Page 1

JUN/15 EDIÇÃO ESPECIAL

• FORMANDOS DE TODO ESTADO • 30 PROJETOS PARTICIPANTES • VENCEDOR E DESTAQUES e mais • DANILO LANDÓ, O CRIADOR DO PRÊMIO • ALBANO VOLKMER, O HOMENAGEADO • NOTÍCIAS DO IAB RS, CAU/RS E FACULDADES


publieditorial CAIXA

editorial

Feirão CAIXA 2015 atrai 300 mil visitantes

Mais que um prêmio

e gera R$ 11 bilhões em negócios TIAGO HOLZMANN DA SILVA Presidente IAB RS

A 11ª edição do Feirão CAIXA da Casa Própria registrou R$ 11 bilhões em negócios e cerca de 300 mil visitantes nas 14 cidades em que foi realizado entre abril e junho. Este ano, o foco da CAIXA foi o financiamento de imóveis das faixas 2 e 3 do Minha Casa Minha Vida, que atendem famílias com renda de R$ 1,6 mil a R$ 5 mil, e operações com dinheiro do FGTS. Para o vice-presidente de Habitação da CAIXA, Teotonio Rezende, o Feirão CAIXA 2015 cumpriu o objetivo de oferecer condições especiais a um grupo de consumidores em busca de concretizar o sonho da casa própria. “O resultado deste ano demonstra que o feirão é um evento consolidado, que continua, de forma ágil e prática, a ajudar cada vez mais famílias”, afirmou ele. Maior mercado imobiliário do país, São Paulo registrou o maior volume de negócios fechados entre todas as cidades: mais de R$ 3 bilhões a partir do evento. Logo atrás vieram Curitiba (R$ 1,5 bi) e Porto Alegre (R$ 1,2 bi), demonstrando o bom momento do mercado na região Sul do país. No Nordeste, o destaque foi Fortaleza, onde o volume de novos contratos superou o R$ 1 bilhão. Pela primeira vez no calendário nacional do Feirão CAIXA, Goiânia atraiu mais de 14 mil pessoas ao shopping Estação Goiânia, gerando R$ 462,3 milhões em contratos habitacionais para imóveis na região metropolitana.

FEIRÃO NAS AGÊNCIAS

A rede de agências da CAIXA continua a atender as pessoas interessadas em financiar a casa própria, com as mesmas condições do feirão. O site do banco também oferece uma ferramenta que permite simular o crédito habitacional para que o cliente tenha noção de quanto poderá financiar na CAIXA e qual será o valor da prestação.

CAIXA deve financiar mais R$ 37 bilhões em projetos de infraestrutura em 2015 CARTEIRA DO SEGMENTO SOMOU R$ 60 BILHÕES NO PRIMEIRO TRIMESTRE E SUPEROU O SALDO DE OPERAÇÕES DE EMPRÉSTIMO CONSIGNADO Consolidado como o banco que mais financia projetos de infraestrutura no país, excluindo-se o BNDES, a Caixa Econômica Federal projeta injetar mais R$ 37 bilhões entre maio e dezembro. Segundo o vice-presidente de Finanças e Controladoria do banco, Márcio Percival, R$ 34 bilhões devem ser concedidos em linhas de crédito e o restante por meio de operações no mercado de capitais. “Há demanda para contratar mais do que isso. Estamos simplesmente reforçando as nossas carteiras de crédito importantes”, afirmou Percival.

Ao lado de habitação, empréstimos com desconto em folha (consignados) e capital de giro para empresas, o segmento de infraestutura tem puxado o resultado da CAIXA. Mas o balanço do primeiro trimestre, divulgado em junho, trouxe uma novidade: a carteira de infraestrutura (R$ 60 bilhões em março) superou as operações de empréstimo consignado (R$ 54 bilhões) e responde por 9,6% do crédito total da CAIXA.

UM RECONHECIMENTO À QUALIDADE

Parece contraditório, mas do tempo da faculdade, o que mais me lembro e o mais marcante para mim foram exatamente os momentos fora da faculdade, fora da sala de aula. Não que a faculdade fosse um ambiente ruim ou desagradável, muito pelo contrário, mas porque foi a faculdade de arquitetura que abriu minha cabeça e meus olhos para o mundo. A arquitetura, os professores, os colegas, os ENEAs e ELEAs, as discussões com cerveja depois da aula, as novas ferramentas de desenho, as maquetes, as viagens de estudo, os trabalhos em grupo, os livros do Ignácio, as Fafarqs... tudo isto me apresentou uma nova realidade e me revelou que o objeto da minha futura profissão - o edifício, a cidade, a paisagem - é o que dá forma ao mundo, é o que abriga, é o que condiciona o comportamento e a relação entre as pessoas, é formador da cultura e conta a história dos povos. A arquitetura é isto e muito mais. E o tempo da faculdade é o momento desta descoberta. A faculdade, para a vida profissional, equivale à nossa infância e adolescência. É o período de formação de nossa personalidade profissional é o momento em que damos alma e caráter ao arquiteto que seremos. O fato marcante do final desta etapa é a realização do trabalho de conclusão de curso, a famosa diplomação. Nesta hora, o mundo está em nossas mãos, decidimos tudo: problema de projeto, terreno, orientador, “estilo”, programa, local, horário de trabalho... e colocamos nossos conhecimentos e capacidade a solucionar bem este desafio. Duas grandes virtudes de nossa formação revelam-se neste momento. A principal delas, da qual raramente temos saudades, é a necessidade que a faculdade de arquitetura impõe de, desde o primeiro semestre, submer os estudantes a fazer uns “desenhos” e colocar na parede diante de toda turma para “tomar pau” do professor. Claro que os exageros são reprováveis, mas esta situação inicialmente aterradora acaba transformando o jovem estudante em um arquiteto “casca grossa”. Podemos ter certeza que esta prática do atelier de arquitetura é fundamental para que tenhamos segurança e capacidade para apresentar nossas ideias, enfrentar adversidades, dialogar com quem pensa diferente, reforçar ou transformar nossas convicções, construir nossos projetos junto com parceiros e clientes. Outra virtude inquestionável da nossa formação é o poder que temos em demonstrar como será o futuro. Desenhamos o futuro antes que ele se realize, planejamos, construímos realidades, re-

solvemos problemas aplicando metodologias concretas utilizando ferramentas técnicas e a criatividade. O projeto é isto, é a demonstração que um problema tem solução e o detalhamento das ações para enfrentá-lo. É a materialização da capacidade de resolver um problema e a apresentação deste de forma articulada e coerente para uma banca qualificada. O trabalho de conclusão de curso é o momento em que demonstramos que podemos ser profissionalmente adultos. O Prêmio IAB existe para valorizar este momento. O que propomos é destacar um estudante formando de cada turma de cada faculdade do estado para que esta importante transição fique registrada. Claro que, muitas vezes, temos a sensação de injustiça em nominar apenas um de cada turma diante da qualidade dos trabalhos apresentados. Mas, mais do que destacar projetos específicos ou individualidades, nos interessa o ato simbólico do reconhecimento da qualidade dos jovens arquitetos, de seus professores e orientadores e das faculdades de arquitetura, representados todos por um integrante de sua turma e por um trabalho destacado. O Prêmio IAB foi criado nos anos 90 pelo nosso ex presidente Danilo Landó, e teve seguimento desde então com os ex presidentes José Albano Volkmer, Iran Rosa e Carlos Alberto Sant’Ana. O Prêmio IAB leva o nome do Albano em homenagem e reconhecimento à sua trajetória no ensino, à paixão pela arquitetura e pelo patrimônio e à sua maneira generosa e cativante de estímulo constante aos estudantes e jovens arquitetos. Neste ano, o prêmio recebe o fundamental apoio e patrocínio da Caixa Econômica Federal que permite ao IAB RS realizar com qualidade adequada todas as etapas, premiar vencedores, professores orientadores e faculdades, produzir este catálogo e uma exposição itinerante. A realização do Prêmio CAIXA IAB 2014 - José Albano Volkmer, e a publicação desta edição especial da Revista ESPAÇO do IAB RS, somente foi possível graças ao empenho pessoal dos coordenadores do Prêmio e diversos colaboradores, dos funcionários do IAB RS, dos professores e coordenadores de curso das mais de 30 faculdades do estado e, principalmente, dos estudantes formandos do primeiro e segundo semestres de 2014 que realizaram com excelência seus trabalhos de conclusão de curso demonstrando, nas páginas a seguir, que se depender deles, teremos edifícios, cidades e paisagens cada vez melhores e mais belas. espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

3


ARQUITETURA | URBANISMO | CIDADE | CULTURA

ESPECIAL • JUL/15

A REVISTA ESPAÇO É UMA PUBLICAÇÃO DO IAB RS COMITÊ EXECUTIVO DESTA EDIÇÃO

COLABORADORES DESTA EDIÇÃO

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL DEPARTAMENTO DO RIO GRANDE DO SUL GESTÃO 2014/2016 - “IAB: CIDADE E CULTURA”

Adriana Xaplin • Aline Beatriz Cervo • Angela Pettini • Bruno Giugliani • Bruno Lesco Paz • Carlos Alberto Sant’Ana • Cristiana Bersano • Danilo Landó • Eloise Mudo • Gilberto Belleza • Irã Dudeque • Iran Rosa • Luiz Antônio Machado Veríssimo • Madalena Gusen • Mario Cladera • Rafael Mano • Rafael Passos • Rafael Rosa • Roberta Edelweiss • Roberto Py • Sabrina Ortácio • Salma Cafruni • Santiago • Vinicius Vieira

CONSELHO DIRETOR

CONSELHO ESTADUAL - TITULARES

CLAUDIA FAVARO JACQUELINE SANCHOTENE MARCELO BRINCKMANN TIAGO HOLZMANN DA SILVA TIZIANO FILIZOLA

Tiago Holzmann da Silva Rafael Pavan dos Passos 2º Vice-Presidente Ednezer Flores 3º Vice-Presidente Vinicius Vieira Secretário Geral Marcelo Gribov Brinckmann 1ª Secretária Claudia Favaro 2ª Secretária Roberta Krahe Edelweiss Diretor Financeiro Henrique Dauber 1ª Tesoureira Ângela Ponsi 2º Tesoureiro Marcelo Arioli Heck

Presidente

1º Vice-Presidente

CONSELHO FISCAL

Gilda Maria Franco Jobim • Adroaldo Xavier da Silva • Tiziano Filizola NÚCLEO CAXIAS DO SUL

Rodrigo Salvati • 1ª Secretária Bruna Chiaradia • 2º Secretário Rafael Ártico • 3º Secretário Max Leonardo Manoel • 1ª Tesoureira Giovana Santini • 2ª Tesoureira Silvia R. S. Nunes • Representante CoEs Silvia R. S. Nunes

Presidente

NÚCLEO ERECHIM:

Alexandre Nichetti • ViceMagali Mingotti • 1ª Secretária Roberta Grendene • 2ª Secretária Thaiana Puhl • Representante CoEs Luiz Fiori

Presidente

Presidente

NÚCLEO SANTA MARIA

Sheila Comiran • Vice-Presidente Lidia Glacir Gomes Rodrigues • Secretária Annelieze Correa • Tesoureiro Hugo Gomes Blois Filho • Representante CoEs Hugo Gomes Blois Filho

Presidente

Humberto Hickel • Maria Tereza Fortini Albano • Cícero Alvarez • Julio Cesar Vargas • Maria Dalila Bohrer • Luciane Kinsel • Daniela Fialho • Emílio Merino Domingues • Taiana Pitrez Tagliani • Lídia Fabrício Conselho Estadual Suplentes: Daniele Caron • Carlos Fernando Seffrin • Letícia Franco • Cecília Esteve • Andréia Bocian • Pedro Araújo • Lucas Leite • Marcelo Parahiba • Márcio Arioli • Geraldo Ozio CONSELHO SUPERIOR - TITULARES

Claudio Fischer • Carlos Alberto Sant’Ana • Iran Rosa • Rogério Malinsky • Oritz Adriano Adams de Campos • Alexandre Pereira dos Santos • Conselho Superior Suplentes: César Dorfman • Clovis Ilgenfritz da Silva • Salma Cafruni • Lais Salengue • Ivan Mizoguchi • David Léo Bondar NÚCLEO ARQUITETOS DO LITORAL

Edmundo T. Francisco • Leandro Machado dos Santos • Tesoureiro Rodrigo Colissi Alves • Representante CoEs Claudia R. Casaccia Presidente Secretário

NÚCLEO PELOTAS

Otavio Martins Peres • ViceNirce Saffer Madevedoski • Secretário Luis Antônio Machado Veríssimo • Representante CoEs Ana Lúcia Oliveira Presidente

Presidente

NÚCLEO RIO GRANDE

Evelise Jaime de Menezes • Guilherme Castro Dias • Tesoureira Camila Cardoso de Melo Sampaio • Secretária Letícia Carneiro Estima • Tesoureira Camila Cardoso de Melo Sampayo • 2ª Tesoureira Rosana Senna da Silva • Representante CoEs Marcio Gomes Lontra

Presidente

Vice-presidente

O Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB - é a entidade de livre associação de arquitetos e urbanistas brasileiros, que se dedica a temas essenciais ao arquiteto, à cultura arquitetônica e suas relações com a sociedade. Fundado no Rio de Janeiro em 26 de janeiro de 1921, e em 1948 no Rio Grande do Sul, o IAB é a mais antiga das entidades brasileiras dedicadas à arquitetura, ao urbanismo e ao exercício da profissão. O IAB adotou o modelo federativo de organização e conta com Departamentos autônomos em todos estados do país, que possuem, por sua vez, núcleos locais nos municípios e regiões de maior relevância. A entidade é liderada pela Direção Nacional, responsável pela articulação e pela coordenação dos Departamentos, bem como pelas ações de abrangência nacional e internacional. Sua instância política máxima é o Conselho Superior, composto proporcionalmente por representantes de todos os Departamentos e pelos Conselheiros Vitalícios, ex-presidentes da entidade.

Marcelo Koch • Secretário Raquel Linhares • Tesoureiro Giana Paola Miron Brentano Representante CoEs Vera Prates

Presidente

CONTATO E PUBLICIDADE

espaco@iabrs.org.br • (51) 3212.2552

Ana Giordani • Arioli • Secretários Cristiane Bertoco e Maikel Megri • Representante CoES Juliana Cagliari AGRADECIMENTOS

Assessoria de comunicação do IAB RS, funcionários do IAB RS

09

história do prêmio

14

22

destaques Lucas Fernando de Faria Burmann Pedro Artur Câmara Thiago Yuuki Kajiwara demais participantes Alana Machado de Oliveira Ana Fleck Velasco Ana Paula Hautrive Right Athos Geizel Marques Diogo Augusto Probst Cristiane Klesner Colossi Cristofher Fidelis de Almeida Daniela Cristhine Martarelo Eduardo Amaral da Trindade Emanuelle Weber Feijó Fernanda Maitelli Locks Filipe Bassan Marinho Maciel Indiana Boscatto Jeferson Berté Jéssica Pinto Nicola João Vinícius Eidt Jonathan Maschmann dos Santos Kerolen Silva da Rosa Lucas Piccoli Weinmann Mariana Lazzari Basso Mariele Cristine Costa Morgana Mussatto Roberta Francine Ferrari Valdir Bandeira Fiorentin Victória Rizzo Vitória Borges da Fonseca Cumerlato

68

cultura

72

formaturas

74

notícias

Departamentos do IAB

Núcleos IAB RS Cidade do Rio Grande, Erechim, Caxias do Sul, Arquitetos do Litoral, Pelotas, Santa Maria, Torres, Canoas

projetos vencedor Cristiane Lavall

Arq. Sérgio Magalhães, Presidente

AM, AL, BA, CE, DF, ES, GO, MA, MG, MS, MT, PA, PB, PE, PI, PR, RJ, RN, RR, RS, SC, SE, SP, TO

prêmio caixa iab rs 2014 Lançamento Regulamento Faculdades/formandos Júri

O IAB não tem fins lucrativos e seus dirigentes não são remunerados.

IAB Direção Nacional

Danilo Landó Carlos Alberto Sant’Ana Iran Rosa

José Albano Volkmer Ex-participantes Entrevista com Cristiana Bersano

O IAB compõe o Colégio Brasileiro de Arquitetos (CBA), coletivo das entidades nacionais de arquitetura e urbanismo, e o Colegiado das Entidades Nacionais de Arquitetura e Urbanismo (CEAU), órgão consultivo da estrutura do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR).

Presidente Marilei

Vice-presidente Márcio

opinião

O IAB é membro fundador da União Internacional de Arquitetos (UIA), órgão consultivo da UNESCO para assuntos relativos ao habitat e à qualidade do espaço construído, e do Conselho Internacional de Arquitetos de Língua Portuguesa (CIALP). Também integra, como membro fundador, a Federação Pan-Americana de Associações de Arquitetos (FPAA). Por meio da Direção Nacional, o Instituto se faz representar em órgãos da administração federal.

NÚCLEO VINHEDOS SERRA GAÚCHA

NÚCLEO TORRES

06

Desenho de Santiago

Os troféus e seus autores Solar do IAB RS - Ponto de Cultura

IAB RS Faculdades Caixa Econômica Federal CAU/RS Concursos

JORNALISTA RESPONSÁVEL

RUA GENERAL CANABARRO, 363 CEP 90010-160 • CENTRO HISTÓRICO (51) 3212.2552 PORTO ALEGRE/RS IABRS.ORG.BR

Sabrina Ortácio - MTB 11.002 DIREÇÃO DE ARTE E DIAGRAMAÇÃO

Gustavo Gomes - efetivo@efetivodesign.com.br

82

cidades Lajeado

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

5


opinião

O Prêmio IAB e suas

POSSIBILIDADES Quando idealizamos e promovemos a primeira edição do Prêmio IAB RS, em 1998, sabia que seria uma oportunidade muito significativa para os formandos de arquitetura e urbanismo de nosso Estado. O IAB sempre buscou a aproximação com a universidade. O Prêmio veio para colocarmos em prática estas ações conjuntas com o meio acadêmico. A ideia era trazer para o IAB os jovens talentos da arquitetura. Danilo Landó Arquiteto e Urbanista, ex-presidente do IAB RS nas gestões 1998-99 e 2000-01, conselheiro vitalício e idealizador do Prêmio IAB

“O sucesso do Prêmio veio muito do empenho do arquiteto José Albano Volkmer, que recebeu essa justíssima homenagem do IAB”

A primeira edição já foi um sucesso. Conseguimos ter representantes de todas as faculdades de arquitetura e urbanismo do Rio Grande do Sul. Lembro que o primeiro vencedor do prêmio IAB foi um estudante da PUCRS. Nesta época, o arquiteto Ivan Mizoguchi era o coordenador da faculdade, e teve um papel muito importante na qualidade do projeto apresentado pela a instituição católica. O IAB é a entidade mais antiga e que sempre lutou pela qualidade da Arquitetura e Urbanismo. Acredito que as faculdades têm um papel fundamental para conseguirmos isso. O Prêmio IAB de certa forma também tem ligação com os Concursos Públicos de Arquitetura, pois segue essa filosofia de incentivar a produção de projetos com qualidade por meio de concurso. Além disso, sempre prezamos por ter uma comissão julgadora formada por arquitetos renomados no Brasil.

