__MAIN_TEXT__

Page 1

MAGAZINE SEMESTRAL Nº 13 · Junho 2011

Venha ver os novos miúdos do Jardim Zoológico antes que eles cresçam.


© Carlos Moita Pedroso

Ficha técnica › Coordenação Serviço de Marketing › Colaboradores Marta Pais Lopes › Design Serviço de Marketing › Tiragem 3.500 exemplares Toda a edição foi feita ao abrigo do novo acordo ortográfico.


{sumário} {5}

Editorial

jardim zoológico, também pela espécie humana

{6} ano internacional das florestas florestas são vida {8}

Curtas

festival panda

tmn kids junta-se ao zoo

um sábado selvagem para todos os pais

cartão jovem comemora 25 anos

presentes para todas as mães

jardim zoológico aposta no turismo

{12} BASTIDORES pequenas grandes esperanças {16} BASTIDORES zoo em movimento {19} campanha eaza 2011 um último grito pelos primatas! {24} internacional

zoos, agentes de conservação

{27} Agenda

de junho a novembro 2011


Š Beatriz Mascaranhas


Jardim Zoológico

EDITORIAL

{ jardim zoológico, também pela espécie humana} Um grito de socorro chega-nos de África e do Sudeste Asiático. Os grandes primatas encontramse em grave perigo e o seu futuro está longe de ser risonho. Aliás, não há sequer a certeza de um futuro. Chimpanzés, gorilas, orangotangos, gibões: todos estão a sofrer severamente o efeito da desflorestação, da caça e das doenças. Se é o Homem o causador deste caminho para a extinção pouco natural, deverá ser o Homem a encontrar as soluções para o problema. Aqui entram em cena os zoos com o seu papel preponderante na conservação da biodiversidade. Tendo isso em mente, e não havendo quem melhor conheça a urgência da situação dos primatas, a EAZA – Associação Europeia de Zoos e Aquários – já entrou em ação, fazendo de 2011 o ano da campanha “Um último grito pelos primatas!”, que inclui diversas iniciativas, não só de divulgação de informação mas também de pressão junto dos governos responsáveis. Nesta revista, poderá melhor conhecer os esforços que estão a ser feitos a nível internacional e qual a participação do Jardim Zoológico, que é sempre parte integrante e ativa no que toca à conservação animal. Uma das contribuições que, felizmente, temos dado com regularidade para contrariar a perda da biodiversidade é o nascimento de novas crias. Nesta publicação, damos a conhecer alguns dos novos habitantes do Jardim Zoológico. Aquilo que está a destruir a vida animal pode vir a destruir-nos também. O que permite a sua sobrevivência permite também a nossa. A diferença é a sua inocência: nós estamos a provocar a nossa e a sua destruição. Que a racionalidade que nos define ajude a que mudemos de rumo e tentemos inverter o declínio da biodiversidade. Os primatas, as florestas, a nossa própria vida dependem apenas de nós. Mais uma vez, quero agradecer a todos aqueles que têm contribuído para que a Missão do Jardim Zoológico seja cumprida: funcionários do Jardim, visitantes, parceiros, voluntários e amigos. A todos um Muito Obrigado!

Francisco Naharro Pires Presidente

{5}


{6}

Jardim Zoológico

PARA TODAS AS OCASIÕES


Jardim Zoológico

ANO INTERNACIONAL DAS FLORESTAS

florestas são vida No Ano Internacional das Florestas, o Jardim Zoológico toma iniciativas pedagógicas.

N

em só da luta pelos animais vive o Jardim Zoológico. A sua missão de conservação é dirigida à natureza, já que todas as espécies vivas dependem do equilíbrio de toda a biodiversidade para sobreviver. Por esta razão, o Zoo associou-se à campanha Floresta Lusa – Plante connosco a biodiversidade na Floresta Portuguesa. Inserida no Ano Internacional das Florestas, esta campanha tem como objetivo a recuperação de espécies típicas da floresta portuguesa que se encontram em perigo, como o pinheiro, o carvalho, o sobreiro, a azinheira, o freixo, o teixo, o azereiro, o cedro, o amieiro, entre outras. A principal promotora desta iniciativa é a Oryzon Energias, empresa que atua na área da produção e defesa florestal, com a qual o Jardim Zoológico prontamente criou uma parceria. Disso resultou que, na compra de um conjunto de cinco saquetas de sementes ou duas árvores, na Loja do Zoo, a Oryzon compromete-se a plantar uma árvore. Esta campanha foi lançada apropriadamente no dia da Árvore, assinalado de forma especial no Jardim Zoológico. Nesse dia, as crianças puderam aprender mais sobre os incêndios. Os mais novos receberam informação que pode revelar-se preciosa para o futuro das florestas: como começa e se propaga um incêndio, quais as consequências

