Page 1

Matérias publicadas na imprensa A partir de julho de 2010

Assessoria de Comunicação Santa Casa de Maceió


www.santacasademaceio.com.br

Responsável Técnico: Dr. Artur Gomes Neto - CRM 2503

Pacientes são encaminhados para cirurgia apesar de apresentarem desnutrição

C

erto homem de meia idade

aquisitivo, a apresentarem quadro

procura um médico recla-

de desnutrição”.

mando de fraqueza e ton-

Pesquisa realizada no País em

turas. Pede um remédio forte para

2000 envolvendo 5 mil pacientes

ficar melhor. O médico, um dos me-

e 23 centros de referência - den-

lhores da região, fez algumas per-

tre eles a Santa Casa de Maceió

guntas ao paciente e sentencia: “O

- revelou que 51% dos pacientes

senhor não precisa de medicamen-

internados pelo Sistema Único

to, mas de algo que tenho em meu

de Saúde (SUS) estavam des-

quintal: beterraba”. O velho médi-

nutridos. O estudo configura

co recomendou apenas que o pa-

até hoje como a maior pesqui-

ciente se alimentasse melhor, já

sa realizada no mundo sobre terapia nutricional. Oito anos

que ele estava anêmico. Esta cena se passou na Grécia, em 430 a.c..

Hélvio Ferro coordena a equipe da Terapia Nutricional: alerta médico

Hipócrates, o pai da Medicina. Passados quase 2500 anos, a

depois, outra pesquisa - desta vez realizada no Rio de Ja-

O médico era ninguém menos que ponta não estão nos caros equipa-

pócrates, na Grécia, particularmente

mentos produzidos pela ciência,

no tocante à nutrição.

Medicina deu saltos imensos, po-

mas no médico”,

rém, apesar disso, muitos médicos

disse Ferro, que

têm esquecido algumas primícias

coordena a equi-

da prática médica e privilegiado

pe de Terapia Nu-

apenas a tecnologia.

tricional da Santa

51“ %

neiro - repetiu o resultado. “As faculdades precisam

“Muitos pacien-

formar melhor durante o

tes são encaminha-

período da graduação, mas

dos para cirurgia

todos devem estar aten-

sem que o médico

tos à terapia nutri-

avalie o quadro nu-

cional e reciclar co-

tricional. E não esta-

nhecimentos so-

mos falando ape-

bre o tema. Um

nas de pacientes de

paciente desnu-

baixa renda. A roti-

trido tem mais

na frenética cotidia-

riscos e demora

na e má alimenta-

mais a se recupe-

ção (leia-se coxi-

rar, daí a impor-

Uma dessas primícias, conforme

Casa de Maceió,

lembra o médico Hélvio Chagas

formada ainda

Ferro, é ouvir o paciente. É dar aten-

por nutricionista,

ção aos seus relatos, sintomas e

enfermeira, far-

o próprio contexto de vida em que

macêutico e ago-

vive. “Medicina de ponta é o médi-

ra por um fo-

co conseguir dar um diagnóstico

noaudiólogo.

preciso munido apenas de caneta,

Helvio Ferro afirma que apesar de

nhas, pastéis, sanduíches, refrige-

tância da nutri-

papel, carimbo e raciocínio. A alta

toda a tecnologia, muitos médicos

rantes, doces etc.) têm levado

ção no pré-ope-

complexidade e a tecnologia de

ignoram o exemplo deixado por Hi-

muitos pacientes, com alto poder

ratório”, finalizou.

dos pacientes internados em hospitais brasileiros apresentam algum nível de desnutrição.

Bebês passam por bateria de exames ao nascer Quem disse que exames, punções e

Conheça os principais testes pós-parto

mais exames são rotina apenas de homens e mulheres que chegaram à melhor

Procedimento

idade? Desde os primeiros minutos de vida, o recém nascido enfrenta uma bateria de

Exame físico

exames que muitos pais e mães sequer percebem.

Teste do pezinho

Entre o primeiro e o quinto minuto de vida

Teste da orelhinha

os pediatras do Instituto da Mulher realizam uma série de observações sobre a

APGAR

condição de nascimento do bebê, observando itens como choro, reações a estímu-

Reflexo vermelho

los etc. Cada avaliação é transformada em

Quando?

Após o parto Avaliação dos sistemas urinário, circulatório, respiratório etc. Teste sanquíneo para prevenir 3 a 10 dias doenças como hipotireoidismo etc. Exeme auditivo 2o dia indolor 1º e 5º min. Exame físico no parto Teste 2º dia ocular

uma nota, que define um escore chamado

Avaliação diária

pelos médicos de APGAR.

Fonte: Pediatra Ana Carla Brandão

Em seguida, os pediatras prosseguem

O que?

1º dia

Pediatra do Instituto da Mulher, Ana Brandão

o exame físico analisando o sistema circu-

mes: os testes do pezinho, da orelhinha e

permite o tratamento precoce de doenças,

o exame consiste na retirada de sangue

latório, urinário, respiratório do bebê den-

do olhinho, este último chamado de “reflexo

que produzem impacto no desenvolvimen-

com uma rápida punção na planta do pé.

tre outros. É com base no APGAR e no exa-

vermelho”. Todos são fundamentais para

to da cognição e intelectual da criança”,

O teste identifica doenças congênitas

me morfológico que os pediatras definem

que os médicos identifiquem doenças con-

disse a pediatra Ana Carla Brandão, do

metabólicas como hipotireoidismo, doenças

se o recém nascido vai para o alojamento

gênitas e iniciem tratamento, de acordo

Instituto da Mulher, unidade da Santa Ca-

hormonais dentre outros. Por fim, o teste

com a parturiente ou precisa passar um

com a patologia.

sa de Maceió.

do olhinho permite diagnosticar algumas

O teste da orelhinha é realizado no 2º

O exame mais emblemático - e tam-

doenças oculares. O Instituto da Mulher

Já devidamente instalada no aparta-

dia após o parto e visa identificar eventuais

bém importante - é o teste do pezinho. Rea-

atende entre 100 e 120 crianças/mês e

mento, a criança passa ainda por três exa-

patologias do sistema auditivo. “Este exame

lizado entre o 3º e o 10º dia após o parto,

localiza-se na Santa Casa de Maceió.

tempo aos cuidados da UTI neonatal.


AquiAcontece.com.br | Versão para impressão

Page 1 of 1

Imprimir

27/08/10 16:30

Santa Casa e BrasilPrev firmam convênio de previdência suplementar Assessoria

Provedor Humberto Gomes de Melo e os gerentes do Banco do Brasil Alfeu Freitas (BB/AL) e Nildo Ribeiro (BB/RJ)

A Santa Casa de Misericórdia de Maceió firmou convênio com a BrasilPrev - empresa do grupo Banco do Brasil - que facilitará o acesso de médicos e colaboradores a planos de previdência suplementar em condições melhores do que as praticadas no mercado. Na assinatura do convênio, o provedor Humberto Gomes de Melo frisou a importância desta iniciativa para os profissionais da Santa Casa de Maceió, permitindo que todos possam planejar sua aposentadoria e ganhar algo mais além do da Previdência Social. “Este convênio é mais um investimento em benefício de nossos colaboradores”, acrescentou o gerente de Pessoas, Sílvio Melo. O Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) permite que o participante defina o tipo de contribuição para desconto em folha. Também é possível resgatar os depósitos após a carência de seis meses. Conforme analisa o gerente Nildo Ribeiro Neto, da Superintendência Comercial do Banco do Brasil, a estabilidade econômica, o controle da inflação, o aumento da renda vem incentivando o brasileiro a pensar no futuro. Já para Alfeu Freitas, da Agência Empresarial Alagoas do Banco do Brasil, tão importante quanto planejar a aposentadoria é confiar seus recursos a uma instituição sólida e com credibilidade. “O Banco do Brasil possui 200 anos de solidez”. O acordo firmado entre a Santa Casa de Maceió e a BrasilPrev traz duas importantes vantagens para os médicos e colaboradores da Santa Casa de Maceió. Conforme antecipou a consultora da BrasilPrev, Daniela Borba, a taxa de carregamento será zero. “Essa taxa é descontada da contribuição depositada no plano”, explicou. A taxa de carregamento média praticada pelo mercado é de 5%. Ou seja, a cada 100 reais depositados, 5 reais ficam com o banco e apenas 95 reais ficam na conta. (ver mais no box). No caso da Santa Casa, nada será descontado. “Outra vantagem é a taxa de administração, que para os profissionais da Santa Casa será de 1,5%. Essa taxa é descontada uma vez por ano do total depositado”, detalha Daniela Borba. A média do mercado é de 3,5%. Ela informou ainda que uma equipe de consultores estará de plantão na Santa Casa para dar maiores esclarecimentos e fazer simultações. Ela diz, entretanto, que as simulações apenas fazem uma projeção de quanto o cliente poderá receber no futuro. por Ascom/Santa Casa de Maceió AquiAcontece.com.br © 2010 - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do AquiAcontece.com.br.

http://www.aquiacontece.com.br/impressao.php?id=3037&s=alagoas

31/08/2010


www.santacasademaceio.com.br

Responsável Técnico: Dr. Artur Gomes Neto - CRM 2503

Santa Casa e BrasilPrev firmam convênio de previdência suplementar

A

Santa Casa de Misericórdia Ascom

de Maceió firmou convênio com a BrasilPrev - empre-

sa do grupo Banco do Brasil - que facilitará o acesso de médicos e colaboradores a planos de previdência suplementar em condições melhores do que as praticadas no mercado. Na assinatura do convênio, o provedor Humberto Gomes de Melo frisou a importância desta iniciativa para os profissionais da Santa Casa de Maceió, permitindo que todos possam planejar sua aposen-

Na assinatura do convênio, o médico François Oliveira, Daniela Borba (BrasilPrev), Indra Acioli (BB/AL), o provedor Humberto Gomes de Melo, Alfeu Freitas (BB/AL), Nildo Ribeiro (BB/RJ) e o gerente de Gestão de Pessoas, Sílvio Melo: médicos e colaboradores terão aposentadoria complementar

tadoria e ganhar algo mais além do

renda vem incentivando o brasileiro

da Previdência Social.

a pensar no futuro. Já para Alfeu

“Este convênio é mais um inves-

Freitas, da Agência Empresarial

timento em benefício de nossos co-

Alagoas do Banco do Brasil, tão

laboradores”, acrescentou o geren-

importante quanto planejar a

te de Pessoas, Sílvio Melo.

aposentadoria é confiar seus recur-

cam na conta. (ver mais no box). No PLANO DE PREVIDÊNCIA PRIVADA PARA MÉDICOS E COLABORADORES DA SANTA CASA DE MACEIÓ

para desconto em folha. Também

O acordo firmado entre a Santa

é possível resgatar os depósitos

Casa de Maceió e a BrasilPrev traz

Produto: Plano Gerador de Benefício Livre Taxa de Carregamento*: 0% (Média do mercado: 5%) Taxa de Administração**: 1,5% (Média do mercado: 3,5%) Valor da contribuição mensal: definida pelo cliente Valor da aposentadoria: A simulação faz uma projeção do valor a ser recebido, que pode ser maior ou menor Outras vantagens: os depósitos são impenhoráveis e não podem ser incluídos em inventários. O titular do plano pode indicar qualquer pessoa como beneficiário para receber a pensão após sua morte. Os depósitos podem ser sacados a qualquer tempo, após seis meses de carência.

após a carência de seis meses.

duas importantes vantagens para

(*) Mensal sobre cada contribuição (**) Anual sobre o depósito

O Plano Gerador de Benefício

sos a uma instituição sólida e com

Livre (PGBL) permite que o partici-

credibilidade. “O Banco do Brasil

pante defina o tipo de contribuição

possui 200 anos de solidez”.

caso da Santa Casa, nada será descontado. “Outra vantagem é a taxa de administração, que para os profissionais da Santa Casa será de 1,5%. Essa taxa é descontada uma vez por ano do total depositado”, detalha Daniela Borba. A média do mercado é de 3,5%. Ela informou ainda que uma equipe de consultores estará de plantão na Santa Casa para dar maiores esclarecimentos e fazer

Conforme analisa o gerente

os médicos e colaboradores da

Nildo Ribeiro Neto, da Superinten-

Santa Casa de Maceió. Conforme

dência Comercial do Banco do Bra-

antecipou a consultora da Brasil-

descontada da contribuição deposi-

mercado é de 5%. Ou seja, a cada

as simulações apenas fazem uma

sil, a estabilidade econômica, o con-

Prev, Daniela Borba, a taxa de car-

tada no plano”, explicou. A taxa de

100 reais depositados, 5 reais ficam

projeção de quanto o cliente poderá

trole da inflação, o aumento da

regamento será zero. “Essa taxa é

carregamento média praticada pelo

com o banco e apenas 95 reais fi-

receber no futuro.

simultações. Ela diz, entretanto, que

Especialista esclarece dúvidas sobre vasectomia dor quando passar o efeito da anestesia?

Um trabalho realizado por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) de

A anestesia é local, o que significa a

Ribeirão Preto trouxe alguns dados bas-

introdução de um anestésico líquido sob a

tante reveladores sobre a vasectomia no

pele utilizando uma agulha muito delicada,

Brasil. Segundo o estudo, 60% dos pacien-

bem menor que a agulha utilizada para as

tes que procuram a vasectomia são casa-

conhecidas injeções musculares. Invariavel-

dos, 40% têm união estável e 40% usam

mente, é relatado pelos pacientes apenas

o preservativo masculino como método

uma pequena ardência no local. Durante o procedimento, após a anestesia, não exis-

anticoncepcional exclusivo. Ao lado, o urologista William Rogério Monteiro e (acima) o canal deferente, por onde passa o semen, sendo interrompido

te nenhum tipo de dor. Após o procedimen-

saúde na parceira e 16,8% por estarem

rupção de um canal na bolsa escrotal, mui-

mentário da percepção de que "foi mexido",

com dificuldade financeira para manter os

to longe, do ponto de vista anatômico, dos

mas que não chega a configurar dor.

filhos. O estudo revelou ainda que 74,7% ti-

nervos e artérias que são utilizados na ere-

E mais: 35,8% optaram pela vasectomia por estarem satisfeitos com o número de filhos; 33,7% por terem problemas de

to, geralmente não é necessário nenhum tipo de analgésico. O mais comum é o co-

Em quantos dias posso ter relações sexuais novamente?

nham bom relacionamento conjugal e 5,3%

vasectomia”, revela o urologista da Santa

ção. O que pode ocorrer é a uma pequena

tinham relacionamento ruim.

Casa de Maceió, William Rogério Monteiro.

redução na quantidade de esperma, mas

Recomenda-se cerca de 20 ejaculações

Em entrevista ao

a ereção e o prazer continuam os mesmos.

antes do exame de esperma, que confirma-

O curioso é que cerca de 18,9% dos

Santa Casa Informe, o

pacientes que procuram o método não esta-

especialista esclareceu algumas das prin-

Se fizer vasectomia, paro de ejacular?

rá a ausência de espermatozóides. Enquanto

vam aptos para tal procedimento. Idade

cipais dúvidas sobre vasectomia.

Não, porque quando se faz a vasectomia

isso, o casal deve continuar usar métodos

menor que 25 anos, relacionamento instável e ausência de filhos são os principais impedimentos previstos em lei.

Santa Casa Informe - A vasectomia inter-

fere na potência sexual masculina?

William Rogério - Definitivamente não,

“Em meu consultório, de cada dez clien-

pois não há razão orgânica para isto. O pro-

tes, sete não estão aptos para realizar a

cedimento da vasectomia consiste na inter-

apenas o canal deferente é interrompido, impedindo a eliminação dos espermatozóides. O líquido seminal continua saindo normalmente.

O procedimento é doloroso? Vou sentir

anticoncepcionais.

A vasectomia é reversível? Sim, mas dependendo de cada caso po-

de haver empecilhos para uma nova gravidez. O médico deve orientar o paciente.


Portal Maltanet - Sindhospital pede a município que quite débito de R$ 8 milhões com presta...

