Issuu on Google+

Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas

UNIVERSIDADE DE LISBOA

MOCHILA GRAVITANTE Unidade Curricular: Pesquisa de Marketing Docente: Prof. Auxiliar Raquel Ribeiro Ano Letivo 2016/2017

de Trabalho: Grupo - Joana Venceslau de Sousa, nº 219816 (joanavdesousa@gmail.com) Marcos Ferreira Martins, nº 219793 (marcos.martins.joao@gmail.com) - João - Luísa Merícia Caires Teles, nº 219801 (mericia.teles@hotmail.com) - Ricardo Jorge Martins Marquês, nº 218639 (ricardojorgemarques19@gmail.com) - Tantelisoa Marcelino Alves de Lima, nº 219784 (slb_t2000@hotmail.com) - Vanessa Luzia Rodrigues Palma, nº 219766 (vluzia@hotmail.com)


Índice

1.

Introdução ............................................................................................................................................ 3

2.

Método de Pesquisa ........................................................................................................................... 3

4.

3.1.

Área de atividade .................................................................................................................. 4

3.2.

Macroambiente: Tendências, Ameaças e Evolução ............................................................. 5

3.3.

Concorrentes no mercado: Identificação, Dimensão, Caracterização e Evolução ............... 6

3.4.

Análise SWOT ....................................................................................................................... 8

Consumidor-Alvo ................................................................................................................................. 9 4.1.

Identificação e caracterização ........................................................................................... 9

4.2. Resultados Obtidos ................................................................................................................. 9 4.1.1. Ocasião, Frequência, Peso e Custo Médio das Mochilas ................................................. 9 4.1.2. Propensão para aquisição do produto ............................................................................. 10 5.

Conclusão .......................................................................................................................................... 10

6.

Referências Bibliográficas ................................................................................................................ 11

7.

Apêndices .......................................................................................................................................... 14 Artigos académicos .......................................................................................................................... 14 Mochilas Tecnológicas .................................................................................................................... 15 Feiras tecnológicas e direcionadas à aventura e desporto .............................................................. 16 Potenciais Relações B2B ................................................................................................................. 17 Inquérito Pesquisa de Marketing...................................................................................................... 17 Ocasiões em que a utilização de mochilas é mais recorrente. ........................................................ 21 Tabela de Responsabilidades .......................................................................................................... 22

2


1. Introdução A economia atual atravessa uma enorme transformação, voltando-se cada vez mais para o mundo tecnológico e digital, em detrimento do industrial e de serviços. O setor tecnológico representa já 6,7% do PIB (Oliveira, 2015) e, segundo André Vaz, tendo em vista um crescimento sustentável, é fulcral continuar a apostar-se em “startups tecnológicas ou empreendedores individuais que desafiam a atualidade” (Vaz, 2016). Embora seja um setor em constante crescimento, a criação de pequenos negócios de cariz tecnológico é desafiante, sendo necessário proceder a uma pesquisa de marketing minuciosa. A presente pesquisa de marketing incide sobre a vertente antigravitacional da tecnologia, mais especificamente sobre uma mochila gravitante que anula o peso transportado através da sua bateria incorporada (cuja a autonomia tem uma duração máxima de 6 horas). Objetivando analisar o nosso mercado, e tendo em conta que este é ainda “inexistente”, este estudo irá sustentar-se na análise de mercado dos drones. Esta decisão não é fortuita: assenta no facto de os drones serem um produto da tendência tecnológica, cujo desenvolvimento possibilitou a levitação de objetos, caraterística que é interessante na perspetiva dos consumidores, que adquirem cada vez mais estes produtos. Após identificação e caraterização do mercado, procedeu-se à análise da concorrência, exclusivamente indireta (evidência comprovada mediante pesquisa online). O estudo engloba, igualmente, uma investigação de âmbito macroambiental, tendo em conta as forças, fraquezas, as oportunidades e possíveis ameaças futuras (análise SWOT) e finalmente, identificação e análise dos consumidores-alvo, tendo por base por um inquérito realizado a grupos sociais distintos.

2. Método de Pesquisa Problema de Pesquisa: Qual o potencial mercado deste produto? Objetivos de Pesquisa: Pretende-se verificar se existem produtos semelhantes, procurando conhecer o mercado das mochilas dotadas de componentes tecnológicas e investigando objetos quotidianos que eliminem ou reduzam, o efeito

gravitacional,

particularmente

drones.

Pretende-se,

igualmente,

identificar

potenciais

consumidores, aferir as suas necessidades e desejos e entender de que forma é que o nosso produto pode satisfazê-los. Objetiva-se ainda identificar e avaliar o potencial mercado.

3


Tabela 1 - Necessidades, Metodologia e Técnicas de Informação. Necessidades de Informação

Que mochilas tecnológicas e produtos gravitacionais existem no mercado?

Como se caracteriza, qual a dimensão e como irá evoluir o nosso mercado?

Quais os potenciais consumidores?

Quais os principais concorrentes indiretos? Com que empresas poderemos estabelecer uma relação B2B?

