Automaçao 8

Page 1

08 | Automação | Outubro 2017

A fonte de informação em automação industrial

PILZ APRESENTA A NOVA LINHA DE BOTÕES DE EMERGÊNCIA PITESTOP ACTIVE

24

STEUTE NA POWTECH

27

INDÚSTRIA 4.0: DA TEORIA À PRÁTICA

4

SECO TOOLS TECNOLOGIA DE CONTROLE DE VIBRAÇÕES PASSIVAS/ DINÂMICAS AUMENTA PRODUTIVIDADE NO CORTE DOS METAIS

30


08 | Automação | Outubro 2017

REVISTA AUTOMAÇÃO

ABB BRASIL

4

8 ROCKWELL AUTOMATION

10 SIEMENS

12

SCHNEIDER ELECTRIC

UNIVERSAL ROBOTS

14

16

BALLUFF BRASIL

18 MITSUBISHI ELECTRIC

22

BAUMIER

ELIPSE

20

21

NORD

PILZ

23

24

YASKAWA

STEUTE

STEUTE

26

27

28

ANUNCIANTES: LENZE 15 • NATIONAL INSTRUMENTS 17 • NORD 36

www.revista-automacao.com


SECO TOOLS

NORD

30

34

PEPPERL +FUCHS

37

Contato: Sílvia Bruin Pereira Editor: silvia@revista-automacao.com A fonte de informação em automação industrial

Press-releases devem ser enviados para: silvia@revista-automacao.com

Para receber a Revista Automação gratuitamente inscreva-se no site www.revista-automacao.com A Revista Automação é publicada pela IPM (Industrial Portals Media) em português para técnicos e engenheiros de automação. O seu conteúdo inclui panoramas de mercado, lançamentos de novos produtos, artigos técnicos e casos de aplicação, bem como notícias da indústria e de negócios. A Revista Automação tem um cuidado minucioso na preparação de seus textos; no entanto, não pode garantir a precisão das informações que são propostas. Suas equipes não são responsáveis pelo conteúdo dos meios de comunicação ou pelo seu uso.

INDUSTRIAL

PORTALS MEDIA


NOVIDADE

PANORAMA DO MERCADO

INDÚSTRIA 4.0: DA TEORIA À PRÁTICA A Confederação Nacional da Indústria (CNI) foi pioneira e realizou a primeira pesquisa nacional sobre a Indústria 4.0 no ano passado. Consultou 2.225 empresas de todos os portes e diagnosticou que 73% das que afirmaram usar, ao menos, uma tecnologia digital o fazem na etapa de processos; outras 47% utilizam na etapa de desenvolvimento da cadeia produtiva, e 33% em novos produtos e novos negócios. A pesquisa mostrou também que a indústria brasileira ainda está se familiarizando com a digitalização e com os impactos que ela pode ter sobre a competitividade. Entre as empresas consultadas, 42% não identificaram quais tecnologias digitais, em uma lista com 10 opções, têm o maior potencial para impulsionar a competitividade da indústria. Por outro lado, fabricantes e fornecedores estão preparados há tempos para este novo cenário. E já com resultados concretos em muitas plantas brasileiras.

N

MAIS INFORMAÇÕES

a ABB Brasil a digitalização e o tema da Indústria 4.0 são há muito tempo prioridade, conforme as palavras de Marcos Hillal, Gerente de Produto da Divisão Industrial Automation. “Apesar do conceito da Indústria 4.0 ter se tornado mais conhecido nos últimos dois anos, a ABB tem investido pesado no desenvolvimento de produtos, softwares e serviços voltados para a digitalização das indústrias. Há 40 anos trabalhamos no desenvolvimento de softwares, sistemas e conectividade em nossos dispositivos para ajudar nossos clientes a produzir mais com menos custo. Investimos 6% do faturamento em Pesquisa e Desenvolvimento. Metade do nosso portfólio já é baseada em softwares. Cada solução e produto são desenvolvidos pensando em conectividade; assim, nossos equipamentos (instrumentos, Drives, PLC's, robôs, painéis de acionamentos, transformadores, SDCD´s, etc.) são desenvolvidos com inteligência embarcada, possibilitando que as informações das “coisas” das indústrias sejam disponibilizadas para o nível de controle e otimização. A maioria dos novos projetos, e até mesmo de ampliações em unidades existentes, já leva em consideração o conceito de conectividade e integração de informações”, comenta.

08 | Automação | Outubro 2017

4

ABB BRASIL página 8


N O V I D A D E DO MERCADO PANORAMA

SIEMENS página 12

ROCKWELL AUTOMATION página 10

SCHNEIDER ELECTRIC página 14

MAIS INFORMAÇÕES 08 | Automação | Outubro 2017

5


OVIDADE PANORAMA DONMERCADO

Já a Rockwell Automation está comprometida com a iniciativa Indústria 4.0 atualmente por meio da presidência de cinco comitês e, ainda, da participação em todos os grupos que possuem afinidade com as ações do governo alemão com a Indústria 4.0, as quais têm sido utilizadas como referência no Brasil para denominar a atual revolução digital pela qual a indústria brasileira e mundial está passando neste momento. “No Brasil, a Rockwell Automation tem patrocinado iniciativas em diversos segmentos da indústria, para discutir o impacto e as tendências desta nova revolução industrial. Apenas para citar como exemplo, dentro do setor de CPG a Rockwell está liderando um fórum com os CEO´s das empresas líderes em seu segmento, onde estão sendo abordados, de forma colaborativa, temas como Machine Learning, Inteligência Artificial, Bigdata, Cibersecurity, Integração, entre outros”, reforça Renato Luciano dos Santos, Gerente de Produtos de Automação e Controle. O conceito que envolve a Indústria 4.0 já faz parte do core business da Schneider Electric há algum tempo, afirma Cristiano dos Anjos, Vice-presidente da divisão de Indústria. “Por exemplo, colocamos o primeiro Controlador Programável de Processo no Brasil na década de 70 em uma grande mineradora, e implementamos o primeiro centro de controle de motor em Ethernet na década de 90. Então, a Schneider Electric tem uma história construída com base nessa conexão digital. Estamos trabalhando há muito tempo nessa transformação digital, que aparece com diversos nomes, como Manufatura Avançada, IIoT (Industrial Internet of Things) – Indústria 4.0, Indústria do Futuro, Smart Manufacturing, etc. E possibilitamos a implementação de maneira escalável, pois nem sempre uma empresa está pronta para transformar imediatamente todo o seu processo e sua equipe”, destaca. Ele acrescenta que, na visão da companhia, a IIoT (Industrial Internet of Things) hoje não é só eficiência, mas também sustentabilidade do negócio. “No mundo digital, se eu não estou conectado a uma rede eficiente para chegar a um consumidor que compra digitalmente, eu não consigo atender em um futuro próximo esse consumidor”, ensina.

MAIS INFORMAÇÕES

Vittorio Caccia, Gerente de Produto de Automação Industrial da Siemens ressalta que, de fato, Indústria 4.0 não é um produto, mas um conceito extremamente amplo que engloba desde a criação de um produto até os serviços relacionados à linha de produção. “A Siemens traz em seu portfólio de produtos novas tecnologias que auxiliam empresas a capitalizarem as vantagens da 4ª revolução industrial em um dos seus principais aspectos: a automação industrial. A Siemens possui um portfólio único, capaz de reduzir drasticamente o tempo que um produto leva desde sua concepção até ser colocado no mercado. Isto é possível através de poderosos softwares de virtualização que simulam o design de um produto e de sua linha de produção digitalmente. A partir daí, uma poderosa plataforma de automação chamada TIA Portal assume a tarefa de realizar a programação de toda linha de produção, de uma forma única e integrada, trazendo flexibilidade para a cadeia produtiva”, anuncia.

08 | Automação | Outubro 2017

6

APLICAÇÕES O Gerente de Produto da Divisão Industrial Automation da ABB Brasil conta que um bom exemplo de projeto no conceito da Indústria 4.0 acontece na área de mineração. “A ABB é uma das principais fornecedoras para o maior projeto de mineração em andamento do país, onde a partir da sua concepção o conceito de conectividade e Internet das Coisas foi aplicado ao máximo. Desde os elementos mais básicos de um Sistema de Controle, como instrumentos de campo e motores, até o nível de operação através do Sistema de Automação 800xA, o projeto foi desenhado para que 100% dos dados de produção e manutenção fossem disponibilizados e tratados pelos softwares da ABB. Esse projeto conta ainda com os mais modernos conceitos de ergonomia operacional, aplicando tecnologia de ponta nas Salas de Controle e Interface de Operação, para que as pessoas, atores fundamentais nessa revolução, se sintam confortáveis e seguras para operar um sistema tão grande e complexo, de forma simples e intuitiva”, salienta. Marcos Hillal observa que o Brasil ainda está engatinhando em relação aos investimentos necessários para preparar a base para essa revolução, que são as pessoas.“As pessoas não ficarão obsoletas. Não seremos substituídos por máquinas, mas desenvolveremos e controlaremos essa revolução com conhecimento e treinamento. Para isso, é necessário um grande salto na educação básica, profissionalizante e de nível superior, impulsionando a criatividade, a facilidade e a empatia natural dos jovens com a tecnologia. Políticas públicas de incentivo à criação e inovação também são combustíveis para essa revolução”, aconselha. A Rockwell Automation contabiliza inúmeros casos de sucesso que utilizam conceitos da indústria 4.0. “Um deles é o projeto da Anglo American, Sistema Minas-Rio, no qual a empresa utilizou a plataforma PlantPAx, uma plataforma DCS moderna e completamente aderente aos conceitos da indústria 4.0 para o controle e integração de diversas áreas. O projeto todo conta com mais 20 mil instrumentos e 800 motores. A utilização desta tecnologia permitiu a integração e operação de plantas a longas distâncias, um rápido startup que possibilitou a Anglo American fazer o seu primeiro embarque de minério de ferro antes do programado e a um custo menor que o esperado”, preconiza Renato Luciano dos Santos. O Gerente de Produtos de Automação e Controle relata que atualmente diversas empresas que, diante do atual cenário econômico, sentem-se pressionadas a serem mais produtivas, procuram a companhia interessadas em implementar projetos para tirar proveito dessa revolução digital. “Porém, nesse cenário com baixos investimentos e baixa utilização do parque industrial, é difícil justificar novos projetos. Percebemos ainda que falta para a maioria das empresas compreender melhor o que de fato é essa revolução e o que ela pode trazer de benefício à sua cadeia produtiva e, por consequência, ao seu negócio. Baseado nesse atual cenário brasileiro, e tendo com experiência a jornada para essa transformação digital em nossas fábricas ao redor do mundo, acredito que preparar a fábrica para o futuro é algo que precisa ser executado em etapas. Não existe um código de catálogo ou uma receita pronta. Cada empresa é única e é preciso entender suas necessidades, seus objetivos e seus ‘pain points’ no momento de elaborar o plano para a construção desta nova manufatura”, pondera.


