Page 1

17 | Automação | Abril 2019

A fonte de informação em automação industrial

SOLUÇÕES DA JOHNSON CONTROLS GARANTEM SEGURANÇA ÀS INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS

18 NOVAS CPUS REDUNDANTES SIEMENS

26 INDÚSTRIA 4.0 E IOT EXPANDEM APLICAÇÕES COM SENSORES INTELIGENTES

4

PEPPERL+FUCHS APRESENTA O SISTEMA DE PURGA E PRESSURIZAÇÃO DE PRÓXIMA GERAÇÃO

31


17 | Automação | Abril 2019

REVISTA AUTOMAÇÃO

KEYENCE

4

9 HONEYWELL

10 ROCKWELL AUTOMATION

SCHNEIDER ELECTRIC

11

12

YASKAWA

14

ABB

WESTCON

16

17

MITSUBISHI ELECTRIC

JOHNSON CONTROLS

18

SIEMENS

DANFOSS

22

23

20 ELIPSE SOFTWARE

24

PILZ

SIEMENS

25

26

ANUNCIANTES: IBP 6 • NORD 8 • FLIR 21 • LENZE 29

www.revista-automacao.com


YASKAWA

SCHMERSAL

27

28 PEPPERL +FUCHS PROCESS AUTOMATION

31

DORMER PRAMET

30 SECO TOOLS

STEUTE

32

35

PEPPERL +FUCHS FACTORY AUTOMATION

36

Contato: Sílvia Bruin Pereira Editor: silvia@revista-automacao.com A fonte de informação em automação industrial

Press-releases devem ser enviados para: silvia@revista-automacao.com

Para receber a Revista Automação gratuitamente inscreva-se no site www.revista-automacao.com A Revista Automação é publicada pela INDUPORTALS MEDIA PUBLISHING em português para técnicos e engenheiros de automação. O seu conteúdo inclui panoramas de mercado, lançamentos de novos produtos, artigos técnicos e casos de aplicação, bem como notícias da indústria e de negócios. A Revista Automação tem um cuidado minucioso na preparação de seus textos; no entanto, não pode garantir a precisão das informações que são propostas. Suas equipes não são responsáveis pelo conteúdo dos meios de comunicação ou pelo seu uso.

INDUPORTALS

MEDIA PUBLISHING


PANORAMA DO MERCADO

INDÚSTRIA 4.0 E IOT EXPANDEM APLICAÇÕES COM SENSORES INTELIGENTES Os sensores são dispositivos importantes nas indústrias de processo e manufatura há longo tempo. Mais recentemente, ganharam destaque. Em razão das suas capacidades aumentadas, da sua flexibilidade e dos seus tamanhos menores, tornaram-se inteligentes. E esta é uma característica que faz do sensor inteligente um astro no panorama da Indústria 4.0 e da IoT. Para os usuários isto significa mais lucratividade por meio de ativos mais produtivos.

É

o que confirma Bruno Kim, Gerente de Marketing da KEYENCE. “São vários os retornos que uma solução inteligente pode trazer. Por exemplo, a confiabilidade na inspeção que deve ser feita (seja medição ou visual) é irrefutavelmente superior ao julgamento feito por uma pessoa. A inspeção automática não está sujeita ao viés humano, trazendo maior repetibilidade à etapa do processo e velocidade também. A redução de manutenção também é um fator importante, uma vez que a evolução da tecnologia fez com que os instrumentos de inspeção se tornassem mais robustos às intempéries do ambiente industrial; logo a produtividade da linha é preservada e melhorada. Economias de tempo e recursos também compõem a lista de benefícios, dado que a produtividade é infinitamente superior, fazendo com que haja redução dos custos de mão de obra”, comenta.

MAIS INFORMAÇÕES

A KEYENCE aposta em seu Sistema de Visão, com o propósito de inspeções visuais superficiais. Recentemente a empresa lançou a tecnologia multiespectro, que conta com uma iluminação em diversas faixas do espectro de luz, para que se tenha o melhor contraste e estabilidade da aplicação. Dessa forma, o método de captura é um diferencial no mercado, e que se torna interessante para os clientes para que tenham robustez, além de uma inspeção livre do viés da interpretação subjetiva. 17 | Automação | Abril 2019

4

ROCKWELL AUTOMATION página 11


PANORAMA DO MERCADO

KEYENCE página 9

MAIS INFORMAÇÕES

HONEYWELL página 10

17 | Automação | Abril 2019

5


PANORAMA DO MERCADO

Confiabilidade de medição, redução de manutenção e recalibração, economia de tempo e recursos. Todos esses benefícios dos sensores inteligentes estão vinculados, na opinião de Gustavo Takizawa, Engenheiro de Aplicação da Divisão de Sensing and IoT da HONEYWELL. “Porém, eu diria que a confiabilidade na medição é a chave para que um sensor inteligente tenha sucesso. Uma vez que se possa confiar nas medições que o sensor realiza, os benefícios que ele trará acarretam nas questões de redução da manutenção, já que se pode prever alguma anomalia no sistema e, com isso, aumenta-se eficiência dos recursos (pessoas) e, em paralelo, os custos com os recursos que utiliza para esse tipo de tratativa”, justifica. A HONEYWELL utiliza várias tecnologias em seus sensores para medições de diversas grandezas, tais como pressão, umidade, temperatura, posição, etc. Dentre elas, a MEMS (Microelectromechanical) e a ASIC (Application Specific Integrated Circuits) com o objetivo de obter dados de forma precisa e confiável. O sensor Smart Position (Superior Measurement. Accurate. Reliable. Thinking.), por exemplo, é um ASIC com uma confiabilidade por agregar diversos circuitos integrados para detecção de campos magnéticos (sensores de efeito-hall) para a medição precisa da posição de um objeto. Para o Gerente de Produtos da ROCKWELL AUTOMATION, Maurício César Brichesi Filho, o cálculo do ROI para a aplicação de sensores inteligentes será baseado nas condições anteriores da máquina/linha onde forem instalados (por exemplo, incidência de quebra, redução da qualidade do produto, redução de OEE). “Os sensores inteligentes têm a capacidade de reduzir os custos de manutenção por permitirem a troca automática de sensores, reduzindo-se assim o MTTR da máquina/linha, e são capazes de enviar informações contextualizadas sobre a situação real que acontece no campo, permitindo o usuário final a tomar decisões de forma mais rápida e eficiente”, explica. Já a tecnologia de sensores inteligentes da ROCKWELL AUTOMATION é habilitada através de três componentes: sensores com diagnósticos avançados (IODD Advanced); a tecnologia de conexão IO-Link, para envio de mais informações aos sistema de controle; e a integração avançada que existe entre seus sensores e controladores, capacidade única no mercado.

“Indústria 4.0 e o IoT influenciam e demandam um avanço no mercado dos sensores inteligentes de uma forma muito agressiva, onde cada vez mais o mundo necessita de uma otimização de processos, recursos e aumento na rentabilidade 100% nos processos. Os sensores inteligentes são basicamente o coração da indústria 4.0 e IoT; eles têm o papel fundamental na aquisição de dados de forma rápida, eficiente e precisa”, pontua o Engenheiro de Aplicação da Divisão de Sensing and IoT da HONEYWELL. Ele acrescenta que as aplicações que mais crescem no Brasil são as de Smart Agriculture e de Smart Energy, pois são os mercados nos quais o Brasil possui know-how e grande capacidade produtiva e, com isso, maior concorrência, além de demandar uma atualização de tecnologia a cada ano. “O sensor combinado deve se destacar no mercado nos próximos anos”, garante Takizawa. “Esse tipo de sensor consegue coletar dados de diversos tipos, como, por exemplo, um sensor combinado como o nosso HumidIcon, que combina temperatura e umidade em um só sensor com uma saída digital para comunicação. O máximo de informações que um sensor conseguir combinar (pressão, umidade, temperatura, posição, etc.), mais otimiza o espaço em um equipamento e facilita para o trabalho de engenharia de produto transformar um projeto em realidade”, declara. Da mesma forma, o Gerente de Produtos da ROCKWELL AUTOMATION reitera que a base para o avanço da indústria 4.0 e do IoT está focada na modernização dos sensores e atuadores. “Segundo o modelo ISA-95, o nível 0, que contém sensores e atuadores, eles são os responsáveis por fornecer informações confiáveis para os sistemas analíticos e de gestão. Caso essas informações sejam de má qualidade, as tecnologias de analíticos e Machine Learning terão sua perfomance reduzida”, resume. Brichesi diz que as principais aplicações estão na tecnologia analógica (pressão, temperatura, distância), que, além, de habilitar a produtividade, reduz custos com cabeamento dos seus dispositivos de campo. Por esta razão, o executivo assegura que os sensores analógicos terão um destaque maior, visto que as facilidades na implementação desse sensor serão superiores ao sensor digital como, por exemplo, sensores de distância, sensores de cor, sensores de condição, dentre outros. FUTURO Quais segmentos industriais terão as maiores demandas por sensores inteligentes nos próximos anos, por enquanto, é um exercício futurista para o Gerente de Marketing da KEYENCE. “Mesmo que empresas diferentes produzam produtos de categoria similares, a forma com a qual podem ser produzidos é, na maioria dos casos, bem diferente. Acreditamos que todos os segmentos que atuam na manufatura de produtos, sem nenhuma limitação de categoria, são candidatos a aumentarem as suas demandas por tais produtos. O princípio que se considera é que todo produto que passa por um processo de beneficiamento está sujeito à inspeção para confirmar se está atendendo aos critérios de qualidade”, ensina Kim.

