Page 1

16

Personalidade

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Junho de 2009

Tia Maria: uma vida repleta de amor à arte Uma jornada incansável pela poesia brasileira e seus desafios

M

aria R. Gonçalves, a Tia Maria, nasceu no sul de Minas Gerais, em São José dos Toledos, próximo a Pouso Alegre.A veia artística já a acompanha desde o berço. Ildefonso Nascimento, o pai, era pianista e apresentava-se com o nome artístico de Ilderay e a mãe, Rosa P. Nascimento, era cantora. Talvez por isto, sua estréia na rádio tenha acontecido prematura e naturalmente quando contava apenas 10 anos de idade, em um programa chamado “Trapézios Voadores”. Desde então, 73 anos se passaram e não parou mais, animada pela paixão, o rádio, e alguns anos mais tarde, pelo teatro. Em 1947 ingressou na Cia. de Teatro Nino Nello, viajou pelo país, escrevendo e atuando no teatro, sen-

do de sua autoria as peças infantis Um Sonho de Natal e A Revolta das Frutas e Verduras. Organizava recitais de arte e poesia, com temas apurados, que contemplavam todos os gêneros de sucesso daquele período. Com o apoio de grandes empresas, fazia excursões literárias, e a renda dos shows destinava-se em benefício de crianças carentes e na construção de teatros, como foi o Teatro de São Francisco do Sul. Nos shows apresentavam-se músicas regionalista, caipira e clássica, e um dos programas apresentados no Instituto Jean Piaget de Curitiba, trouxe poesias como: A Filha do Saltimbanco de Guerra Junqueiro, A Frô do Maracujá de Fagundes Varella, Duas Almas de Alceu Wamosi, a Orgulhosa de Benedito Castro Alves, tendo

como fundo musical a Sinfonia Inacabada de Levindo Lambert. Tia Maria quando fala dessa época tem um brilho no olhar, que só os grandes artistas conseguem compreender, ao relembrar uma vida repleta de amor e dedicação à arte. Lembra-se sobremaneira, da festa de aniversário de Santa Cruz do Sul, cidade gaúcha, onde conheceu Milton Gonçalves, o Paraguaio, jogador de futebol do Grêmio de Porto Alegre, e posteriormente do Madureira, Fluminense e América. Ambos eram as estrelas da festa, e entre uma e outra homenagem trocaram as primeiras palavras. Depois a vida se encarregou de tudo, casaram-se, vieram os filhos (Marcia Rosa, Marisa Fabiane, Mara Aparecida, Milton Paulo), os netos (Eduardo,Tiago, José

Maria R. Gonçalves, a Tia Maria

Guilherme, Roberta e Antony Kenet) e as bisnetas (Eduarda e Lana Rosa). Incansável, continuou por alguns anos com os recitais, mas as necessidades dos filhos que cresciam, o marido com a saúde debilitada, fizeram-na dedicar-se mais amiúde ao rádio e a escrever

para revistas e outras publicações, entre elas a Revista Panorama de Curitiba, a revista Realeza onde permaneceu 10 anos como colunista social, a revista Griffes e a Sinal Verde de São Paulo. Na atividade de radialista passou pelas rádios Camboriú e Natureza. No ano de 2008, após uma queda, viu-se

forçada a deixar a atividade. Despediu-se das artes cênicas, em uma última apresentação, com a presença de amigos e do público que sempre a apreciou. Nesta ocasião, solicitou ao prefeito de Balneário Camboriú, Rubens Spernau, a construção de um teatro municipal. Com alegria nos diz que o teatro está sendo construído e que a avenida que o abriga terá como nome Avenida da Cultura. Ao longo da vida a Tia Maria colecionou prêmios, sucessos e grandes vitórias. Entre seus troféus merecem destaque o Troféu Imprensa e o do III Jogos Florais de Balneário Camboriú em 2008, deixando a impressão forte de uma vida laboriosa, cheia de vitórias e um grande exemplo para as novas gerações.

Êxito no encontro esportivo para idosos

O

1º Encontro Esportivo do SESC para Idosos realizou-se em maio em Jaraguá do Sul. Participaram 180 atletas vindos de diversas cidades do estado: Brusque, Jaraguá do Sul, Itajaí e Balneário Camboriú. Os organizadores do evento e responsáveis pelo seu su-

cesso foram Marlise Klemann, Fernando Ramos e Rafael Ramos. As modalidades esportivas disputadas foram: canastra, dominó, voleibol adaptado e natação. Resultados: Canastra - 1º Grupo Hedwig Bruns, 2º Grupo José Marangoni, 3º Grupo Zélia Hafemann

e 4º Grupo Balneário Camboriú; Dominó 1ºGrupo Hedwig Bruns, 2º Grupo Nossa Senhora Aparecida, 3º Grupo Itajaí e 4º Grupo Afonso Piazera; Vôlei adaptado - 1º ACEMI Balneário Camboriú com a equipe Alegria de Viver, 2º Equipe Tigres-BC, 3º Equipe Leões-BC e 4º lugar Equipe de Itajaí;

Natação - 200m livre masculino - 1º André Boutique e 2º Francisco Coelho Filho - ACEMI, 100m livre - feminino - 1º Cecília do Nascimento Jaraguá do Sul e 2º Zeli Muniz Lippert ACEMI - BC, 50m livre feminino - 1º Zeli Muniz Lippert ACEMI-BC e 2º Hercilia Votri; 50m livre - masculino - 1º

Sênior Jornal da 3ª Idade

Sênior - Jornal da Terceira Idade - Ano 1 - Número 3 - Santa Catarina - Junho de 2009

Saúde Municipal prioriza 3ª idade Casal de Ciclistas faz excursões para manter a forma

Página 6

Ser idoso e ser velho. Entrevista com o prof. José Ricardo

Página 9

Lei Municipal ampara o esporte de idosos

A 3ª Idade tem lugar de destaque no programa de ação da Secretaria Municipal de Saúde. O expressivo número de idosos em Balneário Camboriú leva o poder público a dedicar mais atenção a esse segmento populacional. Na visão do secretário municipal de saúde, o trabalho mais importante para assistência ao idoso é a prevenção. O município vai investir nessa idéia. Para tanto, está reaparelhando várias unidades de saúde com espaços reservados à clientela de idosos.

Estimular e incrementar a prática de esporte e de exercícios físicos adequados ao idoso também faz parte da programação. O secretário de saúde aborda em sua entrevista vários aspectos da área da saúde de Balneário Camboriú, desde a necessidade de restauração das 17 unidades de saúde atingidas pelas enchentes, ao problema da vacinação coletiva, da distribuição de medicamentos e o relacionamento da sua pasta com as autoridades federais Dr. José Roberto Spósito, Secretário Municipal da Saúde de saúde em Brasília. de Balneário Camboriú deu ênfase ao atendimento à 3ª Leia na página 3 idade nas metas de sua administração

Atenção farmacêutica a portadores de diabetes

Página 7

Terenne Foz Cunha e 2º José Conrado Ramos. Balneário Camboriú destacou-se pela delegação que levou e pelo desempenho dos atletas. Em todo o encontro sem dúvida alguma o destaque foi Zeli Lippert pois além de excelente nadadora, joga vôlei e é maestrina do coral da ACEMI.

Parabenizamos em especial Francisco Coelho Filho pois ele é o precursor do vôlei adaptado em Balneário Camboriú. O próximo encontro do SESC está programado para Chapecó em novembro de 2009 segundo informações dos responsáveis pelo evento.

Constipação: você sofre desse mal? - Artigo de Cíntia Comelli

Página 13

Culinária: Conheça a Pasta ao molho do Duque

Página 15

Tia Maria, uma legenda da cultura Página 16

O diabetes é uma das grandes preocupações da 3ª Idade. A incidência dessa doença em pessoas idosas é muito acentuada, levando a classe médica a fazer constantes adDr. Luiz Carlos, criador do Diabetic Center vertências para o cui-

dado que se deve ter para manter o mal sob controle. A Farmais de Balneário Camboriú celebrou um convênio com o Diabetic Center, de São Paulo, para a instalação, nas depen-

dências de sua unidade central, do Serviço Diabetic Center. O portador da doença conta um um espaço destinado exclusivamente aos diabéticos. Leia na página 10

A água nossa de todos os dias A água é um elemento indispensável para manter a vida. Setenta por cento do corpo humano é composto de líquido. Este fato já demonstra a importância da água para a vida das pessoas.