e implicações no dia-a-dia e que medidas todos podemos adotar para não provocar um incêndio. Sabendo o papel crucial que as florestas têm na vida de todos os animais, incluindo o ser humano, as ações pedagógicas do Jardim Zoológico não ficam por aqui. Desde 21 de março e até 9 de junho, está a decorrer o 2011 Florestas – Suporte de Vida, programa educativo especial, desenvolvido em parceria com o Museu Geológico de Portugal. Este programa é dirigido aos alunos do 3º ciclo e do Ensino Secundário e consiste em duas visitas guiadas, uma ao Jardim Zoológico e outra ao Museu Geológico. Este trabalho conjunto tem como objetivo fornecer informação complementar para os currículos das disciplinas de Ciências Naturais e de Ciências da Terra e da Vida. Mas vai mais longe. Pretende-se sobretudo que os alunos reconheçam a importância das florestas como suportes de vida e da evolução biológica, como prestadores de serviços à Humanidade insubstituíveis e, por isso, como ecossistemas a preservar. Tudo isto remete para a problemática atual da extinção da biodiversidade e a responsabilização de todos. Os alunos podem perceber como podem contribuir para a preservação da biodiversidade e das florestas, através de simples práticas ambientais quotidianas.

{7}


{8}

Jardim Zoológico

CURTAS

{curtas... festival panda A 4ª edição do maior evento infantil realizado em Portugal, este ano terá lugar durante cinco dias. O Festival Panda estará no Porto nos dias 18 e 19 de junho, e em Lisboa nos dias 1, 2 e 3 de julho. Os Estádios do Belenenses e do Dragão vão vestir-se a rigor para receber um elenco de participantes de luxo que incluem a divertida Banda do Panda, o espetáculo do Ruca, as engraçadas coreografias da Lazy Town, os mimos da Docinho de Morango, as divertidas tropelias do Pocoyo e ainda uma encenação inédita do Código Lyoko. Todos eles marcam presença no tão aguardado festival que, este ano, tem o desporto como temática principal. Assim, os mais pequenos vão poder vibrar com as emoções das “PandaOlimpíadas”, ao longo dos vários desafios em que as suas estrelas preferidas vão participar. Este ano, o Festival Panda conta, pela primeira vez, com a presença do Jardim Zoológico na edição de Lisboa.

tmn kids junta-se ao jardim zoológico O Jardim Zoológico tem um novo parceiro. O tarifário especial para crianças da TMN, a TMN Kids, irá, a partir de maio, garantir muita animação nos vários espaços do Jardim. Mas esta parceria tem também um objetivo solidário: 25% das vendas dos produtos da TMN Kids vendidos no Jardim Zoológico reverte para o Fundo de Conservação do Jardim. Estes produtos podem encontrar-se na Loja do Zoo.


Jardim Zoológico

CURTAS

um sábado selvagem para todos os pais Num sítio onde a reprodução dos animais é um dos objetivos mais importantes, não podia passar indiferente o dia que celebra um dos mais importantes membros da família: o Dia do Pai. Para os filhos que escolheram o Jardim Zoológico para passar o 19 de março, foi garantidamente um tempo de qualidade em família, com surpresas à espreita. Primeiro, 10% de desconto para todos os pais, na compra de um bilhete infantil. Depois, foi feito o convite a todas as crianças para produzir um porta-chaves único para oferecer aos seus pais, a partir de um estranho e fascinante material que encolhe até sete vezes em relação ao tamanho original. Nada melhor que o Dia do Pai para lançar os Sábados Selvagens, um programa do Centro Pedagógico que proporciona momentos em família originais. Este percurso de fim de semana inclui visita a alguns bastidores, ao Reptilário, à Ilha dos Lémures, à Baía dos Golfinhos e ao Bosque Encantado, numa aproximação única aos animais, liderada pelos próprios

tratadores. Com estes, crianças e pais podem descobrir os segredos dos animais. Pensados para crianças a partir dos 4 anos acompanhadas dos encarregados de educação, os Sábados Selvagens têm como objetivo não só oferecer momentos familiares de qualidade ímpar como principalmente fomentar a curiosidade e o respeito pela natureza e animais, através do conhecimento. Este ano, o programa foi lançado com uma ação junto da comunicação social no dia 19 de março. O Jardim Zoológico lançou o convite a alguns jornalistas e às suas famílias para que fossem experienciar um Sábado Selvagem, que contou com uma visita guiada, atividades de enriquecimento ambiental e visitas a bastidores. Foram cerca de 90 os participantes deste dia inesquecível. Mas a surpresa não ficou por aqui! Todos eles receberam na redação um visitante especial: um gorila que entregou em mão uma moldura com uma fotografia em família tirada nesse dia tão especial.

cartão jovem comemora 25 anos

O Cartão Jovem fez 25 anos e o Jardim Zoológico não quis ficar de fora das comemorações. A Movijovem, entidade gestora do Cartão Jovem e das Pousadas de Juventude, e a CP – Comboios de Portugal juntaram-se e deram oportunidade a um grupo de jovens de fazer um Intra Rail Live Trip. 25 portadores do Cartão Jovem e os seus convidados partiram à aventura durante seis dias para descobrir Portugal, entre 18 e 23 de abril. Em troca, pediu-se apenas uma inscrição e uma contribuição simbólica de 50€ por cada dois participantes. Uma parte deste montante reverteu a favor da Bak, uma gorila de 25 anos que vive no Jardim Zoológico. A primeira etapa da viagem, foi uma visita guiada ao Jardim Zoológico para todos os viajantes, onde puderam conhecer a sua afilhada. Depois partiram de Lisboa e, nos seis dias seguintes, ficaram alojados nas Pousadas da Juventude de Guimarães, Abrantes e Idanha-a-Nova. Este trabalho conjunto é um exemplo do trabalho de marketing e comunicação que o Jardim Zoológico tem desenvolvido. As parcerias com as marcas são extremamente importantes para o Zoo, promovendo-o e assim garantindo a sua evolução. El Corte Inglés, Zon Lusomundo, Toys R Us, Burger King, FNAC – são apenas alguns exemplos das marcas que se têm juntado ao Jardim Zoológico das mais diversas formas, seja com promoções, ofertas ou eventos especiais.