MAIS INFORMAÇÕES

INDÚSTRIA 4.0 E IoT O Gerente de Marketing da KEYENCE avalia que ainda é um pouco cedo para falar sobre o avanço da Indústria 4.0 no Brasil. Isto porque ele entende que não se trata apenas de uma mudança no plano de hardware, mas também envolve uma forte interação via software, ou seja, inclui também uma grande modificação na infraestrutura das fábricas. “De qualquer forma, o principal quesito é a possibilidade de se estabelecer a comunicação entre o sensor e a rede de informações, somada à automação de processos. Temos percebido uma grande movimentação do mercado em direção à procura de soluções para inspeções automáticas, e acreditamos que pode ser o primeiro passo para a evolução no parque fabril brasileiro”, visualiza. Kim pondera que é arriscado definir um tipo de sensor que será um destaque no mercado, porque varia em função de cada situação que se estabelece. “Considerando que o mercado tem pesquisado sobre automação na parte de inspeções, é provável que os

sensores que estejam relacionados a esse tipo de propósito podem ter um maior destaque da em diante”, prevê.

De acordo com o Engenheiro de Aplicação da Divisão de Sensing and IoT da HONEYWELL, os segmentos de agricultura, energia e médico devem demandar cada vez 17 | Automação | Abril 2019

7


PANORAMA DO MERCADO

mais sensores inteligentes a cada passo que a tecnologia vem se atualizando. “Esses mercados têm um potencial enorme de tipos de sensores a serem utilizados como, por exemplo, em uma colheitadeira, na qual pode-se utilizar sensores de posição, IMUs, pressão, temperatura, velocidade, GPS, corrente e muitos outros. Além do mais, esses mercados demandam um acompanhamento em tempo real dos dados coletados por esses sensores, a fim de uma tomada de decisão por parte dos operadores que estejam realizando a operação do equipamento. Os mercados de energia e médico são os que demandam tecnologias mais atualizadas e com uma precisão para a coleta dos dados necessários, principalmente o médico, no qual é possível um médico realizar as análises de um só local para diversos pacientes em tempo real, além de aumentar confiabilidade dos sistemas e diminuir uma potencial falha”, detalha Takizawa.

De acordo com o estudo da Markets and Markets, empresa indiana que fornece pesquisa de mercado quantificada, o mercado de sensores industriais deve ser avaliado em US$ 16 bilhões em 2018 e deve chegar a US$ 21,6 bilhões até 2023, a uma taxa anual de crescimento de 6,16%. Segundo a pesquisa, esse crescimento é impulsionado pelo avanço da Indústria 4.0 e da IIoT, pela expansão do mercado de sensores sem fio e pela crescente demanda por robôs industriais. Acredita-se que os avanços nos sensores inteligentes continuarão rapidamente, em especial em tamanho, desempenho e preço. Dessa forma, a sua proliferação seguirá evoluindo na medida em que a segurança na IoT melhorar e tornar mais segura a transmissão de dados importantes. E isso levará à adoção em outras indústrias.

Já o Gerente de Produtos da ROCKWELL AUTOMATION julga que os segmentos industriais que terão o maior benefício dessa tecnologia serão os de alimentos e bebidas, automotivo e pneu, e a manufatura clássica. “Esses setores possuem diversos sensores espalhados em suas instalações, os quais são ligados em cartões de I/O convencionais, e a falta de informação que isso traz ao usuário causa consequências graves, como parada de planta e redução da confiabilidade de operação. Dessa forma, terão um aumento significativo de produção/confiabilidade se aplicarem essa tecnologia”, orienta Brichesi.

ANTRIEB

DER

Sílvia Bruin Pereira - Editora - REVISTA AUTOMAÇÃO

■ Confiável ■ Versátil ■ Global

NORD DRIVESYSTEMS: ■ Alta gama de potência ■ Soluções completas e flexíveis ■ Sistemas de alta eficiência

DerAntrieb.com NORD Drivesystems BRASIL LTDA. Matriz Brasil Rua Dr. Moacyr Antonio de Moraes, 127 Pq. Sto Agostinho Guarulhos, SP 07140-285 +55 11 24 02 - 88 55 info.br@nord.com

MAIS INFORMAÇÕES

Member of the NORD DRIVESYSTEMS Group The

Gear Unit

Motor

The

Drive Electronic

■ Rolamentos reforçados ■ Alta proteção contra corrosão

■ Alta eficiência ■ Padrões globais

■ Design compacto ■ Fácil instalação

■ Alta relação de potência x peso

■ Para todas condições de operação

■ Classe de proteção até IP 69K

17 | Automação | Abril 2019

8

The


PANORAMA DO MERCADO

SÉRIE CV-X MULTISPECTRUM: FLEXIBILIDADE E ROBUSTEZ EM INSPEÇÃO VISUAL

Linha conta com a tecnologia Lumitrax™, onde a imagem final é obtida através da sobreposição de várias imagens obtidas em diferentes ângulos de iluminação

A

Série CV-X Multispectrum traz um algoritmo completamente novo de inspeção. Utiliza uma câmera monocromática de alta velocidade, em conjunto de uma iluminação com oito cores diferentes. Isso permite que os usuários obtenham uma aplicação precisa, mesmo em diferenças sutis de tonalidade da cor da peça. Também conta com a tecnologia Lumitrax™, onde a imagem final é obtida através da sobreposição de várias imagens obtidas em diferentes ângulos de iluminação, para eliminar reflexos e aumentar os contrastes. Isso faz com que os usuários consigam gerar imagens facilmente, que em casos normais exigiria muita experiência e tempo de montagem.

Em resumo, trata-se do sistema de visão mais avançado em hardware e software, provendo a maior flexibilidade e robustez nas aplicações de inspeção visual, levando em consideração também a facilidade de utilização para todos os usuários. www.keyence.com.br

MAIS INFORMAÇÕES 17 | Automação | Abril 2019

9


PANORAMA DO MERCADO

SENSOR DE POSIÇÃO SMART POSITION

Sensor utiliza combinação de circuito integrado ASIC (Application-Specific Integrated Circuit) e uma matriz de sensores MR (magnetoresistivo).

O

sensor de posição Smart Position é um dos sensores de posição mais adaptáveis e leves disponíveis na indústria, permitindo um controle de movimento altamente preciso e melhorando a eficiência e a segurança da operação. Seu design simples e sem contato elimina os mecanismos com potencial falha mecânica, reduzindo o desgaste, melhorando a confiabilidade e a durabilidade e minimizando o tempo de inatividade do equipamento.

MAIS INFORMAÇÕES

O sensor de posição Smat Position é uma solução de detecção sem contato para detecção de posição absoluta com precisão aprimorada.

17 | Automação | Abril 2019

10

Esses sensores usam uma combinação de circuito integrado ASIC (Application-Specific Integrated Circuit) e uma matriz de sensores MR (magnetoresistivo) para determinar com precisão e confiabilidade a posição de um ímã ligado a um objeto em movimento, para que a posição do objeto possa ser determinada ou controlada. www.honeywell.com/worldwide/en-br


N O V I D A D E DO MERCADO PANORAMA

NOVO SENSOR FOTOELÉTRICO PARA APLICAÇÕES EXIGENTES

Sensor de alto desempenho oferece detecção de longa distância e maior tolerância às condições do ambiente para indústrias como alimentos e bebidas, manuseio e movimentação de materiais e embalagens.

O

sensor fotoelétrico Allen-Bradley 42AF RightSight M30 da Rockwell Automation é fabricado com resistência aprimorada para o meio ambiente e detecção de longa distância em invólucro de tamanho médio com saída em ângulo reto, e oferece a flexibilidade e o desempenho exigidos para uma grande variedade de aplicações para alta demanda.

MAIS INFORMAÇÕES

Desenvolvidos com a tecnologia IO-Link, esses sensores se integram facilmente às arquiteturas de automação, fornecendo dados e diagnósticos diretamente do sensor para um sistema de controle, ajudando a minimizar paradas e a aumentar a produtividade, sendo um dos pilares da indústria 4.0. Com esse recurso, os sensores fornecem informações como intensidade de sinal, localização, alarmes de proximidade e funções de temporização que elevam a eficiência operacional e reduzem o tempo de parada de planta. Os indicadores LED de status 360 graus de alta visibilidade auxiliam na configuração, monitoramento e resolução de problemas. www.rockwellautomation.com/pt_BR

17 | Automação | Abril 2019

11


APLICAÇÃO

TECNOLOGIA SCHNEIDER ELECTRIC MODERNIZA UNIDADE DA KLABIN

A Unidade Puma, fábrica de celulose da Klabin, teve sua transformação digital em automação a cargo da Schneider Electric.