N O V I D A D E DO MERCADO PANORAMA

MARCOS HILLAL ABB BRASIL

RENATO LUCIANO DOS SANTOS ROCKWELL AUTOMATION

Os diversos casos de sucesso de aplicação com o conceito de Indústria 4.0 na história recente da Schneider Electric incluem, por exemplo, a área de saneamento. “Hoje temos cidades com seus sistemas de água e esgoto inteiras sendo controladas e otimizadas. Desde as medições e controle remotos espalhados pela cidade, até o centro de controle e operação, onde se encontram sistemas avançados de otimização”, revela o Vice-presidente da Divisão de Indústria. A companhia também relaciona aplicações na indústria de máquinas. “Modernizamos o sistema eletrônico da Etirama, fabricante de máquinas para a impressão de rótulos, na qual implementamos uma aplicação para substituir engrenagens mecânicas em aplicações de impressão. Foram utilizadas três soluções que compõem um sistema de automação completo, escalável e integrado. Com isso a produção de suas máquinas passou a ser realizada em menor tempo e com economia de até 20% de energia. Enfim, em pouco tempo, os clientes já conseguem sentir o impacto na eficiência dos processos e das máquinas, eficiência operacional e eficiência energética, que inclui, não só energia elétrica, mas também água e outras formas de energia. Alguns exemplos dos benefícios obtidos pelas nossas soluções EcoStruxure são: redução das perdas de água em uma grande capital do Brasil ou a redução do consumo de energia (Kwh/tonelada) na produção de minério de ferro em uma grande mineradora do Brasil, entre outros”, descreve Cristiano dos Anjos.

VITTORIO CACCIA SIEMENS

em toda a economia do país. O país vive um momento de retomada da indústria e novas tecnologias que impulsionam a produtividade no setor vem bem a calhar nesse cenário”, expõe Vittorio Caccia. O Gerente de Produto de Automação Industrial detalha que, dentre os principais benefícios que a companhia consegue oferecer para o conceito Indústria 4.0, está a total integração dos equipamentos de chão de fábrica que, através de uma transparência operacional, consegue uma flexibilização das linhas de produção, junto com uma customização de produtos e redução de recursos naturais e energia. “Alguns clientes já vêm investindo em novas tecnologias com o objetivo de otimização e redução de custos. Um bom exemplo são as empresas que já fazem uso de computação em nuvem, virtualização de processos, etc. Estão à frente na corrida para a Indústria 4.0.”, visualiza. A Indústria 4.0 aponta para oportunidades e ganhos visíveis. A indústria brasileira sabe disso, mas encontra barreiras. O estudo da CNI indicou que para 66% das empresas o custo de implantação é a principal barreira interna à adoção de tecnologias digitais. Na contrapartida, os benefícios buscados pelos empresários são legítimos: redução dos custos (54%), aumento da produtividade (50%), melhoria da qualidade dos produtos ou serviços (38%), e otimização dos processos de automação (35%). O bom senso certamente leva à prática.

Sílvia Bruin Pereira - Editora - REVISTA AUTOMAÇÃO

MAIS INFORMAÇÕES

Da mesma forma, a Siemens possui algumas referências concretas de aplicação de tecnologias digitais para agregar valor aos clientes, desde grandes empresas como a Jeep, até empresas menores e locais como a Comil. “Hoje nós já vemos indústrias de ponta no Brasil (aeroespacial, automotivo) usando a digitalização para aumentar a produtividade, mas ainda estamos dando os primeiros passos para que esta também seja realidade para outros segmentos e também para pequenas e médias empresas, podendo gerar um impacto real não apenas na produtividade industrial, como

CRISTIANO DOS ANJOS SCHNEIDER ELECTRIC

08 | Automação | Outubro 2017

7


OVIDADE PANORAMA DONMERCADO

ABB LANÇA SOLUÇÃO EXCLUSIVA QUE CONECTA MOTORES À INTERNET DAS COISAS

Companhia apresenta Smart Sensor, solução digital para motores industriais.

M

ais uma solução do ABB Ability, portfólio de soluções digitais da ABB, o Smart Sensor, já está disponível para o mercado brasileiro. Capaz de transformar simples motores em máquinas inteligentes, o produto pode ser utilizado em motores de qualquer fabricante, antigos ou novos. Fácil de ser instalado e manuseado, o Smart Sensor possibilita a entrada das indústrias na era da Indústria 4.0.

A solução inteligente de monitoramento da ABB pode reduzir tempos de parada de motores de baixa tensão em até 70% e aumentar em até 30% a vida útil do ativo. Em resumo, o Smart Sensor possibilita a otimização de processos e um salto de produtividade, permitindo aos clientes aproveitar as vantagens e oportunidades trazidas pela digitalização, inclusive para pequenas e médias empresas.

MAIS INFORMAÇÕES

Em todo o mundo, 84% dos executivos possuem iniciativas de fábricas inteligentes ou planos futuros para implementar uma, segundo pesquisa do Instituto de Transformação Digital da Capgemini, divulgada recentemente. “Tendência global e que já começou a se tornar realidade no Brasil, a digitalização das indústrias se apresenta como um importante diferencial para as empresas manterem-se competitivas no cenário atual”, diz Marcio Gennari, gerente de aplicação de motores e geradores da ABB Brasil. “Dentro desta proposta de digitalização, a ABB desenvolveu o Smart Sensor, solução exclusiva para o mercado para monitoramento remoto e manutenção preditiva de motores”., completa Gennari. O produto monitora e informa via wireless os parâmetros operacionais, tais como vibração, temperatura, sobrecarga, frequência e rotação, convertendo 08 | Automação | Outubro 2017

8


N O V I D A D E DO MERCADO PANORAMA

esse pacote de dados em parâmetros de saúde dos componentes do motor, como comportamento vibracional, condição de sobrecarga, problemas nos rolamentos, saúde do rotor, e até calcula o consumo de energia. Os dados são analisados por um software, também desenvolvido pela companhia. O operador pode acessar todos os dados captados através do aplicativo de mesmo nome, Smart Sensor, através de um smartphone ou outro dispositivo móvel. As informações chegam de hora em hora e acessando diretamente o portal do produto, o operador tem acesso aos gráficos e informações necessárias para o planejamento de manutenção e gerenciamento remoto.

MAIS INFORMAÇÕES

Com o prolongamento da vida útil do motor e redução em até 10% do consumo de energia dos motores, os clientes podem recuperar o investimento realizado na solução em menos de um ano. Além disso, reduzir paradas não programadas e até mesmo eliminá-las por completo. Outra vantagem é a garantia da segurança dos dados em rede. As informações captadas pelo Smart Sensor são transmitidas por meio de protocolos criptografados para um servidor seguro na web e armazenados na nuvem também de forma criptografada. www.abb.com

08 | Automação | Outubro 2017

9


OVIDADE PANORAMA DONMERCADO

APP FACTORYTALK TEAMONE ACELERA DIAGNÓSTICOS EM PLANTA E FACILITA O TRABALHO COLABORATIVO

O App facilita a conectividade e a comunicação colaborativa em indústrias, aumentando a produtividade dos trabalhadores.

A

Rockwell Automation anuncia um novo App, o FactoryTalk TeamONE, para celulares com iOS e Android. Como parte da estratégia de Soluções de Informações expandidas da companhia para ajudar empregados a tomar melhores decisões em suas empresas, o App conecta-se a plataforma de automação e controle da planta, permitindo um aumento da produtividade da equipe, capacitando os usuários a trabalhar em conjunto e compartilhar conhecimentos, visualizar diagnósticos da produção em tempo real, interagir com alarmes de máquinas, e solucionar defeitos nos dispositivos. Desta forma as equipes que utilizam o App FactoryTalk TeamONE podem reduzir o Tempo Médio para Reparo (TMPR).

Ao oferecer dados praticamente instantâneos sobre os incidentes e dispositivos, as equipes de chão de fábrica, engenharia e TI pode trabalhar em conjunto como um único time, para resolver rapidamente os problemas. A partir dos seus celulares, os empregados podem selecionar uma variedade de módulos com o App FactoryTalk TeamONE, para visualizar diretamente informações de dispositivos de automação e controle no chão de fábrica através da rede EtherNet/IP. Essas informações são compartilháveis com outros membros da equipe através dos módulos de colaboração e de resolução de problemas do App. Assim que os problemas são resolvidos, os aprendizados podem ser marcados em seguida, salvos e pesquisados na próxima vez que ocorrer um incidente.

