Page 1

03


04


05


06


01


02


03


E

stamos encerrando o mandato de três anos à frente desta Associação, e nos dirigimos aos nossos associados com esta mensagem de agradecimento pela confiança que nos foi depositada e, sobretudo, com muito otimismo e entusiasmo com o futuro que nos espera. Longe do clima de cansaço de final de mandato, estamos trabalhando com muita dedicação na conclusão de mais esta etapa, em que priorizamos a construção de uma nova Girolando, mais preparada para os novos desafios que a cada dia são exigidos pelo mercado. O mercado tem nos apresentado muitas e novas oportunidades, e a determinação de elevar a nossa Associação à altura do que a raça representa foi a inspiração que buscamos nestes três anos para nortear nosso trabalho em prol do nosso associado. Aplicamos os valores que carregamos conosco como base do sucesso alcançado. A ética, o respeito e a transparência nas nossas ações levaram a Associação a conquistar credibilidade e respeito junto aos associados, instituições públicas, governos e parceiros em geral, parâmetros inquestionáveis que devem continuar a balizar o futuro de nossa Entidade. Os bons resultados alcançados podem ser demonstrados em números, mostrando claramente o crescimento generalizado que aconteceu durante esta gestão. Os índices de desempenho, conquistas, avanços em várias áreas, e os projetos futuros que temos para a casa estão à disposição do associado para serem analisados. O corpo de técnicos e funcionários da casa, sempre muito bom, foi valorizado e mereceu especial atenção. Para atender a demanda crescente de serviços, fizemos novas contratações e promovemos atualização, treinamento e motivação de todos os integrantes da casa. Fizemos, também, revisão de processos, na busca de nos prepararmos melhor para os desafios do futuro. Estamos concluindo o processo eleitoral sucessório com estrita observância de nosso Estatuto Social, focando sempre os interesses maiores da nossa Associação. Teremos um processo de continuidade da atual diretoria, com a indicação do presidente José Donato para permanência no cargo, e a renovação de um terço dos membros da atual Diretoria. Tivemos chapa única neste processo eleitoral, o que reforça a crença de estarmos no caminho certo, ao mesmo tempo em que aumenta nossa responsabilidade em correspondermos ao voto de credibilidade que o associado nos dá, com trabalho e muito trabalho. Esta nova Diretoria terá a mesma determinação e disposição da atual, porém com forças renovadas para enfrentar os desafios do próximo triênio.

Nossa mensagem final é de agradecimento a todos que estiveram conosco nestes três anos, trazendo apoio, críticas e sugestões, e rendemos nossa homenagem aos nossos associados e funcionários, com orgulho e gratidão pelo apoio que nos deram e o privilégio de poder representá-los neste triênio que se encerra. Um abraço fraternal.

04


05


Editorial

O

s investimentos em tecnologia que a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando vem fazendo nos últimos anos vão garantir, a partir de 2011, uma comunicação mais rápida e segura entre a entidade e seus associados. No primeiro semestre do ano já estará em funcionamento o sistema de comunicações eletrônicas, batizado de WEB Associado. Utilizando essa nova ferramenta, o criador não precisará mais sair do escritório ou da fazenda para enviar as comunicações de nascimento e de cobrição de seu rebanho, além de uma série de outros serviços. Tudo de forma rápida, segura e sem custo. O sistema irá permitir ainda que a conclusão dos processos seja mais ágil. Esta edição da revista O Girolando destaca como está sendo desenvolvido o sistema “WEB Associado” e quais serão os benefícios para os criadores. No próximo ano, também haverá mudanças no Serviço de Controle Leiteiro da raça Girolando. Para garantir melhor atendimento ao associado e maior confiabilidade dos dados fornecidos, a Associação realizou em outubro o 1º Workshop do Programa de Melhoramento Genético da Raça Girolando e Encontro de Controladores de Leite. O evento contou com a participação de técnicos de todo o Brasil. Em 2010, a raça mostrou que realmente está em expansão. O número de exposições ranqueadas é cada vez maior. Nesta edição publicamos os resultados das últimas feiras do ano. Entre elas está a Feileite, cuja presença da raça Girolando cresceu quase 30% em relação ao ano anterior. Na parte de produção, você vai conferir um artigo sobre o uso da Somatotropina Bovina Recombinante (BSTr) em vacas em lactação, biotecnologia utilizada para aumentar a produção. Esta é uma alternativa bastante interessante para a produção leiteira, porém o produtor deve fazer uma avaliação dos seus animais e de sua propriedade antes de começar a usar essa ferramenta. Já a equipe da Embrapa Gado de Leite aborda as pesquisas sobre marcadores moleculares envolvidos com a produção de leite em animais do Teste Progênie da raça Girolando. Outros assuntos desta edição são: as oscilações do mercado de lácteos, a higienização do equipamento de ordenha e tanque, desafios da nova bancada ruralista após as eleições deste ano. E falando em eleições, os associados da Girolando foram às urnas escolher a nova diretoria. O atual presidente José Donato Dias Filho foi reeleito. Um final de ano de muitas bênçãos. Larissa Vieira Editora

Comprei três novilhas prenhes e uma bezerra, todas Girolando sem registro. Não sei que percentual de cruzamentos elas possuem entre as raças. Como funciona o registro de animais nessa situação e como posso adquirir sêmen de boa qualidade para futuras inseminações? Moro em Atibaia (SP) e sou criador de mangalarga marchador, mas apareceu um negócio nesses animais descritos e achei que valia iniciar, mesmo sabendo que não é a forma ideal. Tenho todas as dúvidas sanitárias e de cruzamentos de qualquer novato. Onde posso obter material de estudo e orientação correta na minha região? Hélio Carvalho Hélio, Para que se inicie um processo de criação de animais Girolando, é necessário que seja solicitada a visita de um técnico para proceder a inspeção e o registro desses animais na categoria Cruzamentos sem controle de genealogia, ou seja, os animais são registrados como LIVRO ABERTO. Já a continuação do processo visando a formação do Girolando (5/8 e PS) é realizada mediante direcionamento dos acasalamentos desses animais, de acordo com o grau de sangue, com touros registrados (inseminação ou monta natural), com a realização das comunicações de cobertura e nascimento, respectivamente, para que os produtos já sejam registrados como Cruzamentos sob controle de genealogia (LIVRO FECHADO). A primeira parte do processo pode ser realizada sem associar-se à Girolando, porém as taxas para associados são 50% mais baratas do que para não associados. Caso seja solicitada a visita técnica, o senhor pode se associar no ato da visita, pagando a taxa única. Já para a compra de sêmen, aconselho que o senhor entre em contato com uma central de inseminação e solicite o representante mais próximo para atendê-lo. Estou escrevendo um trabalho de graduação da Faculdade de Tecnologia de Mococa - Fatec - e gostaria de tirar uma dúvida sobre o gado Girolando. É admitido somente o 5/8 para ser considerado Girolando ou o gado f1 3/4 também é considerado? Vanessa Vanessa, Ambos os graus de sangue são considerados Girolando, porém existem duas categorias de registro: a categoria CCG (Cruzamento sob Controle de Genealogia), e a categoria PS (Puro Sintético). A categoria CCG é para animais Girolando de 1/4 Hol + 3/4 Gir a 7/8 Hol + 1/8 Gir. A categoria PS é exclusiva para animais 5/8, provenientes do cruzamento de touro 5/8 com vaca 5/8, ou seja, o Girolando 5/8 Bimestiço. Nosso objetivo é chegar ao PS, mas, para isso, temos que realizar vários cruzamentos até lá, sendo o 1/2, 1/4 e 3/4 alguns destes possíveis cruzamentos.

EXPEDIENTE: Revista O Girolando - Órgão Oficial da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando - Editora: Larissa Vieira - revistagirolando@yahoo.com.br - Depto. Comercial: Mundo Rural (34) 3336-8888, Míriam Borges (34) 9972-0808 e Walkiria Souza (35) 9135-6360 - ogirolando@mundorural.org - Design gráfico: Jamilton Souza - Arte Finalista: Leandro Vitalino - Fotos: Jadir Bison e Ronaldo Luiz - Revisão: Maria Rita Trindade Hoyler - Conselho editorial: Leandro Paiva, Fernando Brasileiro, Milton Magalhães, José Donato Dias Filho, Maria Inez Cruvinel, Mauricio Silveira Coelho, Miriam Borges - Impressão CTP: Gráfica 3 Pinti (34) 3321-6666 - Distribuição gratuita e dirigida aos associados da Girolando, Assogir, ABCGIL e órgãos de interesse ligados à cadeia produtiva de leite. - Redação: Rua Orlando Vieira do Nascimento, 74 - CEP: 38040-280 - Uberaba/MG - Telefax: (34) 3331-6000 Assinaturas: ogirolando@ mundorural.org - Telefax (34) 3336-8888 - Walkiria Souza

06


07


Entrevista

10

Rodolfo Tavares

Política Os desafios da bancada ruralista em 2011

Girolando Marcadores moleculares envolvidos com a produção de leite em animais do Teste de Progênie da raça Girolado

Matéria de capa Girolando investe nos serviços on-line

38

Eleições Associados elegem nova Diretoria

08

48

14

20


09


Rodolfo Tavares

Presidente da Faerj (Federação de Agricultura, Pecuária e Pesca do Rio de Janeiro)

para a pecuária leiteira

D

e olho nos consumidores de todo o mundo que irão desembarcar no Rio de Janeiro para as Olimpíadas e Copa do Mundo, os produtores rurais fluminenses já trabalham para aumentar a produção de leite dentro dos padrões internacionais de qualidade. O governo estadual tem a audaciosa meta de saltar a produção de leite de atuais 600 milhões para um bilhão de litros/ano nos próximos quatro anos. Para o presidente da Faerj (Federação de Agricultura, Pecuária e Pesca do Rio de Janeiro), Rodolfo Tavares, este é um desafio que a cadeia produtiva do leite fluminense está disposta a aceitar. A entidade tem trabalhado em conjunto com o governo estadual e outros órgãos, desenvolvendo projetos para a melhoria da qualidade genética do

10

rebanho e do leite produzido. Além de presidir a Faerj e o Sebrae-RJ, Tavares é produtor rural. Em entrevista à revista O Girolando, ele fala sobre o crescimento da pecuária fluminense, dos projetos para melhorar a qualidade do leite, sobre a raça Girolando e quais serão as principais reivindicações da Faerj junto aos governos estadual e federal em 2011. O Girolando - A pecuária do Rio de Janeiro tem maior enfoque na produção de leite. Qual a contribuição do setor para a economia fluminense? Rodolfo Tavares - A pecuária de leite do Estado do Rio cresce pouco se comparada com dados nacionais, de acordo com o Diagnóstico da Pecuária de Leite, produ-


zido em 2009. No intervalo entre 2002 e 2008 o Rio de Janeiro obteve variação positiva de apenas 6%, enquanto o Brasil teve 27,4% no mesmo período. Entretanto, este quadro não desmotiva a classe produtora, que vem melhorando seu padrão gerencial e tecnológico, principalmente com a adoção do Programa Balde Cheio em mais de 70 municípios do Estado. O Girolando - Como o senhor vê o crescimento da raça Girolando no Rio de Janeiro? Rodolfo Tavares - É uma raça que tem grande importância no desenvolvimento da pecuária de leite, devido às suas características de alta produção de leite, aliadas à adaptabilidade ao clima e à topografia do Estado do Rio de Janeiro. O Girolando - Dados do governo estadual revelam que nos últimos dois anos os investimentos no setor foram de R$ 153 milhões, com meta de saltar de 600 milhões para um bilhão de litros/ano, e de três mil novos empregos para 20 mil até o fim dessa nova gestão. Essa é uma meta com real possibilidade de ocorrer? Rodolfo Tavares - Planejamento para tanto não falta. A Faerj realizou em 2008, juntamente com Sebrae, Fundação Getúlio Vargas, Secretaria de Estado de Agricultura, Senar e Emater, o Planejamento Estratégico do Agronegócio Fluminense, que pautou a agenda de trabalho da Secretaria de Estado de Agricultura e Faerj, ao longo dos anos. O PEA motivou inúmeros projetos, tais como a Patrulha Mecanizada, o Rio Genética, a ampliação do Balde Cheio para técnicos da Emater-Rio e muitas outras ações. Quase dobrar a produção de leite do Estado é um desafio, mas que estamos dispostos a aceitar. O Girolando - O Estado tem atraído novas empresas do setor lácteo em decorrência da redução da carga tributária. Essa nova realidade de mercado tem beneficiado o produtor rural? Rodolfo Tavares - Sim, a instalação de novas plantas industriais de empresas como a Nestlé, Marília, Leite Bom/Parmalat e Bom Gosto, nas principais regiões produtoras, trará benefícios imediatos ao produtor, pois o aumento da concorrência no mercado interno tende a melhorar o poder de barganha do produtor. Além da instalação de novas plantas contamos que o incentivo fiscal irá promover a modernização e o aumento de capacidade industrial das cooperativas do Estado do Rio de Janeiro. O Girolando - No Planejamento Estratégico do Agronegócio Fluminense, elaborado pela Faerj e outras entidades há dois anos, os obstáculos apontados no setor pecuário foram: tributação; baixa rentabilidade; reduzido número de técnicos treinados; transferência de tecnologia. O que avançou, desde então, para solucionar esses problemas?

Rodolfo Tavares - Os problemas levantados no PEA de 2008, como já havia comentado, foi a pauta de trabalho da Secretaria de Estado de Agricultura e da Faerj. A carga tributária do leite foi zerada, a ampliação do quadro de técnicos da Emater foi resolvida com um concurso público no final de 2009, e a cada semestre cerca de dez técnicos da empresa são selecionados pelo Balde Cheio para se capacitarem no processo de transferência de tecnologia. A Faerj atende hoje cerca de 200 produtores de leite no âmbito do programa Gerenciamento de Propriedades Leiteiras / Balde Cheio, em parceria com o Sebrae-RJ, ou seja, é um longo caminho, mas já estamos adiantados. O Girolando - O Rio terá pela frente a organização de dois grandes eventos esportivos: Olimpíada e Copa do Mundo. De alguma forma, esses investimentos que serão aplicados no Estado poderão refletir positivamente no agronegócio? Rodolfo Tavares - Os dois grandes eventos esperados para os próximos anos resultarão no aumento do consumo e principalmente na exigência de maior qualidade dos produtos. O Senar-Rio, instituição do Sistema “S” responsável pela formação profissional rural e ligada à Faerj, já vem trabalhando fortemente com a classe produtora com programas de monitoria da qualidade do leite e boas práticas. O Girolando - Quais serão as principais reivindicações da Faerj junto aos governos estadual e federal em 2011? Rodolfo Tavares - Vamos focar as reivindicações em quatro pontos principais. Primeiro: conclusão dos benefícios viabilizados pelo Programa de Incentivo à Pecuária de Leite no Estado do Rio de Janeiro e a manutenção da legislação tributária para o leite; Segundo: Ampliação do Programa Balde Cheio, em parceria com Sebrae e Embrapa e com os programas estruturantes da Secretaria de Agricultura, tais como Rio Genética e Rio Rural; Terceiro: Aprimoramento da Legislação de Incentivo à Preservação Ambiental para ampliar as possibilidades de prestação de serviços ambientais por parte do produtor rural; e Quarto: Persistir na reestruturação do Sistema Cooperativo e de fomento à Pecuária de Leite, na busca da meta de produzir um bilhão de litros de leite ao ano. O Girolando - Quais os projetos da Faerj para 2011? Rodolfo Tavares - A Faerj é parceira da Embrapa Pecuária Sudeste na execução do Programa Balde Cheio, em nosso Estado, tendo sido o 3º estado brasileiro a implantar a capacitação de técnicos em transferência de tecnologia em produção intensiva de leite. Em 2011 serão mais de 300 produtores atendidos em 70 municípios e 80 técnicos em processo de capacitação, além da participação da OCB-RJ/Sescoop-RJ no atendimento de mais 100 produtores filiados às cooperativas do Estado.

