Page 1

Os 12 Signos do ZodĂ­aco

Trabalho por: Raquel Teixeira Marques


Astrologia Cada ser humano vive limitado a determinadas circunstâncias que se predispõem geneticamente, culturalmente, familiarmente, etc. Como tentativa de resposta ao sentido da vida e às adversidades que esta lhe confere, nasce a Astrologia, que consiste no estudo dos astros (avaliação do macrocosmo) por parte dos homens, como forma de interpretação dos acontecimentos individuais e colectivos num determinado espaço e tempo (considerando ser parte integrante de um todo, microcosmo). Está, portanto, a origem do interesse astrológico na fé do homem em pertencer a algo maior, à divindade e grandiosidade do céu, atribuindo aos astros consoante a civilização, determinadas divindades que “falavam” através dos mesmos. Os primeiros registos sobre a divisão celeste em constelações (com base nas estrelas fixas), zodíacos e efemérides datam os 5000 a 4000 anos a.c. foram concebidos na Mesopotâmia por parte do povo Sumério. Mais tarde no Império Babilónico com os Caldeus, a partir dos zigurates (torres construídas na Babilónia em homenagem aos Deuses), o processo de observação tornou-se cada vez mais sistemático. Para além de se registar os astros visíveis (8 esferas contando com os luminares, planetas até saturno e as estrelas fixas), começaram-se a associar possíveis interpretações a determinado posicionamento, como o desvendamento de uma mensagem divina (o modo como as esferas mexiam com os elementos da Terra. Água, fogo, terra e ar, onde se inclui o ser humano). Este conhecimento foi passando depois de cultura para cultura numa constante de novas descobertas e caminhos por explorar até aos dias de hoje.

2


Como funciona Ptolomeu foi um grande contribuidor para a astrologia e astronomia, sendo que na era em eu viveu (90 d.c), ambos os conceitos se encontravam mesclados. Grego e residente em Alexandria no Egipto, escreveu vários volumes acerca dos temas como o Tetrabiblos, em que esclarece a teoria geocêntrica e a denominação dos corpos celestes visíveis, organizando-os em constelações que se circunscreviam em torno da eclíptica (delineação da rota aparente do sol em torno da terra no movimento de translação). A logica da Astrologia construíu-se a partir da logica astronómica da Terra como noção esférica repartida e fragmentada matematicamente por latitude (a distancia do ponto central de um circulo às suas extremidades) e longitude (ponto definido no equador, linha horizontal traçada ao longo do ponto central do circulo) para definir o ponto de observação.

E, de forma semelhante, o mapeamento do céu observável para definir as condicionantes energéticas de influência para esse mesmo ponto, relacionandoos, através de conhecimentos astronómicos como o efeito de rotação terrestre e o de translacção

3


Para tal imaginou-se uma esfera celeste à volta da Terra onde se “imprimia” a informação do universo (os objectos em si e o seu movimento) que fosse observada a partir da mesma. Com isto concebeu-se a ideia de Zodíaco como um circulo dividido em 12 partes iguais de 30º atribuídas às 12 constelações principais, em que se considerou o grau 0 da primeira coincidente com o ponto vernal. Este mesmo ponto foi reconhecido como momento de intersecção entre a eclíptica e o equador celeste, demarcando o equinócio da primavera.

Zodíacos Ora, com a precessão dos equinócios, o eixo de rotação da terra tem vindo a sofrer um ligeiro declive (que desde a altura de Ptolomeu corresponde a 23,5º), e com este o ponto vernal deixou de corresponder ao grau 0 da 1ª constelação do modelo de Ptolomeu. Por este motivo, a imagem de universo separou-se em zodíaco Sideral e Zodíaco Tropical, em que o primeiro denomina as constelações existentes fisicamente e o segundo explora a circunscrição das mesmas sobre a eclíptica, independentemente do movimento da mesma e do de precessão, de modo a explicar as influências energéticas sobre os elementos naturais.