Depois de 17 anos, percebo que chegou o momento do Prêmio IAB avançar. Hoje com a globalização, tecnologia e tanto compartilhamento de informações, vejo que ainda falta para o acadêmico de arquitetura vivenciar de perto outras culturas e centros urbanos. Ele precisa conhecer, aprender a respeitar o que os outros pensam. Sair da toca mesmo. Defendo essa proposta, principalmente pelo fato de ter vivido entre 1962 e 1965 em Los Angeles, nos Estados Unidos. Foi uma experiência transformadora na minha vida profissional.

O IAB tem excelentes ideias e profissionais, mas não tem verba. Encontro muitos arquitetos que me dizem “Não entro no IAB porque a entidade não me dá nada”. Isso está muito errado. Quem tem que dar alguma coisa não é o IAB e sim os arquitetos ao IAB, pois o IAB já fez muito pela nossa classe. A projeção da arquitetura brasileira no mundo tem muito esforço do IAB por trás.

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

Muitas são as queixas dos arquitetos e urbanistas brasileiros quanto à profissão. A maior delas provém do pouco reconhecimento da arquitetura e urbanismo pela sociedade, raiz da maior parte de nossos problemas. Nosso querido e saudoso José Albano Volkmer, como educador, como profissional e principalmente militante abnegado envolvido de corpo e alma na solução desses problemas, foi o maior entusiasta do Prêmio IAB. Sabia do potencial do prêmio aos recém-formados, como promotor não apenas de suas carreiras profissionais, mas como uma forma dos arquitetos, organizados sob a bandeira do IAB, apresentarem à sociedade um sinal de como o ambiente poderia ser muito mais humano, eficiente e econômico se a qualidade da arquitetura fosse valorizada em lugar apenas dos ganhos imediatos para alguns. O compromisso do IAB é, desde sua fundação há longínquos 95 anos, em favor do bem público, entendendo-se que nossa arte, a Arquitetura, é um produto cultural essencial para a construção da sociedade democrática e igualitária que almejamos. A qualificação da vida humana depende dos espaços, hoje sob o ataque impiedoso de uma forma de fazer comprometida apenas com interesses imediatistas de pequenos grupos e abstrações contrárias ao progresso da civilização.

Carlos Alberto Sant’Ana Arquiteto e Urbanista, ex-presidente do IAB RS nas gestões 2008-09 e 2010-11

Vida longa!

O sucesso do Prêmio veio muito do empenho do arquiteto José Albano Volkmer, que recebeu essa justíssima homenagem do IAB. Também tivemos na comissão de ensino o arquiteto Alberto Pereira Filho, que foi outro grande nome quando falamos em Prêmio IAB. Os dois lutaram muito para a concretização deste reconhecimento acadêmico e foram personagens decisivos nesta trajetória.

Acredito que um dos caminhos para o financiamento de bolsas de estudos para os formandos seria através dos bancos como instituições incentivadoras e patrocinadoras. Com certeza, essa experiência no exterior iria melhorar a qualidade dos profissionais que entrariam no mercado.

6

A atuação do IAB na raiz do problema

Iran Rosa Arquiteto e Urbanista, ex-presidente do IAB RS na gestão 2006-07

Lembrar o Prêmio IAB RS é falar da melhor produção acadêmica nas faculdades de arquitetura e urbanismo no Rio Grande do Sul dos últimos 15 anos. É, também, simplesmente confirmar que os certificados todos que entregamos para cada um dos trabalhos selecionados e, em especiais momentos, aos selecionados no certame anual, foram muito bem escolhidos. Vemos isso hoje com naturalidade quando são citados nomes de colegas e se percebe com muita clareza: sim, são realmente bons profissionais que estão aí no mercado, criando, produzindo, ensinando, fazendo seu melhor para as cidades, natureza e populações. Como não lembrar do entusiasmo do arquiteto Danilo Landó, então presidente do IAB RS, quando se iniciou essa premiação! Como não lembrar dos estudantes em final de curso, muitos hoje, admiráveis profissionais, queridos amigos e companheiros de tantas e tantas investidas arquitrônicas e urbanautas, na corrida em final de semestre e ao mesmo tempo na torcida pelo prêmio! Como foram tantos os abnegados colegas no IAB que deram sua enorme contribuição ao longo desses anos, para que exista o Prêmio IAB RS... E como não lembrar do saudoso mestre, amigo e presidente, professor Albano, o entusiasmo em pessoa sendo transmitido com tanta generosidade e estímulo que almeja a boa e consciente produção em arquitetura no meio acadêmico. Unânime justiça que se faz com o Prêmio IAB RS, que tem além da gestão que o criou e o reconhecimento de sua importância na formação do arquiteto, agora um novo predicado. A homenagem ao arquiteto José Albano Volkmer amplia sua missão e reforça seu significado, anunciando os novos e bons tempos que vêm chegando. A parceria inestimável da CAIXA acontece com relevância e oportunidade, destacando o esforço conjunto de ambas as entidades por melhores condições de vida a todos. A arquitetura é brindada com reconhecimento. As cidades e populações com profícuos resultados. Vida longa e saudável ao Prêmio CAIXA IAB José Albano Volkmer!


história Prêmio IAB RS

POR TIZIANO FILIZOLA ARQUITETO E URBANISTA REVISÃO MARCELO G. BRINCKMANN

Um Prêmio

COM HISTÓRIA O prêmio IAB envolveu diversas pessoas durante as suas edições. Reuniu iniciativas e ideias que deram base para a elaboração deste catálogo de 2014 e a organização do processo de trabalho como um todo. Destas, conseguimos contato com ex-presidentes e colaboradores que fizeram parte desta iniciativa para deixar um registro e uma opinião para compartilhar com todos os envolvidos. A entrevista com a colega Cristiana Bersano, que coordenou o prêmio na edição de 2005, foi bastante elucidativa e produtiva. O relato da sua experiência e a sua opinião nesta edição, demostram o quão importante e relevante é valorizar o trabalho acadêmico, professores orientadores e faculdades. Em suas palavras: “Para o estudante é um grande incentivo.” Os ex-presidentes Carlos Alberto Sant’Ana e Iran Rosa, relembram e valorizam o Arquiteto José Albano Volkmer, que estimulou e transmitiu tanta generosidade e entusiasmo em sua

vida. Descrevem um pouco de sua trajetória que é reconhecida pela sua dedicação em valorizar a arquitetura, profissionais e estudantes com o objetivo de desenvolver espaços mais humanos e que encantam. Danilo Landó, presidente na primeira edição do Prêmio, nos surpreende contribuindo até hoje para a melhoria contínua deste projeto, sugerindo até que o grande prêmio das próximas edições seja uma bolsa de estudo de pós-graduação no exterior. Que fôlego e que exemplo, e é essa inspiração que buscamos para melhorar a cada gestão. Definitivamente é um registro histórico e relevante para o projeto do prêmio IAB, pois demonstra e reconhece o envolvimento, dedicação e esforço de muitas pessoas em diferentes épocas que se reuniram e se dedicaram para realizar essa atividade com a mesma intensão: de valorizar o ensino da arquitetura e do urbanismo.

Comissão organizadora:

Claudia Favaro Arquiteta e Urbanista (Unisinos 2008), 1ª Secretária IAB RS, Coord. Técnica Prêmio IAB 2014

Marcelo Brinckmann Arquiteto e Urbanista (PUCRS 2010), Secretário Geral IAB RS, Coord. Geral Prêmio IAB 2014

Tiziano Filizola Arquiteto e Urbanista (ULBRA 2006), Conselheiro Fiscal do IAB RS, Coord. Adjunto Prêmio IAB 2014

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

9


história

Prêmio IAB RS

JOSÉ ALBANO VOLKMER Arquiteto, urbanista, professor Por Salma Cafruni • Arquiteta e Urbanista

Conheci Albano ainda na faculdade, em 1965. Eram anos difíceis, de repressão e cassações e muita efervescência estudantil. O tempo passou e nos encontramos novamente como técnicos da Superintendência do Desenvolvimento Urbano e Administração Municipal, órgão da Secretaria Estadual de Obras Públicas, onde Albano exerceu o cargo de Superintendente, iniciando aí sua carreira político-institucional. Na mesma ocasião, 1976, foi presidente do IAB RS. Voltou a ocupar o mesmo cargo em duas outras ocasiões: nos períodos 2002-2003 e 2004-2005, sempre com destacada atuação na defesa e promoção da Arquitetura e do Urbanismo.

José Albano Volkmer entregando diploma à sua filha Marta. Ao fundo, professor Julio Colares, reitor Flávio Reis e professora Maria Isabel Milanez.

“sempre disponível e aberto a apoiar os colegas no desenvolvimento das múltiplas propostas aportadas pela sociedade”

Entre suas atividades político-institucionais destacam-se ainda a presidência do CREA/RS e do CONFEA, a presidência da Fundação de Ciência e Tecnologia do RGS (CIENTEC), a direção do Museu de Arte do RGS (MARGS), a assessoria técnica à Secretaria Estadual da Cultura e a direção da Faculdade de Arquitetura da UFRGS de 1985 a 1988 e, posteriormente, em 2006.

Exerceu também atividade como docente em várias escolas de arquitetura: Unisinos, Ritter dos Reis, ULBRA, UFSM, e UFRGS. E foi, acredito, como professor dedicado seu principal destaque, tendo sido respeitado, admirado e querido por seus alunos.

10

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

Diante mesmo das maiores dificuldades, das contradições, das adversidades, quem sabe, estaremos plantando arquitetura, cidades e árvores. Traços e riscos emocionam, alimentam a vida, esculpem sentimentos, humanizam a pedra, encantam.”

Em todos os cargos que ocupou deixou sua marca de profissional ético e laborioso, sempre disponível e aberto a apoiar os colegas no desenvolvimento das múltiplas propostas aportadas pela sociedade.

O Prêmio que ora leva seu nome é uma justa homenagem ao cidadão que dedicou grande parte de sua vida ao ensino, formando gerações de arquitetos comprometidos com a cultura e com o exercício ético da profissão.

“Se no futuro pretenderem nos impedir a construção do mundo, ainda assim estaremos projetando os nossos sonhos, de uma sociedade livre, justa e solidária, menos desigual, fundada na fraternidade e na harmoniosa e humana inserção dos edifícios no contexto dos espaços urbanos e da paisagem.

Desenho de Edgar Vasques

José Albano Volkmer, Arquiteto e Urbanista


história

Prêmio IAB RS

Eu participei CONFIRA ABAIXO OS DEPOIMENTOS DOS PARTICIPANTES EM EDIÇÕES ANTERIORES

Cristiana Bersano Arquiteta e professora da FAUPUCRS abre os seus arquivos, e nos conta nesta entrevista exclusiva, como foi fazer a coordenação do Prêmio IAB em 2005

Aline Beatriz Cervo “Trabalhos de conclusão de curso exigem dedicação, nesse período as tradicionais horas não dormidas se multiplicam e o estresse fica à flor da pele. Ter o esforço reconhecido ao final do processo é compensador. Dá confiança para lidar com situações adversas, para ouvir críticas e de termos a postura para exercemos a profissão que escolhemos com ética e responsabilidade. O Prêmio José Albano Volkmer não só encoraja a enfrentar os novos desafios como valoriza a excelência profissional, facilitando a colocação no mercado de trabalho. Para mim, a menção honrosa abriu uma porta para atuar no Urbanismo ao lado de grandes profissionais e foi fator importante na obtenção de bolsa de estudos para dar sequência aos estudos no exterior.” Arquiteta e Urbanista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul em 2012, transformou o interesse e a vocação para o urbanismo durante a faculdade em profissão. Trabalhou com desenho e planejamento urbano mesmo antes de formada em escritórios de Porto Alegre. Em 2015, foi selecionada para uma bolsa de estudos pela Universität Stuttgart na Alemanha, onde estuda infraestrutura urbana.

Rafael Rosa Há alguns dias, quando o pessoal do IAB me convidou para a cerimônia de lançamento da edição 2015, fiquei muito feliz por algumas razões as quais vou expressar nas breves palavras que seguem. Primeiramente cabe destacar que me deixa bastante contente a iniciativa do resgate de uma premiação que fez parte da história dos cursos de arquitetura e urbanismo no RS e da minha em particular pois tive a honra de ser agraciado com o 1º lugar em 2001. Naquele ano o IAB RS ainda era no antigo prédio na Annes Dias, em frente a praça Dom Sebastião. Lembro como se fosse ontem eu levando as pranchas do meu TFG (hoje TCC) e entregando no 2º andar para a Madalena. Sabia que era difícil ganhar, porém a expectativa e a empolgacao de participar já considerava uma recompensa suficiente pois meu trabalho tinha sido indicado e isso por si só já é um reconhecimento, algo muito importante para um profissional que pretende exercer a profissao de maneira autônoma e ainda não tem nenhum projeto elaborado ou executado, como eu pretendia. Neste sentido é que saliento a importância do Prêmio, ou seja, trata-se de um primeiro reconhecimento profissional, mesmo ainda sem ter execido a profissão. Para mim foi algo muito importante pois além da questão motivacional a qual me estimulou a abrir minha empresa a RS Projetos Ltda junto com meu ex-colega de faculdade e sócio Marco Schmidt (o qual tambem foi premiado em outro concurso) foi por muitas vezes o nosso cartão de visita do escritório para os clientes. Desta forma, penso que ter participado do prêmio tenha sido talvez a maior recompensa. Ganhar nem se fala. Desejo um ótimo concurso a todos. Arquiteto e Urbanista PUCRS 2001, Mestre (PROPAR UFRGS 2005), especialista Upm-Madrid 2007 e Professor do Curso de Arquitetura da Universidade de Caxias do Sul.

Como foi a experiência de organizar o prêmio IAB? A experiência de organizar um prêmio IAB foi muito gratificante. Percebo o IAB como uma entidade forte, atuante e representativa da categoria de arquitetos e trabalhar na organização do prêmio foi a maneira de dar minha contribuição para ao instituto. Minha aproximação ao IAB se deu por influência do querido e saudoso professor arquiteto José Albano Volkmer. Hoje, o “Prêmio IAB RS” leva seu nome: “Prêmio José Albano Volkmer”, justa homenagem ao admirável arquiteto e ex-presidente do instituto. Sempre fui associada do IAB - a mais antiga das entidades brasileiras dedicadas à arquitetura, urbanismo e exercício da profissão - e incentivo meus jovens alunos recém egressos da universidade que participem desta entidade e que juntos lutem pela valorização da profissão que tanto nos exige e nos encanta. Como avalia a qualidade dos trabalhos enviados nos anos que você organizou o prêmio IAB? Tenho clara lembrança da diversidade de temas e programas propostos (Complexo hoteleiro, Pousada, Indústria de reciclagem, Requalificação habitacional, Terminal turístico, etc). Verificando os arquivos com o registro dos trabalhos premiados, destaco o comprometimento e talento dos estudantes de final de curso de uma faculdade abrangente e exigente como a de arquitetura e urbanismo. A demonstração da importância da pesquisa sobre os temas de interesse dos autores e a proposição de espaços criativos e inovadores reforça a afirmação de que os projetos acadêmicos resultantes de trabalhos de conclusão de curso de arquitetura podem dar contribuição consistente e significante à sociedade. Na sua visão qual a importância do prêmio IAB para o formando de arquitetura, e o início da sua vida profissional? Para o estudante é um grande incentivo. Considero fundamental a participação de jovens arquitetos em uma entidade como o IAB, que trabalha pela valorização e aprimoramento profissional. Neste sentido,

o prêmio pode provocar essa aproximação, além de ser muito estimulante ao desenvolvimento acadêmico, porque reafirma a necessidade da consciência reflexiva, ao mesmo tempo em que cria um elo com a prática do urbanismo e da arquitetura. E para a faculdade? Para a faculdade é o reconhecimento de um trabalho desenvolvido ao longo de anos de ensino e aprendizagem. O vínculo das faculdades com o IAB é saudável pois tem em comum os interesses da arquitetura, da cultura arquitetônica e de suas relações com a sociedade. A premiação contribui para valorizar e divulgar a qualidade da produção acadêmica da faculdade. E para o orientador? Professores e orientadores dos estudantes de arquitetura no desenvolvimento dos trabalhos de conclusão de curso demonstram o desejo de um contínuo aumento progressivo na qualidade dos trabalhos. Para o orientador a premiação é a satisfação e o sentimento de que o estudante apreendeu os conteúdos, dedicou-se com afinco, solucionou questões do ambiente, da técnica, da funcionalidade e da estética e foi contaminado pela paixão que a arquitetura e urbanismo exerce sobre todos nós.

• Graduada na FAUFRGS em 1997-2 • Associada do IAB RS desde 1998-1 • Professora da FAUPUCRS desde 1998-2 • Assessora do Programa Aliança Marista PROEX PUCRS • Sócia-proprietária da empresa “bem arquitetura Ltda” com atuação em projetos de arquitetura de interiores desde 2002 • Associada da AAIRS desde 2005

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

13


prêmio caixa iab rs 2014 - josé albano volkmer

Um prêmio para

CELEBRAR

Lançamento do Prêmio José Albano Volkmer

Relato da Comissão Organizadora POR TIZIANO FILIZOLA ARQUITETO E URBANISTA REVISÃO MARCELO G. BRINCKMANN

A iniciativa do IAB RS de organizar um prêmio que valorize

No dia 04 de março o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB RS) e a Caixa Econômica Federal realizam o lançamento oficial do Prêmio CAIXA IAB RS 2014 José Albano Volkmer, com o objetivo de laurear o melhor trabalho de conclusão de curso (TCC) produzido em 2014 por turmas de formandos das faculdade de arquitetura e urbanismo do Estado. O objetivo do Prêmio, promovido pelo IAB e patrocinado pela CAIXA, é valorizar e divulgar a qualidade da produção acadêmica.

os trabalhos de graduação do Rio Grande do Sul é excelente e motivadora. Imaginar o quanto isso é importante para o pro-

fissional, que finaliza essa etapa de formação recebendo uma

distinção já no inicio da carreira, pela sua dedicação, compro-

metimento e criatividade, mostra um sinal de preocupação com

a excelência do projeto arquitetônico. O ato solene da formatura

emoldura e finaliza uma etapa de muita aprendizagem que por

O evento contou com a participação de ex-presidentes do IAB RS, da atual diretoria da entidade, representante da CAIXA e da maioria das faculdades de arquitetura e urbanismo do RS, de familiares de José Albano Volkmer, além da participação de estudantes já premiados.

sinal é onde a comissão organizadora do Prêmio começa atuar.

A organização começa pela pesquisa e listagem das uni-

versidades que possuem o curso de arquitetura e urbanismo no estado do Rio Grande no Sul. É organizado em formato

O Prêmio já está com dezessete anos de existência e recebeu o nome de “Prêmio José Albano Volkmer”, em homenagem ao saudoso ex-presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil no RS. “Este justo reconhecimento busca valorizar a memória de um dos mais importantes arquitetos gaúchos, de atuação relevante e diversificada, incontestável exemplo de profissional, professor e cidadão”, destacou Tiago Holzmann da Silva, presidente do IAB RS.

de planilhas contendo todos os dados referentes e relevantes

das instituições de ensino, como: endereço, telefone, nome do coordenador, contato, horário, e demais informações relevantes.

