Page 1

www.em-revista.com

ano VII - Nº 31 - Dezembro/2012

Nova Trento

SC 282

Turismo integrado das rotas do Roteiro Encantos do Sul

Rota dA Fé o triângulo da esperança

São Bonifácio BR 101

SC 431

São Luís Imbituba

Vargem do Cedro

Imaruí

São Martinho

Armazém Pescaria Brava Laguna

Gravatal

Tubarão SC 431

Jaguaruna

BR 101

a vocação econômica da região, por ser tão óbvia, continua desapercebida


CYBERSHOPP SOLUÇÕES EM CRIAÇÃO, IMPRESSÃO E MUITO MAIS! IMPRESSÕES DIVERSAS EM ALTA DEFINIÇÃO ATÉ A3 ACESSO À INTERNET EM ALTA VELOCIDADE ENCADERNAÇÃO | PLASTIFICAÇÃO | XEROX | FAX | DIGITAÇÃO GRAVAÇÃO DE CD/DVD | RECARGA DE CARTUCHO

CYBER SHOPP

CONFECÇÃO DE LIVROS COM COSTURA PARA CONTADORES CYBER CONTÁBIL

CRIAÇÃO DE IDENTIDADE VISUAL | CAMPANHAS PUBLICITÁRIAS ASSESSORIA EM COMUNICAÇÃO E MARKETING CYBER EMPRESA

INFORMATIVOS | JORNAIS | LIVROS | REVISTAS | RELATÓRIOS APOSTILAS | CARDÁPIOS | CALENDÁRIOS | FOLDER | CARTAZES CYBER EDITORIAL

REGISTRO DE DOMÍNIO | WEBSITES | HOTSITES BLOGS | EMAIL MARKETING ASSESSORIA E PERSONALIZAÇÃO DE REDES SOCIAIS CYBER SITE PARA MAIOR CONFORTO E SEGURANÇA DOS CLIENTES, O CYBER SHOPP OFERECE TAMBÉM AMBIENTE CLIMATIZADO E SALA DE ESPERA. TUDO MONITORADO POR CÂMERAS DE SEGURANÇA.

2

AV. MARCOLINO MARTINS CABRAL | PRAÇA SHOPPING | SALA 205 | TUBARÃO/SC 3632.2927 | CYBERSHOPP@GLOBO.COM

EMREVISTA | Novembro/Dezembro 2012 | www.em-revista.com


Editorial

Adequando os meios às necessidades O Comunicado ao Leitor (na seqüência) explica e justifica a substituição da bimestral EM REVISTA. Seu editor e equipe inovam os meios para responder, de forma adequada, à realidade sempre dinâmica. Atuarão através de jornal semanário e de uma publicação anual. Assim, a presente edição, além do Comunicado ao Leitor, resume as análises críticas e as sugestões/ propositivas publicadas na edição (da EM REVISTA) de novembro/ dezembro de 2011 e nas edições de 2012 - março/abril, maio/junho e setembro/outubro). Faz referência também à edição EXTRA de janeiro/ fevereiro de 2012, que caracterizou “A trajetória de um veículo temático focado na sustentabilidade do desenvolvimento regional”. Informa,

ainda, sobre iniciativas de envolvimento de pessoas físicas e jurídicas nas questões relevantes. Na qualidade de Editor da EM REVISTA torno público o meu respeito e gratidão a cada um dos colaboradores que, como voluntários, comungaram o mesmo propósito. E confio na continuidade dessa colaboração através do jornal semanário e da publicação anual. Sou grato aos parceiros apoiadores que acreditaram no propósito da equipe da EM REVISTA. Confio na continuidade dessa parceria. Sou igualmente grato aos que fortaleceram a causa da equipe da EM REVISTA, participando como entrevistados, articulistas e ensaístas. Espero poder contar com sua colaboração no futuro.

Expediente

Convido os céticos, indiferentes e omissos a se engajar como individualidades autônomas nesta energia de desenvolvimento, a fim de que, partícipes, contribuam na sinergia construtiva que, em espiral, resultará no desenvolvimento sustentável de Tubarão e de todos os municípios da região da Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar. Afinal, a contínua melhoria do viver em sociedades é impossível com alienados. É possível quando somos protagonistas do Amanhã. Henrique Bueno Editor

Sumário

Editor / Jornalista Responsável

Colaboradores desta Edição

Henrique Bueno / SC 2801-JP

Arilton Barreiros , Gervázio Plácido José Muller Marcelo Valério

Comunicado ao leitor // 4

Projeto Gráfico / Diagramação / Capa

Tiragem: 5.000

Contextualização // 5

Gueldon Brito

Peridiodiciade: Bimestral

Revisão

Henrique Bueno / SC 2801-JP

Os textos inseridos nas colunas assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores

José Müller // 12 Imbituba // 17

www.em-revista.com | em-revista@em-revista.com

Tubarão // 18 Educação // 20 Saúde & Bem estar // 24

CNPJ: 00137792/0001-40 Av. Marcolino Martins Cabral | Praça Shopping | Sala 205 | Tubarão/SC

[48] 3632.2927 | 9155.5600 universodacomunicacao@gmail.com

Educação // 26


Comunicado ao leitor

mudando a forma de contribuir

A edição de dezembro/2012 encerra a trajetória de 7 (sete) anos da EM REVISTA. Não haverá novas edições bimestrais focando temas considerados estratégicos para a construção do desenvolvimento sustentável de Tubarão e demais municípios da região da Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar. Por anos, foram publicadas análises críticas, com sugestões e proposições, na convicção de que poderiam contribuir com os formadores de opinião e tomadores de decisões. Seu público-alvo compreendia pessoas integrantes de instituições e organizações de natureza público-estatal e público-comunitária, como igualmente de natureza privada. As 30 (trinta) edições tiveram reconhecimento público pela qualidade gráfica e de seus conteúdos fundamentados. Seu elevado custo foi coberto pelo trabalho voluntário da equipe e por parceiros apoiadores. Sua missão foi cumprida, pois, produziu frutos com sementes. Essas sementes precisam germinar, crescer, amadurecer e frutificar, produzindo novos frutos com sementes. Para tanto, o editor e a equipe da EM REVISTA, dando continuidade ao propósito de contribuir para o processo de desenvolvimento sustentável de Tubarão e da Região, atuarão da forma que consideram mais adequada ao atual estágio do processo: um jornal semanário e uma publicação anual, veículos de comunicação escrita complementares no conteúdo, embora de diferente periodicidade. O jornal semanário informará sobre o andamento de obras e ações corre-

4

EMREVISTA | Novembro/Dezembro 2012 | www.em-revista.com

lacionadas às sugestões e proposições publicadas pela EM REVISTA, em especial, na edição de novembro/dezembro de 2011 e nas edições de março/abril de 2012, maio/junho de 2012, setembro/ outubro de 2012 e na edição EXTRA de janeiro/fevereiro de 2012. Acompanhará o cumprimento de compromissos e de promessas de obras e ações dos poderes públicos municipais, estadual e federal, bem como, de sugestões e reivindicações registradas na campanha eleitoral/2012. Estará atento a omissões de parte dos responsáveis pelo interesse coletivo dos três setores da sociedade (público-estatal, privado e público-comunitário). A publicação anual destacará conteúdos do jornal semanário e informará quanto à coerência entre discursos e práticas, ou, quanto ao desempenho incoerente. Assim, mediante análises críticas e sugestões ou proposições, a publicação conterá preciosos subsídios para os leitores do jornal semanário e dos mais diversos interessados no processo de desenvolvimento sustentável de Tubarão e dos demais municípios da

região da Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar. Na prática, editor e equipe - no propósito de contribuir para a construção do processo de desenvolvimento sustentável de Tubarão e de todos os municípios da região da bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar - estão inovando ao definirem essas ferramentas como adequadas ao estágio de desenvolvimento a ser construído. O jornal semanário e a publicação anual são empreendimentos oportunos hoje, como foi oportuno o empreendimento da revista EM REVISTA até a presente. Insiste-se: persiste o propósito de contribuir, muda-se a forma instrumental. Em síntese, o editor e a equipe tornam suplementar sua função formadora e propositiva, assumindo como prioritária sua função fiscalizadora, denunciando ou, idealmente, aplaudindo publicamente. Sempre com fundamentação, logo, sem “achismos”. // Editor e equipe


Contextualização

O LEGADO DA

EM REVISTA É CONSTRUTIVO 1.Resumo da Trajetória A edição EXTRA, de janeiro/fevereiro de 2012 (p. 9), resumiu essa trajetória, como segue: A evolução da EM REVISTA, vale dizer, de seu editor e equipe, pode ser caracterizada por estágios de desenvolvimento no seu ciclo de vida. Criada em 2005 para divulgar aspectos relevantes da realidade de Tubarão e Região, vista a partir da cidade-polo Tubarão, logo se firmou como veículo de comunicação com um propósito construtivo: sua missão, sua razão de ser, seria a contribuição para a construção do processo de desenvolvimento sustentável de