MAIS INFORMAÇÕES

O App FactoryTalk TeamONE é um nó inteligente. Em vez de atuar como um cliente que se conecta a um servidor, os módulos de dispositivos do App se comunicam diretamente com os dispositivos na rede, para visualizar dados ao vivo. Quando um acesso seguro à nuvem está disponível, os módulos se sincronizam com outros participantes da equipe.

08 | Automação | Outubro 2017

10


N O V I D A D E DO MERCADO PANORAMA

O lançamento inicial, conhecido como FactoryTalk TeamONE - Edição Gratuita, já está disponível e inclui oito módulos: Incidente, Condição de Dispositivo, Quadro da equipe, Base de conhecimentos, Conexão, Pesquisa e Conversa, Conexão e Tendências. Ele pode ser baixado das lojas de Apps do Google Play ou da Apple. Na versão FactoryTalk TeamONE Standard Edition, é oferecida como uma assinatura anual baseada no número de usuários. Além dos módulos básicos ela possui o módulo de alarmes, logins para múltiplas equipes e outros recursos. À medida que feedbacks de clientes forem compilados, novas funcionalidades serão incluídas. A próxima versão deve estar disponível no final de 2017, o FactoryTalk TeamONE Tally Edition, deve suportar conexão direta a equipamentos com o uso de bluetooth e outras tecnologias de acesso. As equipes com mistura de versões gratuitas e de assinatura poderão trabalhar em conjunto tranquilamente.

MAIS INFORMAÇÕES

O App foi desenvolvido em conjunto com a Microsoft e uma equipe startup, conhecida como “Projeto Stanton.” O download é gratuito. Visite as lojas de App do iTunes e do Google Play para fazer agora o download do App FactoryTalk TeamOne Free Edition. www.rockwellautomation.com/pt_BR/overview.page

08 | Automação | Outubro 2017

11


OVIDADE PANORAMA DONMERCADO

TIA PORTAL V14 DA SIEMENS OFERECE REQUISITOS DE INDÚSTRIA 4.0

Novas funcionalidades encurtam o tempo de comercialização para fabricantes de máquinas e aumentam a produtividade de usuários finais. Engenharia simples da plataforma facilita o acesso total a toda a automação digitalizada.

A

Siemens enriqueceu a versão 14 da estrutura de engenharia TIA Portal (Automação Integrada Total) ao agregar uma ampla gama de novas funcionalidades com foco em diagnóstico e multiusuários. A plataforma de engenharia proporciona um aprimorado gerenciamento da energia e controle de movimentos, conectividade de nuvem e 'digital twin' para comissionamento virtual, em que, aliada ao PLM (Gerenciamento do Ciclo de Vida do Produto) e MES (Sistemas de Execução de Fabricação) dentro do Conjunto do Software de Empreendimento Digital, complementa o alcance holístico para empresas no caminho da Indústria 4.0.

A engenharia baseada em nuvem é outro destaque da versão 14. A partir da sua nuvem privada, os usuários podem acessar o controlador da planta com o novo Conector de Nuvem do TIA Portal, ou utilizar MindSphere, a solução de nuvem da Siemens para a Indústria, para serviços digitais adicionais da Siemens. Outra nova funcionalidade é o PLCSim Avançado com interfaces para software de simulação, como Simulação de Planta e Simulação do Processo. Um controlador Simatic S7-1500 pode ser simulado com um 'digital twin' com o PLCSim Avançado para alcançar comissionamento eficiente e virtual.

MAIS INFORMAÇÕES

O software interage com outros sistemas e dados de trocas a partir de interfaces abertas. A porta Teamcenter possui uma nova interface para gerenciamento dos dados do produto, a plataforma Siemens de colaboração de dados para design, planejamento e engenharia. O usuário pode criar facilmente programas baseados em modelos com uma nova interface para Matlab/Simulink. Baseando-se no princípio orientador “um por todos”, o TIA Portal combina designação de parâmetros e programação de componentes de automação - de controladores e serviços de HMI até comandos - com funcionalidades 08 | Automação | Outubro 2017

12


N O V I D A D E DO MERCADO PANORAMA

como segurança online e física. Um pacote harmonizado, compreendendo o sistema de comando Sinamics Servo e o Controlador Avançado Simatic, foi integrado ao V14 TIA Portal para aplicações de controle de movimento. O novo controlador Simatic S7-1500 T-CPU gerencia as tarefas de controle e o novo sistema de comando Sinamics V90 Servo com Profinet fornece a velocidade e precisão necessários para a máquina. O TIA Portal também pode ser usado para integrar intuitivamente o SINAMICS G120C na automação para comissioná-lo – um processo que é especialmente rápido, conveniente e eficiente. Tudo isso, através dos mesmos conceitos operacionais e com grande facilidade de uso.

www.siemens.com/tia-portal

MAIS INFORMAÇÕES

O novo pacote, agora, permite aos usuários Simatic resolver tarefas de controle de movimento avançadas, como engrenagem e camming, em um ambiente familiar. A nova função multiusuário é aplicada para conceitos de trabalho descentralizado. Isso fornece a diversos agentes acesso eficiente e simultâneo ao projeto de um servidor, baseandose em sincronização automática, dispositivo facilitador, organização baseada na função e em objetos de tarefas de automação. A atribuição e avaliação de parâmetros do disjuntor de revestimento embutido 3VA e a série 7KM PAC de instrumentos medidores também são funcionalidades novas do TIA Portal V14. Isso simplifica a aquisição de valores de energia para o sistema de alimentação, saídas elétricas e cargas individuais. 08 | Automação | Outubro 2017

13


OVIDADE PANORAMA DONMERCADO

SCHNEIDER ELECTRIC TRAZ CONECTIVIDADE E INTELIGÊNCIA PARA SETOR INDUSTRIAL COM APLICAÇÕES DE IIOT

Tecnologia garante melhor automação dos processos industriais e facilita as decisões de negócios.

A

Internet das Coisas é o assunto do momento entre gestores, pesquisadores e especialistas em TI e vem ganhando mais espaço nas indústrias. A chamada IIoT (Internet Industrial das Coisas), reúne tecnologias inteligentes que facilitam a gestão e a automação dos processos industriais. A Schneider Electric, especialista global em gestão de energia e automação, desenvolveu o EcoStruxure™ para atender a essa necessidade de automação e conectividade entre as máquinas e os dispositivos móveis, fazendo com que todo o sistema e os dados contidos nele possam ser acessados remotamente, melhorando a gestão e facilitando a tomada de decisões.

MAIS INFORMAÇÕES

“Esta tecnologia é benéfica em todos os sentidos. Ela promove eficiência e segurança, permitindo maior controle e agilidade no funcionamento das máquinas e na gestão industrial. Além disso, proporciona maior flexibilidade no processo produtivo, o que gera mais eficiência e mais produtividade, portanto, é mais lucrativa” explica Cleber Morais, Presidente da Schneider Electric Brasil.

08 | Automação | Outubro 2017

14

O EcoStruxure™ é um sistema completo que oferece segurança, confiabilidade, eficiência, sustentabilidade e conectividade para o setor industrial, assegurando o gerenciamento de energia, processos, máquinas, salas de TI e edifícios. Trata-se de um ecossistema que garante compatibilidade em todas as áreas de aplicação e potencializa protocolos abertos de rede e de conectividade entre dispositivos. Os sistemas já instalados podem ser otimizados pela implantação de soluções que permitem maior planejamento empresarial, visibilidade do funcionamento das máquinas e agendamento de manutenção, com o objetivo de aumentar o ciclo de vida do produto. A IIoT pode melhorar os negócios em todos os aspectos e em todos os âmbitos da operação, pois permite maior segurança, eficiência, confiabilidade e conectividade, garantindo os pilares Life Is On da Schneider. www.schneider-electric.com.br


Bem-vindo ao mundo Lenze, a Terra do Movimento! Movimento é o que nos distingue como uma empresa inovadora. É o elemento central da nossa motivação, é o que pensamos, sentimos e fazemos todos os dias, no mundo dos negócios e pessoalmente. Nós não apenas garantimos o funcionamento das máquinas de nossos clientes, mas também oferecemos conceitos e ideias que contribuem para o aumento de desempenho e eficiência.

As melhores máquinas e indústrias ao redor do mundo usam Lenze.

Somos um dos líderes mundiais em tecnologia e soluções de automação industrial e atuamos na vanguarda na Indústria 4.0 com pesquisa e desenvolvimento. Tecnologia alemã de ponta é garantia de performance para seu projeto de automação industrial, sempre com os melhores Controladores Programáveis, IHMs, Inversores de Frequência, Servo motores, Servo drives, Motores e Motoredutores. Suportamos seu projeto com estrutura de engenharia e serviços diferenciados no Brasil para garantir sua produtividade.

Indústria 4.0 desde 1947.

5 Passos para sua liberdade

1

2

3

4

5

DESENVOLVENDO IDEIAS

ESBOÇANDO CONCEITOS

IMPLEMENTANDO SOLUÇÕES

CONSTRUINDO MÁQUINAS

GARANTINDO PRODUTIVIDADE

Fácil assim... www.lenze.com.br Lenze Brasil – Contact Center 19 3846-3500 vendas@lenze.com.br


APLICAÇÃO

SABÓ AUMENTA PRODUTIVIDADE COM SOLUÇÃO DA UNIVERSAL ROBOTS

A produtividade da Sabó encontrava-se limitada pelo alto número de tarefas manuais, funcionários realizando diversas operações entre diferentes linhas para atender uma demanda oscilante. Os robôs da Universal Robots foram escolhidos por sua flexibilidade, programação fácil e rápido prazo de implementação.

