Page 1

Com o apoio do EXPRESSO do Oriente

Maio de 2012 — ano VII — n.º 75 — mensal

Distribuição gratuita — director: Acácio Soares

123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789 123456789

25 | 26 MAIO 01 | 02 | 03 JUNHO

mas com moderação. És jovem e tens uma vida à tua frente!

Os mais novos na Bedeteca P_5

Bela Vista mais próximo das Olaias P_9

Casa do Mundo em Marvila P_10

S. João tem nova Unidade de Saúde 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012345678901234567890121234567890123456789012

Marchas dos Olivais, Marvila, Beato, França, prometem muita cor e alegrAlto do Pina e Penha de ia nas festas de Lisboa

Do sonho à realidade Mário Esmoriz recebe a desejada cadeira P_8

Sob a benção de Santo António

P_10

Penha de França mais limpa e florida P_12

P_6

Oficinas de teatro Uma escola de vida 1 de Junho Dia da Criança

P_13


2

OLIVAIS . PARQUE das NAÇÕES . PORTELA . MOSCAVIDE . MARVILA . BEATO . S. JOÃO . PENHA de FRANÇA

123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 ão sei se é por em tempos ter tido o secreto 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 desejo de me chamar António ou se é pelos 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 bailaricos que na minha juventude me propor123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 cionavam umas aproximações mais aconche123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 gantes, a verdade é que eu gosto muito do Santo pa123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 droeiro da cidade de Lisboa. Eu, que nem sou devoto de 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 coisa alguma, gosto particularmente do Santo António. 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 Simpatizo com aquela falta de cabelo que também a 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 mim já me começa a preocupar, gosto do cariz 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 casamenteiro que transporta e principalmente da festa 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 popular que se faz em sua honra. Aliás, na minha opi123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 nião as festas religiosas deveriam ser sempre assim já 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 que agradam a todos: 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 Há bailaricos e namoricos para os solteiros, há casa123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 mentos para os comprometidos, há madrinhas dos ca123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 samentos mas também as que marcham, há santos e 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 até há pecadores que naquela noite arranjam descul123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 pas para tudo: A bebedeira foi por causa da sardinhada, 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 a sardinhada foi por causa do arraial, o arraial é giro é com porrada, o preço da sardinha 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 é por ser Santo António, o preço da imperial é porque nestas noites é assim, o chouriço 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 assado é caro porque é noite de arraial e o caldo verde é só água que é para render. 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 Uma sardinha assada custa o preço de um quilo e meio delas cruas e uma rodela de 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 chouriço custa o mesmo que uma hora no parquímetro. Mas a cereja em cima do bolo é 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 para mim as gorjetas acrescentadas à conta do serviço caseiro servido na rua, ou seja, 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 se a conta do meu dispendioso e requintado jantar - servido num banco de madeira 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 corrido onde me sento com mais dez desconhecidos e limpo os dedos na toalha de papel 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 - for de 35 euros, acrescenta-se cerca de três euros e meio, correspondentes a 10 por 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 cento que “é para a malta do serviço”!... Este pessoal de Alfama pensa em tudo. 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 Mas a tradição ainda é o que era, por exemplo, os manjericos têm as mesmas quadras 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 desde que há marchas e custam tanto como um bouquet de rosas numa loja de hotel o 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 que também já é normal em noite de Santo António, pelo meio os vendedores “qué frô”, 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 sempre com novidades fluorescentes, também aproveitam para “puxar pelo negócio”. 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 Os patrocinadores oferecem sempre mãozinhas para bater palmas e palas para proteger 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 os olhos do luar. As marchas demoram a passar e, invariavelmente, a minha preferida 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 desfila quase no fim e eu pouco a vejo porque para aguentar a minha sogra a gritar ié, 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 ié, ié, fui bebendo umas imperiais. O intervalo entre os bairros demora o tempo da 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 novela, os apresentadores mandam beijinhos e dão autógrafos, os putos adormecem às 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 cavalitas dos pais enquanto as mães gritam pela marcha até à exaustão. Os bêbados 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 aproveitam o beco para aliviar a bexiga e a autarquia nunca se lembra de instalar 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 sanitários… Confere, a tradição mantém-se. 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 Até para o Santo António era o “tostãozinho”. Era, era… agora bem podes pedir. 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012

Vem aí o Santo António

Raúl Amado

Grupo

raulamado@gmail.com

Crónica masculina

R

Ano . VII . n.º . 75 . Maio . 2012

123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 Espero vivamente que o título desta coluna não seja o 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 pronúncio de uma verdadeira “tragédia”. Rute Sofia Lima 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 A Sociedade Parque Expo, que tem, desde a inauguração da 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 Expo 98 e daí até à presente data, a responsabilidade da gestão urbanística e do sanea123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 mento daquela área territorial, tornou público que a partir do dia 1 de Julho irá cessar 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 todos os referidos serviços. Admirou-se? Ainda falta mais! 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 Segundo a notícia que li, quer a Parque Expo que a Câmara Municipal de Lisboa 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 seja obrigada a aceitar estas competências, de imediato e sem qualquer preocupação 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 em aferir se existem condições ou não para que a CML possa assegurar esta tarefa. 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 Informei-me ainda um pouco melhor e cheguei à conclusão que a CML terá todo o 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 gosto em aceitar essa responsabilidade, desde que estejam asseguradas as condições 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 financeiras necessárias. Neste momento, é impossível! 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 Resumindo: a boa vontade e disponibilidade da CML não será suficiente para asse123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 gurar os serviços que a Parque Expo não quer fazer. Quem irá ser lesado? 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 A Parque Expo? Não. 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 O Ministério do Ambiente que tem a obrigação de, em situações análogas, intervir de 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 forma pronta, E NÃO O ESTÁ A FAZER? Também não. 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 Os lesados serão os moradores, os comerciantes e os visitantes que em breve se irão 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 deparar com uma situação de extrema gravidade que, a concretizar-se, trará danos 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 irreparáveis ao nível da higiene urbana e da manutenção dos espaços. 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 Como será estar-se por tempo indeterminado sem recolha de lixo? Como será estar 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 por tempo indeterminado sem manutenções de equipamentos? 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 Estamos a falar de higiene ambiental, de sustentabilidade, de qualidade de vida. Es123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 tamos a falar de pessoas e não de números. Estamos a falar do mais importante polo 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 turístico da cidade. 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 O que estará por detrás desta tomada de posição da Parque Expo? 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 Irão agora, passados 14 anos, abandonar aquela população? 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 Criem de uma vez condições ao município de Lisboa para assegurar aquela gestão, 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 deixem de ser empresários e políticos de nível duvidoso. Assumam as responsabilida123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 des e pensem naquilo que de fato importa. OS CIDADÃOS! 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012 123456789012345678901234567890121234567890123456789012345678901212345678901234567890123456789012123456789012

Opinião

LIXO NO PARQUE DAS NAÇÕES?

Olivais celebra o 615.º aniversário A Freguesia de Santa Maria dos Olivais está de parabéns pelo seu 615.º aniversário assinalado com diversas iniciativas que decorrem um pouco por toda a freguesia. A confraternização, a alegria e a boa música estão lado a lado nestas comemorações. Aquela que é hoje a maior freguesia de Lisboa pode orgulhar-se de ser detentora de uma área urbanística requalificada de excelência e de um património apreciável, como a Quinta do Contador Mor, a Praça da Viscondessa dos Olivais, o Pavilhão de Portugal e muito mais. À semelhança do que aconteceu em anos anteriores, deu-se início às comemorações do 615.º aniversário com um almoço-convívio que

José Manuel Rosa do Egipto com Simone Represas, 93 anos, a quem ficou entregue a simpática tarefa de apagar as velas do bolo de aniversário reuniu mais de uma centena de olivalenses que há mais tempo nasceram nesta localidade. Para José Manuel Rosa do Egipto, presidente da Junta de Freguesia este é o momento para “conviver, recordar velhos tempos e reencontrar amigos que o tempo se encarregou de separar”. No âmbito destes festejos, realizou-se ainda a segunda edição da Caminhada ANDDI, que teve lugar no Parque Vale do Silêncio e que contou com a participação de 120 pessoas com deficiência, entre as quais os atletas paralímpicos Luís Gonçalves e Lenine Cunha.

Ano_VII_n.º_75_Maio_de 2012 Mensário_Regional_de_Grande_Informação Director: Acácio Soares_acaciosoares111@gmail.com; Publicidade: Telf:_21 920 60 85_965 864 235 publicidade.expressodooriente@gmail.com e-mail: geralexpressodooriente@gmail.com_Site: www.expressodooriente.com _DISTRIBUIÇÃO GRATUITA Propriedade, sede e redacção e edição: Cometa Mágico - Av. Embaixador Aristides Sousa Mendes, 18 C - Escritório D 2725-537 Tapada das Mercês - Mem Martins Depósito Legal n.º 239216/06NIPC 502 353 562_Capital Social_25.000,00_euros_Título Registado no ERC. n.º 124910_ Periodicidade mensal_(Tiragem média/ano)_480.000 exemplares Os textos publicados e assinados são independentes da linha editorial do EXPRESSO do Oriente e são da inteira responsabilidade dos seus autores. Por motivos de clareza ou de espaço, reservamo-nos o direito de seleccionar os mesmos e publicar só os trechos que considerarmos mais importantes.


Ano . VII . n.º . 75 . Maio . 2012

3

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

As Marchas populares de Lisboa preparam-se para a festa

Arco-íris de fantasia A poucos dias do desfile, na Escola Secundária Eça de Queirós ultimam-se pormenores para a grande apresentação da Marcha dos Olivais. Os responsáveis pelo projecto, representantes do Grupo de Pesca e Desporto dos Olivais, prometem uma Avenida inundada de alegria e animada pela paixão dos marchantes. A Marcha dos Olivais estreou-se em 1966, na altura era organizada pelo Centro Comunitário dos Olivais-Sul e, exceptuando os anos de 1980 e 1981 esteve sempre presente até 2002, ano em que fez nova interrupção, mas três anos mais tarde volta a concurso pelas mãos do Grupo de Pesca e Desporto dos Olivais (GPDO). Até à presente data o título de campeã nunca sur-

giu, sendo que a melhor classificação que conseguiu foram dois quintos lugares, um em 1998 e outro em 2001. Este ano, certos de que obterão uma classificação cimeira, os marchantes estão preparados para dar o seu melhor e a ajudá-los neste processo têm o ensaiador José Pacheco e o seu assistente, Fernando Catarino. José Pacheco é estreante nos Olivais mas já marcha há mui-

tos anos, tendo conquistado vários prémios nos grupos que comandou. “Com a minha experiência e criatividade irei pôr o grupo de cabeça levantada e fazê-los sentir que podem chegar a um lugar cimeiro.” Com um tema arrojado, “Arcoíris de fantasia”, os Olivais apresentam-se muito coloridos e, para dar aquele toque de mestre, destacaram os dourados. “Este ano vamos contra-

LENTES S A D A T R E F O DE COR S A IV S S E R G PRO Siga-nos

no facebook

ADVANCE CARE ADM - GNR - CGD SAMS/QUADROS - PSP E OUTROS

riar a tendência do júri de escolher sempre os mesmos bairros”, afirma Carlos Santos, presidente de GPDO. Os Olivais levam a desfile uma marcha composta maioritariamente por jovens que levam muito a sério o trabalho que têm pela frente. Paula Macedo é a madrinha que acompanha António Calvário, uma vez mais padrinho olivalense.