No total encontramos 30 universidades regulamentadas que

lecionam arquitetura no estado, sendo que oito delas ainda não possuem formandos até o momento.

Partindo desta organização inicial, realizamos o contato

Entre as atividades da premiação, está prevista a entrega de um certificado de Menção Honrosa ao melhor TCC de cada faculdade em cada semestre, durante os atos de formatura. Todos estes trabalhos foram submetidos a um julgamento por uma comissão julgadora nomeada pelo IAB RS, composta por Arquitetos de fora do Estado e de reconhecida trajetória. Os trabalhos também irão compor uma Exposição Itinerante aberta para toda a comunidade.

direto com os coordenadores dos cursos, solicitando o envio,

por e-mail do nome do aluno apto a receber a distinção no ato solene da formatura, considerando 01 aluno por semestre

(2014/01 e 2014/02). Após este longo contato, passamos para a etapa de confecção do material ao formando, incluindo:

elaboração do certificado da menção honrosa, carteirinha de

sócio do IAB, e informativos referentes ao prêmio e relatos das

Cronograma do Prêmio

principais atividades do Instituto. A entrega da menção honrosa,

• 04 de março de 2015 - Evento de Lançamento oficial do Prêmio e do Regulamento;

alguém da diretoria, membro de um núcleo do IAB no interior

normalmente, é feita por um arquiteto membro do IAB, sendo do estado ou sócio em dia com a sua anuidade.

• 16 de Março de 2015 - início dos envios dos trabalhos e esclarecimentos de dúvidas pelo e-mail oficial; • 24 de Abril de 2015 - prazo limite para recebimento dos trabalhos pelo e-mail oficial do Prêmio; • 08 e 09 de Maio de 2015 - Julgamento dos trabalhos • 1º de Julho de 2015 - Cerimônia de premiação na Sede do IAB RS, com lançamento do catálogo e abertura da exposição pública, seguido por um coquetel de confraternização.

A elaboração do regulamento do prêmio é um marco no

de cima para baixo • Tiago Holzmann fazendo a abertura do evento • Da esquerda para a direita: Tiziano Filizola e Marcelo G. Brinckmann, coordenadores, fazendo a apresentação do Prêmio • A mesa dos convidados, da esquerda para a direita: Maria Dalila Bohrer (PUCRS), Maria Cristina Lay (UFRGS), Danilo Landó (criador do Prêmio IAB RS), Eduardo Speggiorin (CAIXA) e Luciane Kinsel (UNISINOS)

projeto, e é feita com base nos editais já elaborados pela ex-

pertise do IAB em organizar concursos públicos de projetos de arquitetura, que motivam e geram boas oportunidades para os

escritórios expressarem o seu talento. É com base nos princípios da transparência que o candidato prepara o seu material,

cumpre prazos e soluciona dúvidas com relação aos diversos itens que devem ser cumpridos deste documento para que o trabalho participe da sessão de julgamento. 14

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

A sessão de julgamento é um momento interno de alta responsabilidade do processo. É onde recebemos arquitetos relevantes em nível de Brasil, para escolher e avaliar os trabalhos enviados. Sendo uma atividade de alto sigilo, os jurados não sabem os nomes dos autores e as universidades participantes. É o momento onde a comissão organizadora apenas contribui com suporte técnico e auxilia nas demandas que devem ser cumpridas durante a sessão. Para esta premiação foi incluída a elaboração de um catálogo, em edição especial da revista Espaço, que contém todos os trabalhos enviados, com a identificação dos autores e suas respectivas universidades. É um exemplar que também resume um pouco da trajetória do prêmio desde a sua criação em 1998, iniciativa do arquiteto Danilo Landó. Além de motivar e incentivar os estudantes, o prêmio tem a intensão de elevar o nível acadêmico do Rio Grande do Sul. Destacamos que este é um processo bastante complexo, pois envolve diversas pessoas e profissionais em múltiplas atividades, dentre as quais: a solicitação de textos e imagens, entrevistas, diagramação, conferência e muitas ideias que vão surgindo durante o processo complementando o projeto. Design gráfico, jornalistas, arquitetos, fotógrafos, revisores e toda equipe interna do IAB são envolvidos nesta etapa, a qual registra com astúcia toda a trajetória das atividades do processo. É a memoria, a valorização dos registros e pessoas, e de múltiplas ideias e esforços que fizeram parte do prêmio. A montagem da exposição dos trabalhos em formato A3, incialmente na sede do IAB, podendo ser itinerante, é aberta para a comunidade em geral e tem como objetivo interagir com os projetos enviados, divulgando importância de se pensar a arquitetura. A divulgação do resultado do prêmio representa o encerramento e o coroamento de todo o processo. É a celebração de todas as atividades desenvolvidas. É onde professores, alunos, arquitetos, representantes e apoiadores encontram-se para interagir, contemplar todo o conteúdo desenvolvido e celebrar a arquitetura. E por fim, é feito o arquivamento dos documentos gerados e a entrega da cartilha de processo, para que se possa organizar a próxima edição do prêmio com mais eficiência, permitindo melhorias e aperfeiçoamentos no processo. Aproveitem esta edição especial e apreciem os trabalhos!


prêmio caixa iab rs 2014 - josé albano volkmer

Regulamento

APRESENTAÇÃO

5. PARTICIPAÇÃO

7. ENTREGA DOS TRABALHOS

10. PREMIAÇÃO

O Instituto de Arquitetos do Brasil - Departamento do Rio Grande do Sul (IAB RS) apresenta ao público acadêmico o Prêmio Caixa IAB RS 2014 - José Albano Volkmer.

A participação dos formandos no Prêmio Caixa IAB RS 2014 - José Albano Volkmer é realizada em duas etapas. Na primeira, em cada semestre letivo, o IAB RS solicitou à direção de cada uma das escolas de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Rio Grande do Sul por meio das respectivas Comissões de Avaliação do TCC a indicação de um trabalho, dentre todos os apresentados por ocasião da conclusão do curso, que tenha características de excelência para receber a Menção Honrosa do Prêmio IAB.

Os trabalhos deverão ser enviados pelo seu autor exclusivamente em meio digital, através do email: premioiabrs@iabrs.org.br, conforme instruções descritas neste regulamento.

O Prêmio Caixa IAB RS 2014 - José Albano Volkmer, prevê a entrega de um Grande Prêmio para o melhor trabalho do ano de 2014 entre todos os trabalhos participantes. O Grande Prêmio desta edição será uma ‘Viagem para a Colômbia (Medellin)’, atual berço de arquitetura contemporânea de alta qualidade na América Latina. Este prêmio será efetivado somente com a cobertura dos valores referentes as despesas de passagens aéreas de ida e volta, na classe econômica e hospedagem de 07 dias em um hotel 03 estrelas.

Nosso Instituto mantém a sua tradição histórica de incentivo à cultura, desenvolvendo um contínuo trabalho de integração dos arquitetos e urbanistas com a sociedade rio-grandense, e investindo em atividades voltadas para a valorização e o aprimoramento profissional. O sucesso colhido nas edições anteriores do Prêmio estimula o seu Conselho Diretor a realizar novas edições, oportunizando a mostra da produção de trabalhos de relevância técnica, artística, social e cultural, revelando idéias inovadoras e de alta qualidade. Nesta oportunidade o Prêmio Caixa IAB RS 2014 - José Albano Volkmer conta com o apoio da CAIXA ECONÔMICA FEDERAL que teve a sensibilidade e a disposição de patrocinar a edição deste ano, também reforçando sua atuação na área e sua histórica parceria com as iniciativas do IAB e dos arquitetos e urbanistas. 2. JUSTIFICATIVA A premiação visa contribuir para a realização de objetivos históricos e permanentes do IAB RS, quais sejam, colaborar para a qualificação do ensino de Arquitetura e Urbanismo nas faculdades do Rio Grande do Sul, bem como estimular a discussão e chamar a atenção da comunidade para a qualidade da Arquitetura e do Urbanismo no Rio Grande do Sul, a qual é demonstrada em trabalhos exemplares. A premiação tem um alcance que extrapola o círculo restrito dos profissionais da Arquitetura e do Urbanismo e a participação na premiação proporciona estímulo aos formandos qualificando e reconhecendo o início de sua atuação profissional contribuindo para o desenvolvimento de suas cidades e comunidades. 3. OBJETIVO O Prêmio Caixa IAB RS 2014 - José Albano Volkmer tem por objetivo reconhecer o melhor Trabalho de Conclusão de Curso TCC - de cada semestre letivo de todos os cursos de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Rio Grande do Sul, e entregar um diploma de Menção Honrosa para o autor do trabalho durante a cerimônia de formatura (colação de grau) em sua faculdade de origem. Anualmente, o IAB RS compõe uma Comissão Julgadora para avaliar e premiar os mais destacados, entre os trabalhos que receberam Menção Honrosa para que um destes receba o Grande Prêmio anual. 4. COMISSÃO ORGANIZADORA A Comissão Organizadora é responsável pela elaboração das bases, regulamento, apoio e acompanhamento técnico a todas as atividades necessárias ao seu desenvolvimento. A Comissão Organizadora é formada pelo Coordenador Geral Arquiteto Marcelo Gribov Brinckmann (CAU A64973-2), Coordenadora Técnica Arquiteta Claudia Favaro (CAU A56105-3) e o Coordenador Adjunto Arquiteto Tiziano Filizola (CAU A50197-2) sendo os responsáveis pela organização da Premiação em nome do IAB RS.

A segunda etapa reúne todos os trabalhos que receberam a Menção Honrosa, ou seja, o melhor trabalho do primeiro e do segundo semestre de cada faculdade, para submeter ao julgamento de uma Comissão Julgadora que escolherá um Grande Prêmio anual e destaques. Esta edição do Prêmio Caixa IAB RS 2014 - José Albano Volkmer contempla os trabalhos concluídos e aprovados no 1º e 2º semestre de 2014. Para tanto, o IAB RS, em cada formatura das faculdades, entregou ao autor de cada trabalho selecionado um certificado de Menção Honrosa. São aceitos na premiação apenas os trabalhos de conclusão de curso aprovados em processo de avaliação próprio, por banca avaliadora ou outra forma, dos cursos de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Rio Grande do Sul, atendidas as normas internas destes quanto à temática e orientação pedagógica. A participação é individual, não sendo permitida a participação de trabalhos desenvolvidos em equipe. Não poderão participar do Concurso os trabalhos já publicados ou premiados em concursos ou premiações nacionais ou internacionais. 6. APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS Os trabalhos selecionados e que receberam o certificado de Menção Honrosa deverão ser formatados conforme as exigências deste Regulamento e encaminhados para a comissão organizadora do Prêmio IAB RS. Os trabalhos devem ser elaborados em 04 pranchas de tamanho A1 (84,1cm de largura por 59,4cm de altura) com o lado maior na horizontal, com área e selo padrão conforme Prancha Modelo disponível no site do Prêmio, devendo ser numeradas de forma sequencial de 1/4 a 4/4, sem qualquer informação que identifique o estudante, o professor orientador, o Coordenador ou representante do Curso. É necessário que sejam elaboradas também 04 (quatro) pranchas em formato A3 contendo a redução fiel das pranchas A1. Deverá ser enviada a ficha de inscrição preenchida por e-mail junto com as pranchas A1 e A3 para que a comissão organizadora possa realizar a identificação numérica aleatória dos trabalhos para dispor no dia da seção de julgamento. A identificação dos trabalhos será mantida sob sigilo absoluto pela Comissão Organizadora e somente será divulgada, após a leitura e emissão da Ata da Seção final do Julgamento. Todos os desenhos, textos, memoriais, explicações ou especificações deverão constar obrigatoriamente apenas nas pranchas, não podendo ser entregue material avulso para fins de avaliação e deverão ser entregues somente em meio digital. Considerando a diversidade de temas possíveis e a complexidade que os mesmos podem alcançar, os trabalhos deverão ser apresentados de forma a contemplar todos os seus aspectos, inclusive em relação à apresentação da temática, levantamentos, localizações, considerações preliminares ou ainda a problemática abordada. As pranchas e o Parecer de Avaliação do Trabalho não poderão conter símbolos, marcações, nomes, pseudônimos ou qualquer outro elemento que permita a identificação do estudante, do professor orientador ou da escola, sob pena de desclassificação. As Pranchas, mesmo que em formato digital, deverão observar os itens referentes à legibilidade dos textos e resolução das figuras em tamanho real (A1), pois poderão ser expostas em formato impresso.

As 04 pranchas A1 e as 04 pranchas A3, cada uma em um arquivo individual em formato “.PDF” deverão ser compactadas em um único arquivo (exclusivamente em extensão “.ZIP”, com tamanho máximo de 25Mb). As propostas somente poderão ser enviadas no período definido pelo Cronograma. As pranchas A1 em formato “.PDF” referidas acima, deverão obrigatoriamente ser nomeadas em ordem, seguindo exatamente a grafia: prancha01. pdf, prancha02.pdf, prancha03.pdf e prancha04.pdf. As pranchas reduzidas A3 em formato “.PDF” deverão obrigatoriamente ser nomeadas em ordem, seguindo exatamente a grafia: prancha01-a3.pdf, prancha02-a3.pdf, prancha03-a3.pdf e prancha04-a3.pdf. Em nenhuma hipótese e sob qualquer pretexto serão aceitas propostas que forem enviadas em desacordo com a forma e prazos previstos neste Regulamento, assim como entregues diretamente pelos concorrentes na sede do IAB RS ou por qualquer outro meio que não seja o eletrônico, nos termos deste Regulamento. Serão aceitos apenas os trabalhos enviados, impreterivelmente, até o dia e horário definidos neste Regulamento. Não serão aceitos, em hipótese alguma, trabalhos enviados após a data e hora de encerramento de envio. 8. SELEÇÃO E JULGAMENTO Os trabalhos serão examinados por uma Comissão Julgadora, que será formada por 03 (três) integrantes indicados pelo IAB RS, escolhidos pela sua capacidade e competência. Todos os integrantes da Comissão Julgadora são arquitetos e professores com atuação fora do Rio Grande do Sul. A lista com a nominata dos membros da Comissão Julgadora será publicada no site oficial do IAB RS. A Comissão Julgadora será responsável pela análise dos trabalhos a partir dos seguinte critérios básicos de julgamento: inovação, criatividade, objetividade, funcionalidade, economicidade, exequibilidade, contribuição tecnológica, contribuição social, sustentabilidade, entre outros, de ordem técnica e cultural.

As passagens serão emitidas de acordo com a disponibilidade dos voos, sem que, necessariamente seja voo direto. A cerimônia de premiação será pública acontecerá em ato público que será realizado pelo IAB RS, ocasião na qual estarão todos os trabalhos em exposição pública para visitação de todos os interessados. 11. EXPOSIÇÃO Os trabalhos premiados permanecerão expostos em local de fácil acesso ao público em geral, em Porto Alegre, seguindo-se de exposição itinerante, ao longo do ano, de todos os trabalhos nas escolas de Arquitetura e Urbanismo do Estado que demonstrarem interesse em recebê-los, o que desde já autorizam todos os participantes ao se inscreverem no Prêmio Caixa IAB RS 2014 - José Albano Volkmer, sem que sobre estas exposições lhes sejam devidos quaisquer valores a título de direitos de imagem ou de autor. 12. CATÁLOGO O Prêmio Caixa IAB RS 2014 - José Albano Volkmer irá editar um catálogo impresso em edição especial da Revista Espaço, do IAB RS, no qual serão publicados todos os trabalhos que participarem da premiação. Todos os participantes ao se inscreverem no Prêmio Caixa IAB RS 2014 - José Albano Volkmer automaticamente autorizam a publicação do seu trabalho no catálogo supracitado sem qualquer custo ao IAB RS. 13. CONSULTOR Qualquer esclarecimento sobre o Prêmio Caixa IAB RS 2014 - José Albano Volkmer deverá ser encaminhado para e-mail: premioiabrs@iabrs.org.br

A Comissão Julgadora deverá selecionar um trabalho entre os apresentados para receber o Grande Prêmio 2014. Além do grande prêmio a Comissão Julgadora também poderá selecionar trabalhos destaque.

As orientações do Prêmio IAB estão disponíveis no seguinte site: http:// www.iab-rs.org.br/premioiab

A Comissão Julgadora deverá redigir uma Ata Final de Julgamento que deverá discorrer sobre as qualidades dos trabalhos premiados, considerados os critérios de avaliação. Deverão também explicitar cada etapa de seleção do processo de julgamento, além de outras considerações que considerem importante para elucidar suas decisões.

14. CRONOGRAMA

As decisões da Comissão Julgadora serão inapeláveis e irrecorríveis. 9. DIVULGAÇÃO A divulgação do resultado será feita por ocasião da realização de um evento em Porto Alegre, para o qual serão convidados os autores dos trabalhos concorrentes, seus orientadores, diretores e coordenadores das escolas de Arquitetura e Urbanismo, bem como personalidades ligadas à profissão, conforme data definida neste regulamento. Nesta ocasião serão entregues os prêmios e homenagens.

As atividades do Prêmio Caixa IAB RS 2014 - José Albano Volkmer serão realizadas conforme o seguinte cronograma: • 04 de março de 2015: lançamento oficial do Regulamento e de informações para os concorrentes e Faculdades de Arquitetura e Urbanismo e divulgação no site do IAB RS; • 16 de março de 2015: inicio do envio dos trabalhos e esclarecimentos de dúvidas pelo e-mail oficial; • 24 de abril de 2015: prazo limite para recebimento dos trabalhos pelo email oficial do Prêmio; • 08 e 09 de maio de 2015: julgamento dos trabalhos no IAB RS; • 10 de junho de 2015: cerimônia de premiação na sede IAB RS, com lançamento do catálogo e abertura da exposição pública, seguido por um coquetel de confraternização.