{9}


{10} CURTAS

Jardim Zoológico

...}

presentes para todas as mães O Dia da Mãe é para ser passado de maneira diferente; tem de ser tão especial como a mãe de cada um. Por isso mesmo, várias pessoas escolheram, para passar esse dia, a maior maternidade de vida selvagem do país: o Jardim Zoológico. Sabendo como este dia é importante, o Jardim preparou uma surpresa: o Atelier Rosebonbon Creative, um jardim mágico, patrocinado pela MEO Kids. Instalado junto à entrada do Delfinário, esse atelier proporcionou a todas as crianças a oportunidade de criarem uma “Caneta Flor” para oferecer às suas mães. Estes presentes, saídos das mãos dos próprios filhos, tornam-se ainda mais especiais por serem lembranças de um dia passado entre a natureza,

num sítio onde a diversão e o conhecimento andam de mãos dadas e onde, felizmente, o milagre da vida acontece com frequência. O Dia da Mãe foi também a oportunidade ideal para conhecer as incríveis crias de Okapi e de Tigre-branco (saiba mais sobre elas nesta revista).

jardim zoológico aposta no turismo Sabendo que o turismo é uma área em que vale a pena apostar, o Jardim Zoológico decidiu marcar presença na Bolsa de Turismo de Lisboa deste ano, que ocorreu em fevereiro, na FIL. Para lhe fazer justiça, o Zoo montou um stand original e divertido, que permitiu dar a conhecer as suas diversas atividades, vender apadrinhamentos e produtos de merchandising e distribuir brindes promocionais. Os principais objetivos foram posicionar o Jardim Zoológico como um espaço de lazer para turistas e estabelecer contatos com vista à realização de parcerias no setor turístico. Este tipo de parcerias é aliciante para várias empresas ligadas ao setor e, por isso, muitas já deram origem a várias ações válidas para este ano. Recentemente, o Jardim Zoológico

proporcionou a oferta de vales de desconto de 15% no bilhete de entrada aos hóspedes de vários hotéis: o Hotel Açores Lisboa, o Hotel do Bairro Alto, os Hotéis Real e os Hotéis SANA. Quem também tem direito aos vouchers com 15% de desconto são os passageiros dos táxis associados à Antral e os clientes da Europcar e dos Transportes Sul do Tejo. Na entrada do Jardim, obtém automaticamente o mesmo desconto se apresentar o cartão de associado do Clube 1970 Viagens, do Inter Travel – Clube de

Férias, da COP – Chaves de Ouro de Portugal, da APAVT ou o cartão de cliente da Abreu. Para chegar mais facilmente aos turistas estrangeiros, agora os bilhetes para o Jardim Zoológico estão também à venda nos Postos de Turismo.


 OFEREÇA UM PRESENTE ORIGINAL E APADRINHE UM DOS 2.000 ANIMAIS DO JARDIM ZOOLĂ“GICO. (Inclui carta de boas-vindas, diploma e mochila).

APADRINHE

Nas lojas do Jardim Zoológico ou via CTT para: Estrada de Benfica, 158-160 1549-004 Lisboa INFORMAÇÕES

Tel.: 217 232 918 ¡ Fax: 217 232 901 E-mail: apadrinharzoolisboa.pt WWW.ZOO.PT


{12} bastidores

Jardim Zool贸gico


Jardim Zoológico

bastidores

pequenas grandes esperanças O ciclo da vida é o mais incrível fenómeno da natureza. Quando para uns a aventura chega ao fim, para outros está apenas a começar. E não há momento de maior alegria e esperança que um nascimento. O que dizer então de quando os ciclos de vida de uma espécie estão comprometidos? Quando morrem muito mais do que nascem? Aí, um nascimento parece quase um milagre.