Marcha dos Mercados

António Costa foi ao ensaio Se tem dúvidas que o nosso António seja um Presidente Popular, devia tê-lo visto no ensaio da Marcha dos Mercados. Nós estivemos lá e quase juramos que lhe apetecia mesmo dar um pezinho de dança. Conteve-se... Mas confessou-nos que, testemunhar a alma e dedicação com que os marchantes dos Mercados se entregam a esta tradição, é contagiante.

António Costa e Catarina Vaz Pinto posam para a posteridade com os marchantes

Lisboa vai desfilar uma vez mais na noite de Santo António na Avenida da Liberdade, o ponto alto dos festejos da cidade. Nessa noite, os Olivais saem à rua para apoiar não só a sua marcha oficial mas também a Marcha dos Mercados que este ano é maioritariamente composta por olivalenses, trabalhadores dos mercados ali existentes. Rafael Rodrigues é o ensaiador e promete muita alegria e boa disposição. Apesar de não estar a concurso, os mercados não descuram a qualidade da apresentação e tudo é tratado com o maior rigor e profissionalismo. O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, acompanhado pela vereadora da cultura, Catarina Vaz Pinto e pela presidente da Associação de Comerciantes dos Mercados de Lisboa, Luísa Carvalho, esteve no Mercado 31 de Janeiro, no

Saldanha, e assistiu, visivelmente satisfeito, ao ensaio dos comerciantes. Este ano prevê-se que a com-

petição traga um certo “cheirinho a samba” já que um dos temas abordados será a ligação histórica entre Portugal e o Brasil.

Medicina Dentária Análises Clínicas Fisioterapia, Clínica Geral Implantes Dentários Cardiologia, Endocrinologia Ginecologia, Nutrição Or topedia Otorrinolaringologia Endocrinologia, Podologia Psicologia, Psiquiatria Terapia da Fala

Junto ao Spacio Shopping e Metro Olivais Rua Cidade de Bolama, 3 r/c Esq.º Olivais Sul - 1800-077 Lisboa Telefone: 218 516 388


4

OLIVAIS . PARQUE das NAÇÕES . PORTELA . MOSCAVIDE . MARVILA . BEATO . S. JOÃO . PENHA de FRANÇA

Ano . VII . n.º . 75 . Maio . 2012

A opinião do e leitor As Marchas Populares de Lisboa surgiram em 1932, são uma das mais antigas tradições da cidade e, com 80 anos de história, continuam a entusiasmar as novas gerações dos bairros Lisboetas. Mais tarde, em 1958, surgiram os Noivos de Santo António, oferecendo aos namorados a possibilidade de casar com pompa e circunstância e de forma económica. A tradição continua a ser o que era e as festas de Lisboa encontram o seu ponto alto na Noite do Santo Padroeiro. Com o aproximar da data do desfile na Avenida, 12 de Junho, em todos os bairros se conta com a promessa de muita música, sardinha assada e festa de arromba. O EXPRESSO do Oriente foi saber junto dos leitores o que mais gosta nas Marchas Populares e se a tradição dos Noivos ainda faz sentido. Aurelina Silva, 59 anos

Traz vida e cor Gosto de assistir às Marchas Populares na Avenida pelo espírito que se vive. É giro ver que a população se une, nem que seja só neste dia, para apoiar a sua Marcha e acima de tudo o seu bairro. Esta é uma tradição muito antiga e faz todo o sentido que a Câmara Municipal de Lisboa continue a promovêla porque traz mais vida e cor à capital. Neste dia não só a cidade de Lisboa pára para assistir ao desfile, como grande parte do país acompanha atentamente o que se vai passando na Avenida através da televisão e isso é fascinante. O esforço de todos os marchantes também é de louvar pois se não fossem eles não havia esta festa magnífica todos os anos. Espero que este ano o desfile traga muitas surpresas, porque é disso que o povo gosta. Otília Marcelino, 72 anos

O meu irmão foi noivo de Santo António O que mais me entusiasma neste dia é assistir ao desfile na Avenida, através da televisão. Nunca fui ao local porque é à noite e a partir das 20 horas não costumo sair de casa, prefiro andar na rua somente durante o dia. Em casa também tem a vantagem que não estou no meio da confusão. Esta é uma tradição que se deve manter. Adoro as vestes que os marchantes envergam, são espectaculares, quem as desenha e as confecciona está de parabéns. Também gosto de assistir aos casamentos de Santo António, aliás tenho um irmão que foi dos primeiros noivos a casar-se nesta iniciativa. Se fosse nova era capaz de casar pelo Santo António. Este ano o tema também me parece ser muito interessante, falamos todos a mesma língua e é bom para manter a boa relação entre os países. Manuel do Ó, 64 anos

favor que mudem muito as marchas, aliás, houve um ano aí que um grupo fez umas danças um pouco diabólicas e perdeu um pouco a graça, acaba por perder o sentido. Os noivos de Santo António já não são a mesma coisa, agora qualquer um pode casar-se, divorciados ou não e acaba por perder-se a tradição. Mas, se calhar, se continuassem com o que era antigamente não arranjavam noivos, tiveram que se adaptar aos novos tempos. Deviam era continuar a tradição para aqueles casais que não têm posses, porque parece-me que há lá alguns que têm como pagar a festa mas vão lá só para dar nas vistas. Ana Vestia, 19 anos

Uma tradição O que mais gosto de ver são as danças e a forma como cada marcha se expressa enquanto desfila. Os penteados, as roupas e os adereços também fazem a festa dando mais cor e brilho à cidade de Lisboa. Uma outra tradição que se deve manter são noivos de Santo António, algo que é de louvar pois acaba por dar a oportunidade aos jovens de classes mais desfavorecidas concretizarem o sonho de casar. Nuno Santos, 40 anos

Postal da cidade Há muitos anos que assisto às Marchas Populares e na Avenida, porque é ao vivo e há mais picardia, o bairrismo é saudável se for devidamente enquadrado e condicionado. Acho que o facto das pessoas se envolverem nesta iniciativa é que dá mais cor e vida à festa, o facto de darem tudo por tudo para vencerem. Gosto que este evento seja um postal da cidade de Lisboa, vale bem a pena o esforço que cada bairro faz para se sobrepor ao outro, numa competição saudável. Há uns anos atrás esta tradição ficou um pouco esquecida, mas houve um investimento salutar no regresso das marchas, alías, agora só falta começarem a promover no estrangeiro. Celeste Sousa, 36 anos

Nunca assisti ao vivo O que mais gosto de ver são as coreografias que eles fazem durante o desfile. É uma tradição muito bonita mas que por acaso nunca assisti ao vivo, como moro na outra ponta de Lisboa acaba por ficar fora de mão. Há já vários anos que Lisboa pára para assistir aos bairros desfilarem e é algo que deve continuar assim. Também gosto de assistir aos noivos de Santo António e considero que é uma boa iniciativa, especialmente, para os casais que não têm possibilidade de se casar de outra forma, pois têm aqui a oportunidade de fazer uma grande festa e de celebrar a sua união com o resto da família e amigos. Bruno Gouveia, 36 anos

Gosto de ver as fatiotas Nunca fui assistir à Avenida porque fica fora de mão, não é que não goste porque até gosto muito das marchas, mas assisto em casa. Não tenho uma marcha favorita mas gostava que não houvesse batota no momento de escolher o vencedor. A Alfama ganhou muitas vezes, mas também é boa, se calhar os outros é que não dão luta e as que dão, coitadas, acabam por ficar pelo caminho. Gosto muito de ver as fatiotas dos marchantes. Não sou muito a

Vivido com intensidade Costumo assistir às Marchas Populares porque faz parte da tradição e é giro ver as pessoas todas vestidas a rigor, a dançarem lado a lado e tudo aquilo que envolve este dia. O bairrismo é vivido com grande intensidade o que é óptimo porque dá uma identidade à cidade, faz com que as pessoas tenham o sentimento de pertença e isso é salutar, desde que haja respeito como é

óbvio. Nesta altura existe uma maior proximidade entre as pessoas porque estão todos a lutar pelo mesmo. Para mim são todos vencedores, esforçam-se para estar ali e nota-se que de há uns anos para cá tem havido um certo glamour nas coisas, já não é tão pobrezinho como antigamente. Ângela Santos, 27 anos

É preciso mais jovens Gosto das marchas populares porque faz parte da tradição. Desde pequenina que fui habituada a assistir às Marchas Populares na Avenida, infelizmente agora não posso ir até lá porque tenho dois filhos e a festa prolonga-se até muito tarde, mas acompanho o desfile na televisão. O ano passado não gostei que houvesse um espaço de intervalo muito grande entre as marchas que se apresentavam na Avenida, porque torna-se cansativo, especialmente para quem está lá a assistir em pé. Adoro ver as sequências e os passos de dança que eles fazem ao longo do desfile e as músicas em si. O bairrismo entre os marchantes é muito saudável agora parece-me é que são quase sempre os mesmos a ganhar, poderiam dar oportunidade aos outros. O júri habituou-se a votar nos mesmos, existem marchas que mereciam ter ganho em anos anteriores e isso não aconteceu. Não dão o justo valor ao esforço que certos bairros fazem. Também acho que precisam de captar a atenção dos jovens que cada vez mais perdem o interesse por esta tradição. Quanto aos noivos de Santo António penso que agora são uma palhaçada, não tem nada a ver com o que era antigamente. Antes tinham que casar virgens, não que seja a favor disso mas fazia parte e como tem a ver com a igreja católica fazia sentido. Ricardo Soares, 34 anos

Atrair mais as pessoas Acho que as Marchas estão cada vez mais esquecidas, há pouca divulgação. Sou de um bairro que nunca teve marcha e se calhar por isso nunca liguei muito a isso, mas parece-me que as pessoas já não ligam muito a esta tardição. Têm que começar a fazer algo par atrair mais pessoas, os mais novos. Acredito que as Marchas sirvam para unir mais os bairros, puxa pelas pessoas. Os artistas que são convidados também despertam a atenção, e a televisão leva com que o país se junte para ver esta festa. Em relação aos Noivos de Santo António deviam ser revistas algumas regras porque parece-me que há ali muito aproveitamento. Pessoas que até nem precisavam do apoio da Câmara são escolhidas e há outros que nem se casam porque não têm mesmo possibilidades. Vítor Nascimento, 24 anos

Também fui marchante É uma tradição que não deve deixar de existir porque dá cor à cidade. Divirto-me imenso na noite dos Santos Populares quando vou para a Avenida, apenas acho que competitividade entre as pessoas devia ser mais saudável, acho que exageram um pouco, por vezes tornam-se violentas e acabam por esquecer o que realmente importa que é darem o seu melhor e divertirem-se. Os meus pais costumam participar como marchantes pela Marcha dos Mercados e em tempos também fui marchante da mesma marcha e gostei da experiência. Acho que as Marchas deviam inovar um pouco mais, falta ali qualquer coisa e parece-me que com um pouco mais de criatividade ficava resolvido, o tal “tchanan”. As coisas são muito repetitivas, muito iguais, os mesmos passos, as mesmas voltas. Desfilar não é só esquerda direita, as pessoas querem muito mais, precisam de ser surpreendidas.


