Page 1

Juntos Navegando

Boletim Navegando Juntos completa 1 ano.

Ano 2 • Edição n.º 13 • setembro/2014

Boletim informativo da Enseada Indústria Naval S.A. e do Consórcio Estaleiro Paraguaçu (CEP) Plano Básico Ambiental (PBA) – Programa de Comunicação Social

Dona Cadu e a tradição da cerâmica de Coqueiros 3

Foto JULIUS SÁ

Programa sensibiliza comunidades para saúde e segurança 2

Conheça as formas de interação com a Enseada 4

Em Irriquitiá, Enseada refloresta 30 hectares com espécies de Mata Atlântica Foto KARLA BARRETO

Q

uarenta e dois campos de futebol. Essa é a área aproximada que a Enseada reflorestou em Irriquitiá, localidade de Maragojipe, como principal iniciativa do Programa Verde Novo, uma junção das ações de revegetação e enriquecimento de áreas de floresta, nascentes, matas ciliares e manguezais. O programa, criado para executar as condicionantes exigidas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), precisava cumprir o reflorestamento de 26,6 hectares, mas foi além. Hoje esse o número já chega a 30 ha e continuará avançando. O plantio de uma nova vegetação em alguns locais tem ajudado a promover a melhoria da biodiversidade, a criar abrigo e gerar alimento para a fauna local, além de aumentar o número de espécies da flora, resgatando, inclusive, madeiras de lei que não existiam mais na região.

O programa Verde Novo trabalha a Educação Ambiental com crianças da região de Maragojipe

Preservando a água A recuperação de nascentes e matas ciliares é de grande importância ecológica e econômica, ao promover diretamente uma melhoria da qualidade da água e a diminuição de risco de erosão e assoreamento, garan-

tindo a preservação de espécies aquáticas e terrestres. Uma parceria entre a Enseada Indústria Naval e a Organização não Governamental (ONG) Fundação Vovó do Mangue revegetou áreas degradadas de manguezal e dezenas de nas-

centes de importância reconhecida na região. Com grande experiência com replantio de manguezais, a ONG é referência nacional no assunto. “Maragojipe vive um ciclo de progresso com a chegada do Estaleiro e as ações

socioambientais ganharam mais corpo através da nossa parceria. Já foram plantados 4,5 hectares de mudas nas Ilhas Damásio, do Galego e Manjubá, todas próximas ao município. Mais dez hectares vão ser replantados. Toda a produção é feita por 25 pescadores e marisqueiras. Não queremos apenas recuperar áreas degradadas, mas promover uma mudança no pensamento e melhorias em toda a cidade, com ações culturais, sociais e ambientais”, afirmou Antônio Marcos, diretor geral da Fundação Vovó do Mangue. Segundo Caroline Azevedo, gerente de Sustentabilidade da Enseada, as mudanças da paisagem já podem ser vistas em Irriquitiá. “As comunidades ribeirinhas têm um apreço pela causa e entenderam os efeitos sobre sua qualidade de vida e sobre os recursos hídricos que, historicamente, são tão escassos naquela região”, concluiu a gerente.

Por ocasião da retomada da indústria naval no Brasil, a Enseada Indústria Naval lançou, no dia 15/9, o vídeo “Nobuo Oguri, uma lenda da Construção Naval Brasileira”. O documentário retrata a vida de Nobuo Oguri, que trabalhou por mui-

tos anos no Estaleiro Ishibrás, antigo nome do atual Estaleiro Inhaúma, localizado no bairro do Caju no Rio de Janeiro. De acordo com Fernando Quintas, diretor Industrial da Enseada, “Nobuo Oguri é um exemplo para todos os integrantes da empresa. Com a experiência e a vivência que teve

Foto PEDRO LUNA

Nobuo Oguri é homenageado pelo Estaleiro

como presidente executivo da Ishibrás, ele vem cooperando com a Enseada como consultor para assuntos estratégicos e, quando necessário, em assuntos pertinentes à atividade de construção naval. Além do pioneirismo, Oguri possui um legado de disciplina, dedicação e respeito à segurança e ao meio ambiente”. www.navegandojuntos.com.br


2•

Programa orienta comunidades para cuidados com saúde e segurança contato com o “Esse Estaleiro foi muito bom,