Page 1 of 1

Santana do Ipanema - segunda, 23 de agosto de 2010

14:39:18

€€Informação Assistência Social Cultura

Fotos / Divulgação

Saúde 20/08/2010 - 22h 00min

Curiosidades Educação Entrevistas Esportes

Sindhospital pede a município que quite débito de R$ 8 milhões com prestadores de serviço

Geral Moda & Beleza Opinião Polícia Política Religião Saúde Sexualidade

Theodomiro Jr - ASCOM- Santa Casa Maceió O presidente do Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Alagoas (Sindhospital), Humberto Gomes de Melo, fez um apelo público, esta semana, para que a Secretaria de Saúde de Maceió quite os mais de R$ 8 milhões que deve a hospitais, clínicas e laboratórios da capital alagoana.

Turismo Vídeos

€€Especiais

Em sessão extraordinária do Conselho Municipal de Saúde, o gestor da Santa Casa de Maceió pediu ainda que a Pasta reduza o percentual de glosas (rejeição) de AIHs (Autorização de Internação Hospitalar) e que agilize o pagamento desses procedimentos, que dependem de análise dos auditores do município.

Canal do Sertão Especiais de Domingo Campeonato Brasileiro de Handebol Feminino 2010

€€Serviço €

Assinantes (Exclusivo) Balcão de Oportunidades Classificados (Novo) Documentários Eventos Galeria de Fotos Guia de Negócios Literatura Shows e Festas

€€Interativo Fale Conosco Mural de Recados Rádio Portal Maltanet Webmail

“Nós sabemos que os recursos repassados para o gestor municipal são inferiores às necessidades da população, mas não concordamos que haja cortes (glosas) após a prestação dos serviços. Pior ainda é o não pagamento de procedimentos já realizados e, também, do parcelamento de débitos negociados na contratualização”, lamentou. Como solução para o impasse, Humberto Gomes de Melo sugeriu ao secretário adjunto da Saúde, Herbert Charles, presente à sessão, que entre em acordo com a Secretaria Estadual da Saúde para que uma parte dos recursos que hoje ficam na esfera estadual seja repassada para o município. “São recursos superiores aos compromissos assumidos atualmente pelo Estado, que poderiam aliviar as contas do gestor municipal”, complementou o presidente do Sindhospital.

€

A presidente do Conselho Municipal da Saúde, Flávia de Macedo Citônio, reforçou o coro junto ao presidente do Sindhospital lembrando que o compromisso financeiro honrado pela Secretaria de Saúde, junto aos prestadores de serviço, reflete diretamente no atendimento e na satisfação do usuário, sendo este a principal razão de existir do conselho. Na presença de vários conselheiros e usuários que participaram da sessão, o secretário adjunto Herbert Charles confirmou que existe, de fato, um “déficit” de R$ 8 milhões (que na visão dos hospitais trata-se de um débito, uma vez que os procedimentos já foram realizados). Destacou ainda que houve um aporte de R$ 1 milhão que, se não resolveu o problema, ao menos minimizou os débitos. Herbert Charles esclareceu ainda que “a aprovação da PPI (Programação Pactuada e Integrada), ocorrida esta semana, e que o reajuste do teto municipal da Saúde marcarão o início da equação destes débitos e da problemática das glosas de AIH”. Glosas A glosa (rejeição) de AIHs pelo gestor da saúde ou por operadoras de saúde é um procedimento comum. Quando há alguma dúvida sobre certo procedimento ou mesmo um simples erro na inserção dos dados no sistema, o pagamento da AIH fica suspenso até que auditores liberem o repasse ou confirmem a rejeição. Quanto ao percentual de glosas, o que está ocorrendo em Maceió foge à compreensão. Enquanto a média nas capitais do Nordeste, entre janeiro e julho deste ano, foi de 4,95%, na capital alagoana o índice de rejeição de AIH chegou a 8,60%. Na comparação por cidade, a diferença é mais gritante ainda. Em Recife, o percentual foi de 1,9%; em Natal, de 2,2%; em Fortaleza, de 3,4%, em João Pessoa, de 4,4%; e em Salvador de 7,5%. No cenário nacional, Maceió só perdeu para o Rio de Janeiro, cidade que tem uma quantidade bem maior de hospitais e observe que este mês esse percentual chegou a 16,27% e no mês anterior a 9,47%.

€

Theodomiro Jr. Jornalista | Assessoria de Comunicação Tel.: (82) 2123.6211 / 9993-5540 www.santacasademaceio.com.br © 2001/2010 - Portal Maltanet - Todos os direitos reservados

http://www.maltanet.com.br/noticias/noticia.php?id=4336

23/08/2010


Melhor Notícia - Agora de cara nova

Page 1 of 2

Caso a impressão não inicie automáticamente clique aqui!

enviado em 19/08/2010 as 08h01min Saúde

Salto acima de 4 cm pode provocar varizes Estudo foi feito por François de Oliveira, um dos mais renomados e antigos angiologistas de Alagoas

A recepcionista Amanda Pacheco chega a ficar em pé, imóvel, por duas, três ou até quatro horas nos eventos onde trabalha. Ao fim do dia, em grandes congressos, pode chegar à marca de oito horas intercaladas. E tudo isso em cima de saltos que desafiam a gravidade e põem em risco o sistema circulatório do membros inferiores (leia-se pernas, pés, dedos e por aí vai). Resultado de tudo isso ao fim do dia: dores, cansaço e pernas e pés inchados. Amanda e boa parte das mulheres que se equilibram em saltos acima dos 4 centímetros estão sujeitas a problemas venosos, com o surgimento, na maioria dos casos, de varizes, principalmente se houver antecedentes familiares. A opinião é do angiologista e cirurgião da Santa Casa de Maceió, François de Oliveira. “Não recomendo saltos acima de 4 cm, calçados sem salto, roupas apertadas ou permanecer imóvel em pé ou sentado por muito tempo.”, alerta. O conhecimento de Foto: Santa Casa

http://www.melhornoticia.com.br/index/pg/print.php?head=noticia.mht&node=mn28667

19/08/2010


Melhor Notícia - Agora de cara nova

Page 2 of 2

Estudo foi realizado por François de Oliveira, um dos mais renomados e antigos angiologistas em atividade em Alagoas,

foi confirmado esta semana por um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de São Paulto (USP) em Ribeirão Preto. O cirurgião vascular Wagner Tedeschi Filho mostrou que o uso de saltos com mais de 3,5 cm pode causar vasos aparentes, varizes, inflamações nas veias e até trombose. Participaram da pesquisa 30 mulheres. Elas foram avaliadas por meio de um exame de pletismografia a ar, que registra a quantidade de sangue venoso nas panturrilhas durante os movimentos. A análise foi feita com todas as mulheres calçando salto de 3,5 cm, salto agulha de 7 cm, salto plataforma de 7 cm e descalças. "Quando elas usaram salto, o volume de sangue venoso na panturrilha foi maior que o normal, o que pode comprometer a circulação." Segundo Tedeschi, a panturrilha é uma espécie de "coração" da perna, que leva todo o sangue dos membros inferiores de volta para o coração. "Se a panturrilha não contrai corretamente, acaba bombeando mal o sangue. Com isso, sobra mais resíduo venoso, o que pode provocar hipertensão venosa nos membros e causar varizes e outras doenças." A média do volume residual venoso normal é de 35%. Com os saltos plataforma e agulha de 7 cm, o volume chegou a 59% e 56%, respectivamente. O salto de 3,5 cm deixou 49% de volume residual.

SANTA CASA www.melhornoticia.com.br

http://www.melhornoticia.com.br/index/pg/print.php?head=noticia.mht&node=mn28667

19/08/2010


www.santacasademaceio.com.br

Responsável Técnico: Dr. Artur Gomes Neto - CRM 2503

Pedra na vesícula é bomba-relógio e põe pacientes em risco de morte

R

esponda rápido: o que Ascom

acontece quando a saída de ar da panela de pressão

é obstruída? A resposta, claro, é o aumento de pressão. Aumento este, que pode levar até mesmo ao ponto de explosão. Guardadas as devidas proporções, é mais ou menos isso o que ocorre quando cálculos (pedras) obstruem a vesícula biliar, impedindo que a biles siga para iniciar o processo digestivo. "O rompimento da vesícula biliar assemelha-se ao apendicite, pondo o paciente em risco de morte devido à possibilidade de infecção gene-

Médico cirúrgião Renato Rezende e o infográfico mostrando o fígado e a vesícula que armazena a biles e ajuda na digestão dos alimentos

ralizada”, explicou o cirurgião da Santa Casa de Maceió, Renato Re-

depositam nos dutos que levam a-

da vida, muitas vezes de forma até

minimizar os sintomas provocados

nado pela videolaparoscopia refor-

zende.

té a vesícula são a grande preocu-

mesmo assintomática.

pelo cálculo vesicular, o melhor tra-

ça a tese de que é preferível retirar

“Há médicos que preferem a-

tamento ainda é a intervenção cirúr-

a vesícula do que aguardar a piora

A vesícula biliar é um órgão auxi-

pação dos médicos.

liar do fígado. Funciona como um

“Pense numa piscina sem ma-

guardar que o cálculo se manifes-

gica. No procedimento, a vesícula

no quadro clínico. “A Santa Casa

armazém que libera a biles quan-

nutenção. Com o passar do tempo,

te de forma mais visível. Eu e mui-

é simplesmente retirada, assim

de Maceió foi pioneira na realização

do há alimentos no estômago. A-

os resíduos mais pesados se depo-

tos colegas defendemos que é me-

como ocorre quando ocorre a infla-

da videolaparoscopia. Cerca de 85%

cabou a digestão, a vesícula volta

sitam no fundo”, comparou Rezen-

lhor realizar a intervenção cirúrgica

mação do apêndice.

de deste tipo de cirurgia são de

a armazenar a bile.

de.

assim que for diagnosticado o cál-

Questionado sobre a ausência

pacientes com cálculo na vesícula.

Os cálculos começam a se for-

A literatura médica indica que

culo. Trata-se de uma bomba-reló-

da vesícula para o organismo, Re-

A Santa Casa de Maceió já rea-

mar quando a vesícula não conse-

as mulheres são as mais efetadas

gio com prazo para explodir. É arris-

nato Rezende explica que outros

lizou 20 mil videolaparoscopias des-

gue liberar todo estoque de biles

pelo problema na proporção de um

cado esperar sua evolução”, alerta

órgãos passam a cumprir esta fun-

de 1993. O procedimento implica

regularmente. A biles é uma subs-

homem para cada três mulheres.

o cirurgião Renato Rezende.

ção entre o fígado e o estômago.

na abertura de quatro orifícios por

tância cuja composição inclui coles-

Cerca de 15% da população desen-

Apesar de existirem medica-

Quanto à intervenção cirúrgica,

terol e cálcio. Esses resíduos que se

volve cálculo na vesícula ao longo

mentos e tratamentos que tentam

o baixo índice de risco proporcio-

onde passam os intrumentais, evitando grandes incisões.

Salto acima de 4 cm pode provocar varizes A recepcionista Amanda Pacheco chega

Elas foram avaliadas por meio de um exame

a ficar em pé, imóvel, por duas, três ou até

de pletismografia a ar, que registra a quan-

quatro horas nos eventos onde trabalha.

tidade de sangue venoso nas panturrilhas

Ao fim do dia, em grandes congressos, pode

durante os movimentos.

chegar à marca de oito horas intercaladas.

A análise foi feita com todas as mulhe-

E tudo isso em cima de saltos que desafiam

res calçando salto de 3,5 cm, salto agu-

a gravidade e põem em risco o sistema cir-

lha de 7 cm, salto plataforma de 7 cm e

culatório do membros inferiores (leia-se per-

descalças. "Quando elas usaram salto,

nas, pés, dedos e por aí vai). Resultado de

o volume de sangue venoso na pantur-

tudo isso ao fim do dia: dores, cansaço e

rilha foi maior que o normal, o que pode

pernas e pés inchados.

comprometer a circulação." Segundo

Amanda e boa parte das mulheres que

Tedeschi, a panturrilha é uma espécie de

se equilibram em saltos acima dos 4 cen-

"coração" da perna, que leva todo o san-

tímetros estão sujeitas a problemas venosos,

gue dos membros inferiores de volta para

com o surgimento, na maioria dos casos,

o coração.

de varizes, principalmente se houver ante-

"Se a panturrilha não contrai correta-

cedentes familiares. A opinião é do angio-

mente, acaba bombeando mal o sangue.

logista e cirurgião da Santa Casa de Maceió, François de Oliveira. “Não recomendo sal-

Angiologista e cirurgião François de Oliveira

Com isso, sobra mais resíduo venoso, o que pode provocar hipertensão venosa

tos acima de 4 cm, calçados sem salto, rou-

zado por pesquisadores da Universidade de

nos membros e causar varizes e outras

pas apertadas ou permanecer imóvel em

São Paulto (USP) em Ribeirão Preto. O cirur-

doenças." A média do volume residual

pé ou sentado por muito tempo.”, alerta.

gião vascular Wagner Tedeschi Filho mos-

venoso normal é de 35%. Com os sal-

O conhecimento de François de Oliveira,

trou que o uso de saltos com mais de 3,5

tos plataforma e agulha de 7 cm, o volu-

um dos mais renomados e antigos angio-

cm pode causar vasos aparentes, varizes,

me chegou a 59% e 56%, respectivamen-

logistas em atividade em Alagoas, foi con-

inflamações nas veias e até trombose.

te. O salto de 3,5 cm deixou 49% de volu-

firmado esta semana por um estudo reali-

Participaram da pesquisa 30 mulheres.

me residual.

Salto agulha é um dos mais prejudiciais às mulheres


Alagoas 24 Horas

Page 1 of 2

Saúde

Endometriose atinge 10% das mulheres

09h10, 13 de Agosto de 2010

Mensalmente,

a

menstruação

chega

Assessoria

acompanhada por uma amiga inseparável: a endometriose. O principal sintoma da doença - que atinge 10% das mulheres em idade reprodutiva - são as insistentes dores na região pélvica, provocadas pela implantação de tecido do endométrio fora do útero. "O endométrio é a camada interna do útero que é renovada mensalmente pela menstruação. Em algumas mulheres essas células acabam se depositando fora do útero; no tecido entre a vagina e o reto (septo retovaginal); nas trompas; ovários; intestino terminal; ligamentos do útero; bexiga e parede da pélvis.", explica o ginecologista da Santa Casa de Maceió, Ronaldo Gomes Bernardo. Membro da Sociedade Brasileira de Ginecologia, Ronaldo Bernardo, explica que as dores podem ocorrer antes ou durante o período menstrual, surgindo de repente e trazendo transtorno físico, psíquico e social para a paciente. "O maior problema está na demora em se diagnosticar a doença. Muitas mulheres têm dificuldade em reconhecer os sintomas da endometriose e já houve casos que levaram seis anos até o diagnóstico definitivo”, lamenta Ronaldo Bernardo. A dor da endometriose pode ser cólica menstrual intensa, dor decorrente da relação sexual ou uma mistura desses sintomas. O exame clínico realizado pelo médico é o meio mais simples para se diagnosticar a doença, mas pode ser necessário lançar mão da videolaparoscopia - procedimento cirúrgico onde uma câmara é inserida na cavidade abdominal através do umbigo, permitindo identificar as lesões e determinar a extensão da doença. Um fragmento de tecido suspeito (biópsia) é retirado para a um exame anatomopatológico, que dará o diagnóstico final. O tratamento vai depender da idade da paciente, da extensão da doença, da severidade dos sintomas, da duração da infertilidade e dos reprodutivos do casal.

http://www.alagoas24horas.com.br/legba/print.asp

planos

13/08/2010


Alagoas 24 Horas

Page 2 of 2

As opções disponíveis incluem a observação em pacientes assintomáticos e que não queiram ter filhos, uso de analgésicos para a dor moderada, a interrupção dos ciclos menstruais com anticoncepcionais, medicamentos que inibem o funcionamento dos ovários e os tratamentos cirúrgicos, como a videolaparoscopia, destruindo o tecido endometrial, removendo as lesões e restaurando a anatomia pélvica. Ronaldo Bernardo lamenta, apenas, o baixo índice de eficiência dos tratamentos. “Apenas em 32% dos casos temos resultados satisfatórios; em 30%, não há alterações e em 38% pode haver alguma piora”. Membro da Sociedade Brasileira de Endometriose, Ronaldo Bernardo, explica que além das dores, a endometriose pode ser acompanhada, em certo grupo de mulheres, por outra amiga indesejada: a infertilidade. Por tudo isso, vale a pena todos ficarem atentos: tanto os médicos como as pacientes. Fonte:Ascom Santa Casa

0

Comentários | Regras | Seja o primeiro a comentar! Compartilhe

carregando

http://www.alagoas24horas.com.br/legba/print.asp

13/08/2010


Portal Maltanet - Endometriose é amiga inseparável da menstrução para 10% das mulheres

Page 1 of 1

Santana do Ipanema - sexta, 13 de agosto de 2010

14:16:36

€€Informação Assistência Social Cultura

Fotos / Assessoria

Saúde 13/08/2010 - 13h 00min

Curiosidades Educação Entrevistas Esportes

Endometriose é amiga inseparável da menstrução para 10% das mulheres

Geral Moda & Beleza Opinião Polícia Política Religião Saúde Sexualidade

Theodomiro Jr - ASCOM - Santa Casa Maceió Mensalmente, a menstruação chega acompanhada por uma amiga inseparável: a endometriose. O principal sintoma da doença - que atinge 10% das mulheres em idade reprodutiva - são as insistentes dores na região pélvica, provocadas pela implantação de tecido do endométrio fora do útero.