{13}


{14} bastidores

Jardim Zoológico

Os mais recentes nascimentos no Jardim Zoológico foram todos de espécies sob grande ameaça de extinção. Três Tigres-brancos, um Rinocerontebranco, um Okapi, um Chimpanzé e muitos mais, foram trazidos ao mundo e provaram que os esforços do Jardim Zoológico têm resultados. O Jardim Zoológico orgulha-se de ser um dos zoos europeus com maior taxa de reprodução. Não pela vaidade de estar nos lugares cimeiros de um ranking, mas por algo muito mais sério: por saber que cada nova cria é um passo em frente para que aquela espécie não termine os seus ciclos da vida cedo demais.

um pequeno dos maiores Este ano, o Jardim Zoológico parece destinado a receber pequenos animais brancos. 2011 começou com o nascimento de um Rinocerontebranco, com cerca de 50 quilos. Este pacato e inofensivo mamífero ainda terá muito que crescer, já que é o maior dos rinocerontes. Atinge cerca de dois metros de altura, quatro de comprimento e quatro toneladas de peso. Para compensar a visão fraca, têm uma audição e um olfato muito apurados, essenciais à sua segurança em estado selvagem. Estimase que existem apenas cerca de 3500 indivíduos em habitat natural. Segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza, esta é uma espécie muito ameaçada pela caça para o comércio do chifre e pela destruição do habitat. O Jardim Zoológico orgulha-se de contribuir para a conservação desta espécie com uma cria, mas a sua ação de defesa dos rinocerontes não fica por aqui. O Rinoceronte-dobornéu, um dos grandes mamíferos mais ameaçados do mundo (estimase que existam apenas 30 animais em estado selvagem na Ilha do Bornéu), foi alvo de uma estratégia específica. Um técnico do Jardim Zoológico foi à Ilha do Bornéu, no âmbito do projeto de conservação in situ (no habitat natural) da Fundação SOS-Rhino.

único e original No início deste ano, os visitantes puderam dar as boas-vindas a outra extraordinária cria: um Okapi, a girafa da floresta. Nasceu em outubro de 2010, mas foi preciso esperar a altura certa para poder ir para a parte exterior da instalação. No ano passado, apenas duas crias de Okapi nasceram em toda a Europa mas, infelizmente, apenas a portuguesa sobreviveu. Assim, esta cria traz consigo uma enorme esperança para a continuidade desta espécie, quase inexistente no habitat natural. Concentrado especialmente nas florestas equatoriais da República Democrática do Congo, o Okapi tem como principais ameaças o comércio, a caça desportiva e a perda de habitat, consequência da desflorestação. A irresistível novidade deste nascimento atraiu rapidamente um padrinho igualmente irresistível: a Hussel – Chocolates e Confeitaria. Toda a ajuda é preciosa, já que este herbívoro de língua impressionante (mede cerca de 35cm!) conta com o apoio financeiro do Jardim Zoológico num projeto de conservação in situ, parte integrante do Programa Europeu de Reprodução do Okapi. Felizmente, nasceu mais uma contribuição, com quatro patas e uma língua comprida.


Jardim Zoológico

bastidores

um tigre, dois tigres, três tigres É difícil de dizer, mas é uma contagem vitoriosa para o Jardim Zoológico. Três alegres Tigres-brancos nasceram e são grande motivo de orgulho. Os três novos habitantes do Zoo, duas fêmeas e um macho, vêm dar um novo alento ao futuro desta espécie. Estima-se que existam apenas 100 a 130 Tigres-brancos em todo o mundo e cinco estão mesmo aqui, no Jardim Zoológico. O aspeto original do Tigre-branco, que o torna tão atraente, é intrigante e é comum achar-se que são albinos. No entanto, eles são apenas o resultado de um gene recessivo, que acontece quando os progenitores são portadores do gene responsável pela cor clara da pelagem. É no inverno que a sua beleza se torna ainda mais espantosa: a coloração torna-se mais intensa, como adaptação ao frio, o que faz sobressair os olhos azuis, o nariz rosado e o fundo branco com riscas castanhas. Os filhotes acompanham a mãe dois a três anos, aprendendo as técnicas necessárias à sua sobrevivência. No entanto, a sua pelagem branca não permite uma camuflagem adequada à sua sobrevivência em estado selvagem, o que tornou o Tigre-branco uma vítima fácil da caça furtiva. O resultado foi a extinção no habitat natural. Existem apenas em cativeiro e são muito raros.

as nossas crias de 2010 Ádax Áxis Babuíno-hamandrias Bongo Camelo Calau-trombeteiro Chimpanzé Cobo-de-crescente Coruja-das-neves Faisão-de-palawan Flamingo-rubro Girafa-de-angola Grou-do-japão Hipopótamo-pigmeu Iaque Íbis-escarlate Impala-de-face-negra Inseparável-de-angola Langur-de-java Leão-de-angola Lémur-de-cauda-anelada Lémur-preto-e-branco-de-colar Lince-euro-asiático Lório-vermelho Lório-arco-íris Macaco-tarrafe Mara Muntjac-da-china Niala Órix-austral Okapi Palanca-negra Palanca-ruana Papagaio-do-equador Pavão-real Petauro-do-açucar Pombo-imperial-bicolor Pombo-de-nicobar Rinoceronte-branco Rola-diamante Rola-de-poupa Saguim-imperador Saguim-bicolor Saguim-pigmeu Sitatunga Tigre-branco Veado-da-birmânia

em pequenos são sempre mais giros Este é o mote da nova campanha de publicidade do Jardim Zoológico, que tem como objetivo dar a conhecer as crias do Zoo. Um Tigre-branco, um Rinoceronteafricano e um Orangotango são os protagonistas que convidam o público a visitá-los, antes que cresçam! Esta campanha será vista de junho a agosto em vários meios.