Tubarão e da Região. Cresceu em visibilidade geográfica e se desenvolveu na qualidade de suas análises e conclusões. Assim, até 2011, viveu os estágios da gênese e do crescimento, e, realimentada por colaboradores, entrevistados e leitores, percebeu claramente sua identidade como meio de comunicação e seu público-alvo: estar a serviço dos formadores de opinião e tomadores de decisões, mediante subsídios analíticos e crítico-propositivos, com vistas ao desenvolvimento sustentável. E, para tanto, decidiu priorizar cinco temas por considerá-los prioritários para a concre-

tização do processo, nomeadamente: A Educação; O Município; A Cooperativa; A Saúde; e O Turismo. Constrói, assim, o estágio da maturidade como ente autônomo que, no final do ano 2011 se consolida. É o estágio da maturidade. Aprendeu a aprender, vive o processo da autorrenovação contínua. A edição TURISMO, de dezembro de 2011, comprova essa maturidade, pois apresenta uma atitude inovadora: enquanto as quatro questões temáticas anteriores (em 2011) têm uma análise crítica (fundamentada) e sugestões, a edição TURISMO publica uma propo-

www.em-revista.com | Novembro/Dezembro 2012 | EMREVISTA

5


Contextualização

sição objetiva, produzida pelo Economista José Müller, como consultor da EM REVISTA e convidado, para tal, pelo editor. Esta proposição - A Identidade Polarizadora Estadual do Município de Tubarão - foi entregue aos pré-candidatos a Prefeito do Município, e sua apreciação e posicionamento foram publicadas na mesma edição. Essa atitude inovadora visa à qualidade do processo eleitoral para Prefeito (em curso) e, em consequência, ao compromisso dos candidatos com ações concretas de desenvolvimento sustentável de Tubarão e da Região - pois, o leitor-eleitor terá critérios de questionamento, de escolhas e de cobrança. Em síntese, a proposição - a ser viabilizada por iniciativas de promoção e fomento da Municipalidade - é a

construção do ‘Monumento-Padrão de Atração e Apoio/Albertina’, como elemento nucleador, encadeador e integrador do turismo regional, otimizando-se a singular diversidade natural e étnico-cultural das rotas do Roteiro Encantos do Sul, tendo no turismo cultural-religioso o diferencial econômico de Tubarão e da Região. Essa inovação propositiva concreta deverá repetir-se na edição EDUCAÇÃO (março de 2012) - cujo esboço é o tópico seguinte. O mesmo está programado para a edição O MUNICÍPIO (maio), a edição A COOPERATIVA (julho), a edição A SAÚDE (setembro) e, novamente a edição O TURISMO (dezembro). Anima-nos a convicção de que esta forma inovadora contribui-

rá, efetivamente, para a definição do necessário projeto prospectivo, num horizonte de 20 a 40 anos, do desenvolvimento sustentável do Município de Tubarão e de toda a Região. O editor e a equipe da EM REVISTA vivem um processo de contínua aprendizagem, percebendo-se como cidadãos e profissionais que buscam seu contínuo amadurecimento. Amadurecimento que terá validade na medida em que contribuir para o bem coletivo. Têm a convicção de que as pessoas é que conferem qualidade às instituições e que as pessoas da Municipalidade são decisivas para o ritmo e a qualidade do desenvolvimento do Município - de Tubarão e de todos os municípios da Região.

2. RESUMO DAS SUGESTÕES E PROPOSIÇÕES DESDE 2011 A referida edição EXTRA (p. 7) resumiu essas sugestões e proposições como segue: O editorial ‘O papel da Comunicação na Educação’ destaca que ‘a comunicação deve ser um agente conscientizador dos formadores de opinião e dos tomadores de decisões em favor da qualidade do desenvolvimento de cada ser humano, das entidades e da humanidade’, e que a EM REVISTA oferece subsídios fundamentadores para que o leitor reflita e, com critérios de questionamento baseado em valores morais, faça seus julgamentos. Vários artigos e entrevistas confirmam e enriquecem essa postura. A sugestão essencial é: ‘lideranças políticas, empresariais, comunitárias e, em especial, a comunidade acadêmica de Comunicação Social, constituem-se em agentes positivos, ou, negativos. Cabe-lhes identificar e promover forças de desenvolvimento em favor dos seres humanos em comunidade, ou, serão cúmplices de forças de deterioração.’ O editorial ‘Desenvolvimento a partir do aqui e agora - O MUNICÍPIO’ destaca

6

EMREVISTA | Novembro/Dezembro 2012 | www.em-revista.com

que a iniciativa da prática da autonomia cabe aos municípios, através da sua melhor organização e de uma efetiva integração com a sociedade civil organizada. Artigos e entrevistas confirmam e enriquecem esta conclusão da EM REVISTA. Sugere, coerentemente com a análise crítica, cinco ações estratégicas: a) elaboração e institucionalização de Plano Diretor de Desenvolvimento Sustentável (PDDS) do Município, num horizonte de 20 a 40 anos; b) organização de uma autoridade político-administrativa que, legal e legitimamente, integre todos os municípios da Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar; c) qualificação permanente dos servidores públicos e aplicação de critérios técnico-profissionais para os comissionados; d) intensificação da política de parcerias e alianças, em especial, com universidades; e) operacionalização da Defensoria do Povo. O editorial destaca que ‘A cooperativa é uma organização econômica agregadora de valores porque é solidária, desconcentradora, corresponsável e ino-

vadora no desenvolvimento sustentável socioeconômica, ambiental, comunitária e familiarmente.’ Artigos e entrevistas confirmam essa conclusão da EM REVISTA. Propõe sugestões à COOPERATIVA, que pratique na plenitude o conceito de desenvolvimento sustentável; ao ESTADO (em todos os níveis e poderes), que coopere com o cooperativismo, como aliado; às UNIVERSIDADES, que atuem com o cooperativismo em parcerias e alianças; aos veículos de comunicação, que atuem com estudos e publicações relativamente ao cooperativismo. O editorial afirma que a saúde depende de ações preventivas. ‘Os poderes públicos, as instituições, as empresas, os cidadãos não devem ter uma atitude meramente reativa a males já causados, Devem orientar suas energias proativamente. Significa que a solução de problemas é necessária, mas, evitá-los é imprescindível.’ Isso é confirmado por dados da OMS, por artigos e entrevistas. Sugere, visando alterar a realidade negativa: ações estratégicas, a partir de um projeto prospectivo (PDDS


Contextualização

- municipal, estadual e nacional); repartição mais justa das receitas tributárias entre os entes federados; e cumprimento das funções constitucionais do SUS. O editorial ‘O turismo regional integrado continua um sonho’ destaca que o tema TURISMO teve análise crítico-propositiva nas edições de 2009 e 2010, incluindo

sugestões. O editor, visando contribuir mais objetivamente na qualificação e agilização de iniciativas que assegurem o desenvolvimento sustentável de Tubarão e da Região, convenceu seu consultor, Economista José Müller, a escrever sua percepção quanto à prioridade estratégica essencial para esse desenvolvimento.

A proposição resultante está contextualizada e descrita no tópico PROPOSTA INOVADORA DA EM REVISTA PARA 2012. Artigos e entrevistas, em especial, o posicionamento dos pré-candidatos a Prefeito do município de Tubarão - Olávio Falchetti e Edinho Bez - confirmam a validade dessa atitude inovadora da EM REVISTA.

A edição de março/abril de 2012 teve o editorial que segue (p. 3). EDUCAÇÃO: Um processo de identificação e de desenvolvimento das potencialidades individuais e coletivas. Nesta edição de março/abril de 2012, a EM REVISTA volta a focar o tema EDUCAÇÃO, entendendo que educação é um processo de identificação e de desenvolvimento das potencialidades individuais e coletivas. A metodologia visa à continuidade do afirmado no editorial da edição TURISMO (nov./dez. de 2011): ‘O editor acredita que a informação deve ter uma mensagem formadora, a fim de que os formadores de opinião e tomadores de decisões possam ter mais subsídios para questionar e decidir, seja para o desenvolvimento pessoal, seja para o desenvolvimento

coletivo.’ Assim, a metodologia compreende a contextualização desta edição, fazendo-se destaques sobre EDUCAÇÃO, extraídos das edições de 2008, 2009, 2010 e 2011 (numa autêntica ‘memória’). E, dando continuidade à atitude inovadora da edição TURISMO (acima referida), o editor convidou o economista José Muller, seu consultor, para produzir uma proposição profissional objetiva sobre EDUCAÇÃO, nos âmbitos de Tubarão e da Região. Esta proposição foi entregue aos candidatos/ pré-candidatos a Prefeito do município de Tubarão, para apreciação e posicionamento, com as respostas publicadas nesta mesma edição. O título da proposição é A Educação e a Identidade Polarizadora Estadual do Município de Tubarão. Müller propõe uma ALIANÇA entre a Municipalidade e

a UNISUL, cujo primeiro passo conjunto deveria ser, necessariamente, a definição de um Plano Mestre, num horizonte de 20 a 40 anos, e sugere ações integrantes deste Plano. Afirma que a decisão asseguraria a liderança para a construção da identidade polarizadora estadual do Município, pois, conjugaria as energias das instituições político-administrativas com as do conhecimento (da Municipalidade e da UNISUL respectivamente), os dois principais agentes endógenos de interesse público. O Plano Mestre definido pela Aliança será a bússola, a indicar o destino do barco à vela, hoje, à deriva entre ondas, ventos e calmarias. Tornará possível o projeto prospectivo, num horizonte de 20 a 40 anos, que iluminará o futuro do processo de desenvolvimento sustentável de Tubarão e da Região.