E

m março de 2016, a Klabin iniciou a produção, em Ortigueira, PR, da Unidade Puma, projetada para produzir celulose de fibra curta, celulose de fibra longa e celulose fluff. Equipada com tecnologia de automação da Schneider Electric, a planta tem capacidade de produzir, por ano, 1,5 milhão de toneladas de celulose e 250 MW de energia elétrica.

Com a implementação de tecnologias como o sistema de controle Foxboro EVO (hoje Foxboro DCS) e o software de gerenciamento de sistemas System Auditor (hoje System Advisor) – ambos parte do EcoStruxure Plant da Schneider Electric – a Klabin conta com uma planta apta a ser conectada, mantendo o conceito de Indústria 4.0 para o qual foi projetada.

MAIS INFORMAÇÕES

O EcoStruxure da Schneider Electric é uma arquitetura aberta, plug and play, que permite integração em todos os níveis da empresa e dos seus negócios, garantindo a digitalização. Na Unidade, a plataforma é uma das tecnologias que viabilizou a economia digital, além de ter ajudado a fornecer eficiência operacional de ponta a ponta. As soluções foram aplicadas com foco na manutenção, no gerenciamento, na otimização e na digitalização de toda a cadeia de valor – o que permitiu à operação uma reação dinâmica para mudanças, com condições de alcançar melhores resultados de negócios. “Em um ambiente fabril, o mais comum é se trabalhar com arquiteturas de camada de controle e operação. Mas, agora, vai além. É possível transformar uma informação de processo em algo tangível para a camada de gestão da 17 | Automação | Abril 2019

12


NOVIDADE

Vista noturna da Unidade Puma da Klabin/Divulgação Klabin.

companhia. Dessa forma, os operadores têm informação de planta no aplicativo do celular. O EcoStruxure é uma das ferramentas que permite à Klabin o alcance de seus KPIs. Com isso, a companhia sabe o quanto gera, o quanto produz, o custo de operação e a qualidade do produto, entre outras informações relevantes”, afirma Cristiano dos Anjos, vice-presidente de Indústria da Schneider Electric Brasil.

MAIS INFORMAÇÕES

Para Álvaro Lopes Flauzino, especialista em Automação da Klabin, passado o período de curva de aprendizagem, é possível afirmar que a arquitetura, além de realizar controle da produção, atende a todas as exigências da planta e possibilita o gerenciamento em tempo real. “A tecnologia aplicada permite a flexibilidade na integração entre os sistemas, facilitando a identificação de problemas e a realização de um rápido diagnóstico. Alguns exemplos são o controle direto de processos industriais que, tradicionalmente, utilizavam CLPs intermediários, o tráfego de quase 100 mil tags para o PIMS e o diagnóstico online de instrumentos e posicionadores – diminuindo a intervenção física do manutentor em campo. Os dashboards no gerenciamento de alarmes e ativos trazem mais confiança para a tomada de decisão de manutenção da unidade. Além disso, a alta disponibilidade do sistema permite a operação da planta sem interrupções desde a partida”, conclui. www.se.com/br/pt/

17 | Automação | Abril 2019

13


APLICAÇÃO

ROBÔS DA YASKAWA MOTOMAN LEVAM A AUMENTO DE PRODUTIVIDADE DA SULPLAST

A Sulplast também obteve ganhos significativos de qualidade nos seus produtos e na repetibilidade de seus processos produtivos.

E

m face do acirramento da concorrência, do aumento dos volumes e da elevação dos padrões de qualidade exigidos pelo mercado, especialmente das montadoras, a Sulplast, especializada no desenvolvimento e fabricação de peças técnicas em Fibra de Vidro e Termoplástico para uso nos mais variados setores da indústria, vem modernizando seu parque fabril, localizado em Rio Claro, São Paulo.

Segundo o diretor da Sulplast, Pedro Luiz Biancardi, através da implantação das células robotizadas da Yaskawa Motoman, parceria que teve início em 2010, a Sulplast obteve um ganho de produtividade, na ordem de 30%, em relação às operações manuais. “A empresa precisava adquirir uma solução que lhe permitisse obter ganhos de produtividade, custos e qualidade, de maneira que a companhia pudesse permanecer competitiva no mercado”, afirma.

MAIS INFORMAÇÕES

O executivo ressalta que o primeiro robô adquirido foi o modelo UP50N NX100, aplicado para acabamento, ou seja, corte e furação de peças plásticas. Após o sucesso na implantação da primeira célula robotizada em 2010, a Sulplast já adquiriu mais duas células da Yaskawa Motoman: o robô MH165 DX100, instalado em 2014, e o robô MH180 DX200, adquirido no final de 2018 para suprir o aumento de demanda em função de novos projetos que estão sendo desenvolvidos pela empresa, cuja conclusão da instalação está prevista para junho de 2019. O diretor destaca que os robôs estão instalados no setor de Termoplástico da Sulplast, realizando as operações de corte e furação das peças produzidas pelos processos de 17 | Automação | Abril 2019

14


NOVIDADE

vacuum forming e rotomoldagem. “Cada célula dispõe de três mesas para abastecimento simultâneo, nas quais as peças são colocadas em dispositivos específicos e fixadas à vácuo. De fato, cada peça desenvolvida apresenta um dispositivo de corte/furação exclusivo, no qual existe uma tomada binária que faz comunicação automática com o robô. Assim, uma vez fixada a peça no dispositivo e liberada a mesa de trabalho pelo operador, o robô reconhece automaticamente a programação feita para o acabamento, iniciando imediatamente o processo de corte e furação da peça em questão”, explica. Dessa forma, “graças aos investimentos contínuos em inovação e automação dos seus processos produtivos, a Sulplast se tornou referência no segmento de peças técnicas em fibra de vidro e termoplástico, fornecendo sistemas completos para as principais montadoras do mundo dos mais variados setores da economia, tais como: automotivo, máquinas e implementos agrícolas e equipamentos de construção civil, entre outros”, finaliza. MAIS INFORMAÇÕES

www.motoman.com/brasil

17 | Automação | Abril 2019

15


N OT Í C I A

ABB E ERICSSON ASSINAM DOCUMENTO DE COLABORAÇÃO PARA AUTOMAÇÃO FLEXÍVEL SEM FIO

O CEO da ABB, Ulrich Spiesshofer, e Börje Ekholm, Presidente e CEO da Ericsson.

Sistema de automação inteligente implantado nas instalações de fabricação da Ericsson em Tallinn, Estônia, usa solução de célula robótica flexível totalmente automatizada da ABB.

A

ABB e a Ericsson reforçaram seu compromisso de acelerar o ecossistema industrial para automação flexível sem fio, o que possibilitará melhores serviços conectados, IoT industrial e tecnologias de inteligência artificial no futuro. Os parceiros assinaram um Memorando de Entendimento na Hannover Messe 2019, estabelecendo sua visão conjunta para futura produção flexível com automação e comunicação sem fio. A colaboração vem durante a era da Indústria 4.0 e a conectividade 5G, que permitem às empresas aumentar a produtividade, com a ajuda da automação e digitalização.

MAIS INFORMAÇÕES

O documento confirma o acordo dos parceiros para continuar sua forte colaboração em pesquisa, explorar melhorias nos processos de fabricação e automação e descobrir novas oportunidades de negócios para o ecossistema industrial. “Estamos muito animados para ampliar nossa parceria com a Ericsson, à medida que o mundo se aproxima da era da tecnologia 5G”, disse o CEO da ABB, Ulrich Spiesshofer. “A liderança da ABB em indústrias digitais, combinada 17 | Automação | Abril 2019

16

com o trabalho pioneiro da Ericsson em conectividade, abrirá novas oportunidades para os clientes aumentarem a produtividade e a competitividade digitalizando seus negócios”. “A Ericsson e a ABB já têm uma forte colaboração na pesquisa de tecnologias 5G e Industrial IoT”, disse Börje Ekholm, presidente e CEO da Ericsson. “Com este Memorando de Entendimento fortalecemos nossa parceria para acelerar o ecossistema industrial e aproveitar todo o potencial da automação flexível, abrindo novas oportunidades de negócios, combinando o 5G e Indústria 4.0”, completou Ekholm. Os dois parceiros já estão monitorando rapidamente a introdução de uma nova geração de tecnologias inteligentes de fábrica, com a Ericsson implantando um sistema de automação inteligente em suas fábricas em Tallinn, Estônia. A ABB forneceu uma solução de célula robótica flexível totalmente automatizada que monta rádios 5G para a Ericsson. https://new.abb.com/br


N OT Í C I A

WESTCON É QUALIFICADA PELA SCHNEIDER COMO DISTRIBUIDOR ESPECIALISTA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

Programa da Schneider certifica parceiros distribuidores especialistas em soluções de automação industrial.

A

Westcon Instrumentação Industrial – empresa brasileira que fornece produtos e soluções ao mercado nacional há 25 anos –, acaba de ser nomeada pela Schneider como Industrial Automation Distributor (IAD), um programa da multinacional que certifica distribuidores especialistas em soluções de automação industrial.