Brigada voluntária de Saubara recebe treinamento para combater incêndios

Foto ANDRÉ CONCEIÇÃO

porque conseguimos ajuda para atualizar nossos conhecimentos com um profissional experiente, tivemos treinamentos e hoje nos sentimos mais confiantes para fazer nosso trabalho. A Enseada também doou alguns materiais que antes tínhamos dificuldade de conseguir por falta de recursos financeiros.” Adelipio Antônio dos Santos Conceição, responsável pela brigada

das comunidades impactadas durante o ciclo de vida do Estaleiro, levando em consideração as características de cada localidade. O conjunto de ações está dividido em três pilares: vigilância epidemiológica (diagnóstico da saúde da comunidade), controle epidemiológico (ações preventivas com foco em saú-

Foto FILIPE BARBOSA

As comunidades localizadas no entorno das unidades da Enseada na Bahia têm sido beneficiadas por um importante programa de gestão de saúde e segurança: o Prevenção é Vida. Criado para atender aos critérios dos Princípios do Equador, o programa tem o objetivo de prever e evitar impactos na saúde e segurança

de) e preparo da comunidade para situações emergenciais. “Estamos monitorando algumas localidades para entender quais são os principais problemas de saúde enfrentados pela população e, desta forma, buscar uma solução para minimizá-los. Temos realizado palestras preventivas, promovido eventos relacionados à saúde e bus-

cado parcerias para consolidar ações como a Aciso, em Salinas da Margarida, que, com o apoio da Marinha do Brasil, realizou gratuitamente mais de mil atendimentos médicos e odontológicos à população”, comentou Humberto Rangel, diretor de Relações Institucionais e Sustentabilidade da Enseada. Em ações de monitoramento na Área de Influência Direta (AID) da Enseada, os responsáveis pelo programa identificaram, em Saubara, uma brigada que atua voluntariamente no combate a emergências, como incêndios e outros tipos de resgate, porém com poucos recursos para isso. “Esse contato com o Estaleiro foi muito bom, porque conseguimos

ajuda para atualizar nossos conhecimentos com um profissional experiente, tivemos treinamentos e hoje nos sentimos mais confiantes para fazer nosso trabalho. A Enseada também doou alguns materiais que antes tínhamos dificuldade de conseguir por falta de recursos financeiros”, afirmou Adelipio Antônio dos Santos Conceição, responsável pela brigada. O município de Salinas da Margarida e o distrito de São Roque do Paraguaçu, em Maragojipe, foram contemplados com oficinas de preparo e sensibilização das comunidades para situações emergenciais. O objetivo do programa é consolidar uma brigada voluntária em cada município da AID.

Este jornal foi criado para divulgar, entre integrantes e comunidades, as ações e oportunidades oferecidas pela Enseada. Leia, fique bem informado e depois descarte o jornal no local adequado. Lembre-se que você pode contribuir para um mundo menos poluído e manter uma boa relação com o meio ambiente. Vamos levar isso adiante! Palestra orienta pais e crianças sobre cuidados com a higiene bucal


3

Cerimônia foi para formandos dos cursos de Encanador Industrial, Almoxarife e Assistente de Planejamento e Controle de Produção

de Porto Pequeno (localidade de Maragojipe Sede), era um deles. Depois de formado, o rapaz agora só quer saber de buscar uma oportunidade no mercado de trabalho. “Estou correndo atrás. Não importa se vai ser no Estaleiro ou em outra empresa. Quero um emprego para colocar em prática todo o meu aprendizado. Tive professores dedicados e que transmitiram muitos conhecimentos”, disse Guedes, o novo assistente de planejamento e controle de produção. A prefeita de Maragojipe, Vera Lúcia, declarou que, em breve, serão muitas as possibilidades de trabalho no município. “Devemos usufruir do projeto do Estaleiro e também do surgimento das inúmeras vagas que estão sendo criadas a partir dele. Não podemos perder de vista a amplitude desse

Agora formado pelo Pronatec, Landerson busca oportunidade no mercado de trabalho

negócio”, argumentou Vera. Em um mundo cada vez mais competitivo, há quem acredite que o diferencial entre as pessoas está no conhecimento adquirido ao longo do tempo. É o caso de Márcia Lapa, gerente de Educação Industrial da Enseada. “Os jovens de hoje precisam ter o olhar para o desenvolvimento do seu potencial, e os cursos de capacitação são o início desse caminho rumo

a uma colocação profissional, pois já influenciam o jovem a participar das oportunidades surgidas no mercado de trabalho e direcionam seu desenvolvimento e escolha de carreira”, explicou a gerente. De acordo com o secretário de Governo do município, Gilberto Sampaio, neste mês de setembro serão divulgadas e disponibilizadas novas vagas do Pronatec em Maragojipe.

