Page 1

www.impactoevangelistico.net

A REVISTA QUE CONSTRÓI A SUA VIDA Fevereiro 2017 / Edição 757

evangélico

TESTEMUNHO

Um milagre chamado Jeftzybah

EVENTOS

As 50 convenções em Colômbia

HERÓIS DA FÉ

A mensageira incansável

A

PEDOFILIA

NA OFENSIVA

PUBLICAÇÃO OFICIALL

Surgem movimentos que procuram legalizá-la

MOVIMENTO MISSIONÁRIO MUNDIAL


A EXCELÊNCIA DO CONHECIMENTO É CONHECER A CRISTO

SEGUNDA-FEIRA A DOMINGO 15 H / PERU / NY / COL

Bethel Televisión, o canal do Movimento Missionário Mundial transmite a mensagem da Palavra de Deus mediante uma programação cultural e educativa de Lima-Peru através de 7 satélites e via internet a todo o mundo. MISIONÁRIO MUNDIAL 2 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


editorial

NÃO TEMA Rev. Gustavo Martínez Presidente Internacional del M.M.M.

“E sucedeu que, depois disto, os filhos de Moabe, e os filhos de Amom, e com eles outros dos amonitas, vieram à peleja contra Jeosafá. Então vieram alguns que avisaram a Jeosafá, dizendo: Vem contra ti uma grande multidão dalém do mar, e da Síria... Então Jeosafá temeu; e pôs-se o Senhor, e apregoou jejum em todo o Judá. E Judá se ajuntou, para pedir socorro ao Senhor…” 2 Crônicas 20:1-4

J

eosafá era rei de Judá, descendente de Davi, que durante seu reinado enfrentou uma grande ameaça, a invasão de um exército aliado e numeroso, formado por moabitas, amonitas e edomitas. Eles eram antigos inimigos de Israel (2 Crônicas 20:1-13). No governo de Jeosafá havia paz, mas posteriormente começaria uma ameaça de guerra. Isso significa que a qualquer momento as dificuldades aparecerão. As más notícias podem chegar apesar de que tudo seja ótimo. “Depois disto…” (v. 1), isto é, após algumas bênçãos, então “os filhos de Moabe e os filhos de Amon, e com eles outros dos amonitas, vieram à peleja contra Jeosafá. Então vieram alguns que avisaram a Jeosafá, dizendo: Vem contra ti uma grande multidão dalém do mar e da Síria… Então Jeosafá temeu…” (vv. 2-3). “Então Jeosafá temeu, e pôs-se a buscar o Senhor, e apregoou jejum em todo o Judá” (v. 3). Independentemente do quão forte sejam, não podemos ceder perante as

dificuldades. Os conflitos são uma oportunidade para descobrir o que há dentro de nós, em quem podemos confiar e a quem acudimos nos momentos difíceis; essas são oportunidades para acudir ao Senhor. Jeosafá sentiu temor, apesar desta circunstância ele tinha uma forte confiança em Deus. “E Judá se ajuntou, para pedir socorro ao Senhor; também de todas as cidades de Judá vieram para buscar ao Senhor” (v. 4). Chegaram para procurar o Senhor e pedir a ajuda divina. Porque existia uma ameaça contra seus filhos, contra suas mulheres, contra seus bens e contra suas vidas. Com toda liberdade chegaram para adorar, exaltar e pedir a Deus que os salvasse. E Deus os liberou. O Senhor lhes concedeu a vitória. Amado, não se preocupe com as ameaças, não se preocupe se o inimigo conjurou contra sua vida; aqui há um Deus Todo-Poderoso. Ele guardará sua saída e seu ingresso, Ele será um cerco e um escudo a seu redor. Deus lhe dará a vitória. Amém.

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

3


www.impactoevangelistico.net

evangélico Diretor Fundador: Rev. Luis M. Ortiz FEVEREIRO 2016 / EDIÇÃO N° 757 USPS 012-850) PUBLICAÇÃO OFICIAL DO MOVIMENTO MISSIONÁRIO MUNDIAL O World-Wide Missionary Movement, Inc. é uma igreja sem fins lucrativos, com uma visão para fundar novas igrejas nos Estados Unidos da América e seus territórios e também com uma visão missionária para fundar novas igrejas onde Deus abre novas portas em todo o Mundo. PUBLICAÇÃO MENSAL POR: Movimiento Misionero Mundial, Inc (Movimento Missionário Mundial, Inc.) San Juan, Porto Rico Washington, D.C. Postagem Periódica pagada a: San Juan, Porto Rico 00936

AGENTE DO CORREIO:

enviar variações de endereço a Impacto Evangélico P.O. BOX 363644 San Juan, Porto Rico 00936-3644 Telefono (787) 761-8806; 761-8805; 761-8903 OFICIAIS DO M.M.M. INC Rev. Gustavo Martínez Rev. José Soto Rev. Rubén Concepción Rev. Rodolfo González Rev. Álvaro Garavito Rev. Margaro Figueroa Rev. Rómulo Vergara Rev. Humberto Henao Rev. Luis Meza

Presidente Vice-presidente Secretario Tesoureiro Diretor Diretor Diretor Diretor Diretor

OBRAS ESTABLECIDAS EM: África do Sul Alemanha Argentina Aruba Austrália Áustria Bélgica Belize Bolívia Bonaire Brasil Camarões Canadá Chile Colômbia Congo Costa do Marfim Costa Rica Curaçao Dinamarca El Salvador Equador Espanha EUA Filipinas

Finlândia França Gabão Gana Guatemala Guiana Francesa Guiana Inglesa Guiné Equatorial Haiti Havaí (EUA) Holanda Honduras Ilha de San Andrés (Col.) Ilha Rodrigues Ilhas Canárias (Espanha) Índia Inglaterra Israel Itália Jamaica Japão Kuwait Madagáscar

Malásia Maurício México Mianm o valor da vida ar Nicarágua Nigéria Oman Panamá Paraguai Peru Porto Rico Portugal República Dominicana Roménia Saint Martin Suécia Suíça Suriname Trinidad e Tobago Ucrânia Uruguai Venezuela

O Movimento Missionário Mundial é uma organização religiosa sem fins lucrativos, devidamente registrada em San Juan, Porto Rico, e na capital federal, Washington DC com sede nas duas cidades, bem como em todos os estados da União Americana e em outros países onde temos obras missionárias estabelecidas. Importante As ofertas e doações em dinheiro, computadores, imóveis, legados em testamento, para o benefício desta obra do Movimento Missionário Mundial, Inc. são dedutíveis do imposto de renda (Income Tax) e os recibos emitidos pelo Movimento Missionário Mundial são reconhecidos pela Diretoria das Rendas Internas (IRS), do Governo Federal dos Estados Unidos da América e do Estado Livre Associado de Porto Rico. n

Visite o nosso website Obtenha informação edificante da Obra de Deus e fique a par das últimas notícias. Um acesso personalizado a partir de qualquer lugar do mundo: www.impactoevangelistico.net n

Se você quiser Escreva-nos para o nosso endereço postal: Movimiento Misionero Mundial, Inc. P.O. Box 363644 San Juan, P.R. 00936-3644 n

Copyright © 2009 Impacto Evangélico Movimiento Misionero Mundial, Inc. (World-Wide Missionary Movement, Inc.) Todo o conteúdo da revista e cada edição subseqüente está devidamente registrada na Biblioteca do Congresso, Washington, DC EUA. Todos os direitos reservados. A reprodução parcial, completa ou em qualquer forma ou sua tradução para outros idiomas sem a autorização do Diretor é proibida. No âmbito dos acordos internacionais de direitos autorais é um crime punível por lei n

Declaração Doutrinária O Movimento Missionário Mundial adere às doutrinas fundamentais da Bíblia, tais como: n

Depósito Legal na Biblioteca Nacional do Peru N ° 2011-02530 Igreja Cristã do Pentecostes do Movimento Missionário Mundial: Av. 28 de Julio 1781 - Lima 13 - Peru Impressão: Quad/Graphics Perú S.A. Av. Los Frutales 344 - Lima 03 - Perú

MISIONÁRIO MUNDIAL 4 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

• A inspiração das Escrituras Sagradas: 2 Timóteo 3:15-17, 2 Pedro 1:19-21. • A Divindade adorável em Três Pessoas, Pai, Filho e Espírito Santo: Mateus 3:16-17, 17: 1-5; 28:19 João 17: 5, 24, 26, 16:32, 14:16, 23, 18:05, 6, 2 Pedro 1:17,18; Apocalipse 5. • A salvação pela fé em Cristo: Lucas 24:47, João 3:16, Romanos 10:13, Tito 2:11, 3:5-7. • O Novo Nascimento: João 3:3, 1 Pedro 1:23, 1 João 3:9. • A Justificação pela Fé: Romanos 5:01, Tito 3:07. • O Batismo nas águas por imersão, segundo ordenado por Cristo: Mateus 28:19, Atos 8:36-39. • O Batismo no Espírito Santo, subseqüente à salvação, falando em outras línguas, segundo: Lucas 24:49, Atos 1:4, 8, 02:04. • A Cura Divina: Isaías 53:4, Mateus 08:16, 17, Marcos 16:18, Tiago 5:14, 15. • Os Dons do Espírito Santo: 1 Coríntios 12:1-11. • Os frutos do Espírito Santo: Gálatas 5:22-26. • A Santificação: 1 Tessalonicenses 4:03, 5:23, Hebreus 0:14, 1 Pedro 1:15, 16, 1 João 2:6. • O Ministério e a Evangelização: Marcos 16:15-20, Romanos 10:15. • O dízimo e a Sustentabilidade da Obra: Gênesis 14:20, 28:22, Levítico 27:30, Números 18:21-26, Malaquias 3:7-10, Mateus 10:10; 23:23. • A ascensão da Igreja: Romanos 8:23, 1 Coríntios 15:51 - 52, 1 Tessalonicenses 4:16-17. • A Segunda Vinda de Cristo: Zacarias 14:1-9, Mateus 24:30, 31, 2 Tessalonicenses 1:07, Tito 2:13, Judas 14, 15. • O Reino Milenar: Isaías 2:1-4, 11:5-10, Zacarias 9:10, Apocalipse 19:20, 20:3-10. • Novos Céus e Nova Terra: Isaías 65:17, 66:22, 2 Pedro 3:13, Apocalipse 21:1.


SOMMARIO Encontrar-nos em

www.facebook.com/impactoevangelistico

16 / INTERNACIONAL. Trump corta o financiamento para o aborto

DEVOCIONAIS 40 / GRANDES CRISES SÃO GRANDES CONQUISTAS. Rev. Luis M. Ortiz 42 / ESTAVA SECO, MAS FLORESCEU Rev. Clemente Vergara

A pedofilia: uma nova ameaça

6

O cérebro gosta de ler em papel

Testemunho

30 / HERÓIS DA FÉ. A mensageira incansável

Entrevista

28 / MÚSICA. Chorando na capela

Atualidade

24 / LITERATURA. Educando crianças piedosas num mundo impiedoso

Nota de capa

20 / CIÊNCIA. Desnutrição

A igreja deve voltar ao princípio

22 18

Um milagre chamado Jeftzybah

34

44 - 64 / EVENTOS INTERNACIONALES. A Índia recebe Deus com convicção 65 / OUTROS EVENTOS.

52 / Evento.

66 / CARTAS-AGENDA.

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

5


A

PEDOFILIA A

UMA NOVA AMEAÇA

lguma vez imaginou que a pedofilia poderia ser considerada uma orientação sexual? Isso parecia distante e muito difícil de pensar, porém, vai tomando forma paulatinamente de diversas maneiras no mundo. Uma nova ameaça latente.

Em 2013, a Associação Americana de Psiquiatria fez possível que a pedofilia não seja mais vista como um transtorno, mas uma orientação ou preferência sexual. Baseado no Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais, quinta edição (DSM-V), define a pedofilia como “uma orientação sexual ou preferência sexual desprovida de consumação, enquanto o ‘distúrbio pedófilo’ é definido como uma compulsão e é usado para caracterizar os indivíduos que usam assim a sua sexualidade”. (Pág. 698, 5ta edição) Trata-se de uma porta aberta para que a pedofilia seja vista como algo “normal” e isso poderia mesmo gerar movimentos pelos “direitos fundamentais” das pessoas com tendências pedófilas. Segundo a publicação, se alguém não tivesse sentimentos de culpa, vergonha ou ansiedade devido a seus impulsos pedófilos, mas não está limitado funcionalmente por seu impulso e nunca agiu sob esses impulsos, então esse indivíduo teria uma orientação sexual de pedofilia, mas não um distúrbio de pedofilia. Com algumas diferenças, a homossexualidade foi classificada dessa mesma maneira há alguns anos, e assim se tornou atualmente parte da ideologia de gênero e continuou até tentar estabelecer o casamento gay. Esta nova classificação da pedofilia como “opção sexual” é preocupante porque faz pensar que grupos pedófilos poderiam impulsionar iniciativas legais que lhes permitissem praticar livremente suas ações atentando contra as crianças.

NO CANADÁ Mas não só o Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais vai por essa via. James Cantor, do Centro para a MISIONÁRIO MUNDIAL 6 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


FOTO: AFP

nota de capa

Fevereiro 2017 / Impacto evangĂŠlico

7


Adição e Saúde Mental de Toronto, no Canadá, dedica maior parte de seu tempo ao analise dos cérebros de pederastas mediante escâneres de ressonância magnética, e chegou a uma conclusão controvertida. “A pedofilia é uma orientação sexual”, diz. “É algo com o que nascemos basicamente; não muda ao longo do tempo e é tão essencial para nosso ser como qualquer outra orientação sexual”. Cantor afirma que os cérebros dos pedófilos que estudou tinham um “cabeamento” diferente dos que não o são, e os descreve como “cabos cruzados” no cérebro. “É como se, ao ver uma criança, seu instinto sexual desperta em lugar de seu instinto protetor”, diz. Mas isso não é tudo. Em uma sessão no parlamento canadiano sobre um projeto de lei relativo a crimes sexuais contra crianças, especialistas em psicologia declararam que a pedofilia é uma “orientação sexual” comparável à homossexualidade ou heterossexualidade. O projeto de lei C-54, para emendar o Código Penal, tenta aumentar ou impor penas ou castigos mínimos obrigatórios para criminosos sexuais de crianças em casos de crimes específicos.