11


Rafael Ribeiro de Lima Filho Zootecnista Scot Consultoria

BOA DEMANDA DEU SUSTENTAÇÃO AO MERCADO DO LEITE

O

preço do leite subiu, em média, 2% no pagamento de novembro, que remunera a produção de outubro. Considerando a média ponderada nacional, o produtor recebeu R$0,718/litro pelo leite. Este valor é 11% maior que o verificado no mesmo período do ano passado. Entretanto, o custo de produção, este ano, é aproximadamente 5% superior ao de 2009. No Sudeste e Centro-Oeste o volume de leite captado em outubro aumentou entre 3% e 8% frente ao mês anterior. Em Minas Gerais houve alta de 0,6% no preço do leite ao produtor em relação ao pagamento de outubro. O leite ficou cotado, em média, em R$0,738/litro no estado, variando entre R$0,566 e R$0,839 por litro, conforme volume e qualidade do leite produzido. Para o próximo pagamento, 70% das empresas falam em estabilidade de preço. O bom ritmo das vendas pode ser interrompido pelas festas de final de ano. No mais, a produção deve aumentar de forma mais significativa daqui para frente. Em São Paulo o produtor teve reajuste de 1,6% no preço do leite entregue em outubro, pago em novembro. O leite no estado segue como o mais caro no país, por volta de 8% acima da média Brasil. No mercado spot (leite comercializado entre as indústrias) a procura aumentou e a maior concorrência refletiu em alta de 18% em três meses. Em novembro, o preço médio em São Paulo ficou em R$0,86/litro, com negócios em até R$0,95/litro (preço bruto, posto fábrica). Para o próximo pagamento, a tendência é de estabilidade em mais de 85% dos laticínios consultados. Dessa forma, a alta do leite foi em função, principalmente, da maior demanda e reajustes na ponta final da cadeia. Na região Sul, exclusivamente, houve atraso na implantação das pastagens de verão e a oferta de leite diminuiu. Com isso, as cotações subiram.

12

No mercado spot (leite comercializado entre as indústrias) a boa procura refletiu em alta de preços. A terceira consecutiva. Considerando a média ponderada de São Paulo, Minas Gerais e Goiás, os negócios em novembro ocorreram em R$0,82/litro, variação de 7,5% em relação ao mês anterior. No próximo mês, o pagamento do leite cota ou “excesso” deve entrar em vigor. MAIS UM MÊS DE ALTA PARA OS PRODUTOS LÁCTEOS As recentes altas de preços dos produtos lácteos no atacado e varejo deram sustentação ao mercado do leite, mesmo diante do aumento da oferta de matéria prima para os laticínios em outubro e novembro. Na indústria os reajustes foram menores. O preço do leite longa vida integral (UHT) subiu 1,7% em novembro, na comparação com o mês anterior. A cotação atual do produto, R$1,73/litro, está 32% maior que o verificado no mesmo período do ano passado. No varejo, a boa demanda refletiu em alta de preços para os principais produtos. Em novembro, o consumidor pagou 8% mais pelo litro do longa vida em relação a outubro. Na comparação com novembro de 2009, o UHT está 30% mais caro em São Paulo. O destaque, no entanto, ficou com os queijos que subiram 12%, em média, neste segundo semestre. Por fim, com o início das férias e festas de final de ano é esperado que o consumo, em especial pelos leites fluidos, diminua. Este fato pode tirar a sustentação do mercado, já que a oferta de leite deve ser crescente daqui para frente. EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DE LÁCTEOS Em outubro, de acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), analisados pela Scot Consultoria, as exportações brasileiras de lácteos somaram 5,56 mil toneladas e um faturamento de US$13,57 milhões. Em relação a setembro houve queda de 11,5% no faturamento e 12,5% no volume embarcado. As importações também recuaram, porém menos que as vendas ao exterior. O país comprou US$20,03 milhões em produtos lácteos, num total de 6,06 mil toneladas. No acumulado do ano, janeiro a outubro, o déficit da balança comercial brasileira do setor de laticínios é de US$117,40 milhões. Dentre os fatores responsáveis pela redução nas exportações podemos destacar o próprio preço dos produtos lácteos no mercado internacional, o câmbio desfavorável (real valorizado) e até mesmo a qualidade do produto brasileiro. O Brasil deve fechar mais um ano no vermelho.


13


desafios Os

da bancada ruralista em 2011

O

Eles terão o reforço de ferrenhos defensores do agronegócio, como os ex-governadores Blairo Maggi (PR), de Mato Grosso; Ivo Cassol (PP), de Rondônia; e Luiz Henrique da Silveira (PMDB), de Santa Catarina. A senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS) e o deputado Irajá Abreu (DEM-TO), filho da presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), senadora Kátia Abreu, são outros eleitos que se juntarão à bancada ruralista em 2011. Para o deputado federal Marcos Montes, a luta pela valorização do campo, pelo desenvolvimento sustentável e pela qualidade de vida no meio rural vai continuar pautando os trabalhos da bancada ruralista. “Os deputados e senadores eleitos chegam à bancada garantindo a continuidade do trabalho pela defesa do agronegócio, pela conscientização da sociedade, pela garantia de renda ao produtor, pela segurança no campo”, diz Montes. A Frente Parlamentar da Agropecuária vem discutindo desde o início de novembro a agenda legislativa para o ano que vem. Segundo o coordenador da Frente, deputado Moreira Mendes (PPS-RO), o tema central a ser debatido com o governo para a próxima legislatura é o endividamento do setor rural. Outro tema que pode fazer parte da agenda dos ruralistas no próximo ano é a reforma do Código Florestal, caso não seja votada ainda em 2010, como querem os ruralistas. Os ambientalistas trabalham para adiar a votação do relatório do deputado federal Aldo Rebelo, para o próximo ano. Traçado o quadro político para 2011, os parlamentares trabalham agora para definir quem será o novo líder da bancada ruralista. A presidente eleita, Dilma Rousseff, anunciou que o atual ministro da Agricultura, Wagner Rossi, continuará no cargo. Em suas primeiras entrevistas após o resultado da eleição, a presidente Dilma afirmou que dará ênfase muito grande ao agronegócio, definido por ela como o “elemento central na competitividade do Brasil no mundo”. Segundo Dilma, o setor não pode sofrer ameaças ao seu desenvolvimento e o crédito rural será ampliado. Sobre as invasões no campo, afirmou que “não basta fazer a reforma agrária. É preciso levar luz elétrica, renda e remuneração para o agricultor familiar”.

Foto: Divulgação

resultado das urnas apontou a reeleição de 60% dos integrantes da bancada ruralista no Congresso Nacional. Dos 241 parlamentares que fazem parte oficialmente da Frente Parlamentar da Agropecuária, 147 foram reeleitos. Entre os que conseguiram nas urnas o direito de continuar atuando na Câmara Federal, figuram deputados federais que destinaram emendas parlamentares para a construção do CCG (Centro de Capacitação Girolando), cuja obra será erguida em Uberaba (MG), pela Associação Brasileira dos Criadores de Girolando. São eles: Abelardo Lupion (DEM/ PR), Aelton Freitas (PR/MG), Antônio Andrade (PMDB/MG), Leonardo Vilela (PSDB/GO), Luiz Fernando Faria (PP/MG), Marcos Montes (DEM/MG), Narcio Rodrigues (PSDB/MG), Paulo Piau (PMDB/MG), Rodrigo Maia (DEM/RJ).

14


15


Wewerton Bibiano R. Rodrigues Foto: Jadir Bison

Zootecnista - PMGG

O uso da Somatotropina Bovina Recombinante (BSTr) em vacas em lactação

A

somatotropina é um hormônio protéico produzido naturalmente pelo próprio organismo, sintetizada e secretada pela glândula hipófise anterior, animal e humana, e os produtos comerciais disponíveis no mercado são provenientes de moléculas sintéticas de somatotropina, produzidas pela técnica do DNA recombinante. O BSTr é umas das principais biotecnologias difundidas e utilizadas em todo o mundo, devido a sua comprovada capacidade em promover aumentos significativos na produção de leite, aumento da eficiência produtiva de vacas leiteiras e, por conseqüência, maior retorno econômico, sem efeitos adversos à saúde animal e humana (CAMPOS, 2008). O uso do BSTr em animais em crescimento ou em lactação afeta muitos processos fisiológicos. Adaptações metabólicas que aumentem quantitativamente a partição dos nutrientes absorvidos de modo a atender a demanda tecidual são o principal efeito do BST. Apesar de não afetar a digestibilidade da matéria seca, da energia, da proteína ou mesmo a utilização de energia para mantença, e parcialmente não afetar a utilização de energia para a síntese de leite, a eficiência de utilização dos alimentos para produção de leite de uma maneira geral é melhorada com utilização do BSTr (REHAGRO, 2003). O aumento na produção com o uso do BSTr tem sido observado em todas as raças e em animais de diferentes potenciais genéticos, sendo a magnitude deste aumento afetada pela qualidade do manejo nutricional (REHAGRO, 2003). O status nutricional da vaca antes e durante o uso do BSTr determina seu efeito sobre a composição do leite. Mudanças na composição do leite em curto prazo, pelo uso do BSTr, ocorrem devido à mobilização corporal de energia e proteína para atender ao aumento na demanda de nutrientes para síntese de leite e seus com-

16

ponentes. Em longo prazo o BSTr não afeta a composição do leite, pois dentro de poucas semanas após o início do uso do hormônio as vacas aumentam o consumo de alimentos e não mais mobilizam reservas (REHAGRO, 2003). O BSTr não faz milagres, simplesmente age direcionando os nutrientes disponíveis no organismo animal para a produção de leite; portanto, é necessário ter alta qualidade de alimentos e excelente manejo nutricional para uma máxima resposta ao uso do BSTr. Existe variação nas respostas ao tratamento com BSTr que podem ser atribuídas a fatores como: dosagem utilizada, manejo nutricional, status nutricional do animal, dias em lactação, número de partos e manejo geral, além de variação individual entre os animais. Como exemplo dessa variação pode-se citar o período inicial da lactação, em que o animal de alto potencial leiteiro não consegue ingerir a quantidade de nutrientes necessária para atender à demanda de produção e, consequentemente, encontra-se em balanço energético negativo, interferindo na resposta ao BSTr em aumentar a produção de leite; em vacas primíparas, a resposta é menor do que a observada em vacas multíparas (FERREIRA, 2002). Mecanismo de ação da somatotropina no metabolismo animal No início da lactação as concentrações de somatotropina endógena, ou seja, produzidas pelo próprio animal, aumentam de forma significativa, com o objetivo de sincronizar as alterações dos vários tecidos do animal, priorizando a lactação, já que a produção de leite está aumentando e o aumento na ingestão de alimento não acontece na mesma proporção. O mecanismo de ação da somatotropina envolve uma série de arranjos no metabolismo do tecido animal, como fígado, músculos e tecido adiposo, alterando a partição de nutrientes e di-


17


recionando maior proporção desses nutrientes à glândula mamária para síntese de leite, causando pequeno aumento no consumo de alimentos. Em outras palavras, a somatotropina estimula a síntese de leite, particionando mais aminoácidos e glicose para a glândula mamária; aumentando, assim, a eficiência biológica e, consequentemente, a produção de leite (SANTOS, 2001). Esses ajustes resultam em menor utilização da glicose pelos tecidos periféricos deixando mais glicose para síntese de lactose pela glândula, aumentando a predisposição da vaca em mobilizar suas reservas corporais para atender a demanda de requerimentos. Esta mobilização de reservas acontece quando a ingestão de alimento é menor que a demanda, tanto pelo baixo consumo voluntário pelo animal quanto pela baixa oferta de alimento ao animal. O emprego de BST também provoca a diminuição na formação de novas reservas adiposas (LUCCI, 1998). A somatotropina age na glândula mamária mediada por IGF1 (fator de crescimento semelhante a insulina), aumentando a capacidade de síntese de leite e a manutenção das células secretoras de leite. Por isso, vacas recebendo tratamento com BSTr aumentam a produção de leite e a persistência de lactação, influenciando, dessa forma, o formato da curva de lactação (RENNO, 2006), como demonstra a FIG.1. As concentrações do IGF-1 estão relacionadas ao balanço energético do animal. Vacas em balanço energético negativo possuem níveis baixos de IGF-1, mesmo em presença de altas concentrações de somatotropina. Já vacas em balanço energético positivo aumentam proporcionalmente suas concentrações de IGF-1, com o aumento das concentrações de somatotropina. Isso explica porque não há resposta ao uso do BSTr em vacas magras, mal alimentadas ou em início de lactação, quando normalmente o balanço energético ainda é negativo (CAMPOS, 2008). O objetivo do tratamento dos animais com BSTr é somar-se à somatotropina endógena, aumentando ainda mais os efeitos em produção de leite, tal como ocorre no melhoramento genético, porém de forma mais imediata. O aumento da eficiência produtiva ocorre devido a melhor conversão do alimento em leite, uma vez que os requisitos nutricio-

nais para mantença não se modificam, havendo, então, uma diluição dos custos de mantença animal. Ocorrerá, sim, um aumento de consumo de alimento, mas este será proporcional ao aumento da produção de leite ocasionado pelo tratamento. A segurança para saúde pública e bem estar animal com o uso do BSTr foi amplamente avaliada por inúmeros trabalhos e pesquisadores, nos quais ficou comprovado que o leite e também a carne provenientes de animais tratados com BSTr são seguros para o consumo humano. As concentrações de somatotropina observadas no leite são muito pequenas e independentes da dosagem recebida pelo animal, porém a ingestão de somatotropina ou BSTr não representa risco à saúde humana. Por ser um hormônio protéico, ele é totalmente degradado pelas enzimas digestivas, tal como a insulina, que pacientes devem receber de forma injetável, caso contrário não possui nenhum efeito (CAMPOS, 2008). A indicação para início do tratamento é a partir da 9ª semana após o parto, com aplicações a intervalos de 14 dias em animais sadios e sob boas condições de manejo, principalmente nutricional, mas a produção de leite só é alterada após algumas semanas de aplicação do BST. Isso se deve ao fato de que para sustentar aumentos significativos na produção de leite, o animal necessita ingerir mais nutrientes, que são particionados prioritariamente à glândula mamária e secretados no leite. Para tal, o animal precisaria aumentar o consumo de alimentos, e enquanto isso não ocorre, ele utiliza suas reservas corporais, ficando em balanço negativo de energia e nitrogênio (SANTOS, 2001). Não existem efeitos negativos inerentes à aplicação do BSTr na reprodução. Esta é mais influenciada pelo aumento da produção de leite e do balanço energético negativo pós-parto. Dessa forma, quando vacas leiteiras são submetidas ao tratamento com BSTr, espera-se máxima resposta produtiva e nenhuma alteração nos índices reprodutivos. As condições para a obtenção desses resultados dependem da habilidade dos especialistas em avaliar o estado nutricional e alimentar dos animais, para que seja proporcionado consumo adequado de nutrientes que sustentem as atividades produtiva e reprodutiva (RENNO, 2006). Considerações finais O uso do BSTr se mostra uma alternativa bastante interessante para a produção leiteira, uma vez que ele aumenta a produção de leite e a persistência de lactação sem causar nenhum prejuízo ao animal. Além disso, os resíduos desse hormônio que ficam no leite não causam nenhum problema à saúde humana. No entanto, o produtor deve fazer uma avaliação dos seus animais e de sua propriedade antes de começar a usar essa ferramenta.

