Page 1

Verdade

Objectividade

Isenção

Director: Carlos Borges | Sexta-feira | 8 Maio 2009 | Ano 1 | N.º 4 | Preço: 1 Euro | Bissemanal (Terça e sexta) | www.desportotal.pt

Voleibol Página 23

União de Leiria três finais para atingir a subida Página 8

Grande Prémio de Atletismo da Barreira Páginas 13 e 21

Kitó Ferreira “Futsal é uma grande paixão” Páginas 16 e 17

Inês e Gizelle atletas da JUVE na Noruega Página 30


02

8 MAIO 2009

Houve quem julgasse a ideia um pouco utópica, quem visse nas nossas palavras e nos nossos propósitos mero acto de presunção que o tempo se encarregaria de ridicularizar. Como estavam enganados, como estávamos certos! Carlos Borges

EDITORIAL Quem, como nós, deseja sentir a satisfação dos leitores, nem repara nos espinhos que essa tarefa espalha na estrada que teremos de percorrer… Mas, no fundo, essa missão também nos permite encontrar gente como nós, crente no projecto e, mais do que isso, desejosa de participar nele e dele fazer patamar para a sua própria vida. Dissemos muitas vezes que DESPORTOTAL poderia funcionar como escola, quem aqui chegasse poderia tirar um "curso prático" que complementasse a possível bagagem teórica que, eventualmente, pudessem ter. Houve quem julgasse a ideia um pouco utópica, quem visse nas nossas palavras e nos nossos propósitos mero acto de presunção que o tempo se encarregaria de ridicularizar. Como estavam enganados, como estávamos certos! Hoje, a redacção de DESPORTOTAL é, de facto, uma escola onde todos sentem estar numa fase diferente da vida, aplicando a teoria às necessidades práticas, usando as novas tecnologias mas ficar preparado para agir quando estas falham… Para além da meta final de nos afirmarmos como um jornal de

referência, diferente, preocupado em dissecar as chamadas "modalidades pobres", já atingimos em cheio o objectivo que nos facilitará essa caminhada: fazer escola, possibilitar a quem gosta de jornalismo concretizar o seu sonho numa aprendizagem constante, valorizando-se e valorizando-nos. Somos assim e assim queremos continuar!

CARTAS AO DIRECTOR Poderíamos deixar de publicar as cartas que nos chegam, remetidas pelos nossos leitores. As palavras que nos dirigem são, na generalidade, incentivos à nossa missão, um ou outro reparo sem importância e, sempre, uma boa injecção de ânimo para continuarmos! Poderíamos mas… não o fazemos. Entendemos que quem se dirige ao nosso Director o faz consciente que a sua missiva vai ver a luz do dia e que as suas palavras nos mereceram muito mais do que a simples análise e arquivamento. Antecipadamente, obrigado a todos.

Ex.mº Senhor Director Colecciono os seus jornais e já deu para reparar que o número zero, normalmente aquele que é feito sobre brasas, foi ultrapassado em qualidade pelos números seguintes, com a particularidade de, tal como prometeu no seu editorial, continuar a primar pelas noticias e reportagens das modalidades. Ainda bem que assim é. Vivemos uma geração de gente que não adere grande coisa ao futebol e… responde positivamente às solicitações das outras modalidades. Uma aposta que irão ganhar, seguramente.

Ex.mº Senhor Director Venho acompanhando a evolução do jornal que dirige e, com muita satisfação, endereço-lhe os parabéns pelo trabalho já produzido até aqui. Na medida do possível - não nos esquecemos que só tem quatro semanas de vida… - tem dado muito espaço às modalidades, enaltecendo as figuras da nossa região. Felicito-o, também, por isso. O que me parece é que em termos de distribuição, ainda têm alguma dificuldade. É que procuro o jornal e nem sempre o encontro… (….)

Ex.mº Senhor Director Gostaria de lhe endereçar as minhas felicitações pelo trabalho que tem dado à estampa. Dificil - conheço muito bem esses processos porque, nos meus tempos de jovem, andei por esses caminhos, muito embora com as tecnologias possíveis na altura… - e complicado, mais a mais num momento de crise como o que vivemos. A publicidade - importante para sobreviver - está difícil nesta altura. Continue assim. Não desanime à primeira contrariedade. As colectividades pequenas precisam da sua "voz".

Carlos Manuel Jesus

Paulo António Mucelão

Cortes - Leiria

Leiria

Carlos Freitas Valado de Frades

Ex.mº Senhor Director (…..) Fomos colegas do futebol e nunca pensei vê-lo na cadeira de uma direcção de um jornal. Mas… está mesmo lá. E muito bem. Tenho apreciado as vossas páginas e, sem favor, tenho gostado bastante. Acho muito boa a ideia de dar maior destaque às modalidades e às equipas que não têm a projecção dos grandes. Seguramente que colherão os frutos mais tarde… Carlos Sineiro - Coimbra


8 MAIO 2009

LIGA SAGRES

03

Pronto: acabado e entregue o título nacional. O FC Porto, com todo o mérito, precisa de um pontinho apenas para embalar e selar uma campanha onde, de longe, foi a equipa mais regular e a que melhor futebol apresentou ao longo das 27 jornadas até hoje disputadas. E não será, obviamente, na recta final, que o cenário se modificará. Mas, neste antecipar da festa, muito contribuíram os "adversários da treta" que, ante tarefas mais ou menos de igual dificuldade, não conseguiram atingir os objectivos (o Sporting) antes, se afastaram ainda mais, (o Benfica). No fundo da tabela, a confusão do costume, apesar do Vitória de Setúbal ter arrecadado precioso triunfo ante o novel "europeu" Paços de Ferreira e do Rio Ave pontuar nos "mínimos" na recepção ao Braga. Agora, só os da cauda têm "missões de alto risco" para animar as jornadas que faltam. A ver vamos…

Ao correr da Pena Por Costa Santos

Passou-se mais um aniversário da morte de Joaquim Agostinho. Um triste aniversário. Porém, no constante recordar do que foi a curta vida do ciclista de Brejenjas, pode avaliar-se da força que conseguiu trazer ao ciclismo português e do valor que tinha como atleta. Na verdade, para além do seu coração de ouro, do seu carácter, Agostinho era um campeão em tudo: em força, em querer, em humildade. Os adversários respeitavamno e…quando esse respeito era posto em causa competitivamente falando…

Carlos Jorge Monteiro / Imagereporter

Entregue o “tetra” Por adversários da… treta…

BENFICA-TROFENSE - A "vingança" do massacre da Choupana pode ser determinante para um Trofense que apesar de todos os tónicos, ainda está naquela zona indesejável. Ninguém admite outro resultado senão a vitória encarnada - mal feito fora o contrário…- mas nem isso vai animar as hostes! FC PORTO - NACIONAL - A ironia do calendário depois de tudo o que aconteceu na jornada anterior. Agora, também com a entrada na Europa garantida e ganha a batalha da rivalidade insular, os pupilos de Manuel Machado

- o autor da proeza pagava a factura. Não hesitamos em trazer aqui um desses exemplos. Numa etapa da Volta a Portugal se a memória não falha no segundo ano de actividade de Joaquim Agostinho - que ligava Ansião à Figueira da Foz, com passagem pela Castanheira de Pera, alto da Serra da Lousã e Coimbra - ainda na subida para o prémio da montanha, Joaquim Agostinha precisou de parar para satisfazer as suas necessidades fisiológicas mas antes, lançou um aviso ao pelotão: "que ninguém, se atreva a levantar o rabo do selim!" Porém… Fernando Mendes, com a camisola do Benfica, não esteve pelos ajustes e mal Agostinho pôs o pé no chão, deu um esticão e o pelotão esticou-se mais e mais, em grande velocidade. Agostinho não se impressionou. Fez o que tinha que fazer, voltou à estrada, e em pedalada impressionante agarrou o pelotão, foi à cabeça deste e virando-se para Fernando Mendes, sentenciou: "hoje, por

só querem cumprir calendário. E como está tudo preparado para a festa no Dragão… quem vai ousar travá-la? SPORTING - VITÓRIA DE SETUBAL - A presença na Liga dos Campeões é a única meta leonina. Possível, mais do que possível - quase certa. Falta o quase. Faltam quatro pontos. Três deles podem ser conquistados já amanhã, para "desgraça" do Setúbal… BELENENSES - RIO AVE - As "chances" são cada vez menos e…não há alternativas: vencer tudo, tudo, tudo! Quando as coisas estão assim tão definidas, tão claras, nada mais há a dizer. O pior é que este "remédio" se aplica tanto aos "azuis" como aos "verdes" de Vila do Conde… E como só pode ganhar um… PAÇOS DE FERREIRA - MARITIMO - Com tudo definido, apenas os pacenses têm motivos para sonhar mais alto, uma vez que estarão no Jamor para o final da Taça de Portugal. Cumprir calendário, pois, e…evitar lesões que impeçam alguém de viver uma tarde de sonho…

tua causa, vai muita gente para casa!" Dito isto, "desapareceu"! Bem tentaram seguir-lhe a roda mas…impossível. Resumindo: quando o primeiro pelotão chegou à Figueira da Foz, Agostinho estava sentado na berma do passeio a "gozar" o espectáculo. Tinha cortado a meta mais de 15 minutos antes… E como a velocidade do pelotão aumentara, muita gente ficou para trás, entrando fora do controlo! Na verdade, naquele dia, mais de duas dezenas de ciclistas foram eliminados! O campeão era assim! • Vá lá saber-se porquê e qual a intenção do recado que Herminio Loureiro enviou pela boca do Delegado da Liga de Clubes ao jogo FreamundeOliveirense, ao desejar "felicidades aos intervenientes no jogo", sabendo-se, como toda a gente sabe, que o Presidente da Liga vive em…Oliveira de Azeméis! Sinceramente, é-nos difícil compreender certas atitudes de dirigentes responsáveis como Hermínio Loureiro. Não