Segundo a tradição da sabedoria popular, um adulto necessita de dois litros de água por dia para manter o estado de equilíbrio do corpo. Efetivamente, nutrólogo afirmam que o corpo de um adulto

consome em 24 horas cerca de dois litros de água em funções como digestão, respiração, transformação dos nutrientes em energia e também por meio do suor e da urina. O que foi consumido precisa

ser reposto. Essa é a tese. Os especialistas, porém, avisam que não convém generalizar, pois cada indivíduo deve beber a quantidade adequada para o seu caso e o seu estilo de vida. Leia na página 4


Sênior - Jornal da Terceira Idade

2

Natureza e 3ª Idade Ao longo da história da humanidade sempre tivemos, de época em época, um marco sociológico que identifica aquele tempo. Nos dias presentes, dois fenômenos de alcance global manifestam-se de forma evidente: a ecologia e a terceira idade. Ninguém é contra a ecologia e ninguém despreza a população da 3ª idade. Pode haver discordância quanto ao que e quanto se deve fazer em prol da preservação da natureza. Da mesma forma que pode haver quem pense de maneira diversa em função de como proporcionar a 3ª idade tudo de bom que ela merece. Ninguém, porém, em qualquer parte do globo terrestre pode ser manifestamente contrário ao apoio à população formada por homens e mulheres experientes que, hoje, menos que ser velhos, são pessoas com acúmulo de juventude. É o mesmo enfoque dado à preservação da natureza que tem merecido

a preocupação das nações com vistas a que esta natureza que tem servido à humanidade não seja mais agredida ainda, justamente pelo homem que é, enfim, o grande beneficiário das suas potencialidades. A ecologia está na moda. A terceira idade também. Para o pessoal da 3ª idade a grande conquista é a conscientização de que atingir idade avançada é meu privilégio e não um desdouro. Isto posto, cabe às pessoas idosas encarar a vida com naturalidade e com vontade de viver. Há que reconhecer que a sociedade e os poderes públicos tem se mostrado sensíveis à realidade dos idosos. Claro que haverá cada vez mais eficiência na atenção à 3ª idade na medida que o tempo avança. Idosos do mundo todo, regozijai-vos porque dias ainda muito melhores virão!

Sênior - Jornal da 3ª Idade Diretores: Baltazar Prates (DRT/RS 1655) Ismail Ali El Assal Wellington José Sverzut Departamento Comercial Carlos Di Domenico Colaboram neste número: Dr. Ulisses Coelho, Prof. José Ricardo, Fernanda Teodoro, Flavy Ribeiro, Luis Silveira da Costa, Cíntia Milene Comelli, Larissa Guerra. • Nem todas as idéias aqui expostas representam o pensamento de Sênior. Expor idéias divergentes é a base do diálogo democrático. Portanto, se não assumirmos a responsabilidade pelas idéias, assumimos a total responsabilidade pela oportunidade que aqui damos à sua divulgação. Uma publicação de: Assal & Sverzut Ltda. Avenida do Estado, 1771 – sala 8 88331-150 Balneário Camboriú – SC CNPJ: 09.236.891/0001-54 www.camboriusenior.com.br(redacao@camboriusenior.com.br) FONE: + 55 47 3361-3522

Junho de 2009

Saúde

Adeus vista cansada! A cada dia, as lentes voltadas à correção da presbiopia ganham mais tecnologia; conheça as novidades do mercado. Antonio N. Ferraz Martinez - Ótico

F

oi-se a época em que existiam vovós como a Dona Benta do Sítio do Picapau Amarelo. Hoje as senhoras são bem mais modernas. O mesmo se pode dizer sobre a aparência dos vovôs atuais, que nada se assemelham à figura do Velho Gepeto, pai do Pinóquio. Os tempos mudaram, assim como a tecnologia e o design dos óculos projetados para pessoas com mais de 40 anos. Para essa faixa etária, as inovações que mais despertam interesse são aquelas voltadas à correção da chamada “vista cansada” - nome popular dado à presbiopia. A presbiopia é bastante comum após os 40 anos. Trata-se da perda de elasticidade do cristalino, que se torna incapaz de mudar de foco entre objetos de longe e de perto. O mercado de lentes tem acompanhado os avanços tecnológicos tanto para quem não consegue enxergar numa curta distância quanto para aqueles que possuem, além da vista cansada, um outro problema de visão, como miopia, astigmatismo e hipermetropia. Nesse último caso, ninguém precisa mais carregar dois óculos diferentes. Existem lentes desenvolvidas exatamente para fazer essas duas correções num mesmo óculos. E não pense você que estamos falando daquelas lentes que, para

acomodar a visão de perto e a de longe, possuem uma linha divisória bastante perceptível em sua superfície. Hoje, os fabricantes já disponibilizam as chamadas lentes progressivas, a melhor opção para quem quer corrigir dois problemas de visão num mesmo óculos. Ao contrário dos modelos antigos, na superfície das lentes progressivas não há nenhuma marca visível. Elas permitem que a pessoa enxergue tanto de perto quanto de longe, respeitando cada faixa do campo de visão da pessoa. A cada ano as lentes progressivas tornam-se cada vez mais adaptadas ao nosso diaa-dia. Estão mais leves, possuem tecnologia antireflexo, contra arranhões e impactos fortes. Algumas pessoas ainda se queixam por certa dificuldade na hora da adaptação com lentes progressivas. Mas os fabricantes explicam que tudo é uma questão tempo. A completa adaptação a um primeiro par de óculos demora, em média, menos de uma semana. Para esse tipo de lente, não é necessário comprar óculos enormes. Existem lentes que se adaptam a pequenas armações e também oferecem um excelente campo de visão. Portanto, escolha a que mais combine com seu estilo e lhe faça sentir bem.

Palavra do Leitor

Receba ilustre colega cumprimentos e parabéns pelo belo jornal, cujo número 2 acabo de ler. Meus votos de amplo sucesso. Hugo Cassel Tribuna Catarinense NR - Hugo Cassel, colunista e redator da Tribuna Catarinense, é um experimentado profissional de imprensa e as opiniões que expende são muito acatadas. As considerações elogiosas ao nosso jornal representam um galardão de alto significado.

.

A variedade de assuntos que o Sênior aborda é impressionante. Especialmente me agrada o estilo de redação, compreensível e simples, mesmo quando trata de temas complicados com o Alzheimer e outros do mesmo gênero. Maria Augusta Möeller Rick

.

Sugiro que o jornal faça uma reportagem junto às autoridades municipais de saúde para saber o que pensam sobre o pessoal da 3ª Idade. Os idosos precisam de assistência. Alfonso Koestermann

.

NR - Já fizemos uma entrevista com o secretário da saúde. Sai nesta edição. Notável sua iniciativa de editar esse jornal que é dirigido exatamente aos aos idosos que aqui residem em Balneário Camboriú. Muito bom o trabalho, meus parabéns. Roberto G. Laesker

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Junho de 2009

Prosa & Verso Quadrinhas populares Fiz um jardim de saudades Com uma casinha no centro. Pintei-a de amor por fora Deixei a velhice dentro. . Se soubessem os maus o que é ideal, O bem que a gente sente em fazer o bem Não haveria no mundo mais ninguém Que mesmo sendo mau fizesse o mal. . Felicidade, palavra grande Mas pequena na realidade Antes tivesse uma letra só E fosse sempre felicidade

Minha mãe me case logo, Não me deixe envelhecer, Que eu não sou planta de cana, Que cortam e tornam crescer. . Todos os homens são uns diabos, Não há mulher que o negue Mas todas elas querem Um diabo que as carregue! . Mandei fazer um relógio Da casca de caranguejo Para marcar os minutos Das horas que não te vejo

Culinária

Pasta ao molho do Duque

A

nossa receita desta edição não é de um profissional da gastronomia, mas de um exitoso jovem empresário e gourmet assumido. Wellington José Sverzut, descendente de nobre linhagem da região de Udine na Itália, foi buscar na área geográfica de sua origem familiar a inspiração e a fórmula de como elaborar um prato que, embora singular, único, mantém os traços marcantes da tradição peninsular. O macarrão, como se sabe, vem de longe, no tempo e no espaço. Diz a tradição que sua origem é chinesa, tendo cabido ao legendário Marco Pólo o privilégio de têlo introduzido na Europa, através da Itália em pleno período glorioso da Renascença. Mas o que é o macarrão? Que paladar tem? Ora, o macarrão é neutro em termos de gosto. O que lhe dá sabor, o que lhe empresta alma são os molhos. Portanto, os macarrões são o que são os seus molhos. Eis a razão da excelência desta receita. Portanto aproveite-a e a guarde como quem esconde o mapa de um tesouro ou como o avarento que guarda escondidas as suas moedas de ouro. Aliás, não há dinheiro nem ouro, para quem preza uma boa mesa, que pague o preço de uma boa receita. Vamos à Pasta ao molho do Duque!

Ingredientes

Macarrão: 500 gr Macarrão tipo espaguéte

15

Tradição Amor de china Jaime Caetano Braun Na invernada do meu peito Campo grande abandonado, Havia um bagual alçado Que aportaram redomão, De caborteiro e gavião Extraviou-se da manada Até cair na volteada Nos bretes do coração. Limpo de marca e de lombo, Salvo algum risco de guampa, Nem com sinuelo de pampa Se botava na mangueira; Refugador de porteira, Ia parar, num segundo, Na invernadinha do fundo De cola alçada em bandeira! Xô-égua, quem conheceu, Hoje vendo diz que é outro! Perdeu aquele ar de potro Que tinha, em potrilho de ano, Já não é aquele Aragão, Caborteiro e sentador, Arisco e caminhador Que nem cusco de cigano. Quem havia de dizer Que um bicho tão caborteiro, Que nunca levou baixeiro, Nem do cuera mais pavena (Se com mango ou com chilena Nunca foi acomodado) Hoje vive flanqueado Nos braços de uma morena!