Referências Bibliográficas CAMPOS, B. G. Somatotropina Recombinante: Uma ferramenta para aumento da eficiência produtiva. 2008. Disponível em: <http://www.rehagro.com.br/siterehagro/ publicacao.do?cdnoticia=434>. Acesso em: 1 de junho de 2008. FERREIRA, A. T. et al. Influência da somatotropina bovina recombinante (BSTr), aplicada um dia após o parto, sobre a produção de vacas da raça holandês primíparas. Ciência e Agrotecnologia, Lavras. Edição Especial, p.1568-1574, dez., 2002. LUCCI, C. de S. et al. Emprego da somatotropina bovina (BST) em vacas de alta produção. Braz. J. Vet. Res. Anim. Sci. São Paulo. v. 35, n.1, 1998. REHAGRO. Somatotropina bovina (BST). 2003. Disponível em: <http://www.rehagro.com.br/siterehagro/publicacao.do?cdnoticia=1595>. Acesso em: 1 de junho de 2008. RENNO, F. P. et al. Efeito da somatotropina bovina recombinante (BSTr) sobre o desempenho produtivo e reprodutivo de vacas da raça Holandesa. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia. Belo Horizonte. v.58, n.2, Abr. 2006. SANTOS, R. A. DOS et al. Efeito de diferentes doses de somatotropina bovina (BSTr) na produção e composição do leite. Ciência e Agrotecnologia., Lavras, v.25, n.6, p.1435-1445, nov.dez./2001.

18


19


Marta Fonseca Martins1, Fernanda de Mello2, Jaime Araujo Cobucci3, Isabella Silvestre Barreto Pinto4, Wagner Antônio Arbex1, Marcos Vinícius Gualberto Barbosa da Silva1

Marcadores moleculares envolvidos com a produção de leite em animais do Teste Progênie da raça Girolando Parceria institucional possibilita estudos inovadores com marcadores moleculares na raça Girolando

A

formação da raça Girolando originou-se da busca por cruzamentos que resultassem em maior produção de leite e na adaptação ao clima tropical, a fim de atender a maior demanda do mercado por leite e seus derivados. Nos últimos anos, o avanço das técnicas de genética molecular possibilitou novas alternativas, permitindo analisar a variabilidade expressa fenotipicamente como reflexo da variabilidade genética de cada animal, pela identificação de pontos ao longo do genoma dos animais, tecnicamente denominados de marcadores moleculares. A seleção dos animais assistida por marcadores (SAM) representa importante ferramenta para o progresso genético

20


da bovinocultura leiteira nacional, podendo resultar em melhoria na eficiência produtiva e na precocidade da tomada de decisões quanto à seleção de animais no rebanho. A seleção por meio do perfil genético de cada animal também visa à redução de custos na produção, uma vez que a seleção estaria voltada apenas para animais de alto potencial genético. Entretanto, a integração efetiva de metodologias de marcadores moleculares no contexto do melhoramento genético animal representa, ainda, o principal desafio da área. Conquanto, o emprego de técnicas de genética molecular começa a ocupar espaço em programas de melhoramento genético de bovinos leiteiros como, por exemplo, no Teste de Progênie da raça Girolando, coordenado pela Embrapa Gado de Leite e pela Associação Brasileira dos Criadores de Girolando. O programa de melhoramento dessa raça objetiva, dentre outras metas, a identificação de marcadores moleculares associados às características de produção. Além da utilização para fins de melhoria na produtividade, os marcadores moleculares podem ser utilizados para a rastreabilidade de animais e de produtos, assim como na confirmação da paternidade entre os animais. Evidencia-se, na literatura, grande carência do conhecimento da estrutura genética e natureza das interações gênicas estabelecidas nas raças mestiças adaptadas ao clima e aos sistemas de produção brasileiros, comparativamente ao conhecimento gerado nas raças europeias. Atualmente, os animais da raça Holandesa são selecionados com base, também, nas informações genéticas de diferentes formas de um determinado gene, como, por exemplo, a kappa-caseína, o gene DGAT1 (diacilglicerol O-aciltransferase 1) e o gene OPN (Osteopontina), que são genes associados ao maior rendimento de queijo e à porcentagem de gordura no leite. Paralelamente à seleção tradicional, alguns destes genes (polimorfismos) estão sendo estudados e testados para serem validados também na raça girolando, com vistas à aplicação dos resultados no teste de progênie da raça. Um desses recentes estudos de validação foi conduzido pela Embrapa Gado de Leite em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) com o gene OPN. A proteína codificada por esse gene é encontrada no leite e parece ter importante papel no desenvolvimento das células da glândula mamária dos animais, de maneira que diferentes formas desse gene foram identificadas em ani-

mais das raças Holandesa e Girolando. Na raça Holandesa, algumas formas do gene OPN foram associadas ao maior percentual de gordura e de proteína no leite. Análises realizadas nos animais Girolando participantes do Teste de Progênie, conduzidas pela Embrapa em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mostraram diferença na proporção de distribuição nas diferentes formas do gene OPN. Essa diferença pode indicar uma influência desse gene sobre a produção de leite na raça, ajudando a explicar parte das diferenças de produção entre animais. Entretanto, o estudo de validação nos animais Girolando não detectou associação significativa com a produção de leite. Isto pode ser um indício de maior influência de uma das raças formadoras, Gir ou Holandesa, na genética da raça Girolando. Ainda se fazem necessários novos estudos para analisar a associação do gene com a produção e o percentual de gordura e percentual de proteína no leite, como foi efetuado na raça Holandesa. Resultados como este são de extrema importância para melhorar o conhecimento genético da raça Girolando e são indicativos de que a arquitetura genética da raça começa a ser mais esclarecida, revelando diferenças no controle da característica de produção de leite. O estudo com o gene OPN revelou que a raça Girolando apresenta diferenças genéticas específicas de suas raças formadoras, no que diz respeito à produção de leite, e estas informações precisam ser mais bem conhecidas para promover incrementos no progresso genético dos rebanhos para produção de leite. A detecção na raça Girolando das mesmas formas do gene OPN, associadas à produção de leite na raça Holandesa, revela grande perspectiva na identificação de um marcador molecular associado à maior produção do leite em animais Girolando. Nesta ordem, esse gene poderá ser usado futuramente como marcador molecular pelo programa de melhoramento da raça por meio da seleção assistida por marcadores (SAM). 1Pesquisadores da Embrapa Gado de Leite - Juiz de Fora - MG 2Estudante de Doutorado do Curso de Zootecnia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul 3Professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul 4Bolsista de Apoio Técnico à Pesquisa - BAT II - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - FAPEMIG

21


Controle leiteiro seletivo e tratamento preferencial: prejuízo certo para o rebanho

N

Leandro de Carvalho Paiva Superintendente Técnico

os dias de hoje o controle leiteiro é uma prática comum fala em melhoramento genético e seleção de animais não podemos em boa parte dos rebanhos leiteiros do país, principalmente ficar achando que é ou que não é, temos que ter certeza do que naqueles em que trabalham com muita tecnologia e são exestamos fazendo e, para isso, a correta utilização do controle leiteitremamente profissionais. Mas, infelizmente alguns produtores de ro é de fundamental importância, pois não existe melhoramento ou leite ainda têm certa resistência ao controle leiteiro: a maioria deles seleção sem um bom controle leiteiro. alega que sua utilização exige muita mão-de-obra e trabalho; em O controle leiteiro seletivo é caracterizado pela seleção de alguns casos também dizem que é perda de tempo, e sabemos que alguns animais do rebanho, geralmente somente os melhores, que isso não é verdade. serão submetidos ao controle leiteiro oficial. Quando o criador realiza A utilização do controle leiteiro é inquestionável, pois saessa prática geralmente o que ele quer é não divulgar oficialmente bemos da grande importância desta excelente ferramenta que tem as lactações dos animais que ele considera ser de pior desempenho como principais finalidades: alimentar corretamente os animais produtivo ou, às vezes, não divulgar a média de produção real do com base na produção diária de leite; auxiliar na seleção do rebarebanho, realizando o controle leiteiro apenas de um pequeno grupo nho; descartar animais de menor desempenho; avaliar corretamende vacas que são consideradas as melhores do rebanho. Porém, te as lactações de acordo com os dados obtidos; divulgar dados quando o controle é limitado a um número muito pequeno de anide produção do rebanho a outros criadores e realizar avaliações mais a avaliação do desempenho produtivo fica estimada de forma genéticas. Dessa forma, podemos dizer que sua utilização está direerrada, fazendo com que animais positivos passem a ser negativos, tamente ligada à rentabilidade do rebanho. e vice-versa. O controle leiteiro é realizado por boa parte dos produtores As tabelas abaixo mostram o que o controle leiteiro seletivo de leite em nível de fazenda, sendo as informações para uso interno pode causar aos rebanhos. Na tabela 1, podemos observar as lactada propriedade. Já os produtores de leite ou criadores que particições encerradas, padronizadas em 305 dias, de um rebanho simupam de programas de melhoramento genético e fazem o registro lado com 10 vacas em controle leiteiro, com os respectivos desvios genealógico dos animais, participam do controle leiteiro oficial exede produção em relação à média do rebanho. 100% dos animais do cutado pelas associações de criadores e reconhecido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Esses criadores, além de utilizar as informações nas propriedades, contribuem com os programas de melhoramento genético, e agregam valor aos animais e ao trabalho realizado no rebanho. Alguns criadores que participam do controle leiteiro oficial realizam algumas práticas que são altamente prejudiciais aos rebanhos, sendo o controle leiteiro seletivo e o tratamento preferencial as duas de maior impacto. O criador acha ou tem a ilusão de que essas práticas irão proporcionar alguns benefícios, ficando somente no “achismo”. Quando se Tabela 1 – Produção de leite em 305 dias e desvio em relação à média, de um rebanho simulado com 10 vacas.

22


rebanho foram submetidos ao controle leiteiro. Fazendo uma análise da simulação acima, podemos observar que as vacas L, I, E, G e F tiveram desempenho superior em relação ao restante do rebanho, obtendo desvio positivo para produção de leite em relação à média, que foi de 5.095 kg. Esse exemplo é de um rebanho que realiza o controle leiteiro de todos os animais, não tendo prejuízos com o controle leiteiro seletivo. Na tabela abaixo (tabela 2) podemos observar outro exemplo do mesmo rebanho citado na tabela 1. Porém, nessa nova simulação, em que foi realizado o controle leiteiro seletivo, somente quatro vacas foram submetidas ao controle, ou seja, 40% do total de vacas da simulação anterior.

Tabela 2 – Produção de leite em 305 dias e desvio em relação à média, de um rebanho simulado com 10 vacas, quando somente 4 foram submetidas ao controle leiteiro.

Nesta segunda simulação, as vacas L e I tiveram desempenho superior em relação às vacas E e G, e a média do rebanho subiu para 6.362,50 kg de leite. Comparando as duas simulações podemos concluir que, apesar da média do grupo de vacas controladas ter aumentado para 6.362,50 kg de leite, os prejuízos foram muitos. As vacas E e G, que possuíam desempenho positivo no primeiro exemplo, passaram a ter desempenho negativo na segunda simulação. As vacas L e I tiveram uma redução do desvio de produção de leite em relação à média do rebanho. Dessa forma, todos os quatro animais seriam prejudicados em uma avaliação do seu mérito genético, pois os quatro tiveram redução de desempenho em relação à média, sendo que as vacas E e G seriam as mais prejudicadas por passarem a ter desempenho negativo. Além do prejuízo nas avaliações genéticas, se fosse realizado um descarte de animais de acordo com os dados de produção do controle leiteiro, as vacas que obtiveram desempenho negativo (E e G) seriam descartadas, sendo que quando analisados os dados de todos os animais, como demonstrado na tabela 1,

Controle Leiteiro, principal ferramenta de seleção e orientação ao manejo de animais em rebanhos leiteiros.

23


Tabela 3 – Produção de leite em 305 dias e desvio em relação à média, de uma simulação em um rebanho com 7 vacas, submetidas ao mesmo manejo e nutrição.

Tabela 4 – Produção de leite em 305 dias e desvio em relação à média, de uma simulação em um rebanho com 7 vacas submetidas ao tratamento preferencial.

estas tiveram desempenho positivo e permaneceriam no rebanho. Sem contar que do total de dez animais, seis não tiveram a produção de leite controlada, impossibilitando qualquer tipo de avaliação e análise do desempenho produtivo. Além de prejudicar a correta seleção e descarte, essa prática causaria grandes prejuízos ao programa de melhoramento genético do qual o rebanho participa, pois o modelo animal e metodologia de análise utilizada não conseguem eliminar esses efeitos. Outra prática altamente prejudicial aos rebanhos participantes do controle leiteiro é o tratamento preferencial dos animais. O criador fornece para alguns animais uma condição especial de manejo e nutrição, não levando em consideração somente a produção de leite, mas também a genealogia, características morfológicas, valor comercial do animal e, até mesmo, valor sentimental. O correto é alimentar adequadamente o rebanho de acordo com a produção de leite e, caso seja necessário adotar determinado manejo ou procedimento, que isso seja feito com todos os animais em produção. De acordo com especialistas no assunto, cerca de 70% da produção de leite é obtida através da nutrição e manejo, sendo 30 % obtida através da genética. Sendo assim, qualquer que seja o tratamento que está sendo direcionado a um determinado grupo de animais, poderá afetar de forma significativa a avaliação genética dos rebanhos; consequentemente nos programas de melhoramento genético e seleção, afetando diretamente o teste de progênie de touros e avaliação genética de matrizes. A seguir, podemos observar os prejuízos causados pelo tratamento preferencial, comparando as tabelas 3 e 4.

24

Nesse exemplo (tabela 3) nenhuma vaca recebeu qualquer tipo de benefício em relação às demais. Sendo assim, as vacas A, B e C obtiveram desempenho favorável em relação à média do rebanho. Na tabela 4, simulamos uma situação de tratamento preferencial para quatro animais do exemplo anterior. As vacas B, A, D e E receberam alimentação e manejo diferenciados e cada um desses animais respondeu de forma diferente aos benefícios concedidos. Podemos observar que houve grande diferença nos desvios de produção de leite de cada animal em relação aos desvios obtidos na tabela 3. Algumas vacas foram muito prejudicadas e outras beneficiadas, o que pode ocasionar sérios erros na seleção dos animais e avaliação do rebanho. Todas essas práticas são altamente prejudiciais aos rebanhos. Cabe aos técnicos e criadores a conscientização de realizar o controle leiteiro de forma correta e transparente, para que essa excelente ferramenta de seleção seja aproveitada da melhor forma possível.


25


Feileite 2010

C

om número recorde de inscritos, a raça Girolando participou da quarta edição da Feira Internacional da Cadeia Produtiva do Leite (Feileite), realizada de 9 a 14 de novembro, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo (SP). No total, 368 exemplares disputaram a 17ª Exposição Interestadual de Girolando. Esse número é 26,89% maior que o registrado em 2009. Os animais, que pertencem a propriedades rurais de São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal e Rio de Janeiro, foram julgados nos dias 10 e 11, pelo jurado Euclides Prata dos Santos Neto. O governador eleito do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, conheceu o potencial da raça durante visita que realizou ao estande da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, na Feileite 2010. Ele foi recebido pelo superintendente técnico da entidade, Leandro Paiva, e pelo conselheiro da Associação, Guilherme Marquez. Alckmin, que é produtor rural, tomou conhecimento do trabalho que a Girolando desenvolve em todo o país em busca do melhoramento genético da raça. “Ficamos muitos felizes em recebê-lo, pois além de produtor rural ele é um político que luta e trabalha em prol da pecuária leiteira nacional”, diz Paiva. Nos pregões, a raça também apresentou bom desempe-

26

Governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin, durante visita a estande da Girolando

Jadir Bison

Girolando bate recorde na


27


nho. O Leilão Nação Girolando & Convidados, realizado no dia 10 de novembro, teve faturamento de R$ 480 mil. Ao todo foram vendidos 38 lotes que registraram a média de R$ 12.620,00. Entre as vacas, grandes destaques da noite, a média alcançada foi ainda superior: R$ 17.340,00. O evento, realizado sob a batuta da Embral Leilões, contou com grandes nomes da raça entre seus organizadores, como Tomaz Oliveira, da Girolando Muquém; Maurício Silveira Coelho (Fazenda Santa Luzia); Eugênio Deliberato Filho (Girolando Delib); Agropecuária Boa Fé – Ma Shou Tao e Enéas Rodrigues Brum. Lançamento - Durante a Feileite 2010, houve o lançamento do livro “Girolando – edição Ouro”, escrito pelo ex-superintendente técnico da Girolando e jurado da raça, Celso Menezes, e pelo médico veterinário e pesquisador, Ivan Luz Ledic. A publicação aborda temas sobre a história do Girolando no Brasil desde os primeiros cruzamentos até sua definitiva consolidação como raça sintética brasileira, forjada em dois pilares sólidos: o Holandês e o Gir Leiteiro.