A cria rinoceronte vai estar presente num outdoor na Praça de Espanha.

{15}


{16}

Jardim Zoológico

zoo em movimento

visitas guiadas para todos.

P

asso a passo, de instalação em instalação, pára-se mais tempo nos animais favoritos, observa-se o seu comportamento e comenta-se com a família. Ao fim do dia, sente-se que o tempo foi bem passado, entre a natureza selvagem, sem sair da cidade. No entanto, entre 21 de março e 30 de setembro, visitar o Jardim Zoológico pode ser muito mais que um momento de lazer. Os visitantes podem voltar para casa de coração cheio, mas de cabeça bem recheada também. Agora, qualquer pessoa pode ter acesso ao mais privilegiado passeio no Zoo: uma visita guiada. Este novo programa educativo especial para o público em geral tem o nome de “O Zoo em movimento” e foi criado com o objetivo de chamar a atenção dos visitantes para a enorme evolução que o Jardim tem sofrido nos últimos anos. Se ao início, era apenas uma exposição de animais, agora o Jardim Zoológico orgulha-se de ser um verdadeiro centro de conservação da biodiversidade. O seu papel ativo na conservação de espécies ameaçadas, tanto in situ (no habitat natural) como ex situ (em cativeiro), tem sido o seu principal motor, com resultados extraordinários. Sabendo como a informação é o primeiro passo para que cada um contribua para a salvação da biodiversidade, o Jardim Zoológico aposta na transmissão de conhecimentos ao público,


Jardim Zoológico

bastidores

o mais alargado possível. Nas visitas guiadas, privilegia-se a interação com os visitantes, chamando sempre a atenção para as instalações e estimulando-lhes a curiosidade e o sentido crítico. Com o “Zoo em Movimento”, os visitantes poderão saber mais sobre a história do Jardim e as suas funções atuais e conhecer as caraterísticas de algumas das espécies mais emblemáticas que ali habitam, como o Tigre-da-sibéria e o Pinguim-do-cabo. Estes serão os motes para uma discussão mais profunda sobre os estatutos de conservação, as ameaças às espécies, com exemplos de espécies em perigo, e os programas de reprodução. Os visitantes vão poder perceber em que medida o Jardim Zoológico contribui para a conservação, através de histórias de reintrodução de animais no habitat natural, de vários exemplos de enriquecimento ambiental e do papel preponderante do Zoo para a investigação científica. Todo este contexto tornará mais claras, principalmente os que se lembram de um Jardim Zoológico de outros tempos, as motivações para as grandes mudanças nas instalações e as consequências extremamente benéficas que daí advêm. Será durante uma hora e quinze minutos conduzida por um guia mas, depois desta visita, a forma como os visitantes olham para os animais do Jardim Zoológico nunca mais será a mesma.

visitas guiadas todos os dias às 12h00. Duração aproximada › 1h15 m Preço: €3,00/pessoa (Grátis para crianças até aos 11 anos)

{17}


{18}

Jardim Zool贸gico


© Constanze Melicharek

um último grito pelos primatas! A EAZA lançou este ano uma campanha para a salvação dos grandes primatas e gibões, que correm um risco iminente de extinção.

{19}

© Jan Vermeer

Jardim Zoológico


{20} CAMPANHA EAZA 2011

© Keetie de Koeijere

Jardim Zoológico

A proximidade física entre homens e primatas não humanos aumenta a disseminação de doenças e vírus como o ébola.

“U O Gibão-de-hainan está no limiar da extinção, com menos de 20 indivíduos no habitat natural. O Gorila-do-rio-cross conta apenas com 400 indivíduos no meio selvagem. Estima-se que o Gorila-damontanha esteja totalmente extinto dentro de apenas 50 anos.

m último grito pelos primatas” – este é o pedido de ajuda lançado pela EAZA – Associação Europeia de Zoos e Aquários. Representante de mais de 300 instituições, a EAZA tem lançado, desde 2000, campanhas anuais para a conservação de diversas espécies. Este ano, a atenção vira-se para os grandes primatas e gibões e, mais uma vez, como aconteceu em todos os outros anos, o Jardim Zoológico orgulha-se de participar ativamente na campanha. A grande missão da EAZA para 2011 tem como objetivos contribuir para aumentar a proteção do habitat, reduzir a caça e o comércio ilegal daquelas espécies e alterar o padrão de comportamento dos consumidores, de forma a reduzir a pressão sobre os animais e os seus habitats. Para conseguir formar um fundo permanente de apoio para a conservação dos primatas in situ (no habitat natural), a EAZA quer também angariar donativos no valor de 1 milhão de euros. Até agora, os donativos chegam quase a metade do valor pretendido. Todas estas metas trabalham para cumprir a grande missão: salvar os grandes primatas da extinção.


Jardim Zoológico

CAMPANHA EAZA 2011

{21}

O tráfico de chimpanzés para animais de estimação é ilegal, mas ainda assim, comum.