Trata-se de uma porta aberta para que a pedofilia seja vista como algo “normal” e isso poderia mesmo gerar movimentos pelos “direitos fundamentais” das pessoas com tendências pedófilas.

O debate no Parlamento se centrou na normativa de encarceramento mínimo e como os criminosos reagem ao tratamento. O Dr. Vernon Quinsey e o Dr. Hubert Van Gijseghem, especialistas na questão, foram chamados para dar testemunho. “Quando falamos de terapia ou quando os indivíduos recebem terapia e sentimos como se todos tivessem sido apaziguados, a boa notícia é muitas vezes ilusória”, disse Van Gijseghem, psicólogo e professor aposentado da Universidade de Montreal. “Os pedófilos não são simplesmente pessoas que cometem um pequeno delito de tempos em tempos. Pelo contrário, eles têm conflitos com o que equivale a uma orientação sexual, exatamente como outro indivíduo pode estar em conflito com a heterossexualidade ou mesmo a homossexualidade” afirmou Van Gijseghem. “Os verdadeiros pedófilos têm preferência exclusiva pelas crianças, que é o mesmo que ter uma orientação sexual. Não é possível mudar a orientação sexual de uma pessoa”. MISIONÁRIO MUNDIAL 8 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


FOTO: AFP

portada

Fevereiro 2017 / Impacto evangĂŠlico

9


MISIONÁRIO MUNDIAL 10 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

FOTO: AFP

Surgiram grupos defensores da pedofilia em muitos países do mundo, alguns dos quais têm mesmo páginas web. Um deles é o movimento ativista pedófilo, que disfarça sua tendência com um suposto “amor às crianças”.


OS ATIVISTAS A decisão da Associação Americana de Psiquiatria dos Estados Unidos instou vários grupos defensores da pedofilia a ampliarem “o alcance de suas organizações”. Surgiram grupos defensores da pedofilia em muitos países do mundo, alguns dos quais têm mesmo páginas web. Um deles é o movimento ativista pedófilo, que disfarça sua tendência com um suposto “amor às crianças”. Na Holanda, existe o Partido da Caridade, a Liberdade e a Diversidade da Holanda, cujos membros procuram derrogar as leis de idade de consentimento, a fim de anular legalmente o critério da idade utilizado para identificar o abuso sexual infantil bem como eliminar a classificação da pedofilia. Por outro lado, nos inícios de 2013, um Tribunal Federal da

FOTO: AFP

FOTO: AFP

nota de capa

Holanda aprovou a formação da Associação de Martijn, defensor das relações sexuais consentidas entre adultos e crianças. O veredicto oficial reconhece que a função da associação é “contrária à ordem pública, mas há uma ameaça de desintegrar a sociedade”. É evidente que os pedófilos começaram a procurar um status similar, usando as mesmas tácticas empregadas pelos ativistas dos “direitos gay”. Por exemplo, centenas de organizações, defensoras dos direitos da criança em todo o mundo, ficaram indignadas por uma notícia: o “Dia do orgulho pedófilo”, encontro de intercâmbio digital convocado por várias plataformas da Internet desde o Chile. “Não podemos conceber que exista um dia para comemo-

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

11


rar pessoas que são claramente delinquentes e deveriam estar cumprindo penas”, disse o senador Juan Pablo Letelier, do Partido Socialista. No Iraque, o assunto é grave. O governo apresentou ao Parlamento um projeto de lei que permitiria o casamento a qualquer idade, seguindo assim os preceitos mais rígidos da lei islâmica, a Sharia. O projeto reduz a idade legal de casamento para as mulheres aos 9 anos de idade e os homens aos 15. Além disso, permite a poligamia irrestrita e dá ao marido o direito MISIONÁRIO MUNDIAL 12 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

de manter relações sexuais mesmo sem o consentimento da esposa. Como se pode ver, quando cedemos perante as pressões como a ideologia de gênero, é lógico que outros tratem de se aproveitar da situação dizendo que se apoiam na “verdade” e na “dignidade”.

PEDOFILIA E PEDERASTIA Entre pedofilia e pederastia existe um matiz importante. Os pe-


note de capa

É evidente então que o esforço da ideologia de gênero por redefinir e inventar “direitos” especiais está provocando que outros degenerados sexuais, como os pedófilos e pederastas, também exijam direitos perante a sociedade.

derastas são pedófilos, mas um pedófilo não sempre é um pederasta. Segundo a maioria dos dicionários, o pedófilo se sente atraído erótica ou sexualmente por meninos ou meninas ou ambos, e mesmo pode manter relações com eles com ou sem seu consentimento. Quando há abuso, torna-se um pederasta. Para a Associação Americana de Psiquiatria (American Psychiatric Association), a pedofilia é “uma parafilia na qual a pessoa sente um intenso e recorrente desejo e fantasias sexuais por meninos ou meninas que ainda não chegaram à adolescência”. Segundo a Wikipédia, nestes casos se trata de uma “parafilia” quando o indivíduo procura exclusivamente (ou quase) este tipo de relações com grande disparidade de idade. No caso de procurá-las só esporadicamente, não se trataria então propriamente da pedofilia. Além da pedofilia, existem a hebefilia e a efebofilia. A primeira implica desejo preferente por crianças nos primeiros anos de sua adolescência (geralmente entre 11 e 14 anos, mas varia segundo sexo e raça), e a segunda, por pessoas em plena adolescência (15 a 19 anos). É evidente então que o esforço da ideologia de gênero por redefinir e inventar “direitos” especiais está provocando que outros degenerados sexuais, como os pedófilos e pederastas, também exijam direitos perante a sociedade.

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

13


PEDOFILIA Uma ameaça para nossas crianças Não é novidade que a pedofilia proliferou no mundo, e apesar de ser um tema comentado nos noticiários, mas pouco no lar (provavelmente por medo), é urgente tratá-lo abertamente para evitar situações de risco que ponham em perigo a integridade de nossas crianças.

Prevenção do Abuso contra as Crianças Diga a seus filhos que há adultos que poderiam tentar feri-los ou obrigá-los a fazer coisas incômodas ou coisas que não desejam fazer. Para ganhar sua confiança, estas pessoas podem ser boas e agradáveis. O adulto que faz isso poderia dizer "a relação entre nós, é um segredo e não deve contar a ninguém".

Explique que seus corpos só pertencem a eles e que têm direito a pôr limites e dizer NÃO a qualquer pessoa que pudesse tentar tocá-los ou fazer com que os pequenos toquem o corpo dessa pessoa ou outras.

A UNICEF exigiu a perseguição sistemática de todos aqueles sites e portais da internet que mostram pornografia infantil, independentemente do país onde se cometa o delito.

MISIONÁRIO MUNDIAL 14 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


223

milhões

73

milhões meninos

150

milhões meninas

UNICEF estima que aproximadamente 1,8 milhões de meninos e meninas sofrem exploração sexual por todo mundo. Porém, tanto esta organização quanto a principal rede de luta contra esse problema, Ecpat International, reconhecem que trabalham de acordo com os dados estatísticos e extrapolações.

Fontes: bbc.com, lanacion.com, unicef.org

Crianças vítimas de abuso no mundo

Tente falar diariamente com seus filhos e tome o tempo necessário para ouvi-los e observá-los. Pergunte sobre os detalhes de suas atividades e sentimentos. Convença-los a compartilhar com você as preocupações, dúvidas e problemas que tenham.

Diga a suas crianças que precisa saber se alguém faz alguma coisa estranha com elas, por exemplo, tocá-las muito, tirar fotos delas nuas ou comprar coisas para elas. Esclareça a seus filhos que eles não têm a culpa do que um adulto faz.

Explique a seus filhos que o adulto também pode ameaçá-los e dizer que os ferirá ou matará seus pais se contarem o segredo. Explique também que esse adulto está fazendo algo mau.

Advirta que o adulto poderia ser uma pessoa conhecida, uma pessoa amada ou de confiança, ou possivelmente alguma pessoa com certa autoridade. Por exemplo: a babá, um professor, um religioso, um treinador.

Pornografia infantil na rede Conteúdos que circulam por ano Fotos diárias subidas

20

milhões

40

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

15


TRUMP

CORTA O FINANCIAMENTO PARA O ABORTO

N

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou em 23 de janeiro um decreto que impede financiar com fundos federais as organizações que apoiam o aborto. Esta medida, chamada “Política da Cidade do México”, é uma decisão que todos os novos presidentes republicanos em seus primeiros dias no cargo adotam, desde 1985, com Ronald Reagan na Casa Branca, norma que depois é revogada pelos democratas. No caso de Trump, que antigamente se declarou a favor do direito ao aborto, com isso manda um sinal aos setores mais conservadores de seu partido. Quando era candidato, o mandatário expressou sua posição contrária ao aborto, que apoiava unicamente em caso de perigo de morte. Esse decreto e outros dois são assinados após a grande manifestação contra Trump em 21 de janeiro em Washington, na qual a defesa do direito ao aborto foi um dos assuntos centrais. Trump adotou essa medida um dia depois do 44º aniversário de “Roe vs. Wade”, a sentença emblemática do Tribunal Supremo que legalizou o aborto em 1973 nos Estados Unidos, e dois dias após uma manifestação de grupos de estadunidenses. Apesar de sua opinião ambivalente sobre o aborto no passado, Trump durante sua campanha foi apoiado pelos religiosos do Partido Republicano. Como candidato, o magnata imobiliário ofereceu designar como juiz do Tribunal Supremo um jurista que quis ilegalizar o aborto. Disse que se a sentença a favor do aborto fosse derrogada, cada Estado teria a decisão de manter ou restringir esse direito. Também sugeriu que as mulheres que abortam deveriam ser punidas. “Todos sabem que o presidente se declarou uma pessoa próvida” disse Sean Spicer, secretário da imprensa da Casa Branca, aos jornalistas, em sua primeira reunião informativa diária. “Ele quer defender todos os estadunidenses, incluindo os MISIONÁRIO MUNDIAL 16 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

FOTO: AFP

ão tardou muito para que cumprisse uma de suas promessas em campanha. Em seu quarto dia como presidente dos Estados Unidos, Donald Trump proibiu que as ONGs utilizassem fundos do Governo estadunidense em favor do aborto.

que ainda não nasceram, e acho que o restabelecimento desta política não é só algo que se centra nesse valor, mas também respeita o financiamento dos contribuintes”, adicionou. A política, iniciada antigamente pelo governo de Reagan, foi revogada por Obama em 2009. Agora, as organizações não governamentais (ONGs) que oferecem ou promovem abortos como parte de seus serviços de planejamento familiar não poderão receber nenhuma ajuda da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional, um dos maiores contribuintes para a assistência internacional para esse tema.


internacional

Uma das mais afetadas pela medida é a Planned Parenthood, a organização que promove o aborto nos Estados Unidos.

OUTRO PROJETO Por outro lado, o congressista Steve King apresentou na Câmara de Representantes dos Estados Unidos uma proposta para proibir os abortos nos casos em que os batimentos cardíacos do feto sejam detectados. O projeto de lei indica que o batimento cardíaco do bebê não nascido deve ser comprovado antes de realizar um aborto, e em caso fosse detectado, não se poderia acabar com a vida do feto.

Este projeto propõe uma multa ou mesmo uma pena de prisão para a pessoa que realize um aborto depois de detectar o batimento cardíaco do feto ou acabe com a vida de um bebê não nascido sem comprovar se seu coração bate ou sem informar a mãe sobre os resultados da análise. “Minha legislação precisará de todos os médicos, antes de realizar um aborto, e que detectem o batimento do coração do feto. Se o batimento do coração for detectado, o bebê estará protegido”, asseverou King. Fontes: notícias da internet

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

17


O CÉREBRO GOSTA DE LER EM

PAPEL

A

O estudo “Por que o cérebro prefere o papel impresso?”, divulgado na Scientific American, explica que há um “aspecto físico” na leitura. Segundo Ferris Jabr, autor do estudo, várias investigações indicam que a leitura de texto na internet é “esgotadora”. “Quando as pessoas leem um texto virtual, passam mais tempo navegando, e procurando as palavras-chave”, afirma Jabr. “A sensação implícita de onde você está em um livro físico se torna mais importante do que críamos”, diz o artigo da revista Scientific American. Essa investigação revela que há outros estudos que explicam que a leitura virtual é exigente e fisicamente mais exaustiva que em papel, porque a tinta virtual reflete a luz ambiental (o mesmo acontece com o papel), mas a diferença é que os textos em telas refletem a luz diretamente nos rostos das pessoas, e isso pode causar fadiga visual, dor de cabeça e visão turva. A leitura de textos em tela a idades muito prematuras pode ser um problema. Em 2012, um estudo realizado no Joan Ganz Cooney Center de Nova York reuniu 32 grupos de pais e filhos de 3 a 6 anos. Os resultados revelaram que as crianças lembravam mais detalhes das histórias que leram em papel apesar das animações interativas, jogos e vídeos que os textos digitais tinham. Além disso, o estudo indicou, baseando-se em uma enquete aplicada a 1226 pais, que as crianças preferiram ler livros impressos, antes que os eletrônicos. O que comprovaram é que as crianças podiam relatar a história a seus pais. Com o eletrônico, tinham tentação de utilizar outras aplicações que o tablet oferecia.