Ano . VII . n.º . 75 . Maio . 2012

5

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

A página dos mais jovens A Bedeteca, tal como o nome sugere, é uma biblioteca de banda desenhada (BD), uma forma de arte que conjuga texto e imagens com o objectivo de narrar histórias nos mais variados géneros e estilos. Este estilo literário é um sucesso em todo o mundo de tal forma que as cópias de algumas revistas são vendidas por milhares de euros, como é o caso da revista do Homem Aranha, datada de 1962, que foi vendida num leilão online por 792 mil euros ou a primeira BD do Batman, datada de 1939, comercializada por 796.566 euros. A Bedeteca dos Olivais, faz parte da Biblioteca Municipal junto à Quinta Pedagógica e dispõe de uma oferta documental de publicações desde os anos 20 do séc. XX até aos nossos dias. São trabalhos oriundos do mundo inteiro, de Portugal ao Japão. O EXPRESSO do Oriente falou com alguns dos seus mais jovens frequentadores.

João Silva e Rui Silva Marta Quaresma, Rosa Gomes, Samuel Domingues, Francisco Meggi, e Afonso Meggi Marta Quaresma, 5 anos

Rosa Gomes, 5 anos

Afonso Meggi, 4 anos

Gosto muito de aqui estar, de brincar com os legos e de ouvir as histórias de encantar. Os meus livros favoritos são os da Branca de Neve e da Cinderela. Quando vou dormir a minha mãe costuma contar-me algumas destas histórias. Em casa tenho uma sala como esta, cheia de livros.

Vim aqui pela primeira vez com a minha escola e agora trouxe a minha mamã para conhecer porque isto é muito divertido, tem muitos livros e brinquedos. Como ainda estou a aprender a ler costumo pedir à minha mãe para vir aqui buscar livros para depois contar-me uma história, como fazem na escola.

Tenho muitos livros em casa que eram do meu mano. Tenho o Noddy, o Ruca e outros que não sei o nome. Mas o que mais gosto é do livro “Onde está o Wally”, aquele senhor de gorro na cabeça. Gosto de vir com a mãe para a biblioteca e das histórias que nos contam.

Samuel Domingues, 6 anos

Quando aqui venho costumo ler livros ou então ir para o computador, para a internet. Venho cá quase todo os dias, porque é um bom sítio para se estar e é mais sossegado do que a escola à hora do almoço.

João Silva, 15 anos

Francisco Meggi, 8 anos, As minhas histórias favoritas são do Tintin, porque o meu pai também gosta muito desses livros. Mas também gostei de ler o Principezinho e os livros de Geronimo Stillton. Costumo vir aqui na maioria das vezes com a minha mãe, é mais raro vir com o meu pai. Quando passo por cá costumo levar as bandas desenhadas com as aventuras do Tintin para ler em casa.

Os meus livros favoritos são sobre dinossauros, mas também gosto muito do livro “O que se passa aqui?”. Costumo vir muitas vezes à biblioteca com a minha mãe e ela também me costuma contar histórias quando vou para a cama e às vezes depois de acordar.

No intervalo da minha hora de almoço venho para a biblioteca porque a da minha escola não tem tanta coisa

Siga-nos no FACEBOOK em: www.facebook.com/moptica.olivais R. Capitão Tenente Oliveira e Carmo, Lt. 144 - loja Esqª - 1800-050 Lisboa

Tel./Fax. 21

590 82 56 ou 91 590 89 98

como aqui e para aceder à net é preciso ter um código especial, enquanto aqui o acesso é mais fácil. Venho ver os livros, ver vídeos e vou para o Facebook, manter o contacto com os amigos.

só se for para ver um vídeo. Gosto de estar nesta biblioteca, o ambiente é agradável e por isso venho cá quase todos os dias.

Diogo Santos, 14 anos

Como não tenho computador em casa (está na minha avó) venho para aceder à Internet, para estar no Facebook e para ver os jornais desportivos online. Ler livros não é bem a minha onda.

Rui Silva, 14anos

Oculista nos OLIVAIS, junto ao NICO GRILO e aos CTT

moptica.olivais@gmail.com

Diogo Santos e David Gonçalves

Apoio

Normalmente venho para a biblioteca para jogar futebol online ou para estar no Facebook. Não gosto muito de ler livros,

David Gonçalves, 13 anos


6

OLIVAIS . PARQUE das NAÇÕES . PORTELA . MOSCAVIDE . MARVILA . BEATO . S. JOÃO . PENHA de FRANÇA

Ano . VII . n.º . 75 . Maio . 2012

Sob a benção de Santo António

Carla Manuel e Nuno Pinto

Roubou um beijo, ganhou um marido Carla Manuel tem 33 anos e Nuno Pinto tem 30, conheceram-se quando trabalhavam juntos numa empresa de automóveis e “apesar de ter havido uma ligação muito próxima quase desde o início, demorou um pouco a começarmos a namorar.” Os vários anos de convívio diário permitiram que a relação se fortalecesse e começasse a ganhar bases para algo mais. Os encontros e as saídas foram vários ao longo de cinco anos até que, a seguir a um jantar “a Carla roubou-me um beijo”. Desde então tem sido “tudo maravilhoso” e daí a tomarem a decisão de se casarem foi um saltinho. “Não a quero como uma companheira mas sim como mulher para a vida inteira”. Os Casamentos de Santo António vão marcar o ponto de partida para esta relação, uma tradição que consideram única no mundo.

O presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, acompanhado por alguns vereadores e pelo presidente da Junta de Freguesia de Marvila, Belarmino Silva, confraternizou com os noivos e com os que agora, ainda sob a benção do santo padroeiro, comemoram as suas bodas de ouro . CML

Este ano, os 16 casais de noivos foram aprese ntados ao público durante um passeio a bordo do Príncipe Perfeit o, no Tejo, porqu e o rio é o tema desta edição dos Casam entos. António Costa, presid ente da Câmara Municipal de Lisboa , desejou as maiore s felicid ades aos 16 casais e elogiou a “vontade de iniciar em uma família num tempo que está um pouco nublad o.” Este é, de certo, “um casamento para a vida entre vocês, mas também com a Câmara e com a cidade de Lisboa.” O autarc a aponto u para os três casais “de ouro” ali presentes como um exemp lo a seguir. O EXPRESSO do Orient e dá-lhe a conhecer os quatro casais da zona oriental de Lisboa que vão subir ao altar no dia 12 de Junho.

Freguesia de Santa Maria dos Olivais:

Freguesia de Marvila:

Foto: Gabinete de informaçção da

Os Casamentos de Santo António são uma das tradições ligadas às festividades da cidade de Lisboa. A primeira cerimónia realizou-se em 1958 com o objectivo de possibilitar o matrimónio a casais com menores possibilidades económicas. Após alguns anos sem se realizarem, em 1997 a Câmara Municipal de Lisboa retomou a iniciativa.

Cátia Cristóvão e Filipe Gonçalves

Freguesia de S. João:

O amor que veio da ilha

Inês Costa e Pedro Simões

Nesta relação é caso para dizer que nem o Oceano conseguiu separar o amor que une este casal. Cátia Cristóvão, 24 anos, e Filipe Gonçalves, 29 anos, conheceram-se há sete através de uma rede social que em tempos era muito popular, o Hi5. Ele morava no Funchal, na ilha da Madeira, ela no território continental e foi através das novas tecnologias que se deu a faísca que os levou até ao primeiro encontro. “Só na segunda vez que vim ao Continente passar férias é que tudo começou”, conta o Filipe. Na altura a família de ambos achou “tudo isto uma loucura”, não estavam à espera que fosse resultar e muito menos dar em casamento. “É uma coisa diferente, conhecer alguém pela internet e chegar ao ponto de casar,” diz a noiva. Quando ele estava na Madeira a Cátia gostava de passear pelas margens do Rio Tejo, “eu dizia-lhe: até parece que estou a ver a Madeira na outra margem.” O amor levou o Filipe Gonçalves a sair da ilha e ao fim de dois anos a viverem juntos, sentem que chegou a hora de subir ao altar.

A chave para o casamento Eram ainda uns jovens quando Inês Costa, de 25 anos, e Pedro Simões, de 27, se conheceram pela primeira vez num parque de campismo na Costa da Caparica, já lá vão oito anos. Tinham amigos em comum e isso fê-los aproximarem-se, contudo, era ainda uma relação de amizade. Durante os três anos seguintes Inês Costa não foi para o parque de campismo mas, quis o destino que se reencontrassem. “O meu irmão estava a trabalhar num restaurante quando o voltei a ver.” Para ela o Pedro era uma boa pessoa “amigo dos seus amigos e alguém com quem podia contar” mas nada mais, pelo menos era assim que Inês Costa pensava na altura. Tudo mudou quando ela se esqueceu das chaves do carro dentro da viatura do Pedro. Como precisava de as reaver acabou por pedir ao seu irmão o número de telefone para ligar para o Pedro e foi este o ponto de partida para o namoro. Por terem sido marchantes, decidiram que fazia todo o sentido casarem pelos noivos de Santo António.

Andreia Cardoso e Fábio Silva

Namoro molhado, namoro abençoado Tudo começou com uma simples troca de olhares e desde então Fábio Silva, de 26 anos, não deixou de ver Andreia Cardoso, de 27. Inicialmente ela não gostava da situação “não lhe achava tanta graça porque não parava de olhar para mim”, mas a sua insistência acabou por dar resultado e “pedi a um amigo em comum para nos apresentar”. Quando começou a conhecê-lo melhor apercebeu-se de que afinal “até era uma pessoa simpática e interessante”. Entre os vários encontros e as trocas de mensagens, houve um dia que ficou marcado para o resto da vida deles. O Fábio tinha acabado de sair do trabalho e estava a falar com a Andreia através de mensagens de telemóvel quando decide ir ter com ela. “Estava a chover torrencialmente em pleno mês de Julho e no momento em que chego ela dá-me um beijo,” recorda o Fábio Silva. Ao fim de quase um ano de namoro decidiram que era a altura de casar, “encontrei a pessoa certa”.

Transporta a informação que lhe interessa xpress O www.expressodooriente.com Sempre consigo doEOriente


Ano . VII . n.º . 75 . Maio . 2012

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

Marcha do Beato promete muitas surpresas

7

No ano passado a Marcha do Beato ganhou o prémio de Melhor Coreografia e acabou em oitavo lugar, este ano espera conseguir o primeiro lugar... ou lá perto. Manda a tradição que as Marchas desçam a Avenida da Liberdade de “arquinho e balão”, mas este ano não será bem assim pois esperam-se muitas surpresas.

