dom Paulo e Pe. Quevedo em Rio Preto.

padre Clemente. “Teremos o privilégio de ouvir o padre Quevedo, uma das maiores autoridades do mundo sobre milagres (fenômenos supranormais). O milagre é

superior às leis da natureza e não tem explicação científica. Se tiver explicação natural, não é milagre”, explicou.

Bispo de Catanduva é também parapsicólogo O bispo de Catanduva, dom Otacílio Luciano da Silva, conheceu a parapsicologia por intermédio do padre Oscar Quevedo. Inicialmente, participou de um curso de três dias; depois, fez outro de 10 dias. Liberado pela Diocese de Assis, onde atuava, permaneceu dois anos em São Paulo, fazendo um aprofundamento em parapsicologia, também com o padre Quevedo. “É a disciplina que estuda os fenômenos tidos como estranhos – imagens que vertem lágrimas, objetos que se movimentam sozinhos, de casas mal-assombradas. E a parapsicologia vai buscar qual

Padre Oscar

é a causa disso. Normalmente, a causa é inconsciente do ser humano, não tem nenhuma interferência do além”, explicou dom Otacílio. “A parapsicologia ajuda a desmascarar as falsas religiões, os falsos milagres; ajuda a mostrar os verdadeiros milagres. Às vezes, a pessoa tem medo de casa mal-assombrada, de feitiço. E a parapsicologia liberta essa pessoa do medo.” Dom Otacílio disse ser muito importante a vinda do padre Quevedo.”Há pessoas que acham que ele é contra o milagre. Não é verdade. É defensor ferrenho dos

Dom Otacílio Luciano da Silva.

milagres verdadeiros. O que ele mostra é que há muitas coisas que parecem ser milagres, mas não são.”

Pe. Oscar, da Paróquia Santa Cruz.

Padre Oscar Clemente trabalha com hipnoterapia há dois anos, em sua paróquia. Antes, fez pós-graduação promovido pelo Conselho Latino-Americano de Parapsicologia, cujo diretor é o padre Oscar Quevedo. “Por dois anos viajava para São Paulo, uma vez por semana, para fazer o curso”. Dentro da parapsicologia, há uma matéria sobre hipnose. “Pensei, por que não colocar em prática a hipnose?. Fiz, então, vários cursos sobre hipnose pelo Brasil. Depois conheci o psiquiatra americano Paul Adler, especialista em tratamento de traumas, através da hipnoterapia, e fiz cursos com ele. No ano que vem, farei um outro curso com esse psiquiatra americano. A hipnoterapia faz um bem enorme: cura males relacionados com a emoção, mas é preciso formação sólida em parapsicologia para conseguirmos fazer a hipnoterapia.” Ele cita exemplo de cura pela hipnoterapia – “Atendi uma pessoa que, de repente, passou a falar só o castelhano, e que já havia consultado vários médicos e pastores. Segundo o diagnóstico deles, ela não voltaria a falar

o português. Ao atender a paciente ( recuperação da memória traumática), apareceu a causa do trauma dela: um médico disse (e ela ouviu) que havia suspeita de câncer e recomendou extração de todos os seus dentes.Com a hipnoterapia, ela voltou a falar, normalmente, sem proferir uma palavra em castelhano. Se a causa é física, o resultado é imediato; se é emocional, com o tempo a pessoa vai melhorando até se livrar do trauma”. O pároco da Igreja Imaculado Coração de Maria atende casos de depressão, ansiedade, pânico, insônia, compulsão, cansaço mental, casos de dependência química e alcoolismo. Provavelmente, é o único sacerdote da nossa diocese que faz trabalho de configuração traumática, por meio da hipnoterapia. Padre Oscar Clemente diz ser importante o cuidado na gravidez. A partir do 4º mês de vida intra-uterina, pode-se instalar algum trauma. Por exemplo, o pai que queria um outro sexo, vai causar trauma no feto e na sua vida adulta. Se as pessoas soubessem disso, evitariam muitos problemas”.

Cursos profissionalizantes na Igreja Imaculado Coração

Reformas e ampliação da Paróquia do Imaculado Coração de Maria/São José do Rio Preto estão proporcionando a realização de cursos profissionalizantes. Em outubro, a paróquia formou a primeira turma do curso de Informática (43 estudantes de

16 bairros); no ano que vem, entram em funcionamento os de Corte e Costura, de Música, e será ministrado o segundo curso de Informática. “Todos os equipamentos necessários foram adquiridos e instalados”, disse o pároco Oscar

Donizete Clemente. O curso de Culinária está funcionando em parceria com a Secretaria de Assistência Social do município. Os equipamentos, instrumentos musicais (sax, guitarra, baixo, bateria, violão, flauta, etc), utensílios e objetos para os

cursos foram comprados com verbas do governo estadual (liberadas com a ajuda do deputado Vaz de Lima), revelou o pároco. A reforma e ampliação das instalações na Paróquia estão sendo realizadas com recursos

da comunidade, do dízimo, de ofertas. “Já investimos nessas reformas cerca de R$ 300 mil.” A intenção do padre Oscar, com esses cursos profissionalizantes, é oferecer meios para a melhoria da renda de famílias necessitadas.

# recorte aqui

#

Local: Santa Cruz Horario: 19:30 horas

- VAGAS LIMITADAS 50 –

pós-graduação Lato-Sensu INICIO DO CURSO MARÇO

Ficha de inscrição Nome completo: _____________________________________________________________ Endereço: __________________________________________________________________ CEP: ________ CIDADE: ________________________________________ ESTADO: _____ Tel.: ____________ E-mail: ______________________ Data do Nascimento: __________ Curso Superior – Qual? _______________________________________________________ O recibo do curso deve ser emitido em nome de: ___________________________________ ______________________________________ RG e/ou CPF: ________________________

Melhores informaçoes no verso

DIOCESE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO TRAZ O CURSO DO PE. QUEVEDO


14

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

Mirassol

60 casas para idosos na Vila Vicentina Da Redação

A Vila Vicentina de Mirassol, obra administrada pela Sociedade São Vicente de Paulo, completou 64 anos de profícua existência no último dia 19 de novembro. Dotada de sessenta unidades residenciais, disponíveis a idosos em caráter de comodato não oneroso, a unidade atende hoje cinquenta e cinco pessoas. “Selecionamos e recebemos casais, viúvos e viúvas, solteiros aposentados e aptos a administrarem sua própria vida e o imóvel que ocupam”, afirma Luciana Rosales, Assistente Social da Vila há ... anos. “Os moradores recebem, ainda, a atenção de familiares à distância”, completa Luciana. Os administradores da Vila oferecem assistência religiosa e social, zelando ainda pelas residências que são dotadas de quarto, copa/cozinha e banheiro. A Prefeitura Municipal de Mirassol colabora com a presença regular de profissionais nas áreas de arteterapia e psicologia. Atendimentos na área de saúde e tratamentos dentários são igualmente encaminhados à rede pública. Realização de exames, consultas e internações acontecem no Hospital, mantido pelo Lar São Francisco na Providência de Deus, de Jaci. A Vila possui ainda uma capela, quatro lavanderias, um amplo salão social para quatrocentas pessoas comodamente sentadas, campo de bocha, obras edificadas em área de 10.000 m2. Na aconchegante capela são celebradas Missas mensais pelo Frei Gouvea, da Paróquia Matriz de São Pedro. Lá também são rezados terços e outras celebrações regulares. Os recursos para manutenção da Vila são colhidos junto à comunidade mirassolense, através de contribuições mensais, além de outras promoções tradicionais, tais como a Barraca do Pastel (Festa de São Pedro) e o Boi no Rolete que este ano contou com a presença de 700 pessoas. O Bispo Diocesano Dom

fotos: DH

José, Salvador e Sebastião.

Capela São Vicente de Paula.

Lindolfo Pereira de Oliveira.

Paulo Mendes Peixoto esteve recentemente na Vila Vicentina, revisitando a obra e abençoando o novo prédio da Administração, que conta com quatro amplas salas, despensa, copa e banheiros. Um dos residentes é Eurides Pereira, de 91 anos, ex-prefeito de José Bonifácio, “Vivo aqui há três anos; estou gostando, é um lugar tranquilo”, disse. Ele foi também vereador em José Bonifácio, por quatro mandatos. Maria Rodrigues , 70 anos, é moradora da Vila Vicentina há cerca de 30 anos. “Quando cheguei, havia jabuticabeiras, uma estrada boiadeira; e num terreno, ao lado, muita mamona”. Para ela, a Vila Vicentina, hoje, é um “condomínio”. Osvaldo, 74 anos, chegou recentemente à Vila Vicentina. “Aqui, estou bem acomodado, nada me falta”.

Pe. Gouveia, Luciana, Kiruba e Dom Paulo.

Maria Rodrigues.

Ex-prefeito Eurides.

 recorte aqui

DIOCESE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO TRAZ O CURSO DO PE. QUEVEDO Informações:

Rua Paulo Setubal, 261 - Santa Cruz Pe Julio - tel.: Pe Oscar - tel.: (17) 3353-4269 / 3221-1540 Centro Latino-Americano de Parapsicologia tel.: (11) 3873-8831 - drª Marcia

www.clap.org.br


SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

DIOCESE 82 ANOS

15

Rio Preto-Aparecida, a megacavalgada Da Redação Um dos eventos previstos para 2012 pela Pastoral de Cultura Sertaneja é a megacavalgada de São José do Rio Preto a Aparecida, um percurso de aproximadamente 500 quilômetros, que será feito em 20 dias. Cavaleiros e amazonas da região e até de outros estados devem participar desse acontecimento de repercussão nacional. É a primeira edição dessa cavalgada. A intenção é torná-la tradicional. Esse percurso se tornaria um roteiro religioso, cultural e turístico. O trajeto abrange paisagens urbanas e rurais, balneários, reservas ecológicas, trilhas históricas, momentos de rezas e de festividade. A Pastoral da Cultura Sertaneja, criada há cerca de dois anos, é coordenada pelo seminarista Rivaldo e equipe, que faz o quarto ano de Teologia. Para 2012, há outros eventos programados, devendo o número deles superar o deste ano. “Em 2011, de janeiro a outubro, a pastoral “marcou presença” em 23 eventos populares”, disse Rivaldo. No dia 13 de novembro, revelou, “acontecerá uma cavalgada beneficente em Nova Granada, cuja renda será destinada à creche da cidade”. A cavalgada começou às 11:00 horas e terminou às 13:30 horas, com oração

fotos: DH

Carreata de São Cristovão em Votuporanga 2011.

Rivaldo, coordenador da Pastoral de Cultura Sertaneja.

Cavalgada realizada dia 13 de novembro em Nova Granada.

Rivaldo e integrantes da Cavalgada de Nova Granada.

e bêncão; em seguida, foi servido um almoço sertanejo. BASÍLICA No dia 12 de outubro, a pastoral promoveu uma missa sertaneja na Basílica Menor de Nossa Senhora Aparecida/São José do Rio Preto. Durante a celebração, houve apresentação de grupos artísticos populares. Vários dos presentes à Santa Missa manifestaram apoio às iniciativas da Pastoral de resgatar, difundir e promover as nossas tradições. - Este ano, qual foi o evento de maior repercussão? – Rivaldo diz: “Foi o de Mendonça, realizado em maio. Dessa cavalgada participaram mil cavaleiros e amazonas, vindos de 45 cidades da nossa diocese e das dioceses de Lins, Araçatuba e Presidente Prudente. ESPORTE SAUDÁVEL Na avaliação de Mário, “essa pastoral contribui para o resgate da cultura sertaneja. A cavalgada, por exemplo, “conta” a história do nosso passado, além de ser um esporte saudável”. Mário, Gilmar e Sílvia de Matos participaram da cavalgada e da missa na Basílica Menor de Nossa Senhora Aparecida. São também ativos incentivadores do resgate das tradições populares. “Estamos nessa pastoral há um ano. É um trabalho árduo”, disse Mário Aparecido de Matos.


16

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

Nova Granada

Catequese descentralizada na Paróquia São Benedito Imagens: D.H.