Wellington José Sverzut, criador da receita

Molho do macarrão: 500 gr Carne moída 1 un Cebola Grande picada 3 un Tomates vermelhos cortados em pedaços não muito pequenos 1 lata Molho de Tomate Pronto (não pode ser peneirado) 1 colher Margarina ou manteiga Tempero pronto Completo Tempero para Carnes Grill

Como se faz Molho do macarrão: Numa panela coloque a margarina e espere derreter. Doure a cebola e adicione a carne. Junte uma colher de chá de tempero pronto. Acrescente o tempero para Carnes Grill a vontade. Frite tudo até a carne ficar no ponto. Coloque o molho de to

mate pronto em lata e adicione um terço da lata de água. Deixe cozinhar em fogo baixo. Quando o molho ficar encorpado coloque o tomate picado. Mexa bem para misturar tudo. Assim que o tomate começar a dissolver desligue o fogo. Macarrão: Prepare o macarrão como de costume. Usando uma panela com água fervente e um fio de azeite, acrescente o macarrão e deixe cozinhar até chegar ao ponto. Após escorrer a água, escolha um bom recipiente, disponha a massa e adicione o molho. Sirva em seguida, não esquecendo do queijo ralado. Depois, é só esperar dos seus convidados os elogios.

Pois no laço de uma china, Dessas que raro se encontra, Delgada e pêlo de lontra, O potro caiu, que diacho! E amanunciado de baixo, Sem maneador e nem nada, Já na primeira encilhada Saiu mais manso que um guacho! Até parece mentira Que passando a mão na espalda, Um China tire a balda Dum potro tão cusquilhoso, Consiga ajeitar o toso Emparelhando uma franja, Só c’uma flor de laranja E um sorriso carinhoso! Mas - Santo Deus! - é verdade Aquele potro gavião Que parou no mais a mão Para uma China de luxo, Já não estranha carona E hoje é do andar da sai dona Que manda neste gaúcho!


14

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Junho de 2009

Concurso de Contos & Crônicas

T

alvez seja tão simples, tolo e natural que nem observamos se é bom ou ruim, mas estamos modificando. Há um brilho em tudo e existem coisas que ainda não conhecemos, corremos atrás de ilusões e entre os fragmentos da realidade do agora, vagamos dentro da própria paciência da terceira idade. Entre os corredores sem fim de luzes cintilantes, passamos as horas num ritmo lento na praia dos idosos. Nos deboches de bocas desdentadas e nas críticas de línguas caladas, distraídos entre a multidão caminhamos com os olhos atentos aos detalhes. Por instantes esquecemos as sensações e vivemos o restante da vida apagados na entrega do normal. Entre os acontecimentos desinteressantes vivemos as horas agora desocupadas e solitárias dentro da inexplicável sensação da realidade presente e como sapatos que nunca foram calçados, poucos lugares temos para ir. - Vou ao shopping me distrair! Neste mundo de alegrias, vozes

apressadas, risos frouxos e inocentes, luzes e frenéticas compras, observam tudo com carinho. Uma voz feminina diz: - Compre, é bonito. Na ausência da extravagância vou distraindo-me neste mágico passeio, observando os jogos, os estratagemas, os golpes, o maneirismo e as atitudes de cada um. Sinto o coração bater como no tempo de um natal infantil e como uma criança fico à vontade. Distraio-me olhando as vitrines, ouvindo as conversas ou as intolerantes reclamações do atendimento. Flagradas em sorrisos, crianças com narizes colados na vitrine alimentam seus sonhos. Mães apressadas nas compras, pais sem a dita paciência e muitos jovens como robôs reclamam para serem atendidos. São cativantes os aromas que se desprendem das mais variadas lojas, junto ao agradável cheiro que exala dos restaurantes. Como sou uma aposentada, nem tudo posso comprar. Vou andando lentamente para o banco mais próximo, para descansar deste momento de dis-

trações de que é feito o meu dia, contemplo as brincadeiras, escuto as zoeiras e muitos pensamentos felizes cruzam minha mente. Vivi nestes últimos anos uma doce situação de amor em que numa cega paixão deixei-me levar. Fazemos do nosso príncipe o homem perfeito, no entanto ele é só um simples humano. Mas é gostoso mergulhar nesta mágica ilusão em que tudo é absolutamente perfeito. O céu tem mais encanto, as estrelas brilham para mim e o tempo é o meu cúmplice na trajetória da ilusão. As distâncias muitas vezes significam minha liberdade e meu tormento. Voltamos a ser bailarinos, pois vivemos saltitantes dentro de um sonho, deixamos a realidade do mundo correr paralela. Esquecemos nossa idade e limitações, somos crianças, novamente estamos amando. É prazeroso andar de mãos dadas, tomar sorvete e dançar de rosto colado: os doces mistérios da vida voltam a nos encantar. Construímos castelos na areia, no ar, nos sonhos... Ficamos mais belas, nem notamos uma nova ruguinha es-

Entrevista

3

Secretário da Saúde: assistência preventiva

Envelhecer Flavy Ribeiro*

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Junho de 2009

condida, sorrimos: estamos amando. Descobrimos afinidades nos filmes de amor, choramos emocionados com os dramas, as saudades, sabemos, nas histórias contadas por aí, que o amor é milagroso, ele manda embora o medo, a solidão, a inibição deixa de existir e vivemos sem cobranças, onde a natureza se mostra bela e silenciosa e nos entregamos por inteiro a este voar maravilhoso. Pisamos nas nuvens como se jovem fôssemos e rimos muito de nossas próprias tolices, adoramos músicas de amor como se fossem nossas. O

corpo vibra novamente, nada nos incomoda, nos sentimos bonitas e felizes. Assim vão se transcorrendo novos dias nos quais continuamos dormitando dentro de um sonho. Num belo dia, entre o colorido amanhecer e um entardecer chuvoso, eu acordei! Estranho, olhei em volta e estava novamente sozinha. Levantei-me e em lentos passos fui andando até chegar na vitrine de brinquedos. Fiquei com os olhos cheios de lágrimas, até que uma leve brisa despertou-me. Minha reali-

dade é o que sou, minha vida é bela, tenho lindas recordações e no encanto das cintilantes luzes, encaminhei-me para a saída, feliz nos meus sessenta e cinco anos...

.

*Flavy Ribeiro é paranaense de Curitiba, dotada de profunda sensibilidade artística. Além da prosa e do verso, ela se notabilizou por suas criações como artista plástica. Trabalhos de sua autoria foram publicados em coletâneas, tendo participado em concursos literários.

Regulamento

• Veja como participar do concurso de contos O “Concurso Permanente de Con- 3. Acompanhando os originais deverão ser informados o nome do tos” do Sênior tem por objetivo dar autor, o pseudônimo (facultatiaos leitores a oportunidade da publicação de trabalhos literários que, vo) e endereço. Ou pelo e-mail redacao@camboriusenior.com.br. muitas vezes já escritos, permanecem inéditos. De outra parte, queremos com isto despertar e estimular a 4. Os trabalhos serão analisados pela editoria literária que os criatividade de nosso público. julgará a seu exclusivo critério, escolhendo o melhor conto. A - Assim, quem desejar participar do obra vencedora será publicada nosso concurso deverá seguir o sena edição do mês seguinte. guinte roteiro: 1. Tema: O tema é livre, ficando 5. Os autores ficam cientes que ao participar do Concurso concorinteiramente a critério do partidam em autorizar a publicação cipante. do conto. 2. Os trabalhos não podem ultrapassar a 4 laudas em espaço 2, corpo 12.

A mais importante assistência ao idoso é a prevenção. O município vai investir nessa ideia

A

3ª Idade tem lugar de destaque no programa de ação da Secretaria Municipal de Saúde. O expressivo número de idosos em Balneário Camboriú leva o poder público a dedicar mais atenção a esse segmento populacional. Na visão do secretário municipal de saúde, o trabalho mais importante para assistência ao idoso é a prevenção. O município vai investir nessa idéia. Para tanto, está reaparelhando várias unidades de saúde com espaços reservados à clientela de idosos. Estimular e incrementar a prática de esporte e de exercícios físicos adequados ao idoso também faz parte da programação. O secretário de saúde aborda em sua entrevista vários aspectos da área da saúde de Balneário Camboriú, desde a necessidade de

restauração das 17 unidades de saúde atingidas pelas enchentes, ao problema da vacinação coletiva, da distribuição de medicamentos e o relacionamento da sua pasta com as autoridades federais de saúde em Brasília. O Secretário Municipal de Saúde manifestou seu ponto de vista com relação à saúde pública, dizendo que para se conseguir sucesso é indispensável que haja uma parceria com a coletividade. Esta é a razão de se estar valorizando o Conselho Municipal de Saúde para que ele seja mais efetivo e atuante na sua ação coadjutora e fiscalizadora da ação governamental. Também as associações civis que congregam setores da sociedade contam e continuarão contando cada vez mais com o apoio da Secretaria de Saúde.