A

Sabó atua no desenvolvimento de soluções em vedação e condução para a indústria automobilística mundial. É uma multinacional brasileira e exporta seus produtos para mais de 40 países. O desafio da companhia era aumentar a eficiência produtiva, mas as soluções tradicionais tinham um custo demasiadamente alto, ou eram muito complicadas para instalar e usar. O time da Sabó também buscava algo que pudesse reduzir o absenteísmo causado por problemas de saúde associados à ergonomia e tarefas repetitivas.

MAIS INFORMAÇÕES

Solução Depois de alguns convites para participar de seminários, a Sabó optou por um novo modelo de negócio: Robot as a Service (aluguel de equipamento). Além disso, a capacidade cinemática da Universal Robots pode ser explorada em diferentes circunstâncias com completo controle da aplicação e dos dispositivos, maximizando o valor agregado e a eficiência do processo. A demonstração com robôs na prática e o tempo de implementação foram cruciais para o sucesso do projeto. 08 | Automação | Outubro 2017

16

Foram necessários 4 a 5 meses estudando opções e o que eles buscavam foi encontrado na Universal Robots. Flexibilidade para trabalhar em diferentes operações, programação fácil e tempo de instalação foram os fatores chave para a Sabó. “As pessoas ficaram curiosas quanto às possibilidades desse novo recurso”, menciona Ricardo Teixeira Ávila, Diretor Industrial da Sabó. Os funcionários se familiarizaram com a integração dos robôs no meio ambiente deles e ter os robôs trabalhando nas tarefas repetitivas e críticas do ponto-devista ergonômico, assim liberando o time para contribuir com os planos de melhoria e nas soluções do dia-a-dia. Com os robôs operando há aproximadamente seis meses, o retorno sobre investimento foi atingido, o tempo de entrega reduzido em aproximadamente 12% e a produção roda ininterruptamente durante as refeições dos funcionários. www.universal-robots.com/pt/



N OT Í C I A

BALLUFF BRASIL DISCUTE INDÚSTRIA 4.0 EM SEMINÁRIO

Demonstrador com soluções das empresas participantes.

Em parceria com as empresas Beckhoff, Stäubli, Nova Tecnologia e o SENAI, evento discutiu a 4ª Revolução industrial e os principais eixos desse cenário: tecnologia, capital humano, modelos de negócios e plataformas.

U

ma indústria com todas as máquinas interligadas, trocando informações em tempo real, se comunicando entre si, com ordens independentes de produção através de softwares integradores. Essa é a 4ª Revolução Industrial, ou Indústria 4.0, um dos temas discutidos no II Seminário Indústria 4.0, realizado pela Balluff Brasil, em parceria com as empresas Beckhoff, Stäubli, Nova Tecnologia e SENAI, no dia 13 de setembro.

A ideia do encontro, segundo a CEO Adriana Silva, foi fomentar a discussão e a reflexão entre os participantes sobre as transformações das fábricas na era digital. “Nosso intuito era mostrar como a Indústria 4.0 é colaborativa, por isso o evento contou com empresas que são parceiras da Balluff, além de discutir a atuação presente do Brasil na 4ª Revolução Industrial, e propor caminhos para o futuro”, comentou.

MAIS INFORMAÇÕES

Um dos nomes da programação foi o Gerente de Inovação e Tecnologia do SENAI São Paulo, Osvaldo Lahoz Maia, que abordou o tema ‘A 4ª Revolução Industrial, a empresa digital e o futuro do emprego’, no contexto brasileiro. O gerente afirmou que o país deve trilhar seus próprios caminhos para que possa acompanhar as tendências mundiais. Na sequência, o Coordenador de Marketing de Produtos da Balluff Brasil, Fábio Marchiori, falou sobre o ‘IO-Link como a porta de entrada para a Indústria 4.0’, mostrando como o consórcio formado por 155 empresas de automação e comunicação industrial, com mais de quatro mil dispositivos fabricados em todo mundo, traz benefícios para as empresas. 08 | Automação | Outubro 2017

18


Momento de visita à fábrica da Balluff durante o Seminário.

A terceira palestra, ministrada por Alessandro Navarro, Coordenador de Engenharia de Aplicação e Vendas da Stäubli Brasil, promoveu o debate relativo à integração entre homens e máquinas dentro da Indústria 4.0, versando sobre a ‘Evolução além da Revolução’. E a última apresentação do Seminário foi do Diretor da Beckhoff Brasil, Marcos Giorjiani, a respeito da ‘Tecnologia de controle no PC no contexto da Indústria 4.0’, na qual destacou a importância das ações colaborativas e de um plano para o país seguir. Ao final do Seminário foi promovido um painel de debates, além de uma visita à Sala de Encapsulamento da Balluff Brasil – que atua com conceitos da Indústria 4.0 – e ao showroom montado na área externa que possuía um demonstrador 4.0, concebido pela nova tecnologia e as empresas envolvidas no evento, o que trouxe aos participantes a experiência real do conceito. MAIS INFORMAÇÕES

www.balluff.com/local/br/home/

08 | Automação | Outubro 2017

19


NOVIDADE

SECOMEA - SOLUÇÃO DE GERENCIAMENTO REMOTO SIMPLES E SEGURA

A solução Secomea permite que administradores de máquinas e equipamentos possam programar, monitorar e coletar eventos remotamente de seus equipamentos/máquinas.

D

O SiteManager Embedded da Secomea é um gateway em software que se instala num PC, IPC ou IHM e o habilita a operar como um gateway de acesso seguro. Funciona perfeitamente em vários sistemas operacionais, em segundo plano como um serviço, e é extremamente leve, não consumindo recursos significativos do sistema.

Os gateways da Secomea suportam todas as características para uma operação com acesso seguro para instalações industriais – desde pequenas máquinas até linhas de produção completas e a fábrica inteira. Suportam acesso remoto a qualquer tipo de porta física de comunicação dos dispositivos industriais. Também suportam múltiplas opções de acesso à Internet, via adaptadores USB. Isso significa que qualquer gateway em hardware da Secomea pode obter acesso Internet via rede LAN, celular ou WiFi.

Pode ser instalado, configurado e conectado ao GateManager sem a instalação de nenhuma licença. Você decide quando ele é conectado e qual tipo de licença você deseja aplica-lo, suportando qualquer tipo de licença de ativação.

MAIS INFORMAÇÕES

esenvolvido para usuários sem conhecimentos de TI ou de rede específicos, a solução engloba três componentes básicos que fornecem comunicação segura entre o administrador da máquina/equipamento e a máquina, não importando onde eles estejam localizados ao redor do mundo.

08 | Automação | Outubro 2017

20

www.baumier.com.br


NOVIDADE

NOVA VERSÃO DO ELIPSE MOBILE

Plataforma móvel da Elipse Software apresenta formulários que podem ser usados de forma on-line ou off-line.

A

Elipse Software acaba de lançar a versão 1.4 de sua plataforma móvel. A nova versão do Elipse Mobile permite acessar, via qualquer smartphone ou tablet, não só as aplicações do E3, solução SCADA da empresa, mas também da sua tecnologia para coleta, armazenagem e análise de dados, o Elipse Plant Manager (EPM), via OPC-UA.

A criação de grupos de usuários é outra novidade apresentada pelo Elipse Mobile 1.4. Em cada grupo, é possível configurar permissões e restrições de acesso que serão herdadas a todos os seus usuários. Por fim, a nova versão apresenta correções e atualizações de segurança recomendadas a todos os clientes.

Uma das principais novidades desta versão são os formulários para entrada de dados. Através deles, é possível acompanhar e gerenciar ações ligadas aos mais variados cenários, como inspeção, entrada manual de dados de processo, agendamento e acompanhamento da manutenção preventiva, entre outros relacionados ao negócio de cada cliente.

www.elipse.com.br

MAIS INFORMAÇÕES

Além disso, os formulários podem ser preenchidos de modo on-line ou off-line. Uma vez que haja conexão, os dados são enviados para o servidor do Elipse Mobile, podendo também ser encaminhados ao E3 ou EPM, a fim de serem historiados futuramente.

08 | Automação | Outubro 2017

21


NOVIDADE

NOVA IHM WIDESCREEN DA MITSUBISHI ELECTRIC MELHORA VISIBILIDADE E PERFORMANCE DO SISTEMA

Novo modelo da série GOT2000 permite mostrar grande quantidade de informações com alta qualidade de imagem.

I

mpulsionada pela crescente demanda dos usuários finais por uma melhor visualização no controle de máquinas e sistemas de automação, a Mitsubishi Electric lança o modelo de IHM widescreen GT2107 Wide. A nova interface, que faz parte da família GOT2000, monitora e controla os componentes das máquinas por meio da tela de alta qualidade gráfica que se conecta a equipamentos como CLPs, inversores de frequência, servo acionamentos, entre outros. Esta IHM compacta, possui tela de 7 polegadas, grau de proteção IP67F, resolução de 800x480, qualidade de imagem nítida, possibilidade em montagem na vertical e, além disso, vem equipada com uma opção de conectividade remota por meio de um servidor VNC.