Pe. Gonzaga, Maria Aparecida, Maria Lúcia e Cleusa Maria - Pastoral Litúrgica e Catequistas

Da Redação Durante 20 dias, cerca de 40 catequistas da Paróquia São Benedito, de Nova Granada, fizeram visitas, de casa em casa. Foi mais um trabalho de evangelização das santas missões populares no ano 2011. “É o novo jeito de ser da Igreja. A nossa catequese não é mais centralizada. É ir de casa em casa. É uma catequese renovada”, disse o padre José Aparecido Gonzaga. Os catequistas da paróquia são preparados para as santas missões. “Semanalmente nos reunimos, sempre na segunda-feira. Temos, em média, 70 catequistas”, revelou. Padre Gonzaga diz: “Uma rede de comunidades bem estruturada proporciona uma igreja viva, dinâmica. Temos, em Nova Granada, 30 comunidades (15 na cidade e 15 na área rural)”. Para o pároco granadense, “sair de uma pastoral conservadora para uma pastoral descentralizada é

um desafio muito grande”. CENTENÁRIO A Paróquia São Benedito participou ativamente do centenário de fundação de Nova Granada. “Esta comemoração foi uma iniciativa da professora doutora Hygia Therezinha Calmon Ferreira. Houve apoio da Prefeitura, entidades, escolas, professores e lideranças. Em 2011, foram realizados inúmeros eventos, um deles a homenagem a pessoas que contribuíram para o desenvolvimento da cidade, Entre os homenageados, o nosso bispo Dom Paulo Mendes Peixoto, o padre Alexandre dos Castores. Também recebeu diploma o jornal Diocese Hoje, representado por Della Latta, pelo apoio e divulgação do centenário e de outros acontecimentos de Nova Granada”. Padre Gonzaga diz que ocorreu uma feliz coincidência. “O tema de evangelização deste ano – Eucaristia, fonte de Missão – com o ano celebrativo em

Nova Granada. “Tudo que é feito para o bem do ser humano, para o bem da natureza, para o bem de uma cidade e para o bem de todas as pessoas é Eucaristia. Por essa razão, quero parabenizar a professora doutora Hygia e sua equipe e os que colaboraram para as celebrações do 100º aniversário de fundação de Nova Granada”.

Paróquia de São Benedito, Nova Granada.

Primeiros passos de uma realidade diocesana Segundo declaração de Dom Anuar Battisti, arcebispo de Maringá, presidente da Comissão para o Diaconato Permanente, na 49ª Assembléia Geral da CNBB de 04 a 13 de maio de 2011,em Aparecida, o diaconato permanente não é uma imposição da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) nem da Igreja no Brasil, mas uma proposta que pode receber a adesão de qualquer diocese. “O bispo está totalmente livre para decidir se terá ou não diáconos permanentes na sua diocese”, explicou. “Os diáconos permanentes estão para somar na igreja e não tomar o lugar de padres, cabe aos clérigos ordenados diáconos, estar nas comunidades para coordenar trabalhos e dar assistência às comunidades. Não cabe a eles tomarem lugar de padres, mas somar para a vida da Igreja”. “Eles são responsáveis por realizações de batizados, proclamação do Evangelho, assistência e bênçãos de matrimônios. Na comunidade, o diácono pode trabalhar na assistência social, mesmo sendo isento da política partidária, pode trabalhar na vida política e econômica e em todas as tarefas que possam somar na vida da sociedade que ele está inserido”. Esta linha de raciocínio, e compartilhada por Dom Paulo em nossa diocese, quanto a adequação ao serviço eclesial junto aos padres, para ajustar ações pastorais comunitárias que auxiliam as dinâmicas paroquiais. Com a criação da escola diaconal, ordenação e inserção deste ministério na diocese, ainda há desconhecimento e duvidas das ação dos neo diáconos nas comunidades por ser uma realidade nova na igreja diocesana. Apesar de estar muitos anos caminhando com a comunidade, dirigindo pastorais e movimentos ao serviço da igreja, a condição de ordenado trás uma forma diferente de encarar o “serviços” ao qual estava acostumado como leigo. Esta mudança, causou certo “travamento” na caminhada dos neo diáconos, não só pelo aspecto da mudança da vida particular em família, mas também pela convivência na própria igreja, com a

“Jesus virá uma segunda vez. Nós professamos isto. E que nessa segunda vinda, todos tenham vida digna; que todas as pessoas tenham onde morar, tenham emprego, que o nosso mundo seja cada vez mais cheio de amor de Deus, da paz de Deus, de justiça, de fraternidade, de alegria”.

“Que neste Natal se renove a vida nos nossos corações. Que essa presença maravilhosa de Jesus transforme a vida de cada um de nós, de nossas famílias; e que nós dê paz e nos traga as bênçãos de Deus. Que 2012 seja um ano de muitas bênçãos para todos os nossos diocesanos”

Padre Gonzaga

Marcos Cavaline

Dom Anuar Battisti.

expectativa da novidade. Superada esta fase, foi criado o CDDP – Conselho Diocesano do Diaconato Permanente, reconhecido pelo CND – Conselho Nacional dos Diáconos da CNBB, e CND do sul 1, aos quais pertence a nossa diocese. Foi criado o Calendário Anual Diocesano, destacando as datas de referencia ao diaconato permanente, sendo a formação; a celebração do dia do diácono, 10 de agosto, dedicado a São Lourenço, padroeiro dos diáconos,e o retiro anual, que é o ponto de referencia para retomada de preparação espiritual, juntamente com as esposas. 2011, foi um ano de muitas atividades com destaque ao ministério palavra celebrativa e outros serviços junto as comunidades e seus padres responsáveis, os quais tem acolhido o diaconato permanente com muito zelo e incentivo. Conforme desejo de Dom Paulo, a possível reativação da escola diaconal, estará buscando soluções e complemento do ministério deste serviço na diocese onde o maior direcionamento, destinado ao trabalho das pastorais sociais da igreja, realidade visível para o trabalho missionário orientado pelo CND da CNBB . Em nossa diocese a ação dos diáconos permanentes esta sendo direcionada também para esta realidade no serviço da palavra, caridade e liturgia, razão principal do ministério diagonal. Moitinho Colaborador


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

17

RIOLÂNDIA

Recém-ordenado assume paróquia de Riolândia O padre Rafael dos Santos, 26 anos, ordenado recentemente, assumiu a Paróquia Santo Antônio de Pádua, de Riolândia, e está conhecendo cada uma das 20 pastorais que funcionam na cidade. “Temos a certeza de que, no ano que vem, iremos trabalhar muito para fazer com que nossa paróquia possa dar passos significativos no encontro com Jesus”, disse. Ao falar de Riolândia, que tem cerca de 10.500 habitantes, declarou: “É uma cidade acolhedora, povo simples. As principais fontes de emprego são a Prefeitura, usinas, piscicultura, atividades agrícolas. Desejo a toda população de Riolândia e a todos que me acolheram um excelente Natal e um excelente Ano Novo! Aos 10 anos de idade, padre Rafael foi coroinha, depois catequista, vicentino e do apostolado da oração. “Teve uma caminhada junto com a comunidade da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, de Macaubal e Monções”, disse o padre Márcio, de Macaubal. “Quando ele manifestou o desejo de se tornar sacerdote, encaminhei-o ao Seminário Diocesano. Sempre procurei estar caminhando com ele (enquanto fazia cursos de Filosofia e Teologia, o Propedêutico) e sua ordenação, para mim e para toda a comunidade macaubalense-monçoense, foi uma alegria muito grande”. Uma caravana (três ônibus) viajou para Riolândia, no dia da posse do padre Rafael, na Paróquia Santo Antônio de Pádua. “Desejamos que a Sagrada Família de Nazaré – Jesus, Maria, José – possa estar abençoando toda Riolândia, Macaubal e Monções. Feliz Natal

O jornal “Diocese Hoje” acompanhou a posse do Pe. Rafael dos Santos, em Riolândia.

e um excelente 2012 a cada um”, disse o padre Rafael. ORDENAÇÕES O padre Rafael dos Santos foi um dos cinco ordenados por Iri-

neu Vendrami. Os quatro outros foram Diego Rodrigues Lopes, de Buritama; Luis do Nascimento, de Tanabi; Sílvio Donizete Delfino, de São José do Rio Preto; e Sérgio Gomes Machado, do Paraná.

Pe. Rafael no dia em que tomou posse.

Na foto pe. Márcio Roberto Martins dos Santos e pe. Rafael dos Santos

Pe. Diego Lopes reativa pastorais na Diocese de São José do Rio Preto O padre Diego Rodrigues Lopes, que assumiu a Paróquia Santo Antônio de Pádua/São José do Rio Preto, dias depois de ser ordenado (a ordenação ocorreu a 28 de agosto), está trabalhando na reorganização das pastorais que existiam, mas “com o tempo e a ausência de um pároco, foram se esfriando”. Dia 19 de novembro haverá assembleia paroquial para definir as ações que a Igreja de Santo Antônio vai desenvolver no ano que vem. Foi nessa paróquia que o padre Diego fez trabalho diaconal. “O bispo Dom Paulo Mendes Peixoto achou por bem me deixar nessa comunidade”, disse o sacerdote. Natural de São Paulo, padre Diego foi para Buritama com 7 ou 8 anos de idade. Ainda adolescente, descobriu a sua vocação. Entrou no Mosteiro de São José do Rio Pardo; terminou seus estudos no Seminário. Rezou a primeira missa na capela da Paróquia São João Batista, de Birigui, onde fez seu estágio, “Nessa capela, ajudei catequistas, participei de várias celebra-

Pe. Irineu Vendrami na celebração de posse em Riolândia.

Seminarista Rafael coordena Pastoral Familiar Diocesana O seminarista Rafael Dalbens, do 4º ano de Teologia, assumiu, há dois meses, a Pastoral Familiar Diocesana e o Projeto Família, que eram coordenados pelo padre Fábio Aparecido da Silva, pároco da Igreja são Sebastião/São José do Rio Preto. “Vamos dar continuidade aos trabalhos. É um trabalho bonito, bem organizado, valorizando a família diocesana”, disse Rafael.

Pe. Marcos, coordenador da região de Nhandeara, e Pe. Diego.

ções, conheci várias pessoas”, disse o padre Diego. Ele está na Cáritas Diocesana desde 2006. “A nossa igreja tem um trabalho social muito grande em Rio Preto e região. É uma ação organizada. A Cáritas me ensinou a trilhar a questão social.

Vi que o próximo é a criança marginalizada; é o jovem que está perdido nas drogas, no álcool; é o marido que agrediu sua esposa e se perdeu num vazio existencial muito grande”. Essa experiência na Cáritas também será importante no seu trabalho como pároco.

Para 2012, já estão programados retiros: um no dia 11 de março, aproveitando o tempo quaresmal; e outro, no fim de setembro. Ambos acontecerão na Casa do Clero. O seminarista Rafael está visitando paróquias, vendo as atividades de cada uma delas. “Depois, vamos desenvolver projetos”, declarou. A Pastoral Familiar Diocesana é dividida em setores: o pré-matrimonial reúne pas-

torais e movimentos envolvidos com o noivado, namoro, cursos de noivos, encontro de namorados (ajudam esses casais a se estruturarem, a pensar numa família); o matrimonial (encontro de casais e outros relacionados à família); de casos especiais (pastoral da segunda união e outras que tratam de casos especiais, que ficaram com o padre Fábio); o pós-matrimonial (continuidade da estruturação da família). “Também temos feito trabalho em conjunto com a Pastoral da Sobriedade”, revelou Rafael. Existe, na diocese, o Projeto Família, reunindo movimentos e pastorais que valorizam o trabalho com a família. Hoje, são quatro: Pastoral Familiar, a Renovação Carismática Católica, o Encontro de Casais com Cristo e as equipes de Nossa Senhora.


18

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

Rede Vida de Televisão

Inaugura Casa de Acolhida em RP Harley Pacola

1

Sistema Diocesano de Comunicação

Em 2011, a Rede Vida de Televisão, sediada em São José do Rio Preto, conhecida como o canal da Família brasileira, completou 16 anos de transmissão no ar. O fundador da emissora, o jornalista e radialista João Monteiro B. Filho, presenteou a cidade, no dia em que completou 73 anos (5 de novembro), com a inauguração da Casa de Acolhimento “Dom Luciano Mendes de Almeida”. Homenagem prestada ao arcebispo de Mariana, morto em 2006. O imóvel fica instalado a duas residências do Santuário e conta com amplo espaço de acolhida, terá capacidade para abrigar cerca de 100 peregrinos que vêm de todo o Brasil acompanhar as missas no Santuário da Vida. O lugar oferece descanso aos motoristas, tem dois sanitários e bebedouro. A inauguração contou com as presenças do prefeito de Rio Preto, Valdomiro Lopes e do ex-presidente da Anatel, Marcelo Coutinho. Antes da inauguração, foi celebrada uma missa de ação de graças presidida pelo arcebispo emérito de Botucatu e presidente do IMBRAC, dom Antonio Maria Mucciolo e concelebrada pelos bispos das Dioceses de Barretos (dom Edmilson Caetano), Catanduva (dom Otacílio Luziano da Silva) e de São José do Rio Preto (dom Paulo Mendes Peixoto). O padre Ernesto, da paróquia Nossa Senhora do Brasil de Rio Preto, também participou da cerimônia religiosa. O bispo dom Edmilson enalteceu mais uma obra da Rede Vida e a rica homenagem a dom Luciano. “ A importância dessa casa é o próprio espírito de acolhida que o Evangelho nos inspira; dom Luciano foi um bispo na sua excelência acolhedora, principalmente com as crianças e os mais pobres”, destaca. A sobrinha de dom Luciano, Maria Pia Mendes de Almeida, agradeceu ao João Monteiro pela homenagem, afirmou que o tio era extremamente carinhoso, embora sempre muito ocupado com seus afazeres. “ Meu tio era um grande conselheiro, deixou muitas saudades”, frisou. O irmão de dom Luciano, o advogado, professor, sociólogo e cientista político Cândido Mendes de Almeida se emocionou ao descerrar a placa comemorativa. “Meu irmão tinha um carinho muito grande por São José do Rio Preto, tinha profunda identidade de vida”, finalizou.