Celso Menezes autografa livro “Girolando - edição Ouro”

Campeões da Feileite 2010 Os diretores da Girolando, Eugênio Deliberato e Jônadan Ma, anunciaram no estande da Associação o resultado dos melhores criadores e expositores da 17ª Exposição Interestadual de Girolando. Veja, abaixo, quais foram os primeiros colocados de cada categoria e o resultado de cada grau de sangue:

28


29


Leandro Paiva, Sérgio Esteves Almeida e José Donato

Arthur Patrus, Euclides Prata e Rodolfo Junqueira

Vinicius Lott (Fazenda Gadouro) e Lúcio Machado (Fazenda do Riacho)

Eugênio Deliberato, Valença e Jônadan Ma

Paulo Melo e Daniela Martins (Java Pecuária)

Newton Ramos e João Magalhães (Girolando Mauá)

Jônadan e Gabriel Heleno Junqueira

Ádamo Gonçalves (Jornal Raízes Rurais), Herbert Siqueira e Wilder Silva (Centrogen)

Adriano Lourenço, Adriana Lourenço, Sérgio Lourenço (Girolando Tremendão) e Germano Teixeira

Bruno Reis (Fazenda Rancho Grande), Gilberto Oliveira e Amauri Pereira (Fazenda Vera Cruz)

Guilherme Marquez (Alta Genetics), Paulo Machado e Roberto Almeida (Fazenda Santo Antônio)

Míriam Gomes (Revista ABCZ), José Suzano (Fazenda São José) e Walkíria Souza (Revista O Girolando)

Otto de Souza Marques (Fazenda Babitonga) e José Donato Dias Filho Presidente da Girolando

30

Rafael Simões (Fazenda Rancho Alegre), Paulo Teixeira e Douglas Reis

Wagner Campos e Mila Carvalho (Fazenda Recreio) e Valério Guimarães (Girolando Itaúna)


EXPOPER

divulga Campeões A XIX Exposição Agropecuária, Comercial e Industrial de Perdizes (EXPOPER) teve 88 animais Girolando em julgamento. A jurada Lilian Jacinto comandou os julgamentos entre os dias 1º e 4 de setembro. Os vencedores deste ano são: Girolando 1/2 Melhor Fêmea Jovem: Guerra Mergulhão Proprietário: David Resende Cortes Propriedade: Fazenda Morro Alto Estado: MG Melhor Vaca Jovem: Adorada Boa Vista Proprietário: Ronan Afonso Borges Propriedade: Fazenda Boa Vista Estado: MG Grande Campeã: Zamboa Nuclear Boa Vista Proprietário: Ronan Afonso Borges Propriedade: Fazenda Boa Vista Estado: MG Girolando 3/4 Melhor Fêmea Jovem: Soraia Curimatá So-Nata Proprietário: Alexandre Honorato Propriedade: Fazenda So-Nata Estado: MG

Melhor Expositor ½: Ronan Afonso Borges Pontuação: 137,83 Propriedade: Fazenda Boa Vista Cidade: Perdizes Estado: MG Melhor Expositor ¾: Sérgio Lourenço Pontuação: 34,66 Propriedade: Fazenda Tremendão Cidade: Uberaba Estado: MG Melhor Expositor 5/8: Sérgio Lourenço Pontuação: 68,32 Propriedade: Fazenda Tremendão Cidade: Uberaba Estado: MG Melhor Criador/Expositor: Ronan Afonso Borges Pontuação: 137,83 Propriedade: Fazenda Boa Vista Cidade: Perdizes Estado: MG

Fator de correção: 1/2 HOL + 1/2 GIR=0,32 3/4 HOL + 1/4 GIR= 0,29 5/8 HOL + 3/4 GIR=0,27

Girolando 5/8 Melhor Fêmea Jovem: Carta 8056 Guima Proprietário: Paulo Henrique Machado Propriedade: Fazenda Pedro Machado Estado: MG Melhor Vaca Jovem: Adorada Newton Alvorada Proprietário: Sérgio Lourenço Propriedade: Fazenda Tremendão Estado: MG Melhor Macho Jovem: Sultão Fire Dona Beja Proprietário: Marcos Amaral Teixeira Propriedade: Fazenda Pão de Açúcar Estado: MG Melhor Criador 1/2: Ronan Afonso Borges Pontuação: 175,27 Propriedade: Fazenda Boa Vista Cidade: Perdizes Estado: MG Melhor Criador ¾: Paulo Henrique Machado Pontuação: 23,49 Propriedade: Fazenda Pedro Machado Cidade: Perdizes Estado: MG Melhor Criador 5/8: Dagmar de Araújo Coelho Pontuação: 45,03 Propriedade: Fazenda do Beca e Palmira Cidade: Perdizes Estado: MG

31


RESENDE

divulga Campeões

A cidade de Resende (RJ) sediou a 3ª Exposição Interestadual Top Girolando, realizada durante a 43ª Exapicor. O julgamento da raça, feito pelo jurado Limírio Cezar Bizinotto, contou com 216 animais inscritos. Esse número representa um crescimento de 35% em relação a 2009, quando 160 animais participaram do julgamento. A disputa aconteceu nos dias 27 e 28 de setembro. Confira os resultados:

Girolando 1/2 Melhor Fêmea Jovem: Calla FIV 19 Nobre de Naylo Proprietário: Naylo de Souza Propriedade: Fazenda Vista Alegre Estado: SP Melhor Vaca Jovem: Fã Mergulhão Proprietário: Geraldo Antônio de Oliveira Marques Propriedade:Fazenda Estância Bom Retiro Estado: MG Grande Campeã: Serrana Monjolinho Proprietário: Jose Carlos da Mata Propriedade: Fazenda da Mata Estado: SP Girolando 3/4 Melhor Fêmea Jovem:Ondina Babitonga Proprietário: Otto de Souza Marques Júnior Propriedade: Fazenda Babitonga Estado: RJ Melhor Vaca Jovem: Letícia Windstar de Naylo Proprietário: Jandira Alves de Souza Propriedade: Fazenda São Sebastião Estado: RJ

Melhor Vaca Jovem: Odara da Centrogen FIV Proprietário: Sérgio Luiz da Silva Porto Propriedade: Fazenda Esperança Estado: RJ Grande Campeã: Odara da Centrogen FIV Proprietário: Sérgio Luiz da Silva Porto Propriedade: Fazenda Esperança Estado: RJ Melhor Macho Jovem: King Frank Dom Nato Proprietário: José Donato Dias Filho Propriedade: Fazenda São Roque Estado: RJ Grande Campeão: Apolo FR recreio Proprietário: Mila de Carvalho Laurindo e Campos Propriedade: Fazenda Recreio Estado: RJ Melhor Criador 1/2: Naylo de Souza Pontuação: 114,24 Propriedade: Fazenda Vista Alegre Município: Bananal Estado: SP

Grande Campeã: Letícia Windstar de Naylo Proprietário: Jandira Alves de Souza Propriedade: Fazenda São Sebastião Estado: RJ

Melhor Criador ¾: Otto de Souza Marques Júnior Pontuação: 136,26 Propriedade: Fazenda Babitonga Cachoeiras de Macacu Estado: RJ

Girolando 5/8 Melhor Fêmea Jovem: Turmalina FR Recreio Proprietário: Mila de Carvalho Laurindo e Campos Propriedade: Fazenda Recreio Estado: RJ

Melhor Criador 5/8: Nazareth Dias Pereira Pontuação: 376,06 Propriedade: Fazenda Sertão Município: Carmo de Minas Estado: MG

32


EXPO RIO PRETO divulga Campeões

Melhor Expositor ½: José Carlos da Mata Pontuação: 113,40 Propriedade: Fazenda da Mata Município: Pindamonhangaba Estado: SP Melhor Expositor ¾: Otto de Souza Marques Júnior Pontuação: 133,61 Propriedade: Fazenda Babitonga Município: Cachoeiras de Macacu Estado: RJ Melhor Expositor 5/8: Nazareth Dias Pereira Pontuação: 321,75 Propriedade: Fazenda Sertão Município: Carmo de Minas Estado: MG Melhor Criador/Expositor: Nazareth Dias Pereira Pontuação: 321,75 Propriedade: Fazenda Sertão Município: Carmo de Minas Estado: MG

Expo Rio Preto movimenta mais de R$ 12 milhões A 49ª Exposição Agropecuária de São José do Rio Preto, realizada de 7 a 17 de outubro, movimentou mais de R$ 12 milhões em negócios durante dez dias. Mais de dez mil pessoas passaram diariamente pelo Recinto de Exposições Alberto Bertelli Lucatto para acompanhar os julgamentos, passear, participar das palestras, negociar ou para assistir aos shows durante a noite. A Expo Rio Preto sediou a Exposição Interestadual da Raça Girolando. Os julgamentos ficaram a cargo do jurado Jesus Lopes Júnior.

Grande Campeã 1/2: Engenho da Rainha Balada Propriedade: Fazenda Boa Fé Cidade: Conquista (MG) Grande Campeã 3/4: Paloma AAO Propriedade: da Estância Santo Antonio Cidade: Guapiaçu (SP) Grande Campeã 5/8: ICH Gulosa Outside Propriedade: Fazenda Muquem Cidade: Prata (MG)

Fator de correção: 1/2 HOL + 1/2 GIR 0,82

Grande Campeão 5/8: Astro Nordic Tannus Propriedade: Fazenda Machado Cidade: Uberlândia (MG)

3/4 HOL + 1/4 GIR 0,47 5/8 HOL + 3/4 GIR 0,87

33


EXPO MURIAÉ divulga Campeões

A 2ª Exposição da Raça Girolando de Muriaé (MG) contou com julgamento da raça Girolando nos dias 6 e 7 de setembro. A jurada Lílian Mara Borges Jacinto teve a responsabilidade de escolher os grandes campeões de cada grau de sangue entre os 160 animais inscritos. Confira o resultado: Girolando 1/2 Melhor Fêmea Jovem: Patativa 2 Volta Fria Proprietário: Filipe Alves Gomes Propriedade: Fazenda Volta Fria Estado: RJ Melhor Vaca Jovem: Diva Monte Alverne Proprietário: Filipe Alves Gomes Propriedade: Fazenda Volta Fria Estado: RJ Grande Campeã: Bela Modelo JM Monte Alverne Proprietário: Filipe Alves Gomes Propriedade: Fazenda Volta Fria Estado: RJ Girolando 3/4 Melhor Fêmea Jovem: Honra Dimed Volta Fria Proprietário: Luiz Paulo Levate Propriedade: Fazenda Uberlândia Estado: MG Melhor Vaca Jovem: Rainha December Guaçuí Proprietário: Antônio Aloísio de Souza Propriedade: Fazenda Santo Antônio Estado: ES Grande Campeã: Rainha December Guaçuí Proprietário: Antônio Aloísio de Souza Propriedade: Fazenda Santo Antônio Estado: ES Girolando 5/8 Melhor Fêmea Jovem: Garçonete Lagloria Proprietário: Misael Artur Ferreira Varella Propriedade: Fazenda Eldorado Estado: MG Melhor Vaca Jovem: RBC Baunilha Proprietário: Flávio Augusto Rodrigues Propriedade: Fazenda Córrego Fundo Santana Estado: MG Grande Campeã: Itambé do Basa Proprietário: Evandro do Carmo Guimarães Propriedade: Fazenda das Palmeiras Estado: MG

34

Melhor Criador ½: Filipe Alves Gomes Pontuação: 132,91 Propriedade: Fazenda Volta Fria Município: Raposo – Itaperuna Estado: RJ Melhor Criador ¾: Filipe Alves Gomes Pontuação: 101,43 Propriedade: Fazenda Volta Fria Município: Raposo – Itaperuna Estado: RJ Melhor Criador 5/8: Mila de Carvalho Laurindo e Campos Pontuação: 349,11 Propriedade: Fazenda Recreio Município: São José de Ubá Estado: RJ Melhor Expositor ½: Filipe Alves Gomes Pontuação: 277,39 Propriedade: Fazenda Volta Fria Município: Raposo – Itaperuna Estado: RJ Melhor Expositor ¾: Luiz Paulo Levate Pontuação: 154,98 Propriedade: Fazenda Uberlândia Município: Muriaé Estado: MG Melhor Expositor 5/8: Mila de Carvalho Laurindo e Campos Pontuação: 271,48 Propriedade: Fazenda Recreio Município: São José de Ubá Estado: RJ Melhor Criador/Expositor: Mila de Carvalho Laurindo e Campos Pontuação: 271,48 Propriedade: Fazenda Recreio Município: São José de Ubá Estado: RJ Fator de correção: 1/2 HOL + 1/2 GIR=0,50 3/4 HOL + 1/4 GIR= 0,36 5/8 HOL + 3/4 GIR=0,74


35


EXPOCAÇU

divulga Campeões Criadores de Girolando de Goiás e outros Estados participaram de 12 a 19 de setembro da Expocaçu 2010. A feira, realizada na cidade de Caçu (GO), contou com 87 animais Girolando em julgamento. O jurado Juscelino Alves Ferreira comandou os trabalhos na pista para escolha dos grandes campeões. Confira: Girolando 1/2 Melhor Fêmea Jovem: Lili Lagoa Santa Proprietário: Ronie Rodrigues de Freitas Propriedade: Fazenda Regina Estado: GO

Melhor Expositor 5/8: Itamir Faria Valle Pontuação: 207,44 Propriedade: Fazenda Serrinha I Cidade: Itarumã Estado: GO

Grande Campeã: Guitarra do Tiago Proprietário: Tiago Guimarães de Assis Propriedade: Fazenda Caçu Estado: GO

Melhor Criador/Expositor Geral: Itamir Faria Valle Pontuação: 221,98 Propriedade: Fazenda Serrinha I Cidade: Itarumã Estado: GO

Girolando 3/4 Melhor Fêmea Jovem: Preferida Lagoa Santa Proprietário: Ronie Rodrigues de Freitas Propriedade: Fazenda Regina Estado: GO Melhor Vaca Jovem: Mandala Tubarão DV Proprietário: Nilo Alves Ferreira Propriedade: Estância Aurora Estado: MS Grande Campeã: Ciranda do Tiago Proprietário: Tiago Guimarães de Assis Propriedade: Fazenda Caçu Estado: GO Girolando 5/8 Melhor Fêmea Jovem: Bailarina 064 DV Proprietário: Danilo Fernandes Valle Propriedade: Fazenda Cabrito Estado: GO Melhor Vaca Jovem: Brilhante Wordline 340 do Tiago Proprietário: Tiago Guimarães de Assis Propriedade: Fazenda Caçu Estado: GO Grande Campeã: Mandala Shady IT Proprietário: Itamir Faria Valle Propriedade: Fazenda Serrinha I Estado: GO Melhor Criador ½: Fernando Rodrigues Ferreira Leite Pontuação: 35,42 Propriedade: Fazenda São Pedro da Barra Cidade: Padre Bernardo Estado: GO Melhor Criador ¾: Ronie Rodrigues de Freitas Pontuação: 19,51 Propriedade: Estância Aurora Cidade: Paranaíba Estado: GO Melhor Criador 5/8: Itamir Faria Valle Pontuação: 207,44 Propriedade: Fazenda Serrinha I Cidade: Itarumã Estado: GO Melhor Expositor ½: Roberto Assis Peres e Outro Pontuação: 35,42 Propriedade: Estância Berrante Cidade: Jataí Estado: GO Melhor Expositor ¾: Ronie Rodrigues de Freitas Pontuação: 19,51 Propriedade: Estância Aurora Cidade: Paranaíba Estado: GO

36

Fator de correção: 1/2 HOL + 1/2 GIR=0,43 3/4 HOL + 1/4 GIR= 0,17 5/8 HOL + 3/4 GIR=0,27


37


on-line

Foto: Pitty

Girolando investe nos serviços

Em 2011, o associado terá a possibilidade de realizar vários procedimentos, como consultas e envio das comunicações de nascimento e de cobrição, pela Internet. Tudo de forma simples, rápida e segura

O

produtor rural tem utilizado cada vez mais a Internet para deixar os negócios rentáveis e seguros. Sem sair da fazenda, é possível ter acesso a uma série de informações que influenciam na tomada de decisão, como previsão do tempo, cotações de preço de produtos e serviços, informações técnicas sobre a criação ou plantio. Para levar toda a comodidade dos serviços via Internet aos seus associados, a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando lançará, no próximo ano, seu portal de serviços on-line, o “WEB Associado”. Nele, o criador poderá realizar de forma rápida, segura e sem qualquer custo, as comunicações de nascimento, de cobrição ou de morte de animais do rebanho.

