Page 1

16 | Automação | Fevereiro 2019

A fonte de informação em automação industrial

REALIDADE AUMENTADA NA INDÚSTRIA: CONHEÇA AS APLICAÇÕES

18 DOCILE MODERNIZA LINHA DE PRODUÇÃO E CAMINHA PARA A INDÚSTRIA 4.0

22 IIOT E AUTOMAÇÃO: UM CAMINHO DE POSSIBILIDADES INFINITAS

4

PILZ APRESENTA SISTEMA DE SEGURANÇA PARA OPERAÇÕES COM ROBÔS COLABORATIVOS EM COMODATO

35


16 | Automação | Fevereiro 2019

REVISTA AUTOMAÇÃO

ABB

4

10 MITSUBISHI ELECTRIC

12 SIEMENS

13

ROCKWELL AUTOMATION

SCHNEIDER ELECTRIC

14

16

AQUARIUS

DOCILE

EMBRAPII

18

22

24

JOHNSON CONTROLS

MITSUBISHI ELECTRIC

25

26 WATSON MARLOW

30

SIEMENS

28 SOURIAU

32

ANUNCIANTES: IBP 7 • NORD 9 • LENZE 21 • FLIR 45

www.revista-automacao.com

SCHNEIDER ELECTRIC

34


PILZ

ABB

DANFOSS

35

36

37

ELIPSE

SCHMERSAL

STEUTE

38

39

40

RED LION

SECO TOOLS

SECO TOOLS

41

42

43

DORMER PRAMET

44

Contato: Sílvia Bruin Pereira Editor: silvia@revista-automacao.com A fonte de informação em automação industrial

Press-releases devem ser enviados para: silvia@revista-automacao.com

Para receber a Revista Automação gratuitamente inscreva-se no site www.revista-automacao.com A Revista Automação é publicada pela INDUPORTALS MEDIA PUBLISHING em português para técnicos e engenheiros de automação. O seu conteúdo inclui panoramas de mercado, lançamentos de novos produtos, artigos técnicos e casos de aplicação, bem como notícias da indústria e de negócios. A Revista Automação tem um cuidado minucioso na preparação de seus textos; no entanto, não pode garantir a precisão das informações que são propostas. Suas equipes não são responsáveis pelo conteúdo dos meios de comunicação ou pelo seu uso.

INDUPORTALS

MEDIA PUBLISHING


PANORAMA DO MERCADO

IIOT E AUTOMAÇÃO: UM CAMINHO DE POSSIBILIDADES INFINITAS Pesquisa sobre adoção da Internet Industrial no Brasil, realizada pela Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII) no ano passado, indicou que das 84 empresas entrevistadas, apenas 29% conheciam a IIoT (Internet Industrial das Coisas). Mostrou ainda que 65% não tinha projeto algum implementado ou em andamento no que se referia às tecnologias que envolvem a digitalização da indústria. São dados espantosos! Contudo não se pode negar que a IIoT veio para revolucionar a forma de comunicação entre os equipamentos do chão de fábrica – e a sua integração com as camadas de gestão –, por meio de novas funcionalidades e, melhor, possibilidades.

A

ABB se posicionou como um importante player da Indústria 4.0 por meio da sua plataforma ABB Ability™, que reúne 210 soluções e serviços digitais para indústrias e concessionárias. “Mais da metade das vendas da companhia são de softwares e dispositivos conectados. O nosso portfólio de soluções digitais é capaz de conectar os clientes ao poder da Internet das Coisas e, por meio de nossos serviços e experiência na indústria, transforma insights de dados em ações diretas, que “fecham o ciclo” e geram valor ao cliente no mundo físico”, explica Raphael Haddad, gerente de produto da divisão Industrial Automation da empresa. Ele acrescenta que, com o ABB Ability™, é possível fornecer conectividade, protocolos de comunicação, análise de dados, gerenciamento de informações, serviços de segurança, padrões de interface do usuário e outros serviços relacionados à infraestrutura, necessários para desenvolver e fornecer soluções ao mercado.

MAIS INFORMAÇÕES

A experiência da empresa revela que os setores mais avançados em digitalização, ou na aplicação da Internet Industrial das Coisas (IIoT), são o automotivo, de óleo e gás e o de alimentos e bebidas. “Os clientes estão acompanhando a Transformação Digital e buscando constantemente inovações e tecnologias disruptivas para manter competitividade nesse novo cenário. A companhia está preparada para apoiar as indústrias, concessionárias e clientes de diversos setores nessa jornada”, anuncia Haddad. 16 | Automação | Fevereiro 2019

4

ABB página 10


PANORAMA DO MERCADO

SIEMENS página 13

SCHNEIDER ELECTRIC página 16

ROCKWELL AUTOMATION página 14

MAIS INFORMAÇÕES

MITSUBISHI ELECTRIC página 12

16 | Automação | Fevereiro 2019

5


PANORAMA DO MERCADO

Da mesma forma, a Mitsubishi Electric tem realizado grandes investimentos em pesquisa e desenvolvimento em novas tecnologias e suas aplicações, incluindo os campos de IIoT, Big Data, Machine Learning e Inteligência Artificial. No último ano fiscal (2017), a empresa investiu cerca de dois bilhões de dólares em P&D, registrando 4.484 patentes no Japão, sendo responsável pelo maior número de patentes registradas naquele país. “O investimento nesse novo campo do conhecimento, resultou no Maisart (Mitsubishi Electric's AI creates the State-of-the- ART in Technology), um conjunto de modelos proprietários de algoritmos de Inteligência Artificial com aplicações em Automação Industrial para análise de dados de máquinas para manutenção preditiva ou em robótica para montagem de peças”, conta Hélio Sugimura, Gerente de Marketing da companhia. O executivo valida a informação de que o setor de manufatura é onde a maioria dos projetos de IIoT são realizados. “No exterior a Mitsubishi Electric tem aplicado essa tecnologia no mercado de fabricação de semicondutores, por exemplo”, comenta. Neste mesmo horizonte, a Rockwell Automation vem ano após ano evoluindo suas tecnologias e investindo na criação de um novo modelo de produção inteligente e operações industriais.“Essa nova orientação é extremamente conectada para que os dispositivos inteligentes desenvolvidos nos conceitos do IIOT e processos possam ser continuamente monitorados e otimizados. Operações inteligentes exigem novas tecnologias, desde análise e dispositivos móveis até máquinas colaborativas. Essas tecnologias se comunicam e se adaptam às condições internas e externas. As operações inteligentes também precisam de novas estratégias para tirar o máximo proveito dessas tecnologias e criar operações flexíveis, eficientes, reativas e seguras”, ensina o Líder de Desenvolvimento de Negócios de Connected Services, Felipe Coelho Ribeiro.“Na visão da Rockwell Automation, que chamamos de “The Connected Enterprise” ou “A Empresa Conectada”, é essencial uma evolução de nossas ofertas e alianças para que nossos clientes consigam transformar suas operações físicas atuais com tecnologia digital, mantendo sempre os objetivos de evoluir a Inteligência Operacional, aumento contínuo da Produtividade e Segurança e Gestão de Riscos”, diz.

MAIS INFORMAÇÕES

Ribeiro confirma que, na manufatura, dada às características mais dinâmicas de transformação exigidas pelo mercado, a velocidade da adoção de novas tecnologias é sim um pouco mais acelerada do que em algumas indústrias de base e processo, porém a evolução é benéfica para qualquer tipo de indústria. “Na manufatura buscam-se cada vez mais flexibilidade e adaptabilidade produtiva para que as demandas de mercado atuais não impactem na produtividade nem no market share de seus produtos”, completa o Líder de Desenvolvimento de Negócios de Connected Services da Rockwell Automation. Cristiano dos Anjos, Vice-Presidente de Indústria da Schneider Electric, avalia o foco de IIoT em sua companhia de maneira diferenciada. “Podemos dividir em dois segmentos: interno – no qual aplicamos essas tecnologias em nossas fábricas, processos, Supply Chain, etc.; e externo – em que fornecemos nossa plataforma para IIoT, EcoStruxure, que tem ajudado nossos clientes a conectarem fábricas, 16 | Automação | Fevereiro 2019

6

centros de distribuição e, em vários casos, seus negócios inteiros. Com EcoStruxure nós conectamos, controlamos e otimizamos todos os ativos de nossos clientes, elevando a digitalização de seus negócios de uma maneira integral”, resume. Na sua opinião, a indústria de processo é a que está mais avançada na utilização de tecnologias ligadas à IIoT. “Porém, a indústria de manufatura também vem crescendo em uma velocidade bem grande, principalmente quando os ganhos com a aplicação de tecnologias desse tipo começam a ser comprovados”, admite. “A falta de uma agenda comum tem atrasado, principalmente para grupos menores, a adoção de tecnologias digitais. A utilização de diversos nomes (Industria 4.0, IIoT, Manufatura Avançada, Smart Manufacturing, entre outros) tem sido um fator também de distração e atraso, pois gera uma desconfiança do empresário na hora de fazer investimentos nessa direção”, adverte o executivo da Schneider Electric. Murilo Morais, responsável pela área de Cloud Application Solutions da Siemens, ressalta que dentro do seu segmento, a companhia dispõe do sistema operacional aberto em nuvem, baseado na Internet das Coisas – o MindSphere -, que permite conectar máquinas e infraestruturas físicas ao mundo digital. “Com essa plataforma, os clientes podem conectar seus ativos para que eles enviem dados para a nuvem, a fim de consumir tais dados com aplicativos da Siemens, de desenvolvedores ou dos próprios clientes. O MindSphere viabiliza a utilização de tecnologias como aprendizado de máquina, Big Data, inteligência artificial, entre outras”, esclarece. Além do MindSphere, os negócios de Automação da Siemens também são um meio principalmente para que ocorra a comunicação machineto-machine. Dentro dos seus controladores de automação também existe inteligência artificial aplicada. Além da plataforma em cloud e dos hardwares, a empresa, por meio da divisão de TI Industrial da Chemtech, conta com uma célula para desenvolvimento de aplicativos para o MindSphere, customizados de acordo com a necessidade do cliente. E, ainda, a divisão de Digital Grid, cujos equipamentos e software, aplicam essas tecnologias para ativos de Energia. Morais ratifica que, por ser um mercado que conta com um grande número de máquinas trabalhando, com certeza a indústria de manufatura possui uma extensa parcela dos projetos de IIoT, principalmente as indústrias automotiva e de bebidas (e suas cadeias de fornecedores). “Entretanto, já existe uma forte aplicação de IoT no agrobusiness, com inteligência aplicada principalmente à produtividade no campo. O tipo de aplicação muda um pouco, mas o IoT está presente. Outro setor importante é o de carnes, que vem cada vez mais aplicando o IoT nos seus processos dentro da fábrica e na fazenda”, atesta. APLICAÇÕES E SEGURANÇA Um bom exemplo na ABB de projeto no conceito de IIoT acontece na área de mineração. A companhia é uma das principais fornecedoras da maior mina de ferro do Brasil, na qual o conceito de conectividade e Internet das Coisas foi aplicado ao máximo, desde a sua concepção. “O projeto foi desenhado para que 100% dos dados de produção


PANORAMA DO MERCADO

e manutenção fossem disponibilizados e tratados pelos softwares. Esse fornecimento conta ainda com os mais modernos conceitos de ergonomia operacional, aplicando tecnologia de ponta nas salas de controle e interface de operação, para que as pessoas se sintam confortáveis e seguras para operar um sistema tão grande e complexo, de forma simples e intuitiva”, relata o gerente de produto da divisão Industrial Automation. Haddad acentua que a IIoT é um caminho sem volta. “Com os grandes recursos que a conectividade trouxe, há uma questão sobre a vulnerabilidade dos sistemas e redes. A companhia aposta na demanda cada vez maior de produtos e sistemas de proteção contra ataques cibernéticos, e já oferece softwares e serviços para proteção das empresas. Por exemplo, temos produtos que protegem contra ataques de softwares maliciosos, como o 800xA (proteção extra para verificar todos os softwares que estão tentando acessar dados do sistema). Por parte de serviços, para clientes que tem contrato de Automation Sentinel ativo, oferecemos todos os patches do Windows e antivírus testados pela ABB, oferecendo maior segurança para o cliente. Também temos o Cyber Security Monitoring, que monitora todo o sistema em busca de vulnerabilidades, entre outras soluções”, elenca.