Metodologia e Técnicas de Recolha de Informação Desk Research: • Clipping – notícias retiradas da imprensa nacional, internacional e especializada na área tecnológica (CNN, Expresso, Público, Sábado); • Pesquisa online de lojas (Worten; Fnac; Sportzone), produtos, organizações e pequenas empresas de comércio eletrónico relacionados com os produtos em questão. • Motores de busca: Google; Ebay; • Artigos académicos - Motores de busca: B-on (biblioteca do conhecimento online), RCAAP (Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal) e Google académico. Palavras-chave; Technological Backpack; anti gravity products Pesquisa direta qualitativa: • Contacto direto com lojas de tecnologia de grande dimensão: Worten e Fnac. Desk Research: • Dados estatísticos publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE); • Clipping – notícias retiradas da imprensa nacional e internacional e especializada na área tecnológica; • Estudos e relatórios realizados por organizações internacionais (FAA e European Comission); Palavras-chave: Bags; Technological Backpack; Anti Gravity Products Pesquisa direta quantitativa: • Realização de inquéritos a potenciais consumidores em instituições de ensino público (Faculdades de Direito e de Ciências da Universidade de Lisboa) e privado (Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias.) , aeroporto e terminais ferroviários (Estação de Comboios St. Apolónia e Foros de Amora) na área metropolitana de Lisboa; • Divulgação de um inquérito em plataformas online. Desk Research: • Clipping - notícias retiradas da imprensa nacional e internacional e especializada na área tecnológica • Relatórios, dados estatísticos e ranking da Droneii (empresa de pesquisa de mercado de drones a nível internacional) • Consulta de plataformas online de lojas de grande dimensão: Worten e Fnac Desk Research: • Pesquisa online de pequenas empresas e lojas tecnológicas (relacionadas com natureza e aventura), na área de Lisboa, potencialmente interessadas no nosso produto. Palavras-chave: Lojas de tecnologia Lisboa, Lojas de desporto Lisboa, Lojas de campismo Lisboa

Data

18/10/2016

28/10/2016

14/11/2016

25/10/2016

18/10/2016

3. Caracterização do Mercado 3.1.

Área de atividade

Na indústria tecnológica portuguesa, os setores de alta e média-alta tecnologia representavam em 2012 (segundo dados do INE), “12,0% do VAB total das sociedades não financeiras, em Portugal”, representando a nível global “9,9% do volume de negócios e 12% do VAB total” (Laranjeiro, 2014). Embora, o peso destes setores (no VAB português) tenha aumentado progressivamente nos últimos anos, é ainda reduzido, quando equiparado ao de outras potências europeias, “nomeadamente a Hungria e a Alemanha” (Laranjeiro, 2014). Os drones, tal como o nosso produto, inserem-se na indústria de alta tecnologia, que envolve a “fabricação de produtos informáticos e fabricação de aeronaves”

4


(Laranjeiro,2014). Tendo em vista obter uma “noção”, o mais aproximada possível, da dimensão do nosso mercado, analisou-se, detalhadamente, o mercado dos drones. No contexto internacional, o valor global desta indústria rondava 3.3 biliões de euros no final de 2015, valor que se prevê que ultrapasse os 90 biliões de euros na próxima década, de acordo com dados da DMR, Digital Marketing Ramblings (Smith, 2016). A fonte acrescenta que as vendas de drones aumentaram em 63% de 2014 para 2015, tendo sido exportados, neste último ano, mais de meio milhão de drones. No contexto europeu, de acordo com a Comissão Europeia, prevê-se que “até 2050, a indústria dos drones pode originar cerca de 150.000 postos de trabalhos na UE” (Jull, 2015). No contexto nacional, não é ainda possível quantificar a dimensão ou valor deste mercado, visto ser um mercado recente e, por isso, pouco explorado. O mesmo se aplica ao mercado das mochilas dotadas de componentes tecnológicas, embora tenham sido encontrados vários produtos e “conceitos” (ver Tabela 6, p.14) neste sentido, não foram encontrados quaisquer dados de valor ou peso no mercado. Ainda no que concerne à área de atividade, o produto pode constituir uma mais valia para outros setores, nomeadamente o turístico, desportivo e de saúde. No âmbito do turismo, este potencia um maior aproveitamento das experiências relativas ao turismo mais ativo, “onde o objetivo é também viver nos limites o contexto da viagem” (Carvalho & Lourenço, 2009), destacando-se o rural, de natureza e aventura. O país apresenta um mercado de referência estratégica no segmento de turismo desportivo, dadas as suas “características naturais (…) muito favoráveis à prática de desportos” (Turismo Desportivo com impacto na economia portuguesa, 2016), setor onde o nosso produto se enquadra perfeitamente, pois permite aos seus titulares desfrutar de forma plena destas atividades. No respeitante ao ramo da saúde e tendo em vista evitar possíveis problemas físicos e deformações futuras, os médicos especialistas afirmam que as “mochilas não devem ultrapassar 10% do peso corporal” (O pedido das costas dos miúdos: cuidado com o peso das mochilas, 2016), o que é, claramente, solucionado através do uso da mochila em estudo. 3.2.

Macroambiente: Tendências, Ameaças e Evolução

Em termos demográficos, o aumento do índice de envelhecimento - com 143,9 idosos por cada 100 jovens em 2015, mais 22,3 do que em 2010 (segundo dados do INE, 2016) -

é um ponto

extremamente favorável visto que os grupos etários mais idosos apresentam grande dificuldade no transporte peso, procurando um produto facilitador nesse sentido. Ressalve-se ainda que, o nível de escolaridade da população portuguesa (PORDATA, 2016) tem registado um aumento significativo nos últimos anos (com principal evidência no ensino secundário e superior), o que se traduz numa maior recetividade a novos produtos e tecnologias. No respeitante à economia, o crescimento do produto interno bruto (com uma taxa de crescimento real de 1,6% em 2015) e subsequente aumento do poder de compra (0,8% entre 2013 e 2014) (INE, 2016), são fatores, claramente benéficos, tendo em conta que o produto em estudo é dispendioso. O país apresenta como um mercado de referência estratégica no turismo de natureza e aventura, com 334 empresas (53 delas sediadas na capital) descritas “no Registo Nacional de Agentes de Animação Turística (…) para o segmento de “Turismo de Ar Livre/Turismo de Natureza e Aventura” (Ribeiro, 2014).