38


Atualmente, a única forma de fazer as comunicações é utilizando formulário de papel, que, depois de preenchido, é enviado à sede da Girolando ou a algum escritório técnico regional da entidade. Depois que o documento chega à Associação, precisa ser digitado no Sistema de Genealogia e conferido. Só após, caso não haja pendência, os animais são liberados para controle ou registro. Com a versão on-line, esse procedimento será muito mais rápido, pois as comunicações via Internet entrarão no sistema na mesma hora em que forem cadastradas no WEB Associado de qualquer parte do Brasil. A checagem dos dados será feita automaticamente pelo sistema, que informará caso algum dado tenha sido digitado de forma incorreta. O criador conseguirá visualizar no próprio site inconsistências, pendências e o que será preciso para solucionálas. Essa rapidez no serviço permite a correção dos dados antes da visita do técnico à fazenda. O acesso poderá ser feito de qualquer computador ou celular conectado à Internet. O procedimento é seguro e sigiloso. Como é preciso entrar com a senha para acessar o WEB Associado, somente o produtor ou responsável consegue verificar ou emitir os dados do seu rebanho. Todos os associados ativos receberão login e informações para cadastrar a senha. “Como os dados serão criptografados, interceptar ou invadir a conexão para ter acesso às informações torna-se muito mais trabalhoso, algo quase impossível”, diz o responsável pelo setor de tecnologia da informação da Girolando, Luiz Moura. Os dados exigidos para as comunicações on-line serão os mesmos do formulário de papel. No caso dos animais filhos de touros e fêmeas Gir ou Holandês, será permitida a comunicação on-line, porém o criador deve enviar para a Associação uma cópia do registro genealógico dos pais, quando estes ainda não estiverem cadastrados na Girolando. Vantagens e consultas - O WEB Associado vai oferecer outros serviços, além das comunicações. O associado poderá acompanhar o andamento dos processos, consultar pendências, dados dos animais registrados ou a lista dos exemplares que ainda faltam registrar. Outra vantagem será a otimização dos serviços nas proprie-

dades, pois não será preciso esperar que ocorra o nascimento ou a cobrição de vários animais para enviar as comunicações. À medida que os eventos forem acontecendo, o criador pode acessar o site e enviar os dados. Além da economia de tempo, o associado que optar pelas comunicações on-line terá redução de gastos, já que não precisará comprar mais os blocos de papel utilizados no sistema manual e enviar os formulários via Correios. Uma novidade é que pelo WEB Associado haverá a opção para realizar um novo tipo de comunicação: a de Inovulação, voltada para os procedimentos de FIV (Fecundação in vitro) e TE (Transferência de Embrião). No formulário de papel, o criador comunica a data em que fez a FIV, a TE, e a transferência para as receptoras. A Comunicação de Inovulação será destinada apenas aos dados da transferência para as receptoras. Para implantar o novo serviço foi preciso alterar o gerenciamento do banco de dados da Associação. “Nos últimos três anos, promovemos várias melhorias na área de informática da Girolando, principalmente com a implementação de Sistema Próprio, que tem como objetivo disponibilizar uma estrutura para que todo processo de comunicação e serviços prestados aos associados sejam feitos através da Internet, gerando agilidade e acurácia nas informações processadas”, diz Moura. Intitulado “PureGH-Gestão integrada de animais da raça Girolando”, o sistema é composto por cinco grandes módulos: Reprodutivo, Web Associado, Genealógico, Controle Leiteiro e Teste de Progênie. Ele vai abranger todo o controle de animais que fazem parte do SRGRG (Serviço de Registro Genealógico da Raça Girolando) e do PMGG (Programa de Melhoramento Genético da Raça Girolando). Enquanto o WEB Associado será de uso exclusivo dos criadores, os outros módulos serão de uso interno da entidade, gerando informações necessárias para os serviços on-line. A segunda etapa do WEB Associado, que ainda está em fase de desenvolvimento, permitirá a solicitação de inspeção e registro genealógico do animal via on-line. Com isso, o técnico poderá consultar, pela Internet, as propriedades que terá de visitar e quais serviços precisará realizar nos locais. A previsão é de que todo o sistema seja implantado nos próximos dois anos. Caso o criador prefira, poderá continuar enviando as comunicações de sua propriedade em formulário de papel.

Versão eletrônica da Comunicação de Cobertura

39


Novo sistema de identificação animal Os animais registrados da raça Girolando terão que utilizar, em breve, um novo modelo de brinco de identificação de registro, para atender às atualizações do regulamento do Serviço de Registro Genealógico que está sendo elaborado pelo Conselho Deliberativo Técnico e pela Superintendência Técnica. Assim que definida, essa alteração será submetida ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para aprovação. Segundo o superintendente técnico, o novo modelo de identificação é mais seguro e prático, além de facilitar e agilizar os trabalhos no campo. “Estamos propondo não somente a modificação do sistema de identificação, mas também uma atualização dos certificados de registros, que passarão a ter outras informações de grande importância para o criador, como avaliação genética, produção de leite e resultados em exposições. Este novo regulamento será um divisor de águas para o Serviço de Registro Genealógico da Raça Girolando, pois é um momento de modernização de todo o Departamento Técnico da Girolando”, explica Leandro Paiva. No novo sistema de identificação os animais receberão uma numeração de registro única, válida para todos os graus de sangue, categorias de registros e sexos. Os animais também serão identificados por uma numeração particular de cada criador; este sistema receberá o nome de SIU (Sistema de Identificação Unificado), onde cada criador terá cadastro único de três ou quatro letras. A identificação do SIU será composta pelas letras do criador e pela numeração particular da fazenda na Girolando, o CGN atual. Para a identificação dos animais serão utilizados brincos personalizados, botons de identificação e fotografia. Para que toda a parte operacional do Serviço de Controle de Genealogia e Departamento Técnico de Registro possa executar todas as mudanças propostas, uma equipe técnica da Girolando conheceu o sistema de fabricação de brincos e departamento de logística da Allflex. A visita, ocorrida no dia 26 de outubro, na sede da empresa, em Joinville (SC), foi feita pelo superintendente técnico da Girolando, Leandro Paiva, pelo gestor do Serviço de Controle de Genealogia, Jair Francisco de Morais Júnior, e pelo gerente administrativo, Eduardo Izoldi. O grupo da Girolando foi recepcionado pelo diretor geral da Allflex, Didier Simon, pelo gerente comercial, Amilton Silva, pela responsável pelo Departamento Comercial, Cleusa Regina, pela gerente de qualidade, Helen Maia, e pela gerente de produção, Ana. Todos os anos a Girolando registra 100 mil animais, em média. Responsável por 80% da produção leiteira nacional, a raça vive um momento de forte expansão tanto no Brasil, quanto em outros países. A Associação espera atingir nos próximos meses a casa de um milhão de registros, sendo a entidade das raças leiteiras que mais emite registros genealógicos no Brasil.

40

Associação Brasileira dos Criadores de Girolando Feriados e Recessos de 2011 16/12/2010 a 17/01/2011 de janeiro – Férias Coletivas 02 de março (quarta) – Aniversário de Uberaba (Feriado em Uberaba) 07 de março (segunda) – Recesso Carnaval (Dia do Comerciário) 08 de março (terça) – Carnaval 09 de março (quarta) – Cinzas (Recesso - será compensado) 21 de abril (quinta) – Tiradentes e quinta-feira santa (feriado) 22 de abril (sexta) – Paixão de Cristo (Feriado) 01 de maio (domingo) – Dia Mundial do Trabalho 23 de junho (quinta) – Corpus Christi 15 de agosto (segunda) – Nª. Sra. da Abadia (Feriado em Uberaba) 07 de setembro (quarta) – Independência do Brasil 12 de outubro (quarta) – Nª. Sra. Aparecida 02 de novembro (quarta) – Finados 14 de novembro (segunda) - Recesso (será compensado) 15 de novembro (terça) – Proclamação da República 20 de novembro (domingo) – Dia da Consciência Negra (*) 14 de dezembro (quarta) Encerramento das atividades (Férias coletivas) (*) Somente em algumas cidades.


41


COLOSTRO Marca do Criador De acordo com o Artigo 41 do regulamento do Serviço de Registro Genealógico da Raça Girolando (SRGRG), todos os animais, quando inspecionados pelos técnicos para efeito de registro genealógico, deverão apresentar a marca particular que identifica seu proprietário ou o criatório de origem. A marca pode ser realizada em qualquer região do animal, desde que observada a legislação vigente e os cuidados necessários para manutenção da qualidade do couro. Essa marca permite maior facilidade na constatação do criatório de origem, evitando possíveis erros de identificação. Orientamos a todos que realizem a marcação dos animais antes que os mesmos sejam inspecionados pelos técnicos do SRGRG, conforme consta no regulamento.

Atenção, criadores! Informações importantes! Atualização do regulamento do Serviço de Registro Genealógico da Raça Girolando - SRGRG No mês de julho deste ano, a Girolando passou por auditoria técnico-fiscal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Um dos principais objetivos da auditoria foi avaliar todos os procedimentos realizados para execução do registro genealógico da raça. Praticamente todas as recomendações feitas pelo Mapa já foram executadas, restando somente a atualização do regulamento do SRGRG, que se encontra em fase de elaboração pelo Conselho Deliberativo Técnico (CDT) e Superintendência Técnica da Girolando. Já para a próxima edição do regulamento, estão previstas mudanças importantes no sistema de identificação dos animais em todas as categorias de registro, dentre outras novidades que também serão incorporadas no novo documento. A nova edição do regulamento está prevista para ser divulgada no início de 2011, após a aprovação do Mapa. Regulamento para Participação de Touros e Rebanhos Colaboradores no Teste de Progênie da Raça Girolando A Girolando também vem trabalhando há algum tempo na atualização do regulamento para participação de touros e rebanhos colaboradores no Teste de Progênie. Estão sendo incorporadas no documento todas as mudanças aprovadas pelo CDT e todas as normas referentes ao Fundo de Investimento do Teste de Progênie. O novo regulamento terá validade a partir de 2011, após análise e aprovação do CDT e Mapa. Criado em 2009, pelos proprietários de touros participantes do programa e centrais de inseminação artificial, o Fundo de Investimento tem como principais objetivos contribuir para o crescimento do Programa de Melhoramento Genético da Raça Girolando (PMGG) e para a evolução genética da raça. Vale ressaltar que essas contribuições irão agregar outros recursos disponibilizados pela Girolando ao programa de melhoramento genético.

42 42

Registro Genealógico de Nascimento (RGN) Todos os animais, ao receberem o Registro Genealógico de Nascimento, deverão estar identificados pelo número do RGN, através de marcação, a fogo, na perna esquerda ou através de tatuagem, também na orelha esquerda. Tanto a marcação quanto a tatuagem deverão conter os quatro dígitos do número do RGN e apresentar boa visibilidade. A marcação ou tatuagem pode ser realizada por qualquer pessoa autorizada pelo criador (técnico responsável pelo rebanho, vaqueiro, etc.) ou por ele próprio, antes da inspeção dos animais. Este procedimento permitirá ao técnico do SRGRG uma dedicação maior de seu tempo durante a visita técnica na propriedade, para o fornecimento de orientações e instruções quanto ao trabalho de seleção realizado pelo criador. Caso os animais não estejam corretamente identificados, o técnico deverá proceder à marcação do número do RGN, utilizando boa parte do seu tempo de visita para a realização desse procedimento. ATENÇÃO: Quando for realizar a marcação a fogo ou tatuagem pela primeira vez, entre em contato com o Departamento Técnico da Girolando ou com um técnico de sua preferência e solicite instruções. Utilização das Técnicas de FIV e TE Uma das exigências para a realização das comunicações de cobertura e nascimento das técnicas de FIV e TE é a correta identificação das receptoras utilizadas nos procedimentos, bem como a informação dos acasalamentos utilizados. O número de identificação da receptora deve ser informado tanto na comunicação de cobertura (CDC-FIV/TE) quanto na comunicação de nascimento (CDN), com o objetivo de identificar a receptora que gerou o produto comunicado e controlar o estoque de embriões utilizados. Os acasalamentos também deverão ser informados na CDC. As dúvidas poderão ser esclarecidas junto ao Departamento de Controle Genealógico ou com a Superintendência Técnica da Girolando. A não informação da receptora, tanto na CDC quanto na CDN, impossibilita a liberação do material para controle genealógico dos produtos obtidos através de ambas as técnicas.


Controle Leiteiro Oficial Voltamos a lembrar a todos os criadores e associados da Girolando que a partir de 1° de janeiro de 2011 todos os rebanhos participantes do Serviço de Controle Leiteiro deverão ser submetidos apenas a pesagens de leite realizadas por técnico credenciado pelo Departamento de Provas Zootécnicas da Girolando. O Controle Leiteiro Supervisionado será abolido. Ressaltamos ainda que desde 1º de janeiro de 2010 está disponível a modalidade de Controle Leiteiro Oficial Bimestral (OFB), com pesagens realizadas entre intervalos de 45 a 75 dias, somente por técnico credenciado. Para a nova regra a iniciar-se em 1º de janeiro de 2011, estará disponível o Controle Leiteiro Oficial Mensal (OFC), com pesagens realizadas entre intervalos de 15 a 45 dias e o Controle Leiteiro Oficial Bimestral, já citado anteriormente. Solicitamos desde já a todos os criadores que realizem os procedimentos necessários para as mudanças nos planos de Controle Leiteiro. Dúvidas sobre as novas regras poderão ser esclarecidas junto ao Departamento de Provas Zootécnicas da Girolando. 1º Workshop do Programa de Melhoramento Genético da Raça Girolando e Encontro de Controladores de Leite A Girolando e Embrapa Gado de Leite realizaram em Uberaba, entre os dias 14 e 16 de outubro de 2010, o 1º Workshop do Programa de Melhoramento Genético da Raça Girolando e Encontro de Controladores de Leite, promovido com o apoio da Alta Genetics, Pfizer, ABS Pecplan, Fazu e Ifet Uberaba. Participaram do evento cerca de 60 profissionais de diversas regiões do país, entre representantes de entidades de pesquisa, associações de criadores, técnicos credenciados e prestadores de serviços. Teve como principais objetivos a padronização dos procedimentos para execução das atividades de campo, revisão do regulamento do Serviço de Controle Leiteiro e preparação da equipe de controladores para as mudanças que irão ocorrer a partir de janeiro de 2011, além de discutir diversos assuntos referentes ao programa de melhoramento genético da raça.

guardarem e arquivarem, da melhor forma possível, os certificados de registros. Este é o único documento que realmente comprova a certificação do animal junto à Girolando. Sem sua posse ou apresentação o proprietário poderá encontrar algumas dificuldades quanto a: isenção de ICMS para vendas fora do Estado de origem; identificação dos animais que possuem apenas registro genealógico de nascimento; identificação do rebanho de origem; autorização de transferência de proprietário (ADT) e análise de pedigree do animal. Sendo assim, orientamos os associados que ao adquirirem ou venderem um animal solicitem ou forneçam ao criador o certificado original de registro ou cópia do mesmo, além da ADT, caso não haja nenhum impedimento quanto aos acertos dos valores negociados. Lembrando que somente a identificação do animal através do brinco oficial ou marcação a fogo com o número de registro não garante sua origem. Tanto a identificação quanto o certificado são indispensáveis no processo de registro genealógico, pois um complementa o outro. Leandro de Carvalho Paiva Superintendente Técnico Controle Leiteiro Visite o site da Girolando e confira as novidades da seção Controle Leiteiro. No link “Estatísticas de Controle Leiteiro” você encontrará tabelas que demonstram o histórico do CL e sua evolução.