O Líder de Desenvolvimento de Negócios de Connected Services da Rockwell Automation aponta que as primeiras aplicações práticas são, muitas vezes, nas primeiras transformações digitais para coleta, tratamento e transformação de dados gerados por dispositivos inteligentes em informação para tomada de decisão, ainda no nível industrial. “Tudo começa com uma infraestrutura capaz de integrar essa nova geração de dispositivos inteligentes. Percebemos também que, com o aumento do conhecimento e o fortalecimento de infraestruturas industriais que se tornam integradas ao mundo corporativo, a massa de dados gerada pelos dispositivos inteligentes começa a ganhar mais importância e atingir novos alvos fora do chão de fábrica. Informações de diagnósticos e de produção começam a nutrir sistemas analíticos já proporcionando informações preditivas e prescritivas do processo. Essas informações voltam também ao chão de fábrica, ajudando na otimização dos processos industriais, e esse ciclo contínuo é o objetivo da Produção Inteligente que esperamos nessa transformação digital. Os benefícios diretos que temos percebido são aumentos na produtividade, aumentos na qualidade e repetibilidade dos produtos, otimização da manutenção e diminuição dos tempos de parada produtiva”, especifica Ribeiro. O especialista da Rockwell Automation concorda que o aspecto de segurança cibernética é importante na era da IIoT. “Viemos de uma herança insegura, na qual nossa principal defesa foi isolar o ambiente industrial do ambiente corporativo, e isto nos passava uma falsa sensação de segurança; porém, estivemos sempre muito expostos. Já hoje, com as demandas de convergência de IT/OT, para que possamos habilitar todos esses benefícios trazidos pela “Empresa Conectada”, novos aspectos de segurança e modelos de desenvolvimento devem ser seguidos”, orienta.

O Gerente de Marketing da Mitsubishi Electric frisa que uma das primeiras aplicações em IIoT foi iniciada em 2014 em conjunto com a Intel. “Foi na fabricação de microprocessadores em uma planta da Intel na Malásia, na qual o uso de CLPs, software dedicados, coleta e análise de dados de produção, resultou em uma economia de 9 milhões de dólares no processo de fabricação”, enfatiza.

MAIS INFORMAÇÕES

Sugimura considera que a norma IEC 62443-4-2:2018, que trata de segurança em componentes para uso em sistemas de automação industrial, tem sido mais demandada na indústria de processos, mas certamente essa é uma tendência para aplicações discretas. “Para atender esses requisitos de segurança de rede, a companhia tem trabalhado com parceiros que fornecem equipamentos de segurança de rede, como a Cisco”, exemplifica. E ele chama a atenção para um aspecto importante: “A Mitsubishi Electric desenvolve uma série de produtos voltados para IIoT, porém um ponto deve estar claro: a aplicação da tecnologia não é o objetivo final, mas sim a ferramenta para chegar em um objetivo claro, mensurável, como reduzir o tempo de downtime, melhorar o OEE da máquina, melhorar os índices de qualidade do produto, entre outros”, avisa. 16 | Automação | Fevereiro 2019

8

Focando apenas no mercado brasileiro, o Vice-Presidente de Indústria da Schneider Electric destaca como as primeiras aplicações reais de IIoT da empresa e com benefícios tangíveis, os segmentos de óleo e gás, cimento e mineração, alimentos e bebidas, saneamento, automotivo, nos quais foram aplicados IIoT, Big Data, Realidade Aumentada, Inteligência Artificial e simulação aplicada. “Cibersegurança é fundamental para que se possa dar passos na direção da IIoT. Uma agenda clara com análise de riscos, incluindo atualização de plataformas digitais com baixa segurança, fazem parte desse processo. O ideal é iniciar com uma análise detalhada de todos os sistemas e suas conexões e, a partir daí, se necessário, fazer atualizações. Nada de sair trocando hardware ou softwares antes de se ter certeza que é realmente necessário!”, sugere Cristiano dos Anjos. A Siemens garante que hoje já possui mais um milhão de produtos conectados. E aqui o responsável pela área de Cloud Application Solutions detalha dois dos cases mais emblemáticos: 1) “O primeiro cliente do MindSphere foi um fabricante de pontes rolantes. A aplicação servia para monitorar as pontes em seus clientes para que fosse preditivo nas manutenções. A solução funcionou tão bem que o cliente mudou o seu modelo de negócio para um modelo “As a Service”, e hoje ele não vende mais a ponte rolante, mas vende elevações por mês. Dessa forma, ele tem um negócio recorrente e com uma fidelidade maior do cliente”. 2) “Um grande cliente do segmento de alimentos


ANTRIEB

DER

■ Confiável ■ Versátil ■ Global

NORD DRIVESYSTEMS: ■ Alta gama de potência ■ Soluções completas e flexíveis ■ Sistemas de alta eficiência

DerAntrieb.com NORD Drivesystems BRASIL LTDA. Matriz Brasil Rua Dr. Moacyr Antonio de Moraes, 127 Pq. Sto Agostinho Guarulhos, SP 07140-285 +55 11 24 02 - 88 55 info.br@nord.com Member of the NORD DRIVESYSTEMS Group The

Gear Unit

The

Motor

The

Drive Electronic

■ Rolamentos reforçados ■ Alta proteção contra corrosão

■ Alta eficiência ■ Padrões globais

■ Design compacto ■ Fácil instalação

■ Alta relação de potência x peso

■ Para todas condições de operação

■ Classe de proteção até IP 69K

e bebidas tinha um problema recorrente com os motores de suas esteiras de transporte de produto; eram motores pequenos e baratos (inviabilizando a utilização de sensores convencionais). Com a IoT, os sensores chamados de beacons, que possuem um baixo custo, viabilizaram esse tipo de aplicação. Instalando os sensores em seus motores elétricos e analisando os dados no MindSphere, o cliente pôde alcançar 5% de redução no custo de manutenção e 15% no tempo de máquina parada”.

à modernização da indústria, que acabaram se mostrando efetivas e proveitosas. Basta entendimento e suporte aos negócios. De fornecedores e usuários.

Sílvia Bruin Pereira - Editora - REVISTA AUTOMAÇÃO

Em relação ao aspecto frágil de segurança da tecnologia IIoT, Morais assegura que em seus equipamentos de automação, a Siemens atende às principais normas internacionais para a implementação de um sistema com segurança cibernética. “Os nossos sistemas de automação possuem criptografia de dado na comunicação de uma máquina com a outra, além de firewall para evitar a invasão do sistema. Além disso, os roteadores atuam também como firewalls para os sistemas dos clientes, com soluções de hardwares e softwares dedicadas para a segurança cibernética dos clientes”, evidencia.

MAIS INFORMAÇÕES

A Associação Brasileira de Internet das Coisas (Abinc), no final de 2018, criou um Comitê de Manufatura com o intuito de apresentar o potencial da transformação digital na manufatura e fomentar a adoção pelas empresas brasileiras. “Apesar de já muito discutida e propagada, a aplicação da Internet das Coisas na indústria ainda está no início e temos muito o que aprender para crescer e desenvolver, e para isso estamos criando pontes entre empresas e governos e disseminando as novas tendências, novidades e formas de fazer”, entende Flávio Maeda, Presidente da Abinc. As pontes estão criadas. E o caminho da IIoT é amplo e sem volta, como aconteceu com outras tecnologias destinadas 16 | Automação | Fevereiro 2019

9


OVIDADE PANORAMA DONMERCADO

ABB OFERECE OPÇÕES DIGITAIS PARA INTEGRAR E CONTROLAR SISTEMAS ELÉTRICOS NA MINERAÇÃO

Software aumenta as opções de integração com uma maior gama de dispositivos inteligentes para controle digital de energia.

A

ABB expandiu recentemente seu software ABB Ability™ Sistema 800xA Power Control Library (ex-MIDAS Library). A novidade permite mais funcionalidades para controle e comunicação com dispositivos elétricos em toda a infraestrutura de energia para operações de mineração e processamento de minério. Agora, a solução digital suporta subestações sem o IEC 61850, através da funcionalidade do PLC Connect do sistema 800xA, para se comunicar e controlar uma ampla gama de dispositivos eletrônicos inteligentes (IEDs).

“Essa atualização do produto é um grande exemplo de como a ABB está ajudando os clientes a aproveitar o verdadeiro potencial da digitalização para melhorar o sistema, o desempenho dos equipamentos e confiabilidade elétrica, bem como aumentar a segurança das pessoas”, disse Martin Knabenhans, Head de Gerenciamento de Produtos da unidade de Indústrias de Processos. “Com a adição do suporte ao PLC Connect, esse lançamento também possibilita digitalização para subestações que foram construídas sem o IEC 61850, tornando possível digitalizar áreas industriais existentes”.

MAIS INFORMAÇÕES

O software é parte do inovador portfólio digital ABB Ability™ MineOptimize. Ele trabalha dentro do sistema 800xA, que é uma plataforma para monitoramento e controle de uma ampla gama de processos industriais automatizados. O ABB Ability™ Sistema 800xA Power Control Library é baseado na norma IEC 61850 da Comissão Internacional Eletrotécnica, que cria uma linguagem comum para subestações automatizadas e sistemas de distribuição de energia de forma que as minas tecnologicamente avançadas ao redor do mundo, sejam capazes de usufruir das vantagens das possibilidades do software. 16 | Automação | Fevereiro 2019

10


N O V I D A D E DO MERCADO PANORAMA

A versão atualizada do software proporciona aos engenheiros, que operam minas automatizadas, a capacidade de solucionar rapidamente problemas do sistema elétrico a partir da sala de controle, através de um ambiente aprimorado de controle e monitoramento de subestação. Isto permite que um maior leque de equipamentos elétricos e subestações sejam monitorados e gerenciados remotamente, de modo que possíveis falhas possam ser resolvidas rapidamente e com segurança. O monitoramento remoto permite que a equipe da fábrica resolva problemas com segurança, longe da subestação elétrica, reduzindo assim o tempo para o diagnóstico e a resolução de problemas. Desde a sua introdução em 2014, o Power Control Library foi implementado em mais de 20 projetos em todo o mundo e integrou mais de 4.000 IEDs. https://new.abb.com/br MAIS INFORMAÇÕES 16 | Automação | Fevereiro 2019

11


OVIDADE PANORAMA DONMERCADO

MÓDULOS DE INTERFACE MES REDUZEM CUSTOS DE CONFIGURAÇÃO DE SISTEMAS EM 65%

Sistemas da Mitsubishi Electric proporcionam acesso direto a um sistema de banco de dados de TI.