O entusiasmo e a esperança em conquistar um bom lugar no concurso das Marchas Populares está patente no rosto dos participantes Todos os anos na noite de Santo António a tradição alfacinha cobre a Avenida da Liberdade com um véu de brilhos e floreados melodiosos, numa celebração da cultura popular de Lisboa. O Beato não falta à festa e, pela mão do Grupo Recreativo e Cultural “Os Onze Unidos” leva este ano a desfile um grupo de marchantes maioritaria-

mente jovem. A juventude incute na Marcha “uma força e um espírito diferente”, por vezes, nos ensaios podem ser “um pouco irresponsáveis e parece que não ligam muito ao que se lhes diz” mas quando chega ao momento final surgem com outro empenho. “Um espírito que acaba por surpreender pois sabem que se se esfor-

Os cursos profissionais são uma modalidade de educação de nível secundário que investe na formação em contexto real e simulado de trabalho, aliando a teoria à vertente técnico-prática. Atribuem um diploma de equivalência ao Ensino Secundário, preparando o acesso a formações pós-secundárias (Cursos de Especialização Tecnológica) ou ao Ensino Superior, dando igualmente uma qualificação profissional (nível 3). A Escola Secundária António Damásio (ex- Herculano de Carvalho) preparou uma verdadeira montra de profissões onde os jovens mostraram ao resto da comunidade escolar o que podem aprender nas diversas áreas: comunicação e marketing, turismo, electrónica e automação. Esta é já a terceira iniciativa deste género, o que “revela um pouco o próprio dinamismo que a escola tem ao nível dos diversos cursos. Mostramos o que temos para oferecer e o que podem esperar”, explica António Cruz, director da Escola Secundária António Damásio e segue dizendo que “é também uma forma de motivar os alunos a darem o seu melhor.” Para Luís Wemans, director de curso, é uma maneira de “afirmação dos cursos e de mostrar as suas competências de forma a combater o estigma social que ainda existe.” Ao longo de dois dias, os estudantes puderam recolher informação sobre os cursos profissionais disponíveis nesta instituição, conhecer as suas saídas no mercado de trabalho e ainda participar em vários workshops, colóquios e outras actividades.

çarem acaba por sair algo de valor”, explica Amílcar Mota, presidente da colectividade. Quem também mudou foi o ensaiador e apesar dos marchantes estarem numa fase de adaptação têm a consciência de que “com as alterações que foram realizadas só temos a ganhar”. José Neves é então o responsável por

dar um pouco mais de brilho a este grupo e promete mostrar às pessoas que existe muito mais para além do tradicional arquinho e balão. “Enquanto ensaiador trabalho sempre com o objectivo de inovar, de fugir à rotina e espero que com este sangue novo consigamos um bom resultado”. Coreografias inovadoras, um pouco audazes,

Passaporte para o mercado de trabalho

com muito vermelho em destaque dão o ponto de partida para o tema escolhido pelo Beato: A Arte em festa. A constante este ano são os padrinhos: Mónica Sofia, a manequim e ex-cantora da banda Delirium surge ao lado de Quimbé, um irreverente animador, actor, apresentador, locutor e muito mais.

Medalhas de ouro para vinhos de Lisboa Os vinhos produzidos na região de Lisboa sobressairam num dos mais prestigiados concursos vínicos do mundo, decorrido em Guimarães, tendo conquistado oito medalhas de ouro e 20 de prata.

Os alunos apresentaram um pouco do trabalho desenvolvido ao longo do ano lectivo.

Na 19.ª edição do Concours Mondial de Bruxelles participaram cerca de 8400 vinhos, 925 dos quais oriundos de Portugal. Recentemente os Vinhos Brancos e Rosados, bem como os Espumantes produzidos na Região de Lisboa foram igualmente postos à prova por especialistas na área e receberam nota alta.

A cerimónia contou com a presença de Melo Ribeiro, dono da Quinta do Rol e de Vasco d’Avillez, presidente da CVR Lisboa e Ann Frost.


8

OLIVAIS . PARQUE das NAÇÕES . PORTELA . MOSCAVIDE . MARVILA . BEATO . S. JOÃO . PENHA de FRANÇA

Ano . VII . n.º . 75 . Maio . 2012

Um sonho tornado realidade O muito que uma mãe possa fazer pelo seu filho por vezes não chega para apoiá-lo em situações em que a vida foi “madrasta”. Carla Morais sentia-se impotente para ajudar o pequeno Mário Esmoriz a ultrapassar os obstáculos do dia-a-dia. O seu filho sofreu uma paralisia cerebral que lhe roubou a capacidade de controlo do seu corpo e há muito que anseava por conseguir a cadeira de rodas eléctrica que lhe permita mais autonomia. Aos 11 anos de idade, o Mário realizou o seu primeiro sonho graças à força da sua mãe e à solidariedade de muitos amigos. O Mário é uma criança como tantas outras. É simpático, de sorriso fácil, curioso e tem muitos, muitos sonhos. Tem também algo a mais que a maioria das crianças da sua idade: uma cadeira de rodas que o faz depender de quem o rodeia. A mãe, Carla Morais, faz de tudo para ajudar o seu filho a ter a melhor qualidade de vida possível, mas não consegue dar-lhe “autonomia para movimentar-se sozinho”, a solução passaria por comprar uma cadeira de rodas eléctrica. Do querer ao poder vai uma grande distância e a mãe do Mário que o diga, pois precisou de vários anos e da ajuda de muitas pessoas para conseguir angariar dinheiro para comprar um acessório básico na vida do filho. Vendo que os apoios existentes eram nulos, decidiu criar uma conta para quem a quisesse apoiar financeiramente e começou uma campanha de recolha de tampinhas de plástico no seu local de trabalho e na escola

onde o filho estuda, a E. B. 1 Paulino Montez, com o intuito de negociá-las com uma empresa de reciclagem que financiasse a compra da cadeira. Mas o tempo passava e o número de tampas recolhidas era insuficiente, uma vez que eram precisas cerca de 80 toneladas para obter o valor necessário. A iniciativa ganhou força quando o EXPRESSO do Oriente divulgou esta campanha, na edição n.º 68 de Outubro de 2011, na página sete, com o título “80 toneladas por uma cadeira”. O número de pessoas a apoiar esta causa aumentou ra-

pidamente, o que levou Carla Morais a entrar em contacto com a empresa Delta que se disponibilizou a ajudar no processo, tendo negociado com a empresa de reciclagem um valor mais justo do que os 100 euros por cada tonelada inicialmente propostos. Após várias negociações, foram pagos mais de cinco mil euros pelas cerca de oito toneladas de tampas entregues pela população. A verba que faltava foi suportada pelas contribuições monetárias das pessoas que quiseram participar na campanha. Com o dinheiro em mãos, Carla Morais pôde finalmente começar à procura de uma loja para adquirir a nova cadeira do Mário até que chegou o dia da grande surpresa. O jovem não sabia de nada quando a sua mãe o levou até ao Centro de Paralisia Cerebral com a desculpa de que iria fazer mais um exame de rotina. Esperou pacientemente mais de duas horas, conviveu alegremente com as enfermeiras e técnicas que não via há alguns anos e a quem deu as boas novas “já como sozinho!”. Por pouco que pareça, esta é uma pequena batalha ganha com muito esforço e dedicação. O compasso de espera não parecia ter fim, até que um senhor apareceu com uma cadeira de rodas eléctrica para ele testar. Ao lado daquele que seria o seu novo meio de transporte perguntou com um olhar repleto de felicidade e com um sorriso contagiante no rosto: “É para mim”? Quando ouviu a resposta positiva não coube em si de tão contente e só repetia: “estou muito feliz, nem acredito que é minha.” O Mário Esmoriz ouviu atentamente as instruções do técnico que lhe trouxe a cadeira e em seguida andou, e andou, e andou pelo Centro fora a experimentar a “máquina”, mas não sem antes agradecer “a todos os que me ajudaram e à minha mãe em especial”. Dizem os entendidos que quando uma criança realiza um sonho, tal provoca mudanças emocionais e psicológicas profundas, capazes de transformar toda a sua vida. A autoconfiança aumenta e dáse o início de uma nova etapa. Esperamos que esta nova etapa da vida do Mário lhe traga muitos meios para realizar mais sonhos.


Ano . VII . n.º . 75 . Maio . 2012

Parque da Bela Vista mais próximo das Olaias Dois novos troços da Rede de Percursos e Corredores Cicláveis, com a extensão de três quilómetros, que fazem a ligação entre as Olaias e a Rua Pardal Monteiro, passando pelo Parque da Bela Vista foram inaugurados com o patrocinio da Câmara Municipal de Lisboa e da empresa de eventos musicais, Rock in

Rio. Estas infra-estruturas têm como finalidade promover a mobilidade suave na cidade e surgem como contrapartida do Rock In Rio pela realização das edições de 2010 e 2012 do maior evento de música e entretenimento do mundo na capital portuguesa. A inauguração foi realizada pelo presidente da Câmara

Corrida do Oriente A 11.ª edição da Corrida do Oriente – Casino Lisboa realiza-se no Parque das Nações, no dia 3 de Junho, pelas 10 horas. Esta iniciativa visa patrocinar a construção da futura Igreja do Parque das Nações e também irá apoiar a Associação Navegar, instituição com projectos humanitários, sociais e culturais em Portugal e São Tomé e Príncipe. A prova dos 10 quiló-

Foto: Gabinete de informaçção da CML

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

António Costa e Roberta Medina, acompanhados por vereadores e autarcas de Lisboa, pedalam para a inauguração de mais um espaço de corredores cicláveis Municipal de Lisboa (CML), António Costa, juntamente com a vice-presidente executiva do Rock in Rio, Roberta Medina, o vereador José Sá Fernandes, o presidente da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta, José Manuel Caetano, o presidente da Federação Portuguesa de Desporto para Pes-

metros tem partida marcada na zona norte do Parque das Nações percorrendo uma das zonas mais emblemáticas da cidade de Lisboa. Já a Caminhada/Corrida de dois quilómetros será efectuada nos Jardins do Tejo, junto ao rio. Paralelamente, serão realizadas várias actividades como a actuação do grupo de percussão Eclodir Azul, aulas de aeróbica e stretching, entre outros momentos que permitem o convívio entre todos os participantes.

Fernando C. P. Perfeito VENDAS A PRESTAÇÕES Sempre à disposição dos seus clientes

com uma vasta gama de Material de Som, Televisão e Electrodomésticos de consagradas marcas

AR CONDICIONADO

Campanha Whirlpool Combinados Máquinas de Lavar Roupa Máquinas de Secar Roupa Máquinas de Lavar Loiça

soas com Deficiência, José Pavoeiro, o presidente da Comissão de Atletas Olímpicos, Nuno Barreto e Fernando Braamcamp, presidente da Junta de Freguesia de Alto do Pina. Belarmino Silva, presidente da Junta de Freguesia de Marvila, esteve igulamente presente para assistir à inauguração de mais uma obra que vem

contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos marvilenses. Os visitantes do Rock in Rio vão poder utilizar a sua bicicleta para se deslocarem ao festival visto que, durante os cinco dias do evento, haverá um parque de estacionamento reservado aos veículos de duas rodas.

Os amantes da bicicleta já têm mais condições para passear por Lisboa com a conclusão de dois troços que fazem a ligação ciclável entre as Olaias e a Rua Pardal Monteiro, passando pelo Parque da Bela Vista, na Freguesia de Marvila. Até 2014 serão concluídos os trabalhos de reabilitação do Parque da Bela Vista, nomeadamente a substituição de parte da vedação, o melhoramento dos espaços verdes, a criação de um parque de merendas e a implantação de infraestruturas no local, como iluminação, sanitários e espaço de cantina para trabalhadores.