Comunicações on-line e sistema integrado Está em fase final de construção o módulo Web do Serviço de Registro Genealógico da Raça Girolando, onde os associados poderão fazer as comunicações via Internet, além da execução de outras atividades referentes aos seus rebanhos. O módulo Web proporcionará maior facilidade ao associado, dando-lhe opção de realizar as comunicações e fazer consultas sobre seu rebanho, de qualquer local onde houver disponibilidade de Internet. O novo sistema entrará em fase de teste no final deste ano e provavelmente estará disponível aos associados já no início de 2011. A Girolando também está desenvolvendo um sistema totalmente informatizado e integrado, no qual todas as informações serão arquivadas em um único banco de dados, dando agilidade à execução e melhoria da qualidade de todos os serviços prestados pela Associação, proporcionando melhor atendimento ao associado. Certificado de Registro Genealógico Com o intuito de melhor utilizar e gozar de todos os benefícios que o registro genealógico oferece, alertamos a todos os associados a

43 43


Gestão 2008-2010

Balancete (01/01/2010 a 30/10/2010) Entre os meses de julho e outubro foi verificada redução no resultado do Balancete. Isso ocorreu em decorrência de três fatores: redução na emissão de registros; ajustes no inventário de brincos definitivos; investimentos na área de informática. Receita: Despesas: Resultado:

R$ 3.577.667,64 R$ 3.124.155,32 R$ 453.552,32

Dados dos associados (triênio 2008/2010) Associados ativos em 31/12/2007: Novos associados no período: Desligamento de associados Solicitado: Por inatividade nos últimos três anos: Associados que retornaram ao quadro: Associados ativos em 15/11/2010:

1.423 1.156 196 298 38 2.123

Registros (até 31/10/10)

RGD: RGN: RF: TOTAL:

64.585 16.091 3.109 83.785

Redução de gastos Mudanças no plano de telefonia utilizado pela Associação permitiram a redução em 9% dos gastos com esse tipo de serviço no primeiro semestre do ano. Também foram feitas alterações no sistema de envio de correspondências (passando de sedex para PAC), que permitiram esse mesmo índice de redução de custos em igual período.

44

Férias coletivas No período de 16 de dezembro de 2010 a 17 de janeiro de 2011 a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando não funcionará devido às férias coletivas dos funcionários. As atividades externas serão retomadas a partir do dia 18 de janeiro. Escritório Técnico de Belo Horizonte Concluídos os trâmites jurídicos e administrativos para ampliação da sede do nosso escritório na capital mineira. O projeto para adaptação da nova área – dobro da atual – foi aprovado, e foram contratados os serviços para execução das obras necessárias. O prazo previsto para sua conclusão é final de novembro e o valor, incluindo móveis, está estimado em R$ 45.000,00. O escritório continuará funcionando no Parque das Gameleiras, na mesma rua e no final do mesmo pavilhão. A inauguração deverá ocorrer em dezembro. Parceiros Masters Girolando A Associação Brasileira dos Criadores de Girolando está firmando parcerias com empresas do setor pecuário para ampliar a promoção da raça e da pecuária leiteira em todo o país. Dez empresas atuarão como Parceiras Masters da associação em 2011 nos seus eventos e ações. A lista é composta pelas grandes empresas nacionais e multinacionais: Nutron, Embriosemen Sersia-France, Elanco, Pfizer, Semex, Intervet, CRV Lagoa, GEA Farm Technologies, RealH e ABS Pecplan. Em breve, outras modalidades de parcerias serão anunciadas, para que mais empresas possam participar das ações da entidade.


45


o comeco de uma

nova era O

1° Workshop do Programa de Melhoramento da Raça Girolando e Encontro de Controladores de Leite, realizado durante os dias 14, 15 e 16 de outubro, veio como pontapé inicial de uma nova era do Departamento de Provas Zootécnicas (DPZ) da Girolando, onde se buscam melhorias a cada dia para o crescimento e evolução do Programa de Melhoramento Genético da Raça Girolando (PMGG), pilar de sustentação da raça, pois uma raça não existe sem melhoramento e este não existe sem controle leiteiro e teste de progênie. O ciclo de palestras foi iniciado com a apresentação de toda a equipe do PMGG e dos controladores, visando maior interação entre os mesmos. Fábio Fogaça, gerente de Produtos Leite Importado da Alta Genetics, deu sequência falando sobre classificação linear e provas de touros e como interpretá-las. O superintendente técnico da Girolando, Leandro Paiva, informou aos participantes como está o programa Girolando, as evoluções ocorridas e as metas a serem alcançadas. Outra palestra de grande relevância foi a do coordenador operacional do PMGG, Marcelo Cembranelli, que explanou sobre todos os procedimentos realizados no PMGG e sua utilização na seleção dos rebanhos e importância para o melhoramento genético da raça. Bruno Viana e Wewerton Rodrigues abordaram questões práticas relacionadas ao controle leiteiro e problemas que podem ser encontrados pelos controladores no campo. Em seguida, Jean Oliveira e Mirelly Campos, colaboradores do departamento de processamento de dados do Serviço de Controle Leiteiro (SCL) deram instruções aos controladores sobre como preencher corretamente as planilhas de controle leiteiro e os procedimentos para a inscrição dos rebanhos no SCL da Girolando. Fechando o primeiro dia do evento os participantes tiveram a oportunidade de conhecer as dependências da Alta Genetics em Uberaba, onde foi feito um desfile de touros integrantes da bateria de leite da central, que ressaltou ainda mais as qualidades do touro

46

Girolando. O segundo dia de evento foi iniciado com visita à central de inseminação ABS Pecplan, onde os participantes tiveram a oportunidade de conhecer as instalações da mesma e alguns touros integrantes da bateria leite. O evento contou, também, com a participação de pesquisadores da Embrapa Gado de Leite. Dra. Marta Martins fez sua palestra falando como deve ser feita a coleta de material para a análise de marcadores moleculares e como são feitas as análises dos marcadores, ressaltando a importância desta ferramenta para o PMGG. O pesquisador da Embrapa Gado de Leite e coordenador geral do PMGG, Dr. Marcos Vinicius, abordou em sua palestra os principais pontos das avaliações genéticas e como manejos errôneos adotados por criadores, como tratamento preferencial e controle leiteiro seletivo, podem influenciá-las, causando grande prejuízo aos rebanhos e ao melhoramento genético da raça. Na última parte do dia os participantes tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre o controle estratégico de parasitas internos e externos dos bovinos, através da palestra ministrada pela Dra. Elizangela Guedes, que também relatou sobre os prejuízos econômicos causados pelos parasitas, principalmente pelo carrapato. Em seguida, os controladores aprenderam com a pesquisadora como fazer corretamente a coleta e contagem de carrapatos e coleta de amostras de fezes para a realização do teste de biocarrapaticidograma e contagem de ovos de parasitas intestinais por grama de fezes. Esta prática foi realizada no Campus das Faculdades Associadas de Uberaba (Fazu). Também falou aos participantes do evento, Pablo Paiva, do laboratório Pfizer, que fez abordagem sobre o uso de marcadores moleculares no processo de seleção de gado leiteiro. No último dia os controladores participaram de aulas práticas no Campus do Instituto Federal do Triangulo Mineiro (IFTM), onde puderam esclarecer muitas dúvidas com a equipe Girolando presente, além de serem submetidos a avaliações práticas e teó-


ricas referentes ao Controle Leiteiro Oficial. De acordo com os participantes, o evento foi muito importante para que todos tivessem a oportunidade de esclarecer dúvidas e dar sugestões para a melhoria dos procedimentos realizados em campo, além de proporcionar maior padronização desses procedimentos. Durante o evento, várias sugestões foram dadas e discutidas, visando a atualização do regulamento do Serviço de Controle Leiteiro da Raça Girolando, que será atualizado pelo DPZ e submetido ao Conselho Deliberativo Técnico (CDT) da Girolando e ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), para aprovação. O Encontro contou com a participação de controladores de várias regiões do país, que demostraram muito interesse em participar deste grande projeto que é o PMGG. Foi de fundamental importância o apoio incondicional dos parceiros Alta Genetics, Pfizer, ABS Pecplan, Faculdades Associadas de Uberaba (Fazu) e Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM). A organização e realização do evento ficaram por conta da Girolando e Embrapa Gado de Leite. Durante os três dias a troca de conhecimento foi algo ímpar, em que os técnicos e colaboradores do DPZ sentiram-se motivados a trabalhar mais ainda e tornar possíveis várias melhorias, visto o grande interesse dos controladores. Ao final ficaram as ideias, expectativas e críticas construtivas para uma evolução, e esta já começou. Começou com o aprendizado de todos nós. Agora, é trabalhar e implementar novas ideias, pois juntos faremos um trabalho mais forte e ideal para todos.

de se ter um técnico credenciado realizando o Controle Leiteiro Oficial em sua propriedade, podemos citar: • Não há necessidade de disponibilizar mão-de-obra da fazenda para a execução do serviço; • O controlador é quem faz todas as comunicações das pesagens dos animais à Girolando, tendo contato direto com o Serviço de Controle Leiteiro e Departamento de Provas Zootécnicas; • O controlador é treinado para a execução deste serviço, o que faz com que os dados referentes ao que ocorre com o animal no dia do controle sejam anotados com maior critério, gerando um histórico do animal durante a lactação, o que pode até vir a ajudar o criador em seu processo de seleção no rebanho; • Maior credibilidade das informações disponibilizadas à Girolando e a outros criadores; • Proporciona maior valorização dos dados de produção dos animais e do trabalho de melhoramento genético do rebanho.

Mudanças no Serviço de Controle Leiteiro da Raça Girolando Atenção, criadores participantes do Serviço de Controle Leiteiro (SCL) da raça Girolando: a partir do dia 1º de janeiro de 2011 será extinta a modalidade denominada Produtor Supervisionado, através da qual o produtor realizava as pesagens de leite e as enviava à Girolando, sendo submetidos periodicamente a supervisões realizadas pelo Departamento de Provas Zootécnicas. Com estas mudanças, os criadores deverão procurar técnicos credenciados que efetuem esse serviço em sua região, passando a utilizar somente o controle leiteiro oficial mensal ou bimestral. Os técnicos credenciados para executarem o Controle Leiteiro Oficial da raça Girolando passam por processo de treinamento técnico e reciclagem, visando melhor atendimento ao associado e uniformidade nos procedimentos aplicados em campo. Dentre as vantagens

A relação dos técnicos credenciados no SCL aparece no final desta edição da revista “O Girolando”, com suas respectivas cidades e telefones para contato. Desse modo, o criador poderá escolher o técnico que estiver mais próximo de sua propriedade. O 1º Workshop do Programa de Melhoramento Genético da Raça Girolando e Encontro de Controladores de Leite teve como um dos seus principais objetivos preparar novos técnicos para a execução do Controle Leiteiro Oficial, além de atualizar os conhecimentos e padronizar os procedimentos de campo, visando melhor atendimento ao associado e maior confiabilidade dos dados fornecidos. Essa medida de implantação do Controle Leiteiro Oficial se deve a mudanças futuras que iremos implantar no SCL da Girolando: os controladores não irão somente pesar o leite, mas também coletarão amostras de leite para análise de gordura, proteína, contagem de células somáticas, além da coleta de amostras para análise de marcadores moleculares. Assim, teremos maior segurança na coleta de todos os dados no campo, uma vez que os controladores são treinados pelo Departamento de Provas Zootécnicas para saber toda a metodologia que deve ser executada no controle leiteiro. Anualmente, os controladores passam por reciclagem e atualização técnica para adquirir maior aprendizado e saber o que há de novo no SCL e no PMGG. Ressaltamos aos criadores que, mesmo realizando o Controle Leiteiro Oficial, os rebanhos estarão sujeitos a supervisões periódicas realizadas por técnicos da Girolando.

Aulas práticas e teóricas do 1º Workshop do PMGG

Encontro de Controladores

47


Associados elegem

nova Diretoria O

Pitty

s associados da Girolando foram às urnas no dia 10 de dezembro para escolha da nova Diretoria para o triênio 2011/2013. Concorrendo em chapa única, o atual presidente da entidade, José Donato Dias Filho, foi reeleito. Conforme determina o estatuto da associação, um terço da atual diretoria foi renovado. O pleito aconteceu na sede da Girolando, em Uberaba (MG). Na próxima edição da revista O Girolando será divulgado o relatório da gestão 2008/2010. Confira, abaixo, os integrantes da Diretoria 2011/2013 e dos Conselhos Fiscal, Consultivo e de Representantes Estaduais:

Diretores da Girolando e novos integrantes da chapa eleita em dezembro

48


TRIÊNIO 2011/2013 PRESIDENTE: JOSÉ DONATO DIAS FILHO 1º VICE-PRESIDENTE: FERNANDO ANTONIO BRASILEIRO MIRANDA 2º VICE-PRESIDENTE: MAURÍCIO SILVEIRA COELHO 3º VICE-PRESIDENTE: JÔNADAN HSUAN MIM MA 4º VICE-PRESIDENTE: IVAN ADHEMAR DE CARVALHO 1º DIRETOR-ADMINISTRATIVO: MILTON DE ALMEIDA MAGALHÃES JÚNIOR 2º DIRETOR-ADMINISTRATIVO: ADOLFO JOSÉ LEITE NUNES 1º DIRETOR-FINANCEIRO: MARIA INEZ CRUVINEL REZENDE 2º DIRETOR-FINANCEIRO: EUGÊNIO DELIBERATO FILHO RELAÇÕES INSTITUCIONAIS E COMERCIAIS: JOÃO DOMINGOS GOMES DOS SANTOS CONSELHO FISCAL JERONIMO GOMES FERREIRA SILVIO DE CASTRO CUNHA JÚNIOR MARCELO MACHADO BORGES SUPLENTES CONSELHO FISCAL EDUARDO JORGE MILAGRE JOSÉ ALBERTO PAIFFER MENK LUIZ CARLOS RODRIGUES CONSELHO CONSULTIVO ANTÔNIO JOSÉ JUNQUEIRA VILLELA JOAQUIM LUIZ LIMA FILHO NELSON ARIZA ROBERTO ANTÔNIO PINTO DE MELO CARVALHO RODRIGO SANT’ANNA ALVIM SUPLENTES CONSELHO CONSULTIVO GERALDO ANTÔNIO DE OLIVEIRA MARQUES GUILHERME MARQUEZ DE REZENDE LEONARDO MOURA VILELA RUBENS STACCIARINI TOMAZ SÉRGIO ANDRADE DE OLIVEIRA JÚNIOR CONSELHO DE REPRESENTANTES ESTADUAIS: AL – PAULO EMÍLIO RODRIGUES DO AMARAL AM – RAIMUNDO GARCIAS DE SOUZA BA – JOSÉ GERALDO VAZ DE ALMEIDA BA – LUIZ TARQUINIO DUARTE PONTES BA – JORGE LUIZ MENDONÇA SAMPAIO CE – CRISTIANO WALTER MORAES ROLA DF – DILSON CORDEIRO DE MENEZES DF – EROTIDES ALVES DE CASTRO DF – ISMAEL FERREIRA DA SILVA ES – RODRIGO JOSÉ GONÇALVES MONTEIRO GO – ELMIRIO MONTEIRO MARQUES JÚNIOR GO – JOSÉ MÁRIO MIRANDA ABDO GO – LÉO MACHADO FERREIRA GO – ITAMIR ANTÔNIO FERNANDES VALE MG – ANNA MARIA BORGES CUNHA CAMPOS MG – CARLOS EDUARDO FAJARDO DE FREITAS MG – HORÁCIO MOREIRA DIAS MG – JOSÉ RICARDO FIUZA HORTA MG – JÚLIO CESAR BRESCIA MURTA MG – PAULO HENRIQUE MACHADO PORTO

MG – SALVADOR MARKOWICZ NETO MS – AURORA TREFZGER CINATO REAL MS – RONAN RINALDI DE SOUZA SALGUEIRO MS – RUBENS BELCHIOR DA CUNHA PA – ZACARIAS PEREIRA DE ALMEIDA NETO PB – ANTÔNIO DIMAS CABRAL PB – YVON LUIZ BARRETO RABELO PE – CRISTIANO NOBREGA MALTA PE – ERIBERTO DE QUEIROZ MARQUES PR – ANTÔNIO FRANCISCO CHAVES NETO PR – BERNARDO GARCIA DE ARAÚJO JORGE PR – JOÃO SALA RJ – FILIPE ALVES GOMES RJ – HERBERT SIQUEIRA DA SILVA RJ – JAIME CARVALHO DE OLIVEIRA RJ – LUCIANO FERREIRA GUIMARÃES RO – JOSÉ VIDAL HILGERT SE – LAFAYETTE FRANCO SOBRAL SE – RICARDO ANDRADE DANTAS SP – ADRIANO RIBEIRO DE OLIVEIRA SP – BRAULIO CONTI JÚNIOR SP – DECIO DE ALMEIDA BOTEON SP – EDUARDO FALCÃO DE CARVALHO SP – PEDRO LUIZ DIAS SP – ROBERTO ALMEIDA OLIVEIRA SP – VIRGILIO PITTON TO – ELI JOSÉ ARAÚJO

CanalDeLance.com A nova mania da Pecuária Nacional O que você pode fazer conosco? Leilões OnLine, sem leiloeiro, encerramento eletrônico, Na Zerada do Relógio. Leilões Virtuais com leiloeiro e transmissão ao vivo de estúdio, com encerramento Na Batida do Martelo. Venda Direta de animais - Abra o seu próprio recinto. Transmissões de leilões virtuais ou presenciais, SÓ NA INTERNET. Programa Prélance - Entrevistas com os convidados do seu evento. Comprar em qualquer um de nossos eventos.