A edição de maio/junho de 2012 caracterizou-se como uma contribuição objetiva para o desenvolvimento sustentável de Tubarão, lembrando os 142 anos do Município. Sua capa foi ilustrada com mapa regional, encimada pelo título “O Município - A liderança institucional do seu desenvolvimento”. Segue seu editorial (p. 3).

Tubarão, 142 anos Nossa contribuição à honesta competência dos Políticos de Tubarão Desde suas primeiras publicações em 2005, a EM REVISTA tem como propósito contribuir na construção do desenvolvimento sustentável do município de Tubarão e da Região. Esse propósito é sua alma, sua razão de existir.

A contextualização do tema desta edição registra a divulgação construtiva e a promoção analítica e crítico-propositiva que marcam a trajetória da EM REVISTA, sempre visando concretizar o propósito que a identifica com Tubarão e a Região. Nossa contribuição culmina com a publicação de proposições objetivas desde a edição de dezembro de 2011,

www.em-revista.com | Novembro/Dezembro 2012 | EMREVISTA

7


Contextualização

com as respectivas apreciações e posicionamentos dos pré-candidatos a Prefeito do município de Tubarão. Já a presente edição oferece um caminho para a construção da sustentabilidade caracterizada na proposição Viabilização do Projeto Prospectivo/PDDS - Tubarão 2050. Assim, o leitor-eleitor da EM REVISTA e os candidatos a delegados do povo

poderão contar com nossos subsídios para avaliar e/ou comprovar a honesta competência dos políticos de Tubarão. A construção da identidade polarizadora estadual do município de Tubarão depende dessa competência da Municipalidade, ou seja, dos Vereadores e do Prefeito, sabendo liderar a promoção e o fomento da participação da sociedade civil organizada de Tubarão, harmoni-

zadas com as iniciativas estadual e federal. A ‘invenção’ de planos partidários de governo e sua descontinuidade, serão passado, pois, o futuro será resultado do desenvolvimento planejado com legitimidade social e plena legalidade político-administrativa. Essa é a contribuição da EM REVISTA com os 142 anos de Tubarão, que queremos sempre maior e melhor.

A edição de setembro/outubro de 2012, sob o título “Eleições 2012 - DEBATE com os CANDIDATOS - Tubarão/ SC”, foca o debate público de sugestões e proposições da EM REVISTA e registra sua função de contribuir na qualidade e na continuidade dos esforços desenvolvedores e fundamenta sugestões específicas a instituições e organizações dos setores público-estatais, público-comunitários e privado. Segue seu editorial (p. 3). Na ocasião afirmei que ‘O propósito comum - das três entidades é - de contribuir na construção do processo de desenvolvimento sustentável de Tubarão e dos diversos municípios da Região... com este debate, estamos convidando o futuro Prefeito de Tubarão a liderar esse processo... que este é um debate diferente no conteúdo, uma vez que tem foco e porque é promovido por entidades que representam os profissionais formadores de opinião e formadores de cidadãos... é um debate diferente por ser aberto ao público, que participa ao vivo e tem a possibilidade de fazer perguntas... É, sobretudo, diferente porque representa um momento em um processo. Este mo-

mento ficará registrado em edição especial da revista EM RVISTA, constituindo-se numa memória de interesse e uso da coletividade. Esta edição vai apresentar a organização e o conteúdo do DEBATE, em especial, os posicionamentos explicitados pêlos candidatos, e uma análise crítico-propositiva...’ Como evento público, o DEBATE obteve pleno êxito. A organização foi impecável. A presença do público ultrapassou as expectativas, com o EIA/Bolha da Unisul superlotada. A participação do público foi ativa e calorosa, mas civilizada. Os meios de comunicação social foram partícipes, em especial as rádios Santa Catarina 1210 AM e Bandeirantes 1090 AM, que transmitiram o evento na íntegra em tempo real. A repercussão foi ampla e positiva. A adesão totalmente gratuita financeiramente e voluntária profissionalmente dos profissionais dos veículos de comunicação foi, a meu ver, uma demonstração clara de que quando a ação é voltada aos interesses das comunidades/coletividade a imprensa tubaronense faz sua parte. O valor que fundamentou esta adesão foi, sem dúvida, a ética do servir e de contribuir para a formação de opinião do cidadão eleitor tubaronense.

Ficou claro que o cidadão quer muito mais que ‘ficha limpa’. Quer mais do que políticos gestores das coisas públicas. Não quer apenas o cumprimento do ‘dever de casa’ dos políticos. O DEBATE, com seus desdobramentos tem o propósito de identificar os políticos estadistas, líderes de um processo de desenvolvimento sustentável, de construir a justiça social com viabilidade econômica em harmonia com o ambiente natural, visando à vida digna das gerações atuais e futuras. O cidadão quer vida digna para si seus filhos e netos. E o poder público tem a responsabilidade de liderar a concretização desta esperança. Importante dizer que o DEBATE foi transcrito na íntegra. Sabendo que a forma de expressão falada é diferente da escrita, convidamos o leitor a avaliar as respostas dos candidatos a partir de sua objetiva relação com a pergunta. Como editor, me congratulo com todos. Afinal, a construção da unidade é possível tão somente através da convergência da diversidade por um objetivo comum. Desejo que o leitor perceba esta edição como um singular e rico acervo de informação, útil ao desenvolvimento pessoal e coletivo.

3. PRIORIDADES ESTRATÉGICAS À VIABILIZAÇÃO DO LEGADO A capa desta edição da EM REVISTA oferece uma síntese visual do legado prospectivo. O mapa “ROTA DA FÉ - ROTEIRO TURÍSTICO ENCANTOS DO SUL”, o

8

EMREVISTA | Novembro/Dezembro 2012 | www.em-revista.com

título “TURISMO INTEGRADO DAS ROTAS DO ROTEIRO ENCANTOS DO SUL - Rota da Fé, o triângulo da esperança” e os dizeres constantes do rodapé “A vocação

econômica regional, por ser tão óbvia, continua desapercebida” consubstanciam o problema e a soluço da questão, sinalizam a estratégia das ações.


Contextualização

A síntese da realidade e das sugestões/proposições, publicadas pela EM REVISTA em edições citadas, é aqui reafirmada e enriquecida, transcrevendo-se parte de documento entregue (e analisado) ao Presidente do Sistema FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina), Dr. Glauco José Côrte, em 12.11.12. O documento é de responsabilidade profissional do Economista José Müller e foi entregue pelo mesmo, com a participação do editor da EM REVISTA, Jornalista Henrique Bueno. O turismo será destacado pela EM REVISTA como o segmento econômico estratégico para o desenvolvimento sustentável dos municípios da Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar, tendo na rota da Fé o eixo dinamizador da realidade socioeconômica autosusstentável e, no Monumento-Padrão de Atração e de Apoio/Albertina, em Tubarão, a energia alavancadora. A Bem-Aventurada ‘Santa’ Albertina Berkenbrock, a Menina Mártir de São Luís (comunidade do município de Imaruí e da paróquia de Vargem do Cedro da Diocese de Tubarão), é a Alma do turismo cultural-religioso, como ‘modelo e inspiração’ dos valores cristãos, para os jovens em especial - da Região, do Brasil e do Mundo - perplexos com a coisificação das pessoas e sedentos por uma sociedade mais humana. Os festejos de Santo Antônio/ Laguna, Senhor dos Passos/Imaruí, N. S. da Piedade/Tubarão, N. S. Aparecida/Treze de Maio, Sagrado Coração de Jesus/Gravatal

e de outros padroeiros são eventos que se fortalecem com a Alma singular da sul-catarinense Albertina, jovem mártir animadora de valores pessoais e da perene juventude da sociedade. A veneração de Santa Paulina, com marca milagrosa em Imbituba e Santuário em Nova Trento, se integra a esta rota da Fé, com impactos positivos no desenvolvimento do Alto Vale do rio Tijucas, na Grande Florianópolis. O padre Sérgio Jeremias, Administrador da Diocese de Tubarão há um ano e pároco de Vargem do Cedro - São Luís, denuncia o principal obstáculo ao desenvolvimento do turismo cultural-religioso (‘Albertina e a Jornada Mundial da Juventude 2013’, jornal NOTISUL, 26.09.2012, p. 14): ‘Enfim, Albertina tem despertado o interesse de muitas pessoas.’ Da Região, do Brasil e do Mundo. E continua: ‘Resta nossos políticos acreditarem no potencial turístico de seu Santuário no Sul Catarinense.’ Serão destacadas duas questões que clamam por atitude. A primeira, a infraestrutura viária. O jornal NOTISUL informa: ‘Turismo religioso - Obras estratégicas começam

a sair do papel’ (27.09.2012, p. 6). Na verdade, a ligação asfáltica entre a sede municipal de São Martinho e a comunidade de São Luis, está no papel há vários anos, mas, continua inacabada. Já a ligação asfáltica entre Imaruí/Pescaria Brava e São Luís começa a ser projeto no papel... Tem-se o Estado irresponsável ou acomodado reativamente, e ninguém o responsabiliza. O mesmo ocorre com outros ‘projetos’ viários: Serramar, Serra do Corvo Branco, São MartinhoSão Bonifácio, Interpraias e outros. A trafegabilidade dessas rodovias estaduais pagará parte da dívida social que o Estado tem com a Região, agregará vantagens locacionais em benefício