N

os dias atuais, é necessário acompanhar as tendências de fabricação em constante mudança para atingir resultados como melhorar a produtividade de máquinas e manter a qualidade de fabricação por meio de rastreabilidade ponto a ponto em torno do processo de produção. Como forma de atender essa demanda crescente, os módulos de interface MES da Mitsubishi Electric foram criados: eles fornecem conectividade direta a bancos de dados para sistemas de TI e facilitar a geração automática de texto SQL (*) usando um software de configuração de configuração intuitiva.

MAIS INFORMAÇÕES

Na prática, os módulos permitem que os dados de produção do chão de fábrica sejam inseridos nos registros do banco de dados de maneira direta; o que pode fornecer status de produção em tempo real, permitindo uma resposta cada vez mais rápida aos problemas relacionados à produção. Recursos adicionais também são incluídos, como o buffer de banco de dados, que permite que os dados sejam enviados mesmo quando uma conexão entre o servidor de banco de dados e o sistema de controle é perdida.

16 | Automação | Fevereiro 2019

12

Custos de configuração do sistema reduzidos em 65% Os módulos de interface MES permitem a conectividade direta entre os servidores de banco de dados de TI e os controladores programáveis no chão de fábrica, eliminando a necessidade de computadores de gateway ou programas especificados. O módulo se destaca em relação aos computadores tradicionais, trazendo economia em custos de manutenção. A interface MES faz parte de um programa da Mitsubishi Electric de fomentar a indústria 4.0 (chamada de e-F@ ctory dentro da companhia). Com o objetivo de realizar operações de maneira mais ágil, de melhor rendimento e gerenciamento eficiente da cadeia de suprimentos, trabalha com foco em permitir uma conectividade direta, fazendo com que dados de produção sejam inseridos no banco de dados de maneira ágil e eficaz. (*): Structured Query Language é uma linguagem de programação projetada para gerenciar dados em um banco de dados relacional. http://br.mitsubishielectric.com/pt/


N O V I D A D E DO MERCADO PANORAMA

SIEMENS CRIA ORGANIZAÇÃO DE USUÁRIOS GLOBAIS DO MINDSPHERE

Plataforma MindSphere World criará um potencial de digitalização para os usuários de todos os lugares do mundo, proporcionando um intercâmbio de ideia entre eles.

T

rabalhando ao lado de 18 empresas parceiras, a Siemens AG criou o MindSphere World, uma organização de usuários globais do sistema operacional aberto de IoT na nuvem MindSphere, que permite conectar máquinas e infraestruturas físicas ao mundo digital. O objetivo é expandir o alcance global do ecossistema da solução. A organização também irá oferecer suporte a seus membros no desenvolvimento e aprimoramento das soluções de IoT na plataforma MindSphere e na exploração de novos mercados da economia digital. Isso incluirá sugestões do setor sobre os requisitos do sistema operacional e recomendações sobre como estabelecer regras uniformes para a utilização dos dados. Outra função da organização será promover as ciências, pesquisas e ensino no ambiente da ferramenta.

Os membros da organização se reúnem em comitês para tratar de questões como os requisitos de cada setor a serem considerados pelo MindSphere, os conceitos de governança de dados e o trabalho de relações públicas da Associação. Os membros-fundadores do MindSphere World, além da Siemens AG, incluem as empresas: ASM Assembly Systems GmbH & Co. KG, CHIRON Group SE, Eisenmann SE, Festo AG & Co. KG, Gebr. Heller Maschinenfabrik GmbH, Grob-Werke GmbH & Co. KG, Heitec AG, Index-Werke GmbH & Co. KG, J. Schmalz GmbH, Kampf Schneid- und Wickeltechnik GmbH & Co. KG, Kolbus GmbH & Co. KG, Kuka Aktiengesellschaft, FFG Europe & Americas (MAG IAS GmbH), Nordischer Maschinenbau Rud. Baader GmbH +Co. KG, Rittal GmbH & Co. KG, Sick AG, Trumpf Werkzeugmaschinen GmbH + Co. KG, Michael Weinig AG.

MAIS INFORMAÇÕES

A primeira reunião do MindSphere World ocorreu no recéminaugurado MindSphere OpenSpace, um ambiente de trabalho e espaço para desenvolvimentos inovadores, que faz parte da nova divisão Fábrica de Berlim. Com escritório que ocupa mais de 13.000 m2, a Fábrica de Berlim – uma iniciativa com apoio do governo alemão, da Siemens e de outras empresas – reúne empresas de tecnologia consolidadas, além de desenvolvedores e startups. O foco

principal do novo campus de startup é a Internet das Coisas. Com o início da era de digitalização, o MindSphere OpenSpace cria condições ideais para os membros do MindSphere World e outros usuários, como startups, para promover o desenvolvimento de aplicativos e serviços digitais e explorar mercados totalmente novos.

www.siemens.com.br 16 | Automação | Fevereiro 2019

13


OVIDADE PANORAMA DONMERCADO

ROCKWELL AUTOMATION E PTC LANÇAM SOLUÇÃO PARA IMPULSIONAR A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NAS INDÚSTRIAS

Novo FactoryTalk InnovationSuite, para acelerar estratégias de transformação digital e maior produtividade por meio da simplificação de processos complexos em empresas industriais.

A

Rockwell Automation e a PTC anunciaram o lançamento do FactoryTalk InnovationSuite, software que permite que as empresas otimizem suas operações industriais e incrementem a produtividade, dando melhores dados e insights aos tomadores de decisão. O novo software oferece visibilidade completa das operações e do status dos sistemas, a partir de uma única fonte de informações dentro da organização. A oferta conjunta é a primeira a integrar tecnologias das duas empresas depois do anúncio da parceria estratégica feito no ano passado.

O FactoryTalk InnovationSuite melhora a conectividade dos dispositivos da tecnologia operacional (OT) no chãode-fábrica, suportando de forma nativa a conexão rápida, modular e segura dos equipamentos industriais mais utilizados. Combinando dados dos aplicativos e sistemas da tecnologia de informação (TI), responsáveis por tomada de decisão podem agora ter uma representação digital completa dos seus equipamentos, linhas e instalações industriais, a partir de qualquer local da empresa. Os principais recursos das aplicações da nova oferta conjunta são:

MAIS INFORMAÇÕES

• Interfaces intuitivas e fáceis de usar, que oferecem aos usuários uma visão das operações combinando dados de várias fontes de TI e OT, adaptados à sua função. Um gerente de operações, por exemplo, pode ver o desempenho geral de uma instalação ou de várias instalações, antes de pesquisar o desempenho de equipamentos específicos ou de fatores que afetam a Eficiência Geral dos Equipamentos (OEE).

16 | Automação | Fevereiro 2019

14


N O V I D A D E DO MERCADO PANORAMA

• Análises avançadas e automatizadas de fontes de TI e OT transforma grandes quantidades de dados brutos em informações práticas ou proativas para melhorar o desempenho e reduzir o impacto de paradas. Aproveitando a poderosa tecnologia de inteligência artificial (AI) para simplificar processos analíticos complexos, os usuários agora podem agir proativamente aos problemas antes que ocorram falhas críticas. • Realidade Aumentada (AR), que oferece formas mais eficientes e eficazes para analisar as informações digitais no mundo físico. A Realidade Aumentada proporciona uma interação mais eficiente, um compartilhamento de conhecimentos mais amplo e melhores índices de correção em um primeiro momento. Com essa oferta integrada, a manutenção, por exemplo, pode receber instruções de trabalho digitalizadas contendo informações de desempenho em tempo real e do histórico de manutenção, para que os técnicos possam diagnosticar e consertar os equipamentos corretamente logo na primeira vez. MAIS INFORMAÇÕES

https://www.rockwellautomation.com/pt_BR/

16 | Automação | Fevereiro 2019

15


OVIDADE PANORAMA DONMERCADO

ECOSTRUXURE FOXBORO: NOVA GERAÇÃO DE SOFTWARE DE CONTROLE DA SCHNEIDER ELECTRIC TRAZ INOVAÇÃO E EFICIÊNCIA

Caminho de migração do software de controle: tecnologia continuamente atualizada para maior eficiência, segurança cibernética, confiabilidade e lucratividade, permitindo 100% de retorno (ROI) de investimento em menos de um ano.

A

MAIS INFORMAÇÕES

Schneider Electric acaba de lançar o software de controle EcoStruxure Foxboro DCS 7.1 para ajudar os clientes a melhorar, em tempo real, eficiência, segurança cibernética, confiabilidade e lucratividade dos seus ativos e das suas operações. Com recursos expandidos e uma Interface Homem e Máquina (IHM) aprimorada, o software atualizado simplifica a engenharia e aprimora a experiência do usuário, ao mesmo tempo que oferece capacidade maximizada de direcionar com segurança melhorias mensuráveis de lucratividade operacional.

Tecnologia sempre atualizada – O EcoStruxure Foxboro DCS é um sistema de automação de processos aberto e interoperável que fornece controle altamente preciso e efetivo sobre a lucratividade operacional de uma fábrica. É o único sistema de controle de processos que possibilita melhorias mensuráveis de lucratividade operacional e uma arquitetura preparada para o futuro, permitindo um ROI de 100% em menos de um ano. Com processadores de controle de alta capacidade e alta disponibilidade, entrada/ saída poderosa e adequada ao propósito, ferramentas de engenharia intuitivas e baseadas em funções, e recursos de operação aprimorados e intuitivos, o sempre atual Foxboro DCS é comprovado para: Melhorar o tempo para a primeira produção em 30%; Reduzir os custos e riscos do projeto em 20%; Reduzir os custos de manutenção em 30%; Reduzir os custos com energia, material, engenharia, operação e estoque; Capacitar a força de trabalho para tomar melhores decisões comerciais e operacionais em tempo real. O EcoStruxure é a arquitetura de sistema aberta, interoperável e habilitada para IoT da Schneider Electric, que entrega valor agregado em relação à segurança, confiabilidade, eficiência, sustentabilidade e conectividade

16 | Automação | Fevereiro 2019

16


N O V I D A D E DO MERCADO PANORAMA

para os clientes. Aproveita os avanços em IoT, mobilidade, detecção, nuvem, analytics e segurança cibernética para oferecer inovação em todos os níveis. Isso inclui produtos conectados, Edge Control, e aplicativos, analytics e serviços. Foi implantado em mais de 480 mil sites, com o apoio de mais de 20 mil integradores de sistemas e desenvolvedores, conectando mais de 1,6 milhão de ativos sob gerenciamento por mais de 40 serviços digitais.

MAIS INFORMAÇÕES

Transformação digital – O software é executado no Windows 10 e no Windows Server 2016, para oferecer a máxima flexibilidade, garantindo segurança cibernética robusta. Ao planejar upgrades, os clientes da Schneider Electric podem instalar Windows XP, Windows 7 e Windows 10 no mesmo sistema, permitindo flexibilidade no agendamento e no cronograma de upgrades. Os clientes podem atualizar seções individuais da planta em qualquer ordem, em qualquer ritmo, para acomodar melhor os cronogramas de produção da planta. Com o suporte da Microsoft para o Windows 7, que termina em 2020, a transição para o Windows 10 permite que os clientes EcoStruxure Foxboro DCS se beneficiem do sistema operacional mais forte, com os recursos de segurança cibernética mais atualizados. https://www.se.com/br/pt/

16 | Automação | Fevereiro 2019

17


ARTIGO

REALIDADE AUMENTADA NA INDÚSTRIA: CONHEÇA AS APLICAÇÕES

Alguns problemas comuns à indústria têm a ver com a baixa eficiência nos processos de produção e falta de otimização de recursos humanos e materiais.