E quais as vantagens? O melhor custo x benefício. Divulgação direcionada e objetiva. Estar junto aos maiores criatórios do Brasil. Atendimento OnTime e OnLine por equipe especializada. Qualidade televisiva nas transmissões e o cliente que você precisa. Só clientes cadastrados com perfil financeiro idôneo. CADASTRE-SE. ESTEJA APTO A PARTICIPAR DE TODOS OS NOSSOS EVENTOS. 21 3118-0732 / 21 8888-1141

sac@canaldelance.com msn e skype no site

www.CanalDeLance.com

49


NORMA REGULAMENTADORA DA PARTICIPAÇÃO, DIREITOS E RESPONSABILIDADES DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS CRIADORES DE GIROLANDO EM LEILÕES DA RAÇA 1. FINALIDADE Orientar e fomentar a comercialização do gado registrado pela Girolando, bem como seu estado atual, atestado por vistoria realizada especificamente para o evento. 2. ABRANGÊNCIA A atuação da Girolando limitar-se-á a animais registrados no âmbito da Associação, e o seu grau de envolvimento e comprometimento será determinado a partir das condições estabelecidas nesta norma. Atenderá, também, prenhezes e aspirações, desde que preenchidos os requisitos das normas e regulamentos da Entidade. 3. CLASSIFICAÇÃO Para efeitos desta norma, são considerados dois tipos de leilões: oficiais e homologados, podendo atender as modalidades virtuais, presenciais ou mistos. LEILÃO OFICIAL DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS CRIADORES DE GIROLANDO 3.1 Leilões Oficiais - São aqueles promovidos, organizados e realizados diretamente pela Girolando. 3.1.1 Quanto à Participação – Estará habilitado a participar todo associado que esteja em dia com suas obrigações com a Associação e que oferte animais e produtos que atendam aos requisitos para o leilão em questão, aceite as condições estabelecidas e inscreva os animais dentro dos prazos previstos. 3.1.2 Quanto à Participação Financeira – O ônus e a responsabilidade pela realização dos leilões oficiais são da Girolando. Dessa forma, caberá a ela os resultados financeiros decorrentes, quaisquer que sejam sua natureza. 3.1.2.1 Aos Vendedores e Compradores – Caberá o pagamento das taxas estabelecidas no regulamento e condições determinadas para os leilões. LEILÃO HOMOLOGADO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS CRIADORES DE GIROLANDO 3.2 Leilões Homologados – São aqueles promovidos, organizados e realizados por terceiros, cabendo à Girolando a responsabilidade pela vistoria, seleção e descrição técnica do gado Girolando ofertado. 3.2.1 Quanto à Formalização dos Leilões – Os organizadores, devidamente identificados e qualificados, deverão formalizar pedido à Girolando com a antecedência devida, nunca inferior a 90 dias, especificando a modalidade (virtual, presencial ou misto), solicitando a vistoria e aceitando as condições desta norma. 3.2.2 Quanto à Participação – Os critérios e condições serão definidos pelos organizadores dos leilões. 3.2.3 Quanto à Participação Financeira – Os organizadores serão responsáveis por todos os custos decorrentes da promoção, organização e realização do leilão. Nestes custos devem ser computados as despesas e serviços do(s) técnicos(s) indicado(s) pela Girolando para realizar a seleção e descrição do gado a ser leiloado e

50

o pagamento à Girolando deverá ser efetuado imediatamente após a execução dos serviços. 3.2.3.1 No caso do promotor do leilão ser associado da Girolando, e estar em dia com suas obrigações com a entidade, poderá utilizar uma das formas de pagamento estabelecida pela Associação e gozará ainda do desconto de 50% sobre o valor da taxa especificada no item seguinte. 3.2.3.2 Caberá também aos organizadores o pagamento, à Girolando, pela vistoria, imediatamente após a realização do leilão, com taxa de 1% (um por cento) do valor do faturamento bruto do leilão, considerados os valores informados na batida do martelo. O pagamento da taxa deverá ser acompanhado de um demonstrativo resumido, atestando os valores obtidos. 3.2.4 Comentários de técnicos da Girolando: Nos leilões homologados os técnicos que realizarem os serviços de vistoria poderão atuar comentando os lotes. Neste caso deverá ser acertado diretamente com o técnico. Sugestão de pró-labore. LEILÃO REALIZADO POR ASSOCIADOS DA GIROLANDO 4. Aos associados que desejem realizar leilões em condições diferentes das estabelecidas nesta norma, e promoverem a venda de gado Girolando registrado, poderão explicitar apenas suas condições de filiados à Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, que responde pelas condições dos registros dos animais, na época em que foram realizados. 5. DISPOSIÇÕES GERAIS 5.1 Na análise dos pedidos para homologação, deverão ser consideradas eventuais pendências, sobretudo financeiras, por parte dos solicitantes. A existência de tais situações, sem a devida regularização, será suficiente para indeferimento do pleito. 5.2 A Girolando regulamentará os termos que poderão ser utilizados pelos organizadores dos leilões homologados na divulgação dos eventos. 5.3 A Girolando se propõe a criar na sua revista e no seu site, espaço apropriado para destacar as condições especiais de tais leilões. Haverá normatização específica para tal divulgação. 5.4 A Girolando dará divulgação desta norma, da maneira que julgar mais apropriada, de forma a preservar seus interesses e os da raça que representa. 5.5 Casos omissos ou dúvidas deverão ser dirimidos por uma comissão constituída de, pelo menos, 02 (dois) diretores e do superintendente técnico da Girolando. 5.6 Esta norma foi aprovada pela Diretoria Executiva em 22/09/2010, em sua 300ª Reunião e, eventuais alterações, devidamente avaliadas pelos órgãos apropriados ou comissão especificamente constituída para este fim, deverão voltar à sua apreciação para nova decisão. 5.7 Os leilões a serem realizados durante a MEGALEITE obedecerão condições específicas criadas para o evento. 5.8 A vigência desta norma é a partir da data de sua aprovação.


Cargo e/ou Setor Zootecnista - Superintendente Técnico Méd. Vet. - Coord. Oper. do PMGG e Dep. Prov. Zootécnicas Zootecnista - Téc. PMGG e Dep. de Provas Zootécnicas Zootecnista - Téc. PMGG e Dep. de Provas Zootécnicas Zootecnista - Téc. SRGRG e Superint. Técnico Substituto Médico Veterinário - Téc. SRGRG Zootecnista - Téc. SRGRG Zootecnista - Téc. SRGRG Zootecnista - Téc. SRGRG Zootecnista - Téc. SRGRG Zootecnista - Téc. SRGRG Zootecnista - Téc. SRGRG Médico Veterinário - Téc. SRGRG Eng. Agrônomo - Dep. de Exposições e Ranking

Email lpaiva@girolando.com.br mcembranelli@girolando.com.br bviana@girolando.com.br wrodrigues@girolando.com.br eneto@girolando.com.br calmeida@girolando.com.br foliveira@girolando.com.br jlopes@girolando.com.br jsilva@girolando.com.br jferreira@girolando.com.br lbizinoto@girolando.com.br lfacury@girolando.com.br rribeiro@girolando.com.br salmeida@girolando.com.br

Telefone (34) 3331-6005 (34) 3331-6016 (34) 3331-6017 (34) 3331-6007 (34) 3331-6016 (34) 3331-6017 (34) 3331-6017 (34) 3331-6017 (34) 3331-6017 (34) 3331-6017 (34) 3331-6017 (34) 3331-6017 (34) 3331-6017 (34) 3331-6037

Depto. Administrativo/Financeiro

Eduardo Izoldi José Mauad Edlaine Boaventura Paula de Oliveira Renata Cristina Carolina Castro Tassiana Giselle Jean Carlos Nivaldo Faria Jair Francisco Luiz Fernando

Superintendente Geral Superintendente Administrativo/Financeiro Faturamento Financeiro Contas a Pagar e Grife Secretária da Presidência e Diretoria Secretária da Superint. e Departamento de Jurados Serviço de Controle Leiteiro Expedição de Certificados Controle de Genealogia Tecnologia da Informação - Dep. Exposições e Ranking

eizoldi@girolando.com.br jfilho@girolando.com.br eboaventura@girolando.com.br pgoncalves@girolando.com.br rcarvalho@girolando.com.br / grife@girolando.com.br cteles@girolando.com.br / diretoria@girolando.com.br tsilva@girolando.com.br / djrg@girolando.com.br joliveira@girolando.com.br nfaria@girolando.com.br jjunior@girolando.com.br lmoura@girolando.com.br

(34) 3331-6032 (34) 3331-6006 (34) 3331-6012 (34) 3331-6030 (34) 3331-6018 (34) 3331-6020 (34) 3331-6022 (34) 3331-6015 (34) 3331-6003 (34) 3331-6008 (34) 3331-6029

ETR-BH

André Junqueira Katislene de Oliveira Nilo do Valle

Zootecnista - Téc. SRGRG Secretária Zootecnista - Téc. SRGRG

ajunqueira@girolando.com.br etrbh@girolando.com.br nvale@girolando.com.br

Representante Campo Grande – MS Guarantã do Norte – MT Itarumã – GO Itabuna – BA Ji Paraná – RO Lajinha – MG Lins – SP Maceió – AL Paracatu – MG Salvador – BA

Contato Email Dagmar Ferreira dagmarezende@hotmail.com Heitor Corrêa heitor.cl@bol.com.br Jurandir Ribas ribas.mt@hotmail.com Rubens Assis plantarecolher@uol.com.br Jorge Miranda Guilherme Pereira guilherme@ghpassessoriarural.com José Vitorino Antônio Carlos acarlosbrum@bol.com.br Marcelo Junqueira marcelo.medvet@ig.com.br Domicio Arruda domicioarrudasilva@superig.com.br Ironaldo Monteiro ironaldoam@hotmail.com João Batista joaobmelo@oi.com.br Marcelo Schettini macelovet2007@hotmail.com Nivio Bispo niviovet@hotmail.com

Telefones (67) 9231-7121 / 9679-3440 (67) 9997-8464 (66) 9991-1128 / 9967-5232 (64) 3659-1276 / 9244-2320 (73) 3212-5832 / 8822-4626 (69) 3421-5736 / 9981-6745 (33) 3314-1332 / 9981-8215 (33) 3331-1183 / 9905-6480 (14) 3522-5952 / 9785-1739 (82) 3358-5082 / 9997-0088 (82) 3235-1625 / 8816-9960 (82) 9981-9085 (38) 3671-5750 / 9962-1517 (71) 3115-2728 / 8879-2657

Aracaju – SE Arapongas Brasília – DF Barra do Garças – MT Cacoal – RO Cuiabá – MT Garanhuns – PE Goiânia – GO Gurupi – TO Jataí – GO Novo Mundo – MT Palmas – TO Tomé Açu – PA

Ranilson Cavalcanti Gilmar Sartori Luiz Ricardo Adelino José Pedro Alves Luiz Henrique Igor Cunha Ana Carolina Márcio Antônio Pedro da Silveira Loni Soares Luiz Solano Nicolau Muzzi Rogério Barbosa

(79) 3247-3326 / 9971-1335 (43) 3275-1811 / 9972-7576 (61) 9676-7207 (66) 3401-5787 / 8114-9999 (69) 3225-2942 / 9225-7025 (65) 8138-041 (87) 3761-5486 / 9119-2453 (62) 3249-6343 / 8404-6136 (62) 8420-4540 / 9607-2078 (63) 3312-4591 / 8127-0080 (64) 8402-3918 / 9964-3465 (66) 3539-6103 / 9209-7898 (63) 3215-4178 / 9911-9872 (91) 3734-1558 / 9114-3400

Relação de Núcleos

Depto. Técnico

Nome Leandro Paiva Marcello Cembranelli Bruno Viana Wewerton Resende Euclides Prata Carlos Eduardo Fernando Boaventura Jesus Lopes José Renes Juscelino Ferreira Limírio Bizinotto Lucas Facury Rafael Tavares Sérgio Esteves

Empr. Prest. de Serviços

Associação Brasileira dos Criadores de Girolando

www.girolando.com.br - (34) 3331-6000 (PABX) - Priscila/Daniella

ranilsonrego@yahoo.com.br gilmarsartori@gmail.com lrdecastro@gmail.com adelino.robl@hotmail.com pedromariba@hotmail.com lhvargas@uol.com.br igor@locusgenetica.com.br anakrolcabral@yahoo.com.br mutigor@uol.com.br iatogpi@bol.com.br lonifilho@yahoo.com.br solanoagro@bol.com.br topsemenn@yahoo.com.br samvetilab@bol.com.br

