__MAIN_TEXT__

Page 1

MAGAZINE SEMESTRAL N潞 19 路 AGOSTO 2014

Jardim Zool贸gico comemora

Yuky,

uma cria muito especial Quando um animal tem de deixar o Zoo


SDVANAJNAL

{

}

3.

editorial

Há 130 anos na memória dos portugueses

4.

130 anos Zoo

Jardim Zoológico comemora 130 anos

7.

nascimentos

+ 1 Girafa-de-angola + 1 Gibão-de-mãos-brancas + 2 Chimpanzés

10.

fora de portas

Quando um animal tem de deixar o Zoo

16.

BASTIDORES

Educar para motivar para a mudança de comportamentos

Aldeia dos Macacos tem novos espaços

Yuky, uma cria muito especial

24.

Entrevista

Serenella Andrade

27.

Testemunho

Royal Canin

28.

In&Out

Os eventos dentro e fora do Zoo

30.

Passatempos

Sopa de Letras, Cruzadex, Palavras Cruzadas

Ficha técnica Coordenação Serviço de Marketing Colaboradores Sofia Filipe Design Serviço de Marketing Tiragem 2.500 exemplares

Saguim-imperador


Jardim Zoológico

EDITORIAL

Há 130 anos na memória dos portugueses

E

ste é um ano muito especial para o Jardim Zoológico, pois completámos 130 anos. Longe vão os tempos em que o JZ era uma simples montra de animais selvagens e, hoje, tanto a filosofia como o posicionamento desta instituição são muito diferentes de outrora. São o resultado de uma evolução, que integra determinados objectivos em prol da vida animal e que também se verificou noutros jardins zoológicos espalhados pelo mundo. Comemoramos, assim, mais um ano de vida, com a certeza de que cumprimos a grande meta de contribuir para a conservação da biodiversidade. Transmitimos a mensagem da preservação da natureza aos milhares de visitantes que recebemos, desde as famílias aos turistas, empresas e escolas. Com as instituições de ensino, temos desenvolvido um importante trabalho, dinamizado pelo nosso centro pedagógico. Não podemos esquecer o envolvimento do JZ nos diversos programas de conservação, assim como o bom relacionamento com outras instituições congéneres, sendo os programas de troca de animais um bom exemplo disso. Recentemente, enviámos um hipopótamo juvenil para o Zoo de Turim, um procedimento que demonstra o envolvimento e empenho dos parques zoológicos na preservação das espécies. Muitos outros acontecimentos representam o nosso êxito, como os nascimentos. Este ano, temos acompanhado o crescimento de uma cria muito especial que nasceu em Outubro de 2013 – o golfinho Yuky. O esforço da equipa do centro de vida marinha, o melhoramento das instalações dos golfinhos, entre outros, são factores que contribuíram para o sucesso deste nascimento, há muito desejado pelo Jardim Zoológico. No âmbito das comemorações do seu aniversário, o Zoo foi homenageado no Festival Internacional de Chocolate de Óbidos, tendo sido o tema principal da 12ª edição deste evento, onde muitos animais selvagens foram representados em esculturas de chocolate. Ao longo do ano, estão ainda agendadas muitas outras actividades que assinalam um percurso do qual nos orgulhamos. Completámos o 130.º aniversário e continuamos a cumprir uma missão nobre, com o contributo de todos: funcionários, visitantes, voluntários, parceiros e amigos. A todos um muito obrigado! Bem-haja! Francisco Naharro Pires Presidente

{3}


{4}

Jardim Zoológico

130 anos zoo

Jardim Zoológico comemora 130 anos com cerimónia de reinauguração do Bosque Encantado

O

Jardim Zoológico marcou a celebração dos seus 130 anos, no dia 28 de Maio, com a reinauguração do Bosque Encantado e o lançamento de um inteiro postal em parceria com os CTT. A data foi assinalada com uma cerimónia oficial, que contou com a presença do Vice-Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina; o Secretário de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, Miguel de Castro Neto; do Presidente da Junta de Freguesia de São Domingos de Benfica, António Cardoso; do Director Geral da Sociedade Ponto Verde, Luís Veiga Martins; do Director de Marketing dos CTT, Miguel Salema Garção, e, do Presidente do Jardim Zoológico, Francisco Naharro Pires. Uma actuação dos “Violinhos” da Academia de Música de Lisboa deu início à cerimónia, seguindo-se uma visita pelo Jardim Zoológico, um espaço actual e moderno, com cerca

de 2000 animais de 330 espécies, terminando no Bosque Encantado, renovado com material resultante de 16 toneladas de embalagens recicladas cedidas pela Sociedade Ponto Verde. A cerimónia de obliteração de um inteiro postal dos CTT, comemorativo dos 130 anos do Parque, foi o ponto alto do evento. No final, os convidados puderam assistir a uma apresentação de Aves em Voo Livre, “Uma viagem ao coração da Amazónia”. Também no dia 28 de Maio, o Jardim Zoológico recebeu um certificado ambiental, 3R6, de Optimização de Gestão de Resíduos, que vem reforçar o esforço e o empenho que o Jardim Zoológico assume na educação ambiental.

Maio em Festa Em todos os fins-de-semana do mês de Maio, decorreram actividades especiais para comemorar os 130 anos do JZ. O dia 4 de Maio foi dedicado às mães, com um pequeno-almoço Chocapic, sessões de cinema, workshops e um concerto. A música continuou no fim-de-semana seguinte, bem como os divertimentos num parque de insufláveis. Nos dias 17 e 18 de Maio, decorreu a Festa da Família Barrigas de Amor e a animação deu as cartas nos dois últimos fins-de-semana, sendo o Dia Mundial da Criança, 1 de Junho, assinalado com a participação de parceiros comerciais do JZ.

D. Duarte Pio foi uma das presenças no dia 28 de Maio.

À entrada do renovado Bosque Encantado.


Jardim Zoológico

130 anos Zoo

{5}

O Presidente do Jardim Zoológico, Francisco Naharro Pires; o Director de Marketing dos CTT, Miguel Salema Garção; o Vice-Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina e o Sec. de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, Miguel de Castro Neto.

A apresentação do Bosque Encantado.

Apagámos as velas com a ajuda da equipa da “Praça da Alegria” que neste dia realizou o seu programa no JZ.