Edital de Convocação O (A) PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO BAIRRO ESTALEIRO no uso de suas atribuições conforme os Artigos 30 e 31 do Estatuto da Associação dos Moradores do Bairro Estaleiro CONVOCA, todos os moradores do Bairro, que tem interesse em participar do processo eleitoral da Diretoria Executiva e Conselho Fiscal para a realização das eleições marcadas para o dia 12 de julho de 2009, segundo domingo do mês, que realizar-se-á das 08h00 às 16h00 horas na Escola Municipal Estaleiro situada à Rua V.D. Fonce, s/nº para eleger a

A presidência do Conselho Municipal de Saúde conta com um gabinete nas dependências da própria Secretaria. A Associação de Diabéticos e Hipertensos de Balneário Camboriú, bem como as “Reuniões de Vida” passaram a contar com efetivo apoio da Secretaria, inclusive com a cessão, em regime de comodato, de equipamentos para as suas reuniões e promoções de esclarecimentos. Outro problema que está preocupando as autoridades locais de saúde é o aumento do número de idosos a usar drogas como maconha, a cocaína e o craque. Especialmente o uso do craque, menos difícil de encontrar e com preços menores, está grassando a população da 3a Idade. O combate a essa prática não é fácil. O melhor meio é a edu-

Diretoria Executiva e Conselho Fiscal da Associação dos Moradores do Bairro Estaleiro pelo período de dois anos. Poderão ser inscritas chapas até o dia 11 de junho de 2009, no endereço do presidente da Comissão Eleitoral, apresentando-se os nomes dos 12 integrantes que a comporão, sendo: Presidente e Vice-presidente, 1º e 2º Secretários, 1º e 2º Tesoureiros (a), três Membros Efetivos e três Membros Suplentes para o Conselho Fiscal.

Documentos necessários para ser candidato

Certidão negativa de antecedentes criminais do fórum de Balneário Camboriú - SC, comprovar que reside no

O Dr. José Roberto Spósito, titular da Secretaria Municipal da Saúde, é um homem de ação, entusiasmado com o que faz. Ao que tudo indica, a 3a Idade terá na sua gestão um grande aliado. Ele sabe que a grande presença de idosos em Balneário Camboriú se deve muito ao bom nível de vida da população que, quase toda oriunda de outros lugares, optou por morar aqui. cação e a informação. O uso dessa idosos é devastador. A Secretaria droga, todos sabem, é Urge mostrar ao idoso pretende desenvolver nociva à saúde de qual- e seus familiares o tacampanhas intensivas quer usuário. Os efeitos manho dos danos que a nesse sentido. perniciosos à saúde dos droga provoca. bairro por no mínimo um ano; ser brasileiro ou naturalizado, ser maior de idade. Poderão votar todos os moradores e proprietários de imóveis com mais de 16 anos de idade apresentando os seguintes documentos: Os proprietários de imóveis desde que comprovem a propriedade do imóvel acompanhado de documento com foto (carteira de identidade e carteira de trabalho). Comprovante de residência (contas de água, luz ou telefone e demais faturas de cobrança que demonstrem a residência); contrato de locação; carteirinha de associado da Associação de Moradores acompanhados de documentos com foto (carteira de identidade e carteira de trabalho).

Observações: É vedado votar por procuração. Não havendo chapa concorrente, a chapa inscrita será declarada eleita e tomará posse na semana seguinte conforme o Artigo 25º Parágrafo 1º do Estatuto. Balneário Camboriú 11 de maio de 2009 Júlio S. da Cunha Presidente


4

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Saúde

Junho de 2009

A água nossa de todo o dia

A

água é um elemento indispensável para manter a vida. Setenta por cento do corpo hu-

mano é composto de líquido. Este fato já demonstra a importância da água para a vida das pessoas. Segundo a tradição da sabedoria popular, um adulto necessita de dois litros de água por dia para manter o estado de equilíbrio do

corpo. Efetivamente, nutrólogo afirmam que o corpo de um adulto consome em 24 horas cerca de dois litros de

água em funções como digestão, respiração, transformação dos nutrientes em energia e também por meio do suor e da urina. O que foi consumido precisa ser reposto. Essa é a tese. Os especialistas, porém, avisam que não convém

generalizar, pois cada indivíduo deve beber a quantidade adequada para o seu caso e o seu estilo de vida. Afinal o metabolismo, a estrutura corpórea, o tipo de exercício físico e até o clima são variáveis e precisam ser levados em conta para aferir a quantidade de água a ser ingerida a cada dia. Há uma grande diferença entre o gasto de água de quem vive andando na rua e o de uma pessoa que trabalha sentada. Como é claro que nem todo o mundo se dá o trabalho de uma consulta para calcular o

gasto diário de líquido, os médicos utilizam por segurança, a porção de 1 a 2 litros como parâmetro. Deve-se levar em conta para aferir a quantidade de água a ser ingerida, que muitos alimentos contém água. A melancia, por exemplo, tem 90% de pura água. Quem tem uma dieta balanceada e não faz exercício pode cortar a recomendação de 1 ou 2 litros pela metade. O corpo dispõe de um mecanismo natural, a sede, que evita a desidratação. Ela que deve regular o volume a ser ingerido por um indivíduo em condições normais. Os nutricionistas, porém, advertem: não devemos esperar que o corpo dispare o sinal de alarme. É bom abastecer de água o corpo antes que a sede se manifeste. A

cor da urina também é um bom indicador: se ela estiver bem clarinha, a hidratação está em dia. Uma coisa é certa: água de menos faz mal. Quando a desidratação é leve, a evacuação fica mais difícil e o volume de urina diminui. Num segundo momento a pele, os cabelos e os olhos ficam ressecados. O próximo sinal de que o corpo pede água é o aumento do cansaço e a sonolência, a diminuição do poder de concentração, indicando também uma queda no fluxo de oxigênio. Se é verdade que a falta de líquido pode prejudicar o organismo, também é certo que o excesso também não é nada bom. Água demais pode sobrecarregar o sistema urinário. O indivíduo acaba tendo que por a sobra

para fora e a urina leva embora uma quantidade muito grande de sais minerais, vitaminas do complexo “B” e sódio. O problema é determinar quando é que se está ultrapassando demais o seu limite. “Se bebeu, encha a cara ... de água”. É a mais pura verdade essa história de que o precioso líquido diminui a ressaca. No dia seguinte ao porre, o corpo, principalmente o fígado e os rins, fica intoxicado com o excesso de álcool. Daí vem aquele mal estar, acompanhado de um gosto ruim na boca e a sensação de que a cabeça vai explodir. Quando tomamos muita água os rins são obrigados a filtrar o grande fluxo de líquido e isso dilui o álcool que está concentrado, diminuindo os sintomas desagradáveis.

Atendimento geriátrico na casa do paciente

Enfermagem especializada para assistir em domicílio pacientes que exigem cuidados especiais

O

acompanhamento do paciente idoso por profissional habilitado na área de enfermagem é fundamental para o êxito do tratamento. Esse tipo de assistência vem sendo recomendado cada vez mais pelos médicos geriátricos. A propósito, a enfermeira Daniela Costamilan destacou a importância do tratamento domiciliar ministrado por profissionais de enfermagem. Os familiares do paciente, por melhor boa vontade que tenham, Enfermeira Daniela Costamilan, especialista em atendimento domiciliar

não apresentam a eficiência que o tratamento profissional proporciona. Além de ter a segurança de uma boa assistência ao paciente, o atendimento domiciliar reintegra o doente ao seu núcleo familiar, propiciando um cuidado humanizado e integral. Doenças degenerativas e crônicas de múltiplas afecções exigem um tratamento desta categoria. Outro aspecto que a enfermeira Daniela Costamilan destacou é o fato de liberar os familiares da atenção contínua que tratamento exige. Esses cuidados domiciliares podem ser compreendidos como a

instalação de um mini hospital domiciliar, onde os pacientes recebem os cuidados especializados de um profissional de saúde no seu dia a dia. Assim, o idoso tem os cuidados médicos em sua casa, junto de seus familiares. O atendimento geriátrico domiciliar engloba cuidados pessoais (higiene, alimentação, locomoção), acompanhamento em visitas a médicos, massagem terapêutica, curativos, acompanhamento a passeios e outras locomoções.