C

ada vez mais comum no contexto da Indústria 4.0, o uso de tecnologias avançadas no chão de fábrica tem permitido otimizar esses recursos e evitar riscos no ambiente de trabalho, o que garante à empresa maior produtividade e, consequentemente, maior lucratividade. No mundo todo, a tecnologia aliada à interação humana tem permitido que os processos industriais sejam cada vez mais assertivos. Assim, a realidade aumentada se torna essencial, pois reúne em um mesmo dispositivos informações visuais que vão auxiliar na tomada de decisões em tempo real, integrando o ambiente industrial às projeções virtuais.

MAIS INFORMAÇÕES

A Realidade Aumentada (RA) é uma área que tem previsão de receita de mais de US$ 100 bilhões de dólares nos próximos 24 meses em todo mundo. Neste artigo, entenda o que é e quais são as aplicações da realidade aumentada na indústria.

16 | Automação | Fevereiro 2019

18

O QUE É REALIDADE AUMENTADA? Através da projeção de cenários virtuais sobre o mundo físico, a utilização da Realidade Aumentada permite uma integração em tempo real com informações e dados obtidos através da integração de dados provenientes de sistemas industriais, GPS, câmeras de vídeo e internet. Integrados à dispositivos móveis, esses equipamentos formam imagens que representam uma interação direta entre o usuário e os objetos em seu ambiente de trabalho. No caso do setor industrial, permite o acompanhamento virtual de dados de processo, incluindo a operação de máquinas por parte de operadores, o acompanhamento em tempo real da produção por parte dos gestores e a orientação de procedimentos de manutenção e segurança no ambiente de produção para especialistas remotos, que atuem diretamente na manipulação dos equipamentos. Para a indústria, isso significa um grande avanço principalmente na redução de riscos para trabalhadores, aumento da capacidade nas linhas de produção e otimização de recursos na capacitação e manutenção dos processos industriais.


NOVIDADE

Descubra a seguir, as vantagens da realidade aumentada na indústria. PORQUE IMPLANTAR A REALIDADE AUMENTADA NA INDÚSTRIA? As experiências através da realidade aumentada têm agregado valor às indústrias que integram a tecnologia aos seus processos produtivos. Elas buscam uma orientação de processos dentro das indústrias através da visualização em tempo real de detalhes que muitas vezes podem prejudicar a eficiência produtiva quando não observados. Se aliada a alguma tecnologia de Inteligência Artificial (IA), a RA pode ser utilizada também para auxiliar na visualização precoce de desvios operacionais. A previsibilidade de falhas é uma das vantagens do uso de tais tecnologias no ambiente industrial, possibilitando a técnicos e operadores a identificação de problemas operacionais em máquinas e equipamentos antes mesmo que eles ocorram e habilitando-os para a realização de ajustes simultâneos à operação, com auxílio do hardware de RA.

Segundo pesquisa realizada em 2018 pela PTC, as indústrias fabricantes de produtos industriais, automotivos, aeroespacial e defesa tem liderado a adoção de realidade aumentada nos seus processos internos. Dentre as mais utilizadas, as funções da RA nas empresas estão nas áreas de fabricação, design, vendas e marketing, por funcionários de operação e em treinamento. O investimento em realidade aumentada permite que novas funcionalidades sejam adicionadas às tecnologias de software e hardware, tendo em vista o momento em que a diferenciação de mercado se dá, principalmente, através da inovação tecnológica. Em termos práticos, podemos citar algumas aplicações da Realidade Aumentada, cada vez mais utilizadas pela indústria.

MAIS INFORMAÇÕES

Servem como base para a experiência de realidade aumentada todas as informações técnicas do banco de dados da empresa, como os modelos de CAD (ComputerAided Design) e dados provenientes de outras ferramentas de tecnologia e gestão industrial, como sistemas SCADA, PIMS e MES.

Desta forma, é possível controlar processos complexos que exigem das equipes produtivas mais assertividade e em que erros podem representar prejuízos financeiros significativos à sustentabilidade das empresas.

APLICAÇÕES DA REALIDADE AUMENTADA NA INDÚSTRIA Segurança do trabalho Os processos de fabricação da indústria 4.0 tem por base a utilização de ferramentas que sejam capazes de prevenir riscos aos operadores diretos de máquinas. 16 | Automação | Fevereiro 2019

19


ARTIGO A realidade aumentada permite a verificação por parte de gestores e responsáveis diretos pelo operador se ele está portando os equipamentos necessários para segurança individual e em quais condições está realizando a operação. Sendo assim, garante-se a segurança no ambiente de trabalho através do monitoramento em tempo real e de forma remota. Os custos operacionais, neste caso, são otimizados pela melhor capacidade de gestão de riscos nos processos industriais, como em situações de manuseio de materiais perigosos e trabalhos realizados em altura e profundidades, através da utilização de EPIs de forma adequada. Treinamento e capacitações Na mesma mão da segurança, os treinamentos e capacitações realizados com suporte da RA permitem a simulação dos processos industriais de fabricação e funcionamento de máquinas. Usando óculos de realidade aumentada, tablets ou smartphones, é possível conseguir extrair maior capacidade de retenção e aprendizado por parte de funcionários, uma vez que essa tecnologia promove a interatividade como principal vantagem. A possibilidade de poder manusear e entender a montagem de uma peça ou equipamento ao mesmo tempo em que interage com ele, cria um engajamento e otimiza os recursos empregados em treinamentos presenciais. Isso porque é possível realizar esses treinamentos com especialistas e técnicos à distância e simulação de cenários em 3D, onde as instruções sejam repassadas simultaneamente à prática do operador e a base de dados possibilita uma visualização de cada detalhe da máquina. Manutenção Industrial O funcionamento completo das atividades de todo o ciclo produtivo pode ser facilitado também pela aplicação da realidade aumentada na indústria, desde a prototipagem de produtos pelas equipes de desenvolvimento até o produto final. Para que funcionários de chão de fábrica possam realizar a manutenção de equipamentos e máquinas, o auxílio remoto de especialistas e a visualização de protótipos e instruções diretamente no display do dispositivo, permite a resolução mais ágil e assertiva do problema. O profissional pode ter acesso, por exemplo, à uma animação virtual de cada etapa necessária para a substituição de uma peça defeituosa. É possível ainda, confirmar sua disponibilidade em estoque através da integração com sistemas de corporativos de gestão.

MAIS INFORMAÇÕES

O uso de realidade aumentada na manutenção industrial permite, portanto, a melhora na eficiência produtiva, uma vez que reduz o tempo e custos pela interrupção das atividades em plantas industriais. Automação de processos na linha de produção A automação de processos industriais está ligada à capacidade de resolução de problemas de maneira ágil e eficaz.

16 | Automação | Fevereiro 2019

20

De maneira prática, aplicações de AR podem estar presentes no cronograma de funcionamento da planta, indicando as responsabilidades por funcionário e por cada processo, do mais ao menos complexo, qual o tempo de produção e em qual cadência ele precisa ser executado. A realidade aumentada permite corrigir problemas operacionais com o acionamento imediato de profissionais envolvidos nos processos, independente da sua localização e, assim, realizar ou orientar os ajustes necessários. CONCLUSÃO A realidade aumentada já faz parte dos processos industriais brasileiros. Sua aplicação se tornou fundamental para a indústria 4.0, uma vez que integra funcionalidades tecnológicas a experiência humana para aumento da produtividade e competitividade de mercado, colaborando com a segurança e eficiência da indústria. Carlos Paiola, Diretor Comercial da Aquarius Software, cpaiola@aquarius.com.br


Bem-vindo ao mundo Lenze, a Terra do Movimento! Movimento é o que nos distingue como uma empresa inovadora. É o elemento central da nossa motivação, é o que pensamos, sentimos e fazemos todos os dias, no mundo dos negócios e pessoalmente. Nós não apenas garantimos o funcionamento das máquinas de nossos clientes, mas também oferecemos conceitos e ideias que contribuem para o aumento de desempenho e eficiência.

As melhores máquinas e indústrias ao redor do mundo usam Lenze.

Somos um dos líderes mundiais em tecnologia e soluções de automação industrial e atuamos na vanguarda na Indústria 4.0 com pesquisa e desenvolvimento. Tecnologia alemã de ponta é garantia de performance para seu projeto de automação industrial, sempre com os melhores Controladores Programáveis, IHMs, Inversores de Frequência, Servo motores, Servo drives, Motores e Motoredutores. Suportamos seu projeto com estrutura de engenharia e serviços diferenciados no Brasil para garantir sua produtividade.

Indústria 4.0 desde 1947.

5 Passos para sua liberdade

1

2

3

4

5

DESENVOLVENDO IDEIAS

ESBOÇANDO CONCEITOS

IMPLEMENTANDO SOLUÇÕES

CONSTRUINDO MÁQUINAS

GARANTINDO PRODUTIVIDADE

Fácil assim... www.lenze.com.br Lenze Brasil – Contact Center 19 3846-3500 vendas@lenze.com.br


APLICAÇÃO

DOCILE MODERNIZA LINHA DE PRODUÇÃO E CAMINHA PARA A INDÚSTRIA 4.0

Companhia foi selecionada para o projeto “Minha Indústria Mais Avançada” criado pelo Senai para introduzir a Manufatura Avançada e a Indústria 4.0 em pequenas e médias empresas brasileiras.

A

MAIS INFORMAÇÕES

Docile é uma indústria brasileira especializada na produção de doces e fabricante de sete categorias de produtos: balas de goma, pastilhas, chicles, balas de gelatina, marshmallows, refrescos em pó, e canudinho e fitinha. Produz mais de 2,6 milhões de quilos de guloseimas, oferecendo um portfólio de mais de 250 produtos. Emprega mais de 800 funcionários em dois parques fabris, um em sua sede que fica em Lajeado (RS), e outro em Vitória de Santo Antão (PE). Em 2017, a companhia conquistou o selo FSSC 22000, pela certificadora DNV GL, e possui a certificação ISO 9001.