A actuação dos “Violinhos”


PADRINHOS DO ZOO

A sua pequena fera já pode apadrinhar uma das nossas. No Zoo, os seus pequenotes podem ser padrinhos dos nossos. Podem ajudar na conservação das espécies e ainda participar em actividades acompanhando de perto os afilhados, enquanto crescem juntos. Informe-se em www.zoo.pt

PELA PROTECÇÃO DA VIDA ANIMAL.


Jardim Zoológico

Nascimentos

{7}

crias

1 Girafade-angola

A

Bernardete, nascida em 2012, tem uma irmã desde Março. A nova cria de Girafa-de-angola é filha de Antónia, fêmea nascida no JZ em 2005, e de Barnabé, macho nascido também no JZ, em 1999. A amamentação dura 8 meses, e, quando termina, a progenitora diminui os cuidados com a cria, sem, no entanto, deixar de a acompanhar, em alguns casos, até à idade adulta. É o animal mais alto do mundo, em que só o pescoço pode atingir 2 metros. As girafas são pacíficas, não territoriais, vivem em grupo, em savanas pouco arborizadas e a dominância do macho é estabelecida após demoradas lutas.

A população global desta espécie encontra-se estável, porém com uma área de distribuição cada vez mais reduzida.

Nascido em: 19 Março de 2014 Peso: 50 kg Filho de: Antónia e Barnabé


{8}

Jardim Zoológico

NASCIMENTOS

sairc

1 Gibão-de-mãos-brancas

A

família de Gibão-de-mãos-brancas do JZ aumentou. O Tuppence, de 17 anos, e a Tanja, de 21 anos, que já tinham sido pais em 2008 e 2011, foram novamente pais de um macho, no passado mês de Novembro. A cria já brinca no exterior e tem uma forte ligação com a mãe. No habitat natural, cada casal tem o seu próprio território, sendo defendido através de vocalizações e exibições nas copas das árvores. São animais monogâmicos e vocalizam duetos, acasalando para a vida. Os braços longos caracterizam esta espécie de primatas, que só numa “braçada” consegue percorrer até 3 metros. Tem uma franja branca ao redor da face de pele negra e a pelagem do corpo pode variar entre

castanho, branco ou cor de palha. De acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza, os Gibões-de-mãos- -brancas encontram-se em perigo, devido à caça e fragmentação do seu habitat.

NascidO em: 19 Novembro 2013 Peso: 400 g Filho de: Tuppence e Tanja


Jardim Zoológico

Nascimentos

2 Chimpanzés

O

Dari está de parabéns, pois já foi pai duas vezes, este ano. A primeira cria nasceu em Fevereiro e é filha de Andrea, nascida em 1997, no Jardim Zoológico. A segunda cria, nascida em Abril, é filha de Kali. A pelagem destes primatas é negra e, regra geral, apresentam uma barba branca, porém as crias nascem com a pele rosada na face e com um tufo caudal de pelos brancos, que desaparece até à idade adulta. A amamentação é feita até aos 4 anos. Os Chimpanzés vivem em grupos constituídos por vários machos e fêmeas, sendo a dominância masculina. Estes primatas comunicam através de expressões faciais, posturas

corporais e mais de 30 vocalizações. É uma espécie que se encontra no limiar da extinção, devido à caça ilegal para o comércio de carne para alimentação humana e da destruição do seu habitat natural.

Nascidos em: 2 Fevereiro de 2014 29 Abril de 2014 Peso:

2 kg

Filhos de: Andrea e Dari Kali e Dari

{9}


{10} SDVANAJNAL Jardim Zool贸gico


Jardim Zoológico

SDVANAJNAL

{11}

Quando um animal tem de deixar o Zoo O Jardim Zoológico tem uma das maiores colecções de animais de todo o mundo, acolhendo cerca de 2000 animais de 330 espécies diferentes de mamíferos, aves, répteis, anfíbios e artrópodes. Todavia, são diversas as situações que podem originar a movimentação de um destes animais para outro zoo.


{12} Fora SDVANAJNAL de portas Jardim Zoológico

“E

ntre os herbívoros, muitas vezes é necessário encontrar outra instalação para uma fêmea que atingiu a maturidade sexual, de modo a formar a sua própria família, evitando também problemas de consanguinidade”, explica Susana Nolasco, técnica de registo de animais dos serviços zoológicos do JZ. A troca de animais entre zoos é realizada mediante determinadas normas definidas por entidades. como a Associação Europeia de Zoos e Aquários – EAZA. “Cada situação é única e por isso é analisada individualmente”, comenta Susana Nolasco, indicando a inexistência de fêmeas ou a morte do macho dominante, como dois possíveis motivos para a troca de animais.

“Todos os jardins zoológicos têm uma lista de excedentes e outra de necessidades. Na primeira, constam animais que, por qualquer motivo (eventuais conflitos com os progenitores, por exemplo), terão de sair da instalação onde habitam. Já na segunda, estão incluídos os animais que se pretende adquirir por diversas razões, como por exemplo, para fins reprodutivos. “A EAZA também tem um programa onde os membros podem divulgar os seus excedentes e necessidades”, diz Susana Nolasco, acrescentando que existem algumas especificidades. “Se o animal estiver incluído num programa de reprodução de espécies ameaçadas (o JZ participa em 150 e coordena 6), por norma, é feito o contacto com o coordenador da espécie, para que seja o próprio a analisar a situação e recomendar o melhor zoo para enviar ou receber um animal”, esclarece.


Jardim Zoológico

FORA DE PORTAS

{13}

ALGUMAS Espécies transportadas Pelo Jardim Zoológico DESDE 2006

José Pedreiro, tratador dos grandes herbívoros há 15 anos, foi um dos 3 colaboradores do JZ que acompanhou o Zé Maria até à sua nova casa em Turim.

Envio do hipopótamo José Maria para Turim Segundo Susana Nolasco, o historial de trocas do JZ é longo e o balanço é positivo, tanto ao nível das instituições que integram a EAZA, como junto de outras espalhadas por todo o mundo, nomeadamente os zoos de Singapura, Pretória ou São Paulo. Recentemente, o Hipopótamo José Maria, nascido no JZ a 13 de Outubro de 2011, foi enviado para o Zoo de Turim, no âmbito da troca de animais entre zoológicos. Quando este animal nasceu, foi colocado na lista de excedentes, com a indicação de que se tratava de um Programa Europeu de Reprodução (EEP), pelo que só poderia ser movimentado após avaliação do coordenador da espécie, que se encontra no Zoo de Ostrava, República Checa. “O Zoo de Turim não tinha nenhum hipopótamo, viu o José Maria na lista de excedentes do JZ e manifestou interesse. Mas como

era EEP, houve um contacto prévio com o coordenador, que avaliou vários factores, como a genética, e acabou por recomendar a movimentação do nosso macho para o zoo italiano, que futuramente deverá receber uma fêmea de um zoo alemão”, explica Susana Nolasco, comentando que “o José Maria saiu na altura ideal, pois quando atingisse a maturidade sexual, poderiam ocorrer conflitos com o pai”.