ESTUDANTES Comumente muitas pessoas dizem que preferem imprimir um MISIONÁRIO MUNDIAL 18 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

FOTO: AFP

s pessoas preferem ler, cada vez mais, jornais, artigos acadêmicos e mesmo livros em telas digitais. Mas, o suporte eletrônico garante uma boa qualidade de leitura? Um estudo científico comprovou que o cérebro prefere ler em papel que em uma tela.


atualidade

CHAVES 1 - FÍSICO. O estudo “Por que o cérebro prefere o papel impresso?” reivindica o valor “físico” da leitura em um livro, ao contrário de um texto digital. “A sensação implícita de onde você está em um livro físico se torna mais importante do que críamos”. 2 - VISUAL. Alguns estudos reivindicam que o texto em papel permite uma melhor lembrança do lido graças à memória visual. Esta metodologia permite gerar certas rotas mentais que, geralmente, não são possíveis com textos lidos em um computador. 3 - CRIANÇAS. Em idades muito prematuras, as crianças lembram mais detalhes das histórias que leem em papel que as que leem em digital. Os estudos demonstraram que os tablets e outros dispositivos geram distrações no momento de ler.

texto e lê-lo em edição física se desejam se concentrar nele e compreendê-lo com exatidão. Por exemplo, em 2011, um estudo realizado entre estudantes da Universidade Nacional de Taiwan indicou que a maioria lia rapidamente um texto virtual e depois o imprimia e o lia em papel. Em 2003, durante o grande auge da internet nesta região, a Universidade Nacional Autônoma do México entrevistou 687 estudantes sobre este tema. 80% disse que preferia ler o texto impresso. Maryanne Wolf, da Universidade de Tufts (Estados Unidos) investigou este assunto. Ela decodificou algumas vantagens do papel. Por exemplo, e em sua opinião, um texto digital omitiria referências como a extensão, cantos ou margens e falta de ilustrações. Nesse sentido, reivindica a memória visual como ferramenta para lembrar o texto.

MATIZES Contudo, há alguns estudos científicos que matizam esta postura e dizem que não há muitas diferenças entre os universitários. Um trabalho do British Journal of Educational Technology de 2012, citado pela ABC da Espanha, afirma que não houve diferenças entre os que liam um texto de 600 palavras em formato digital e impresso. O jornal indica que a quantidade de erros quanto à compreensão e detecção foi a mesma nos dois casos, mas na leitura digital, a tarefa foi mais reduzida. “Várias pesquisas recentes descobriram que as crianças com dislexia podem ler mais rápido textos com um ligeiro aumento do espaço entre as letras [respeito ao espaço comum]”, como indica Manuel Perea, especialista em psicolinguística da Universidade de Valência e do Basque Center on Cognition, Brain, and Language de San Sebastián. Extraído do jornal El País do Uruguai

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

19


DESNUTRIÇÃO A

má-nutrição é a expressão de insegurança alimentar, isto é, quando uma pessoa não recebe alimentos de modo periódico, suficiente, variado e equilibrado. Walter Menchola Vásquez

A origem da desnutrição é eminentemente social e representa riscos consideráveis para a saúde das pessoas. Há três formas de desnutrição: A. Desnutrição de peso baixo para a talha (desnutrição aguda): Está associada a uma perda de peso recente e acelerada ou outro tipo de incapacidade para ganhar peso, devido na maioria dos casos a uma baixa ingestão de alimentos ou a presença de doenças infecciosas. B. Atraso do Crescimento (desnutrição crônica): associado a problemas prolongados e persistentes, de longa duração, que afetam negativamente o crescimento infantil. C. Deficiências de Micronutrientes: as pessoas não têm acesso a alimentos básicos como frutas, verduras, carnes e alimentos fortificados; geralmente devido a seu alto custo ou porque não estão disponíveis. As deficiências de micronutrientes aumentam o risco de contrair doenças infecciosas e morrer por diarreia, sarampo, malária e pneumonia; males que estão entre as 10 principais causas de morbidade a nível mundial (World Health Organization, World Food Programme, UNICEF, 2007). A desnutrição provoca a morte prematura de mães, lactantes e meninos pequenos, e o desenvolvimento deficiente físico e cerebral dos jovens. A Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que em todo o mundo há 115 milhões de crianças com insuficiência ponderal e que a desnutrição ocasiona aproximadamente um terço da mortalidade infantil; bem como o atraso no crescimento. Devemos considerar que a desnutrição é consequência das realidades sociais nas quais as famílias se acham e que suas causas são variadas: educação insuficiente ou de má qualidade, pobreza econômica, carências emocionais, violência armada, violência familiar, problemas no lar, entre outros. A desnutrição afeta principalmente as crianças e em particular seu desenvolvimento biológico e psicoemocional, em muitos casos em forma irreversível. As crianças desnutridas têm mais probabilidades de morrer nos primeiros anos de vida; se sobreviveram, seu nível educativo e rendas econômicas geralmente são menores. Vejamos alguns exemplos. As crianças com deficiência de iodo e micronutrientes essenciais têm, em média, um coeficiente intelectual de 13 pontos mais baixo que das crianças sem deficiência deste elemento. Do mesmo modo, as crianças que têm atraso do crescimento (desnutrição crônica) têm mais probabilidade de coMISIONÁRIO MUNDIAL 20 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

meçar tarde seus estudos, ter um rendimento deficiente nas provas de avaliação de funcionamento cognitivo e abandonar a escola prematuramente. Segundo as pesquisas, os adultos que sofreram atraso do crescimento quando crianças ganham 20 % menos que outros adultos que não o experimentaram, e têm 30 % mais probabilidades de viver na pobreza e menor probabilidade de ter um trabalho qualificado. Em consequência, os custos econômicos da desnutrição em termos de perda de produtividade nacional e crescimento econômico são consideráveis, calcula-se entre 2 % e 3 % do Produto Interno Bruto (PIB) em alguns países, e até o 11 % do PIB na África e na Ásia anualmente. A nível mundial, a desnutrição é mais comum quando a renda


FOTO: AFP

ciência

dos lares é baixa, mas também se associa com a escassez de alimentos, dietas que variam pouco em conteúdo, elevadas taxas de doenças infecciosas, práticas sociais e culturais que sustentam uma alimentação deficiente, bem como um inadequado cuidado dos recém-nascidos. As crises alimentares e financeiras e os desastres naturais, como a mudança climática, agravaram a desnutrição em muitas regiões do mundo (segundo relatórios do Banco Mundial). Para enfrentar este problema, os países desenham e aplicam Políticas Públicas de Segurança Alimentar, com a finalidade de que as pessoas afetadas recebam em forma oportuna, especialmente as crianças, os alimentos adequados, evitando que a falta deles afete seu desenvolvimento e possam atingir sua vida adulta em forma plena. A alimentação na América apresenta alguns paradoxos, já que

a região é capaz de gerar 2900 calorias diárias por pessoa, quantidade que supera em 16 % o requerimento médio diário (2500 calorias) de um indivíduo. Isto é, a região produz suficiente alimento para cobrir suas necessidades e dispõe de um saldo favorável. O problema da fome em nossas sociedades tem outros aspectos, sociais e políticos; ou seja, não temos um problema de disponibilidade, mas de acesso aos alimentos. Por essa razão, podemos afirmar categoricamente que a superação da fome e da desnutrição está unida em forma indissolúvel à superação da pobreza e da inequidade. (*) Médico Internista, Mg. Gestão e Políticas Públicas Fonte: Organização Mundial da Saúde (OMS), Banco Mundial, UNICEF (United Nations International Children's Emergency Fund).

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

21


Foto: Roberto Guerrero MISIONÁRIO MUNDIAL 22 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


entrevista

A IGREJA DEVE VOLTAR

AO PRINCÍPIO

O

Secretário Internacional do Movimento Missionário Mundial, Rev. Rubén Concepción, afirma que a relação pessoal com Deus é obrigatória para os cristãos, assim poderão enfrentar o maligno. Além disso, salienta que as armas espirituais devem ser recuperadas.

Defensor dos elementos da fé que alguns consideram muito antiquados, o Rev. Rubén Concepción, Secretário Internacional do MMM, analisa o presente da Igreja, que observa com atenção a presença de fenômenos meteorológicos devastadores, o avanço da tecnologia e a globalização. Como avança a Obra de Deus da República Dominicana que o senhor liderou até outubro de 2016 e durante oito anos? O Movimento Missionário Mundial da República Dominicana é uma Obra que está em processo de crescimento, desenvolvendose em número para impactar uma nação que tem 11 milhões de habitantes. Temos uma diversidade cultural bastante grande, com uma experiência de fé muito chamativa. A República Dominicana é um dos países do Caribe onde falar de Deus atrai a população e isso deu ao MMM a possibilidade de se estabelecer como Obra e como organização. Recentemente aconteceram fenômenos meteorológicos devastadores que afetaram vários países do Caribe, como o furacão ‘Matthew’. O que opina sobre isso? A Bíblia nos revela momentos em que a natureza manifestou uma conduta influenciada pelo poder das trevas e vemos que o Senhor repreendeu os ventos. Portanto, a natureza mesma pode ser um instrumento de destruição. Deus a utiliza para aplicar sua sentença, mas como o mundo é regulado pelo deus deste século, não pode-

mos negar o poder que tem no âmbito terreno. Atualmente, há um cristianismo que considera o Evangelho como algo muito flexível, muito ligeiro, que tudo está sob as circunstâncias e esquece que o poder das trevas é real e que Satanás sempre tentará destruir o que Deus desenhou. Quer dizer que a Igreja está dormida perante esses acontecimentos? Não penso que esteja dormida, mas distraída porque neste século há um grande desenvolvimento no pensamento crítico, na capacidade de razoamento dos indivíduos, na globalização e uma maior tecnologia. O mundo está cheio de conhecimentos. Tem conhecimento político, religioso, das coisas boas, das coisas más, mas o conhecimento não vai transformar as pessoas. A Igreja pode estar cheia de conhecimento de Deus, de sua doutrina, mas, se não há vida? O senhor acha que o avanço da tecnologia contribui para a vinda do anticristo como diz a Bíblia? Honestamente, não podemos deter a ciência. É bastante difícil poder deter os benefícios da tecnologia, bem como se teve que aceitar a troca do dinheiro pelo cartão de crédito, que também já foi relegada porque a tecnologia continua avançando. Sempre gosto de manter um equilíbrio e não sempre considerar a tecnologia como um meio de Satanás para nos destruir. É preciso ser bastante claros. É impossível que surja uma marca de Satanás se a Igreja ainda está aqui. Para isso, a Igreja teria que ser eliminada. Que pode fazer a Igreja perante o maligno? A Igreja da geração pós-moderna deve voltar ao princípio, a esses elementos que alguns consideram muito antiquados. Deve ter novamente uma relação com Deus, principalmente porque ninguém pode falar do Senhor se não tem uma relação pessoal com Ele. A Igreja, da qual fazemos parte, deve fazer uma análise e recuperar essas armas espirituais que possuímos como a busca de Deus, e nomeadamente a disponibilidade de ter uma intimidade com o Senhor.

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

23


EDUCANDO CRIANÇAS PIEDOSAS NUM MUNDO

IMPIEDOSO L

ivro escrito pelos irmãos Ken e Steve Ham, líderes do ministério Respostas em Gênesis. Em sua obra expõem sobre o valor fundamental do primeiro livro da Bíblia na educação da infância evangélica. O caminho aparentemente mais fácil é aquele que nega a simples instrução da Palavra de Deus, obtida através do estudo pessoal, e pôr nossa confiança em uma mistura cósmica de ideais bíblicos e psicológicos, e ensinamentos que, maiormente são contrários à Palavra. É muito importante saber que não há substituto para a Palavra de Deus em qualquer família. O apóstolo Pedro nos desafia “desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo”. Nenhum programa de rádio ou televisão, materiais de assessoria ou curso de criação pode substituir a revelação de nosso Deus Todo-Poderoso. Com o objetivo de deixar um legado duradouro e potenciar os valores cristãos, o livro “Educando crianças piedosas num mundo impiedoso” foi escrito pelos irmãos Ken e Steve Ham, líderes do ministério internacional Respostas em Gênesis, em 2014. Baseado nas Sagradas Escrituras, a obra dos Ham expõe a importância do primeiro livro da Bíblia sobre como criar meninos comprometidos com a Palavra de Deus e sobre a autoridade da mensagem do Senhor em questões de instrução espiritual. Para poder ter a Bíblia como axioma, é importante entender que existem duas formas diferentes para interpretar e abordar a Bíblia: exegese e eisegese. Em palavras simples, a exegese é o processo de descobrir a verdade das palavras desde a Escritura. Isto implica ler e entender o contexto da passagem, para quem foi escrito, e o que estava dizendo a eles segundo o tipo de língua e literatura usada nesse tempo. Eisegese implica a “leitura de” uma passagem ao tomar a Palavra de Deus e interpretá-la baseado na experiência humana, valores, e mais outros. A eisegese utiliza dados não bíblicos para interpretar o significado das palavras das Escrituras.