Como distribuidor especialista de automação industrial, a Westcon é responsável por atender a carteira de clientes de sua região, agregando valor no atendimento com

A Schneider avalia que o programa IAD traz maior capilaridade no atendimento ao cliente final, permitindo maior presença no mercado industrial, por meio de um número maior de especialistas em automação industrial com produtos da companhia. “A Schneider é uma marca fortíssima, com um portfólio de produtos e soluções para um vasto leque de segmentos da indústria, com tecnologia de ponta e qualidade reconhecida mundialmente”, comenta Paolo Capecchi, Diretor Geral da Westcon. “Como distribuidor, é importante saber que temos o respaldo de uma organização tão sólida. Dessa forma, podemos transmitir confiança e segurança para todos os clientes. A Westcon se identifica com os princípios de ética e compliance adotados pela Schneider, que coincidem com a sua postura junto ao mercado, clientes, parceiros e fornecedores”, pontua Capecchi.

MAIS INFORMAÇÕES

A seleção feita pela Schneider é baseada em inúmeros atributos. Para ser nomeada IAD, a empresa deve possuir experiência em distribuição de automação industrial; ter um vasto conhecimento do mercado industrial em diversos segmentos; e contar com uma equipe técnica altamente qualificada e com experiência em projetos de integração que alcance todo o portfólio de produtos das famílias EcoStruxure Machine e EcoStruxure Plant em seus três níveis: (1) sensores, medição e acionamentos; (2) controle e (3) aplicações analíticas (supervisório, historiador e sistemas MES). O objetivo é que o IAD seja capaz de oferecer soluções que agreguem valor tanto à indústria de manufatura como a de processo.

um estoque local de produtos de automação Schneider, oferecendo laboratório de teste, workshops e especificação de produtos (pré-venda), bem como suporte técnico (pósvenda).

www.wii.com.br 17 | Automação | Abril 2019

17


N OT Í C I A

SOLUÇÕES DA JOHNSON CONTROLS GARANTEM SEGURANÇA ÀS INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS

Metasys tem exibição termográfica das condições de temperatura, tela gráfica para monitoramento e controle do ambiente por meio de animações de fácil compreensão.

A gestão da segurança e climatização em uma fábrica de alimentos e bebidas impacta diretamente nos custos e no conforto dos trabalhadores.

Q

ualidade e climatização do ambiente, sistemas de proteção contra incêndios, acesso e sistema de vídeo vigilância (CFTV) são itens fundamentais para o funcionamento seguro de uma planta industrial. A Johnson Controls, líder global em soluções de eficiência energética e tecnologia para edifícios, implanta soluções que operem de forma integrada, proporcionando economia, confiabilidade e segurança aos clientes na sua operação.

A automação no sistema de ar condicionado (que inclui controle de temperatura, umidade e filtragem do ar de cada ambiente) garante que o manuseio dos produtos seja feito dentro dos parâmetros adequados de cada alimento. “A ventilação deve ocorrer de maneira adequada, de forma que a área interna tenha sempre pressão positiva, ou seja, o ar deve ser mantido no ambiente e com pouca quantidade saindo pela exaustão. Já a exaustão não deve ser maior do que o ar que entra no ambiente, com o objetivo de evitar contaminação externa. O ar interno em circulação deve ser filtrado e com controle de temperatura e umidade”, explica Fernando Baratella, executivo de contas da Johnson Controls.

MAIS INFORMAÇÕES

A solução da Johnson Controls para automação no sistema de HVAC e de integração multiplataforma é o Metasys. A ferramenta tem exibição termográfica das condições de temperatura, tela gráfica para monitoramento e controle do ambiente por meio de animações de fácil compreensão. Assim, permite que os operadores monitorem mais facilmente as condições da instalação usando uma interface intuitiva, em tempo real, por meio de smartphones e tablets. A integração de múltiplos sistemas permite a unificação de 17 | Automação | Abril 2019

18


Simplex tem como principal diferencial a UL e a FM Global, duas das mais importantes certificações americanas em segurança de produtos e gestão de riscos. Illustra faz parte do rol de grandes marcas do mercado de CFTV.

multisistemas independentes em uma única plataforma de gestão. O recurso de “Dash Board” torna possível a operação comparável com outros ambientes similares de mercado por meio de dados estatísticos e gerenciáveis, sendo este recurso vital para o mapeamento da eficiência local ou de multisites em um só Sistema Supervisor. Na parte de proteção de incêndio, o sistema de detecção e alarme de incêndio é composto por detectores que captam um princípio de incêndio e informam rapidamente, por meio da central de alarme, para que o combate seja efetuado. O combate ao incêndio pode ser automatizado (sprinklers, gás, geradores de espuma) e existem diversos tipos de detectores (fumaça, temperatura, aspiração, barreira linear), que são dimensionados de acordo com o risco oferecido em cada ambiente.

A Johnson Controls opera as principais marcas de CFTV do mercado, o que permite integrá-las e atender a qualquer necessidade. A companhia tem também sua linha própria de CFTV, a Illustra, que faz parte do rol de grandes marcas do mercado, com todos os modelos de câmeras existentes adequadas a qualquer tipo de ambiente. O grande diferencial da empresa está na capacidade de projeto do sistema, definição da melhor da solução, dimensionamento, implantação, integração entre todos os sistemas e capacitação do cliente na operação. www.johnsoncontrols.com

MAIS INFORMAÇÕES

De fabricação própria, o Simplex, tem como principal diferencial a UL e a FM Global, duas das mais importantes certificações americanas em segurança de produtos e gestão de riscos. As atualizações futuras têm baixo custo, sistemas de áudio evacuação e telefones de emergência integrados, gerenciamento e controle de fumaça, alto nível para redes, múltiplas tecnologias e conectividade, interface com protocolos abertos.

prevenção de furtos e controle de acessos. É possível dimensioná-lo de forma que o monitoramento ocorra desde o recebimento da matéria-prima até o produto acabado, evitando possíveis desvios. “Além disso, é possível ainda parametrizar análises de vídeos nas câmeras para determinar cercas virtuais e localizar objetos abandonados, por exemplo. O CFTV colabora ainda para melhor projeção da área operativa, prevenção de perdas e saúde e segurança”, acrescenta Baratella.

Para monitorar toda a planta há o sistema de CFTV, que tem uma série de vantagens, desde a proteção perimetral, monitoramento de processos, circulação de pessoas, 17 | Automação | Abril 2019

19


N OT Í C I A

SOLUÇÕES PARA MEDIÇÃO DE ENERGIA MITSUBISHI ELECTRIC

Monitorar energia é fundamental dentro do conceito de Indústria 4.0.

A

Mitsubishi Electric disponibiliza várias soluções de medição e gerenciamento de energia e, dentre o seu portfólio, destaca-se o Multimedidor de energia da família ME96, que permite analisar o comportamento das cargas e também da qualidade de energia.

MAIS INFORMAÇÕES

Pedro Okuhara, especialista de produtos da Mitsubishi Electric, explica como funciona a aplicação em empresas de diferentes portes. “Grande parte das empresas utiliza a medição de energia para entender a qualidade e consumo de energia. Também é possível criar diversos KPIs com essas informações, desde os mais simples como o rateio de custos entre diversos setores e a produção até relatórios para gerenciamento de manutenção preditiva. Essa realidade não está limitada a empresas de maior porte, hoje, temos casos de pequenas empresas que também querem entender quanto de energia estão gastando para preparar um determinado produto e poder colocar aquele custo de energia no custo total do produto”, afirma.

17 | Automação | Abril 2019

20

A expectativa da companhia é que, com o crescimento da Indústria 4.0, a demanda por esses produtos aumente cada vez mais. “Com a expansão do uso de novas tecnologias dentro da indústria, cada vez mais teremos demandas por mais informações da nossa planta, e os dados de energia sempre será um dos principais. Portanto, temos uma grande expectativa de vendas para o mercado de gerenciamento de energia e eficiência energética”, destaca Okuhara. Para apresentar em detalhes os produtos para medição de energia, ME96 e EcoMonitorPlus, a Mitsubishi Electric disponibilizou um vídeo em seu canal do Youtube, que pode ser assistido através do link: https://youtu.be/qS_4RGmbG-g www.MitsubishiElectric.com


DETECTE INCÊNDIOS ANTES QUE ELES SE TORNEM GRANDES PROBLEMAS Com o uso da tecnologia de Imagens Térmicas da FLIR você poderá identificar pontos de incêndios e solucionar rapidamente, controlando e agindo diretamente no foco do problema.

Saiba mais acessando: www.FLIR.com.br/A310


NOVIDADE

NOVO SOFTWARE CAMSTAR ELECTRONICS SUITE DA SIEMENS PLM

Colaboração entre o software de gerenciamento de operações de manufatura (MOM) da Siemens e a tecnologia da Mentor resulta em uma solução exclusiva, que abrange o processo de manufatura de mecatrônica de ponta a ponta.