Nova Trento

SC 282

São Bonifácio BR 101

SC 431

São Luís Imbituba

Vargem do Cedro

Rota da Fé o triângulo da esperança

Imaruí

São Martinho

Armazém Pescaria Brava Laguna

Gravatal

Tubarão SC 431

Jaguaruna

BR 101

www.em-revista.com | Novembro/Dezembro 2012 | EMREVISTA

9


Contextualização

O encontro com o Dr. Glauco Côrte, presidente da FIESC visou informar sobre nossa percepção e atuação frente à construção do processo de desenvolvimento de Tubarão e de todos os municípios da região da Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar, solicitar“pressão institucional”da FIESC quanto à infraestrutura necessária à esta construção e sugerimos que a FIESC liderasse comprometimentos público-privados.

da rota da Fé e da economia em geral, significando também investimentos ‘compensadores’ frente a prejuízos provocados pelo atraso de obras federais (duplicação da BR 101 Sul). A segunda, a construção do Monumento-Padrão de Atração e de Apoio/ Albertina. A concepção deste empreendimento é do Economista José Müller. Foi entregue, em mãos, ao Executivo do município de Tubarão em 23.09.2010 - sem retorno até hoje. Foi publicada pela EM REVISTA, em especial, na edição de nov./ dez. de 2011. É, portanto, uma concepção do empreendimento de domínio público, inclusive dos atuais candidatos a Prefeito do Município. Seu autor entende que deverá ser um empreendimento público-privado. Isto porque irá alavancar o turismo em geral e o turismo cultural-religioso em especial; sendo estratégico para o desenvolvimento de Tubarão com identidade polarizadora interregional. Será o

10

EMREVISTA | Novembro/Dezembro 2012 | www.em-revista.com

Portal Turístico de Tubarão e da Região, um autêntico ‘Shopping Étnico-Cultural’. Encadeará impactos positivos nas atuais atividades de Tubarão e possibilitará novos empreendimentos produtivos. Será fator de geração de empregos diretos e indiretos em volume crescente por ser inédito, endógeno e multiplicador, num processo de desenvolvimento em espiral. Resta saber qual será o setor - público ou privado - que dará o primeiro passo. - O que deve vir primeiro: a infraestrutura viária de responsabilidade estatal, ou, os empreendimentos produtivos da iniciativa privada? Parece óbvio que a iniciativa deverá ser conjunta (público-privada). Tanto um como outro, poderá arcar com o ônus dos pré-investimentos. Se este ônus for privado, a condução do processo e o resultado serão privados. Se o ônus for público, a condução do processo e o resultado deverão ser coletivos. Assim, o ideal é que

a deflagração e a implementação sejam público-privados, otimizando-se os resultados para os indivíduos empreendedores e para a coletividade. O encaminhamento técnico-científico deverá ser a UNISUL. Tem credibilidade institucional e capacidade profissional para transformar a concepção do empreendimento em Projeto Executivo e em Plano de Negócio, bem como, para produzir o Plano Mestre Regional do turismo cultural-religioso. Mas, dependerá dos recursos financeiros de preinvestimento a ‘fundo perdido’. O encontro com o Dr. Glauco visou informar a FIESC sobre nossa percepção e atuação frente à construção do processo de desenvolvimento de Tubarão e de todos os municípios da região da Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar, solicitar “pressão institucional” da FIESC quanto à infraestrutura necessária à esta construção e sugeriu que a FIESC liderasse comprometimento público-privados quanto à implementação do Monumento-Padrão de Atração e de Apoio/ Albertina em Tubarão e quanto à produção do Plano Mestre Regional do turismo cultural-religioso (rota da Fé). A justificativa do encontro foi “A preocupação de V. S. com o relativo atraso do Sul de Santa Catarina - e da Região de Tubarão em especial.” Segue, na íntegra, documento básico entregue ao Presidente do Sistema FIESC, Dr. Glauco José Côrte, lembrando que o item “B - OPÇÃO ESTRATÉGICA e Opções Complementares” está, no geral, em tópicos anteriores desta edição.


www.em-revista.com | Novembro/Dezembro 2012 | EMREVISTA

11


José Müller

IDENTIDADE POLARIZADORA INTERREGIONAL DE TUBARÃO E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DOS MUNICÍPIOS DA BACIA DO RIO TUBARÃO E COMPLEXO LAGUNAR Passos Estratégicos da sua Construção A - SITUAÇÃO em Outubro de 2012 »» Empreendimentos produtivos existentes, a gerar endogenamente e a atrair - tolhidos, prejudicados ou inviabilizados pelo atraso de obras de infraestrutura - da União e do Estado, isto quanto a atrasos há anos ou décadas e por atrasos ‘programados’ ou previsíveis com a tendência histórica (duplicação da BR-101 principalmente). A ponte Anita Garibaldi e o túnel do Morro do Formigão continuarão gargalos interestaduais e, em especial, para o desenvolvimento de Tubarão e demais municípios da Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar, até 2016(?). »» As inúmeras iniciativas associativas locais e regionais (endógenas) são geralmente de foco reivindicatório, pontuais e desarticuladas entre si. Praticamente, inexistem decisões organizadas no foco construtivo, de opções estratégicas para o desenvolvimento como processo endógeno e autossustentável. B - OPÇÃO ESTRATÉGICA e Opções Suplementares »» (Ver EM REVISTA - Edição 2012 - DEBATE com os Candidatos, set./out. 2012, p. 22 a 26). C - PASSOS ESTRATÉGICOS (da construção da identidade polarizadora interregional de Tubarão e o desenvolvimento sustentável dos municípios da Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar). C.1 - Produção do Projeto Executivo do empreendimento Monumento-Padrão de Atração e de Apoio/Albertina, em

12

EMREVISTA | Novembro/Dezembro 2012 | www.em-revista.com

Tubarão, como alavancador do turismo cultural-religioso (rota da Fé) e a simultânea produção do Plano Mestre Regional deste eixo motor e integrador dos produtos das rotas do roteiro turístico Encantos do Sul, dinamizando-se a economia num processo de desenvolvimento sustentável com sinergia em espiral. C.2 - Engajamento da sociedade civil organizada - os setores privado e sociocomunitário - e comprometimento das Municipalidades da Região, visando à definição de um projeto prospectivo, num horizonte de 20 anos ou mais, consubstanciado no Plano Diretor de Desenvolvimento Sustentável (PDDS) do conjunto dos municípios da Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar. C.3 - Aplicação desse engajamento e comprometimento regional a cada município integrante dessa unidade geográfica de planejamento e desenvolvimento regional, visando otimizar as energias locais num processo regional sinérgico e em espiral, inclusive assegurando planos plurianuais de cada gestão consistentes, continuados e inovadores. C.4 - Financiamento a ‘fundo perdido’ da UNISUL, comprometendo-a como universidade das comunidades de Tubarão e da Região, a fim de que seja institucionalizada sua liderança técnico-científica e tenha as condições financeiras de atuar como aliada dos poderes públicos e possa trabalhar com as instituições e organizações da sociedade civil organizada. Não para - que seria paternalismo - mas, com a sociedade, porquanto seu propósito é contribuir para o desenvolvimento regional sustentável e para a humanização da era pós-tecnológica. E, como instituição, a Missão da UNISUL é a educação permanente, entendida como o processo de identificação e de desenvolvimento das potencialidades individuais e coletivas. D - ASSIMILANDO PREJUÍZOS E ÓBICES HISTÓRICOS, E CONSTRUINDO