3) Cândido Mendes de Almeida. 4) Harley Pacola entrevista Dom Antonio Maria Mucciolo, arcebispo emérito de Botucatu. 5) Tapete na Casa do Acolhimento. 6) Os Bispos antes da celebração na Capela do Santuário. 7) Dom Otacílio, Dom Edmilson, Dom Antonio Maria e Dom Paulo. 8) Dom Paulo em rede nacional. 9) Fachada da Casa do Acolhimento no momento da inauguração.

2

3 5

4

7

6

9

8

ANIVERSÁRIO DE ORDENAÇÃO

ANIVERSÁRIO DE NASCIMENTO

02/12/04 03/12/44 03/12/93 05/12/96 05/12/96 06/12/80 07/12/74 07/12/86 08/12/79 08/12/86 08/12/00 08/12/00 08/12/93

Pe. Luiz Donizeti Caputo Pe. Luiz Carlos Martelo Pe. Gilmar Carvalho dos Santos Pe. Henryk Komenda Pe. Maurício José Manosso Rocha Pe. Jamil Serafim de Paula Pe. José Irineu Vendrami Pe. Natalício Nascimento dos Santos Pe. Manoel Brito Pedreira Pe. Adão dos Reis da Silva Pe. Salvador Aparecido dos Santos Pe. Nílson de Paula Resende

1) Monteiro de Barros Filho, o irmão de Dom Luciano, Cândido Mendes de Almeida, deputado Bolçone, e o Bispo Dom Paulo Mendes Peixoto na abertura. 2) Jornalista Monteiro de Barros Filho.

DEZEMBRO 02/12/58 08/12/50 09/12/76 09/12/55 09/12/76 10/12/58 14/12/57 16/12/70 26/12/45 29/12/77 30/12/68 31/12/69

LEGENDAS:

08/12/00

Pe. Alessandro Lopes Dom José de Aquino Pereira Pe. Márcio Roberto Martins dos Santos Pe. José Eduardo Vitoreti Pe. Ernesto Pedro de Oliveira Rosa Pe. Luiz Carlos Martelo Dom Orani João Tempesta Pe. Aparecido Donizete Marteli Dom Paulo Mendes Peixoto Pe. Carlos Rodrigues dos Santos Pe. Cleomar Bessa da Silva Pe. Denival Marques de Andrade Pe. Francisco do Bonfim Almeida de Souza Pe. Gerson Carlos Cavalin

08/12/62 08/12/86 08/12/00 08/12/00 08/12/05 08/12/00 08/12/05 08/12/77 09/12/88 09/12/88 10/12/88 11/12/92 12/12/86 12/12/98 12/12/04 13/12/91

Pe. Jarbas Brandini Dutra Pe. Luiz de Souza Dias Pe. Luiz Rogério Morelli Pe. Marcos Antônio Figueira da Silva Pe. Rodrigo Dionísio Pe. Rubens Carlos Severino Sobrinho Pe. Sander Marcos de Freitas Vieira Pe. Siro Silvestrini Pe. Geomar Alves dos Santos Pe. Mauro Ziati Pereira Pe. Sebastião Martiniano França Pe. Aparecido Domingos Barcellos de Paula Pe. Deusdet Aparecido Zanfolin Pe. Nílson de Paula Resende Pe. Douglas Cardoso Metran Pe. Leonildo Isauro Pierin

13/12/91 14/12/90 14/12/90 17/12/87 18/12/82 18/12/93 18/12/98 19/12/97 19/12/97 19/12/82 20/12/70 21/12/84 21/12/84 22/12/89 22/12/89 27/12/88

Pe. Sidney Roberto Martins Pe. Areovaldo Vieira de Souza Pe. Vicente de Paula da Silva Pe. Luiz Antônio Gouvêa Pe. Antônio Valdecir Dezidério Pe. José Carlos dos Santos Pe. Marcos Antônio de Oliveira Pe. Edvaldo Rosário Calazans Pe. Jair de Marchi Pe. José Irineu Vendrami Pe. Mário Ustaszewski Pe. José Luis Garcia de Albuquerque Pe. Nélio Joel Ângeli Belotti Pe. José Américo Alves Pe. José Antônio de Castilho Pe. Murilo Gomes da Silva


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

19

FÉ E POLÍTICA

8º Encontro Nacional de Fé e Política Da Redação

Bem Viver, tema do Congresso Fé e Política

O tema, “Fé e Política”, vem merecendo especial atenção de nossa Diocese; assim sendo, durante a “Fraternidade Presbiteral”, que aconteceu em 27 de Outubro de 2011, na Casa do Clero, com assessoria do Professor José Mário Brasiliense Carneiro (Presidente da Oficina Municipal - Escola de Cidadania e Gestão Pública - São Paulo), foram abordados vários tópicos a respeito desse importante processo. Para o “8. Encontro Nacional Fé e Política”, realizado nos dias 29 e 30 de Outubro de 2011, na Cidade de Embu das Artes - SP, foram 29 leigos e leigas de várias Paróquias da Diocese, coordenados pelo Padre Calazans (Paróquia São Vicente de Paulo - S.J.Rio Preto). O Encontro reuniu três mil e setecentas pessoas, vindas de todos os Estados do Brasil e, ainda, de outros países (México, Cuba, Bolívia e Nigéria), conforme informações dos organizadores do evento. O Tema Central do Encontro, “Em Busca da Sociedade do Bem-Viver: Sabedoria, Protagonismo e Política” , procurou fazer um resgate histórico da sabedoria dos povos Indígenas Aymara, Quétchua e Guarani, que numa caminhada milenar, buscaram uma Vida em Plenitude, em Harmonia entre o material e o espiritual, consigo mesmo e com a Mãe Terra. Esse tema foi aprofundado, com

Da Redação

Foto ilustrativa.

palestras ministradas por destacados membros de movimentos sociais, estudiosos, autoridades religiosas e públicas/políticas do país, e, também de lideranças de Povos Indígenas. Ainda, foram aprofundados temas específicos em 16 Plenárias Temáticas. Temas riquíssimos, como “Espiritualidade; Economia; Cidades; Ecologia; Matriz Energética; Sustentabilidade; Bíblia; Direitos Humanos; Trabalho; Ciência e Tecnologia; Criminalização da Juventude; Uso e Tráfico de Drogas; Gênero, Raça e Etnia; Ética e Democracia; Pessoas com Deficiência;

Meios de Comunicação”. O Movimento Fé e Política é Ecumênico, não confessional e não partidário, aberto a todas as pessoas. Nos participantes de maneira geral, a exemplo dos de nossa Diocese, o sentimento foi de “Graças Recebidas”, de estímulo e esperança, de busca da justiça, de valores cristãos, de Fé no Reino de Deus. Para reforçar e estimular a caminhada, vários participantes reuniram-se com o Bispo Dom Paulo, no Sábado dia 05 de Novembro, na Paróquia Santuário das Almas, para troca de informações, experiências

e discussões a respeito do Encontro, com o objetivo de formatar e prosseguir com esse movimento de cidadania em nossa Diocese. Ainda, na terça-feira dia 08 de Novembro, aconteceu outro encontro de participantes, na Sede da Diocese, com a presença de nosso Bispo Dom Paulo. A Diocese de S.J.Rio Preto terá um representante dentre os participantes desses encontros, no “16. Encontro de Políticos Cristãos”, que se realizará nos próximos dias 25, 26 e 27 de Novembro de 2011, na cidade de Dom Cavati, em Minas Gerais.

Diocese e Política

Tendo em vista os diversos incidentes e atitudes acontecidos na trajetória política da cidade de São José do Rio Preto, fatos que até nos deixam preocupados, temos incentivado uma conduta que seja marcada pelo processo de formação de nossas lideranças para o compromisso com a cidadania. Por iniciativa da Pastoral Fé e Política diocesana, com o objetivo de refletir sobre “que contribuição podemos dar no momento” para a cidade, como Igreja diocesana e como cidadãos cristãos, reunimo-nos com os padres que compõem as quatro Regiões Pastorais da cidade. Como bispo diocesano, juntamente com membros da citada Pastoral, participei das quatro reuniões. Foi momento forte para o “ver da realidade”, e de oportunidade para cada padre expressar, livremente,

sua opinião e considerações referentes à história política de nosso Município. Na visão de muitos, a Igreja não tem nada a ver com política. Até dizendo que política é para os políticos. E justamente por isso temos de nos submeter a uma classe política totalmente descompromissada com o bem comum. Sofremos as consequências e não tomamos atitudes de reação. Há razoável número de sacerdotes, cada um com seu jeito de ser, com sua formação política vindo da família, que tem também suas reações nos momentos oportunos. Mas uma coisa parece ter ficado clara nas discussões: temos que evitar ficar presos a este ou àquele político, que sempre nos usam para ter voto. Você poderá estar concluindo: por que tal padre faz determinada acepção, se o que o político faz, não está fazendo mais do que suas

obrigações de servir a comunidade? Estar preso a determinado político, numa dimensão de Igreja, é ameaçar a transparência da evangelização. Em particular, como cidadãos, podem acenar para um político considerado como “bom político”. Porém, fazer isso no púlpito é forçar a liberdade de escolha e de preferência da pessoa. No púlpito, sim, é lugar de formar as consciências, de mostrar as consequências de uma escolha politiqueira e irresponsável.

Das reuniões feitas, sentimos uma grande indignação por parte dos presbíteros com o que vem acontecendo. O que nos impressiona muito é que todos os políticos se dizem “cristãos”, e até representantes de Igrejas. Creio que todas as Igrejas sérias se sentem envergonhadas e até sujeitas a críticas por quem está de fora. Concluímos também a falta de

formação no nível Fé e Política, inclusive de nós padres. Por causa disso, ficamos muito dependentes e com trabalhos desarticulados. A sensação é que, como formadores de opinião, temos contribuído pouco na formação de pessoas e de cidadãos. Na verdade, não temos tido um posicionamento firme e claro, como Igreja e como Pastoral Fé e Política em relação aos acontecimentos nefastos da política local. Está faltando atitude profética para beneficiar a população. É preciso abrir os olhos para o bem comum. Não basta que a cidade tenha alto nível de desenvolvimento. Ela deve ter ideologia política e políticos comprometidos com o humano, abertos aos mais carentes, sem privilégios e grupos extremamente voltados para seus próprios interesses. O bolo da riqueza precisa ser mais repartido, favorecendo a todos e ao crescimento sustentável.