Dona Cadu: o leve sorriso da cerâmica de Coqueiros O deslizar das mãos sobre o barro úmido faz parte da rotina de Ricardina da Silva, a Dona Cadu, desde quando ela tinha 10 anos de idade. Hoje, com 94, ela parece nem sentir o avanço do tempo. Disposta e sempre com muita simpatia, dá vida, diariamente, a panelas, frigideiras e potes, como num balé feito com os dedos. O distrito de Coqueiros, em Maragojipe, guarda em sua história a tradição da cerâmica passada há décadas de geração em geração. Dona Cadu, para a maioria dos

moradores, é o símbolo maior dessa cultura. “Era menina ainda quando vi uma vizinha de meu pai fazendo cerâmica. Eu olhava e achava bonito. Ela me perguntou se eu queria aprender e eu aceitei na hora. Assim, do barro, há anos, tenho tirado o sustento da minha família e consegui educar meus filhos”, revelou a ceramista. Com seu carisma e sorriso sereno, Dona Cadu teve, ao longo da vida, importantes conquistas. “Certa vez, representei a Bahia com meu material numa

exposição em Curitiba. Fui pela cerâmica e pelo samba de roda. Senti muito orgulho do que eu faço e fiquei feliz por ver que gostaram do meu trabalho”, contou Ricardina. Dona Cadu leva o que sabe adiante e dá aulas de cerâmica para os moradores da comunidade. Os alunos dela são só elogios para a professora. Rodrigo Santana é um deles. “Ela possui um conhecimento muito grande, é dedicada e tem orgulho do que faz. Aprendi muito com ela. A cultura é a nossa maior riqueza e me sinto orgulhoso, porque estou preparado para multiplicar o

As mãos que moldam uma das mais famosas tradições do Recôncavo

que me foi ensinado”, disse o jovem. Hoje, em Coqueiros, mais de 50 homens e mulheres

sobrevivem da cerâmica e de outros ensinamentos de Dona Cadu que não têm preço.

Navegando Juntos Boletim informativo da Enseada Indústria Naval S.A. e do Consórcio Estaleiro Paraguaçu (CEP). www.enseada.com.br informes@consorcioep.com.br Presidente: Fernando Barbosa Vice-presidente de Operações: Guilherme Guaragna Diretor de Relações Institucionais e de Sustentabilidade: Humberto Rangel Diretor de Pessoas e Organização: Ricardo Lyra Diretor de Execução: José Luis Coutinho de Faria Gerente de Comunicação Externa e Editor: Marcelo Gentil (Conrerp 7ª/nº 233) Redação: Malany Tavares Fotografia: Julius Sá Apoio: Bruno Pinto, Roque Peixoto, Thaise Muniz, Pedro de Luna, Ronaldo Souza, Marli Santos e Caíque Fróis Projeto gráfico e editoração: Solisluna Design Revisão: Maria José Bacelar Guimarães Pré-impressão e impressão: Rocha Impressões Tiragem: 20.000 exemplares A Enseada é uma empresa associada à Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje). www.navegandojuntos.com.br

Foto JULIUS SÁ

Assistente de Planejamento e Controle de Produção. O programa é executado em parceria com o Senai e a Prefeitura de Maragojipe. Os jovens reunidos naquela cerimônia compartilhavam um mesmo objetivo: exercer o mais breve possível a profissão que escolheram. Landerson Guedes, 18 anos, morador

Foto RONALDO SOUZA

A Casa de Cultura de Maragojipe, no início deste mês, serviu novamente de cenário para a formatura de jovens que fizeram parte do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). A solenidade de entrega dos certificados foi voltada para os 114 formandos dos cursos de Encanador Industrial, Almoxarife e