5


Há também um maior investimento em atividades físicas outdoor e saliente-se que os “Portugueses praticam cada vez mais exercício ao ar livre” (TVI24, 2015). Tem-se assistido à “passagem de um turismo inativo, em que o objetivo era desligar e isolarmo-nos do mundo, para um turismo ativo onde o objetivo é também viver nos limites o contexto da viagem e retirar desta a maior quantidade e a melhor qualidade de vivências e experiências marcantes” (Carvalho & Lourenço, 2009). Nesse sentido, o nosso produto constitui uma mais-valia para o setor turístico, visto que potencia um maior aproveitamento das experiências relativas ao turismo de caráter desportivo, de natureza e de aventura. A nível tecnológico, o crescente número de startups de cariz tecnológico pode ter repercussões negativas, visto que estas podem tornar-se em potenciais concorrentes no futuro. Contudo, esta ameaça pode ser também vista como uma oportunidade, uma vez que a multiplicação de startups conduz à criação de mais apoios e incentivos, nos quais o Governo assume um “papel preponderante (…) já desde a anterior legislatura se tem assistido ao acumular de iniciativas governamentais para incentivar o empreendedorismo” (Manso, 2016). No que concerne à sociedade, a mudança no panorama social fez emergir novos valores, nomeadamente a preocupação com a saúde e procura de uma postura corporal correta, preocupações salvaguardadas através do uso do nosso produto que anula o esforço exercido na região lombar. Ainda inerente à saúde, a prática de exercício físico adquire cada vez mais relevância, “Portugueses praticam cada vez mais exercício ao ar livre” (TVI24, 2015), o que potencia um maior investimento em atividades físicas outdoor, nas quais a mochila se integra perfeitamente, possibilitando uma vivência plena. As maiores ameaças ao nosso produto passam pela possível aparição de novos concorrentes (sendo ainda mais preocupante se constituírem concorrência direta), tendo em conta que num mercado de constante inovação tecnológica, os produtos inéditos estão sujeitos a serem “replicados”. Uma futura oportunidade pode incidir sobre a expansão do projeto inicial, através de relações B2B, sendo que destes fazem parte pequenas empresas e lojas portuguesas, tecnológicas e não só, que vejam no produto uma mais valia, tanto para revendê-lo como para facilitar os seus serviços de transporte (Tabela 8, p.16). Acrescente-se ainda que, a realização periódica de feiras tecnológicas, particularmente no distrito de Lisboa, pode ser uma oportunidade a explorar.

3.3.

Concorrentes no mercado: Identificação, Dimensão, Caracterização e Evolução

Após realização de uma extensa pesquisa online (cujas plataformas e palavras-chave estão descritas no método), aferiu-se que não existem produtos semelhantes ao nosso, tanto no panorama nacional, como internacional. Tal confirmou-se através de desk research, tendo-se pesquisado artigos académicos (que contemplassem patentes de produtos antigravitacionais – cujos resultados podem ser analisados na Tabela 5, p.13) e mochilas dotadas de componentes tecnológicos (que estão descritas na Tabela 6, p.14). Embora algumas destas patentes e mochilas possuam propriedades tecnológicas de cariz antigravitacional, nenhuma possibilita a redução de peso transportado, logo, não respondendo às mesmas necessidades. Dada a inexistência de concorrentes direto, procedeu-se à análise da concorrência indireta. Nas tabelas seguintes estão discriminados potenciais concorrentes indiretos nos

6


mercados referentes às mochilas e aos drones (cuja relação com o nosso produto tem vindo a ser justificada ao longo do trabalho). Teve-se em conta o valor e peso no mercado destes concorrentes, a localização da “sede-mãe”, a data da sua fundação, o produto mais vendido (tendo por base dados fornecidos nas lojas online da SportZone, Fnac e Worten, assumindo o papel de base demonstrativa do mercado português) e variação de preços. Acrescente-se que mochilas tecnológicas não foram consideradas, uma vez que não assumem uma presença significativa nos mercados internacional e nacional. Quanto à seleção das empresas internacionais de drones abaixo mencionadas, teve-se em consideração a sua presença no mercado português (nomeadamente nas lojas tecnológicas Worten e Fnac) e a sua posição no TOP20 Drone Ranking Q3-2016 da droneii.com (empresa de pesquisa de mercado de drones a nível internacional). No que toca às empresas nacionais indicadas - SkyEye (está ligada à criação multimédia) e Tekever (missões militares e de segurança) -, embora, não comercializem ou produzam drones (prestando apenas serviços relacionados com estes), foram incluídas nesta análise pela sua inovação e irreverência no mercado nacional. Tabela 2 - Empresas concorrentes no mercado de mochilas convencionais Empresas

Valor de Mercado (em €):

Surgiu em:

Sede-mãe:

Produto mais vendido:

Preços:

Eastpak

€22.530.000.000

1952

Bornem, Belgica

Padded Pak’r (49,99 €)

Desde 39,99 € (Modelo Padded Pakr) até 89,99 € (Modelo Eastpak Ultimate)

Nike

€620.000.000

1964

Beaverton, EUA

NIKE CLASSIC SAND (24,99€)

Quiksilver

€172.110.000

1969

Huntington Beach, EUA

QUIKSILVER DELUXESOLID (34,99 €)

Impossível de determinar

1997

Senhora da Horta, Matosinhos

DOONE SCAR CORAL(12,99 €)