LEIXÕES - ACADÉMICA - Outro encontro de gente tranquila, apesar dos estudantes terem na mira o possível assalto ao 8º lugar e, para isso, não poderão perder. A excelente época leixonense, contudo, pressagia dificuldades! NAVAL- ESTRELA DA AMADORA - Ou é agora que os da casa acabam com as incertezas ou tudo se complicará! Liberta dessas "dores de barriga" está a equipa do Estrela, numa época onde nada faltou para poder ser catastrófica! Mas a dignidade dos jogadores e o seu sentido profissional, não permitiram isso… GUIMARÃES - RIO AVE - O Guimarães só poderá defender o 8º lugar e no jogo desta noite, com essa meta em frente dos olhos, poderá complicar - e muito - a vida dos pupilos de Carlos Brito. Um duelo entre "homens do Norte"… BELENENSES - BRAGA - O fecho da Jornada, 2ª feira. Com todas as "cartas" já na mesa, Jaime Pacheco saberá muito bem o que é estritamente necessário para poder sorrir um pouquinho…

falamos - nem pensamos - em coisas menos correctas, mas…na situação conturbada que o Futebol português vive dos apitos dourados á jogadas das declarações das finanças feitas da maneira que se sabe… - mandar recados destes, por maior pureza que tenha a intenção, não é inteligente. Pior : é burrice! Jorge Regadas - técnico do Freamunde - não perdeu a oportunidade de salientar o despropósito das palavras mandadas dizer por Hermínio Loureiro. Com o tom corrosivo natural no seu estilo. Mas, desculpem, com toda a razão! • Já se sabia que a AG da Liga, convocada para iniciar as diligências que ponham termo ao triste cenário dos salários em atraso nas Ligas Profissionais - Sagres e Vitalis - não conduzia a nada. O coorperativismo dos clubes - ou não fosse a Liga, acima de tudo, uma entidade patronal… - vai querendo adiar sine die a tomada de posição. São muitos interesses envolvidos, interesses que estamos habituados a ver

vingar, independentemente da mossa que possam causar na imagem que passamos do nosso futebol. Sabe-se que há 4 clubes da Liga Sagres em "incumprimento grave" : Estrela da Amadora, Vitória de Setúbal, Leixões e Belenenses. Mas há mais, "escondidos" pela capa de melhores resultados desportivos; sabe-se que há jogadores em extremas dificuldades económicas, mas…o importante é dar uma imagem de que não se passa nada!; sabe-se que os ordenados destes jogadores foram avalizados por dirigentes que, agora, sacodem "a água do capote", como se costuma dizer. O mediatismo que já ganharam chega e sobra para alimentar a vaidade com que entraram. No entretanto, ninguém ousa assumir-se como líder de uma "revolução" necessária ao nosso futebol: solucionar o problema dos estrangeiros a mais e…diminuir o número de equipas nas Ligas Sagres e Vitalis. Essa coragem ninguém a tem…


04

8 MAIO 2009

LIGA SAGRES

FIGUEIRENSES PRECISAM DE VENCER O ESTRELA DA AMADORA NO PRÒXIMO DOMINGO

Naval confiante na permanência No próximo Domingo, na Figueira da Foz, pelas 16 horas, a Naval recebe o Estrela da Amadora num jogo que, em caso de vitória dos figueirenses, garante desde já a permanência na Liga Sagres. Já o poderia ter garantido mais cedo, mas uma derrota caseira frente a outro aflito rio Ave (0-1) e novo desaire na cidade berço (0-1) fizeram com que a equipa comandada por Ulisses Morais seja obrigada a vencer o Estrela para garantir a manutenção e atacar o 10.º lugar da tabela, lugar esse que ao ser atin-

gido, seria o recorde classificativo (13º em 05/ 06, 12º em 06/06 e 11º em 07/08). Com praticamente todo o plantel à sua disposição, Ulisses Morais pede concentração máxima aos seus jogadores que, por sua vez, vão dar tudo por tudo para conseguir atingir os objectivos prioritários do clube. Carlitos "Vamos conseguir vencer no Domingo" Carlitos, lateral direito da equipa figueirense, em declarações ao DESPORTOTAL, garante estar confiante na conquista da manutenção. "Estamos confiantes, bastanos apenas uma vitória

para conseguirmos o nosso principal objectivo que é a manutenção e com certeza iremos vencer o jogo do próximo Domingo". Em relação à hipótese da Naval conseguir o recorde classificativo, Carlitos não entra em euforias e enaltece que o

objectivo principal é a manutenção e é isso que os jogadores da Naval têm em mente. "Nós esperamos conseguir a manutenção o mais rápido possível e depois quanto melhor classificados ficarmos melhor para nós, mas em primeiro lugar queremos a manutenção", considerou. Pa u l ã o "Sempre acreditámos na manutenção" Paulão, o gigante da naval, capitão de equipa e patrão da defesa, garante que na cabeça dos jogadores não passa outro cenário se não a manutenção na primeira liga. "Sempre acreditámos na manutenção,

estamos a um pequeno passo e acho que no Domingo vamos conseguir a vitória da tranquilidade", assegurou. No que diz respeito há hipótese de atingir o melhor lugar de sempre na história do clube, o defesa central garantiu que os jogadores farão todos os possíveis para o conseguir. "Vamos lutar para conseguir o 10.º lugar mas faltam ainda jogar três jogos, vamos tentar pontuar o máximo possível, depois logo se verá a classificação final". Como patrão da defesa e capitão da equipa, Paulão tem um papel preponderante dentro do balneário e dentro do campo e muitas vezes

Helder Ferreira / Imagereporter

Bruno Fernandes

Helder Ferreira / Imagereporter

Somente uma vitória, apenas três pontos, separam a Naval 1º de Maio de garantir a permanência e, pela quinta época consecutiva, estar no patamar mais alto do futebol nacional.

tem de transmitir confiança aos seus colegas de equipa. Em relação à confiança extra que poderá passar aos seus colegas, "conversamos bastante entre nós, entramos em cada jogo para conseguir pontuar. Nos próximos jogos a mentalidade vai ser a mesma.”

No “Mar” em busca do 8.º lugar Empatar com o Sporting é bom em qualquer circunstância, mas apesar disso, a Académica não conseguiu segurar o 8.º lugar na última jornada, uma vez que o V. Guimarães venceu a Naval. Agora, os estudantes deslocam-se ao terreno do Leixões, em busca do lugar perdido. Com nove pontos em disputa, a Académica disputa taco-a-taco, com o V. Guimarães, o 8.º lugar na tabela classificativa. Agora, na visita ao Leixões, os "estudantes" pretendem recuperar o terreno (e o lugar) perdido e deixar tudo adiado para a última jornada, aquando da visita ao terreno dos vimaranenses. Para a partida deste domingo, Domingos Paciência já poderá contar com Orlando, que viu na bancada o jogo com os "leões" devido a castigo. Um regresso que deverá implicar a saída de Amoreirinha, uma vez que a dupla Orlando/Luiz Nunes tem sido a eleita do técnico desde a 1.ª jornada. De resto, a equipa não deverá sofrer mais alterações, prova da estabilidade que Domingos imprimiu à equipa e que os últimos resultados vieram comprovar: nas últimas sete jornadas, a Académica apenas perdeu uma vez

(diante do FC Porto) e roubou quatro pontos os outros dois "grandes" Benfica e Sporting. Processo de renovações em marcha Com a manutenção garantida, a Direcção da Académica inicia, agora, com outra dinâmica, os processos relativos às renovações com três titulares, cujos contratos terminam no final desta época: Pedro Costa, Peskovic e Lito. O processo de Nuno Piloto, recorde-se, foi aberto há mais tempo, mas as conversações entre os dirigentes e os empresários do médio não foram bem sucedidas. Menos dores de cabeça deve dar a continuidade de Pedro Costa, Peskovic e Lito, uma vez que já mostraram disponibilidade para continuar. Outro processo que ainda está longe de estar resolvido é o de Pedro Roma, carismático guarda-redes que esta época ainda não efectuou qualquer partida no campeonato. Situação que, por certo, não lhe agrada ver repetida na próxima época, o que não se afigura fácil se Peskovic renovar e… Domingos Paciência continuar à frente da equipa. Paulo Rodrigues


PUB.

8 MAIO 2009

05


06

8 MAIO 2009

LIGA VITALIS

QUEM DIRIA…

O mais difícil já “foi” “só” faltam três finais! João Matias / Imagereporter

"Se a chicotada psicológica que levou Manuel Fernandes a deixar os ares de Angola e rumar a Leiria, tivesse acontecido mais cedo, talvez a esta hora se estivesse já a festejar a tão desejada subida!". Esta - e outras frase, esta ideia, já passou, seguramente, pela cabeça de muitos dos prosélitos da União de Leiria. Mas… Costa Santos

João Matias / Imagereporter

Nada mais subjectivo, conclua-se. Sem duvida que os números da recuperação impressionante não mentem; sem dúvida, ainda, que a "alma" desta equipa é outra, bem diferente, bem mais aguerrida, atrevida mas…garantir que tudo se passaria tal e qual se Paulo Alves tivesse deixado Leiria duas ou três semanas antes, é , de todo, assentar o raciocínio em pressupostos errados. Para qualquer raciocínio que possamos fazer, assentamos num pressuposto único: a União de Leiria não perderá mais

pontos até ao final da Liga Vitalis. Assim sendo… A União de Leiria está a três finais de concretizar o sonho. Três finais e, claro, espreitando com alguma ansiedade o desfecho do jogo deste fim de semana

que opõe Olhanense ao Santa Clara. Curiosamente, o resultado que mais favorecia as cores leirienses seria a uma igualdade - o que lhe daria vantagem de 1 ponto, colocando-a como guia isolada - muito embora a vitória - de um

ou outro… - permitisse uma vantagem maior sobre aquele que…perdesse. E, neste caso, melhor seria que fosse o Olhanense o derrotado, já que em igualdade pontual a vantagem - um teórico ponto… - penderia para os homens do Lis.

longo período de ausência e...cumpriu na perfeição, num encontro carregadinho de pressão e com o “passaporte” à vista... Para esta complicada deslocação a Oliveira de Azemeis, não deverá surgir mais nenhum contratempo com o plantel. Cássio, que se treinou com limitações, deverá estar apto para ajudar os colegas a superar esta “primeira final” rumo à Liga Sagres...

QUATRO EM RISCO Mais cautelas estão à porta: neste momento há quatro atletas em risco de exclusão - 5º amarelo - para o encontro com o Feirense (dia 16) que são Luis Manuel, Luis Carlos, Wagnão e Pedro Cervantes, enquanto Tiago está a dois “amarelos” de nova suspensão. Nresta altura “do campeonato”, há que jogar com todas estas limitações para acautelar o que falta...