4


Então sistematizando esta faixa zodiacal circunscrita na eclípltica, acabamos por conseguir dividi-la a partir do ponto vernal (correspondente ao equinócio da primavera) por quadrantes (primavera, verão, outono, inverno) que vão abranger 3 signos de um total de 12, divididos por modalidade (fixo, mutável ou cardinal consoante a sua posição dentro do quadrante), elemento (água, fogo, terra, ar), e polaridade (positivo ou masculino- os elementos de fogo e ar e nagativo ou feminino- os elementos de terra e água). •

modalidade

Uma determinada estação do ano abrange um conjunto de 3 signos, dando um total de 12 signos por 4 estações temporais nas quais decorre a vida na terra. Isto porque o movimento de translação não se faz num circulo perfeito, mas em elipse, sendo que há fases em que a terra se encontra mais perto do sol do que outras. Assim sendo terá alturas em que se tornará mais quente ou fria consoante o nível de afastamento, estando os pontos máximos da elipse marcados pelos equinócios (primavera e outono) e os solestícios (verão, inverno). Ao longo do percurso de um ponto a outro, determinada estação do ano passa por fases das quais na astrologia se traduzem em 3 modalidades. Cardinal como o iniciar de uma estação, o brotar activo de uma nova fase (representada pelos signos de Carneiro, Caranguejo, Balança e Capricórnio). Fixa como o pico máximo das características da estação (representada pelos signos de Touro, Leão, Escorpião e Aquário). Por ser a fase intermédia, respresenta a estabilidade de uma determinada energia. Mutável como o fim da estação, onde já existe uma 5


certa abertura e adaptação para abraçar a estação seguinte (representada pelos signos de Gémeos, Virgem, Sagitário e Peixes).

elemento

Os elementos vão ter também 3 signos de cada modalidade, trazendo para os mesmos o lado caracterizante e simbólico destas.

Fogo

(Carneiro, Leão, Sagitário) Quente e seco, confere um temperamento colérico. O entusiasmo, a vitalidade, a criatividade e auto-expressão, o espírito de luta.

Ar

(Balança, Aquário, Gémeos) Quente e húmido, confere um temperamento sanguíneo. A mente e o intelecto. Aciona os pensamentos e a comunicação com o outro.

Terra

(Capricórnio, Touro, Virgem) Fria e seca, confere um temperamento melancólico. O concreto e palpável. O contacto com a realidade física e a persistência em concretizar os seus objectivos.

Água

(Caranguejo, Escorpião, Peixes) Fria e Húmida, confere um temperamento fleumático. O que se adapta. Receptível e moldável. Sonhos, fantasias, desejos, emoções. Descobrir a vida com maior sensibilidade e menos racionalismo.

6


Carneiro: Carneiro é um signo masculino do elemento Fogo. O simbolo deste signo faz referência aos chifres do animal que o personifica: o Carneiro como o pioneiro, impulsionador da acção ou as sobrancelhas e linha do nariz de um rosto humano, incorporando a acção e a frontalidade. É o primeiro signo do zodíaco, e portanto de modalidade Cardeal, iniciando a partir do ponto vernal coincidente com o equinócio da Primavera. Determinação, actividade, pioneirismo, impaciência são características que podemos conectar a este signo. Um desejo de romper, de dar inicio à actividade é-lhe intrínseco, concebendo a este signo uma coragem inconsequente, impulsiva, sem tempo para a espera ou para a ponderação, sendo que o seu regente é o planeta Marte, que pode ser visto como o guerreiro do zodíaco (Ares deus da guerra na mitoligia grega), o que luta e rompe, o que corta como um bisturi, concebendo-nos o espírito de luta. O seu posicionamento ilumina-nos quanto à forma e à razão pela qual é esse espírito empregue. Este signo é associado ao ascendente, à casa 1: A casa angular do nascimento, da forma como iniciamos as coisas, de nos afirmarmos, do “eu”, da nossa forma física e vitalidade. A zona corporal que este rege é a cabeça