Desde 3,99€ (Modelo DOONE COPPER) até 29,99 € (Modelo DOONE BONERY)

Impossível de determinar

2004

São Mamede de Infesta, Portugal

DEEPLY BACKPACK GAME (29,99 €)

Desde 7,99 € (Modelos Deeply Basic) até 89,99 € (Modelo Berg BASALT 60/70)

Doone (marca exclusiva Sportzone) DISCOVERY SPORTS, S.A., (Deeply e Berg)

Desde 29,99€ (Modelos Nike AZEDA e SOL) até 54,99€ (Modelo Nike Cheyenne 3.0) Desde 29,95€ (Modelo QUIKSILVER SUGAR BABY CINZA) até 55,95€ (Modelos SAND SHINE, ACCROSS THE UNIVERSE e SPECIAL)

Tabela 3 - Empresas concorrentes no mercado dos drones Empresas

Valor de Mercado (em €):

Surgiu em:

Sede-mãe:

Produto mais vendido:

Preços:

DJI Innovations

€8.000.000.000

2006

Shenzhen, China

Phantom 4 - 1 399,99 €

Desde Phantom 2 - 439,53 € Até DJI Drone Phantom 4 + 2x Bateria- 1 699,99 €

Parrot

€4.598.361,73

1994

Paris, França

Parrot BEBOP DRONE & Parrot SKYCONTROLL ER- 499,90 €

Desde Parrot AR.Drone 2.0 Elite Edition - 249,90 € Até Parrot DISCO FPV- 1299,99€

Hubsan

Impossível de determinar

2010

Dong, China

---------------

Mini Drone UBSAN H107C- 89,99€ (Worten) Até Hubsan Drone FPV X4 Plus H107D+- 239,99 € (Fnac)

SkyEye

Impossível de determinar

2012

(Lisboa e Porto) Portugal

Tekever

Impossível de determinar

2001

Lisboa, Portugal

Branding & Storytelling, Engenharia & Tecnologia, Media, Entretenimento & Desporto. Criação multimedia. Security Missions, ISTAR Missions, Environmental Surveillance, Antiterrorist Surveilance, Infrastructure Monitoring, Wide Area Surveillance, Maritime Surveillance, Communications Relay. Missões militares e de segurança

7


3.4. Análise SWOT Tabela 4 - Análise SWOT

Forças • Produto inédito no mercado; • Produto pode ser usado por qualquer indivíduo (independentemente do género ou faixa etária);

• Grande versatilidade do produto - Pode ser usado, tanto no quotidiano, como na prática de atividades desportivas ou de natureza e aventura;

Fraquezas • Elevada concorrência no mercado das mochilas (escolares, desporto, caminhada/alpinismo);

• Bateria com duração limitada e com necessidade de ser recarregada;

• A compra do nosso produto implica um investimento ponderado por parte do consumidor.

• Permite uma carga de peso ilimitada. Oportunidades • Aumento do produto interno bruto e aumento do poder de compra

• Aumento do Índice de Envelhecimento; • Eventuais catástrofes e desastres naturais; • Desenvolvimento tecnológico permite produtos mais baratos;

• Crescente preocupação com a saúde; • Maior investimento em atividades outdoor; • Maior promoção de interrails.

Ameaças • Crescente número de startups tecnológicos a nível nacional potenciais concorrentes futuros;

• Constante desenvolvimento e inovação do mercado tecnológico - possibilidade de réplica;

• Possíveis parcerias com o Estado poderão revelar-se demoradas e muito burocráticas;

• O facto de ser uma tecnologia muito recente pode suscitar dúvida/rejeição perante públicos menos suscetíveis a mudanças.

Ameaças: O crescente número de startups e o constante desenvolvimento do mercado tecnológico podem desencadear um aumento da concorrência. No que concerne à relação comercial com as entidades estatais (no que respeita à utilização da mochila por bombeiros e socorrista) esta é complexa, na medida em que implica um processo longo e muito burocrático, sendo o pagamento tendencialmente demorado. Fraquezas: A elevada concorrência no mercado das mochilas convencionais, onde alguns concorrentes indiretos praticam preços muito acessíveis, é também prejudicial, ainda que o nosso produto apresente caraterísticas diferenciadoras. A duração limitada da bateria torna o produto disfuncional quando não carregado. A recarga pressupõe claro, o acesso à corrente elétrica, o que pode ser complicado principalmente em contexto de campismo e natureza. Oportunidades: O aumento do PIB e do poder de compra são favoráveis à aquisição do nosso produto. O desenvolvimento tecnológico permite produtos mais baratos, o que no futuro pode combater a atual fraqueza de o produto em estudo implicar um investimento ponderado. A recente promoção de interrails (cuja experiência pode ser intensificada mediante utilização da mochila) como a proposta apresentada ao parlamento europeu “Descobrir a Europa de comboio, numa viagem patrocinada pela União Europeia” (Campos, 2016), é também oportuna. Forças: A sua irreverência, capacidade de peso ilimitada, capacidade de adaptação a várias circunstâncias, constituem as principais forças em relação ao nosso produto.

8


4. Consumidor-Alvo 4.1. Identificação e caracterização Verificou-se consumidores-alvo

que são,

os

nossos

essencialmente,

mulheres (71,62%), embora a percentagem de homens seja fortemente significativa (62,5%). A faixa etária entre os 31-40 anos foi a que se revelou mais recetiva na aquisição do produto (pagando pelo menos 200 euros), seguida da faixa etária dos 21-30 anos. A principal área de residência dos consumidores alvo é na área metropolitana de Lisboa, com particular destaque para o município de Lisboa e Distrito de Setúbal. Os principais níveis de instrução correspondem à licenciatura e mestrado. De notar que o cruzamento dos dados foi realizado na plataforma SPSS, tendo se cruzado os dados sociodemográficos com a propensão para aquisição do produto. Os consumidores-alvo Figura 1 - Infografia. Identificação e Caracterização do ConsumidorAlvo

correspondem

aos

inquiridos que se predispuseram a adquirir o produto, despendendo pelo menos 200€.