A Unidade de Vitória de Santo Antão da Docile acaba de receber sensores que monitoram a produção de doces em tempo real. A tecnologia foi implantada nos setores de embalagens do refresco em pó e das balas de goma, e permite acesso a informações sobre o que está sendo produzido ou se houve paradas na linha de produção. Os sensores instalados em algumas máquinas repassam informações a um software, que analisa os dados e disponibiliza a informação na rede. “A tecnologia embarcada nesse novo modelo de produção é fundamental para assegurarmos nossa presença nos mercados interno e externo”, esclarece o gerente da Docile Nordeste, Eduardo Cima. “Este é primeiro passo em direção à Indústria 4.0. Temos um longo caminho a percorrer”, visualiza. Segundo o gerente, foram utilizados sensores fotoelétricos da Tecnotron para coleta dos dados, por serem confiáveis nas leituras e terem custo/benefício adequado. E o software é o MINA, que foi ofertado pelo Senai no projeto “Minha Indústria Mais Avançada”, criado pela entidade para ajudar as empresas na adoção de um sistema de gestão

16 | Automação | Fevereiro 2019

22


NOVIDADE

Eduardo Cima, Gerente da Docile Nordeste.

voltado ao conceito de manufatura enxuta. A Docile foi uma das 56 selecionadas. Cima explica que o software MINA é exclusivamente comercializado pelo Senai e é uma plataforma dedicada para análise de produtividade, diferente de um sistema SCADA. Portanto, qualquer indústria que tiver interesse pode entrar em contato com o Serviço de sua região. Em 2017, a companhia participou do programa “Brasil Mais Produtivo” – que aconteceu um ano antes do “Minha Indústria Mais Avançada”. “Neste primeiro projeto nos destacamos pelo envolvimento, interesse e resultados obtidos pela equipe. Viram a Docile como uma empresa inovadora, inquieta, que aproveita as oportunidades, com gestão participativa e com o “fazer bem feito” como política interna. O consultor do Senai é peça fundamental neste projeto; ele é o responsável pelos treinamentos para uso do software, auxilia na resolução dos problemas técnicos e monta o cronograma juntamente com a equipe de gestores da empresa”, enfatiza o gerente.

da elaboração do material utilizado para alimentação do software. Cima conta que a Docile já utiliza ferramentas do conceito da Indústria 4.0 em algumas etapas dos seus processos. “Como as tecnologias, para as indústrias nacionais, ainda são muito caras, esses incentivos governamentais nos proporcionam experimentar, obtendo resultados satisfatórios, nos encoraja a fazer mais movimentos na busca do conceito da Indústria 4.0 em todas as unidades”, conclui. www.docile.com.br

MAIS INFORMAÇÕES

“O resultado desse projeto pode nos mostrar que devemos implementar esse tipo de controle em todos os equipamentos”, diz. O gerente salienta que os colaboradores são fundamentais dentro dessa nova realidade. “Eles estão envolvidos desde o primeiro dia em que o Senai iniciou os trabalhos. Sem o comprometimento deles, o sistema não funcionaria”, diz. A equipe foi treinada e participou 16 | Automação | Fevereiro 2019

23


N OT Í C I A

EMBRAPII E GM DESENVOLVEM ROBÔ PARA INSPEÇÃO DE SOLDA

Projeto viabiliza inspeção durante o processo de fabricação de carros detectando possíveis falhas com mais precisão.

A

Unidade EMBRAPII ISI Laser e a montadora General Motors desenvolveram o robô Snake para a automação do sistema de inspeção de solda na indústria automotiva, com o objetivo de tornar a operação mais eficaz, precisa e econômica para a empresa.

Apesar de ser desenvolvido para um fim específico, a versatilidade do robô Snake permite que ele seja utilizado em outras frentes de trabalho, como aplicação de selantes internos, inspeções dimensionais e de montagem em ambientes de difícil acesso.

Segundo os desenvolvedores, o Snake é um robô manipulador bastante flexível, característica que lhe permite alcançar locais de difícil acesso e com obstáculos físicos no caminho. A mobilidade ocorre pela dinâmica de seus eixos modulares.

“O desenvolvimento permite o domínio completo de uma tecnologia, desde sua concepção até a aplicação em ambiente relevante. Isso pode levar a resultados consideráveis na diminuição de custos para implementação destas tecnologias e até mesmo fomentar o desenvolvimento de novas empresas de base tecnológica”, explica Jhonattan Gutjahr, pesquisador Unidade Embrapii ISI Laser, localizada em Joinville (SC).

MAIS INFORMAÇÕES

Na primeira fase, o robô foi projetado, dimensionado e construído com três eixos e comprimento de 70 cm. Na segunda fase, que está em desenvolvimento, o manipulador contará com seis eixos e alcance de 140 cm. A projeção final é atingir 210 cm, com nove eixos. Além da função de inspeção, o robô também contará com um sistema de soldagem a laser de componentes do carro.

16 | Automação | Fevereiro 2019

24

www.embrapii.org.br


N OT Í C I A

BR PROPERTIES ESCOLHE JOHNSON CONTROLS PARA MANUTENÇÃO PREDIAL E SISTEMAS BR Properties reduz 15% de OPEX com unificação das operações de manutenção predial e de sistemas.

P

ara prover o melhor gerenciamento de seus empreendimentos, a BR Properties – que atua na aquisição, locação, administração, incorporação e venda de imóveis comerciais –, conta com a parceria da Johnson Controls, que foi a empresa escolhida para unificar as operações de manutenção predial e de sistemas/ tecnologia de 15 dos 70 edifícios da companhia. “A entrada da Johnson Controls nos trouxe de forma imediata grande impacto quanto à qualidade de execução das tarefas do dia a dia, processos e procedimentos, mesmo com redução de 20% da equipe de atendimento, se comparado à empresa anterior”, explica Ruddy Ricci Fuchs, gerente de operações e facilities da BR Properties. “Além de toda tecnologia agregada na operação e da supervisão dos empreendimentos, identificamos uma redução de 15% do OPEX, possibilitando redução das taxas condominiais, além de retorno de 2,7% dos valores investidos desde o início do contrato”, finaliza Fuchs.

A multinacional norte-americana disponibiliza 100 especialistas nas áreas de mecânica, elétrica e civil para a manutenção predial dos edifícios. Além disso, a Johnson Controls implementou o controle de acesso C-Cure, que tem o objetivo de integrar o controle de acesso de todos os empreendimentos em uma única plataforma. “Com todas as soluções aplicadas em suas operações - como mecânica, elétrica, civil, sistema de automação predial, sistema de detecção e alarme de incêndio, CFTV (circuito fechado de TV), alarme de intrusão, entre outras -, somos um parceiro que propõe a inteligência nas propriedades administradas pela BR Properties. Por meio de relatórios gerenciais com aplicações personalizadas e tratativas diferenciadas de suporte de software e hardware, a Johnson Controls permite análises avançadas em tempo real para o cliente”, conclui Eduardo Abel, diretor de vendas da Johnson Controls no Brasil.

MAIS INFORMAÇÕES

A Johnson Controls é responsável pela operação remota com o objetivo de centralizar todos os dados e a inteligência dos empreendimentos, por meio de uma central 24 horas, resultando em melhor performance e redução de postos de trabalhos residentes. Os edifícios da BR Properties operados pela Johnson Controls contam ainda com o Metasys que, com fácil interface, utiliza gráficos foto-realistas para melhor visualização e rápida solução de problemas por meio de dispositivos móveis, como celular ou tablets. Estes gráficos

são facilmente criados no Metasys® sem a necessidade de qualquer software ou ferramentas adicionais, reduzindo significativamente o tempo de trabalho.

www.johnsoncontrols.com

16 | Automação | Fevereiro 2019

25


N OT Í C I A

ALUNA DO INSTITUTO MAUÁ DESENVOLVE PROJETO INÉDITO DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL COM A MITSUBISHI ELECTRIC

Projeto traz mais agilidade para desenvolvimento de projetos ao unir software de programação de robôs da Mitsubishi Electric com software CAD 3D.

I

MAIS INFORMAÇÕES

sabella Ribeiro, aluna de Engenharia de Controle e Automação do Instituto Mauá de Tecnologia, desenvolveu um projeto de iniciação científica usando uma combinação inédita de soluções da Mitsubishi Electric: ela uniu o software RT Toolbox 3 da companhia ao Solidworks®, software usado por engenheiros para desenvolvimento de projetos em 3D. Na prática, a iniciativa traz benefícios significativos, como simular a utilização de robôs em um ambiente virtual de maneira completa, com tempo de produção, layout, ergonomia e programação do robô, reduzindo custos, tempo de desenvolvimento e comissionamento.

A estudante conta que sempre se interessou pela área de Automação Industrial e a dedicação a esse projeto permitiu ter um conhecimento ainda maior sobre a área. “Queria muito fazer uma iniciação científica ligada à minha área de estudo e me dediquei a esse projeto por nove meses. Ter um contato tão próximo contribuiu muito para o meu conhecimento e para minha vontade de trabalhar com Automação Industrial”, destaca. O projeto representa um marco para a companhia japonesa, uma das maiores do mundo em automação industrial. “É sempre bom trazer um novo olhar sobre as soluções que temos. Jamais pensamos nessa possibilidade e estamos muito felizes com o fato de que uma estudante se interessou em conhecer mais sobre as nossas soluções, aprofundando seu conhecimento nesse nível. Nos sentimos lisonjeados e queremos homenagear a aluna por essa conquista”, afirma Fabiano Lourenço, diretor executivo da divisão de Automação Industrial da Mitsubishi Electric. Além de contribuir para os avanços da operação da companhia, o projeto também representa avanço significativo para a capacitação de novos profissionais no

16 | Automação | Fevereiro 2019

26


NOVIDADE

Brasil. “A utilização deste recurso permite que as indústrias utilizem a tecnologia com o objetivo de melhorar processos produtivos, reduzindo custos e prazos de desenvolvimento, que é um dos objetivos da Indústria 4.0. Sua aplicação já no ambiente educacional é o resultado da parceria que temos com o Instituto Mauá.”, ressalta Hélio Sugimura, gerente de marketing da Mitsubishi Electric. Com o objetivo de suprir essa demanda, o Instituto Mauá de Tecnologia busca trazer uma oferta cada vez mais qualificada de informações aos seus estudantes. Atualmente, a instituição possui três cursos ligados à área de automação industrial: Engenharia de Controle e Automação, Engenharia Eletrônica e pós-graduação Modular sobre Automação e Controle Industrial.

MAIS INFORMAÇÕES

“Com cada vez mais recursos disponíveis para a operação industrial, temos percebido a necessidade de oferecer conhecimento de qualidade acerca do tema, para formar novos profissionais qualificados e capazes de atender à demanda do mercado”, afirma o professor Fernando Madani, coordenador do curso de engenharia de Controle e Automação do Instituto Mauá de Tecnologia. www.MitsubishiElectric.com

16 | Automação | Fevereiro 2019

27


N OT Í C I A

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA É DESTAQUE NA PLATAFORMA DE GERENCIAMENTO PREDIAL DA SIEMENS

Desigo CC gerencia múltiplos equipamentos de automação e detecção de incêndio integrados que atuam nos edifícios para otimizar a utilização de recursos como iluminação e ar-condicionado.

P

or meio da integração de equipamentos de campo, o Desigo CC disponibiliza um sistema inteligente capaz de otimizar os recursos de toda a instalação, o que, além de diminuir a incidência de falhas e trazer muito mais segurança para as pessoas, garante também a redução de custos por meio de uma utilização racional de energia.

De acordo com Marcelo Lopes Moreira, Coordenador de Produtos da área de Building Technologies da Siemens no Brasil, um dos principais diferenciais do Desigo CC é que essa solução auxilia a administração de um edifício na tomada de decisões, pois fornece dados estratégicos para uma melhor gestão. “Com a instalação da nossa solução, são colocados no prédio diversos equipamentos responsáveis pela sua automação. Com isso, o sistema recebe informações essenciais para atender a todas as necessidades do local”, explica.