Mexidas no onze Talvez a contra-gosto, Manuel Fernandes é obrigado a mexer no onze, tudo por causa do castigo a Mamadou Tall, o homem que por norma ocupa o lugar no centro da defesa. Se Nelson, também por castigo, ficou de fora frente ao Olhanense - e está apto para regressar ao lado direito da defesa - e poderá ocupar o seu lugar, é natural que quem o substituiu - Bruno Miguel - possa derivar para o eixo de-

fensivo, a sua posição preferida, acrescente-se. Estas mexidas, sempre indesejáveis para um treinador que quer manter o mais possivel o seu onze base, acontecem amiude e não há que descrer. No fundo , como Manuel Fernandes tem dito, um plantel tem que estar preparado para todas estas eventualidades. E tanto isto é “normal” que Bruno Miguel reapereceu ante o Olhanense, depois de


FUTEBOL

8 MAIO 2009

07

Rui Vitoria garante

Sérgio Calro / Imagereporter

“Vamos jogar para ganhar” O Grupo Desportivo de Fátima, com tudo decidido em termos de apuramento, joga este Domingo um "derby" frente ao União da serra, no último jogo da fase de apuramento do Grupo C da II Divisão B. Rui Vitória pretende neste momento gerir o plantel para preparar os jogos do "playoff", dentro de 15 dias. Paulo Alexandre Teixeira Sem três jogadores disponíveis (o defesa Neto e os médios Marco Almeida e Heldon), o treinador do Fátima considera o jogo como difícil, devido ao valor do adversário que vai defrontar: "O União da Serra é um adversário difícil, pois está a fazer um excelente campeonato. Contudo, queremos dar continuidade à senda vitoriosa que estamos a ter, apesar de este Domingo irmos jogar um importante 'derby'", afirmou. Apesar de importância do jogo em si, Rui Vitória relati-

viza a carga que os outros pretendem dar: "A carga deste "derby" não é para aqui chamada. O que nos interessa realmente é gerir o plantel da melhor maneira possível para o jogo que se segue e preparar-nos para o "playoff". Vamos a Santa Catarina da Serra com o objectivo de vencer esta partida e acabar esta fase sem derrotas", concluiu.

Sérgio Calro / Imagereporter

União da Serra quer ganhar no “derby” A última jornada da fase de apuramento na II Divisão B, zona C calhou em calendário um "derby" entre o Grupo Desportivo de Fátima e o União da Serra, num jogo em que apesar de nada decidir, terá um sabor especial, devido ao facto de ser um jogo entre dois vizinhos e rivais.

O jogo, que se irá disputar na casa do União da Serra, vai ser um jogo para ganhar, pelo menos é isso que Ricardo Moura, o treinador do União, afirmou ao Desportotal: "Vamos entrar para ganhar. Em jogo ainda está o segundo lugar da classificação, que é o nosso grande objectivo neste momento. Queremos ficar no melhor lugar possível, pois esse é o nosso objectivo da época". O treinador da União da Serra deseja ter uma casa cheia para o jogo deste Domingo, pois não só seria sinal de

apoio dos adeptos locais à equipa, como também uma forma de recompensa aos jogadores, equipa técnica e direcção, pela boa época que efectuaram: "Espero ter casa cheia neste Domingo, pois este jogo vai ser o culminar de uma época, e no primeiro ano em que estamos na II Divisão B, termos alcançado objectivos para além daqueles que tínhamos delineado inicialmente, pois este é o primeiro anos que estamos nesta categoria", concluiu. P.A .T.


08

8 MAIO 2009

III DIVISÃO

VIGOR da Juventude

TOCHA

Tó Miranda: “Adversários já nos respeitam” O último lugar na fase de subida da série D da 3.ª divisão não ofusca a excelente campanha do Vigor na presente temporada. A convicção é do treinador Tó Miranda que relembra o objectivo primordial deste ano. “A nossa prioridade era a manutenção e das quatro equipas que subiram de divisão, fomos a primeira a garanti-la”, sublinha, dando conta que nesta fase da época, a equipa quer “dignificar o trabalho que foi desenvolvido até aqui”. P. R. Ainda assim, o jovem treinador reconhece que a equipa não tem estado tão bem nesta fase de subida, embora as derrotas tenham sido quase todas pela margem mínima. Facto de

valeu “o respeito dos adversários, que não nos olham como o bombo da festa”. Sobre a continuidade, ou não, à frente do clube de Fala, Tó Miranda remete o assunto para mais tarde. “Neste momento, o que mais me interessa são

os cinco jogos que ainda temos que disputar”, explica. Para a partida do próximo domingo, em Castelo Branco, o técnico não pode contar, por lesão, com Marco Santos e Jorge.

Treinador convidado a renovar Para quem tinha a manutenção na 3.ª divisão como objectivo, “o Tocha superou as expectativas”. Quem o diz é o treinador José Viterbo, que viu a sua equipa entrar na fase de subida de divisão, embora os cinco pontos de distância em relação ao líder revelem que pouco mais haverá a fazer do que mostrar brio e bom futebol até à última jornada. O trabalho efectuado parece ter agradado aos dirigentes, que já propuseram ao técnico a renovação do contrato por mais uma época. “Está tudo muito bem encaminhado para

continuar e quem me conhece sabe que não preciso de ter nada assinado”, revelou. Frente ao Cinfães, na última jornada, Viterbo viu-se privado de quatro atletas, entre lesões e castigos, mas o leque de opções já alargou para o jogo de Anadia, no próximo domingo. Mas se Nicola, Ricardo Freixo, João Morais e Gonçalo já podem jogar na Bairrada, o mesmo não acontece com Mauro Paula, expulso no passado domingo, por acumulação de cartões amarelos. P. R.


8 MAIO 2009

09 Sérgio Calro / Arquivo - Imagereporter

III DIVISÃO Peniche mantém-se na 3ª Divisão

“Estamos satisfeitos com a manutenção” O Peniche garantiu no passado domingo, a manutenção na 3ªdivisão, ao vencer por 2-1 o Lousanense. Para perder o primeiro lugar, desta sub-série, a turma de Jorge Amaral, tem que sofrer uma derrota por 9-0 diante do Sourense, no próximo domingo, o que parece pouco provável. Cid Ramos Em declarações ao DESPORTOTAL, O exavançado do Peniche, Márcio, que abandonou os relvados em Dezembro, em virtude de uma arritmia, mas que continua ligado ao clube salienta que " conseguimos a manutenção e estamos muito satisfeitos por isso. Foi uma época, em que nem

tudo correu bem, mas conseguimos mantermonos na 3ªdivisão. O plantel não era muito extenso e as saídas que ocorreram, provocaram-nos algumas dificuldades". O agora ex-jogador do Peniche realça ainda que " a chicotada psicológica teve um efeito positivo e trouxe novamente o Peniche à senda dos bons resultados. O mister Bastos

Lopes, não teve tanta sorte, mas rubricou um bom trabalho no clube.". Em relação a próxima época, ainda não existe nada definido. " falta um jogo para terminar a época, por isso ainda não existem novidades, em relação á próxima temporada. Quando terminar, por certo o clube vai preparar atempadamente a mesma", considera.

Portomosense regressa à 3ªdivisão

“Todos de parabéns” Presidente Luís Costa reconhece que “está na hora de preparar o futuro!” O Portomosense carimbou no passado domingo o regresso à 3ª divisão,após uma temporada a militar na divisão de Honra. Desde o início do campeonato, era apontado como o mais sério candidato à subida e a quatro jornadas do final, alcançou o objectivo pretendido. O presidente Luís Costa não esconde a felicidade pela concretização da subida. “ é um sentimento de felicidade, quer da minha parte, bem como da direcção e de todo o grupo de trabalho. Todos foram inexcedíveis ao longo de toda a temporada e por isso estamos todos de parabéns”, salienta. O presidente da formação de Porto de Mós realça ainda que “ esperava um

campeonato mais equilibrado, mas felizmente a quatro jornadas do final, alcançamos a subida de divisão. É um sentimento de muita felicidade, aquele que estamos a viver no clube”. A próxima época já está a ser preparada no clube. “Já renovamos com o professor Rui Bandeira e vamos também começar a construir o plantel para a próxima época, sabendo que o Quim-Quim, Morgado e Miranda, vão terminar as respectivas carreiras. Vamos ver, quais os jogadores que podemos contar para a próxima época, sabendo que muitos dos reforços, vão ser provenientes da formação júnior”, realça. A taça distrital é também um dos objectivos do clube, Luís

Costa considera que “ vamos defrontar um adversário complicado que

é o Guiense, mas vamos com o pensamento na vitória, embora saibamos

das dificuldades que vamos ter. Ganhar a Taça distrital, também é um

dos objectivos do clube, esperamos que também seja uma realidade”.


10

8 MAIO 2009

III DIVISÃO NACIONAL

FERNANDO MATEUS - TÉCNICO DO SP. POMBAL

Marinhense atrasa-se na luta pela subida

Fernando Mateus representou na década de 90 o Sp.Pombal e regressou em Dezembro do ano passado ao clube, agora como treinador. Quando chegou ao clube, o Sp.Pombal ocupava a lanterna vermelha no campeonato. As vitórias apareceram e o quinto lugar no final da primeira fase, significou a conquista da manutenção. Agora o Sp.Pombal sonha com a subida de divisão, após a importante vitória alcançada diante do Marinhense. Cid Ramos Como encontrou o balneário aquando da sua chegada, dado que, o Sp.Pombal era lanterna vermelha do campeonato? Encontrei uma equipa triste com os resultados, mas com valor. Eu e o César entramos à 11ª jornada e o Sp.Pombal tinha sete pontos, resultante de sete empates. Conseguimos unir ainda mais a equipa e tivemos a sorte de logo no primeiro jogo, vencermos o penamacorense e este jogo, trouxe uma maior tranquilidade à equipa. Seguiram-se cinco vitórias… Após a vitória sobre o Penamacorense, conseguimos somar mais quatro vitórias, e desta forma, chegamos perto dos seis primeiros lugares, que era o objectivo traçado pela direcção do clube.