4.2. Resultados Obtidos 4.1.1. Ocasião, Frequência, Peso e Custo Médio das Mochilas

Figura 2 - Infografia: Peso e Custo Médio das Mochilas

9


A partir do cruzamento de dados, foi possível inferir sobre o peso e preço médio associado às ocasiões à esquerda descritas. As ocasiões mencionadas são as mais frequentes nos inquéritos realizados (Tabela 9, p.20), à exceção da ocasião “campismo” (que foi analisada pela sua pertinência).

4.1.2. Propensão para aquisição do produto

No que concerne à recetividade do produto e, tendo em conta a conjugação das variáveis peso, preço e autonomia, as respostas dos 236 inquiridos e entrevistados (que incluiu viajantes, estudante e população em geral) indicam que, de um modo geral, estariam dispostos a adquirir o produto por pelo menos 200€ (por uma redução de 10 a 25% do peso, e uma autonomia de 2 horas), com uma média de 48% dos inquiridos a selecionar esta opção. É relevante evidenciar que 6% ampliaram o orçamento, predispondo-se a pagar mais 600 euros pela redução total do peso e autonomia de 6 horas). A partir do cruzamento de dados, foi possível inferir sobre o peso e preço médio associado às ocasiões à esquerda descritas. Contrariamente, 32% dos inquiridos (média aritmética dos grupos considerados) não estariam interessados em pagar mais pelas as caraterísticas diferenciadoras da mochila.

5. Conclusão No presente trabalho, foram determinados vários objetivos. Numa primeira fase, verificou-se que não existem produtos semelhantes ao nosso, no mercado atual, o que se traduz numa concorrência exclusivamente indireta, discriminando-se os principais concorrentes. Indicou-se as forças, que assentam nas caraterísticas diferenciadoras da mochila (como a capacidade de peso ilimitado) e fraquezas, nomeadamente a bateria limitada e o facto, desta aquisição constituir um investimento por parte do consumidor. Delineou-se igualmente, possíveis ameaças (como a rejeição do produto por ser “demasiado inovador”) e oportunidades (possíveis parcerias com o estado aquando de eventuais catástrofes). Relativamente ao consumidor alvo inferiu-se (através da realização e posterior análise de um inquérito) que é essencialmente composto por mulheres, tendo como principal faixa etária a dos 21 aos 41 anos, com um nível de instrução equivalente à licenciatura (e/ou mestrado) e com residência na área metropolitana de Lisboa. Enumerou-se igualmente, uma série de lojas e pequenas empresas tecnológicos, com as quais seria relevante considerar a possibilidade de uma relação comercial B2B, futuramente.

10


6. Referências Bibliográficas Assismática - Mega Loja de Informática. (s.d.). Obtido em 4 de Novembro de 2016, de Assimastica: https://www.assismatica.pt/ Carvalho, P. G., & Lourenço, R. (Novembro de 2009). Turismo de prática desportiva: um segmento do mercado do turismo desportivo. Revista Portuguesa de Ciências e Desporto, 9. Obtido em 24 de Outubro de 2016 Chip 7 - Informática ao melhor preço. (s.d.). Obtido em 4 de Novembro de 2016, de Chip7: http://www.chip7.pt/ Chiptec

informática.

(s.d.).

Obtido

em

4

de

Novembro

de

2016,

de

Chiptec:

http://www.chiptec.net/ DJI. (s.d.). Obtido em 3 de Novembro de 2016, de DJI: http://www.dji.com/ Droneii. (s.d.). Obtido em 3 de Novembro de 2016, de Droneii: https://www.droneii.com/ Drones.

(s.d.).

Obtido

em

3

de

Novembro

de

2016,

de

Fnac:

http://pesquisa.fnac.pt/SearchResult/ResultList.aspx?Search=drones&SFilt=40691!23&sft=1&sl=0.838 0984 Hubsan

-

Entreprise.

(s.d.).

Obtido

em

3

de

Novembro

de

2016,

de

Hubsan:

http://www.hubsan.com/ INE. (23 de Setembro de 2016). Produto interno bruto (B.1*g) a preços correntes (Taxa de variação homóloga - Base 2011 - %); Trimestral. Obtido em 15 de Novembro de 2016, de INE - Instituto Nacional

de

Estatística:

https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_indicadores&indOcorrCod=0007824&contexto= bd&selTab=tab2 Inter-rail grátis para maiores de 18? (10 de Outubro de 2016). Obtido em 2016 de Outubro de 25, de Visão: http://visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/2016-10-05-Inter-rail-gratis-para-maiores-de18-

11


Jull, M. (2015). Civil drones in the European Union. European Parliamentary Research Service, Member's

research

service.