Marchas populares dos seniores em desfile pelos Olivais No dia 21 de Junho há festa na Freguesia dos Olivais graças ao desfile da Marcha Popular Seniores dos Olivais, este ano acompanhado pelos alunos da Componente de Apoio à Família da Junta de Freguesia.

Apoio à Família da Junta de Freguesia que irão igualmente desfilar vestidos a rigor, de arco e balão, entoando vários cânticos populares. O evento está marcado para

as 9h30 junto ao Jardim da Igreja de Santo Eugénio, segue então em direcção à Junta de Freguesia onde terá lugar uma exibição especial. Apareça e entre na festa.

Pelo segundo ano consecutivo, os utentes dos diversos Centros de Dia da Freguesia, entre os quais o Centro de Dia da Quinta das Laranjeiras, Centro de Dia da Fundação Cardeal Cerejeira, Centro de Dia da Nossa Senhora da Conceição e Centro de Dia de Santa Maria dos Olivais, vão sair à rua para celebrar as Marchas Populares. Este ano a festa será ainda maior com a participação dos alunos da Componente de

AGENTE ROBBIALAC Concessionário e distribuidor na Zona Oriental de Lisboa

Drogaria e Perfumaria Aeroporto Produtos químicos e material de limpeza Venda por grosso e a retalho Rua das Escolas, 18-B, 20-B e C 1800-197 Lisboa Telfs: 21 852 01 57 - 21 851 11 85 Fax: 21 851 15 93

Os estabelecimentos mais antigos do Bairro da Encarnação

9

Rua Cidade de Lobito, Lote 268 - loja - Olivais Tel: 21 851 59 98 e 21 851 22 40 (Junto à Quinta Pedagógica)

O penteado revela o charme de uma noiva


10

OLIVAIS . PARQUE das NAÇÕES . PORTELA . MOSCAVIDE . MARVILA . BEATO . S. JOÃO . PENHA de FRANÇA

A Marcha Alto do Pina, organizada pelo Ginásio do Alto do Pina, em colaboração com a Freguesia de S. João, vai voltar a dar o tudo por tudo para manter o 1.º lugar conquistado o ano passado.

Dar “tudo por tudo”! Promete a Marcha do Alto do Pina e S. João

Achou graça quando o EXPRESSO do Oriente recordou o título que lhe puseram no ano passado: “o Mourinho das Marchas”, depois, esclarece-nos sorridente que “o Mourinho chegou ao futebol muito depois de eu andar nas Marchas, aliás, devia ser ao contrário, ele é que devia ser o Carlos Mendonça do futebol”. Todas as vitórias que já alcançou são fruto de muito trabalho e muita disciplina, “acredito que todos os ensaiadores que se prezem terão a mesma preocupação.”

Os marchantes estão entusiasmados e confiantes lorida” e que será marcada por uma coreografia repleta de novidades, “gosto de apresentar coisas novas todos os anos para os outros depois poderem copiar”, diz em tom de brincadeira. A entrada no Pavilhão Atlântico vai ser muito especial, com bastantes pontos de interesse, garante. Os padrinhos voltam

Nova Unidade de Saúde Familiar Mais de 1.500 utentes passam a ter médico de família com a recente Unidade de Saúde Familiar (USF), do Agrupamento de Centros de Saúde Lisboa Oriental, instalada no Centro de Saúde de S. João. A inauguração deste equipamento contou com a presença de José Maria Bento, presidente da Junta de Freguesia local. A USF Oriente vem permitir a atribuição de médico de família a 14.000 pessoas das quais 1.500 não tinham médico de família. Esta nova unidade tem ao serviço sete médicos, sete enfermeiros e seis administrativos e funciona de segunda a sexta, das 8 às 20 horas. José Maria Bento, presidente da Junta de Freguesia de S. João, mostrou-se satisfeito com a criação deste equipamento que vem beneficiar toda esta zona, considerando que “tudo o que seja para melhorar as condições de saúde da população é uma mais-valia, pois toda a gente tem direito à saúde, aliás, é um direito primordial.” O Agrupamento de Centros de Saúde Lisboa Oriental atende 213.747 utentes das freguesias do Beato, S. João e Santa Engrácia, contando com três USF, seis Unidades de Cuidados Saúde Personalizados, uma Unidade de Recursos Assistenciais Partilhados, uma Unidade de Saúde Pública e uma Unidade de Cuidados na Comunidade.

a ser Filipa Cardoso e Joaquim Monchique. Para Carlos Mendonça nada pode falhar, todos os elementos que compõem uma marcha são importantes, desde o canto, à roupa, passando pela coreografia e é “isso que tento transmitir aos meus marchantes, é nesse sentido que tenho vindo a trabalhar”.

Carlos Mendonça durante os ensaios .

Uma casa para o mundo A “Casa do Mundo”, um novo Centro de Acolhimento Temporário para Crianças Refugiadas, foi inaugurada no passado dia 15, no Parque da Belavista, em Marvila. O novo equipamento irá acolher crianças refugiadas a partir de Julho. A construção da “Casa do Mundo” começou em Novembro de 2010 e passados dois anos ficou pronta para prestar apoio e acolhimento a crianças até aos 18 anos. Possui salas de estar e refeições, biblioteca, espaços de lazer exteriores e quartos duplos e triplos preparados para instalar até 13 crianças. A cerimónia de inauguração contou com a presença da primeira-dama, Maria Cavaco Silva; de António Costa, presidente da Câmara Municipal de Lisboa; de Manuel Palos, director do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras; de Teresa Tito de Morais, presidente do Conselho Português de Refugiados e de diversos representantes das muitas entidades envolvidas no projecto. António Costa acredita que este projecto demonstra que “é em épocas difíceis que a generosidade se afirma como valor” e acrescenta que estas “crianças não têm casa nem fronteiras e, por isso, a responsabilidade que temos para com as nossas crianças é a mesma que temos para com as outras.”

Fotos: Gabinete de informaçção da CML

Em 1932 o Alto do Pina foi uma das três marchas pioneiras, ao lado de Campo de Ourique e do Bairro Alto, mas só em 2011 é que conseguiu alcançar a vitória na Avenida, “ao fim de 79 anos olharam finalmente para nós”, conta em tom de desabafo Ivone Neto, presidente do Ginásio do Alto do Pina. Espera que consigam repetir o feito, mais uma vez com a ajuda do “grande senhor das marchas populares”, e que conquistem mais prémios nas restantes categorias. Este ano houve uma maior afluência de inscrições “talvez por que querem ter a possibilidade de desfilar para a vitória”, mas o mais surpreendente é o “regresso de vários marchantes antigos.” A Marcha trará várias surpresas e também revelará mais um pedaço da história do bairro, “vamos fazer uma homenagem à chegada dos ciganos ao Alto do Pina no século XIX”, conta o ensaiador Carlos Mendonça sem deixar transparecer mais detalhes, para além de que esta será “uma marcha muito co-

Ano . VII . n.º . 75 . Maio . 2012

Várias personalidades abrilhantaram com a sua presença a cerimónia de inauguração

Agência Funerária MARVILA Matias & Ferreira, Lda. Gerência a cargo de João Ferreira e Maria da Luz Matias Funerais Trasladações Cremações Tel. 21 859 28 70 Serviço 24 Horas Tlm: 91 457 92 96 — 91 705 69 06 800 207 753

OLIVAIS

Associado N.º 138 ANEL Associação Nacional de Empresas Luteranas

Rua Cristino da Silva, 59-A - 1950-174 LISBOA Número Nacional Grátis (Junto ao Colégio Valsassina) Fax: 21 859 28 71 Dispomos de facilidades de pagamento que vão de encontro às necessidades de cada cliente.

www. funerariamatiaseferreira.com

e-mail: geral@funerariamatiaseferreira.com


Ano . VII . n.º . 75 . Maio . 2012

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

11

Dia das Famílias celebrado em Marvila O grupo comunitário ReMix decidiu assinalar o Dia Internacional das Famílias na Praceta Bento Gonçalves, através de várias actividades que tiveram como principal objectivo mobilizar os moradores e as diferentes instituições desta zona a dar uma nova imagem ao Bairro do Armador.

Este ano há algumas caras novas que vêm trazer mais vida à Marcha

Nuno Lopes aposta na cenografia para marcar a diferença

Uma marcha lutadora Inspirada nas trocas comerciais marítimas, do sal e do vinho, é assim que a Marcha de Marvila se vai apresentar ao público no Pavilhão Atlântico no dia 2 de Junho. Tal como manda a tradição, os marchantes vão envergar trajes coloridos, em tons de vermelho, branco e dourados e vão dar tudo por tudo sob o olhar atento de toda a população.

A F M

É sob o lema “Gentes do Mar, gentes da vila no coração de Marvila” que os marchantes vão descer pela Avenida, a 12 de Junho. Este ano contam com algumas caras novas que vêm trazer mais vida à Marcha como explica Rui Coito, representante da Sociedade Musical 3 de Agosto. Apesar dos novos elementos serem jovens, este dirigente acredita que “acabam por levar esta tradição mais a sério porque querem mostrar o que valem, que têm lugar na marcha e que fizemos bem em apostar neles”. Tal como em edições anteriores a freguesia vai dar o seu melhor apesar das ver-

Não se esqueça de apoiar a marcha do seu coração e compareça no Pavilhão Atlântico, saiba aqui a ordem de apresentação: Dia 1 Junho (Sexta-feira) Voz do Operário; São Vicente; Belém; Alcântara; Beato; Alfama e Bica. Dia 2 Junho (Sábado)

bas este ano serem mais baixas, mas esta é uma “marcha lutadora”. Pretendem ainda mostrar que embora não sejam considerados representantes de um bairro castiço, “estamos cá e queremos ficar nos primeiros patamares”. O ensaiador, Nuno Lopes, pensa da mesma forma: “é uma exigência que faço a mim mesmo, que me imponho e que depois transmito para os marchantes”. Marvila vai apostar na cenografia para marcar a diferença, vai inovar nos passos e dar o melhor de si, como vem sendo hábito. Uma aposta que irá, de certo, dar um brilho especial a esta marcha.

Marcha dos Mercados; Santa Engrácia; Carnide; Graça; Olivais; Mouraria; Marvila; Madragoa; Dia 3 Junho (Domingo) Baixa; Penha França; Ajuda; Campolide; Bairro Alto; Castelo e Alto Pina. Ordem de exibição na Avenida da Liberdade Dia 12 de Junho Voz do Operário Matias e Marcha dos Mercados.