MAIS INFORMAÇÕES

Funcionando como um software de computador, a plataforma também pode ser baixada como um aplicativo de celular. Dessa forma, toda a sua operação e consulta aos dados se dá de forma remota. “Mesmo alguém que estiver fora do País tem acesso à solução, que possui interface intuitiva e é adaptável a qualquer outro sistema já instalado no prédio” complementa Moreira. Graças à sua tecnologia de análise de dados, o Desigo CC permite, com um simples toque de um botão, uma configuração de iluminação e ventilação mais adequada para diversas situações rotineiras, como uma reunião com 16 | Automação | Fevereiro 2019

28


NOVIDADE

várias pessoas, uma apresentação ou uma conferência por telefone. A solução vem com diversos cenários pré-definidos, que podem ser utilizados levando em conta fatores como número de pessoas, horário e o tamanho do espaço, e, por meio dos dados fornecidos, definir a temperatura do ar-condicionado e também se vai utilizar luz natural ou artificial, já que é integrado também ao sistema de persianas automatizadas. Tudo isso, além de otimizar os processos, garante maior conforto no ambiente de trabalho. A ferramenta conta com propriedades avançadas de detecção ativa de incêndio, enviando avisos ao time da Brigada de Incêndio caso os detectores de campo identifiquem algo suspeito no sistema. Dessa forma, os profissionais podem avaliar as informações e decidir quais os próximos passos a se tomar de forma muito mais rápida. www.siemens.com.br MAIS INFORMAÇÕES 16 | Automação | Fevereiro 2019

29


N OT Í C I A

BOMBAS DE MANGUEIRAS BREDEL OFERECEM CONFIABILIDADE EM MINA DE COBRE BRASILEIRA

O Grupo Watson-Marlow Fluid Technology (WMFTG) instalou um grande número de bombas de mangueiras de serviço pesado Bredel em uma empresa de mineração de cobre no norte do Brasil. • 84 bombas Bredel instaladas na mina de cobre brasileira • Precisão das bombas Bredel mantendo os custos dos produtos químicos sob controle • Relatórios do cliente citam “facilidade de manutenção” da tecnologia Bredel

Um pedido prospectivo inicial de bombas nesta planta foi perdido para as bombas de mangueiras da concorrência. No entanto, após repetidas falhas de mangueiras e longos períodos de inatividade, os operadores da mina optaram por instalar 42 bombas de mangueiras Bredel como parte da próxima fase de investimento. O sucesso dessa instalação subsequente levou à substituição de todas as 40 bombas concorrentes pelos modelos Bredel. Existem agora 84 bombas de mangueiras Bredel espalhadas pelas duas instalações de cobre da empresa.

MAIS INFORMAÇÕES

Precisão e confiabilidade A mina requer bombas em sua área de flotação para medição química. Esta é uma parte importante do processo de mineração que exige precisão e confiabilidade, sem mencionar bombas capazes de funcionar 24 horas por dia, 7 dias por semana. A precisão é particularmente importante, pois os produtos químicos não são apenas caros, mas seu transporte para essa área remota também é custoso. O desperdício tem um impacto direto na lucratividade e os derramamentos podem ter um impacto negativo sobre essa empresa ambientalmente consciente. 16 | Automação | Fevereiro 2019

30


NNOOT VID Í CAI D AE

As bombas concorrentes originalmente instaladas tiveram dificuldades - normalmente através de falhas na mangueira - ao bombear substâncias químicas que incluem sulfato de sódio, xantato, álcool metil-isoamílico e ditiofosfato. De fato, a empresa relata que precisava substituir as mangueiras com a mesma frequência todos os meses, devido a ataques químicos e orientações insatisfatórias sobre a instalação das bombas.

custos de produtos químicos sob controle e a facilidade de manutenção é citada como mais um benefício. www.wmftg.com

Essa experiência está em forte contraste com o suporte oferecido pelo WMFTG. Apesar do fato de a mina estar localizada em uma área remota e densamente florestada do Brasil, o cliente menciona que o WMFTG oferece assistência contínua ao projeto durante as fases de especificação, instalação e comissionamento. Além disso, o WMFTG em breve fornecerá treinamento para as equipes de manutenção e processo na segunda mina do cliente.

MAIS INFORMAÇÕES

42 bombas em cada mina Hoje, os operadores da mina têm 42 bombas Bredel em cada uma de suas duas minas - ambas operam com taxas de vazão entre 22 e 540L / h. Desde a instalação das primeiras bombas Bredel, nenhum dos problemas de mangueira encontrados anteriormente com as bombas concorrentes foram relatados. Além disso, a precisão e a confiabilidade da tecnologia de bombas Bredel estão ajudando a empresa a manter os 16 | Automação | Fevereiro 2019

31


E N T R E V I S TA

ESTERLINE CONNECTION TECHNOLOGIES - SOURIAU INVESTE EM P&D PARA A IMPLANTAÇÃO DE NOVOS PROCESSOS DE FABRICAÇÃO

O regulamento europeu REACH (Registration, Evaluation, Authorisation and Restriction of Chemicals), que visa assegurar um elevado nível de proteção à saúde humana e ao ambiente, impõe regras restritas à utilização de substâncias químicas. O cromo hexavalente utilizado no tratamento de superfície de inúmeros produtos SOURIAU é uma das substâncias proibidas.

C

om o objetivo de manter sua liderança técnica em conectores para ambientes adversos e de continuar a inovar junto com seus clientes, o departamento de pesquisa e desenvolvimento da SOURIAU tem investido por vários anos na pesquisa de novos processos de fabricação. Quando concluídas, devem permitir à SOURIAU cumprir os regulamentos impostos pelo REACH e, ao mesmo tempo, salvaguardar o emprego do seu pessoal na França para o futuro. Entrevista com THOMAS PICHOT, gerente da Unidade de P & D Aeronáutica.

MAIS INFORMAÇÕES

Você poderia descrever o uso do cromo hexavalente em sua indústria? TP: Projetamos e fabricamos conectores elétricos ou ópticos usados em ambientes severos, para aplicações aeroespaciais, aeronáuticas, militares e industriais. Os invólucros e os acessórios de nossos conectores são feitos de materiais compósitos, alumínio ou aço, e usamos o cromo hexavalente por décadas em nosso processo de galvanoplastia. Essa substância é usada para dar aos nossos 16 | Automação | Fevereiro 2019

32

produtos as propriedades anticorrosivas, a continuidade elétrica e a aparência que nossos clientes desejam. Como o cromo hexavalente está na lista de substâncias químicas proibidas, estamos trabalhando para substituí-lo. É possível substituir um produto por outro? TP: Sim, claro, mas leva tempo. Na verdade, não é apenas o domínio perfeito do uso de cromo hexavalente no tratamento de diferentes materiais, como alumínio, ligas de cobre ou até certos termoplásticos, mas as propriedades desses produtos ainda são muito superiores ao que é possível alcançar com outras substâncias. Então a dificuldade é dupla; ter certeza de que é possível implantar o substituto em escala industrial, e isso que nos permita obter o desempenho necessário. Por exemplo, em certos casos, usamos cromo hexavalente para facilitar a aderência a outros revestimentos no material de suporte. Portanto, teremos que qualificar um produto que ofereça as mesmas características funcionais e, ao mesmo tempo, nos permita incorporá-lo de maneira controlada em


NOVIDADE níquel enquanto desenvolvemos um novo procedimento usando uma substância certificada e autorizada pelo REACH como não perigosa. Assim, reduzimos nosso consumo anual de metade de cromo hexavalente, de oito para quatro toneladas. Foi uma transição fácil? TP: Obviamente não foi. Levamos vários anos para colocar esse novo “edifício tecnológico” no lugar e validá-lo, porque não se trata apenas de validar um conceito em laboratório, ele deve ser reproduzido em escala e por um longo período. Em alguns aspectos, é preciso acumular experiência. Tomemos por exemplo banhos de galvanoplastia que contêm até várias centenas de litros. Sua composição e perfeito domínio do processo resultam da experiência em diversos aspectos: o tempo de imersão e as concentrações dos diferentes produtos devem ser validados. Temos que ter certeza de que não há impacto na geometria das peças e monitorar o envelhecimento dos banhos para garantir a qualidade do tratamento, etc. Dezenas de parâmetros devem ser levadas em consideração, analisados e masterizados.

nossos procedimentos de fabricação. Finalmente, devemos ter em mente que, em outros casos, o cromo hexavalente é usado nos estágios finais do processo e, portanto, persiste na superfície. Se os substituirmos, temos que nos certificar de que os novos conectores são compatíveis com os conectores já em campo, porque eles podem estar em contato uns com os outros. É possível, mas é um desafio muito complexo, você concorda? TP: Na verdade, a partir de agora não temos apenas uma solução de substituição, porque o cromo nem sempre é usado para o mesmo propósito; depende dos materiais e do tratamento final. Nossa abordagem tem sido categorizar nossos componentes de conector de acordo com seu material, identificar os mecanismos eletroquímicos em jogo e realizar um grande número de testes em diferentes estágios do banho até a linha de produção piloto, orientando nossa pesquisa em direção a várias soluções.

O processo de eliminação progressiva do cromo hexavalente parece estar bem encaminhado... TP: Assim que o regulamento europeu REACH foi implementado, a gerência da SOURIAU ESTERLINE e toda a equipe perceberam que tínhamos que lançar um grande programa para inovar nossa tecnologia de tratamento de superfície para que pudéssemos manter a produção de nossos conectores na França. É um grande esforço em termos de investimento e isso também fortaleceu a cooperação entre nossas equipes e nossos clientes. Nosso desejo de demonstrar nossa capacidade de inovação, encontrando soluções de substituição para o cromo hexavalente, está fortalecendo nossa experiência e alavancando nosso knowhow. Nossos clientes estão nos apoiando nessa tarefa; eles sabem que estamos no caminho certo para o futuro. Temos que proteger a saúde humana e o meio ambiente.

MAIS INFORMAÇÕES

Então, qual é o status atual da sua pesquisa? TP: Não usamos mais o cromo hexavalente no tratamento de invólucros compósitos. Em primeiro lugar, realizamos um processo de granalhagem para modificar as propriedades da superfície e permitir que nosso novo tratamento de preparação (livre de cromo hexavalente) facilite a aderência dos sucessivos revestimentos metálicos. Para conectores de alumínio, também eliminamos a passivação com cromo hexavalente em nosso processo de tratamento de zinco-

Qual é o status do cromo hexavalente para conectores cromados com cádmio? TP: Atualmente, apenas a passivação de cromo hexavalente pode garantir alta resistência à corrosão e excelente condutividade elétrica, ao mesmo tempo em que retém as aparências não refletivas e escuras que ainda são características essenciais dos produtos militares. Uma das soluções desenvolvidas como alternativa à deposição de cádmio é baseada em um tratamento de zinco-níquel com passivação hexavalente livre de cromo. Isto faz ser possível ter produtos acabados que oferecem excelentes características, garantindo a total compatibilidade com o equipamento já instalado. No entanto, esta solução não necessariamente será a correta em todos os casos. Continuamos a utilizar o crómio hexavalente em produtos cromados com cádmio para satisfazer determinados requisitos do cliente ou para atingir mercados fora da Europa onde o regulamento não se aplica e onde, no entanto, temos de permanecer competitivos. Obtivemos uma isenção da Agência Europeia de Produtos Químicos por 12 anos, que estamos usando para continuar nossa pesquisa e, ao mesmo tempo, estamos analisando as técnicas usadas em outras indústrias, como a indústria automobilística, por exemplo. Nosso objetivo final é naturalmente eliminar completamente o cromo hexavalente de todos os nossos processos de fabricação.

www.souriau.com 16 | Automação | Fevereiro 2019

33


N OT Í C I A

SCHNEIDER ELECTRIC CRIA PROGRAMA DE INCENTIVO À SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Schneider Electric Ventures apoia inovações transformacionais e disruptivas com financiamento, incubação e parcerias.