MAIS INFORMAÇÕES

O servidor VNC (licença VNC vendida separadamente) fornece acesso remoto à IHM e aos equipamentos conectados, permitindo que os usuários operem o sistema usando tablets, smartphones ou computadores para visualizar dados em tempo real. A GT2107 Wide também oferece informações de manutenção preventiva, proporcionando aos gerentes da planta a oportunidade de 08 | Automação | Outubro 2017

22

planejar e gerenciar a manutenção das máquinas de forma preventiva. A IHM GT2107 também traz duas portas USB, entrada para cartão SD, além de portas Ethernet e serial. Conveniente para transferir projetos, acessar registros de dados e conectar dispositivos como mouse ou teclado (dispositivos compatíveis com host). Outro destaque dessa nova IHM é a integração perfeita com dispositivos Mitsubishi Electric, como inversores, servo acionamentos e robôs, para monitoramento e ajustes de parâmetros. A interface permite acessar os CLPs da Mitsubishi Electric por meio de sua porta USB frontal, tirando a necessidade de abertura de painéis elétricos, melhorando a segurança da operação. www.mitsubishielectric.com.br/ia


NOVIDADE

NORD 4.0 READY

Lançando o selo “NORD 4.0 READY”, a fabricante alemã NORD DRIVESYSTEMS fornece acionamentos elétricos configuráveis e softwares para cobrir uma gama de tarefas, desde simples atuadores até complexos sistemas conectados em rede.

A

cionamentos descentralizados versáteis e de baixa manutenção alcançando até 22kW estão disponíveis para motores de indução, cobrindo um grande percentual das aplicações industriais. Contando com processadores poderosos e com PLC integrado, os inversores de frequência podem suportar processos de controles complexos, responder a condições de processamento de forma autônoma e até mesmo resolver problemas de mau funcionamento. O PLC do inversor processa dados de sensores conectados e de atuadores, e fornece acionamentos de alta qualidade e dados relacionados às aplicações para salas de controle e outras redes de comunicação. As unidades de acionamento podem formar grupos para certas tarefas, como por exemplo, sincronizar velocidades e posições.

Parâmetros predefinidos, programados para centenas de funções usualmente necessárias, de acordo com os módulos PLCopen motion facilitam o desenvolvimento de aplicações. Como uma fornecedora em larga escala de acionamentos, a NORD produz inversores, bem como motores e redutores. Ao redor do mundo, a empresa oferece o fornecimento de acionamentos para suprir plantas inteiras montadas, parametrizadas e prontas para uso, com cabos e conectores de engate rápidos padronizados (1 x alimentação, 1 x dados) para se obter um menor tempo de comissionamento. www.nord.com

MAIS INFORMAÇÕES 08 | Automação | Outubro 2017

23


NOVIDADE

PILZ APRESENTA A NOVA LINHA DE BOTÕES DE EMERGÊNCIA PITESTOP ACTIVE

Com o PITestop active, a Pilz oferece uma nova família de botões de parada de emergência que pode ser ativada eletricamente. Eles sinalizam pela iluminação, sejam eles ativos ou não

C

om o PITestop active, a Pilz oferece uma nova variedade de botões de emergência que pode ser ativada eletricamente. A luz do botão indica se ele está ativo ou não. Dessa forma, garante-se mais flexibilidade e modularização, em sintonia com o conceito da Indústria 4.0. Além disso, poupa-se energia, pois não é mais necessário manter todos os botões ativados para garantir o funcionamento da parada de emergência.

O PITestop active é muito vantajoso para plantas e máquinas cujas seções podem ser separadas, pois permite a ativação ou desativação de diferentes seções da máquina com segurança, em conformidade com a ISO 13850. Em conjunto com o sistema de controle PNOZmulti da Pilz, que permite modularidade de planta, torna-se simples a implementação de conceitos de segurança flexíveis, sobretudo para aplicações em fabricas inteligentes. O PITestop active está disponível em diversos tipos, para montagem em painel e na máquina: para painel, o grau de proteção é IP65 e para montagem na máquina, possui conexão M12.

MAIS INFORMAÇÕES

Maior liberdade para o seu projeto – O PITestop active pode ser ativado e integrado ao circuito de segurança eletricamente. Dessa forma, não é mais necessário desativar manualmente o sistema de parada de emergência. Isto economiza tempo. Além disso, torna-se desnecessária a desmontagem de painéis de comando móveis, pois somente sua desativação já garante a segurança. Com o PITestop active, as máquinas podem ser projetadas de forma mais flexível e, para máquinas interligadas, o modo de operação pode ser alternado de forma mais rápida, desde o modo semiautomático, com muitos módulos individuais, 08 | Automação | Outubro 2017

24


NOVIDADE

Foto: Pilz GmbH & Co. KG.

ao modo totalmente automático, onde cada dispositivo de parada de emergência afeta toda a cadeia.

www.pilz.com.br

Botão inteligente iluminado – As diferentes seções da planta podem ser desligadas ou adicionadas ao processo. Dessa forma, partes inativas da máquina podem ser desligadas para economizar energia e custos – sem a necessidade de tampas adicionais para botões de parada de emergência inativos. Além disso, é possível identificar de forma rápida e inequívoca qual PITestop active foi acionado, pois nesta eventualidade suas luzes piscam, indicando seu status. Dessa forma, torna-se possível reiniciar a máquina de forma mais rápida, aumentando sua disponibilidade.

MAIS INFORMAÇÕES

Parada de emergência segura em conformidade com a Diretiva de Máquinas – O PITestop active cumpre os requisitos da versão mais atual da norma ISO 13850, norma harmonizada com a Diretiva de Máquinas, que estabelece requisitos particularmente exigentes sobre a disponibilidade dos botões de parada de emergência e a capacidade de identificá-los de forma clara. Até o presente momento, era obrigatório cobrir todo botão de parada de emergência inativo, de modo a evitar confusão em caso de emergência. Na prática, isso pode ser difícil de realizar. A última versão da ISO 13850 oferece novas opções de projeto. Pela primeira vez, esta norma permite que se defina um terceiro estado, “inativo”, para botões de parada de emergência. A partir de agora, os botões de parada de emergência com iluminação também podem ser ativados/desativados de forma segura. 08 | Automação | Outubro 2017

25


NOVIDADE

YASKAWA LANÇA NO BRASIL O SEU ROBÔ COLABORATIVO MOTOMAN HC10

Trata-se de um robô industrial colaborativo com design inovador, dotado de sensores de torque redundantes em cada junta permitindo trabalhar de forma segura ao lado de seres humanos.

E

mpresa líder na fabricação de robôs, com mais de 380.000 unidades instaladas em todo o mundo, a Yaskawa apresentou ao mercado internacional o mais novo membro da família, o robô colaborativo MOTOMAN HC10, desenvolvido para trabalhar de modo seguro junto aos seres humano e destinado à automação industrial. Altamente configurável, o MOTOMAN HC10 trabalha com uma carga útil de 10 kg e um raio de alcance de 1.200 mm, podendo realizar uma ampla gama de tarefas de manuseio de materiais. Entre as vantagens do seu uso, destacam-se a redução de layout na fábrica e melhoria significativa nas condições ergonômicas do trabalhador, evitando acidentes de trabalho e possíveis doenças que ele possa contrair devido à realização de tarefas repetitivas ininterruptas.

MAIS INFORMAÇÕES

Outra vantagem conferida pelo robô MOTOMAN HC10 é o fato de ser controlado pelo novo YRC1000 (controlador Yaskawa compacto e de alto desempenho), construído segundo um padrão global, dispensando a necessidade de um transformador para tensões de entrada que variam de 380VAC a 480VAC. O YRC1000 é altamente compacto (598 L x 490 A x 427 C mm), ocupando espaços bem reduzidos. Sua velocidade de comunicação de E / S evoluiu em até 50%, 08 | Automação | Outubro 2017

26

resultando em melhor eficiência do trabalho. Seu único cabo de controlador para robô proporciona maior confiabilidade ao mesmo. Além do mais, seu design favorece a ergonomia, tornando-o mais leve. O robô colaborativo MOTOMAN HC10 utiliza o software Easy Teach, facilitando ao usuário guiar manualmente o robô e até mesmo conduzi-lo a novos caminhos, através do programa. Desta forma, ele pode ser implementado rapidamente a uma nova planta, ou ainda realocado, diminuindo o tempo de inatividade do sistema e aumentando o retorno do investimento. Quer seja velocidade máxima ou velocidade colaborativa, os tempos de ciclo são otimizados com base em avaliações de risco e requisitos de processo. www.yaskawa.com.br


NOVIDADE

STEUTE NA POWTECH

Equipamentos de comutação e sensores “Extreme” para o manuseio de produtos a granel.

E

les são abrasivos, como o pó de cimento e areia; são corrosivos, como fertilizantes; ou são explosivos, como todas as poeiras orgânicas.

As características das poeiras exigem muito do design de qualquer equipamento de comutação com o qual entram em contato. E, como se isso não bastasse, as plantas onde essas substâncias são manipuladas estão muitas vezes localizadas ao ar livre, onde umidade e as temperaturas extremas representam desafios adicionais para os componentes elétricos. Por último, mas não menos importante, os dispositivos de comutação nesses ambientes são frequentemente tratados a grosso modo, sem o devido cuidado e atenção.

Duas inclusões recentes à linha “Extreme” são as séries de interruptores de posição Ex 97 e Ex 99 com dimensões padrão de acordo com a DIN EN 50047 e a DIN EN 50041. São

Como alternativa ao equipamento de comutação eletromecânico, a steute também produz sensores magnéticos cilíndricos EX RC M 20 KST, que são feitos de plástico resistente a impactos e que também apresentam características verdadeiramente extremas. Por exemplo, funcionam de forma confiável em temperaturas até -60°C e, no entanto, ainda são capazes de passar no teste de impacto de 7-Joules exigido pelas autoridades das normas Ex. E porque são perfeitamente selados, são extremamente duráveis, mesmo em ambientes muito empoeirados.