7


8


Touro Touro é um signo feminino do elemento Terra. Para este signo, o simbolo pode ser interpretado como a cabeça do animal que o representa, ou um circulo térreo com uma lua na horizontal, fazendo jus às suas características em conceber matéria num campo fértil. signo que sucede o primeiro, abrindo a casa sucedente 2, e desta forma relacionando-se com ela materializa ou concretiza o que foi iniciado, tendo uma capacidade de valorização bem definida, buscando segurança e solidez material e emocional. Sendo o segundo signo da Primavera, tem como modalidade a energia fixa estabilizadora, e por isso não gosta de ser apressado. Podemos conecta-lo com características como a perseverança, a constância, a procura em atingir o equilíbrio interior através do conforto. Está ligado à nutrição e aos prazeres relacionados com a mesma e com o tacto, já que através deste sentido nos conectamos com a matéria. Devido à necessidade de fixação, são resistentes à mudança e pode tornar-se obstinado e possessivo. É regido por Vénus, que é visto como o planeta que fala do desejo de apreciação e valorização dentro do plano material e imaterial (Afrodite deusa do amor na mitologia grega), o seu posicionamento ilumina-nos quanto à forma como amamos, assim como o que procuramos valorizar e partilhar. A zona do corpo representativa o pescoço e garganta.

9


10


Gémeos: Gémeos é um signo masculino do elemento de Ar. Como o próprio simbolo indica com dois gémeos unidos na sua representação, existe em si uma natureza dual, recordando a importância de ver os dois lados de uma mesma situação. Esta natureza confere-lhe inconstância e muita agitação mental, sendo que ar é o elemento ligado ao intelecto. Desta forma existe uma curiosidade pela exploração superficial deste campo devido à constante inundação de ideias e informação sem um foco sério que aprofunde. Podemos associar desta forma este signo com os jogos de palavras e o sentido de humor. Este signo fecha a estação da primavera, tendo como modalidade a característica de ser mutável. Boa capacidade de adaptação e originalidade são características que lhe podemos associar. Relaciona-se Gémeos com a casa cadente 3, que representa a nossa forma de comunicar, os movimentos e viagens curtas. O seu planeta regente é Mercúrio, o mensageiro do zodíaco (Hermes, deus da venda, lucro e comércio na mitologia grega), reforçando a relação do mesmo com o intelecto rápido e a comunicação verbal, escrita, pensada. Sendo que é próprio deste signo a capacidade de análise, de ter ideias. A parte do corpo que representa este signo são os braços e o sistema respiratório.

11


12


Caranguejo Caranguejo é um signo feminino do elemento de água e o quarto signo do zodíaco. Podemos observar no seu símbolo a representação das pinças do animal que o personifica, ou os seios, a parte do corpo que rege, em conjunto com o útero, estômago, costelas, baço cuja conexão simbólica conduz-nos à ideia de nutrição. É um signo ligado às emoções, aos instintos, à intuição e muito afectuoso. Denota uma natureza mais reservada e sentimental. Sendo marcado pelo solstício de verão, é um signo cardeal que abre a casa angular 4 (o fundo do céu). É, portanto, associado aos assuntos da mesma como as raízes, a família, as origens, procurando conforto emocional no lar, dando muita importância ao sentido de lealdade. Por este motivo tudo o que ameace esse conforto, destabiliza a sua harmonia interior. Existe, portanto, uma grande sensibilidade e empatia com o ambiente que lhe rodeia, que gosta de acarinhar e nutrir. O ‘planeta’ que o rege é a Lua, que representa a mãe que amamenta emocionalmente, passado que nos aconchega, a sensibilidade, o inconsciente. Existe intrinsecamente a ideia de apego ao passado e às origens, adicionando uma natureza emocional oscilante com variações cíclicas.