Obtido

de

http://www.europarl.europa.eu/RegData/etudes/BRIE/2015/571305/EPRS_BRI(2015)57130 5_EN.pdf Laranjeiro, A. (12 de 5 de 2014). Sectores de alta e média-alta tecnologia cresceram em Portugal. Obtido

de

Jornal

de

Negócios:

http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/tecnologias/detalhe/sectores_de_alta_e_media_alta_tecnol ogia_cresceram_em_portugal Lusa. (04 de 01 de 2016). Catástrofes naturais foram mais mortais. Diário de Notícias. Obtido de http://www.dn.pt/mundo/interior/catastrofes-naturais-foram-mais-mortais-causaram-23000-vitimas4963286.html Lusa. (4 de Janeiro de 2016). Catástrofes naturais foram mais mortais. Obtido em 17 de 10 de 2016, de Diário de Noticias: http://www.dn.pt/mundo/interior/catastrofes-naturais-foram-mais-mortaiscausaram-23000-vitimas-4963286.html Manso, M. (30 de 09 de 2016). "A nascer como cogumelos", startups portuguesas estão no radar do Google. Público. Obtido de https://www.publico.pt/tecnologia/noticia/portugal-pode-ser-a-californiada-europa-se-assim-o-quisermos-1745642 Nike - Yahoo Finance. (s.d.). Obtido em 4 de Novembro de 2016, de Yahoo Finance: http://finance.yahoo.com/quote/NKE?p=NKE/ O pedido das costas dos miúdos: cuidado com o peso das mochilas. (09 de 09 de 2016). Obtido de

Renascença:

http://rr.sapo.pt/noticia/63279/peso_das_mochilas_escolares_pode_provocar_deformidades_ou_patol ogias_na_coluna Oliveira, P. M. (13 de Dezembro de 2015). A Tecnologia em Portugal? Vai bem… e recomendase! Obtido em 15 de Novembro de 2016, de Expresso: http://expresso.sapo.pt/sociedade/2015-12-13A-Tecnologia-em-Portugal--Vai-bem-e-recomenda-se Parrot. (s.d.). Obtido em 3 de Novembro de 2016, de Parrot: https://www.parrot.com/pt/en/#parrot-reinvents-itself-the-new-adventure-is-waiting-for-you Ponte de Sor vai ter fábrica de drones. (s.d.). Obtido em 23 de Outubro de 2016, de Expresso sapo: http://expresso.sapo.pt/economia/2015-09-27-Ponte-de-Sor-vai-ter-fabrica-de-drones

12


População residente com 15 e mais anos: total e por nível de escolaridade completo mais elevado. (11 de Fevereiro de 2016). Obtido em 25 de Outubro de 2016, de PORDATA: http://www.pordata.pt/DB/Portugal/Ambiente+de+Consulta/Tabela Popular Quadcopter Drone Manufacturers 2016. (s.d.). Obtido em 3 de Novembro de 2016, de Air Drone Craze: http://www.airdronecraze.com/drone-makers-2016/ Quiksilver Yahoo Finances. (s.d.). Obtido em 22 de Novembro de 2016, de Yahoo Finances: http://finance.yahoo.com/quote/QKL.SG/?p=QKL.SG SkyEye - O que somos. (s.d.). Obtido em 3 de Novembro de 2016, de SkyEye: www.skyeye.pt Smith, C. (9 de Outubro de 2016). 10 Interesting Drone Statistics. Obtido em 15 de Novembro de 2016, de DMR Stats/Gadgets: http://expandedramblings.com/index.php/drone-statistics/ Tekever - Air Ray Missions. (s.d.). Obtido em 3 de Novembro de 2016, de Tekever: http://airray.tekever.com/air-ray-missions/#section1 Turismo Desportivo com impacto na economia portuguesa. (25 de Fevereiro de 2016). Obtido em

24

de

Outubro

de

2016,

de

Sapo

Desporto:

http://desporto.sapo.pt/mais_modalidades/artigo/2016/02/25/turismo-de-natureza-aumenta-20-daprocura-no-aeroporto-do-porto-em-janeiro-2016 Vaz, A. R. (23 de Outubro de 2016). O futuro de Portugal é tecnologia e inovação. Obtido em 10 de Novembro de 2016 Yupik Loja Desporto Aventura. (s.d.). Obtido em 4 de Novembro de 2016, de Yupik: http://www.yupik.com.pt/

13


7. Apêndices •

Artigos académicos

Nome do artigo cientifico “Anti-gravity machine”

Tabela 5 - Artigos académicos Data de consulta

Descrição

Máquina que produz um campo magnético que anula o efeito da gravidade nos objectos a ela sujeitos.

Christian Cyr (2004)

3-ring magnetic anti-gravity support

Aparelho constituído por duas estruturas, uma delas com um quadro magnético que vai estabelecer uma força magnética entre elas possibilitando o anulamento da gravidade.

Jean-Marc Gery (2002)

Wearable antigravity muscle support system utilizing human body dynamics

Sistema de apoio muscular anti gravidade que utiliza a dinâmica do corpo humano, auxiliando as atividades diárias das pessoas com dificuldades físicas e debilidades, através de uma redução da carga exercida nos membros inferiores.

Kazuo Kiguchi et al. (2012)

Anti-Gravity Treadmill (relatório)

Os utilizadores da passadeira encontram-se, “da cintura para baixo”, num ambiente antigravitacional, reduzindo o peso causado nas articulações. possibilitando a mobilidade e atividade físicas e recuperação de problemas nas articulações.

Impossível determinar

15/10

15/10

17/10

17/10

Fonte

Motor de busca

https://www.goo gle.com/patents/ US2004007029 9

Google Scholar

https://www.goo gle.com/patents/ US6879127

Google Scholar

http://www.tandf online.com/doi/a bs/10.1163/1568 5530677879243 4

Google Scholar

http://www.alterg .com

B-on

14


Mochilas Tecnológicas (Tabela 5)

Tabela 6 - Mochilas Tecnológicas

Aspecto

Características Capacidade de reservar 1,5l de água, mantendo-a fresca através de um conjunto de tubos que permitem a circulação de ar frio.