Schneider Electric Ventures

A

Schneider Electric anuncia a criação do programa Schneider Electric Ventures, que identifica, promove e apoia inovações que possam contribuir para a sustentabilidade e eficiência energética no futuro. A companhia compromete-se a investir entre 300 e 500 milhões de euros nos próximos anos em projetos de incubação, parcerias com empresários e fundos especializados. De acordo com a empresa, a missão dessa iniciativa é identificar, promover e apoiar empresas e empresários cujas inovações poderão vir a transformar a forma como vivemos e trabalhamos, como produzimos e consumimos energia, e como gerimos edifícios e fábricas. O programa apoia a inovação por meio de financiamento, incubação e parcerias. Alguns projetos já estão em curso:

MAIS INFORMAÇÕES

• eIQ Mobility, uma start-up e spinoff da Schneider Electric Incubator que facilita e acelera a mobilidade elétrica em escala ao propor “frotas elétricas as a service” para frotas comerciais de grandes dimensões.

• Clipsal Solar, um empreendimento comercial que oferece soluções on-grid e off-grid para aplicações residenciais e comerciais na Austrália. Cerca de 1,8 milhões de proprietários residenciais já instalaram painéis solares para ajudar na gestão das contas de luz. As previsões do mercado indicam que serão 134 mil lares adicionais até 2021. • Greentown Labs Bold Ideas Challenge em parceria com a Greentown Labs, focada no apoio ao desenvolvimento de empresários por meio da disponibilização de mentores, membros de equipes, com subsídios de 25 mil dólares e recursos técnicos e de negócio necessários para o lançamento de projetos de sucesso. A Schneider Electric investiu ainda na participação em seis empresas: Sense, líder na tecnologia de desagregação de cargas; Element Analytics, líder na analítica de grandes volumes de dados industriais; Habiteo, especialista no design 3D de novos parques habitacionais; QMerit, o Uber dos fornecedores de serviços de manutenção, reparação e operação de maquinaria e equipamentos; KGS, um motor preditivo para a realização de manutenção “just in time”; e Claroty, empresa líder na segurança cibernética de redes TA industriais. www.schneider-electric.com/ventures

16 | Automação | Fevereiro 2019

34


NOVIDADE

PILZ APRESENTA SISTEMA DE SEGURANÇA PARA OPERAÇÕES COM ROBÔS COLABORATIVOS EM COMODATO

A solução é adequada para aplicações pick & place para a indústria automotiva e eletrônica.

A

Pilz do Brasil fornece a solução PROBms, um sistema de medição de força e pressão que garante a conformidade de sistemas colaborativos homemrobô (Human-Robot Collaboration – HRC).

“Graças a esse novo sistema de medição de força e pressão, pela primeira vez, os valores podem ser gravados com precisão, tornando o PROBms adequado para utilização industrial, principalmente levando em consideração as diferentes aplicações, por exemplo, pick & place para a

Comodato – A ideia de comodato em nível mundial do PROBms visa garantir que os usuários tenham sempre à disposição um sistema de medição atualizado, com maior produtividade e segurança em aplicações HRC. O pacote da Pilz inclui treinamento de um dia e um contrato de comodato abrangente, desde a manutenção e calibração até as atualizações de software regulares. Quando um processo HRC sofre alterações, novas medições podem ser realizadas de forma independente, a qualquer momento. Isso aumenta a disponibilidade de aplicações robóticas, bem como a produtividade de tais aplicações.

MAIS INFORMAÇÕES

Com o PROBms pode-se medir com precisão os valoreslimite de força ou pressão do movimento do robô, especificados na ISO/TS 15066, que determina valores-limite de força e pressão para movimentos de partes de sistemas robóticos, levando-se em consideração cada parte do corpo, na eventualidade de colisão entre homem e máquina. Se os valores medidos estiverem dentro dos limites durante o contato entre homem e robô, considera-se a aplicação em conformidade com a especificação. Integram o sistema de medição de força e pressão PROBms películas indicadoras de pressão, scanner, molas (de modo simular as várias regiões do corpo) e o software para operar o dispositivo de medição e registrar as medidas.

indústria automotiva e eletrônica. Essa solução que a empresa oferece aumenta significativamente a segurança para os profissionais que trabalham em contato com o robô colaborativo”, explica Pedro Medina, diretor geral da Pilz do Brasil.

www.pilz.com/pt-BR

16 | Automação | Fevereiro 2019

35


NOVIDADE

ABB LANÇA SENSORES INTELIGENTES PARA BOMBAS

A solução é voltada para os setores de saneamento, óleo e gás, mineração, e papel e celulose, que com frequência operam bombas em ambientes perigosos e de difícil acesso.

A

ABB já disponibiliza ao mercado brasileiro o novo ABB AbilityTM Smart Sensor para bombas. O dispositivo inteligente monitora a bomba e transmite os dados por Bluetooth para a nuvem, permitindo que os especialistas identifiquem as necessidades de manutenção à distância. O monitoramento verifica ineficiências no sistema, reduz riscos e custos de manutenção, previne paradas inesperadas e estende a vida útil do equipamento. Vibração e temperatura são os parâmetros operacionais aferidos pelos sensores, que levam a indicadores de desempenho como velocidade de rotação da bomba, tempo em operação, problemas no rotor, folgas, desalinhamento, desbalanceamento e cavitação.

MAIS INFORMAÇÕES

https://new.abb.com/br

16 | Automação | Fevereiro 2019

36


NOVIDADE

COMPRESSOR DANFOSS FORNECE OPÇÃO COM OU SEM INJEÇÃO DE LÍQUIDO

Tecnologia de injeção de líquido proporciona novas oportunidades ao mercado de refrigeração.

O

s compressores scroll LLZ da Danfoss foram desenvolvidos para aplicação de refrigeração comercial em baixas temperaturas. Com cinco tamanhos diferentes, os equipamentos oferecem um range de capacidade que varia de 5 até 12 Kw (4 até 10 HP), chegando até -40ºC de temperatura de evaporação. Além disso, o compressor é aprovado para trabalhar com os fluidos refrigerantes R404A, R507, R452A, R448A e R449A.

“A opção de trabalhar com injeção de líquido, que permite baixas temperaturas de evaporação e altas temperaturas de condensação, descarta a carbonização do óleo e evita desgastes dos scrolls”, explica Gustavo Asquino, gerente de marketing e desenvolvimento de negócios de compressores comerciais na América Latina. www.danfoss.com.br

A solução conta com a opção sem injeção de líquido ou com a injeção de líquido, o que permite ampliar o range de operação do compressor para trabalhar com temperatura de condensação >50ºC e com temperatura de evaporação -40ºC. A Danfoss fornece ainda todos os componentes para a injeção de líquido, como válvula para injeção, válvula solenoide, filtro e termostato de descarga. MAIS INFORMAÇÕES 16 | Automação | Fevereiro 2019

37


NOVIDADE

ELIPSE LANÇA RECURSO QUE AGILIZA O AGENDAMENTO DE OPERAÇÕES

Biblioteca Scheduling permite executar comandos em horários determinados pelo operador.

A

A Biblioteca Scheduling está disponível a partir da versão 4.8 do Elipse E3 e Elipse Power. A Biblioteca pmBasic e os objetos xfCommand e xfCommandUnit também são necessários para modelagem dos comandos. Mais informações podem ser encontradas no Elipse Knowledgebase (Kb), o portal de artigos técnicos da Elipse.

Os comandos podem ser somente de ativação ou ativação com desativação. Para cada comando, é possível cadastrar até cinco agendamentos na estrutura atual da biblioteca. A visualização dos agendamentos pode ser realizada por uma interface do tipo lista ou calendário, que mostra apenas os agendamentos diários e semanais. Dentro desta área, é possível adicionar, remover e editar os agendamentos.

www.elipse.com.br

MAIS INFORMAÇÕES

Elipse Software acaba de lançar um novo recurso que agiliza o agendamento de operações. A Biblioteca Scheduling permite executar comandos, via as soluções Elipse E3 ou Elipse Power, em horários definidos pelo operador, podendo ser, inclusive, incluída em aplicações já existentes.

16 | Automação | Fevereiro 2019

38


NOVIDADE

CABOS E CONECTORES SCHMERSAL COM GRAU DE PROTEÇÃO IP67 OU IP69

A linha é utilizada para a instalação de produtos de segurança e automação que tenham o tipo de saída por conector macho.

O

s cabos e conectores Schmersal contam com certificação UL e têm modelos com grau de proteção IP67 (que seguem o padrão de cor conforme a norma internacional DIN 47100) e IP69 (sob encomenda). A Schmersal também possui modelos especiais para conexão em série (macho/fêmea), conexão em rede e até mesmo conectores sem cabo montado para se adequar a diferentes aplicações. A solução pode ser aplicada como conexão entre o dispositivo utilizado e o painel elétrico da máquina ou como ligações em série entre diversos dispositivos. O produto da Schmersal é fácil de instalar e conta com rápida manutenção devido ao sistema Plug-in.

Com revestimento padrão em PVC (há outros materiais opcionais disponíveis), os conectores da Schmersal estão disponíveis nos modelos Retos ou Angulares (90°) e os cabos são de diversos tamanhos. A linha tem montagem em rosca M8 ou M12 e opções de 3, 4, 5 ou 8 polos. www.schmersal.com.br

MAIS INFORMAÇÕES 16 | Automação | Fevereiro 2019

39


NOVIDADE

LONGA VIDA ÚTIL EM CONDIÇÕES EXTREMAS: NOVA CHAVE DE DESALINHAMENTO DE CORREIA

No SPS IPC Drives, a unidade de negócios steute Extreme apresentou sua nova chave de desalinhamento ZS 92 SR, criada com base na sua série de chaves de emergência ZS 92 S, que também é nova.

E

As chaves de desalinhamento quase sempre precisam trabalhar em condições adversas. A ZS 92 SR é especialmente projetada com este fato em mente. Seu invólucro de alumínio fundido é muito robusto e possui várias camadas externas (passivação, revestimento de base, revestimento à pó). A posição normal da alavanca do rolete pode ser ajustada livremente e, assim, adaptada para se adequar à aplicação individual.

Um novo recurso de destaque da variante com contatos escalonados é o ponto de chaveamento ajustável individualmente. Os pontos de chaveaemento para aviso antecipado e para desligamento podem ser ajustados individualmente dentro de um intervalo de 5 ° a 35 °. Isso é possível através de um simples desbloqueio, deslocamento e travamento dos insertos de chaveamento.

Esta nova série de chaves possui dimensões de montagem que são compatíveis não apenas com as de sua predecessora, a ZS 91, mas também com as de outras chaves de desalinhamento disponíveis comercialmente, facilitando a adaptação de sistemas existentes (transportadores). Os opcionais da chave ZS 92 SR incluem uma luz indicadora LED.

MAIS INFORMAÇÕES

ste dispositivo de chaveamento robusto monitora o alinhamento das correias transportadoras. Uma grande alavanca de rolete de aço inoxidável registra quando a correia está funcionando desalinhadamente, por exemplo, porque está carregada irregularmente e, em seguida, dependendo de sua comunicação com a unidade de controle, corrige o alinhamento ou interrompe o sistema de transporte.

A ZS 92 SR pode ser usada em condições adversas em temperaturas de -40 a + 85 ° C. Uma variante para ambientes explosivos por poeira combustível está em desenvolvimento. www.steute.com.br

16 | Automação | Fevereiro 2019

40


NOVIDADE

RED LION ADICIONA DISPOSITIVOS DA10D E DA30D DE AQUISIÇÃO DE DADOS E CONVERSÃO DE PROTOCOLO

Ferramentas poderosas de conectividade desbloqueiam dados valiosos de equipamentos obsoletos e legados.