A partida de Lisboa Os preparativos para a viagem começaram com o treino do José Maria para entrar na caixa onde foi transportado. Teve de ser habituado a entrar sem qualquer tipo de força e sem se sentir contido nesta caixa (construída especificamente para o José Maria, tendo em conta as suas dimensões), que integrava a instalação e cuja porta só se fechou no dia da partida. A 12 de Abril deste ano, José Maria, viajou para Itália com os tratadores José Pedreiro, Paulo Simões e Nuno Filipe. “Arrancámos às 18h00 de sábado e chegámos às 3h00 da segunda-feira seguinte”, diz José Pe-

Ádax Águia-pesqueira Aratinga-guarouba Bisonte-europeu Boa-de-dumeril Bongo Búfalo-africano Caimão-anão Camelo Canguru-vermelho Casuar Chita Cobo-de-crescente Colobo-guereza-kikuyu Faisão-azul-da-manchúria Flamingo-europeu Gato-pescador Gnu-de-cauda-branca Hipopótamo Hipopótamo-pigmeu Ibís-escarlate Impala-de-face-negra Koala Langur-de-hanuman Lémure-de-cauda-anelada Lémure-preto-e-branco Leopardo-da-pérsia Lobo-ibérico Mico-leão-dourado Muntjac-chinês Niala Okapi Órix-de-cimitarra Órix-da-arábia Pacaça Palanca-negra Palanca-ruana Panda-vermelho Pássaro-sol Pega-de-cauda-branca Pelicano-real Periquito-dourado Rã-arborícola-leitosa (40) Saguim-comum Saimiri-da-bolívia Tapir-do-brasil Tigre-branco Tigre-de-sumatra Urso-pardo Veado-da-birmânia Zebra-de-grevy


{14} FORA DE PORTAS Jardim Zoológico

A caixa de transporte esteve vários dias anexada à instalação no Jardim Zoológico para o Zé Maria se ambientar ao espaço.

A chegada ao Zoo de Turim.

dreiro, o tratador de grandes herbívoros. No total, os três colaboradores do JZ percorreram via terrestre cerca de 2.100 quilómetros, em aproximadamente 33 horas, com paragens para abastecimento do veículo e assistência ao hipopótamo, ao nível da alimentação, da sua pulverização ou do controlo da temperatura no interior da caixa. O tratador dos grandes herbívoros, com cerca de 15 anos de experiência neste grupo taxo-

Organizar uma deslocação A deslocação dos animais pode ser feita por vários tipos de transporte (aéreo, terrestre ou marítimo), sendo considerados diversos aspectos, tais como o destino ou o tamanho do animal. “Se for uma espécie muito

nómico e com mais de 25 mil quilómetros de acompanhamento de animais em transportes terrestres, admite que inicialmente havia um certo receio com o comportamento do animal, afinal, pesava 545 quilos e cada movimento provocava uma certa instabilidade no veículo. “A caixa foi construída especificamente para transportar o José Maria e de maneira a que não se conseguisse virar, para não dificultar a viagem. Tinha espaço suficiente para se deitar e levantar, bem como para a alimentação à base de feno e ração, dada duas vezes ao dia”, menciona José Pedreiro, afirmando que, de uma maneira geral, a viagem correu muito bem. Como o hipopótamo é um animal muito habituado a água, tinha de ser borrifado cada vez que era efectuada uma paragem. Para o efeito, foram também transportados contentores e uma bomba própria para molhar o José Maria, garantindo assim o seu bem-estar.

A chegada ao Zoo de Turim A chegada deu-se à hora prevista, pelas 3h00 da manhã, mas a equipa do JZ ainda esperou pela abertura do Zoo de Turim, às 8h00. A esta hora, diz José Pedreiro, “já estava tudo preparado mas, antes do animal entrar nas novas instalações, foi feita uma vistoria, de forma a verificar as condições ao nível de segurança”.

sensível, o transporte terrestre poderá demorar mais tempo. Também há que tentar reduzir ao máximo o stress, mediante técnicas de habituação do animal à caixa de transporte, frisa Susana Nolasco. O Jardim Zoológico costuma organizar transportes terrestres para os quais é estabelecida uma rota rigorosa, para as entregas e recolhas de animais, nos diferentes zoos, tentando incluir vários animais que seja necessário transportar, de forma a rentabilizar

o tempo e o transporte, reduzindo ao mínimo possível o tempo que cada animal passa dentro da caixa de transporte, o que aumenta o sucesso do próprio transporte. “Calculamos os quilómetros a uma média de 80 km/hora e, por cada 4 horas de viagem, uma hora para paragem”, explica Susana Nolasco. “Tentamos que viajem três pessoas, em que, pelo menos duas, são tratadores de animais com muita experiência nas espécies transportadas. Enquanto um conduz, outro funciona como co-piloto e


Jardim Zoológico

FORA DE PORTAS

{15}

Transportes terrestres organizados pelo JARDIM ZOOLÓGICO DESDE 2006

Enquanto os tratadores Paulo Simões e Nuno Filipe partiram rumo a Espanha, após descanso de 24 horas, José Pedreiro ainda permaneceu 8 dias no Zoo de Turim, para acompanhar a integração do hipopótamo e auxiliar os tratadores italianos, tanto em termos logísticos como ao nível do seu maneio geral, nutricional ou noutros cuidados do animal. Nos primeiros dias, José Maria permaneceu no interior da instalação e só na sexta-feira, dia 18 de Abril, é que saiu para o recinto exterior, munido de um lago. A sua instalação encontra-se integrada na zona da savana, por sua vez constituída pelo local onde também se encontra um rinoceronte (por enquanto, apenas estão em contacto visual) e pelo sítio onde estão as girafas, as zebras, as gazelas, as impalas, as avestruzes, os elandes e os damaliscos. “De início, o José Maria estranhou a nova instalação, mas acabou por ambientar-se muito bem. Daqui a cerca de 6 meses já deverá estar em contacto com o rinoceronte. O facto de agora terem apenas contacto visual faz parte da integração”, conta José Pedreiro, convicto de que a adaptação aos outros animais será bemsucedida.