Helder Ferreira / Imagereporter

“O nosso principal objectivo foi alcançado, agora tudo é possível”

Quando chegou ao clube, considerava possível atingir a manutenção? Sim, porque esta equipa tem valor. Eu e o César acreditamos sempre que era possível, mesmo sabendo que tínhamos um plantel bastante curto. Temos aqui jogadores de muita qualidade e isso dava-nos algumas garantias , para realizarmos um bom trabalho. As entradas do Admilson, Thiago Faria e Testas vieram trazer mais qualidade à equipa? Vieram acrescentar qualidade e sobretudo dar mais consistência, em sectores que a equipa estava algo carenciada. O Admilson é um jogador que tem dado nas vistas e já apontou alguns golos. O Testas e o Thiago Faria, são dois jogadores bastante rápidos e tem sido bastante úteis para a equipa. Pena que o Thiago Faria não possa jogar mais, até ao final da época, dado que, vai regressar ao Brasil.

Já foi abordado para permanecer no clube? Sim, mas de uma forma superficial. É preciso ter em conta, que vai haver eleições no clube e não se sabe quem vai comandar os destinos do clube. Vamos continuar a fazer o nosso trabalho em prol do Sp.Pombal. Mas gostava de continuar? Sim. Temos um bom grupo de trabalho e tanto eu como o César temos sido muito bem tratados aqui no clube. Eu representei o Sp.Pombal como jogador e agora voltei a este clube como treinador. Sinto um carinho pelo clube. Mas vamos ver até ao final da época, como as coisas correm. O Sp.Pombal é um dos clubes, com piores assistência no campeonato. Como o grupo de trabalho lida com esta situação? Sim. É uma realidade. Quando chegamos tínhamos, 20 ou 30 pessoas a assistir aos jogos, agora temos mais de 100. É complicado, porque quando

jogamos no nosso reduto, gostamos de ter o apoio dos nossos sócios, mas actualmente já temos tido mais gente a apoiarnos. Eu considero que os resultados, é que trazem os adeptos aos estádios Ainda acredita na subida, após a vitória sobre o Marinhense? O nosso principal objectivo foi alcançado, agora tudo o que vier será por acréscimo. É lógico que estando nesta fase, podemos aspirar à subida de divisão. Vamos ver, mas tudo é possível. Caso o Sp.Pombal não concretize a subida de divisão, quem acha que vão ser as equipas promovidas? Eu acho que o Sertanense vai subir. Tem um bom lote de jogadores e acho que pelo que tem feito neste campeonato, merece a subida de divisão. Acho que o Marinhense, se vencer o jogo contra nós, fica muito perto de concretizar esse objectivo. É uma das melhores equipas deste campeonato e tem um bom plantel.

As aspirações do Marinhense em conseguir consolidar um dos dois primeiros lugares que dão acesso à II Divisão B foram este Domingo abaladas com a derrota em casa frente ao Sporting de Pombal, por 1-0, graças ao golo de Testas, aos 13 minutos, no único lance de perigo do Sporting de Pombal em todo o jogo. Paulo Alexandre Teixeira Apesar do Marinhense jogar perante o seu público e ter dominado todo o jogo, quer em campo, quer por ter tido mais oportunidades para marcar, incluindo um remate à barra, não foi capaz de bater o guardião pombalense, Ludovic. Quanto ao Sporting de Pombal, jogou sempre em contra-ataque e tentou sempre aproveitar as oportunidades para partir em contra-ataque, levando muito perigo à área marinhense, e aguentou o resultado, mesmo depois de jogar com dez, após o minuto 84, com a explusão de Albertino, que tinha entrado doze minutos antes. Assim sendo, e com o Sertanense a bater o Benfica de Castelo Branco e a isolar-se cada vez mais na primeira posição, a vida do Marinhense complicou-se um pouco mais, embora ainda dependa de si para conseguir uma das vagas para a subida à II Divisão B. Fernando Mateus, treinador do Sp. Pombal: "O empate também teria sido um bom resultado. Este resultado é excelente, pois foi obtido em casa de um dos nossos rivais para a subida. Assim sendo, isto deixa tudo em aberto na luta pela subida. Faltam cinco jogos e agora tudo é possível." Testas, jogador do Sp. Pombal e marcador do único golo da partida: "O golo foi marcado num lance fortuito. Quando vi a oportunidade, arranquei em direcção à bola, acreditei que ia lá chegar, consegui e rematei para a baliza. Foi um resultado feliz. Sabíamos que em caso de derrota, ficaríamos quase afastados da luta pela subida. Agora faltam cinco jogos, temos quatro pontos de desvantagem sobre o Marinhense. Temos que pensar jogo a jogo, e temos de ganhar todos os jogos, se queremos alcançar o objectivo de subir de divisão no final da época." José Petana, treinador do Marinhense: "Foi um resultado muito injusto. O Sp. Pombal marcou na única oportunidade que tiveram. Nós tentamos fazer de tudo para inverter o resultado, mas a sorte não esteve conosco esta tarde. Agora, com esta derrota, as cóias ficam um pouco em aberto na luta pela subida"


8 MAIO 2009

DIVISÃO DE HONRA

11

MORGADO ORGULHOSO DA SUA CARREIRA

“Foram muitos anos sempre com os Domingos ocupados” Sérgio Calro / Arquivo - Imagereporter

António Morgado, 36 anos, coloca um ponto final na sua carreira com a conquista da subida à III divisão nacional ao serviço do Portomosense. Passou por clubes medianos da primeira divisão como o U. Leiria e Académica, andou muitos anos nas divisões inferiores mas afirma que sempre o fez com prazer. Em entrevista ao DESPORTOTAL António Morgado explica o que é acabar uma carreira de muitos anos, faz um balanço de toda a sua carreira, recorda os momentos mais altos e deixa antever o que vai fazer no futuro. Bruno Fernandes

O que significa para si terminar a carreira de futebolista? Tudo tem um princípio e tudo tem um fim, acho que é triste porque o futebol me deu tudo na vida, praticamente me deu tudo o que tenho. De qualquer das maneiras vou ficar ligado ao futebol o que vai atenuar um pouco a mágoa de acabar a carreira.

“NA ALTURA QUE ESTIVE EM LEIRIA IA MUITA GENTE AO ESTÁDIO”

Acaba a carreira ao serviço do Portomosense e com este a sagrar-se campeão distrital, como se sente em relação a isso? É sempre bom. A época passada já tive para abandonar mas tinha como objectivo deixar o clube nos nacionais e sabe sempre bem termos cumprido um dos objectivos desta época. Sabe sempre bem acabar a carreira com uma subida de divisão.

Para si tem mais significado subir de divisão ao serviço da União de Leiria aquando o início da sua carreira ou subir de divisão pelo Portomosense no momento em que vai “pendurar as botas”? São coisas completamente diferentes, é claro que na altura da subida pelo Leiria o futebol era totalmente diferente. Naquela altura o Leiria tinha muito apoio, ia muita gente ao estádio, por isso não tem comparação. Também soube bem vir para o Portomosense, já tinha estado numa descida, numa manutenção e agora estou numa subida. Sabe muito bem esta subida até pelo grupo que temos que é fenomenal. Foi um dos melhores grupos que apanhei ao longo de toda a minha carreira.

“NÃO FUI UM GRANDE JOGADOR MAS FUI SEMPRE HONESTO” Que balanço faz da sua carreira depois de ter passado por clubes como a U. Leiria, Académica ou Portomosense? Foi a carreira possível, consegui chegar a um patamar mais ou menos mediano, não fui um grande jogador mas fui sempre honesto com o futebol. Não sendo perfeito fui honesto e o futebol foi uma coisa

Portugal frente ao F.C Porto foram sem duvida os momentos mais altos da minha carreira. No que diz respeito a momentos menos bons, sinceramente não me recordo nenhum uma vez que nunca fui dado a lesões graves, felizmente.

muito boa que me aconteceu e ainda faz parte da minha vida. Ainda estou ligado ao futebol porque treino os miúdos. Continuo a ter uma paixão louca pelo futebol. Qual o momento mais alto e o menos bom da sua

carreira enquanto futebolista? O momento mais alto da minha carreira foi sem duvida onde pude praticar futebol ao mais alto nível que foi em Leiria ao serviço da União. Talvez a subida à 1.ª pela União e depois a meia-final da Taça de

Em termos de futuro, o que entra nos seus planos a curto e médio prazo? Primeiro que tudo vou continuar a treinar as escolas 10 anos e depois logo se verá. No momento também quero descansar, foram muitos Domingos ocupados, também preciso de um pouco de descanso.

Pensa, um dia, vir a ser treinador profissional de futebol? Sinceramente não penso nisso, sou uma pessoa simples e humilde, é claro que tenho ambição mas o futebol não está fácil. Não tenho isso como objectivo. Poderá aparecer alguma coisa mas neste momento não penso nisso e só quero descansar.

BILHETE DE IDENTIDADE: Nome completo: António Carlos Gonçalves Morgado Data de Nascimento: 16-09-1972 (36 anos) Nacionalidade: Portuguesa Naturalidade: Guarda Altura: 1,76 m Peso: 74 kg

Histórico 2008/2009: Portomosense 2007/2008: Portomosense 2006/2007: Portomosense 2005/2006: Portomosense 2004/2005: Portomosense 2004/2005: Portimonense 2003/2004: Feirense 2002/2003: Portimonense 2001/2002: Portimonense 2000/2001: U. Madeira 1999/2000: Académica 1999/2000: U. Leiria 1998/1999: U. Leiria 1997/1998: U.Leiria 1996/1997: Portimonense 1995/1996: Portimonense 1994/1995: Guarda 1993/1994: Guarda 1992/1993: Sp. Mêda 1991/1992: Sp. Mêda


12

8 MAIO 2009

PUB.