MAIS INFORMAÇÕES

Tendo isso em mente a unidade de negócios “Extreme” da steute desenvolve e produz equipamentos de comutação robustos e duráveis. Este ano esteve novamente na Powtech para apresentar sua linha de produtos precisamente para esse perfil de aplicação.

anticorrosivas, à prova de poeira e extremamente resistentes ao impacto. Eles podem ser usados em atmosferas explosivas nas Zonas 21 e 22 para poeiras, assim como nas Zonas 1 e 2, para gases ou vapores. Outra característica especial é a sua adequação para uso em temperaturas até -60°C. Uma aplicação típica para esses equipamentos de comutação é o monitoramento de posição de portas de acesso e abas de manutenção, ou parada limite de peças itinerantes em máquinas para manipulação de mercadorias a granel.

www.steute.com.br/pt.html

08 | Automação | Outubro 2017

27


NOVIDADE

SISTEMA E-KANBAN SEM CABO: UM EXEMPLO DE APLICAÇÃO

Redes sem fio sWave.NET® para engenharia de processos e montagem.

N

a Motek, a unidade de negócios Wireless da steute – juntamente com seu parceiro de vendas steute & Philippin – apresentou novos componentes e funções da sua rede sem fio sWave.NET®. Novos componentes incluem um terminal sem fio com display de duas linhas e três botões de comando totalmente configuráveis. Os operadores podem usar, por exemplo, para solicitar a reposição de materiais ou para ativar processos de pedidos diretamente da estação de trabalho (montagem).

O terminal se comunica com o sistema de controle superordenado através da rede sem fio sWave.NET®. Os pontos de acesso, que atuam de forma semelhante a um roteador, transmitem os sinais sem fio diretamente para um endereço IP, possibilitando que um servidor de aplicativos seja eliminado: a estrutura de rede permanece “fina”, e várias centenas de dispositivos de comutação sem fio de diversos projetos (chaves de posição, pedais de controle, dispositivos de comando, sensores magnéticos...) podem ser integrados. A configuração e a operação inicial requerem apenas um esforço mínimo porque a rede sWave.NET®, para todos os efeitos, é autoconfigurável.

MAIS INFORMAÇÕES

Um exemplo típico de aplicação para esta rede sem fio são as estantes E-Kanban para abastecimento de estações de trabalho de montagem. Os interruptores eletromecânicos de posição sem fio ou os sensores de luz sem fio sem contato registram quando um recipiente é removido de uma estante Kanban, e transmitem esta informação ao sistema de controle. Como a comunicação é sem fio, as estantes Kanban podem ser movidas livremente e colocadas onde for mais conveniente. 08 | Automação | Outubro 2017

28


Com a sWave.NET® da steute, uma tecnologia poderosa para a realização de soluções de rede de sensores para aplicação específica foi disponibilizada. Mesmo em condições desfavoráveis de “chão de fábrica”, a confiabilidade de transmissão de sinal na rede é garantida. A comunicação de dados em uma rede de sensores baseada em sWave.NET® é bidirecional entre o transmissor e um ponto de acesso. Uma vez sincronizados, o mesmo caminho de comunicação é usado durante o maior tempo possível. No entanto, existe um mecanismo de segurança no lugar para garantir que a transmissão dos pacotes de dados seja confiável o tempo todo. Este mecanismo sinaliza a recepção bem sucedida para um sensor transmissor.

transporte. Aqui eles podem facilitar a eliminação de cabos pesados de energia e sinal; como por exemplo, com anéis deslizantes ou cadeias de arrastamento de cabo, o que significa economias permanentes em serviço e manutenção. www.steute.com.br/pt.html

Se nenhum sinal for recebido, o pacote de dados é transmitido novamente. Este processo é repetido até um limite configurável, após o caminho de transmissão ser ressincronizado. Desta forma, a qualidade da rede é continuamente monitorada e, se necessário, adaptada dinamicamente. MAIS INFORMAÇÕES

Além da rede sem fio e seus componentes, a steute também desenvolve e produz uma ampla gama de equipamentos de comutação sem fio e unidades receptoras correspondentes para comunicação ponto a ponto sem cabo. Estes dispositivos de comutação são perfeitos para, por exemplo, áreas de acesso precário ou componentes móveis e de outra forma rotativos em sistemas automáticos de manipulação e 08 | Automação | Outubro 2017

29


NOVIDADE

TECNOLOGIA DE CONTROLE DE VIBRAÇÕES PASSIVAS/ DINÂMICAS AUMENTA PRODUTIVIDADE NO CORTE DOS METAIS

Ferramenta convencional: a vibração se propaga em direção ao fuso da máquina. Ferramenta de amortecimento de vibrações passivas/dinâmicas: o amortecedor de vibrações absorve a vibração antes que ela se propague.

A vibração descontrolada cria vários problemas nas operações de corte dos metais. No processo de corte, as forças variáveis causam vibração e trepidação da ferramenta, que degradam a qualidade da superfície das peças, desgastam rapidamente ou quebram as ferramentas de corte e danificam os componentes da máquina-ferramenta.

A

s tendências de design dos produtos também podem provocar vibração. Para melhorar a resistência dos produtos e reduzir os custos de montagem, os fabricantes cada vez mais usinam peças a partir peças monolíticas. Para produzir as características internas das peças, são necessárias ferramentas que permitam alcançar cavidades profundas, mas o maior comprimento da ferramenta exacerba as vibrações. A tentativa de minimizar as vibrações por meio da redução dos parâmetros de corte diminui a produtividade e aumenta o custo de produção.

MAIS INFORMAÇÕES

O destaque entre as diferentes abordagens de controle de vibrações são os sistemas passivos/dinâmicos que utilizam o conceito dos amortecedores de massa sintonizados para absorver a vibração antes que ela progrida e afete o processo de usinagem.

08 | Automação | Outubro 2017

30

A vibração é um problema comum Todos os setores da indústria reconhecem que o excesso de vibração é uma condição destrutiva. As forças operacionais e/ou externas repetitivas geram movimento que pode ressoar dentro de uma máquina, edificação ou ponte e atingir uma magnitude perigosa. Usinagens e fabricantes de máquinas, muitas vezes, aplicam o conceito dos amortecedores de massa sintonizados para eliminar as vibrações. O amortecedor de massa sintonizado é um componente que fica suspenso dentro da máquina ou da estrutura e foi concebido para ressoar fora de fase com as vibrações indesejáveis, absorver a energia e minimizar o movimento vibratório. Vibração em cortes de metal No corte dos metais, a vibração é gerada pelas forças variáveis que ocorrem durante a produção dos cavacos. As forças intermitentes são aparentes nos processos de cortes interrompidos de fresamento e estão também presentes em operações de torneamento quando a barra do porta-


Figuras 1 e 2

amortecimento absorve imediatamente a vibração quando esta é transmitida pela ferramenta de corte para o corpo da barra.

ferramentas é periodicamente carregada e descarregada à medida que os cavacos se formam e se rompem. Uma abordagem passiva para o controle de vibrações no corte dos metais envolve maximizar a rigidez dos elementos do sistema de usinagem. Para restringir o movimento indesejável, pode-se construir uma máquinaferramenta com elementos estruturais rígidos, maiores e mais pesados, e preenchidos com concreto ou outro material que absorva vibrações. Na perspectiva da peça, peças com paredes finas e com seções não apoiadas são propensas a vibrações quando usinadas. Até certo grau, as peças podem ser reprojetadas para melhorar a rigidez. No entanto, essas alterações de projeto podem acrescentar peso e comprometer o desempenho do produto. Para ferramentas de corte, uma abordagem passiva para o controle de vibrações inclui o uso de ferramentas curtas e rígidas e a substituição dos porta-ferramentas de aço pelos de metal duro de tungstênio rígido.

Princípios operacionais passivos/dinâmicos As figuras 1 e 2 ilustram os princípios operacionais do sistema Steadyline de controle de vibrações passivas/ dinâmicas. Na figura 1, as propriedades relacionadas à vibração de um porta-ferramentas monobloco convencional são: massa (M1), rigidez (K1) e a característica inerente de amortecimento (K'1). As propriedades são agrupadas e formam um sistema MKK'. Em operação, a força de corte Fe induz o movimento (vibração) no suporte. A implementação do sistema Steadyline (figura 2) adiciona as propriedades de um segundo sistema MKK', ou seja, massa M2, rigidez K12 e densidade K'12. O sistema MKK' S2 foi projetado para ter a mesma frequência natural do sistema MKK’ original e ressoar fora de fase com a vibrações indesejáveis, absorvendo, assim, sua energia e amortecendo o movimento vibratório. No sistema Steadyline, a massa que absorve as vibrações fica na parte frontal da barra, onde o potencial de deflexão é maior e a massa pode amortecer a vibração imediatamente quando esta é transmitida da aresta de corte para o corpo da barra. O sistema Steadyline também inclui cabeças GL curtas e compactas para a ferramenta de corte que colocam a aresta de corte próximo da massa de amortecimento para maximizar o efeito de absorção das vibrações. O sistema é adaptável a uma ampla gama de aplicações e é mais útil

MAIS INFORMAÇÕES

Uma abordagem passiva/dinâmica para o controle de vibrações em ferramentas envolve a aplicação do conceito de amortecedor da massa sintonizado. O sistema Steadyline da Seco tem um amortecedor de vibrações previamente sintonizado que consiste em uma massa de amortecimento feita de um material de alta densidade (para minimizar as dimensões gerais) suspenso dentro da barra do portaferramentas por elementos de absorção radial. A massa de

Com o sistema Steadyline, operações comuns com longas projeções podem ser realizadas pelo menos duas vezes mais rapidamente do que com ferramentas sem amortecimento, além de melhorar o acabamento da superfície das peças, prolongar a vida útil da ferramenta e reduzir a tensão na máquina-ferramenta. Com a tecnologia de amortecimento de vibrações passivas/dinâmicas, é possível realizar determinadas aplicações, tais como o uso de algumas ferramentas com comprimentos de até 10 vezes o diâmetro da barra, que, do contrário, não seriam possíveis, mesmo com parâmetros de usinagem mínimos.