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

17


prêmio caixa iab rs 2014 - josé albano volkmer

ASSOCIE-SE AO

Acima de tudo

VENCEDORES

Lista de todos os formandos participantes do Prêmio em 2014, reconhecidos com diploma de Menção Honrosa como o melhor trabalho de TCC de cada uma de suas turmas

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL - ULBRA (Canoas) • Valdir Bandeira Fiorentin - 2014/1 • Indiana Boscatto - 2014/2 UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL - UCS • Morgana Mussatto - 2014/1 • Eduardo Amaral da Trindade 2014/2 UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL - UFFS (Erechim) • Emanuelle Weber Feijó - 2014/2 UNIVATES (Lajeado) • Cristiane Klesner Colossi - 2014/1 • Cristiane Lavall - 2014/2 FEEVALE (Novo Hamburgo) • Fernanda Maitelli Locks - 2014/2 UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO - UPF • Jeferson Berté - 2014/1 • Daniela Cristhine Martarelo - 2014/2 Universidade Federal de Pelotas - UFPEL • Alana Machado de Oliveira - 2014/2 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS (Porto Alegre) • Lucas Fernando de Faria Burmann - 2014/1 • Pedro Artur Câmara - 2014/2 UNIRITTER LAUREATE INTERNATIONAL UNIVERSITIES (Porto Alegre) • Victória Rizzo - 2014/1 • Ana Fleck Velasco - 2014/2 CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA - IPA (Porto Alegre) • Kerolen Silva da Rosa - 2014/2 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL - UFRGS (Porto Alegre) • Lucas Piccoli Weinmann - 2014/1 • Thiago Yuuki Kajiwara - 2014/2

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC • Giulie Anna Baldissera Leitte Teixeira - 2014/1 • Mariele Cristine Costa - 2014/2 CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO UNIFRA (Santa Maria) • Jéssica Pinto Nicola - 2014/2 UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL - ULBRA (Santa Maria) • Ana Paula Hautrive Righi • Douglas Schwerz - 2014/2 UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS (São Leopoldo) • Augusto Probst - 2014/1 • Roberta Francine Ferrari - 2014/2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM • Filipe Bassan Marinho Maciel - 2014/2 UNIVERSIDADE DA REGIÃO DA CAMPANHA URCAMP (Bagé) • Suelen Hubert Janzen - 2014/2 UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA - UNICRUZ • João Vinícius Eidt - 2014/2 IMED (Passo Fundo) • Mariana Lazzari Basso - 2014/2 UNIVERSIDADE REGIONAL INTEGRADA DO ALTO URUGUAI E DAS MISSÕES - URI (Santiago) • Cristofhes Fidelis de Almeida - 2014/2 UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL - ULBRA (Torres) • Jonathan Maschmann dos Santos - 2014/1 • Athos Geizel Marques Diogo - 2014/2 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS - UCPEL • Vitória Borgens da Fonseca Cumerlato 2014/2

18

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

IAB RS O QUE O IAB RS FAZ PELA CATEGORIA: - Defende o arquiteto e a profissão desde 1947 - Promove eventos profissionais e culturais - Representa os arquitetos em inúmeros conselhos públicos - Promove cursos de formação e atualização profissional - Promove a Caravana da Arquitetura e o Prêmio IAB - Mantém núcleos atuantes em 8 regiões do estado - Promove e divulga os concursos públicos - Atua nacionalmente integrando o estado na rede IAB

ALGUNS BENEFÍCIOS AO ASSOCIADO: - Convênio Unimed: plano de saúde e odontológico - Divulgação gratuita do escritório no site do IAB - Desconto nos cursos e eventos do IAB - Seguro de responsabilidade civil - Consulta jurídica gratuita - Consulta contábil gratuita

CONTRIBUA E PARTICIPE! ENTRE EM CONTATO: IABRS@IABRS.ORG.BR (51) 3212-2552

PONTO DE CULTURA DO SOLAR DO IAB RS, PORTO ALEGRE, RS


prêmio caixa iab rs 2014 - josé albano volkmer

Júri

Na Sala Negra do Solar do IAB RS

A Sessão de Julgamento

A sessão de julgamento do Prêmio CAIXA IAB 2014 RS José Albano Volkmer ocorreu nos dias 08 e 09 de maio, no Ponto de Cultura Solar do IAB RS. Foram avaliados 30 trabalhos do primeiro e segundo semestre de 2014 que receberam Menção Honrosa nas Faculdades de Arquitetura e Urbanismo do RS. A comissão julgadora foi formada pelos arquitetos Gilberto Belleza, Irã Dudeque e Rafael Simões Mano. GILBERTO BELEZZA: O IAB do Rio Grande do Sul vem mais uma vez recuperando o grande papel que o Instituto de Arquitetos do Brasil tem na contribuição da cultura nacional. Essa premiação de estudantes mais uma vez retoma um papel importante que o IAB e os arquitetos têm na contribuição do ensino da arquitetura. Acho que essa premiação leva, sem dúvida nenhuma, uma retaguarda ao IAB e uma contribuição ao ensino de arquitetura nas faculdades do Rio Grande do Sul. Arquiteto (1985), Mestre (1997) e Doutor (2004) pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP). Foi professor da Faculdade de Arquitetura Brás Cubas (1987/1990), e desde 1990 é professor de Projeto e TFG na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Participou da equipe no escritório Rino Levi Arquitetos Associados (1983/1984) e do Arquiteto Joaquim Guedes (1984/1990). É sócio diretor do escritório Belleza & Batalha C. do Lago Arquitetos Associados, desde 1990 com inúmeras obras executadas. Tem trabalhos publicados e participou de exposições de arquitetura no Brasil e no exterior. Foi membro de júri de arquitetura de vários Concursos realizados no Brasil e professor orientador premiado em Concursos de Trabalhos de Graduação. Foi Presidente da Comissão de Ética do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Estado de São Paulo (1997 e 1998) e conselheiro durante três gestões (1994/1999 e 2003-2005). Foi Presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil, departamento de São Paulo durante duas gestões (2000/2001 e 2002/2003), Vice Presidente Nacional do Instituto de Arquitetos do Brasil (2001/2003 e 2004/2006) e Presidente Nacional do Instituto de Arquitetos do Brasil (2005/2008). Foi homenageado com o titulo de Personalidade da Arquitetura - 2004 pelo SINAENCO Sindicato Nacional das Empresas de Engenharia e Arquitetura Consultivas por seu trabalho em prol da arquitetura e dos arquitetos. Foi Presidente do XVIII Congresso Brasileiro de Arquitetos em Goiânia (2006). Foi membro integrante da organização das Bienais de Arquitetura desde a 3° edição, curador da 6° Bienal Internacional de Arquitetura em São Paulo - 2005 e membro do Conselho Curador da 7° Bienal Internacional de Arquitetura em São Paulo - 2007. Foi coodenador adjunto da Comissão de Exercício Profissional do CAUSP (2012/2014) e atualmente é Presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo - CAUSP

Da esquerda para a direita: o espaço pronto para a apreciação dos trabalhos; o júri em análise individual; foto com o banner do Prêmio; Belleza, Dudeque e Mano em debate para o consenso.

IRÃ DUDEQUE: De maneira geral os trabalhos tiveram uma qualidade bastante grande e

apresentações interessantes. E são também de maneira geral trabalhos pertinentes em termos sociais que apresentam problemas sociais relevantes, realçando a importância do arquiteto como agente transformador da sociedade brasileira.

Doutor e Mestre em Arquitetura e Urbanismo (FAUUSP, Universidade de São Paulo, 2005); Arquiteto e Urbanista (PUCPR); Bacharel em História (UFPR). Professor de História da Arquitetura e Teoria da Arquitetura (Curso de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Tecnológica Federal do Paraná). Vice-Presidente da Direção Nacional do IAB (2012-2017). Presidente do IAB-PR; Vice-Presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU) (2015-2017); Autor dos livros: “Nenhum dia sem uma linha: uma história do Urbanismo em Curitiba”. São Paulo: Studio Nobel, 2010. “Espirais de Madeira: uma história da arquitetura de Curitiba“ São Paulo: Fapesp: Studio Nobel, 2001.

RAFA MANO: Gostaria de parabenizar os estudantes pelo trabalho e pela dedicação que apareceram

em todas as pranchas. A partir de agora o aprendizado não acaba. Pelo contrário. Ele talvez se amplifique bastante. Estejam abertos a continuar aprendendo. E sobretudo, permaneçam com essa motivação, porque os problemas e restrições que apareceram até agora, ao contrário do que vocês possam pensar, serão bem maiores do que seus professores lhes impunham durante o curso. Parabéns e bom trabalho! Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS, 1998) e mestre em Engenharia Civil (Edificações e Comunidades Sustentáveis) pela mesma universidade (2004). Também é doutor, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ, 2012) e professor de Projeto de Arquitetura, e de Projeto de Arquitetura Urbanismo e Paisagismo Integrados na Universidade Federal do Tocantins (UFT), onde foi coordenador do Curso de Arquitetura e Urbanismo, do Trabalho Final de Graduação (TFG) e, atualmente do Laboratório de Arquitetura e Urbanismo (LAU). Tem experiência na área de projeto e execução em Arquitetura e Urbanismo, tendo conquistado primeiros lugares em concursos de projeto, recebido prêmios profissionais, além de publicações de obras em revistas especializadas. Atua principalmente em projeto de arquitetura paisagismo e urbanismo, ensino de projeto, sustentabilidade e nas relações entre as escalas da arquitetura e do urbanismo.

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

21


projetos

Trabalhos de Conclusão de Curso

NAS PRÓXIMAS PÁGINAS VOCÊ CONFERE O VENCEDOR, OS DESTAQUES E OS DEMAIS PARTICIPANTES DA EDIÇÃO 2014 DO PRÊMIO JOSÉ ALBANO VOLKMER

22 espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014


projetos

Vencedor

projeto

VENCEDOR Cristiane Lavall Centro Universitário Univates ESPAÇO VIVACIDADE - Arte, Cultura e Educação Professor Orientador: Alex Carvalho Brino Ano/Semestre Formatura: 2014/2

24 espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

A palavra Vivacidade deriva de «vivaz», ou seja, duradouro, que vive muitos anos. O projeto VivAcidade é um complexo de arte, cultura e educação, no município de Arroio do Meio. O conceito do projeto tem como premissa a criação de um espaço que seja democrático e que, através da arquitetura, adicione, agregue e regenere o espaço da existência coletiva e da urbanidade. Revitalizar uma quadra nobre em meio a um espaço central densificado; preservar e celebrar a natureza existente no local; respeitar o entorno edilício; primar pelo espaço livre e permeável, que seja acessível a toda população; integrar o projeto à escala da cidade. Com funcionamento em tempo integral, o espaço proporcionará a troca de ideias e interação da comunidade através de mostras artísticas, práticas sociais e de lazer.

O térreo superior do bloco Educação configura-se como o principal pavimento de acesso e distribuição do conjunto, com conexão ao restaurante (aberto ao público), salas especiais, térreo inferior e primeiro pavimento, além de direcionar à entrada principal do auditório, o qual possui capacidade para 400 espectadores, além de caixa cênica que poderá ser utilizada para receber diferentes tipos de espetáculos. Os dois pavimentos de estacionamento público funcionam durante o dia e, à noite, como apoio a eventos realizados no complexo, sobretudo na praça e auditório


projetos Vencedor

A supraestrutura do conjunto é demarcada pela modulação de 7,5m por 10m. As lajes são nervuradas, bidirecionais, com exceção do auditório, que possui laje superior do tipo caixão perdido, protendida e impermeabilizada. Pilares e arquibancadas são de concreto armado moldados in loco. A vedação do auditório é composta por placas de concreto pré-moldadas.

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

27


projetos Vencedor

Há uma retícula rigorosa de ordenação de todo o espaço, que parte do módulo base 60 cm, o qual rege desde o tamanho das nervuras das lajes, até os pisos interno e externo, rasgos verticais e mobiliário urbano. A materialidade é evidenciada nos volumes transparentes e herméticos do conjunto, que utilizam concreto aparente, madeira, vidro e metal. Esse último, compõe a proteção solar do bloco educação e restaurante.

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

29


projetos Destaque 1º destaque

Lucas Fernando de Faria Burmann PUCRS ACUPUNTURA URBANA no Bairro Floresta - Porto Alegre Professor Orientador: Rosane Bauer Ano/Semestre Formatura: 2014/1

A área de estudo no Bairro Floresta foi selecionada por ser um ponto-chave no 4° Distrito de Porto Alegre. Esta região foi parte fundamental do desenvolvimento da cidade no século XIX e XX e, atualmente, apresenta grandes problemáticas que, com a correta intervenção urbanística, podem tornar-se grandes potencialidades para o processo de revitalização do 4° Distrito e de seu entorno, socialmente marginalizados. A acupuntura urbana é um processo que propõe intervenções urbanísticas pontuais em uma área, isoladamente executáveis, mas conceitualmente complementares, que sendo aplicadas se fortalecerão como conjunto, para servirem de agentes transformadores positivos de seu entorno. Esse processo é dividido em 04 elementos: situação, visão, ferramenta e transformação.

O crescimento populacional concentrado nas áreas urbanas levou ao desenvolvimento acelerado e desordenado das cidades, trazendo consigo grandes passivos de infraestrutura, de maneira especial em relação aos problemas urbanísticos, chegando a atingir, em alguns casos, níveis de complexidade tão grandes, que tornaram inviáveis intervenções urbanas de grande escala devido ao seu alto custo, falta de agilidade e ineficácia. O conceito chamado de “Acupuntura Urbana”, consagra intervenções de menor porte, como forma de requalificar e revitalizar áreas urbanas degradas, tornando-se cada vez mais pertinente com o contexto atual ao contemplar as necessidades da população e promover a integração engajamento da sociedade.

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

31


projetos Destaque

A proposta prevê percursos de unificação para a área de intervenção e tem como princípios urbanísticos: Visuais: eixos vegetados ampliando-se em momentos especiais; Experiência no trajeto: caminho como experiência instigante e agradável; Espaços de permanência: pocket parks + vagas vivas ligadas por circuitos verdes; Segurança: diversidade de usos + iluminação para pessoas, edificações e veículos.

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

33


projetos Destaque

2º destaque

Pedro Arthur Câmara PUCRS

A Mediateca se apresenta como uma alternativa à biblioteca tradicional, um espaço muito mais dinâmico e que procura atender um público-alvo muito mais abrangente e distinto, se destaca não apenas como lugar de estudo e pesquisa, mas principalmente como ambiente de encontro e lazer.

MEDIATECA RS O terreno está localizado na cidade de Porto Alegre, no Bairro Centro Histórico. A área é de uso misto, tendo uma grande concentração de atividades comerciais e culturais durante o dia, e alguns moradores no período noturno. Possui toda a infraestrutura urbana de serviços e transporte necessários para a implantação de um grande centro cultural (mediateca). Um ponto muito importante é a possibilidade do deslocamento a pé. A maioria das pessoas que ali circulam durante o dia, tem à sua disposição uma enorme gama de serviços sem que necessitem o auxílio do transporte motorizado para acessá-los. A potencialidade do terreno está muito associada ao seu entorno. A proposta da mediateca requer um espaço urbano com bastante vitalidade e de fácil acesso à população. Professor Orientador: Luiz Alberto Sohni Aydos Ano/Semestre Formatura: 2014/2

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

35


projetos Destaque

Ao lado esquerdo o esquema de desenvolvimento da forma e composição do projeto. Busca da luz natural, respeito a pré-existência, fenestrações, público-privado foram algumas diretrizes deste projeto, além da busca por visuais. Os desenhos acima mostram os cortes do projeto, destaque para a espacialidade da escadaria para o terraço onde se encontra o bar/café.

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

37


projetos Destaque 3º destaque

Thiago Yuuki Kajiwara UFRGS REDE DE BIBLIOTECAS PARQUE Biblioteca Pinheiro Machado O tema do trabalho é inspirado no sistema de bibliotecas públicas de Medellín na Colômbia, chamadas de bibliotecas parque. A cidade que era famosa pelo narcotráfico, com a implementação das bibliotecas parque vem emergindo como uma das cidades colombianas com maiores oportunidades educacionais. A rede de bibliotecas parque tem como objetivo facilitar o acesso à leitura para toda população, através da distribuição dos equipamentos em pontos estratégicos da cidade. O terreno escolhido está localizado no bairro São Geraldo. O projeto desenvolvido busca atender a população local atual e futura, qualificando e revitalizando a região. O programa do edifício foi zoneado basicamente em duas grandes áreas: a biblioteca/midiateca e o espaço cultural e da comunidade. O edifício tem como conceito a busca sempre que possível, da conexão com o espaço aberto criando um espaço intermediário entre o interior e o exterior, permitindo uma melhora no conforto térmico e a leitura ao ar livre. Professor Orientador: Luis Carlos Macchi Silva Ano/Semestre Formatura: 2014/2

No térreo os dois usos se relacionam na praça pública de forma horizontal e o zoneamento de mesmo uso se dá de forma vertical. A edificação conta com: subsolo 02, onde se localiza o estacionamento e reservatórios inferiores; Subsolo 01, primeiro pavimento da biblioteca, configurando uma praça rebaixada, reservada do ruído externo, que conecta a praça pinheiro machado e a futura estação Cairú de metrô por baixo das vias.

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

39


projetos Destaque

O térreo se configura como uma grande praça aberta, conduzindo o pedestre por meio de planos retos e curvos para o interior do edifício. O segundo pavimento tem como conceito o espaço compartilhado dos espaços da biblioteca e dos espaços culturais e da comunidade, da forma mais flexível possível, com espaços para oficinas, workshops, exposições e qualquer atividade futura. A planta se configura como um anel voltado ao vazio interno que traz ar e luz para o interior do terreno. O terceiro pavimento é o terraço parque, espaço para leitura ao ar livre com vista panorâmica do entorno. Possui um café coberto por um plano que confere o arremate superior do edifício. espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

41


projetos

Ana Fleck Velasco UniRitter CENTRO COMUNITÁRIO DE AGRICULTURA URBANA Visando estimular a produção orgânica de alimentos nas grandes cidades a partir de investimentos em programas de agricultura urbana, este projeto propõe a criação de um espaço que possibilite tanto o cultivo e o manejo como o ensino na área de segurança alimentar, gastronomia e serviços alimentares. A ideia é de um programa experimental, tendo como “projeto piloto” o bairro Santa Terezinha, localizado na região Cruzeiro do Orçamento Participativo, considerada a segunda região com maior insegurança alimentar da cidade de porto Alegre. A concepção de um projeto modular e a adoção de um sistema construtivo pré-fabricado (pela sua eficiência, organização e alto poder de reprodução) vêm atender à necessidade de replicabilidade do projeto em outros bairros e comunidades da cidade. Professor Orientador: Eugenia Aumond Kuhn Ano/Semestre Formatura: 2014/2 Além de prever o recolhimento de água da chuva e um sistema de plantio vertical hidropônico, o espaço é composto por jardins pedagógicos, pomar, praças, espelho d’água, centro comunitário, salas de aula, laboratórios e cozinha.

O projeto tem como premissas: ambiente flexível, acessibilidade, acesso ao verde e à água, respeito à escala humana, atratividade, visibilidade e segurança. Contempla em seu programa um parque urbano, espaços de exposição, espaços de eventos e áreas acadêmicas.