Jorge Coroado

Arbitragem escrita Quando arbitrar era um orgulho Nas três anteriores oportunidades de contacto com o leitor, dei a conhecer o articulado de três das dezassete regras que regem o futebol. Duas delas, XI - Fora de jogo e XII - Faltas e incorrecções, as que mais polémica e discussão fomentam. A terceira, apresentada na semana anterior, identifica e define quais as responsabilidades cometidas a qualquer árbitro decorrentes dos respectivos poderes e deveres que a regra V - O árbitro, comporta. A regra em questão, apesar de bem elaborada e esclarecedo-

O Barcelona de Pepe Guardiola faz as delícias de quem o vê e, em termos de espectáculo, só tem paralelo nos clubes ingleses, cujo futebol, penso que disso não restam dúvidas, é de longe o mais aliciante. Mas é o Barça que justifica estas linhas e é do Barça que importa falar, muito em especial depois do fantástico 6-2 aplicado ao rival Real Madrid, em pleno Santiago Bernabéu. Um jogo para ficar sempre na retina dos amantes do desporto-rei, muito por obra e graça do virtuosismo de Xavi, Iniesta, Messi, Daniel Alves, Henry e por aí fora. O Real procurou jogar de igual para igual com os catalães e foi o que se viu. É que jogar assim, numa noite "normal" dos jogadores de

ra quanto às incumbências e limitações de qualquer elemento com responsabilidade na condução de um jogo de futebol, não prevê, antecipa ou determina, porque isso é manifestamente impossível, quais as características essenciais ou primordiais para um árbitro de futebol. Não sendo viável elaborar por decreto ou por imposição legal quais as qualidades necessárias para se ser árbitro, a prática corrente, a experiência e os conhecimento obtidos ao longo de anos e anos de observação, concluíram: Forte personalidade, capacidade de concentração, autonomia, equidistância, sentido de responsabilidade, noção de justiça, percepção de futebol, entendimento de jogo, domínio absoluto das regras, capacidade atlética (não um campeão mas alguém devidamente habilitado a suportar esforços não comuns durante noventa ou cento e vinte minutos) e, sobretudo, integridade moral apoiada em perseverante sentido ético, são, inquestionavelmente, predicados a ter em conta. Durante décadas a fio sendo os árbitros absolutamente amadores, em muitas circunstâncias pagando para arbitrar, o orgulho de ver reconhecido o respectivo nome como de alguém competente, sério e íntegro ou o simples prazer em participar na maior e mais empolgante modalidade

D.R.

D.R.

OPINIÃO

Hélio Nascimento

Um regalo para a vista Guardiola, é praticamente um suicídio. Veja-se como o Chelsea parou o Barça: com o autocarro à frente da sua baliza e todos os elementos atrás da linha da bola. Veja-

8 MAIO 2009

desportiva como interveniente directo, era o elixir de todas as vontades, a chama que iluminava a motivação e o querer de voltar a sempre a apitar num rectângulo de jogo apesar de todas as vicissitudes. A ganância que subjaz à própria existência do homem, associada à vaidade natural, sempre imprudente e má conselheira, implementou alterações profundas na postura e na atitude de quem arbitra. A evolução das competições, o avolumar de jogos, constante solicitação com inerentes ausências laborais e familiares, privação de tempos de ócio, exposição pública mais relevante, contribuíram para exigências financeiras que, concretizadas, adulteraram o equilíbrio existente. Mais que o prazer, a alegria, o orgulho, a satisfação de intervir directamente na modalidade mais mediática, os árbitros passaram a ter motivações económicas. Se outrora o arreganho na luta pela manutenção entre o quadro de elite devido ao já referido, com o advento da Liga como entidade organizadora das competições profissionais, as consequentes mais e melhores regalias para os homens do apito retirou o lado lúdico da actividade para impor princípios de competitividade estribados nos

ganhos que ninguém quer deixar de usufruir. Os poderes discricionários outorgados pela Regra V - O árbitro, sendo actuais, perderam impacto. Para os mais atentos facilmente se percebe não agirem os árbitros em conformidade com aquela regra, antes em função dos objectivos a que se propõe. Do mesmo modo, a interligação no terreno de jogo entre árbitro e árbitros assistentes, devido ao sistema de classificação existente, ficou completamente adulterado. O jogo do empurra em determinadas circunstâncias sobrepõe-se para que as penalizações inerentes a uma má decisão recaia no parceiro e não em quem tem por obrigação fundamentada decidir. Para melhoria significativa da arbitragem há, antes de mais, que voltar à aplicação pura e dura do determinado na Regra V. Todo aquele que faça ouvidos de mercador ou olhos de cego no cumprimento integral do determinado terá de ser considerado incapaz da prática da arbitragem. Porque é a mãe de todas as outras e sobre todas superintende, a regra em questão não tem aplicação punitiva para os intervenientes de um jogo excepto o próprio árbitro, deve ser integralmente aplicada. Observando bem, poucos são os árbitros que sabem dar-lhe bom uso.

se como o Valência também empatou o Barça: actuando tal e qual da mesma maneira. Ou seja, para travar o colosso da Catalunha não basta ter classe e meia dúzia de futebolistas de nível acima da média - é também necessário ter a humildade suficiente para reconhecer o poderio e bastas vezes a superioridade do adversário.

Daniel Alves municiam aquele trio. São eles, aliás, os principais responsáveis pela posse de bola dos catalães, que em certos casos chega a impressionar toques e mais toques, agora uma finta e depois uma abertura, enfim, o tal regalo para a vista.

O Barcelona já chegou aos 100 golos no campeonato espanhol e o seu trio de ataque, formado por Samuel Eto'o, Thierry Henry e Leonel Messi, regista 69. Números impressionantes! A média de golos por jogo ronda os três. E se o poder de finalização da equipa está aqui suficientemente documentado, um destaque muito especial para o modo como Xavi, Iniesta e

Não há equipas invencíveis e o Barcelona, obviamente, não foge à regra. Mas esta equipa de Guardiola está bem na linha dos últimos "dream teams" da cidade condal - lembram-se daquela com Figo, Ronaldo e Rivaldo? E agora, ainda mais recentemente, com Ronaldinho, Deco e Eto'o? O "onze" actual é igualmente virtuoso e o argentino Messi, naquele estilo tão peculiar, é único no modo como trata a bola.

13

Deixa jogar

4

Adélio Amaro adelio.amaro@gmail.com

Clube de Atletismo da Barreira A freguesia da Barreira, todos os anos, em Maio, tem sido palco de um dos maiores eventos desportivos do concelho. O Grande Prémio de Atletismo, promovido pelo Clube de Atletismo da Barreira (CAB), é já uma referência mais do que vincada. Pela 19.ª vez o CAB está a levar a efeito mais um Grande Prémio, onde centenas de atletas se encontram todos os anos. Não se pode deixar de dar os parabéns a todos aqueles que, em praticamente duas décadas, têm levado a efeito esta prova. A começar pelos irmãos Agostinho, que nunca desistiram, correndo contra todos os contra-tempos, passando pelos os atletas e os membros da Direcção e terminando nas instituições e na população local, é de enaltecer a organização deste evento. Só que, o CAB não é apenas uma Associação que se limita a organizar esta prova. Têm sido imensos os prémios ganhos em muitas provas pelo país e algumas no estrangeiro. Basta visitar a sala de troféus do CAB para entender que esta Associação tem promovido, louvavelmente, a freguesia e mesmo o concelho. Estão de parabéns todos aqueles que trabalham, gratuitamente, para o CAB com o objectivo de promover mais um grande evento como aquele que irá decorrer no próximo dia 10.


14

8 MAIO 2009

MODALIDADES

GRUPO PHYSIOCLEM ABRE PORTAS EM LEIRIA

Nova clínica de fisioterapia e bem estar em Leiria Sérgio Calro / Imagereporter

O grupo Physioclem é composto pelas empresas Physioclem, Fisiolis e Filosofia de Liberdade. São empresas jovens e dinâmicas, que apostam sobretudo na formação dos seus profissionais. Há sete anos que o grupo Physioclem visa sobressair no mercado pela prestação de serviços de qualidade. Abertos em Alcobaça, Caldas da Rainha e, agora, em Leiria prestam serviços na vertente clínica de Fisioterapia, Osteopatia e de Bem-Estar. OR As excelentes condições físicas do espaço e a utilização de materiais de elevada tecnologia para apoio revelam que este grupo tem condições para crescer sempre. Para além de outras áreas, apostam na área desportiva na prevenção, no tratamento e na reeducação de disfunções e/ou lesões resultantes da prática desportiva e/ou actividade física, desde os momentos iniciais até à completa reintegração desportiva dos praticantes. Tanto em Alcobaça como em Caldas prestam serviços aos clubes desportivos e pretendem chegar aos de Leiria o mais rapidamente possível. Clube de Ténis de Alcobaça, Clube Naval de Nazaré e Nazarenos são alguns dos Clubes onde prestam os seus serviços apesar de serem procurados por bastantes atletas a nível particular. O trabalho da equipa Physioclem vai ao encontro daqueles que estão num

Carlos Borges (Director Desportotal) com Dr. Marco Clemente e Dr. Luís Nascimento da Physioclem

ponto de referência. Têm formação idêntica e tentam ao longo dos anos especializar-se em áreas que consideram mais cruciais para conseguirem ter bons resultados. Dr. Marco Clemente, responsável pela clínica em conjunto com Dr. Luís

Nascimento, Dra. Vânia Clemente e Dra. Ana Amado diz que “só agora surgiu a oportunidade de vir para Leiria por ser a capital do nosso distrito e ter maior dimensão em todas as áreas. Concretamente na área desportiva, acaba por ter muitos mais clubes desportivos com

KARATÉ Corail Stroobants – Campeã Regional de Kata infantis Amador de POMBAL (NDAP)

PATINAGEM

Hóquei Clube de Leiria realiza prova nacional de Patinagem Livre Direitos Reservados

A secção de karaté de Pombal do NDAP (Núcleo do Desporto Amador de Pombal) distinguiu-se mais uma vez no Campeonato Regional Infantil a Juvenil Centro Norte, realizado na Covilhã, com o 1º lugar alcançado por Corail Stroobants, na categoria de Katas infantis. À semelhança de anos anteriores, durante esta época a secção de karaté do NDAP tem marcado presença no pódio em todos os campeonatos regionais e nacionais em que tem participado. “Os nossos resultados reflectem o nível de karaté que se pratica em Pombal, inclusive alguns dos nossos atletas têm sido convocados para a selecção nacional” informa Rui Diz, treinador principal da secção há mais de 10 anos.

muito melhor desempenho ou que chegam a um maior desenvolvimento do que em Alcobaça. Também verificámos que tratavamos pessoas em Alcobaça que eram de Leiria. Fizemos um estudo de mercado na zona e concluímos que o tipo de serviço que pretendemos prestar estava bastante deficitário. Presamos por dar muito mais atenção a cada Doente, só um de cada vez. Mesmo na área desportiva nós temos de ter tempo para tratar dos atletas. Nós vimos os nossos colegas dos grandes clubes desportivos o tempo que têm para os tratar. Como já temos sete anos de evolução já deu tempo para irmos entrando nas várias áreas. Mas esperamos melhorar sempre, esperamos que daqui a 10 anos estejamos ainda melhor. Felizmente conseguimos ter hoje os resultados que os nossos pares nos diversos clubes têm também. Esperamos que daqui a uns tempos em parceria com os médicos tenhamos ainda melhores resultados e mais rápidos.”