13


14


Leão Leão é um signo masculino do elemento Fogo. No seu símbolo podemos observar ou uma grande juba, ou a região dorsal do animal que o representa. Esta análise pode também estar relacionada com a parte do corpo regida por este signo, a coluna vertebral, as costas e o coração. Como indicado pelo elemento, está relacionado este signo com o princípio da identidade, com a forma activa com a qual exprime o seu ‘eu’, como é criativo e exerce o seu poder pessoal. Sendo o segundo signo do verão, é fixo de modalidade, o que lhe confere solidez na forma como se auto-afirma. Podemos observar características provenientes desta solidez como a coragem, a paixão, a lealdade e determinação, mas também uma certa tendência para a imposição. Leão é o 5º signo do zodíaco, estando relacionado com esta mesma casa sucedente: A casa da expressão do ‘eu’ para amar, dos filhos, da criatividade, das crianças e do divertimento. Da mesma forma podemos associar leão com um lado de expressar o ‘self’ entusiasticamente, em que se torna importante o reconhecimento do seu brilho e sentir-se venerado. Existe também uma ligação com as crianças e com as brincadeiras, conferindo-lhe um lado emocional amistoso, caloroso e generoso, mas também pouco receptivo. É regido pelo Sol, o luminar que representa a energia vital e a capacidade de afirmação individual.

15


16


Virgem: Virgem é um signo feminino do elemento Terra. Podemos retirar da sua simbologia um animal com o rabo entre as pernas, tapando o seu sexo. Está ligado aos princípios de organização e direcionam a sua energia para a busca de perfeição. É o signo que finaliza a estação do Verão, tendo como modalidade a característica de ser mutável, que lhe confere uma energia versátil ligada à concretização devido ao seu elemento, o que resulta numa preocupação com os detalhes e a vida práctica. Virgem é associada à casa cadente 6 e portanto a assuntos como o trabalho, a rotina e a preocupação com o bom funcionamento do corpo. Por este motivo torna-se relevante a organização e a limpeza de modo a tornar a sua acção eficaz ao pormenor. Podemos também relaciona-la com os animais de pequeno porte. O seu planeta regente é Mercúrio o mensageiro do zodíaco (Hermes, deus da venda, lucro e comércio na mitologia grega), reforçando a relação do mesmo com o intelecto rápido e a comunicação verbal, escrita, pensada. Mas ao contrário de Gémeos, a influência de Mercúrio neste signo traduz-se na capacidade de sintetizar, de ter consciência da forma que a ideia toma.

17


18


Balança Balança é um signo masculino do elemento Ar. O seu símbolo demonstra os dois pratos equilibrados de uma balança, transmitindo esta ideia de harmonia e equidade. Esta abre com o equinócio de outono, tratando-se de um signo cardinal. A junção da energia elementar com esta modalidade, traduz-se numa acção de movimentação fluída, privilegiando o lado racional ao emocional. Este signo está relacionado com a casa angular 7 iniciando o hemisfério norte e, portanto, associado aos assuntos ligados ao outro. É-lhe atribuído a aptidão para a interação social e segue-se por princípios de justiça e igualdade. Existe uma procura em manter o prazer e felicidade nas suas relações, apelando sempre a uma postura socialmente diplomática. O seu planeta regente é Vénus, que é visto como o planeta que fala do desejo de apreciação e valorização dentro do plano material e imaterial (Afrodite deusa do amor na mitologia grega) A sua influência acrescenta uma valorização estética do belo e uma leveza que se traduz em tranquilidade. Torna-se portanto sensível às ingustiças e à pressão. Está ligado aos rins, bexiga, ao umbigo e aparelho urinário no corpo humano.