Dr Ronaldo Bernardo

Turismo Vídeos

€€Especiais Canal do Sertão Especiais de Domingo Alagoano 2010

€

€€Serviço Assinantes (Exclusivo) Balcão de Oportunidades Classificados (Novo) Documentários

"O endométrio é a camada interna do útero que é renovada mensalmente pela menstruação. Em algumas mulheres essas células acabam se depositando fora do útero; no tecido entre a vagina e o reto (septo retovaginal); nas trompas; ovários; intestino terminal; ligamentos do útero; bexiga e parede da pélvis.", explica o ginecologista da Santa Casa de Maceió, Ronaldo Gomes Bernardo. Membro da Sociedade Brasileira de Ginecologia, Ronaldo Bernardo, explica que as dores podem ocorrer antes ou durante o período menstrual, surgindo de repente e trazendo transtorno físico, psíquico e social para a paciente.

€

"O maior problema está na demora em se diagnosticar a doença. Muitas mulheres têm dificuldade em reconhecer os sintomas da endometriose e já houve casos que levaram seis anos até o diagnóstico definitivo”, lamenta Ronaldo Bernardo. A dor da endometriose pode ser cólica menstrual intensa, dor decorrente da relação sexual ou uma mistura desses sintomas.

Eventos Galeria de Fotos Guia de Negócios Literatura Shows e Festas

€€Interativo Fale Conosco Mural de Recados Rádio Portal Maltanet Webmail

O exame clínico realizado pelo médico é o meio mais simples para se diagnosticar a doença, mas pode ser necessário lançar mão da videolaparoscopia - procedimento cirúrgico onde uma câmara é inserida na cavidade abdominal através do umbigo, permitindo identificar as lesões e determinar a extensão da doença. Um fragmento de tecido suspeito (biópsia) é retirado para a um exame anatomopatológico, que dará o diagnóstico final. O tratamento vai depender da idade da paciente, da extensão da doença, da severidade dos sintomas, da duração da infertilidade e dos planos reprodutivos do casal. As opções disponíveis incluem a observação em pacientes assintomáticos e que não queiram ter filhos, uso de analgésicos para a dor moderada, a interrupção dos ciclos menstruais com anticoncepcionais, medicamentos que inibem o funcionamento dos ovários e os tratamentos cirúrgicos, como a videolaparoscopia, destruindo o tecido endometrial, removendo as lesões e restaurando a anatomia pélvica. Ronaldo Bernardo lamenta, apenas, o baixo índice de eficiência dos tratamentos. “Apenas em 32% dos casos temos resultados satisfatórios; em 30%, não há alterações e em 38% pode haver alguma piora”. Membro da Sociedade Brasileira de Endometriose, Ronaldo Bernardo, explica que além das dores, a endometriose pode ser acompanhada, em certo grupo de mulheres, por outra amiga indesejada: a infertilidade. Por tudo isso, vale a pena todos ficarem atentos: tanto os médicos como as pacientes.

€

Theodomiro Jr. Jornalista | Assessoria de Comunicação Tel.: (82) 2123.6211 / 9993-5540 www.santacasademaceio.com.br © 2001/2010 - Portal Maltanet - Todos os direitos reservados

http://www.maltanet.com.br/noticias/noticia.php?id=4287

13/08/2010


Melhor Notícia - Agora de cara nova

Page 1 of 2

Caso a impressão não inicie automáticamente clique aqui!

enviado em 26/07/2010 as 09h45min Saúde

Santa Casa adquirei novo equipamento para tratar arritmias Tecnologia futurista facilita a localização de estruturas responsáveis pela formação do sintoma

Uma tecnologia futurista, que faz lembrar filmes de ficção científica e permite a realização de procedimentos com grande precisão, direcionados ao tratamento das arritmias cardíacas. Chamada de Ensite, a nova ferramenta vem sendo utilizada na Santa Casa de Maceió, o que faz com que a capital alagoana seja a terceira em todo o Norte-Nordeste - ficando atrás apenas de Salvador e Fortaleza - a incorporar a nova tecnologia ao diagnóstico e tratamento das doenças do coração. "Por meio do Ensite, são geradas imagens do coração em terceira dimensão e em tempo real. Funciona como um sistema de navegação que cria mapas do coração, facilitando a localização de estruturas responsáveis pela formação e manutenção de algumas arritmias cardíacas complexas, tornando possível a realização dos procedimentos de Ablação por cateter com maior precisão e segurança", afirma o médico cardiologista e responsável pelo serviço de Arritmia e Eletrofisiologia da Santa Casa de Maceió, Edvaldo Xavier. O sistema Ensite de mapeamento 3D faz uma representação exata do coração (através de eletrodos aderidos ao tórax do paciente), mostrando ao médico as estruturas mais delicadas do órgão, como suas veias, artérias e até mesmo as descargas e impulsos elétricos gerados e transmitidos dentro do coração. Quando, por algum motivo, esses impulsos elétricos passam a não funcionar corretamente, o coração pode bater mais rápido ou mais lento que o normal, caracterizando a presença de uma arritmia cardíaca. Entre os diversos tipos de arritmias cardíacas que podem ser tratadas com a nova técnica do Ensite, está a fibrilação atrial, cuja aplicação da nova tecnologia tem alcançado resultados satisfatórios. Por se tratar da arritmia cardíaca mais comum na prática médica, podendo ocorrer em até 10% de toda população idosa, mas também acometendo jovens com corações normais, a fibrilação atrial pode iniciar com sintomas de palpitações frequentes, podendo a médio e longo prazo causar graves complicações como acidente vascular cerebral (AVC), insuficiência cardíaca ou até mesmo a morte. O tratamento da fibrilação atrial com drogas antiarrítmicas é, na maioria das vezes, ineficaz, daí sendo necessária uma intervenção chamada de ablação por radiofrequência para a eliminação do tecido doente, responsável pelo surgimento e manutenção da arritmia. A ablação da fibrilação atrial consiste na introdução de alguns cateteres dentro do coração, em especial o cateter de ablação que tem como objetivo eliminar os circuitos ou tecido

http://www.melhornoticia.com.br/index/pg/print.php?head=noticia.mht&node=mn27870

28/07/2010


Melhor Notícia - Agora de cara nova

Page 2 of 2

doente entre o átrio esquerdo (cavidade do coração) e as veias pulmonares, realizando uma espécie de "cauterização". De acordo com o médico Edvaldo Xavier, antes da nova tecnologia, o tempo de procedimento era bastante longo, com aplicação de energia de radiofrequência em excesso, aumentando a exposição ao raio-x (radioscopia) e, consequentemente, o surgimento de algumas complicações. Agora com o Ensite, o médico passa a controlar a quantidade de lesões realizadas dentro do coração, direcionando com extrema precisão as aplicações de radiofrequência com o cateter de ablação, já que se trata de um sistema 3D, diminuindo os riscos de complicações do procedimento, reduzindo o tempo cirúrgico e aumentando significativamente o sucesso no tratamento da fibrilação atrial.

Assessoria www.melhornoticia.com.br

http://www.melhornoticia.com.br/index/pg/print.php?head=noticia.mht&node=mn27870

28/07/2010


www.santacasademaceio.com.br

Responsável Técnico: Dr. Artur Gomes Neto - CRM 2503

Jovens também podem sofrer de osteoporose Médica explica quais são os fatores de risco e que cuidados para evitar doença

C

exclusão de causas secundárias de osteo-

da massa óssea e por uma con-

porose.

Ascom

aracterizada por uma diminuição sequente fragilidade dos ossos, a

Para evitar a doença, o mais importante

osteoporose é uma doença que acomete

é a prevenção da perda de massa óssea e da

mais de 200 milhões de mulheres em todo

ocorrência de fraturas, sendo necessárias

o mundo, estando presente em 17% das

algumas medidas, como ingestão adequa-

que se encontram na pós-menopausa e em

da de cálcio e vitamina D, prática regular de

30% daquelas com mais de 65 anos, sendo

exercícios físicos, cessação do tabagismo e

que nessa faixa etária, 20% dos homens

prevenção dos fatores de risco para quedas. "Alguns fatores de risco, como os relacio-

também sofrem da doença. "Existem dois tipos de osteoporose. A pri-

nados ao sexo e à raça, não podem ser modi-

mária, que é aquela relacionada à menopau-

ficados, mas podemos modificar o sedenta-

sa ou ao envelhecimento e a secundária,

rismo e ajudar na cessação do tabagismo, além de estimular a prática de atividades físi-

causada por medicações ou condições mórbidas que predispõem a perda de massa

Maíra Viégas fala sobre os fatores de risco e as formas de prevenir a osteoporose

cas, especialmente em crianças e adolescentes, para que as pessoas atinjam um maior

óssea, como diabetes, hipertireoidismo, hiperparatireoidismo, insuficiência renal crônica,

42% para mulheres em idade avançada ou

A endocrinologista alerta que as radiogra-

cirurgia bariática, doença celíaca, anorexia

que tenham massa óssea diminuída e, geral-

fias só demonstram os sinais de osteoporo-

No caso das pessoas idosas, também

nervosa, artrite reumatóide e uso de glico-

mente, ocorrem a partir dos 55 anos.

se quando cerca de 30% a 50% da massa

é necessário tomar alguns cuidados espe-

óssea já está perdida, impedindo assim o

ciais para evitar quedas, como retirar tape-

diagnóstico precoce.

tes da casa, colocar tapetes antiderrapan-

pico de massa óssea", completa Maíra.

corticóides", conta a médica endocrinolo-

Entre os fatores de risco da doença estão

gista da Santa Casa de Maceió, Maíra Viégas.

idade avançada, história pessoal de fratura

Assim, ao contrário do que muitos pos-

prévia, baixo peso corporal, sexo feminino,

Porém, a doença pode ser diagnostica-

tes no box do banheiro, afixar corre-mãos

sam pensar, é uma doença que também

da raça branca, história familiar de osteopo-

da antes do surgimento de fraturas clíni-

nos corredores e banheiros e fazer uso de

pode acometer pessoas jovens, porém com

rose, tabagismo atual e sedentarismo.

cas, por meio de métodos não-invasivos,

bengalas, sempre que houver necessidade,

Segundo ela, as fraturas de colo do fêmur

que detectam a densidade mineral óssea,

explica a endocrinologista.

A osteoporose é um mal silencioso, que

são as manifestações mais devastadoras

sendo a densitometria óssea o método

No Brasil, a estimativa é de que cerca

permanece assintomático até o surgimen-

da osteoporose, pois resultam em uma taxa

mais sensível e preciso. "Desse modo,

de 10 milhões de pessoas tenham a doen-

to de fraturas clínicas. As fraturas ósseas

de mortalidade, dentro de um ano, que pode

existe a possibilidade de intervir com o

ça e que aproximadamente 2,4 milhões sofre-

são a principal causa da morbidade e mor-

chegar a 20% nos indivíduos com menos de

objetivo de prevenir a ocorrência de fratu-

rão algum tipo de fratura a cada ano. Por isso,

talidade associadas à osteoporose. A pre-

70 anos, 30% naqueles com 70 a 80 anos

ras", destaca a médica. Os exames labo-

o melhor é prevenir. E o tratamento, quando

valência de fraturas de coluna vertebral é de

e 40% se a idade for maior que 80 anos.

ratoriais também são importantes para a

indicado, deve ser individualizado.

menor frequência.

Doenças relacionadas ao trabalho afetam profissionais de todas as áreas AGRADECIMENTO A Santa Casa de Maceió agradece ao Corpo de Bombeiros de Alagoas, ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência - SAMU, ao Hospital do Açúcar, à MaternidadeEscola Santa Mônica, à Casa de Saúde Santo Antônio, ao Hospital São Rafael, à Casa Maternal Denilma Bulhões, à Clínica Santa Maria, à imprensa em geral e a todo corpo

L

esão por Esforço Repetitivo (LER) e

caso para caso, mas na maioria das vezes

Doenças Ocupacionais Relacionadas

está relacionado ao afastamento das ati-

ao Trabalho (Dort). Os termos já

vidades por um período. A demora para

fazem parte do vocabulário dos trabalha-

procurar um médico pode fazer com que

dores brasileiros, que sofrem, cada vez

a doença evolua para caso de cirurgia.

mais, dos males relacionados às atividades

O uso de órtese (tipo de luva que deixa

laborativas, tais como tendinite, bursite,

o membro imobilizado) também faz parte

lesão de ligamento e artrose. Não existe

do tratamento, mas ao mesmo tempo em

faixa etária, sexo e nem atividade de tra-

que pode colaborar para cura, também

balho que possam ser apontados como os

pode contribuir para a evolução da doen-

mais propensos para as doenças que se

ça. Por isso, se faz necessário que as órte-

engajam no grupo de LER e Dort, mas em

ses sejam utilizadas seguindo rigorosamen-

todos os casos, é fundamental procurar

te as recomendações médicas.

um médico ao sentir qualquer desconforto ao exercer o trabalho diário.

clínico e funcional da Santa Casa de Maceió e do Hospital Nossa Senhora da Guia pelo apoio dado diante de um princípio de incêndio ocorrido, no último dia 22, no seu CentroCirúrgico Pediátrico do Hospital Nossa Senhora da Guia.

A ergonomia - ciência que estuda o cor-

que a pessoa fique em uma bancada que

reto posicionamento do corpo diante de

tenha um apoio para os pés de cerca de

determinadas atividades - e a prática de exer-

10 cm de altura. É importante também

cícios físicos são apontadas pelo médico

que a pessoa mantenha a coluna ereta, o

ortopedista, traumatologista e cirurgião de

teclado na altura do tórax com apoio para

mão da Santa Casa de Maceió, Niceas

os cotovelos, além de deixar a tela do com-

Gusmão Filho, como sendo as melhores

putador no nível do queixo.

formas de prevenir tais doenças.