A

Siemens PLM – unidade de negócios da divisão Digital Factory da Siemens – acaba de lançar o software Camstar Electronics Suite, um sistema de execução de manufatura (MES) para processos eletrônicos. Com base na plataforma da empresa para fabricação de circuito integrado (CI), essa solução MES robusta, configurável e expansível permite aos fabricantes e montadores de caixas de placas de circuito impresso (PCB) atender aos requisitos de rastreabilidade, melhorar os níveis de eficiência e controlar as operações de manufatura, conectando-se diretamente via Internet das Coisas (IoT) a máquinas e linhas de produção.

MAIS INFORMAÇÕES

Expandindo a plataforma digital da Siemens, o Camstar Electronics Suite cria um verdadeiro segmento digital que capacita as empresas de produtos eletrônicos para a adoção de sua estratégia de digitalização alinhada ao padrão Indústria 4.0. Ao estabelecer a conexão entre a engenharia e a fábrica e permitir a rápida reação a modificações no projeto, os fabricantes podem reduzir o ciclo de vida dos produtos, atender às complexidades de produção e melhorar a qualidade em todo o processo. 17 | Automação | Abril 2019

22

O Camstar Electronics Suite ativa o fluxo contínuo de dados dos produtos e negócios entre o gerenciamento do ciclo de vida do produto (PLM), o planejamento de recursos empresariais (ERP) e a execução da fábrica por meio de um segmento digital integrado que permite ciclos de mudança mais rápidos e simplificados. Utilizando essa única fonte de dados, os feedbacks em circuito fechado da produção para o pessoal de projeto e engenharia podem resultar em melhorias n os níveis de qualidade e em tempos mais curtos de introdução de novos produtos (NPI) e lançamento no mercado. www.siemens.com/plm


NOVIDADE

APLICATIVO DANFOSS PARA DETECTAR DEFEITOS EM VÁLVULAS SOLENOIDES

Instaladores e técnicos de serviço trabalham de maneira mais inteligente e rápida usando o Danfoss CoolApps Toolbox, uma coleção de aplicativos móveis projetados para ajudá-los em suas tarefas diárias.

A

gora a Danfoss apresenta a ferramenta Magnetic Tool, um aplicativo simples e avançado, que aproveita o poder do hardware do smartphone para transformálo em um detector de campo magnético de precisão. Até agora, técnicos tiveram que confiar em uma variedade de ferramentas para detectar defeitos nas válvulas solenoides para garantir que estão funcionando corretamente. O Magnetic Tool não só é mais conveniente, como também é mais preciso. O aplicativo fornece informações detalhadas sobre o campo magnético da bobina AC ou DC em uma válvula solenoide e pode indicar a direção de rotação de certos tipos de motores.

O novo Magnetic Tool pode ajudar os usuários a documentar o processo de reparo e instalação, fotografando o componente defeituoso e compartilhando-o com o proprietário do sistema. O aplicativo Magnetic Tool já está disponível globalmente para download no iTunes App Store e no Google Play Store. www.danfoss.com.br

MAIS INFORMAÇÕES 17 | Automação | Abril 2019

23


NOVIDADE

ELIPSE E3 LITE NA VERSÃO PARA 950 TAGS

Novidade da Elipse Software soma-se aos pacotes já existentes para aplicações de até 20, 50, 150, 250, 500 e 750 tags.

D

MAIS INFORMAÇÕES

esenvolvido pela Elipse Software, o E3 é uma ferramenta SCADA para monitoramento e controle remoto de processos, oferecendo escalabilidade e constante evolução a diversos tipos de aplicações, desde simples interfaces HMI até complexos centros de operação. Pensando em atender as mais distintas necessidades, a solução apresenta diferentes pacotes de comercialização. Entre eles, o E3 Lite, ideal para aplicações individuais de pequeno porte (standalone) e que acaba de ganhar uma nova versão para 950 tags.

17 | Automação | Abril 2019

24

O pacote disponibiliza um Viewer por aplicação e mantém os melhores recursos técnicos do E3 Server, contando com os mais de 450 drivers desenvolvidos pela Elipse. Além disso, permite realizar o upgrade para as versões Server, garantindo escalabilidade e manutenção do investimento desde o início do projeto. Vale destacar que a Elipse dispõe, hoje, de novas e mais competitivas condições comerciais para a compra do E3 Lite. www.elipse.com.br


NOVIDADE

LINHA DE SERVICE ROBOTICS DA PILZ DO BRASIL

A empresa amplia seu portfólio e passa a oferecer no País soluções robóticas seguras.

P

ronta para atender a crescente demanda da indústria 4.0, a Pilz do Brasil expandiu seu portfólio e lançou a linha de produtos Service Robotics (robôs colaborativos). Segundo diretor geral da Pilz, Pedro Medina, os módulos de Robótica de Serviço incluem inicialmente o braço robótico, o módulo de controle e o módulo de programação. “Esses recursos são os diferenciais da nova linha, que conta com módulos ROS garantindo a operação segura e amigável, comissionamento rápido, com o princípio Plug-and-Play, e proporciona um trabalho seguro entre o homem e o robô”, explica.

www.pilz.com.br MAIS INFORMAÇÕES

Apresentam ainda braço robótico para carga de até 6 kg e possuem diversas aplicações industriais, muito utilizados em aplicações Pick & Place, e para células modulares semiautomatizadas de robôs de pequeno porte na indústria. São certificados pela associação alemã de seguros de acidentes estatutários (DGUV), de acordo com a EN ISO 10218-1.

O diretor geral da empresa acrescenta que a nova linha de produtos Service Robotics possui módulo de controle PRCM, que é uma tecnologia que garante a segurança no acionamento e movimento do robô. “De acordo com o princípio Plug-and-Play, os usuários podem conectar os módulos e usá-los imediatamente. O módulo de controle suporta protocolos de comunicação abertos da indústria, como CANopen, Ethercat ou Profibus. Também pode ser programado com linguagens PLC de acordo com a norma IEC 61131-3 e via Open Source Framework ROS (Sistema Operacional Robotizado) e, portanto, oferece um grande grau de abertura para expansões funcionais”, finaliza Medina.

17 | Automação | Abril 2019

25


NOVIDADE

NOVAS CPUS REDUNDANTES SIEMENS

Os novos controladores são voltados para aplicações com necessidade de alta disponibilidade e redundância, como automação de túneis, sistemas de tratamento de água e ar condicionado.

A

Siemens acaba de trazer ao mercado mais um produto para sua família de controladores avançados SIMATIC S7-1500. As novas CPUs que integram a linha, chamada SIMATIC S7-1500 R/H, tem como principal função automatizar processos que não podem parar, em segmentos de mercado como aeroportos, saneamento, datacenters, centros de distribuição e infraestrutura.

MAIS INFORMAÇÕES

Por exemplo, em túneis, os sistemas de ventilação precisam funcionar com 100% de disponibilidade para garantir a qualidade interna do ar, principalmente em casos de congestionamento e esse controle é feito por sistemas automatizados. Com as CPUs redundantes S7-1500 R/H, se um controlador falhar, automaticamente o outro controlador o substituirá, garantindo o funcionamento do sistema.

17 | Automação | Abril 2019

26

A nova CPU conta também com engenharia eficiente no TIA Portal da Siemens, que permite a integração facilitada com sistemas já existentes a partir de uma única interface e possui ambiente amigável para novos desenvolvimentos. Além disso, é possível estabelecer conexões de forma simples com softwares, permitindo que os dados de um processo produtivo ou instalação física sejam monitorados e coletados remotamente. www.siemens.com.br


NOVIDADE

YASKAWA LANÇA O INVERSOR DE FREQUÊNCIA GA800

A multinacional japonesa lançou mundialmente o produto, que foi construído de acordo com o certificado RoHS 2.

E

mpresa do grupo Yaskawa Electric Corporation, a Yaskawa Elétrico do Brasil acaba de lançar o inversor de frequência GA800. Destinado a aplicações industriais, desde o uso em ventiladores até processos siderúrgicos, o inversor de frequência GA800, além da diversidade de uso, também é dotado de alto grau de robustez, confiabilidade, sustentabilidade e flexibilidade.

www.yaskawa.com.br

MAIS INFORMAÇÕES

Anderson Sato, diretor técnico da Yaskawa, explica que, entre as características que implicam na facilidade de uso do inversor de frequência GA800, destacam-se: o display de alta resolução com sistema multilíngue, comunicação via Bluetooth e USB com dispositivos móveis, como Smartphones e Tablets, assistente de programação e armazenamento de dados, tudo isso com um desempenho superior, se comparado às linhas anteriores. “Conta também com sistema de segurança Safe Torque Off, preparado para atender os sistemas de segurança até o nível SIL3/ PLe, reduzindo o tempo de parada, não comprometendo a segurança do operador e capacidade de controle de quaisquer tipos de motores trifásicos, seja indução ou de imã”, acrescenta Sato.