19


20


Escorpião: Escorpião é um signo feminino do elemento Água. O simbolo traduz um animal com o rabo (que se pode relacionar com a cauda do escorpião) levantado expondo o sexo, sendo que rege no corpo humano os órgãos sexuais e escretores. É o segundo signo da estação do Outono, sendo que fixa a energia da estação. Deste modo diz respeito à fixação das emoções, e pode tornar-se por isso obstinado em relação às mesmas. Determinado e preserverante, valoriza o controlo dos princípios emocionais profundos com ligação à sexualidade e à sobrevivência. É dado aos trabalhos de investigação e denota uma capacidade de entender o campo psicológico. Escorpião ocupa o 8º Lugar no zodíaco e está portanto relacionado com os assuntos desta mesma casa sucedente: os processos de transformação entre morte e renascimento, o oculto, a sexualidade e a nossa capacidade de regeneração. Trabalha por isso sobre as profundezas do que está oculto, tendo uma postura para com a vida de introversão ligada às emoções e aos instintos primitivos controlados, originando por isso uma atitude cautelosa e desconfiada. O seu regente tradicional é o planeta Marte, que pode ser visto como o guerreiro do zodíaco (Ares deus da guerra na mitoligia grega), o que luta e rompe, e mais tarde tornou-se coregente com a descoberta de Plutão (Hades, deus do submundo na mitologia Grega), atribuindo-lhe uma natureza bélica que necessita para enfrentar um mundo ameaçador.

21


22


Sagitário: Sagitário é um signo masculino do elemento Fogo. O seu simbolo traduz uma dualidade entre o animal e o humano (a figura do centauro) em que a seta aponta para o que está alto e distante, traduzindo o optimismo e o interesse pelos valores elevados, assim como a necessidade de liberdade característica. É o signo que fecha a estação do Outono e por isso de modalidade mutável. As energias combinadas entre esta e o seu elemento caracterizam-no com um impulso entusiástico direccionado para vários caminhos em simultâneo, ligando o sentido de identidade à busca incansável por um significado mais profundo de se ser humano. Está associado aos assuntos da casa cadente 9 como a educação a nível superior, a religião e filosofia, a sabedoria, a exploração do desconhecido em busca da verdade suprema. Isto confere-lhe um desejo optimista em alcançar a verdade, a liberdade e o sentido de viagem, tornando-o aventureiro. O seu planeta regente é Jupiter (Deus do Olimpo Zeus na mitologia grega) que fala da necessidade de encontrar um significado maior para a nossa vida indo além fronteiras expandindo a mente. Transmite optimismo, fé e expansão acrescentando ao signo o sentido de justiça e a temperança. No corpo humano rege a pelve, quadris e coxas.

23


24


Capricórnio Capricornio é um signo feminino do elemento Terra. O seu símbolo representa os chifres de uma cabra com cauda de peixe. É considerado o trepador social, tendo como parte do corpo físico que rege os ossos, pele e joelhos. É o signo que abre a estação do Inverno com o solstício tratando-se desta forma de um signo Cardeal. Esta qualidade aliada ao seu elemento Terra traduz-se numa natureza de impulsos construtivos. Revela uma boa capacidade de concentração e resistência. Procura concretizar os seus objectivos pragmáticos através de uma luta árdua e persistente, valorizando o compromisso e a realidade. Está associado à 10ª posição, à casa angular 10 que sugere a máxima exteriorização do ego no mundo externo, o estatuto social e profissional. Deste modo Capricornio revela a ambição em atingir uma posição social com Responsabilidade, disciplina e trabalho árduo. O planeta regente de Capricórnio é Saturno (Correspondente ao titã Cronos na mitologia grega, senhor do Tempo) que nos lembra que é necessário passar pelas circunstâncias materiais da vida antes que nos seja permitida a entrada no céu. Que a estrutura e valores conduzem-nos ao crescimento evolucionário. Acrescenta desta forma ao signo ponderação e persistência. Rigor, disciplina, resistência e realismo são palavras as quais podemos associar.