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Junho de 2009

Nutrição

13

Constipação: você sofre deste mal? Saiba como a alimentação pode ajudar na prevenção e tratamento deste sintoma

A

Cíntia Milene Comelli*

constipação, também conhecida popularmente como intestino preso, ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, não é uma doença, mas sim um sintoma. Ou seja, um sinal de que algo no organismo não está em equilíbrio. A constipação caracteriza-se quando há uma ou mais das seguintes manifestações: dificuldade ou dor para evacuar, fezes ressecadas e frequência de evacuação menor que três vezes na semana. As causas que levam um indivíduo a ficar constipado são muitas, podem ser doenças cerebrais, medicamentos, câncer, quimioterapia, falta de atividade física, uso excessivo de laxantes, hipotireoidismo, ansiedade, ignorar a vontade de ir ao banheiro e por fim umas das principais causas nos dias de hoje: ingestão de líquidos/ água insuficiente e dieta pobre em fibras. Além de causar

grande desconforto, estar constipado pode prejudicar a saúde. O organismo forma as fezes e as elimina com objetivo de deixar o corpo limpo e livre de toxinas, substâncias que representam um

“lixo” do que comemos e que não necessitamos. Se as fezes não são eliminadas o corpo passa a reabsorver essas toxinas que podem deixar a pessoa mal humorada, favorecer o aumento do

tegral, arroz integral, trigo integral; Inclua diariamente na sua alimentação farelo de trigo, aveia, gérmen de trigo, semente de linhaça. Utilize pelo menos uma a duas colheres de sopa ao dia destes

ou cozidas no vapor, pois pelo processo de cozimento em água grande parte das fibras, vitaminas e minerais são perdidos; Consuma regularmente iogurte natural (branco) e leite fermentado, pois aju-

mentos “prendem” o intestino com mais facilidade, então se você já está constipado é bom evitar: amido de milho ou maisena, maçã sem casca, batata inglesa, biscoito de água e sal ou cream cracker,

funcionamento; Realizar ati vidade física é indispensável, pois aumenta a circulação sanguínea que por sua vez estimula os movimentos do intestino. Para pessoas que estão com constipação duas receitas podem ajudar muito no tratamento. Confira: Deixar 3 unidades de ameixas secas de molho em um pouco de água de um dia para o outro e comer as ameixas e beber a água em jejum; Bater no liquidificador ½ copo de suco de laranja natural, 1 fatia de mamão, 2 ameixas secas sem caroço, 1 colher sopa de farelo de trigo e 1 colher de sopa de creme de leite (opcional) e beber em seguida. Lembre-se que ter o intestino funcionando normalmente é essencial para a saúde e bem estar de todo o corpo!

.

.

.

.

A alimentação adequada proporciona regularidade nas funções intestinais.

peso, causar inflamações no intestino e até mesmo câncer. Por esses motivos é de grande importância evitar a constipação ou se ela já existe tratá-la. A alimentação diária é fundamental na prevenção e cura da constipação. Saiba que alimentos e como consumilos irão ajudar você: Aumentar a ingestão de pães, cereais, farinhas de grãos integrais como: pão de centeio, pão integral, pão de aveia, macarrão in-

.

cereais nos sucos, nas vitaminas, misturados nas refeições, no iogurte ou com frutas. As frutas são grandes fontes de fibras por isso consuma de três a quatro por dia e sempre que possível com a casca e bagaço. Lembre-se que as principais frutas que estimulam a evacuação são: abacate, abacaxi, mamão, manga, figo, laranja. Consuma pelo

dam a manter nossa flora intestinal saudável (conjunto de bactérias do “bem” que auxiliam na fabricação das fezes); Pelo menos quatro vezes por semana prepare leguminosas como: feijão, lentilha, grão de bico pois são riquíssimos em fibras. Evite ao máximo alimentos industrializados bem como pães e cereais produzidos com trigo e açúmenos três porções car branco; de verduras ao dia, de preferência cruas Alguns ali-

.

.

.

.

.

.

cará, arroz branco, goiaba, fécula de batata, mucilon de arroz, caju e banana-prata. Manter uma alimentação adequada com os alimentos citados acima terá efeito na constipação quando aderimos a dois outros hábitos de igual importância: Beber no mí nimo dois litros de água pura por dia. Isso é necessário, pois a água junta-se as fibras da alimentação aumentando o bolo fecal e lubrifica o intestino facilitando o seu

.

.

.

Cíntia Milene Comelli estudante do ultimo semestre do Curso de Nutrição da UNIVALI, atualmente estagiária de nutrição da Empresa Braskarne-Cargill de Itajaí.

Email:

cintiacomelli@univali.br


12

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Geral Novo presidente do COMUS Notas da AMEI

O

Conselho Municipal de Saúde de Balneário Camboriú tem novo presidente. Foi eleito para o cargo o conselheiro Ivo Buzzarello. Prestigioso líder comunitário, o novo presidente do COMUS

notabilizou-se por seu empenho em prol das causas superiores da população. O Secretário Municipal da Saúde, dr. José Roberto Spósito, ao dar posse ao novo presidente do SAMUS, evidenciou as múltiplas

qualidades do novo dirigente salientando a sua formação acadêmica, graduado em várias disciplinas. A vocação de liderança e o seu espírito de soliedariedade também foram destacados pelo Secretário.

Ivo Buzarello novo presidente do Conselho Municipal de Saúde - COMUS

sos estão o ensino de algumas línguas, aulas de ginástica, vários tiA E K W O N - pos de dança, trabaDO é uma arte lhos manuais e outros. marcial core- O idoso hoje, ana surgida há cerca na AMEI, além de amide dois mil anos. Atu- gos encontra, alegria, almente é um espor- saúde e dedicação. te difundido em boa Palestra parte do mundo. Um de reflexão grupo de mestres coreanos conseguiu uni- A pedido de um ficar as diversas es- grupo de participantes colas, sob forma do da AMEI, iniciou-se que hoje é conheci- uma palestra de reda como taekwondo. flexão sobre a vida. Na AMEI tam- Ela acontece toda terbém está sendo difundi- ça-feira das 9h00 às da esta arte marcial em 9h30, há mais de dois que um grupo de idosos anos. O conteúdo das

Cursos na AMEI

T

participa, com acompanhamento de um professor faixa preta. A AMEI também mantém diversos outros cursos, ministrados por professores competentes que dedicam uma parte do seu trabalho aos idosos. Entre os cur-

Junho de 2009

palestras gira em torno da forma de se ver a vida. É apresentado um conceito de vida onde cada um passa a assumir a responsabilidade por tudo o que lhe acontece. As palestras são ministradas pela voluntária Elvira M. Martins, autora do livro “Eu Criador da Minha Realidade”. Ela é quiropraxista e massoterapeuta. Na AMEI, além das palestras ela faz Quick Massage. AMEI está localizada na Rua 500, 371 B.Camboriú - SC

Direito

Herança

Reflita por que a herança pode representar um direito que beneficia, ou um transtorno que desune famílias ma casa, um automóvel, do motivações ainda menos nobres, ou seja, por falta de informação. Vejamos alguns fatores de economias diversas, enfim, como, por exemplo, a ganância. Por certo, muitas deman- influência nas brigas por herança: bens e direitos em geral, embora não diminuam a dor surgida das (processos) não consensuais • Privilégios ou adiantacom a perda de um familiar ou ente (não amigáveis) se justificam, es- mentos de herança em benefício de querido, podem atender a vontade de pecialmente quando se tratam de alguns herdeiros em detrimento ou quem partiu, possibilitando conforto questões complexas, de difíceis re- prejuízo de outros, sem haver o devie segurança àqueles que ficaram. soluções aos leigos (não profissio- do registro para futura compensação; A herança abrange tudo o nais ou experientes), necessitando • Falta de planejamento – que alguém recebe de outra pessoa de assessoramento jurídico (Pare- Sendo a morte um evento indesepor ocasião de sua morte, em vir- cer de Advogado) ou interferência jável, inesperado ou imprevisível tude de sucessão (suceder alguém do Poder Judiciário (Juiz de Direi- prefere-se não pensar no assunto; - substituição / herdeiro - transmis- to) e Ministério Público (Promotor • Ausência de testamento são do patrimônio) - ou legado (re- de Justiça), para as definições de dispondo acerca da partilha (dilativo a testamento – por exemplo). partilha, que nada mais é do que a visão) de bens, em especial nos O lamentável é que o direi- distribuição dos bens da herança. casos de bens com característiCumpre lembrar que a to de herança nem sempre se tra- cas e valores diferentes, gerando duz exclusivamente, em amparo, participação do Ministério Púdúvida e polêmica para as avaliacomo auxílio aos herdeiros e le- blico ocorre em condições esções e equivalentes distribuições; gatários. Em alguns casos, torna- peciais de acordo com a lei. • Existência de bens exO correto, quando se bus- se também fonte de discórdias e clusivos – com valor ou significaprejuízos por vezes irremediáveis. cam razões para os desentendi As causas dos desentendi- mentos, é identificar os fatores de do afetivo, objetos únicos de inmentos familiares, decorrentes de origem das brigas, não as pessoas teresse para mais de um herdeiro; • Conflitos ou rixas familiaherança são diversas, podendo ini- tidas como responsáveis, até mes- res pré-existentes, ou surgidas após ciar por picuinhas mínimas, passan- mo porque, em muitos casos, os do pela falta de bom senso, refletin- problemas decorrem de enganos, o falecimento do autor da herança;

U

• Surgimento de herdei ros não conhecidos, frutos de relações extraconjugais ou anteriores; • Sentimentos como orgulho, vaidades ou teimosias também interferem. “Prevenir para não remediar.” O ditado é antigo, porém, pouco lembrado. A partir da próxima edição, o leitor poderá obter maiores informações e dicas sobre herança, testamentos e inventários. Muitas famílias rompem e romperam elos brigando por herança. Este fato, já é por si só suficiente para que todos procurem estar informados a respeito. Autor: Luís Silveira da Costa – advogado Os leitores que desejarem tirar alguma dúvida com relação ao tema deste artigo podem fazer suas consultas por meio do email: redacao@camboriusenior.com.br.