Mercado Bushmeat na República Democrática do Congo.

desflorestação, caça, doenças O cenário é bastante negro para as seis espécies de grandes primatas e dezasseis espécies de gibões, os chamados hominídeos, que incluem chimpanzés, gorilas, orangotangos e gibões. Todas estas espécies estão ameaçadas e quase todas, segundo a classificação da UICN (União Internacional da Conservação da Natureza), em perigo ou criticamente em perigo de extinção. O declínio das populações de Hominídeos deve-se essencialmente à caça, tanto em África como no Sudeste Asiático. Estes animais são caçados essencialmente para fins comerciais, já que a sua carne (bushmeat) é muito procurada e, embora seja menos frequente, para venda de partes do corpo, usadas em cerimónias rituais. A captura tem também outros fins, como a utilização dos primatas como animais de estimação, para entretenimento e investigação científica, sobretudo em farmacêuticas. Apesar da caça de todos os grandes primatas e muitos gibões ser proibida nos seus países de origem, a lei continua a ser ultrapassada, sem uma repressão eficaz. O comércio clandestino, muitas vezes associado a outras atividades ilegais, pro-

Participantes locais em cursos de sustentabilidade, promovidos pela Dja Biosphere Reserve, um dos projetos para o qual revertem os fundos angariados por esta campanha.

lifera, quebrando mesmo o acordo do CITES (Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Flora e Fauna Selvagem). Para os países signatários desta convenção, que inclui todos os países com populações endémicas destes animais e vários países europeus, é ilegal importar ou exportar as espécies em perigo, exceto em situações muito especiais. Os conflitos políticos e guerras civis das nações onde se encontram os hominídeos têm também dificultado ou mesmo impedido a implementação de legislação internacional, tanto no que toca à proteção das espécies como às ações de conservação. A maior ameaça que paira sobre a continuidade das diferentes espécies de hominídeos é a perda de habitat. Agricultura, desenvolvimento urbano e indústria madeireira têm passado por cima dos cuidados de conservação, destruindo árvores e outras plantas, necessárias para o alimento e abrigo dos grandes primatas e gibões. No caso do Goriladas-terras-baixas, por exemplo, a maior ameaça está na exploração mineira. A tantalite, matéria usada no fabrico de computadores e telemóveis, é extraída de uma reserva natural desta espécie, situada na República Democrática do Congo. A população desta subespécie de gorila diminuiu 80% nesta área, nos últimos anos.

© Donald Mbohli

© Renaud Fulconis

© Cleve Hicks

Entre as principais ameaças a estes primatas encontra-se o tráfico para animais de estimação, a deflorestação e a caça para comércio da sua carne.


{22} CAMPANHA EAZA 2011

© Constanze Melicharek

Jardim Zoológico

educar para conservar

Estufa para reflorestação no Borneo.

Mais estradas e mais população resultam em mais perturbações do meio, pressão para a caça e doenças. Como é sabido, a desflorestação contribui também para as alterações climáticas, cujos efeitos são nefastos para todos os hominídeos, incluindo os humanos. Além disso, se estão isoladas ou em áreas fragmentadas, as populações de hominídeos ficam mais sujeitas a catástrofes naturais, como surtos de doenças, que podem destruir um grupo inteiro de uma vez só. Esta é precisamente a terceira maior causa de destruição das espécies de hominídeos. A frequência e severidade das doenças nos hominídeos selvagens tem aumentado exponencialmente, devido não só ao comportamento humano, mas também à proximidade com o Homem. Com os flagelos da perda de habitat e da caça, enormes causadores de stress, os primatas tornam-se mais vulneráveis a vírus e infeções, muitas vezes transmitidas pelo próprio Homem. Por exemplo, pensa-se que 25% da população mundial de gorilas tenha morrido como consequência do vírus da ébola. Este vírus é especialmente mortal para os gorilas: 90% dos indivíduos desta espécie que contraem ébola morrem de fortes hemorragias internas e externas. No que toca aos chimpanzés, que também podem contrair ébola, a expansão da doença tem sido mais lenta, pois as suas populações estão mais dispersas.

Como acontece em todas as campanhas da EAZA, o Jardim Zoológico junta também a sua voz ao “Um último grito pelos primatas!”. Durante este ano, irá desenvolver diversas iniciativas pedagógicas, incluindo ações de divulgação, sensibilização, workshops, etc. A primeira delas foi o concurso escolar “SOS Grandes Primatas”, dirigido a alunos desde o Pré-Escolar até ao Ensino Secundário. Estimulando a criatividade e o debate, o Jardim Zoológico quer contribuir para uma transformação progressiva nos valores, atitudes e comportamentos da sociedade, começando pelos cidadãos do futuro. Além de o assunto ser pertinente, permite abordar temáticas curriculares ou trabalhar a Área de Projeto e está também enquadrado na Década das Nações Unidas da Educação para o Desenvolvimento Sustentável. Parceiro do Jardim Zoológico, a TMN Kids juntouse a esta causa e lançou uma ação de reciclagem de telemóveis. Por cada telemóvel antigo entregue no Jardim Zoológico, a TMN Kids irá doar 1 euro a favor desta campanha. Cada um de nós pode também fazer a diferença: basta fazer uma chamada de valor acrescentado para o número 760 78 20 30.