08 | Automação | Outubro 2017

31


NOVIDADE

Steadyline milling gearbox

em operações de fresamento (contorno, abertura de bolsas e fresamento de rasgos), torneamento e mandrilamento bruto e fino.

MAIS INFORMAÇÕES

Comparação entre aplicações Um bom exemplo da eficácia do sistema Steadyline envolve uma operação de difícil mandrilamento em aço 42CrMo4, em que um furo cilíndrico, de 105,8 mm, foi ampliado para um furo cônico de 129 mm em cinco passadas de desbaste a uma profundidade de corte de 3 mm, até a profundidade de 0 mm. Com uma barra de 80 mm de diâmetro, o comprimento do corte inicial foi de 600 mm, o que representa uma maior relação comprimento/diâmetro da ferramenta igual a 7,5. O desbaste foi realizado a uma taxa de avanço de 0,3 mm/rev. e a uma velocidade de corte de 157 m/min. O pré-acabamento, com 130 mm de diâmetro final, ocorreu a uma profundidade de corte de 0,5 mm, taxa de avanço de 0,2 mm/rev. e velocidade de corte de 200 m/min. Embora o volume da peça tenha evitado o uso da capacidade plena de rotação da barra Steadyline, o tempo de usinagem da operação diminuiu de 12 horas para 2 horas (mais de 80%) com o uso do sistema Steadyline para controle de vibrações passivas/dinâmicas. Ao demonstrar os benefícios do sistema Steadyline em uma operação de fresamento lateral, aplicou-se um suporte de fresas Combimaster, sem controle de vibrações passivas/ dinâmicas, com uma fresa de 20 mm de diâmetro, a 312 m/min e uma taxa de avanço de 0,3 mm/dente, a uma 08 | Automação | Outubro 2017

32

profundidade de corte de 0,9 mm em aço 1.1206 CK50. Ao aplicar uma versão da mesma ferramenta munida do sistema Steadyline, com a mesma velocidade de corte e avanço da versão sem amortecimento, foi possível aumentar a profundidade de corte para 2,2 mm (um aumento de 2,3 vezes) sem vibrações indesejáveis. Conclusão Os produtores de equipamentos para óleo e gás, geração de energia e setor aeroespacial são os principais candidatos ao uso dos sistemas de controle de vibrações passivas/ dinâmicas, pois cada um destes segmentos da indústria lida regularmente com peças grandes e complexas com recursos que exigem o uso de ferramentas maiores. Além disso, essas peças geralmente são feitas de ligas tenazes de difícil usinagem e, assim, produzem altas forças de corte que geram vibração. No entanto, torna-se evidente que quase todos os fabricantes enfrentam aplicações em que as propriedades de absorção de vibrações das ferramentas Steadyline podem ampliar a capacidade, aumentar a produtividade e reduzir custos. Por: Pierre Zunino, Gerente de Produtos, e Yannick Groll, Engenheiro de Pesquisa e Desenvolvimento www.secotools.com


Conexão GL

Conexão BA

CONSIDERAÇÕES SOBRE EQUIPAMENTO, MONTAGEM E APLICAÇÕES DO STEADYLINE Detalhes do equipamento O sistema Steadyline para controle de vibrações passivas/dinâmicas inclui uma seleção abrangente de equipamentos para aplicações de fresamento, torneamento e mandrilamento que podem ser montadas para atender às mais variadas necessidades da usinagem. O sistema da ferramenta de tornear pode ser usado para torneamento e mandrilamento e inclui 7 diâmetros de haste, entre eles os de 32 mm, 40 mm, 50 mm, 60 mm e 80 mm, bem como tamanhos de 2,5˝ e 3,0˝. Três comprimentos de ferramenta - 6xD, 8xD e 10xD - estão disponíveis para cada diâmetro, com uma variedade conexões à lateral da máquina. Estas incluem hastes cilíndricas de 32 mm a 80 mm (sistema métrico) e 1,25˝ a 3˝ (sistema imperial), bem como Seco-Capto e HSK-T/A. Barras com diâmetros de 50 mm ou menos aceitam diretamente cabeças GL compactas para ferramentas de corte com conexões precisas à base polilobular que são presas por meio de um sistema de porcas rápido e conveniente. Barras com diâmetros de 60 mm ou mais apresentam conexões BA que são travadas por quatro parafusos Graflex e permitem posicionamento a 0˚/180˚. As barras maiores podem ser usadas para torneamento com adaptadores de BA para GL e cabeças GL50 compactas para ferramentas de corte, bem como para mandrilamento com cabeças de mandrilar BA, disponíveis como ferramentas especiais. Existem cabeças GL para aplicações de desbaste e acabamento, bem como para aplicações de torneamento com versões de corte dos lados direito e esquerdo. Pastilhas negativas são oferecidas para desbaste, e pastilhas positivas, para acabamento, assim como pastilhas para roscamento, sangramento e divisão. Além de uma ampla seleção de ferramentas standard, a Seco também oferece soluções especiais, tais como barras com várias arestas de corte e barras muito longas (mais de 2 m) para aplicações especiais.

Ferramentas especiais para aplicações de fresamento também podem incluir componentes especiais, tais como fixação térmica e pinças especiais. Diretrizes para montagem das ferramentas As ferramentas Steadyline são essencialmente prontas para usar: o sistema de amortecimento integrado está pronto para uso, sem necessidade de outros preparos. Para obter melhores resultados, as barras devem ser montadas diretamente na máquina sem extensões ou reduções intermediárias. Ao montar as ferramentas na máquina, recomenda-se o sistema Seco-Capto devido ao contato rígido e simultâneo entre a face e a parte cônica e à alta resistência à flexão que maximiza o posicionamento preciso da aresta de corte. Quando o Seco-Capto não for uma opção, barras cilíndricas devem ser fixadas em um suporte de barras de mandrilar seccionados e inseridas a 4xD, que é indicado pela segunda linha na barra. Dicas de aplicações Existem considerações especiais para a aplicação das ferramentas Steadyline. Ao substituir diretamente uma barra convencional por uma unidade Steadyline passiva/ dinâmica, pode ser necessário aumentar as condições de corte para gerar vibrações suficientes para acionar totalmente o sistema de amortecimento. Além disso, em projeções longas, a barra pode flexionar, mas não vibrar, e criar um diâmetro menor que o programado. Ao dividir a operação em três cortes mais leves, elimina-se a flexão e obtém-se o diâmetro programado. É essencial observar que o diâmetro de usinagem mínimo deve ser suficientemente grande em relação ao diâmetro da barra, para permitir a correta evacuação dos cavacos. É fundamental levar em conta a evacuação dos cavacos, especialmente em furos pequenos e profundos. Recomenda-se o uso de líquido de refrigeração para ajudar na evacuação dos cavacos e minimizar a transferência de calor para a barra, que é sensível à temperatura.

MAIS INFORMAÇÕES

Para fresamento, existem configurações para controle de vibrações Steadyline com fresas Combimaster com cabeças intercambiáveis para diâmetros de 20 mm a 40 mm e para porta-fresas para fresas de 40 mm a 160 mm de diâmetro. As versões Combimaster e porta-fresas são adequadas para

fresamento de esquadrejamento, cópia, topo, faceamento, penetração e disco com vários tipos de pastilhas, bem como contornos e interpolação helicoidal. Os formatos cilíndricos e cônicos reforçados dos corpos das ferramentas atingem alta estabilidade estática e dinâmica em aplicações de fresamento pesado. Existem conexões Seco-Capto, HSK-A, BT, CAT e DIN (inclusive uma versão com face cônica) para a lateral das máquinas para suportes de fresamento.

08 | Automação | Outubro 2017

33


NOVIDADE

CONJUNTOS DE ACIONAMENTOS TOTALMENTE INTEGRADOS PARA DISTRIBUIÇÃO DE ENCOMENDAS

Mais de 1.000 acionamentos movem as esteiras transportadoras num sistema modular no centro de distribuição de encomendas.

Um novo centro de triagem e distribuição em Melbourne com uma capacidade de processamento de 35.000 encomendas por dia coloca a maior transportadora de frete da Austrália, a Toll IPEC, uma vantagem em relação aos concorrentes no setor de transporte de mercadorias para empresas do setor de negócios online em franco crescimento. O fornecedor de soluções de transporte BCS desenvolveu um sistema modular inteligente que recebe encomendas e efetua a respectiva triagem e carregamento para caminhões.

P MAIS INFORMAÇÕES

ara a configuração das unidades de acionamento, a BCS confiou nos conhecimentos especializados da NORD DRIVESYSTEMS. Um grande número de acionamentos da NORD foram selecionados com um foco especial na facilidade de instalação e manutenção.