“Foi um encontro proveitoso, e também de muita alegria e muita música, disse Márcia Lima, do Santuário das Almas São José do Rio Preto, referindo-se ao Encontro Nacional de Fé e Política, que aconteceu no Embu das Artes, em São Paulo. “Eram quase 3 mil pessoas, do Brasil todo, e da nossa diocese participaram do evento 29 pesssoas. O tema foi Sociedade do Bem Viver. O frei Beto fez aplaudida exposição em uma das plenárias”, revelou Márcia. E o que é Bem Viver? Márcia diz: “Bem Viver não é viver com abastança, com muito dinheiro; é viver com aquilo que nós podemos ter; não é acumular bens. É viver de maneira lógica, de maneira saudável. Podemos, por exemplo, extrair madeira, mas somente o necessário para o bem viver; e nesse caso, a própria natureza se renova”. Na política, diz Márcia, “a preferência é preocupar-se com desvalidos, com os pobres e por aqueles que clamam por justiça. Defender essas pessoas é fazer política”. MARIANAS Lucinéia Oliveira de Almeida disse que, no território da nossa diocese, há 20 congregações marianas, em atividade. Ela coordena a Federação das Congregações Marianas da Diocese, que, recentemente, completou 77 anos de funcionamento. Suas reuniões são mensais, na Catedral, ou na Casa do Congregado Mariano, em Bady Bassitt. Maria Lima Pascom


20

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

2011

Ano de avanços na Pastoral Carcerária Da Redação

O coordenador diocesano da Pastoral Carcerária, Orlando Rosário Antoniazzi Azevedo, disse que 2011 foi “um ano de crescimento e de avanços. “Buscamos atender toda a população carcerária, levando o Evangelho e procurando ser a presença de Cristo nos presídios”. A pastoral faz visitas semanais ao Centro de Detenção Provisória (CDP), ao Centro de Progressão Penitenciário (CPP), e ao Centro de Ressocialização Feminino (CRF), estabelecimentos penais que funcionam às margens da BR-153, entre Rio Preto e Onda Verde. E realiza visitas eventuais à Penitenciária de Riolândia. “Estamos necessitando muito é da presença de padres. De janeiro até agora, não houve reza de missa nessas unidades prisionais, nem ministrados sacramentos”, declarou Orlando Azevedo. Em breve, esse problema será sanado. “Os padres Ernesto Pedro de Oliveira e José Vinci, além do frei Joel, estão se credenciando para realizar cerimônias nos presídios.” ARRECADAÇÃO A Pastoral Carcerária fez campanha e arrecadou mais de 200 bíblias

fotos: DH

Diácono Antônio Guerreiro

“Jesus libertou-me do vício”

Da Redação

Orlando Rosário Antoniazzi Azevedo e equipe da Pastoral Carcerária.

e cerca de mil outros livros, que serão distribuídos a detentos. “Temos uma caixa postal; recebemos muitas cartas, a maioria pedidos de orações, ajuda em questões processuais e aconselhamentos. Atendemos, também, solicitações para entrarmos em contato com seus familiares”, disse Orlando Azevedo. São fornecidos aos presos carentes kits de higiene (sabonetes, pasta dental, escova dental, barbeador, chinelos, papel higiênico). “Também são distribuídos ítens de trabalhos manuais (linhas, cola, palitos, caneta, papel, etc.)”, acentuou o coordenador da Pastoral Carcerária. “Muitas vezes, somos ques-

tionados: visitar prisão? Lá, estão ladrões, sequestradores. Respondo: Mas, o que Jesus faria? Ele visitaria esses presos, e é o que nós fazemos. Vamos visitar o ser humano que está cumprindo pena; um dia ele voltará ao convívio social”, disse.Orlando Antoniazzi. Para Rafael Vicente de Melo, que há um ano trabalha na pastoral, “foi uma experiência válida; e faço essa recomendação: venha fazer essa experiência”. O seminarista Michel Henrique Candeo disse: “É uma experiência positiva e rica. É uma forma de apoiar, humanizar, escutar e levar o Cristo ao meio deles”.

Pastoral Carcerária da Diocese de São José do Rio Preto/SP Como serviço da Igreja Católica Apostólica Romana, por seu mandato primordial de serviço humano-religioso aos encarcerados, a Pastoral Carcerária procura ser a presença e referência de Jesus Cristo e da Igreja no mundo do cárcere e na sociedade, no que concerne à realidade do sistema prisional e de todas as pessoas envolvidas nas questões carcerárias. Todo o seu trabalho é realizado com base em duas dimensões, intimamente ligadas mediante um modelo pedagógico, ou seja, evangelizar na prática do amor fundado no amor divino, concretizado em Jesus Cristo, e construir

cidadania,fundamentada nas convenções internacionais de direitos humanos da ONU e assinadas pelo governo brasileiro como princípios constitutivos do estado de direito da sociedade brasileira. Interligando e otimizando sua ação, a Pastoral Carcerária pratica uma pedagogia de mediação de amor ao ser humano, de construção de sua cidadania em vista de sua integridade, integralidade e totalidade. É a mais gratuita de todas as pastorais. Ela representa, de maneira admirável, a imagem de Jesus que vem salvar e morrer sem nada receber. Como presença da Igreja nos cárceres, ela procura repetir conti-

nuamente a indagação: O que Jesus faria ou diria nessas situações? Como trataria essas pessoas? Portanto, sua ação torna-se parte integrante da atividade missionária da Igreja, constituindo um dever pastoral para todos os cristãos. Esse compromisso da Pastoral Carcerária faz meditar as admiráveis palavras do Profeta Isaias: “Eu, o Senhor, te chamei com justiça, e tomei-te pela mão; eu te formei e te fiz como aliança do povo, como luz das nações, a fim de abrires olhos cegos, tirares do cárcere os presos e da masmorra os que moram na escuridão”. (Is 42,6-7)

Diácono permanente há dois anos, Antônio Guerreiro Rodrigues, de Tanabi, diz que foi alcoólatra e “Jesus me conquistou através da renovação carismática; eu me libertei do vício quando encontrei Jesus”. Chegava a consumir 5 litros de pinga, por semana, além de duas caixas de cerveja e dois litros de conhaque. “Hoje, nem vinagre!” Casado, dois filhos (um deles, de 30 anos, pós-graduado em Direito; e o caçula, de 22 anos, faz o último ano de Engenharia de Computação). Sua esposa, Maria Isabel, cursa o quinto ano de Psicologia. Antônio Guerreiro Rodrigues trabalha na Secretaria da Segurança Pública (agente policial numa Delegacia de Polícia), em Tanabi. “O diácono assiste os padres e os bispos e temos nossas funções batizados, casamentos, bênção de família, de casa, do comércio, além de trabalhos pastorais”, revela o diácono. “Em Tanabi, coordeno o projeto família, sou diretor espiritual do “ECC, membro do dízimo, membro do Conselho Administrativo e trabalho com todas as pastorais. O diácono está sempre a serviço da Igreja de Cristo”. Ele participou, no ano passado, do 16° Congresso Eucarístico Nacional, em Brasília, onde “ficamos 4 dias confinados em oração”. O tema do congresso foi “Eucaristia, Fonte de Missão”. O diácono diz: “É através da Eucaristia que a Igreja se move”. Dia 25 de setembro, foi realizado o Eucaristia Fest, em Jaci, reunindo paróquias vizinhas. O evento aconteceu no recinto da Festa do Milho, com a Santa Missa e outras celebrações, além de apresentações artístico-culturais.

Diácono Toninho


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

21

Craf atendeu 90 pessoas em 2011 Da Redação O Centro de Reeducação e Atendimento da Família (Craf), instituição ligada à Cáritas Diocesana, à Secretaria Municipal da Mulher e à Paróquia Menino Jesus de Praga, atendeu cerca de 90 pessoas de janeiro a novembro deste ano. “O trabalho restringe-se ao atendimento a homens processados criminalmente na Comarca de São José do Rio Preto por violência dentro do lar. São encaminhados ao Craf pelo Poder Judiciário”, disse o diácono e promotor público Aristides Pereira dos Santos. O atendimento multidisciplinar é feito com psicólogos e assistentes sociais contratados pela Cáritas. “Nos homens que atendemos é visível a mudança no comportamento, na maneira de agir, de falar dentro da família e dentro do trabalho”, declarou o diácono. “Há casos em que homens que estavam separados de suas mulheres ou companheiras, e tendo a necessidade de estar com Deus e a necessidade da oração, voltaram para suas famílias. Isso é motivo de satisfação para nós.” O apoio espiritual aos atendidos é dado nos encontros de valorização da vida e da família, por meio do trabalho das pastorais da Catequese e da Família, da Paróquia Menino Jesus de

PREVENÇÃO

Dom Paulo celebra com a Pastoral do Menor

Diácono Dr. Aristides.

Praga. O diácono Aristides é o coordenador da Pastoral da Família. “Nesse trabalho, falamos da espiritualidade, da necessidade de ler e estudar a Bíblia, da necessidade da oração, de viver vida feliz, mas com Deus e sem violência”. Quem utiliza desse atendimento é o homem que agride a mulher verbal e fisicamente. “O número deles é alto. Atendemos, este ano, cerca de 90 pessoas, mas tem muitas mulheres que não

denunciam seus maridos por questão econômica, de dependência financeira ou por medo de represálias por parte do próprio marido.” Os atendidos são pessoas de diferentes classes, a maioria da classe mais humilde, mas há empresários e profissionais liberais. A área de ação do Craf restringe-se a São José do Rio Preto (existe parceria firmada entre o Craf, o Poder Judiciário e o Ministério Público).

Sorvete assado faz sucesso em Bonifácio

O sorvete assado é o produto mais vendido no Palácio do Sorvete, de José Bonifácio. A mistura vai para o forno, sai crocante e é servido gelado. Também são assadas a macarronada de sorvete e feijoada de sorvete. O estabelecimento ainda oferece, para sua clientela, os sorvetes tradicionais (sundae, ula-ula, vaca-preta, os de fruta, etc.) Há, também, os dietéticos. Instalado há três meses e meio, o Palácio do Sorvete é administrado por Wellington Amadeu Ferreira. “Nossa

família tem 75 sorveterias no Estado de São Paulo, mas cada uma delas com gerência própria”, diz Wellington, que veio da estância São Pedro com sua mulher Talita. “Nossos preços”, diz o empresário, “são acessíveis a todos os bolsos. Esse tipo de sorvete (o assado ou ao forno ou frito) surgiu na região há cerca de 10 anos. No estado de São Paulo, existe há menos de 20 anos.

Palácio dos Sorvetes

Rua 9 de Julho nº 900 - Fone: (019) 9794-1150 - José Bonifácio/SP

A equipe da Pastoral do Menor celebrou uma missa de ação de graças no dia 23 de novembro as 18h30, na Casa Semi-Liberdade. A celebração foi presidida pelo bispo dom Paulo Mendes Peixoto. A cerimônia religiosa contou com a presença de várias autoridades do município, dos assistidos e seus familiares, membros do GADA, da Fundação Casa, participação de funcionários e diretores da Casa Semi-Liberdade e Missionários da Comunidade Vox Dei. A Celebração foi em ação de graças pelos trabalhos realizados e pela parceria da Pastoral do Menor na colaboração com a Casa Semi Liberdade. Objetivos e Metas: Evangelização e Construção da Cidadania. A Pastoral do Menor da Diocese de São Jose do Rio Preto, como serviço da Igreja Católica Apostólica Romana, por seu mandato primordial de serviço humano-religioso aos adolescentes em cumprimento de medida sócio-educativa de internação, aos egressos, e por sua opção preferencial pelos mais necessitados, quer ser uma presença e referencia de Jesus Cristo e da Igreja na sociedade, no que concerne a realidade dos estabelecimentos educacionais e de todas as pessoas envolvidas com as questões da medida privativa da liberdade.

O programa de Assistência Religiosa da Pastoral do Menor realiza-se a partir das duas dimensões de seu trabalho, intimamente interligadas mediante a um modelo pedagógico: 1. Evangelização na pratica do amor divino, concretizado em Jesus Cristo. 2. Construção da Cidadania, baseada nas convenções internacionais de direitos humanos da ONU e assinadas pelo Governo Brasileiro como princípios constitutivos do estado de direito da sociedade brasileira. Interligando e otimizando sua ação, a Pastoral do Menor pratica uma pedagogia de mediação de amor ao ser humano, de construção de sua cidadania em vista de sua integridade, integralidade e totalidade. Avaliamos que, por tudo isto, podemos ser pessoas de confiança para os internos e seus familiares, bem como para todos os funcionários e autoridades que assumem a ética sincera. Por esta aproximação de paz e moralizante pensamos poder contribuir para a implementação de experiências de uma moral de co responsabilidade e respeito mutuo e para a conquista de uma cidadania não infratora. Odair Jose Boldino

coordenador Diocesano da Pastoral do Menor

PALÁCIO DOS SORVETES deseja a todos os moradores de José Bonifácio e região um feliz Natal e um Ano Novo de muita paz e saúde


22

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

Equoterapia/Bichoterapia

Saúde mental, emocional e física Da Redação Instalada há 7 anos, em Votuporanga, a Clínica de Equoterapia, que funciona no Haras Dal Bem reabilita crianças portadoras de necessidades especiais e pessoas com comprometimentos físicos, mentais, emocionais e outras disfunções neurológicas, como sequelas de acidente vascular encefálico. O cavalo, com seus movimentos, ajuda a melhorar o equilíbrio, a coordenação motora, a postura. “Temos crianças de 1 ano a idosos com 60 anos”, disse a fisioterapeuta Adriana Dal Bem, responsável pela Clínica de Equoterapia de Votuporanga. A equipe multidisciplinar da clínica é constituída de fisioterapeuta, professora de equitação, fonoaudióloga, psicóloga, auxiliar-guia. “Desenvolvemos atividades lúdicas, de alongamento, de coordenação motora de equilíbrio.” Crianças se tornam mais disciplinadas, adquirem equilíbrio físico e mental por meio do contato direto com o cavalo. Ganham confiança, deixam de ser agressivas, perdem a timidez e são mais responsáveis na realização de tarefas escolares e nos demais compromissos. É um tratamento caro por envolver equipe multidisciplinar; há também o cavalo que precisa de acompanhamento veterinário, alimentação adequada. “O instrumento de trabalho é, principalmente, o cavalo”, explica Adriana. A Clínica de Equoterapia também atende alguns pacientes sem recursos. Um de seus alunos, Luciano de Camargo, portador da Síndrome de Dow, destacou-se na prova dos 3Tambores. “Comecei a mostrar para o público os benefícios da Equoterapia. Estivemos em Valentim Gentil, Fernandópolis, Jales, Parise, Álvares Florence, Votuporanga e outras cidades fazendo demonstrações em rodeios e torneios, provando que pessoas com essa síndrome são capazes de fazer alguma coisa”, revelou Adriana. Por causa de uma dívida, ela pretendia fechar a clínica, mas por sugestão de amigos (autoridades, organizadores de rodeios, peões, locutores de rodeio), Adriana realizou duas cavalgadas em prol da clínica. Pagou a dívida, colocou piso, comprou impressora. No dia 24 de julho, realizou a terceira cavalgada. “Com essa renda estamos construindo uma cozinha, dois banheiros para deficientes

Fotos e textos: DH

Bichoterapia: fazem parte do Haras cachorro, minivaca, minipônei, jumento, pavão, peru (por causa do som que as crianças gostam muito)

Drª Adriana com a equipe de equoterapia.