Junho de 2009

Olhares Mar de histórias

Sênior - Jornal da Terceira Idade

5

Fernanda Teodoro

U

ma das imagens clássicas do verão de Balneário conhecida pelos moradores e até mesmo pelos turistas, é a do vendedor ambulante caminhando pelas areias escaldantes da praia com seu isopor em mãos gritando aos quatro ventos: - cerveza, coca e água! Sim, parece que é a tal da globalização. Neste caso a única palavra destoante de nosso idioma é a cerveza, mas o que o amigo vendedor quis dizer, é que ele deseja ser compreendido também pelos hermanos argentinos, fãs de carteirinha do nosso litoral. Hoje grande parte da população não faz idéia de como era viver numa cidade onde o sol reinava o dia todo estendendo seu brilho da praia até os jardins das casas, servindo de alimento para os pés de pitanga e goiabeira como aqueles da casa de dona Genny, uma das primeiras guias de turismo formadas em Balneário Camboriú, isso há quase vinte anos.

Quando Dona Genny, bem, ocupar seu tempo povos de cada região professora de educa- com algo que ameni- que visito, não queria ção física e seu marido zasse o vazio deixado ter um intérprete, foi joalheiro se aposenta- pela perda do amado. assim que aprendi a faram, decidiram sair de Foi quando viu um lar espanhol, italiano e Porto Alegre em busca anúncio em uma loja francês. de uma cidade tranqüila para viver. Começaram a aventura pelo nordeste, passaram por diversas cidades como a encantadora Guarapari, até conhecer Balneário, foi amor a primeira vista. Aqui, juntamente com suas três fiA vista para a praia alegra os dias de Dona lhas, fizeram grandes amigos. Todos os domin- sobre realização de um Essa elegante gos, a turma formada curso na Univali, de senhora de vestido azul, por dez casais se reunia guia de turismo local. toda vaidosa com suas na casa de um ou de ou- Não pensou duas vezes. pulseiras e colar escotro para fazer churrasco, Tomou tanto gosto pela lhidos especialmente conversar, confrater- profissão que fez curso para a ocasião, gosta nizar, coisas de cidade para guia regional, in- muito de falar sobre os pequena como ela mes- ternacional, e aprendeu lugares que conheceu ma afirma, construindo a falar três idiomas. por esse mundo afora. a partir daí laços pro- - Eu sou uma Espalhados pelo seu fundos de amizade. guia que adora expli- apartamento estão pe Depois do fale- car para as pessoas um dacinhos de cada lugar cimento de seu marido, pouco da história, dos que visitou como as peDona Genny achou por hábitos e costumes dos dras vulcânicas de Pu-

con do Chile, as belas pedras de mica de Córdoba e as impressionantes rosas do deserto da Tunísia. Mesmo com toda essa facilidade em comunicar-se, teve um episódio de sua vida profissional que ficou marcado como o dia em que a guia calou. Certa ocasião, Genny um grupo de turistas religiosos a contratou para levá-los até Blumenau. Como sempre preparou com antecedência o roteiro, mas o primeiro pedido do grupo foi conhecer um sacolão para fazer compras. Ali compraram batatas, cebolas, verduras e frutas. Antes mesmo de deixar a cidade, o ônibus teve que passar por uma faxina in-

terna, tamanha a sujeira e cheiros das leguminosas. Ao seguir viagem, sempre quando Donna Genny tentava explicar o itinerário, o grupo começava a cantar, e assim foi até chegar em Blumenau. Quando finalmente conseguiu num intervalo musical falar sobre onde iriam almoçar, eles já tinham decidido de antemão seu destino: comer o lanche que trouxeram nas bolsas. - O grupo foi seu próprio guia, por que será que me chamaram¿, Diverte-se. Antes de terminar nosso encontro, Dona Genny sugere roteiros para conhecer as belezas da região que ficam bem próximos de Balneário Camboriú, como a Baía da Babitonga em São Francisco, as águas termais de Gravatal pertinho de Florianópolis, ou a suntuosidade da Serra do rio do rastro. Nos despedimos na sacada de seu apartamento com a bela vista da ilha das cabras ao fundo, e o sol, reinando absoluto.

Comportamento

A solidariedade pelo grupo

O

ser humano tem um instinto gregário, isto é, vive em grupos denominados grupos de permanência. Desde tempos pré-históricos o homem procurava seus semelhantes para se proteger e se ajudar. Certamente naquela época já tinham descoberto que a união faz a força. Com a evolução da humanidade o homem foi se fixando em grupos de permanência nos quais ele tem uma convivência fraterna com objetivos comuns. Vejamos alguns grupos assim caracterizados: A Família - é o grupo que inicia para a criança o sentido de bem viver com a proteção dos pais e familiares. É importante que este ambiente seja tranqüilo e acolhedor, pois é o princípio da formação social. A Religião - é o grupo que se

forma com o objetivo de estabelecer princípios de reconhecimento a um ser superior, nos ensinar também fraternidade, humildade e nos prepara para aceitar a transitoriedade da vida terrena. Valores espirituais do ser devem superar valores materiais do ter. A Escola - a criança que recebe seus primeiros ensinamentos na família é encaminhada ao grupo religioso de seus pais. A seguir, vai para escola em torno dos seus seis anos e passa a conviver diariamente com outras crianças e professores. Vai formando sua personalidade e adquirindo conhecimentos amplos sobre a vida e a saúde. Aprende a ler, escrever, cantar, contar e descobre que existem outras terras, países, raças e credos. Vai consolidando amizades, inicia a pensar sobre profissão e passa

Dr. Ulisses Coelho - médico

por testes até provar que atingiu conhecimentos suficientes para se tornar habilitada, como adulto, a exercer uma atividade labor ativa. O Trabalho - colegas de mesma profissão numa mesma empresa ou firma se auxiliam com objetivos comuns e muitas vezes formam-se amizades de mútuo reconhecimento. Nas profissões liberais há uma tendência para o trabalho, em equipe. Se o dia tem 24 horas, pelo menos oito são dedicadas ao trabalho e à convivência social que ele determina, formam-se as associações, as sociedades, os sindicatos etc. O Clubes Sociais - a vida tem aspectos múltiplos: tristes, alegres, de intensa emoção, e em todos temos a necessidade de repartir e compartilhar evitando a solidão. Se o trabalho excessivo leva ao cansaço e ao stress é preciso que

aconteçam momentos de descanso e descontração. É o que denominamos lazer, e para lazer em sociedade formamse clubes sociais que são muitas vezes o prolongamento dos lares aonde o bem estar físico, mental e social é o objetivo principal. Os Grupos de Auto-ajuda - são grupos de pessoas com uma enfermidade crônica que convivem e se ajudam a administrar suas limitações. Aprendem que todos nós de uma forma ou outra também as temos, e que, assim é possível viver melhor. CONCLUSÃO - viver em grupo, ser solidário procurando destacar as virtudes de nossos semelhantes, fortalecendo amizades tornará a nós todos mais humanos, fraternos e felizes.


6

Aventura

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Junho de 2009

Ciclismo de aventura como exercício físico Balneário Camboriú a Florianópolis ida e volta: 162 km pedalando em 11 horas e 20 minutos

O

empresário do comércio Lincoln Pereira (48 anos) e sua mulher, Danny (41) são adeptos da prática do exercício físico para manter o equilíbrio corporal e beneficiar a saúde. Embora seja um hábito prazeroso, eles levam muito a sério esse comportamento. Muita gente que gostaria de dedicar-se a exercícios físicos com regularidade alega, com sinceridade, que não tem tempo para isso. Pois Lincoln e Danny (ambos trabalham no seu comércio de jóias e objetos de prata) também são muito ocupados, mas sempre descobrem uma brecha entre as 24 horas do dia para praticar esporte. Ele são ciclistas e não é raro a gente cruzar com o casal, à noite, pedalando pela cidade. Eles entendem que o ciclismo é um exercício físico praticamente completo, exigindo esforço de todas as partes do corpo. São eles o que se poderia chamar de “fissurados” pelo ciclismo. Além das pedaladas pelas ruas de Balneário Camboriú, eles se aventuram em excursões mais ousadas. Fazem desafios a si mesmos. Foi assim que resolveram empreender uma pedalada de longo curso, indo de Balneário Camboriú

a Florianópolis, percorrendo (ida e volta) 162 quilômetros. Tudo começou há três anos, conta Lincoln que prossegue: - Começamos fazendo excursões num raio de 20 quilômetros no entorno da cidade. No início de 2008 estabelecemos, como meta, co-

memorar o 1º de Maio daquele ano com uma pedalada até Campo Grande que fica depois de Bombinhas. Essa é uma área geográfica com muitos obstáculos. O programado foi realizado sem acidente algum, estabelecemos a meta para este ano: Balneário Camboriú-Florianópolis,

Danny e Lincoln resolveram fazer do ciclismo a sua rotina de exercício para manter o equilíbrio corporal e qualidade de vida

ida e volta. A missão foi cumprida em 11 horas e 20 minutos, com três paradas: 2 para tirar fotos e uma para trocar um pneu que furou. Durante o percurso, a alimentação do casal de atletas foi: banana (inspirada no tenista Guga), barras de cereais, água e repositor de sais minerais. Lincoln e Danny acham que a prática do ciclismo é um exercício praticamente completo. Movimenta o corpo inteiro. Além disso é um processo de elevação do astral e, ao mesmo tempo, de higiene mental ativado através do contato com a natureza. Uma decorrência paralela de se andar de bicicleta: une o casal! Praticar exercícios físicos é algo indispensável para quem quer vida saudável e retardar o envelhecimento. Lincoln e Danny são um grande exemplo para os que acham que não tem tempo para os exercícios físicos. Como eles dizem: - É só querer e ter força de vontade!

