Lembrar | João Reis

Page 1


João Reis nasceu em Lisboa a 15 de Fevereiro de 1899 e faleceu a 02 de Março de 1982. Tendo sido aluno do pai, Carlos Reis, na Escola das Belas Artes de Lisboa, foi um pintor paisagista, Ar Livrista, tardo-naturalista. Esta obra, Velho Atalho (Ericeira), foi adquirida por Dionísio Pinheiro na exposição de pintura de João Reis no Salão Silva Porto, que se realizou de 21 a 31 de Janeiro de 1946, Porto.

Que luminosa safra artística, a de João Reis, este ano! Para ele, a Pintura, não tem intercadências. É uma vocação constante, uma exaltação ansiosa, um trabalho sôfrego a que ele entrega a vida, com as mais duras disciplinas de espírito. Gostaríamos, se possível fosse, que mestre Carlos Reis se reanimasse no seu túmulo, de imortal de glória, para contemplar esta exposição do filho, ardente e exuberante, em que a sua melhor lição, o que havia nele de talento inspirado de certezas, lhes passou às mãos num dom supremo e inalienável. João Reis, (…), não continua, apenas, a obra do pai. Como que a aumenta, a engradece, dando-lhe novos horizontes e outras tantas expressões de arte. Hoje, reverentemente, podemos dizer que João Reis é um artista completo. Não tem uma modalidade plástica, mas todas, o retrato, a paisagem, a marinha – isto tudo numa expressão nitidamente portuguesa. … Com maestria, num alto sentido decorativo, a pincelada fácil, espontânea visibilidade e de efeito, (…). Há uma euforia da natureza, um latejar de seivas, uma luz criadora de alegrias… que João Reis… atira criadoramente para os seus quadros… aquele poente acobreado, batendo na praia da Ericeira, refulgente de púrpuras e deslumbrante de oiros, que parece queimar a retina, dando-nos uma estranha visão levantina. …Em contraste, retalhos de mar cabedelo, onde a tormenta ruge em cóleras lívidas e desgrenhadas. São instantes difíceis de surpreender, e mais difíceis de pintar, mas o artista, vigorosamente, sabe reproduzi-los na sua expressão natural. Diário de Lisboa, 02 de Maio de 1946, in João Reis Retratista e Paisagista na Sociedade de Belas Artes

Velho Atalho, Ericeira, 1925 João Reis (1899 – 1982) Óleo s/ tela 400x470 N. Inv. 0019



Para visitar a exposição online clique no quadrado ou “leia” o Código QR com o seu telemóvel:

Fundação Dionísio Pinheiro e Alice Cardoso Pinheiro Praça Dr. António Breda, 4 3750– 106 Águeda

Email: conservador.museu@ fundacaodionisiopinheiro.pt www.fundacaodionisiopinheiro.pt


Issuu converts static files into: digital portfolios, online yearbooks, online catalogs, digital photo albums and more. Sign up and create your flipbook.