A

Red Lion Controls, especialista global em comunicação, monitoramento e controle para automação industrial e redes, anunciou o lançamento dos dispositivos DA10D e DA30D para aquisição de dados e conversão de protocolo. Ao contrário de outros gateways ou conversores de protocolo que dependem de scripts complicados ou hardware de servidor adicional para se conectar a sistemas corporativos, o DA10D e o DA30D oferecem opções de conectividade poderosas em um ambiente de configuração simples de usar, permitindo que empresas rapidamente desbloqueiem dados valiosos em equipamentos obsoletos e legados e de maneira econômica conectem, monitorem e gerenciem de maneira econômica seus sistemas com facilidade.

Para obter mais informações sobre os benefícios de conectividade ponta-a-ponta das plataformas DA10D e DA30D para aquisição de dados e conversão de protocolo da Red Lion, visite www.redlion.net/DA

MAIS INFORMAÇÕES

Para clientes de automação de fábrica que precisam coletar dados críticos de sistemas implantados de várias gerações ou de vários fornecedores, os conversores de protocolo para aquisição de dados DA10D e DA30D são novos dispositivos que oferecem portas seriais e Ethernet padrão para coletar e compartilhar dados de sistemas diferentes. Esta nova oferta aproveita o software Crimson 3.1, oferecendo suporte nativo a mais de 300 drivers industriais, recursos de servidor OPC UA prontos para uso e uma configuração simples de apontar e clicar de conectores de nuvem MQTT para algumas das plataformas de IIoT mais populares do setor da Amazon, Microsoft e Inductive Automation.

Do chão-de-fábrica até o escritório central, as plataformas DA10D e DA30D para aquisição de dados e conversão de protocolo foram projetadas para atuar como parte fundamental do sistema de coleta, visualização e gerenciamento de dados industriais de qualquer planta, permitindo decisões operacionais que tenham impacto significativo nos negócios. Fornecendo dados em tempo real a partir de praticamente qualquer equipamento, em qualquer lugar, as opções adicionais incluem registrador de dados, eventos e segurança com suporte à assinatura criptográfica e consultas SQL que podem ser executadas periodicamente ou sob demanda, ideais para simplificar o gerenciamento de receita e lote, garantindo os mais altos padrões de qualidade. Além disso, a plataforma também oferece um servidor web opcional com design responsivo para dispositivos móveis, uma tela inteira ideal para exibição em tablets ou dispositivos móveis, operação HTTPS com o fornecimento de certificados, redirecionamento de HTTP, suporte a CSS e JavaScript.

16 | Automação | Fevereiro 2019

41


NOVIDADE

GERENCIE OPERAÇÕES DE TORNEAMENTO DIFÍCEIS COM AS NOVAS GEOMETRIAS SECO -RR93 E -R3 Para os fabricantes que enfrentam o desafio de gerenciar os cavacos da metalurgia e otimizar a vida útil das ferramentas, a Seco lançou as novas geometrias -RR93 e -R3 que integram a sua linha RCMx de pastilhas para torneamento. Projetadas para aplicações extremas, tais como torneamento de rodeiros, esses novos produtos combinam os novos quebra-cavacos de desbaste e semidesbaste com a tecnologia líder de mercado Duratomic®.

O

quebra-cavacos -RR93 aumenta a vida útil da ferramenta, melhora a produtividade, dá mais confiabilidade do produto, amplia a área de trabalho do controle de cavacos e melhora o acabamento superficial. Este novo produto substitui a geometria -RR94. A geometria -R3 se destaca em aplicações de semidesbaste em aços, aços inoxidáveis complexos e super ligas. A posição otimizada das suas ranhuras controla os cavacos mesmo quando as profundidades de corte não passam de 1,5 mm, as altas taxas de avanço variam de 0,6 mm/rot para 1,2 mm/ rot e as velocidades de corte alcançam de 90 m/min a 160 m/min (dentro dessas faixas de dados de corte, as escolhas corretas dependem dos materiais e condições da máquina). A geometria -R3 substitui a geometria -R2 anterior.

MAIS INFORMAÇÕES

Em toda a linha de pastilhas, as novas pastilhas positivas RCMT20-R2 fixadas por parafusos reduzem significativamente a vibração na usinagem, resultando em acabamentos mais suaves, ideais para as áreas de superfície de acabamento de rodeiros e aplicações de semidesbaste de materiais difíceis. Pastilhas com tratamentos de arestas dedicados e tenacidade funcional preservada retêm trincas térmicas e aumentam a segurança da aresta.

16 | Automação | Fevereiro 2019

42

Para melhorar as propriedades mecânicas e térmicas que aprimoram o desempenho, o processo de revestimento de óxido de alumínio Duratomic® CVD manipula os componentes de revestimento em nível atômico. Essa tecnologia de detecção de arestas usadas reduz desperdícios com arestas de corte. As novas geometrias -RR93 e -R3, assim como as classes Duratomic®, foram testadas nos materiais de rodeiros mais comuns, como R7, R8, R9, M1, Classe B e Classe C. Visão geral da linha • RR93: 9 pastilhas (RCMX20, RCMX25, RCMX32) • R3: 10 pastilhas (RCMX20, RCMX25, RCMX32, RCMT20) • Todas as pastilhas estão disponíveis nas novas classes Duratomic® TP • A RCMX20-R3 está disponível nas classes TS2000 e TS2050 Para obter mais informações sobre a linha de pastilhas RCMx, entre em contato com um representante local da Seco ou acesse nossa página de produtos, na seção de pastilhas RCMx. www.secotools.com


NOVIDADE

NOVA CLASSE DE FRESAS DE TOPO SECO AUMENTA A VIDA ÚTIL DA FERRAMENTA PARA MATERIAIS DIFÍCEIS As novas fresas de topo Jabro®-Solid2 JS750 da Seco aumentam a vida da ferramenta de 25% a 40%, em comparação com a antiga tecnologia da ferramenta. Como equivalentes da série JS500 da empresa, líderes no mercado, as novas ferramentas JS754 e JS755 oferecem custo benefício de alto desempenho econômico projetado especificamente para processar materiais mais difíceis, comumente encontrados no setor aeroespacial, incluindo ISO M (aço inoxidável) e S (superligas e titânio termorresistente).

D

entro da nova série, a versatilidade de diversas geometrias de fresas JS754 e JS755 otimiza o fresamento lateral, desbaste e fresamento de rasgos convencionais, assim como operações avançadas de desbaste e fresamento dinâmico. As superfícies de saída periféricas lisas e o projeto de raio robusto da fresa evacua cavacos com eficiência, enquanto mantém um formato de raio real. Conicidades inversas frontais maiores aumentam a velocidade e confiabilidade, ao realizar a interpolação ou o nivelamento para usinagem compacta. A ampla gama de variações e recursos de ferramentas S754 e JS755 garantem o mais alto desempenho de corte. Com esta nova série de fresas de topo, as oficinas podem combinar a ferramenta à aplicação com vários comprimentos, tamanhos de redução do D.E. dos gargalos e raios de canto, assim como separadores de cavacos e opções de refrigeração interna.

• J S755: desbaste lateral e acabamento lateral de alto volume com 5 canais, APMXS=2*DC + DE - chanfros e raios de ø6-25 oferecem RE 0,5, 1,0, 2,0, 3,0, 6,0, comprimento normal • J S755: desbaste lateral e acabamento lateral de alto volume com 5 canais, APMXS=3,5 - 4*DC + DE - chanfros e raios de ø6-25 oferecem RE 0,2, 0,5, 1,0, 2,0, 3,0, 4,0, 6,0, comprimento longo - chanfros de ø10-20, incluindo separadores de cavacos, comprimento normal (desbaste avançado) www.secotools.com MAIS INFORMAÇÕES

Revisão da gama • JS754: desbaste lateral, acabamento lateral e fresamento de rasgos com 4 canais, APMXS = 2*DC + DE - chanfros e raios de ø3-25 oferecem RE 0,2, 0,5, 1,0, 1,5, 2,0, 3,0, 4,0, 6,0, comprimento normal - c hanfros de ø6-20 ICC com refrigeração interna, comprimento normal - chanfros de ø10 e ø12, incluindo divisores de cavacos, comprimento normal

• J S754: desbaste lateral, acabamento lateral e fresamento de rasgos com 4 canais, APMXS=3,5 – 4*DC + DE - chanfros e raios de ø6-25 oferecem RE 0,2, 0,5, 1,0, 2,0, 3,0, 4,0, 6,0, comprimento longo - chanfros de ø10-20, incluindo separadores de cavacos, comprimento normal (desbaste avançado)

16 | Automação | Fevereiro 2019

43


NOVIDADE

NOVAS CLASSES DE FRESAMENTO DA DORMER PRAMET PERMITEM CONTROLE DA USINAGEM DE MATERIAIS DIFÍCEIS

Insertos com classes M4303 M4310

Insertos de torneamento de roscas com T8010 Um programa de insertos de torneamento e torneamento de roscas.

As novas séries de alto desempenho são para aplicações de fresamento de materiais duros e torneamento de roscas de precisão, e ajudam a melhorar a vida útil da ferramenta.

A

s novas classes de fresamento M4303 e M4310 fornecem a durabilidade e a confiabilidade que as aplicações de semiacabamento e acabamento precisam. Cada série foi desenvolvida para fresamento em alta velocidade para o segmento de moldes e matrizes, oferecendo desgaste uniforme e vida útil prolongada da ferramenta. Uma cobertura PVD ultrafina aumenta a resistência da aresta de corte e seu substrato propicia dureza e a força da aresta de corte, prevenindo quebra devido ao lascamento.

MAIS INFORMAÇÕES

A M4303 substitui a antiga classe 7205 e propicia maior resistência ao desgaste. Além disso, foi desenvolvida para aços endurecidos acima de 55HRC e ferro fundido, mas também pode ser usada para usinar aços e metais não ferrosos. A M4310 substitui a série 7215 existente e oferece excelente equilíbrio entre dureza e resistência ao desgaste em aços endurecidos e ferros fundidos. Ela também pode ser usada para usinar aços inoxidáveis, aços e metais não ferrosos. 16 | Automação | Fevereiro 2019

44

A Dormer Pramet também anunciou uma classe altamente resistente ao desgaste para torneamento de roscas. A nova T8010 é ideal para torneamento de roscas de alta precisão em aços, aços inoxidáveis, ferros fundidos e superligas. A novidade amplia o portfólio da companhia nessa área de aplicação e apoia a série universal T8030. Oferecendo excelente resistência ao desgaste e assegurando a confiança na operação, a T8010 tem maior resistência à deformação plástica, o que fornece uma aresta de corte estável, e permite velocidades mais altas. O acabamento dourado do inserto é um simples indicador do desgaste e o substrato duro, e a cobertura PVD foi otimizada para lidar com o estresse residual interno, ajudando a melhorar a vida útil da ferramenta. www.dormerpramet.com


DETECTE INCÊNDIOS ANTES QUE ELES SE TORNEM GRANDES PROBLEMAS Com o uso da tecnologia de Imagens Térmicas da FLIR você poderá identificar pontos de incêndios e solucionar rapidamente, controlando e agindo diretamente no foco do problema.

Saiba mais acessando: www.FLIR.com.br/A310


Encontre todas as novidades em: www.revista-automacao.com

A fonte de informação em automação industrial

Profile for Induportals Media Publishing

Automação | 16 - Fevereiro 2019  

A Revista Automação é a fonte de informação em automação, fornecendo visões gerais de mercado, estudos de caso e lançamentos de novos produt...

Automação | 16 - Fevereiro 2019  

A Revista Automação é a fonte de informação em automação, fornecendo visões gerais de mercado, estudos de caso e lançamentos de novos produt...

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded