Issuu on Google+


SUMáRIO

TOP DICAS PARA ALAVANCAR SUA EMPRESA EM 2014 Após uma intensa pesquisa com bureaus do Brasil inteiro, realizamos um levantamento dos assuntos que as empresas mais querem saber sobre o mercado de comunicação visual. Conversamos com especialistas e trouxemos dez dicas preciosas para o seu negócio.

33

06

15

27

EDITORIAIS E ExPEDIENTE

CLASSIFICADOS GF

GF NEWS

08

O seu espaço para anunciar gratuitamente

gF é convidada para participar do EFI Connect 2014

SUAS IMPRESSõES

16

48

GF NEWS

PARCEIROS GF

COLUNA DO LEITOR

Você já ouviu falar em personal buyer?

Dois leitores escrevem sobre o mercado de comunicação visual

18

Onde encontrar soluções para o mercado de comunicação visual

10

12

ARTIGO

ARTIGO TéCNICO

por marcelo Copetti - Organização do fluxo de trabalho

por Diomédes souza - Técnicas de adesivação

19

14 ESPAçO DE NEGóCIOS papel ultraprint 90 da Epson oferece tecnologia exclusiva para economia de tinta

ESPAçO DE NEGóCIOS Durst anuncia nova CEO

23 CANTINhO DA PRODUçãO As dúvidas respondidas por quem está “com a mão na massa”

50 zECA VINIL


EDITORIAL

luCIAnA AnDRADE Editora

ExPEDIENTE

editora@grandesformatos.com

março 2014 | Ano 8 – nº 89 EDITORA/DIRETORA Luciana Cristina Andrade

Queridos leitores Quero aproveitar este editorial para compartilhar nossa felicidade com nossos leitores. Aniversário de 8 anos da gF...parece que foi ontem que era um projeto de algo que iria acontecer, de algo que ainda não tinha vida, mas que vivia intensamente em quem acreditava. Se não fosse cada um de vocês que nos acompanham mensalmente isto não seria mesmo possível. Brindar 89 edições sequenciais em um nicho especifico de mercado nos traz esta sensação de vitória, a qual vocês nos proporcionam. Agradeço a Deus pelos leitores, pelos amigos e parceiros conosco desde 2006! O crescimento gradativo com prêmio, com Centro de Capacitação, com iniciativas que nos dão credibilidade fazem com que tenhamos mais e mais vontade de ir além. No mês de fevereiro aconteceu uma situação que me deixou orgulhosa, confesso! nossas matérias estão servindo de base editorial para outras revistas! Isto nos diz que estamos no caminho certo! Pois a GF é constituída por um grupo que fundamenta TUDO que escrevemos, este grupo seleto de profissionais do mais alto nível dão aval ao nosso editorial, agradeço por isto à Vinicius Timi, Edsel lonza, Alessandra Assad, Christian Barbosa, Wilson Giglio, Marcelo Chagas, Marcelo Copetti, Marcelo Trejo e Diomedes Souza, que validam os conhecimentos transmitidos através das matérias e no GF Centro de Capacitação Profissional. Eu e nossa brilhante jornalista Andressa Fonseca, estamos à disposição, com este time forte em informação, para consultorias aplicadas neste segmento. Em 2014 teremos muitas muITAs novidades!

JORnAlIsTA Andressa Fonseca MTb 9186/PR faleconosco@grandesformatos.com ATEnDImEnTO AO AssInAnTE +55 (41) 3023-4979 AssInATuRAs Claudia Pinheiro assinaturas@grandesformatos.com AnúnCIOs Liana Andrade atendimento@grandesformatos.com ADmInIsTRATIVO/FInAnCEIRO Luka financeiro@grandesformatos.com CRIAçãO Cameron biscaia criacao@grandesformatos.com

Agradeço todo o carinho! pROJETO E DEsEnVOlVImEnTO gRáFICO Paolo Malorgio Studio

AnDREssA FOnsECA jornalista faleconosco@grandesformatos.com

paolo.malorgio@gmail.com

A Revista GF é publicada 11 vezes ao ano pela GF Editoração Ltda

mARçO DE 2014

Da redação 89 edições. 8 anos. Que orgulho eu sinto em saber que já faço parte desta história! Cada edição é como se fosse uma filha. Esta já é minha 23ª filhinha, e como uma boa mãe amo e me dedico a todas igualmente e InCOnDICIOnAlmEnTE. Foi com este amor por esta revista, por todos que compõem a equipe, e principalmente pelo encantador mundo da comunicação visual, que escrevo mais um editorial, com uma enorme sensação de dever cumprido, e ansiosa pelo próximo email de leitor, comentando as matérias. Agradeço a cada um que confiou, e continua confiando em meu trabalho. E muito obrigada ao time de feras que sempre me apoiam nas pesquisas para as matérias. Ainda temos muito para fazer, pois novidades vêm aí. Vocês não perdem por esperar! nossas únICAs fontes de consulta são nossos leitores, empresários que nos posicionam sobre o mercado, e nossos parceiros, que são pessoas renomadas em nosso segmento, todos com know-how e anos de experiência na área. Esta edição está repleta de conteúdo interessante para a sua empresa, reunimos dicas preciosas de quem mais entende do assunto. Aproveitem a leitura, pois todo o conteúdo dela, foi sugerido por você! E agora um pedido de mãe. Cuidem bem da minha filhinha. E ah, já ia me esquecendo, não aceitem imitações (risos) 6

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

gF EDITORAçãO lTDA

TO DOs Os DIREITOs REs ERVA DOs . Todos os direitos reservados. A reprodução total ou parcial deste material é permitida mediante autorização prévia expressa pela GF Editoração Ltda e desde que tenha citada a fonte. O conteúdo dos artigos é de responsabilidade dos autores, não expressando necessariamente a opinião da revista. Os informes técnicos são de caráter informativo, não são comercializados e a revista é imparcial, não prevalecendo nenhum fabricante em detrimento de outro. Os anúncios são de total responsabilidade dos anunciantes.

VIsITE nOssO pORTAl www.grandesformatos.com


SUAS IMPRESSõES

Comentários

DA EDIÇÃO DE FEVEREIRO

Estamos muito satisfeitos com a revista, pelo conteúdo e mais ainda pela interatividade que a revista tem com os assinantes, sem diferenciar quem tem pequena ou grande empresa, somos tratados igualmente. KaTiCiLene hOLTZ LOSS SPanhOL, Financeiro – Eliomar placas - Es

A RC4 apoia a originalidade e coragem de quem faz primeiro. parabéns gF. Contamos com vcs nós próximos 20 anos!!! aLexanDre BerMuDeZ Todos do setor conhecem e sabem da seriedade e do profissionalismo da Grandes Formatos. Sempre que algo genial é criado, outros tentam copiar, fiquem orgulhosos por ser quem são, copiados e não quem copia. TaTiana Freire

O que você gostaria de encontrar nas próximas edições da sua Revista? Mande sua sugestão!

envie suas sugestões, comentários e críticas: www.facebook.com/revistagf Twitter: twitter.com/RevistaGF Siga a GF no Twitter!

8

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

e-mail: faleconosco@grandesformatos.com Cartas: gF Editoração ltda - Revista gF Av. Presidente Affonso Camargo, nº 2491 | loja 2 Cristo Rei, Curitiba/pR - CEp 80050-370 Telefone: (41) 3023-4979

* Em razão do espaço ou compreensão, os textos podem ser resumidos ou editados


Não se compara o Conteúdo da Grandes Formatos com nenhuma outra, continuem em frente pois seu trabalho é de excelente qualidade MaTheuS MuniZ A CROMOTELA estará sempre acompanhando a GF de perto, o concorrente tem mesmo muito trabalho a fazer. VerÔniCa LiMa Nós da Olho Digital, estamos com vocês! raQueL De PaiVa Show, linda revista, parabéns! WiLSOn GiGLiO

Parab én pelos s Revista G seus 8 F empr ano e um bo sa é o resu s. A ltad m que c trabalho! É o de onfiam p os na or isto sorte GF. Bo ec a FábIO ontem co n R pRODu . COlEllO, A osco. p TOs A DEsIVO lIkE s lTDA

Parabéns esta edição realmente está show!!!! Recomendo a todos! aLLan KeOMa Excelente edição! Conteúdo de primeira linha em formato profissional! Parabéns toda equipe gF! eDSeL LOnZa


COLUNA DO LEITOR

Coluna do Leitor Este é o seu espaço. Um local que poderá ser usado para debater assuntos, sugerir ideias e ações, ou simplesmente um espaço para desabafar. Lançamos o apelo no facebook, e recebemos um grande retorno. Para esta edição, vamos contar com a participação dos leitores Yuri M. Checan e de Jorge Oliveira

10

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

Obrigado por abrirem este canal para nós do setor de Comunicação Visual. Creio que o que nós deste setor mais ansiamos hoje é o profissionalismo da categoria. Tudo parece estar muito amador: modo de trabalhar, concorrência desleal, falta de profissionalismo e tantas outras faltas graves que acabam com o mercado de quem procura trabalhar com seriedade, pagar os altíssimos impostos em dia e acompanhar a tecnologia que muda numa velocidade assustadora. Isto ocorre desde as empresas que vendem máquinas, que na ânsia desgarrada e quase canibal de vender, não informam para um comprador novato que a velocidade de impressão que eles anunciam é em modo DRAFT, e nem informam também que de tempo em tempo deve ser feita uma revisão geral na máquina, que não é barato, e que nesta revisão deve-se, geralmente, ser feita a troca de cabeças de impressão e nem quanto custa uma cabeça de impressão. Até o Zezinho lá da esquina com sua empresa no fundo de casa tentando sobreviver sem tais custos.

Há alguns anos atrás cogitou-se, ou até tentaram colocar em prática uma associação que olhasse por nossa área, mas não decolou, pois ninguém aceitou a ideia de se padronizar um preço para trabalhos (impressão, recorte, router, laser, etc). Já passou, há muito tempo, da hora de termos um sindicato, ou uma associação ou entidade que organize esta desorganização geral que se encontra nosso tão grande e apaixonante mercado. Existe hoje no Facebook uma comunidade que briga por esta ideia, porém ao mesmo tempo têm membros anunciando produtos a preço de banana. E aí, como fazemos? Bom seria se nosso mercado fosse visto como uma grande profissão e não apenas como falta de opção. Nosso lema deveria ser: “Se você é profissional trabalhe com Comunicação Visual” mas infelizmente está assim: “Na falta da opção ideal trabalhe com comunicação visual”. Fica aqui a indignação ou desabafo de quem há quase 20 anos investe neste mercado e que apesar de tudo, continua acreditando nele”. Yuri M.Checan, Diretor Executivo Expo Signs Comunicação Visual Integrada


FORNECEDOR (VENDEDOR) > MERCADO < CLIENTE (CONSUMIDOR) bem meu nome é Jorge Oliveira, sou consultor de máquinas em uma fornecedora de impressoras digitais e gostaria de compartilhar alguns pensamentos de uma rotina que vivo diariamente entre um contato e outro com clientes de características variadas e ao mesmo tempo parecidas, sim parecidas porque todos almejam reconhecimento e crescimento, porém, não é assim que acontece em sua grande maioria, percebo muita dispersão para detalhes muita das vezes básicos para a condução e administração de uma empresa, exemplo disso é a não distinção entre uso de conta bancária para a empresa e sua conta pessoal, fazendo assim com que a empresa não crie um histórico, uma vida própria e lógico, ajudando num futuro próximo a geração e conquista facilitada de linhas de créditos que auxiliaram em ações de crescimento que se fizerem necessárias.

bem este inicio se trata apenas de um enunciado com fato com grande ocorrência em nosso mercado, a partir disso, elevo meu pensamento à necessidade de maior profissionalismo, conhecimento e aprofundamento de seus objetivos e práticas diárias, tudo que envolver seu foco de negócio tem que ser muito bem dominado e definido, precisamos planejar o que precisa para o melhor desempenho das tarefas e conclusão dos serviços. hoje já não é difícil encontrar cursos, seminários e até palestras relacionadas ao nosso mercado e seus mecanismos, com eles podemos agregar mais valor aos conhecimentos que já carregamos com o passar do tempo e aperfeiçoar e apropriar mais técnica, obtendo cada vez mais, melhores resultados. Visto este pequeno resumo, acredito que muito relevante quando se é praticado o que foi exemplificado de forma correta, “idealizo” que todos passem a fazer uso da prática de pesquisa de mercado; definição de foco de negócio objetivando resultados, mas resultados também a médio e longo prazo, não somente o imediatismo que se vê bastante hoje.

JOrGe OLiVeira, Consultor de máquinas

aQui O eSPaÇO É Seu! Vamos fazer desta seção, mais um meio para aprendizado com os colegas de profissão! Envie sua opinião para faleconosco@ grandesformatos.com, com seu nome, empresa, Cidade e Estado, e com o título COlunA DO lEITOR. Twitter.com/RevistagF Facebook.com/revistagf


Artigo técnico Parabé continu ns pelo o relevân trabalho de brasileir cia no mercad o o! informa Sempre trazen do çõ Desejam es importante s! os muit o Suces André Kove so! s Akad

i,

DICAS DE ADESIVAÇÃO Todos os meses nosso amigo e instrutor do GF Centro de Capacitação Profissional, Diomédes Souza, vai trazer dicas preciosas de adesivação.

TEMPERATURA

Nas próximas 3 edições, vamos falar sobre a escolha correta do produto para cada superfície a ser coberta.

Veículos

Segundo Diomédes, devemos estar atentos principalmente a três aspectos do ponto a ser adesivado. - Umidade - Temperatura - Atrito com o ar. Nesta edição vamos falar sobre o aspecto TEMPERATURA

12

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

A temperatura ideal para a aplicação de adesivos é de 25⁰, porém devemos atentar para algumas variáveis:

Para veículos deve-se tomar bastante cuidado para os pontos com maior incidência do sol, porta malas, teto, e principalmente o capô que neste caso além do sol, tem também o aquecimento do motor. Para este tipo de aplicação a sugestão é passar um pano úmido nos locais a serem aplicados.

Como não teremos um termômetro para medir a temperatura na lataria do veículo, o truque é por a mão em cima do ponto. Se estiver morno podemos com muito cuidado aplicar, mas caso esteja quente é melhor esperar um pouquinho mais. Para estes casos, também é indicado umedecer com água e umas gotinhas de detergente neutro aplicado com um borrifador, mas se deve deixar a água, como temos em muitos adesivos cola a base d’água, podemos ter reações como mostra a figura 01.

Paredes

No caso das paredes a temperatura influencia quando a mesma é externa, além do acúmulo de calor na mesma, o sol que incide no adesivo também faz com que o mesmo fique mole e solte a cola com facilidade.


neste caso podemos optar por aplicar o adesivo durante a noite ou em um dia nublado. Caso não seja possível optar por esta solução, recomendo adesivos mais espessos, pois são mais rígidos que os demais e por isso têm uma estabilidade maior para aplicação com incidência de sol. lembramos que a aplicação de adesivos com incidência direta do sol não é recomendada.

VEíCULOS GRANDES

para veículos grandes como ônibus, caminhões e trens, podemos nos obrigar a aplicar durante o dia, sugiro que utilize a sombra do mesmo, ou seja, de manhã aplica-se de um lado e no período da tarde de outro, lembrando que para utilizar esta técnica não se devem fazer aplicações durante o período do meio dia.

Figura 1

Diomédes Souza,

15 anos de experiência no mercado, instrutor do Curso de Aplicação de Adesivos, no gF Centro de Capacitação Profissional


ESPAçO DE NEGóCIOS EPSON

papel ultraprint 90 da Epson oferece tecnologia exclusiva para economia de tinta Além DO CusTO DE ImpREssãO REDuzIDO, Os pApéIs EspECIAIs OFERECEm AlTA quAlIDADE nAs ImpREssõEs sublImáTICAs

uma das etapas mais importantes no processo de impressão digital por sublimação é a escolha do papel para transferência de tinta. As ofertas do mercado são muitas e algumas empresas, principalmente aquelas com pouca experiência com equipamentos de sublimação, costumam fazer a escolha pelo custo do metro quadrado. Especialistas advertem que essa não é a forma mais adequada para escolher o papel ideal, já que cada ml de tinta absorvida pelo papel, sem transferir para o tecido, deve ser acrescentado de R$ 0,20 a R$ 0,35 no custo final do metro quadrado impresso. Evelin Wanke, especialista de produtos Epson, destaca a importância de realizar testes para avaliar a quantidade de tinta que é absorvida por cada papel. “por exemplo, se você utiliza um papel que custa R$ 0,60 por metro quadrado e o mesmo absorve 4 ml de tinta – ou seja, deixa de transferir esta quantidade de tinta para o tecido – deve-se considerar que foram desperdiçados de R$ 0,80 a R$ 1,40 de tinta por metro quadrado”. Os papéis para transferência são divididos em três categorias: PAPéIS SULFITE OU OFFSET papel comum, na maioria das vezes utilizado em gráficas e escritórios de engenharia para impressão de plantas e mapas. Este tipo de papel não foi desenvolvido especificamente para a aplicação de transferência de tinta sublimática e as empresas o utilizam por ser uma opção mais barata, porém, ele absorve uma quantidade muito grande de tinta e, na maioria das vezes, o custo final de impressão é maior, já que é alta a quantidade de tinta desperdiçada.

14

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

PAPEL MONOLúCIDO Também conhecido como papel Calandrado - é muito utilizado no processo de sublimação. possui uma superfície menos porosa que o Offset, pois ele passa por um processo de calandragem, que o torna mais liso, diminui a absorção de tinta e aumenta a transferência da mesma para o substrato a ser sublimado. O desperdício de tinta neste tipo de papel também é grande, pois não possui uma cobertura para bloquear a absorção de tinta. geralmente os clientes enfrentam dificuldades para conseguir cores intensas, como preto chapado, no papel offset e no papel monolúcido; PAPEL TRATADO possui um tratamento para evitar a absorção de tinta. O tratamento geralmente é uma resina adequada para o processo de sublimação. Os papéis tratados são mais caros, porém, utilizam uma quantidade menor de tinta e, na maioria das vezes, reduzem o custo final do metro quadrado impresso. pensando na qualidade e no menor custo de impressão, a Epson, líder mundial em impressão, projeção e imagem digital, desenvolveu uma solução completa para seus clientes, onde as cabeças de impressão específicas para sublimação foram fabricadas em conjunto com a tinta e com os papéis originais. Com esta combinação das cabeças de impressão Epson e a tinta original, a economia é ainda maior quando se faz uso, também, dos papéis da fabricante japonesa. A exemplo do papel EPSON ULTRAPRINT 90, que possui uma resina especialmente desenvolvida para receber a tinta Epson ultraprint Ds, originais para sublimação. A maneira como a tinta se deposita na superfície do papel faz com que o melhor resultado de impressão seja obtido com o mínimo de consumo de tinta. “quando comparado a outras soluções do mercado, sejam elas papel offset, monolúcido ou papel tratado de outras marcas, é possível notar a melhor relação custo-benefício”, ressalta a executiva.

Testes realizados pela Epson em laboratório reafirmam os quesitos economia e qualidade das impressões: O primeiro deles foi feito uma imagem com papel monolúcido, que custa R$ 0,70 / m². Esse papel utilizou 8 ml de tinta - R$ 2,64 para obter um bom resultado em uma imagem específica. O custo total por metro quadrado, considerando tinta + papel, ficou em R$ 3,34. O outro teste foi realizado com o papel ultraprint 90, que custa R$ 1,10 / m². A quantidade total de tinta utilizada foi de 4 ml, para imprimir a mesma imagem com uma intensidade de cor e qualidade final ainda melhores. O custo de tinta foi R$ 1,32. O custo total por metro quadrado, considerando tinta + papel EPSON, ficou em R$ 2,42. nesse caso apresentado, o papel monolúcido apresentou um custo de impressão 38% maior do que a solução total Epson. Além da economia de tinta, o uso do papel Epson gerou benefícios visíveis, como custo e qualidade. Outro destaque no uso das soluções Epson é o programa de fidelidade Epson Rewards, que a cada rolo de papel utilizado, pontos são acumulados no programa e, após um ano, o cliente pode trocar os pontos por garantia estendida ou descontos em novos equipamentos.

CONSULTE AS REGRAS DO PROGRAMA EM WWW.EPSON.COM. bR/REWARDS.COM.bR.


CLASSIFICADOS GF OFERTA DE MãO DE ObRA

Agora você tem um espaço para anunciar GRATUITAMENTE na GF. Tem máquina para vender? Precisa contratar algum funcionário? Terceiriza algum serviço? Utilize este espaço. Envie email para faleconosco@grandesformatos.com,

e coloque no título CLASSIFICADOS GF

Função: Comprador/ Vendedor Descrição: Sólidos conhecimentos na área Comercial e Industrial: Vendas, Compras, pós-vendas, fluência em Inglês, facilidade de comunicação e domínio de recursos tecnológicos. *Disponibilidade de mudar de Cidade. cfogomes@hotmail.com / (41) 8855-8749


GF NEWS

O que é um personal buyer? roni Montini é o criador do termo e desta nova profissão, e em entrevista exclusiva à GF, nos conta de onde surgiu esta ideia.

VOCê Já OuVIu FAlAR Em pERsOnAl buYER? Atendimento personalizado é a bola da vez, e isto em todas as áreas. não é a toa que o termo “personal” vem sendo utilizado e arrastando uma série de adeptos. personal Trainer, personal stylist, personal hair… Todos dispostos a ajudar quem não está disposto a desperdiçar tempo. Deixar tudo na mão de um especialista é a grande pedida para a falta de tempo em que vivemos hoje. Agora, novidade no mercado de comunicação visual, temos o personal buyer.

s de luta s m ano Mais u ias. Parabén r e ó it ip v u q e ed eàe etores a s ir o d in s o m a ilha lu pela tr ista GF vem ev do R a merca que ndo no uIpE e v e r c des iro. Eq Oup R brasile g EsIgn COlA D

16

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F


GF Conte como surgiu a ideia do Personal Buyer? Creio que seja uma ideia que revolucionará a forma das empresas comprarem equipamentos. Estamos em um momento sócio econômico, onde o TEmpO é o bem mais precioso de qualquer empresário, na contra mão disso estão as empresas fornecedoras de equipamentos que nasce pelo menos uma por mês, dificultando a tarefa da escolha do melhor equipamento. Eu coloco meu tempo e conhecimento mercadológico ao dispor desses empresários, aos quais eu garanto que farei a melhor escolha dentro das necessidades de crescimento das empresas de cada um. Ou seja, é uma compra 100% personalizada para cada empresa.

GF Fale um pouco sobre este trabalho. Quais as vantagens para quem contrata um Personal Buyer? A maior vantagem em se contratar um personal buyer é para o cliente do meu cliente, que terá seu trabalho executado da forma que ele necessita, com o máximo de qualidade e dentro dos prazos. Somente a escolha do equipamento perfeito para cada tipo de trabalho trará tal vantagem.

GF Você acha que este tipo de serviço será bem aceito pelo mercado? Qual será a sua estratégia? Sim, eu tenho certeza que muitos empresários não investem em novos equipamentos justamente pelo receio de realizar uma compra equivocada. O Personal Buyer é a garantia da melhor escolha dentro da ótica de quem está fora da caixa.

GF Fale um pouco sobre a sua experiência e sobre como pretende ajudar outras pessoas no momento da aquisição de novos equipamentos. Eu tenho mais de 10 anos de experiência em vendas de equipamentos de grandes formatos e quando eu estava vendedor, sempre busquei atender as necessidades dos clientes dentro das possibilidades tecnológicas que eu tinha para oferecer, hoje eu estou Personal buyer e isso me coloca na posição de poder mostrar para o meu cliente o que é melhor dentro de um universo de TODAs as tecnologias existentes, afinal o Personal Buyer não carrega uma bandeira com o nome de nenhum fabricante e isso nunca ocorrerá. A única característica que eu posso ofertar para os meus clientes é a certeza de um processo de compra do início ao fim totalmente límpido e honesto. CONTATO: ronimont@globo.com


ARTIGO TÉCNICO

FLUXO DE tRABALHO Na última edição, lançamos a série de artigos especiais sobre Fluxo de Trabalho com Marcelo Copetti, a pedido de nossos leitores. Agora, no segundo artigo, Marcelo fala sobre a organização do fluxo de trabalho da produção, e sobre os desperdícios. Aproveite a leitura!

Marcelo Copetti

é Especialista em Gerenciamento de Cores, processos gráficos e digitais. Atualmente, é distribuidor de soluções de workflow e economia de tinta para o Brasil. Ministra treinamentos e palestras no Brasil inteiro sobre Gerenciamento de Cores, Colorimetria, Calibração Fotográfica, Calibração Profissional de Monitores, economia de tinta, otimização de fluxos de trabalho, dentre outros. Participou de cursos sobre cores, equipamentos e workflows no Brasil e no exterior.

Iniciando uma organização do fluxo de trabalho na produção Quando falamos em fluxo de trabalho na área digital, falamos em workflow. Esta palavra em inglês se tornou uma simplificação para nós de um sistema de software que organiza a impressão. Eu quero aqui ampliar os limites do workflow e olhar toda a empresa como um fluxo de trabalho. Este workflow deve envolver desde o orçamento dos trabalhos até a sua entrega. Tudo isso deve ser previsto no fluxo de trabalho de uma empresa de impressão digital.

continua! página 20

18

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F


ESPAçO DE NEGóCIOS DURST

DuRsT AnunCIA nOVA CEO A Durst Phototechnik Digital Technology gmbh anunciou a executiva barbara Schulz como sua nova CEO. Barbara substitui a Klaus Schneider, falecida em um acidente no final de 2013. Com 53 anos, a executiva atuava da empresa germano-americana Ipsen, especializada em tecnologias para processos térmicos, onde acumulou os cargos de CEO para os mercados do sudeste Asiático e índia. Austríaca, barbara também atuou na Esk Ceramics, onde foi vice-presidente e passou pelos departamentos de marketing, desenvolvimento de negócios e vendas.

“estou absolutamente animada em trabalhar como CeO em uma empresa localizada em meu país de origem”, disse Barbara. “É a oportunidade de trabalhar em uma das empresas mais inovadoras em tecnologia da Áustria, e prosseguir com uma estratégia de crescimento contínuo da companhia que raramente é visto em outras empresas.” “Estamos muito felizes em trabalhar com a Sra Schulz. Sua experiência em mercados internacionais que são importantes para o grupo Durst coincide com o fato de que a região do Tirol é seu berço de origem. Isso tudo significa que Barbara Schulz é uma grande

contratação para nós, baseada nas fortes raízes que tem com nosso país”, disse Dr. Richard Piock, diretor do conselho administrativo e fundador da Durst lienz. A Durst Phototechnik Digital Technology é uma empresa subsidiária pertencente ao grupo Durst Phototechnik AG, Brixen, fabricante de tecnologias de impressão inkjet para aplicações industriais desde 1999. Com atuação global, possui cerca de 150 empregados, e uma lucratividade de aproximadamente 85 milhões de Euros. sua nova planta produtiva com 5000 m² foi recentemente concluída, na qual serão produzidas tecnologias para impressão industrial para Comunicação Visual entre outras aplicações profissionais de alta qualidade.


IMPRESSÃO DIGITAL

Orçamento

Verificação do arquivo

Impressão

Acabamento

Entrega/Envio

Formato Cores Dimensões Resolução

Economia de tinta Material Configuração RIP Espaço para acabamento

Tipo acabamento Aplicação Ajustes para montagem

Retira ou Entrega Veículo adequado Pessoal montagem Estrutura de apoio

O fluxo de trabalho deve ser construído dentro da empresa como se fosse um organograma em que se definem cargos e funções. Deve estar escrito, declarado, formalizado para que todos tenham conhecimento dele e saibam qual deve ser o caminho que cada tipo de trabalho terá dentro da empresa. Veja no exemplo um fluxo desenhado para Impressão digital, você pode fazer o seu, mais detalhado de acordo com a sua realidade. Este fluxo deve ser definido, pois quando temos o fluxo de trabalho organizado, tudo na empresa se torna mais organizado. Quando temos mais organização, temos mais produtividade e menos desperdício. Neste artigo quero chamar a atenção sobre o desperdício. Este normalmente é um problema que pode passar despercebído dentro da produção e da diretoria. Qual o problema do desperdício? Ele é o seu dinheiro sendo jogado no lixo. Então se você trabalha duro para ganhar este dinheiro e permite que ele seja jogado fora como material impresso errado, excesso de material usado para finalizar o produto, tempo para acertar cada trabalho na máquina, material de baixa qualidade refugado, refação de trabalhos por reclamações de clientes ou erros nos levantamentos de dados para orçamentos. Então você pode ganhar mais dinheiro evitando seu desperdício. Um boa atitude é mapear dentro da sua empresa quais os maiores desperdícios. Comece com o levantamento de casos dentro de toda a empresa. Orçamentos errados, material jogado fora, acertos de máquinas longos devido a mudanças de materiais, erros no acabamento, material estragado na colocação. Este mapeamento pode parecer besteira ou perda de tempo, mas após 3 meses de mapeamento você 20

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

terá uma visão clara de quais os maiores problemas da sua empresa para serem atacados. Você reduzirá os desperdícios de forma eficiente, criando uma cultura e mostrando aos seus colaboradores que eles precisam realmente evitá-lo e quais as ações que eles podem fazer para melhorar. Coisas simples como a maneira correta de configurar a máquina para aquele material e evitar que a impressão saia errada. A comunicação é uma ferramenta importante nesta situação. Uma grande fonte de desperdício dentro das empresas que visito é a falta de calibração de novos materiais.Todos sabemos que na nossa área não há como manter uma linha de materiais a serem usados por muito tempo. Pois a maioria das empresas se adequa ao mercado e aos concorrentes e clientes exigentes de preços menores. Com esta grande troca de materiais se faz necessário que os ajustes para cada material sejam feitos. Mantendo os equipamentos calibrados, você não terá surpresas quanto aos resultados, pois eles serão mais consistentes, mesmo com a troca de materiais. E o seu colaborador tendo a informação de como agir com a troca de material, isto será feito de forma tranquila e sem a necessidade da intervenção da gerência ou mesmo dos donos. Então ao invés de gastar muitos metros de mídia e horas acertando o trabalho, o colaborador com o equipamento correto, um espectrofotômetro, poderá realizar a calibração com o novo material. E muito mais do que isso TEMPO. Você pode repor a mídia, você pode repor a tinta, mas o TEMPO perdido na produção e o atraso na entrega para o seu cliente não podem ser repostos. Horas de acerto podem fazer com que o atraso para o seu cliente signifique problemas graves a serem administrados.

A calibração leva pouco tempo para ser realizada, e pode ser feita por qualquer operador devidamente treinado. Portando comece hoje mesmo a criar o seu mapa de desperdício. Passe a cada supervisor de área uma folha com colunas (data, descrição, origem da falha,tempo perdido para corrigir, como resolver) e peça que todas as situações que ocorram sejam relatadas. Estas folhas ao final de cada semana deverão ser devolvidas e analisadas para que você possa ter realmente uma noção do que aconteceu, e o que mais teve impacto na produção. Nas semanas seguintes você poderá começar a analisar se os problemas se repetem e definir estratégias para corrigir os desperdícios. Nas próximas edições falaremos sobre cada um dos temas com mais profundidade e responderemos a dúvidas dos leitores enviadas através de e-mails. Até lá! 1. Iniciando uma organização do fluxo de trabalho na produção a. A primeira atitude é elimar o desperdício de horas de acertos de trabalhos para cada tido de suporte de impressão. b. Manter os equipamentos calibrados e dando resultados consistentes. c. O que é a calibração? d. Quanto tempo demora? e. O que é necessário para realizá-la?


CANTINHO DA PRODUÇÃO

Cantinho da produção O cantinho da produção de março está imperdível. As dúvidas novamente vêm do Grupo mais movimentado do facebook. “Comunicação Visual Brasil”, criado por nosso amigo Felipe Andrade, da Adois Comunicação Visual. E quem responde, direto da Produção da Identidade Visual do Rio de Janeiro, é David Mendes, nosso amigo e leitor assíduo. Participe! Envie suas dúvidas e sugestões para o email: faleconosco@ grandesformatos.com

Patrick Simões | Tenho algumas dúvidas com relação ao manuseio de ACM (usando para fazer placas) São dúvidas simples como: Como fixálo na estrutura de metalon sem usar parafuso? Para não aparecer parafuso na placa, ficar o caixote fechadinho. Amigo, o metalon não é o mais indicado para fechadas de ACM,o correto é utilizar perfis de alumínio por diversas razões como por exemplo: Peso estrutural, aderência com a fita de fixação e etc. Mesmo assim existem empresas que costumam optar por metalon, pois nestes casos a empresa geralmente já dispõe de profissionais do ramo. Para o ACM em formato de bandejas com acabamento “rejuntado” fixamos a bandeja com cantilhão, são pequenos perfis, também em alumínio em “L” fixando na estrutura por meio de parafusos altoatarrachante e na bandeja com rebites.

Quando trabalhamos com a chapa aberta com o acabamento “zerado” usamos fita dupla face de alta resistência. Patrick Simões | Qual melhor forma de dobrar? Para dobrar o ACM a chapa deve passar por um processo de usinagem que é feito geralmente com tupia quando manualmente ou router que é um investimento muito maior, porém possibilita fazer outras etapas do beneficiamento do ACM como corte de letras, para expor a marca do cliente, com iluminação pelo verso. Porém cada etapa de usinagem deve ser usada a fresa correta. Patrick, o ACM no Brasil está em um processo de crescimento jamais visto tanto na nossa área quanto nos projetos de “retrofit” (revitalização de edifícios). Acho que devemos nos atualizar sempre, mas é muito importante seguir as normas técnicas e trabalhar com segurança ainda mais se tratando de letreiros e totens. Minha sugestão é que procure um curso de beneficiamento e instalação de ACM eu já tive a oportunidade de participar e acrescentou muito meu conhecimento. O investimento não é alto e o retorno é satisfatório. Espero ter ajudado. Grande abraço! R E V I S TA G F • M a r ç o 2 0 1 4

23


adesivos itabira | boa tarde. Alguém tem experiência em adesivo eletrostático? Minhas dúvidas são: Posso fazer uma impressão e colar por cima do adesivo eletrostático ou a impressão é feita direto nele? Amigo este adesivo é indicado para imprimir em silk, mas já vi colegas imprimirem direto e dar certo, caso esteja receoso em fazer testes uma solução também é imprimir no transparente e aplicar sobre o eletrostático. adesivos itabira | Ele pode ser recortado na máquina? pode ser cortado sim, terá que fazer pequenos ajustes ao regular a pressão e velocidade de corte, mas tenho certeza que em poucas tentativas você irá conseguir. Abraço e boa sorte!

Felipe andrades | qual a durabilidade do ps e do pVC em ambientes externos, considerando com proteção de vinil e sem? Caro Felipe é muito arriscado dar garantia de durabilidade para nossos clientes, pois dependem de vários fatores como posição do sol, clima da cidade, qualidade de fabricação e etc. Posso afirmar que quando aplicamos o vinil na placa aumenta bastante a durabilidade, pois a película ajuda a ressecar menos e você não vê o amarelado que fica na superfície com o tempo. uma dica é quando for externo evitar a impressão uV direto no ps ou pVC quando for usar o próprio branco da placa para compor a imagem, com o tempo a imagem continua bacana e só o branco vai ficando amarelado dando uma aparência muito ruim. grande abraço!

David Mendes, Gerente de Produção da Identidade Visual, direto da produção, vai responder as suas dúvidas, e falar um pouco sobre o dia a dia dos bureaus de impressão, os problemas e as possíveis soluções!


GF NEWS

GF é convidada para participar do EFI Connect 2014 COnsIDERADO um DOs mAIOREs EVEnTOs DA ImpREssãO DIgITAl, O EFI COnnECT TEVE DuRAçãO DE TRês DIAs, OnDE ACOnTECERAm VáRIAs sEssõEs EDuCATIVAs E DIsCussõEs sObRE As pRInCIpAIs TEnDênCIAs DA áREA. gF is invited to participate in the EFI Connect 2014 Considered one of the biggest events of digital printing, Efi Connect lasted three days, where several educational sessions and discussions on the key trends of the area occurred.

Por andressa Fonseca com colaboração de Luciana andrade O Connect é um evento com forte apelo institucional que contribui para difundir o conceito da EFI em todo o mundo de a sua forte atuação de ponta a ponta no mercado de impressão digital. Em todas as edições do evento, a EFI conta com a participação de jornalistas de veículos especializados da Europa, ásia e Américas, que com suas coberturas jornalísticas, disseminam esse conceito e a abrangência da atuação da EFI no mercado mundial. O veículo que cobre um evento como o Connect tem a oportunidade de se aproximar de importantes formadores de opinião e especialistas do setor, além dos mais variados temas do momento que rendem boas pautas. E a Revista grandes Formatos, foi a única representante da imprensa do segmento de comunicação visual, da América latina a participar do Connect. Com esta responsabilidade nas mãos, a Diretora da gF embarcou para las Vegas. E agora, ela mesma conta aqui como foi esta experiência, e tudo o que viu de novidade por lá.

Connect is an event with strong institutional appeal that helps to spread the concept of EFI worldwide for its strong performance from end to end in the digital printing market. In all editions of the event, the EFI with the participation of journalists from specialized vehicles from Europe, Asia and the Americas, who with their news coverage , spread the concept and scope of the performance of EFI in the world market . The vehicle that covers an event like Connect have the opportunity of approaching important opinion leaders and industry experts in addition to the various topics of the moment that earn good scores. And the GF Magazine, was the only media representative of visual communication segment in latin America to participate in the Connect. With this responsibility in the hands, the Director of GF flew to Las Vegas. And now, she tells here as this experience wa, and all he saw of novelty there. But first, learn why the GF was chosen to be there.

Mas antes, saiba por que a GF foi escolhida para estar lá. R E V I S TA G F • m a r ç o 2 0 1 4

27


Marc Verbiest, International Public Relations Manager — EFI Belgium bvba “Tivemos o prazer de ter a Grandes Formatos conosco, e fizemos questão devido à importância dos mercados brasileiro e latinoamericano e o crescimento da impressão em grandes formatos na região, quando a EFI decidiu convidar a imprensa para participar do evento anual Connect, que aconteceu em Las Vegas, a Revista Grandes Formatos foi o primeiro veículo que me veio à mente, por causa da qualidade das publicações, da sua equipe excepcional, e da resposta obtida por parte de seus leitores” “We were pleased to have the Wide Format with us, and we made a point of the importance of the Brazilian and Latin American markets and the growth of large format printing in the region, when the EFI decided to invite the media to participate in the annual event Connect, held in Las Vegas, the GF Magazine was the first vehicle that came to mind, because of the quality of publications, from its exceptional staff, and the response obtained by its readers “

28

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

Por Luciana Andrade Tudo começou quando recebi um email convidando para participar do Connect em Las Vegas. Já era a segunda vez que estaria presente. Em 2010 eu fui, jamais tinha visto algo tão grandioso e com um valor incalculável para quem participa. It all started when I received an email inviting me to join Connect in Las Vegas. Was already the second time that would be present. In 2010 I went, I had never seen something so great and incalculable value to those participating.

O princípio do Connect é uma “conexão” mundial de clientes da EFI, com objetivo de levar muita informação sobre tecnologia e tudo que compreende a boa utilização não só da tecnologia, como também existe uma clara preocupação com a lucratividade, crescimento e consolidação dos seus clientes. Neste cenário minha nota é 10 para a iniciativa assertiva. The principle of Connect is a global “connection” EFI’s customer, aiming to bring a lot of information about technology and all who understand the proper use of not only technology, but also there is a clear concern for profitability, growth and consolidation of its customers. In this scenario my note is 10 for the assertive initiative. Cheguei a Las Vegas dia 20 de janeiro no final da tarde e o evento iniciaria dia 21 logo pela manhã. O luxuoso Wynn (hotel em que o Connect é realizado todos os anos) é mágico. Logo na entrada já é possível sentir uma “explosão” de adrenalina vindo à tona, difícil algo passar despercebido diante dos olhos, tudo cresce, tudo têm cores, acredito que os participantes ficam mais apreensivos no que vai acontecer devido a este cenário de magia! I arrived in Las Vegas on January 20 in the evening and the event would start on 21 in the morning. The luxurious Wynn (hotel

that Connect is held every year) is magical. At the entrance is now possible to feel an “explosion” of adrenaline coming to the fore, something hard to go unnoticed in the eyes, everything grows and have colors, I believe that participants are more apprehensive about what happens because this scenario magic! No dia 21 logo cedo, começava o Connect. Guy Gecht abriu o 15º Connect com maestria, ele é um grande líder, um formador de opinião nato! (poderia ter um programa na TV com certeza!). Estavam presentes 1.500 participantes, usuários de todo o mundo. (Detalhe: As palestras são pagas, não custam barato e os participantes percebem a necessidade de estarem presentes). On 21 early, began Connect. Guy Gecht opened the 15th Connect with mastery, he is a great leader, a trendsetter born! (could be a TV show for sure!). 1.500 participants were present, users from around the world. (Detail: The lectures are paid, and yet the participants realize the need to be present). Ele mostrou que a EFI estava apostando em algumas diretrizes:

1. Automação 2. Dados. Ter todas as informações da sua

empresa: Utilização de equipamentos; Todas as informações dos clientes; Estimativa precisa de crescimento da empresa; Rentabilidade.

3. Confiança nos dados: relatórios diários; pesquisas internas; pesquisas com clientes; controle de performance dos produtos. He showed that the EFI was betting on some guidelines:

1. Automation 2. Data. Have all the information of your

company: Use equipment; All customer information; estimate needs growth of the company; Profitability.

3. Trust in data: daily reports, internal

surveys, customer surveys, control of product performance.


Guy lança uma questão: Quanto a sua empresa será rentabilizada com sua impressora digital em 3 anos? Você leitor, já parou para pensar nisto?