Humberto Gomes de Melo Provedor

Para as doenças relacionadas ao uso do computador, Niceas explica que o ideal é

Mas depois dos primeiros sintomas, o trabalhador deve procurar a ajuda de um médico, que pode ser ortopedista, fisiatra ou reumatologista. O tratamento varia de

"O que se propõe é 10 minutos de descanso ou alongamento para cada 50 minutos de trabalho", diz Nicéas. Sessões de pilates e de alongamento em academias também são recomendados.


www.santacasademaceio.com.br

Responsável Técnico: Dr. Artur Gomes Neto - CRM 2503

Endometriose é amiga inseparável da menstrução para 10% das mulheres

M

ensalmente, a menstruAscom

tomáticos e que não queiram ter fi-

ação chega acompanha-

lhos, uso de analgésicos para a dor

da por uma amiga inse-

moderada, a interrupção dos cic-

parável: a endometriose. O princi-

los menstruais com anticoncepcio-

pal sintoma da doença - que atin-

nais, medicamentos que ini-

ge 10% das mulheres em idade

bem o funcionamento dos

reprodutiva - são as insistentes dores

ovários e os tratamentos

na região pélvica, provocadas pela

cirúrgicos, como a videola-

implantação de tecido do endomé-

paroscopia, destruindo o teci-

trio fora do útero.

do endometrial, removendo as lesões e restaurando a anato-

"O endométrio é a camada inter-

mia pélvica.

na do útero que é renovada mensalmente pela menstruação. Em

Ronaldo Bernardo lamenta,

algumas mulheres essas células

apenas, o baixo índice de eficiên-

acabam se depositando fora do

Ginecologista Ronaldo Bernardo: doença acompanha idade reprodutiva

cia dos tratamentos. “Apenas em 32% dos casos temos resultados

útero; no tecido entre a vagina e o Muitas mulheres têm dificuldade

gico onde uma câmara é inserida

satisfatórios; em 30%, não há

pas; ovários; intestino terminal; liga-

em reconhecer os sintomas da en-

na cavidade abdominal através do

alterações e em 38% pode

mentos do útero; bexiga e parede

dometriose e já houve casos que

umbigo, permitindo identificar as

haver alguma piora”.

da pélvis.", explica o ginecologista

levaram seis anos até o diagnósti-

lesões e determinar a extensão da

Membro da Sociedade

da Santa Casa de Maceió, Ronaldo

co definitivo”, lamenta Ronaldo Ber-

doença. Um fragmento de tecido

Brasileira de Ginecologia,

Gomes Bernardo.

nardo.

suspeito (biópsia) é retirado para a

Ronaldo Bernardo, explica

um exame anatomopatológico, que

que além das dores, a en-

dará o diagnóstico final.

dometriose pode ser a-

reto (septo retovaginal); nas trom-

Membro da Sociedade Brasileira

A dor da endometriose pode ser

de Ginecologia, Ronaldo Bernardo,

cólica menstrual intensa, dor decor-

explica que as dores podem ocor-

rente da relação sexual ou uma

rer antes ou durante o período

mistura desses sintomas.

O tratamento vai depender da

companhada, em certo

idade da paciente, da extensão da

grupo de mulheres, por

menstrual, surgindo de repente e

O exame clínico realizado pelo

doença, da severidade dos sinto-

outra amiga indesejada: a

trazendo transtorno físico, psíqui-

médico é o meio mais simples para

mas, da duração da infertilidade e

infertilidade.

co e social para a paciente.

se diagnosticar a doença, mas pode

dos planos reprodutivos do casal.

"O maior problema está na de-

ser necessário lançar mão da video-

As opções disponíveis incluem

mora em se diagnosticar a doença.

laparoscopia - procedimento cirúr-

a observação em pacientes assin-

Por tudo isso, vale a pena todos ficarem atentos: tanto os médicos como as pacientes.

“A epilepsia tem cura; já o preconceito, não” A epilepsia é conhecida desde a Anti-

tada, o paciente pode perder momentanea-

guidade e já foi associada tanto a fatores

mente a capacidade de falar; ver imagens

divinos (na Grécia antiga achava-se que os

distorcidas; ou movimentar membros e

epiléticos falassem com Deus) como demo-

órgãos comandados pela parte do cérebro

níacos (em Roma, na Idade Média, muitos

lesionada. A crise epilética dura entre dois

foram para o fogo por causa de manifesta-

e três minutos, após o qual o paciente volta

ções convulsivas).

à normalidade. A doença pode ser genética ou adquirida em acidentes com trauma-

Independente do fator, as crises epilép-

tismo craniano, por exemplo.

ticas, principalmente as generalizadas do tipo tônico-clônicas (convulsões), sempre

“Para diagnosticar a epilepsia é preciso

assustaram muito a sociedade, fazendo

que o médico converse com o paciente e

com que o epiléptico tenha que enfrentar

consiga sua história detalhada, examine

um obstáculo difícil de transpor: o de ser

fisicamente, para que se identifique os sinais

socialmente estigmatizado.

da doença”, diz Abynadá Lyro. “Exames complementares podem ser solicitados,

“As pessoas se assustam e se afastam daqueles que têm crises ou ataques com

Neurologista Abynada Lyro lembra que epilepsia não incapacita os portadores da doença

mas a anamnese é fundamental”, reforça.

perda dos sentidos e convulsões, que afe-

tadoras da doença. Na lista estão Joana

ma série de crises causadas pelas descar-

A boa nova é que epilepsia tem cura, em

tam parte dos pacientes portadores de epi-

D’Arc, Napoleão Bonaparte, Lewis Carroll

gas excessivas e ocasionais de neurônios

um percentual bastante alto, com o trata-

lepsia. Isso acaba sendo pior que a própria

(autor de Alice no País das Maravilhas),

cerebrais. A descarga ocorre em determi-

mento medicamentoso, principalmente

doença”, diz o neurologista Abynadá Lyro.

Vincent van Gogh, o escritor Machado de

nada área do cérebro lesionada. Os sinto-

quando iniciado precocemente. Existe tam-

Assis dentre outros.

mas são correspondentes a esta área ou ao

bém, como segunda opção, com bom resul-

Diferente do que pensa grande parte da sociedade, a epilepsia não é transmissível

A doença também pode se revelar por

tipo de lesão. Não podendo transitar por

tado o tratamento cirúrgico. A última alter-

e nem torna seus portadores incapazes inte-

meio de ataques bem específicos. Segundo

esta região, o acúmulo da eletricidade pode

nativa é a cirurgia, que possui alto grau de

lectualmente ou de trabalhar. Prova disso

o neurologista Abynadá Lyro, a epilepsia é

ser descarregado periodicamente e de forma

eficiência, mas que só é indicada quando

são as personalidades que se destacaram

um distúrbio cerebral crônico, de diferen-

abrupta. Aí ocorre a crise epilética.

os medicamentos não conseguem mais

na história da humanidade e que eram por-

tes causas (etiologias), caracterizado por u-

De acordo com a área do cérebro afe-

um controle satisfatório.


Stª Casa adquire equipamento moderno para tratamento de arritmias

Page 1 of 1

imprimindo...

26.07.2010 - 09h43

Stª Casa adquire equipamento moderno para tratamento de arritmias Capital alagoana é a terceira em todo o Norte-Nordeste a receber o material Ascom da Santa Casa

Uma tecnologia futurista, que faz lembrar filmes de ficção científica e permite a realização de procedimentos com grande precisão, direcionados ao tratamento das arritmias cardíacas. Chamada de Ensite, a nova ferramenta vem sendo utilizada na Santa Casa de Maceió, o que faz com que a capital alagoana seja a terceira em todo o Norte-Nordeste - ficando atrás apenas de Salvador e Fortaleza - a incorporar a nova tecnologia ao diagnóstico e tratamento das doenças do coração. "Por meio do Ensite, são geradas imagens do coração em terceira dimensão e em tempo real. Funciona como um sistema de navegação que cria mapas do coração, facilitando a localização de estruturas responsáveis pela formação e manutenção de algumas arritmias cardíacas complexas, tornando possível a realização dos procedimentos de Ablação por cateter com maior precisão e segurança", afirma o médico cardiologista e responsável pelo serviço de Arritmia e Eletrofisiologia da Santa Casa de Maceió, Edvaldo Xavier. O sistema Ensite de mapeamento 3D faz uma representação exata do coração (através de eletrodos aderidos ao tórax do paciente), mostrando ao médico as estruturas mais delicadas do órgão, como suas veias, artérias e até mesmo as descargas e impulsos elétricos gerados e transmitidos dentro do coração. Quando, por algum motivo, esses impulsos elétricos passam a não funcionar corretamente, o coração pode bater mais rápido ou mais lento que o normal, caracterizando a presença de uma arritmia cardíaca. Entre os diversos tipos de arritmias cardíacas que podem ser tratadas com a nova técnica do Ensite, está a fibrilação atrial, cuja aplicação da nova tecnologia tem alcançado resultados satisfatórios. Por se tratar da arritmia cardíaca mais comum na prática médica, podendo ocorrer em até 10% de toda população idosa, mas também acometendo jovens com corações normais, a fibrilação atrial pode iniciar com sintomas de palpitações frequentes, podendo a médio e longo prazo causar graves complicações como acidente vascular cerebral (AVC), insuficiência cardíaca ou até mesmo a morte. O tratamento da fibrilação atrial com drogas antiarrítmicas é, na maioria das vezes, ineficaz, daí sendo necessária uma intervenção chamada de ablação por radiofrequência para a eliminação do tecido doente, responsável pelo surgimento e manutenção da arritmia. A ablação da fibrilação atrial consiste na introdução de alguns cateteres dentro do coração, em especial o cateter de ablação que tem como objetivo eliminar os circuitos ou tecido doente entre o átrio esquerdo (cavidade do coração) e as veias pulmonares, realizando uma espécie de "cauterização". De acordo com o médico Edvaldo Xavier, antes da nova tecnologia, o tempo de procedimento era bastante longo, com aplicação de energia de radiofrequência em excesso, aumentando a exposição ao raio-x (radioscopia) e, consequentemente, o surgimento de algumas complicações. Agora com o Ensite, o médico passa a controlar a quantidade de lesões realizadas dentro do coração, direcionando com extrema precisão as aplicações de radiofrequência com o cateter de ablação, já que se trata de um sistema 3D, diminuindo os riscos de complicações do procedimento, reduzindo o tempo cirúrgico e aumentando significativamente o sucesso no tratamento da fibrilação atrial.

http://gazetaweb.globo.com/v2/impressao.php?canal=noticias&uid=304055

28/07/2010


Alagoas 24 Horas Saúde

Page 1 of 1

Santa Casa: equipamento para tratar arritmias 08h51, 26 de julho de 2010 Cardiologista-Cardiologia Dr Sergio do Carmo Jorge-Médico Hospital Sírio Libanês-Colesterol www.drsergiodocarmojorge.com.br

Uma tecnologia futurista, que faz lembrar filmes de ficção científica e permite a realização de procedimentos com grande precisão, direcionados ao tratamento das arritmias cardíacas. Chamada de Ensite, a nova ferramenta vem sendo utilizada na Santa Casa de Maceió, o que faz com que a capital alagoana seja a terceira em todo o NorteNordeste - ficando atrás apenas de Salvador e Fortaleza - a incorporar a nova tecnologia ao diagnóstico e tratamento das doenças do coração. "Por meio do Ensite, são geradas imagens do coração em terceira dimensão e em tempo real. Funciona como um sistema de navegação que cria mapas do coração, facilitando a localização de estruturas responsáveis pela formação e manutenção de algumas arritmias cardíacas complexas, tornando possível a realização dos procedimentos de Ablação por cateter com maior precisão e segurança", afirma o médico cardiologista e responsável pelo serviço de Arritmia e Eletrofisiologia da Santa Casa de Maceió, Edvaldo Xavier. O sistema Ensite de mapeamento 3D faz uma representação exata do coração (através de eletrodos aderidos ao tórax do paciente), mostrando ao médico as estruturas mais delicadas do órgão, como suas veias, artérias e até mesmo as descargas e impulsos elétricos gerados e transmitidos dentro do coração. Quando, por algum motivo, esses impulsos elétricos passam a não funcionar corretamente, o coração pode bater mais rápido ou mais lento que o normal, caracterizando a presença de uma arritmia cardíaca. Entre os diversos tipos de arritmias cardíacas que podem ser tratadas com a nova técnica do Ensite, está a fibrilação atrial, cuja aplicação da nova tecnologia tem alcançado resultados satisfatórios. Por se tratar da arritmia cardíaca mais comum na prática médica, podendo ocorrer em até 10% de toda população idosa, mas também acometendo jovens com corações normais, a fibrilação atrial pode iniciar com sintomas de palpitações frequentes, podendo a médio e longo prazo causar graves complicações como acidente vascular cerebral (AVC), insuficiência cardíaca ou até mesmo a morte. O tratamento da fibrilação atrial com drogas antiarrítmicas é, na maioria das vezes, ineficaz, daí sendo necessária uma intervenção chamada de ablação por radiofrequência para a eliminação do tecido doente, responsável pelo surgimento e manutenção da arritmia. A ablação da fibrilação atrial consiste na introdução de alguns cateteres dentro do coração, em especial o cateter de ablação que tem como objetivo eliminar os circuitos ou tecido doente entre o átrio esquerdo (cavidade do coração) e as veias pulmonares, realizando uma espécie de "cauterização". De acordo com o médico Edvaldo Xavier, antes da nova tecnologia, o tempo de procedimento era bastante longo, com aplicação de energia de radiofrequência em excesso, aumentando a exposição ao raio-x (radioscopia) e, consequentemente, o surgimento de algumas complicações. Agora com o Ensite, o médico passa a controlar a quantidade de lesões realizadas dentro do coração, direcionando com extrema precisão as aplicações de radiofrequência com o cateter de ablação, já que se trata de um sistema 3D, diminuindo os riscos de complicações do procedimento, reduzindo o tempo cirúrgico e aumentando significativamente o sucesso no tratamento da fibrilação atrial. Fonte: Ascom Santa Casa Ainda não há comentários. | Regras para comentários | Seja o primeiro a comentar!  0  Comentários  |  Regras  |  Seja o primeiro a comentar!

  Compartilhe

http://www.alagoas24horas.com.br/conteudo/imprimir/?vCod=89446

26/07/2010


www.santacasademaceio.com.br

Responsável Técnico: Dr. Artur Gomes Neto - CRM 2503

Santa Casa de Maceió adquire equipamento moderno para tratamento das arritmias cardíacas Com o Ensite, Maceió passa a ser 3ª capital do Norte-Nordeste a utilizar nova tecnologia

U

ineficaz, daí sendo necessária uma intervenção chamada de ablação por radiofrequên-

Divulgação

ma tecnologia futurista, que faz

lembrar filmes de ficção científica e permite a realização de pro-

cia para a eliminação do tecido doente, res-

cedimentos com grande precisão, direciona-

ponsável pelo surgimento e manutenção da

dos ao tratamento das arritmias cardíacas.

arritmia.

Chamada de Ensite, a nova ferramenta vem

A ablação da fibrilação atrial consiste na

sendo utilizada na Santa Casa de Maceió, o

introdução de alguns cateteres dentro do

que faz com que a capital alagoana seja a

coração, em especial o cateter de ablação

terceira em todo o Norte-Nordeste - ficando

que tem como objetivo eliminar os circuitos

atrás apenas de Salvador e Fortaleza - a

ou tecido doente entre o átrio esquerdo (cavi-

incorporar a nova tecnologia ao diagnóstico

dade do coração) e as veias pulmonares,

e tratamento das doenças do coração.

realizando uma espécie de "cauterização".

"Por meio do Ensite, são geradas imagens

De acordo com o médico Edvaldo Xavier,

do coração em terceira dimensão e em

antes da nova tecnologia, o tempo de pro-

Médico Edvaldo Xavier conta que o Ensite gera imagens do coração em tempo real

tempo real. Funciona como um sistema de

cedimento era bastante longo, com aplicação de energia de radiofrequência em exces-

navegação que cria mapas do coração, faci-

so, aumentando a exposição ao raio-x (radios-

litando a localização de estruturas respon-

turas mais delicadas do órgão, como suas

sáveis pela formação e manutenção de algu-

veias, artérias e até mesmo as descargas

Por se tratar da arritmia cardíaca mais

mas arritmias cardíacas complexas, tornan-

e impulsos elétricos gerados e transmiti-

comum na prática médica, podendo ocorrer

do possível a realização dos procedimentos

dos dentro do coração. Quando, por algum

em até 10% de toda população idosa, mas

Agora com o Ensite, o médico passa a con-

de Ablação por cateter com maior precisão

motivo, esses impulsos elétricos passam a

também acometendo jovens com corações

trolar a quantidade de lesões realizadas den-

e segurança", afirma o médico cardiologis-

não funcionar corretamente, o coração pode

normais, a fibrilação atrial pode iniciar com

tro do coração, direcionando com extrema

ta e responsável pelo serviço de Arritmia e

bater mais rápido ou mais lento que o nor-

sintomas de palpitações frequentes, poden-

precisão as aplicações de radiofrequência

Eletrofisiologia da Santa Casa de Maceió,

mal, caracterizando a presença de uma

do a médio e longo prazo causar graves

com o cateter de ablação, já que se trata de

Edvaldo Xavier.

arritmia cardíaca.

complicações como acidente vascular cere-

um sistema 3D, diminuindo os riscos de

bral (AVC), insuficiência cardíaca ou até

complicações do procedimento, reduzindo o

mesmo a morte.

tempo cirúrgico e aumentando significati-

çado resultados satisfatórios.

