Page 10

A10 | ECONOMIA

Folha de Alphaville

| SEXTA-FEIRA, 11 DE OUTUBRO DE 2013

Em alta Adultos de 20 e poucos anos, moradores do bairro, não querem mais ser funcionários e passam a ser empreendedores

Jovens de Alpha abrem seus negócios Sandro Almeida/ Folha de Alphaville

Ludmilla Amaral cadernoa@folhadealphaville.com.br

C

ada vez mais jovens buscam abrir as suas empresas e se tornam empreendedores mais cedo. De acordo com um estudo realizado pelo Sebrae, hoje existem, no país, cerca de 1,5 milhão de jovens empreendedores de 20 a 30 anos. Destes, 52,6% pertencem à classe média. Segundo o levantamento, as principais razões para se tornar patrão são a possibilidade de atuar fazendo aquilo que gosta, ganhar mais e ter liberdade de horário. Alguns

Leticia vendeu seu carro e passou a dar aulas de inglês para investir na empresa procuram investimentos bancários, outros contam com a ajuda da família e há aqueles que vendem objetos pessoais e economizam cada centavo. Em Alphaville não é diferente. Apesar de muitos jovens adultos herdarem o negócio da família, alguns preferem criar o seu próprio império. Caso da artista plástica Leticia Ferraz, de 23 anos, e do publicitário André Zanuto, de 26 anos. Proprietária da loja virtual Letiz, uma multimarcas de roupa íntima, desde o dia 16 de setembro deste ano, Leticia passou a cogitar a ideia de ter o seu próprio negócio quando tinha 18 anos, mas foi aos 22 quando iniciou os primeiros passos. “Depois de formada,

Tudo o que ganho é investido na empresa. De acordo com nosso plano de negócios, a previsão de lucro está planejada somente para o próximo ano” André Zanuto Empreendedor

fui trabalhar em um projeto chamado Museu Itinerante. Foi nesse trabalho que conheci uma menina que trabalhava com lingerie. Desde então a ideia da Letiz começou a surgir e tomar forma”, conta. Para ela, a maior dificuldade encontrada foram as dúvidas ao longo da primeira fase. “Existiam dias em que eu achava que ia ser um sucesso e outro que eu queria desistir de tudo.” A parte financeira também tirou o sono da jovem

14

ANOS Foi a idade em que o publicitário André Zanuto passou a ser empreendedor. No caso, ele revendia produtos online

empreendedora. Leticia havia acabado de ganhar um carro e o colocou à venda para poder investir em seu sonho. “Já com a ideia de montar um site, fui fazer orçamentos e tudo custa muito mais do que a gente imagina! Foi então que pensei em vender meu carro e vendi. Com o dinheiro, consegui começar e segurar os gastos por um tempo. Comecei também a dar aulas de inglês, o que foi uma ajuda e tanto.” Como o site ainda é muito

ROUPA ÍNTIMA. Leticia abriu sua loja virtual, a Letiz, onde vende lingeries diversificadas

novo, Leticia não consegue viver com o que ganha e ainda precisa dar aulas, mas acredita que em breve poderá dedicar tempo integral para seu negócio. Já André iniciou seus primeiros passos como empreendedor aos 14 anos. “Eu vendi um presente que ganhei pela internet e percebi que poderia fazer disso um negócio. Dessa forma, iniciei a busca de fornecedores para revenda de produtos online”, conta. Aos 17 anos, ele descobriu sua paixão pela área de produção de vídeo e vendeu todo o seu estoque de produtos para comprar equipamentos de vídeo. Ele permaneceu nesta área por cinco anos, que hoje é coordenada por seu irmão. Atualmente, André dirige uma empresa de tecnologia, a Startup Magoo Tecnologia, em que criou a primeira tecnologia 3D sem óculos do mundo, licenciada pela Apple para iPad. “Já estamos vendendo nas maiores redes de varejo de todo Brasil.” Investimento financeiro não foi o grande desafio de André, que recebeu um incentivo de seus pais quando ainda era menor de idade. “Depois que iniciamos, fizemos o crescimento e criação de novas empresas por meio de financiamentos bancários.” Contudo, André ainda não lucra com a nova empresa. “Com a produtora de vídeo, temos um faturamento considerável e seria possível viver com ela. Mas a partir do momento que criei a Magoo, tudo do que eu ganho é reinvestido na empresa. De acordo com nosso plano de negócios, a previsão de lucros está planejada somente para o meio do próximo ano.”

Adil, encarregado de manutenção da CPTM. Por trás da circulação diária de mais de 130 trens, está o trabalho cuidadoso do Adil. Assim como ele, os outros funcionários da CPTM e o Governo do Estado de São Paulo têm o compromisso de tornar o transporte público sobre trilhos mais moderno e eficiente. Porque mais do que ligar 22 municípios paulistas, o trabalho da CPTM é aproximar você de uma vida melhor.

Linha 8 - Júlio Prestes–Itapevi: ƈGDIURWDUHQRYDGDHQWUHJXH ƈ$PSOLD©¥RGDHVWD©¥R2VDVFRHQWUHJXH ƈ5HDGHTXD©¥RGDHVWD©¥R'RPLQJRVGH0RUDHV ƈ1RYDVHVWD©·HV$PDGRU%XHQRH6DQWD5LWD ƈ0RGHUQL]D©¥RGDYLDI«UUHDQRWUHFKRHQWUH,WDSHYLH$PDGRU%XHQR

PALMEIRAS - BARRA FUNDA ITAPEVI

JÚLIO PRESTES

OSASCO

Adil Sene, 38 anos Encarregado de Manutenção

@cptm_oficial

cptm.fanpage

PRES. ALTINO

Conheça outras histórias em gentequemovesp.com.br

CPTM. Levando quem move São Paulo.

Edição 527  
Edição 527  
Advertisement