O Hóquei Clube de Leiria realiza este fim-de-semana no Pavilhão Municial de Santa Eufémia, o Campeonato Nacional Intercalar de Patinagem Livre em escalões de cadetes e juniores femininos. Segundo a organização, estão inscritos 92 atletas, 54 dos quais em cadetes e 38 em juniores, representando 54 clubes do Continente, Madeira e Açores. O clube organizador participa com quatro atletas, três em juniores e uma em cadete. Para José Carapinha, dirigente do Hóquei Clube de Leiria, a realização desta prova no Pavilhão de Santa Eufémia significa que é um privilégio para o clube, e que gostaria de

receber mais provas da categoria, mas que é algo que todos os clubes se candidatam. Quanto às ambições das suas atletas neste campeonato, considera que ficaria feliz caso alguma das atletas conseguisse ficar nos 25 primeiros lugares da classificação, no sentido de disputarem os nacionais da categoria. Os treinos ocorrerão no Sábado de manhã, a partir das 10:30 horas, na categoria de Cadetes, e no Domingo de manhã das 11:00 até às 12:30 acontecerão novos treinos, mas na categoria de Juniores, com a prova oficial, em ambas as categorias a acontecer pela 14 horas. P.A .T


8 MAIO 2009

DISTRITAL DIVISÃO DE HONRA

Luta pela manutenção ao rubro Na divisão de Honra, o interesse está na luta pela manutenção, dado que, na luta pela subida de divisão, já está tudo definido, com a subida do Portomosense. Cid Ramos Na luta pela não despromoção encontram-se o Pilado, Vieirense, Caranguejeira, Fig.Vinhos, Meirinhas e Pataiense. Nesta luta já não está a Ilha, que soma apenas três pontos, em 27 jornadas. Neste momento o Pataiense possui uma vantagem de seis pontos e é a equi-

pa que está melhor colocada para assegurar a manutenção. Em posição oposta encontra-se o Pilado, que parece ter a vida complicada, caso desçam mais que três equipas. Vieirense e a Caranguejeira estão também numa situação complicada. Confira o quadro de jogos, das equipas envolvidas na luta pela manutenção.

1ªDISTRITAL - ZONA NORTE

Pedroguense, Pelariga e Alvaiázere na luta pelo segundo lugar Quando faltam quatro jornadas para terminar o campeonato da 1ªdistrital-Zona Norte, o Ansião parece lançado para o primeiro lugar, embora disponha apenas quatro pontos sobre o segundo lugar, que é ocupado pelo Pedroguense. Cid Ramos A formação de Ricardo Silva possui oito pontos sobre Pelariga e Alvaiázere, que ocupam a terceira posição, numa vantagem que parece suficiente, quando estão ainda 12 pontos em disputa. Já a luta pelo segundo lugar, está mais animada, com o Pedroguense a dispor apenas de 4 pontos sobre o duo perseguidor. Confira o calendário das quatro equipas envolvidas na luta pela subida na 1ªdistrital-Zona Norte. ANSIÃO 70 Avelarense (Casa) Pousaflores (Fora) Ramalhais (Casa) M.Boi (Fora)

PEDROGUENSE 66 Pousaflores (Casa) Ramalhais (Fora) M.Boi (Casa) Caseirinhos (Casa) PELARIGA 62 Simonenses (Casa) C.Pêra (Fora) Avelarense (Casa) Pousaflores (Fora) ALVAIÁZERE 62 C.Pêra (Casa) Avelarense (Fora) Pousaflores (Casa) Ramalhais (Fora)

PATAIENSE 32 Gaeirense (Fora) Vieirense (Casa) Portomosense (Fora) MEIRINHAS 31 Nazarenos (Casa Bombarralense (Fora) Beneditense (Casa) FIG.VINHOS 29 Pilado (Fora) Gaeirense (Casa) Vieirense (Fora) CARANGUEJEIRA 26 Alq.Serra ( Fora) Marrazes (Casa) Guiense ( Fora) VIEIRENSE 26 Portomosense (Casa) Pataiense (Fora) Fig.Vinhos (Casa) PILADO 24 Fig.Vinhos (Casa) Ilha (Fora) Nazarenos (Casa)

15

1ªDISTRITAL - ZONA SUL

Três galos para o segundo “poleiro” Com o primeiro lugar praticamente entregue ao Valcovense, a luta na 1ªdistrital-Zona Sul resume-se pelo segundo lugar, que também dá acesso à subida. Neste momento o Grap/Pousos tem vantagem de um ponto sobre o Outeirense e três sobre a Boavista. Tudo pode acontecer até final , com três equipas a lutar pelo último lugar, que dá acesso á subida. Confira o quadro de jogos. GRAP/POUSOS 56 Boavista (Casa) Outeirense (Fora) Moitense (Casa) OUTEIRENSE 55 Moitense ( Fora) Grap/Pousos (Casa) Turquel (Fora) BOAVISTA 53 GRAP/Pousos (Fora) Turquel (Casa) Juncalense (Fora)


16

8 MAIO 2009

ENTREVISTA

KITÓ FERREIRA:

Sérgio Calro / Imagereporter

“O FUTSAL É UMA DAS PAIXÕES DA MINHA VIDA” Entrevista de Eduardo Marques

Já lá vai mais de uma década desde que Kitó Ferreira entrou no mundo do futsal. Corria o ano de 1995, quando pegou na equipa de seniores do Núcleo Sportinguista de Leiria. Daí para cá, e depois de adquirir muita experiência e conhecimentos, sente-se um treinador mais maduro, pronto para abraçar desafios. Como o facto de ser também o seleccionador distrital. A entrevista que concedeu ao DESPORTOTAL é apenas mais um…

Esteve 21 anos ligado ao futebol onze. Como surge a paixão pelo futsal? No primeiro jogo em que orientei o Núcleo, recordo-me como se fosse hoje, fomos jogar à Casa do Benfica de Águeda. Ganhámos 7-6, e vivi tanta coisa em tão pouco tempo, que jamais consegui esquecer. Foram tantas emoções ao longo do próprio jogo, que o “bichinho” ficou para a eternidade. E essa primeira época acabou por correr muito bem. Sim. Estávamos a disputar a III Divisão Nacional, e conseguimos ser campeões, à frente do Colégio Monte Redondo, que na altura era treinador por Adil

Amarante, e subimos à II Divisão Nacional. À data, foi algo inédito no futsal em Leiria. Foi fantástico! Na época seguinte, contra todas as expectativas, conseguiram a manutenção na II Divisão. Precisamente. Outra época fantástica, onde tivemos uma prestação brilhante. Conseguimos, contra o que muita gente dizia, a manutenção na II Divisão, tendo no plantel apenas jogadores do concelho de Leiria, o que deu ainda mais valor ao feito alcançado. A meio da época seguinte, abandona. Porquê? Não abandonei só o Núcleo, como deixei mesmo o futsal. Foram motivos profissionais que me levaram a tomar tal decisão, o que me deixou muito triste, mas valores mais altos se levantavam. Com muita pena minha, tive mesmo que me afastar do futsal. Esse afastamento acabou por ser um até já. Nem mais! Na época seguinte, consegui ter a minha vida orientada, e pude voltar ao activo. Apareceu um convite do Arnal, com um projecto muito interessante, e eu aceitei.

“NA SELECÇÃO TRABALHAMOS O DESENVOLVIMENTO DO FUTSAL, MAS TAMBÉM DOS HOMENS” Paralelamente ao facto de ser treinador, é também o seleccionador distrital. Quais são os objectivos da selecção? O que a Associação de Futebol de Leiria me pede é a melhor formação possível em competição, mas acima de tudo, o desenvolvimento de seres humanos. Essa é uma vertente absolutamente decisiva no desporto. Coordena toda a área da formação da AFL, certo? Sim. Estou na AFL há 2 anos, e sou o coordenador de toda a formação. Queremos evoluir o mais e melhor possível, e para isso tem que haver um trabalho sustentado. Julgo que temos bons valores para o conseguir.

Sérgio Calro / Imagereporter

Como é que se iniciou no futsal? Tudo começou no Núcleo Sportinguista de Leiria, há 11 anos atrás. Na altura eu fazia parte da direcção, e estava em cima da mesa a hipótese de acabarmos com o futsal. Eu fui um dos que não concordei, e para o projecto ter continuidade, arranjámos um treinador para a época que estava para se iniciar. Mas pouco tempo antes do arranque da temporada, esse mesmo treinador teve um grave problema de saúde, e não podia dar sequência ao projecto. Aí, em reunião com a direcção, e também com os jogadores, chegámos à conclusão que tudo se resolveria, e eles pediram-me para que pegasse na equipa. Aceitei, e daí até hoje, não mais parei.


8 MAIO 2009

O que é facto é que não conseguiu alcançar essa meta. Não conseguimos chegar onde queríamos, é um facto, mas houve muito mais motivos de orgulho para mim. Chegámos à II Divisão, fizemos crescer o clube de forma gigantesca ao nível da formação. Fomos o primeiro clube da Associação de Futebol de Leiria a ter todos os escalões de formação em competição. Houve também limitações orçamentais, que nos impediram de subir à I Divisão. Há quem defende que o Arnal é uma referência a nível distrital. Concorda? Concordo em absoluto! O Arnal é hoje uma referência do futsal no distrito de Leiria, e eu orgulho-me muito disso!