Alana Machado de Oliveira UFPel O EMARANHADO RECONVERSO Reconversão da extinta Fábrica de Lãs Laneira Brasileira S.A “O Emaranhado Reconverso apresenta a reconversão de uma extinta fábrica de lãs, a Laneira Brasileira S.A, como um instrumento de Requalificação Urbana, gerador de lugares ativos para, e pela vida cotidiana daqueles que querem usufruir da cidade. (...) espaços de arquitetura silenciosa que por meio do uso, do fluxo e da iteratividade com os usuários, promovem o desemaranhar dos fios e a ressignificação desse espaço singular da cidade. ” O projeto se insere num vazio urbano de 2,8 hectares, composto por um complexo fabril da década de 50, inventariado, e de propriedade da UFPel desde 2010, no bairro Fragata, próximo ao centro de Pelotas. Propõe espaços criados para provocar a “experimentação do imprevisível” e a articulação entre camadas sociais, tendo o encontro como premissa fundamental. Professor Orientador: Otávio Peres Ano/Semestre Formatura: 2014/2

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

43


projetos

Ana Paula Hautrive Righi ULBRA Santa Maria CENTRO EDUCACIONAL NOVA SANTA MARTA Projeto de um Centro Educacional, localizado no bairro Nova Santa Maria, na cidade de Santa Maria, destinado a ofertar à população local e da região ensino médio e ensino profissionalizante, visando responder à demanda crescente por capacitação profissional. A área escolhida para o projeto localiza-se contígua a EEEF Santa Maria - Escola Estadual de Ensino Fundamental, que recentemente passou a atender também o ensino médio, apesar de não haver espaço adequado para tal finalidade. A fim de suprir esta demanda, a nova edificação viria complementar o atendimento de ensino médio da EEEF, além de proporcionar novos usos e atividades, disponibilizando alojamentos e serviços de apoio educacional, tais como esporte, cultura, lazer e refeição. Professor Orientador: Ana Luiza Enders Ano/Semestre Formatura: 2014/1

Com referências na arquitetura brutalista, a estrutura é composta por concreto aparente e moldado in-loco, além do uso de panos de alumínio e vidro. Dá-se destaque também à iluminação indireta dos ambientes internos, criados a partir de aberturas na cobertura.

Em seu programa estão dispostas salas de aula, laboratórios, biblioteca, auditório, anfiteatro, alojamentos, refeitório, quadras poliesportivas, além de jardins e espaços abertos de convivência.

Athos Geizel Marques Diogo ULBRA Torres IGREJA BATISTA O projeto surge de uma demanda existente na cidade por um novo espaço religioso projetado especificamente para tal fim, onde a maioria das igrejas locais não possui sede própria, tendo muitas vezes adaptações para o desempenho de suas atividades, que muitas vezes acabam por ser inapropriados e desconfortáveis para o público que as utilizam. Além de proporcionar uma experiência religiosa privilegiada pela criação de espaços especiais, com esse projeto visa-se “a produção de um espaço de referência para Capão de Canoa”, uma vez que se trata de uma região turística que tem sua população praticamente quintuplicada no período de veraneio, passando de aproximadamente 40.000 habitantes para 200.000 habitantes. Professor Orientador: Marcos Bueno Ano/Semestre Formatura: 2014/2

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

45


projetos

Cristiane Klesner Colossi UNIVATES CLÍNICA VETERINÁRIA QUATRO PATAS A proposta de construção de uma Clínica veterinária particular em Lajeado para o atendimento de animais de estimação (de pequeno e médio porte), situada no bairro São Cristóvão deu-se devido à carência local por clínicas veterinárias que atendessem às recomendações do Conselho Federal de Medicina Veterinária. Uma vez que, tanto a cidade quanto a região, possuem poucas unidades de atendimento, funcionando as existentes em edificações residenciais adaptadas e inadequadas para tais atividades. A criação de um espaço projetado especificamente para tal fim exigiu um programa diferenciado composto por cinco setores que visam separar atividades e fluxos distintos: comercial; clínico; cirúrgico/tratamentos especiais; administrativo/serviços e hospedagem, além de contemplar estacionamento privativo e pátio interno e recreativo. Professor Orientador: Merlin Janina Diemer Ano/Semestre Formatura: 2014/1

Composição equilibrada de três elementos: concreto aparente - apresenta aspecto frio e é utilizado nos fechamentos externos; grandes panos de vidro - confere fluidez, leveza e permeabilidade visual; e, o uso da madeira que vem proporcionar o conforto e aconchego ao conjunto.

Augusto D’Ávila Probst UNISINOS FUNDAÇÃO QUARTO DAS ARMAS Projeto de um Espaço Cultural no Centro Histórico de Porto Alegre - situado em terreno próximo à Cúria Metropolitana e ao Palácio Piratini, voltado a expor o “aspecto bélico da sociedade gaúcha”, que tem na história de sua formação constantes conflitos armados. Como referência plástica o projeto se vale do aspecto bruto das fortalezas militares dos pampas, bem como das construções oficiais de seu entorno “aristocrático e governamental” e suas volumetrias rígidas, porém, inova ao criar uma tensão com os conceitos militares romanos e sua malha formal e padronizada - baseados na movimentação das peças de xadrez (tour du cheval), despedaçando-os e estilhaçando-os, compondo planos que se espalham pelos plateaus criados a fim de melhor tirar melhor proveito do terreno acidentado. Professor Orientador: Ronaldo de Azambuja Ströher Ano/Semestre Formatura: 2014/1 “A intervenção se permite espalhar pelo terreno, adquirindo novos planos, em ângulos que não seguem uma marcação tão compreensível. É assim que ele deve permanecer e ser: um espaço bruto, fixo, rígido na cidade, onde o “caos”, que não passa de uma ordem complexa, acontece ao seu redor e o modifica sem tocá-lo”. espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

47


projetos

Daniela Cristhine Martarelo UPF “Baseado na tríade vitruviana (utilitas, venustas e firmitas), o material escolhido para a realização do CAOC será o concreto armado, por permitir explorar mais livremente a plasticidade da arquitetura.”

CONDOMÍNIO DE BAIXO IMPACTO AMBIENTAL - Em Machadinho/RS Projeto de um condomínio de baixo impacto ambiental para um público de classe média e média alta, situado em Machadinho-RS em terreno localizado próximo ao centro da cidade. Tanto o projeto urbanístico, quanto o arquitetônico das residências se baseiam nos princípios da arquitetura bioclimática e qualidade ambiental, priorizando o uso de técnicas e materiais que visem a sustentabilidade desde sua fabricação e origem da matéria-prima, como tijolo solo-cimento e o uso de madeira certificada. A arquitetura das edificações tem bases vernaculares e estão previstos tetos verdes, captação de água da chuva, tratamento de esgoto por raízes e placas fotovoltaicas, além de proteção das fachadas com vegetação caducifólia, a fim aproveitar a insolação no inverno e servirem de barreira no verão. Professor Orientador: Juan Jose Mascaró Ano/Semestre Formatura: 2014/2

Cristofher Fidelis de Almeida

O programa urbanístico prevê uma alta taxa de permeabilidade da água, a partir do uso de piso grama, piso intertravado, paralelepípedo e biovaletas. São previstos ainda salão de festas, salão de jogos, ciclofaixas e um setor de paisagismo produtivo, com pomar e composteira, além de preservação de vegetação nativa.

URI CENTRO DE ARTES E OFÍCIOS DO CARNAVAL - CAOC Uruguaiana A ideia de criar um Centro voltado para o ensino e desenvolvimento das Artes e Ofícios do Carnaval - CAOC, na cidade de Uruguaiana-RS, surge da necessidade de preservar, valorizar e divulgar a cultura do carnaval local, que desde 2005 tem sediado carnaval fora de época, contando com a participação de celebridades do eixo Rio - São Paulo no desfile. No intuito de manter a cultura do carnaval da cidade, amenizando uma provável perda de sua identidade pela dependência de artistas de outras regiões, busca-se com este projeto melhorar a qualidade dos profissionais locais, bem como fomentar e aperfeiçoar técnicas empregadas na concepção, confecção e no produto final do desfile das escolas de samba, focando na profissionalização nas categorias de base, de construção, de ornamento e de finalização. Professor Orientador: Nelci Denti Brum Ano/Semestre Formatura: 2014/2

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

49


projetos

Eduardo Amaral da Trindade UCS GARE DA LAGOA Estação Intermodal em Caxias do Sul Usou-se a própria mobilidade ao implantar no canteiro existente plataformas laterais aos trilhos, cada uma com blocos técnicos e de apoio. Para materializar o conceito Diversidade em Movimento entendeu-se que a interferência deveria ser mínima no solo e no skyline para que a rotina das pessoas fosse o elemento chave.

O transporte público vem sofrendo mudanças e adaptações para atender a demanda crescente da população. Além disso, Caxias do Sul está engajada no processo de revitalização dos trilhos que cruzam a área urbana, através da implantação do Trem Regional. Com a recente divulgação do Relatório de Viabilidade do VLT, foi percebido que a principal alteração do traçado ocorre no encurtamento do percurso fora do perímetro de Caxias do Sul. Aliado a área de domínio de 30 metros da Prefeitura Municipal, suficiente para a adaptação à geometria necessária de trens de superfície atuais, considerou-se que o traçado existente será recuperado. O estudo revela ainda quatro regiões da cidade que precisarão de estações de integração: Forqueta, Desvio Rizzo, Shopping, Viaduto e Central. Professor Orientador: Rafael Brener da Rosa Ano/Semestre Formatura: 2014/2

Emanuelle Weber Feijó UFFS MENORES ABANDONADOS Outro olhar sobre a desfiliação Projeto de qualificação do Lar Anjo Gabriel, criado em 1995, administrado pelo município e localizado nas imediações do centro de Concórdia-SC. A sede do Lar foi um centro de pesquisas e criação de suínos da Embrapa, e ao longo de seus 20 anos de existência poucas reformas foram realizadas para atender à função de abrigo. Além de resolver a questão da estrutura pouco adequada à sua função principal- abrigo, o programa ao criar um parque urbano e ambientes com fins terapêuticos e culturais abertos à comunidade, trata também da questão do estigma do local, proporcionando uma minimização das barreiras físicas e sociais que desconectam o Lar do resto da cidade e o olhar da sociedade sobre o tema do abandono infanto-juvenil. Professor Orientador: Ricardo Socas Wiese Ano/Semestre Formatura: 2014/2 Além dos espaços de uso específico do abrigo, O Lar possui um parque aberto à comunidade com espaços direcionados ao lazer e à cultura: quadras poliesportivas; café/lanchonete; biblioteca e sebo; espaço para fotografia, dança e música; ciclovias e pistas para caminhada. espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

51


projetos

Filipe Bassan Marinho Maciel UFSM QUALIFICAÇÃO DA PAISAGEM URBANA Uma proposta humanista para o Bairro Camobi Proposta de planejamento da paisagem natural e cultural para o bairro Camobi, na cidade de Santa Maria-RS, buscando uma abordagem humanista - que valorize o homem enquanto usuário dos espaços livres. A proposta visa o fortalecimento da “identidade do bairro como um lugar humano que promove a qualidade de vida e segurança de seus moradores, incentiva o zelo pelo patrimônio público, a integração comunitária e o sentimento de pertencimento.” O plano traça amplo diagnóstico local e estabelece diretrizes para as escalas macro (o bairro), meso (as centralidades) e micro (as ruas), identificando cinco centralidades e destacando propostas de intervenção para mobilidade, pavimentação, mobiliário urbano, infraestrutura verde e vegetação, prevendo o redesenho de vias e criação de espaços livres e de lazer, tendo como prioridade o pedestre e espaços de encontro Professor Orientador: Luis Guilherme Aita Pippi Ano/Semestre Formatura: 2014/2

Fernanda Maitelli Locks

“A fim de incorporar ao diagnóstico os valores, a memória e a referência dos atores sociais do bairro Camobi, realizou-se a leitura comunitária da paisagem através do exercício prático por nós, denominado Mosaico da Paisagem.”

FEEVALE PARQUE ESTALEIRO SÓ O principal objetivo do parque é valorizar a importância histórica que o Estaleiro Só tem para Porto Alegre. O lugar possui valor para o município, tanto pelo aspecto histórico, ao relembrar uma fábrica de grande importância, uma das pioneiras do setor naval no Brasil e que influenciou muito a economia da cidade e até mesmo do estado, quanto pelo aspecto cultural, no sentido de que o terreno, por ser próximo ao lago, deve ser um local para todos. O lugar hoje está totalmente degradado, é triste ver um terreno tão bem localizado na situação em que se encontra. Conforme o exposto, a solução para o local é que ele seja público, atendendo ao desejo da população, que é a verdadeira interessada e é quem poderá usufruir deste bem natural, através do programa com bares e restaurantes além de espaços que incentivam a cultura, a memória e o lazer e esporte. Professor Orientador: Luciana Néri Martins Ano/Semestre Formatura: 2014/2

Priorizar as VISUAIS do pôr-do-sol; Criar eixo ordenador destacando os dois pontos fortes do projeto: VISUAIS E MEMÓRIA AO ESTALEIRO SÓ; Proporcionar as visuais do pôr-do-sol junto à costa de toda cidade são as diretrizes de Projeto.

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

53


projetos

Indiana Boscato ULBRA Canoas REVITALIZAÇÃO DO PORTO HISTÓRICO DO RIO GRANDE O projeto de Revitalização do Cais do Porto para o Rio Grande-RS se insere num conjunto de intervenções de requalificação urbana do município, que vislumbram transformar o Rio Grande num importante Polo Turístico para o estado, posto que o município se situa numa zona estratégica de acesso ao Uruguai e Argentina através da BR-101, que todos os anos atrai um considerável fluxo de turistas. No intuito de aproveitar o potencial turístico e cultural da região, somada às tradicionais atividades do Balneário do Cassino, a revitalização do Cais proporcionaria, entre outras ações, a ampliação da Festa do Mar - promovida pela prefeitura, atraindo um maior público para a área do cais, proporcionando o retorno deste ao convívio da cidade. Professor Orientador: Patrícia Freitas Nerbas Ano/Semestre Formatura: 2014/2

O programa prevê a reciclagem dos antigos armazéns, incorporando-lhes usos vinculados às áreas de lazer e cultura, trata da mobilidade ao facilitar acessos, e, cria um novo ponto de encontro da população junto à Lagoa dos Patos.

Jeferson Berté UPF 3º BOE - Brigada Militar/RS Atualmente o 3º BOE- Batalhão de Operações Especiais da Brigada Militar- está instalado no antigo Quartel do Exército Brasileiro, no centro da cidade de Passo Fundo -RS, e possui estrutura inadequada para exercer suas funções. O complexo arquitetônico do novo Quartel e Centro de Treinamento para o 3º BOE irá abrigar um quartel e um centro de treinamento de policiais, que se destina a padronizar ações e técnicas policiais e a melhorar o treinamento e as condições de trabalho tanto do batalhão, como das demais instituições policiais e órgãos vinculados à Secretaria de Segurança Pública na esfera estadual e federal. O programa se divide em quatro setores principais: o comando do 3º BOE; o setor de treinamento; o setor de ensino teórico; e o setor de lazer. Professor Orientador: Eliane Panison Ano/Semestre Formatura: 2014/1

O projeto tem como eixo estruturador a hierarquia da instituição e a rigidez do sistema militar, tanto na concepção do paisagismo - retilíneo e ordenado, como na utilização da forma pura na arquitetura- na volumetria prismática dos blocos, interligados por passarelas.

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

55


projetos

João Vinícius Eidt UNICRUZ CENTRO DE RESTAURAÇÃO E VENDA DE VEÍCULOS ANTIGOS O Centro de Restauração e Vendas de Veículos Antigos, localizado na cidade de Ibirubá-RS, visa contribuir para o aumento do hobby da coleção de carros antigos com a construção de um local direcionado para a restauração, venda e exposição, além de proporcionar espaço para encontros de colecionadores e amadores desses automóveis. O ponto central é a conservação não apenas dos veículos - com atendimento técnico especializado, mas também da sua história. A criação desse Centro pretende torná-lo uma referência regional, contribuindo para o crescimento econômico da cidade. No intuito de impor uma linguagem arquitetônica contemporânea à edificação, a fachada principal exibe uma releitura da calda de um clássico entre os carros antigos - um Caddilac De Ville Coupe, 1958. Professor Orientador: Marcia Susana Sturmer de Andrade Ano/Semestre Formatura: 2014/2

“Para a fachada foi proposto painéis ACM na cor vermelha destacando a fachada principal, e placas na cor branca revestindo as demais fachadas. A pele de vidro, com utilização do sistema spider, veio como alternativa para a ampla fachada e transparência exigida no showroom de vendas”.

Jéssica Pinto Nicola

A estrutura se dá em vigas e pilares metálicos, com lajes em steel deck e vedações em steel frame. No Planetário, a estrutura esférica é sustentada através de treliças planas metálicas unidas ao redor de anéis de compressão.

UNIFRA CENTRO DA OBSERVAÇÃO ASTRONÔMICA DE SANTA MARIA Equipamento cultural de caráter semi-público, localizado no bairro Cerrito, na cidade de Santa Maria, o Centro da Observação Astronômica, além de vislumbrar a criação de um futuro curso de astronomia, tem como principal objetivo divulgar a astronomia e proporcionar a prática da observação amadora para indivíduos em geral. A forma do conjunto, bem como os zoneamentos e distribuição de ambientes são influenciados primordialmente pela teoria da relatividade, que trabalha as três dimensões, x, y e z e sofre interferência de uma quarta - tempo. “Quando um corpo de grande massa é adicionado a um plano bidimensional, ele o deforma, transformando-o em um espaço tridimensional. A quarta dimensão é o próprio tempo, uma linha entre um momento e outro, entre diferentes posições no espaço, entre diferentes épocas”. Professor Orientador: Estevan Barin Ano/Semestre Formatura: 2014/2

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

57


projetos

Kerolen Silva da Rosa IPA REQUALIFICAÇÃO URBANA NA VILA MARIA DA CONCEIÇÃO “O projeto partiu da premissa de criar diferentes blocos habitacionais, misturando tipologias de um, dois e três dormitórios”.

A projeto de requalificação da Vila Maria da Conceição, localizada no bairro Partenon em Porto Alegre visa uma qualificação da região a partir da melhoria no parcelamento do solo sem a necessidade de remoção das famílias para outras regiões. Para tanto, a proposta prevê a realocação de parte das famílias (de habitações mais precárias e adensadas) dentro da própria área da vila, e a manutenção das demais habitações e dos equipamentos existentes. A estratégia utilizada para facilitar as análises, o diagnóstico e os estudos de implantação foi a divisão da vila em três setores, onde foram distribuídos blocos habitacionais de quatro pavimentos, intercalados entre áreas verdes, playgrounds e pequenas praças, além de outros equipamentos como salas de estudos, espaço de apoio à escola de samba da região e áreas destinadas à oficinas. Professor Orientador: Leonardo Hortêncio Ano/Semestre Formatura: 2014/2

Jonathan Maschmann dos Santos ULBRA Torres RODOVIÁRIA DE TERRA DE AREIA/RS

Sob uma cobertura metálica modulada com aberturas em nuances de permeabilidade da luz natural, o novo programa dispõe de restaurante, café, revistaria, salas comerciais, agência de correios, posto policial, caixas eletrônicos, guichês, guarda-volumes, banheiros e fraldário.

