Page 1

ACESSE: WWW.EXPRESSOLITORAL.COM.BR

MARÇO DE 2019 | Nº 7 | PERIODICIDADE: MENSAL | GRATUITO

E

LITORAL NORTE

CARAGUATATUBA

Verba no turismo: mais de R$ 31 mi para o LN

Prefeitura e Sabesp: obras no J.Califórnia e Gaivotas

Governo do Estado de São Paulo libera recursos para as quatro cidades da região

Serviço está estimado em mais de R$ 1,3 milhões, com 80 ligações de esgoto

PÁGINAS 6 e 7

PÁGINAS 4 e 5

LITORAL NORTE

Violência contra mulher cresce 134% no Litoral Norte de SP em 2018 Número de casos dobrou em relação a 2017 e cotidiano violento para as mulheres continua após mais de 40 anos da oficialização do Dia Internacional da Mulher PÁGINAS 4 e 5 RAIANA BITENCOURT | EXPRESSO LITORAL

ILHABELA

SÃO SEBASTIÃO

Paratleta representa cidade em mundial

CIDADE COMPLETA 383 ANOS NESTE MÊS DE MARÇO

Jovem com pouco tempo no esporte surpreendeu PÁGINA 2

Expresso Litoral traz reportagens e entrevistas exclusivas, conteúdos especiais e muito mais para comemorar os 383 anos de emancipação político-administrativa do município


2

EDITORIAL

EXPRESSO LITORAL NOSSA REDAÇÃO Rua Vereador Mário Olegário Leite, 45, sala 15, centro, São Sebastião [SP].

JORNALISTA RESPONSÁVEL Cláudio Rodrigues MTB: 74.043/SP

ACHE A GENTE NAS REDES www.facebook.com/expressolitoral www.instagram.com/expressolitoral

QUER ANUNCIAR? [12] 97412.7585 www.expressolitoral.com.br

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

NOSSOS REPÓRTERES Rafael César Raiana Bitencourt [estudante de Jornalismo] Nicolas Cantagesso [estudante de Jornalismo] Gabriela Pertanella [estudante de Jornalismo]

MAIS INFORMAÇÕES O Expresso Litoral circula mensalmente e é uma publicação da Agência DNC Comunicação [CNPJ: 31.747.666/0001-31]. A tiragem é de 5 mil exemplares. Todos os direitos são reservados. É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo.

Apenas 6 meses de um sonho

D

esde o início da elaboração do projeto do Expresso Litoral, em março de 2018, nós estamos vivendo um sonho – que, confesso, não sei quando vai acabar. Porque nós gostamos de viver sonhando, de acordar todos os dias motivados para tornar realidade. Em todas as edições, eu tento usar esse espaço para escrever o que o meu coração sente. É terça-feira de Carnaval, são 8h21. Dessa vez, digito em casa. Não fui ao escritório. As reportagens para a 7ª edição estão prontas. Estamos nalizando o processo de diagramação para enviar o jornal à gráca. Sempre deixo para escrever este editorial por último, quando estou “com a mente

O Expresso Litoral é uma empresa que entende a comunicação como forma de engajar, construir e ampliar o relacionamento com as pessoas livre”. É um texto curto, porém com muito sentimento. Tento, em aproximadamente 1,5 mil caracteres, contar a você, leitor, como é o Expresso Litoral. Como cada integrante dessa equipe se sente. E nós queremos sonhar com um mundo diferente. Estar aqui é abdicar de um futuro nanceiro melhor, talvez. É acreditar que com o jornalismo podemos contar histórias que mudam vidas. Cada um, cada membro dessa

equipe, com o seu jeito, com a sua característica, busca sonhar com isso todos os dias. O Expresso Litoral é uma empresa que entende a comunicação como forma de engajar, construir e ampliar o relacionamento com as pessoas. Por meio de conteúdos de qualidade e credibilidade em diferentes plataformas, reforçamos o compromisso de ajudar a desenvolver o estado e amplicar as múltiplas vozes da nossa região. Aqui, fazemos com o

coração: nossa paixão pela comunicação é motivo de orgulho e se reete na qualidade das nossas entregas. Fazemos para todos: temos a responsabilidade de contribuir para o desenvolvimento da sociedade e das comunidades onde atuamos. Fazemos para superar: somos obstinados por superar resultados e sermos os melhores sempre. Fazemos com coragem: encaramos de frente os desaos, abraçamos as mudanças e imprimimos o “espírito beta” em tudo que fazemos. E fazemos com a razão: atuamos com ética e seriedade, imprimindo credibilidade em tudo que fazemos. Isso é ser Expresso Litoral. Para nós, isso é fazer jornalismo. Seja bem-vindo a 7ª edição desse sonho. Boa leitura.

ARTIGO

Leia mais em www.expressolitoral.com.br

CLUBE PORTAL DA OLARIA CNPJ 50.320.977/0001-64

Fundado em 22.01.2983

EDITAL Nº 01/2019 A Diretoria do Clube Portal da Olaria no uso das atribuições estatuárias conferidas pelo artigo 27, §único, convoca os Srs. Sócios devidamente habilitados na forma do artigo 28, § único, e § 2º e artigo 40, § primeiro do regimento interno, para REUNIREM-SE em sua sede social, à Rua da Juventude, nº 35 bairro Portal da Olaria, nesta Cidade de São Sebastião-SP, no dia 06 de março de 2019, quarta-feira, às 19:00 horas em PRIMEIRA CONVOCAÇÃO com a maioria absoluta dos associados habilitados, ou às 20:30, em SEGUNDA CONVOCAÇÃO, esta com qualquer número de associados habilitados presentes, para deliberarem a seguinte ORDEM DO DIA: a) Aprovação do balanço anual; b) Apresentação das chapas inscritas para a eleição da DIRETORIA e CONSELHO FISCAL, de acordo com o edital 01/2019 de 19 de fevereiro de 2019; c) Eleição da Diretoria para o biênio 2019/2021. São Sebastião 19 de fevereiro de 2019 Maria Zeneide N.S Moraes Presidente

CHARGE

HENRIQUE SAMPAIO

@HENRIQUESAMPAIOJV


3

ALEX DAMASCENO Profissional de Educação Física Especialista em fisiologia do exercício

Nova reforma da previdência: entenda a proposta

Exercício físico x obesidade

No dia 20 de fevereiro, o presidente da República Jair Bolsonaro entregou pessoalmente ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, o texto da nova proposta intitulada como a “Nova Reforma da Previdência” (PEC6/19). De forma sucinta, destacamos os principais pontos de reforma. Idade mínima – para se aposentar, mulher deverá ter no mínimo 62 e homem, 65 anos, igualando a exigência para o funcionário público e privado. Mudança no cálculo do benefício – para alcançar 100% do benefício o recolhimento chegará a 40 anos de contribuição. Regras de Transição – há três regras: por pontos, idade mínima e com um pedágio de 50 % do tempo restante. Mudanças na alíquota de contribuição – haverá a unicação das alíquotas do Regime Geral (INSS) e do Regime Próprio (Servidores) e quem ganha mais pagará mais. Em ambos os regimes, a alíquota será progressiva e partirá de 7,5% até 16,79%, a depender da faixa salarial. Pensão por morte – será reduzida de 100% para 60% para cônjuge/companheiro acrescido de 10% por dependente adicional. Em caso de morte por acidente do trabalho ou doenças prossionais o percentual permanecerá em 100%. Aposentadoria por incapacidade permanente (invalidez) – O cálculo partirá de 60% e com acréscimo de 2% por ano de contribuição que seja superior a 20 anos, multiplicado pela média dos salários de contribuição nesse período. Assim como a pensão por morte, em caso de invalidez decorrente de acidente de trabalho ou doenças prossionais, o benefício será de 100%. Servidores Públicos – a idade mínima seguirá o Regime Geral (62/65), com tempo mínimo de contribuição de 25 anos, contados com 10 anos no serviço público e 5 anos no cargo. Professores – No Regime Próprio, terão idade mínima única de 60 anos, com 30 anos de contribuição e as mesmas exigências referentes ao tempo de serviço público dos demais servidores. Pelo Regime Geral, a idade mínima e a contribuição dos professores serão iguais ao Regime Próprio. Limites ao acúmulo de benefícios – O beneciário deverá optar por 100% do maior benefício, acrescido de uma porcentagem da soma dos demais, que varia de 20% a 80% a depender da quantidade de salários mínimos do benefício não escolhido. Benefícios Assistenciais (BPC) – Para os decientes a regra não muda, permanece 1 salário mínimo, sem limite de idade. Já para os idosos em situação de miserabilidade, a renda mensal evoluirá ao longo das idades, partindo dos 60 anos com o valor de R$ 400,00 e a partir dos 70 anos passará a 1 salário mínimo. Desoneração ao empregador – Será retirada a obrigatoriedade prevista de recolhimento mensal e do consequentemente pagamento da multa de 40% do FGTS no ato da rescisão contratual dos empregados já aposentados pela Previdência Social.

A obesidade é um distúrbio metabólico caracterizado por um estado inamatório crônico e acumulo excessivo de gordura corporal. Hoje é considerado um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. Dados do Ministério da Saúde mostram que em 10 anos (2006 a 2016) a doença passou de 11,8% para 18,9% na população brasileira. Segundo a mesma pesquisa, o crescimento dos números pode ter colaborado para o aumento da prevalência de diabetes e hipertensão. As principais estratégias utilizadas pelo Ministério da Saúde e prossionais da saúde no combate a obesidade são estimular a prática de exercícios físicos, dieta e alimentação saudável [através do guia alimentar]. Estudos cientícos apontam que, em conjunto, o exercício físico e as dietas hipocalóricas promovem a diminuição da gordura corporal, o aumento da massa magra e a atenuação das comorbidades geradas pelo excesso de gordura, além de desenvolver qualidades físicas que modicam positivamente a composição corporal e a atividade metabólica. Para ter um bom controle sobre a sua composição corporal e uma boa alimentação, é legal procurar um nutricionista e um prossional de educação física qualicado para que seja feita uma boa avaliação física. Consulte sempre o seu IMC. Desejo a todos bons treinos e mais qualidade de vida.

FOTO

EDIVALDO NASCIMENTO

Igreja Matriz de São Sebastião no ano de 1935 Nesta época, não existia moradias em volta da igreja. O que havia era apenas uma vegetação rasteira e um chafariz que ficava localizado na parte de trás. Nele [chafariz], era distribuída água para a população. Muitos moradores não tinham em sua casa água potável para o uso em seu dia a dia. Um fato curioso da época é que os que ali viviam tinham medo de passar próximo a Igreja assim que escurecia. O motivo era as 'assombrações' das pessoas que foram enterradas no antigo cemitério, por volta dos séculos XVII e XIX. O cemitério ainda existe e está enterrado de baixo dos pisos da Igreja Matriz – centenas de corpos dos antigos moradores da Vila de São Sebastião.

ARTIGOS

RAFAEL DIAS Advogado Consultor jurídico

pág.26

EXPRESSO LITORAL

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7


4

EXPRESSO LITORAL

LITORAL NORTE

RAIANA BITENCOURT | EXPRESSO LITORAL

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

Região registrou mais de 20 mil boletins de ocorrência de violência contra a mulher entre 2015 e 2018

Violência contra a mulher cresce 134% no Litoral Norte de SP em 2018 Número de casos dobrou em relação a 2017 e cotidiano violento para as mulheres continua após mais de 40 anos da oficialização do Dia Internacional da Mulher RAIANA BITENCOURT raiana@expressolitoral.com.br Estudante do curso de Jornalismo Sob supervisão: Jornal Expresso Litoral

D

uas mulheres estão à beira do balcão da Delegacia de Defesa da Mulher [DDM] de Caraguatatuba, dando abertura a um boletim de ocorrência [B.O]. São 14h40 da tarde e uma delas, a vítima, está grávida. A outra é uma amiga que foi ajudar no relato dos fatos. – A ideia dele era matar ela e se matar – contava, enquanto a secretaria atrás do computador anotava as informações. Ameaças anteriores já tinham sido feitas a P.B, 33, que não quis se identicar. Ela

contou que havia decidido esperar até o carnaval para pedir o divórcio, mas não foi possível. – Eu não sabia se ele realmente tinha comprado uma arma, mas do jeito que ele falava parecia mesmo que tinha algo para me matar. Quando eu tentei sair de casa ele disse: 'Você está louca que eu vou deixar você sair daqui?' e aí ele tentou me matar e eu tive que jurar que não ia contar para ninguém – relata a vítima, que mais tarde contou que foi estuprada pelo marido. Isso não foi para o boletim de ocorrência. A secretária que redigia a ocorrência explica que, devido ao fato de ser casada com o agressor, a vítima não pode acrescentar o episódio ao boletim. Mesmo sob

pressão e sem consentimento, os relatos da mesma caram na complementação da história. A história de P.B. será somada aos mais de 20 mil boletins de ocorrência registrados entre 2015 e 2018 por mulheres de Caraguatatuba, Ilhabela e São Sebastião. Segundo um levantamento da redação do Expresso Litoral com dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, em comparação com o ano de 2017, o número de boletins registrados acerca de violência contra a mulher no Litoral Norte cresceu 134 % em 2018. Isto porque, se em 2017 Caraguatatuba, Ilhabela e São Sebastião registraram juntas 4.059 ocorrências, no ano passado este número subiu para 9.501. Caraguatatuba foi

ainda o município que mais registrou boletins, com 4.894 ocorrências de violência contra a mulher. São Sebastião e Ilhabela vieram logo depois, com 3.100 e 1507 boletins, respectivamente. O Dia Internacional da Mulher, lembrado em 8 de março e ocializado em 1975 pela Organização das Nações Unidas [ONU], remete a luta pelo m não só de um cotidiano violento para a mulher, que persiste em crescer. Estatísticas dos anos anteriores mostram a anual ascensão dos números. Em 2016, as três cidades conseguiram registrar juntas quase 3.900 casos, cerca de 700 ocorrências a mais em relação ao ano de 2015. Já em 2017, registrando cerca de 3%


5

EXPRESSO LITORAL

Campanhas de combate a violência são grandes alusões ao Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março; das três cidades, apenas Ilhabela não tem Delegacia de Defesa da Mulher [DDM]; mais da metade dos casos ocorreram na própria residência da vítima, ou seja, por parte de companheiros ou da própria família de queda no número de boletins, Caraguatatuba ainda liderava o ranking entre as três cidades. São Sebastião, com 1.235 casos cou novamente à frente de Ilhabela, que teve aproximadamente 20% de aumento em relação ao ano anterior [2016]. De todos os tipos de violência em 2016 e 2017, as ameaças representaram quase 40% dos casos e a mais da metade deles ocorreu na própria residência da vítima, ou seja, por parte de companheiros ou da própria família, caracterizando-os também como violência doméstica. Em 2018 as ameaças somaram-se a lesão corporal, assédio, importunação sexual e estupro nos maiores índices que caracterizavam os tipos de violência, sendo eles quase 20% dos casos totais nopág.26 Litoral Norte.