Informação relevante Especialmente desenhada para desportos de aventura e pessoas amantes de maratonas e corridas em geral.

Plataformas de pesquisa

Website

“Technological backpack”; “backpack”; “anti gravity products”; “technological bags and backpack”

Google, Ebay

http://www.ebay.com/itm/C amelbak-2015-Dart-1-5LHydroGuard-ReservoirRunning-ErgonomicBackpack/401121897444?var=&hash= item5d64ba6be4:m:m_f2Tue VMdAnQynLJodIHfQ

Google; Ebay

https://www.walmart.com/i p/4810362

Palavras-chave

Mochila que possui um barco no seu interior, com dois metros de comprimento e uma capacidade máxima de transporte de 160kg.

Pesa cerca de 20kg

“Technological backpack”; “backpack”; “anti gravity products”; “technological bags and backpack”

Possui uma fonte portátil recarregável.

Esta mochila é capaz de recarregar vários smartphones em simultâneo.

“Technological backpack”; “backpack”; “anti gravity products”; “technological bags and backpack”

Google; Ebay

Incorpora alças “touch screen” que permitem a exibição de imagens ou música.

Esta mochila tecnológica é apenas um conceito, não tendo, por enquanto, “existência” física.

“Technological backpack”; “backpack”; “anti gravity products”; “technological bags and backpack”

Google; Ebay

Inclui um “dock” para iPhone, um ecrã LCD, colunas de elevada qualidade, capacidade de recarregar dispositivos eletrónicos e ainda um pequeno projetor.

Esta mochila tecnológica é apenas um conceito, não tendo, por enquanto, “existência” física.

“Technological backpack”; “backpack”; “anti gravity products”; “technological bags and backpack”

Google; Ebay

https://www.tylt.com/energi pro

http://www.trendhunter.co m/trends/androcellbackpack

http://www.trendhunter.co m/trends/boompack

15


Feiras tecnológicas e direcionadas à aventura e desporto

Feiras tecnológicas e direcionadas à aventura e desporto

Web Summit

Tabela 7 - Feiras tecnológicas e direcionadas à aventura e desporto.

Data de realização

Informação relevante

Com a aplicação móvel os participantes podem gerir agendas e desencadear encontros com investidores, startups ou oradores de acordo com as suas áreas de interesse.

eShow Portugal

Importante para a relação de Marketing B2B, uma vez que são trocados pontos de vista e conhecidos potenciais colaboradores distribuidores.

Sports expo

Promove atividades e venda de artigos e serviços para expositores de vários ramos de atividade dos setores do Desporto, Saúde e Lazer.

Nauticampo

FAME (Feira de Aventura, Montanha e Ecoturismo)

Permite despertar novos e potenciais compradores, manter contacto com os convidados e clientes habituais, com vendedores de outros produtos, públicos em geral e a imprensa. Reúne as melhores empresas de turismo de natureza, as últimas novidades em equipamento, os últimos veículos 4x4 e os melhores especialistas de aventura.

7-10 de novembro de 2016

Já aconteceu, mas há fortes probabilidades de nova realização no próximo ano.

24-26 de junho de 2016

Data de pesquisa

Local

Website

Lisboa

https://websummit.net

16/10/2016

http://www.the-eshow.pt

16/10/2016

Lisboa

Lisboa

http://www.sports-expo.pt/

16/10/2016

5-9 de abril de 2017 (Será a 47ª edição)

Lisboa

7-8 de maio de 2016

Vouzela (Aveiro)

http://www.nauticampo.fil.pt/

16/10/2016

http://www.fame.com.pt/

16/10/2016

16


Potenciais Relações B2B Tabela 8 - Potenciais relações B2B

Pequenas empresas ou lojas

Área de atividade

Chiptec.net

Informática

CHIP7

Informática

Já teve maior peso no mercado do que atualmente. Esta loja é interessante, se tivermos em conta que poderia ver no nosso produto uma maneira revolucionária de conquistar a quota de mercado outrora sua.

Assis mática

Informática

Tendo apenas a sua sede como ponto de venda e poder de mercado mínimo, veria numa novidade tecnológica, como a nossa mochila, uma possível plataforma de lançamento para outros níveis empresariais.

Yupik Aventura

Descrição

Das lojas mais reconhecidas a nível de informática nas margens norte e sul do Tejo. Vendem todos os tipos de artigos relacionados com tecnologia e poderá ser um parceiro ideal para o nosso negócio pela sua capacidade de inserção imediata de um produto no mercado.

Não é comparável a qualquer uma das outras lojas mais reconhecidas a nível de equipamentos de aventura, pelo que constitui uma oportunidade perfeita para inserir a nossa mochila neste mercado. Qualquer outra loja de aventura não servria de referência, pois a visibilidade que dariam ao nosso produto seria quase nula, pela reduzida importância de mercado que lhes é característica.