23

transportes

83.084

km percorridos Zé Maria passou os primeiros dias no interior da nova instalação.

101

Dias em viagem

outro descansa, mas há sempre um tratador acordado e disponível para prestar os cuidados necessários aos animais. Quando entregam todos os animais, descansam durante um dia e, sempre que possível, participam em visitas técnicas ao zoo, ou seja, as viagens são também aproveitadas para os tratadores receberem mais formação. Só depois é que iniciam a viagem de regresso, em que podem efectuar o transporte de outros animais”, acrescenta, sublinhando que os zoos que recebem os animais é que suportam os custos da deslocação e se estiverem envolvidos vários, a despesa é dividida por todos. Já no JZ, a equipa envolvida nos

transportes realiza semestralmente uma apresentação em auditório, para partilhar as experiências mais relevantes e os conhecimentos adquiridos.

68 Zoos · 12

Países

174 Animais · 55 O transporte mais longo realizado pelo JZ, foi até à Grécia. Incluiu a travessia do Mar Adriático e durou 9 dias.

Espécies


Educar e motivar para a mudança de comportamentos “Educar para conservar” é o lema do Centro Pedagógico, colocado em prática através de inúmeras actividades. Este é o motivo pelo qual a EAZA escolheu o JZ para organizar a sua Conferência Bianual de Educação.

A

Associação Europeia dos Zoos e Aquários – EAZA, convidou o Jardim Zoológico para organizar a Conferência Bianual de Educação da EAZA. Os preparativos já começaram com o tema “O Poder do Comportamento: Como inspirar as pessoas a agir – Zoos e Aquários como recursos educativos transversais”. É a primeira vez que o JZ acolhe esta conferência, onde vão estar reunidos cerca de 140 educadores ambientais, que representam cerca de 100 zoos de 30 países europeus, entre 9 a 12 de Março de 2015. “A EAZA escolhe os jardins zoológicos pela forma como dinamizam a área de educação. O facto de nos ter seleccionado

significa que reconhece o nosso trabalho e a política educativa desenvolvida nos últimos anos pelo Centro Pedagógico”, afirma Antonieta Costa, responsável pelo Centro Pedagógico e recentemente convidada para assumir o cargo de vice-presidente do Comité de Educação da EAZA. “A nossa preocupação é criar pontes com as escolas ou com outras instituições ligadas ao ensino e aos professores, daí as parcerias com a Eco-Escolas, com a Microsoft Educação e com a Promethean Planet”, acrescenta Antonieta Costa, frisando o objectivo de “motivar e inspirar para a mudança de comportamentos, que vai ao encontro do lema do Centro Pedagógico “Educar para conservar a vida animal e os ecossistemas”.

Visitas Guiadas e Oficinas Zoológicas Criado em 1996, o Centro Pedagógico “é responsável pela missão educativa do JZ, através da oferta de programas educativos gratuitos para escolas, que são reconhecidos pelo Ministério da Educação em várias áreas do

conhecimento”, refere Antonieta Costa. Existem visitas guiadas dirigidas aos alunos dos diferentes níveis de ensino. Para o pré-escolar, as três visitas guiadas complementam a área do Conhecimento do Mundo: “Alice no Jardim dos Animais”, “No Mundo da Bicharada” e “Ao Ritmo da Batuta”, abordam temas da alimentação, extinção e locomoção, respectivamente. “Os Animais e o seu Meio”, “Adaptações e Comportamentos”, “À Descoberta dos Ecossistemas” “À Descoberta da Biodiversidade”, dirigem-se aos 1º, 2º, 3º ciclo e ao secundário. “Todos os programas estão de acordo com a idade e com o currículo escolar, para que os professores possam complementar as suas aulas trazendo os seus alunos ao Zoo”, sublinha a responsável pelo Centro Pedagógico. Também as Oficinas Zoológicas foram criadas para consolidar o programa curricular das instituições de ensino. São igualmente um complemento das visitas guiadas, mas incluem jogos e outras actividades. A “Oficina dos Sentidos” destina-se a crianças do pré-escolar e do 1º ciclo, a “Oficina na Rota dos Descobrimentos” aos alunos dos 2º e 3º ciclos e a “Oficina


Centro Pedagógico lançou desafio às escolas

na Rota de Darwin” aos estudantes do secundário. “Consideramos que não é só o conhecimento a nível da Biologia que prevalece no JZ. Podemos também relacionar a História ao mundo dos animais e à botânica”, sublinha Antonieta Costa.

Encontros com tratadores e muito mais O Centro Pedagógico organiza, ainda, vários Encontros com Tratadores: o “Encontro com o Tratador da Quintinha”, o “Encontro com o Treinador dos Golfinhos e Leões-marinhos”, e o “Encontro com o Tratador de Répteis”. A juntar a tudo isto, no Dia do Professor, assinalado a 5 de Outubro, é promovido o Dia Aberto ao Professor, em que é feita a apresentação oficial do programa educativo do Centro Pedagógico. O Zoo vai à Escola é outra iniciativa que consiste na deslocação de um educador do JZ à escola para leccionar o programa de acordo com o objectivo do professor na sala de aula. São também organizados Workshops de Educação Ambiental, assim como Campos de Férias para crianças dos 3 aos 16 anos. “O JZ é uma escola da natureza, em que há um relacionamento afectivo muito forte e onde as crianças exploram os cinco sentidos. É um ambiente muito mais inspirador para a aprendizagem”, considera Antonieta Costa, frisando que os programas são também abertos a outros públicos, como famílias. “Os nossos objectivos educacionais são cognitivos, emocionais e comportamentais, de forma a estimular, inspirar e envolver todos na protecção da biodiversidade. A mudança de comportamentos é o grande objectivo, ou seja, tornar as pessoas mais conscientes no quotidiano”, conclui a responsável pelo Centro Pedagógico.