Drª Adriana no Haras Dal Bem.

A psicóloga mostra os objetos que utiliza em seu trabalho.

O garoto Mateus praticante de equoterapia e equipe de Drª Adriana.

Fono-Simone Ramalho, fisioterapeuta Adriana Dal Bem e a psicóloga Mariani Grippi com o paciente Eriberto.

e varandas para o refeitório. Nessa cavalgada, participaram 800 cavaleiros, e no almoço, estavam presentes cerca de duas mil pessoas”. Pelo sucesso desses eventos,

Haras Dal Bem.

surgiu o convite do padre Ademir da Paróquia de São Cristóvão, de Votuporanga, e do seminarista Rivaldo Alves, de Poloni, para organizar uma cavalgada para a juventude. Nessa cavalgada – a de São Cristovão – participaram 100 cavaleiros. Bichoterapia Ao abrir a Clínica de Equoterapia, Adriana introduziu a “Bichoterapia” para crianças. “Elas poderiam ter receio do cavalo que é um animal de porte grande. Tínhamos coelho, galinha e outros animais. Hoje, temos cachorro, minivaca, minipônei, jumento, pavão, peru (por causa do som que as crianças gostam muito). Em São Paulo, fiz curso

de Bichoterapia”, diz Adriana. No Haras Dal Bem, há utensílios antigos, como o fogão de assar pão, forno a lenha, ferro de passar roupa, que usa brasa; moinho de moer café, canga de boi, tear, carro-de-boi, balaio e outras peças antigas. “Somos prestadora de serviços da APAE de Votuporanga. Atendemos 20 crianças dessa associação. Temos vagas gratuitas para 2 crianças do Recanto da Tia Marlene, uma para Valentim Gentil, uma para a Associação dos Deficientes Visuais e Auditivos, e outras vagas gratuitas. Trabalhamos terça, quarta e quintas-feiras, das 8 às 18 horas”, revela Adriana.

Opção pela Equoterapia Adriana, ao iniciar o curso de Fisioterapia no Centro Universitário de Votuporanga (Unifev), pretendia montar uma clínica de estética, mas também manifestava intenção de trabalhar com crianças, pessoas com problemas neurológicos e na área geriátrica. Nessa época, acompanhava sua sobrinha Andréa Dal Bem nas prova de 3 Tambores, representando o Haras Dal Bem. Antes de receber o diploma, professores e amigos insistiram para que ela instalasse uma Clínica de Equoterapia, pois já existia o Haras da família. Foi o incentivo que faltava para Adriana partir para a Equoterapia.


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

23

Padre José Preza, 90 Anos

“Trabalhamos para Deus” Da Redação O padre José da Conceição Preza completou 90 anos em 22 de novembro. Houve comemoração (almoço, cujo prato principal era uma bacalhoada) à qual estavam presentes Dom Paulo Mendes Peixoto, padre Irineu Vendramini, padre Guido Bogotto, padre Fábio Aparecido da Silva Dunge (anfitrião), diácono Moitinho. Padre Preza é o segundo mais idoso da nossa diocese. O primeiro é o padre José Riva, que completou 94 anos em junho passado. Natural de Portugal, onde ordenou-se sacerdote em 1947, padre Preza chegou a São José do Rio Preto no dia 13 de agosto de 1975. Veio a pedido então bispo Dom José Aquino Pereira, que esteve em Portugal, onde solicitou padres para a nossa diocese. Hospedou-se no Palácio Episcopal até ser nomeado, em 10 de novembro, para a Paróquia Santa Terezinha. Em meados do ano seguinte, foi transferido para Bady Bassit, onde permaneceu 8 anos e meio. Nesse período, serviu, cumulativamente, como coadjutor do padre Boaventura (falecido) na comunidade do Santuário de Fátima (Jardim Nazareth). Depois, assumiu a Igreja N. Sra. do Carmo (Vila Azul, bairro de São José do Rio Preto). “Não havia casa para o padre. Fui morar numa escola rural desativada”, disse. Ele aproveitou um antigo salão de festas para construir uma sala e dois quartos. E reformou cozinha e banheiros existentes. “Nessa casa paroquial, vivi muito bem”. A capela não tinha alicerce. Foi reconstruída. “Em Vila Azul, começamos do zero”, diz o padre Preza. Editou o jornal “Gente do Bairro-Vila Azul” por mais de 20 anos. Nessa publicação,

Pe. Preza mostra o jornal que ele editava na Paróquia Nossa Senhora do Carmo, Vila Azul.

anunciava programas de novenas, festa da padroeira, missas, procissões, quermesses, além de artigos sobre assuntos diversos. Agora, padre Preza está “hospedado e bem” na Casa do Clero (distrito de Engenheiro Schmitt/São José do Rio Preto).

Aos 90 anos, 64 anos de serviço sacerdotal, dos quais 36 anos prestados à nossa diocese, diz: “Continuarei trabalhando até quando Deus quiser”. Ele ainda presta assistência “ao bom povo de Vila Azul” aos sábados e domingos.

Padre José Preza - Natural de Viana do Castelo (região do Alto Minho), Portugal. - Nascimento: 22 de novembro de 1921. - Frequentou cursos de Filosofia e Teoloqia no Seminário Conciliar de Braga (Portugal). - Celebrou a primeira missa no Santuário Nacional de N. Sra. da Conceição (Monte Sameiro-Portugal). - Chegou a São José do Rio Preto a 13 de agosto de 1975. - Trabalhou na Paróquia Santa Terezinha, Paróquia de Bady

Bassitt, Santuário de Fátima e na Igreja N. Sra. do Carmo (Vila Azul). Frases - ”Sempre quis ser padre; brincava de ser padre. Aos 9 anos e meio, fui para o Seminário dos Jesuítas, em Guimarães (Portugal); depois, para o Seminário Diocesano de Braga.” - “Com 21 anos, fui ordenado. Assumi Paróquia quase na fronteira com a Espanha. Depois, capelão da Igreja N. Sra. da Caridade. Em 1975, de Portugal fui direto para São José do

Rio Preto” . - “Mons. Nafria, que era espanhol, e eu entendíamos muito bem. Brincávamos até. E mons. Nafria, para muitos, era um padre sério, mas todos reconhecem que ele trabalhou muito nesta diocese.” - “Não me arrependo de ser padre. Trabalhamos para Deus”. - Minha mensagem natalina: “Natal, para mim, é uma festa poética. Parece que o céu está na terra. Para as pessoas que me ajudaram, digo: não posso pagá-Ias; nunca as esquecerei. Vocês também trabalharam para Deus”.


24

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

Cursilho de Cristandade realiza o 144º Encontro Masculino

O Movimento de Cursilhos de Cristandade da diocese de São José do Rio Preto, realizou, de 18 a 20 de novembro, o 144º Cursilho Masculino, contando com participantes das cidades de Cedral, José Bonifácio, Monte Aprazível, Palestina, Poloni e São José do Rio Preto. Que os novos cursilhistas, alimentados pela Graça e movidos pela ação do Espírito Santo, possam fecundar os seus ambientes e a vivência do Fundamental Cristão com o Evangelho – que significa viver

a Graça, Vida Divina em nós, realizando o Plano de Deus, anunciando seu Reino e seguindo a Cristo! O Movimento de Cursilhos de Cristandade oferece aos leigos, através das formas e do processo dinâmico de pós-cursilho, os meios para que se cumpram o que se lhes exige como membros da igreja: a vocação à santidade; a participação na comunidade; a evangelização. O Pós-Cursilho se destina a ajudar os leigos a observarem essas exigências, na medida em que se esfor-

çam para alcançar a finalidade última do Movimento: “criar pequenas comunidades que inundem de Evangelho os ambientes”. E, como auxílio ou suporte para essas Pequenas Comunidades, tem as Reuniões de Grupo, as Ultreias Mensais ou Assembléias. As prioridades do Movimento de Cursilhos são: Formação integral; Busca dos batizados afastados; Jovens; Pastoral Urbana (e, no contexto da Pastoral Urbana, os Meios de Comunicação Social).

Paróquia Bom Pastor e São Sebastião do Eldorado

Serviço Social atende 400 pessoas por semana

A paróquia Jesus Bom Pastor e São Sebastião trabalha com seu Serviço Social que, em média, atende gratuitamente 400 pessoas por semana. Criou-se, em parceria com a Casa da Cultura, um núcleo de artes no local (Núcleo de Artes Santa Cecília), no qual o Serviço Social aulas de violão, teclado e ballé. A Secretaria de Esportes mantém professor de karatê e há também aula de percussão. Além desses atendimentos, o Serviço Social conta com um assistente social que faz o mapa sócio-econômico das famílias, fortalece os vínculos familiares e comunitários das pessoas assistidas. O atendimento psicológico, em parceria com a Faculdade Faceres, que fornece os estagiários e ainda há dois psicólogos que atendem como voluntários. Outra atividade é a oficina de bordados para senhoras da terceira idade, uma maneira de ocupar o tempo ocioso. Oficina de Santa Rita - confecciona enxoval de bebês para mães carentes da comunidade, mediante apresentação da carteirinha do SUS, comprovando

a presença da mãe no pré-natal. A arte de cuidar voltado para a saúde da mulher, cuidados com a casa, culinária, e administração doméstica. Todos os cursos são gratuitos. É necessário passar por uma entrevista com o assistente social com a finalidade de identificar as questões sociais que envolvem a família interessada. Para se informar sobre as vagas dos cursos, ligue (017) 32173346, ou e-mail servicosocialeldorado@yahoo.com.br ou direto no local: Avenida Tanabi, 3291 - Eldorado, segunda à sexta das 8 às 12 horas e das 14 às 17:30 horas.