“ORGULHO-ME QUE O ARNAL SEJA UMA REFERÊNCIA DO FUTSAL DISTRITAL”

Porque razão saiu do Arnal? Entendi que, após 6 anos, e com todo o trabalho desenvolvido, era um ciclo que tinha terminado. Adorei o tempo que passei no clube, posso dizer que em cada dirigente e em cada adepto tenho um “amigo”, mas nada é eterno. Depois disso surge o convite do Centro Desportivo de Fátima. O Fátima era um namoro antigo. Já há cerca de 3 anos que me andavam a tentar “levar” para lá. Dei sempre co-

“SE HOUVER CONTINUIDADE AO TRABALHO FEITO ATÉ AQUI, O FÁBIO E O PIMPOLHO ESTARÃO A DAR CARTAS NA PRIMEIRA DIVISÃO DENTRO DE MUITO POUCO TEMPO” Daniel Silva, ou Pimpolho, (União de Leiria) e Fábio Correia (Coimbrão), foram recentemente chamados aos trabalhos da selecção nacional de sub-21. Kitó Ferreira trabalhou com ambos na selecção distrital, e aos dois augura um grande futuro. Pelas suas mãos, passaram, recentemente, dois atletas que chegaram já à selecção nacional de sub-21. É gratificante? Claro! Tendo nós por objectivo trabalhar não só os atletas mas também os homens, e depois constatar-mos que estes vão subindo patamares, é lógico que é o reconhecer de um trabalho desenvolvido. Enquanto jogadores, como define o Pimpolho e o Fábio? O Pimpolho é um jogador muito tecnicista, dos mais espectaculares que vi jogar no distrito de Leiria. Tem uma capacidade de improviso espectacular. Se aumentar a sua capacidade de sofrimento, tem todas as condições para se tornar numa figura do futsal nacional. Quanto ao Fábio, é daqueles jogadores que qualquer treinador gosta de ter. Não sendo tão bom tecnicamente como o Pimpolho, é muito mais inteligente tacticamente. Dá tudo o que tem dentro da quadra. De referir também que Kitó Ferreira foi, durante 2 anos, seleccionador nacional de surdos masculinos, tendo disputado dois Campeonatos da Europa, o primeiro, em 2002, na Bulgária, com a obtenção do sétimo lugar, e depois, em 2006, na Rússia, com o quinto lugar como classificação final.

17

Se quer subir de divisão em todos os anos, assume que se não o conseguir, é um falhanço pessoal? Assumo, claramente! Como já referi, ambiciono o desenvolvimento sustentado do clube, mas sempre com as vitórias e com os objectivos em mente. Se não os conseguimos alcançar, é porque algo não correu bem, falhámos, e eu assumo isso na primeira pessoa!

nhecimento disso ao Arnal, fui sempre muito correcto. Assim como as pessoas do Fátima também foram, durante estes 3 anos, e por isso julgo que podemos dizer que o namoro terminou em casamento. Devo ainda salientar o convite que me foi feito pelo Hóquei Clube de Turquel, que agradeço muito, mas na vida temos que tomar opções. Qual é o projecto do Fátima? Acima de tudo, o projecto que o Centro Desportivo de Fátima quer que eu implemente no clube, é que haja um “acordar” relativamente ao futsal. Há excelentes infra estruturas, temos todas as condições reunidas para evoluirmos, só temos que meter mãos à obra. Posto isto, eu assumi que quero subir de divisão, se possível, todas as épocas. Quero ganhar todos os jogos. Sei que é impossível, mas foi esta a mensagem que transmiti aos meus jogadores durante o primeiro discurso. Estamos a disputar a Divisão de Honra da Associação de Futebol de Santarém. Neste momento, a subida é praticamente impossível, mas vamos continuar a trabalhar para que na próxima temporada consigamos atingir os nossos objectivos.

A partir daí, o que podemos esperar da próxima temporada? Na próxima época, vamos continuar com o rumo que traçámos. Vamos olhar pela formação, pelo seu desenvolvimento, e vamos também fazer tudo para que os seniores consigam a subida de divisão. O facto de termos falhado o objectivo esta temporada, faz-me crescer. Nas derrotas não está tudo mal, bem como nas vitórias não está tudo bem. Não subir de divisão fez-me apren-

Julgo que fui uma das pessoas que mais contribuíram para o sucesso do Arnal. der certas coisas, que se podem tornar mais valias para o futuro. Não sente que pode ter tido a sua imagem beliscada, por parte dos responsáveis? De maneira alguma! Ninguém me exigiu absolutamente nada, os objectivos fui eu que os defini. Daí, ser também eu agora a assumir o falhanço. Mas sinto que as pessoas gostam de mim e do meu trabalho, e a minha continuidade no Fátima não se questiona. Para o ano, cá estaremos a lutar com todas as nossas armas.

O PERFIL DE KITÓ FERREIRA

ter agerepor alro / Im Sérgio C

O crescimento do clube é hoje muito elogiado. Até que ponto o seu trabalho é responsável pelo crescimento do Arnal? Julgo que fui uma das pessoas que mais contribuíram para o sucesso do Arnal. O trabalho não se faz sozinho, mas dei tudo o que tinha para fazer crescer o clube. Só para ter uma ideia, o projecto passava por, num prazo de 5 anos, levar o clube à primeira divisão nacional. E quando comecei, o Arnal estava apenas na III Divisão.

Sérgio Calro / Imagereporter

ENTREVISTA

Nome: Joaquim António Ferreira Gonçalves Data de Nascimento: 07 de Maio de 1969 (40 anos) Naturalidade: Leiria Nacionalidade: Portuguesa


BASQUETEBOL OLIVAIS A UMA VITÓRIA DO TÍTULO

Final do playoff da Liga Feminina O Olivais não se deixou surpreender no segundo encontro da final do play-off da Liga Feminina, carimbando a segunda vitória no seu reduto. O contrário é que não seria muito expectável, nomeadamente a partir do handicap de o seu adversário ter voltado a não utilizar a brasileira Clarissa dos Santos. As duas equipas acusaram algum desgaste, não só pelo jogo da véspera, mas também devido ao intenso calor que se fez sentir. Desta feita as campeãs nacionais ganharam logo uma vantagem de 5 pontos (18-13), no primeiro período, com as forasteiras a reagirem no segundo quarto (1311), chegando o intervalo com as anfitriãs na frente por 7 pontos (31-24). No reatamento e tal como na véspera, o Olivais consolidou a sua

Direitos Reservados

18

8 MAIO 2009

margem que no final do terceiro período se cifrava já em 15 pontos (49-34), para no derradeiro parcial (15-22) o Vagos ter reduzido o prejuízo para os 8 pontos finais (64-56). Nas vencedoras a norte-americana Aja Parham (23 pontos, 4 ressaltos, 4 roubos, 3 assistências e 4 faltas provocadas, com 4/ 5 nos lances livres) foi a MVP da partida, sendo bem acompanhada pela sua compatriota Ambrosia Anderson (12 pontos e 13 ressaltos sendo 3 ofensi-

A OPINIÃO DOS TREINADORES José Miguel Araújo (Olivais Coimbra): Era um jogo difícil como prevíamos; tentámos imprimir um ritmo rápido; não estivemos tão bem na defesa 1-1 mas começámos a melhorar ao longo do jogo. Entrámos muito bem no 3º período a nível defensivo. O Vagos nunca nos deixou fugir, tem esse mérito, mas conseguimos gerir a vantagem até ao final. Amanhã acho que vai ser um jogo muito duro. O Vagos, privado de uma jogadora importante joga de modo diferente mas teremos que nos adaptar. Nuno Ferreira (A.D.Vagos): O Olivais foi superior principalmente ao nível dos ressaltos e do lançamento exterior e a nossa ausência de jogo interior fez com que as dificuldades sejam maiores. Mostrámos ineficácia nesses dois aspectos e a ausência de Clarissa Santos pesa. Amanhã vamos tentar corrigir os erros e tentar continuar o que fizemos de bem e tentar conseguir melhorar os ressaltos e ofensivamente. Agora é tentar ganhar o jogo, se o conseguirmos será óptimo.

vos) e pela dupla Ana Fonseca e Ana Sofia Santos, respectivamente com 9 e 8 pontos. Na turma do Vagos as mais produtivas foram Fernanda Beling (15 pontos e 9 ressaltos) e Ana Teixeira (14 pontos e 7 ressaltos), tendo a equipa pecado pela sua fraca eficácia no tiro exterior (11%, com apenas 2 triplos em 18 tentados), enquanto as campeãs nacionais estiveram com a pontaria mais certeira (35%, com 6 convertidos em 17 tentativas). Foi este o principal factor

desequilibrador do jogo, já que na luta das tabelas (3028 ressaltos) e nos turnovers (15 para cada lado) houve acentuado equilíbrio. Resultado final: Olivais 64-56 Vagos Olivais comanda a série (2-0), faltando-lhe apenas uma vitória para revalidar o título. Próximos jogos: Vagos-Olivais (Amanhã) Vagos-Olivais (domingo, dia 10), se necessário, visto que a série é à melhor de 5

Eleições na Secção de Basquete da AAC Decorre amanhã entre as 14.30 e as 17.30 horas, no Pavilhão Multidesportos de Coimbra a votação da Secção de Basquete da

AAC. A lista apresentada é constítuida por Luís Viegas e Maria Cristina Almeida, Mário Costa, António Jasmins, Hernâni Folgado, Francisco

Ferreira, José Luís Gonçalves, Maria Augusta Ruas, Nuno Sousa, Ângela Alves, Filipe Gonçalves e Diogo Moreira. Lino

Gonçalves, continua como Presidente da Mesa do Plenário, tendo comco Secretários António Gonçalves e João Medeiros.


8 MAIO 2009

FUTEBOL

19

Torneio Futebol 7 de Escolas Nuno Brites / Imagereporter

UDL – Pombal

Caldas – Portomosense Carlos Barroso / Imagereporter

Nuno Brites / Imagereporter

UDL – Batalha

tre si e conheceram em primeira mão a competição entre distritos. É um impulsionador importantíssimo para que o futebol em Portugal disponha de um maior número de atletas

nacionais de formação, cujo futuro pode eventualmente passar pelo desporto e que só precisam de uma oportunidade. Relativamente aos jogos sub-13, o União de

Leiria venceu o Caldas por 2-0, no dia 1. E perdeu por 3-1 frente ao Marinhense, no segundo jogo. A equipa B da escola do União de Leiria não fez Carlos Barroso / Imagereporter

vida saudável e equilibrada. Estes desafios vieram dar seguimento a uma época onde equipas sub13, sub-12 e escolas de 1998 e 1999 jogaram en-

Caldas – Nazarenos

melhor e, frente ao Grap foi goleada por 4-1 num jogo marcado pela superioridade da equipa dos Pousos e, no dia seguinte, frente ao peniche em sub-12 foi um autêntico festival golos, com a equipa de Leiria a vencer por 10-2. Seguiram-se os jogos das escolas de 1998, com U.D. Leiria a derrotar por 3-2 o S.C. Pombal, num jogo muito disputado e, principalmente, muito bem jogado. Já a equipa B de Leiria, talvez moralizada pelos resultados recentes alcançados pelas escolas homónimas goleou o Pousaflores por 4-1. As escolas de 99 foram também marcadas por goleadas, onde o União de Leiria derrotou por 4-2 a S.L. Marinha C e a Batalha impôs a sua superioridade que se traduziu num 5-2, frente à equipa B de Leiria. Ficou adiado o jogo entre União de Leiria e Grap, no "escalão" de Escolinhas.