Jardim Zoológico

CAMPANHA EAZA 2011

um grito pelo homem É através destas campanhas que os zoos conseguem sensibilizar os cidadãos para o flagelo da destruição da biodiversidade e, neste caso concreto, para a grave situação dos primatas, mostrando-lhes o que podem fazer diariamente para ajudar a salvar o planeta. Mas a EAZA sabe que informar não chega para fazer uma mudança efetiva. Por isso, o “Um último grito pelos primatas” tem também como objetivo fazer loby junto dos decisores políticos e agentes de influência para que seja levada a cabo uma séria ação de conservação. Os principais focos estarão na perda de habitat, no comércio e no controlo das doenças. A campanha deste ano carrega consigo um peso muito especial. Os grandes primatas são os parentes mais próximos da espécie humana. Segundo alguns autores, os chimpanzés deviam mesmo ser incluídos no género humano, já que partilha de 98,4% do nosso ADN. A proximidade é enorme e verifica-se em caraterísticas muito concretas: o aumento da dimensão corporal e craniana, a ausência de cauda ou a tendência para o bipedismo. Este “último grito” da EAZA não é só pelos hominídeos selvagens; é também pelo Homem, por todos nós. A preservação do equilíbrio ecológico das florestas depende em grande parte desses grandes primatas e o Homem depende desse equilíbrio. A destruição continuada dos ecossistemas poderá ter a mais catastrófica consequência: a extinção do último hominídeo, o próprio ser humano.

caras conhecidas juntam-se ao jardim zoológico contra a extinção dos primatas “Um último grito pelos primatas!” foi o desafio que levou Ricardo Carriço, Pedro Lima e Anna Westerlund, Luís Esparteiro, Dália Madruga, Quimbé e Mónica, com as respetivas famílias ao Jardim Zoológico, para marcarem presença na apresentação da campanha de conservação da EAZA 2011/2012. “Sem o apoio de iniciativas como esta campanha da EAZA, da qual o Jardim Zoológico faz parte, estas espécies extinguir-se-ão. Todos podemos e devemos apoiar esta causa”, refere Ricardo Carriço, embaixador da campanha.

Os grandes primatas conseguem reconhecer-se num espelho e são capazes de aprender linguagem simbólica gestual humana, podendo assim comunicar connosco.

{23}


© Astrud Shute

{24} bastidores

Jardim Zoológico

De acordo com dados recentes do Nansen Enviromental and Remote Sensing Centre, a camada de gelo do Pólo Norte irá desaparecer durante o verão, nos próximos 100 anos, ameaçando a sobrevivência dos ursos-polares.


Jardim Zoológico

internacional

zoos

agentes de conservação É urgente reconhecer o papel fundamental dos zoos na conservação das espécies.

N

a Convenção de Diversidade Biológica de Outubro de diversas ameaças até que a sua reintrodução no habitat na2010, em Nagoya, no Japão, os representantes discutural seja possível. tiram um plano para reduzir a pressão na biodiversidade do Obviamente, a reprodução em cativeiro com o objetivo da planeta. Os principais objetivos incluem expandir a coberreintrodução tem desvantagens. Fatores político-sociais tura das áreas protegidas, reduzindo para metade a taxa podem determinar o sucesso dos programas, como por de perda dos habitats naturais e, assim, prevenir a extinexemplo, o facto de as comunidades locais não estarem ção de espécies ameaçadas. No entanto, para as espécies suficientemente envolvidas nos esforços de conservação. cujos habitats estão severamente ameaçados, o cenário é Além disso, a reprodução em cativeiro é cara e dificuldatão negro que a União Internacional para a Conservação da des técnicas podem surgir, como a hibridação (reprodução Natureza reconheceu que as ações entre espécies diferentes). Mais A reprodução em cativeiro de conservação in situ terão de ser ainda, a capacidade dos indivídupoderá ser, a curto prazo, conjugadas com trabalho ex situ os para aprender técnicas cruciais a única opção de consercomo a reprodução em cativeiro nos para a sua sobrevivência no habitat vação para espécies confizoos, aquários, etc. natural (como o medo de predadonadas a habitats cada vez A reprodução em cativeiro poderá ser, res ou de humanos) podem estar mais reduzidos. a curto prazo, a única opção de concomprometidas. Em muitos casos, servação para espécies confinadas a estas dificuldades têm sido ultrahabitats cada vez mais reduzidos. Contudo, ela pouco ou nunca passadas por medidas criativas e específicas. E, porque a é contemplada nas políticas da maior parte dos governos. conservação ex situ pode ser desafiante se utilizada só no Uma recente avaliação do estado dos vertebrados concluiu último momento, quando já há poucos indivíduos de uma que a reprodução em cativeiro teve um papel fundamental espécie, a reprodução em cativeiro não deveria ser vista na recuperação de 17 das 68 espécies cujo nível de ameaça simplesmente como um tratamento de urgência. É uma reduziu. Este tipo de reprodução tem o potencial para manferramenta que devia ser considerada antes de as espécies ter as populações das várias espécies em segurança contra chegarem a um beco sem saída.