O FUTURO A realização desses PASSOS significará a construção do desenvolvimento como processo endógeno, inédito, multiplicador e autossustentável de Tubarão e dos demais municípios da Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar. Assim, prejuízos de atrasos de obras federais e de passivismos paternalísticos reivindicatórios continuarão prejudiciais, mas não inviabilizadores. Isto porque a sociedade regional, com a participação obrigatória dos governos do Estado, terá construído seu caminhar para frente, em que o desenvolvimento sustentável se traduz na construção da justiça social com viabilidade econômica, visando à vida digna das gerações atuais e futuras. A Região ter-se-á libertado das condições de sobrevivência e terá criado as condições de convivência, graças ao exercício da autonomia e da participação. Portanto, quando os gargalos da BR-101 estiverem removidos, a Região poderá até praticar uma política seletiva de atração de empresas, tomar decisões a partir dos ganhos recíprocos das partes (empresa ‘de fora’ e complexo produtivo existente e/ou sustentabilidade ambiental). Evita-se, enfim, a ameaça de nova fase de economia de enclave, de crescimento econômico instável e extrarregionalmente imposto Aliás, ameaça muito real para Tubarão, que viveu a catástrofe econômica dos anos 1960/70, a qual não virou tragédia social graças a iniciativas endógenas de desenvolvimento (FESSC-UNISUL e algumas empresas industriais). Por fim, registra-se que esses PASSOS ESTRATÉGICOS são consistentes com princípios econômicos consagrados (economia de escala regional, externalidades, valor agregado, vantagens locacionais várias e outros). Constituem, em especial, uma percepção geopolítica (como ciência e arte da tomada de deci-


José Müller

sões a partir de fatores geográficos). E - OBRAS E AÇÕES IMPRESCINDÍVEIS A construção e a consolidação da identidade polarizadora interregional do município de Tubarão dependem de várias obras e ações, algumas já destacadas, todas justificadas pela mais elementar visão geopolítica. Por isso, são apenas citadas, como segue: 1. Construção do Monumento-Padrão de Atração e de Apoio/Albertina em Tubarão. 2. Ligação viária entre a SC-438 (bairro de São Martinho) e a BR-101 (acesso Norte). 3. Conclusão da ligação entre São Martinho e São Luís (Imaruí). 4. Asfaltamento entre Pescaria Brava/ Imaruí e São Luís. 5. Asfaltamento entre São Martinho São Bonifácio - BR-282.

6. Conclusão da ligação entre Grão Pará/Serra do Corvo Branco e Urubici. 7. Asfaltamento da rodovia Ageu Medeiros (marginal ao rio Tubarão). 8. Conclusão da Serramar, trecho Pedras Grandes-Orleans. 9. Conclusão da Interpraias (Jaguaruna-Laguna) e seu prolongamento a Imbituba/Garopaba. 10. Asfaltamento da BR-285, trecho de Timbé do Sul e Planalto Norte do RS. 11. Navegação flúvio-lacustre (Tubarão -Laguna). 12. Canais de derivação das cheias do rio Tubarão, em sistema de polder. 13. Operação do aeroporto de Jaguaruna (passageiros e cargas). 14. Dinamização do porto pesqueiro de Laguna - complexo portuário de funções integradas, e navegabilidade do canal de acesso e da barra.

15. Adequação da FTC aos desdobramentos dessa identidade polarizadora. 16. Harmonização das atividades portuárias de Imbituba (id. 15). 17. Recuperação e uso econômicoturístico da ponte ferroviária de Laranjeiras-Cabeçudas (Engenharia inglesa do Séc. XIX), integradamente com a ponte rodoferroviária (Séc. XX) e a ponte Anita Garibaldi (Séc. XXI), isto é, no mais singular complexo mundial da Engenharia. 18. Obras e ações citadas em Opções Suplementares para o desenvolvimento sustentável de Tubarão (EM REVISTA, edição de setembro/outubro 2012, p. 24/25). Econ. José Müller Tubarão/SC, 05.10.2012.

4. NOSSO “AQUI E AGORA” ESTÁ INDEFINIDO: INADEQUAÇÃO E IRRESPONSABILIDADE DE AGENTES DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (Economista José Müller, Consultor da EM REVISTA) Como anteriormente afirmado, as inúmeras iniciativas associativas locais e regionais (endógenas) são geralmente de foco reivindicatório, pontuais e desarticuladas entre si. Praticamente, inexistem atitudes no foco construtivo corresponsável de opções estratégicas para a construção do processo endógeno e autossustentável. Tubarão e todos os municípios da região da Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar (21 municípios com sede neste território) não têm unidade de planejamento e de ações de interesse comum, não têm coordenação nas decisões, desperdiçando energias na diversidade paralela e até conflitante, ao invés, de otimizar a diversidade de energias visando à convergência de resultados. De fato, os 21 municípios formam ajuntamentos de associações, a maioria na AMUREL, mas outros, na AMREC e na Grande Florianópolis. Há algumas iniciativas setoriais sendo praticadas. Mas, inexiste uma estratégia comum de desenvolvimento sustentável, em especial, quanto ao efewww.em-revista.com | Novembro/Dezembro 2012 | EMREVISTA

13


José Müller

tivo trabalho do Comitê da Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar e quanto à integração do turismo regional. Há consenso quanto a essas necessidades, mas, não há comprometimento quanto a“quem faz o que, como e quando...” Essa desunião endógena estimula inclusive formas de desunião impostas pelo Governo do Estado. Assim, a Região Metropolitana de Tubarão não coincide com o território da Bacia e Complexo Lagunar. E pior, a política de descentralização do Governo Catarinense impôs Secretarias de Desenvolvimento Regional que, além de não passarem de meras delegações geográficas do Executivo Estadual, são unidades políticas de enclave multi-local, nada significando para a construção do desenvolvimento regional. Assim, juntaram-se 3 (três) unidades na AMUREL (com sede em Laguna, Tubarão e Braço do Norte) e, ilariamente, alocaram-se municípios do território da Bacia e Complexo Lagunar à SDR de Criciúma e da Grande Florianópolis. Em suma, o exercício da autonomia de ente federativo, o Município, não é praticado pelo mesmo, porquanto se deixa subordinar a outro ente federativo, o Estado. Perde-se, portanto, a sinergia entre entes públicos. Corroem-se os princípios da interdependência e da complementariedade. Anula-se a frágil

e jovem autonomia municipal, cujo exercício é possível apenas a partir da Constituição Federal de 1988. Essas posturas dos poderes públicos de cada Município e do Estado fortalecem o centralismo estatal da União, perenizando-se “caravanas e/ou marchas” de Prefeitos a Brasília, donde retornam de “”pires vazio”, ou, com migalhas. Sem planos, programas e projetos, decididos municipal e regionalmente, mesmo uma readequação tributária nacional mais favorável ao Município não garantirá maior e melhor desenvolvimento local e regional: o“barco à vela”, o Município, está à deriva, pois seu timoneiro (o Chefe do Executivo), não sabe o destino. Mais graves são os impactos negativos sobre os agentes da sociedade civil causados por essa atitude, ou falta de atitude, dos municípios representados pelos seus Poderes Legislativo e Executivo. As instituições e organizações da sociedade civil ficam desorientadas, tanto as sociocomunitárias, quanto as de iniciativa privada. O não cumprimento das funções dos “nossos políticos” explica em parte, as posturas passivas, ou meramente reativas de outros agentes. Assim, restam muitos“empresários”sem visão de investidores competentes, capazes de trans-

formar potencialidades econômicas em riquezas geradoras de lucro privado e de crescente bem-estar social. Igualmente, restam muitos “dirigentes” universitários não proativos, sem equacionar e propor opções aos próprios poderes públicos e à iniciativa privada. Restam muitos meios de comunicação social que, quando não omissos como formadores de opinião, apenas publicam informações sem analisar o contexto. Desorientação principalmente por causa da ausência de uma política público-privada de iniciativa da Municipalidade. Essas constatações são aqui reafirmadas na intenção de enfatizar que é preciso fazer acontecer. A EM REVISTA vem apresentando análises críticas e sugestões e proposições objetivas em prol, sobretudo, da construção da identidade polarizadora interregional do município de Tubarão e do desenvolvimento sustentável de todos os municípios da região da Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar. Seu Consultor continuará colaborando com a equipe, através instrumentos de comunicação social adequados. Prosseguirá, acreditando e insistindo que é preciso fazer acontecer, consciente de que o mero crescimento econômico tem um preço e que o desenvolvimento sustentável cobra qualidade.

5. AUTO-ENTREVISTA/DEPOIMENTO DO PROFESSOR JOSÉ MÜLLER A - O QUE ME MOTIVOU A INTEGRAR A EQUIPE DA EM REVISTA? Porque seu Editor, o Jornalista Henrique Bueno, me convenceu. Os valores e o propósito do Editor da EM REVISTA e

14

EMREVISTA | Novembro/Dezembro 2012 | www.em-revista.com

os meus são harmônicos entre si. Assim, como profissional da área econômica, como educador e como coprotagonista da UNISUL, ocupo este espaço comunicador. Meus direitos e deveres de cida-

dão exigem a continuidade da minha atuação em prol da viabilização do processo de desenvolvimento sustentável do município de Tubarão e do Sul de Santa Catarina, em especial, dos muni-


José Müller

cípios da região da Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar. A EM REVISTA me oportuniza essa atuação cidadã, praticada na UNISUL desde sua gênese nos anos de 1960. Numa aliança corresponsável, nosso propósito é contribuir para a viabilização do processo de desenvolvimento sustentável das pessoas e da coletividade - sem “achismos”, mas, com enfoque analítico e crítico-propositivo. B - A EXTINÇÃO DA EM REVISTA DESFAZ SUA EQUIPE? Não. Pelo contrário, a equipe se fortalecerá. Como instrumento da equipe, a EM REVISTA terminou sua “vida útil”, cumpriu sua função. Possibilitou a produção de frutos com sementes. A equipe trabalhará com novos instrumentos, adequados aos estágios de germinação, crescimento e amadurecimento dessas semente. Eu prosseguirei, nos mesmos valores e propósito, participando do manejo dos novos instrumentos: um jornal semanário e uma publicação anual. C - O QUE ME MOVE A INSISTIR A LUTAR POR UM MUNDO MELHOR?