Construído de acordo com o certificado RoHS 2 e restrito à quantidade de substâncias contaminantes, o inversor de frequência GA800 foi desenvolvido atendendo os padrões de normas internacionais. Possui placas de circuito impresso envernizadas, para aplicações em ambientes contaminados, que aumentam sua vida útil; gestão amigável de energia que controla com eficiência os motores em modo de economia de energia inteligente, capaz de diminuir o consumo.

17 | Automação | Abril 2019

27


NOVIDADE

TECNOLOGIA DE MONITORAMENTO EM CHAVES SCHMERSAL

As chaves da Linha 500 da Schmersal foram desenvolvidas para atender aplicações da indústria pesada, como mineradoras, siderurgias, portos; e agronegócio, como armazéns e transporte de grãos.

C

om extrema durabilidade, a Linha 500 possui invólucro de alumínio e é ideal para instalações em ambientes externos e agressivos, pois tem grau de proteção IP 65, IP 66 e Nema 4X (conforme modelo especificado), além de suportar temperaturas de -30°C até +80°C. Com fabricação 100% nacional, o portfólio de chaves da Linha 500 conta com os modelos Emergência Z3Z 500, Desalinhamento ZV12H 500, Fim de Curso Z3C 500 e ZD 500, Virador de Vagão Z3C 500 V, Nível ZVS 500, Contrapeso ZDG 500 entre outros. A linha pode ser aplicada em correias transportadoras, esteiras, pontes rolantes, pórticos, guindastes, carregadores e descarregadores de navios e trens, entre outros diversos maquinários.

A Linha 500 ainda conta com o opcional da tecnologia de monitoramento Dupline tanto para funções de automação quanto segurança. Este sistema permite, por exemplo, conectar em série dezenas de chaves em um transportador com apenas um par trançado de fios por quilômetros e informar qual delas foi atuada, reduzindo drasticamente os gastos com cabeamento, tempo de identificação da chave atuada e de manutenção. De fácil programação, instalação e manuseio, as instalações com Dupline podem ser combinadas com outros protocolos de mercado que a planta venha a ter, proporcionando aumento de produtividade e competitividade, itens primordiais para a indústria 4.0.

MAIS INFORMAÇÕES

www.schmersal.com.br

17 | Automação | Abril 2019

28


Bem-vindo ao mundo Lenze, a Terra do Movimento! Movimento é o que nos distingue como uma empresa inovadora. É o elemento central da nossa motivação, é o que pensamos, sentimos e fazemos todos os dias, no mundo dos negócios e pessoalmente. Nós não apenas garantimos o funcionamento das máquinas de nossos clientes, mas também oferecemos conceitos e ideias que contribuem para o aumento de desempenho e eficiência.

As melhores máquinas e indústrias ao redor do mundo usam Lenze.

Somos um dos líderes mundiais em tecnologia e soluções de automação industrial e atuamos na vanguarda na Indústria 4.0 com pesquisa e desenvolvimento. Tecnologia alemã de ponta é garantia de performance para seu projeto de automação industrial, sempre com os melhores Controladores Programáveis, IHMs, Inversores de Frequência, Servo motores, Servo drives, Motores e Motoredutores. Suportamos seu projeto com estrutura de engenharia e serviços diferenciados no Brasil para garantir sua produtividade.

Indústria 4.0 desde 1947.

5 Passos para sua liberdade

1

2

3

4

5

DESENVOLVENDO IDEIAS

ESBOÇANDO CONCEITOS

IMPLEMENTANDO SOLUÇÕES

CONSTRUINDO MÁQUINAS

GARANTINDO PRODUTIVIDADE

Fácil assim... www.lenze.com.br Lenze Brasil – Contact Center 19 3846-3500 vendas@lenze.com.br


NOVIDADE

DORMER PRAMET EXIBIRÁ MAIS DE 400 PRODUTOS NA EXPOMAFE

A linha de fresamento de alto avanço SBN10 e as famílias Force X e Force M.

A Dormer Pramet exporá ferramentas de corte para diversos segmentos da indústria na EXPOMAFE, uma das principais feiras do setor.

C

om um vasto portfólio de ferramentas rotativas e intercambiáveis, a Dormer Pramet estará no estande A358 da EXPOMAFE – Feira Internacional de Máquinas-Ferramenta e Automação Industrial, que deve receber mais de 50 mil pessoas de 25 países, e que acontece em São Paulo, de 7 a 11 de maio próximo. A fabricante global construiu uma sólida reputação na América Latina por sua extensa variedade de ferramentas de alta qualidade, que suportam uma significativa diversidade de segmentos, incluindo moldes e matrizes, indústria ferroviária, engenharia geral, usinagem pesada, estrutura e montagem aeroespacial, e MRO.

MAIS INFORMAÇÕES

Diego Pauer, Diretor de Vendas e Marketing da Dormer Pramet South America, afirma que a EXPOMAFE já é reconhecida como a principal feira industrial do Brasil. “O evento nos permitirá apresentar a Dormer Pramet como fornecedora completa de ferramentas de corte para diversos segmentos. Além disso, nossa marca Pramet ainda é relativamente nova no mercado e a EXPOMAFE oferece mais uma chance de destacar essa versátil gama intercambiável para clientes novos e existentes”, explica. 17 | Automação | Abril 2019

30

No estande, mais de 400 produtos serão exibidos pelo tipo de material ISO, facilitando aos visitantes a identificação das ferramentas necessárias para suportar aplicações específicas. Dentre as novidades que serão apresentadas na EXPOMAFE, estão a linha de fresamento de alto avanço SBN10 com insertos BNGX, a classe de fresamento M8330 para usinagem geral em uma variedade de materiais, e a linha Shark de machos indicados para materiais específicos. Também estarão disponíveis a recente linha de brocas inteiriças de metal duro – a família Force X e Force M, assim como as brocas de ponta intercambiáveis Hydra, além da vending machine ProLog, modelo SmartDrawer, que poderá ser experimentada pelos visitantes, e oferecerá um brinde durante o processo. www.dormerpramet.com


NOVIDADE

PEPPERL+FUCHS APRESENTA O SISTEMA DE PURGA E PRESSURIZAÇÃO DE PRÓXIMA GERAÇÃO

O novo Bebco EPS® Ex pzc/Tipo Z Série 7500 estabelece novos padrões no que se refere a soluções de purga globais.

A

Pepperl+Fuchs apresentou um avançado sistema de purga e pressurização Bebco EPS® desenvolvido para instalações de Classe I ou II/Div. 2 e classificadas como Zonas 2/22. Este inovador e compacto sistema manual ou automático constitui uma solução otimizada e de pequenas dimensões, que oferece todas as funcionalidades necessárias para proteger locais perigosos de forma confiável.

“A nova e compacta Série 7500 é fácil de utilizar e oferece fiabilidade e eficiência absolutas. No modo totalmente automático oferece uma excelente proteção para compartimentos de equipamentos elétricos como motores, acionamentos, armários e painéis de controlo e analisadores de gases”, informou Kristen Barbour, diretora de marketing.

A Série 7500 inclui controle e monitorização inteligentes automáticos da pressão de compartimentos com funcionalidades de diluição e fluxo contínuo. O sistema efetua ajuste automáticos e oferece uma saída de alarme para uma proteção confiável. Foi desenvolvido cromato de alumínio de grau marítimo, o que faz com que seja suficientemente resistente para suportar as condições rigorosas características de muitas indústrias de processos. A Série 7500 funciona com alimentação CA/CC universal e está disponível para instalação externa e em painel. A tela tátil ampla permite uma configuração simples e rápida e apresenta LED de estado, um gráfico de barras para a pressão e várias seleções de programas.

MAIS INFORMAÇÕES

O sistema de purga e pressurização Ex pzc/Tipo Z Série 7500 pode ser operado de modo totalmente automático ou manual e permite purgar gases ou poeiras perigosas de compartimentos comuns, de forma a manter uma pressão positiva. Reduz eficazmente a classificação compartimentos protegidos para uma classificação de área não perigosa. A Série 7500 apresenta certificações ATEX e IECEx e está listada na UL. Apresenta um tamanho extremamente compacto de apenas 5,8" x 3,8" x 1,9".

“Quer precise de proteção contra gases ou poeiras para o setor de petróleo e gás, químico, marítimo ou offshore, o Bebco EPS 7500 pode ser usado em indústrias de processos de todo o mundo para aplicações que anteriormente exigiam sistemas de proteção contra explosões mais robustos e mais caros.”

www.pepperl-fuchs.com 17 | Automação | Abril 2019

31


ARTIGO

SUPERE OS DESAFIOS CONTÍNUOS DA USINAGEM DE LONGO ALCANCE

Várias tendências de fabricação atuais estão aumentando a dificuldade em criar furos de precisão e executar operações de torneamento com ferramentas de comprimento estendido. A demanda por tolerâncias menores e repetibilidade infalível cresce continuamente. Novos materiais de alto desempenho são mais difíceis de usinar, aumentando a tensão dentro do sistema de usinagem. Para economizar tempo e dinheiro, os fabricantes estão consolidando várias peças em peças monolíticas únicas que exigem usinagem de furos profundos e torneamento de componentes complexos em ferramentas de máquinas multitarefas.