LEGADO CRISTÃO As três partes da obra “Educando crianças piedosas num munMISIONÁRIO MUNDIAL 24 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


literatura

do impiedoso” ressaltam a transcendência do Gênesis. Nesse sentido, Steve e Ken Ham, que impulsionam o criacionismo desde Respostas em Gênesis, compartilham seus próprios testemunhos de como foram criados mediante os princípios cristãos incluídos no capítulo preliminar das Escrituras. Desde sua experiência, ambos consideram que aplicar os princípios da Palavra é um legado que impactará nas gerações futuras de cristãos. Todo princípio bíblico essencial implica uma verdade unida a uma relação, do Gênesis ao Apocalipse. É preciso dizer a nossos filhos que a instrução bíblica que recebem tem importantes ramificações de relações para eles. Por exemplo, quanto à encarnação de Jesus, a verdade sobre a encarnação tem grandes consequências em nossa relação com Deus. Não só o nascimento virginal e a encarnação de Cristo são reais, mas também a razão para eles; e é uma razão de relação, uma que faz com que contemplemos onde nos achamos respeito a nossa relação pessoal com Jesus como nosso Salvador. Em sua obra, editada por Master Books, os irmãos Ham fazem todo o possível para responder a pergunta “o que ensina a Palavra de Deus sobre o papel dos pais e como criar os filhos?”. Também, tentam responder a outras perguntas, como “por que a família está se desintegrando?”, “como interpretamos e aplicamos a Bíblia na criação com integridade?”, “como se forma um ambiente familiar para o crescimento espiritual?”,

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

25


“a educação formal cristã é uma opção?” e “como se deve executar a disciplina piedosa, e ensinar nossos filhos sobre o discernimento?”. Uma das maiores mudanças em nossa sociedade atual é que muitos pais não estão transmitindo o conhecimento de Deus e seus mandamentos da Palavra à próxima geração. O que é ainda mais triste é que a maioria dos pais parece que não sabem como fazê-lo. Não sabem o que significa ser a cabeça espiritual da casa. Parece que os pais do passado não transmitiram seu conhecimento à geração atual e agora temos uma geração de pais que possuem um ínfimo entendimento do que a família significa, e ninguém os treinou nem deu um exemplo da liderança espiritual ou como ser um pai cristão.

TEMPO DE ESCURIDÃO Autor de muitos livros evangélicos, Ken Ham, fundador do Museu da Criação, afirma que “Educando crianças piedosas num mundo impiedoso” é um livro bastante diferente de qualquer de suas obras. Nesse sentido, afirma que é uma expressão de uma paixão, convicção e compromisso com a Palavra de Deus. Além disso, considera que, em um aspecto, é um diário; em outros, uma homenagem, um devocional, uma obra sobre como educar crianças cristãs no meio de um tempo de escuridão.

A fé baseada na Palavra é essencial. Cada vez que nossos filhos saem pela porta de nossa casa, o mundo está esperando atacar sua fé. Mesmo dentro de nossos lares, a televisão está lhes dizendo constantemente que a verdade bíblica não coincide com a ciência moderna. Mesmo muitas escolas cristãs e recursos cristãos ensinam nossos filhos princípios humanísticos que assinalam a Bíblia como uma fonte de informação pouco confiável.

A fé baseada na Palavra é essencial. Cada vez que nossos filhos saem pela porta de nossa casa, o mundo está esperando atacar sua fé. Mesmo dentro de nossos lares, a televisão está lhes dizendo- constantemente que a verdade bíblica não coincide com a ciência moderna. Mesmo muitas escolas cristãs e recursos cristãos ensinam nossos filhos princípios humanísticos que assinalam a Bíblia como uma fonte de informação pouco confiável. Por meio do ensinamento de Paulo, vimos claramente que o conteúdo e a autoridade da Escritura estão inseparavelmente unidos aos temas do amor e da fé. Conferencista internacional e especialista em criacionismo, Steve Ham, diretor internacional da organização cristã Respostas em Gênesis, declara que o maior objetivo do trabalMISIONÁRIO MUNDIAL 26 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


literatura

ho realizado junto com seu irmão Ken é compartilhar com as pessoas a maneira como Jesus Cristo pode ajudar a formar os crentes do amanhã. A este respeito, Steve diz que o mais importante é deixar uma herança espiritual eterna e valiosa: um amor pelo Criador e Salvador e Sua Palavra infalível. A contaminação aparece de muitas formas, mas talvez a mais triste seja aquela que mostra como grande parte do cristianismo institucional minou a Palavra de Deus, especialmente em relação à doutrina da criação. Gênesis (principalmente os primeiros 11 capítulos) é fundamental para toda a doutrina cristã. Repito: se as gerações não crerem o que o livro do Gênesis diz como história literal, mas aceitarem as ideias falíveis dos homens sobre a evolução e que a Terra tem milhões de anos de antiguidade, semearão uma postura de incredulidade quanto ao resto da Bíblia. Um entendimento literal do livro do Gênesis é necessário. Ken e Steve Ham, por meio de seu livro “Educando crianças piedosas num mundo impiedoso”, abordam certos temas como: se tudo o que tivéssemos fosse a Palavra, o teólogo em cada um de nós, gerações piedosas, Deus não tem netos, pais diligentes, criar um ambiente para a santificação, bemvindo à guerra, submissão, disciplina e nutrição, a fortaleza da família e a revelação de um legado. Baseados em Gênesis, Steve e Ken enviam uma mensagem bíblica prática para a vida diária que leva ao Senhor.

Uma das maiores mudanças em nossa sociedade atual é que muitos pais não estão transmitindo o conhecimento de Deus e seus mandamentos da Palavra... Não sabem o que significa ser a cabeça espiritual da casa. Parece que os pais do passado não transmitiram seu conhecimento à geração atual e agora temos uma geração de pais que possuem um ínfimo entendimento do que a família significa.

Temos uma responsabilidade inquestionável de nos levantar e condenar o erro que é contrário à Palavra de Deus. Isto é importantíssimo em um mundo que adotou uma mentalidade contrária à verdade e interfere com três aspectos adicionais da edificação de um legado e a criação de filhos piedosos: a submissão, a disciplina e a nutrição. O modelo bíblico para a submissão, a disciplina e a nutrição é nossa defesa fundamental contra a cultura deste mundo. Isso é importante, porque a família cristã também é atacada por uma filosofia astuta e poderosa que atravessou a mesma estrutura de nossa sociedade.

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

27


CHORANDO NA

CAPELA

O

bra do cantor e compositor evangélico Artie Glenn, foi a canção cristã mais importante de 1953 nos Estados Unidos. Comovidos por sua letra, foi gravada por cantores populares e seculares. A fé em Deus, a felicidade, a tranquilidade, as lágrimas, os problemas, o caminho da salvação e o amor do Senhor se entrelaçam no hino cristão “Chorando na capela”. Escrita pelo cantor e compositor evangélico Artie Glenn, renomado cantor congregacional do século XX, para a estreia musical de seu filho Darrell, esta canção foi a melodia sacra mais importante de 1953 nos Estados Unidos. Rejeitada no princípio pelas companhias Hill and Range Songs e Acuff-Rose Music, dois das editoriais musicais mais relevantes dos anos 50 nos Estados Unidos, a composição de Artie Glenn fez parte do primeiro disco de seu filho Darrell. Poema de versos intensos, “Chorando na capela”, aceito finalmente pelo selo discográfico Valley Records, teve um significado particular para a família Glenn: na igreja, à qual a canção faz menção, Darrell frequentemente dava aulas na escola dominical e Artie costumava compartilhar ou pregar a Palavra. Após o lançamento do hino “Chorando na capela”, editado em maio de 1953, Artie e Darrell Glenn, membros de uma dinastia de crentes fiéis ao Senhor, levaram o estandarte do cristianismo ao cume mais alto do ambiente musical norte-americano. Darrell, que ainda não completava seus estudos secundários, percorreu vinte dos cinquenta estados e visitou o Canadá quando a composição de seu pai se tornou rapidamente um sucesso musical que vendeu quinze mil cópias em dois meses. Temeroso de Deus, o popular cantor Elvis Presley se encarregou de espalhar ainda mais a repercussão atingida pela ode cantada originalmente por Darrell Glenn. Em 30 de outubro de 1960, Presley, que tinha mais de cinquenta versões de hinos

Artie e Darrell Glenn, membros de uma dinastia de crentes fieis ao Senhor, levaram o estandarte do cristianismo ao cume mais alto do ambiente musical norte-americano.

MISIONÁRIO MUNDIAL 28 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


música

CHORANDO NA CAPELA Você me viu chorando na capela As lágrimas que derramei eram lágrimas de alegria Eu sei o significado de contentamento Agora eu sou feliz com o Senhor. Apenas uma modesta e simples capela Onde pessoas humildes vão para orar Eu oro ao Senhor para que eu cresça mais forte Enquanto vivo de dia em dia. Eu procurei e procurei Mas não pude achar De forma nenhuma na Terra Para ter uma mente em paz. Agora estou feliz na capela Onde as pessoas entram em acordo Nós nos juntamos na capela Apenas para cantar e louvar ao Senhor. Todo pecador busca por alguma coisa Que colocará seu coração em tranquilidade Há apenas uma única resposta verdadeira Ele deve se colocar de joelhos. Você procurará e procurará Mas nunca encontrará De jeito nenhum na terra Ter a mente em paz Leve seus problemas à capela Coloque-se de joelhos e ore Seu fardo se tornará leve E você certamente encontrará o caminho.

evangélicos, gravou “Chorando na capela” durante as sessões de seu álbum cristão His Hand in Mine (Sua mão na minha). Porém, a gravação foi lançada recém em abril de 1965, como um single especial de Páscoas, e imediatamente se tornou um dos maiores sucessos com mais de um milhão de cópias vendidas. “Chorando na capela”, cujo nome original é “Crying in the chapel”, foi gravado por mais de cinquenta artistas durante seus mais de 63 anos de história. Com versões em espanhol, sueco, checo e inglês, o hino de Artie Glenn é parte da discografia dos grupos The Orioles, The Platters, Allies, Johnny Maestro & the Brooklyn Bridge e Los 5 Latinos, dos duetos Santo & Johnny e Raya Avellan e Yngve Stoors Hawaiiorkester, bem como dos solistas Ken Griffin, Lee Lawrence, Ella Fitzgerald, Little Richard, Carol Fran, Don McLean e Karel Gott, entre outros cantores.

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

29


A MENSAGEIRA

INCANSÁVEL M

ary Slessor, que amou a Deus sobre todas as coisas, é reconhecida como a principal missionária que difundiu a Palavra do Senhor em Clouvar, uma região na costa oeste da África, localizada Eugene Harrison atualmente na Nigéria. Corra, Ma! Corra! Sempre que Mary Slessor, a pregadora escocesa, ouvia estas palavras, sabia que havia um grave problema. Então, ela se apressou a sair da casa, desceu pelo caminho e foi para a floresta. Ali encontrou Etim, o filho mais velho e herdeiro do chefe Edem, inconsciente sob uma árvore que tinha caído sobre ele. Durante quinze dias, ela o cuidou na casa de sua mãe, mas seus esforços foram em vão. Em um domingo, enquanto ela descansava em sua própria cabana, a vida do garoto começou a se apagar. A notícia enviou uma onda de terror a todo o distrito, já que toda morte violenta era atribuída à bruxaria e algumas pessoas seriam executadas por isso. Mary, que foi para a casa do chefe, encontrou os nativos soprando fumo pelas narinas do garoto moribundo. Quando Etim morreu, o chefe gritou: “Os feiticeiros mataram meu filho e devem morrer! Chamem o bruxo!”. Perante estas palavras, todos fugiram. Quando o bruxo chegou, recorreu a suas adivinhações e atribuiu a responsabilidade da morte do garoto a um povo próximo. Posteriormente, os guerreiros de Edem marcharam a essa aldeia e capturaram uma dúzia de homens e mulheres que foram carregados com cadeias e atados aos postes cravados no chão. O chefe tentou convencer Ma a aceitar que os prisioneiros se submetessem à prova do veneno e disse: “Se meu filho não foi assassinado, não morrerão”. No entanto, Ma sabia que o veneno os mataria, independentemente de sua inocência, e se negava a aceitar a determinação de Edem. Finalmente, onze dos prisioneiros foram liberados e foi demandada só a morte de uma mulher. Quando Mary se opôs, Edem gritou: “Ela causou a morte de meu filho e deve morrer!”. Inclinando a cabeça, a pregadora Slessor orou pela força, pela paciência e pelo amor. E, depois de vários dias de grande esforço, finalmente ganhou. A prisioneira foi posta em liberdade e o chefe se contentou com o sacrifício de uma vaca.

PREGADORA DO SENHOR Quem foi esta mulher que podia triunfar sobre tais condições? MISIONÁRIO MUNDIAL 30 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Mary Slessor nasceu na Escócia em 2 de dezembro de 1848, e é reconhecida como a principal evangelizadora de Clouvar, uma região na costa oeste da África, localizada atualmente no território da Nigéria. Segundo os principais escritores cristãos, sua paixão por difundir a Palavra a levou a se tornar uma mulher insigne de Deus. Um dia, em 1898, os jornaleiros e os porteiros da estação de


heróis da fé

Waverley, na cidade de Edimburgo, capital da Escócia, surpreenderam-se ao ver uma mulher magra descer do trem, acompanhada de quatro meninas africanas. A surpresa dos espectadores houvesse sido muito maior se tivessem sabido que observavam uma missionária do Senhor que, nos primeiros anos de sua vida, foi o pilar de sua família depois da morte de seu pai e tinha sido uma humilde obreira de uma fábrica na qual trabalhava de sol

As pessoas se comoviam até as lágrimas quando escutavam como Mary falava acerca dos mercados de escravos, dos sacrifícios humanos, do canibalismo, e de como, após a morte de certo chefe, foram cortadas vinte e cinco cabeças e, depois do falecimento de outro chefe, sessenta pessoas foram executadas e devoradas. Mas as histórias que os cristãos escoceses preferiam eram as que ela contava sobre como tinha resgatado da morte centenas de gêmeos e outros bebês abandonados na floresta para que morressem de fome ou foram comidos por formigas ou leopardos.