»» Na minha história, adquiri apenas a sabedoria de que cada um tem seu ritmo e sua qualidade de desenvolvimento e que, na participação com autonomia, o processo evolui em espiral, graças ao aporte e ao uso de energias compartilhadas, cuja sinergia conduz à perenidade em plenitude. E a energia primeira desse processo é a atuação com amor com todos, os próximos e ausentes. »» Essa “sábia aprendizagem” responde a constatações que ouço, em especial, de ex-alunos: “Mas, professor Müller, isto o senhor propunha já há 40 anos...”. Por isso, a persistência é necessária, embora argumentos e métodos ou instrumentos devam ser oportunamente adequados, sempre visando aumentar a velocidade da qualificação de decisões e ações. »» Não consigo entender que alguém veja tudo errado, tudo critica ou fica indiferente... e assim se considera satisfeito. Importa perguntar-me o que e como melhorar e, sobretudo, perguntar-me o que eu faço para tanto.

Considero oportuno lembrar duas lições da histórica sabedoria popular: “Água mole em pedra dura tanto bate até que fura.” “Para um barco à vela, as melhores ondas e os ventos mais favoráveis em nada ajudam se o timoneiro não souber o destino.” D - TENHO CREDIBILIDADE PARA SUGERIR E PROPOR AÇÕES ESTRATÉGICAS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE TUBARÃO E REGIÃO? Tenho. Se o leitor estiver interessado em confirmá-la, sugiro ler o livro “A UNISUL E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SUL DE SANTA CATARINA: Uma análise crítico-propositiva”. José Müller, Editora Unisul, 2012. E - SUGESTÕES AOS FORMADORES DE OPINIÃO E TOMADORES DE DECISÕES Como a construção de um mundo melhor começa no “aqui-agora”, segue a transcrição do tópico “5 - SUGESTÕES E/OU LEMBRETES” da edição da EM REVISTA, de setembro/outubro 2012, p. 26.

www.em-revista.com | Novembro/Dezembro 2012 | EMREVISTA

15


José Müller

6. SUGESTÕES E/OU LEMBRETES

6.2 AO SINTERMUT E AO SINPAAET As duas entidades, aliadas à APIT, assumiram compromisso público de agentes plenamente educativos. O foco do Debate é desafio à efetiva prática do conceito de Educação como processo de identificação e de desenvolvimento das potencialidades individuais e coletivas. 6.3 À UNISUL Como universidade das comunidades de Tubarão e da Região, e consideradas as disposições da Lei Orgânica do Município de Tubarão (publicada em 1990, com reedição em 1997 - nomeadamente o Art. 187) e visando à harmonia e à continuidade institucionalizada de ações de interesse público, à UNISUL cabe propor à Municipalidade o estabelecimento de uma aliança, incluindo a adequação da Lei Orgânica. O primeiro passo poderá ser dado pela UNISUL, propondo à Municipalidade um Plano Mestre conjunto. Acordado o Plano Mestre, estará assegurada a liderança do processo de desenvolvimento sustentável, com a efetiva participação da sociedade civil organizada - os setores sociocomu-

16

EMREVISTA | Novembro/Dezembro 2012 | www.em-revista.com

diversidade em prol do bem-estar e do dinamismo coletivo.

nitário e privado - e Tubarão terá também as condições de, mediante projetos fundamentados e consistentes, otimizar as ações dos organismos regionais, estaduais e federais, inclusive do Exterior. 5.4 À ACIT, AOS SINDICATOS DE TRABALHADORES, ÀS ASSOCIAÇÕES DE PROFISSIONAIS LIBERAIS E ÀS DIVERSAS ‘FORÇAS VIVAS’ DE TUBARÃO Que participem conscientemente no estabelecimento da referida aliança entre a Municipalidade e a UNISUL, fortalecendo-a e legitimando-a plenamente. A conjugação de ações dessas entidades de interesse público, otimizando o aproveitamento das energias político-administrativas e técnico-científicas, aumentará crescentemente a autoestima da população e garantirá a solidária competência em prol do desenvolvimento sustentável de Tubarão, com impactos positivos intermunicipais inéditos e irreversíveis. 5.5 AOS CANDIDATOS A PREFEITO E VICE E A VEREADOR Que atuem como estadistas, seja no Poder Executivo, seja no Poder Legislativo. Que sejam líderes determinados, com mensagem pessoal e com a humildade de sempre aprender. Assim agindo, no respeito e na confiança mútua, contribuirão para o exercício da autonomia e da cooperação. Serão animadores e facilitadores da convergência da

5.6 AO CIDADÃO-ELEITOR Que exerça seu direito ao voto, fazendo as escolhas conscientemente. Que sua decisão resultará na qualidade de vida de todos os tubaronenses e na operacionalização da esperança de vida digna dos seus filhos e netos. - Não vote em branco, não anule seu voto, não se abstenha de votar: são omissões covardes, de quem não quer tomar decisões. É preferível errar no agir a, qual um avestruz, esconder a cabeça na areia... Esse avestruz não vê o deserto em que está, também não caminha para um oásis possível... Alegar que ‘nenhum político presta’ corresponde a afirmar que ninguém presta, pois, o político é fruto de uma família, de uma comunidade... e, sem dúvida, há muitos políticos que poderão contribuir para a melhoria das famílias e das comunidades. //

Divulgação

6.1 À APIT A entidade que tem o mérito da iniciativa do Debate, passa a ter a obrigação de promover o amadurecimento continuado dos temas. Os veículos de comunicação social têm função também educativa e formadora da cidadania.

Prof. José Müller Economista


Imbituba

Região une fé e turismo

para a sua redenção econômica O caminho pr incipal para o desenvolvimento regional passa necessariamente pelas ações ligadas aos vários seguimentos turístico do sul do Estado, a partir do corredor da fé, unificando a ascensão que nutrem na região a trilogia religiosa que envolve os devotos fiéis de Santa Paulina, Santo Antônio, e a beata Albertina, em Imbituba, Laguna e Imaruí, respectivamente, como uma válvula de escape em direção a Nova Trento, berço da santa milagrosa e responsável pelo primeiro milagre oficial acontecido em Imbituba e que ajudou a possibilitar a sua própria canonização, Santa Paulina. O que não deixe de ser uma proposta objetiva, viável e de impacto regional. 

Imagem no Morro da Antena

do Brasil, num investimento de R$ 2 milhões”, revela o responsável pela montagem, arquiteto Francalacci.

Turismo na Lagoa da Bomba O novo governo de Imbituba é claro quando se refere aos investimentos turísticos da cidade, “o futuro prefeito Jaison Cardoso de Souza revela que Imbituba não vai investir somente no turismo religioso, temos outras opções, entre elas a Lagoa da Bomba, para a qual temos um projeto que iremos estabelecer já no inícío da nossa administração, por estar localizada numa área central da cidade, vamos imediatamente investir na sua recuperação e transformá-la num dos principais pontos turísticos da cidade e da região, com instalação de pedalinho e outros atrativos para os turistas visitantes”, afirma Jaison, com a aprovação do vice-prefeito eleito Elisio Sgrott. A exploração do turismo regional passa necessariamente pelos quatro municípios, Laguna, Imaruí, Garopaba e Imbituba, com cada um se destacando com o que tem de melhor no turismo regional, praias, museus, lagoas, monumentos e peregrinação através do corredor da fé. // Divulgação

Em Imbituba há os que se interessam pelo turismo religioso e des-

ta forma ganha força e apoio a construção do monumento de Santa Paulina no Morro da Antena, um dos maiores monumentos religiosos do Brasil que começa a tomar forma em Imbituba. Os prefeitos José Roberto Martins e o eleito Jaison Cardoso de Souza, visitaram os trabalhos de construção dos moldes e tiveram uma idéia de como ficará o rosto de Santa Paulina. “A peça tem oito metros de comprimento. A estátua terá uma altura total de 46 metros, a maior do Brasil”, lembra o peregrino Camilo Damázio “Para realizar o trabalho de construção dos moldes, foram necessários 205 metros cúbicos de isopor, que estão sendo utilizados para construir os moldes da resina de vidro que será levada para o Morro da Antena, onde se localizará a estátua de Santa Paulina, tão logo seja realizada a licitação para a construção da maior estátua

Gervázio Plácido Imagem do rosto de Santa Paulina ganha forma em Imbituba.