Atualmente o município de Terra de Areia-RS conta com uma rodoviária que, apesar de existir há mais de 50 anos e ser bem localizada, não apresenta infraestrutura adequada - sem áreas cobertas destinadas a táxis ou embarque e desembarque, além de não oferecer outros serviços que tragam maior conforto aos passageiros e usuários. O projeto de uma nova Rodoviária para Terra de Areia, mais moderna e atrativa, viria contribuir para o crescimento local e melhorar a imagem da cidade, posto que acaba por receber o fluxo de ônibus de inúmeras empresas de transporte interestadual e intermunicipal e consequentemente um número significativo de passageiros diariamente, uma vez que encontra-se tanto na rota de ligação das serras gaúchas ao litoral norte do estado como na rota entre Santa Catarina e Porto Alegre. Professor Orientador: Efreu Quintana Ano/Semestre Formatura: 2014/1

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

59


projetos

Lucas Piccoli Weinmann UFRGS VAGA VIVA - Parking Loft em Porto Alegre A preocupação com a mobilidade urbana e com a grande quantidade de carros nos centros históricos vem levando várias cidades do mundo a restringir o seu fluxo e acesso, e, a exemplo dessas cidades, em Porto Alegre já tramita na Câmara projeto de lei que prevê a restrição do uso do carro no centro histórico, delimitando um perímetro de restrição inclusive para edifícios garagem. Em resposta à necessidade de repensar o uso desses edifícios e baseado nas intervenções do grupo “Vaga Viva”- grupo que se reúne para ocupar em o espaço de uma vaga de carro com atividades voltadas para o público, este projeto consiste na adaptação programática e espacial de um edifício garagem no Centro Histórico de Porto Alegre, ressignificando os espaços antes utilizados pelo automóvel ao uso e convívio pelas pessoas. Professor Orientador: Marta Peixoto Ano/Semestre Formatura: 2014/1

Edifício garagem transformado em edifício de apartamentos, lojas, área de lazer, escritórios. “(...) Estes são os parking-lofts, por retomar para pessoas espaços que tinham o uso da máquina trazendo moradia e trabalho em um mesmo conjunto.”

Mariana Lazzari Basso IMED PARQUE MULTIUSO SANANDUVA A ideia de criar um Parque Multiuso para o município de Sananduva-RS surge no intuito de promover o desenvolvimento cultural, social e econômico da comunidade local, respondendo à carência tanto por áreas de lazer equipadas - uma vez que existem poucas e pequenas praças para atender a população, como por espaços que abriguem grandes eventos, posto que a cidade recebe três eventos anuais de grande porte: a Feira do Livro, o Acampamento Farrapo e a Expo Sananduva. Pela precariedade de infraestrutura que comporte eventos desse porte, atualmente realizados nas ruas do município (o último dividindo espaço com o Parque de Rodeios), estes acabam por vezes sendo prejudicados e até cancelados, trazendo prejuízos ao município.

Como resgate da identidade local, a “Sananduva” - conhecida por “Corticeira do Banhado”, árvore que dá o nome a cidade, tem sua preservação e replantio contemplados no programa, além de inspirar a releitura de seus troncos e galhos nas colunas e coberturas da edificação.

Professor Orientador: Anicoli Romanini Ano/Semestre Formatura: 2014/2

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

61


projetos

Mariele Cristine Costa UNISC REQUALIFICAÇÃO DO BALNEÁRIO PRAIA DOS INGAZEIROS - Rio Pardo/RS

Morgana Mussatto UCS REQUALIFICAÇÃO DO LARGO DA ESTAÇÃO FÉRREA - Caxias do Sul/RS

A proposta de Requalificação do Balneário surge no intuito de alavancar o turismo na região, que apesar do inegável potencial turístico - por seu valor histórico e cultural, contrasta com a falta de investimentos em infraestrutura para o desenvolvimento local. Com a desativação do antigo porto - responsável em ligar a região a Porto Alegre (através do transporte de mercadoria, cargas e pessoas), a área foi se degradando e ganhou novos usos ao longo do tempo, servindo atualmente de ancoradouro a pequenas embarcações, e, utilizado para a pesca, festas típicas e lazer. O projeto tem como premissa a valorização da história e da cultura local - criando espaços voltados para atividades culturais e de lazer, aliada à preservação ambiental, adaptando o projeto às enchentes anuais, utilizando materiais e soluções locais.

O Projeto de Requalificação do Largo da Estação Férrea de Caxias do Sul tem como objetivo regenerar espaço urbano a partir da preservação de pré-existências arquitetônicas encontradas na área, com previsão de atividades diurnas e noturnas. Viu-se na região grande potencial turístico e de lazer, possui significativa área histórica com acentuada qualidade espacial. É um lugar portador de valores, seja cultural, arquitetônico, histórico, de memória e inclusive econômico, onde aconteceram as primeiras transações e escoamento de produção local. O estudo da região e do sítio ferroviário demonstraram as camadas históricas existentes e sua influência nos dias atuais. Auxiliou na percepção das carências espaciais geradas pela linha férrea desativada e pré-existências arquitetônicas abandonadas.

Professor Orientador: Luiz Carlos Schneider Ano/Semestre Formatura: 2014/2

Professor Orientador: Erinton Aver Moraes Ano/Semestre Formatura: 2014/2

O programa conta com camping, espaços de esporte e lazer, churrasqueiras, bares e restaurante fixos e flutuantes, preservação das ruínas do antigo porto, mirantes e reestruturação dos pavilhões existentes - com cafés, banheiros e espaços para exposição.

Obteve-se a requalificação do Largo da Estação Férrea central de Caxias do Sul, a partir da preservação e re-funcionalização de pré-existências arquitetônicas em paralelo à nova edificação. Além de contribuir com novos usos, mantêm vivas atividades dos espaços abertos.

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

63


projetos

Valdir Bandeira Fiorentin ULBRA NEO CENTRO - Centro Clínico Especializado no Tratamento de Neoplasias O Neo Centro, idealizado para ser um Centro de Tratamento Oncológico de referência e abrangência regional - compondo um complexo hospitalar junto ao Hospital Nossa Senhora das Graças, localizado em Canoas-RS, surge da necessidade de humanização dos ambientes hospitalares, e como resposta à demanda por hospitais especializados para tratar a doença que tem apresentado altas taxas de crescimento, e que no caso regional, agrava-se pelo fato de o Rio Grande do Sul ser o estado do Brasil com o maior índice de mortalidade pelo câncer. O Centro tem como foco o atendimento multidisciplinar voltado além do tratamento, à prevenção - espaços para palestras e exames diagnósticos, e à reabilitação - ambientes que priorizem o bem estar do paciente, que se encontra física e emocionalmente vulnerável. Professor Orientador: Patrícia Freitas Nerbas Ano/Semestre Formatura: 2014/1 “Optou-se por uma linguagem formal silenciosa, sem grandes interferências formais na edificação existente, de forma a respeitar os fluxos já existentes no hospital e os desníveis topográficos do terreno.”

“Todos os pavimentos da torre possuem reentrâncias que foram dimensionadas considerando a insolação oeste e norte, para que nos períodos de inverno e verão a fazenda pudesse usufruir de luz direta em pelo menos metade das culturas.”

Roberta Francine Ferrari UNISINOS HORTO2 - Fazenda Vertical A criação de uma fazenda vertical para a região serrana, em Caxias do Sul, se justifica pela necessidade de gerar suprimentos para uma população que se encontra em crescimento contínuo, sem causar um desequilíbrio ambiental. O projeto tem como princípio norteador a sustentabilidade, prevendo o uso do aço como “construção limpa” -por não gerar resíduos e pela facilidade de acesso à matéria prima, posto que o município é um polo metal mecânico. Além de pensar estratégias para manutenção do edifício e das culturas previstas para a fazenda, criando sistemas de resfriamento alternativo, condicionamento de ar, tratamento de efluentes e reaproveitamento de águas cinzas, além da estimativa de consumo energético da edificação. Professor Orientador: Izabele Colusso Ano/Semestre Formatura: 2014/2

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

65


projetos

Victoria Friedrich Rizzo UniRitter ONG WIMBELEMDON - Inclusão social a partir do tênis Proposta de nova sede para a ONG WimBelemDon, localizada no bairro Belém Novo em Porto Alegre, entidade que busca promover habilidades e atitudes em crianças em situação de risco através do ensino do tênis e de atividades extraescolares, facilitando sua integração social. O intuito deste projeto é servir de alternativa para abrigar todas as necessidades do programa da ONG, posto que, a atual sede não possui um local projetado para exercer suas atividades devido à falta de investimentos. A proposta contempla uma construção a partir de Protótipo Modular, com materiais pré-fabricados de fácil montagem - estrutura metálica (estrutura e cobertura) e vedações internas em CLT (lajes e paredes), que ainda possa ser replicada em outras comunidades do Brasil, sendo adequada às necessidades específicas de cada local e grupo. Professor Orientador: Luciano Andrades Ano/Semestre Formatura: 2014/1

“A volumetria do projeto é composta de um círculo, que representa o espaço de integração do centro cultural com a comunidade. A forma circular possibilita que os visitantes enxerguem de maneira igual as ações que ali ocorrerem.”

“Esse protótipo escolar permite a ampliação e incorporação de novos módulos, otimizando as necessidades e possibilidades do programa de cada comunidade.”

Vitória Borges da Fonseca Cumerlato UCPel FUNDAÇÃO PORTO CULTURAL Projeto de um Centro Cultural, na cidade de Pelotas, de iniciativa privada que, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, tornar-se-ia uma fundação. “Espaço que tem como principal objetivo a propagação da cultura da cidade de Pelotas e a busca por uma cultura internacional.” Com intensa programação social, oferecendo diversas atividades gratuitas e visando a inserção social e a melhoria da relação da comunidade com o próprio espaço da cidade. Nesse intuito, o projeto tem como diretriz principal a integração da edificação com o entorno imediato, a partir de uma revitalização da praça à sua frente, prevendo mobiliário urbano, iluminação, pavimentação e promovendo o fechamento de trecho de uma das vias de acesso (Rua Alm. Tamandaré) aos finais de semana para a utilização exclusiva por pedestres. Professor Orientador: Alexandre Pereira Maciel Ano/Semestre Formatura: 2014/2

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

67


cultura

ADRIANA XAPLIN Curadora da Galeria Espaço IAB

TROFÉUS E PRÊMIOS

O troféu é uma escultura que assume a função de premiar. Existe uma gama não quantificável de intenções e subjetividades em cada artista ao conceber um troféu, que podem ser apresentadas em suas especificidades ou apenas apreciadas, deixando que nossos sentimentos estabeleçam juízos. O contemplado também interage e colabora na construção simbólica do significado de cada forma e materialidade, e a premiação segue seu papel de testemunho de uma ação valorizada coletivamente, diferenciada e com relevância, podendo estar aberta a inúmeras interpretações. Como trata-se de um prêmio que preserva a liberdade criativa, as obras não são esculturas serializadas, que levam em consideração estritamente custo, peso, ou beleza. Tratam-se de obras singulares, com os artistas Vinicius Vieira, Mario Cladera e Angela Pettini estabelecendo um diálogo que compôs um conjunto de volume semelhante entre as partes, mas que se difere pelas técnicas, materiais e formas escolhidas. Dessa maneira se destaca a diversidade da produção dos troféus, possivelmente motivada pelo fato de que os três artistas que participam da confecção serem de diferentes escolas, gerações, formações e influências, o que enriquece o prêmio, tornando-o também inédito pela abrangência. Atendendo ao princípio de fomentar e abrir novas redes, com a manutenção do calendário expositivo da cinqüentenária Galeria Espaço IAB, e agora com a inserção da escultura em tão relevante premiação, os arquitetos fazem jus ao título de reconhecimento como Ponto de Cultura Solar do IAB concedido recentemente pelo MinC e pela SEDAC RS, pois realiza ações continuadas que se caracterizam pelo papel democrático de agregar diversos saberes, abrindo-se ao diálogo e às novas percepções de arte na contemporaneidade.

Ao premiar com escultura, o Instituto de Arquitetos do Brasil valoriza a produção artística e preza pela aproximação entre as artes visuais e a arquitetura. Os troféus são obras únicas, feitas especialmente como algo pessoal, intransferível, para uma pessoa em um momento especial, propiciando trocas de saberes tanto para quem recebe como para quem concebe e confecciona a obra. Essa valorização nos faz lembrar do professor José Albano Volkmer, que com suas sábias palavras destacava que “traços e riscos emocionam, alimentam a vida, esculpem sentimentos (...)”. Albano nos faz sentir saudade, contudo seu positivo legado é presente e repercute em ações inclusivas como essa protagonizada pela atual diretoria do IAB RS.

Curadora e escultora. Conselheira de cultura de Porto Alegre pelo segmento de artes visuais. Desde 2009 faz a curadoria das exposições de artes visuais da Galeria Espaço IAB. Como artista, já realizou dezenas de exposições individuais no Rio Grande do Sul e em outros Estados desde a década de noventa. Entre essas exposições se destacam a mostra Linha Tênue, realizada no Campus Central da UFRGS em 2005, a exposição Espécie Humana no Jardim Botânico em 2008, e o trabalho Liga da Canela Preta, durante a Copa do Mundo Fifa-2014 no Museu Júlio de Castilhos. Adriana Xaplin também foi parecerista do FUMPROARTE, em Porto Alegre, de 2009 a 2012.

Vinicius Vieira Autor do troféu do projeto vencedor

Imerso no desafio de propor uma obra de arte em homenagem ao melhor trabalho de arquitetura e urbanismo, acreditei ser importante que a concepção da escultura como troféu Prêmio IAB José Albano Volkmer surgisse da necessidade de remeter ao desenho no espaço, em caminhos congruentes que ocupam o tridimensional a partir do cruzamento de duas dimensões, como uma épura, dessa maneira associando a forma adotada ao próprio processo criativo daquele que projeta, que vê o desenho se constituir em novas volumetrias antes mesmo da edificação vir a ser executada. Para arquitetos e escultores, a representação bidimensional assume o papel de suporte sintetizador das idéias a serem colocadas em prática. Nesse contexto, a forma adotada no troféu busca solubilizar desenho e espaço, não dissociando os dois, demonstrando a mesma origem no ponto vermelho, como singular gerador de linhas, áreas e volumes. Porto Alegre, 1981. Escultor, arquiteto e urbanista (UFRGS, 2009). Atualmente é vice-presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB RS, presidente da Associação dos Escultores do RS - AEERGS, e membro titular do Conselho Estadual de Cultura - CEC RS. Já realizou dezenas de exposições. Foi parecerista do FUMPROARTE de 2012 a 2014, representando o segmento de artes visuais. Vieira tem como foco de sua produção a execução de obras de arte em espaços públicos de Porto Alegre, como a Pegada Africana, na Praça da Alfândega, além de obras no campus da UFRGS, no bairro Bom Jesus, na UFCSPA, no Parque Farroupilha e no Muro da Mauá. Também integra o coletivo de artistas do Museu de Percurso do Negro em Porto Alegre.

A faculdade do projeto vencedor ganhará uma placa exclusiva com os dizeres “Esta distinção é em homenagem ao TCC vencedor do Prêmio Caixa IAB RS 2014 - José Albano Volkmer Projeto (nome do projeto), elaborado por (nome do autor), formando desta faculdade em 2014”

68 espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014


cultura

Mario Cladera

Autor do troféu Professor Orientador

Há três décadas tenho me dedicado à criação de diversos troféus, desenvolvendo uma linha singular e autoral, misturando diferentes materiais que não são costumeiramente utilizados na confecção deste tipo de obras (troféus). Destaco entre os trabalhos realizados, anualmente há duas décadas, a criação do Prêmio do Concurso de Jornalismo organizado pelo Movimento de Justiça e Direitos Humanos junto a OAB-RS, ARFOC e REL-UITA, o Troféu da FAPERGS 1998, a “Taça Solidariedade” para os campeonatos Gauchão 1995 e 1996, “20 Gauchos que marcaram o Rio Grande” para RBS, 1995, “ 20 anos Taurus” para a empresa em 1989, escolhida em concurso público. O troféu “Caixa IAB RS, categoria Professor Orientador”, ao contrário de uma proposta descritiva a priori, sugere uma alusão poética imanente à fruição da obra. A simbologia resulta do diálogo e contraponto que as formas e materiais estabelecem. Um dos elementos compostos de resina polida, em forma de estrela seccionada, remete à uma rosa dos ventos tridimendional se fragmentando. A transparência e os reflexos que emite invocam uma imaginária condensação de energia, que junto ao outro elemento em ferro, sutil, se materializa e flutua, como a ser transportada ou lançada. O ferro, que por natureza é duro, rígido e pesado, se apresenta disforme, derretido e simultaneamente leve e em movimento. Feito vela sugere movimento, como barco a navegar. Aparenta estar corroído, é vestígio e, por tanto, perde excessos e expõe a essência. É metal transfigurado em ação, gesto e intuição. A resina no entanto é design projetado, pensado, é planejamento e razão. Nesta obra mais do que as formas, a definem as tensões e diálogos que as mesmas provocam. Desta maneira o troféu discorre sobre o papel e a dinâmica que envolve a atuação do orientador junto à pesquisa e a seus alunos. Luis Mario Cladera nasceu em Montevidéu, Uruguai, em 1958 e reside em Porto Alegre desde 1978. Trabalhou no ateliê do escultor Vasco Prado e da gravurista e tapeceira Zorávia Bettiol, e, nessa época, também junto à ceramista Argentina Martha Kearns. Bacharelando em Artes Visuais pelo Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi aluno dos escultores Prof. Cláudio Martins Costa, Prof. Carlos Tenius e da Prof. Rose Lutzemberger. Desde os anos 80 participou de mais de 100 eventos entre exposições coletivas, individuais, salões e leilões, a destacar: “3o Salão Jovem Arte Sul América” Museu de Arte do Rio Grande do Sul, 1983; “2a Mostra de Escultura João Turim” , Museu Contemporâneo, Curitiba, 1993; exposição individual no Centro Integrado de Cultura, Florianópolis, 1992; exposição individual “La Nave de los Negros”, Centro de Cultura Brasil-Espanha, Porto Alegre, 1995; exposição individual ‘Fragmentos de uma trajetória” na Casa da Cultura Percy Vargas, Caxias o Sul, 2009 e “O Vazio, a Luz e a Matéria” , Universidade de Caxias do Sul, 2011; em 2012 Prêmio Aquisição no Salão de Artes Visuais de Canoas. Entre as obras públicas se destaca “Monumento Memorial Chico Mendes” em Porto Alegre, 1992; reprodução da obra “O Laçador”, símbolo da cidade de Porto Alegre, na Praça da Irmandade em Kanasawa, Japão, 1995, ambas vencedoras de concursos públicos. Realizou 12 bustos e hermas instalados em locais publicos de Porto Alegre, Brasília e interior do RS. A partir de 1984 foi convidado a ministrar cursos em instituições como Centro Municipal de Cultura, Porto Alegre; Centro Integrado de Cultura, Florianópolis; Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre; ministrar palestras; compor curadorias e supervisão de oficinas para a Prefeitura de Porto Alegre. Dedicou-se ininterruptamente ao ensino da escultura no seu ateliê de 1986 até 2007. De 2007 a 2012 ministrou aulas no Atelier Cor da Terra em Porto Alegre, de 2008 até 2013, no Instituto Bruno Segalla e, em parceria com o SESI, a Oficina de Escultura para Trabalhadores da Indústria, em Caxias do Sul, RS. Atualmente promove aulas na sede da Associação dos Escultores do RGS, em Porto Alegre, e em Caxias do Sul no atelier de Elisa Zattera. Recentemente foi convidado para atuar como curador de premiação do Simpósio Internacional de Escultura em pedra de Bento Gonçalves. A partir de 2015 faz parta da Diretoria da AEERGS.