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

31


MISIONÁRIO MUNDIAL 32 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


heróis da fé

a sol, e que, ao igual que David Livingstone, tinha se educado lendo livros enquanto trabalhava. Onde quer que Mary Slessor pregasse o Evangelho, as pessoas ficavam cativadas quando contava, de uma maneira simples e humilde, como tinha suportado a fome e a sede sob o sol abrasador da África, como tinha sido afetada pelas febres tropicais, como tinha controlado os canibais bêbados brandindo armas de fogo carregadas, como tinha dominado centenas de nativos frenéticos que desejavam sangue e como tinha enfrentado a morte mil vezes em seu esforço por levar a história da redenção aos povos africanos. As pessoas se comoviam até as lágrimas quando escutavam como Mary falava acerca dos mercados de escravos, dos sacrifícios humanos, do canibalismo, e de como, após a morte de certo chefe, foram cortadas vinte e cinco cabeças e, depois do falecimento de outro chefe, sessenta pessoas foram executadas e devoradas. Mas as histórias que os cristãos escoceses preferiam eram as que ela contava sobre como tinha resgatado da morte centenas de gêmeos e outros bebês abandonados na floresta para que morressem de fome ou foram comidos por formigas ou leopardos. Quando era uma criança, Slessor tinha lhe entregado seu coração e sua vida a Jesus e, devido à influência das histórias que lhe contava sua mãe, tinha formado um secreto desejo de ser missionária em Clouvar. Ela se tornou não só um membro ativo de sua própria igreja, mas também uma fervente colaboradora em várias missões evangélicas.

OBRA EM CLOUVAR Nos princípios de 1874, a notícia da morte de David Livingstone agitou a terra e criou uma grande onda de entusiasmo missionário. O chamamento de crentes para a missão da África emocionou muitos seguidores do Senhor. Uma dessas pessoas foi Mary Slessor. Ofereceu seus serviços à Junta de Missões Estrangeiras, foi aceita e levada a Edimburgo para receber capacitação especial. Em 5 de agosto de 1876, zarpou de Liverpool no navio “Etiópia”. Pouco depois de chegar a Clouvar, começou a perceber a dificuldade e a impossibilidade aparente da obra com a qual tinha se comprometido. Um dia, sua canoa foi atacada por um hipopótamo e ela salvou sua vida, e as vidas das crianças que a acompanhavam, lançando uma panela de cozinha às mandíbulas abertas do animal. Além disso, ela se encontrou em uma terra onde presos aterrorizados submergiam suas mãos em azeite fervendo para provar sua inocência ou onde as esposas eram estranguladas ou enterradas vivas para ir com seu chefe morto para o mundo dos Espíritos. O que poderia fazer uma mulher frágil e tímida perante uma situação tão espantosa? Abrumada e deprimida, Mary se ajoelhou e orou: “Senhor, a tarefa é impossível para mim, mas não para você. Mostre-me o caminho e o seguirei”. Então, começou a estudar efik, a língua do povo Clouvar, e com o tempo o dominou. Em uma terra de morte, Mary Slessor levou uma mensagem

de vida. Às almas submergidas na mais profunda pena prodigou consolo e esperança. Às pessoas que viviam nas moradias da crueldade falou de amor e bondade. Para as vidas cheias de barbárie e pecado assinalou o Senhor Redentor.

CRENTE NOTÁVEL A pesar de ser afetada várias vezes por febres, diarreias e outras doenças, Mary trabalhou em Clouvar durante cerca de quarenta anos. Além disso, ela se internou de forma constante na selva para levar a Palavra de Deus a novas tribos e novas áreas. Sua casa estava cheia de órfãos aos que prodigava muitíssimo amor. Durante uma epidemia de varíola, as pessoas fugiram aterrorizadas da terrível doença. Ma cuidou e alimentou as vítimas abandonadas, depois as colocou com ternura nas mãos de Jesus Cristo e, sem ajuda, enterrou os muitos que morreram. Em uma carta descrevendo suas experiências escreveu: “Não é fácil, mas Cristo está aqui e sempre estou satisfeita e feliz de seu amor”.

Mary resgatou centenas de gêmeos abandonados nas florestas, impediu muitas guerras, deteve a prática de tentar determinar a culpa pela prova do veneno, curou os doentes e contou incansavelmente ao povo Clouvar sobre o grande Deus de amor cujo Filho veio à Terra para morrer na cruz. O Mestre que amou e serviu tão ardentemente coroou seus trabalhos ao lhe permitir estabelecer uma série de igrejas e ver centenas de antigos selvagens convertidos em novas criaturas do Senhor.

A pregadora Slessor trabalhava da primeira hora da manhã, ao primeiro canto do galo, ao anoitecer, quando brilhavam as estrelas. E qual era o objetivo principal de todas suas lutas e provas? Ela afirmava que seus esforços eram para evangelizar as almas que tinham fome de Deus. Mary resgatou centenas de gêmeos abandonados nas florestas, impediu muitas guerras, deteve a prática de tentar determinar a culpa pela prova do veneno, curou os doentes e contou incansavelmente ao povo Clouvar sobre o grande Deus de amor cujo Filho veio à Terra para morrer na cruz. O Mestre que amou e serviu tão ardentemente coroou seus trabalhos ao lhe permitir estabelecer uma série de igrejas e ver centenas de antigos selvagens convertidos em novas criaturas do Senhor. Pouco antes de sua morte, em 13 de janeiro de 1915, Mary Slessor disse a seus gêmeos: “Nunca falem da mão fria da morte. É a mão de Cristo. Tenho certeza, como o apóstolo Paulo, que nem a morte nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem os poderes, nem as coisas presentes, nem as coisas por vir, nem a altura, nem a profundidade, nem nenhuma outra criatura poderão nos separar do amor de Deus”.

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

33


MISIONÁRIO MUNDIAL 34 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


historias de vida

UM MILAGRE CHAMADO

JEFTZYBAH J

orge Bossa e Nubi Carreño, os pais atormentados que encomendaram o fruto de seu amor ao Senhor. Os médicos detectaram em seu bebê uma doença congênita durante a gravidez e recomendaram abortar, mas eles defenderam a vida. Hoje desfrutam de uma linda menina. Marlo Pérez Foto: Archivo familiar

Nos inícios de 2016, Jorge Bossa e Nubi Carreño, como todos os recém-casados, preparavam-se para alcançar um de seus maiores anelos: ser pais. No entanto, este desejo quase se torna uma tragédia quando o casal de cristãos do Movimento Missionário Mundial na República da Colômbia escutou que sua pequena de cinco meses de gestação apresentava hidrocefalia, doença congênita que estava a ponto de acabar com o fruto de seu amor; no entanto, a intervenção milagrosa do Todo-Poderoso pôde mais que a própria ciência. Tudo começou no quinto mês de gravidez, quando Nubi detectou que a pequena que levava em seu ventre deixou de se mover. Nove horas passaram até que Jorge voltou de seu trabalho e massageou o ventre de sua esposa para reanimar sua primogênita. Ao levá-la ao Hospital Militar de Bogotá, os especialistas lhe praticaram a mesma técnica de reanimação, mas não sentiram nenhuma batida ou sinal que evidenciasse a estabilidade da criatura. Ao submetê-la a outro exame, escutaram finalmente bater, lenta e suavemente, o pequeno coração, e tudo voltou à calma. Ambos os pais retornaram a seu lar para desfrutar das festas natalícias daquele ano, sem imaginar que poucos dias depois começaria seu verdadeiro calvário. Após alguns dias, Jorge levou Nubi ao hospital para sua revisão mensal de gravidez, sem pensar que nesse dia redibiriam a notícia mais desalentadora: sua pequena Jeftzybah apresentava uma perigosa anomalia na cabeça que a punha em grave risco. Depois que a bebê fosse enviada rapidamente a uma clínica especializada naquela cidade capital, os especialistas concluíram que ela sofria uma doença congênita chamada hidrocefalia, que causava um crescimento anormal das cavidades de seu cérebro pela quantidade de líquido cefalorraquidiano armazenado. Esta notícia os derrubou. Quando voltaram casa, ambos subiram no ônibus e nenhum

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

35


MISIONÁRIO MUNDIAL 36 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


historias de vida

Após alguns dias, Jorge levou Nubi ao hospital para sua revisão mensal de gravidez, sem pensar que nesse dia redibiriam a notícia mais desalentadora: sua pequena Jeftzybah apresentava uma perigosa anomalia na cabeça que a punha em grave risco. Depois que a bebê fosse enviada rapidamente a uma clínica especializada naquela cidade capital, os especialistas concluíram que ela sofria uma doença congênita chamada hidrocefalia...

falou; ficaram calados observando através das ventanas e se preguntavam em seu interior: “Por quê?”. De repente, uma lágrima brotou do rosto de Nubi e Jorge começou a chorar. Nenhum dos passageiros do ônibus compreendeu o lamento deste casal de jovens nem o motivo pelo qual se abraçavam; a cena acabou por comover a todos. A dor era mais que evidente.

HISTÓRIA DE AMOR Jorge Mario Bossa Panqueva nasceu em julho de 1985 na cidade de Soata, departamento de Boyacá, Colômbia. Desde sua infância, seus progenitores lhe inculcaram o conhecimento da Palavra de Deus, mas durante sua adolescência se afastou d’Ele. Aos 17 anos teve seu primeiro filho, Hammer, produto de uma primeira relação. Três anos depois, ele acabou seus estudos e serviu ao Exército de seu país. Entretanto, Nubi Aliz Carreño Bravo nasceu em março de 1987 na cidade de Gachalá, departamento de Cundinamarca. Foi filha de um casal de reconhecidos pastores que serviram ao Senhor em uma Igreja do Movimento Missionário Mundial na República da Colômbia. Sua infância esteve marcada pelas constantes viagens missionárias ao interior do país, anunciando o Evangelho de Jesus Cristo. Em 2010, Jorge e Nubi se conheceram e cultivaram uma maravilhosa amizade; com os meses floresceu uma relação sentimental. Dois anos depois, ambos se casaram no município de Melgar, departamento de Cundinamarca, e formaram um sóli-

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

37


MISIONÁRIO MUNDIAL 38 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


historias de vida

do casamento, mas antes de formar sua própria família tiveram tempo para cumprir alguns de seus objetivos.

CONCEBENDO A DOR Em 2015, Jorge e Nubi decidiram ter um filho e formar a família que sempre sonharam. Assim, ambos se prepararam e se puseram à disposição do Senhor para que respaldasse sua petição. “Nossas vidas se encheram de muita felicidade no dia em que soubemos que íamos ser pais, pois era o que tínhamos pedido a Deus e seguramente tinha chegado a resposta a nossa oração”, lembram eles. Depois de alguns meses, Nubi começou a sentir os sintomas próprios da gravidez, e em 18 de agosto desse mesmo ano confirmaram a notícia por meio dos exames médicos. O resultado comprovou o milagre da vida. “Se ela ficou grávida é porque Deus tinha querido isso”, lembra Jorge. Após anunciar sua felicidade a toda a família e a parte da igreja, Jorge e Nubi nunca imaginaram a prova de fogo que Deus tinha preparado para eles cinco meses depois daquele resultado. Era uma verdadeira prova de fé. “Nossa bebê se chamaria Jeftzybah, que significa ‘Meu deleite está nela’, nome que está no livro de Isaías 62:4”, afirma Jorge.

Depois de semanas e meses, os especialistas lhes recomendaram novamente que interrompessem a gravidez, porque segundo os prognósticos médicos a bebê nasceria surda ou cega, ou no pior dos casos ficaria em estado vegetal e morreria após uns minutos de existência. Esta notícia traspassou os corações de Jorge e Nubi; no entanto, ambos reuniram forças e novamente desistiram do processo abortivo, porque sua fé era mais forte que o próprio razoamento humano. “Confiávamos em que se Ele [Deus] o tinha permitido, ia nos dar a saída… Abortá-la nunca foi uma opção”, expressa Jorge.

O MILAGRE DE VIDA Apesar dos prognósticos desalentadores, chegou a semana 40 e a hora do parto se aproximava. Assim, os médicos ordenaram praticar uma cesárea de emergência em Nubi, pois a cabeça da pequena não passaria pelo trato uterino. Na sala de cirurgia, seis especialistas, um ressuscitador, uma câmara de oxigeno e outros aparatos médicos esperavam Nubi e sua bebê. Uma hora depois e após se despedir de sua esposa, Jorge esperou pacientemente naquele hospital e se refugiou nas promessas do Senhor, até que as portas da sala de cirurgia se abriram completamente e viu o diminuto e frágil corpo de sua

Após conhecer a doença de sua bebê, nos primeiros dias de janeiro de 2016, Jorge e Nubi acudiram a todos os especialistas da cidade para que realizassem na futura mãe todo tipo de exames, análises e um sem-fim de provas no ventre. Tudo isso se tornou parte de sua rotina, enquanto a pequena Jeftzybah se debatia entre a vida e a morte.

Depois de uns minutos, um dos obstetras que realizou a cirurgia informou a Jorge que durante a cesárea não houve maiores complicações e que sua primogênita não precisava de nenhuma intervenção cirúrgica; ela estava fora de perigo e com probabilidades de ter uma vida saudável. Pela primeira vez e depois de vários meses de angústia, um sorriso apareceu no rosto de Jorge.