O sistema Ensite de mapeamento 3D

Entre os diversos tipos de arritmias car-

faz uma representação exata do coração

díacas que podem ser tratadas com a nova

(através de eletrodos aderidos ao tórax do

técnica do Ensite, está a fibrilação atrial,

O tratamento da fibrilação atrial com dro-

paciente), mostrando ao médico as estru-

cuja aplicação da nova tecnologia tem alcan-

gas antiarrítmicas é, na maioria das vezes,

copia) e, consequentemente, o surgimento de algumas complicações.

vamente o sucesso no tratamento da fibrilação atrial.

Santa Casa financia exames para transplante de rim

D

Silvio Romero

esde o último mês de março, a Santa Casa de Maceió vem facilitando a realização de trans-

tibilidade de 100%, já que uma pessoa não é igual à outra. Por outro lado, entre 70 e 80% dos transplantados levam uma

plantes de rim, por meio do financia-

vida normal por 10, 15, 20 anos e mais",

mento dos exames de imagens neces-

ressalta o médico.

sários à realização do procedimento cirúr-

São potenciais candidatos à doença

gico e que não são realizados pelo

renal as pessoas diabéticas, obesas, hiper-

Sistema Único de Saúde (SUS). A inicia-

tensas, cardíacas, com colesterol alto ou

tiva também prevê a realização de, no

histórico da patologia na família.

mínimo, dois transplantes por mês.

"Infelizmente, bebês com baixo peso e que

"Se o exame precisa ser feito e não é bancado pelo SUS, a Santa Casa banca", explica o médico nefrologista e coordena-

passam muito tempo internados em UTI

Médico Arnon Farias destaca que demora pelos exames pode fazer doador desistir

dor da Área de Transplante Renal da Santa

também são de risco para doença renal crônica”, acrescentou o médico. Para identificar se tais pacientes podem ter a doen-

Casa de Maceió, Arnon Farias Campos,

março, isso vem sendo cumprido", desta-

dentro de três meses. Já o receptor, depois

ça no futuro, basta realizar exames de

enfatizando que a demora para a realiza-

ca o médico.

de um ano é que ele passa a levar uma

urina e de sangue e fazer acompanhamen-

vida normal.

to, chama-se prevenção em nefrologia.

ção de todos os exames pré-transplante

Todos os portadores de doenças renais

muitas vezes acaba fazendo com que o doa-

crônicas são potenciais receptores de

"Depois do transplante, o outro rim

A área de transplante renal da Santa

dor desista do procedimento e, consequen-

órgãos. Já no caso dos doadores, eles

substitui as funções do órgão que foi reti-

Casa de Maceió é formada por profissio-

temente, o receptor continue dependente

podem ser cadáveres ou vivos, sendo que

rado. No caso dos receptores, a grande

nais das áreas clínica e cirúrgica. Fazem

da máquina de hemodiálise.

nos dois casos é necessário que haja com-

diferença na vida deles é não ficar mais

parte os médicos nefrologistas Arnon Farias

patibilidade com o receptor do órgão.

dependente de uma máquina três vezes

Campos, Sandra Azevedo Antunes e

por semana e isso significa qualidade de

Rodrigo Peixoto Campos, os urologistas

vida", destaca o médico Arnon Farias.

Willian Rogério Melo Monteiro, Mário

"Quando os exames demoram muito, o doador vai embora. Muitas vezes acon-

A cirurgia de transplante de rim é tec-

tece dele passar quase um ano à espera

nicamente considerada de média comple-

do exame e, por conta da demora, ter que

xidade, dura em torno de 3 horas, e tem

Ainda segundo ele, após cerca de cinco

Ronalsa Brandão Filho - coordenador cirúr-

refazer alguns exames que já tinham sido

a recuperação considerada tranquila. No

anos da realização do transplante, 90%

gico, e Alexandre Henrique Figueiroa, os

feitos. A Santa Casa também montou uma

caso do doador, ele recebe alta do hospi-

dos enxertos estão funcionantes e 10%

cirurgiões vaculares Jubrant Petruceli,

política para realização de pelo menos dois

tal no 4º dia após o procedimento cirúrgi-

retornam ao programa de diálise. "Isso

Ronaldo Nardão Mendes e Pedro Fernandes

transplantes por mês e, desde o mês de

co, podendo voltar à rotina de trabalho

acontece porque não existe uma compa-

Teixeira do Nascimento.


Primeira Edição | Versão para impressão

Page 1 of 1

Imprimir www.primeiraedicao.com.br

Com apoio da Santa Casa, atleta ganha 3º lugar em campeonato de Jiu Jitsu (21/07/2010 10:48) Apoiado pela Santa Casa de Maceió , o atleta Rodrigo Gonçalves Gregório, 31 anos, conquistou o 3º lugar no Campeonato Mundial promovido pela Confederação Brasileira de Jiu Jitsu Esportivo (CBJJE). A competição aconteceu em São Paulo , no Ginásio do Ibirapuera, de 15 a 18 de julho. Rodrigo Gonçalves é faixa preta e levou o terceiro lugar na categoria Pesado, da qual participam atletas com peso equivalente a 94,3 kg . “Fiquei muito satisfeito. O resultado foi excelente, tendo em vista que participaram do campeonato atletas de várias partes”, afirma. Em outubro, Rodrigo pretende encarar mais um desafio e participar da Copa do Mundo de Jiu Jitsu, que acontece em Brasília.

por Divulgação

Primeira Edição © 2010 - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Primeira Edição.

http://www.primeiraedicao.com.br/printVersion.php?id=6588&secao=esportes

21/07/2010


Alagoas 24 Horas

Saúde

Page 1 of 1

Lavar as mãos pode ser garantia de boas férias 09h00, 20 de julho de 2010 Quer se livrar da Tosse? Dissolve, Elimina e Protege do muco Cápsulas e Xarope contra a Tosse. 123LivredaTosse.com.br

A viagem e o descanso tão planejados para o período de férias podem ser adiados por conta de doenças respiratórias, tão comuns nessa época do ano. Para evitar esse tipo de transtorno, hábitos simples como lavar frequentemente as mãos e evitar aglomerados podem ser a solução.

Ascom Santa Casa

A médica pneumologista Fátima Alécio, da Santa Casa de Maceió, conta que alergias respiratórias - como rinite, asma e bronquite - e as infecções virais, que podem evoluir para pneumonia – são os tipos de doenças mais comuns do inverno. Por mais leve que seja a queda da temperatura, como é o caso de Maceió, o corpo sente a mudança. “Tem uma forma extremamente simples e importante de evitar as doenças Médica Fátima Alécio respiratórias, que é lavar as mãos. Grande parte dessas doenças é transmitida pela tosse e pelo simples ato de cumprimento com as mãos”, diz a médica, lembrando que não é preciso ter água e sabão ao alcance para fazer a higienização das mãos, já que o álcool gel também cumpre esse papel de forma prática. “O ideal é andar com álcool gel no carro e na bolsa. Com ele, ficou muito mais fácil fazer a higienização das mãos, porque nem sempre você tem uma torneira por perto”, diz a médica. Outra medida simples que pode evitar doenças respiratórias é levar as mãos à boca sempre que for tossir, além de não ficar próximo ou frente a frente de pessoas saudáveis sempre que apresentar sintomas de doenças respiratórias. “Além de ser uma forma de educação, é também é uma forma importante de evitar a transmissão de doenças”, afirma Fátima Alécio. Para as pessoas idosas, outro cuidado importante e que ajuda a evitar as doenças respiratórias tão comuns nessa época do ano é a vacinação antigripal e, em alguns casos, a antipneumocócica – que deve ser indicada por um médico. Segundo Fátima Alécio, no inverno o número de casos de doenças respiratórias aumenta o equivalente a 30% em Maceió. “Quando a temperatura cai, as pessoas ficam mais aglomeradas, mais dentro de casa, então isso facilita a propagação desse tipo de doença. Nos lugares mais frios, o número de casos é bem maior, mas em Maceió nós também percebemos a mudança de temperatura”, conta. A automedicação também é algo que tem que ser evitada sempre que surgirem sintomas de doenças respiratórias. Em caso de tosse, expectoração ou febre, o ideal é procurar um médico. “Agasalhar-se bem também é necessário, principalmente para as pessoas que não estão acostumadas com o frio. Se a pessoa apresentar algum sintoma, é importante não viajar doente e procurar sempre o médico”, ressalta. A médica ressalta também que as pessoas devem evitar as urgências e emergências sempre que aparecerem sintomas de doenças respiratórias. O mais correto é que o paciente procure o clínico geral, o pneumologista ou o pediatra – no caso de crianças - em consultórios ou ambulatórios. Fonte: Ascom Santa Casa Ainda não há comentários. | Regras para comentários | Seja o primeiro a comentar!

http://www.alagoas24horas.com.br/conteudo/imprimir/?vCod=89114

20/07/2010


Santana do Ipanema - terça, 20 de julho de 2010

10:18:11

€€Informação Assistência Social Cultura

Fotos / Assessoria

Saúde 20/07/2010 - 09h 00min

Curiosidades Educação Entrevistas

Lavar as mãos pode ser garantia de férias tranquilas

Esportes Geral Moda & Beleza Opinião Polícia Política Religião Saúde Sexualidade Turismo Vídeos

€€Especiais Canal do Sertão Especiais de Domingo Alagoano 2010

€

€€Serviço Assinantes (Exclusivo) Balcão de Oportunidades Classificados (Novo) Documentários Eventos Galeria de Fotos

Jamylle Bezerra - ASCOM - Santa casa A viagem e o descanso tão planejados para o período de férias podem ser adiados por conta de doenças respiratórias, tão comuns nessa época do ano. Para evitar esse tipo de transtorno, hábitos simples como lavar frequentemente as mãos e evitar aglomerados podem ser a solução. Fátima Alécio A médica pneumologista Fátima Alécio, da Santa Casa de Maceió, conta que alergias respiratórias - como rinite, asma e bronquite - e as infecções virais, que podem evoluir para pneumonia – são os tipos de doenças mais comuns do inverno. Por mais leve que seja a queda da temperatura, como é o caso de Maceió, o corpo sente a mudança. “Tem uma forma extremamente simples e importante de evitar as doenças respiratórias, que é lavar as mãos. Grande parte dessas doenças é transmitida pela tosse e pelo simples ato de cumprimento com as mãos”, diz a médica, lembrando que não é preciso ter água e sabão ao alcance para fazer a higienização das mãos, já que o álcool gel também cumpre esse papel de forma prática. “O ideal é andar com álcool gel no carro e na bolsa. Com ele, ficou muito mais fácil fazer a higienização das mãos, porque nem sempre você tem uma torneira por perto”, diz a médica. Outra medida simples que pode evitar doenças respiratórias é levar as mãos à boca sempre que for tossir, além de não ficar próximo ou frente a frente de pessoas saudáveis sempre que apresentar sintomas de doenças respiratórias. “Além de ser uma forma de educação, é também é uma forma importante de evitar a transmissão de doenças”, afirma Fátima Alécio.

Guia de Negócios Literatura Shows e Festas

€€Interativo Fale Conosco Mural de Recados Rádio Portal Maltanet Webmail

Para as pessoas idosas, outro cuidado importante e que ajuda a evitar as doenças respiratórias tão comuns nessa época do ano é a vacinação antigripal e, em alguns casos, a antipneumocócica – que deve ser indicada por um médico. Segundo Fátima Alécio, no inverno o número de casos de doenças respiratórias aumenta o equivalente a 30% em Maceió. “Quando a temperatura cai, as pessoas ficam mais aglomeradas, mais dentro de casa, então isso facilita a propagação desse tipo de doença. Nos lugares mais frios, o número de casos é bem maior, mas em Maceió nós também percebemos a mudança de temperatura”, conta. A automedicação também é algo que tem que ser evitada sempre que surgirem sintomas de doenças respiratórias. Em caso de tosse, expectoração ou febre, o ideal é procurar um médico. “Agasalhar-se bem também é necessário, principalmente para as pessoas que não estão acostumadas com o frio. Se a pessoa apresentar algum sintoma, é importante não viajar doente e procurar sempre o médico”, ressalta. A médica ressalta também que as pessoas devem evitar as urgências e emergências sempre que aparecerem sintomas de doenças respiratórias. O mais correto é que o paciente procure o clínico geral, o pneumologista ou o pediatra – no caso de crianças - em consultórios ou ambulatórios.

€

Jamylle Bezerra MTE/AL 998 Jornalista / Santa Casa de Maceió © 2001/2010 - Portal Maltanet - Todos os direitos reservados


www.santacasademaceio.com.br

Responsável Técnico: Dr. Artur Gomes Neto - CRM 2503

Hábitos saudáveis evitam o desenvolvimento de câncer de estômago

O

ultimamente, três casos da doença, em estáAscom

câncer de estômago é a segunda maior causa de morte por

gio inicial e intermediário, foram detecta-

câncer entre os homens no Brasil,

dos na Santa Casa de Maceió em mulheres

de acordo com dados do Instituto Nacional do

com idades abaixo dos 30 anos. Por isso,

Câncer (Inca), ocorrendo no país 21 mil novos

Robério Melo ressalta a importância de

casos novos por ano, dos quais 12 mil resul-

procurar um médico ao apresentar sintomas

tam em óbitos.

como desconforto abdominal, mal estar e

A doença é silenciosa e pode levar de dois

dificuldades para se alimentar, já que no

a cinco anos para que algum sinal apareça,

estágio inicial, como o estômago tem uma

fator que contribui para a redução das chances

forma de bolsa, a doença não produz sin-

de cura. Quando detectado precocemente,

tomas importantes.

as possibilidades de cura do câncer de estô-

"Com esses sintomas, as pessoas devem

mago são de 98%, percentual que é reduzi-

fazer a endoscopia digestiva alta", conta,

do para 25% quando a doença já está em está-

destacando que o exame pode ser realizado

gio avançado.

na Santa Casa de Maceió, que também atende pelo Sistema Único de Saúde (SUS) os

De acordo com o coordenador da Cirurgia

pacientes internos.

Oncológica da Santa Casa de Maceió, médico Robério Melo, as causas da doença estão

Médico Robério Melo destaca que pessoas com mais de 50 anos de idade devem fazer o exame de endoscopia digestiva pelo menos uma vez ao ano

relacionadas à falta de hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e prática de

"Caso não haja a detecção precoce, a lesão no estômago vai progredindo e uma hemorragia digestiva ou uma outra compli-

exercícios físicos, além de fatores genéticos.

risco para esse tipo de câncer. Quando a

endoscópica anualmente. Já as pessoas que

cação como fezes escuras, dores abdomi-

Há também a bactéria Helicobacter pylori,

doença é detectada tarde, apenas ¼ das pes-

possuem casos da doença na família, o ideal

nais, emagrecimento, fraqueza e desnutrição

que infecta o revestimento mucoso do estô-

soas apresentam possibilidades de cura", afir-

é que o exame comece a ser realizado mais

podem alertar para a doença já avançada,

mago, podendo favorecer o desenvolvimen-

ma o médico.

cedo.

diminuindo assim a chance de tratamento

Para evitar o desenvolvimento da doença

"A doença se manifesta em homens e

"Uma alimentação pobre em vitaminas

e detectar os casos de câncer de estômago

mulheres e pode surgir a qualquer momen-

A solução existente para buscar a cura é

A e C, carnes e peixes, ou ainda o alto con-

precocemente, o ideal é que as pessoas com

to da vida, sendo mais comum após os 50

o procedimento cirúrgico e, em seguida, o

sumo de nitrato, alimentos defumados, enlata-

idades acima de 50 anos sejam submetidas

anos", destaca o médico Robério Melo.

tratamento por outras modalidades terapêu-

dos, conservantes e corantes são fatores de

a uma avaliação gastroenterológica e

to da doença.