Angela Pettini

Autora dos troféus Destaques

O troféu simboliza o arquiteto na organização de espaços externos e internos unindo o exato à humana. A união entre arte e ciência, estética e funcionalidade, consente o planejar, inovar e consolidar a busca pela qualidade de vida. Sua identidade visual. Porto Alegre, 1952. Realizou a sua formação artística com os professores: Danubio Gonçalves, Zu Campos, Anestor Tavares, Paulo Peres, Cláudio Martins Costa, no Atelier livre da Prefeitura de Porto Alegre, além do curso de atualização com os professores Francisco Stockinger, Vasco Prado, Armindo Trevisan e Mônica Zielinsky. Suas obras participaram de inumeros salões.

70 espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

Solar do IAB é

PONTO DE CULTURA POR RAFAEL PAVAN PASSOS Coordenador do Ponto de Cultura do Solar do IAB e Vice-presidente do IAB RS

Desde dezembro último, o Solar do IAB RS é mais um dos Pontos de Cultura do Rio Grande do Sul, instrumento fundamental da Política Cultura Viva. É um reconhecimento por parte da sociedade e do Estado das ações da entidade em promover junto à sociedade uma agenda permanente de atividades diversas com foco nas cidades e na cultura, tendo, claro, como linhas gerais a arquitetura e o urbanismo. São considerados Pontos de Cultura os grupos e coletivos, entre eles entidades não-governamentais, que desenvolvem ações culturais continuadas nas comunidades, sejam de caráter territorial ou temático. Através de convênio entre Ministério e Secretaria Estadual da Cultura, são abertos editais de seleção dos Pontos de Cultura, os quais passam a receber recursos para desenvolvimento de suas atividades durante três anos.

as quais objetivam promover a formação de uma cultura arquitetônica e urbanística, o que entendemos como uma condição necessária para a qualificação da participação social na gestão democrática das cidades. Desta forma acreditamos estar colaborando de forma singular para ativar as interfaces necessárias entre as políticas culturais e urbanas.

Também em 2014, o Estado do Rio Grande do Sul foi pioneiro na instituição da Política Estadual Cultura Viva, com a promulgação da Lei 14.663, a qual contempla avanços em relação à Lei Federal, sobretudo no que tange à gestão democrática, posto que prevê a criação de um Comitê Gestor da Política, colegiado com composição paritária entre sociedade civil e diferentes entes federativos.

O IAB RS tem recebido as reuniões do Fórum Metropolitano de Pontos de Cultura, oferecendo sua estrutura diferenciada a esta rede de diversidade cultural. Muitos dos fazedores culturais da rede tem mesmo uma relação afetiva com a entidade e sua sede, nascida seja nos tempos do saudoso bar do IAB, seja, mais recentemente, no período em que o Solar e o IAB acolheram os movimentos sociais que organizaram tanto os Acampamentos, como o próprio Fórum Social Mundial.

Compõem as atividades do Ponto de Cultura Solar do IAB, as Quartas no IAB, com um novo eixo temático, intitulado Cidade e Cidadania, que visa promover debates sobre a cidade e a cultura como direito, tendo a cidadania como um meio para sua consolidação. Prevê-se ainda uma série de atividades descentralizadas, a ser realizadas junto às comunidades, em outros pontos de cultura,

Por fim, o reconhecimento do Ponto de Cultura Solar do IAB, coloca nossa entidade mais uma vez à frente de uma política cultural que propõe avanços fundamentais na própria visão de cultura, que “premia” não só a atual gestão cultural do Solar, como o histórico do IAB na defesa da cultura e da cidadania, mesmo nos tempos mais sombrios de nossa República.

Em 2014 foi promulgada a Lei Federal 13.018, que dá ao Programa Cultura Viva o status de Política Nacional de Cultura, a qual tem entre seus objetivos a promoção da cultura como direito de cidadania, o respeito à diversidade cultural como expressão simbólica e como atividade econômica. Enfim, é uma política que visa promover as manifestações culturais de base comunitária.

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

71


formaturas

Representantes IAB RS Agradecemos a dedicação e presença dos colegas listados abaixo que fizeram a entrega da menção honrosa no ato solene

Entrega da Menção Honrosa

A PRIMEIRA ETAPA

• Foto maior: formatura UNIVATES em Lajeado • Acima, à esquerda, Efreu Quintana entregando a menção honrosa na ULBRA Torres a Athos Geizel Marques Diogo • Acima, à direita, Henrique Dauber entregando a menção honrosa na ULBRA Canoas para Indiana Boscato

72 espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

Alexandre Nichetti Aneliese de Almeida Corrêa Cibele Fiori Claudia Favaro Cláudio Renato de Camargo Mello Efreu Quintana Gustavo Garcia de Oliveira Henrique Dauber Hilton Fagundes Luis Antônio Machado Veríssimo Marcelo Arioli Heck Maria Dalila Bohrer Maria de Lurdes Campos Costa Nelci Denti Brum Nino Machado Nirce Saffer Medvedski Patrícia Moreira Moura Rafael Pavan dos Passos Roberta Krane Edelweiss Rodrigo Salvati Rosely Hachmann Sheila Comiran

acima, a partir da esquerda • Claudia Favaro entregando a menção honrosa na FEEVALE em Novo Hamburgo a Fernanda Maitelli Locks • Rosely Hachmann entregando a menção honrosa na UFFS Erechim para Emanuelle Weber Feijó • Marcelo Arioli Heck entregando a menção honrosa na UNIVATES em Lajeado a Cristiane Lavall


notícias IAB RS

CIDADES INTELIGENTES na pauta do IAB RS

Especialistas da área de urbanismo participaram no dia 13 de maio do debate “Cidades Inteligentes”, no Ponto de Cultura Solar do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB RS). A atividade integrou o ciclo de palestras Desafios Urbanos, promovido pelo IAB RS. A mediação foi da jornalista Kátia Suman. O evento contou com palestra de Paolo Bertaccini Bonoli, que falou direto de Milão, via Skype, sobre o tema “Smart”. O italiano contou que a cidade é uma das poucas em seu país, que historicamente encarou o processo da modernidade. “Outras cidades italianas são muito ligadas a tradição”, disse. Ele também informou que Milão possui sistemas públicos de automóveis e bicicletas compartilhados. “Não existe vandalismo. O sistema é um dos mais desenvolvidos do mundo e as estações de bicicletas públicas estão disponíveis em diversos pontos da cidade”, informou Bonoli. Mas ele acrescenta que o sistema de ciclovias ainda não é eficaz, as pessoas pedalam entre os carros. Outro ponto abordado foi a questão de recuperação dos sistemas de canais que viraram aterros. Existem projetos de recuperação destes espaços. “A maioria dos cidadãos estão favoráveis a melhorias, existe uma cooperação determinante”, disse. O designer Mário Verdi, falou sobre a qualificação da paisagem urbana da cidade e do sistema do Citysys, voltado ao gerenciamento inteligente de patrimônio público geolocalizado. “Todo o discurso deste tema é voltado para as capitais. Mas e as cidades pequenas, como ficam?”, questionou. Para ele, existe este isolamento e os pequenos municípios ficam de fora. A ONU considera hoje a Internet como um serviço básico das cidades. Verdi acredita que uma cidade inteligente é aquela capaz de entender seus problemas e planejar. “Estamos num momento de substituição de tecnologias flexíveis por tecnologias duras. Temos um planejamento urbano e social que interfere no convívio com a cidade. Com o tempo ele gera uma cultura e ajuda a reavaliar este processo que temos de cidade. Fabrício Tarouco apresentou uma parte de sua tese de doutorado que tem como tema “A Metrópole que emerge dos Apps”. O coordenador do curso de design da Unisinos informou que seu estudo aborda as cidades criativas e o uso do softwares em espaços urbanos e o quanto eles avançam e dominam

74 espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

Pinacoteca do IAB RS O IAB RS vem recuperando sua atuação histórica na área das artes e na sua íntima relação com a arquitetura. Especialmente nas artes visuais, com a curadoria de Adriana Xaplin e Vinicius Vieira, o IAB RS vem realizando periodicamente exposições de artes com trabalhos selecionados em edital público anual. Em 2015 estão previstas 16 exposições no Ponto de Cultura do Solar do IAB RS.

Fabrício Tarouco em sua explanação

A recém reinaugurada Pinacoteca impressiona pela qualidade dos trabalhos, muitos dos quais de doações de artistas que já expuseram no Espaço. Inicialmente com 30 obras, pretende-se que a Pinacoteca siga crescendo com as novas doações e aquisições, além da recuperação do acervo histórico da entidade.

certas práticas. Tarouco disse que hoje vivemos uma espécie de acupuntura urbana, ou seja, cada aplicativo é como uma agulha em cada território, cada um com sua prática. Para ele, junto com esse novo instrumento de viver a cidade surge uma nova necessidade infraestrutura digital. “Precisamos de conexão, energia para carregar equipamentos. Temos dois grupos nas cidades: os ‘seguidores do wifi’ e os ‘caçadores de tomadas’”, brincou. Ele ainda analisou uma versão pequena da cidade que podem ser acessadas pelo celular, com um conjunto de símbolos, serviços, mapas, de qualquer lugar do mundo. “Temos uma versão pocket de cada cidade em qualquer momento”, disse. O arquiteto Alexandre Pereira Santos falou das novas tecnologias aplicadas às cidades e sua aplicação no planejamento e desenho urbano. Para Pereira, a natureza do fenômeno urbano sempre se modificou, sempre usamos as cidades como ferramentas de mediação e interação, independente da tecnologia. “Cada um de nós está produzindo hoje uma geolocalização ou deixamos alguém fazer isso para nós. Essa é realidade uma geosocial”, destacou o arquiteto. Além disso, ele afirma que toda essa tecnologia gera o aumento de possiblidades de análises avançadas. “Podemos, por exemplo, usar tecnologias de maneira aplicada e direta para ajudar no planejamento urbano”, disse Pereira. Na questão dos dados, ele destacou que temos uma geração muito grande, mas a captação é por meios diferentes, cada um fazendo sua parte compondo algo novo. As questões do apoderamento do espaço, na busca de transformá-lo em lugar, além da intervenção na escala humana, foram abordadas pelo arquiteto Leonardo Brawl. “Quero chamar atenção para que o conceito do ativismo, que sofre os efeitos dos modelos tecnológicos. A tecnologia da informação está atendendo ao quê e a quem?”, questionou Brawl. Para ele, isso tudo que existe nos ajuda, mas as mudanças a médio e longo prazo acabam ficando de fora. “A cidade tem que se conectar com os cidadãos por meio de tecnologias sociais. Existem exemplos práticos de operação destas tecnologias, trazidas para o âmbito social, que são utilizadas para solucionar problemas”, informou. De acordo com Brawl, a tecnologia já está fazendo uma transformação social, mas com muitas falhas no impacto urbano.

Destaque para a presença de Vera Fabrício, a arquiteta mais antiga em atividade no Brasil, na cerimônia de reabertura (ao centro, nas duas primeiras fotos menores)

Günter Weimer lança livro no IAB RS O arquiteto e urbanista Günter Weimer foi palestrante do evento Quarta no IAB RS, que ocorreu na noite de 29 de abril, no Ponto de Cultura Solar do IAB. O evento discutiu as “Inter-Relações Afro Brasileiras na Arquitetura”, tema do livro que foi lançado na ocasião. A obra trata das influências arquitetônicas da África no Brasil e vice-versa. Weimer foi professor da UFRGS, PUCRS, UNISINOS, UFPR, UFSC e UnB. Já escreveu inúmeros artigos para publicações especializadas; produziu capítulos e seções para obras coletivas; apresentou dezenas de trabalhos completos em seminários e congressos. Sempre se interessou por aspectos históricos e patrimoniais da arquitetura; e foi autor ou organizador de mais de quarenta livros.


notícias faculdades

notícias

UniRitter oferece intercâmbio aos EUA Os alunos da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UniRitter participaram de intercâmbio no Programa de Bolsas da Santa Fe University of Art and Design (SFUAD), no Novo México, Estados Unidos. Foram ofertadas bolsas para o período de 9 a 29 de julho de 2015. Foram 12 bolsas para participação no Vacation English Immersion (curso de imersão de inglês) para todos os níveis e três bolsas para participação no Programa Artfest, da Santa Fe University of Art and Design (SFUAD) voltado para estudantes das Faculdades de Comunicação Social, Design e Arquitetura e Urbanismo da UniRitter. O valor das bolsas incluiu a realização do curso, a hospedagem e a alimentação (café da manhã, almoço e jantar) na própria universidade.

Cercamento da Redenção é tema de evento na UFRGS O Diretório Acadêmico da Faculdade de Arquitetura da UFRGS promoveu o ciclo de conversas “Redenção: adianta cercar?”. O primeiro evento ocorreu na noite de 17 de junho, no auditório Elvan Silva da Faculdade de Arquitetura. O objetivo do evento foi discutir o cercamento do parque do ponto de vista da arquitetura e do urbanismo. A mesa foi composta pelos arquitetos Rafael Passos, Vice-Presidente do IAB-RS; Claudia Favaro, integrante da Resistência Urbana e membro do conselho diretor do IAB-RS; Rinaldo Ferreira Barbosa, conselheiro do CAU/RS; Daniel Pitta Fischmann, Me. Professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - PUCRS e Benamy Turkienicz, PhD, professor da Faculdade de Arquitetura e do PROPAR - UFRGS. A ideia é realizar mais três debates contemplando a Sociologia e a Antropologia, o pensamento político e a cultura e o pensamento das minorias.

Semana Acadêmica de Arquitetura e Urbanismo da Unisinos

“Dallas / Medellin: urbanidade e inserções urbanas” foi o tema da aula inaugural que marcou a Semana Acadêmica de Arquitetura e Urbanismo da Unisinos. O evento contou com palestra do professor da FAU/USP e diretor do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, Hugo Segawa. O evento também contou com a palestra “Jardins Verticais” do arquiteto e paisagista que é integrante do Movimento 90º, Guil Blanche. Para o coordenador do curso, Adalberto Heck, as atividades se destacam por abordar as novas exigências contemporâneas de sustentabilidade e meio ambiente urbano. “Informando e possibilitando o desenvolvimento de um profissional e cidadão comprometido com as grandes questões apontadas pela sociedade e relacionadas à profissão”, conclui.

76 espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

Caixa Econômica Federal

Alunos da PUCRS no Congresso Ibero-americano de Habitação Social

Feirão Caixa da Casa Própria movimenta a economia do País EM TRÊS FINAIS DE SEMANA DE FEIRA, FORAM APLICADOS MAIS DE R$ 10 BILHÕES EM FINANCIAMENTOS IMOBILIÁRIOS A 11ª edição do Feirão CAIXA da Casa Própria, considerado o maior evento do ramo imobiliário, está movimentando a economia do país. Em três finais de semana de Feira, foram aplicados mais de R$ 10 bilhões em financiamentos imobiliários. O evento, que teve início em 24 de abril e já passou por onze capitais brasileiras, encerra seu calendário com a chegada às cidades de Belo Horizonte (MG), Salvador (BA) e Goiânia (GO), no dia 12 de junho.

Os estudantes Edgar Steffens, Gustavo Einloft e Rodrigo Petersen receberam Menção Honrosa no Concurso de Ideias do IV Congresso Brasileiro e III Congresso Ibero-americano de Habitação Social: Ciência e Tecnologia. Foram 11 propostas elaboradas por estudantes de cursos superiores de habilitações ligadas ao ambiente construído ibero-americano participaram do julgamento. O tema do concurso tratava de “Inovação e Responsabilidade” aplicadas ao universo da habitação social.O júri considerou igualmente relevante os aspectos de sustentabilidade econômica e social, bem como a qualidade arquitetônica e urbanística. “The Box” foi o título da proposta dos estudantes da FAU/ PUCRS, que trabalharam orientados pelo professor Paulo Ricardo Bregatto.

As primeiras cidades a receber o evento foram São Paulo (SP), Recife (PE) e Belém (PA), entre os dias 24 e 26 de abril. Na solenidade de abertura, em São Paulo, a presidente da CAIXA, Miriam Belchior, lembrou a importância do Feirão na história da construção civil: “Em setembro de 2005 foi realizado o primeiro Feirão. Foi uma iniciativa pioneira para garantir o acesso facilitado de imóveis à população. Também foi muito importante num momento de retomada do setor da construção a partir daquele ano.” O foco da CAIXA, neste ano, é o financiamento da habitação popular do Programa Minha Casa Minha Vida e das demais operações com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), cujo teto máximo é de R$190 mil. Comprometida com o desenvolvimento social, a CAIXA atua como executora de políticas públicas de acesso à moradia. O Feirão CAIXA da Casa Própria, segundo a presidente Miriam, é símbolo do avanço da política habitacional no Brasil, porque “estimula a demanda e proporciona o acesso à casa própria”. Para a presidente, quem ganha com a parceria e confiança entre todos os que se engajaram no evento é a população brasileira: “A política habitacional não constrói apenas casas, mas, sim, novas vidas. E a CAIXA tem orgulho de fazer parte disso.”

Arquitetura da ULBRA na Europa Um grupo de alunos e egressos do curso de Arquitetura e Urbanismo da ULBRA Canoas participaram neste semestre de uma viagem acadêmica realizada na Europa. O roteiro contemplou as cidades de Milão (Itália) e Paris (França). A viagem foi conduzida pela professora Rosane Dariva Machado, que levou o grupo na Feira de design Saloni Internacionali Del Mobile, em Milão. “A viagem abriu as portas do mundo para nossos alunos, pois eles puderam conhecer as últimas tendências internacionais de mobiliário, tecidos e iluminação”, destaca Rosane. Segundo a docente, o grupo pode estabelecer intercâmbio com empresas presentes no evento internacional. Ainda na Itália, o grupo participou de um workshop no Instituto Politécnico Milão, onde iniciaram as tratativas para um intercâmbio cultural e a cooperação técnico-científica da instituição com a ULBRA.

Arquitetura da UFSM realizou oficina transdisciplinar A 10ª Oficina Transdisciplinar do Curso de Arquitetura e Urbanismo da UFSM foi realizada nos dias 25 a 29 de maio, tendo como tema o Paisagismo do Parque Tecnológico de Santa Maria. A atividade teve envolvimento de alunos e professores de todos os semestres, mediante estudos e propostas arquitetônicas, urbanísticas e paisagísticas de forma integrada com a comunidade, enriquecendo o meio acadêmico com a extensão universitária. Os eixos de discussão abrangem outras pautas como tecnologia, Percepção, morfologia, inovação e futuro da arquitetura. O evento contou com palestras dos arquitetos e professores Cristiano Silveira dos Santos, Isis Portolan dos Santos, José Tabacow, Luis Guilherme Aita Pippi e Nara Rejane Zamberlan dos Santos.

O Feirão também já passou por Campinas (SP), Curitiba (PR), Fortaleza (CE) e Rio de Janeiro (RJ), entre os dias 15 e 17 de maio, e por Brasília (DF), Florianópolis (SC), Porto Alegre (RS) e Uberlândia (MG), entre 22 e 24 de maio. Nos três finais de semana, o evento recebeu mais de 247 mil visitantes, que tiveram acesso a mais de 235 mil imóveis, novos e usados, ofertados por cerca de 950 expositores, entre construtoras, incorporadoras, imobiliárias e correspondentes imobiliários.