08 | Automação | Outubro 2017

34

Com um novo centro de distribuição em Melbourne, adicionando uma capacidade de triagem de até 35.000 encomendas por hora, a transportadora Toll IPEC triplicou instantaneamente sua capacidade nesta grande metrópole australiana e no principal centro de tráfego com um aeroporto internacional. No momento da redação desse artigo, esse era o centro de triagem de encomendas mais rápido do quinto continente. O fabricante de instalações industriais BCS projetou e implementou um sistema automatizado com mais de 1.000 módulos transportadores. Este amplo centro processa todas as fases, desde a chegada ao armazém e registro de encomendas até acompanhamento por todo o centro, controle geral do sistema, triagem a alta velocidade e carregamento para os caminhões. As esteiras transportadoras se estendem por centenas de metros e vários níveis, sendo frequentemente necessário alterar as velocidades das esteiras ou inverter


NOVIDADE Os acionamentos consistem em um redutor de engrenagens helicoidais cônicas especialmente compacto, um motor de elevada eficiência e um inversor de frequência NORDAC FLEX.

Os acionamentos descentralizados NORDAC FLEX movem esteiras transportadoras horizontais e inclinadas, tendo ainda capacidade para gerenciar as frenagens exigidas com cargas inclinadas.

Os acionamentos eletrônicos possuem um interruptor de manutenção para desligar a respectiva alimentação elétrica de maneira segura para uma fácil substituição da unidade.

a direção em vários pontos. “Estamos falando de mais de 1.000 acionamentos de frequência variável”, diz Frank Kassai, diretor de engenharia do grupo BCS. “Suas potências vão de 0,37 kW até 5,5 kW.”

Instalação e comissionamento simples e que permitem economizar tempo “O projeto de transporte da Toll em Melbourne foi o maior desse tipo desenvolvido pela BCS na Austrália”, declara Kassai. “Por isso, não é de espantar que os processos de instalação e comissionamento tenham funcionado perfeitamente. Conseguimos economizar muito tempo no comissionamento porque a NORD forneceu conjuntos de acionamento prontos para uso, totalmente pré-instalados e pré-configurados.” As unidades individuais foram cuidadosamente numeradas de acordo com as posições atribuídas e, por isso, foi fácil fazê-las corresponder ao módulo transportador correto durante a instalação. Os redutores de engrenagens com eixos ocos foram instalados diretamente no eixo da máquina com discos de contração. Todos foram equipados com um braço de torque que apenas teve que ser aparafusado à estrutura da máquina em um único ponto. Assim, o trabalho necessário para a instalação foi bastante reduzido quando comparado com uma montagem em flange com até oito parafusos. Kassai acrescenta: “A manutenção e a instalação são facilitadas pelo fato de a NORD oferecer conexões plug-in. Isso permite que o operador troque um acionamento de motor em apenas

MAIS INFORMAÇÕES

Conjuntos de acionamentos de um único fornecedor A NORD DRIVESYSTEMS configurou os tamanhos de todos os acionamentos necessários com base nos motoredutores e inversores de frequência fabricados internamente. A principal categoria de produtos foi o redutor de engrenagens helicoidais cônicas de duas fases NORDBLOC.1, desenvolvidos especialmente pela empresa para aplicações de intralogística. Extremamente compactos e fáceis de manusear, mas simultaneamente muito robustos, esses equipamentos apresentam uma longa vida útil. A ampla faixa de relação de transmissão (i = 3,58 a 70) permite uma configuração extremamente precisa respeitando requisitos específicos. É importante para a BCS que os redutores possam ser montados em eixos de diferentes tamanhos sem que seja necessário realizar alterações nos eixos. Dessa maneira, embora o centro possua vários tipos de módulos transportadores, a variedade de diferentes acionamentos pode, no entanto, ser limitada a um nível facilmente gerenciável de modelos. Kassai também destaca a elevada eficiência dos acionamentos. Os inversores foram especialmente desenvolvidos também para aplicações de transporte. A eletrônica montada diretamente no motor cria uma unidade de acionamento mecatrônica totalmente integrada. A série de inversores NORDAC FLEX abrange

motores com potências de 0,25 a 22 kW. Estão disponíveis interfaces para todos os protocolos de rede disponíveis no mercado, como por exemplo, protocolos de Ethernet Industrial para conectar em rede acionamentos vetoriais CA no campo ao controlador central do sistema.

08 | Automação | Outubro 2017

35


NOVIDADE

ANTRIEB

DER

■ Confiável ■ Versátil ■ Global

NORD DRIVESYSTEMS: ■ Alta gama de potência ■ Soluções completas e flexíveis ■ Sistemas de alta eficiência

DerAntrieb.com NORD Drivesystems BRASIL LTDA. Matriz Brasil Rua Dr. Moacyr Antonio de Moraes, 127 Pq. Sto Agostinho Guarulhos, SP 07140-285 +55 11 24 02 - 88 55 info.br@nord.com Member of the NORD DRIVESYSTEMS Group The

Gear Unit

The

Motor

The

Drive Electronic

■ Rolamentos reforçados ■ Alta proteção contra corrosão

■ Alta eficiência ■ Padrões globais

■ Design compacto ■ Fácil instalação

■ Alta relação de potência x peso

■ Para todas condições de operação

■ Classe de proteção até IP 69K

alguns minutos ao invés de ser necessária a presença de um eletricista para substituir a fiação fisicamente.” A NORD equipou todos os acionamentos de vetor CA com um interruptor de manutenção para desligar a respectiva alimentação elétrica de maneira simples e segura. Caso seja necessário substituir algum acionamento de vetor CA, os parâmetros podem ser transferidos para a nova unidade usando um módulo EEPROM.

MAIS INFORMAÇÕES

Monitor de carga integrado e gerenciamento de freio Devido aos componentes eletrônicos altamente robustos dos acionamentos, a NORD conseguiu fornecer unidades de acionamento totalmente integradas, o que reduziu significativamente o volume de trabalho associado ao cabeamento da instalação para a BCS. Os inversores descentralizados apresentam resistência mecânica, elevada capacidade de lidar com sobrecargas e resistência a interferências típicas como tensões de rede flutuantes ou mudanças rápidas de temperatura. Uma vez que também estão equipados com mecanismos de proteção individual, a BCS economiza no custo da instalação e cabeamento de um painel elétrico de controle, com componentes como interruptores de proteção e chaves contatoras. Os inversores monitoram sobretensões, subtensões, superaquecimentos, curtos-circuitos, curtos-circuitos à terra e sobrecorrentes (I²t), prevenindo assim tempos de inatividade, danos aos acionamentos e interferências na rede de alimentação. No centro de distribuição Toll IPEC, são usados para acionar esteiras transportadoras horizontais e inclinadas. 08 | Automação | Outubro 2017

36

A tecnologia de elevação é outra aplicação comum nesses sistemas, nos quais foram testados e comprovados múltiplas vezes. Os inversores suportam operação em quatro quadrantes, ou seja, aceleração e frenagem em ambos os sentidos. Eles permitem acionamento de freios sem desgaste, controle preciso da velocidade, torques de partida elevados e torques seguros. www.nord.com


NOVIDADE

MÓDULOS I/O ETHERNET COM FUNCIONALIDADE MULTIPROTOCOLO E CONECTORES DE ALIMENTAÇÃO M12: AGORA TAMBÉM COM IO-LINK PRINCIPAL INTEGRADO DE OITO VIAS

O padrão para soluções I4.0: os novos módulos I/O Ethernet da Pepperl+Fuchs suportam todos os protocolos Ethernet comuns, tais como PROFINET, EtherNet/IP e EtherCAT em um único dispositivo. A função IO-Link principal integrada permite um diagnóstico e parametrização abrangentes.

O

conector de alimentação M12 codificado em L fornece uma corrente de até 16 A e reduz os custos de instalação. Os módulos com uma função lógica integrada podem abordar aplicações autônomas, substituir completamente os painéis de controle ou lidar apenas com mensagens de status. Assim sendo, estes módulos de bus de campo constituem a base para as soluções da Indústria 4.0.

O conceito de potência com um conector plug-in M12 codificado em L fornece uma conexão e uma fonte de alimentação de até 16 A, reduzindo assim a necessidade de cabeamento em paralelo e ajustes do fornecimento. A caixa resistente de metal totalmente fundido possui um grau de proteção IP65/67/69 e é muito compacta com apenas 200 mm de comprimento e 18 mm de altura.

Os módulos I/O Ethernet oferecem conexões de sensor/ atuador IO-Link, funcionam em vários protocolos e são fornecidos com 16 A por meio do conector de alimentação M12

Basta alguns simples trabalhos de programação para que os módulos executem funções distribuídas, extraiam a carga do painel de controle central ou a substituam completamente. Os custos de comunicação e os tempos de reação são reduzidos, enquanto se conserva uma visão geral central. A lógica distribuída pode ser limitada a alguns dos IOs, enquanto os outros continuam sob o painel de controle central. Isso permite uma interação entre o painel de controle e o programa do processo distribuído.

O recurso multiprotocolo permite a padronização na máquina em que diferentes tipos de módulos foram anteriormente requeridos. Um interruptor rotativo permite comutar entre os protocolos PROFINET, EtherNet/IP e EtherCAT. O servidor Web integrado facilita downloads, a parametrização e também fornece um indicador de diagnóstico.

www.pepperl-fuchs.com

MAIS INFORMAÇÕES

Os sensores e atuadores compatíveis com IO-Link podem ser conectados, configurados e parametrizados usando o IOLink principal integrado de oito vias. Os principais benefícios desta solução incluem o diagnóstico transparente e a facilidade com que os dispositivos podem ser substituídos graças ao armazenamento de dados redundantes.

08 | Automação | Outubro 2017

37


Encontre todas as novidades em: www.revista-automacao.com

A fonte de informação em automação industrial