UM VERDADEIRO CALVÁRIO Após conhecer a doença de sua bebê, nos primeiros dias de janeiro de 2016, Jorge e Nubi acudiram a todos os especialistas da cidade para que realizassem na futura mãe todo tipo de exames, análises e um sem-fim de provas no ventre. Tudo isso se tornou parte de sua rotina, enquanto a pequena Jeftzybah se debatia entre a vida e a morte. “Apesar de nossa dor, nós sabíamos e confiávamos em que Deus, bem como tinha permitido essa gestação, levaria as coisas a um bom e feliz fim”, pensava Jorge. Enquanto ambos aguardavam um milagre, oravam e clamavam como na conhecida passagem bíblica de Jeremias 33:3 (“Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes”). No sétimo mês (semana 28), um dos ginecologistas lhes propôs interromper a gravidez para acabar com o calvário que os estava atormentando. Ambos se negaram rotundamente, por sua convicção e fé na vida.

pequena, que foi levada rapidamente a uma incubadora. Este milagre aconteceu em 13 de abril de 2016. Depois de uns minutos, um dos obstetras que realizou a cirurgia informou a Jorge que durante a cesárea não houve maiores complicações e que sua primogênita não precisava de nenhuma intervenção cirúrgica; ela estava fora de perigo e com probabilidades de ter uma vida saudável. Pela primeira vez e depois de vários meses de angústia, um sorriso apareceu no rosto de Jorge. Deus tinha respondido a suas orações e às de sua esposa. Hoje, a pequena Jeftzybah tem mais de nove meses de nascida e com um prognóstico saudável e difícil de entender para os médicos, que praticamente a davam por perdida. “Os especialistas nos recomendaram terapia física, ocupacional e de linguagem até 2017, mas só é um tratamento de rotina”, asseguram Jorge e Nubi, que preferem afiançar sua fé nas promessas do Criador antes que na ciência.

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

39


GRANDES CRISES SÃO GRANDES

CONQUISTAS “Assim também vós, quando virdes acontecer estas coisas, sabei que o reino de Deus está perto.” Lucas 21:31.

Rev. Luis M. Ortiz

Pelas Sagradas Escrituras, nós vemos que sempre que o povo de Deus teve que enfrentar uma grande crise, Deus sempre abriu um caminho de absoluta e rotunda vitória. Quando o julgamento do dilúvio universal tinha sido decretado sobre a humanidade, e já era iminente sua execução, Deus considerou a obediência de Noé, e deu a ele e a sua família uma grande liberação (Hebreus 11:7; 2 Pedro 2:5). O drástico da crise fez com que a vitória seja mais marcada. Quando a total destruição das corrutas cidades de Sodoma e Gomorra ia ser consumada, Ló afligia seu Espírito perante tanta corrupção, e Deus livrou o justo Ló, dando-lhe grande salvação (2 Pedro 2:7). O violento da crise destacou ainda mais a vitória. Quando a captura, e possivelmente a total destruição, do povo de Israel parecia iminente perante o infranqueável mar Vermelho e ao estar sendo perseguido pelo cruel e sanguinário Faraó com seu poderoso exército, Moisés clamou, e Jeová fez com que o mar se retirasse e então os filhos de Israel entraram pelo meio do mar em seco, tendo as águas como muro à sua direita e à sua esquerda (Êxodo 14:21-31; Hebreus 11:29). O iminente da crise aumentou o glorioso da liberação. Quando o temível Golias desafiava o povo de Israel e parecia que ninguém o livraria da ameaça, o jovem Davi, totalmente dependente de Deus, disse ao gigante: “Tu vens a mim com espada, e com lança, e com escudo; porém eu venho a ti em nome do Senhor dos Exércitos…” (1 Samuel 17:45, 47). E venceu Davi o filisteu. O desconcertante da crise assinalou o surpreendente do triunfo. Quando a malvada Jezabel e o covarde Acabe quase tinham destruído a verdadeira adoração, Deus enviou Elias com o grande desafio do monte Carmelo, e este orou e clamou a Deus, e depois da manifestação sobrenatural do poder de Deus o povo exclamou: “Só o Senhor é Deus! Só o Senhor é Deus!” (1 Reis 18:20-40). O repugnante da crise salientou o transcendente da vitória. Quando Satanás reinava, como imperador da morte, “o Filho de Deus se manifestou para desfazer as obras do diabo” (1 João 3:8) e “para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte…” (Hebreus 2:14, 15). O envolvente da crise destacou o amplo da liberação. Quando os apóstolos foram ameaçados de morte para que não ensinassem no nome de Jesus, então eles oraram e “todos foram cheios do MISIONÁRIO MUNDIAL 40 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


devocional

Espírito Santo, e anunciavam com ousadia a palavra de Deus” (Atos 4:29-31). O perigoso da crise ressaltou o maravilhoso do triunfo. Quando a Igreja da Idade Média tinha se desviado da sã doutrina e tinha se corrompido quase em sua totalidade, Deus levantou Martinho Lutero, que depois de muita oração rompeu com aquela Igreja e cravou suas 95 teses na porta de seu templo, e proclamou a verdade evangélica de que “o justo viverá pela fé” (Romanos 1:17). O grotesco da crise aumentou o glorioso da vitória. Quando já a Inglaterra estava imersa em uma inexorável anarquia, ruína e destruição no século XIX, havia um pequeno grupo de cristãos que orava e se humilhava perante a presença de Deus, e Deus levantou John Wesley, que com sua ardente e sincera pregação produziu um poderoso avivamento que livrou a nação da catástrofe. O decadente da crise destacou o precioso da visitação. Quando o mundo cristão se mostrava indiferente e adormecido espiritualmente, sempre houve um grupo em todas as igrejas que orava e procurava o rosto do Senhor, e Deus sacudiu o mundo nos princípios do século XX com um poderoso derramamento do Espírito Santo que deu origem ao movimento de Pentecostes. O deplorável da crise assinalou o memorável da bênção. Quando alguma vez esse povo ou Igreja pentecostal contristou o Espírito Santo, apagou o Espírito, menosprezou o milagroso, substituiu o espiritual e sobrenatural com o intelectual, o mundano, e se tornou uma comum denominação, em resposta ao clamor, Deus levantou outro movimento para proteger o genuíno testemunho de Pentecostes. O lamentável dessa crise salienta o admirável deste levantamento. Quando regimes inquisitoriais, ateus e materialistas oprimiram o povo de Deus, ou o encarceraram ou torturaram ou obrigaram ao trabalho em campos de concentração, ou o mataram por inanição, ou o assassinaram brutalmente para exterminar da face da Terra a fé gloriosa em nosso Senhor, Deus fortaleceu seus filhos e os resultados foram negativos para os inimigos do Evangelho, pois os assassinos assim aceleram sua ruína, e miséria moral, espiritual e eterna. Por isso, apesar de tantos horríveis massacres ou tão bestiais torturas, os cristãos aumentam. Amados, e se algum dia Deus permitisse que os poderes constituídos e a imprensa caíssem em mãos de inimigos declarados do Evangelho, e se desatasse uma horrível perseguição, como sempre a verdadeira Igreja de Jesus Cristo finalmente ganharia, porque os ímpios sairiam da Igreja, e a Igreja se vigorizaria espiritualmente; e experimentaria que não é com exército nem com força que a ajuda vem de Deus. “O meu socorro vem do Senhor que fez o céu e a terra… e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Salmos 121:2; Mateus 16:18). Amados, todos nós sabemos que atualmente o mundo está atravessando pela crise mais severa e aterrorizante de toda sua história; nunca o mundo tinha experimentado dias mais perigosos e angustiosos que estes que experimentamos; nunca a ciência elevou tanto sua torre, nunca a moral foi arrastrada tanto no mundo. E a declaração profética assinala que este mundo irá “de mal para pior” (2 Timóteo 3:13). Mas amados, não devemos temer, o bom de tudo isto é quanto a situação piora, porque “quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima” (Lucas 21:28). O tenebroso e asfixiante da crise assinala o glorioso e iminente: o levantamento da Igreja.

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

41


ESTAVA SECO, MAS

FLORESCEU

“E Moisés pôs estas varas perante o Senhor na tenda do testemunho. Sucedeu, pois, que no dia seguinte Moisés entrou na tenda do testemunho, e eis que a vara de Arão, pela casa de Levi, florescia; porque produzira flores e brotara renovos e dera amêndoas.” Números 17:7-8. Rev. Clemente Vergara

Israel abandonou o cativeiro no Egito e iniciou sua viagem através do deserto. Neste lugar inóspito não havia águas nem vegetação nem sombra; unicamente seca, areia e sol. Estas condições originaram, em numerosas ocasiões, a rebelião do povo contra Moisés. No entanto, Deus permitiu aquelas sublevações para demonstrar que respaldava seu servo totalmente, e que ele mesmo estava atrás daquela autoridade. 1. O florescimento, prova da autoridade As Escrituras relatam os acontecimentos relativos à rebelião de Coré, Datã e Abirão contra Moisés e Arão (Números 16 e 17). Estes três homens, junto com outros 250 israelitas, levantaram-se contra Moisés e Arão (Números 16:1- 3). Perante aquelas acusações e atitudes, Moisés advertiu que sua murmuração não era contra o homem, mas contra Deus mesmo (Número 16:11). Deus permitiu que a terra se abrisse e engolisse Coré, Datã e Abirão vivos, junto com suas famílias. Quanto aos 250 rebeldes que tinham se atrevido a queimar incenso, tarefa que correspondia exclusivamente aos sacerdotes da linhagem de Arão, estes foram consumidos por um fogo que saiu da presença de Deus (Números 16:28-33, 35). No entanto, mesmo depois que aqueles eventos acontecessem, o povo continuava murmurando e se queixando. Para fazer com que aquelas críticas cessassem, o Senhor pediu que cada príncipe de Israel entregasse sua vara a Moisés com seu nome escrito nela, e que a vara da tribo de Levi levasse o nome de Arão. Deus deu como sinal que a única vara que floresceria seria a do homem que se encontrava no centro de sua vontade. No dia seguinte “... a vara de Arão, pela casa de Levi, florescia; porque produzira flores e brotara renovos e dera amêndoas” (Números 17:8). Segundo a lógica humana e as leis da natureza, é impossível que uma vara destas floresça novamente, nem crie casca nem fibras vivas. Em um momento, durante aquela noite, a seiva começou a fluir naquela vara, e não só floresceu, mas que também passou pelas três etapas de produção: capulhos, flores e frutos. A vara estava seca, mas floresceu, e foi indiscutível MISIONÁRIO MUNDIAL 42 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

perante os olhos de todos que a autoridade de Deus repousava sobre Arão. 2. Sacrifícios e perigos do florescimento O nome Jabez significa: “O que produz dor” ou “o seco”. Quando a mãe recebe sua criatura em seus braços, ela costuma esquecer as dores sofridas durante o parto; no entanto, ao escolher aquele nome, a mãe de Jabez perpetuou aquela dor. Em uma etapa de sua existência, Jabez chegou a pensar que não tinha alcançado a plenitude es¬piritual à qual aspirava. Jabez era um homem de oração, e as Escrituras recolhem aquela oração poderosa que apresentou a Deus. “Porque Jabez invocou o Deus de Israel, dizendo: Se me abençoares muitíssimo, e meus termos ampliares, e a tua mão for comigo, e fizeres que do mal não seja afligido! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido” (1 Crônicas 4:10). Deus outorgou a Jabez o que pediu, e este passou de ser um deserto espiritual a um oásis de bênção. A Palavra de Deus assinala que Jabez veio a ser “mais ilustre do que seus irmãos” (1 Crônicas 4:9). No entanto, aquele homem foi sábio, e pediu


devocional

simultaneamente expansão de seu território e uma humildade maior, prevendo assim o risco de se ensoberbecer. De fato, Deus aborrece a soberba (Salmos 138:6). Para nos proteger da soberba, nós temos também outra arma de proteção: o agradecimento. Devemos tentar alcançar os cumes espirituais, mais vivendo de joelhos e dando graças a Deus. 3. O florescimento no ministério A Igreja informou Paulo que Timóteo era jovem demais para exercer a função pastoral e que estava um pouco apagado e frio. O apóstolo escreveu imediatamente a Timóteo. “Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza. Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá” (1 Timóteo 4:12-13). Estas recomendações de Paulo indicam que Timóteo não atiçou a chama de seu ministério, e se descuidou que este

O ministério também deve passar por um processo constante de flores­cimento; sem ele, cai na rotina e se anquilosa. O ministério inerte é aquele que não conhece uma renovação incessante, mas que se apoia em posições e sucessos dos quais se orgul­hece; é aquele que não sente mais amor pelas almas perdidas e deixa de evangelizá-las; é aquele que não é mais exemplar em palavra, conduta, Espírito, fé e pureza.

floresça constantemente. Amados, é preciso que nos encontremos sempre em um processo de renovação espiritual, de aquisição de novas dimensões em Deus. O florescimento é uma condição imprescindível para que nós possamos ser cristãos sobre os quais repousa a autoridade de Deus, frutífera e crescente no âmbito espiritual. O ministério também deve passar por um processo constante de florescimento; sem ele, cai na rotina e se anquilosa. O ministério inerte é aquele que não conhece uma renovação incessante, mas que se apoia em posições e sucessos dos quais se orgulhece; é aquele que não sente mais amor pelas almas perdidas e deixa de evangelizá-las; é aquele que não é mais exemplar em palavra, conduta, Espírito, fé e pureza; é aquele que muda a mensagem porque os tempos mudam; é aquele que tem medo de dizer a verdade ao povo, porque tem medo de que se vá. Amados, se estarmos secos… floresçamos

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

43


Um relatório superficial do trabalho que a Obra do Movimento Missionário Mundial desenvolve pelos caminhos da América e ao redor do mundo. A Santa Bíblia diz: “E, perseverando unânimes todos os dias no templo… E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.” Atos 2:46, 47.