Miriam Belchior e Raí em evento da Caixa Econômica Federal

A parceria entre a CAIXA e a cadeia de agentes da construção civil, segundo a presidente da CAIXA, Miriam Belchior, é o ponto-chave para o sucesso do Feirão. “Esse esforço coletivo tem caracterizado o crescimento da produção habitacional nesses últimos 10 anos. Essa mudança expressiva tem alguns fundamentos importantes. Primeiro, o grande aumento do volume de subsídios. Segundo, o grande aumento do volume de recursos de crédito para financiamento. Terceiro, a confiança do setor da construção civil e especialmente, o aumento da renda da população”, avaliou.

Feirão Caixa de Porto Alegre movimentou R$ 1,22 Bilhão MAIS DE 6,8 MIL FAMÍLIAS REALIZARAM O SONHO DA CASA PRÓPRIA O 11º Feirão CAIXA da Casa Própria, em sua passagem pela capital gaúcha, entre 22 e 24 de maio, movimentou R$ 1,22 bilhão e ajudou mais de 6,8 mil famílias a realizarem o sonho da casa própria. O foco do evento foi o financiamento de habitação popular do Programa Minha Casa Minha Vida e das demais operações com recursos do FGTS, cujo teto máximo, no Rio Grande do Sul, é de até R$170 mil. A cerimônia de abertura do Feirão teve a presença do vice-presidente da CAIXA, José Carlos Medaglia Filho, da superintendente executiva de Habitação na região Sul, Elódia Maria Osmarin Borba, do superintendente regional em Porto Alegre, Ruben Danilo Pickrodt, e de representes do poder público municipal e estadual e da construção civil. O superintendente Pickrodt destacou a importância do Feirão como um espaço de ampliação do acesso à moradia: “A participação de representantes de toda a cadeia produtiva da construção civil, somado à oferta de um número expressivo de imóveis de interesse popular e a condições especiais de lançamento de imóveis novos, fazem do Feirão um símbolo da ampliação do acesso à moradia”. A possibilidade de aprovação imediata do crédito imobiliário também é dos atrativos do Feirão, para Pickrodt: “As famílias podem comparar ofertas de imóveis e, ao encontrar um que atenda as suas necessidades, já solicitar a aprovação do seu crédito habitacional”. Durante os três dias de evento, os mais de 11,3 mil visitantes que passaram Centro de Eventos da FIERGS, onde foi realizado o evento, tiveram acesso a mais de 32 mil imóveis, novos ou usados, ofertados por cerca de 90 expositores, entre construtoras, incorporadoras, imobiliárias e correspondentes CAIXA.

espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

77


notícias

CAU/RS

POR LUIZ ANTONIO VERISSIMO Coordenador da Comissão de Ensino e Formação do CAU/RS • Conselheiro Titular do CAU/RS

Comissão de Ensino e Formação busca proximidade com cursos profissionais Desde a sua criação, o CAU/RS preocupou-se em manter contato com as Instituições de Ensino Superior de Arquitetura e Urbanismo no Rio Grande do Sul. Essa proximidade entre o Conselho e as instituições de formação profissional tem a finalidade de estabelecer e fortalecer vínculos com os cursos e, assim, poder interagir de modo positivo para melhorias na formação dos futuros colegas de profissão. Com esse objetivo, a Comissão de Ensino e Formação do CAU/RS já realizou cinco Seminários com as coordenações dos cursos, sendo dois deles com a participação efetiva da Comissão correspondente do CAU/BR e do representante das instituições de ensino no Plenário do Conselho Federal, arquiteto e urbanista José Roberto Geraldine Junior. Desses encontros resultaram medidas positivas para os formandos dos cursos, sendo o Rio Grande do Sul um estado que se caracteriza pela regularização plena das coordenações dos cursos no Sistema de Informação e Coordenação do CAU - SICCAU. Os quatro primeiros encontros foram realizados na sede do CAU/RS, em Porto Alegre, e o quinto, em Santa Maria. A

finalidade é levar as discussões sobre estratégias de desenvolvimento qualitativo dos cursos para dentro das próprias instituições. Por essa razão, a cidade de Santa Maria, que possui três cursos de arquitetura e urbanismo, foi escolhida como a primeira cidade a sediar uma edição do Seminário de Ensino do CAU/RS. Estas medidas não buscam apenas fortalecer os laços com as coordenações, mas também propiciar encontros dos estudantes com os coordenadores e também - e de forma muito especial - com o Conselho. Demandas específicas dos cursos, das regiões em que se situam e das necessidades e aspirações dos diferentes grupos de alunos são analisadas e, no que for de sua competência, encaminhadas para a realização pelo CAU/RS. Na primeira gestão, a Comissão de Ensino e Formação foi composta pelos conselheiros Nirce Saffer Medvedovski, Luiz Antônio Machado Veríssimo, Claudio Fischer, Paulo Ricardo Bregatto e Nino Roberto Schleder Machado. Na atual gestão a Comissão é formada pelos conselheiros Luiz Antônio Veríssimo, Rinaldo Ferreira Barbosa e José Arthur Fell.

Arquitetos ganham cooperativa para financiar escritórios, projetos e empreendimentos Os arquitetos e urbanistas gaúchos já têm a sua disposição os serviços da Unicred do Brasil, instituição financeira cooperativa presente em diversos estados brasileiros e com aproximadamente 200 mil cooperados. Em novembro de 2014, o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/ BR) firmou parceria com a Unicred do Brasil para disponibilizar aos arquitetos e urbanistas e às sociedades profissionais de arquitetos e urbanistas registrados e vinculados ao CAU/BR e aos CAU/UF o acesso a linhas de crédito e a produtos e serviços financeiros, com o objetivo de incentivar o exercício profissional e o empreendedorismo na área de Arquitetura e Urbanismo. Os primeiros Estados a serem atendidos são Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

presidente do CAU/RS, Roberto Py, e o presidente da Unicred Central RS, Dr. Paulo Barcellos.

78 espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

O acordo foi assinado em cerimônia realizada em 27/11/2014 , em Florianópolis, durante a Reunião do Conselho da Unicred do Brasil. Na ocasião, o presidente do CAU/BR, Haroldo Pinheiro, lembrou que a instituição tem apenas três anos de existência e está lutando para recuperar o tempo perdido para dar aos profissionais brasileiros igualdade de condições de trabalho em relação a outros países.

CAU/RS e Ministério Público firmam convênio e assinam termo de cooperação Em setembro de 2014, o CAU/RS e o Ministério Público do Rio Grande do Sul firmaram um acordo com o objetivo de promover a articulação, a interação e a conjugação de esforços entre as Entidades. O documento foi assinado pelo Presidente do CAU/RS, Arquiteto e Urbanista Roberto Py, e pela Coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Ordem Urbanística e Questões Fundiárias, Promotora de Justiça Débora Menegat. O convênio prevê a organização e disponibilização de cadastros de Arquitetos e Urbanistas devidamente registrados no CAU/RS interessados em prestar serviços de vistorias, perícias, consultas, avaliações, reavaliações e demais atribuições profissionais, com o fim de atender solicitações do MP. O Conselho deve também proporcionar ao MP assessoramento técnico-científico em atividades que necessitem de assunção de responsabilidade técnica, objetivando instruir processos judiciais ou atos investigativos patrocinados ou presididos por membros do MP, bem como para dar efetividade às ações promovidas pela Instituição nas suas diversas áreas de atuação. Ambas as partes se comprometeram em promover cursos, palestras e eventos, além de estabelecer grupos de

O Presidente do CAU/RS, Roberto Py, e a Promotora de Justiça, Dra. Débora Menegat. Ao lado, palestra conjunta do CAU/RS com o CREA-RS durante o Seminário Gaúcho de Acessibilidade na Mobilidade Urbana.

trabalho visando a discussão, aplicação, adequação e aperfeiçoamento da legislação e das normas técnicas e regulamentos atinentes à Arquitetura e Urbanismo. Dentro dessa proposta, o MPRS, através do Centro de Apoio Operacional da Ordem Urbanística e Questões Fundiárias e do Centro de Apoio Operacional de Direitos Humanos, promoveu no início de junho o Seminário Gaúcho de Acessibilidade na Mobilidade Urbana, em parceria com o CAU/RS, FAMURS e CREA/ RS e com o apoio do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional - CEAF. A atividade teve como objetivo fomentar o debate para a observância da legislação pertinente na fiscalização e licenciamento de projetos e espaços urbanos, incentivando a efetiva melhoria das condições de acessibilidade e mobilidade urbana dos municípios gaúchos. Ao final do evento, foi elaborada uma Carta de Intenções, contendo as iniciativas a serem tomadas pelas partes que integraram o evento, de modo a promover e melhorar a Acessibilidade no Estado.

Para o presidente da Unicred do Brasil, Leo Trombka, “a parceria com certeza irá alavancar nosso sistema cooperativo, incorporando um universo de profissionais que atende aos padrões de público que queremos servir”. Na 46ª Plenária do CAU/RS, realizada no dia 13 de fevereiro de 2015, o presidente da Unicred RS, Doutor Paulo Barcellos, acertou as bases para o desenvolvimento da parceria no Estado. SERVIÇOS - De início, são dois os serviços específicos disponibilizados para os arquitetos: • Novos Arquitetos: Foco na aquisição e estruturação de escritórios, equipamentos e softwares • Imobiliário: Linha de crédito para arquitetos investirem em empreendimentos Imobiliários Além disso, os arquitetos e urbanistas ainda poderão viabilizar a antecipação dos valores dos projetos contratados pelos seus clientes através do mecanismo de desconto de recebíveis. Ou seja, o profissional assume a linha de crédito e negocia com a cooperativa a cobrança direta, por boleto, do cliente. Outros produtos disponíveis serão: Crédito pessoal; Financiamento de veículos; Limite especial em conta corrente; Aplicações Financeiras; Cartão Mastercard; Seguros; Previdência. Para ter acesso aos produtos e serviços os profissionais devem associar-se a uma cooperativa do sistema Unicred. Mais informações podem ser obtidas junto ao CAU/RS ou diretamente junto à Unicred Cooperativa mais próxima de você, disponível no hotsite www.unicred.com.br/cau através na opção Contatos.


notícias

Concursos

expansão

SENGE-RS

Consolidando a integração e a parceria entre o Sindicato dos Engenheiros no Estado do RS (SENGE-RS) e o Instituto de Arquitetos do Brasil - Departamento do Rio Grande do Sul (IAB RS) foi realizado no primeiro semestre deste ano o Concurso Público Nacional de Arquitetura para a expansão da sede do SENGE-RS, em Porto Alegre. A proposta foi de preparar a estrutura do Sindicato para atender a projeção de crescimento dos serviços oferecidos atualmente.

DE CASA NOVA

No total, foram aproximadamente 40 propostas inscritas, gerando cinco finalistas e uma menção honrosa. A avaliação foi realizada pela Comissão Julgadora, constituída pelos arquitetos João Diniz (MG), Luiz Fernando Janot (RJ), Nino Roberto Schleder Machado (RS), Juliana Corradini (SP); e pelo Engenheiro Civil José Luis Canal (RS). Sendo suplentes os arquitetos Klaus Bohne (RS) e Luciane Kinsel (RS). O grande vencedor anunciado foi o projeto desenvolvido pelos escritórios MAPA (MAAM + Studioparalelo) e Arquitetura pela Rua.

CÂMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE E IAB RS REALIZAM APRESENTAÇÃO E PREMIAÇÃO DO PROJETO VENCEDOR DO CONCURSO PARA A SEDE ADMINISTRATIVA DA CÂMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE

De acordo com o diretor presidente do SENGE-RS, Alexandre Mendes Wollmann a entidade considerou os resultados de um estudo encomendado ao Instituto Pesquisa de Mercado (IPM) da Unisinos, que trouxe apontamentos importantes para a definição dos objetivos desta ação, colhidos através de entrevistas qualitativas com experts do mercado imobiliário, investidores, autoridades governamentais e também os atuais parceiros de negócios do Sindicato. Para o presidente do IAB RS, Tiago Holzmann da Silva, um concurso amplamente divulgado e aberto a profissionais de todo o país atende ao posicionamento das atuais diretorias das entidades, estabelecendo total transparência e imparcialidade neste processo.

O Instituto de Arquitetos do Brasil - Departamento do Rio Grande do Sul (IAB RS) participou no dia 11 de dezembro de 2014 das solenidades de apresentação e premiação do projeto vencedor do Concurso Sede Administrativa Câmara Municipal de Porto Alegre. As atividades ocorreram no Plenário Otávio Rocha e no espaço T Cultural Tereza Franco, com a presença dos arquitetos Daniel Corsi da Silva, Dani Hirano, André Biselli Sauaia e Laura Paes Barreto Pardo, integrantes da equipe vencedora, do escritório Corsi Hirano Arquitetos Associados, que vieram de São Paulo para a ocasião. O vice-presidente do IAB RS, Ednezer Flores, destacou a eficiência da parceria realizada entre o IAB RS e a Câmara Municipal para viabilizar o concurso público de arquitetura. Flores reforçou a ideia de que o concurso foi a melhor forma para escolher o projeto de arquitetura. Ele também lembrou que o IAB RS sempre está aberto para a comunidade em geral para discutir questões da cidade, novos projetos e concursos de arquitetura.

O ponto chave da proposta é a composição com a sede atual, tornando o projeto uma peça que unifica e qualifica a existente. O edifício da sede atual é reorganizado com distribuição das novas salas de serviços administrativos e atendimento à fornecedores e parceiros.

Para o arquiteto Daniel Corsi da Silva, vencedor do concurso, a motivação é indescritível ao desenvolver um edifício público de caráter coletivo tão importante para a capital dos gaúchos. “Queríamos um edifício que além de funcional fosse um presente para a Câmara, que ao mesmo tempo fosse um projeto que respeitasse o atual prédio, partindo de um reflexão que o edifício público deve gerar bem estar, ser um lugar aprazível e agradável, e ter uma relação com seu entorno”, explicou o arquiteto. O projeto, segundo ele, valoriza o bem-estar das pessoas e dialoga com a paisagem do Rio Guaíba. “Ele estará perfeitamente integrado à arquitetura do Centro Histórico da Capital”, reforçou. Para Silva, a relevância do processo conduzido pelo IAB RS foi muito valiosa. “A equipe organizadora está de parabéns”, também destacou Silva. Já o presidente da Câmara, vereador Professor Garcia (PMDB), ressaltou a espera pela ampliação da Casa. “Há mais de 20 anos que estamos na expectativa pela construção do anexo da Casa”, disse Professor Garcia. O resultado do Concurso foi divulgado no dia 13 de novembro em solenidade realizada no Plenário Otávio Rocha. Para saber mais sobre o concurso acesse www.iab-rs.org.br/concursocamarapoa.

80 espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

Daniel Corsi da Silva: “Arquitetura, Cidade e Bem-Estar: a nova Sede Administrativa da Câmara Municipal de Porto Alegre se apresenta como uma oportunidade de unirmos estes fundamentos urbanos. Mais do que um complexo arquitetônico, o que este projeto propõe é um diálogo entre tempos e espaços - naturais e artificiais, modernos e contemporâneos - de modo a construirmos um novo lugar de encontro para seus cidadãos.”

O projeto explora o caráter público e aberto. Nos níveis onde o prédio se conecta com a cidade e com o edifício existente ocorre uma integração e desdobramento do espaço público. No térreo (usos cotidianos e comerciais) e a Plataforma elevada (de usos eventuais e institucionais) geram espaços multifuncionais.


cidades

FOTOS MARCELO DONADUSSI

LAJEADO

PROJETO

Colégio Evangélico Alberto Torres (CEAT), oriundo de concurso de arquitetura promovido pelo CEAT em 2008 FICHA TÉCNICA Local: RS, Brasil Início do projeto: 2008 Conclusão da obra: 2013 Área do terreno: 2.500 m² Área construída: 13.000 m² Tipologia: Educação e Cultura • Arquitetura: Giugliani Arquitetos Arquitetos: Bruno Giugliani, Cíntia Gusson Etges e Karen Bammann Giugliani

A verdAdeirA felicidAde existe quAndo é compArtilhAdA.

• Construção: Construtora Zagonel

A verdAdeirA felicidAde existe quAndo compArtilhAdA. com os sonhos não é diferente: eles sóévirAm reAlidAde

• Engenharia Estrutural - Estrutura de Concreto:Vanguarda Engenharia

com os sonhos não é diferente: eles só de virAm reAlidAde quAndo divididos com pessoAs cApAzes concretizá-los.

• Projeto de Climatização e Ar-condicionado: Cert Engenharia • Projeto de Fundação: Vanguarda Engenharia

quAndo divididos com pessoAs cApAzes Arquitetos e urbAnistAs entendem tudode deconcretizá-los. sonhos.

• Projeto de Iluminação: Giugliani Arquitetos Marina Dalla Lasta Frigeri

Arquitetos e urbAnistAs entendem tudo de sonhos. e AindA mAis de reAlidAdes.

• Projeto de Interiores: Giugliani Arquitetos - Arquitetos: Bruno Giugliani, Cíntia Gusson Etges e Karen Bammann Giugliani

e AindA mAis de reAlidAdes.

• Projeto de Paisagismo: Giugliani Arquitetos - Arquitetos: Bruno Giugliani, Cíntia Gusson Etges e Karen Bammann Giugliani

são eles os profissionAis com conhecimento técnico, são eles os profissionAis técnico, criAtividAde e inspirAção com pArAconhecimento construir projetos criAtividAde inspirAção projetos do tAmAnho edo sonho de pArA cAdAconstruir cliente, AjudAndo-os do tAmAnho do sonho de cAdA cliente, AjudAndo-os A encontrAr A tão sonhAdA felicidAde.

82 espaço | edição especial • prêmio caixa iab rs 2014

A encontrAr A tão sonhAdA felicidAde.


CONSTRUCARD CAIXA CONSTRUA, REFORME OU AMPLIE A SUA CASA O Construcard CAIXA* é uma linha de crédito para pessoa física. Financia a aquisição de materiais de construção para reformas, construção e ampliação de imóvel residencial próprio ou de terceiros, armários embutidos, piscina, elevador, aquecedor solar, aerogeradores e equipamentos de energia fotovoltaica. Confira as vantagens: • Melhores taxas para construir, reformar ou renovar sua casa. • Prazo de até 240 meses para pagar. • Mais de 85 mil lojas conveniadas. Procure uma agência da CAIXA. * Crédito sujeito a aprovação. Taxas e prazos variáveis de acordo com o relacionamento do cliente.

SAC CAIXA – 0800 726 0101 (informações, reclamações, sugestões e elogios) Para pessoas com deficiência auditiva ou de fala – 0800 726 2492 Ouvidoria – 0800 725 7474 facebook.com/caixa | twitter.com/caixa caixa.gov.br

Prêmio Caixa IAB RS 2014 - José Albano Volkmer  

Edição especial da revista ESPAÇO do IAB RS com a publicação do catálogo do Prêmio Caixa IAB RS 2014 - José Albano Volkmer, com todos os tra...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you