Este ano lectivo, o Centro Pedagógico lançou o Concurso Nacional Escolas “Desliga a ficha!”, em conjunto com a ABAE – Associação de Bandeira Azul para a Europa (no âmbito do programa Eco-Escolas) e com a Microsoft Educação. Concorreram mais de 100 trabalhos do pré-escolar ao secundário e a entrega dos prémios decorreu no Dia do Ambiente, comemorado a 5 de Junho. Aos professores foi lançado o desafio de participarem com os seus alunos, levando-os a assumir compromissos que conduzissem a uma mudança crescente de comportamentos

para travar os efeitos nefastos das alterações climáticas. Esta iniciativa surgiu na sequência da campanha da EAZA “Pole to Pole”, que destaca a eficácia da acção colectiva na redução dos consumo de energia e protecção da biodiversidade. “Trata-se de uma campanha diferente das anteriores, cujo objectivo era angariar fundos para uma determinada espécie. Esta campanha não se confina à angariação de fundos; pretende, sim, influenciar a mudança de comportamentos em prol da conservação das espécies”, comenta Antonieta Costa.

Kids Experience@zoo começou em Junho Kids Experience@zoo é o nome de um programa, dirigido às escolas, que foi implementado pelo Centro Pedagógico, no dia 5 de Junho. É o resultado de uma das parcerias educativas, desta feita com a Microsoft Educação. “Consiste no complemento dos nossos programas educativos. Estes terminam no Templo dos Primatas,

onde os alunos são convidados a consolidar os conhecimentos adquiridos, através das tecnologias disponibilizadas pela Microsoft, em particular do sistema operativo Windows 8.1”, explica Antonieta Costa, sublinhando “a particularidade de ser um programa ao qual pode ser dada continuidade nas escolas”.


{18} BASTIDORES

Jardim Zoológico

Aldeia dos Macacos tem novos espaços

A Aldeia dos Macacos do Jardim Zoológico foi melhorada e, durante o período em que decorreram as obras, os Macacos do-japão que lá habitam foram colocados em instalações provisórias.

D

atada de 1927, a Aldeia dos Macacos acolhe casinhas características, como a Adega do Simão, a Casa do Môno e o Hotel da Barafunda. Os melhoramentos foram sobretudo feitos junto a este aglomerado, em prol do bem-estar de 21 Macacos-do-japão (destes, 6 são crias). A instalação está agora munida de uma estrutura em altura, que serve de mobiliário e, ao mesmo tempo, gera sombra. Em baixo desta plataforma, foi criada uma zona com substracto e areia, de forma a refrescar ainda mais a zona com sombra e, entre a plataforma e a areia, foram armadas duas camas (uma de rede e outra de sarapilheira). Em cima da piscina foi colocada uma rede com o intuito de oferecer mais uma área para os animais se refrescarem sem terem de entrar na água. Também com o objectivo


Jardim Zoológico

CURTAS

foi muito agradável vê-los mais estimulados e interactivos no espaço melhorado

de refrescar a instalação, existe um chuveiro que molha a zona mais quente da Aldeia dos Macacos. Foram, ainda, colocadas mais cordas e, na rampa, diversos objectos para enriquecimento ambiental (ocupacional e alimentar). “A criação de mais zonas de ocupação e de descanso implica uma maior distribuição dos animais. Agora, têm locais mais confortáveis, além do benefício do arrefecimento”, afirma Maria da Paz Pereira, tratadora principal dos pequenos primatas. O JZ avançou com o melhoramento desta instalação devido ao aumento do grupo. Maria da Paz Pereira explica que “é normal haver conflitos entre os macacos, pelo que era necessário criar mais zonas e mais focos de ocupação”. E assim foi, com a mais-valia de “rentabilizar o espaço e sobretudo não alterar a estrutura da instalação.

O melhoramento foi feito pela equipa de manutenção do JZ, mas também pelos tratadores, que se ocuparam com o enriquecimento ambiental. Os macacos regressaram à sua Aldeia no dia 28 de Abril e eram muitos os visitantes do JZ curiosos para ver a sua chegada. Na perspectiva de Maria da Paz Pereira, foi um sucesso. De início, os macacos estavam com um certo receio, mas os mais novos aventuraram-se a explorar os novos locais e os outros rapidamente seguiram-lhes o exemplo. “Mostram-se activos, estão muito ocupados e mais coesos, funcionando mais como grupo”, refere a tratadora principal dos pequenos primatas. “Foi um trabalho que exigiu algum esforço, sobretudo dos animais, por terem de estar numa instalação provisória, mas valeu a pena”, acrescenta Maria da Paz Pereira.

{19}


{20} RADIOGRAFIA SDVANAJNAL Jardim Zoológico

Yuky, uma cria muito especial

No próximo mês de Outubro, vai ser comemorado o primeiro aniversário da primeira cria de Golfinho-roaz nascida no Jardim Zoológico.Yuky vive tranquilamente na Casa da Lagoa com a mãe, Vicky, e com a tia, Kobie, mas vai integrar o grupo de golfinhos do Delfinário.


Jardim Zoológico

BASTIDORES

Nascimento a 7 de Outubro de 2013.

S

... estava ao telefone com a Sónia Matias quando (...) pareceu-me ver a cauda da cria...

ão raros os meses em que “a cegonha não visita o Jardim Zoológico” e, no dia 7 de Outubro de 2013, fez uma visita muito especial, com enorme significado para a equipa do Centro de Vida Marinha. Nesse dia nascia, pela primeira vez na Casa da Lagoa, no Jardim Zoológico, um Golfinho-roaz. Yuky, de seu nome, representou uma nova e importante conquista. “O nascimento de uma cria no seio de uma comunidade de golfinhos pouco significa, até porque não é uma espécie em perigo de extinção. Já para nós, enquanto equipa, tem todo o significado: é o consagrar de um trabalho de muitos anos. Estivemos um longo período sem crias de golfinho, pois não tínhamos um golfinho macho em idade adulta, comenta Arlete Sogorb, médica veterinária e directora do Centro de Vida Marinha. O primeiro passo em direcção à reprodução desta espécie foi dado, em 2011, com a importação do Ajax, que

veio do SeaWorld, Florida (EUA). Quando este macho, nascido em 1994, chegou ao Jardim Zoológico, teve um período de adaptação que durou aproximadamente 1 ano, e escolheu a Vicky, nascida em 1996, como primeira parceira. A cópula destes animais ocorre na Primavera e no Verão, podendo ir até ao início do Outono, e a gestação dura 1 ano, o que leva Arlete Sogorb a pensar que a concepção do Yuky tenha acontecido em Outubro de 2012. “Não controlamos nem interferimos. Todo o processo de acasalamento decorreu de forma natural”, sublinha a médica veterinária. Um dos nossos exames médicos de rotina são as ecografias. A gestação foi diagnosticada logo no início. A partir daí, as ecografias foram mensais, sendo que o desenvolvimento do feto decorreu dentro dos padrões da espécie, bem como o estado de saúde da sua progenitora. “Existem tabelas que ajudam a calcular a data do parto e quase acertámos. O golfinho nasceu apenas 5 dias antes da data prevista”, lembra Arlete Sogorb. “A Vicky manteve-se na apresentação da Baía dos Golfinhos até Setembro de 2013. Nessa altura, foi colocada na maternidade, na Casa da Lagoa, para que o parto decorresse com muita calma, longe do público e dos machos. Escolhemos a Soda (a matriarca do grupo) para golfinho de companhia”, acrescenta.