Ele chama a atenção para o fato de que,

mais eficaz", explica.

ticas como a radio e quimioterapia.

A

viagem e o descanso tão plane-

tórias, que é lavar as mãos. Grande parte des-

jados para o período de férias

sas doenças é transmitida pela tosse e pelo

podem ser adiados por conta de

simples ato de cumprimento com as mãos”,

doenças respiratórias, tão comuns nessa

diz a médica, lembrando que não é preciso

época do ano. Para evitar esse tipo de trans-

ter água e sabão ao alcance para fazer a

torno, hábitos simples como lavar frequen-

higienização das mãos, já que o álcool gel

temente as mãos e evitar aglomerados

também cumpre esse papel de forma prá-

podem ser a solução.

tica.

A médica pneumologista Fátima Alécio,

“O ideal é andar com álcool gel no carro

da Santa Casa de Maceió, conta que alergias

e na bolsa. Com ele, ficou muito mais fácil

respiratórias - como rinite, asma e bronqui-

fazer a higienização das mãos, porque nem

O ideal é andar com álcool gel no carro e na bolsa. Com ele, ficou mais fácil fazer a higienização das mãos, porque nem sempre você tem uma torneira por perto

te - e as infecções virais, que podem evoluir

Silvio Romero

Lavar as mãos pode ser garantia de férias tranquilas

sempre você tem uma torneira por perto”, diz a médica. Outra medida simples que pode evitar doenças respiratórias é levar as mãos à boca

Pneumologista Fátima Alécio conta que hábitos simples podem evitar doenças respiratórias

sempre que for tossir, além de não ficar pró-

Segundo Fátima Alécio, no inverno o

ximo ou frente a frente de pessoas saudá-

número de casos de doenças respiratórias

“Agasalhar-se bem também é necessá-

veis sempre que apresentar sintomas de

aumenta o equivalente a 30% em Maceió.

rio, principalmente para as pessoas que não

doenças respiratórias.

curar um médico.

“Quando a temperatura cai, as pessoas ficam

estão acostumadas com o frio. Se a pessoa

“Além de ser uma forma de educação, é

mais aglomeradas, mais dentro de casa,

apresentar algum sintoma, é importante

também é uma forma importante de evitar

então isso facilita a propagação desse tipo

não viajar doente e procurar sempre o médi-

a transmissão de doenças”, afirma Fátima

de doença. Nos lugares mais frios, o núme-

co”, ressalta.

Alécio.

ro de casos é bem maior, mas em Maceió

A médica ressalta também que as pes-

nós também percebemos a mudança de

soas devem evitar as urgências e emergên-

temperatura”, conta.

cias sempre que aparecerem sintomas de

para pneumonia – são os tipos de doenças

Para as pessoas idosas, outro cuidado

mais comuns do inverno. Por mais leve que

importante e que ajuda a evitar as doenças

seja a queda da temperatura, como é o caso

respiratórias tão comuns nessa época do

A automedicação também é algo que

doenças respiratórias. O mais correto é que

de Maceió, o corpo sente a mudança.

ano é a vacinação antigripal e, em alguns

tem que ser evitada sempre que surgirem

o paciente procure o clínico geral, o pneumo-

casos, a antipneumocócica – que deve ser

sintomas de doenças respiratórias. Em caso

logista ou o pediatra – no caso de crianças

indicada por um médico.

de tosse, expectoração ou febre, o ideal é pro-

- em consultórios ou ambulatórios.

“Tem uma forma extremamente simples e importante de evitar as doenças respira-


Maceió: Ortopedista alerta para causas das dores lombares - TUDO NA HORA - O po... Page 1 of 3

o que você procura? NOTÍCIAS

DIVERSÃO

BLOGS

Primeira Página Últimas Notícias

GALERIAS

VÍDEOS

SERVIÇOS

Artigos Brasil Concursos Curiosidades

PSCOM

CONTATO

Economia Esporte Interior

Maceió Mundo Polícia

Maceió

Ortopedista alerta para causas das dores lombares Médico alerta para os perigos que os calçados femininos podem acarretar para a coluna 11:13 - 13/07/2010

Texto Tamanho do texto

Dores lombares são mais comuns do que se possa imaginar. Elas podem ser causadas por uma série de fatores, tais como maus hábitos posturais e ausência de atividades físicas adequadas. Há casos em que a dor acompanha a pessoa pelo resto da vida, a menos que ocorra alguma intervenção cirúrgica. O médico ortopedista da Santa Casa de Maceió Francisco Américo explica que existem três tipos de lombalgias. A aguda, quando a dor persiste por um curto período - menos de um mês; a sub-aguda, quando a dor dura cerca de três meses, e a crônica, que faz o maior número de vítimas e cujo período da dor passa dos seis meses, sendo que a pessoa carrega a doença pelo resto da vida. O médico alerta para os perigos que os calçados femininos podem acarretar para a coluna. "Os saltos dos calçados das mulheres não devem exceder os seis centímetros, sendo que os saltos agulhas são os mais agressivos e perigosos e por isso é importante evitar o uso frequente", destaca o ortopedista Francisco Américo. Ele também enfatiza que nem toda dor nas costas se caracteriza como dor lombar, mas ressalta que a grande vilã dos trabalhadores é, de fato, a lombalgia. "A dor lombar é a maior causa de afastamento do trabalho", diz. Segundo o médico, cirurgias na região lombar só são indicadas quando todas as medidas conservadoras de tratamento fracassam. "Em menos de um ano, não seria ideal recorrer à cirurgia", destacou. Em caso de dor na região lombar, é importante também não se automedicar e procurar o médico ortopedista para que ele identifique o problema e receite a medicação correta para o caso. Características A dor lombar se caracteriza por uma rigidez na região baixa das costas. Na maioria das vezes, ela é causada quando um músculo das costas é estirado ou submetido a tração. A dor pode ser causada por vários motivos, como levantar um objeto pesado ou permanecer sentado ou de pé por muito tempo. Problemas de saúde, como artrite, também podem causar dor nas costas. Cerca de três em cada quatro adultos vão ter dor nas costas durante suas vidas e esses números podem subir, devido ao aumento da expectativa de vida e, consequentemente, do número de idosos.

Fonte: Assessoria

http://www.tudonahora.com.br/noticia/maceio/2010/07/13/103555/ortopedista-alerta-...

20/07/2010


Alagoas 24 Horas

Saúde

Page 1 of 1

Hábitos saudáveis evitam câncer de estômago 09h11, 19 de julho de 2010

O câncer de estômago é a segunda maior causa de morte por câncer entre os homens no Brasil, de acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), ocorrendo no país 21 mil novos casos novos por ano, dos quais 12 mil resultam em óbitos.

Ascom Santa Casa

A doença é silenciosa e pode levar de dois a cinco anos para que algum sinal apareça, fator que contribui para a redução das chances de cura. Quando detectado precocemente, as possibilidades de cura do câncer de estômago são de 98%, percentual que é reduzido para 25% quando a doença já está em estágio avançado. De acordo com o coordenador da Cirurgia Oncológica da Santa Casa de Maceió, médico Robério Melo, as causas da doença estão relacionadas à falta de hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e prática de exercícios físicos, além de fatores genéticos. Há também a bactéria Helicobacter pylori, que infecta o revestimento mucoso do estômago, podendo favorecer o desenvolvimento da doença. "Uma alimentação pobre em vitaminas A e C, carnes e peixes, ou ainda o alto consumo de nitrato, alimentos defumados, enlatados, conservantes e corantes são fatores de risco para esse tipo de câncer. Quando a doença é detectada tarde, apenas ¼ das pessoas apresentam possibilidades de cura", afirma o médico. Para evitar o desenvolvimento da doença e detectar os casos de câncer de estômago precocemente, o ideal é que as pessoas com idades acima de 50 anos sejam submetidas a uma avaliação gastroenterológica e endoscópica anualmente. Já as pessoas que possuem casos da doença na família, o ideal é que o exame comece a ser realizado mais cedo. "A doença se manifesta em homens e mulheres e pode surgir a qualquer momento da vida, sendo mais comum após os 50 anos", destaca o médico Robério Melo. Ele chama a atenção para o fato de que, ultimamente, três casos da doença, em estágio inicial e intermediário, foram detectados na Santa Casa de Maceió em mulheres com idades abaixo dos 30 anos. Por isso, Robério Melo ressalta a importância de procurar um médico ao apresentar sintomas como desconforto abdominal, mal estar e dificuldades para se alimentar, já que no estágio inicial, como o estômago tem uma forma de bolsa, a doença não produz sintomas importantes. "Com esses sintomas, as pessoas devem fazer a endoscopia digestiva alta", conta, destacando que o exame pode ser realizado na Santa Casa de Maceió, que também atende pelo Sistema Único de Saúde (SUS) os pacientes internos. "Caso não haja a detecção precoce, a lesão no estômago vai progredindo e uma hemorragia digestiva ou uma outra complicação como fezes escuras, dores abdominais, emagrecimento, fraqueza e desnutrição podem alertar para a doença já avançada, diminuindo assim a chance de tratamento mais eficaz", explica. A solução existente para buscar a cura é o procedimento cirúrgico e, em seguida, o tratamento por outras modalidades terapêuticas como a radio e quimioterapia. Fonte: Ascom Santa Casa ALCOOL TAMBÉM É OUTRA SUBSTANCIA VENENOSA QUE IRRITA A MUCOSA ESTOMACAL PRODUZINDO ULCERAS E CANCERES ,ALEM DE DESTRUIR O FIGADO E OS RINS... ESTRONCIO - 19/07/2010 13h26 OUTRA CAUSA É O CONSUMO DE REFRIGERANTES, SABIDAMENTE SEM NEMUM VALOR NUTRITIVO , COM SUBSTANCIAS CANCERIGENAS E UM GÁZ QUE ROUBA CALCIO, FÓSFORO, MAGNÉSIO E ZINCO DO ORGANISMO , OU SEJA, PURO VENENO ... ORA POIS - 19/07/2010 11h08 2 comentários | Regras para comentários | Comentar!

http://www.alagoas24horas.com.br/conteudo/imprimir/?vCod=89058

20/07/2010


Portal Maltanet - Hábitos saudáveis evitam o desenvolvimento de câncer de estômago

Page 1 of 1

Santana do Ipanema - terça, 20 de julho de 2010

10:19:46

€€Informação Assistência Social Cultura

Fotos / Assessoria

Saúde 19/07/2010 - 09h 00min

Curiosidades Educação Entrevistas Esportes

Hábitos saudáveis evitam o desenvolvimento de câncer de estômago

Geral Moda & Beleza Opinião Polícia Política Religião Saúde Sexualidade Turismo Vídeos

€€Especiais Canal do Sertão Especiais de Domingo Alagoano 2010

€

€€Serviço Assinantes (Exclusivo) Balcão de Oportunidades Classificados (Novo) Documentários Eventos Galeria de Fotos Guia de Negócios Literatura Shows e Festas

€€Interativo Fale Conosco Mural de Recados

Jamylle Bezerra - ASCOM - Santa casa O câncer de estômago é a segunda maior causa de morte por câncer entre os homens no Brasil, de acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), ocorrendo no país 21 mil novos casos novos por ano, dos quais 12 mil resultam em óbitos. Robédrio Melo A doença é silenciosa e pode levar de dois a cinco anos para que algum sinal apareça, fator que contribui para a redução das chances de cura. Quando detectado precocemente, as possibilidades de cura do câncer de estômago são de 98%, percentual que é reduzido para 25% quando a doença já está em estágio avançado. De acordo com o coordenador da Cirurgia Oncológica da Santa Casa de Maceió, médico Robério Melo, as causas da doença estão relacionadas à falta de hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e prática de exercícios físicos, além de fatores genéticos. Há também a bactéria Helicobacter pylori, que infecta o revestimento mucoso do estômago, podendo favorecer o desenvolvimento da doença. "Uma alimentação pobre em vitaminas A e C, carnes e peixes, ou ainda o alto consumo de nitrato, alimentos defumados, enlatados, conservantes e corantes são fatores de risco para esse tipo de câncer. Quando a doença é detectada tarde, apenas ¼ das pessoas apresentam possibilidades de cura", afirma o médico. Para evitar o desenvolvimento da doença e detectar os casos de câncer de estômago precocemente, o ideal é que as pessoas com idades acima de 50 anos sejam submetidas a uma avaliação gastroenterológica e endoscópica anualmente. Já as pessoas que possuem casos da doença na família, o ideal é que o exame comece a ser realizado mais cedo. "A doença se manifesta em homens e mulheres e pode surgir a qualquer momento da vida, sendo mais comum após os 50 anos", destaca o médico Robério Melo. Ele chama a atenção para o fato de que, ultimamente, três casos da doença, em estágio inicial e intermediário, foram detectados na Santa Casa de Maceió em mulheres com idades abaixo dos 30 anos. Por isso, Robério Melo ressalta a importância de procurar um médico ao apresentar sintomas como desconforto abdominal, mal estar e dificuldades para se alimentar, já que no estágio inicial, como o estômago tem uma forma de bolsa, a doença não produz sintomas importantes.

Rádio Portal Maltanet Webmail

"Com esses sintomas, as pessoas devem fazer a endoscopia digestiva alta", conta, destacando que o exame pode ser realizado na Santa Casa de Maceió, que também atende pelo Sistema Único de Saúde (SUS) os pacientes internos. "Caso não haja a detecção precoce, a lesão no estômago vai progredindo e uma hemorragia digestiva ou uma outra complicação como fezes escuras, dores abdominais, emagrecimento, fraqueza e desnutrição podem alertar para a doença já avançada, diminuindo assim a chance de tratamento mais eficaz", explica. A solução existente para buscar a cura é o procedimento cirúrgico e, em seguida, o tratamento por outras modalidades terapêuticas como a radio e quimioterapia.

€

Jamylle Bezerra MTE/AL 998 Jornalista / Santa Casa de Maceió © 2001/2010 - Portal Maltanet - Todos os direitos reservados

http://www.maltanet.com.br/noticias/noticia.php?id=4119

20/07/2010


www.santacasademaceio.com.br

Responsável Técnico: Dr. Artur Gomes Neto - CRM 2503

Hábitos saudáveis evitam o desenvolvimento de câncer de estômago

O

ultimamente, três casos da doença, em estáAscom

câncer de estômago é a segunda maior causa de morte por

gio inicial e intermediário, foram detecta-

câncer entre os homens no Brasil,

dos na Santa Casa de Maceió em mulheres

de acordo com dados do Instituto Nacional do

com idades abaixo dos 30 anos. Por isso,

Câncer (Inca), ocorrendo no país 21 mil novos

Robério Melo ressalta a importância de

casos novos por ano, dos quais 12 mil resul-

procurar um médico ao apresentar sintomas

tam em óbitos.

como desconforto abdominal, mal estar e

A doença é silenciosa e pode levar de dois

dificuldades para se alimentar, já que no

a cinco anos para que algum sinal apareça,

estágio inicial, como o estômago tem uma

fator que contribui para a redução das chances

forma de bolsa, a doença não produz sin-

de cura. Quando detectado precocemente,

tomas importantes.

as possibilidades de cura do câncer de estô-

"Com esses sintomas, as pessoas devem

mago são de 98%, percentual que é reduzi-

fazer a endoscopia digestiva alta", conta,

do para 25% quando a doença já está em está-

destacando que o exame pode ser realizado

gio avançado.

na Santa Casa de Maceió, que também atende pelo Sistema Único de Saúde (SUS) os

De acordo com o coordenador da Cirurgia

pacientes internos.