O maior número de vítimas em 2018 tinha idade entre 26 e 40 anos, correspondendo pouco mais de 30% do número total, seguido de mulheres de 41 a 60 anos, com 2.387 ocorrências [22%]. Dos 9.501 casos, foram consumadas 89% das tentativas de violência à mulher. A Secretaria de Segurança do Estado ressalta que o número total de boletins de ocorrência registrados não representa as estatísticas totais de casos na região. Isso se deve principalmente ao fato de que muitas vítimas optam por não registrar o ocorrido. Denúncias contra a violência podem ser feitas por qualquer pessoa pelo Disque 180, pela Central de Atendimento à Mulher. Além disso, a denúncia pode ser feita presencialmente nas

Eu não sabia se ele realmente tinha comprado uma arma, mas do jeito que ele falava parecia mesmo que tinha algo para me matar. Quando eu tentei sair de casa ele disse: 'você está louca que eu vou deixar você sair daqui?' e aí ele tentou me matar e eu tive que jurar que não ia contar para ninguém Relata uma das vítimas que não se identificar Ela também foi estuprada pelo marido

delegacias especializadas no atendimento de mulheres vítimas de violência física, moral e sexual, que são as Delegacias de Defesa da Mulher [DDM], presentes em Caraguatatuba e São Sebastião. COMBATE Na última semana de fevereiro, uma pesquisa do Instituto Datafolha, encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), mostrou que a cada minuto pelo menos 9 mulheres são vítimas de violência no Brasil. Em âmbito nacional, o Dia Internacional da Mulher serve também como marco para campanhas de combate a violência, principalmente em períodos como o Carnaval.

DEPÓSITO DO RUBENS

(12) 3887-1259 AV. JOSÉ HERCULANO, 4720, PRAIA DAS PALMEIRAS, CARAGUATATUBA (SP) | EMAIL: DEPOSITORUBENS33@GMAIL.COM

pág.26

RAIANA BITENCOURT | EXPRESSO LITORAL

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7


6

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

Turismo: Governo do Estado libera mais de R$ 31 milhões para cidades do LN Publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo no fim de fevereiro, a liberação beneficia Caraguatatuba [R$ 10.340.049,31], São Sebastião [10.761.941,19], Ilhabela [R$ 4.182.145,24] e Ubatuba [R$ 6.215.417,38] DA REDAÇÃO redacao@expressolitoral.com.br

PREFEITURA DE ILHABELA

LITORAL NORTE

EXPRESSO LITORAL

A

s quatro cidades do Litoral Norte de São Paulo receberão recursos nanceiros para investimentos na área do Turismo. O Governo do Estado de São Paulo liberou, no m de fevereiro, mais de R$ 360 milhões para as Estâncias Turísticas de São Paulo. Para o Litoral Norte, São Sebastião foi a maior beneciada com R$ 10.761.941,19. Na sequência, vem o município de Caraguatatuba com R$ 10.340.049,31. Ubatuba receberá R$ 6.215.471,38, enquanto Ilhabela ca com R$ 4.182.145,24. Estes recursos contribuirão de forma signicativa, segundo o Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, para que obras e programas vinculados ao desenvolvimento do turismo possam ser concluídos nas 70 cidades reconhecidas como estâncias no Estado. – Acelerar o ritmo das ações governamentais é um objetivo da gestão Doria. Antes mesmo de completarmos dois meses de governo, propiciamos condições para que nossas cidades possam desenvolver suas ações de turismo e, assim, beneciar a população, tanto aquela que trabalha e vive do setor, como a que viaja para nossas estâncias em busca de lazer e atividades culturais – disse Vinholi. As Secretarias de Turismo e Desenvolvimento Regional uniram esforços para viabilizar a retomada de obras conveniadas até 2017 e que tiveram empenhos cancelados. Na mesma reunião, secretários estaduais, prefeitos e representantes de

Ilhabela ficará com R$ 4.182.145,24

associações do setor também discutiram o Decreto 64 .067/2019, que cancelou 176 convênios de infraestrutura turística rmados em 2018, sem reserva orçamentária prevista em lei. Em Caraguatatuba, os valores se referem aos R$ 7,7 milhões cortados no início do ano de projetos aprovados pelo DADE (Departamento de Apoio e Desenvolvimento às

Estâncias). Os recursos são para as obras de revitalização da P raça Diógenes Ribeiro de Lima no Centro, da Praça do Artesanato Antônio Fachini na Martim de Sá, da trilha de acesso e farol do Morro da Prainha, além da reforma e ampliação do píer de pesca do Camaroeiro. O restante da verba se refere a um contingenciamento na ordem de R$ 2,5 milhões, valor

esse que também é previsto para todos os municípios de cunho turístico no Estado de São Paulo. Vale ressaltar que, por ser contingenciado, o valor pode ou não ser repassado. – Os projetos foram aprovados no rigoroso Conselho de Orientação e Controle do Fundo de Melhorias das Estâncias do DADE. As obras são de vital importância para o turismo e geração de emprego


MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

7

EXPRESSO LITORAL

PREFEITURA DE CARAGUATATUBA

PREFEITURA DE SÃO SEBASTIÃO

pág.26

São Sebastião será contemplada com R$ 10.761.941,19

Caraguatatuba receberá R$ 10.340.049,31

da cidade. Agradeço o Governo do Estado, em especial o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, que prontamente nos atendeu e viu a importância que esses projetos têm para a cidade – explica o prefeito Aguilar Junior. Em Ilhabela, a aplicação do investimento será discutida pelo Conselho Municipal do Turismo (Comtur). O repasse de mais de R$pág.26 4 milhões para a cidade foi

determinado parcialmente pelo número populacional e pelo valor de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). Proveniente do fundo do DADE (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias), a verba foi reduzida este ano, pois os Municípios de Interesse Turístico (MIT) passaram a receber 20% do valor total. O destino deste recurso será discutido pelo Conselho Mu-

nicipal do Turismo (Comtur), na próxima reunião prevista para o dia 12 de março. As propostas devem ser apresentadas pela Prefeitura e analisadas pelo Governo de São Paulo a partir de critérios técnicos e orçamentários. – É importante considerar a opinião dos empresários do turismo e da sociedade civil, por meio da participação do Comtur, que denirá em quais obras serão

investidas esta verba – comenta o secretário de Desenvolvimento Econômico e do Turismo, Ricardo Fazzini. De acordo com o prefeito Márcio Tenório, a verba deverá fortalecer o turismo, que é a vocação do município. – Precisamos destacar que, com essa parceria do Estado, estamos caminhando em busca de melhorias para um turismo cada vez mais sustentável em Ilhabela – arma.


PREFEITURA DE CARAGUATATUBA

Capital do Litoral Caraguatatuba começou a ser povoada no início do século XVII, através das Sesmarias. A 1ª que se conheceu ocupou a bacia do Rio Juqueriquerê, em 1609, foi doada aos antigos moradores de Santos, Miguel Gonçalves Borba e Domingos Jorge. A partir dessa data, começou a surgir o primeiro povoado da vila de Santo Antônio de Caraguatatuba. Em 1664/1665, ocorreu a fundação de Caraguatatuba e seu fundador foi Manuel de Faria Dória, provavelmente Capitão-Mor da Capitania de Itanhaém. A origem do nome vem do século XVI, quando os Tupinambá já habitavam primitivamente o território da enseada de Caraguatatuba. Neste período, o sítio ficaria conhecido como terra abundante em Caraguatás. A planta bromeliácea de cujas fibras os padres missionários confeccionavam suas sandálias, deu origem a denominação “Caraguá”, corruptela de “caraguatá” e “tuba”, grande quantidade. Caraguatatuba continua sendo uma região abundante em Caraguatás os quais são facilmente encontrados em meio às matas, sobrevivendo em lugares úmidos. O município tem maior número de habitantes do Litoral Norte, com cerca de 120 mil pessoas [IBGE, 2018], e é conhecido com a capital do litoral.


2

EXPRESSO LITORAL

CARAGUATATUBA

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

Se seguir o prazo de execução a risca, a obra pode ser finalizada até setembro de 2019

PREFEITURA DE CARAGUATATUBA

Revitalização no bairro Jetuba pretende solucionar problemas com alagamentos Obra na Av. Marginal inclui melhorias como canalização com aduelas, nova pavimentação e iluminação, com custo estimado de R$ 3,4 milhões RAIANA BITENCOURT raiana@expressolitoral.com.br Estudante do curso de Jornalismo Sob supervisão: Jornal Expresso Litoral

Q

uando a chuva começa, muitos moradores da região Norte de Caraguatatuba se alarmam diante da possibilidade de não conseguirem chegar à suas casas. Alagamentos são constantes, na maioria das vezes, isto se torna um empecilho para fazer

atividades rotineiras. Entretanto, a revitalização da Avenida Marginal, no bairro Jetuba, anunciada pela Prefeitura de Caraguatatuba para começar na segunda semana de fevereiro, pode ser a solução deste e de outros problemas. A obra trará diversas alterações à avenida paralela à Rodovia SP55 [Rio-Santos], na região Norte do município. Foram cerca de 18 meses entre a nalização dos estudos para construção de uma ponte de extensão à Marginal e o início desse empreendimento.

A ponte, entregue em dezembro de 2017, tinha por objetivo aumentar a extensão da avenida que corta os bairros do Massaguaçu e Jetuba. Construída sobre o Rio Capricórnio, ela proporciona principalmente mais segurança aos usuários do local, em sua maioria moradores, que queiram circular por ali sem que precisem acessar a rodovia, uma vez que na alta temporada o trânsito ca mais intenso, dando maior abertura a acidentes. A revitalização da Marginal, por sua vez, engloba-

rá cerca de 1,5 km da avenida e inclui canalização com aduelas, nova pavimentação, paisagismo, iluminação, sarjetas e revitalização de calçadas. O principal objetivo é solucionar um dos maiores problemas da região: a drenagem. Alagamentos são constantes nas proximidades e torna o acesso aos bairros próximos complicado, que é outro ponto de resolução: facilitar o acesso aos bairros Jetuba e Portal Fazendinha. Para a moradora Rayssa Soares, 21 anos, do


3

EXPRESSO LITORAL

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

PREFEITURA DE CARAGUATATUBA

A ponte entregue em 2017 teve um investimento de R$ 130 mil, com o objetivo de oferecer mais segurança aos pedestres, ciclistas e motoristas que circulam pelo local; principal objetivo do empreendimento é solucionar um dos maiores problemas da região, que está relacionado à drenagem

PREFEITURA DE CARAGUATATUBA

bairro Massaguaçu, que utiliza a Marginal com frequência diária, a canalização, se feita corretamente, resolverá o maior problema do local: a impossibilidade de realizar o trajeto em dias chuvosos nos quais acontecem alagamentos, pois não tem onde a água escoar. – Acredito que esse é um problema que vem prejudicando há tempos quem utiliza a Marginal. As pessoas deixam de realizar suas tarefas diárias por conta de um problema que já deveria ter sido resolvido.

Então trará mais segurança para aqueles que precisam – arma. Já a proprietária da marcenaria e movelaria Fenix, Priscila Aparecida, 34 anos, não sofre tanto com os alagamentos. – Aqui onde estamos já tem a canalização. Alaga o local, mas não chega a entrar em casa e no comércio. Se tiver que sair sentido centro é tranquilo, mas quando alaga mais para a região do Massaguaçu não tem como se locomover até lá – conta ela, que junto com o marido, gerencia o comércio e

As pessoas deixam de realizar suas tarefas diárias por conta de um problema que já deveria ter sido resolvido. Acho que a obra trará mais segurança

RAYSSA SOARES Moradora do bairro

Obras de Caraguatatuba as primeiras ações já acontecem na altura de um motel na avenida com a instalação de guias onde o trecho não tem pavimentação. A princípio, o projeto anunciava uma estimativa de ser nalizado em oito meses, com o custo estimado em R$ 2,8 milhões. Já no início do mês de fevereiro, quando as obras começaram, o prazo de execução da obra caiu para aproximadamente sete meses com um custo que chega a ser R$ 600 mil mais caro.


4

CARAGUATATUBA

EXPRESSO LITORAL

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

Sabesp autoriza esgoto no Jardim Califórnia e inicia obras no Gaivotas em março Serviço está estimado em R$ 1.327.480,17, com 80 ligações de esgoto. O tempo de execução do contrato é de um ano O investimento será na ordem de R$ 1 milhão e serão 100 ligações, além de 1,2 mil metros de rede coletora de esgoto

PREFEITURA DE CARAGUATATUBA

DA REDAÇÃO redacao@expressolitoral.com.br

O

unicípio de Caraguatatuba terá importantes investimentos neste mês de março. Em reunião, o prefeito de Caraguatatuba, Aguilar Junior, com o presidente da Câmara, Carlinhos da Farmácia, e representantes da Sabesp trataram da liberação de obras de esgoto na cidade. A pedido do prefeito e do presidente da Câmara, a Sabesp

autorizou as obras de esgotamento sanitário no Jardim Califórnia. O investimento será na ordem de R$ 1 milhão e serão 100 ligações, 1,2 mil metros de rede coletora de esgoto. O projeto será encaminhado para licitação e a obra vai beneciar mais de 400 pessoas. – É um pedido antigo da comunidade do Jardim Califórnia e tivemos o comprometimento da Sabesp em encaminhar o projeto para licitação – disse o prefeito Aguilar Junior. Estavam presentes o superintendente da Sabesp no Litoral

Norte, engenheiro José Bosco Fernandes de Castro, o gerente da Sabesp de Caraguá, Pedro Ponce, o engenheiro da Sabesp Leandro Santos de Araújo, o secretário de Obras Públicas de Caraguatatuba, Leandro Borella, e o Assessor Jurídico da Câmara, Dr. Moaci Licarião. Os técnicos informaram também que está em fase nal de licitação as obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Jardim Adalgiza. O serviço está estimado em R$ 1.327.480,17, com 80 ligações de esgoto. O tempo de execução é de um ano.

GAIVOTAS A Sabesp anunciou ainda que inicia no dia 18 de março as obras do Sistema de Esgotamento Sanitário [SES] do Jardim Gaivotas. O contrato está orçado em R$ 10,7 milhões e o serviço envolve construção de 1,5 mil metros de redes coletoras, 700 metros de linhas de recalque, duas estações elevatórias e 1,9 mil ligações domiciliares de esgoto, beneciando quase 8 mil habitantes. O empreendimento seja iniciado em fevereiro e tem prazo de


5

EXPRESSO LITORAL

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

pág.26

PREFEITURA DE CARAGUATATUBA

A pedido do prefeito e do presidente da Câmara, a Sabesp autorizou as obras de esgotamento sanitário no Jardim Califórnia

É um pedido antigo da comunidade do Jardim Califórnia e tivemos o comprometimento da Sabesp em encaminhar o projeto para licitação

AGUILAR JÚNIOR Prefeito de Caraguá

conclusão de dois anos. – A comunidade do Gaivotas pede o saneamento básico há anos e depois de conversas com a Sabesp conseguimos a liberação da obra. Saneamento básico é sinônimo de saúde – destaca Aguilar Junior. NOVOS INVESTIMENTOS Após o Carnaval, a Sabesp deve encaminhar à Prefeitura a proposta do contrato de concessão para consulta e aprovação na Câmara. Antes, o Plano de Investimentos deverá ser discutido com a população através de audiências públicas.

Segundo a Sabesp, estão previstos investimentos na ordem de R$ 434 milhões nos próximos 30 anos, sendo boa parte das obras de esgoto prevista para início ainda em 2019. Estão previstas as obras do Sistema de Esgotamento Sanitário [SES] Golnhos 1 com investimento de R$ 6 milhões e 370 ligações, além da ampliação da Estação de Tratamento de Água [ETA] do Porto Novo com investimento na ordem de R$ 17,2 milhões. Além das já anunciadas, no cronograma de investimentos apresentados pela Sabesp prevê outros empreendimentos. Entre as

obras estão: Ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto [ETE] do Indaiá com investimento de R$ 18 milhões; Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) Martim de Sá com investimento de R$ 7,6 milhões; Sistema de Esgotamento Sanitário [SES] Jaraguazinho com investimento de R$ 7 milhões; ampliação da Estação de Tratamento de Água [ETA] do Massaguaçu com investimento de R$ 9,9 milhões; Sistema de Esgotamento Sanitário [SES] do Pegorelli com investimento de R$ 32,1 milhões; e Sistema de Esgotamento Sanitário Golnhos 2 [R$ 46,2 milhões], entre outros.


6

CARAGUATATUBA

EXPRESSO LITORAL

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

SONHOS SEM FRONTEIRAS NICOLAS CANTAGESSO nicolas@expressolitoral.com.br Estudante do curso de Jornalismo Sob supervisão: Jornal Expresso Litoral

A

reportagem do Expresso Litoral está em Caraguatatuba, precisamente no bairro do Barranco Alto, onde ca localizada a E.E. Ismael Iglesias, mãe do projeto “Sonhos Sem Fronteiras”. Nossa equipe chega a unidade de ensino às 10h e é recebida por Leandro Alves, professor de Geograa, 32 anos, e um dos idealizadores do projeto “Sonhos Sem Fronteiras. De cara, Alves nos apresenta Eduardo Ribeiro, 17 anos, aluno da escola, e também Waldirene Carvalho, professora de Arte, 55 anos – outra idealizadora do projeto, junto com Leandro Alves. Começamos a entrevista em uma sala da direção da escola. É possível ouvir gritos e risadas de alguns alunos. Segundo os professores a turma do 3º ano do Ensino Médio está realizando trotes onde os meninos se vestem de meninas e viceversa. Às declarações, a professora de Arte é quem começa. – O projeto 'Sonhos Sem fronteiras' é novo. Veio a partir de viagens que fazíamos, mas nunca tinha um nome e nem a organização que temos hoje. Começamos a estruturar no ano passado – conta. – Com o projeto, fomos à Brasília; a Casa de Moedas no Rio de Janeiro; ao Cata Vento; e alguns outros lugares. Com mais estrutura e denições, tivemos a ideia de confeccionar um livro – complementa. Segundo os integrantes do projeto cada professor na viagem realiza explicações ou até mesmo atividades relacionadas com sua disciplina. – O professor de História conta alguma coisa, o de Geograa explica outra e por assim vai. Sempre contribuindo para o conhecimento dos alunos – explicam.

O projeto conta com recursos do Estado, mas não o suciente, segundo os professores. Apenas ônibus é ofertado para a viagem, mas só aqueles que abrangem São Paulo. A viagem para Brasília, por exemplo, o ônibus, a estadia e a alimentação foram custeados com ajuda de pais, bingos e festas promovidas. – O livro foi escrito por alunos e idealizadores. Nele, tem o reexo da bagagem cultura adquirida pelos alunos em cada viagem. Cada um conta o seu detalhe, no seu ponto de vista – conta o Leandro Alves. – Outro objetivo do projeto é tirar o rótulo de que o aluno da rede de ensino do estado não pertence a escola. Antes do projeto, muitos alunos tinham vergonha de falar que estudava aqui, mas agora eles têm o orgulho de dizer que estudam no Ismael. – explica Waldirene. Segundo os idealizadores o projeto mostra aos alunos que existe um mundo além de Caraguatatuba. É uma outra vivência. – Um exemplo foi à ida para Brasília. Lá, é outro estilo de vida. A Força Tática nos parou antes de entrarmos nas dependências da cidade para revistar o ônibus. São protocolos diferentes. Lembro que muitos alunos tiveram que tirar o boné para entrar – relembra a professora de Arte. Os professores explicaram também que o projeto resgatou o interesse dos alunos na escola. Segundo eles estudantes do horário da manhã vão até a escola no período da tarde para ajudar em alguma coisa. Esse ano duas viagens estão marcadas: uma para Petrópolis-RJ e outra para Foz do Iguaçu-PR. – Para este ano decidimos realizar um documentário, contando um pouco dos bastidores do projeto e relatos dos alunos, assim como fazemos no livro. Também será um conteúdo a mais e diferente do que zemos antes e irá se chamar 'Sonhos Sem Fronteiras 2: Diversidade' – disse Alves. – Queremos fazer algo prossional, não sabemos muita coisa sobre vídeo.

Por isso, nós, juntamente com alguns alunos, iremos realizar um curso de lmagens em São Paulo para fazer algo bonito. Meu sonho é que a estreia fosse no cinema – complementa. Porém, para que seja justo a ida dos alunos as viagens, existem alguns critérios, dentre eles estão, notas, participação no aluno com a aula e bom comportamento. O aluno não pode ter nenhuma ocorrência. – Na sala de aula eu vi a mudança de meus colegas perante as aulas. Os alunos faltosos agora participam mais das aulas e se tornaram até alunos destaques da sala – conta Eduardo Ribeiro, aluno do último ano do ensino médio. Ribeiro disse também que está feliz pelo o que o “Sonho Sem Fronteiras” se tornou hoje. – Olhando para trás e ver o que ele se transformou, é algo radiante. Não co triste de ver que é meu último ano de projeto. Ele transformou a escola, não existe um projeto assim. O 'Sonho Sem Fronteiras' ajudou a escola em vários fatores. Ano passado, no Saresp, a escola teve um ótimo resultado – disse o aluno. O 'Sonho Sem Fronteiras', além de aumentar a relação entre aluno e escola, despertou o desejo de exalunos a optarem por fazerem faculdades de licenciatura. – O retorno dos alunos foi algo muito interessante. Eles se interessaram com a prossão e querer continuar na área da educação. O respeito e a amizade que criamos com a maioria dos participantes é algo especial para a gente. Os alunos querem estar aqui, querem fazer parte da escola de algum jeito – revelam os idealizadores. A evolução dos alunos foi algo constantemente enfatizado pelos professores durante a entrevista. Segundo eles, em 2014 ninguém na escola usava uniforme, mas hoje cada um tem o seu. – Eles fazem questão e tem orgulho de usar o uniforme da escola. De 2014 para cá, não existia essa cultura do uso do uniforme, mas hoje todo


MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

7

EXPRESSO LITORAL

Se tornando um dos maiores projetos escolares do Estado de São Paulo, saiba um pouco mais por trás da iniciativa que se tornou um livro escrito pelos alunos da E.E Ismael Iglesias. Eles contaram os relatos e as experiências obtidas nas viagens promovidas pela escola e que agora se tornará um documentário

pág.26

PREFEITURA DE CARAGUATATUBA

Todos os participantes que contribuíram escrevendo o livro

mundo quer e tem orgulho de dizer que estudam na E.E. Ismael Iglesias – conta Alves. Alunos de outras escolas estão querendo se transferir para a escola do Barranco Alto por conta do projeto, segundo Leandro Alves. – A la de espera para estudar aqui na escola está grande. Até professores querem dar aula aqui. Tivemos uma boa troca de docentes neste ano, por conta do projeto. O diretor da escola perguntou uma vez na reunião de pais do 6º ano

qual era o motivo de quererem matricular seus lhos aqui no Ismael e a maioria respondeu que era por conta do projeto – contaram. Quando a professora de Arte e o professor de Geograa estavam explicando a demanda para se matricular na escola, entra na sala o diretor da escola, Carlos Galante de 55 anos. – Eu co mais na retaguarda do projeto, ajeitando algumas coisas aqui e outras ali. Todos da escola

colaboram: do funcionário da imprensa até o da direção. Lembro que quando eles foram até Brasília, as moças da cozinha descascaram mais de 100 laranjas para eles – disse o diretor. Em seguida, outro membro da direção começa a participar da conversa. Desta vez é a coordenadora Roseli Camargo. – Trabalhar o protagonismo juvenil e a autonomia dos jovens, para mim, é umas das coisas mais importantes do projeto. Eles vão

para o mundo com uma postura completamente diferente, já saem daqui com uma experiência que os outros alunos de Caraguá não terão – disse a coordenadora. – Queremos fazer deste documentário algo muito especial, nenhuma outra escola tem um projeto desse. O meu sonho é que ele [documentário] seja exibido no cinema. É o nosso objetivo. E se tudo der certo, nós conseguiremos – naliza Leandro Alves, professor de Geograa da escola.


8

EXPRESSO LITORAL

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

CARAGUATATUBA

Segundo o prefeito Aguilar Junior, obras e qualificação ajudarão a movimentar a economia e a renda, e irão gerar empregos no município de Caraguatatuba durante a baixa temporada

PREFEITURA DE CARAGUATATUBA

Fala, prefeito: Aguilar Junior fala sobre obras, turismo e baixa temporada Para o 'Fala, Prefeito' do mês de março, Aguilar Junior conversou com o Expresso Litoral sobre a obra da UPA SUL, o Complexo Turístico Camaroeiro, e o novo Paço CLÁUDIO RODRIGUES claudio@expressolitoral.com.br

M

ais uma vez o Expresso Litoral conversou com o prefeito de Caraguatatuba, Aguilar Junior, para o quadro 'Fala, Prefeito' deste mês de março. O espaço é a oportunidade que chefe do Executivo tem de esclarecer dúvidas e assuntos polêmicos com a população. Em um balanço dos últimos 30 dias, nossa reportagem decidiu abordar alguns importantes assuntos com o prefeito de Caraguatatuba, como por exemplo, a obra da UPA SUL [Perequê-Mirim], o Complexo Turístico Mirante do Cama-

roeiro, e o novo Paço Municipal, além das ações na baixa temporada e investimentos para o mês. Conra a entrevista com exclusividade. Expresso Litoral – Prefeito, gostaríamos de começar com um importante assunto para a cidade: as obras da UPA [Unidade de Pronto Atendimento] Sul, localizada no bairro do Perequê-Mirim. Um investimento na ordem de R$ 3,7 milhões. Como está o andamento da obra? Há previsão de entrega? Aguilar Junior – O término da obra da Unidade de Pronto Atendimento [UPA] Sul continua normalmente e a previsão de entrega se mantém para julho. A UPA será uma importante

unidade hospitalar para atendimento 24 horas dos pacientes da Região Sul, assim como ocorre com o Pronto Atendimento 24 horas que foi inaugurado em abril do ano passado. Com isso, o principal objetivo da Prefeitura é evitar o deslocamento de pacientes para a região central em busca de atendimento. Expresso Litoral – Qual é a atualização das obras do Complexo Turístico Mirante do Camaroeiro? Aguilar Junior – A maior obra turística do Litoral Norte continua em andamento em Caraguatatuba. O Complexo Turístico do Camaroeiro está em sua primeira fase de execução que prevê novo acesso pavimentado com drenagem, paisagismo, área

de estacionamento para 173 vagas [ônibus, carros e motos] e Teatro de Arena, que terá palco e arquibancada linear para 350 pessoas. O investimento gira em torno de R$ 3 milhões e a verba é oriunda do DADE [Departamento de Apoio e Desenvolvimento às Estâncias], ligado a Secretaria Estadual de Turismo. Em julho já iniciamos a segunda fase e prevê a construção de dois restaurantes e mirante com investimento em torno de R$ 900 mil e também com recursos do DADE. A terceira e última fase do Complexo Turístico do Camaroeiro prevê Centro de Exposições, funicular [vagões em trilhos e cabos] para a subida até o alto do Morro do Camaroeiro e o bondinho, que fará passeio panorâmico entre o


MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

9

EXPRESSO LITORAL

pág.26

PREFEITURA DE CARAGUATATUBA

“A obra da Unidade de Pronto Atendimento [UPA] Sul continua normalmente e a previsão de entrega se mantém para julho” diz Aguilar Junior

Camaroeiro e o Farol instalado no morro da Martim de Sá. Nesta fase, a Prefeitura vai abrir uma PPP [Parceria Público-Privada] para os investimentos. Expresso Litoral – Prefeito, o projeto do novo Paço Municipal ainda está andamento? Há previsão para o início das obras? Aguilar Junior – O projeto de construção do novo Paço depende da aprovação de um nanciamento junto a Caixa Econômica Federal e isso precisa ser apreciado e aprovado pela Câmara. Segundo informações, o projeto deve ser colocado em pauta novamente neste mês de março. O valor de R$ 60 milhões, a ser obtido por meio do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa), será executado em até oito anos a juros de 4,8% ao ano, bem abaixo do que cobram muitos bancos. A Prefeitura pretende economizar cerca de R$ 400 mil/mensais com a redução de custos que a prefeitura tem com a locação e manutenção de imóveis de terceiros que abri-

gam secretarias municipais. O projeto do novo Paço terá uma vertente ecológica com tecnologias de ponta para economia de energia e água. Contemplará um Poupatempo Municipal na parte térrea e ainda bicicletários, vestiários para servidores e áreas de convivência. Expresso Litoral – Após o Carnaval, inicia-se o período de baixa temporada em todo Litoral Norte. O que a prefeitura de Caraguatatuba está preparando para gerar emprego e renda em uma época não tão movimentada? Aguilar Junior – A Prefeitura de Caraguatatuba acredita que obras são importantes para a geração de emprego e renda e lança importantes empreendimentos mês a mês. Vem aí, por exemplo, o início das obras do Centro de Tradições do Tinga que vai gerar mais renda para os moradores da cidade. Além disso, temos tido um bom relacionamento com empresas que prestam serviços para as obras do Governo do Estado e várias vagas

surgem semanalmente pelo Posto de Atendimento ao Trabalhador. Recentemente promovemos um Mutirão do Emprego com a liberação de 250 vagas para a alta temporada. Porém, a Prefeitura entende que a qualicação é importante para nossa população. Para se ter uma ideia, fechamos a realização de 15 cursos de qualicação prossional que serão executados pelo Senai, em parceria com o Fundo Social de Solidariedade. Além disso, assinamos convênio com o Sebrae para a qualicação de empresários, comerciantes, produtores rurais, artesãos e microempreendedores. Trata-se do Caraguatatuba Em-preendedora III e serão realizadas dezenas de palestras, consultorias e ocinas voltadas para a gestão de negócios. Para se ter uma ideia, somente em 2017 mais de 1.000 pessoas se formaram em cursos de qualicação promovidos pela Prefeitura. Expresso Litoral – Quais serão as principais ações de trabalho para o mês de março?

Aguilar Junior – Temos várias ações previstas para março e lançamos importantes obras. Porém, destaco as obras de drenagem que vem ocorrendo em toda a cidade desde o segundo semestre do ano passado. São mais de R$ 30 milhões de investimentos somente com obras de drenagem na Região Sul (Perequê-Mirim, Pegorelli, Travessão e parte do Barranco Alto), Santa marina/Golnhos, Avenida Brasília (Poiares, Gaivotas, Tinga e Jardim Jaqueira) e Mas-saguaçu. Estão em andamento ainda licitações para obras no Jetuba, Casa Branca/Olaria e Centro (Rio Guaxinduba ao Rio Santo Antônio). Destacamos também o início de importantes obras na cidade como o Centro de Tradições do Tinga, a iluminação de 10 campos de futebol da cidade, a reforma e revitalização do Entreposto de Pesca do Camaroeiro, concretagem do canteiro central da SP-55, entre outras.


10

EXPRESSO LITORAL

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

CARAGUATATUBA

DIVULGAÇÃO

“Não me sinto segura na ciclovia, quando chove é pior, por conta de você ter que prestar mais atenção para não cair em um buraco” disse uma usuária da ciclovia

Adeus buracos? Saiba como será a reforma da ciclovia de Caraguatatuba e ainda o que passa uma jovem que precisa dividir o espaço destinado a bicicletas, com carros, buracos, água, entre outros DA REDAÇÃO redacao@expressolitoral.com.br

A

refeitura de Caraguatatuba anunciou no m do mês de fevereiro um projeto que visa revitalizar toda a ciclovia que corta a rodovia SP55, desde o trevo de entrada de Caraguá até a divisa com São Sebastião. Segundo a Prefeitura, o projeto já está sendo nalizado e em breve começará

as intervenções de revitalização. A reforma irá substituir toda a pavimentação da ciclovia, e colocará ainda nova sinalização, além de adicionar também paisagismo, iluminação e acessibilidade. O objetivo da obra é tornar a rota mais segura para o ciclista. Mas o que passa uma pessoa que anda de bicicleta na ciclovia de Caraguatatuba todos os dias? A reportagem do Expresso Litoral entrevistou a estudante de 17 anos, Laura Cantagesso Pedretti, que tra-

nsita a parte sul da ciclovia todos os dias para chegar à escola. – Os buracos são a pior parte, você pode desequilibrar muito fácil, principalmente quando tem lama. Ainda bem que nunca cai e nem me machuquei, mas é perigoso – conta a jovem. Laura diz ainda que a pior parte da ciclovia na zona sul é quando se aproxima do Travessão, mais precisamente em frente ao Mercado Piratininga. – Para mim, aquela parte é a

pior, principalmente por conta dos bloquetes que estão mal colocados. Sem contar os carros que acham que é estacionamento o lugar que a gente precisa passar – explicou. A estudante declarou ainda o que espera da reforma da ciclovia. – Espero que melhore. Os buracos atrapalham e retardam o caminho. Que seja menos perigoso também, não é muito seguro. Os motoristas poderiam contribuir também, mas isso eu sei que isso é mais difícil – nalizou a estudante.


pรกg.26


Um pouco de história em cada esquina, no centro histórico de São Sebastião, em torno da Igreja Matriz, com muitas casas do Brasil Colonial, onde hoje estão bares, restaurantes, hotéis e repartições públicas. São Sebastião é a cidade mais antiga do Litoral Norte. Antes do início da colonização portuguesa, a região de São Sebastião era ocupada por índios Tupinambás ao norte e Tupiniquins ao sul, sendo a serra de Boiçucanga [30 km ao sul de São Sebastião] uma divisa natural das terras das tribos. O município recebeu este nome em homenagem ao santo do dia em que passou ao largo da Ilha de São Sebastião [hoje Ilhabela] a expedição de Américo Vespúcio: 20 de janeiro de 1502. Nesta época a região contava com dezenas de engenhos de cana de açúcar, responsáveis por um maior desenvolvimento econômico e a caracterização como núcleo habitacional e político. Isto possibilitou a emancipação político-administrativa de São Sebastião em 16 de março de 1636. Atualmente a cidade tem aproximadamente 88 mil pessoas de norte a sul do extenso município de cerca de 120km [IBGE, 2018].

PREFEITURA DE SÃO SEBASTIÃO

‘São Sebá’ de todos nós


EXPRESSO LITORAL

2 RAFAEL CÉSAR

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

A jornalista e intérprete de Libras, Talita Fernanda, é uma das figuras mais importantes na luta da inclusão de deficientes auditivos na região

ELAS TAMBÉM SENTEM SÃO SEBASTIÃO São Sebastião completa 383 anos e a reportagem do Expresso Litoral entrevistou duas deficientes auditivas. Elas descreveram e contaram como sentem a cidade RAFAEL CÉSAR rafaelcesar@expressolitoral.com.br

I

magine se você não conseguisse ouvir o barulho do mar, dos carros e pássaros que infestam as ondas sonoras da cidade de São Sebastião com sonoridades peculiares e rotineiras? Deduza-se que o caro leitor não sentiria a cidade do mesmo jeito que costuma sentir. Existem pessoas que apesar de não ouvir tais ruídos sentem a cidade melhor do que aqueles que ouvem em perfeito estado. Com o auxílio da interprete de Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS, Tálita Fernandes, as perguntas do jornalista do Expresso Litoral chegaram até

Camille de Freitas, 32 anos, que se expressava com receio em alguns momentos. No entanto, aos poucos ela foi se sentindo à vontade e dando detalhes de uma vida cheia de atividade. – O dia a dia de uma mulher que tem surdez desde criança é um verdadeiro desao – dene Camille, moradora do centro da cidade. Apesar de Camille adorar car em casa assistindo televisão, a jovem gosta de nadar e fazer musculação rotineiramente no Tebar Praia Clube. Além disso, ela garante que o lugar que mais traz liberdade para ela é a Rua da Praia, por causa dos lindos jardins. –Conheço muitas pessoas em São Sebastião por ter passado minha vida inteira aqui. No entanto, em alguns

momentos, me vejo sendo ignorada por causa da minha deciência e co muito triste quando acontece esse tipo de situação. Muitos ouvintes me ajudam a car sintonizada e com esse suporte consigo aprender bastante nas aulas de nado – traduziu Talita as palavras expressadas em LIBRAS por Camille. Amiga desde os tempos de escola da Camille, Daniele Faria de Oliveira, mais conhecida como Dani, se diz apaixonada pela cidade que adotou como dela. Nascida em Capão Bonito [223 km da capital paulista], Dani chegou ainda menina em São Sebastião e o que mais chamou a atenção dela foram as praias da cidade, que para ela, são paradisíacas. Segundo Dani, os desaos são muitos no dia a dia dela pelo

fato de existir poucos surdos na cidade. Com isso, os investimentos em políticas de inclusão para este grupo de pessoas acabam sendo menores do que nos grandes centros. São Sebastião não possui uma associação de surdos, o que acarreta em problemas na questão de levantamento de dados e resoluções para portadores da deciência. No entanto, o município caminha em direção de novas ações no setor e desde o ano passado disponibiliza um “Curso Básico de Libras”. O objetivo do curso é disseminar a Libras e promover a inclusão de pessoas surdas nos meios em que estão inseridas. O curso já formou sua primeira turma na Topolândia, e a novidade para este ano é que foi estendido para Boiçucanga,


EXPRESSO LITORAL

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

atendendo também a Costa Sul. As inscrições para o primeiro semestre de 2019 já acabaram e novas vagas abrirão em julho para o segundo semestre. O lho de Dani sabe a Língua de Sinais e aprendeu através da convivência com a mãe, que sempre explicava os sinais para o lho. O garoto é o orgulho da mãe e sempre acaba deixando ela emocionada nos momentos em que utiliza a linguagem. – Deveria ter mais intérpretes de Língua de Sinais em diversos locais do município, mas creio que a cidade avança aos poucos para melhorar as vidas dos surdos nesse sentido. Quero que o Lucas [lho] cresça e trabalhe nessa cidade maravilhosa, pois amo demais esse lugar. Às vezes, vou para São Paulo e a violência é um problema rotineiro de lá. Não queria ver meu lho correndo risco ao sair de casa. Aqui me sinto segura – armou Dani. Essas duas moças que se mantêm devido muito luta e esperança para conquistarem

INTÉRPRETE A jornalista e intérprete de Libras, Talita Fernanda, é uma das guras mais importantes na luta da inclusão de decientes auditivos na região. Formada pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) em 2007, a prossional se especializou em Mídia e Deciência visando alcançar um público que parecia ser ignorado no Litoral Norte. Atualmente, Talita trabalha como assessora de imprensa na Prefeitura de Caraguatatuba,

Deveria ter mais intérpretes de Língua de Sinais em diversos locais do município, mas creio que a cidade avança aos poucos para melhorar as vidas dos surdos nesse sentido

TRADUZIU TALITA AS PALAVRAS EXPRESSADAS EM LIBRAS POR DANIELA FARIA

Daniele Faria de Oliveira, mais conhecida como Dani, se diz apaixonada pela cidade que adotou como dela

onde nasceu e viveu até os oito anos. Moradora de São Sebastião, a jornalista é formada em Libras pela Associação dos Surdos de Juiz de Fora (ASJF) e já ministrou um Workshop de Libras na Gallaudet University, instituição exclusiva no atendimento ao surdo, em Washington, nos Estados Unidos. – Ter a oportunidade de ensinar a Língua de Sinais para um público que tinha pessoas do mundo inteiro foi uma experiência incrível. Lá, eles respiram Língua de Sinais e queria que acontecesse o mesmo no Brasil, e principalmente, em nossa região. Nem todos os surdos são mudos, com o acompanhamento adequado alguns podem vir a falar e muitas pessoas nem sabem disso. Existem barreiras por conta da língua e nada mais, os surdos não ouvem, mas falam pelos sinais. A sociedade tinha o dever de estar pronta para interagir com eles – concluiu a intérprete e jornalista, Talita Fernanda. RAFAEL CÉSAR

Camille em entrevista ao Expresso Litoral

dias melhores para um grupo sem voz continuam sentindo que São Sebastião é o lugar perfeito para os surdos. Entretanto, percebe-se que é clara a necessidade dos políticos do município se engajarem mais nesse aspecto para melhorem a vida dessas pessoas que querem trabalhar e estudar como qualquer um. Agora, só é preciso a cidade amar mais essas pessoas para que todos sejam mais felizes.

3


4

EXPRESSO LITORAL

4 CLÁUDIO RODRIGUES

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

Felipe Augusto esclareceu e atualizou com informações recentes as obras do ginásio do Gringão e do Hospital da Costa Sul

“AVANÇAMOS MAIS EM 2 ANOS DO QUE NOS ÚLTIMOS 15”, DIZ FELIPE AUGUSTO CLÁUDIO RODRIGUES claudio@expressolitoral.com.br

E

ste mês de março marca uma data especial para uma das três cidades do Litoral Norte em que o Expresso Litoral atua jornalisticamente. São Sebastião completa 383 de emancipação políticoadministrativa no dia 16 de março. Por isso, fomos até o gabinete do prefeito Felipe Augusto para uma entrevista exclusiva. O vídeo da entrevista, com declarações na íntegra, também será disponibilizado nas nossas redes sociais. Nossa reportagem conversou com o prefeito sobre temas polêmicos, como os casos do Hospital da Costa Sul e do ginásio Gringão. Com mais de dois anos de governo, perguntamos o que já feito, o que está em andamento e o que ainda virá até 2020. Esses e outros temas você confere agora no 'Fala, Prefeito' especial de aniversário

- São Sebastião 383 anos. Expresso Litoral – Para começar, gostaríamos que o prefeito falasse um pouco s o b r e a p ro g r a m a ç ã o d e aniversário da cidade, quando São Sebastião completa 383 anos no dia 16 de março. Felipe Augusto – Falando primeiro em obras, para esse aniversário nós já temos o edital de licitação do Hospital de Boiçucanga em andamento; também o edital de licitação do ginásio Gringão; em construção os ginásios esportivos do Jaraguá, Pontal da Cruz e Topolândia. A programação cultural inclui o show do cantor Fábio Júnior, no sábado [16], e no domingo [17], o DJ Alok. Teremos também a tradicional regata do município, já bastante conhecida por todos. Uma data especial para estimular o turismo e comemorar este aniversário com cada cidadão sebastianense. Expresso Litoral – Prefeito, completamos 2 anos e 2 meses

da sua administração. Neste período, o que já foi feito? E mais: o que está em andamento e o que a população de São Sebastião pode esperar até 2020? Felipe Augusto – Chegamos na metade do nosso governo. Muito trabalho e empenho em importantes áreas da nossa cidade. Começamos pela saúde, com duas novas unidades de saúde [Jaraguá e Vila Sahy], todas moder nas e completas, já entregues a população; o Novo Centro de Especialidades aqui na região central, atendendo todo município; reorganização da distribuição dos medicamentos; início do projeto de reforma de todas as unidades de saúde do município; ampliação do horário de atendimento de algumas unidades, como por exemplo, e Boiçucanga, Topolândia e Enseada; em construção a nova unidade do CAPS, na Topolândia; também em início de projeto a nova unidade do CAPS da Costa Norte; e estamos em trabalho de análise

de terrenos para a construção dos PSFs de Maresias e Juquehy. Mais obras grandes em andamento, como a recuperação de todo pavimento da Mãe Bernarda estendendo até Barra do Una; a ponte Barra do Una; em Barra do Sahy e Baleia, ponte nova em execução; a rua Cecília Meireles, no Jaraguá, já entregue a população a revitalização total; e em licitação um valor de cerca de R$ 10 milhões para revitalização 58 ruas da cidade. Agora na semana de aniversário da cidade, teremos a assinatura do convênio com a Sabesp para abrirmos audiências públicas e na sequência assinar mos o contrato de gestão para retomar os investimentos em saneamento básico. Na Educação, reformamos as principais unidades de ensino; construímos a creche e berçário do Jaraguá, a creche e berçário do Pontal da Cruz, a creche e berçário de Maresias, a creche e berçário em Barra do Una. Em breve, vamos entrar em processo de licitação das novas escolas da Enseada e


EXPRESSO LITORAL

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

Cambury. Investimentos também nas reformas das creches da cidade. Já foram entregues as obras nas creches do Jaraguá, Barequeçaba, Barra do Uma, e a nalização da creche Maria Fernanda, todo o sistema de climatização dessas unidades, e também a construção da creche de Cambury. Tudo entregue ao cidadão sebastianense. Temos também a novidade do projeto de construção da nova creche do Bairro São Francisco. E podemos falar ainda mais sobre as obras feitas na nossa cidade, como por exemplo, a reforma do antigo prédio do Banco do Brasil, que hoje é patrimônio município. Instalaremos o Poupatempo Municipal, que trata-se de uma praça de serviços em parceria com o governo do Estado e governo Federal para atender melhor a nossa população. Ainda na região central, reforma e modernização do Hospital Municipal de São Sebastião. Obras de drenagem também na região central, além de investimentos de pavimentos e reforma de praças. E por falar em praça, não podemos nos esquecer das obras da Praça do Surf, em Maresias, e a Praça Pôr do Sol, em Boiçucanga – uma das maiores obras do município, num investimento de R$ 8 milhões. Estamos construindo o novo Ginásio da Topolândia, além de realizar intervenções nos centros comunitários da Topolândia, Jaraguá, Juquehy e Cambury. Tem muita obra em andamento. São mais de R$ 100 milhões em investimentos para melhorar cada vez mais a qualidade de vida do cidadão. Expresso Litoral – Mesmo com diversos investimentos em andamento citados pelo senhor,

a população de São Sebastião espera por respostas de duas importantes obras no município: ginásio Gringão e Hospital da Costa Sul. Prefeito, o que realmente será feito? Qual será o futuro dessas obras? Felipe Augusto – Vou começar pelo ginásio Gringão, que sofreu com abandonos e intempéries climáticas que foram destruindo o espaço. Para reformar o Gringão, nós temos um orçamento previsto de R$ 4 milhões. É óbvio que esses valores vão para licitação e caem. Mas esse é o valor estimado. Com o abandono ao longo do tempo, o custo foi aumentando. Obra pública parada é obra pública que dá prejuízo. Com isso, reorganizamos esse orçamento e preparamos a licitação. A obra está licitada. Demoramos para tomar essa decisão [de reformar o Gringão], porque nós sabíamos do custo e usamos esse recurso para recuperar as unidades esportivas. Foi o caso das obras do CAEs da Vila Amélia, Barra do Una, Porto Grande, Canto do Mar, Enseada e Barequeçaba, além das intervenções do Centro Esportivo do Itatinga e do Olaria. Agora, em 2019, com todas essas unidades reformas e modernas para atender a população, a gente iniciou a licitação do Gringão para que seja a recuperação do nosso primeiro ginásio municipal. Em relação ao Hospital da Costa Sul, é importante salientar que essa obra passou e ainda é objeto de investigações do Ministério Público, além de diversas perícias judiciais. Tudo isso travou a retomada da obra. Quando recebemos a autorização para relicitar o hospital, nós tivemos que fazer a contratação dos projetos técnicos sanitários, técnicos

clínicos e técnico ar-quitetônico – todos se adequaram a função hospital. Esse projetos não existiam. Agora a gente tem condições de fazer a licitação, algo que ocorre normalmente. Com certeza iremos entregar o Hos-pital de Boiçucanga no ano que vem, pronto para atender 40% da nossa cidade com qualidade e transparência.

Melhoramos diversos serviços na educação, saúde, segurança, turismo, e muito mais. Portanto, a cidade está evoluindo. É uma outra São Sebastião

FELIPE AUGUSTO prefeito de São Sebastião

Expresso Litoral – Para encerrar, prefeito, deixe a sua mensagem para os mais de 80 mil habitantes de São Sebastião que comemoraram o aniversário de 383 de emancipação políticoadministrativa. Felipe Augusto – É uma mensagem de fé e esperança. Quando fui bater na porta da casa de cada cidadão para pedir um voto para ser prefeito de São Sebastião, eu tinha a esperança de fazer o melhor para o município. Estou fazendo isso com dedicação total. São mais de 16 horas de trabalho todos os dias para prestar o melhor serviço possível. Reduzimos os custos da máquina pública para que sobre recursos para investimentos. Foi assim nos dois últimos anos e será assim sempre. Cuidar de São Sebastião, cuidar de gente. Assumimos uma administração com diversos pro-blemas e a população conhece todos eles de perto. Melhoramos diversos serviços na educação, saúde, segurança, turismo, e muito mais. Portanto, a cidade está evoluindo. É uma outra São Sebastião. Fazemos a gestão da nossa cidade com qualidade e respeito. Posso garantir: em dois anos nosso município avançou muito mais do que nos últimos 15 anos. Aqui ca a minha mensagem de agradecimento e muito trabalho.

5


EXPRESSO LITORAL

8

Capela tem quase 110 anos e mantém sua origem

CAPELA CAIÇARA DE MARESIAS COMPLETA 109 ANOS Em comemoração aos 383 anos de São Sebastião, Expresso Litoral traz a história da Capela de São Benedito e Sant'Anna; além de Maresias, Paúba, Boiçucanga, Barra do Una, Barra do Sahy, Toque-Toque Pequeno, Toque-Toque Grande e Cambury possuem locais sagrados com o mesmo perfil

RAFAEL CÉSAR

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7


MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

9

EXPRESSO LITORAL

RAFAEL CÉSAR

Capela de São Benedito e Sant’Anna, em Maresias

Você sabia? a Capela de Maresias é caiçara por ter sido construída por todo o povoado da época O PADRE RAFAEL CÉSAR rafaelcesar@expressolitoral.com.br

C

om quase 110 anos, a Capela de São Benedito e Sant'Anna do bairro de Maresias, localizada na Costa Sul de São Sebastião, traz a história de três famílias caiçaras em sua fundação. O município sempre teve muitos devotos e peregrinos que construíram oratórios através da pesca. É fácil encontrar capelas datadas de 1910 até 1940 por muitos vilarejos, bairros e na própria região central da localidade. De acordo com os livros de história, o catolicismo veio com os portugueses e o sincretismo religioso também. Por isso, pode-se dizer que a fé e a crença das comunidades caiçaras do começo do século XX foram conectadas pelo mar. A Capela de Maresias é caiçara por ter sido construída por todo o povoado da época. O terreno foi uma doação da família Cesar e as imagens dos

Santos foram dadas pela família Sales e Moura Santos Moreira, que sempre se reuniam para orações. Segundo Dona Maria Aparecida Cesar Ferreira Bueno, 82 anos, que foi uma das responsáveis por ocializar a doação para Diocese de Santos, a Capela tem mais do que 109 anos. – A Capela foi inaugurada em missa episcopal no ano de 1910. Teve também o episódio em quetrês homens pagaram uma promessa e ergueram a torre da Capela. Entretanto, existia uma estrutura mais antiga que tinha muitos anos a mais – comentou Dona Maria. A experiente caiçara arma que raramente vinham padres celebrar novenas, hinos e devoções cristãs no período em que a Diocese de Santos era a responsável pela Capela. Com a criação da diocese de Caraguatatuba, a situação começou a melhorar porque havia uma proximidade maior entre a cidade que coordenava o ‘santo local’ divino.

A nora de Dona Maria, Samanta Anderson Bueno, fez um levantamento da história quando a Capela estava com 100 anos. Samanta conta que a ladainha que ocorria antigamente era em latim. – Além da pesca, haviam leilões realizados para arrecadar verba para manter a pequena igreja. Após um tempo, esses leilões foram substituídos por barracas de comidas típicas e bebidas – explica Samanta. Para Plínio Ricardo Bueno, 47 anos, lho de Dona Maria e esposo de Samanta, muito da cultura caiçara vem se perdendo no decorrer dos tempos e aquela fase de tempos de ouro não voltam mais. – Na catequese, a molecada brigava para quem sairia nas festividades com a roupa de anjo. Muita coisa se perdeu no decorrer dos tempos e com as mudanças de administração da Capela as tudo piorou. Minha mãe teve até problemas judiciais por ter divergências com um padre que passou pela Capela – disse Ricardo Bueno.

Benedito César Sobrinho, mais conhecido como Seu Dito, 79 anos, não precisou de seminário para ensinar a palavra de Deus por quase 51 anos. Tudo começou em um belo domingo. Quando Benedito Cesar Sobrinho, irmão de Dona Maria, 79 anos, foi fechar a igreja para atender um pedido feito pela mãe dele. No momento que saiu da Capela, encontrou um grupo de senhoras que esperava ansiosas para a missa. O que elas não sabiam é que não haveria missa e nem padre, pois o sacerdote não conseguira vir de Santos naquele dia. – Então, tomei uma atitude que mudou a minha vida. Perguntei se elas queriam que eu ministrasse a missa e elas responderam que sim, a partir daí, peguei paixão por transmitir a palavra de Deus. Tudo aconteceu assim do nada – relembra Seu Dito. Considerado no bairro por muitos como um senhor de SEGUE


EXPRESSO LITORAL RAFAEL CÉSAR

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

– Esse Santo é milagroso. Tinha um cerco chamado 'Cerco da Sociedade' que per-tencia a várias famílias do bairro. Nesse tempo, havia uma rivalidade com outro cerco que cava perto de Paúba que causou um confusão danada. Alguém mandou lanchas em direção de Maresias para fe-char o cerco, de repente, o mar virou e surgiu uma tempestadedo nada que fez os scais desistirem da missão de acabar com a nossa rede – conta o padre. O VIZINHO DA CAPELA “Maresias foi um bairro que se formou ao redor da igreja igual a muitos outros pelo município. A família do meu pai era de Maresias e a da minha mãe de Juquehy, eu vivi entre os dois bairros na minha infância. Depois fui para o interior e depois Santos, qua-ndo veio a “Crise do Governo Collor” tive que me mudar para esta casa que era do meu pai porque não tinha como me manter mais em um grande centro”, fala João Luís Cesar, 64 anos, vizinho da Capela. Na opinião dele, é um pri-

No detalhe, a tatuagem de São Sebastião no braço de Plínio marca a fé da família

Então, tomei uma atitude que mudou a minha vida. Perguntei se eles queriam que eu ministrasse a missa e eles responderam que sim, a partir daí, peguei paixão por transmitir a palavra de Deus. Tudo aconteceu assim do nada BENEDITO CÉSAR SOBRINHO, MAIS CONHECIDO COMO SEU DITO, 79 ANOS

vilégio morar ao lado de um imóvel centenário que carrega a história de Maresias. Ele acompanhou o desenvolvimento da região a olho nu e assistiu o crescimento dessa parte do Litoral Norte. – Antigamente, tudo isso aqui era mato. As ondas chegavam no quintal da minha casa – recorda. Seu João é um caiçara que nunca gostou de pescar (igual ao Seu Dito), mas lembra que pegar fruta no pé, casar passarinho e jogar bola nas ruas era com ele mesmo. Na infância, o vizinho da Capela acompanhava o processo da produção da farinha de mandioca (conhecido entre os antigos como trafego de farinha) e chegou a ajudar em alguns instantes. – Tudo era artesanal antes da construção da Rio-Santos. Muitos caiçaras largaram a pes-ca para trabalhar na obra e as coisas foram evoluindo. Eu sa-bia que um dia Maresias se tornaria paraíso para os negócios imobiliários e resisti as inú-meras tentativas de compra da minha terra. Graças a Deus, sempre pensei nos meus lhos e hoje um deles possui um foodtruck que é um sucesso no nosso quintal – comemorou Seu João.

RAFAEL CÉSAR

Para João, é um privilégio morar ao lado de um imóvel centenário que carrega a história de Maresias

Seu Dito foi o padre da Capela de Maresias por cerca de 51 anos e sempre tentou ajudar a comunidade com seus ensinamentos

coração grande que arma: “O maior milagre é o sorriso de uma criança”. Seu Dito é um padre caiçara que aprendeu as palavras de Deus por ter sido autodidata. Apesar de sofrer com a perda de memória, o caiçara recorda muitas histórias inesquecíveis. –Vieram pessoas da Igreja de Aparecida para me levar para fazer o seminário, a faculdade de teologia e losoa para me tornar padre gabaritado. Con-tudo, a minha mãe não autorizou a minha ida. Apesar disso, continuei atuando na administração e oratórias da Capela por anos – conta Seu Dito. De acordo com Seu Dito, a catequese chegou a ter 250 crianças participando diretamente e havia uma união muito grande entre o povoado. – Em uma missa do galo realizada pelo padre, os animais foram doados pela comunidade em cima da hora. A ba-tucada de Santo Reis era feita nas calçadas, era uma animação só – disse o caiçara de 79 anos. Para ele, o padroeiro do bairro e da Capela é apenas São Benedito por ter sido a primeira imagem a chegar na igreja.

10


EXPRESSO LITORAL

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

11

GESTÃO FELIPE AUGUSTO TEM 52% DO PLANO DE GOVERNO CONCLUÍDO DA REDAÇÃO redacao@expressolitoral.com.br

E

REALIZADOS Um dos projetos realizados pela atual gestão foi o fortalecimento do CIAMA – Centro de Incentivo ao Aleitamento e a criação da segunda unidade na região sul, e foi realizado com sucesso segundo a apuração da

EM ANDAMENTO Desde a última gestão, o Hospital da Costa Sul, em Boiçucanga, é um problema. O

Uma das outra obra entregues pela Prefeitura foi a reforma do prédio do Teatro Municipal

DIVULGAÇÃO

m toda campanha eleitoral, seja para presidência ou para poderes executivos, é comum que os candidatos apresentem diversas propostas, como ações, planos e medidas a serem tomadas no município, entre outros. Em 2019, já chegamos na metade dos mandatos dos prefeitos eleitos em outubro de 2016. Com isso, a reportagem do Expresso Litoral analisou o plano de governo do prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto, para constatar quais ações a administração já implementou no município; quais deram certo; o que está em andamento; e ainda quais serão implementadas até o m do mandato. Em uma leitura minuciosa, identicamos que 52% das mais de 300 ações, implantações e projetos presentes no plano apresentado à população já foram realizadas e mantidas. Outros 26% estão em andamento ou foram iniciadas. O restante de 22% está marcado para começar a ser realizado no biênio de 2019/2020.

nossa reportagem. Inaugurando em outubro do último ano, a sede do CIAMA em Boiçucanga custou R$ 300 mil em gastos com novos equipamentos. Na análise do Plano Diretor, o segundo tópico da pasta “Infraestrutura Urbana” chamou a atenção da reportagem, no qual está escrito “Desenvolver e i m p l a n t a r o P ro g r a m a d e Macrodrenagem” como implantada e continuada. Apesar da ideia da prefeitura em criar ações para a diminuição de alagamentos na cidade, vimos que nas últimas chuvas o projeto não surtiu efeito. Porém, quando o assunto é segurança, vale o destaque das ações feitas para a melhoria da Guarda Civil Municipal. Em dois anos, e com o contingente da Guarda Civil Municipal aumentando, atualização de equipamento e frotas, São Sebastião se tornou hoje a cidade mais segura do litoral norte, de acordo com so comandante da 1ª Companhia do 20º Batalhão da Polícia Militar [BPM-I], capitão Eduardo Gonsales. E segundo o Plano de Governo, novas ações serão feitas na Guarda Municipal, como a construção da base sede da Guarda, criação de uma base na costa sul do município, ainda será criado a Guarda Civil Ambiental e o canil da Guarda Municipal.

atual prefeito Felipe Augusto prometeu terminar a construção, equipar o hospital e dotá-lo de prossionais da saúde para garantir seu pleno funcionamento até o nal de 2020. Outra demanda em andamento é o Poupatempo Municipal, aprovado pela Câmara Municipal no ano passado. O projeto autoriza a compra do prédio avaliado em R$ 4,5 milhões, que será a sede do Poupatempo. O objetivo é reunir todos os ser viços e atendimento ao cidadão em um único lugar. Atualmente, o prédio está em fase de reformas e adequação para os munícipes. Mais uma ação em andamento que chamou a atenção da reportagem do Expresso Litoral foi o combate a violência sexual contra mulheres, crianças e adolescentes. A violência, e principalmente a sexual, é um dos problemas que mais assola todo o nosso país, com índices alarmantes.

BIÊNIO 2019/2020 Alguns projetos estão por vir nesse biênio, como a construção do novo hospital central por intermédio de parcerias públicoprivadas [PPP]; a adaptação das unidades escolares para inclusão de pessoas com deciências; a implantação de novos pontos de ônibus com monitores de tempo por GPS nos pontos principais, e construção de terminais inter-ligados na Costa Norte e Costa Sul do município; a Construção do Mercado Municipal; e ainda a criação de vagas para idosos em instituições de curta permanência [Creche do Idoso]. O prefeito Felipe Au-gusto disse que a cidade evoluiu na primeira parte do seu governo. – Enxugamos a máquina. Por isso, conseguimos atingir 50% do nosso Plano de Governo. Ainda tem muito a ser feito. Temos 14% em andamento e outros 36% para nalizar até dezembro de 2020 – armou.

COMUNICADO ETS A North Shore Treinamentos e ETS Escola Técnica convocam os ex-alunos certificados no curso de Solda Industrial (Mig, Mag, Tig e Eletrodo Revestido), a comparecerem imediatamente a sede da escola, situada à Av. Guarda Mor Lobo Viana n.982, Porto Grande, São Sebastião - SP, para atualização gratuita do Certificado do curso de solda. Mais informações ligue 12-38922133.


MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

EXPRESSO LITORAL

12

JULGADO, PRESO E CONDENADO Conheça a história do “Dia em que o Santo Pecou”, quando São Sebastião foi culpado por assassinar Benedito Lopes e condenado a cinco anos de prisão NICOLAS CANTAGESSO

NICOLAS CANTAGESSO nicolas@expressolitoral.com.br Estudante do curso de Jornalismo Sob supervisão: Jornal Expresso Litoral

E

stamos no ano de 1700, nas redondezas da pacata Vila de São Sebastião, onde mora um homem chamado Benedito Lopes, valentão, que na maioria do tempo ou estava bêbado ou assustava os moradores. Estes moradores, e não encontrando outro jeito de se livrar do rapaz, pedem para que o santo São Sebastião tome alguma providência ou promova algum milagre para que a paz se estabeleça na pequena Vila. Agora imaginem, certo dia, depois de tantas orações e pedidos ao santo, Benedito Lopes aparece morto com um ferimento no peito aos pés de São Sebastião, o que vocês imaginariam? Essa é a história do “Dia que o Santo Pecou”. Para entendermos melhor esta confusa e verdadeira história, a redação do Expresso Litoral convidou Edvaldo Nascimento, de 68 anos, um dos pesquisadores mais importantes da história de São Sebastião. Ao nosso pedido, Nascimento contou com muito entusiasmo a história que ocasionou a prisão de São Sebastião. – Está história é verdadeira. Tinha todos os documentos no fórum, um calhamaço muito grande de papeis. Obviamente o santo não foi o assassino. Foi uma inocência do povo, que pedia um milagre para castigar o homem – conta Nascimento. O pesquisador ainda comple-

Após a condenação, a imagem ficou três anos na delegacia da cidade e nos dois últimos ela cumpriu pena em prisão domiciliar na Capela do Rosário

mentou que Benedito Lopes provavelmente se envolveu em uma briga com alguém e que coincidentemente ou ocasionalmente deixaram o corpo dele no pé do Santo. Porém, com a inocência do povo, acreditaram que foi o santo, e com isso prenderam a imagem na cadeia da cidade. Segundo Edvaldo Nascimento, o rapaz que arrumava as confusões na antiga Vila, tinha um certo respeito pelo santo, tinha ele como seu protetor. Porém, quando ele se embriagava cava muito violento e com isso, assustavas os moradores da Vila. – Ele sempre chegava aonde é o centro da cidade hoje, com sua canoa e uma garrafa de pinga. Ai o pessoal da igreja pedia que o santo realizasse um milagre para castigar o encrenqueiro, ninguém aguentava mais ele, mas o castigo nunca chegava – lembra. – E quando ele cou sabendo dos pedidos ele chegou no Padre, bêbado, é claro e falava. “Estão pedindo para o santo me castigar, então vêm, estou esperando”. E o Padre, com toda gentileza pedia

para que ele se retirasse. “Vai embora homem, qualquer dia o castigo vai chegar”, aí ele se acalmava e ia embora – complementou. Então, prosseguindo na história, chega o dia do falecimento de Lopes. O pesquisador conta que na manhã que encontraram o corpo de Benedito havia um buraco em seu peito, que provavelmente seria de um tiro ou uma facada. – Quando o povo foi rezar de manhã um rapaz começou a gritar. “Olha, Benedito Lopes morreu, o santo castigou, foi o santo”. Quando chegou a autoridade da cidade, resolveram pegar o santo e prender ele na mesma delegacia que temos aqui na ainda na cidade – contou sorrindo Nascimento. No dia do julgamento de São Sebastião foi decretado prisão por 5 anos com o direito de saída todo dia 20 de janeiro para a procissão da igreja. O andor só podia ser carregado pelos soldados e ainda era pendurado em seu pescoço o alvará de soltura, com ordem do juiz. Segundo Edvaldo Nas-

cimento, que na maior parte da conversa conta a história sorrindo e se empolgando cada vez mais. – Depois que ele foi preso [risos], e chegou no terceiro ano da sentença o povo não aguentava mais e pediu para que o santo voltasse para a igreja. Então, decidiram que o resto da sua pena seria “domiciliar” [risos], e foi cumprida na Capela do Rosário. Teve o mesmo critério, só saia todo dia 20 de janeiro, com os soldados o carregado e com o alvará de soltura preso a imagem – relata. – Depois que o tempo passou e a poeira abaixou, o costume de pedir o alvará continuou, todos os anos ia alguém na delegacia e pedia. Virou uma tradição. Dizem que isso foi até 1916, mais de 200 anos depois, que me disso isso foi a lha de um juiz, que morreu com quase 100 anos – relembra. Porém, segundo o próprio pesquisador, em um ano em que ele não se recorda, um caiçara no dia 19 de janeiro, foi até a delegacia, onde tinha chegado um novo juiz na cidade, pedir o alvará de soltura. – O juiz que não sabia da história não entendeu nada, falou: “ vou procurar aqui e já respondo.” Depois de um tempo o juiz voltou e respondeu o rapaz. “Olha, isso aconteceu mesmo, o santo foi preso, mas acabou. Se no próximo ano se alguém vier pedir o alvará, eu vou prender. Essa história já acabou faz tempo. ” – Recorda. – Foi assim que a história foi se perdendo, quem me contou isso foi a própria lha do juiz, que infelizmente já faleceu – naliza.


PREFEITURA DE ILHABELA

Ilha mais que bela O arquipélago de Ilhabela é um dos pontos mais bonitos do litoral brasileiro. Com 83% de sua área preservada pelo Parque Estadual de Ilhabela, a cidade abriga a maior reserva de Mata Atlântica do planeta. Sinônimo de flora exuberante e fauna rica em diversidade, a beleza local é completada por suas 42 praias de diferentes estilos e cachoeiras abundantes. Sua história, rica em lendas de piratas e corsários, é remetida aos engenhos de pinga que existiam no município até o final do século XIX. Hoje, destino turístico consolidado, Ilhabela é reconhecida internacionalmente pelos seus eventos náuticos, como a Semana Internacional de Vela de Ilhabela, maior evento de vela da América Latina. Para completar a magia da cidade, charmosa e variada rede hoteleira oferece conforto acima da média. A farta gastronomia de alto padrão, bem como uma movimentada e musical vida noturna, aliada ao clima tropical e redutos paradisíacos, fazem de Ilhabela um destino para o ano inteiro. Por isso, cada momento em Ilhabela vale a pena ser vivido. O arquipélago tem cerca de 34 mil habitantes [IBGE, 2018].


2

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

Paratleta representa Ilhabela em mundial de Taekwondo na Turquia Jovem com pouco tempo no esporte surpreendeu com este feito histórico para a cidade GABRIELA PERTANELLA gabriela@expressolitoral.com.br Estudante do curso de Jornalismo Sob supervisão: Jornal Expresso Litoral

S

abemos o quanto é importante a inclusão social e o investimento esportivo para pessoas com deciência. A paratleta ilhabelense, Lia de Souza Santos, 25 anos, é uma prova grande disso. Com faixa amarela e apenas dois anos de treinamento, Lia foi convidada a competir representando o Brasil no Campeonato Mundial de Taekwondo, que ocorreu na Turquia este ano. Desde pequena, Lia tem atividades variadas. Durante 13 anos em que morou em São Sebastião e frequentou a APAE sebastianense, ela estudou violão, aprendeu a tocar sozinha gaita, faz artesanatos, além dos es-

portes variados como o arremesso de peso e o atletismo. Ela já se destacava. – A Lia sempre esteve no atletismo, foi uma surpresa ela gostar tanto assim desse esporte e já conseguir destaque – comenta a mãe Andrea de Souza Santos, orgulhosa da lha. O pouco tempo de contato com o Taekwondo surpreende e mostra o quanto a atleta é esforçada. – Estou na APAE há dois anos e ela está comigo desde o inicio. A Lia não se cansa de treinar. Se carmos 4 ou 5 horas, ela ca rme. Sempre mostra interesse e organização – arma Marcio Santos, seu professor. Sua trajetória até o Mundial foi curta, explica Márcio. – Ela participou de festivais promovidos pela Federação do Estado e do Campeonato Brasileiro, realizado pela Confederação Brasileira, onde ela

sagrou-se campeã na sua categoria, P-20, para atletas com síndrome de down e deciência intelectual, em julho do ano passado. O técnico da seleção de Parataekwondo estava no evento e viu o potencial de Lia. Houve um contato e o convite foi feito – diz. – A Lia foi a única a representar o Brasil nessa categoria em todas as edições já feitas. Nenhum brasileiro havia feito isso. – comenta o professor com felicidade. Após o convite, Lia, seu professor e sua mãe tiveram uma corrida contra o tempo de 15 dias para que tudo desse certo, além da rotina de treinamentos. – Corremos atrás da papelada, foi muita burocracia. Ia sair muito caro, mas a prefeitura custeou tudo, inclusive a minha ida, após entenderam que ela não teria condições de

viajar para muito longe e com muitas pessoas desconhecidas – conta Andrea. – Ela cou muito feliz. Conheceu muita gente diferente, fez amizade e treinou com um atleta de Honduras. Foi boa a experiência. Ela ainda é faixa amarela e competiu com meninas de faixa preta. Mesmo assim valeu – disse. Tanto o professor quanto a mãe de Lia garantem que vão ajudar ao máximo na sua preparação. Ela terá treinos extracurriculares e Andrea cuidará de sua alimentação com acompanhamento da nutricionista da APAE para perca de peso, porém ela entende os esforços que precisa fazer. – É estranho pra ela chegar num lugar com pessoas mais preparadas. Então, com os treinos, quando sentir que ela estiver preparada voltamos a competir – conclui Andrea. PREFEITURA DE ILHABELA

ILHABEL A

EXPRESSO LITORAL

Lia foi a única a representar o Brasil nessa categoria em todas as edições já realizadas


3

EXPRESSO LITORAL

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

Com força de vontade de conselheiras, importante projeto de conscientização está em ação DIVULGAÇÃO

GABRIELA PERTANELLA gabriela@expressolitoral.com.br

ILHABEL A

Ilhabela dá um passo à frente e pela primeira vez tem Conselho da Mulher Estudante do curso de Jornalismo Sob supervisão: Jornal Expresso Litoral

pág.26

D

e abril de 2018 [quando a Secretaria de Desenvolvimento Social abriu o edital] a 31 de outubro quando foi decretado, o Conselho foi uma enorme conquista para as mulheres da cidade. – Foi o primeiro Conselho municipal em que pudemos nos eleger como cidadãs e não sendo representante de uma ONG. Também foi legal porque só mulheres puderam votar. Foi a eleição que mais teve participante da história dos conselhos da Ilha. Muito signicativo – explicaThais Zacaro, presidente do Conselho. Com pouco tempo para começar a agir, sua primeira ação foi achar um meio de divulgar a campanha do “Não é não!” [campanha contra o assédio]. A solução foi levar a campanha ao carnaval da cidade com o tradicional Bloco da Camisinha, o maior do Litoral Norte e de responsabilidade da Secretaria de Saúde. – Pensamos em aproveitar o que a gente já tem. O bloco já tinha uma campanha forte na rua, então vamos juntos – comenta Lara Kayanoki, conselheira representante da Secretaria de Saúde. A curiosidade é que este foi o primeiro carnaval onde o assédio e sexual é crime [lei 13.718/18]. O movimento distribuiu 2500 tatuagens e foram incontáveis as abordagens diretas e indiretas para conscientização. Campanhas como essa são importantes para que as mulheres se fortaleçam, se apóiem e se sintam seguras para denunciar agressores em casos mais graves. – Houve um espancamento cujo agressor dizia à vítima para gravar bem o seu rosto. Quando

Abrindo o carnaval da cidade, o Bloco da Camisinha animou a noite de sexta

Conselheiras tomaram posse oficialmente em 27 de dezembro de 2018

recebemos essa denúncia já havia boletim e a vitima já estava no hospital – contou Thaís, que armou ser o caso mais grave que receberam. O trabalho de conscientização teve um foco maior no público jovem começando desde as escolas. O entendimento dos adolescentes foi instantâneo e muito bem aceito entre meninos e meninas. – Depois de saber da campanha muitos adolescentes nos procuraram. Até mesmo os garotos vinham até nós para mais explicações ou com suas

amigas. – explicou Ana Claudia Enfer meira do Centro de Referencia da Mulher. – Trabalhei em outros carnavais e com os dados que colhemos através de questionários percebemos uma melhora muito grande nos relatos de meninas e mulheres, então alcançamos nosso objetivo – completou. A partir destes dados colhidos o Conselho terá base para futuras campanhas e para maior apoio municipal. E como de sua competência, suas 22 conselheiras, deverão agir

como scais do serviço público. Assegurar a equidade, liberdade, os direitos e a participação nas ações do Poder Executivo Municipal. Como próximas propostas estão a regularização da Delegacia da Mulher; Casa de Acolhimento; e procura de mais prossionais para que consigam atender melhor a demanda. – Sabemos que a tendência é aumentar o numero de denuncias e BO.s, porém por enquanto não temos como dar o atendimento necessário – naliza Thais.


4

EXPRESSO LITORAL

ILHABEL A

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

RONALD KRAAG

Márcio Tenório afirma que houve a liberação de 40 projetos executivos de saneamento básico, que, segundo ele, representam avanço para Ilhabela

Fala, prefeito: “denúncia com motivação política”, diz Márcio Tenório sobre CEI Chefe do Executivo Ilhabelense conversou com a reportagem para o 'Fala, Prefeito' do mês de março. Entre os assuntos abordados, a abertura da Comissão Especial de Inqueríto [CEI] na Câmara Municipal; aquabus; saneamento básico; e baixa temporada CLÁUDIO RODRIGUES claudio@expressolitoral.com

C

hegamos a 7ª edição do Expresso Litoral neste mês de março e como é de costume dos nossos leitores, o 'Fala, Prefeito' – espaço em que o chefe do Executivo tem a oportunidade de esclarecer dúvidas e assuntos polêmicos com a população – é com o prefeito de Ilhabela, Márcio Tenório. Nos últimos 30 dias, alguns casos têm gerado polêmica em todo arquipélago de Ilhabela, como por exemplo, a abertura da Comissão Especial de Inqueríto [CEI] na Câmara

Municipal; aquabus; e saneamento básico. Conversamos com o prefeito Márcio Tenório, e você confere agora a entrevista com exclusividade. Expresso Litoral – Prefeito, gostaríamos de começar com um assunto bastante delicado: a abertura de uma CEI [Comissão Especial de Inquérito], pela Câmara Municipal de Ilhabela, contra ações da sua gestão no início do ano. Há alguma estratégia de defesa? Seja ela jurídica ou política. E qual é a sua opinião a respeito? Márcio Tenório – A criação na Câmara de uma comissão

processante e abertura de processo de cassação e afastamento do cargo do prefeito, como já armamos, trata-se de denúncia com motivação política, uma vez que não houve dano ao erário público, conforme alegado. Portanto, foi aberta uma comissão processante para apurar um fato que não existiu, não houve perda de dinheiro público; é claro que isso é político. A denúncia é fraudulenta e induziu a Câmara ao erro, visto que omitiu que o recurso já foi devolvido, dentro do prazo previsto em lei, e não houve dano ao cofre público. Não procede a informação de suposto pagamento de um evento 'Paço do Samba'

que não ocorreu a uma empresa vencedora de licitação. Também é preciso lembrar que a Câmara Municipal não fez pedido de afastamento imediato do prefeito e que provaremos o equívoco dos motivos que provocaram a abertura da comissão processante pelo Legislativo, que tem prazo de 90 dias [prorrogáveis por mais 90] para a conclusão dos trabalhos. Isso tudo que falamos, com documentação, já havia sido disponibilizado à Câmara, e a todo cidadão, para comprovar a correção dos atos administrativos praticados nesse processo. Expresso Litoral – De acordo com o secretário de


5

EXPRESSO LITORAL

Turismo, Ricardo Fazzini, as embarcações 'Aquabus' estarão à disposição da população para a travessia São SebastiãoIlhabela em 90 dias. Um investimento de R$ 900 mil. Qual é de fato o objetivo dessa iniciativa? O transporte será cobrado? Funcionará em conjunto com o Catamarã? Mesmo com os 'Aquabus', o governo do Estado informou se reforçará a travessia com mais Catamarãs? Márcio Tenório – O objetivo é melhorar ainda mais o atendimento à população de Ilhabela e que faz a travessia. Estamos atendendo um pedido da Dersa, responsável pelo serviço de travessia, que quer ampliar os espaços e veículos disponíveis aos usuários. O governo estadual pretende liberar o segundo catamarã, o que ainda não ocorreu devido aos problema já divulgado, com a empresa que estava inicialmente responsável pela reforma do segundo catamarã.

vos, que representam um grande avanço para Ilhabela. Se fôssemos elaborar todos esses projetos precisaríamos de mais 2 anos. A população já viu ações efetivas, além dos 40 projetos, como a destinação de 10% dos royalties, desde 2017, para o saneamento; assim como a destinação de R$ 42 milhões anuais do orçamento para a pasta, um total de R$ 160 milhões em saneamento. Já executamos 8 quilômetros de redes coletoras na região do Piúva e vamos iniciar mais 25 quilômetros até a região da Praia do Julião. Também estamos preparando a nova Estação de Tratamento de Esgoto do Itaquanduba Na questão da água, estamos ampliando em três milhões a produção e reservação de água tratada, com a ampliação de dois reservatórios no Green Park [de 50 mil litros para 1 milhão de litros] e no Bexiga [de 150 mil para 2 milhões de litros]. E em breve anunciaremos muito mais investimentos.

Expresso Litoral – Novamente o assunto é saneamento básico, prefeito. Os projetos estão em andamento? Quais são as mudanças já vistas pela população? Márcio Tenório – Nos, nalmente, depois de muita cobrança junto à Sabesp, e até com a reunião que zemos, em São Paulo, com o ministro do Meio Ambiente, conseguimos a liberação pág.26 de 40 projetos executi-

Expresso Litoral – Após o Carnaval, inicia-se o período de baixa temporada em todo Litoral Norte. O que a prefeitura de Ilhabela está preparando para gerar emprego e renda em uma época não tão movimentada? Márcio Tenório – Após o carnaval, Ilhabela prosseguira com seu plano municipal de turismo, discutido e aprovado com o Comtur e sociedade civil organi-

zada, que prevê a realização de eventos e atividades programadas justamente para esse período. Ilhabela hoje trabalha a questão do turismo de natureza, corporativo, de negócios e dentro desse contexto mantém geração de emprego e renda fora da temporada, tudo isso com a promoção de cursos de qualicação prossional para o comércio, hotéis e pousadas, entre outros. Nossa cidade hoje já é referência também para o período de baixa temporada. Temos trabalhado a cidade como destino nas feiras nacionais e internacionais e colhido resultados desse empenho.

Foi aberta uma comissão processante para apurar um fato que não existiu. Não houve perda de dinheiro público. É claro que isso é político MÁRCIO TENÓRIO prefeito de Ilhabela

Expresso Litoral – Quais serão as principais ações de trabalho para o mês de março? Márcio Tenório – Pretendemos avançar ainda mais em várias áreas, como já zemos em apenas dois anos. Devemos iniciar, acelerar e concluir obras de novas instalações nas áreas da infraestutura, Saúde, Educação, Esporte, Saneamento e outros. Queremos continuar cumprindo o compromisso de atender principalmente os bairros, levar benfeitorias de norte a sul de nosso arquipélago. A intenção é concluir os quatro anos com a realização de todo o nosso Plano de Governo, elaborado junto com a nossa população, levando melhorias para as comunidades tradicionais, esquecidas no passado.

pág.26

Sobre a baixa temporada, Márcio Tenório diz que após o carnaval, Ilhabela prosseguirá com seu plano municipal de turismo, discutido e aprovado com o Comtur e sociedade civil organizada, que prevê a realização de eventos e atividades programadas justamente para esse período

RONALD KRAAG

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7


8

ILHABEL A

EXPRESSO LITORAL

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

Preço do estudo vai além do dinheiro Quem vê uma pessoa formada, exercendo sua profissão com amor, no emprego que sempre quis, não imagina o quão difícil é a vida de um estudante de ensino superior GABRIELA PERTANELLA gabriela@expressolitoral.com.br Estudante do curso de Jornalismo Sob supervisão: Jornal Expresso Litoral

C

Apesar de tudo, agora Márcia vai poder contar com o incentivo municipal aos estudos de bolsa de estudos e o auxilio transporte

DIVULGAÇÃO

ada indivíduo tem suas diculdades. Seja ela nanceira, problemas com condução, família, idade... Mas nunca é tarde. E é essa a realidade de Márcia da Conceição Anselmo, 32 anos, dois lhos, e em busca do sonho de ser enfer meira. Márcia é paulistana da Brasilândia e mora em Ilhabela há 7 anos. Trabalha como faxineira na Biblioteca Pública Municipal e depois de tantos anos sem ter ao menos o diploma do ensino médio resolveu voltar a correr atrás do seu futuro. No nal de 2018, Márcia foi aprovada na prova do ENNCEJA [Exame Nacional para Certicação de Competências de Jovens e Adultos], conseguindo o diploma que abriria suas portas. Depois de muita procura, ela decidiu entrar num curso técnico de enfermagem, por conta do baixo custo, mas ainda estaria fazendo o que gosta. Correu para que conseguisse se matricular a tempo deste primeiro semestre e junto ao inicio do ano letivo. Márcia nalmente está estudando. Desde então sua rotina, que já não era fácil, cou ainda mais difícil. – Acordo às 5h40, me arrumo, acordo e arrumo meu lho, e levo ele para a escola, que é perto de casa. De lá, eu saio correndo para não perder o ônibus e chegar às 7h no trabalho. Saio às 13h. Passo na escola e pego meu lho. Vamos para casa. Ele toma banho e dou um café para ele. Ajeito a comida já para o jantar. Limpo a casa. Tomo banho e saio para ir pegar a balsa das 18h – relata. É de perder o fôlego, não é mesmo? Mas muita calma...

ainda não acabou. Enquanto seu pedido de auxilio transporte da prefeitura não estava aprovado, o trajeto de Ilhabela a Caraguatatuba quase a fez desistir. Primeiro ela entrou em contato com vans locais que fazem o transporte, mas desistiu. O valor era muito alto para ir apenas de duas a três vezes na semana. A solução foi fazer o trajeto com os ônibus de linha local, um que fosse de São Sebastião a Caraguatatuba perto da rodoviária e de lá outro ônibus que a deixasse perto do seu curso. – O transporte público é horrível. É muito calor, muita gente, pessoas que vão reclamando o caminho inteiro. É desconfortável. A gente já está cansada e se vê numa situação daquela. Na volta, chegava às 1h da manhã em casa. Quase desisti mesmo – explica. Esse percurso custava em média 20 reais por dia, além de suas contas, uma babá para seu lho e um salário que mal paga tudo isso. Mesmo assim ela insistiu e nalmente em março já utiliza o transporte municipal. Em compensação ela se identicou logo no inicio e arma estar gostando do curso. – É ótimo. Os professores são muito bons. Estão preocupados em ensinar realmente e não apenas em passar o conteúdo, o que nos motiva – diz. – Quando eu era mais nova eu tive a oportunidade de terminar os estudos, fazer faculdade, eu já tinha vontade de cursar enfermagem, mas eu acabei indo morar com o pai do meu primeiro lho, hoje com 16 anos, e quando decidi me separar ele não aceitou e me perseguia. Até que um dia ele apareceu dentro da minha sala da aula. Meu professor, que era meu vizinho, chegou a achar que ele ia me matar ali mesmo. Foi o motivo de ter largado a escola – conta. Apesar de tudo, agora Márcia vai poder contar com o incenti-

vo municipal aos estudos de bolsa de estudos e o auxilio transporte, que contempla hoje mais de 500 alunos. Mesmo assim, ela faz uma crítica. – A burocracia para fazer o pedido é muito grande. Muita gente humilde acaba desistindo por não conseguir toda a documentação que precisa – declara. – Deveriam ter mais opções de cursos em Ilhabela, também muita gente desiste por ter que ir para outra cidade – completa. Além da distância, outros empecilhos atrapalham a vida dos estudantes. A travessia da balsa é o maior deles, por exemplo. Há sempre o risco de

não conseguir sair da Ilha ou voltar para ela. As las cam intermináveis na alta temporada e os alunos dependentes de carona para casa, atravessam a pé na balsa que, dependendo do horário, acabam perdendo a hora do ultimo ônibus de linha da cidade tendo de ir também a pé para suas casas. Assim como Márcia, outras centenas de estudantes passam pelos mesmos problemas todos os dias em Ilhabela e em todo país, mas é graticante chegar ao nal de tudo isso sabendo que foi uma vitória passar por todas essas diversas provas mesmo assim ainda seguir em frente, não é mesmo?


9

EXPRESSO LITORAL

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

DIVULGAÇÃO

ILHABEL A Dia Internacional da Mulher é celebrado no dia 8 de março

Ilhabela terá programação para mês das mulheres até 29 de março

A

prefeitura de Ilhabela, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, realiza o Mês das Mulheres, com programação especial no Centro de Referência da Mulher “Júlia Carmina de Almeida Tenório”, no Perequê, em comemoração pelo Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março. A programação teve início no dia 8 com café da manhã, polo da beleza e orientações jurídicas, em parceria com a OAB e o Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres. Os eventos seguem até o dia 29 deste mês. Dentro da programação, es-

tão previstas aulas de yoga com a professora Cielo Costa, no dia 15, às 8h; liga de Oncologia de Taubaté, no dia 23, às 9h; e ocina de Chás com a nutricionista Giovana Hoyer, no dia 29, às 8h. SERVIÇO o mês das Mulheres é aberto ao público e será realizado no Centro de Refe-rência da Mulher, situado na avenida Princesa Isabel, nº. 1.673, no bairro do Perequê.

DIA INTERNACIONAL DA MULHER Ocializado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1975, o chamado

Dia Internacional da Mulher é comemorado desde o início do século 20. Hoje, a data é cada vez mais lembrada como um dia para reivindicar igualdade de gênero e com protestos ao redor do mundo - aproximando-a de sua origem na luta de mulheres que trabalhavam em fábricas nos Estados Unidos e em alguns países da Europa. Elas começaram uma campanha dentro do movimento socialista para exigir seus direitos - as condições de trabalho delas eram ainda piores que as dos homens à época. A origem da data escolhida para celebrar as mulheres tem

algumas explicações históricas. No Brasil, é muito comum relacioná-la ao incêndio ocorrido em Nova York no dia 25 de março de 1911 na Triangle Shirtwaist Company, quando 146 trabalhadores morreram, sendo 125 mulheres e 21 homens [na maioria, judeus], que trouxe à tona as más condições enfrentadas por mulheres na Revolução Industrial. No entanto, há registros anteriores a esse episódio que trazem referências à reivindicação de mulheres para que houvesse um momento dedicado às suas importantes causas dentro do movimento de trabalhadores.


EXPRESSO LITORAL

MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

A trajetória de um sonho: a história de Fernanda Palermo O sentimento de jogar pela seleção é único! Representar o nosso país para mim é a melhor sensação que existe. Você representa uma nação, isso é um peso gigante que eu carrego com muito orgulho” conta Fernanda Palermo sobre a sensação de jogar pela Seleção Brasileira de futebol Feminino STAFF IMAGENS FLAMENGO

ILHABEL A

10

Fernanda na semi-final do Campeonato Carioca contra o Portuguesa-RJ

NICOLAS CANTAGESSO nicolas@expressolitoral.com.br Estudante do curso de Jornalismo Sob supervisão: Jornal Expresso Litoral

C

riada em Ilhabela, Fernanda Palermo vem conquistando os campos nacionais e internacionais no futebol feminino – seja pelo Clube de Regatas do Flamengo ou pela Seleção Militar Feminina. Em entrevista exclusiva ao Expresso Litoral, a meio-campo do Flamengo contou sobre sua carreira; sua emoção de vestir a camisa da Seleção Brasileira; qual a sua expectativa em relação a sua carreira; e como é sua rotina mesclando Clube e Marinha. EL – Fernanda, nos conte

um pouco sobre a sua carreira. Fernanda – Eu comecei a jogar prossionalmente aos 16 anos. Antes disso jogava nos times da prefeitura de Ilhabela e São Sebastião. Meu primeiro clube foi o Kindermann-SC. Realizei uma peneira e passei e lá quei por dois anos [2013 – 2014]. Em 2015 fui para Pernambuco, e jóquei em um time chamado Vitória de Santo Antão, nesse mesmo ano participei de uma peneira para a seleção Brasileira sub-20 e fui convocada também para a Seleção Brasileira Universitária [UNIVERSÍADE], para jogar as olimpíadas de verão universitária, realizada na Coréia do Sul. Pela seleção sub20 participei do Sul-Americano [2015], onde fomos campeãs.

Competi também em uma campeonato no EUA e o mundial em Papua Nova Guiné, ambos em 2016, e no início do mesmo ano, comecei a fazer o processo seletivo da Marinha do Brasil. Agora faço parte do projeto PROLIM, para atletas de alto rendimento. Na minha modalidade, que é o futebol, tem como parceria o Clube de Regatas do Flamengo e é onde jogo até hoje. Desde então pertenço a Marinha, onde fomos campeãs Brasileiras em 2016 pelo Flamengo, quatro vezes campeãs Cariocas e no último ano conquistamos o 3° lugar no Campeonato Brasileiro. Já pela Marinha, em 2018, participei do Mundial Militar pela Seleção Brasileira Militar, onde nos consagramos campeãs nos Estados Unidos.

EL – Como foi a sensação de ser convocada para jogar na Seleção Brasileira Sub-20? Fernanda – O sentimento é único! Representar o nosso país para mim é a melhor sensação que existe. Você representa uma nação, isso é um peso gigante que eu carrego com muito orgulho. EL – Sobre sua carreira, o que espera dela daqui para frente? Fernanda – Eu sempre espero o melhor, pensamentos positivos sempre [risos]. Mas ainda sonho em chegar à seleção brasileira principal e jogar em um clube do exterior também. EL – Entre os jogos que você já fez na sua carreira, qual foi


MARÇO DE 2019 | EDIÇÃO 7

11

EXPRESSO LITORAL

STAFF IMAGENS FLAMENGO

pág.26

“Ainda sonho em chegar à seleção brasileira principal e jogar em um clube do exterior” diz Fernanda

Elenco e comissão técnica do Flamengo/Marinha

o mais marcante? Fernanda – São vários que me marcam, cada partida tem um aprendizado diferente para mim. Mas uns do que mais me marcaram foi o da semi-nal contra o Corinthians [2018]. Estávamos perdendo de 2 a 1 no momento, um jogo eletrizante! Consegui fazer o gol de empate que nos levaria à nal, mas infelizmente não foi o suciente. Isso vai car marcado para sempre, pela emoção que foi e pelo o que aquele ano estava representando para mim. EL – Temos que falar sobre aquele seu gol contra o Corinthians, o chute fantástico que você acertou. Fernanda – Acredita que não consigo nem pensar quando faço gol? Não sei nem como comemopág.26

rar [risos]. É tanta adrenalina que perco a noção. Nesse dia, o jogo estava acabando já, eu corri para abraçar minha amiga de time, só que a distância era muito longa, depois que baixou a adrenalina eu me arrependi de ter gastado tanta energia para comemorar [risos]. Mas quei muito feliz, pois foi uma nalização de fora da área que eu sempre treinava ao nal dos treinos, algumas pessoas que não conhecem como é a minha rotina de treino até brincam que foi sem querer, eu deixo quieto [risos]. Para mim foi uma satisfação enorme em poder conrmar para mim mesma o que penso, que treinar nos torna algo melhor, na minha e em qualquer outra prossão. EL – Como ca a sua rotina com o Flamengo e Marinha?

Fernanda – Minha rotina é dedicada aos treinamentos, que são realizados no Quartel da Marinha [CEFAN - Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes], mas algumas vezes temos os eventos militares. Temos que cumprir com nosso dever e participar.

Desde 2016 fomos Campeãs Brasileiras, 4 vezes campeãs Cariocas e no último ano conquistamos o 3° lugar no Campeonato Brasileiro

FERNANDA PALERMO Flamengo/Marinha

EL – A 4 meses nós teremos mais uma edição da Copa do Mundo de Futebol Feminino. Você tem alguma expectativa de ser convocada para a seleção brasileira? Fernanda – Bom, esse ano eu acho difícil, pois eles já têm uma base para o Mundial. Mas vou continuar me dedicando para evoluir, e quem sabe por consequência do meu rendimento, estar na seleção principal de futebol futuramente.


Profile for Cláudio Rodrigues

EXPRESSO LITORAL - 7ª edição  

EXPRESSO LITORAL - 7ª edição  

Advertisement