O nascimento do Yuky No dia 7 de Outubro de 2013, quando o relógio marcava as 11h30, a treinadora de animais marinhos Maria Manuel verificou que a fêmea tinha entrado em trabalho de parto. “Foi muito giro porque estava a falar ao telefone com a Sónia Matias”, bióloga do Centro de Vida Marinha, “quando de repente olhei para a Vicky e pareceu-me ver a cauda da cria”, conta a treinadora, que questionou uma colega se o que via era precisamente a cauda do pequeno golfinho. Ambas observaram melhor e confirmaram que de facto tinha começado o trabalho de parto. “Foi relativamente rápido, durou mais ou menos uma hora e foi natural, sem qualquer intervenção humana”, lembra Maria Manuel.

{21}


{22} BASTIDORES

Jardim Zoológico

A cria nasceu com cerca de 1 metro e 20 kg. Segundo explica Arlete Sogorb, “a cauda só endurece depois do nascimento, dando logo capacidade de nado. A parte do parto em que sai a dorsal é a mais complexa, mas é facilitada porque a dorsal está dobrada”. Ainda de acordo com a médica veterinária, quando o parto termina, a cria tem de nadar, subir à superfície para respirar e, no seu habitat natural, tem ainda de se proteger dos tubarões, pois uma mancha de sangue na água é um chamariz. A cria nasce com muitas capacidades, mas mesmo assim tem de ser muito apoiada pela progenitora. “Por exemplo, é a mãe que leva a cria à superfície e a empurra para dentro de água com o intuito de lhe expandir os pulmões e adquirir capacidade respiratória”, sustenta Arlete Sogorb. Passada a fase de aprendizagem e habituação ao meio exterior, a cria já consegue nadar, ou atrás, ou por baixo da mãe, para se alimentar. A amamentação é, aliás, muito complexa. O Yuky só conseguiu mamar ao fim de 6 horas. Isto porque, conforme explica a médica veterinária, “é feita em movimento, em que a mãe coloca-se de lado, para facilitar o aleitamento”. Geralmente, a amamentação nos Golfinhos-roaz tem a duração de 1 ano e meio mas, em alguns casos, pode durar 3 anos. Muitas vezes, as crias iniciam a alimentação com peixe ainda durante esta fase. Quanto ao Yuky, já come peixe desde Março. Logo após o nascimento, o acompanhamento desta cria era minucioso, com base em gráficos e dados, posteriormente comparados com informações específicas já existentes sobre a espécie. “Eram feitas anotações sobre a frequência respiratória, a frequência da amamentação, os comportamentos da mãe, a interacção entre mãe e filho ou o modo de nadar. A análise servia para uma intervenção, caso ocorresse alguma anormalidade”, indica Arlete Sogorb.

Amamentação nos primeiros dias.

A cria tem uma língua rendilhada que encaixa junto ao “mamilo” da progenitora, permitindo a passagem do leite.

O nome Yuky surgiu durante um brainstorming da equipa do Delfinário. A sonoridade transmitia energia positiva e resultava da conjugação de “Yupi” com “Vicky”.Yuky era um dos três nomes apurados para a votação dirigida ao público, que decorreu na página oficial do Jardim Zoológico. Nas 4671 participações registadas, as duas propostas de nomes – Javi e Delfim – foram largamente ultrapassadas e o pequeno golfinho recebeu o nome predilecto, tanto da equipa como de miúdos e graúdos que visitam o Jardim Zoológico.


Jardim Zoológico

BASTIDORES

Vida pacata na Casa da Lagoa A Vicky e o Yuky continuam na Casa da Lagoa, uma instalação situada junto à Baía dos Golfinhos, mais recatada e com todas as condições que proporcionam privacidade e tranquilidade tanto à cria como à mãe. Esta instalação foi construída com o objectivo de apoiar a reprodução da espécie, mas entretanto já serviu para alojar os golfinhos na altura em que o Delfinário foi remodelado. Depois de ter funcionado como maternidade, passou a ser a habitação desta cria, da sua mãe e do golfinho de companhia, que já não é a Soda mas a Kobie. Vivem pacatamente, afastadas das apresentações, provavelmente até terminar a amamentação do Yuky.

A aproximação será feita ao macho menos dominante e só depois ao dominante

“As fêmeas de golfinho protegem-se bastante, sobretudo quando existem crias”, refere Maria Manuel, explicando o papel do golfinho de companhia que tem a denominação de “tia golfinho”: “Quando a cria nasce tem a natação deficiente, não consegue parar o nado, está constantemente a nadar e tem dificuldades na orientação, precisando por isso da ajuda da mãe. Acontece que orientar e amamentar 24 horas por dia é muito cansativo, pelo que muitas vezes as progenitoras entregam a cria aos cuidados da tia para descansarem.” É este instinto protector e de interajuda, tão característico entre os golfinhos, que, na opinião de Arlete Sogorb e Maria Manuel fará com que a integração do Yuky junto dos outros elementos seja um sucesso. “Existe uma técnica. Primeiro a aproximação será feita ao macho menos dominante e só depois ao dominante”, sustenta Arlete Sogorb. E, quem sabe, futuramente a equipa volte a repetir todos estes procedimentos. “Há capacidade de reprodução de golfinhos no Jardim Zoológico, por isso temos a expectativa de acompanhar novas gestações e assistir a mais partos”, conclui a responsável pelo Centro de Vida Marinha.