MISIONÁRIO MUNDIAL 44 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


Fotos: Roberto Guerrero, Samuel Martínez, Andrés Arredondo, Valentina Roja, Sara Hoyos.

evento

“DEVEMOS NOS LEMBRAR SEMPRE

A

DE DEUS”

oficialidade internacional assistiu à Quinquagésima Convenção Nacional do Movimento Missionário Mundial (MMM) na Colômbia, uma celebração pletórica de fé que reuniu mais de trinta mil pessoas provenientes de diversas partes do país.

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

45


O presidente do MMM, Rev. Gustavo Martínez Garavito, destacou o intenso trabalho de evangelização e difusão da Palavra realizada pela Obra durante cinco décadas e disse que milhares de almas foram salvas em mais de 60 países dos cinco continentes. No entanto, afirmou que certas pessoas não entenderam bem o que Deus fez nestes 50 anos com a Obra e “para eles é normal celebrar”. “Devemos lembrar os dias quando, no meio de muitas dificuldades, o Senhor esteve sempre para nos ajudar”, adicionou. “Quando analisamos o passado é fundamental que a mulher e o homem cristãos reconheçam os momentos difíceis que tiveram que enfrentar. Estas lições são importantes porque os seres humanos fazem as mesmas coisas quando caem na rotina. Quando caem na ‘rotina espiritual’, os crentes vão para o templo e fazem as coisas por inércia ou por tradição religiosa”, expressou. Foi durante sua prédica na Quinquagésima Convenção Nacional do Movimento Missionário Mundial (MMM) na Colômbia, que se desenvolveu no Centro de Eventos “La Macarena”, localizado perto do centro histórico de Medellín. Esta cidade colombiana de clima

MISIONÁRIO MUNDIAL 46 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

agradável, localizada no vale de Aburrá, a mais de 1500 metros sobre o nível do mar, abrigou durante oito dias milhares de pessoas provenientes das 84 zonas que fazem parte da missão nessa nação sulamericana. A convenção, que começou em 9 de janeiro com as palavras de boas-vindas do Rev. Martínez, reuniu todas as congregações do norte da Colômbia. De 13 a 16 se reuniram os membros das igrejas pertencentes ao sul do país. Durante oito dias, o sol brilhou com generosidade, interrompido unicamente por ligeiros aguaceiros que refrescaram o ambiente desta cidade, que sofreu há aproximadamente duas décadas uma onda de violência que felizmente já foi superada quase em sua totalidade. “Viemos para celebrar esta festa; gozamos ao ter com nós a junta internacional e a junta nacional, e todos os presbíteros das diferentes zonas; a Deus seja a glória!”, exclamou o presidente da Obra. À Quinquagésima Convenção Nacional do MMM assistiram os nove oficiais internacionais do MMM, que levaram a mensagem da Palavra aos mais de trinta mil assistentes. Também estiveram presentes supervisores nacionais de vários países e delegações estrangeiras.


evento

Fevereiro 2017 / Impacto evangĂŠlico

47


MISIONÁRIO MUNDIAL 48 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


evento

Durante sua prédica, o Rev. José Soto, vice-presidente internacional do MMM, falou da estratégia de Deus para alcançar, mediante a mensagem do Evangelho, todas as almas que se encontram sem salvação. “Seguir o exemplo de Cristo é a ordem. O MMM é parte da estratégia do Senhor porque são pessoas dispostas a dizer como Isaías: Eis-me aqui, envia-me a mim”, salientou. “Temos uma palavra poderosa que transforma, que deve chegar a todo o mundo, e a maior responsabilidade do povo é anunciá-la por todo o mundo”, manifestou.

A IDEOLOGIA DE GÊNERO Em um momento, o Rev. Rodolfo González, tesoureiro internacional do MMM, abordou o tema da ideologia de gênero e questionou com energia os políticos e acadêmicos que promovem o homossexualismo no mundo. “Os povos sofrem por causa do pecado e das políticas que os governam; por essa razão é vital apelar a Deus para que as nações sejam liberadas dos poderes satânicos das trevas”, afirmou. A este respeito, o secretário internacional do Movimento Missionário Mundial, Rev. Rubén Concepción, instou o povo a pregar o Evangelho para frear as políticas dos governos que “ameaçam estragar as novas gerações e a configuração da família tradicional. Unicamente com a Palavra de Deus se pode deter o ataque dessa corrente”, manifestou. O Rev. Humberto Henao, diretor internacional do MMM, questionou também as propostas de leis que são debatidas nos parlamentos de diversos países para pretender legalizar o homossexualismo, que afeta os princípios e valores da sociedade e da família. Por essa razão, exortou o povo a pregar sem cessar, porque Deus escuta a oração e elimina o que se opõe aos mandamentos da Palavra do Senhor. “Deus deu ao MMM um sentido de responsabilidade e não podemos falhar”, adicionou. A RESPONSABILIDADE Por sua parte, o Rev. Márgaro Figueroa,

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

49


MISIONÁRIO MUNDIAL 50 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


evento

diretor internacional do MMM, questionou os “cristãos” que usam escusas absurdas para evitar algum trabalho na Igreja. “Quando lhes solicitamos algum favor, inventam qualquer argumento e mentem se é preciso”, assinalou. Indicou que obedecer e acatar ordens cumprindo a Lei de Deus é a base do triunfo. Isso se consegue quando nos aproximamos de alguém de bom testemunho. “Quando nos aproximamos de pessoas responsáveis, aprendemos delas e tomamos boas decisões”, afirmou.

Por outro lado, o Rev. Luis Meza Bocanegra, também diretor internacional do MMM, disse que é frequente atribuir a Deus todos os males que a humanidade sofre e lembrou a menção do escritor David Yallop em um livro muito polêmico, no qual revelou os escândalos do Vaticano. “Em nome de Deus, a religião romana e outras fizeram toda classe de barbaridades. Isso é parte de uma estratégia do diabo, para desonrar o nome de Deus e endurecer o coração dos incrédulos”, reiterou na prédica matutina de 15 de janeiro.

Nesta convenção foi promovido um grupo numeroso de obreiros e pastores levando em consideração sua dedicação e seu trabalho para difundir a Palavra e apoiar o crescimento do MMM em suas respectivas zonas. Durante as duas etapas da convenção houve prédicas de profundo significado e conteúdo para os cristãos assistentes, mas também momentos de alegria durante o desfile de todas as delegações participantes, que marcharam pelo estádio vestindo trajes típicos.

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

51


COMPARTILHANDO A

VISÃO

P

orto Rico celebrou a Quinquagésima Convenção Nacional do MMM. Também acudiram irmãos da Guiana Francesa, Equador, Estados Unidos, Peru e República Dominicana. MISIONÁRIO MUNDIAL 52 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Como primeiro evento de 2017 da Obra de Deus, a Convenção Nacional do Movimento Missionário Mundial de Porto Rico, realizada de 2 a 5 de janeiro no Centro de Convenções do MMM da Ilha do Cordeiro, serviu para comemorar a edição número 50 desta importante festa espiritual.

Desenvolvida sob o lema “Compartilhando a visão”, na cidade de Caguas, a Quinquagésima Convenção Nacional do MMM de Porto Rico contou com a assistência de grande parte dos oficiais internacionais da Obra de Deus, liderados pelo Rev. Gustavo Martínez. Além disso, estiveram presentes irmãos provenientes da Guiana Francesa, Equador, Estados Unidos, Peru e República Dominicana. A festa espiritual começou na noite de 2 de janeiro com um resumo das cinquenta edições, a cargo da irmã Jaqueline Rovira. Depois, o pastor Gustavo Martínez, Presidente da Junta de


evento

Fotos: Joel Villegas

Oficiais do MMM, pregou a Palavra de Deus mediante a mensagem “Responsabilidade”. Baseado em Romanos 14:12, o Rev. Martínez afirmou que todos daremos contas a Deus. Além disso, assinalou que a palavra responsabilidade é muito desafiante. Durante o início da segunda data do evento, o Rev. Álvaro Garavito, Diretor da Junta de Oficiais da Obra de Deus, encarregou-se de transmitir a mensagem do Senhor. Apoiado em Gênesis 1:28 e 3:9-10, o pastor Garavito compartilhou a prédica “O lugar onde Deus me colocou e o lugar onde Ele quer me encontrar”. Em sua mensagem, falou ao coração e à consciência dos presentes. Horas mais tarde, transmitiu-se um vídeo dedicado à Quinquagésima Convenção Nacional do MMM de Porto Rico. Depois, o Rev. Rubén Concepción, Secretário Internacional do Movimento Missionário Mundial, evangelizou o povo de Deus através de sua alocução “Responsáveis com a visão celestial”. Sustentado em Atos 26:19-23, o pastor recomendou aos fiéis que mantenham a fé no Senhor. Depois, no terceiro dia da festa espiritual, o Rev. Arturo Hernández, Supervisor Nacional do MMM dos Estados Unidos, teve a responsabilidade de emitir uma prédica especialmente dirigida aos jovens. Em sua intervenção, denominada “Responsabilidade, uma qualidade necessária para servir”, o Rev. Hernández assinalou que independentemente

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

53


MISIONÁRIO MUNDIAL 54 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


evento

da idade, Deus está procurando que lhe sirva. De forma paralela ao culto para jovens, os principais personagens do Movimento Missionário Mundial, liderados pelo Rev. Martínez, reuniram-se para louvar a Deus. Neste encontro, o pastor Martínez falou acerca da responsabilidade dos ministros do Senhor. Depois, pela noite, o Rev. Rodolfo González, Tesoureiro Internacional do MMM, pronunciou a mensagem “Sejamos responsáveis”. Na jornada final do evento, na qual se realizou a promoção de obreiros, o Rev. Luis Meza Bocanegra, Diretor Internacional da Obra de Deus, pregou o Evangelho por meio de uma mensagem baseada em 1 Coríntios 9:24-27. A alocução do Rev. Meza, “A responsa¬bilidade do arauto da fé”, esteve centrada em exortar os crentes a ser responsáveis com suas vidas espirituais para não se afastar do caminho do bem. A Quinquagésima Convenção Nacional do Movimento Missionário Mundial de Porto Rico culminou com a intervenção do Rev. José Soto, VicePresidente Internacional do MMM, que emitiu um discurso sustentado em Levítico 6:8-13. Em sua prédica, “O fogo arderá continuamente”, o Rev. Soto manifestou que a luz de nossas vidas é nosso testemunho. Além disso, disse que não há fogo sem lenha.

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

55


JORNADA DE

BATISMOS EM MANAUS N

ovos irmãos se incorporaram à Obra. Na praia da Ponta Negra, da cidade de Manaus, receberam o sacramento batismal. O pastor Henry Ramos liderou a cerimônia. Com o objetivo de executar o que está estabelecido nas Sagradas Escrituras, o Movimento Missionário Mundial do Brasil realizou em 17 de dezembro de 2016, na praia da Ponta Negra da cidade de Manaus, à beira do rio Negro, uma jornada de batismos na qual mais de vinte seguidores de Deus receberam este importante sacramento. MISIONÁRIO MUNDIAL 56 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


evento

O Rev. Henry Ramos, Supervisor Nacional do Movimento Missionário Mundial do Brasil, teve a responsabilidade de liderar a cerimônia na qual houve cânticos, louvores e se pregou a Palavra de Deus. Em sua missão batismal, o pastor Ramos, homem de fé, foi secundado por um grupo de pastores da Obra do Senhor estabelecida em solo brasileiro.

Vestidos com trajes brancos, o grupo de batizados se reuniu na zona oeste da praia da Ponta Negra. Um por um, e com grande emoção, receberam o batismo perante o atento olhar de seus familiares e de numerosos crentes que chegaram a esta importante zona turística de Manaus, que destaca por sua beleza natural e sua moderna infraestrutura.

Após a ministração dos batismos, o Rev. Ramos, líder da Obra de Deus do Brasil, agradeceu ao Senhor por esta vitória concedida a sua Igreja. Além disso, instou os novos membros do MMM do Brasil a abraçarem a bandeira da sã doutrina que impulsiona a congregação fundada pelo pastor Luis M. Ortiz em Porto Rico.

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

57


A GUINÉ EQUATORIAL ESTÁ COM O SENHOR

C

erimônia de batismo na Orla Marítima, da cidade de Bata. Os irmãos que foram incorporados ao MMM receberam a bênção de um grupo de pastores que consolida a Obra na África.