Gervazioradio@yahoo.com.br

www.em-revista.com | Novembro/Dezembro 2012 | EMREVISTA

17


Tubarão

TURISMO Nossa região tem tudo para ser uma potência em se tratando de turismo. Tubarão e Gravatal possuem belas estâncias termais além de pontos de referência como as obras de Willy Zumblick, a Catedral Diocesana, Casa da Cidade entre outros. Pedras Grandes possue o delicioso vinho das uvas Goethe. Jaguaruna e Laguna com suas praias e ainda com a história de Anita Garibaldi. Não bastasse tudo isso temos Orleans, Braço do Norte, Santa Rosa de Lima e Imaruí com suas histórias fantásticas e Imbituba com seu porto e baleias. São Martinho com o turismo rural e a beata Alåbertina completam o grande apelo que temos para transformar a região numa grande indústria sem chaminés. E porque não damos um salto de qualidade? Porque, infelizmente, a maioria dos nossos governantes pouco se

18

EMREVISTA | Novembro/Dezembro 2012 | www.em-revista.com

importam com isso. Preferem a política do empreguismo e imediatismo. Quem sabe agora os novos prefeitos não pensem diferente. É a esperança que temos.

PERDIDAS As 72 vidas perdidas em razão da Gripe A este ano mostram que Santa Catarina tem muito a avançar em prevenção e isolamento do vírus. Depois de dois anos em que o H1N1 parecia dar uma trégua, o Estado voltou a conviver novamente com o problema. O drama renasce e termina a cada começo e fim de inverno, sem medidas capazes de enfrentá-lo e sufocá-lo a ponto de não assombrar os catarinenses. Desde o começo do ano, 741 casos foram confirmados. Os dados revelam que, das mortes, 51,4% são do sexo masculino e 48,6% do sexo femi-

nino. A média da idade das vítimas é de 48 anos. As faixas etárias com maior número de mortes foram de40 a49 anos com 29,2% e de50 a59 anos com 31,9%. Apesar dos cuidados de nossas lideranças da área da saúde é preciso que providências mais drásticas sejam tomadas. A população de Santa Catarina vai agradecer, com toda certeza.

ABSURDO Quantos anos possuem as secretarias regionais em Santa Catarina criadas pelo ex-governador e hoje senador Luiz Henrique da Silveira? Exatos 9 anos. Para quem tem memória curta, basta lembrar que em Tubarão passaram pelo cargo de secretário regional o ex-vereador Léo Rosa de Andrade, o ex-prefeito de Braço do Norte, Ademir Matos, o empresário César Damiani,


Tubarão PESQUISAS E ENQUETES A Justiça Eleitoral e os deputados e senadores precisam olhar com carinho a questão de divulgação de pesquisas eleitorais e de enquetes antes das eleições. O eleitor não pode ser ludibriado da maneira que foi nestas eleições. A rigor, praticamente todas as pesquisas em Tubarão ficaram longe dos resultados obtidos pelos candidatos nas urnas. Uma ou outra trouxeram números que ficaram dentro da margem de erro. Nenhuma delas acertou em cheio. Não cabe culpa aos Institutos e sim a quem contrata as pesquisas. O problema está nos candidatos que procuram modificar os números para divulgação e mascaram as situações para seus candidatos a vereador, cabos eleitorais e simpatizantes acreditarem em suas vitórias. Quando a pesquisa ou enquete são sérias é preciso que se respeitem os resultados, pois cientificamente elas retratam o momento eleitoral. Fora disso são armas perigosas nas mãos de inescrupulosos. //

o vereador Jairo dos Passos Cascaes e agora por último o suplente de vereador Haroldo de Oliveira Silva. Nenhuma outra secretaria no estado trocou tanto de secretário quanto a de Tubarão. E ao que consta em breve deveremos ter nova troca apesar do grande trabalho que realiza o atual detentor do cargo. É um absurdo que não podemos concordar. O governador Raimundo Colombo precisa olhar

esta questão com muito cuidado. O cargo de secretário regional em Tubarão não pode continuar sendo moeda de troca para os partidos políticos. A nossa região merece mais respeito. Ao longo dos anos sempre que um secretário começa a tomar pé de toda a situação algo acontece e o mesmo é substituído. Perdem o governo e a população. Isso precisa acabar. Porque em outras regiões é diferente?

Divulgação

Nossa homenagem ao prefeito eleito de Tubarão João Olávio Falchetti. Que sua administração seja coroada de pleno êxito.

Vencer sem luta é triunfar sem glória. Pierre Corneille, pensador francês. Arilton Barreiros Jornalista

www.em-revista.com | Novembro/Dezembro 2012 | EMREVISTA

19


educação

SINTERMUT

MUITO TRABALHO, MUITAS CONQUISTAS No decorrer do ano de 2012, o SINTERMUT vem desenvolvendo atividades que dão um novo formato para mobilizações da categoria. O

Assémbleias e greves vem sendo realizadas pelo sindicato, voltadas a melhorias salarial e condiç  oes de trabalho da categoria

20

EMREVISTA | Novembro/Dezembro 2012 | www.em-revista.com

objetivo principal é a defesa dos interesses dos nossos associados. O sindicato vem organizando assembleias, reuniões, atos e greves voltadas para melhoria salarial e das condições de trabalho da categoria. Em fevereiro deste ano o SINTERMUT alterou seu estatuto social ampliando a base territorial a mais quatro municípios, ficando sua razão como Sindicato dos Trabalhadores na Área da Educação da Rede Municipal de Tubarão e Capivari de Baixo e todos os trabalhadores de Sangão, Treze de Maio, Armazém e Pedras Grandes. Através de uma professora do município de Pedras Grandes Maria Terezinha Caetano, foi realizada em Abril a primeira reunião com mais de 40 servidores deste município. Nos municípios de Sangão, Treze de Maio e Armazém

o contato inicial foi adiado devido às eleições municipais. Os trabalhos serão iniciados no início de 2013. A expansão de base é um dos propósitos doSintermut, uma construção

As reuniões são constantes. O objetivo é defender os direitos da categoria de forma organizada e estratégica


educação

política que vem sendo preparada por mais de 10 anos. Após estudos realizados nos últimos quatro anos, constatou-se que estes municípios estavam sem representação sindical. Com o fortalecimento da base e a reformulação do Plano de Cargos e Salários em Tubarão, foram realizadas assembleias para construir e retirar a pauta de reivindicação como prevê o Capítulo XIV, artigo 39 da Lei Complementar nº As metas e ações do SINTERMUT em 2012 foram norteadas da seguinte forma: 46/11 com a Negociação Coletiva de Trabalho uma conquista do SINTERMUT. Desta forma, já üü Expansão de base para mais quatro municípios são eles Sangão, Treze de Maio, houve retornos em relação a Armazém e Pedras Grandes com registro protocolado no Ministério do Trabalho; pauta, dentre elas o Piso Nacioüü Assembleias municipais para retirada de pauta de reivindicações como forma de nal do Magistério, previsto em negociação coletiva de trabalho; Lei, complementação de Apoüü Participação do SINTERMUT no Conselho da Previdência Social, COMET – Consesentadoria para os servidores lho Municipal de Educação, CAE – Conselho da Alimentação Escolar em Tubarão, Estatutários de Tubarão, através CEAE – Conselho do Estado da Alimentação Escolar e Conselho do FUNDEB; da Lei Ordinária 3.770 de 11 de üü Construção e execução de estratégias e ações junto a CUT – Central Única dos Trabalhadores: participação do CECUT (Florianópolis), CONCUT (São Paulo) e reusetembro de 2012 que define niões, atividades e cursos através da CUT Regional – Sul; o regime geral de previdência extinguindo o fundo compleüü Participação de reunião com Dr: Valdecy Alves da CONFETAM, entidade em que mentar entre outras. somos filiados; Para o ano de 2013 temos üü Jantar Dançante em comemoração aos 20 anos do SINTERMUT; um desafio: debater e criar meüü Debate Público sobre a migração do Regime Jurídico em Tubarão; tas, propostas de mobilizações üü Debate com os candidatos a Prefeito de Tubarão; no Congresso de Delegados do üü Encontrão com os candidatos a Vereador de Tubarão que são Servidores Municipais; SINTERMUT com o tema Saúde üü Visitas nas bases de Tubarão, Capivari de Baixo e Pedras Grandes; do Trabalhador como Prevenüü Reuniões com os estagiários de Tubarão; ção e não como Doença. Este üü Participação do SINTERMUT no Fórum da Saúde do Trabalhador; evento será destaque em maio üü Reuniões com a Diretoria Executiva do SINTERMUT e Coordenações Municipais; com a participação de pelo üü Compra do carro CELTA para melhor realizar o trabalho de base. menos um delegado por local de trabalho. //

www.em-revista.com | Novembro/Dezembro 2012 | EMREVISTA

21


educação

Sinpaaet realiza jantar em homenagem ao trabalhador em educação

No dia 20 de outubro, o Sinpaaet promoveu o seu tradicional Jantar em comemoração ao Dia do Trabalhador em Educação. Na oportunidade, a entidade reuniu seus filiados, que incluem professores e auxiliares administrativos da rede privada de ensino de Tubarão, para confraternizar e celebrar a passagem do dia 15 de outubro, quando se comemora o Dia do Trabalhador em Educação. Além dos filiados, o evento contou com a presença de representantes do Sintermut, Sindicato dos Comerciários e da CUT Estadual. Mais de 400 pessoas marcaram presença e desfrutaram de um delicioso jantar, além da animação da Banda PH7 com Juízo. Para deixar

a noite ainda melhor, o Sinpaaet sorteou brindes entre os filiados. Segundo a presidenta da entidade, Gisele Vargas, o jantar é sempre uma oportunidade de confraternizar com os colegas e reforçar as ações do sindicato. “É sempre uma alegria poder reunir nossa categoria e celebrar a passagem de mais um 15 de outubro. Ainda que não tenhamos muitos motivos para comemorar a data, pois ainda há muito a ser conquistado, precisamos salientar que a luta deve ser constante, assim como o sentimento de união”. A diretoria do Sindicato agradece a presença de todos que contribuíram para o sucesso de mais esse evento.