Nascido em: 7 de Outubro 2013 Peso: 22 kg Filho de: Vicky e Ajax

Primeiros dias de vida da cria de Golfinho-roaz, Yuky.

{23}


{24} RADIOGRAFIA SDVANAJNAL Jardim Zool贸gico


Jardim Zoológico

Entrevista

Entrevista a

Serenella Andrade É o local ideal para as famílias. O tempo voa. Na verdade, o Jardim Zoológico é um local mágico.

Lembra-se da sua primeira visita ao Jardim Zoológico? Nao me lembro da primeira visita que fiz ao Jardim Zoológico, mas lembro-me de o ter feito frequentemente com os meus dois irmãos quando éramos muito pequeninos. O Jardim Zoológico vive na memória de todos os portugueses. De que forma marcou a sua infância? Eu adorava ir ao Jardim Zoológico. Lembro-me de dar amendoins aos macacos e de dar moedas aos elefantes para que tocassem o sino. Era tão engraçado! Foi muito importante para a minha infância. Era como se um pouco de cada Continente estivesse ali, no centro de Lisboa. Consegue detectar diferenças com o estado actual? Nessa altura era tudo muito diferente, pois estávamos nas décadas de 60 e 70. Os animais estavam enjaulados, para que não houvesse perigo. Havia muito menos espécies... Agora o Jardim Zoológico está muito diferente. Muito maior, com muito mais espécies e já não há jaulas! Os animais parecem estar no seu habitat natural. Temos o comboio (que dá muito jeito, principalmente para quem tem

filhos pequenos), o teleférico, a baía dos golfinhos. É o local ideal para as famílias. O tempo voa. Na verdade, o Jardim Zoológico é um local mágico. Uma das missões do Jardim Zoológico é a conservação das espécies. Qual a sua opinião sobre este assunto? A conservação das espécies é muito importante, essencial para que o nosso planeta continue a existir tal como o conhecemos. Devemos preservá-las para que haja a harmonia necessária para a nossa sobrevivência. Infelizmente há muitas espécies em vias de extinção e o Jardim Zoológico pode ajudar a contrariar esse facto. Através de pequenos gestos no dia-a-dia, é possível contribuir para a preservação da biodiversidade. Quer partilhar os seus cuidados diários? Sim, cada vez mais me preocupo com a preservação da biodiversidade. Poupo energia, não desperdiço água (não deixando a torneira a correr quando lavo os dentes ou as mãos), separo o lixo, não uso sprays. Ando a pé o mais possível... Enfim, pequenos “grandes” gestos que se forem feitos por todos poderão salvar o nosso Planeta.

{25}


{26} ENTREVISTA

Jardim Zoológico

Já visitou o JZ com a sua família? Já visitei muitas vezes o Jardim Zoológico com a minha família. Aliás, este foi sempre um dos meus programas preferidos. Muitas das festas de anos dos meus filhos tiveram lugar neste espaço maravilhoso. É um lugar indicado para todas as gerações. Dos 8 aos 80. Já fez várias reportagens no JZ. Lembra-se de algum episódio engraçado ou um momento mais marcante? Gostei de todos. Mas tenho um carinho especial pela baía dos golfinhos. Num programa especial que fizemos para a RTP fui aprender com o Valter e a sua fantástica equipa um pouco do que é o dia a dia dos tratadores. Vesti-me a rigor, dei-lhes de comer, lavei a loiça. Foi maravilhoso. Mas houve outros, como por exemplo a apresentação de Aves em Voo Livre, com as Araras e as Catatuas que dançavam ao som de música rap. Muito divertido.

Está a fazer o que sempre quis ser quando era criança, ou sonhava com outra profissão? Em criança sonhava ser bailarina ou arqueóloga. Mas sou muito feliz com a profissão que tenho, pois tenho o privilégio de conhecer todos os dias pessoas e locais maravilhosos. Alguma mensagem que queira deixar aos leitores? O Jardim Zoológico é um espaço único, onde todos os animais são tratados com o maior respeito e carinho. Junte a família e não perca a oportunidade de passar momentos mágicos e inesquecíveis!

Qual o seu animal preferido? Animais preferidos. Há tantos... Os veados (lembro-me sempre da história do Bambi), as girafas, os golfinhos, os gorilas, os elefantes, os koalas e os pandas. Em que projectos está actualmente envolvida? Actualmente faço parte do grupo de apresentadores do Verão Total, programa que diariamente percorre Portugal para mostrar o que de melhor se faz no nosso País, desde o artesanato, música e gastronomia.

Serenella marcou presença no lançamento do livro de Tânia Ribas de Oliveira, no Jardim de Zoológico.

Tenho um carinho especial pela baía dos golfinhos.

Uma das muitas reportagens realizadas por Serenella no JZ.


Jardim Zoológico

CURTAS

FÉRIAS NO ZOO

Traga o seu pequeno sabichão para aprender com os mestres. Dos 3 aos 16 anos, de 16 de Junho a 5 de Setembro de 2014. Informe-se em www.zoo.pt

PELA PROTECÇÃO DA VIDA ANIMAL.

Patrocinador Oficial

Testemunho

Em Junho de 2013, a Royal Canin iniciou uma parceria com o Jardim Zoológico, tornando-se a marca oficial de pet food, utilizada no Pet Hotel.

Esta parceria visa oferecer aos gatos e cães que se encontram alojados no hotel, os alimentos mais adaptados às suas necessidades nutricionais. A Royal Canin tem como missão promover o bem-estar, saúde e longevidade do gato e do cão, sendo

fundamental para a marca, a educação dos seus donos sobre as necessidades particulares do seu animal. Neste sentido, a Royal Canin marcou presença nas comemorações do dia do animal no Jardim Zoológico, tendo sido reservado para os mais pequenos um espaço de animação onde as crianças foram convidadas a desenvolver várias actividades lúdico-pedagógicas.

{27}


Maio em Festa! Parque de Insufláveis

in&out Veja o que se passou dentro e fora do Jardim Zoológico nos últimos meses.

Maio em Festa! Pinturas Faciais

Carnaval

Páscoa

Maio em Festa! Violinhos

Dia da Família, Barrigas de Amor

Stand do Zoo na Fitur 2014, Madrid

O Stand do Zoo na BTL 2014, Lisboa


Jardim Zoológico

TESTEMUNHO

Cerca de 50 animais do Jardim Zoológico estiveram representados, em chocolate, no Festival Internacional de Chocolate de Óbidos. Uma iniciativa que surgiu no âmbito da comemoração dos 130 anos do JZ.

Animais do JZ Inspiraram Esculturas de Chocolate O Jardim Zoológico foi fonte de inspiração das esculturas de chocolate que participaram no XII Festival Internacional de Chocolate de Óbidos. No ano em que completa 130 anos, o JZ chegou assim ao maior certame de chocolate realizado em Portugal. Entre 14 de Março e 6 de Abril, estiveram expostas em Óbidos inúmeras figuras de animais, em chocolate. A criatividade foi da responsabilidade dos alunos do Curso de Esculturas de Chocolate, ministrado no Centro de Formação Profissional para o Sector Alimentar da Pontinha. A acção de formação teve a duração de 700 horas e contou com a participação de 23 alunos. Estes formandos foram posteriormente distribuídos pelas funções existentes no certame, consoante o próprio perfil e aptidão, desde actividades formativas a demonstrações relacionadas com a confecção das esculturas de chocolate.

“Embora a maioria seja da área da pastelaria, podem participar nesta formação pessoas de diferentes áreas e creio que tem muito a ver com o desemprego”, comenta Vítor Nunes, professor do curso de esculturas de chocolate e director técnico do Festival Internacional de Chocolate de Óbidos. Segundo Vítor Nunes, foram usadas 3 toneladas de chocolate para fazer as esculturas das várias espécies de animais. “Este trabalho demorou 4 meses a ser feito e as figuras não apresentavam grande diferenciação em termos de estilo”, informa. “Apesar do grupo não ter sido muito homogéneo, no geral, todos os participantes gostaram de construir as esculturas. É uma área engraçada, contudo pode haver quem não se identifique ou que não tenha perfil”, acrescenta o professor frisando que “o público teve maior preferência pelos animais que se encontravam na área dedicada à Austrália: avestruz, crocodilo e canguru”.

{29}


{30} PASSATEMPOS Jardim Zoológico

Cruzadex

Sopa de Letras

Zonas do Zoo

Sábados Selvagens

Por Paulo Freixinho

Tendo como ajuda as letras já colocadas, preenche a grelha com os nomes dos mamíferos da lista:

Procura na sopa de letras as 12 palavras da lista. Não há palavras na diagonal: SOLUÇÕES sopa de letras HORIZONTAIS: Animais, Educador, Alimentação, Percursos, Habitat, Família, Conservação, Treinadores. VERTICAIS: Tratamento, Espécies, Programa, Bastidores.

BASTIDORES, ALIMENTAÇÃO, ANIMAIS, CONSERVAÇÃO, EDUCADOR, ESPÉCIES, FAMÍLIA, HABITAT, PERCURSOS, PROGRAMA, TRATAMENTO, TREINADORES.

4 Letras › BAÍA (DOS GOLFINHOS), VALE (DOS TIGRES) 5 Letras › LEÕES 6 Letras › ALDEIA (DOS MACACOS), BONGOS, CHITAS, KOALAS, OKAPIS, ZEBRAS 7 Letras › AVIÁRIO (ASIÁTICO), COMBOIO, ELANDES, GIRAFAS 8 Letras › BISONTES, PALANCAS 9 Letras › FLAMINGOS, QUINTINHA, SURICATAS 10 Letras › REPTILÁRIO, TELEFÉRICO

SOLUÇÕES CRUZADEX HORIZONTAIS: Teleférico, Koalas, Zebras, Palancas, Quintinha, Chitas, Bisontes, Baía, Girafas, Reptilário. VERTICAIS: Bongos, Flamingos, Vale, Elandes, Okapis, Aldeia, Comboio, Suricatas, Aviário, Leões.

Por Paulo Freixinho

Palavras Cruzadas

Animais Por Paulo Freixinho

VERTICAIS: 1 › Zoo de (...), em Itália, onde agora vive o hipopótamo José Maria (nascido no Zoo de Lisboa). 2 › “Educar para (...)”, é o lema do Centro Pedagógico do Jardim Zoológico. 3 › Assim se chama a mãe, de 21 anos, da nova cria Gibão-de-mãos-brancas. 5 › (...)-do-nilo, é o maior sáurio africano. 7 › Ave australiana corredora e não voadora. 9 › Nuno (...), uma das caras conhecidas que estiveram presentes nas comemorações dos 130 anos do Jardim Zoológico. 10 › Nome dado à cria Golfinho-roaz, a mais recente estrela do Jardim Zoológico (pode ser vista na Casa da Lagoa, junto à Baía dos Golfinhos). SOLUÇÕES Palavras cruzadas HORIZONTAIS: 2 › Canguru, 4 › Padrinho, 6 › Elefante, 8 › Guaxinim, 11 › Sumatra, 12 › Sol. VERTICAIS: 1 › Turim, 2 › Conservar, 3 › Tanja, 5 › Varano, 7 › Ema, 9 › Markl, 10 › Yuky.

HORIZONTAIS: 2 › Programa (...), programa para Festas de Aniversário (até aos 5 anos). 4 › Kit (...), uma das formas de apoiar o Zoo. 6 › Um dos animais que estiveram representados em esculturas de chocolate no Festival Internacional de Chocolate de Óbidos. 8 › Mamífero que se distingue pela máscara facial negra, focinho pontiagudo e cauda anelada. 11 › Tigre-de-(...), é a subespécie mais pequena de tigres no Mundo, está “criticamente em perigo” (estima-se que existam apenas 400 destes animais na Natureza). 12 › Pássaro-(...), ave que deve o nome a dois ocelos, castanho-avelã marginados a negro e amarelo, que exibe quando abre as asas.


O Jardim Zoológico agradece a todas empresas e instituições que o apoiam. Novos Parceiros

100 c - 79m 9k

100m - 81y 4k

Padrinhos


FESTAS NO ZOO

Traga a sua pequena fera para ser o rei da festa. No Zoo, tem tudo para dar aos seus filhos uma festa sem igual, com programas de animação para todas as idades, e cerca de 2000 animais. Informe-se em www.zoo.pt

PELA PROTECÇÃO DA VIDA ANIMAL.

Profile for Jardim Zoológico

Revista do Jardim Zoológico | Agosto 2014  

Revista semestral Jardim Zoológico Lisboa . Portugal

Revista do Jardim Zoológico | Agosto 2014  

Revista semestral Jardim Zoológico Lisboa . Portugal

Advertisement