Voluntários abrem diálogo em escolas públicas no combate às drogas O trabalho já foi realizado para alunos da 5ª a 8ª Série e do 1º ao 3º Colegial, da escola Bady Bassit, em Rio Preto. Cerca de 400 alunos participaram de palestras e apresentações. No dia 5 de dezembro, o grupo inicia trabalho na escola estadual Noêmia Bueno do Valle, também em Rio Preto. Uma série de palestras vem sendo realizada por um grupo de voluntários com o objetivo de alertar a juventude sobre o problema das drogas. De maneira didática, o grupo, formado por católicos, vem semeando, no coração de jovens que estudam em escolas públicas, o gosto pela vida sem entorpecentes. O coordenador do trabalho, Adair Medeiros dos Santos, autor do livro O AMOR É MAIOR QUE TUDO, que trata sobre o tema. A prevenção começa dentro de nossas casas e a nossa felicidade depende do esforço que fazemos para consegui-la. Precisamos saber lutar por nossa felicidade. E para encontrar esse caminho temos que parar e refletir.O que queremos? O que esperamos de nosso futuro?Como queremos viver daqui a 1, 2..., 5...,10 anos?Pode ter certeza: o seu futuro depende do que você fizer hoje. Tudo que é duradouro demanda esforço, sacrifícios e até lágrimas. Não vamos pensar que podemos enganar o futuro. O tempo acaba revelando o que somos e tudo o que fazemos,

e o que fazemos irá nos colocar no mundo real e o mundo real é bem diferente das fantasias que, muitas vezes, nós vemos, principalmente, nas novelas e filmes a que assistimos. A realidade que a maioria do povo vive não é a realidade vivida por artistas, cantores e pessoas que fabricam histórias para vender audiência de programas de televisão. Por isso devemos parar e refletir sobre o que queremos para nossa vida. Que valores são importantes na nossa vida? Este livro nos leva nessa direção. Aqui encontramos várias respostas e situações que esclarecem o assunto. O caminho não é fácil, e entender a situação não resolve o problema. Vamos encontrar vários casos que podem nos ajudar a refletir. Essas situações servem para uma reflexão em família sobre qual educação estamos dando aos nossos filhos e também para analisarmos em que direção está indo a “Moral” que achamos adequada a nós e nossos familiares. É preciso confrontar com a “Moral” pregada pelos meios de comunicação, especialmente as TV’s com seus programas do tipo Big Brother Brasil – TV Globo (BBB), novelas, filmes e até comerciais e

propagandas que incentivam o ter e o prazer como as únicas coisas que devem ser buscadas pelos indivíduos. MARIO WELBER O jornalista Mario Welber é um dos voluntários do trabalho. Ele ministra palestra sobre sonhos e desafios para a juventude do século XXI. “O que está colocado para o jovem hoje é um desafio nunca antes visto. Sozinho, ele não vai conseguir transpor as barreiras das drogas e de outros problemas pessoais.” O jornalista ainda cita a participação da sociedade neste processo: “a escola, a comunidade e principalmente a família precisam estar integradas, assim, nem por curiosidade seus jovens experimentarão qualquer tipo de droga”. Padre Haroldo, criador do Amor Exigente no Brasil, escre-

veu o Prefácio 1 do livro e disse: Este livro trata do tema prevenção. Ajuda pessoas que usam drogas e acabam por cair no poço da adicção. Aqueles que usam álcool e outras drogas para recreação aqui aprenderão se estão praticando autocontrole ou se estão de pé no precipício deste mal. Poderá ser utilizado por profissionais, ex-adictos ou não, que trabalham no apostolado do tratamento. É destinado a pessoas de qualquer idade, comunidade ou cultura. Os depoimentos, questionários, a carta do Presidente da República e os escritos sobre traficantes, as perguntas dos filhos para os pais, a descrição dos tipos de drogas e, afinal, a lista das comunidades terapêuticas e outros apoios, como o Narcóticos Anônimos (NA), os Alcoólatras Anônimos (AA) e o Amor Exigente (AE), têm muito valor. Haroldo J Rahm, SJ Presidente de APOT – Instituição Padre Haroldo – Para alcoólatras e toxicômanos de ambos os sexos – Tel. (19) 3794-2500 – Campinas – São Paulo – Brasil - Fundador do Amor Exigente no Brasil - hrahmsj@yahoo.com - http://www.padreharoldo.org.

br/capa/ A Psicóloga Clínica, Cristiane Calvo diz o seguinte a respeito do livro: Vivemos numa sociedade e numa época em que o tempo dedicado ao trabalho cresce e que os interesses econômicos, a busca desenfreada para se adquirir bens, assumem uma grande importância. Somos empurrados pela mídia a consumir e, quanto mais consumimos, mais precisamos trabalhar. Assim, a família e os valores humanos são relegados a um segundo plano. O que dá prazer é comprar, possuir, satisfazer todos os desejos, etc. A felicidade é medida pelo número de objetos que obtemos, pelo que fazemos e usufruímos. O livro de Adair Medeiros nos oferece, além de uma leitura gostosa e coloquial, reflexões imprescindíveis para os dias atuais, para a prevenção da droga e da criminalidade, focando o amor, a religiosidade, a reunificação e o fortalecimento das relações familiares. Atitudes simples que fazem a diferença no mundo e na vida de todos nós. Um livro esclarecedor e acessível para qualquer pessoa que se interesse pelo tema: pais, filhos, jovens, educadores, profissionais da área da saúde, etc. Adair Medeiros dos Santos 17.3225.2731

Site do livro: www.oamoremaiorquetudo.com.br


CADERNO ESPECIAL DOM JOSÉ DE AQUINO PEREIRA JORNAL

CIRCULAÇÃO NACIONAL

DIOCESE DE SÃO JOSÉ RIO PRETO/SP

NOVEMBRO E DEZEMBRO/ 2011 E JANEIRO/2012

O ADEUS A DOM JOSÉ Dom Paulo decreta luto de 7 dias

Relação dos Papas na era Dom José desde 1.920

BENTO XV - Génova 1914/1922

PIO XI - Milão 1922/1939

PIO XII - Milão-Roma 1939/1958

JOÃO XXIII - Sotto Il Monte - 1958/1963

PAULO VI - Concesio 1963/1978

JOÃO PAULO I - Belluno - 1978/1978

JOÃO PAULO II - Polônia BENTO XVI - Alemanha - 1978/2005 2005/atual

O V I S

U L C EX

Notável evangelizador e hábil administrador Acompanhe nesta edição a trajetória de Dom José


PIO XI - Milão - 1922/1939

fala da recuperação do patrimônio da Igreja: “Após saldar nossas dívidas, era necessário organizar-nos na caminhada diocesana. Precisávamos de recursos, principalmente para a manutenção do Seminário. As famílias dos alunos não podiam contribuir, e sempre continuaria assim. Naquele tempo, a zona rural

Gruta do Seminário Diocesano de São José do Rio Preto.

Basílica Nossa Senhora Aparecida.

estava florescente, com café, cereais e gado. Enveredamos por aí e fomos caminhando. Fomos adquirindo propriedades rurais: 1) O Cônego Luiz Salmaso recebeu da Itália, por herança de família, a quantia de cem mil dólares.Com eles comprou um sítio de dez alqueires em Tanabi e o doou ao Bispado. 2) Por herança testamentária

PIO XII - Milão-Roma 1939/1958

JOÃO XXIII - Sotto Il Monte PAULO VI - Concesio - 1958/1963 1963/1978

JOÃO PAULO I - Belluno 1978/1978

JOÃO PAULO II - Polônia 1978/2005

BENTO XVI - Alemanha 2005/atual

de um antigo Padre português aqui falecido, recebemos uma propriedade de 46 alqueires em Macaubal. 3) Adquirimos, em Tanabi, a fazenda Nossa Senhora Aparecida com 150 alqueires. 4) Adquirimos, em Votuporanga, uma propriedade de 70 alqueires. 5) Adquirimos a fazenda Fortaleza, no município de Monte Aprazível, com sete alqueires. 6) Na região suburbana de Rio Preto, adquirimos quatro chácaras: a) Matinha, com quatro alqueires; b) Santa Rosa, com sete alqueires e meio; c) da Felicidade, com um alqueire e meio; d) do Damiano, com 11 alqueires. Em Rio Preto, a cidade cresceu muito e, em pouco tempo, as chácaras de Santa Rosa e do Damiano situavam-se em área de loteamentos e valorizando-se muito. Fizemos o loteamento das duas chácaras e conseguimos a aprovação da Prefeitura, abrindo

addasasadas dasd asd asd asd asd asd asd asd asd as das

Paróquia de São Bento, matriz de Araraquara.

as ruas e estendendo as redes de luz, de água e de esgoto. Ao deixar a direção da Diocese, deixamos também todas essas propriedades, inclusive os lotes prontos, para o novo Bispo ter condições de os pôr a serviço da Diocese. Eis outro trecho da entrevista: Quais realizações de sua administração o Sr. destacaria? Dom José de Aquino Pereira diz: “Eu destacaria, em primeiro lugar, a recuperação do nosso Seminário Menor e instalação do Seminário Maior com a eficiente ajuda de Dom Antonio Angioni, Bispo de Pavia (Itália). Em segundo lugar, a

organização da Pastoral da Diocese e a criação das Vigarias Forâneas e o seu bom funcionamento. Em terceiro, o grande acontecimento fundamental para podermos crescer: após saldar nossas dívidas, conseguimos grandes e muitas áreas nas regiões urbanas. Construímos Igrejas em cada bairro e criamos novas Paróquias. Em quarto lugar destacaria, além da Federação das Congregações Marianas, que durante muitos anos assumiu a liderança pastoral, duas outras excepcionais: a Pastoral da Juventude, que prestou grandes serviços, e o eficiente trabalho apostólico desenvolvido pelos beneméritos Cursilhos da Cristandade, que mostraram muito ardor na vida cristã e na ação apostólica da sociedade. Quantos frutos para a Igreja de Cristo foram produzidos pelo Movimento do Cursilho. Foi uma verdadeira primavera na vida da Igreja”. Estávamos sem dívidas e com recursos positivos”. Ao completar 75 anos de idade, em 1995, solicitou renúncia à Santa Sé, mas permaneceu à frente da diocese até 26 de fevereiro de 1997, quando assumiu o seu sucessor, Dom Orani Tempesta. Dom José foi, então, eleito bispo emérito.

Dom José, nosso segundo bispo dirigiu a diocese de 1968 a 1997

Seminário Diocesano de São José do Rio Preto.

Relação dos Papas na era Dom José desde 1.938

Da Redação Aos 91 anos de idade, Dom José de Aquino Pereira, bispo emérito de São José do Rio Preto, faleceu no dia 17 de novembro no hospital da Beneficência Portuguesa, onde estava internado desde 25 de outubro. No final da tarde do dia seguinte, seu corpo foi sepultado na cripta da Sé Catedral, após missa de exéquias, presidida por Dom Paulo Mendes Peixoto, com participação do arcebispo do Rio de Janeiro, Dom OraniTempesta; dos bispos Dom Edmilson Caetano, de Barretos; Dom Fernando Brochini, de Jaboticabal; Dom Demétrio Valentini, de Jales. A cerimônia foi participada por padres, seminaristas, religiosos, lideranças políticas, familiares de Dom José, e mais de mil pessoas. Antes, no velório,passou o bispo de Catanduva, Dom Octacílio Luciano, Dom Benedito, de Presidente Prudente. Pelo falecimento de Dom José de Aquino Pereira, Dom Paulo Mendes Peixoto decretou luto oficial na Diocese por sete dias; e o prefeito Valdomiro Lopes,luto oficial no município por três dias. Dom José, nosso segundo bispo, dirigiu a diocese de 4 de agosto de 1968 a 26 de fevereiro de 1997. Nesses quase 30 anos, instalou 41 paróquias, recuperou o Seminário Menor e instalou o Seminário Maior. Ordenou mais de 40 padres; incentivou a criação de comunidades religiosas; apoiou a instalação de diversas instituições (exemplo é a do frei Nélio, em Jaci). Organizou o Plano Pastoral Diocesano de acordo com o Concílio Vaticano II e, hoje, dezenas de pastorais funcionam na diocese. Criou seis Vigarias Forâneas. Saldou dívidas da diocese (a crise financeira era profunda); adquiriu áreas para construção de igrejas e criação de novas paróquias. Dom José foi um notável evangelizador, hábil administrador e eficiente empreendedor. De uma entrevista a Della Latta (para o livro sobre a Diocese de Rio Preto), extraímos este trecho, no qual Dom José

Morreu a 17 de novembro e foi sepultado na cripta da Sé Catedral

Primeira

ESPECIAL DOM JOSÉ NOVEMBROE DEZEMBRO/ 2011 E JANEIRO/2012


ESPECIAL DOM JOSÉ

NOVEMBROE DEZEMBRO/ 2011 E JANEIRO/2012 Foto: DH

DE VILA REAL

Nascido no distrito de Vila Real (Portugal), a 22 de abril de 1920, Dom José fez o Ginasial, Colegial e o primeiro ano de Filosofia no Seminário Diocesano de Vila Real. Em 1938, veio para o Brasil. Ordenou-se padre, a 3 de dezembro de 1944, em cerimônia realizada na antiga Catedral de São Carlos. Semanas depois, o então bispo de São Carlos, Dom Gastão Liberal Pinto, nomeou-o professor do Seminário. Em meados de 1945, assumiu a Paróquia de São Bento, de Araraquara. Nesta cidade, iniciou as obras da nova Igreja, organizou associações religiosas e pastorais. Atrás da cortina No ano seguinte, assumiu a Catedral de São Carlos, e uma de suas missões era terminar a construção da Igreja. Durante a campanha de arrecadação de recursos para a obra, ocorreu um fato pitoresco: Dirigiu-se à residência de um dos diretores da Universidade Federal de São Carlos – era a 4ª ou 5ª vez que o procurava. A empregada abriu a porta e disse que o diretor não se encontrava. Dom José percebeu que havia uma pessoa escondida atrás da cortina. Indagou: “Se o diretor não está, de quem são aqueles pés atrás da cortina?”. Então o diretor apareceu, explicou que

Catedral de São Carlos, um dos grandes desafios de Dom José de Aquino Pereira.

não assinaria o “Livro de Ouro” por ser ateu. Dom José argumentou: “Essa Igreja não é apenas dos católicos, mas da cidade. Vai ser um patrimônio histórico e um grande marco para São Carlos e seu povo”. O diretor, então, respondeu: “O Sr. me convenceu. E assinou um cheque no valor de 5 mil cruzeiros. A nova Catedral de São Carlos se tornou, pela beleza arquitetônica, uma atração turístico-religiosa, o cartão de visita de São Carlos. Estruturou Dioceses de Dourados e Prudente

A 23 de janeiro de 1958, Dom José de Aquino Pereira foi nomeado primeiro bispo da Diocese de Dourados (MT). Tinha 38 anos de idade, era um dos mais jovens bispos brasileiros. Estruturou a Diocese, construiu a Catedral e instalou o Seminário. Dois anos e dois meses depois, o Papa João XXIII nomeou-o primeiro bispo de Presidente Prudente. Nos oito anos em Prudente, ordenou 11 padres, criou 9 paróquias. Adquiriu terrenos (um deles, de 10 alqueires). Ao se despedir dos

prudentinos, disse: “Meu trabalho, aqui, foi servir a Deus e às almas; e servir a comunidade”. De

Presidente Prudente, veio para São José do Rio Preto, assumindo nossa diocese em agosto de 1968. Foto: Arquivo

Seminário de Santa Joana Princesa - Portugal.