25


26


Aquário: Aquário é um signo masculino do elemento Ar. O seu símbolo transmite a ideia de propagação através do que parecem ondas de água ou eléctricas, e rege os tornozelos e as pernas no corpo humano. È o segundo signo da estação do Inverno, o que lhe confere a modalidade fixa. A combinação desta com o seu elemento traduz-se na preserverança sobre a mente, originando uma postura imparcial e solida com tendência ao abstracionismo.É Independente, muito inventivo e resistente nas suas ideologias e convicções por muito excêntricas que sejam. Está associado à 11ª casa sucedente e aos assuntos ligados à mesma: Os grupos sociais e simpatias expontâneas. A propagação do seu simbolo faz alusão a este pensamento direcionado para os ideais humanitários e a necessidade de liberdade e independência. O seu planeta regente era tradicionalmente Saturno (Correspondente ao titã Cronos na mitologia grega, senhor do Tempo) sugerindo uma mente sólida e estruturada, e mais tarde acrescentou-se a regência de Urano que se enquadra muito bem nas características de excentricidade, inventividade e imprevisibilidade deste signo, assim como a sua tendência para romper com os valores estabelecidos, sendo o rebelde do zodíaco.

27


28


Peixes: Peixes é um signo feminino do elemento Àgua. O seu simbolo demonstra dois peixes unidos, mas que nadam em direcções opostas devido à difusão da energia de modalidade mutável (encerrando a estação do inverno) com o seu elemento associado às emoções, o que pode levar a alguma confusão. É desta forma um signo de uma sensibilidade multifacetada e sentimentos universais sem uma direcção específica. Inspiração e adaptabilidade são características que podem ser empregues na expressão imaginativa e artística. Este signo está relacionado com a casa cadente 12, e portando ligado a assuntos da mesma como o inconsciente, a desmaterialização, a transcendência e espiritualidade, os inimigos ocultos. Está-lhe associado uma postura tranquila alienada e sonhadora, os estados alterados da consciência, a auto-sabotagem quando somos nós os nossos próprios inimigos. O planeta regente de peixes era tradicionalmente Júpiter (o grande benéfico a conferir-lhe temperança e idealismo), mas passou a coregente com a descoberta de Neptuno (Deus dos mares Poseidon na mitologia Grega) que se associa à sensibilidade para a caridade, a compaixão, o perdão, as experiências místicas para o transcendental ou a ilusões. Peixes como ultimo do zodíaco está ligado aos pés e sistema linfático no corpo humano.

29


30


Se em tempos houve dificuldade em separar a Astronomia (o lado factual, ciência que estuda os astros e o modo como se comportam) da Astrologia (estudo dos astros em relação à vida na Terra), a partir do seculo XVII com o crescente interesse pelo racionalismo e o desenvolvimento das ciências, estes dois conceitos começaram a seguir caminhos separados, perdendo a Astrologia prestígio em relação à Astronomia. Entre destintas descobertas destacam-se as ideias de Galileu que veio a intervir na concepção da terra como centro do universo. Ainda que houvesse reconhecimento do heliocentrismo sobre o geocentrismo como resposta científica, para a astrologia perdurou o sentido simbólico geocêntrico de influência da abóbada celeste sobre um ponto influenciado pela posição dos astros nela descritos. Do Macrocosmos (Todo um universo) sobre o microcosmos (humanidade como parte integrante de um todo). Assim nasceu uma área de conhecimento dual entre o cientificamente observável e o que os movimentos astrais poderiam indicar sobre a vida na Terra.

Bibliografia Faces.Isabel Guimarães, Manual | Curso de Astrologia – nível 1, (2017/2018)

31

Os 12 Signos com Raquel Marques  

Trabalho do final do Curso de Formação Profissional em Astrologia nível 1 com a Formadora Carmen Ferreira

Os 12 Signos com Raquel Marques  

Trabalho do final do Curso de Formação Profissional em Astrologia nível 1 com a Formadora Carmen Ferreira

Advertisement