{25}


{26} internacional Jardim Zoológico

O Lince-ibérico é uma espécie considerada pré-extinta com uma população de apenas 279 indíviduos em finais de 2010. A reprodução em cativeiro é crucial para a sua sobrevivência. Segundo o UICN, o Axolote é uma espécie criticamente em perigo. Há vários indivíduos desta espécie sob cuidados humanos pelo mundo, mas sua a reintrodução no habitat natural não é recomendável até que as ameaças e riscos genéticos sejam controlados. Segundo os dados do ISIS (Sistema de Informação de Espéefetivas. A habituação a um novo lar é provavelmente mais cies Internacional), nos zoos e aquários existem espécimes rápida em animais criados em condições similares às dos de cerca de uma em cada sete espécies ameaçadas (15%), seus habitats naturais. Esta é uma das razões pelas quais é mas é importante considerar o número de indivíduos. Ao sugerido que a reprodução em cativeiro seja feita no país de todo, nos vários zoos habitam populações consideráveis, origem da espécie. Há grandes zonas do mundo com um alto incluindo algumas altamente ameaçadas. Contudo, cada valor de biodiversidade, contudo os seus zoos não estão bem zoo pode ter uma contribuição para a conservação se se representados numa rede global. Os responsáveis pelas poespecializar em reproduzir algumas espécies em perigo líticas devem encorajar e facilitar a participação dos zoos de em vez de almejar aumentar a diversidade de espécies, já regiões com alto nível de biodiversidade ameaçada em redes que mais especialização traz consigo maior sucesso na reglobais, como a ISI e a WAZA (Associação Mundial de Zoos e produção. Aquários). Para além disso, dados do habitat O potencial da sua contribuição Os zoos e os aquários têm natural estão muitas vezes indispopara a conservação não é um condesenvolvido projetos de níveis, especialmente no que diz resceito novo para a comunidade de conservação nos habitats peito a espécies em perigo. Já a rede zoos. Os zoos e os aquários têm denaturais, em conjunto de zoos tem uma grande quantidasenvolvido projetos de conservação com pesquisa e prograde de dados que podem ser usados nos habitats naturais, em conjunto mas educativos. para colmatar estas falhas. É claro com pesquisa e programas educaque as conclusões dos zoos devem tivos. Por exemplo, os membros da ser usadas com cautela, porque podem não refletir necessaWAZA gastam 350 milhões de dólares por ano em ações riamente a realidade do habitat natural. de conservação nos habitats naturais, o que faz deles o Apesar das suas atuais e potenciais contribuições para a maior contribuinte mundial, a seguir à Nature Conservancy conservação, os zoos do ISIS estão concentrados em regiões e à World Wildlife Fund (WWF). Dada a escala do desafio temperadas, enquanto que a maioria das espécies ameaçada biodiversidade, é vital que os agentes da conservação e das encontram-se em climas tropicais. Esta disparidade coos governos considerem o potencial que os zoos enquanto loca um desafio à implementação de ações de conservação rede global podem fornecer.


Jardim Zoológico

Agenda

{agenda}

junho a novembro de 2011

4 de Junho

5 de Junho

1, 2 e 3 de Julho

festa da criança

dia mundial do ambiente

festival panda

Exibição da peça de teatro “O menino da selva” às 16h45 no Bosque Encantado. Presença da Hello Kitty às 11h00 no espetáculo da Baía dos Golfinhos com sessão de autógrafos das 16h45 às 18h00. Presença de Rita Pereira às 15h00 no espetáculo da Baía dos Golfinhos. Pinturas faciais.

Animação com a Mascote SIC K.

Este ano com a participação do Jardim Zoológico!

Presença do Gombby no espetáculo da Baía dos Golfinhos (11h e 15h). Exibição da peça de teatro “O menino da selva” às 16h45 no Bosque Encantado.

28 de Julho

Gincanas Ambientais.

dia da conservação

Ateliers Ciência Divertida.

Ateliers Ciência Divertida.

Pinturas Faciais.

Exibição da peça de teatro “O menino da selva” às 16h45 no Bosque Encantado.

5 a 8 de Junho

semana do ambiente

Animação didática sobre a temática do ambiente com a presença da ERP e Sociedade Ponto Verde.

8 de Junho

dia dos oceanos

4 de Outubro

O Museu da Água da EPAL traz ao Zoo uma exposição itinerante sobre a Biodiversidade.

Ateliers Ciência Divertida.

Ateliers Ciência Divertida.

dia do animal Exibição da peça de teatro “O menino da selva” às 16h45 no Bosque Encantado.

Pinturas Faciais. Exibição da peça de teatro “O menino da selva” às 16h45 no Bosque Encantado. TODAS AS informações em www.zoo.pt

ATELIERS CIÊNCIA DIVERTIDA

{27}


Estrada de Benfica, 158/160 1549-004 LISBOA Tel: +351 217 232 900 Fax: +351 217 232 901 info@zoolisboa.pt www.zoo.pt

Profile for Jardim Zoológico

Revista Jardim Zoológico | Junho 2011  

Revista semestral Jardim Zoológico Lisboa . Portugal

Revista Jardim Zoológico | Junho 2011  

Revista semestral Jardim Zoológico Lisboa . Portugal

Advertisement