Junho de 2009

Literatura

Sênior - Jornal da Terceira Idade

“Leite derramado”

“Quando eu sair daqui, vamos casar na fazenda da minha feliz infância, lá na raiz da serra.”* LARISSA GUERRA

E

m junho, ele completa 65. Entra oficialmente para a terceira idade. Chico Buarque não é mais aquele mocinho de antigamente, que cantava nos festivais, desafiava a ditadura com versos e sambas e bossas inesquecíveis. Um dia ele resolveu escrever livros também. E foi aí que surgiu primeiro a novela “Fazenda modelo” e posteriormente os romances “Estorvo”, “Benjamim” e “Budapeste”. Dou destaque para os dois últimos, se você quer conhecer o Chico escritor, comece por aí. Escritor um tanto mais experiente, Chico lança pela editora Companhia das Letras seu quinto livro: “Leite derramado“. Com uma tiragem surpreendente para padrões brasileiros – a primeira edição é de 60.000 exemplares – o livro encabeça listas de mais vendidos país afora. “Leite derramado” é sobre a vida, ou também sobre a morte de um senhor já centenário, um fidalgo brasileiro de família que veio junto com Dom João para o Rio. Uma genealogia de filhos únicos, que levaram o nome Eulálio adiante por gerações até chegar a este Eulálio Montenegro D’Assumpção.

Casa com uma mulata “filha errada” de um político influente, frequenta cabarés parisienses com o pai na adolescência e está lá num leito de hospital público desfiando sua vida entre delírios e o que é real para quem quiser ouvir. A decadência é nítida, mas mesmo morando num barraco de favela com a filha Eulália, ele acredita ainda nos mesmos preceitos morais da sua juventude: neles imperam o preconceito, o ciúme doentio pela esposa Matilde, o machismo e o ar de nobreza típica dos grandes sobrenomes. Gosto da agilidade dos textos de Chico, porque sinto a impressão de que o livro conversa comigo. Li este Leite derramado com a mesma rapidez de “Budapeste” e “Benjamim“. Sou fã, e assumo minha falta de neutralidade para dizer o quanto gosto dos seus livros. Se Chico é gênio com música, é igualmente na literatura. * Primeira frase do livro. Leite derramado Autor: Chico Buarque Editora: Companhia das Letras Preço: R$ 36,00

11

Ser Idoso e Ser Velho

JOSÉ RICARDO*

I

doso é quem tem muita idade; velho é quem perdeu a jovialidade. A idade causa a degenerescência das células; a velhice, a degenerescência do espírito. Você é idoso quando se pergunta se vale a pena; você é velho quando, sem pensar, responde que não. Você é idoso quando sonha; você é velho quando apenas dorme. Você é idoso quando ainda aprende; você é velho quando já nem ensina. Você é idoso quando se exercita; você é velho quando apenas descansa. Você é idoso quando ainda sente amor; você é velho quando só sente ciúmes. Você é idoso quando o dia de hoje é o primeiro do resto de sua vida; você é velho quando todos os dias parecem o último da longa jornada. Você é idoso quando seu calendário tem amanhãs; você é velho quando ele só tem ontens. O idoso se renova a cada dia que começa, o velho se acaba a cada noite que termina, pois enquanto o idoso tem seus olhos postos no horizonte, de onde o sol desponta e ilumina a esperança, o velho tem sua miopia voltada para as sombras do passado. O idoso tem planos, o velho tem saudades. O idoso curte o que lhe resta da vida, o velho sofre o que o aproxima da morte. O idoso leva uma vida ativa, plena de projetos e prenhe de esperança. Para ele, o tempo passa rápido, mas a velhice nunca chega. Para o velho suas horas se arrastam destituídas de sentido. As rugas do idoso são bonitas porque foram marcadas pelo sorriso; as rugas do velho são feias porque foram vincadas pela amargura. Em suma, idoso, viva uma longa vida, mas nunca fique velho. * O autor é jornalista e escritor, com nove livros publicados.


10

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Serviço

Junho de 2009

Atenção farmacêutica a portadores de diabetes Farmais instala o Diabetic Center para atender o público portador da doença

O

diabetes é uma das grandes preocupações da 3ª Idade. A incidência dessa doença em pessoas idosas é muito acentuada, levando a classe médica a fazer constantes advertências para o cuidado que se deve ter para manter o mal sob controle. A Farmais de Balneário Camboriú celebrou um convênio com o Diabetic Center, de São Paulo, para a instalação, nas dependências de sua unidade central, do Serviço Diabetic Center. O portador da doença conta um um espaço destinado exclusivamente aos diabéticos. Ali encontram medicamentos, insulinas, monitores de glicemia, alimentos dietéticos e toda a assistência farmacêutica necessária. A equipe do Diabetic Center está qualificada para prestar o melhor atendimento aos clientes, dirimindo dúvidas sobre alimentação saudável, prática de atividade física, cuidado com os pés, além de orientar a forma correta do uso da insulina, sua

aplicação tanto em caneta como em seringas, bem como a escolha e o manuseio do monitor de insulina. Esse melhoramento não só valoriza a tradição de empenho dos dirigentes da Farmais no atendimento ao seu público, como assinala uma conquista para a coletividade de Balneário Camboriú. A inauguração do Diabetic Center foi festiva. Os proprietários da Farmais, unidade Central, farmacêuticos João Padilha e Jaqueline Padilha e o criador do Serviço Diabetic Center, biólogo Luiz Carlos Henrique, ofereceram no recinto da Unidade da Farmais um café da manhã para convidados, representantes da comunidade médica e autoridades da área de saúde. A Associação dos Diabéticos e Hipertensos de Balneário Camboriú com seu presidente Artur Bernardes se fez presente ao evento acompanhado de integrantes de sua diretoria. Os médicos Ulisses Coelho e Jaime Buba que tem se

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Junho de 2009

Serviço

Uma grande vantagem para a 3ª idade dizado. As aulas são ministradas por profissionais altamente qualificados para esse mister. O prof. Sandro Luís Marques, diretor da MicroWay em Balneário Camboriú, diz que os idosos adoram as aulas por lhes proporcionar uma espécie de liberdade tecnológica. Ali o idoso, na compaO Prof. Sandro Luis Marques, diretor da MicroWay em Balneário Camboriú nhia de senhores e seMicroWay está sição os equipamentos nhoras da sua mesma abrindo ao pú- necessários para o apren- faixa etária familiarizase com o MS blico da 3a IdaWi n d o w s , de a sua escola MW conhecendo Melhor Idade. Ou seja, e gerencianum estabelecimento do o sisteaberto e dedicado às ma operapessoas idosas. A idade cional do mínima para participar computador. do curso é de 55 anos. Oalu Ali os frequentano aprendores terão à sua dispo-

A A direção da farmácia FARMAIS (unidade central), vendo-se, da esquerda para a direita, a sra. e sr. Narciso Assis, José Possato, biólogo Luiz Carlos Henrique, criador do Diabetic Center, farmacêutica Valéria Perin Schafrath, Baltazar Antônio Prates, vicepresidente da Associação de Diabéticos e Hipertensos de Balneário Camboriú, Artur Bernardes, presidente da ADEHBAC e o médico Dr. Jaime Buba.

destacado no trabalho educativo e preventivo do diabetes, também prestigiaram o acontecimento e, na oportunidade, manifestaram o seu regozijo pela importante melhoria que a implantação do serviço representa. Ainda no âmbito das comemorações pela implantação do Diabetic Center, o prof.

Biólogo Luiz Carlos Henrique, criador do Diabetic Center, e a farmacêutica Jaqueline Padilha, proprietária da Farmais, durante o evento.

Luiz Carlos Hemrique pronunciou palestra, à noite, no auditório do Hotel Sibara. A confe-

rência foi dirigida não só a profissionais de saúde, como ao público interessado e muita

gente da 3ª Idade, que se mostra atenta à expansão da enfermidade.

Lei para esporte da 3ª Idade

O

poder legislativo de Balneário Camboriú, aprovou o projeto de lei que estabeleceu a criação do Programa de Esporte na 3ª Idade. O autor do projeto, vereador João Miguel, o Tatá, esta providência legislativa vem para regulamentar e proporcionar melhores condições para a prática esportiva da população com mais idade. - Minha preocupação é que não há ambulâncias nestes locais em que eles praticam esportes, nem mesmo um profissional à disposição em todos os horários, uma vez que cada grupo pratica em

um determinado horário e local. Lutarei, agora, para que haja a permanência de ambulância durante todo o tempo do uso das quadras de esporte. Subsídio para academias que ofere-

çam vagas na prática de hidroginástica, por exemplo, será objeto também da nossa atenção, assim como o transporte gratuito para as competições esportivas de idosos.