RÁDIO BANDEIRANTES 1090- TABAJARA AM A Rádio Bandeirantes AM de Tubarão privilegia as informações locais e regionais repercutindo os principais fatos do Brasil e do mundo. Se apresenta como uma defensora dos interesses da população da cidade e região, interagindo ativamente com os representantes do poder público e a iniciativa privada. Os programas contam com um time de apresentadores, comentaristas e repórteres que acompanham e analisam o dia a dia da cidade e região, através de um jornalismo democrático e independente. Responsabilidade da informação, e proximidade com o ouvinte, esta é a missão da Rádio Bandeirantes 1090 Tabajara AM – Onde a informação chega primeiro!

ABRANGÊNCIA E AUDIÊNCIA A cobertura da Rádio Bandeirantes 1090 abrange 64 municípios, população de 1.141,393 habitantes. Possui um dos maiores alcances do rádio de Tubarão. Os ouvintes têm perfil qualificado e formador de opinião: 90% da audiência têm idade acima de 25 anos e 80% pertencem às classes A, B e C. A união dos filiados do Sinpaaet se manifesta em diversas oportunidades. O jantar, promovido pela instituição em homenagem ao dia do trabalhador foi um sucesso!

22

EMREVISTA | Novembro/Dezembro 2012 | www.em-revista.com


educação

Gisele Vargas, Presidente do Sinpaaet, fez pronunciamento e agradeceu a força da união dos filiados.

Sindicato luta pela valorização do trabalhador em educação

enfim, a valorização do trabalhador em educação. Afinal, assim como os

O jantar realizado pelo Sinpaaet foi uma forma de reunir os trabalhadores para comemorar um dia especial. Entretanto, o trabalho do sindicato não se resume a momentos festivos, de alegria. “Nossa luta vai muito além; nossa missão é representar a classe trabalhadora em educação nos diversos espaços de debate e discussão, no sentido de ampliar os direitos desses trabalhadores, proporcionando melhor qualidade de vida e de trabalho”, ressalta Gisele. Para tanto, o Sinpaaet, todos os anos, por meio da negociação coletiva, reivindica melhoria dos salários, melhores condições de trabalho,

Diretoria do Sinpaaet

professores e auxiliares da administração escolar pública, os trabalhadores do ensino privado também se deparam com salas superlotadas, assédio moral (tanto por parte de alunos e empregadores), excesso de trabalho fora da sala de aula sem remuneração (o professor do ensino privado não tem hora-atividade), a hora tecnológica, dentre outros. “A luta do Sinpaaet é contínua e constante, e sempre em prol dos professores e auxiliares da administração escolar - sejam eles atuantes no setor público ou privado de ensino. Afinal, a educação é um direito de todos e um dever do Estado e uma educação de qualidade requer trabalhadores em educação valorizados”, finaliza Gisele. //

www.em-revista.com | Novembro/Dezembro 2012 | EMREVISTA

23


Saúde & bem estar

Podólogos são profissionais essenciais no cuidado dos pés

Fundamentais no dia-a-dia, mas esquecidos nos cuidados. Os pés muitas vezes não recebem a atenção necessária e podem acabar sofrendo sérios problemas. A unha encravada e o calo são os mais comuns. Estas patologias, mesmo pequenas, causam um desconforto acentuado e apenas o profissional da podologia está habilitado a tratar.

24

EMREVISTA | Novembro/Dezembro 2012 | www.em-revista.com

“O podólogo sabe que tipo de tratamento deve ser feito para aquele problema. Dependendo da situação, trabalhamos em conjunto com outro profissional da área da saúde como o ortopedista, fisioterapeuta e o dermatologista”, explica a podóloga Fátima Rios, profissional formada na terceira turma da área em Santa Catarina.


Saúde & bem estar

Pessoas saudáveis podem ser afeadas por micose nos pés através do contato com pessoas infectadas ou ambientes contaminados. As áreas mais afetadas são as regiões entre os dedos e sob as unhas. Geralmente surge vermelhidão, pele esbranquiçada e o surgimento de fissuras e bolhas. O tratamento é simples, mas merece destaque. Segundo a podóloga, a terapia fotodinâmica permite que os sintomas desapareçam com mais rapidez, destruindo com eficácia o fungo causador do problema. Portadores de diabetes As proprietárias da Clinica Rios são habilitadas e habilidosas. Toda equipe trabalha de forma multidisciplinar connecessitam de um cuidado forme a necessidade do cliente/paciente. extra com os pés. Como há dificuldade de cicatrização, Estas são algumas dicas para corpo. As palmilhas devem obedequalquer corte nas unhas que seja inmanter a saúde dos pés: usar meias cer ao formato dos pés e, para isto, devida pode causar sérios danos. Há de algodão; comprar calçados no pejá existem materiais especiais para casos de que todo o pé teve que ser ríodo da tarde – quando o pé já está cada tipo de forma, o que garante amputado por falta de tratamento inchado, permitindo saber exataconforto e evita que no fim do dia os adequado. mente se ele ficará confortável; desmembros inferiores estejam dolori“O ideal é que o diabético visite contaminação freqüente do sapato; dos ou inchados. o podólogo uma vez por mês para cortar as unhas em linha reta e nunca “O uso excessivo do salto tamgarantir que os pés se mantenham curtas demais. // bém gera problemas para as mulhesaudáveis e com menor probabilidares. Mas como elas não vão deixar de de de se ter algum risco de infecção”, usar, recomendo que evitem sapatos salienta Fátima. Clínica Rios de bico fino e sandálias com tiras A atenção devida aos pés deve Rua Porto Alegre, 509 que prendam os dedos. Isto força em ser dada antes mesmo de comprar Vila Moema / Tubarão, SC demasia as articulações e mais tarde um calçado. Para caminhar, um tê(48) 3626-2080 podem aparecer joanetes dolorosos”, nis com amortecedor é ideal para diminuir o impacto do solo com o

diz a podóloga.

www.em-revista.com | Novembro/Dezembro 2012 | EMREVISTA

25


educação

Senac investe em

educação para o turismo Com a chegada do verão, aumentam as expectativas do setor hoteleiro em todo o sul de Santa Catarina. O motivo é óbvio: a presença das belas praias atraem milhares de turistas todos os anos para o nosso litoral. E nesse momento, as contratações temporárias estão em ritmo acelerado. Para receber os visitantes da região, é preciso estar capacitado, pois as exigências são cada vez maiores. Pensando nessa possibilidade, o Senac SC criou uma série de cursos

26

EMREVISTA | Novembro/Dezembro 2012 | www.em-revista.com

gratuitos destinados a oferecer qualificação profissional na área de turismo e hospitalidade. São cinco opções: Camareira em Meios de Hospedagem, Garçom Básico, Governança em Meios de Hospedagem; Maître e Recepcionista em Meios de Hospedagem. Os cursos são totalmente à distância e exigem ensino fundamental completo, além de idade mínima de 18 anos (para o curso de Recepcionista, podem ingressar alunos a partir de 16 anos). Para o cur-

so de Governanta é preciso ter experiência profissional de dois anos como camareira, e para o de maître, é necessário ter atuado como garçom por um período de dois anos. Para os demais cursos não é necessário experiência. // As inscrições são feitas no site www.sc.senac.br. Maiores informações podem ser obtidas pelo telefone 3632-2428 ou pelo email tubarao@sc.senac.br.


CYBERSHOPP

SOLUÇÕES GRÁFICAS E EDITORIAIS Do informativo semanal, ao relátorio anual. O Cybershopp, faz!

INFORMATIVOS | JORNAIS | LIVROS | REVISTAS | RELÁTORIOS APOSTILAS | CARDÁPIOS | CALENDÁRIOS | FOLDER | CARTAZES

28

AV. MARCOLINO MARTINS CABRAL | PRAÇA SHOPPING | SALA 205 | TUBARÃO/SC 3632.2927 | CYBERSHOPP@GLOBO.COM

EMREVISTA | Novembro/Dezembro 2012 | www.em-revista.com


EmRevista  

EmRevista Ed.33 Projeto Gráfico e Capa: Gueldon Brito Diagramação: Gueldon Brito

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you