Foto RONALDO SOUZA

Passo a frente: jovens concluem cursos do Pronatec em Maragojipe


4•

Combinando ações de Responsabilidade Social e Comunicação, a Enseada Indústria Naval disponibiliza para comunidades, integrantes, poder público e parceiros diversos meios de interação social com o empreendimento. Por meio desse tipo de iniciativa, o Estaleiro pretende

construir uma imagem de respeito junto às pessoas e instituições com as quais se relaciona. Indo ao Centro de Referência no povoado de Enseada, moradores de localidades no entorno do empreendimento podem fazer, pessoalmente, elogios, sugestões, críticas ou

reclamações e depositá-las em uma das urnas do “Fala Comunidade”. Os integrantes também podem se manifestar nas urnas do “Fala Navegante”, localizadas nos principais pontos dos canteiros, como refeitórios e espaços de convivência. O blog Navegando

O blog Navegando Juntos oferece informação e a possibilidade de enviar comentários, críticas e sugestões

Juntos (www.navegandojuntos.com.br), o site da Enseada (www.enseada.com) e o e-mail informes@consorcioep.com. br são meios de interação virtual voltados para todo tipo de público. Caso não tenha acesso à internet, é possível também fazer o contato com o Centro de Referência pelo telefone (75) 3527-6837. Segundo Marcelo Gentil, gerente de Comunicação Externa da Enseada, mais do que uma obrigação legal fruto do Programa de Comunicação Social do Plano Básico Am-

Centro de Referência funciona em Enseada do Paraguaçu

Fotos JULIUS SÁ

Na Enseada, interação com as comunidades é prioridade

biental (PBA), a interação social é uma crença da empresa. “Acreditamos que, ouvindo e interagindo com nossos públicos prioritários, seremos capazes de construir, cada vez mais, uma empresa respeitada e admirada pelas comunidades locais. Nossa visão é de longo prazo, com atuação que valoriza os saberes e fazeres da região”, garante Gentil. Se você deseja falar com a Enseada, basta utilizar um dos meios acima. Sua mensagem será sempre bem-vinda!

Força de vontade e superação: a história de um apaixonado pelo Japão Os símbolos em japonês exibidos nos filmes Changeman e Jaspion, sucessos dos anos 80, despertaram a curiosidade do integrante Cleber Leal Santos para entender aquela escrita tão diferente do português. Essa vontade de conhecer melhor o idioma falado nas terras japonesas levou o jovem baiano, morador de um bairro humilde de Salvador, a procurar um curso de extensão oferecido pela Universidade do Estado da Bahia (Uneb). Foi aí que o destino de Cleber deu o primeiro passo para grandes mudanças futuras. “Me destaquei muito no curso. Queria aprender cada vez mais. Chegou um período em que as aulas não eram mais suficientes para mim, então eu resolvi sair pelo Pelourinho

Hoje, na Enseada, Cleber Leal (D) é tradutor e auxilia japoneses com o português

em busca de turistas japoneses para praticar o que eu aprendia na sala de aula. Primeiro eu abordava eles em inglês, depois levava o papo em japonês. Geralmente eu ensinava um pouco de português a eles

também e dessa forma fazíamos um intercâmbio”, contou Cleber, que chegou a dar aulas de japonês na universidade por oito anos. Em 2006, graças ao incentivo de uma professora, ele se

inscreveu no Concurso Nacional de Oratória em Língua Japonesa. Venceu a etapa regional e a nacional. Como prêmio, ganhou uma bolsa de estudos de seis meses para um curso de aperfeiçoamento de professores em Saitama, cidade próxima a Tóquio. “Representei a Bahia no concurso e apresentei, em japonês, a história de uma decepção amorosa que tive. Achei que não tinha muitas chances, pois concorri com nikkeis (descendentes de japoneses), mas, ainda assim, consegui vencer o concurso.” Desafio na Enseada Atualmente, Cleber trabalha na Enseada como tradutor e apoia os japoneses da Kawasaki que estão nas unidades São Roque e Paraguaçu pelo Treinamento de Transferên-

cia Tecnológica (TTA). Ele considera o trabalho difícil por causa dos termos técnicos e dos detalhes, mas garante que tem sido uma experiência muito gratificante e produtiva profissionalmente. “Cada contato que eu faço com eles, preciso aprender coisas novas para desenvolver vocabulário e atendê-los melhor. Adoro desafios. Vencer essas barreiras tem me deixado mais forte e mais confiante, e isso tem me preenchido de orgulho”, contou. Fala comunidade Quer ficar por dentro das principais notícias e ainda interagir com o Estaleiro? Então acesse o nosso blog oficial: www.navegandojuntos.com.br

Navegando Juntos 13 (setembro)  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you