AGÊNCIA FUNERÁRIA MATIAS Gerência de António

Funerais * Cremações * Trasladações

MOSCAVIDE * OLIVAIS * PORTELA Nos momentos mais difíceis conte com a nossa ajuda www.funerariamatias.web.pt CONTACTOS 24 HORAS Loja de Moscavide: Rua Gonçalo Braga, 24 A – 219 444 677 Loja de Odivelas: Rua Dr. Sidónio Pais, 62 B – 219 340 724 Tlms. 917 648 982 – 916 144 835

1 - Ajuda 2 - Penha de França 3 - Olivais ; 4 - Bica 5 - Marvila 6 - Belém 7 - Campolide 8 - Alfama 9 - São Vicente 10 - Beato 11 - Madragoa 12 - Carnide 13 - Alcântara 14 – Alto do Pina 15 - Mouraria 16 - Graça 17 - Baixa 18 - Santa Engrácia 19 - Bairro Alto 20 - Castelo

Pinturas com mensagens inspiradoras cobrem as paredes do bairro O Bairro do Armador é pouco caracterizado pela positiva,devido à pouca manutenção e limpeza que ali se consegue e também porque é frequente o consumo e tráfico de estupefacientes naquela zona. Para combater essa situação, a Associação Entremundos e o Grupo de Teatro Cultural Contra Senso, juntamente com a Junta de Freguesia de Marvila, deram início ao projecto ReMix, que pretende envolver toda a comunidade na mudança de comportamentos. “Esta praceta tem sido alvo de requalificações que estão a decorrer por fases, começamos com a limpeza dos jardins, a construção de canteiros e a colocação de floreiras e depois procedemos à pintura do mobiliário urbano,” explica Ana Esteves, representante da Gebalis, parceira neste projecto. O Dia Internacional das Famílias foi mais um motivo para envolver a população. Nesse sentido, lançaram um desafio a todas as crianças das instituições do bairro para que escrevessem uma frase sobre a família. De entre as mais de 100 propostas recebidas seleccionaram-se as melhores que foram

Nova biblioteca A Câmara Municipal de Lisboa vai criar uma nova biblioteca na Freguesia de Marvila até finais de 2013. A nova biblioteca surge no seguimento do programa estratégico Bibliotecas XXI que prevê, até 2024, duplicar a oferta da capital nesta área dotando-a de oito ‘bibliotecas âncora’ e

depois pintadas nos muros da praceta. A ideia é que “quem chega aqui seja confrontado por estas mensagens que fazem uma pessoa reflectir”, revela Ângelo Campota, dinamizador do projecto ReMix. Paralelamente, estão a dar ainda mais vida e cor ao bairro. Mas as novidades não se ficam por aqui, ainda durante este ano a Praceta Bento Gonçalves vai alargar a sua área de lazer com a conclusão das obras daquela que será a Praça do Armador. “Uma obra que surge da vontade dos moradores que em 2009 solicitaram à Câmara que fosse feito algo para dar continuidade à praceta, que não estava concluída”, revela António Teixeira, representante da Unidade de Intervenção Territorial Oriental da Câmara Municipal de Lisboa. Este será um ponto de encontro entre as várias culturas existentes neste bairro, “vai permitir uma harmonização da população” e até já têm projectos para quando este novo espaço estiver terminado, “vamos organizar um dia de cinema ao ar livre, em Setembro e estamos com a esperança de poder fazê-lo aqui”, adianta Ana Esteves.

18 de bairro. Desta forma, pretende reordenar as bibliotecas de Lisboa e modernizá-las transformandoas em “centros culturais de proximidade” que serão dotados, para além das valências tradicionais, de políticas activas de combate à iliteracia e à exclusão,” conta a vereadora da Cultura, Catarina Vaz Pinto. A Biblioteca de Marvila é considerada prioritária e o investimento, cerca de quatro milhões de euros, é proveniente do Programa de Intervenção Prioritária em Acções de Reabilitação Urbana (PIPARU). As obras deverão estar concluídas até ao final do mandato, ou seja, até finais de 2013.


12

OLIVAIS . PARQUE das NAÇÕES . PORTELA . MOSCAVIDE . MARVILA . BEATO . S. JOÃO . PENHA de FRANÇA

Ano . VII . n.º . 75 . Maio . 2012

O Sporting Clube da Penha é o grupo responsável por levar a Marcha da Penha de França até à Avenida da Liberdade. Mas cabe a José Carlos Mascarenhas a montagem do evento e a garantia de que toda a população fique rendida ao espectáculo. Pelo ritmo com que decorrem os ensaios, o pódio não parece estar muito longe de se alcançar. A palavra de ordem este ano é inovação, mas sempre aliada à tradição.

Concerto de Páscoa

“Uma Marcha muito à frente” A Marcha da Penha de França vai arriscar o tudo ou nada nesta edição das Marchas Populares de Lisboa ao desfilar com um projecto muito arrojado e que vai com certeza agitar as bancadas. “Vai ser uma Marcha muito à frente, mas estamos preparados para correr o risco”, revela Paulo Lemos, representante do Sporting Clube da Penha. “É preciso motivar os jovens

a participarem nas marchas, se continuarmos sempre com o mesmo método e com as mesmas rotinas não conseguimos.” Este ano receberam muitas inscrições e após uma criteriosa selecção foram aceites alguns elementos novos, sendo que mais de metade são marchantes que já participaram em anos anteriores. “Tivemos de escolher a dedo de-

Os marchantes estão preparados para dar o seu melhor

AGÊNCIA FUNERÁRIA de SANTA MARIA DOS OLIVAIS Gerência de: Ivone Matias e Mara Pereira

Funerais Trasladações Flores

Segurança Social Gratuita

SERVIÇO PERMANENTE Telefs. 21 851 24 29 TM: 91 990 65 33 TM: 91 439 29 46 Rua Circular Norte, Bairro da Encarnação N.º 12 B - 1800-134 Lisboa

vido ao projecto a que nos propomos, como exige muito das pessoas tínhamos que seleccionar aqueles que correspondessem às nossas expectativas”. Sob o tema “A Penha de França apresenta” o desfile será composto por três momentos distintos: um faz a homenagem ao Fado, outro faz referência aos 80 anos de Marchas Populares e por fim será abordada a ligação Portugal e Brasil. É este último trecho que vai deixar toda a gente rendida aos encantos dos marchantes da Penha. “Trata-se de um espectáculo dentro de outro espectáculo onde iremos recriar vários êxitos do cinema nacional e internacional”. O EXPRESSO do Oriente assistiu a um dos ensaios e pode assegurar que os ritmos são contagiantes e a letra das músicas vai ficar na cabeça de quem assistir ao desfile. Com José Carlos Mascarenhas na produção e direcção da Marcha, este ano pode mesmo esperar-se tudo, “o que mais quero é que haja muito dinamismo e alegria e que no final seja um belo espectáculo”. Para o ensaiador este é um projecto aliciante e que está “a correr bem.” Recorda que a Penha de França, “nos seus melhores anos, foi de tradição e inovação, procurando sempre por novos caminhos.” As Marchas Populares atraem milhares de pessoas à Avenida, muitas delas de outros países e, por isso, “há que investir naquele que é já um fenómeno de popularidade”. Até ao fecho desta edição ainda eram desconhecidos os padrinhos.

Realizou-se na Igreja da Nossa Senhora da Penha de França, no dia 22 de Abril, o Concerto de Páscoa, uma iniciativa de cariz cultural e religioso que contou com o apoio da Junta de Freguesia. Participaram neste concerto os grupos corais do Metropolitano de Lisboa e da Região Sul da Ordem dos Engenheiros, dirigidos pelo maestro João Crisóstomo; o grupo coral ARS Música, de Almada, sob a batuta do maestro Carlos Santos Silva e o coro do Tribunal de Contas, “Cantus Certus”, dirigido pelo maestro Victor Roque Amaro. As largas dezenas de pessoas presentes puderam ouvir ao longo de hora e meia a excelência das vozes dos quatro coros que interpretaram obras de Sebastian Bach, Mozart, J. Dowland, Carlos Santos Silva, entre outros.

“Manhã do Ambiente”

Um grupo de voluntários dos “oito aos oitenta” participou, no dia 12 de Maio, em mais uma operação de limpeza e sensibilização ambiental decorrida em algumas das principais artérias e jardins da Freguesia da Penha de França. Esta iniciativa, “Manhã do Ambiente”, promovida pela Junta de Freguesia da Penha de França, incluiu a limpeza do lixo acumulado nas ruas, a colocação de fitas “espanta-pombos” e a entrega de sacos para a recolha de dejectos caninos. As “Manhãs e Tardes do Ambiente”, são uma iniciativa da Junta de Freguesia destinada a sensibilizar e alertar a população para a necessidade de alterar comportamentos. Afinal, manter a Freguesia limpa é uma responsabilidade de todos.

1350 novas plantas ornamentais A política da Junta de Freguesia da Penha de França, de contínua renovação e revitalização da vegetação dos espaços ajardinados, ganhou um novo impulso durante o mês de Maio com a colocação de 1350 novas plantas ornamentais de exterior em diversos locais do bairro. Esta “revolução verde” terá ainda novos desenvolvimentos no futuro contribuindo assim para que a Penha de França se apresente como uma das freguesias alfacinhas com maior qualidade de vida. Nesta intervenção, inserida no plano verde da Freguesia, foram colocadas 400 hederas nos canteiros situados no final da Av. Mouzinho de Albuquerque, 200 agapantos e 50 euriops no espaço ajardinado do Mercado de Sapadores, 300 agapantos e 50

euriops na Praça António Sardinha e ainda 400 agapantos e 150 hederas no logradouro da Carlos Ribeiro. Esta acção con-

tou com a colaboração da Divisão de Manutenção de Espaços Verdes da Câmara de Lisboa, que forneceu as plantas.

1350 - É o número de novas plantas colocadas pela Junta, no mês de Maio, nos espaços ajardinados da Freguesia.


Ano . VII . n.º . 75 . Maio . 2012

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

Muito mais do que teatro:

uma escola de vida! As Oficinas de Teatro da Junta de Freguesia da Penha de França estão, desde há 10 anos, a oferecer à população o que de melhor se faz no teatro comunitário e este ano o projecto foi alargado ao teatro juvenil e sénior, abrindo assim as portas a todos aqueles que desejem seguir uma carreira no mundo das artes. Um projecto criado pelo encenador João Ferrador e que a Junta de Freguesia desde logo apoiou. Com o teatro comunitário surge um novo público, composto pelos familiares e amigos dos participantes e também pelos próprios moradores do bairro, “se calhar grande parte nunca tinha ido ao teatro”, ressalva João Ferrador. O teatro torna-se assim num aliado incontornável para “o desenvolvimento da sociedade”. É importante envolver o público e a adesão das pessoas aos espectáculos tem sido enorme “o que me surpreendeu bastante”. O espírito vivido na plateia faz recordar “um pouco a fase inicial do teatro em que as pessoas lançavam os seus “bitaites” para o palco e abandonavam os espectáculos a meio se não gostassem.” Para João Ferrador “o objectivo não é ser somente uma escola de actores mas dar bases. Desfazer os nós que ganhamos quando crescemos e vencer medos dando confiança. É estimular a criatividade e a imaginação, que é algo que nos acompanha a nossa vida toda”.

A arte de representar Dar os primeiros passos na arte de representar é pos-

O que de melhor se faz no teatro comunitário está na Penha de França, mais precisamente nas Oficinas de Teatro da Junta de Freguesia. Um projecto que resulta da dedicação de todos os alunos e que tem as portas abertas para receber todos os interessados em conhecer esta arte mas também em explorar capacidades pessoais que desconheciam existir. Aqui, todos trabalham juntos para conseguir cumprir um mesmo objectivo.