Oncológica da Santa Casa de Maceió, médico Robério Melo, as causas da doença estão

Médico Robério Melo destaca que pessoas com mais de 50 anos de idade devem fazer o exame de endoscopia digestiva pelo menos uma vez ao ano

relacionadas à falta de hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e prática de

"Caso não haja a detecção precoce, a lesão no estômago vai progredindo e uma hemorragia digestiva ou uma outra compli-

exercícios físicos, além de fatores genéticos.

risco para esse tipo de câncer. Quando a

endoscópica anualmente. Já as pessoas que

cação como fezes escuras, dores abdomi-

Há também a bactéria Helicobacter pylori,

doença é detectada tarde, apenas ¼ das pes-

possuem casos da doença na família, o ideal

nais, emagrecimento, fraqueza e desnutrição

que infecta o revestimento mucoso do estô-

soas apresentam possibilidades de cura", afir-

é que o exame comece a ser realizado mais

podem alertar para a doença já avançada,

mago, podendo favorecer o desenvolvimen-

ma o médico.

cedo.

diminuindo assim a chance de tratamento

Para evitar o desenvolvimento da doença

"A doença se manifesta em homens e

"Uma alimentação pobre em vitaminas

e detectar os casos de câncer de estômago

mulheres e pode surgir a qualquer momen-

A solução existente para buscar a cura é

A e C, carnes e peixes, ou ainda o alto con-

precocemente, o ideal é que as pessoas com

to da vida, sendo mais comum após os 50

o procedimento cirúrgico e, em seguida, o

sumo de nitrato, alimentos defumados, enlata-

idades acima de 50 anos sejam submetidas

anos", destaca o médico Robério Melo.

tratamento por outras modalidades terapêu-

dos, conservantes e corantes são fatores de

a uma avaliação gastroenterológica e

to da doença.

Ele chama a atenção para o fato de que,

mais eficaz", explica.

ticas como a radio e quimioterapia.

A

viagem e o descanso tão plane-

tórias, que é lavar as mãos. Grande parte des-

jados para o período de férias

sas doenças é transmitida pela tosse e pelo

podem ser adiados por conta de

simples ato de cumprimento com as mãos”,

doenças respiratórias, tão comuns nessa

diz a médica, lembrando que não é preciso

época do ano. Para evitar esse tipo de trans-

ter água e sabão ao alcance para fazer a

torno, hábitos simples como lavar frequen-

higienização das mãos, já que o álcool gel

temente as mãos e evitar aglomerados

também cumpre esse papel de forma prá-

podem ser a solução.

tica.

A médica pneumologista Fátima Alécio,

“O ideal é andar com álcool gel no carro

da Santa Casa de Maceió, conta que alergias

e na bolsa. Com ele, ficou muito mais fácil

respiratórias - como rinite, asma e bronqui-

fazer a higienização das mãos, porque nem

O ideal é andar com álcool gel no carro e na bolsa. Com ele, ficou mais fácil fazer a higienização das mãos, porque nem sempre você tem uma torneira por perto

te - e as infecções virais, que podem evoluir

Silvio Romero

Lavar as mãos pode ser garantia de férias tranquilas

sempre você tem uma torneira por perto”, diz a médica. Outra medida simples que pode evitar doenças respiratórias é levar as mãos à boca

Pneumologista Fátima Alécio conta que hábitos simples podem evitar doenças respiratórias

sempre que for tossir, além de não ficar pró-

Segundo Fátima Alécio, no inverno o

ximo ou frente a frente de pessoas saudá-

número de casos de doenças respiratórias

“Agasalhar-se bem também é necessá-

veis sempre que apresentar sintomas de

aumenta o equivalente a 30% em Maceió.

rio, principalmente para as pessoas que não

doenças respiratórias.

curar um médico.

“Quando a temperatura cai, as pessoas ficam

estão acostumadas com o frio. Se a pessoa

“Além de ser uma forma de educação, é

mais aglomeradas, mais dentro de casa,

apresentar algum sintoma, é importante

também é uma forma importante de evitar

então isso facilita a propagação desse tipo

não viajar doente e procurar sempre o médi-

a transmissão de doenças”, afirma Fátima

de doença. Nos lugares mais frios, o núme-

co”, ressalta.

Alécio.

ro de casos é bem maior, mas em Maceió

A médica ressalta também que as pes-

nós também percebemos a mudança de

soas devem evitar as urgências e emergên-

temperatura”, conta.

cias sempre que aparecerem sintomas de

para pneumonia – são os tipos de doenças

Para as pessoas idosas, outro cuidado

mais comuns do inverno. Por mais leve que

importante e que ajuda a evitar as doenças

seja a queda da temperatura, como é o caso

respiratórias tão comuns nessa época do

A automedicação também é algo que

doenças respiratórias. O mais correto é que

de Maceió, o corpo sente a mudança.

ano é a vacinação antigripal e, em alguns

tem que ser evitada sempre que surgirem

o paciente procure o clínico geral, o pneumo-

casos, a antipneumocócica – que deve ser

sintomas de doenças respiratórias. Em caso

logista ou o pediatra – no caso de crianças

indicada por um médico.

de tosse, expectoração ou febre, o ideal é pro-

- em consultórios ou ambulatórios.

“Tem uma forma extremamente simples e importante de evitar as doenças respira-


Maceió: VIII Jornada Alagoana de Urologia acontece em agosto, em Maceió - TUDO NA... Page 1 of 1

O Portal de notícias de Alagoas

Maceió

VIII Jornada Alagoana de Urologia acontece em agosto, em Maceió Evento acontece entre os diuas 12 e 14 no hotel Jatiúca, em Maceió 13:11 - 15/07/2010 --

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU-AL) realiza, de 12 a 14 de agosto, no Hotel Jatiúca, em Maceió, a VIII Jornada Alagoana de Urologia, que visa promover o debate sobre assuntos relacionados à área. Estudantes, residentes e profissionais podem participar do evento, que este ano tem como temas: uroginecologia, nefro-urologia, uro-oncologia, endo-urologia e andrologia. “O objetivo é promover a integração entre essas especialidades”, destaca o médico, presidente da SBUAL e coordenador do Serviço de Urologia da Santa Casa de Maceió, Mário Ronalsa Brandão Filho. O evento deste ano vai trazer para Maceió seis profissionais vindos de Brasília, São Paulo e Recife, e deve reunir um público estimado em 150 pessoas. Informações e inscrições podem ser obtidas na Comunic – eventos e viagens, por meio dos telefones (82) 3325-3468 e (82) 3325-7590, pelo site www.comuniceventos.com.br ou pelo e-mail comercial@comuniceventos.com.br.

http://www.tudonahora.com.br/noticia/maceio/2010/07/15/103847/viii-jornada-alagoana-... 16/07/2010


Primeira Edição | Versão para impressão

Page 1 of 1

Imprimir www.primeiraedicao.com.br

VIII Jornada Alagoana de Urologia acontece em agosto, em Maceió (15/07/2010 09:12) A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU-AL) realiza, de 12 a 14 de agosto, no Hotel Jatiúca, em Maceió, a VIII Jornada Alagoana de Urologia, que visa promover o debate sobre assuntos relacionados à área. Estudantes, residentes e profissionais podem participar do evento, que este ano tem como temas: uroginecologia, nefro-urologia, uro-oncologia, endo-urologia e andrologia. “O objetivo é promover a integração entre essas especialidades”, destaca o médico, presidente da SBU-AL e coordenador do Serviço de Urologia da Santa Casa de Maceió , Mário Ronalsa Brandão Filho. O evento deste ano vai trazer para Maceió seis profissionais vindos de Brasília, São Paulo e Recife, e deve reunir um público estimado em 150 pessoas. Informações e inscrições podem ser obtidas na Comunic – eventos e viagens, por meio dos telefones (82) 33253468 e (82) 3325-7590, pelo site www.comuniceventos.com.br ou pelo e-mail comercial@comuniceventos.com.br.

por Divulgação

Primeira Edição © 2010 - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Primeira Edição.

http://www.primeiraedicao.com.br/printVersion.php?id=151&secao=saude

20/07/2010


Alagoas 24 Horas

Page 1 of 1

VIII Jornada Alagoana de Urologia 09h23, 15 de julho de 2010

Saúde

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU-AL) realiza, de 12 a 14 de agosto, no Hotel Jatiúca, em Maceió, a VIII Jornada Alagoana de Urologia, que visa promover o debate sobre assuntos relacionados à área.

Ascom Santa Casa

Estudantes, residentes e profissionais podem participar do evento, que este ano tem como temas: uroginecologia, nefro-urologia, uro-oncologia, endo-urologia e andrologia. “O objetivo é promover a integração entre essas especialidades”, destaca o médico, presidente da SBU-AL e coordenador do Serviço de Urologia da Santa Casa de Maceió, Mário Ronalsa Brandão Filho. O evento deste ano vai trazer para Maceió seis profissionais vindos de Brasília, São Paulo e Recife, e deve reunir um público estimado em 150 pessoas.

coordenador do Serviço de Urologia da Santa Casa de Maceió, Mário Ronalsa Brandão Filho

Informações e inscrições podem ser obtidas na Comunic – eventos e viagens, por meio dos telefones (82) 33253468 e (82) 3325-7590, pelo site www.comuniceventos.com.br ou pelo e-mail comercial@comuniceventos.com.br. Fonte: Ascom Santa Casa Ainda não há comentários. | Regras para comentários | Seja o primeiro a comentar!

http://www.alagoas24horas.com.br/conteudo/imprimir/?vCod=88860

20/07/2010


Primeira Edição | Versão para impressão

Page 1 of 1

Imprimir www.primeiraedicao.com.br

Ortopedista da Santa Casa alerta para causas das dores lombares (14/07/2010 08:49) Dores lombares são mais comuns do que se possa imaginar. Elas podem ser causadas por uma série de fatores, tais como maus hábitos posturais e ausência de atividades físicas adequadas. Há casos em que a dor acompanha a pessoa pelo resto da vida, a menos que ocorra alguma intervenção cirúrgica. O médico ortopedista da Santa Casa de Maceió Francisco Américo explica que existem três tipos de lombalgias. A aguda, quando a dor persiste por um curto período - menos de um mês; a sub-aguda, quando a dor dura cerca de três meses, e a crônica, que faz o maior número de vítimas e cujo período da dor passa dos seis meses, sendo que a pessoa carrega a doença pelo resto da vida. O médico alerta para os perigos que os calçados femininos podem acarretar para a coluna. "Os saltos dos calçados das mulheres não devem exceder os seis centímetros, sendo que os saltos agulhas são os mais agressivos e perigosos e por isso é importante evitar o uso frequente", destaca o ortopedista Francisco Américo. Ele também enfatiza que nem toda dor nas costas se caracteriza como dor lombar, mas ressalta que a grande vilã dos trabalhadores é, de fato, a lombalgia. "A dor lombar é a maior causa de afastamento do trabalho", diz. Segundo o médico, cirurgias na região lombar só são indicadas quando todas as medidas conservadoras de tratamento fracassam. "Em menos de um ano, não seria ideal recorrer à cirurgia", destacou. Em caso de dor na região lombar, é importante também não se automedicar e procurar o médico ortopedista para que ele identifique o problema e receite a medicação correta para o caso. CARACTERÍSTICAS A dor lombar se caracteriza por uma rigidez na região baixa das costas. Na maioria das vezes, ela é causada quando um músculo das costas é estirado ou submetido a tração. A dor pode ser causada por vários motivos, como levantar um objeto pesado ou permanecer sentado ou de pé por muito tempo. Problemas de saúde, como artrite, também podem causar dor nas costas. Cerca de três em cada quatro adultos vão ter dor nas costas durante suas vidas e esses números podem subir, devido ao aumento da expectativa de vida e, consequentemente, do número de idosos. por Divulgação

Primeira Edição © 2010 - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Primeira Edição.

http://www.primeiraedicao.com.br/printVersion.php?id=149&secao=saude

20/07/2010


Portal Maltanet - Ortopedista alerta para causas das dores lombares

Page 1 of 1

Santana do Ipanema - terça, 20 de julho de 2010

10:20:38

€€Informação Assistência Social Cultura

Fotos / Ilustração

Saúde 13/07/2010 - 09h 20min

Curiosidades Educação Entrevistas

Ortopedista alerta para causas das dores lombares

Esportes Geral Moda & Beleza Opinião Polícia Política Religião Saúde Sexualidade Turismo Vídeos €

€€Especiais Canal do Sertão Especiais de Domingo Alagoano 2010

€€Serviço Assinantes (Exclusivo) Balcão de Oportunidades Classificados (Novo)

Jamylle Bezerra - ASCOM - Santa casa Dores lombares são mais comuns do que se possa imaginar. Elas podem ser causadas por uma série de fatores, tais como maus hábitos posturais e ausência de atividades físicas adequadas. Há casos em que a dor acompanha a pessoa pelo resto da vida, a menos que ocorra alguma intervenção cirúrgica. O médico ortopedista da Santa Casa de Maceió Francisco Américo explica que existem três tipos de lombalgias. A aguda, quando a dor persiste por um curto período - menos de um mês; a sub-aguda, quando a dor dura cerca de três meses, e a crônica, que faz o maior número de vítimas e cujo período da dor passa dos seis meses, sendo que a pessoa carrega a doença pelo resto da vida. O médico alerta para os perigos que os calçados femininos podem acarretar para a coluna. "Os saltos dos calçados das mulheres não devem exceder os seis centímetros, sendo que os saltos agulhas são os mais agressivos e perigosos e por isso é importante evitar o uso frequente", destaca o ortopedista Francisco Américo. Ele também enfatiza que nem toda dor nas costas se caracteriza como dor lombar, mas ressalta que a grande vilã dos trabalhadores é, de fato, a lombalgia. "A dor lombar é a maior causa de afastamento do trabalho", diz. Segundo o médico, cirurgias na região lombar só são indicadas quando todas as medidas conservadoras de tratamento fracassam. "Em menos de um ano, não seria ideal recorrer à cirurgia", destacou.

Documentários Eventos Galeria de Fotos Guia de Negócios Literatura Shows e Festas

€€Interativo Fale Conosco

Em caso de dor na região lombar, é importante também não se automedicar e procurar o médico ortopedista para que ele identifique o problema e receite a medicação correta para o caso. CARACTERÍSTICAS A dor lombar se caracteriza por uma rigidez na região baixa das costas. Na maioria das vezes, ela é causada quando um músculo das costas é estirado ou submetido a tração. A dor pode ser causada por vários motivos, como levantar um objeto pesado ou permanecer sentado ou de pé por muito tempo. Problemas de saúde, como artrite, também podem causar dor nas costas.

Mural de Recados Rádio Portal Maltanet Webmail

Cerca de três em cada quatro adultos vão ter dor nas costas durante suas vidas e esses números podem subir, devido ao aumento da expectativa de vida e, consequentemente, do número de idosos. Jamylle Bezerra MTE/AL 998 Jornalista / Santa Casa de Maceió

€ © 2001/2010 - Portal Maltanet - Todos os direitos reservados

http://www.maltanet.com.br/noticias/noticia.php?id=4069

20/07/2010


Maceió: Santa Casa faz exame que detecta miomas, pólipos e câncer - TUDO NA HO... Page 1 of 1

O Portal de notícias de Alagoas

Maceió

Santa Casa faz exame que detecta miomas, pólipos e câncer Exame é feito sem agrediro o útero da mulher 09:24 - 12/07/2010 --

Videohisteroscopia. O nome significa olhar dentro do útero por intermédio de um vídeo e se refere ao procedimento utilizado na identificação de doenças no interior do útero, que oferece uma imagem direta e tridimensional de problemas como miomas e pólipos. De acordo com o médico ginecologista Fábio Castanheira, o procedimento funciona como exame, se for para fazer somente uma biópsia dirigida, ou cirurgia minimamente invasiva para definir o problema, realizada de forma que não agride o útero da mulher. "É um procedimento que, ao entrar na cavidade uterina, pode detectar mioma, pólipo, câncer de endométrio ou más formações uterinas. O exame é simples e a paciente tem a possibilidade de fazêlo em um consultório, sem anestesia, indo embora para casa logo após o procedimento", destacou Fábio Castanhera. O médico explica que o exame deve ser feito sempre que a paciente apresentar sangramento uterino anormal, aparentemente sem motivos. "Quando a paciente apresenta esse sangramento e não se sabe a causa, quando ela tem infertilidade e não se sabe o motivo, é preciso fazer o exame e entrar na cavidade uterina para que a origem do problema seja detectada", afirma o ginecologista. A videohisteroscopia também pode ser considerada uma cirurgia minimamente invasiva, tendo em vista que miomas, pólipos, más formações e endométrio atípico, podem ser retirados por meio do procedimento. Para isso, explica o médico, é preciso usar um aparelho um pouco maior - com apenas 9 mm de diâmetro- e receber anestesia, geralmente através do soro. "Se a pessoa tem um sangramento uterino anormal, se faz uma ultrassonografia e detecta que tem um mioma ou pólipo, eles devem ser retirados", destaca o médico Fábio Castanheira. Segundo ele, o Sistema Único de Saúde (SUS) está contratualizando com a Santa Casa de Maceió a realização desse exame de forma gratuita. "Ele também é feito através de convênios e de consultas particulares", diz. O procedimento cirúrgico feito por meio da videohisteroscopia é rápido, de forma que a paciente tem alta do hospital no mesmo dia e, em regra, pode voltar a trabalhar no dia seguinte. "Antigamente, o útero era retirado quando existia um mioma submucoso. Hoje você pode tirar o mioma sem precisar abrir a cavidade abdominal. Não é preciso perder o útero. Antes, a curetagem uterina era feita às cegas e hoje você vê a cavidade uterina, vai ao local e faz a biópsia exatamente no ponto onde existe o problema, preservando assim o útero e a fertilidade da mulher", relata o médico, destacando que a cada 200 pólipos, um pode virar câncer.

http://www.tudonahora.com.br/noticia/maceio/2010/07/12/103395/santa-casa-faz-exa... 20/07/2010


Stª Casa realiza exame que detecta miomas, pólipos e câncer

Page 1 of 1

imprimindo...

12.07.2010 - 09h26

Stª Casa realiza exame que detecta miomas, pólipos e câncer Procedimento, que oferece uma imagem direta e tridimensional, é realizado sem agredir o útero Assessoria Santa Casa de Misericórdia

Videohisteroscopia. O nome significa olhar dentro do útero por intermédio de um vídeo e se refere ao procedimento utilizado na identificação de doenças no interior do útero, que oferece uma imagem direta e tridimensional de problemas como miomas e pólipos. De acordo com o médico ginecologista Fábio Castanheira, o procedimento funciona como exame, se for para fazer somente uma biópsia dirigida, ou cirurgia minimamente invasiva para definir o problema, realizada de forma que não agride o útero da mulher. "É um procedimento que, ao entrar na cavidade uterina, pode detectar mioma, pólipo, câncer de endométrio ou más formações uterinas. O exame é simples e a paciente tem a possibilidade de fazê-lo em um consultório, sem anestesia, indo embora para casa logo após o procedimento", destacou Fábio Castanhera. O médico explica que o exame deve ser feito sempre que a paciente apresentar sangramento uterino anormal, aparentemente sem motivos. "Quando a paciente apresenta esse sangramento e não se sabe a causa, quando ela tem infertilidade e não se sabe o motivo, é preciso fazer o exame e entrar na cavidade uterina para que a origem do problema seja detectada", afirma o ginecologista. A videohisteroscopia também pode ser considerada uma cirurgia minimamente invasiva, tendo em vista que miomas, pólipos, más formações e endométrio atípico, podem ser retirados por meio do procedimento. Para isso, explica o médico, é preciso usar um aparelho um pouco maior - com apenas 9 mm de diâmetro- e receber anestesia, geralmente através do soro. "Se a pessoa tem um sangramento uterino anormal, se faz uma ultrassonografia e detecta que tem um mioma ou pólipo, eles devem ser retirados", destaca o médico Fábio Castanheira. Segundo ele, o Sistema Único de Saúde (SUS) está contratualizando com a Santa Casa de Maceió a realização desse exame de forma gratuita. "Ele também é feito através de convênios e de consultas particulares", diz. O procedimento cirúrgico feito por meio da videohisteroscopia é rápido, de forma que a paciente tem alta do hospital no mesmo dia e, em regra, pode voltar a trabalhar no dia seguinte. "Antigamente, o útero era retirado quando existia um mioma submucoso. Hoje você pode tirar o mioma sem precisar abrir a cavidade abdominal. Não é preciso perder o útero. Antes, a curetagem uterina era feita às cegas e hoje você vê a cavidade uterina, vai ao local e faz a biópsia exatamente no ponto onde existe o problema, preservando assim o útero e a fertilidade da mulher", relata o médico, destacando que a cada 200 pólipos, um pode virar câncer.

http://gazetaweb.globo.com/v2/impressao.php?canal=noticias&uid=955214

20/07/2010


Primeira Edição | Versão para impressão

Page 1 of 1

Imprimir www.primeiraedicao.com.br

Santa Casa de Maceió realiza exames de histeroscopia no útero (12/07/2010 09:28) Videohisteroscopia. O nome significa olhar dentro do útero por intermédio de um vídeo e se refere ao procedimento utilizado na identificação de doenças no interior do útero, que oferece uma imagem direta e tridimensional de problemas como miomas e pólipos. De acordo com o médico ginecologista Fábio Castanheira, o procedimento funciona como exame, se for para fazer somente uma biópsia dirigida, ou cirurgia minimamente invasiva para definir o problema, realizada de forma que não agride o útero da mulher. "É um procedimento que, ao entrar na cavidade uterina, pode detectar mioma, pólipo, câncer de endométrio ou más formações uterinas. O exame é simples e a paciente tem a possibilidade de fazê-lo em um consultório, sem anestesia, indo embora para casa logo após o procedimento", destacou Fábio Castanhera. O médico explica que o exame deve ser feito sempre que a paciente apresentar sangramento uterino anormal, aparentemente sem motivos. "Quando a paciente apresenta esse sangramento e não se sabe a causa, quando ela tem infertilidade e não se sabe o motivo, é preciso fazer o exame e entrar na cavidade uterina para que a origem do problema seja detectada", afirma o ginecologista. A videohisteroscopia também pode ser considerada uma cirurgia minimamente invasiva, tendo em vista que miomas, pólipos, más formações e endométrio atípico, podem ser retirados por meio do procedimento. Para isso, explica o médico, é preciso usar um aparelho um pouco maior - com apenas 9 mm de diâmetro- e receber anestesia, geralmente através do soro. "Se a pessoa tem um sangramento uterino anormal, se faz uma ultrassonografia e detecta que tem um mioma ou pólipo, eles devem ser retirados", destaca o médico Fábio Castanheira. Segundo ele, o Sistema Único de Saúde (SUS) está contratualizando com a Santa Casa de Maceió a realização desse exame de forma gratuita. "Ele também é feito através de convênios e de consultas particulares", diz. O procedimento cirúrgico feito por meio da videohisteroscopia é rápido, de forma que a paciente tem alta do hospital no mesmo dia e, em regra, pode voltar a trabalhar no dia seguinte. "Antigamente, o útero era retirado quando existia um mioma submucoso. Hoje você pode tirar o mioma sem precisar abrir a cavidade abdominal. Não é preciso perder o útero. Antes, a curetagem uterina era feita às cegas e hoje você vê a cavidade uterina, vai ao local e faz a biópsia exatamente no ponto onde existe o problema, preservando assim o útero e a fertilidade da mulher", relata o médico, destacando que a cada 200 pólipos, um pode virar câncer. por Divulgação

Primeira Edição © 2010 - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Primeira Edição.

http://www.primeiraedicao.com.br/printVersion.php?id=144&secao=saude

20/07/2010


Primeira Edição | Versão para impressão

Page 1 of 2

Imprimir www.primeiraedicao.com.br

Profissionais americanos realizam cirurgias cardíacas em crianças na Santa Casa de Maceió (05/07/2010 09:48) Em Alagoas nascem 60 mil crianças por ano. Desse total, cerca de 400 a 600 delas possuem algum tipo de cardiopatia. E foi tendo em vista esse número expressivo que a Santa Casa de Maceió , em parceria com a Fundação Internacional de Crianças Cardiopatas – International Children Heart Foundation (ICHF) - e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), realizou o programa Coração Feliz (Happy Heart Program), beneficiando 17 crianças com cirurgias cardíacas. Para isso, uma equipe formada por 22 profissionais americanos esteve em Maceió realizando os procedimentos médicos em crianças que estavam na lista de espera pela cirurgia. Os procedimentos aconteceram na Santa Casa de Maceió peor meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Essa foi a primeira vez que o projeto esteve no Brasil, sendo o estado de Alagoas e a Santa Casa de Maceió os escolhidos pela equipe da ICHF para beneficiar as crianças que sofrem de algum tipo de cardiopatia. De acordo com o médico cardiologista José Wanderley Neto, a iniciativa, além de beneficiar as 17 crianças, também teve o objetivo de mobilizar e envolver os profissionais do Estado. “Foi uma visita muito importante porque eles trouxeram um time completo de profissionais para atuar em Maceió. Além de operar as crianças, o projeto também teve o objetivo de sensibilizar outros profissionais no intuito de contribuírem com a iniciativa”, destacou José Wanderley. De acordo com ele, a cada mil crianças nascidas vivas, entre 7 e 10 possuem algum tipo de cardiopatia congênita. Dos cerca de 400 a 600 novos casos que surgem em Alagoas a cada ano, 1/3 se configuram em cardiopatia simples e em aproximadamente 2/3 desse total é necessário que haja algum tipo de intervenção, sendo que nesses casos, 15% das crianças devem passar por procedimento cirúrgico nos primeiros meses de vida. A equipe, liderada pelo diretor médico da ICHF, o cirurgião americano William Novick, deve voltar ao Estado para realizar cirurgias no início do próximo ano, beneficiando assim ainda mais crianças que sofrem de alguma cardiopatia. A Fundação Internacional de Crianças Cardiopatas percorre mais de 15 países anualmente, realizando cirurgias gratuitas. Antes de chegarem em Maceió, por exemplo, os profissionais levaram o projeto à Sibéria. A pequena Sara Abigail, de 7 anos, foi uma das crianças beneficiadas pelo programa Coração Feliz. Natural de El Salvador, ela veio para Maceió, junto com a mãe Sara Ester, e passou por uma cirurgia cardíaca, esperada há quatro anos. De acordo com Sara Ester, a doença cardíaca deixava Sarinha com dificuldades para respirar. “Agora já dá para ver a melhora”, destaca a mãe. Segundo ela, quarenta crianças de El Salvador que sofriam de algum tipo de cardiopatia foram selecionadas pelo governo e encaminhadas a outros países para que o procedimento fosse realizado. Sarinha foi a única que veio para o Brasil. “Foram quarenta crianças. Nós viemos para o Brasil e as outras foram distribuídas em países como o México, Uruguai, Espanha, Guatemala, Cuba e Coreia. A volta para El Salvador só vai depender da recuperação dela”, diz a mãe. Apesar de reclamar um pouco da dor proveniente da cirurgia, Sarinha não esconde o sorriso por saber que, a partir de agora, vai poder ter uma vida bem melhor.

por Divulgação

http://www.primeiraedicao.com.br/printVersion.php?id=9400&secao=maceio

16/07/2010


Santa casa é hospital que mais recebe pacientes do SUS em Alagoas

Page 1 of 1

imprimindo...

28.06.2010 - 17h29

Santa casa é hospital que mais recebe pacientes do SUS em Alagoas Unidade apresentou mais de mil internações mensais entre setembro de 2009 e abril de 2010, superando os 2 hospitais públicos de referência no Estado Assessoria

No ranking dos hospitais alagoanos que mais internam pacientes pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a Santa Casa de Maceió e o Hospital Nossa Senhora da Guia somaram, entre setembro de 2009 e abril de 2010, nada menos que 8.196 autorizações de internação hospitalar (AIH). Este montante é 37% superior ao registrado pelo segundo colocado no ranking e equivale a 13% do total produzido pelos treze hospitais com maior volume de internações. Esse grupo responde por 49% dos pacientes internados pelo SUS no Estado. Com mais de mil internações mensais no período, a Santa Casa de Maceió e o Hospital Nossa Senhora da Guia superaram os dois hospitais públicos de referência do Estado, o Hospital Geral (HGE) e a Maternidade Santa Mônica. O ranking das unidades que mais internaram pelo SUS tem, em segundo lugar, o Hospital Sanatório/Maternidade Paulo Neto (com 9,74%), seguido por quatro estabelecimentos do interior alagoano: um de Palmeira dos Índios - o Hospital Regional Santa Rita (8,27%) - e três de Arapiraca: Casa de Saúde e Maternidade Nossa Senhora da Fátima (8%), Real Hospital Santa Maria (7,66%) e Hospital Regional de Arapiraca (7,59%). Considerando as internações registradas nas 87 unidades hospitalares, maternidades e casas de parto do Estado, a Santa Casa de Maceió responde por 6,55% das 125 mil internações registradas no período pelo Datasus. Os números pesquisados pelo provedor da Santa Casa de Maceió, Humberto Gomes de Melo, revelam ainda o fluxo de pacientes do interior alagoano para os hospitais de Maceió. Analisando os dados da Santa Casa de Maceió/Hospital Nossa Senhora da Guia, percebe-se que as duas unidades atenderam a 101 dos 102 municípios alagoanos (São Brás foi a exceção). Totalizando 37 internações, a Santa Casa também lidera a lista de hospitais que mais receberam pacientes de outros estados, com destaque para cidades como Rio de Janeiro (RJ), São José dos Pinhais (PR), Itapetinga (BA), Ecoporanga (ES), São Luís (MA), dentre outras. Ainda considerando o fluxo de pacientes para os hospitais da capital alagoana, muitas unidades têm como principal público os moradores do entorno. No Hospital Universitário, por exemplo, quatro cidades - Maceió, Rio Largo, Murici e Messias - respondem juntas por mais 76% das internações. Já no Hospital do Açúcar, quase 66% são oriundos de Maceió (que sozinha representa 57,27%), Arapiraca, Rio Largo e União dos Palmares. No Hospital Geral do Estado, referência em atendimento de urgência, 64% residem em cidades como Maceió (55,74%), Rio Largo, Marechal Deodoro e União dos Palmares.

http://gazetaweb.globo.com/v2/impressao.php?canal=noticias&uid=972530

20/07/2010


Primeira Edição | Versão para impressão

Page 1 of 1

Imprimir www.primeiraedicao.com.br

Maternidade humaniza ambiente hospitalar com decoração junina (24/06/2010 09:18)

O

H os pit al N os s a S en h ora da G u ia, l ocal iz ado n o bairro do P oç o, en t rou n o cl ima j u n in o ao decorar os corredores e as recepç õ es P ediá t rica e O bs t é t rica com ban deirin h as , bal õ es e ban deirol as . A in iciat iv a part iu dos prof is s ion ais q u e in t eg ram o G T H (G ru po de T rabal h o de H u man iz aç ã o) da u n idade. O

G T ps icó A s s is j u n in

H

é f ormado por prof is s ion ais de div ers as á reas do h os pit al , in cl u in do mé dicos , en f ermeiros , as s is t en t e s ocial , l og a, f is iot erapeu t a, admin is t raç ã o, copa, s eg u ran ç a, recepç ã o, maq u eiro den t re ou t ros . A U n idade D ocen t e t en cial R odrig o R amal h o, al é m de div ers os s et ores da S an t a C as a, t ambé m s e ambien t aram com mot iv os os e al u s iv os à C opa do M u n do.

C on f orme f ris a a g eren t e de U n idades E x t ern as , R ej an e P aix ã o , al é m de s au dar a memó ria de S ã o J oã o, a decoraç ã o j u n in a s e rev es t e de import â n cia à medida q u e con f ere u m cará t er h u man is t a ao ambien t e h os pit al ar, aprox iman do- o o má x imo pos s í v el da real idade v iv ida pel o pacien t e f ora da u n idade.

por Divulgação

P rimeira E diç ã o © 2010 - T odos os direit os res erv ados . É proibida a reprodu ç ã o do con t eú do des t a pá g ina em q u al q u er meio de comu n icaç ã o, el et rô n ico ou impres s o, s em au t oriz aç ã o es crit a do P rimeira E diç ã o.

http://www.primeiraedicao.com.br/printVersion.php?id=9339&secao=maceio

16/07/2010

Clipping Santa Casa  

Clipping Santa Casa

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you