Guy throws a question: How your business will be monetized with your digital printer in 3 years? You reader, have you ever think about it? Ele é realmente um visionário. Os americanos são mais fiéis a controles, do que nós brasileiros, mas em uma coisa temos que concordar: O crescimento das empresas americanas de comunicação visual é gigante. A visão de mercado, de rentabilidade, de concorrência, de foco nos clientes é MUITO diferente da realidade brasileira. Estando lá, assistindo algumas das mais de 200 palestras que foram ministradas, todas com esta finalidade pude perceber quanta diferença faz nas empresas um bom controle, um foco de negócio (aqui os empresários em sua grande maioria trabalham para atender a demanda que o cliente mandar, não importa exatamente o que terá que fazer, lá os empresários determinam primeiramente seu foco: quem serão os seus clientes, o que vão produzir, feito isto todas as ações de compras de equipamentos e aumento de estrutura são baseadas nestes clientes. É uma mentalidade industrial. Algumas empresas brasileiras tem este perfil, mas ainda são o topo da pirâmide. A margem de rentabilidade em outros países é espantosa quando fazemos uma analogia com o Brasil em empresas com as mesmas condições. O que falta? Fica a dúvida. Ao meu ver não é dinheiro, é falta de informação). He is truly a visionary. Americans are more loyal to controls, than Brazilians us, but one thing we must agree: The growth of American companies visual communication is huge. The vision of the market, profitability, competition, focus on customers is VERY different from the Brazilian reality. . Once there, watching some of the more than 200 lectures were given, all of this could end realize how much difference does a good control in companies, a focus of business (entrepreneurs here mostly work to meet the demand that the client send no matter exactly what you have to do, there entrepreneurs first determine your focus: Who will be your customers, which will produce,

made it all the shares of equipment purchases and increased structure are based on these customers. It is an industrial mindset. Some Brazilian companies have this profile, but they are still the top of the pyramid. The margin of profitability in other countries is striking when we make an analogy with Brazil in companies with the same conditions. What is missing? Is the question. In my view it is not money, lack of information). Muitos parceiros da EFI estavam presentes no evento. Havia pequenos estandes para cada um dos parceiros: Xerox, Canon, Kodak, MBM, Konica Minolta, Lintec Corporation, Napl, SmartLinc, Ricoh, Xpedx, Esko, Honle, Zund e 3M. Todas as salas de palestras e o local principal onde estavam os estandes e as principais palestras, estavam sempre lotados! Many EFI partners were present at the event. There were stands for each partner: Xerox, Canon, Kodak, MBM, Konica Minolta, Lintec Corporation, Napl, SmartLinc, Ricoh, Xpedx, Esko, Honle, Zund and 3M. All lecture halls and the place where they were the main stands and the main lectures were always crowded! Guy sempre muito empolgado, falou sobre os diferenciais da EFI e citou Benny Landa, presidente e CEO do Grupo Landa, brincando sobre a última entrevista que fez com ele e rindo de algumas das suas particularidades quando de repente entra no palco bem no estilo surpresa, ele, o próprio Benny! Foi muito engraçado, todos riram muito pois o Guy mudou o que estava falando, colocou uma poltrona para o Benny se sentar e riram juntos com a surpresa. O público (inclusive eu) estava ansioso para saber o que estaria por vir. Eis que Benny pega o microfone e em alto e bom tom anuncia que a parceria com a EFI está consolidada. Por todo histórico de desenvolvimento tecnológico por Benny Landa, não podemos esperar nada menos que inovações do mais alto nível em grande escala. O público e o próprio Guy ficaram em êxtase! Guy always very excited, spoke about the advantages of EFI and cited Benny Landa, president and CEO of Landa Group, kidding

about the last interview I did with him and laughing at some of its particularities when suddenly enters the stage and the amazing style him, Benny himself! It was very funny, everyone laughed a lot because the guy changed what I was saying, put a chair to sit and Benny laughed together with surprise. The public (including me) was eager to know what was coming. ehold Benny grabs the microphone and announces loud and clear that the partnership with EFI is consolidated. Throughout history technological development by Benny Landa, we can expect nothing less than the highest level innovations on a large scale. The public and the guy himself were ecstatic! O acordo une duas empresas pioneiras do setor de impressão digital com a visão de mudar radicalmente a maneira como as aplicações convencionais são produzidas. Oferecendo uma inovação que permite a impressão econômica de trabalhos de duração curta/média até cinco vezes mais rápido do que as impressoras digitais existentes, as impressoras revolucionárias da Landa criam desafios técnicos complexos para o processamento de dados de trabalhos. A EFI, líder mundial em DFEs de impressão colorida e em tecnologia de fluxo de trabalho de impressão digital, é a única capaz de oferecer essa tecnologia de ponta para atender às necessidades críticas de gestão de cores, fluxo de trabalho de tarefas e MIS integrado. The agreement brings together two pioneers of the digital printing industry with the vision to radically change the way conventional applications are produced. Offering an innovation that enables economic printing job short / medium term up to five times faster than existing digital printers, the revolutionary printers Landa create complex technical challenges for data processing Jobs. EFI, a world leader in DFEs color printing and workflow of digital printing technology, is uniquely positioned to offer this technology to meet critical needs color management, workflow tasks and integrated MIS.

R E V I S TA G F • M a r ç o 2 0 1 4

29


“Benny Landa é uma lenda em nosso setor. Estamos empolgados para atuar como seu fornecedor exclusivo de tecnologia de DFE”, afirmou Gecht. “As impressoras Nanographic Printing da Landa têm potencial para acelerar a migração dos processos comerciais convencionais de embalagem e impressão para a impressão digital. O DFE da Landa oferece a plataforma de frontend comprovada, de altíssima velocidade e amplamente integrada exigida pelos clientes da Landa.”

“Benny Landa is a legend in our industry. We are excited to serve as its exclusive provider of DFE technology,” said Gecht. “Printers Printing of Landa Nanographic have the potential to accelerate the migration of conventional business processes of packaging and printing to digital printing. DFE of Landa offers a proven platform, very high speed front-end integrated and widely demanded by customers Landa.” “Nosso exclusivo processo Nanographic Printing™ oferece impressão digital com qualidade de offset e uma combinação de tamanhos de formato e velocidades de processamento inéditas no setor de artes gráficas”, afirmou Benny Landa. “Our unique process Nanographic Printing ™ provides digital quality printing and offset a combination of format sizes and processing speeds unprecedented in the graphic arts industry,” said Benny Landa. Dando sequencia ao evento, Guy entrevistou Gil Shwed, fundador, presidente e CEO da Check Point Software Technologies,e inventor do moderno firewall, transformando a Check Point na empresa de tecnologia de segurança na Internet mais bem-sucedida do mundo. Giving sequence to the event, interviewed Guy Gil Shwed, founder, chairman and CEO of Check Point Software Technologies, and inventor of the modern firewall, Check Point turning in the most successful company of security technology in the Internet world.

30

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

Gil mostrou com ênfase a necessidade de aprimorar a qualidade da segurança virtual nas empresas. Em todo o mundo este é um assunto que ainda fica em segundo plano, e em contrapartida cada dia mais ocorrem crimes pela internet.

Gil showed emphasizing the need to enhance the quality of cyber security in enterprises. Worldwide this is a subject that still remains in the background, and against increasingly Internet crime occur. A Check Point oferece aos clientes proteção completa contra todos os tipos de ameaças, inclusive ataques “zero day” (“dia zero”). A empresa continua revolucionando o setor baseando-se em sua arquitetura Software Blade, que oferece aos clientes soluções simples, flexíveis e totalmente personalizáveis para atender às necessidades de segurança específicas de cada organização. “As empresas de todos os tamanhos precisam se inteirar da segurança na Internet para sobreviver às ameaças em constante evolução de nosso mundo sempre on-line”, afirmou Gecht. “Gil tem visões únicas e inovadoras e é o especialista ideal para participar do Connect e tratar desse tópico cada vez mais importante.” Check Point provides customers with complete protection against all types of threats, including “zero-day” attacks. The company continues to revolutionize the industry based on its Software Blade Architecture, providing customers simple, flexible and fully customizable solutions to meet the specific security needs of each organization. “Companies of all sizes need to learn Internet safety to survive the evolving threats of our world always online,” said Gecht. “Gil has unique and innovative views and is the ideal place to participate in the Connect and treat this increasingly important topic expert.” Durante todo o evento pude conversar com muitos empresários de todas as partes do mundo! As informações, as diferenças culturais que levam ao diferente podem ser facilmente implantadas quando se tem ideais! Estes relacionamentos me fizeram acreditar ainda mais no potencial do Brasil em nosso segmento.

Throughout the event was able to converse with many businessmen from all over the world! Information, cultural differences that lead to different can be easily deployed when it is ideal! These relationships have made me believe even more in Brazil’s potential in this segment. Temos tudo nas mãos!! Basta “arregaçar as mangas” e parafraseando Alessandra Assad em seu livro: Atreva-se a Mudar! Mudar de verdade. Mudar cada situação, uma de cada vez. Ir até o fim no planejado em cada circunstância antes de abraçar outra causa! Vendo tudo aquilo acontecendo posso afirmar: é possível e está bem em frente aos nossos olhos! We have everything on hand! Simply “roll up your sleeves” and paraphrasing Alessandra Assad in his book: Dare to Change! Really change. Change every situation, one at a time. Skip to end the planned in each circumstance before embracing another question! Seeing all this happening I can say: it is possible and is right in front of our eyes! A motivação do lugar fez com que a entrevista com Frank Malozzi, Vice Presidente Senior, e Javier Rodriguez, Gerente Regional da América Latina, fosse um bate papo muito agradável. Conversamos sobre o evento em si, além do comportamento do mercado brasileiro em relação aos demais. The motivation of the place made the interview with Frank Malozzi, Senior Vice President, and Javier Rodriguez, Regional Manager for Latin America, was a very pleasant chat. We talked about the event itself, beyond the behavior of the Brazilian market in relation to others.

de ta aria Gost r a Revis os iza n n a e b 8 a para r esses o onde GF p uistas e xiliar au onq de c ação em osso n c dedi riquecer idade! e en o é prior uipe! eq ad merc ns à toda igiAll é D b i, Para Suss Sandro


“Nos dedicamos mais do que nunca para tornar esta edição do Connect, uma conferência de excelência internacional e um evento imperdível para profissionais da área de impressão que desejam ser os primeiros em um mercado competitivo”, afirma Frank Mallozzi. “Este é um dos maiores eventos do mundo, onde falamos sobre a nossa tecnologia para usuários finais. Não existe uma empresa como a EFI, pois não somos uma empresa focada somente em impressão, somos uma empresa de tecnologia. Nossos clientes podem perceber que nossos produtos oferecem valor agregado, o mesmo que podem repassar aos seus clientes”, declara.

“We are committed more than ever to make this edition of Connect, a conference of international excellence, and a must for professionals who wish to be printing the first event in a competitive market,” said Frank Mallozzi. “This is one of the biggest events in the world, where we talk about our technology to end users. There is no business like EFI, because we are not a company focused only on printing, we are a technology company. Our clients can realize that our products offer added value, even though they may pass on to their customers, “he says. “Gostamos muito do mercado brasileiro, e vamos continuar investindo nele. Hoje já temos mais de 80 funcionários no Brasil, atuando em nossa linha de jato de tinta, Metrics, e também Cretaprint. Compramos a brasileira Metrics, e hoje o Iquote, um produto que foi desenvolvido no Brasil, para os brasileiros, já esta sendo vendido em todos os mercados.”, conta Javier. We enjoyed the Brazilian market, and we will continue investing in it. Today we have over 80 employees in Brazil, working in our line of inkjet, Metrics, and also Cretaprint. We bought the Brazilian Metrics, and today the iQuote, a product that was developed in Brazil, for Brazilians, already being sold in all markets. “Javier says.

“Nosso número de vendas no Brasil é alto, porém infelizmente não tivemos a participação de clientes brasileiros, e creditamos isso ao fato da língua. Todas as nossas palestras são em inglês, e não foi possível realizar a tradução simultânea em todas elas. Já estamos estudando outras formas para mudar este cenário no ano que vem, ou viabilizando a tradução, ou ainda com eventos focais em cada região. Mas neste ano, tivemos uma novidade, que foi trazer nossos distribuidores da América Latina, que também poderão multiplicar o conteúdo aprendido aqui.”, conclui Frank.

“Our number of sales in Brazil is high, but unfortunately did not have the participation of Brazilian customers, and we credit this to the fact of language. All our lectures are in English, and it was not possible to perform simultaneous translation in all of them. We are studying other ways to change this scenario in the next year, or enabling the translation, or with focal events in each region. But this year, we had a novelty that was bringing our distributors in Latin America, which will also multiply the contents learned here. “Concludes Frank. A entrevista com Hadriano Domingues, Diretor de Marketing da Alphaprint, não foi diferente: The interview with Hadriano Domingues, Marketing Director of Alphaprint was no different: “Temos visto clientes que têm buscado agregar valor, buscando se diferenciar no mercado, e a nosso portfólio oferece isso.Na realidade, oferecemos mais que equipamentos, prestamos uma consultoria para o nosso cliente. Mostramos formas de operacionalizar o negócio e o momento certo para fazer o investimento.” Com relação ao uso de Workflow, Hadriano afirma que apesar de o cliente brasileiro ainda não investir tanto como em outros mercados, esta já é uma tendência, e quem ainda não tem, já está vendo com outros olhos, e entendendo a necessidade e importância de ter processos organizados na empresa.

“We have seen clients who have sought to add value by seeking to differentiate themselves in the marketplace, and our portfolio offers isso. Na fact, we offer more than equipment, we provide a consultancy for our client. We show ways to operationalize the deal and the right time to make the investment. “Regarding the use of Workflow, Hadrian said that although the Brazilian client not invest as much as in other markets, this is now a trend, and who does not have , is already seeing with new eyes, and understand the need and importance of having procedures organized in the company. “Com a concorrência cada vez mais acirrada, é necessário além de buscar diferenciação, buscar também otimização de processos, controle de produção a fim de otimiza-la, e assim poder oferecer algo ainda melhor para o cliente final, o workflow permite esta economia e controle”, afirma Hadriano. “With the increasingly fierce competition, it is necessary in addition to seeking differentiation also seeking process optimization, production control in order to optimize it, and thus be able to offer something even better for the end customer, the workflow allows this economy and control, “said Hadriano. Hadriano também comemora o fato de já ter começado o ano já com duas instalações no Brasil, da Vutek GS 3250 LX. (máquina que proporciona a potente combinação de qualidade foto-realística com a alta produtividade industrial, oferecendo até 3 camadas de impressão de tinta branca, com cura fria, que aumenta o leque de mídias) Hadriano also celebrating the fact that you’ve already started the year with two installations in Brazil, the Vutek GS 3250 LX. (machine that provides potent combination of photo-realistic quality with high industrial productivity, providing up to three layers of white ink printing, cold curing, which increases the range of media)

R E V I S TA G F • M a r ç o 2 0 1 4

31


TECNOLOGIAS DE IMPRESSãO DE PONTA NO CONNECT

EFI CONNECT 2014

Além do maior número de participantes, a EFI também registrou um crescimento nas parcerias estabelecidas em 100% do espaço disponível para exposições no Connect foi totalmente vendido nas semanas que antecederam o evento.

• 1500 pARTICIpAnTEs (1/3 mAIOR quE A EDIçãO AnTERIOR)

Entre os parceiros e patrocinadores estavam presentes: 3M, Canon, Esko, honle UV America, Kodak, Konica Minolta, Lintec, MBM, NAPL, People’s Capital Leasing, Ricoh, xerox, xpedx e zund.

• Mais de 200 sEssõEs EDuCATIVAs, InClusIVE TREInAmEnTOs COm EspECIAlIsTAs TéCnICOs Em DE FluxO DE TRABALHO MIS/ERP, WEB-TO-pRInT, COméRCIO ElETRÔnICO, gEREnCIAmEnTO DE FROnT-EnDs DIgITAIs E ImpREssãO InDusTRIAl A JATO DE TInTA COm O pORTFólIO DE pRODuTOs pREmIADOs DA EFI

Besides the largest number of participants, EFI also recorded a growth in partnerships at 100% of the available exhibit space was completely sold on Connect in the weeks before the event. Between partners and sponsors were present: 3M, Canon, Esko, honle UV America, Kodak, Konica Minolta, Lintec, MBM, NAPL, People’s Capital Leasing, Ricoh, Xerox, xpedx and Zund. Além das demonstrações dos parceiros, o piso de exposições trouxe algumas das tecnologias mais avançadas da EFI, inclusive as impressoras VuTEk® para grandes formatos da EFI, os produtos de fluxo de trabalho de impressão EFI Fiery®, os softwares de produtividade MIS/ ERp, bem como os softwares de web-to-print e comércio eletrônico da EFI. In addition to the demonstrations of the partners, the floors of exhibits brought some of the most advanced technologies from EFI VUTEk ® including large format printers from EFI, Products Workflow EFI Fiery ® print, software productivity MIS / ERP software and web-to-print and electronic commerce EFI.

Entre os novos produtos da EFI em exposição, os destaques foram: o EFI Digital storeFront® 7, que foi lançado durante a conferência. O piso de exposições também contou com uma exibição do software EFI SmartLinc, uma linha de produtos recém adquirida, que oferece amplo gerenciamento de remessas com conectividade integrada aos sistemas mIs/ERp de impressão. Among the new products on display in the EFI, the highlights were: EFI Digital StoreFront ® 7, which was launched during the conference. The floor exhibition also featured a display of EFI smartlinc software, a newly acquired product line, which offers comprehensive management of shipments with integrated connectivity to mIs / ERp printing systems. Foi uma honra estar presente em um cenário totalmente voltado a novas estratégias. Unindo tudo que a EFI faz de melhor em tecnologia e a preocupação com o usuário. Ver 1.500 pessoas presentes de todas as partes do mundo com objetivo de aprimorar conhecimentos e o mais impressionante: pagando por isto.

32

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

It was an honor to be present in an entirely new strategies oriented scenario. Bringing all the EFI does best in technology and concern for the user. View 1.500 people attending from all over the world in order to enhance knowledge and more impressive: paying for it. Minha aspiração, por mais utópica que possa ser é ver isto no brasil. é tirar as vendas dos olhos, é parar de achar empecilhos no segmento e partir para descobrir como mudar sua vida profissional. Tenho certeza de que todos ganham. My aspiration, however utopian that might be is to see this in Brazil. You take the blinders, you stop thinking obstacles in the segment and from discover how to change your professional life. I’m sure everyone wins. Conversei com muitos participantes, maior parte deles já tinha participado algumas vezes e estava lá novamente. Como eles dizem: “Ou somos os melhores, ou vamos para casa”...e agem assim. I talked to many participants, most of them had already participated a few times and was there again. As they say: “We are either the best or go home” ... and they act so.

• 1500 participants (one third higher than the previous edition) • Over 200 educational sessions, including training with technical experts in workflow mIs / ERp, web-to-print, electronic commerce, management of digital front ends and industrial inkjet printing with the awardwinning product portfolio EFI

quero parabenizar novamente toda equipe EFI, especialmente a Guy Gecht, Frank malozzi, Frank Tueckmantel, holly O´Rouke, marc Verbiest e equipe. E agradecer nossos amigos EFI brazil: marcia Crepani, marcelo maeda e livia Teixeira. bem como as amigas da Comunicale: patricia Fernandes e Caroline muniz. Através de iniciativas como esta é possível afirmar: O segmento de impressão digital em grandes formatos no brasil está só começando. Temos um longo caminho a percorrer, temos tudo a nosso favor, basta querer e certamente o sucesso será consequência!

I congratulate again all EFI team, especially Guy Gecht, Frank Mallozzi, Frank Tueckmantel, Holly O’Rouke, Marc Verbiest and staff. And thank our friends EFI Brazil: Marcia Crepani, marcelo maeda and livia Teixeira. As well as friends of Comunicale: patricia Fernandes and Caroline Muniz. Through initiatives such as this one can say: The segment of visual communication in Brazil is just beginning. We have a long way to go, we have everything on our side, just want to be successful and certainly the result!


CAPA

REVIsTA gF REúnE EspECIAlIsTAs pARA FAlAR sObRE TópICOs mAIs pEDIDOs pElOs lEITOREs pARA O AnO DE 2014

top diCas para aLavanCar a sua empresa em 2014 R E V I S TA G F • m a r ç o 2 0 1 4

33


Por Andressa Fonseca Imagine esta cena agora. Duas mulheres debruçadas sobre uma série de papéis empilhados sobre uma mesa. Uma, segurando três folhas entre os dedos, separando cada uma delas, e a outra, fazendo pilhas em sua frente. Aí você se pergunta, o que são estas folhas? E eu te respondo. São pesquisas realizadas durante 2 meses pela equipe da GF, delas saíram os dados para escrever a matéria de capa da edição passada (máquinas VIII). Sim, novamente elas serão utilizadas, porém o foco agora é o que o leitor quer ler em 2014. Quem são as mulheres? Sim, eu, a jornalista com TOC que vos escreve, e a editorachefe com mais TOC ainda, Luciana Andrade. Lemos todas as folhas, a pilha inteira. E devido aos nossos TOCS, (diferentes em suas particularidades, porém muito similares) lemos mais de uma vez. Li a minha pilha e a pilha dela e vice-versa. Cada dado anotado. Mais folhas. E muitas ideias. Portanto leitor que respondeu nossas pesquisas, nada do que disse ao nosso telemarketing, passará batido durante este ano! Como o que responderam deu margem para muitas pautas, resolvemos começar o ano utilizando os temas que vocês mais pediram, e reunimos em uma matéria só, no total foram dez itens. Convocamos o conselho editorial da nossa Revista, que é formado simplesmente por quem mais entende do assunto. São experts e anos de experiência reunidos em um só lugar. Cada um deles falando sobre a sua especialidade, para que sua expectativa seja atendida, ou por que não dizer, superada! O resultado você confere agora. Boa leitura!

34

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F


Cabeças de impressão Dicas de manutenção preventiva Por Edsel Lonza Gerente de Vendas da América Latina da Xaar Como qualquer artefato de tecnologia, ou melhor, de microtecnologia, as cabeças de impressão carregam em seu interior o que há de mais avançado em tecnologia de impressão jato de tinta, e, embora sejam desenvolvidas para oferecerem grande durabilidade e robustez, necessitam de alguma atenção especial no seu correto uso, manuseio e armazenagem para que sua ótima performance seja atingida e mantida. Vamos aos pontos mais importantes: • Somente utilizar tintas aprovadas pelo fabricante da cabeça e com seus respectivos “waveforms”, ou formatos de onda, otimizados para tal cabeça. As empresas realizam um processo rigoroso de avaliação das propriedades físico-químicas das tintas

e fluídos diversos elaborados por seus parceiros fabricantes visando otimizar essas propriedades no que diz respeito a: — Não atacar nenhum componente material da cabeça — Ter a sua melhor injeção possível através dos canais e bicos injetores da cabeça — Reduzir significativamente o coeficiente de bloqueio ou entupimento dos canais e orifícios da cabeça — Gerar um formato de onda otimizado para aquela tinta ou fluído e a cabeça em questão Analisando as propriedades da composição do fluído/tinta, podemos entender, através da “reologia complexa”, qual a sua viscosidade, tamanho de partículas em suspensão e muitas outras propriedades e a partir daí determinar o correto pulso elétrico que fará a cabeça disparar a gota no tamanho e velocidade corretos para àquela aplicação • Não tocar jamais a área de bicos injetores das cabeças, pois a própria gordura da mão humana já poderá causar problemas de bloqueio

• Estabilizar eletricamente a impressora, oscilações de energia podem e irão atrapalhar significativamente a performance das cabeças, pois estamos falando que tudo acontece por pulsos elétricos precisos • Evitar a descarga de energia eletrostática gerada pelo próprio corpo humano ao manusear as cabeças – usar idealmente pulseiras de descarga nos pulsos para operar as impressoras • Realizar parada e limpeza das cabeças recomendada pelo fabricante do equipamento a cada 5 horas de uso contínuo da impressora através de purga, flush e complementada com a “passada” de pano especial livre de “fiapos” (panos com suas bordas cortadas a laser para evitar possibilidades de fiapos) e em apenas uma direção da cabeça e não “esfregar” em várias direções • Realizar o ciclo completo de manutenção e limpeza completa das cabeças de impressão da impressora ao final do dia ou antes de um período mais longo em que a impressora ficará parada • As cabeças têm de ser armazenadas sempre com sua capinha de proteção sobre a área dos bicos de injeção (nozzles) e dentro de seu saquinho plástico que vem com as cabeças • As cabeças de impressão possuem um ano de vida útil sob garantia do fabricante antes de serem usadas na impressora e isso deve ser respeitado • Nunca limpe suas cabeças com ultrasom, pois poderá romper as paredes dos canais por onde a tinta passa e onde encontram-se os atuadores que recebem os pulsos elétricos “controlados” para disparar a gota • A durabilidade das cabeças depende direta e significativamente da maneira correta de uso, manutenção e limpeza conforme descrito acima, se qualquer etapa for negligenciada, certamente sua vida útil será reduzida significativamente

Fechamento de arquivos Dicas para correção de cores R E V I S TA G F • M a r ç o 2 0 1 4

35


Por Marcelo Chagas Gerente Técnico de Vendas da SA International Correção de Cores – Objetivos de Renderização Para corrigir as cores, ou seja, Entrada = Saída ou ainda o que se “vê” na tela sair na impressora, necessitamos de modelos matemáticos para conversão dos Gamut (O Color gamut é a escala das cores que podem ser reproduzidas pelos dispositivos). No mundo da impressão digital estes modelos são conhecidos como: Objetivos de Renderização Os Objetivos de Renderização dizem para o sistema de gerenciamento de cor como manipular um gamut para que o mesmo seja reproduzido ou que se “encaixe” em um outro dispositivo com gamut/ espaço de cor diferente. Por exemplo: Monitor RGB << Objetivo de Renderização>> Impressora CMYK .

Os Perfis ICC oferecem diferentes Objetivos de Renderização para converter o gamut de um dispositivo em outro. São eles: 1 Perceptual ou de Imagem: Esta é a melhor para Imagens Fotográficas, onde se necessita de foto-realismo. O modelo utilizado aqui é uma mistura entre compressão e corte de gamut. 2 Saturação ou Gráfico: Esta opção foi desenvolvida especialmente para Gráficos de Negócios, onde a vivacidade é mais importante que a fidelidade das cores. As cores que estão fora do gamut do dispositivo são mapeadas na extensão da saturação do gamut. As cores dentro do gamut do dispositivo são alteradas para o valor saturado da cor original (vermelho 96% é convertido para 100%). Este modelo matemático pode ser utilizado para saturar, aumentar ou carregar as cores de uma imagem fotográfica. 3 Colorimétrico Relativo: Esta opção foi desenvolvida para imagens, tipo logotipos bitmap, onde a saída tem que ser fiel ao original. As cores que estão fora do gamut são cortadas, ou seja, trazidas para o limite do gamut do dispositivo, o que pode reduzir o total de cores disponíveis. As cores são adaptadas em relação ao branco da mídia, assim o branco será sempre impresso como zero (o branco da mídia ou ausência de cor). 36

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

4 Colorimétrico Absoluto: Esta opção é similar ao Colorimétrico Relativo, porém não há adaptação em relação ao branco. Assim, o branco da mídia A será simulado na mídia B. Para simplificar, o Colorimétrico Absoluto representa cores relativas ou fixas ao D50 Illuminat White (5000K, temperatura de cor que gera o branco). 5 Sem Correção de Cores: O programa utiliza o Perfil ICC, Curvas de Densidade/ Linearização e Limites de Tinta do Primeiro passo de calibração, porém respeita as misturas de cor originais do arquivo CMYK ou RGB.

Figura 01

Figura 02

Figura 03

Figura 04


3 Por Vinícius Timi Técnico em Wide Format e Instrutor do GF Centro de Capacitação Profissional Há alguns anos escrevi uma matéria para a Grandes Formatos sobre a situação do suporte técnico no Brasil e então neste mês a jornalista Andressa me pediu para fazer uma nova análise do mercado, na realidade saber como se encontra atualmente nosso mercado de suporte técnico. Qual a visão atual das empresas sobre os distribuidores de equipamentos e o que os clientes têm observado quanto à qualidade do suporte técnico. Será que mudou algo de lá para cá? Vejamos. Por ocasião da primeira matéria embora triste, a verdade era: as empresas não queriam nem ouvir falar sobre suporte técnico, queriam vender seu produto e ganhar dinheiro e esta era a sua principal preocupação e com este pensamento deixavam o cliente na mão. Mas e atualmente como está o sistema de suporte técnico no Brasil? Se olharmos de forma geral notaremos que algumas empresas da época da primeira matéria e que viam a venda de equipamentos apenas como um meio para ganharem dinheiro, já não existem mais. Foram substituídas por outras mais recentes e felizmente com pensamento renovado o que fez o quadro mudar para melhor. Podemos observar que uma parcela significativa de empresas que hoje vendem equipamentos buscam prestar suporte de pós-venda a seus clientes. Estas empresas

Suporte técnico

GF vista o a Re trabalh ós s n bé te .N Para xcelen 8 anos alho e b es pelo do nest este tra ue q s a o z o i o l m e rea panha anos vaçã s , Ino acom s último icação balhos d a no i De os tr s os fo idade n s. Ajor m i o v l d a . a u t e Q resen as Ltda ap stem Si

Uma análise sobre o suporte técnico oferecido no Brasil hoje estão investindo em profissionais qualificados não apenas na área técnica, mas também nas áreas de venda, financeira, estoque, logística e administração. Como resultado, estão surgindo empresas com a mente voltada para a busca da eficácia. Esta é, portanto sem dúvida uma boa notícia para os clientes e para o mercado em geral. Mas a má notícia é que ainda vemos muitas empresas brincarem de prestar suporte técnico. Faltam a estas, desde a estrutura de atendimento, passando pela falta de profissionais técnicos qualificados, que em muitos casos não possuem nem o conhecimento necessário sobre os conceitos de funcionamento de seus próprios equipamentos. Mas o que acontece quando uma determinada empresa falha no seu atendimento? Basta pensar que o cliente está com seu equipamento deficiente ou mesmo parado e, portanto a sua empresa está parada, para entendermos o seu desespero. E assim a necessidade de buscar uma solução para seu problema. Mas quando a resposta da empresa que deveria lhe prestar o suporte técnico é lenta, ineficiente ou pior, quando ela simplesmente inexiste? O cliente fica obrigado a buscar quem possa solucionar o seu problema. Desta forma o cliente tende a procurar outra empresa ou como mais usualmente vem ocorrendo no mercado, buscam os profissionais independentes e que trabalham com impressoras multimarcas. Mas mesmo estes profissionais que ajudam o mercado porque muitas vezes prestam um serviço de assistência técnica melhor do que algumas empresas, podem e muitas vezes falham no seu atendimento.

Mas porque ainda existem empresas que não prestam um bom suporte técnico? O principal motivo se chama Brasil e não me canso de falar isto mesmo que muitos torçam o nariz ou discordem de minha opinião, Quando se nasce num país em que o filho ouve durante a maior parte de sua vida no domingo à noite o pai dizer coisas do tipo “amanhã é segunda-feira de novo e tenho de trabalhar”, ou, apenas os espertos se dão bem, ou ainda faça aos outros antes que façam a você é fácil entender como o cérebro desta criança irá se formar. Some a isto a falta de estrutura familiar, falta de valores morais quando tudo hoje é permitido, e a falta de educação secular e você verá se formar um monstro na forma de uma pessoa. Agora some isto com as frases que ouvimos todos os dias ditas pela mídia tais como “faça o que você quiser, seja você mesmo, o importante é você, a opinião dos outros não importa, você pode e deve fazer o que bem quiser” e outras baboseiras deste tipo. Bem, nesta linha de raciocínio que é acompanhada pelas vozes de nossos governantes, poderes e corruptos não é de admirar que um menino de 13 anos mate outra pessoa e não sinta remorsos, afinal não está ele apenas exercendo o seu direito? Ele é culpado, claro que sim, mas se ele é um assassino e tem de pagar por isto temos de entender que tão assassino como ele é a imprensa e o governo e todos os que alimentam a ideia de que somos livres para fazermos o que bem entendemos, pois, mesmo na liberdade temos de entender que também existem limites ou como um ditado que há muito não é mais pronunciado, “A liberdade de um individuo termina quando começa a do outro”. Assim, quando a mídia e o governo que nada fazem de bom pelo cidadão incentivam tudo de errado e não proferem R E V I S TA G F • M a r ç o 2 0 1 4

37


uma só palavra sobre respeito, moral, zelo pela estrutura familiar, honestidade e tudo o que envolve uma vida correta o resultado é exatamente este que estamos vendo. Então como podemos esperar que em qualquer área e inclusive a do suporte técnico seria diferente? Quando vejo alguns profissionais e em especial em feiras andando com nariz empinado e ao que parece ser esta a única qualificação que possuem, se achando acima de todos com seus ares de prepotência, mas basta fazer uma pergunta mais técnica que gaguejam ... Por que não sabem a resposta? Ou o que dizer daqueles clientes cuja safadeza beira ao limite do crime? Sim se temos problemas com empresa e profissionais técnicos, temos muitos e muitos problemas com clientes que se

fazem de vítima e são na verdade lobos em pele de ovelhas. Portanto não basta, e tenham certeza queria eu poder fazê-lo, apenas falar das qualidades ou das deficiências do nosso suporte técnico pois, enquanto apenas olharmos para a superfície de nossos problemas nada se resolverá de forma plena. Em um país como o Brasil que é hoje reconhecido como tendo excelentes empresas e profissionais da área técnica, conta com grandes fábricas de impressoras de grandes formatos, possui algumas das maiores empresas do mundo no setor de produtos para comunicação visual, possui empresas que fornecem material de campanha para presidentes norteamericanos e que quando tudo isto deveria ser para nosso orgulho, acaba se perdendo

nas mãos dos oportunistas que atuam como empresários bandidos, técnicos marqueteiros, diretores de empresa politiqueiros e clientes mal-intencionados acostumados a ganhar tudo no grito ou na safadeza como já mencionei. Se queremos um suporte técnico de qualidade? Claro que sim, todos queremos e necessitamos, mas enquanto esta situação de “Big Brother” permanecer no país não avançaremos e vamos continuar apenas sendo um bando de” reclamões”. Obvio é que a perfeição não existe, mas será difícil buscá-la? Claro que não, pois se por um lado não podemos ser perfeitos, por outro será que precisamos exercer a imperfeição de forma tão plena?

Látex, Solvente ou UV?

Em qual tecnologia investir? Por Claus Schmidt Gerente de vendas para impressoras digitais e 3D Para definir qual equipamento ou qual tecnologia investir o empresário deverá definir qual mercado ira atuar. Se estamos falando de produção em massa, custo baixo, qualidade média e sem considerar o meio ambiente, o empresário deverá iniciar com uma máquina solvente. Vale lembrar que em alguns países esta tecnologia está banida por contaminar o meio ambiente.

38

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

Caso o empresário queira atuar em um mercado de valor agregado onde qualidade, produtividade e versatilidade (decoração,adesivação ,tecidos etc... ) este deverá investir em um equipamento Látex onde além do descrito acima tem a possibilidade de contribuir plenamente com o meio ambiente. Já na tecnologia UV temos 2 pilares: Impressão sobre mídias rígidas e flexíveis. Se vamos comparar com as tecnologias que estão disponíveis hoje em dia, um equipamento UV flexível poderia ser utilizado na troca de tecnologias Solvente. Porém existem ainda pontos negativos na tecnologia que não permite utilizar UV em materiais como adesivo para frotas e papel para Outdoors.

Quanto à produtividade, hoje existem equipamentos UV que podem produzir 350 m²/h com custo semelhante a do solvente, e melhor qualidade de impressão. O mercado aqui no Brasil ainda está montado em cima de uma vasta base instalada solvente onde o baixo custo prevalece. Já vemos em alguns estados (SP ,RJ e MG) onde a preocupação com qualidade predomina e o solvente já não esta mais tão presente nos investimentos.


5 Por Cleber Boaventura Consultor de Negócios, formado em Comércio Exterior e Contabilidade pela Unicesumar Maringá com MBA em Consultoria Financeira e Organizacional. Em 2014 o ano não será nada fácil, segundo os especialistas na área econômica, mas como dizem que brasileiro nunca desiste, vai então mais um desafio para o ano corrente, em gerir as contas para se manter em pé a meio tantas incertezas. É ano político e como já sabemos o risco país, índice que mede o grau de confiabilidade dos investidores estrangeiros, que já caiu alguns pontos percentuais em meses recentes, deve cair ainda mais, devido a instabilidade fiscal do nosso país, com altas taxas de juros, mensaleiros, investimentos exorbitantes com a Copa do Mundo e o cenário mais que claro do caos da saúde e segurança pública no país. O dólar vem se mantendo alto, puxando a inflação e retraindo investidores brasileiros. Com isso torcemos para que nosso Ministro da Fazenda comece a fazer gol, pois com esse jejum em não mostrar nada efetivo com as contas públicas, deixam-nos cada vez mais preocupados. Em geral, espera-se para 2014, conforme vários economistas de renome nacional, um ano de muita dificuldade, poucos investimentos, e muita incerteza pós copa do mundo e resultado político. Mas bem, nosso foco aqui é ao contrário de toda essa perspectiva, e sim falarmos um pouco

Importação direta Vale a pena? Como fazer?

da Importação Direta e Indireta ou seja oportunidades e possibilidades de novos negócios. Sim novos negócios, esse será a partir de agora nosso assunto principal. Há alguns anos tínhamos nós empresários o mito onde Exportação e Importação, seria coisa de gente grande, ou seja, algo longe de nossa realidade, coisa de grandes Corporações e Multinacionais, algo extremamente impossível em fazer negócios com outros países. Isso mesmo, tínhamos essa barreira própria em enxergar o além do “quase cheio o copo d’agua” se lembram disso? Portanto caros leitores, esse mito vem caindo se não dizer caiu, de alguns anos para cá, ou melhor, nos últimos 10 anos. Isso se desmistificou e provou que nossa realidade é outra, que estamos muitos mais próximos do que nós mesmos podemos imaginar. Que essa tal de globalização chegou faz tempo e que ao menos quem não Importa ou Exporta, terá que se adaptar a essa realidade para se manter no mercado. Você já pensou em poder fazer negócios diretos com outros países? Quem não precisa recorrer a intermediadores, pode ter sua lucratividade ainda maior. Aqui vamos explanar um pouco das vantagens em fazer a Importação Direta. Mas primeiro vamos saber a diferença entre Importação Direta e Indireta. A Importação Indireta é aquela onde a empresa necessita de uma Tranding Company, empresas devidamente legalizadas a operar na compra e venda de mercadorias no Comércio Exterior. Ou seja, são elas responsáveis a buscar a mercadoria no mercado estrangeiro, fazer toda negociação e revendê-la à empresa brasileira interessada. Portanto todos os processos burocráticos e de logística ficam por conta das Trandings Company.

Parabé ns qualida pela de d matéria as s reporta e gens publica das. Huds

on Pa sc ADEZIVA Comun o a l, icação Visual

Já a Importação Direta, a empresa brasileira faz todo esse processo com o fabricante ou fornecedor estrangeiro, cuidando de toda logística, negociação, Incoterm e desembaraço aduaneiro. Chamamos assim de Comercial Importadora, onde a negociação é feita diretamente sem nenhum intermediário. E quais as vantagens e desvantagens da Importação Direta ou Indireta? Na importação direta, a empresa é colocada no canal direto com o fabricante, obtendo assim todas as informações mais valiosas como dados cadastrais do exportador, e-mails, telefones, e toda fonte de informação que as leve diretamente e a qualquer momento, ao seu fornecedor. Já na Importação Indireta essas informações ficarão restritas à empresa brasileira, e a mesma não terá o canal direto com o fornecedor e seus devidos relacionamentos. Portanto na Importação Indireta a empresa brasileira não obterá de informações e negociações quanto a preços, prazos e responsabilidades, cláusulas das mais importantes do Comércio Exterior. Com isso concluímos que a maior vantagem da Importação Direta é sem dúvida o canal direto com o fornecedor estrangeiro, assim as possibilidades de negócios certamente aumentam de forma que o canal é livre para acordos e negociações das mais diversas no âmbito do Comércio Exterior. A rentabilidade e lucratividade das importações diretas comparadas às importações indiretas elevam mais de 30% do custo total da negociação inviabilizando assim em alguns casos a compra de produtos ou mercadorias estrangeiras. Portanto procure agora mesmo um profissional da área e encontre novas possibilidades de negócios com a Importação Direta e aumente suas rentabilidades.

R E V I S TA G F • M a r ç o 2 0 1 4

39


6 Por Wilson Giglio Consultor em gestão empresarial

Tenho encontrado, na maioria das empresas que tenho feito consultoria, um pequeno grande problema que, no final das contas, pode fazer muita diferença. Imagine o cliente ligando para o seu Consultor de Vendas. O Consultor o atende durante 10 minutos. O cliente, diante de tantas dúvidas, solicita a visita do Consultor. O consultor entre a ida, reunião e volta para a empresa “gasta” 5 horas, sendo 4 de trânsito. O Consultor fez o briefing completo, mas faltam alguns detalhes. Solicita ao encarregado de instalações a ir à empresa e fazer as medições necessárias para o projeto. O encarregado, com todas as ferramentas de medição (escadas, trenas, etc..) vai ao cliente e tira todas as metragens, já sabendo através do Consultor, o que vai ser instalado no local. O encarregado “gasta” 6 horas, com um ajudante, entre a ida, a medição e a volta, sendo 4 horas de trânsito. De posse destes dados, o Consultor monta o orçamento, consulta fornecedores a respeito da matéria prima a ser utilizada, consulta valores e, finalmente, consegue terminar a elaboração do orçamento, investindo mais 2 horas para isso e, finalmente, envia ao cliente para aprovação. Caso 1 O cliente acha muito caro e diz que agora não vai fazer, vai deixar mais pra frente. neste caso quem é que paga toda esta mão de

40

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

anáLise Custos e Formação do preço de vendas COnTAs quE DEVEm sER FEITAs CORRETAmEnTE, pARA gARAnTIR A sAúDE DA suA EmpREsA

obra, encargos, combustível, tempo? Caso 2 O cliente aceita mas quer um desconto de 10%. neste caso, estes 10%, já foram computados no orçamento? Ou este percentual é metade do lucro que você queria? Ou se tirar estes 10% você só vai “trocar figurinha”? Caso 3 O cliente aceita e concorda com o valor, aprovando o orçamento. Você se lembrou de inserir todo o pRépROCEssO ou pRé-ORçAmEnTO para cobrar do cliente, ou não? qual o valor total de todas as horas, combustível e ligações que foram feitas? Infelizmente nos sistemas que tenho analisado nenhum deles comporta esses fatores, com tantos detalhes, e aí eu me pergunto: Como é que as empresas, nestes casos, estão fazendo? Em minha opinião, quando solicitado este tipo de serviço, a empresa já deve ter regras claras para o cliente, informando-o da cobrança do tempo e combustível, mesmo que o orçamento não seja aprovado (e principalmente neste caso). Já vi acontecer casos onde o cliente aproveita este orçamento que você enviou e LEILOA o trabalho com outra empresa do mesmo ramo, conseguindo um valor bem

menor. E todos sabemos que isso é fácil, não é mesmo? por quê? simplesmente porque a maioria das empresas do ramo querem ganhar o seu cliente e, para isso, não medem esforços, mesmo que tenham prejuízo na elaboração do projeto. gostaria de saber a opinião de vocês, leitores, com relação a este assunto. sei que se informar o cliente que ele, aprovando ou não, terá que pagar R$ xxx para o levantamento do projeto é quase que impossível, poucos iriam aceitar. por outro lado, se você não cobra e o cliente não aceita o orçamento você “perde”, literalmente, o tempo e o combustível que investiu. se o cliente aceita você pode inserir este valor como outros serviços mas, neste caso, você vai cobrar o valor de CusTO do que gastou ou já vai inserir este valor como sendo CusTO + luCRO? Outro fator, que gostaria de chamar a atenção de todos, é: como você calcula salários + encargos na sua empresa? Tenho visto, na maioria das empresas, que este cálculo é feito totalmente errado. não consideram 1/12 avos do 13º salário, 1/12 + 1/3 das férias, 8% do FgTs e outros.


Diante deste fato informo o percentual que deve ser acrescido ao salário referente a Encargos sociais: EMPRESAS NãO OPTANTES PELO SIMPLES NACIONAL 112,25% EMPRESAS OPTANTES PELO SIMPLES NACIONAL 69,21% Vocês já devem ter lido a matéria anterior, a respeito de custos, que escrevi no ano passado e esta aqui tem a finalidade de complementar a mesma. O que mencionei aqui deve servir para você repensar no que está cobrando e se está fazendo o cálculo correto para encontrar o seu pREçO DE VEnDA. Posso afirmar que quando se trata de CUSTOS o estudo do mesmo deve ser muito bem elaborado, conforme já afirmei em outras ocasiões, já encontrei empresas tendo prejuízo em vários produtos e lucro em apenas dois. Vários empresários se perguntam: vendo bem, faturo bem, mas no final do mês não sobra ou falta dinheiro, onde está o erro? Respondo: provavelmente no custo e na forma de administrar a sua empresa. se você não tem controle não tem nada e, provavelmente, está perdendo em algum lugar ou muitos lugares, são aquelas “torneirinhas” pingando que você até vê, mas deixa para arrumar depois. Todo cuidado é pouco na hora de fazermos estes cálculos, deve-se pensar em tudo, em todas as alternativas, ter um preço para balcão e outro para serviços externos, não se deve esquecer nunca de agregar os valores de pRé-ORçAmEnTO no valor total do mesmo e devemos pensar: vamos cobrar este valor mesmo que o cliente não aprove ou vamos absorver com o nosso lucro no final do mês? qual a sua opinião?

ano de ais um umas das m r o a alg m éns p Parab Tenho aind mpre uso e e s! s e e e õ d u ç e a q realiz s edições, e produtos eiro. d sil ira prime s pesquisas ercado bra o é minha mento do m fico, sei com er grá reviv orta comp o mercado pressa, sob rnet. te d im in o d ia ia Vin míd da v eicula t como para a difícil formação v da interne seus in ra uso a tanta oube fazer ramenta pa ocês s , F fe ano v e r AG m to u n e de sua lem Mais comp e leitores. trabalho e s u uitos e usuário valor do s a sorte e m , d o N A to m G a E jo v ese pro DALD h LLACY T nça. D lidera de vida! WA AnAgER sOu sm anos ERICA l sAlE Am nA REgIO D CEnTRAl An

Apesar da crise em alguns setores da Indústria Gráfica, o segmento de sinalização prossegue firme e forte, se reinventando e inovando. Parabéns à GF por, há 8 anos, levar ao público as novidades e tecnologias de um dos nichos mais dinâmicos de nossa indústria. E, sobretudo, parabéns à Luciana pelo empreendedorismo e energia inesgotável. pAulO sTuCChI, DIRETOR DE JORnAlIsmO DA pARlA! AssEssORIA Em COmunICAçãO & JORnAlIsmO EmpREsARIAl


administração de empresas 6 DICAs pARA um líDER lEVAR suA EmpREsA AO suCEssO Por nilson Caldeira Especialista no desenvolvimento de inovação e criatividade aplicadas no planejamento estratégico, coach, colunista de motivação e liderança, desenvolve cursos e palestras quando falamos deste assunto é sempre bom lembrar as diferenças entre gestão e liderança.O gestor normalmente tem um foco no curto prazo e no acompanhamento de processos e metas. O perfil deste profissional exige que ele saiba fazer bem as coisas. O líder está em uma esfera diferente. Ele trabalha com cultura e visão e tem como objetivos principais a perpetuidade da organização através das pessoas e da inovação. Ocorre que muitas vezes um líder não é um bom gestor. neste caso ele precisa buscar alguém que faça esta função e seja o responsável pelo dia-a-dia das empresas. Agora o inverso também ocorre com freqüência, ou seja, organizações possuem gestores de extrema qualidade, porém estes profissionais não tem capacidade de liderança. 42

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F


neste caso o ideal é cercar-se de líderes que possam auxiliá-lo no direcionamento da sua empresa. Isto pode ser feito através de uma consultoria ou a constituição de um Conselho. normalmente em pequenas e médias empresas o empreendedor deve fazer estes 2 papéis, de líder e de gestor. por isso o objetivo deste artigo é justamente destacar os 6 pontos principais que se forem tratados com cuidado e atenção levarão a sua empresa ao sucesso. CONhECER PROFUNDAMENTE OS CLIENTES uma empresa existe em função dos seus clientes. quanto mais pessoas desejarem comprar produtos e serviços da sua empresa, mais bem sucedida ela será. A perenidade de uma empresa passa pela fidelização dos seus clientes, ou seja, quanto mais fiéis eles forem à marca e aos seus produtos, maior a sua lucratividade. para sua empresa alcançar a fidelização não basta atender os clientes em sua demanda normal, pelo contrário, isto é sua obrigação. Para fidelizar seu cliente sua empresa deve encantá-lo, fazer algo a mais que a concorrência. E normalmente o líder que deve identificar e propor ações que encantem o cliente. E ele só fará isso de forma adequada à medida que conhecer muito bem seus clientes e principalmente aqueles que não são clientes. PESSOAS FAzEM A DIFERENçA um líder deve desenvolver sua equipe. é através dela que sua empresa alcança resultados superiores. Trabalhar com gente não é uma atividade simples e fácil, entretanto se for feita de forma adequada reserva surpresas positivas. E quando falamos em desenvolver pessoas o fundamental é capacitá-las para que cada vez mais elas façam o que vem fazendo de forma melhor. É preciso treinar, orientar, enfim investir no conhecimento dos seus funcionários se quiser encantar e fidelizar seus clientes. ORGANIzAçãO é A bASE DA EVOLUçãO Em uma empresa organizada as atividades fluem de forma rápida e menos estressante. A melhor forma de organizar a sua empresa é através da implantação de processos organizacionais. uma empresa que tem processos e sua equipe segue-os com disciplina, permite que o dia-a-dia funcione em um nível de excelência que reflete em uma maior agilidade nas tomadas de decisão. CUIDE DO CAIxA O dia-a-dia do caixa deve ser cuidado pelos gestores financeiros, mas os líderes devem necessariamente ter uma visão macro permanente deste ponto. A delegação deve ser da execução apenas. O líder deve acompanhar e principalmente antever como o fluxo financeiro poderá contribuir com a criação de diferencias competitivos para a

empresa. não podemos falar em tecnologia e inovação se o caixa está comprometido. A INEVITáVEL TECNOLOGIA Atualizar-se tecnologicamente é a única forma de uma empresa se manter competitiva. As organizações não têm opção. A tecnologia já não é mais diferencial competitivo, pelo contrário é requisito para se manter no mercado. se uma empresa deixa de se atualizar ela corre 2 grandes riscos: primeiro, quando ela tomar esta decisão vai gastar muito mais do que se estivesse atualizandose de forma constante e; o segundo risco, e este é mais grave, a falta de investimentos em tecnologia fatalmente leva às corporações a desaparecer do mercado. INOVAçãO CONSTANTE quando se fala em inovação normalmente se pensa muito na inovação tecnológica deixando de ver as outras oportunidades de “pensar fora da caixa” dentro do modelo de negócios das organizações. grandes corporações se formaram a partir de inovações nas mais diversas áreas; produção, logística, vendas, marketing etc. A Dell Computadores nasceu a partir de uma inovação no modelo de negócios, ou seja, primeiro se vende o computador e depois ele é produzido. uma solução excepcional em termos de marketing, vendas, finanças e logística. porém uma solução só trará resultados se for orientada para o cliente e que atendam às necessidades do mundo real. E a responsabilidade da inovação é do líder, ou seja, se você não é um inovador, contrate alguém.

Grand es Form a Grand es Con tos e Parabé quistas. n DURST s da a todos pela d edic mercad ação ao o. FlAVIO h IRATA, D

uRsT

ração, eram, o, de co ç e d a r re me d Ag e semp abalhos u q e d nida os tr a oportu a realização d mamos, cada r fi e u tanto n q po. arceria rer deste tem p a n o r o arte, c p com e r d e r faz te, no vez for rivilegiado po uipe que, eq ep sinto-m a forma, desta uito mais a m m u m lg te a de todas inda rteza, a igado a ndo a com ce eu muito obr a M abenço crescer. eus continue us sinceros . Me ue D (os) e q nesta jornada rra, a força e a m g u a , a d ta a uipe. is c s a Rev da a eq IGLIO n to é e b a d r G to pa n N e O S m IL meti o, W compro aternal abraç EmpREsARIAl fr O e Tã Grande nsulTOR Em gEs – CO

R E V I S TA G F • m a r ç o 2 0 1 4

43


8 Por Christian Barbosa Maior especialista no Brasil em administração de tempo e produtividade é CEO da Triad PS Você usa seu tempo com qualidade? Vivemos na época dos sem tempo. Não é difícil perceber que essa constatação é verdadeira em nosso dia a dia. Todo mundo vive reclamando que não tem tempo para nada ou que vive correndo. Mas será que o problema é realmente a falta de tempo ou a qualidade do uso do tempo que temos? Boa parte das pessoas não têm problemas de falta de tempo, eu diria que para 80% da população a falta de tempo não é um problema. O problema está no uso que as pessoas fazem dele. Em uma pesquisa da Triad, com mais de 30 mil brasileiros, descobrimos que apenas 1/3 do tempo da população é utilizado com as coisas realmente importantes. O restante é dividido entre ações urgentes ou circunstanciais. Esta última categoria vale uma explicação adicional, pois é nela que residem os problemas de qualidade de tempo mais frequentes. Circunstancial é toda atividade que não traz nenhum tipo de resultado para

44

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

Gestão do tempo Você usa seu tempo com qualidade?

sua vida, são atividades que você faz por obrigação ou necessidade social. É a esfera do tempo perdido, mal utilizado e que nunca mais será recuperado. Todos estão sujeitos a esse tipo de atividade no dia a dia, com reuniões desnecessárias, spams, festas sociais que não queremos ir, ligações telefônicas sem sentido e por ai vão. Existem diversas formas de reduzir o circunstancial em nossa vida e termos mais tempo para as coisas realmente importantes. A primeira é reforçar seus modelos de planejamento, o que poucas pessoas conseguem fazer da forma correta e ter resultados. Planejar é antecipar, e isso significa ver pelo menos três ou quatro dias a frente. Quem “planeja” o dia seguinte está mais suscetível a ter atividades urgentes ou circunstanciais. Quanto mais para frente você pensar, melhor para focar no Importante. Outro aspecto essencial no planejamento é dar espaços e nunca lotar a agenda do dia. Para isso, recomendo que você mensure as atividades do seu dia e veja quantas horas você tem planejadas X horas disponíveis. No começo, não planeje mais do que quatro horas para se acostumar a esse modelo antecipado de planejamento. Além de planejar, é preciso que você tenha qualidade no uso do seu tempo, o que significa aproveitar o tempo presente de forma focada. Quando estiver com seus filhos ou família, esteja com eles de verdade. Não fique com eles e com a atenção focada na televisão. Quando estiver trabalhando, feche seu e-mail, seu navegador e outros programas para ter atenção total ao que está fazendo. A desatenção e a falta de foco podem roubar horas do nosso dia sem percebermos. Focar não é uma habilidade que se adquire do dia para a noite, precisamos criar esse hábito

em nossa mente. Comece com pequenas atividades, e aos poucos amplie o seu tempo de foco. E a última dica que gostaria de deixar aos leitores é ter tempo de qualidade para a pessoa mais importante de sua vida: você. Pode parecer simples, mas a coisa mais fácil de acontecer é ter uma agenda cheia de demandas para serem feitas e, neste caso, a primeira pessoa a ser retirada da agenda é si próprio. Sem tempo si mesmo, você perde energia, vitalidade, vontade de executar suas ações diárias, fica mais cansado e sem pique. Atividades simples começam a demorar muito mais e fazem você perder ainda mais tempo. Coloque-se na agenda, pelo menos uma vez por semana. Institua essa boa prática e veja os benefícios. Pode ser uma simples quickmassage na hora do almoço a algum hobby que você ame praticar, mas faça sempre algo por você. Ter tempo com qualidade não é mágica ou impossível, é mais do que factível uma vida com mais tempo e vida, mas isso depende apenas de você. Procure mais informações, livros e cursos sobre esse assunto e viva melhor. Viva com Mais Tempo e Prosperidade!


9

que apresentar maior equilíbrio entre habilidades técnicas e comportamentais, pode ajudar muito a aumentar a assertividade na contratação. É claro que na entrevista há outras coisas que podem sinalizar se o indivíduo tem o perfil da empresa ou não. GF Como deve ser a entrevista, ou o teste a ser feito para quem pleiteia uma vaga na empresa? Alessandra Assad A entrevista é o grande pulo do gato, se for feita por aquele que vai liderar diretamente a pessoa em questão. É preciso que haja empatia, honestidade, e muita naturalidade. Portanto, nada de perguntas técnicas. Deixe isso para o currículo e cheque antes da entrevista se tudo é de fato verdadeiro. Aproveite a entrevista para fazer perguntas pessoais, como: o que você vai gosta de fazer? Quais são os teus valores, como você reagiria em uma situação X? Perguntas inesperadas e que tragam à tona a espontaneidade do indivíduo. Eles já estão

que trabalha. Como cita o grande Jack Welch, é preciso desafiar, remunerar e celebrar, das pequenas às grandes conquistas. GF É viável oferecer cursos de especialização para o funcionário, visto que é um grande risco, pois ele pode fazer o curso e depois procurar emprego no concorrente? Alessandra Assad Sempre é viável. Quando você desenvolve um funcionário seu, os dois ganham. Mas é preciso ter em mente que as empresas só perdem funcionários para a concorrência quando não cuidam bem dele. Estou me referindo a cuidados mesmo, para que ele se sinta tão bem e em família, que dificilmente vai querer ir embora. Mas só cuidar não é suficiente. É preciso combinar cuidados com desenvolvimento, porque se você só cuidar, um dia ele vai querer se desenvolver e ir embora. Se você só treinar, pode perdê-lo, porque ele pode descobrir que éd melhor do que a empresa. portanto, a combinação de cuidados com desenvolvimento é que garante

Mão de obra qualificada Entrevistamos Alessandra Assad, para falar sobre um tema que freqüentemente circula em nosso meio. Como conseguir e manter bons funcionários na empresa? Por Alessandra Assad é diretora da AssimAssad Desenvolvimento Humano. GF O que deve ser levado em conta na hora da contratação? Como identificar um bom perfil de candidato para a vaga? Alessandra Assad Nós ainda geralmente contratamos pelo currículo, levando em conta as habilidades técnicas do candidato, e acabamos demitindo, na maior parte das vezes, por comportamento. Ou seja, é o momento de inverter esta equação e começar a mudar o processo de seleção. A competência hoje é o equilíbrio entre habilidades técnicas e comportamentais. Então precisamos começar a prestar mais atenção no comportamento das pessoas, porque com exceção do caráter, o resto você pode desenvolver. Pode pagar cursos de aperfeiçoamento e o que for necessário para que tecnicamente o funcionário cresça. Então, levar em conta o perfil do indivíduo

cansados dos mesmos testes (alguns até são excelentes), mas o fato é que muitos candidatos viraram manipuladores de testes, e isso acaba mascarando a verdadeira personalidade do indivíduo durante a entrevista. Levar para almoçar, pedir para pegar uma carona podem sinalizar as noções de cidadania entre outras coisas que ficam evidentes no dia a dia. Quanto melhor for este processo, mais chances de o indivíduo realmente se enquadrar na vaga. É preferível investir mais tempo aqui do que contratar rapidamente e gerar um turn over alto para a empresa a médio e longo prazos. GF Após a contratação, qual é a melhor forma de manter um bom funcionário? Alessandra Assad É preciso que o funcionário sinta que pode crescer dentro da empresa, se desenvolver e ter um plano de carreira. O salário é importante, mas não é o principal motivador. A falta dele sim desmotiva e muito. Hoje as ferramentas mais poderosas para fazer retenção de talentos são: ouvir as opiniões dos indivíduos, estar a par do seu progresso profissional e deixar que se desenvolva e estude a partir da empresa em

que o funcionário vai continuar na empresa e que vai ser grato pelo seu crescimento e desenvolvimento. Não há quem não goste de ser bem cuidado. GF Qual é a dica que daria para o empresário que tem algum funcionário desmotivado? Alessandra Assad É preciso descobrir a causa da desmotivação. Muitas vezes as pessoas são frustradas por fazerem coisas que não gostam, ou ainda por falta de objetivo de vida mesmo. Mesmo a melhor empresa do mundo para se trabalhar não é boa o bastante para quem não tem automotivação. Portanto, a automotivação é mais forte do que tudo. Os estímulos motivacionais externos de nada valerão se a pessoa não tiver um propósito. Ou seja, quando você tem as pessoas certas nos lugares certos, elas serão naturalmente motivadas. Então, será preciso apenas cuidar para não desmotivá-las. Simples assim. Precisamos apenas escolher e nomear melhor nossas equipes. A assertividade na contratação está diretamente relacionada ao sucesso alcançado com os resultados da equipe. R E V I S TA G F • M a r ç o 2 0 1 4

45


E pARA EnCERRAR EsTE EspECIAl, umA REFlExãO DE quEm TEm mAIs DE 20 AnOs DE ExpERIênCIA nA áREA. Por edsel Lonza gerente de Vendas da América latina da xaar

O ano de 2013 certamente não foi um ano simples ou fácil para esse setor, porém eu acho bastante temeroso se falar em crise em um ambiente onde para os que trabalham certo, vejam que eu não disse apenas trabalham muito, mas trabalham certo, oportunidades e ganhos estiveram presentes em forma de seleta demanda apenas brindando quem estava preparado para tal... Jamais acredite em nada que não seja fruto de sua própria experiência gerada por testes e estudos práticos que você tenha buscado e aplicado! Explico: notícias ruins infestam o nosso imaginário e nossas mentes todos os dias e o dia inteiro, pois isso dá audiência, prende atenção de consumidores e desavisados, enfim...VENDE mídia!!! Seja um filtro para sua própria experiência livrando-se dos vampiros emocionais de dentro e de fora do seu convívio.

46

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F

Informação é poder! É conhecer-se, conhecer o seu cliente, conhecer o seu potencial novo cliente, a concorrência, o ambiente, o mercado, o cenário local, nacional e mundial nessa aldeia global que se beneficia imensamente da internet, para poder atender, vender e se destacar com sucesso e ganhos significativos. Conhecer, saber, ter dados significa poder planejar e planejamento lhe dá a capacidade de prever acontecimentos e corrigir cursos e rotas que podem, sem aviso prévio, sofrer alterações e danos, que muitos irão chamar de CRIsE, mas que você, empresário/funcionário antenado, treinado, culto e sábio, irá chamar de nECEssIDADE DE CORREçãO DE CuRsO. na navegação os maiores temores dos marujos e do capitão sempre foram a “calmaria” e as “tempestades”, vejam, efeitos da natureza diametralmente opostos entre si, mas para cada um deles, o navio jamais deixa o porto em direção ao seu destino sem um plano de contingência para superar estes fatores! E quando em meio a eles, a paciência, o estudo minucioso dos movimentos e ações é fundamental para ultrapassar e alcançar seus objetivos...não adianta se desesperar, “pular do barco” ou mesmo REClAmAR o dia todo, pois se seu concorrente ou conhecido

está tendo sucesso é porque algo pode e deve ser feito e, o que o difere de você é apenas COnhECImEnTO, pode acreditar no que eu digo!!! Aí eu pergunto: • Você se conhece? Já se comprou? Já ligou para a sua própria empresa para pedir um orçamento e avaliou o processo e o tempo de resposta? • Você conhece a fundo o ambiente em que atua? Vai às feiras? lê os artigos? participa de treinamentos? Inscreve sua equipe nos treinamentos? participa de fóruns e debates do setor? • Tem um plano? De negócios? De visita às feiras e eventos? De treinamento seu e de sua equipe? • Conhece a fundo seus clientes internos e externos? • Conhece a fundo sua concorrência? • Vê oportunidades ou a cegueira do conformismo e do vampirismo emocional já lhe tomaram a capacidade de enxergar além da montanha?


A Revista GF, equipe comandada com muita competência pela Luciana, é uma das publicações mais sérias do segmento de comunicação visual do mercado brasileiro. Por isso a Revista GF irá permanecer no mercado por muito mais que esses grandes 8 anos. Parabéns à toda equipe GF e muito obrigado pela parceria com a FESPA Brasil 2015.

merCado de ComuniCação visuaL TRAGO bOAS NOVAS!!! ISSO TEM jEITO!!! Existem ferramentas, práticas e posturas que podem corrigir esse curso para você e elas vêm em vários formatos diferentes e estão bem na sua frente, basta acreditar e se envolver para descobrir um novo horizonte de possibilidades nos treinamentos, artigos, eventos, matérias e principalmente na pRáTICA constante, diária e orientada de posturas, atitudes e pensamentos novos, inspiradores, eficazes e NOVOS que lhe farão crescer e lucrar dentro de um negócio que seja principalmente susTEnTÀVEl, não esqueça essa palavra jamais: SUSTENTÁVEL e que lhe gere CAIXA, que é o que você e sua empresa empresa precisam para existir e crescer: CAIxA!!! não valorize tanto a trindade: pREçO, CRIsE, lÀ FORA È mElhOR!!! Te digo: nãO é!!! E sei bem o que estou falando...as oportunidades estão aí, no seu quintal e no seu jardim, mas apenas para àqueles que enxergam com os próprios olhos curados e sadios e não com os olhos dos outros! • Sempre haverão preços menores, ao mesmo tempo que haverão valores agregados e benefícios que só você pode oferecer, pelo menos naquele momento! • Sempre haverá malandragem, ao mesmo tempo que sempre haverão relacionamentos

sólidos construídos em anos e com base na lealdade e total comprometimento com o sucesso do outro! • Sempre haverão falsas ilusões e prêmios imediatos com satisfações imediatas, ao mesmo tempo que sempre haverá a genuína vontade de servir ao próximo por muito tempo! • Sempre haverá ilusão, ao mesmo tempo que sempre haverão verdades! • Sempre haverá a arte de criar confusão, ao mesmo tempo que sempre haverá a inabalável certeza dos que conhecem porque estudaram! • Leonardo Da Vinci usava muito uma técnica chamada “sfumiato” (esfumaçado) em suas pinturas para que nunca o observador de seus

lEAnDRO CAusO, gEREnTE DE mARkETIng FEspA bRAsIl

quadros pudesse compreendê-lo de batepronto e sempre que retornasse a observar à obra encontrasse algo novo e se encantasse! E você? seu cliente sempre encontra algo novo ou você é um quadro velho e já muito conhecido que já nem é notado? De que lado você está? Da “turma da crise” ou dos renovados que se reinventam a cada dia? lembre-se: “A negação só existe e é forte em si mesma, pois sua própria existência já não a permite uma possibilidade ou realidade verdadeira!” Reflita nisso, prepare-se, conheça e vire o jogo em 2014, mais um ano cheio de oportunidades para os que as enxergam!

DÊ a Sua OPiniÃO Envie suas impressões sobre esta matéria para faleconosco@grandesformatos.com, com seu nome, empresa, Cidade e Estado, ou ligue para: (41) 3023-4979 Twitter.com/RevistaGF e Facebook: Revistagf

R E V I S TA G F • m a r ç o 2 0 1 4

47


anunciantes GF

EPSON

J-TECK

ROLAND DG

Solução em Impressoras

Solução em Impressoras, Substratos e Tintas.

Solução em Impressoras, Recortadoras e Tintas.

(47) 3267-8400

(11) 3500-2600

www.j-teck3.com.br

www.rolanddg.com.br

vendas@j-teck3.com.br

sac@rolanddg.com.br

4003-0376 0800-8800-0094 www.epson.com.br / www. epson.com.br/rewards

INFOPARANÁ PLOTTER Impressoras e Plotters (43) 3254-6744 www.infoparana.com.br comercial@infoparana. com.br

VIA SIGNS ESKO Solução em Mesas de Corte

Impressoras, Substratos, Mesas de Corte

(11) 5078-1311

(41) 3268-4800

www.esko.com

www.viasigns.com.br

info.br@esko.com

contato@viasigns.com.br

RASLU Feiras

Mesas de Corte, Dobradeiras, Envernizadoras

www.sgia.org

(44) 3024-2085

SGIA

www.raslu.com.br operacional@raslu.com.br

48

M a r ç o 2 0 1 4 • R E V I S TA G F


Parabe nizamo sà revista no seg principal imento comun de ica revista ção visual, um que na sceu co a um gra m mantev nde nome e s e e e profis grande, inova n s no seg ionalizando jo do men vens de todo to, é merece Ferreira sucesso. Marcedora , Pla llo stvin Plástico il Industria de s ltda

AGFA

APS Feiras

Parinox

Impressoras Digitais Industriais UV

Feiras (11) 4013-7979

Chapas de Inox, Latão, Aço, Bronze

(11) 5188-6400

www.apsfeiras.com.br

(41) 3091-0101

www.agfa.com

sandra@apsfeiras.com.br

www.parinox.com.br

marketinggs.br@agfa.com

SA INTERNATIONAL Software de Impressão Digital marceloc@thinksai.com

parinox@parinox.com.br

Ajors Sistemas de Gestão (41) 4063-7140 www.ajors.com.br ajors@ajors.com.br

HICOAT Solução em Impressoras e Substratos (51) 3012-2595 0800.600.25.95 www.hicoat.com.br sac@hicoat.com.br

R E V I S TA G F • M a r ç o 2 0 1 4

49


50

M a r รง o 2 0 1 4 โ€ข R E V I S TA G F



Revista GF - Ed 89 - Março 2014