(37) 9964-8872 / (34) 9666-2306 (31) 3334-5480 (31) 9954-7789

51


Leilão Beneficente Boa Fé O Instituto Boa Fé, presidido pelo diretor da Girolando, Jônadan Ma, realizou a segunda edição do seu leilão beneficente. O evento ocorreu no dia 4 de dezembro, em Uberaba (MG), e contou com diversas entidades apoiadoras, entre elas a Girolando. A renda do leilão será destinada à compra de medicamentos oncológicos utilizados no tratamento dos portadores de câncer do Hospital Dr. Hélio Angotti, que atende pacientes de Uberaba e região. Lançamento A Connan - Companhia Nacional de Nutrição Animal - lançou durante a Feileite 2010 novos produtos que complementam sua linha voltada à pecuária leiteira. Dentre eles destacam-se o Connan Leite a Pasto, Connan Leite Lactação Tamponante e o Connan Leite Lactação 42 P. Assim como os outros produtos da empresa, estes são também fabricados sob a tecnologia exclusiva de Polinutriente Aglomerado, onde todos os nutrientes minerais estão contidos em cada microgrânulo, proporcionando maior homogeneidade ao produto, menores perdas por ação do vento e ausência de empedramento. Aniversário O Núcleo dos Criadores de Girolando de Mato Grosso do Sul acaba de lançar sua nova logomarca. A entidade comemorou, em setembro, 10 anos de existência. Como parte dos eventos comemorativos houve durante a ExpoMS uma mostra de animais no Pavilhão do Girolando, no qual foi montado um receptivo para os visitantes. O auge dos festejos ocorreu no dia 12 de setembro, no Tatersal de elite Hélio Coelho, com o Dia do Girolando. O evento teve início com palestra sobre a raça, ministrada pelo médico veterinário e técnico da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, Dagmar Rezende. Em seguida foram feitas homenagens aos fundadores do Núcleo e às pessoas que contribuíram para o crescimento da entidade e da raça no Estado. Entre os homenageados estavam: Antonio Salgueiro, Aurora Real, Hugo Belchior da Cunha, Rubens Belchior da Cunha, Argemiro Hildebrando de França, Denilson Lima de Souza, Reginaldo Piveta, Edneia Zanato, Paulo Bathel, Heitor Correia Lopes, Marcel Cortez, Paulo Henrique Tognini e Dagmar Rezende. Treinamento na Embrapa As novidades das pesquisas na área de qualidade do leite estão sendo apresentadas no dia 17 de novembro, em Juiz de Fora (MG), por pesquisadores da Embrapa Gado de Leite. O “Dia do Leite”, promovido pelo Laboratório de Qualidade do Leite da entidade, conta com a participação dos técnicos da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando Marcelo Cembranelli, Bruno Viana e Wewerton

52

Bibiano Resende Rodrigues. Eles participaram também de um curso de capacitação sobre o Programa de Melhoramento Genético da Raça Girolando. As aulas serão ministradas por pesquisadores da Embrapa Gado de Leite. A entidade é responsável pelas avaliações genéticas dos animais inscritos no programa da Girolando. Segundo o superintendente Técnico da associação, Leandro Paiva, a partir do próximo ano, o curso de capacitação será realizado periodicamente nas sedes da Girolando e da Embrapa Gado de Leite. Perdas A raça Girolando perdeu, neste ano, alguns grandes defensores. O ex-presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, Minoro Hélio Maurício Yamamoto (foto), faleceu no dia 10 de outubro em Uberaba (MG). Ele presidiu a Associação por duas gestões: nos anos de 1991 a 1993 e 1993 a 1995. Outra perda lastimável para a raça foi a de Ivan Teodoro Pimenta, falecido em março. Ele participou da comissão técnica que implantou o Programa Girolando. Os dois deixam um legado de dedicação e amor à raça.

Minoro Hélio Maurício Yamamoto

Agener Alinhada com a estratégia de penetração no segmento de produção hormonal, a Agener União Saúde Animal adquiriu em setembro o Laboratório Tecnopec. Com a compra, a União Química passará a deter o know-how para o desenvolvimento de produtos e distribuição de hormônios como Bioniche Animal Health Canadá Ink e Arsa Argentina. Segundo Merlin Nogueira,diretor operacional da Divisão de Saúde Animal,a compra foi fundamental para garantir o acesso da empresa ao segmento genético, que tem grande previsão de crescimento no ramo veterinário.


Lindomar Rogerio

Reconhecimento O presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, José Donato Dias Filho, e o vice-presidente da entidade, Jônadan Hsuan Mim Ma, receberam o Título de Cidadania Uberabense no dia 13 de setembro, em Uberaba (MG). O título dado ao presidente Donato, que é natural de Bocaina de Minas (MG), é iniciativa do vereador e diretor da Girolando, Marcelo Machado Borges. Já a homenagem ao diretor Jônadan, nascido na capital paulista, foi proposta pelo vereador José Severino Rosa. O Título de Cidadania Uberabense tem como objetivo homenagear pessoas que não tenham nascido na cidade, mas que participam, de fato, do desenvolvimento e do progresso do município.

peã e Melhor Vaca Jovem da 1º Girolando Cruzeiro Show. A feira aconteceu em agosto, na cidade de Cruzeiro (SP). A vaca pertence ao criador Fernando Antônio de Macedo, do Sítio 3 Ypês, localizado em São Paulo, e é filha de um dos reprodutores participantes do 8º Grupo do Teste de Progênie Girolando, cujo resultado das avaliações genéticas será divulgado em 2012. Desde 1997, ano em que o Teste foi criado, 36 touros foram provados e outros 46 animais estão em teste. Sergipe A cidade de Carira (SE) sediou no dia 24 de outubro o 1º Encontro de Criadores de Girolando do Estado de Sergipe. Durante o evento, o superintendente técnico da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, Leandro Paiva, e o vice-presidente da entidade, Fernando Brasileiro, abordaram os avanços da raça no Brasil e as perspectivas de crescimento do rebanho Girolando em Sergipe. O Encontro contou com a presença de criadores da raça e produtores da região.

Lindomar Rogerio

Vereador José Severino e Jônadan Ma

Vereador Marcelo Borjão e Donato

Teste de Progênie Mais uma fêmea, filha de touro do Teste de Progênie Girolando, conquistou prêmio em exposições da raça. Concorrendo entre os animais 3/4 de sangue, Cinderela 3 Ypês sagrou-se Grande Cam-

Exportações O presidente da Girolando, José Donato Dias Filho, esteve em Brasília (DF) onde reuniu-se com o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Wagner Rossi. Durante o encontro, que aconteceu no dia 24 de novembro, o presidente da Girolando falou sobre o projeto do Centro de Capacitação Girolando, que será construído em Uberaba (MG), e sobre o registro de animais da raça fora do país. Outro assunto abordado foi a edição 2011 da MEGALEITE, que acontecerá de 26 de junho a 3 de julho, no Parque Fernando Costa, em Uberaba. Outro compromisso do presidente em Brasília foi na 4ª Reunião Estratégica: Resultados 2010/Perspectivas 2011. Ele participou do evento, realizado no dia 25. Além de definir a agenda futura, a Reunião trouxe um balanço das ações em 2010, como aberturas e reaberturas de mercado, a participação em feiras de alimentos, a organização de missões comerciais e o andamento das negociações sanitárias e fitossanitárias.

53


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS CRIADORES DE GIROLANDO TRIÊNIO 2008/2010 ESTES SÃO OS NOVOS CRIADORES, E ENTIDADES DE CLASSE QUE PASSARAM A INTEGRAR O QUADRO SOCIAL DA GIROLANDO NOS MESES DE AGOSTO, SETEMBRO E OUTUBRO DE 2010. PROP. Nº 6265 6262 6306 6297 6293 6286 6278 6295 6324 6235 6261 6300 6273 6267 6298 6290 6284 6282 6268 6318 6264 6303 6276 6244 6319 6272 6299 6325 6316 6258 6285 6326 6259 6260 6249 6279 6277 6313 6308 6289 6275 6327 6254 6296 6257 6287 6252 6311 6271 6263 6323 6283 6274 6322 6230 6266 6256 6310 6309 6243 6312 6320 6314 6328 6292 6269 6307 6238 6288 6291 6270 6329 6301 6315

54

CRIADOR Adenísio Lemos de Vasconcelos Arildo Pinto da Cunha Armando Cunha Carneiro da Silva Adônis Rosado Antônio José de Souza Alberto Fernandes Gaspar da Silva Alberto Werneck de Figueiredo Baltazar Alves da Silva Carlos Zanovello Carlos Eduardo Dias Cleverson Boechat Tinoco Ponciano Cristiane Pedreira Coelho César Luiz Mendonça Dolor Natalício de Lima Júnior Danilo Carvalho Michelin Deusa Luciana Bortoloto Djalma Vilela de Oliveira Donivaldo Ferreira de Souza Dayane de Moraes Martins Eloisio Fernandes Eduardo Cavalcante Ramos de Carvalho Eriklis Nogueira Elcio Faria Duarte Edmundo Vieira dos Santos Fernando Antônio Ferreira Fernando Augusto Taveira Sandim Francisco de Assis Marques Fernandes Felipe Cury Abrantes Geraldo Antônio Birro Costa Gustavo Gonçalves Romero Hailson Gonçalves de Paula Isabel de Jesus Quina Barreto Israel Badini Júlio César dos Reis Medeiros Neto Jamil Ganan Aley Juliano Araújo Costa Juliano Paolinelli Vaz de Oliveira João Rezende João Carlos Martini João Amaro da Silva Dias João Nilson Pinto de Barros José Alberto Fontana José Anselmo Lopes Cunha José Alberto Ferreira José Carlos Tiol José Carlos Nascimento da Silva José Geraldo Souza Almeida José Wellington Costa Leonardo Balardin Magri Lindaura de Abreu Bonelli Luiz antônio Ribeiro Cavalheiro Luiz Henrique Antunes Lázaro Borges da Silva Mário Gilberto da Fonte Saraiva de Moraes Márcio Geraldo do Amaral Márcio Ziviani Maria Luzia S.Souza / Nildete Maria de J.Borges Marcelo de Mendonça Faria Junqueira Marcos Fernandes Queiroz Nilton Soares Matos Otávio Guimarães Nogueira Paulo Eduardo Franchi Silveira Paulo Emílio Moreira Filho Paulo Abdala Paulo Benedito Rezende Roberto Assis Peres / Outro Rogerio de Melo Figueiredo Rejane Pereira Guimarães Achcar Renato Campanate Bard Ronaldo Coelho Rozeli Aparecida Costa Korkmaz Romero Batista Leite Sônia Costa Corrêa Wagner Santos Dal Bosco

MUNICÍPIO Surubim – PE Belo Horizonte – MG Quissamã – RJ Aimores – MG Unaí – MG Miguel Pereira – RJ Niteroi – RJ Dourados – MS Terra Nova do Norte – MT Caceres – MT Itaperuna – RJ Vitória da Conquista – BA Ituverava – SP Goiânia – GO Birigui – SP Vargem Grande do Sul - SP Pains – SP São Paulo – SP Ibiá – MG Governador Valadares – MG Bom Conselho – PE Campo Grande – MS Teófilo Otoni – MG Patrocínio – MG Governador Valadares – MG Campo Grande – MS Salvador – BA Belo Horizonte – MG Governador Valadares – MG Cantagalo – RJ Jerônimo Monteiro – ES Bicas – MG Macuco – RJ São Paulo – SP Cristina – MG Tupaciguara – MG Belo Horizonte – MG Goiânia – GO São Paulo – SP Rio de Janeiro – RJ Cuiabá – MT Nova Fenécia – ES Santo Antônio de Jesus – BA Miraí – MG Campinas – SP Guarani - MG Salvador – BA Piumhz – MG Sertãozinho – SP Campo Grande – MS Vargem Grande do Sul – SP Terra Nova do Norte – MT Cuiabá – MT Recife – PE Belo Horizonte – MG Belo Horizonte – MG Itatiba – SP Quatis – RJ Cachoeira Paulista – SP Ataléia – MG Rio Novo – MG Franca – SP Muriaé – MG Caratinga – MG Borda da Mata – MG Jataí – GO Sete Lagoas – MG Uberlândia – MG Cantagalo – RJ Divinopolis do Tocantins – TO Juiz de Fora – MG Lagoa da Prata – MG Aquidauana – MS Aracajú - SE

Presidente José Donato Dias Filho 1º Vice-Presidente Fernando Antonio Brasileiro Miranda 2º Vice-Presidente Maurício Silveira Coelho 3º Vice-Presidente Nelson Ariza 4º Vice-Presidente Jonadan Hsuan Min Ma 1º Diretor-Administrativo Milton de Almeida Magalhães Júnior 2º Diretor-Administrativo Maria Inêz Cruvinel Rezende 1º Diretor-Financeiro Marcelo Machado Borges 2º Diretor-Financeiro Eugênio Deliberato Filho Relações Institucionais e Comerciais Carlos Eduardo Ferreira

Conselho Fiscal Guilherme Marquez de Rezende Maria Delcira de Queiroz Alves Silvio de Castro Cunha Júnior Suplentes Conselho Fiscal Eduardo Jorge Milagre Francisco Isidro Dias Pereira Vitor Sérgio de Andrade Acêdo Conselho Consultivo Aldir Henrique Silva Antônio José Junqueira Villela Joaquim Luiz Lima Filho Mário Roberto Ewbank Seixas Roberto Antônio Pinto de Melo Carvalho Suplentes Conselho Consultivo Gabriel Donato de Andrade Inocêncio Gomes de Oliveira José Olavo Borges Mendes Leonardo Moura Vilela Rodrigo Sant’anna Alvim

Membros Conselho Deliberativo Técnico 2008/2010 Euclides Prata dos Santos Neto Miller Cresta de Melo Silva Milton de Almeida Magalhães Neto Ivan Adhemar de Carvalho Filho José Jacinto Júnior Newton Pohl Ribas Valério Machado Guimarães Leandro de Carvalho Paiva Limírio Cezar Bizinotto

CONSELHO DE REPRESENTANTES ESTADUAIS: AL - José Almeida de Oliveira AL - Paulo Emílio Rodrigues do Amaral AM - Antônio de Pádua Carneiro AM - Raimundo Garcias de Souza BA - José Geraldo Vaz de Almeida BA - Luiz Tarquinio Duarte Pontes BA - Marco Antônio Silva Navarro CE - Cristiano Walter Moraes Rola CE - Francisco Feitosa Albuquerque Lima CE - Ronaldo Sérgio Costa Almeida DF - Dilson Cordeiro de Menezes DF - Erotides Alves de Castro DF - Rúbio Fernal Ferreira e Souza ES - Rodrigo José Gonçalves Monteiro GO - Agostinho Omar Guedes GO - Carlos Lania Araújo GO - Elmirio Monteiro Marques Júnior GO - Itamir Antônio Fernandes Vale GO - Leonardo Veloso do Prado MA - José Carlos Nobre Monteiro MA - Júlio Rodrigues dos Santos MG - Frederico de Toledo Sordo MG - Amauri Andrade Pereira MG - José Ricardo Fiuza Horta MG - Luciano Cândido Pereira Neto MG - Mário Valter Mamprim da Silva MG - Paulo Henrique Machado Porto MG - Rafael Tadeu Simões MG - Salvador Markowicz Neto MG - Taylor Dias de Castro MG - Valério Machado Guimarães MS - Orestes Prata Tibery Júnior MS - Ronan Rinaldi de Souza Salgueiro MS - Rubens Belchior da Cunha MT - João Batista de Souza PA - Álvaro Calilo Kzan Filho

PA - Zacarias Pereira de Almeida Neto PB - Antônio Dimas Cabral PB - Yvon Luiz Barreto Rabelo PB - Waerson José Souza PE - Cristiano Nobrega Malta PE - Eriberto de Queiroz Marques PE - Gustavo Alberto Cocentino de Miranda PE - Waldemar de Brito Cavalcanti Filho PI - Antônio José Melo E Silva PI - Merval Neres dos Santos Filho PI - Onofre Martins de Sousa PR - Antônio Francisco Chaves Neto PR - Bernardo Garcia de Araújo Jorge PR - Salvador Rico Filho RJ - Filipe Alves Gomes RJ - Herbert Siqueira da Silva RJ - Jaime Carvalho de Oliveira RJ - Luciano Ferreira Guimarães RN - Haroldo Abuana Osório RN - Marcelo Passos Sales RO - José Vidal Hilgert RO - Márcio Augusto das Neves Silva SE - Julius César Alves Rolemberg Mendonça SE - Lafayette Franco Sobral SE - Ricardo Andrade Dantas SP - Antônio Vilela Candal SP - Bráulio Conti Júnior SP - Eduardo Falcão de Carvalho SP - Fernando José Miranda SP - João Carlos de Andrade Barreto SP - José Alberto Paiffer Menk SP - Luis Roberto Fonseca Ferrão SP - Waldir Junqueira de Andrade TO - Eli José Araújo TO - Rejane Maria Amaral TO - Vandeir Sebastião Vieira


55


56


57


58


59


60


61


62


63


64


65


66


67


68


69


70


71


72

girolando_75_-_web  

Revista da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you