Inquérito Pesquisa de Marketing

O presente inquérito foi realizado por alunos de Ciências da Comunicação do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa, no âmbito da Unidade Curricular de Pesquisa de Marketing. Tem como intuito compreender se os docentes e discentes (alunos) de colégios privados e pólos universitários estariam interessados em adquirir uma mochila que anule o peso transportado. Este inquérito tem um fim meramente elucidativo e todas as identidades permanecerão em anonimato. Ficamos gratos pela sua colaboração, fundamental para o nosso sucesso! 1) Com que frequência costuma usar uma mochila, tendo em conta as diferentes ocasiões apresentadas? Todos

4 a 6 vezes

1 a 3 vezes

Pelo menos uma

Até 3 vezes

Não

os dias

por semana

por semana

vez por mês

por ano

uso

Viagem/Turismo Escola/Faculdade Trabalho Praticar desporto outdoor Ginásio Caminhadas e campismo Compras (de supermercado, roupa, etc.) Pernoitar (num hotel, em casa de familiar/amigo, etc.) Praia

17


1.2) Outra ocasião (se tiver) ____________________________________________________________________________ 2) Qual o peso médio que carrega na(s) sua(s) mochila(s)? Selecione um intervalo, tendo em consideração as ocasiões. Não tenho

Até 5Kg 5 a 10Kg 11 a 20Kg 21 a 25Kg

Mais de 25Kg

Viagem/Turismo Escola/Faculdade Trabalho Praticar desporto outdoor Ginásio Caminhadas e campismo Compras (de supermercado, roupa, etc.) Pernoitar (num hotel, em casa de familiar/amigo, etc.) Praia 3) Qual o custo médio das mochilas que possui? Selecione o intervalo que mais se adequa. Até Não tenho 10€

Entre 10

Entre 51

Entre 101

Entre 201

Entre 601

Mais de

e 50€

e 100€

e 200€

e 400€

e 800€

800€

Viagem/Turismo Escola/Faculdade Trabalho Praticar desporto outdoor Ginásio Caminhadas e campismo Compras (de supermercado, roupa, etc.) Pernoitar (num hotel, em casa de familiar/amigo, etc.) Praia

18


4) Imagine, hipoteticamente, que existe uma mochila, cujo peso não se sente. Tendo em conta as variáveis peso, preço e autonomia, selecione a opção mais adequada. Estaria disposto/a a pagar até 200 euros por uma redução de 10 a 25% do peso, e uma autonomia de 2 horas. Estaria disposto/a a pagar até 400 euros por uma redução de 25% até 50% do peso, e uma autonomia de 4 horas. Estaria disposto/a pagar até 600 euros por uma redução de 50% até 75% do peso, e uma autonomia de 6 horas. Estaria disposto/a a pagar mais de 600 euros pela redução total do peso, e uma autonomia de 6 horas. Não estaria disposto a pagar mais por nenhuma das condições anteriores

5) Já ouviu falar de algum produto deste género? Sim Não

5.1) Se sim, qual? _________________________________________

6) Sexo Feminino Masculino

7) Selecione a sua faixa etária. Entre os 15 - 20 anos Entre os 21 – 30 anos Entre 31 – 40 anos Entre 41 – 50 anos Entre 51 – 60 anos Mais de 60 anos

19


8) Qual o seu nível de escolaridade? Não tem Ensino primário Ensino básico Ensino secundário Licenciatura Bacharelato Mestrado Doutoramento

9) Distrito de Residência Distrito de Aveiro Distrito de Beja Distrito de Braga Distrito de Bragança Distrito de Castelo Branco Distrito de Coimbra Distrito de Évora Distrito de Faro Distrito da Guarda Distrito de Leiria Distrito de Lisboa Distrito de Portalegre Distrito do Porto Distrito de Santarém Distrito de Setúbal Distrito de Viana do Castelo Distrito de Vila Real Distrito de Viseu Arquipélago dos Açores Arquipélago da Madeira Outro

10) Profissão

20


Ocasiões em que a utilização de mochilas é mais recorrente.

1) Com que frequência costuma usar uma mochila, tendo em conta as diferentes ocasiões apresentadas? Tabela 9 - Ocasiões em que a utilização de mochilas é mais recorrente.

Inquérito publicado online (população geral)

Inquérito realizado no aeroporto e Estações ferroviárias Viagens

Ocasiões

Inquérito realizado nas faculdades e escolas

Faculdade/Escola

47%

Trabalho

28,9%

26,7%

51,7%

Praia

31,5%

------------------

27,5%

Viagens

------------------

25,4%

------------------

43,7%

44,8%

21


Tabela de Responsabilidades

Embora todos os elementos do grupo tenham contribuído significativamente para todo o trabalho, foram destacadas as seguintes responsabilidades: Tabela 10 - Responsabilidades

Temas

Responsáveis

Introdução

Joana de Sousa

Método de pesquisa

Necessidades de Informação e área de atividade

Tantelisoa Lima e Vanessa Palma

Macroambiente: Tendências, Ameaças e Evolução

Joana de Sousa e Merícia Teles

Concorrentes no mercado: Identificação, Dimensão, Caracterização e Evolução

Ricardo Marquês e João Martins

Análise SWOT

Joana de Sousa e Merícia Teles

Identificação e caracterização

Consumidor-Alvo

Realização do inquérito

Editing, estética e organização do trabalho

Merícia Teles Vanessa Palma e Tantelisoa Lima

Merícia Teles

João Martins e Tantelisoa Lima

Propensão para aquisição do produto

Merícia Teles

Ricardo Marquês

Ocasião, Frequência, Peso e Custo Médio das Mochilas

Merícia Teles

João Martins Tantelisoa Lima

Infografias

Joana de Sousa

Conclusão

Apêndices

Intervenções

Joana de Sousa Feiras tecnológicas e direcionadas à aventura e desporto

Vanessa Palma

Relações B2B

Ricardo Marquês

Mochilas dotadas de componentes metodológicos

Vanessa Palma

Artigos académicos que contemplem produtos/patentes antigravitacionais

João Martins

Faculdades e colégios privados

Joana de Sousa e Merícia Teles

Aeroporto

João Martins e Tantelisoa Lima

Estações ferroviárias

Ricardo Marquês

Tantelisoa Lima

Joana de Sousa

22


Mochila Gravitante (Pesquisa de Marketing)