Dom José de Aquino Pereira NASCIMENTO: 22 de abril de 1920, no distrito de Vila Real (Trás-os-Montes), Portugal. FILIAÇÃO: Manoel de Aquino Pereira e Maria do Rosário Ribeiro. ESTUDOS: Ginasial, Colegial e 1º ano de Filosofia no Seminário Diocesano de Vila Real. Em 1938, veio para o Brasil e terminou os estudos no Seminário Central do Ipiranga. ORDENAÇÃO SACERDOTAL: 3 de dezembro de 1944. Foi integrado no clero diocesano de São Carlos. Pároco: Em 1944, aos 24 anos, ordenou-se padre na antiga Catedral de S. Carlos. Em meados de 1.945, assumiu a Paróquia de São Bento, de Araraquara. No

ano seguinte, 1.946, assumiu a Catedral de São Carlos com a missão de terminar a mesma. Dourados: a 23 de janeiro de 1.958, assumiu a Diocese de Dourados (MS). Presidente Prudente: Também foi o primeiro bispo de Presidente Prudente (SP), nomeado em 1960. Lá permaneceu 8 anos. Rio Preto: A 4 de agosto de 1968, assumiu a Diocese de São José do Rio Preto. Seu lema: “É

Preciso que Ele Reine”. Dirigiu a nossa Diocese por quase 30 anos. Emérito: Em 1995, solicitou renúncia por ter completado 75 anos de idade. A 26 de fevereiro de 1997, transmitiu funções de bispo ao sucessor Dom Orani Tempesta. Dom José de Aquino Pereira foi, então, eleito Bispo Emérito. Falecimento: 17 de novembro de 2011; sepultado no dia seguinte, na cripta da Sé Catedral São José.


DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

29

Aberto para o povo de 24 de dezembro a 6 de janeiro

Presépio “Dr. Hildeberto”, a atração de Nova Granada Da Redação A tradição é mantida: o presépio “Dr. Hildeberto de Albuquerque Ferreira” – um dos mais completos e artísticos do país – será aberto para o povo, todas as noites, do dia 25 de dezembro a 6 de janeiro, das 19h30 às 21h00. Nos dias restantes do ano, “eu abro e mostro o presépio para quem nos procura”, diz a professora Doutora Hygia Therezinha Calmon Ferreira, filha do Dr. Hildeberto. O presépio é a maior atração de Nova Granada. É um patrimônio cultural e histórico da cidade. Mede, aproximadamente, 7 metros de comprimento por 4 metros de largura. “No ano passado, o nosso presépio – o presépio do papai, que eu e meus irmãos herdamos – completou 100 anos. Este ano, está fazendo 101 anos. Por que o presépio fez 100 anos em 2010 e Nova Granada faz 100 anos em 2011? A explicação é simples: papai nasceu em Alcobaça (Bahia), no dia 17 de maio de 1903. Lá, ele fez o primeiro presépio, com 7 anos de idade. Colocou as figuras principais – Jesus, Maria, José, o boizinho e o burrinho”, conta a professora Hygia. A cada ano, ele ampliava o presépio. Formou-se em 1930, pela Faculdade de Medicina da Bahia. Passou por Nanuque (MG), Pitangueiras (SP) e, em 1937, chegou a Nova Granada. “Armava o presépio no próprio consultório. Ele conheceu mamãe (Adelaide), se casaram, passaram a colocar o presépio na sala das residências onde eles moraram. Até ele construir esta casa (vista do alto, tem formato de uma Cruz), no estilo colonial português, com capela dentro de casa,o presépio ocupava uma parte da sala. A casa, que é bem grande, levou três anos para ser construída (de 1948 a 1951)”, diz Hygia. O que chama a atenção dos que nos visitam é a nossa religiosidade. O momento da visitação ao presépio é o momento de comunhão com Deus.”

Fotos: DH

Drª Hygia no Presépio “Dr. Hildeberto”.

DOM LAFAYETTE LIBÂNIO – A professora Hygia diz que seus pais vieram de lares cristãos. “As duas famílias – Calmon e Ferreira – já eram, tradicionalmente, amigos de padres e freiras, a ponto de hospedá-los sempre que havia oportunidade. “Aqui, em casa, papai e mamãe hospedavam, também, padres e freiras. Tivemos importantes visitas episcopais: primeiro, a de Dom Lafayette Libânio, muito amigo do meu pai, de todos nós, e padrinho de crisma do meu irmão médico, dr. Hildeberto Bernardo. Dom Lafayette foi o primeiro bispo a celebrar missa na nossa capela (interior da residência). A lembrança que tenho dele é sempre de uma palavra que me parecia uma oração. Muito carinhoso, muito atencioso, muito simpático, alegre e amigo. A gente era criança, mas a lembrança que ficou foi essa”. DOM JOSÉ DE AQUINO PEREIRA – Hygia prossegue: “Depois, conhecemos Dom José de Aquino Pereira, um bispo muito dedicado. Fiquei anos sem revê-lo. Este ano, eu cheguei a Dom José, em setembro, graças

Momento em que a Drª Hygia entrega diploma de Honra ao Mérito ao Dom José.

aos diplomas que eu tenho oferecido em homenagem a várias pessoas que participaram desses 100 anos de fundação de Nova Granada (1911 - 2011). Estive na residência dele para entregar-lhe o diploma de Honra ao Mérito, que diz o seguinte: Diploma em homenagem ao bispo emérito de São José do Rio Preto, Dom José de Aquino Pereira, por sua inestimável contribuição para o desenvolvimento e projeção da Igreja Católica em Nova Granada, assim como a nível estadual e nacional”. “Não pensava que poderia ser recebida por ele, porque sabia que Dom José estava gripado, mas ele me atendeu com aquela alegria, dizendo: - Hygia, é uma bênção de Deus recebê-la em minha casa. Eu, muito emocionada, respondi: - Quem tem que dizer isso, Dom José, sou eu. É uma bênção de Deus poder ser recebida por Vossa Reverendíssima. Fiz a entrega do diploma, que foi registrada pelo Sr. Edson Barbosa, em fotos, e sentamos, conversamos, relembramos alguns fatos. “Aconteceu, também, de ter sido eu a pessoa que lhe contou sobre o falecimento do padre Miguel Lucas, agostiniano (conhecido de Dom José) que tinha passado por Nova Granada, em várias oportunidades, foi vigário, inclusive, e também muito amigo da nossa família. O padre Miguel Lucas foi um dos cocelebrantes, no dia 28 de agosto, na missa de homenagem ao centenário da cidade. Ele (padre Miguel) falou do beato Mariano De La Mata Aparício, uma pessoa muito querida da minha família, que tomava café em nossa casa, que nos visitava toda vez que vinha a Nova Granada. Foi professor do

meu irmão mais velho, o Wagner, em Engenheiro Schmitt (beato Mariano foi fundador, professor e diretor do Colégio dos Agostinianos). O padre Miguel Lucas faleceu quase um mês depois de ter estado em Nova Granada. “Voltei à residência de Dom José poucos dias depois.Segundo as pessoas mais próximas a ele – Sr. Mário e Da. Lúcia - , eu fui a última pessoa pública a conversar com ele, a visitá-lo. Com muita emoção, li para ele o meu texto, que se chama ‘Eterno Agradecimento’. Ele, também, ouviu muito emocionado. Nós dois choramos nesse momento. “Nessas duas oportunidades em que lá estive, Dom José me presenteou com um terço vermelho, com 33 contas. Ele tem a seguinte explicação: foi um rosário distribuído no mundo todo, no ano 2000 do aniversário de Jesus Cristo. Recebi, também, o santinho do Papa João Paulo II. Foi um momento importante, porque essa estampa foi recebida por Dom José no dia em que o Papa estava em Belém do Pará, em 1991. Diz o seguinte: - Só Cristo tem palavras de vida eterna. “Poucos dias depois, ele (Dom José) faleceu. Eu estive nas exéquias, na missa, me encontrei com Dom Paulo, com Dom OraniTempesta, com o padre Donizete e outras pessoas que admiro muito. O padre Donizete deu extrema-unção para mamãe. Dom José é muito importante na vida de todos nós. A missão dele foi longa e profícua. E fez tudo muito bem”. DOM PAULO MENDES PEIXOTO – Sobre o atual bispo, Hygia disse: “Dom Paulo Mendes Peixoto é um amigo mais recente. Ele veio em minha casa, em 2007,

pela primeira vez, e deixou uma linda mensagem de Natal. Neste ano, foi um dos homenageados (centenário de Nova Granada)”. CENTENÁRIO – A Doutora Hygia falou também sobre os 100 anos de fundação da cidade: “Considero o centenário de Nova Granada uma missão muito especial. Eu queria fazer alguma coisa. O projeto é meu, chama-se “Nova Granada, Cidade Cidadã,”tem como tema “História e Memória com Sustentabilidade” e, lema, “Declare Seu Amor a Nova Granada”. “O projeto homenageia pessoas, entidades, associações, autoridades civis e eclesiásticas, que deram alguma contribuição a Nova Granada. O jornal Diocese Hoje, um dos homenageados, acompanha eventos da Igreja Católica de Nova Granada. O que saiu sobre o centenário da cidade foi enviado para o Rio de Janeiro e para outros países. É uma divulgação muito importante e valiosa para nós granadenses. “O ano de 2011 é o ano do centenário de Nova Granada - o dia foi 4 de setembro de 2011, mas o projeto prossegue até 31 de dezembro. Todas as pessoas que colaboraram com o meu trabalho só o engrandeceram. Não quis nada em troca; apenas dedicação, e amor à minha cidade. Nova Granada acolheu meus pais tão bem, eu e meus irmãos nascemos aqui, recebemos a educação que nós temos, de respeito ao ser humano. Eu gosto sempre de dizer que a minha política é a política do ser humano”. HYGIA – Hygia Therezinha Calmon Ferreira, doutora em Letras, poeta, pesquisadora (ganhou o prêmio Joaquim Nabuco, da Academia Brasileira de Letras, para Memórias e Biografia, com a sua tese de doutorado sobre Guimarães Rosa). Desde abril de 2010, é a presidente da Comissão Organizadora dos 100 anos da fundação de Nova Granada e, também, supervisora da Comissão Organizadora do Acervo da Igreja Católica de Nova Granada.

Papa João Paulo II.