O MAIS INFORMAÇÕES

s fabricantes que buscam superar esses desafios devem estudar todos os elementos de seus sistemas de usinagem, e aplicar técnicas e ferramentas que garantam o sucesso. Entre os elementos-chave estão a estabilidade da máquina, a fixação da ferramenta, a fixação da peça e a geometria da ferramenta de corte. Em geral, a fixação sólida, o ferramental rígido e a aplicação cuidadosa da ferramenta constituem a base de processos precisos e produtivos de mandrilamento e torneamento de longo alcance.

Produtores de petróleo e gás, geração de energia e componentes aeroespaciais são os principais candidatos a ferramentas e técnicas atualizadas porque lidam regularmente com peças grandes e complexas com recursos que exigem o uso de ferramentas de comprimento estendido. Muitas das peças são feitas de ligas rígidas que são difíceis de usinar e, portanto, produzem altas forças de corte geradoras de vibração. Em geral, praticamente qualquer fabricante pode se beneficiar da melhoria da produtividade e da redução de custos em operações de perfuração de longo alcance. Deflexão e vibração O mandrilamento profundo distingue-se de outras operações de corte em que a aresta de corte opera no furo a uma distância estendida da conexão à máquina. Operações de torneamento interno de longo alcance

17 | Automação | Abril 2019

32


NOVIDADE apresentam condições similares, e ambas as operações de furação e torneamento podem envolver furos com cortes interrompidos, como com peças como carcaças de bombas ou compressores. A quantidade de balanço da ferramenta resultante é ditada pela profundidade do furo e pode resultar em deflexão da barra de mandrilar ou da ferramenta de tornear de comprimento estendido. A deflexão aumenta as forças de mudança em um processo de corte, e pode causar vibração e trepidações que degradam a qualidade da superfície da peça, desgastam ou quebram rapidamente as ferramentas de corte e danificam os componentes da ferramenta da máquina, como fusos, além de exigirem reparos caros e longos períodos de inatividade. As forças variáveis resultam de desequilíbrios do componente da máquina, falta de rigidez do sistema ou vibração favorável dos elementos do sistema de usinagem. As pressões de corte também mudam à medida que a ferramenta é periodicamente carregada e descarregada, ao passo que os cavacos se formam e se quebram. Os efeitos negativos das vibrações de usinagem incluem acabamento ruim da superfície, dimensões imprecisas do furo, desgaste rápido da ferramenta, taxas reduzidas de material, aumento do custo de produção e danos aos porta-ferramentas e às ferramentas da máquina. Rigidez da máquina e fixação da peça A abordagem básica para controlar a vibração em operações de usinagem envolve maximizar a rigidez dos elementos do sistema de usinagem. Para restringir o movimento indesejado, uma máquina ferramenta deve ser construída com elementos estruturais rígidos e pesados reforçados com concreto ou outro material que absorva vibrações. Os rolamentos e buchas da máquina devem estar firmes e sólidos. As peças devem estar precisamente localizadas e seguras dentro da máquina ferramenta. As fixações devem ser projetadas com simplicidade e rigidez como as principais preocupações, e os grampos devem estar localizados o mais próximo possível das operações de corte. Da perspectiva da peça, peças de paredes finas ou peças soldadas e aquelas com seções sem suporte estão propensas a vibrações quando usinadas. As peças podem ser reprojetadas para melhorar a rigidez, mas essas mudanças de projeto podem adicionar peso e comprometer o desempenho do produto usinado. Porta-ferramentas Para maximizar a rigidez, uma barra de mandrilar ou barra de tornear deve ser a mais curta possível, mas longa o suficiente para usinar todo o comprimento do furo ou componente. O diâmetro da barra de mandrilamento deve ser o maior possível e se encaixar no furo, além de permitir a eficiente evacuação de cavacos cortados.

Diferentes materiais de barra fornecem diferentes comportamentos de vibração. As barras de aço geralmente são resistentes à vibração até uma relação de 4:1 de comprimento para diâmetro de barra (C/D). Barras de metal pesado feitas de ligas de tungstênio são mais densas que o aço e podem lidar com C/D de barras na relação de 6:1. As barras sólidas de metal duro fornecem mais rigidez e permitem relações de C/D de barra de 8:1, com a possível desvantagem de maior custo, principalmente quando é necessária uma barra de grande diâmetro. Uma maneira alternativa de amortecer vibrações envolve uma barra sintonizável. A barra possui um amortecedor de massa interno projetado para ressoar fora da fase com a vibração indesejada, absorver sua energia e minimizar o movimento vibratório. O sistema Steadyline® da Seco Tools (veja a barra lateral), por exemplo, apresenta um amortecedor de vibrações pré-sintonizado composto por uma massa amortecedora feita de material de alta densidade suspenso dentro da barra do porta-ferramentas por meio de elementos absorventes radiais. A massa amortecedora absorve a vibração imediatamente quando é transmitida pela ferramenta de corte ao corpo da barra. O controle de vibração de ferramentas ativas mais complexo e caro pode assumir a forma de dispositivos eletronicamente ativados que detectam a existência de vibração e usam atuadores eletrônicos para produzir movimento secundário no porta-ferramentas para cancelar o movimento indesejado. Material da peça As características de corte do material podem contribuir para a geração de vibração. A dureza do material, a tendência à formação de arestas postiças ou ao endurecimento, ou a presença de inclusões duras alteram ou interrompem as forças de corte e podem gerar vibrações. Até certo ponto, o ajuste dos parâmetros de corte pode minimizar as vibrações ao usinar certos materiais. Geometria da ferramenta de corte A própria ferramenta de corte está sujeita a deflexão tangencial e radial. A deflexão radial afeta a precisão do diâmetro do furo. Na deflexão tangencial, a inserção é forçada para baixo, afastando-se da linha central da peça. Principalmente ao fazer furos de pequeno diâmetro, o diâmetro interno curvado do furo reduz o ângulo de folga entre a pastilha e o furo. A deflexão tangencial empurrará a ferramenta para baixo, afastando-a da linha central do componente a ser usinado, reduzindo o ângulo de folga. A deflexão radial reduz a profundidade do corte, afetando a precisão da usinagem e alterando a espessura do cavaco. As mudanças na profundidade do corte alteram as forças de corte e podem resultar em vibração.

MAIS INFORMAÇÕES

À medida que os cavacos se formam e se quebram, as forças de corte sobem e descem. As variações de força tornamse uma fonte adicional de vibração que pode interagir em sintonia com o modo natural de vibração do portaferramentas, ou da máquina e tornar-se autossustentável ou mesmo aumentar. Outras fontes de tais vibrações incluem ferramentas desgastadas ou aquelas que não fazem uma passagem profunda o suficiente. Isso causa instabilidade do processo ou ressonância que também se sincroniza com a frequência natural do fuso da máquina ou com a ferramenta para gerar vibrações indesejadas.

Uma barra de mandrilar longa ou uma saliência na barra de mandrilar podem desencadear a vibração em um sistema de usinagem. A abordagem básica do controle de vibração inclui o uso de ferramentas curtas e rígidas. Quanto maior a relação entre o comprimento da barra e o diâmetro, maior a chance de ocorrer vibração.

Os recursos de geometria da pastilha, incluindo saída, ângulo de inclinação e raio de ponta, podem ampliar ou atenuar a vibração. Pastilhas de saída positiva, por exemplo, criam menos força de corte tangencial. Porém, a configuração do ângulo de saída positiva pode reduzir a folga, o que pode 17 | Automação | Abril 2019

33


NOVIDADE levar a fricção e vibração. Um grande ângulo de saída e um pequeno ângulo de posição da aresta produzem uma aresta de corte aguda, que reduz as forças de corte. No entanto, a aresta aguda pode estar sujeita a danos por impacto ou desgaste irregular, o que afetará o acabamento da superfície do furo. Um pequeno ângulo de inclinação da aresta de corte produz maiores forças de corte axial, ao passo que um grande ângulo de inclinação produz força na direção radial. Forças axiais têm efeito limitado nas operações de perfuração, portanto um pequeno ângulo de inclinação pode ser desejável. Porém, um pequeno ângulo de inclinação também concentra as forças de corte em uma seção menor da aresta de corte do que um grande ângulo de inclinação, com possível efeito negativo na vida da ferramenta. Além disso, o ângulo de inclinação da ferramenta afeta a espessura do cavaco e a direção do fluxo de cavacos. O raio de ponta da pastilha deve ser menor que a profundidade de corte para minimizar as forças de corte radiais. Controle de cavaco Limpar as os cavacos cortados do furo é uma questão fundamental nas operações de mandrilamento. A geometria da pastilha, as velocidades de corte e as características de corte do material da peça influenciam o controle de cavaco. Cavacos curtos são desejáveis no mandrilamento porque são mais fáceis de evacuar do furo e minimizar as forças na aresta de corte. Porém, as geometrias da pastilha altamente contornadas projetadas para quebrar os cavacos tendem a consumir mais energia e podem causar vibração. As operações destinadas a criar um bom acabamento da superfície podem exigir uma profundidade de corte leve que produzirá cavacos mais finos que aumentem o problema de controle de cavaco. O aumento da taxa de avanço pode quebrar os cavacos, mas aumentar as forças de corte e gerar vibrações, o que pode afetar negativamente os acabamentos da superfície. Altas taxas de avanço também podem causar arestas construídas ao usinar aços com baixo teor de carbono, portanto taxas mais altas de avanço de corte, com o fornecimento otimizado de líquido de refrigeração interno, podem ser uma solução de controle de cavaco ao perfurar essas ligas de aço mais maleáveis. Conclusão Mandrilamento e torneamento de furos profundos com ferramentas de comprimento estendido são operações de corte de metal comuns e essenciais. A execução eficiente desses processos requer a avaliação do sistema de usinagem como um todo para garantir que os diversos fatores envolvidos na minimização da vibração e na garantia da qualidade do produto estejam trabalhando juntos para alcançar produtividade e lucratividade máximas. Equipe de Marketing de produtos e P&D de sistemas de ferramentas da Seco Tools MAIS INFORMAÇÕES