Representação de “As criadas que não são de Genet “

sível para qualquer um, “não é preciso ser-se actor para se inscrever ou querer ser um.” Por vezes, quando as coisas são baratas as pessoas têm tendência a duvidar da sua qualidade, mas “não quer dizer que não tenhamos aqui grandes potenciais, como se trata de

teatro comunitário tem que ter preços acessíveis, aliás, vários alunos que passaram por aqui estão a trabalhar nesta área”. Representar é algo que há uns anos tem vindo a fazer parte da vida de Filipe Barbosa, de 43 anos, que além de ter tido pequenos papéis

Há 10 anos a fazer teatro Ao longo de dez anos foram vários os espectáculos apresentados ao público de todo o país, tendo alguns deles contado com a presença de vários actores profissionais como Adelaide João, José Mateus, Cláudia Negrão, José Henrique Neto, Leonor Alcácer, Mafalda Matos, Eric Santos, Guilherme Barroso, Alexandra Sedas e muitos mais. Outros começaram o seu percurso artístico nas Oficinas da Penha de França, como é o caso de Ana Guiomar, que iniciou a sua carreira aqui aos 15 anos e depois entrou nos Morangos com Açúcar; ou a jovem Beatriz Coelho que agora figura na novela Rosa Fogo ou ainda o caso de José Gonçalo Reis que acabou por estagiar em Madrid, através do projecto Inovarte e agora está a trabalhar no país vizinho. As Oficinas de Teatro funcionam em quatro grupos distintos: Teatro Infantil, com a professora Francisca Lima; Teatro Juvenil, com Welquet Bungué; Teatro Adultos, com João Ferrador e Teatro Sénior, leccionado por Leonor Alcácer.

AGÊNCIA FUNERÁRIA DE MOSCAVIDE Gerência: FERNANDO ALVES ROSA, Lda.

52

OLIVAIS PORTELA anos SACAVÉM 1960/2011 PARQUE DAS NAÇÕES

CONTACTE-NOS: Para prevenir as despesas com o funeral, a partir de 10,10 / mês Para pessoas até aos 75 anos de idade Fax: 21 944 31 57 . 21 851 60 00 21 945 72 25 TM: 91 830 98 00 Sede: Rua Almirante Gago Coutinho, 15 A 1885-036 Moscavide (Frente ao Jardim) FILIAL: Rua José Augusto Braamcamp, 26 2685-071 Sacavém — afmoscavide@netcabo.pt

já conseguiu integrar algumas telenovelas nacionais. A vontade de crescer foi muita e por isso inscreveuse nestas aulas mas foi sobretudo para ajudar a superar a sua timidez. Gostava de ser actor amador da Freguesia, “só que não temos um espaço para espectáculos, o que é de lamentar uma vez que temos as oficinas e não temos onde actuar”. Este é o segundo ano que frequenta o curso e pela sua experiência “esta é uma forma de valorização pessoal, sobretudo para quem é muito fechado. Aprende-se algo que é útil, aprende-se a ter uma postura diferente na vida e a saber estar em público e perde-se a vergonha. Tem o poder de nos fazer sentir melhores perante várias situações”. Ao final de um dia de trabalho e de outras actividades em que está envolvido, João Eleutério, de 32 anos, ainda consegue arranjar um tempinho para as Oficinas de Teatro, “cansa mas chego ao final do dia com um

sorriso no rosto”. Da área empresarial e das ciências e sem qualquer tipo de experiência no mundo das artes, decidiu soltar “o bichinho que tinha cá dentro” e mergulhar de cabeça neste desafio que “aceitei com todo o gosto, pois acredito que é uma boa forma de conviver, de distrair e de partilhar.” Esta é uma boa escola “para o desenvolvimento pessoal, especialmente para pessoas que tenham que trabalhar com o público, não sei se é por causa do professor pois existe tanta gente a vir para aqui, até de outras áreas de Lisboa”. A fama das Oficinas da Penha de França já chegou ao concelho de Oeiras e é de lá que vem Ana Paula, de 44 anos. Desde jovem que se interessa pelo teatro e chegou a participar em alguns espectáculos mas aos 16 anos começou a descuidar-se dos estudos e os pais fizeram-na desistir. Depois, veio “a faculdade e o trabalho e acabei por dei-

13

xar de lado e s t a minha paixão”. Anos mais tarde decide regressar, no entanto, revela que “para mim não é importante ser actriz, estou aqui mais por uma questão de desenvolvimento pessoal”. Em poucos dias apercebeu-se que estas aulas estavam a ajudá-la a descobrir-se melhor, “aprendi coisas sobre mim que desconhecia e sinto que está a ajudar-me a trabalhar as minhas emoções. No nosso dia-a-dia começamos a ter uma outra predisposição para fazer coisas para as quais não tínhamos vontade, ou não fazíamos por sermos tímidos”. Ana Paula aproveitou para louvar este tipo de iniciativas e afirma que “se houvesse mais poderes locais a promover estas acções talvez fosse melhor para a comunidade”.

O EXPRESSO do Oriente transporta-lhe informação de toda a Zona Oriental de LISBOA


14

OLIVAIS . PARQUE das NAÇÕES . PORTELA . MOSCAVIDE . MARVILA . BEATO . S. JOÃO . PENHA de FRANÇA

Ano . VII . n.º . 75 . Maio . 2012

Despedida de Solteiro no Casino Lisboa Os noivos de Santo António contam com uma memorável Despedida de Solteiro oferecida pelo Casino Lisboa que, pelo sexto ano consecutivo se associa à Câmara Municipal de Lisboa, no âmbito dos Casamentos de Santo António, para um evento incontornável na tradição popular da cidade de Lisboa.

Linha de apoio a idosos

800 204 204

Oceanário está de parabéns

O lado romântico das ruínas O Casino Lisboa tem patente, até 18 de Junho, a exposição fotográfica “Ruin’Arte - o lado romântico de cada ruína”, uma compilação de vários anos de trabalho de Gastão de Brito e Silva. Com esta mostra, o artista pretende chamar a atenção para a degradação do património arquitectónico de Portugal. De acordo com Gastão de Brito e Silva “Ruin’Arte” é o “lado romântico que cada ruína transporta… é uma história mal acabada, arquitectura desleixada, cultura mal-amada, património incompreendido, paisagens sem sentido. São ruínas industriais, urbanas, clericais, palacianas, rurais, humanas.” A exposição está patente ao público de 28 de Maio a 18 de Junho. Apoio EXPRESSO do Oriente

Carneiro: 21/03 a 20/04 Andas deprimido porque toda a gente tem mandado bocas a dizer que és gordo. Não fiques assim!... Apesar do que os outros pensam, tu és bem maior do que isso! Touro: 21/04 a 21/05 A vida é cheia de obstáculos mas também de surpresas e momentos inesquecíveis. Tu nasceste sem pedir e vais morrer sem quereres! Por isso, os astros aconselham-te a aproveitares melhor o intervalo. Gémeos: 21/05 a 20/06 Antigamente tu costumavas ficar a um canto a falar sozinho, mas hoje em dia isso mudou. Agora tu vais para o Facebook e para o Twitter falar sozinho para um monte de gente. Caranguejo: 21/06 a 22/07 Estás a entrar naquela fase da vida conhecida por meiaidade. É quando o trabalho já não dá mais prazer e o prazer começa a dar trabalho. Leão: 23/07 a 22/08 Para ti só existem dois tipos de pessoas neste mundo: as que concordam contigo, e as que estão equivocadas! Estou certo ou estarei a fazer confusão com outra pessoa qualquer? Virgem: 23/08 a 22/09 Ao final do dia dás contigo a pensar no seguinte: Gostava de ter a quantidade de amantes que a minha mulher pensa que tenho, a quantidade de dinheiro que os meus amigos pensam que tenho e a beleza que a minha mãe diz que tenho... Balança 23/09 a 22/ 10 És como um queijo Suíço, aquele cheio de buracos: quanto mais buraco, menos queijo. Quanto mais queijo, mais buracos. Então a grande questão é: quanto mais queijo, menos queijo? Esquece! Escorpião: 23/10 a 21/11 Este mês sentes um prazer especial em criar lutas e brigas em bares e restaurantes, mesmo quando não há nada para reclamar começas a inventar histórias mirabolantes para os teus amigos se meterem... Vai dar molho! Sagitário: 22/11 a 21/12 Se andas à procura de alguém para um relacionamento sério não escolhas um Gémeos, pois eles têm sempre namoradas aos pares. Não é por maldade,é defeito de fabrico. Capricórnio: 22/12 a 19/01 Este mês vais andar tão preocupado com tudo o que se passa ao teu redor, todos os mexericos e novidades que nem te vais aperceber do que se está a passar dentro da tua própria casa. Os astros aconselham-te a abrires a pestana. Aquário: 20/01 a 18/02 A meia que não combina com a cor do sapato, a cor do cabelo que não combina com o tom de pele e o hálito não combina com o perfume. É só meter água... Peixes: 19/02 a 20/03 Em Junho vais dançar em tudo o que é arraial, vais comer todas as sardinhas que puderes e beber toda a sangria que conseguires. Lá para Julho vais ter uma crise de fígado mas até lá encheste o papinho...

Atendimento Social Serviço de Acção Social da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa Praça José Queiroz, 1 Piso 3 - Edifício Entreposto Tel: 21 855 41 00 Espaço “LX Jovem” - Tel: 21 831 41 83 Outros Atendimentos Correios do Aeroporto de Lisboa 21 843 50 50 Correios de Cabo Ruivo - Tel: 21 831 84 71 Correios de Chelas - Tel: 21 831 04 10 Farmácias Farmácia Almeida Vaz - Rua Luís Cristino da Silva, Lt. 248 Lj. 92 - Tel: 21 859 56 73 Farmácia Barros Gouveia - Rua Vale Formoso de Cima, 79 B - Tel: 21 859 51 80 Farmácia Falcão - Rua Rui de Sousa, Lt. 65 A Tel: 21 859 65 65 Farmácia Freitas - Rua Vale Formoso, 23 A Tel: 21 868 11 36 Farmácia de Marvila - B.º Marquês de Abrantes, Lt.s. 35 e 36 - Tel: 21 859 48 00 Farmácia Sacramento - Rua Actriz Palmira Bastos, 42 Lj. Dt.ª - Tel: 21 859 09 04 Farmácia Santo António - Avenida Paulo VI, 14 Lj.ª Tel: 21 839 43 14 Farmácia Santos Silva - Praça Raul Lino, Lt. 226 Loja 22 Tel: 21 859 12 65 Farmácia Serejo - Avenida João Paulo II, Lt. 531, Lj.ª B Tel: 21 859 26 11 Farmácia Pontes Leite / Serra Av. François Mitterrand, 39 B Tel: 21 859 37 20 Hospitais Hospital D. Estefânia - Rua Jacinta Marto Tel: 21 312 66 00 Hospital Santo António dos Capuchos - Alameda Santo António dos Capuchos - Tel: 21 313 63 00 Hospital de Santa Maria - Av. Prof. Egas Moniz Tel: 21 780 50 00 / 21 780 56 10 Hospital São José - Rua José António Serrano Tel: 21 884 10 00 Maternidade Alfredo da Costa Rua Viriato Tel: 21 318 40 00/29 Saúde Centro de Saúde de Marvila - Rua Dr. Estevão de Vasconcelos, 56 - Tel: 21 862 07 51 - 21 868 69 51 Centro de Saúde - Dr. José Domingos Barreiros Beco da Mitra, 2 - Tel: 21 861 86 00 Unidade de Saúde dos Lóios - Tel: 21 836 60 75 Unidade Local de Saúde - da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa do Bairro do Armador Av. Virgílio Ferreira, Lt. 770, R/C Bairro do Armador - Tel: 21 831 07 90/5 Clínica de Chelas Av. Dr. Augusto Castro, Lt. 107. Lj. A e B Tel: 21 859 30 40 - Tel: 21 837 30 40 LPDM - Liga Portuguesa dos Deficientes Motores Tel: 21 859 14 61/ 21 859 22 70 Segurança PSP 14.ª Esquadra Amendoeiras Tel. 21 837 40 60 - 21 838 07 24 16.ª Esquadra Condado Tel. 21 837 48 82 - 21 838 07 21 38.ª Esquadra Flamenga Tel. 21 837 39 88 - 21 838 07 25 Comando de 2.ª Divisão Tel. 21 854 72 00 - 21 853 64 08 GNR Comando - Tel. 21 321 70 00 Polícia Judiciária - Tel. 21 726 80 22 Polícia Municipal - Tel. 21 782 52 00 Regimento de Sapadores Bombeiros Tel. 21 396 31 41 - 808 20 32 32 Serviços Públicos EPAL (Assistência Domiciliária) Tel: 800 201 101 EPAL (Roturas) - Tel: 800 201 600 EDP (Fugas de gás) - Tel: 21 868 53 09 Intoxicações - Tel: 21 795 01 43 Linha Vida - Tel: 1414 (gratuita) SOS Voz Amiga - Tel: 21 354 45 45 B.S. Bombeiros - Tel: 21 342 22 22 Transportes ANA - Aeroporto de Lisboa Tel: 21 840 20 60 - 21 841 35 00 CARRIS - Tel: 21 361 30 38 CP - Tel: 808 208 208 Metropolitano - Tel: 21 355 84 57 Táxis Tels: 800 20 01 43 800 20 08 46 - 800 20 66 23