Vereador João, o Tatá

de como criar pastas e organizar seu computador. Na Internet ele cria e envia emails. Aprende a navegar em sites e fazer downloads. No MS Word pode editar e processar textos. Aprende a criar tabelas e cartazes. Na digitação aprenderá agilidade, postura e a forma correta de digitação. Na MicroWay a sua idade é o seu desconto. Ou seja, se a pessoa tem 65 anos, o desconto concedido é 65 por cento.

7


8

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Medicina

Junho de 2009

Mal de Alzheimer apaga a memória Pesquisas que retirar da velhice a imagem de decadência mental

M

ais de 20 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de Alzheimer, doença que apaga a mente do portador desse mal. Em todo o cérebro normal, os neurônios são como luzes numa casa iluminando os aposentos e os corredores entre os quartos. O Alzheimer age como alguém desligando todas essas lâmpadas, levando aos poucos, à completa escuridão. E não há nada que se possa fazer para frear a doença. Após o diagnóstico, os pacientes podem viver anos (em média de oito a quatorze) e morrem geralmente devido a complicações associadas ao mal, como uma pneumonia ou outra infecção. Esse quadro deve mudar nos próximo anos, segundo acreditam neurologistas do Hospital geral de Massachusetts, o centro de formação de alunos de medicina da Universi-

dade de Harvard. Ali um grupo de cientistas está testando uma vacina para combater as placas beta-amilóides no cérebro, uma das proteínas responsáveis pela morte dos neurônios do paciente e possivelmente a causa da doença. Para que a vacina pudesse ser testada em animais, os pesquisadores usaram ratos transgênicos, animais programados geneticamente para desenvolver

a doença. Os primeiros resultados da vacina foram surpreendentes: as cobaias não apenas deixaram de desenvolver a proteína vilã, como a vacina conseguiu limpar cerca de 70% das placas beta-amilóides existentes. Os dados sugerem que o mesmo pode ocorrer no cérebro humano, dizem os pesquisadores, que acreditam que estamos cada vez mais perto de encontrar um tratamento eficaz para bloquear

a ação do Alzheimer no cérebro. Será possível prever as chances que cada pessoa tem de desenvolver a doença no futuro? Para responder a essa pergunta os pesquisadores foram à caça de prováveis genes que acionariam essas alterações químicas no cérebro. Em 1992, um estudo mostrou que 65% dos pacientes de Alzheimer tinham uma variação genética comum, a presença de um gene conhecido como APOE 4 no cromossomo 19. Como essa variação não garante com precisão que a pessoa venha a desenvolver a doença, o exame somente é recomendado como uma espécie de confirmação do diagnóstico, em pacientes que já apresentam sinais da moléstia. Sabe-se também que a hereditariedade é um fator decisivo em casos mais raros da doença, quando ela inicia antes de o paciente completar 50 anos, o

Alzheimer precoce. Enquanto a ciência não consegue uma terapia genética e novos medicamentos não chegam, os pacientes tem de se contentar com as poucas drogas disponíveis no mercado. Elas não impedem a evolução da doença. Atuam nos sintomas, preservando as funções cerebrais que ainda não foram atacadas. A cada 9 pacientes que tomam a medicação, três apresentam melhora significativa da memória e da atenção, outros três tem uma melhora discreta e o último terço não tem melhora perceptível. Além desses medicamentos, o resultado de uma pesquisa com 678 freiras americanas, sugere que uma das formas de prevenção do mal é manter em alta a vida intelectual. Após analisar em arquivos antigas redações dessas religiosas, escritas quando elas haviam acabado de ingressar no convento, o pesquisador da Universidade Kennedy teve uma surpresa: as autoras das melhores redações eram também as menos afetadas pelos sintomas de Alzheimer. Também concluiu que as freiras que cultivaram emoções positivas durante a vida e se tornaram resistentes a problemas de memória e de comportamento. Resta saber se isto não prova apenas que elas tinham uma mente saudável desde jovens, enquanto as mais suscetíveis ao Alzheimer já apresentavam sinais precoces que iriam desenvolver a doença no

Certo dia você acorda e não reconhece a mulher deitada ao seu lado na cama. Recebe abraços carinhosos de estranhos que lhe chamam de pai e nem imagina de onde eles tiraram essa idéia maluca. É incapaz de lembrar passagens marcantes da sua vida - até mesmo que um dia você foi presidente dos Estados Unidos. Essa história é real: Ronald Reagan, o ex-presidente dos Estados Unidos, não se lembra de que foi presidente. Em 1994, ele admitiu publicamente que sofria de Alzheimer, doença que ataca de forma gradativa as células do cérebro, causando perda de memória, confusão mental e mudança de comportamento, até extirpar qualquer vestígio de vida intelectual. No limite, o Alzheimer compromete a habilidade do indivíduo para andar, falar e engolir alimentos. futuro, ou em um estado mental favorável é fundamental para a saúde. Uma das maiores contribuições da pesquisa sobre o Alzheimer é retirar da velhice a imagem de decadência intelectual. Ou seja: não existem velhos gagás. Apenas pessoas doentes que em breve poderão curar-s, voltando a exercer todas as suas faculades.

Junho de 2009

Personalidade

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Vida longa sem nunca envelhecer Para José Ricardo ser velho e ser idoso são coisas diferentes

Prof. José Ricardo, que tem vários livros publicados, é autor de obras sobre a 3ª Idade

O

professor José Ricardo é um homem de cultura eclética. Sabe sobre tudo e sobre tudo profundamente. Ele é um jornalista que exerceu formalmente a profissão aqui e no exterior. Durante largos anos trabalhou na BBC de Londres, a mais prestigiosa e conhecida emissora

de rádio do planeta. Com total domínio do idioma inglês, com sua pronúncia britânica impecável, trabalhou como locutor e redator daquela emissora. No seu posto de trabalho vivenciou e testemunhou praticamente todos os grandes acontecimentos da história da humanidade da segunda

metade do século vinte. Do robusto acervo literário do prof. José Ricardo, que inclui obras sobre comportamento humano, filosofia, pedagogia e literatura, destaca-se um pequeno texto conhecido, hoje, quase universalmente. Trata-se de uma grande síntese, em que

o autor estabelece de forma sublime a diferença entre ser velho e ser idoso. Esse texto vai publicado na íntegra em outro local desta página. O prof. José Ricardo que escreveu o livro “Aprenda a curtir os seus anos dourados”, aprendeu a separar o ter do ser, desfrutando as pequenas grandes coisas da vida, em detrimento dos espalhafatosos eventos que tanto envaidecem as pessoas. Ele escreveu e sabe que “Anos dourados são Anos Sonhados”... Aos 84 anos, ao lado de sua mulher (e penso que sua musa inspiradora) vive com a alegria de adolescente e o entusiasmo de homem jovem que tem a capacidade de sonhar e de realizar. * O autor é jornalista e escritor, autor dos livros Aprenda a Curtir seus Anos Dourados, Anos Dourados e Anos Sonhados e O Dia de Cada Um todos pela Editora Vozes.

Utilidade Pública

Mensagens de interesse do leitor Este é um espaço franqueado aos nossos leitores para publicação de pequenas mensagens. Para desfrutar deste espaço não há formalidade alguma. Basta mencionar o endereço e o nº do seu RG ou do seu CPF (A exigência não é nossa. É uma obrigação legal). Façam bom uso da nossa Utilidade Pública! Quer exibir o cão Sou leitora de seu jornal e gostaria de fazer uma sugestão e ao mesmo tempo um pedido. Tenho um cãozinho que é uma alegria para a minha vida. Gostaria tanto

de ver o retratinho dele Quer casar no jornal será possível Ilmos. Senhores do Jornal Sênior

publicar a carinha dele? Arminda Soberano Kreuz Quer vender Quero vender apartamento de 2 dormitórios, terraço de 25 m2 e churrasqueira, semi mobiliado pelo preço de R$ 250 mil. Telefone 47 3367-5077 Ione Tarma

Eu também pertenço à 3ª idade, tenho 67 anos de idade, moro com meu filho de 40 anos de idade, porém o mesmo tem deficiência mental, embora tenha 40 anos, tem uma mente de um rapaz de 10 a 12 anos. Sou divorciado, minha ex mulher foi embora há 36 anos, deixou o filho comigo com 4 anos de idade. Pois bem, tentei a sorte com outras mulheres, mas não deu certo, pois elas não aceitavam meu filho e ou-

tros problemas a mais. Porém acho que nunca é tarde para ser feliz. Se possível, gostaria que publicassem o seguinte: Gostaria de conhecer uma mullher de 50 a 60 anos de idade, sem filhos, viúva, solteira ou separada, que seja simples, pobre ou não. Não tenho preconceitos de raça, pode ser branca, preta, japonesa etc. Seria para futuro compromisso. Tenho 67 anos, sou divorciado pobre e simples. Escrevam-me. Jair Antossem Caixa Postal 1086 88330-972 Balneário Camboriú - SC

9

Edição no. 03  

Jornal Sênior

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you