www.secotools.com

Produtividade por meio de ferramentas de amortecimento passivo O ferramental Steadyline® da Seco Tools pode permitir que operações típicas de longo alcance sejam executadas duas vezes mais rapidamente que com ferramentas não amortecidas, melhorando o acabamento da superfície da peça, aumentando a vida útil da ferramenta e reduzindo a tensão na ferramenta da máquina. A tecnologia de amortecimento de vibração passiva/dinâmica do sistema possibilita a realização de certas aplicações, como a utilização de ferramentas com relações C/D superiores a 6:1 que, de outra forma, não seriam possíveis, mesmo com parâmetros mínimos de usinagem. Operações de torneamento e mandrilamento para profundidades de até 10xD em furos pequenos e grandes podem ser confiáveis e produtivas. O sistema de controle dinâmico/passivo de vibração Steadyline® funciona com base em uma interação de forças de vibração. Em operação, uma força de corte induz o movimento (vibração) no suporte. Para combater a vibração, o sistema Steadyline® emprega as propriedades de uma segunda massa interna projetada para possuir a mesma frequência natural que o envelope externo da barra. A massa é projetada para ressoar fora da fase com a vibração indesejada, absorver sua energia e minimizar o movimento indesejado. No sistema Steadyline®, a massa que absorve as vibrações fica na parte frontal da barra, onde o potencial de deflexão é maior, e a massa pode amortecer a vibração imediatamente quando esta é transmitida da aresta de corte para o corpo da barra. O sistema Steadyline® também inclui cabeças GL curtas e compactas para a ferramenta de corte que colocam a aresta de corte próximo à massa de amortecimento para maximizar o efeito de absorção das vibrações. O sistema é adaptável a uma ampla gama de aplicações e é mais útil em mandrilamento bruto e fino, bem como em contorno, abertura de bolsas e fresamento de rasgos. A Seco Tools expandiu suas soluções de torneamento e mandrilamento de longo alcance com adições a sua série de barras de torneamento/mandrilamento de amortecimento de vibrações e arestas de corte Steadyline®. As últimas adições incluem barras Steadyline® de 25 mm (1 pol.) e 100 mm (4 pol.) de diâmetro, cabeçotes de torneamento GL25 e uma gama de cabeças de mandrilar BA para operações de desbaste e acabamento com diâmetros de até 115 mm. As cabeças de mandrilamento e torneamento podem ser trocadas rapidamente por meio da conexão GL, que fornece precisão de centralização e repetibilidade da capacidade de orientação de 5 mícrons e 180° da cabeça. As barras com 25 mm (1 pol.) de diâmetro com conexão do lado da peça GL25 incluem barras reforçadas com carbeto para os desafios mais profundos da ferramenta até 250 mm, com as interfaces Seco-Capto™, HSK-T/A e da haste cilíndrica do lado da máquina. As barras maiores com 100 mm (4 pol.) de diâmetro acomodam as cabeças de torneamento GL50 existentes e incorporam a tecnologia do líquido de refrigeração de alta pressão da Jetstream Tooling® por meio de adaptadores BA-para-GL50. Quando as opções de ferramentas convencionais falham, o Steadyline® fornece precisão e confiança em operações de longa projeção, reduzindo a tensão do fuso, aumentando as taxas de remoção de metal, criando acabamentos da superfície lisos e prolongando a vida da ferramenta.

17 | Automação | Abril 2019

34


NOVIDADE

STEUTE NA POWTECH

Novo travamento por solenóide para áreas classificadas.

N

a Powtech 2019, a unidade de negócios “Extreme” da steute apresentou um novo intertravamento por solenóide para áreas classificadas. Os recursos do interruptor de segurança Ex STM 298-3GD incluem um design compacto e fino, o que o torna adequado para montagem em sistemas de perfil com engenharia mecânica e em instalações estreitas. O invólucro de alumínio fundido contém um sistema de chaveamento robusto que garante que a porta de proteção trave com segurança. Altas forças de travamento (até 3000 N com atuadores retos ou deslizantes) podem ser alcançadas. Isso evita de forma confiável que os operadores da máquina abram a porta de proteção antes que o movimento perigoso tenha parado.

Além disso, o Ex STM 298-3GD é adequado para aplicações com alta freqüência de chaveamento e em ambientes adversos que exigem grau de proteção de até IP 67. De acordo com as diretrizes da ATEX, o Ex STM 298-3GD é aprovado para gás Ex zona 2 e poeira Ex zona 22. As aplicações típicas para a variante para poeira, que foi apresentada na Powtech pela primeira vez, incluem o bloqueio seguro de portas de proteção integradas em máquinas de produção, envase ou embalagem para produtos indutores de poeira ou produtos em pó. MAIS INFORMAÇÕES

O novo intertravamento por solenóide é extremamente versátil, pois vem com uma variedade de atuadores (retos, angulados ou deslizantes) e porque a posição da cabeça

do atuador pode ser escalonada em intervalos de 90°. Os usuários também têm uma variedade de opções em relação aos insertos de comutação: as variáveis incluem diferentes combinações NA / NF.

www.steute.com.br

17 | Automação | Abril 2019

35


NOVIDADE

SENSORES ÓPTICOS PEPPERL+FUCHS Novos sensores ópticos para maiores distâncias de operação.

As séries R100, R101 e R103 com os novos sensores R200 e R201.

C

om os modelos R200 e R201, o sensores fotoelétricos com design inovador da Pepperl+Fuchs permitem aplicações com maiores distâncias de operação. Tal como as séries R100, R101 e R103, ambos os novos produtos oferecem de forma consistente todos os princípios fotoelétricos funcionais num design agora maior e adequado para situações de instalação específicas. A usabilidade é intuitiva e transversal a todas as séries. Além disto, a ligação IO-Link padronizada através dos mais recentes Perfis de Sensores Inteligentes também uma integração prática e confiável dos sensores.

MAIS INFORMAÇÕES

Com as séries R100, R101 e R103, bem como com os novos sensores R200 e R201, a seleção do sensor relevante é mais fácil e os usuários ainda se beneficiam do máximo de flexibilidade em todas as aplicações e situações de instalação. Em termos de características técnicas, as novas séries incluem a robusta tecnologia laser DuraBeam e a Tecnologia Multipíxel (MPT) de alta precisão para medição de distâncias. Usabilidade padronizada transversal a todas as séries, princípios funcionais e ainda a interface IO-Link facilitam a parametrização dos sensores durante a colocação em funcionamento e quando o princípio funcional ou a série é alterada.

Princípios funcionais idênticos As novas séries R200 e R201 oferecem todos os princípios fotoelétricos funcionais: sensores de barreira, sensores retrorrefletivo com filtro de polarização ou para deteção de objetos transparentes, sensores energéticos de modo de difusão, sensores com supressão de fundo e supressão de frente, medição de células de deteção com dois pontos de comutação e sensores de distância. Usabilidade perfeita Todas as séries apresentam um aspeto e um funcionamento intuitivos e idênticos durante a parametrização. O ajuste rápido e simples dos sensores é garantido por um potenciômetro multivolta e um botão de pressão que funcionam como elemento operacional combinado com três LED para visualização da configuração, do estado e de diagnósticos. O usuário se beneficia de usabilidade padronizada transversal a todas as séries: O aspeto e funcionamento durante a parametrização de sensores de barreira, sensores retrorrefletivos ou sensores de modo de difusão para a série R100, R101 ou R103 são os mesmos que para os modelos R200 e R201. Isto também se aplica a dispositivos de medição com vários pontos de comutação ou sensores de distância. www.pepperl-fuchs.com

17 | Automação | Abril 2019

36


Encontre todas as novidades em: www.revista-automacao.com

A fonte de informação em automação industrial

Profile for Induportals Media Publishing

Automação | 17 - Abril 2019  

A Revista Automação é a fonte de informação em automação, fornecendo visões gerais de mercado, estudos de caso e lançamentos de novos produt...

Automação | 17 - Abril 2019  

A Revista Automação é a fonte de informação em automação, fornecendo visões gerais de mercado, estudos de caso e lançamentos de novos produt...