O Oceanário de Lisboa, reconhecido como um equipamento educacional para a conservação dos oceanos, de cultura, de lazer e de referência no panorama nacional, celebrou o seu 14.º aniversário. Um local único e inesquecível onde é possível admirar milhares de espécies marinhas e que surpreende a cada visita.

Este espaço emblemático recebe, todos os anos, cerca de um milhão de pessoas, tornando-o num dos equipamentos culturais mais visitados de Lisboa. Para além da exposição permanente, onde é possível admirar mais de oito mil animais e plantas, o Oceanário de Lisboa abriu no ano passado a exposição temporária “Tartarugas marinhas. A viagem”, totalmente dedicada à jornada de vida destes simp´ticos répteis. Os mais pequenos e as suas famílias têm ainda a oportunidade de assistir ao espectáculo musical infantil “Careta, a tartaruga que defende o planeta!”.

Prémios de literatura e de fotografia À semelhança do que vem acontecendo nos últimos anos, o Casino Lisboa volta a patrocinar os Prémios de Literatura e de Fotografia do Parque das Nações. Integrados no Festival do Parque das Nações, estes galardões constituem uma iniciativa da Associação de Moradores e Comerciantes do Parque das Nações que visa premiar os trabalhos que se destacam entre todos os que forem apresentados.

Moscavide Florida A população de Moscavide participou na Festa da Flor, uma iniciativa que teve lugar junto à igreja local. Vários espectáculos musicais que contaram com a presença de Helena Palma, Duo Paulo, Carlos Franco, Karitha Max e Alex.

Funerária Palma dos Olivais 15% desconto a sócios e familiares dos Bombeiros Voluntários de Cabo Ruivo

José Abreu

Rua Cidade de Benguela, Lote 300 Loja J (Junto ao cemitério dos OLIVAIS)

1800-071 Lisboa Serviço Permanente Tels: 211 083 000 918 121 155 / 919 122 298


Ano . VII . n.º . 75 . Maio . 2012

OLIVAIS - PARQUE das NAÇÕES - PORTELA - MOSCAVIDE - MARVILA - BEATO - S. JOÃO - PENHA de FRANÇA

15

ex p r op r e s s a m e i b i nte do

40 medidas do OE para 2013 A cada porca

Olha... olha. Engoliu-me o cartão e agora também me quer engolir!!!

Um exemplo de inivação

o seu parafuso

Brevemente: pastelinhos para fora

1. Por cada neto que nascer vão ter de morrer 2 avós. 2. Comércio tradicional vai pagar IVA de 23 % 3. Trabalho escravo regressa, mas apenas com contratos a prazo. 4. O eléctrico 28 vai fazer a ligação Alfama - Sines Salamanca em bitola alfacinha . 5. Governo vai aumentar a segunda-feira para 48 horas. 6. Subsídio de Natal vai ser um par de meias para receber as prendas do Santa Claus. 7. Horas extraordinárias vão ser pagas com desenhos do filho do ministro das Finanças. 8. Metro do Porto vai voltar a ser uma piada. 9. O IVA do vinho depende do que se aguenta. 10. Bancos vão poder servir mini-pratos ao balcão . 11. Diferença horária para os Açores vai aumentar 15%. 12. Quebra de produção com feriados santos vai ser compensada com trabalho forçado de padres. 13. Casais com mais de três filhos vão ter de reduzir um. 14. Taxas moderadoras podem ser pagas com sexo. 15. Reformas antecipadas ficam congeladas até Manoel de Oliveira parar de filmar. 16. TSU de empresas de empresários supersticiosos cai 13%, se eles quiserem, eles é que sabem... 17. Juízes perdem subsídio de renda e vão passar a ir dormir a nossa casa. 18. Pensionistas do Estado com pensões inferiores a 485 euros vão poder trocar consultas por órgãos. 19. TSU de empresas com gestores com hipermetropia vai descer 0,0000000000000001 pontos. 20. IVA dos restaurantes pode ser levado para casa. 21. Portuguesas com um sexto sentido vão ter que desistir de um dos outros . 22. Vai haver portagens à saída das maternidades. 23. São proibidos ajuntamentos de mais de 3 pessoas junto das caixas multibanco. 24. IVA da Coca-Cola aumenta se agitarem as embalagens. 25. Desempregados vão formar empresa de logótipos humanos para eventos em estádios. 26. Vai haver portagens à entrada do tribunal de Oeiras. 27. Madeira vai ser alugada para experiências nucleares. 28. EPAL vai cobrar taxa nos sonhos húmidos. 29. Pelo princípio do utilizador-pagador, pessoas com três rins vão pagar mais taxa de esgoto. 30. RTP fica só a dar música sacra até à Páscoa. 31. Portugueses nascidos a 29 de Fevereiro vão deixar de ter documentos. 32. TSU das empresas de pesca vai descer assim (fazer gesto do tamanho que quiser com as mãos). 33. TAP vai fazer a ligação por terra Sines-Entroncamento. 34. Militares vão substituir bombeiros nos seus deveres conjugais. 35. Reformados que ultrapassam a esperança média de vida serão proibidos de andar na rua. 36. TSU das empresas de Duarte Lima vai descer sete palmos. 37. As SCUT vão poder ser percorridas a pé por metade do preço. 38. Castrados vão perder o abono de família. 39. Escolas passam a distribuir rações de combate ou, em alternativa, refeições da TAP. 40. A força vai passar a ser igual a metade da massa vezes a aceleração.


16

OLIVAIS . PARQUE das NAÇÕES . PORTELA . MOSCAVIDE . MARVILA . BEATO . S. JOÃO . PENHA de FRANÇA

Ano . VII . n.º . 75 . Maio . 2012 Com o apoio do EXPRESSO do Oriente

Recicle o seu Guarda-Roupa Pelo segundo ano consecutivo os visitantes do Spacio Shopping, nos Olivais, vão poder reciclar o guarda-roupa e gastar muito pouco dinheiro através da iniciativa “Recicle o seu Guarda-Roupa – Uma Boa Razão”. A campanha decorre de 9 de Maio a 10 de Junho. Os clientes do Spacio Shopping vão poder entregar peças de vestuário, novas ou usadas, no espaço localizado no piso 1 do centro comercial. Em troca, recebem vales de compra com um valor simbólico mas que farão toda a diferença na hora de pagar. Os descontos são válidos até dia 11 de Julho de 2012 para a aquisição de roupa nova em qualquer loja do Spacio. A roupa entregue será posteriormente doada à Comunidade Vida e Paz, uma instituição que se dedica à recuperação das pessoas sem-abrigo tendo por objectivo a sua reinserção familiar, social, escolar e profissional. Na primeira edição do Recicle, esta campanha recolheu quase seis mil peças de roupa, que foram doadas à Ajuda de Mãe, Paróquia dos Olivais, Núcleo Regional Sul da Liga Portuguesa Contra o Cancro, Fundação Cardeal Cerejeira e Paróquia da Portela. A roupa que já não usa é aqui um trunfo para ajudar quem precisa, além de lhe proporcionar aliciantes descontos em compras no Spacio. Participe.

Spacio de Artistas O Spacio Shopping está sempre a inovar nas actividades que tem para oferecer aos visitantes. Desta vez vai acolher uma exposição de pintura e escultura de Joana Marques e Marius Moraru que estará patente de 11 a 30 de Junho. A francesa Joana Marques é licenciada em Artes Plásticas – Pintura pela FBAUP. Nas suas multifacetadas formas de expressão artística expõe as suas observações paisagísticas, sociais e quotidianas. Por sua vez, Marius Moraru nasceu na Transilvânia romena e formou-se em escultura pela Escola Nacional de Belas Artes Sibiu. As suas obras estão presentes em diversas colecções particulares em variados países, bem como no interior de vários edifícios públicos, como hotéis e instituições na Europa.

Atletas portugueses sobem ao podium

Banho de Ouro A selecção lusa conquistou 30 medalhas: nove de ouro, 12 de prata e nove de bronze no 2.º Campeonato do Mundo para atletas com Síndrome de Down que decorreu no Estádio João Paulo II em Angra do Heroísmo, nos Açores. Portugal brilhou nesta competição que contou com a presença de atletas de 12 países ao arrecadar várias medalhas, três delas conquistadas no último dia pela açoriana Maria João Silva, que obteve o ouro nas provas de 1.500 e 800 metros marcha e em estafeta. Para o seleccionador José Costa Pereira “a vitória colectiva de Portugal e no medalheiro final, assim como, os êxitos pessoais da açoriana Maria João Silva com três medalhas de ouro e três recordes do mundo fizeram-nos festejar com um banho de ouro”. Em 2013 tem lugar a Competição Europeia, em Roma e a próxima edição do Campeonato do Mundo de Atletismo para atletas com Síndrome de Down realiza-se dentro de dois anos, na África do Sul.

Arraial dos Navegantes A zona Norte do Parque das Nações realiza mais um Arraial dos Navegantes – Santos Populares, nos dias 1, 2 e 3 de Junho. Tal como aconteceu em anos anteriores, esta festa tem como objectivo a angariação de fundos em “porquinhos mealheiro” para a construção da Nova Igreja do Parque das Nações.

Edição n.º 75 de Maio de 2012  
Edição n.º 75 de Maio de 2012  

Conheça os casais de Santo António da zona Oriental de Lisboa, saiba quais os temas que as marchas vão levar até à Avenida e fique a conhece...

Advertisement