A Obra de Deus continua se expandindo no continente africano, onde vivem não menos de mil milhões de pessoas. O crescimento do Movimento Missionário Mundial se pôde comprovar em 31de MISIONÁRIO MUNDIAL 58 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

dezembro de 2016, quando 22 fiéis do Senhor foram batizados na Orla Marítimo da cidade de Bata, capital econômica da Guiné Equatorial, à beira do oceano Atlântico. De forma ordenada, o grupo de crentes, que passou a fazer parte do MMM da Guiné Equatorial, chegou à Orla Marítima, moderna infraestrutura da zona costeira de Bata, onde se reuniram para receber o sacramento do batismo. É preciso indicar que, com antecedência, os 22 batizados passaram por um período de instrução bíblica que lhes serviu para fortalecer sua fé em Deus. Na cerimônia, que foi presenciada por

familiares e membros da Obra do Senhor estabelecida na Guiné Equatorial, intervieram os pastores Benjamín Engono, líder da Igreja de Bata; Antonio Yombo, Lorenzo Ndong e Felipe Aseko, e a irmã Teresa Bindang. Os servos do Senhor tiveram a missão de batizar os novos cristãos que decidiram entregar suas vidas a Jesus Cristo. No enceramento da cerimônia de batismo, o Rev. Engono, impulsionador da Obra de Deus em solo africano, salientou que o Movimento Missionário Mundial mostra um desenvolvimento sustentado que se vê refletido no incremento de fiéis e de templos estabelecidos.


evento

Fevereiro 2017 / Impacto evangĂŠlico

59


QUEM CRER E FOR BATIZADO

SERÁ SALVO

C

om música cristã e louvores prévios, um grupo de novos crentes foi batizado em Guayaquil, em outra manifestação de que a Obra está sendo mais forte no Equador. O dia 7 de janeiro se tornou um dia muito especial para o Movimento Missionário Mundial da República do Equador. Aquela data serviu para que 22 irmãos desceram às águas batismais na piscina de um local situado na intersecção das ruas Octava e 4 de Noviembre da cidade de Guayaquil, que foi o cenário elegido para este acontecimento. MISIONÁRIO MUNDIAL 60 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


evento

Minutos antes do batismo dos novos membros do MMM do Equador, mais de uma centena de crentes se reuniram no templo principal da Obra de Deus de Guayaquil, onde se desenvolveu uma cerimônia liderada pelo Rev. Eugenio Masías, Supervisor Nacional da filial estabelecida em solo equatoriano, que deu graças ao Senhor por este grupo de novas pessoas em Cristo. Depois, os fiéis, acompanhados por uma banda de músicos cristãos, deslocaram-se a pé à piscina localizada perto do templo principal do Movimento Missionário Mundial de Guayaquil. Em seu percurso, entoaram hinos evangélicos, louvaram ao Senhor e compartilharam sua Palavra. Após a culminação da marcha, o Rev. Masías, junto a outros ministros de Cristo, fez com que desceram às águas cada um dos homens e mulheres que decidiram cumprir o estabelecido por Deus. Além disso, o servo do Senhor destacou que “quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado”.

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

61


NOVAS CRIATURAS PARA

A OBRA

O

MMM da República do Uruguai efetuou o batismo de seus novos membros nas águas do rio Uruguai. Renascidos, os irmãos se comprometeram a trabalhar em favor do Evangelho.

As águas do rio Uruguai, que faz parte da bacia do Prata, serviram para que quatro crentes fossem batizados em 12 de dezembro de 2016 e selaram sua união com Deus e com o Movimento Missionário Mundial da República do Uruguai. O pastor Leonardo Cuello, servo

MISIONÁRIO MUNDIAL 62 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

ativo de Jesus Cristo, foi o encarregado de presidir a cerimônia na qual os novos membros da Obra do Senhor –que assistem ao templo do MMM do departamento de Paysandú– entregaram seus vidas ao Criador. No meio de cânticos e louvores a Deus, os seguidores de Cristo desceram às águas do rio Uruguai e cumpriram o sacramento estabelecido por Jesus. Além disso, o pastor Cuello pregou a Palavra do Senhor e salientou a importância do batismo cristão. Renovados pelo sacramento do batismo, os novos membros do Movimento Missionário Mundial da República do Uruguai se comprometeram a trabalhar em favor do Evangelho e da Obra de Deus.


evento

Fevereiro 2017 / Impacto evangĂŠlico

63


A ÍNDIA RECEBE DEUS COM CONVICÇÃO

C

om a paciência de Jó, a Obra se multiplica em um dos maiores países do mundo. Novos membros acabam de receber o batismo.

Em 1 de janeiro, o Movimento Missionário Mundial da República da Índia viveu uma jornada relevante na qual quatro crentes, membros de uma família que professava a fé católica antes de conhecer o Evangelho, foram batizados e entregaram seus vidas ao Senhor. A cerimônia, que congregou um grande número de irmãos, foi presidida pelo Rev. Samuel Jebaraj. Durante o batismo, no qual três cavalheiros e uma dama desceram às águas de uma piscina fornecida por um crente, o Rev. Jebaraj falou acerca deste sacramento instaurado por Jesus Cristo em sua vida terrena. Além disso, o servo de Deus comentou as razões pelas quais devemos cumprir este mandamento ordenado pelo Filho do Senhor. MISIONÁRIO MUNDIAL 64 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Do mesmo modo, o pastor Jebaraj afirmou que os novos membros do MMM devem ajudar a difundir a Palavra do Criador entre os habitantes da segunda nação mais

povoada do mundo. Além disso, o pregador salientou que o trabalho do MMM da República da Índia a favor da expansão da Obra de Deus é evidente e muito frutífero.


Outros Eventos

INGLATERRA Retiro de damas em Londres

Durante 16 e 17 de setembro de 2016, o Movimento Missionário Mundial da Inglaterra celebrou na cidade de Londres, capital do Reino Unido, um retiro de damas, que contou com a presença da irmã Marbelis de Medina, esposa do Supervisor do Bloco A da Europa do MMM, Rev. Carlos Medina. No evento, a irmã Marbelis foi a encarregada de compartilhar a Palavra de Deus com as damas que fazem parte da Obra estabelecida em território inglês. Junto à serva do Senhor, chegou a Londres um grupo de irmãs, provenientes da igreja de Barcelona, que se somaram às crentes locais e louvaram o Criador.

FILIPINAS Obra em crescimento

Sob o amparo de Deus, o Movimento Missionário Mundial das Filipinas começa a recolher os frutos de seu trabalho a favor da difusão do Evangelho. O MMM das Filipinas, que conta com um local próprio no distrito de Cidade Quezon, uma das zonas que formam a grande Manila, começou no passado mês de novembro de 2016 a pregar a Palavra de Deus casa por casa no lugar conhecido como “Lagro”, onde a Obra conta com um templo. Produto do trabalho evangelizador, agora conta com novo integrante: o irmão Ricardo Limbaga, que foi tocado pelo Senhor e entregou sua vida a Jesus Cristo depois de conhecer a Palavra. O MMM das Filipinas não só trabalha em “Lagro”, mas também na província de Bulacão e na cidade de Antipolo, capital da província de Rizal.

evento

SUÍÇA De homossexual a pregador

O Movimento Missionário Mundial da Suíça recebeu a visita do irmão Luis Huamaní, pregador de origem peruana, que compartilhou o testemunho de sua vida anterior ao Evangelho, quando era um homossexual e idólatra. O ato se realizou de 28 de setembro a 2 de outubro de 2016. O irmão Huamaní, que foi diagnosticado com AIDS e curado por Deus, testificou nos templos das cidades de Genebra, Basileia, Zurique e Berna. Além disso, falou de como Deus o resgatou das garras do mal usando como instrumento os meios de comunicação do MMM da Suíça. O pastor Jimmy Ramírez, que preside a Obra de Deus na Suíça, salientou que o presente do irmão Huamaní é uma amostra do poder do Senhor.

ÍNDIA Acampamento de crianças

Sob o lema “Geração bem-aventurada”, o Movimento Missionário Mundial da Índia realizou em 2 de outubro de 2016 um acampamento de crianças no templo da localidade de Panagudi, do estado de Tamil Nadu. Neste evento, que contou com a participação de 250 crianças, a Palavra de Deus foi oferecida pelo pastor Samuel, da igreja de Thisayan Vilai. Com emoção, o servo do Senhor compartilhou o Evangelho com o grupo de pequenos crentes, que não duvidaram à hora de glorificar o Criador.

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

65


ESCREVEM-NOS... cartas@impactoevangelistico.net

JANEIRO 2-5 Convenção Nacional em Porto Rico 9-16 Convenção Nacional na Côlombia 26-29 Convenção Nacional na Bolívia (Cochabamba)

SANTIAGO ALMANZA RAMÍREZ Olá! Eu lhes escrevo para agradecer o apoio que me ofereceram, mês após mês no ano passado, com sua maravilhosa revista cristã “Impacto Evangelístico” que sempre continua contribuindo para a boa edificação espiritual e pessoal, bem como para aprender a caminhar sempre da mão de Deus. Agradeço ao Senhor por tê-los posto em meu caminho com sua revista, que me ajudou de grande maneira a visualizar com um enfoque diferente a vida e fez com que compreenda as coisas de uma maneira mais congruente e pessoal com Deus. Do Texas, Estados Unidos da América.

FEVEREIRO 3-5 Convenção no Paraguai (Asunción) 9-12 Convenção na Argentina (Rosario) 25-28 Convenção no Panamá MARÇO 2-5 Convenção em Honduras (San Pedro de Sula) 9-12 Convenção na Austrália (Sidney) ABRIL 13-16 Convenção na Guatemala (Cidade da Guatemala) 13-16 Convenção nas Guianas, Trinidad e Martinica (Suriname)

MAURICIO PALMA

MAIO 4-7 Convenção no Japão (Hamamatsu, Shizuoka) 17-20 Convenção na Índia 26-28 Convenção na Holanda

Eu agradeço muito a Deus porque, procurando na internet, me levou a sua revista, fui cheio de sua Palavra e me saciei de conhecimento espiritual. Bendito e louvado seja Deus pelos séculos dos séculos. Sejam abençoados, irmãos, por esta maravilhosa revista. Da cidade do Panamá, Panamá.

JUNHO 21-24 Convenção no Brasil (Manaos)

MARÍA CARRANZA Desde há alguns meses, eu comecei a ler a revista e foi para mim uma experiência gratificante e cheia de bênçãos. Tive um grande alimento espiritual, li e aprendi coisas muito interessantes da obra missionária. Que a glória seja dada a Deus! De Villavicencio, departamento de El Meta, Colômbia.

BENERADO MERCADO RIVERA Muito amados no Senhor. Um companheiro de cela me emprestou sua revista e lhes digo que isto é muito mais que uma revista. Li e aprendi coisas muito interessantes deste maravilhoso trabalho, tão cristão, tão informativo, tão cheio de bênção e de maravilhosas mensagens de salvação. Muito obrigado!

RAMÓN SANTIAGO Estimados irmãos do MMM, Deus os abençoe! Eu quero lhes agradecer por ter me enviado as revistas durante este ano. Eu li todas e todas me ministraram e edificaram. A revista “Impacto Evangelístico” é parte de minha vida, já que eu a leio e estudo desde há 30 anos. A revista mantém seu propósito essencial,

AGENDA GLOBAL 2017

ANÍBAL MUÑOZ Amados irmãos, Deus os abençoe grandemente. Nós gozamos muito com a revista “Impacto Evangelístico”. Esperamos que continuem ganhando almas para Cristo. Que o Senhor os abençoe com um ganho grande de almas para Cristo. De Nova York, Estados Unidos de América.

que é a obra missionária, alcançar o mundo com a mensagem de salvação. Todos os meses, eu espero a revista com uma expectativa nova. Continuem trabalhando. A China nos espera! De Nova York, Estados Unidos da América.

ISABEL SÁNCHEZ Deus os abençoe. Estou cheia de gozo ao ver como a Obra cresce, e em especial esta revista, sob a bênção de Jeová. Em Cristo somos mais que vencedores! De Maracaibo, Venezuela.

Você pode baixar o leitor de código QR livre nestas plataformas:

JULHO 4-8 Convenção Centroamericano na Costa Rica (San José) 11-14 Convenção nos Estados Unidos (Woodbridge, Virginia) 13-16 Convenção nas Antillas Holandesas (Curacao) 16-18 Convenção Nacional no Canadá 27-30 Convenção no México (Puebla) AGOSTO 3-6 Convenção no Espanha e Bloco A Europa (Madrid) 8-11 Convenção na Venezuela (Barquisimeto) 10-13 Convenção na Itália (Milano) 16-19 Convenção na África (Guinea Ecuatorial) 24-27 Convenção no Haití (Porto Príncipe) 24-27 Convenção no Ecuador (Guayaquil) 24-27 Convenção em Belize SETEMBRO 17-19 Convenção no Perú (Lima) Sábado 30, Día Mundial das missões OUTUBRO 20-22 Confraternização no Madagascar 26-28 Convenção na República Dominicana 26-29 Convenção no Chile (Santiago) 27-29 Convenção nas Ilhas Maurício NOVEMBRO 9-12 Convenção em El Salvador 16-19 Convenção no Uruguai (Montevideo) 23-26 Convención na Nicaragua DEZEMBRO

n Eventos passados n Eventos futuros

evangélico

MISIONÁRIO MUNDIAL 66 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Diretor Fundador: Rev. Luis M. Ortiz. Conselho editorial: Rev. Luis Meza Bocanegra, Jacqueline Rovira, Samuel Martínez, Rev. Andrés Espejo. Coordenador editorial: Rev. Julián Morón. Editor geral: Víctor Tipe Sánchez. Editor: Jaime Tipe Sánchez Editor gráfico: Roberto Guerrero. Design gráfico: Adolfo Zubietta. Redação: Johan Pérez Landeo, Marlo Pérez. Diagramação: Lesly Sánchez, Jorge Cisneros. Webmaster e Infografia: Julio de la Cruz. Ilustrações: Pablo Vilca. Transcrição: Fanny Vidal. Community manager: Juan Becerra, Denisse Barrientos. Distribuição: Javier Arotinco.


NOSSOS VÍDEOS E MUSICAIS ESTÃO AGORA NO

Bethel Televisión, o canal do Movimento Missionário Mundial transmite a mensagem da Palavra de Deus mediante uma programação cultural e educativa de Lima-Peru através de 7 satélites e via internet a todo o mundo.

Fevereiro 2017 / Impacto evangélico

67


AO VIVO

No Facebook em seu Smartphone ou tablet

usta Me g

agos ziel L on U Nels arez la Alv Danie

Assista ao vivo o melhor de nossa programação

Bethel Televisión, o canal do Movimento Missionário Mundial transmite a mensagem da Palavra de Deus mediante uma programação cultural e educativa de Lima-Peru através de 7 satélites e via internet a todo o mundo. MOVIMENTO MISIONÁRIO MUNDIAL

68 América • Europa • Oceanía • África • Asia

757_portugues  

Revista Impacto Evangélico Edição Fevereiro 2017 Língua Portuguesa

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you