30

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

DIOCESE 82 ANOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

31

Arcebispo, bispos e sacerdotes avaliam 2011 Província Eclesiástica em Rio Preto

Da Redação A segunda reunião do ano 2011, da Província Eclesiástica de Ribeirão Preto, foi realizada no Palácio Episcopal Dom Lafayette Libânio, em São José do Rio Preto, no último 1ª de dezembro. Participaram do encontro os 8 bispos da Província Eclesiástica, além dos padres que coordenam conselhos de pastorais e representantes de presbíteros. “Fizemos avaliação do trabalho, em 2011, e estudamos ações que possamos fazer, em conjunto, para 2012”, disse o bispo de Catanduva, dom Otacílio Luiz da Silva. A Província Eclesiástica de Ribeirão Preto abrange as dioceses de São José do Rio Preto, Catanduva, Jales, Barretos, Ribeirão Preto, São João da Boa Vista, Jaboticabal e Franca. MISSÃO Dom Joviano, arcebispo de Ribeirão Preto, disse que na Província Eclesiástica “temos , em andamento, o projeto” Ser Igreja em Missão’, que é uma ação missionária permanente. “Fazemos capacitação dos líderes das comunidades para que eles possam levar avante a missão permanente”. Esse projeto é desenvolvido em três etapas: a primeira, despertar para a missão; no ano seguinte, as mesmas pessoas participam da segunda etapa, renovação das estruturas e conversão pastoral; a terceira etapa é para formação de líderes. “Precisamos renovar as nossas estruturas pastorais; ter, à frente das comunidades, líderes para a coordenação e animação da ação evangelizadora.” Qual a sua mensagem de Natal? – Dom Joviano diz: “Natal é a festa da luz. Jesus é a luz do mundo. Ele vem para iluminar os corações, aquecer os corações com o fogo do seu amor, iluminar as nossas inteligências. Jesus é a palavra que se fez carne e veio habitar entre nós e de Jesus aprendemos a solidariedade. Por isso, o Natal é também a festa, fraternidade, é mensagem de luz, de esperança para todas as famílias, para as crianças que se alegram com os presentes; e também para os doentes e idosos”. NOVOS PADRES Dom Otacílio Luiz da Silva, há dois anos bispo de Catanduva, disse estar investindo na formação de novos padres; chamando padres e leigos para o trabalho em comunhão; há ações para melhoria da estrutura da diocese (a sede da Cúria mudou-se para um outro local). “No início do ano que vem, vamos inaugurar o nosso site. Em resumo, estamos investindo na comunicação, no trabalho em comunhão e na formação de leigos e de novos padres”, disse Dom Otacílio. Qual é a sua mensagem natalina? – O bispo de Catanduva diz: “O Natal é uma festa importante para nós, cristãos. É celebrar o nascimento de Jesus Cristo, é a vinda do Salvador em nosso meio. Não é um natal pagão, apenas das festas, dos presentes, do comércio, do lucro. Temos que avançar mais no sentido do Natal”. IDE E ANUNCIAI Padre João (Joãozinho), coordenador de pastoral da Diocese de São João da Boa Vista, disse que, em sintonia com a caminhada da Província Eclesiástica, a sua diocese está preparando um projeto de evangelização denominado Ide e Anunciai. “Queremos ser discípulos de Jesus Cristo em missão e que a Igreja esteja em estado permanente de missão”. CONFRATERNIZAÇÃO O representante dos presbíteros da Diocese de São José do Rio Preto, padre Júlio César Sanches, anunciou que, no dia 13 de dezembro, em uma chácara de Cedral, haverá confraternização do clero. “Vai ter café da manhã, entrega de brindes aos pa-

Dom José na história da diocese

Dom Paulo Mendes Peixoto.

Pe. Joãozinho, São João da Boa Vista.

Pe. Júlio, Diocese de Rio Preto.

Confirmamos, em nome da diocese de São José do Rio Preto, nosso sentimento de gratidão a Deus pelo longo tempo de existência, a serviço desta Igreja Particular, do nosso bispo emérito, Dom José de Aquino Pereira, falecido com 91 anos de vida. Dom José foi sepultado na Cripta da Sé Catedral, no dia 18 de novembro de 2011. Ele marcou a história da diocese com alguns fatos de grande relevância. Entre outros, recuperou o patrimônio diocesano, construiu parte do atual Seminário Diocesano, a Cúria atual, a Catedral e criou diversas paróquias. A diocese já completou seus oitenta anos de existência. Uma história marcada pela presença de alguns bispos, cada um com seu lema de vida próprio. De 1931 a 1966, Dom Lafayette Libânio, com o lema: “É preciso que eu evangelize”. No final de Dom Lafayette, tivemos o seu auxiliar, Dom José Joaquim Gonçalves, transferido de Vitória, ES, de 1957 a 1968, com o lema: “No coração de Maria”. Após esse tempo, Dom José Joaquim foi transferido para Curitiba, voltando a São José do Rio Preto para se tratar e faleceu, sendo também sepultado na cripta da Sé Catedral. Em 1968, o bispado foi assumido por

Dom José de Aquino Pereira, ficando até 1997, tornando-se emérito até seu falecimento. Dom José teve como lema de vida episcopal: “É preciso que Ele reine”. Ele viu nesse pensamento uma Igreja a serviço do Reino, no espírito do Vaticano II, do qual participou. O caminho de atuação da Igreja continuou na pessoa de Dom Orani João Tempesta, no período de 1997 a 2004, com o lema: “Que todos sejam um”. Dom Orani trabalhou muito a Pastoral Ecumênica e procurou abrir a diocese para uma pastoral mais comprometida com a unidade do Regional Sul 1, da CNBB. Em 2004, Dom Orani foi transferido para a arquidiocese de Belém, PA, ficando a diocese vacante durante um ano e quatro meses, administrada pelo Pe. Irineu Vendrami. Foi um tempo de expectativas, propriamente de transição e de espera de seu novo pastor. No dia 25 de março de 2006, assumi a diocese como bispo diocesano, com o lema: “Para o serviço à vida”. Já são quase seis anos num intenso trabalho, dando continuidade ao esforço pastoral dos nossos bispos precedentes. Dom Paulo Mendes Peixoto Bispo Diocesano.

Agradecimento A diocese de São José do Rio Preto agradece a presença de autoridades eclesiástica, civis e a todo o povo de Deus, nos funerais do nosso bispo Emérito, Dom José de Aquino Perireira. A nossa palavra de esperança a todos os seus familiares e pessoas de sua convivência e amizade. Obrigado pelas orações feitas por Dom José! Dom Paulo Mendes Peixoto Bispo Diocesano São José do Rio Preto, 19 de dezembro de 2011. Bispo Dom Demétrio, Jales.

Arcebispo Dom Joviano, Ribeirão.

dres, almoço. Em seguida, comemoração dos aniversariantes de dezembro. EXCEDENTE DE PADRES Dom Davi Dias Pimentel, há 10 anos na Diocese de São João da Boa Vista, disse que promoveu mudanças na parte administrativa – “Os tempos mudam”, explicou – e na parte pastoral, “acompanhamos as diretrizes da CNBB. Temos um clero muito bom; temos um excedente de padres (mais de 30 trabalham em outras dioceses). DOM JOSÉ O bispo de São João da Boa Vista, que foi ordenado sacerdote em São José do Rio Preto em dezembro de 1969, falou sobre dom José de Aquino Pereira: “Ele foi um herói, um desbravador; tinha um pique impressionante, era difícil acompanhá-lo. A maior escola que tive na minha vida foi a convivência com ele. Dom José assumiu

uma diocese falida, mas ele tinha um tino administrativo muito bom. Começou a trabalhar, encontrou dificuldade muito grande, mas saldou as dívidas. Cumpriu sua missão de bispo”. Qual a sua mensagem de Natal? Dom Davi diz: “Que tenhamos um Natal feliz; que possamos unir mais os nossos trabalhos para a grandeza da Igreja!”. O bispo de São João da Boa Vista diz ser um leitor do Diocese Hoje. “Dom Orani é o homem da comunicação; veio Dom Paulo Mendes Peixoto, que também promove melhorias na comunicação”. DIOCESE, 40 ANOS Dom Edmilson Amador Caetano vai completar 4 anos à frente da Diocese de Barretos. “Estou muito contente com os projetos, com a caminhada”, disse. No ano que vem, dia 1º de maio, haverá uma assembleia diocesana, que vai abrir as comemorações dos 40 anos da diocese (a criação da Diocese de Barretos ocorreu há 14 de abril de 1973). Em sua mensagem de Natal, Dom Edmilson diz: “Que todos os leitores do

Bispo Dom Davi, São João da Boa Vista

Diocese Hoje possam se sentir amados por Deus! Quero desejar feliz Natal; desejar que o Cristo esteja presente no coração de cada um; que, neste Natal, cada um possa experimentar na sua vida a presença amorosa de Deus!”. NO HAITI

Bispo Dom Octacílio, Catanduva.

Bispo Dom Edmilson, Barretos.

Dom Luiz Demétrio Valentini, bispo de Jales, disse que a campanha que a Cáritas empreendeu, em nome da CNBB, surpreendeu “pela adesão de muita gente”. Foram arrecadados mais de 8 milhões de reais. Essa verba está apoiando diversas iniciativas da Cáritas no Haiti, além de dois

projetos brasileiros: atuação de uma equipe intercongregacional de religiosas (são cinco congregações diferentes) e o trabalho da equipe de freis de Jaci. “Há perspectiva de o grupo do frei Nélio assumir um hospital da Arquidiocese de Porto Príncipe”, revelou Dom Demétrio.

MENSAGEM DE NATAL O Site do Bispado deseja a todos os internautas um Natal cheio de alegria e muito amor, que 2012 seja um ano repleto de paz e felicidade. att, João Carlos Equipe Site Bispado São José do Rio Preto/SP


DIOCESE 82 ANOS

32

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

NOVEMBRO-DEZEMBRO/2011 E JANEIRO/2012

DOM JOSÉ DE AQUINO PEREIRA, UM BISPO NOTÁVEL! 1

2

3

5

4

S ua peregrinação e sua história atravessaram fronteiras geográficas com um único objetivo: evangelizar pela prática do bem. José de Aquino, sentindo a vocação sacerdotal, deixou a terra natal e decidiu-se pelo Brasil. Veio propagar a fé em terras de além-mar. Os primeiros passos de sua missão foram

6

dados em São Carlos (SP) ao ordenar-se sacerdote. Depois, em Araraquara como o primeiro envio de seu bispo Dom Ruy Serra do Amaral. Iniciou as obras da nova Igreja (paróquia de São Bento), organizou associações religiosas e pastorais. Em São Carlos, a sua segunda missão como pároco: construir a catedral, igreja que se tornou, pela beleza arquitetônica, uma atração turístico-religiosa, o melhor cartão de visitas da cidade. A santa Sé nomeou o Pe. J osé de Aquino para bispo de Dourados-MS, onde construiu o Seminário Diocesano e desenvolveu as vocações sacerdotais. Daí voltou para o Regional Sul 1 para ser bispo de Presidente Prudente-SP, onde trabalhou muito e deixou uma diocese bem organizada pastoral e financeiramente. Em agosto de 1968, para resolver problemas administrativos e vocacionais, Dom José foi nomeado bispo da Diocese de Rio Preto, que conheceu um notável evangelizador e hábil administrador. Valeu muito, para os novos desafios, suas experiências anteriores. Com ele, Rio Preto elaborou um dos primeiros Planos Diocesanos de Pastoral da Igreja no Brasil. Entretanto, faltava a esse notável empreendedor conhecer um caminho que, até então, não dominava: os primeiros passos na Comunicação. Nossas divisas territoriais sempre foram extensas, viagens longas para chegar a cada canto dessa diocese. Monsenhor Castro que conhecia bem esse caminho, apresentou ao grande amigo um esboço de um dos primeiros jornais da nossa Igreja que, em seguida, transformou-se no “Diocese Hoje”. Dom José abraçou o jornal como parte de sua missão evangelizadora, encontrando eco em todos os segmentos da Igreja diocesana. Nossa caminhada começou aí. Assim, demos os primeiros passos nessa área de comunicação. Nesses 16 anos de “Diocese Hoje”, nosso sentimento é o da missão cumprida. Agradecemos a Deus pelo nosso trabalho e, sobretudo, por colaborar com a Igreja de nossa região. Já cruzamos fronteiras geográficas e humanas! LEGENDAS: 1) Dom José apresenta o jornal “DH” ao clero de Rio Preto, há 16 anos. 2) “DH” registra momento em que Dom Aquino dá posse ao Bispo Orani. 3) O “DH” é bem recebido em todos os lares da Diocese. 4) Em Itaici-SP, na assembleia dos Bispos, o jornal é bem

8

visto. 5) O “DH” chegou ao Vaticano e recebeu o apoio do Papa. 6) No evento de 80 anos da Diocese de Rio Preto, o “DH” teve uma das maiores tiragens da sua história. 7) Local onde é impresso o jornal. 8) Chuva, sol, estradas, período noturno, distância não atrapalham a distribuição do “DH”.

7

Janeiro de 2012  

Jornal Diocese Hoje de Janeiro 2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you