Caldas – Peniche Nuno Brites / Imagereporter

Esta foi uma óptima iniciativa desportiva, não só para que os jovens atletas disputem uma competição repleta de jogos em curto espaço de tempo, acelerando assim ritmos competitivos mas também para incutir valores, tendo em conta a vertente lúdica do torneio. E o desporto, como forma de integração e bem-estar, é sempre bemvindo, apesar de registos menos positivos durante alguns jogos, onde a competitividade foi transformada numa espécie de guerra e em jogos de palavras menos próprios para uma partida (necessariamente) amigável. Apesar destas pequenas atribulações, a verdade é que o torneio está a ser um sucesso, contando para isso também com forte apoio dos familiares das jovens "estrelas", que encontram assim no futebol uma forma de se desenvolveram, porque o desporto é elemento fundamental para uma

Carlos Barroso / Imagereporter

No passado fim-de-semana, de 1 a 2 de Maio, ocorreu na região de Leiria mais uma jornada do torneio de escolas em futebol 7, no qual a escola do União de Leiria, dividida entre os vários escalões, conseguiu um score de cinco vitórias em cinco jogos. Também participaram escolas da Marinha Grande, Caldas da Rainha, Peniche e Pombal.

UDL – SL Marinha


20

8 MAIO 2009

MODALIDADES

EQUITAÇÃO

O cavalo é um animal inteligente Agnes Cavalo (latim caballus)s.m. – Quadrúpede equídeo; peça de jogo de xadrez; unidade de um corpo de cavalaria; aparelho de ginástica destinado a saltos, que consiste num corpo de forma rectangular ou oval, assente sobre quatro pés extensíveis; ferro com que se movem as peças quentes dos fogões de cozinha e lenha; tronco que se enxerta o garfo. Estes são só alguns dos significados possíveis para a palavra “Cavalo”. Para mim um cavalo é um animal magnífico, quadrúpede, de considerável porte, com cascos e crinas e com uma afabilidade extrema. O cavalo é um animal que distingue

os humanos como seres, normalmente, amigos. Nunca atentando propositadamente contra a vida do Homem. Ou seja, em caso de queda do cavaleiro o cavalo faz de tudo para não pisar o ser humano desviando-se ao máximo para não o atingir. Acho que esta é uma prova viva do quanto é um animal com marcada intiligência. Como em tudo, também existem pessoas com medo de cavalos, a este medo chama-se Hipofobia ou Equinofobia e consiste num persistente, anormal e injustificado medo pelos cavalos. Quem sofre desta doença ao aproximar-se do cavalo tem crises de ansiedade. Porém esta fobia começa normalmente por si-

tuações vividas como uma queda ou o primeiro contacto com o animal tenha sido agressivo despontando insegurança e desconfiança para o ser humano. Curiosamente, os cavalos possuem um amplo campo de visão lateral, mas muito limitado de frente. A sua vista é boa a curto e longo alcance, o que já não acontece a médias distâncias. Estes animais têm a capacidade de reconhecer sons e vozes familiares a grande distância. Têm um olfacto muito apurado para procurar alimentos e em caso de poldro, reconhecer a mãe. É um animal bastante curioso, pois sempre que alguém passa a frente do seu estábulo eles

vêm à porta ver quem é. Gostam muito que lhes sejam dadas festas e bombons. Aquando da hora do banho tendem em não deixar a água ir para a cabeça levantando-a de forma as orelhas não se molharem pois tem os ouvidos bastante sensíveis. O dono do cavalo tem de ter muita atenção à dentição do seu animal, visto que os dentes não param de crescer, aleijando-os. É necessário serem limados temporariamente. E após vários estudos chegou-se a conclusão que um cavalo de quatro anos tem a cabeça mais pesada 1,8 kg que um cavalo de quinze anos devido a sua dentição.

Direitos reservados

Hoje peguei na palavra cavalo e fui ao dicionário ver o seu significado. Fiquei surpreendida com todos os que pode ter. A verdade é que para cada um de nós se pensarmos nesta palavra lembramo-nos logo de um animal grande, com quatro patas, com crinas e sempre bonito. Um animal digno. Mas…

Em termos respiratórios, quando está a trabalhar pode multiplicar mais 35 vezes o oxigénio que respira e em plena corrida pode chegar a inspirar 1.600 litros de ar por minuto. Podemos ver, que a palavra “cavalo” tem muitos mais significados, e que associados ao animal em si existem diversas curiosidades que o fazem um animal super complexo e único.

KARTING Rui Pina De 19 para 20 de Junho levamos a efeito a organização da edição de 2009 das 12 horas nocturnas do Kartódromo Internacional de Leiria, Portugal. - Resistência de 12 horas - Equipas de 4 a 10 elementos - Preços a partir de 60 euros por piloto - Karts de 270cc (propriedade do Kartódromo) Garantida a presença de equipas de Espanha! Para além da longa resistência estão previstas diversas actividades e anima-

Sérgio Claro / Arquivo - Imagereporter

DOZE HORAS NOCTURNAS EM LEIRIA ções extra como a já confirmada presença de 2 DJ´s na nossa tenda musical. Muitas surpresas estão a ser preparadas. Caldo verde para a noite. Aos vencedores serão entregues os habituais prémios e à equipa campeã a participação gratuita na prestigiada prova de Madrid do Challenge Ibérico (conforme as condições mencionadas nas normas). Lembranças para todos os participantes. Normas e boletim de inscrição disponíveis para download em www.kartleiria.com Mais informações através do email ruipina@ndml.pt e/ou dos telefones 244814214 e 962052222.


8 MAIO 2009

ATLETISMO

21

A PROVA DO CLUBE DE ATLETISMO DA BARREIRA É JÁ NO DIA 10 DE MAIO

A freguesia de Barreira é uma vez mais palco do Grande Prémio de Atletismo, promovido, pela 19.ª vez, pelo Clube de Atletismo da Barreira (CAB).

DR

BARREIRA recebe Grande Prémio de Atletismo AS OPINIÕES

Adélio Amaro A prova será no próximo domingo, 10 de Maio, com partida prevista para as 10:30 horas. A prova terá um percurso de 11,5 Km e abrange vários lugares da freguesia da Barreira, com a partida e chegada a terem lugar junto à Igreja Paroquial. Todavia, este Grande Prémio

O vencedor da geral, além de um troféu de Cristal, irá receber 100 euros como prémio. Os seguintes nove classificados terão sempre direito a um troféu e a uma quantia em dinheiro.

não se fica apenas por uma prova. Isto é, decorrerão provas para os Juvenis (4 Km), Juniores (7,2 Km) e existirão prémios para os Veteranos I a VII e prémios para as primeiras cinco equipas.

Jorge Agostinho, vice-presidente e atleta do CAB, entende que "o XIX Grande Prémio da Barreira é uma realidade por si mesmo e, simultaneamente, um pretexto de excelência para a realização de outras provas desportivas, como o 3.º Crosse dos Galhetes, Milha em conta relógio por equipas e a 4.ª Caminhada, que tem o mérito de alargar o atletismo de estrada a uma grande festa das famílias e do público, no conceito de desporto para todos". Isabel Gonçalves, vereadora do Desporto do Município de Leiria, sublinha de forma bem vincada o trabalho desenvolvido pelo CAB ao longo destes19 anos, afirmando que "o Clube de Atletismo da Barreira passou

de um clube de "aldeia" a um clube de referência no que respeita à prática do atletismo". Também o Presidente da Junta de Freguesia da Barreira, José Manuel da Cunha, entende que o CAB tem desempenhado um papel muito importante na área do Desporto, esclarecendo que "o CAB permitiu que, ano após ano, centenas de crianças, adolescentes e adultos, trouxessem dinamismo à nossa freguesia e enchessem de alegria as pessoas e as ruas da Barreira". Todos os interessados em participar devem efectuar as respectivas inscrições para o endereço electrónico cabarreira@ gmail.com ou através do Fax: 244837471. Neste dia, terá lugar, a 4.ª Caminhada, com 6,5 Km.

FORTE PRESENÇA DO DISTRITO DE LEIRIA

Carlos Carmino (DTR da ADAL) A pista do Complexo Desportivo do Luso, recebeu na tarde quente do passado sábado, a Taça Federação Portuguesa de Atletismo de Marcha, uma das mais importantes competições do calendário nacional de marcha da Federação Portuguesa de Atletismo, onde estiveram presentes 35 atletas de 7 clubes filiados na Associação Distrital de Atletismo de Leiria. A realização em simultâneo, de várias Fases Distritais do Olímpico Jovem fez com que a participação fosse inferior a anos anteriores, por parte de clubes de outras Associações. Em femininos, Márcia Silva, da Juventude Vidigalense, concluiu os 10.000 metros para atletas seniores e juniores, na 2.ª posição em 53:25.52 minutos,

parecendo regressar, gradualmente ao seu melhor nível. Destaque também para Daniela Cardoso, do Bairro dos Anjos, ao alcançar o 4.º posto, sendo a melhor nacional júnior. Daniela terminou as 25 voltas à pista em 58:50.35 minutos, um registo interessante neste início de época de Verão… O Grupo de Amigos de Casais do Vento continua a mostrar como se formam marchadores. Desta vez foi iniciada Ágata Mendes que venceu a prova de 5.000 metros, destinada a iniciadas e juvenis, e onde alcançou mínimos para o campeonato nacional de juvenis apesar da prova ter uma distância superior. Seguiram-se as gémeas Luciana e Marisa Jesus, do Clube Atletismo de Marinha Grande. Na 4.ª posição ficou a jovem do Grupo Desportivo das Pedreiras, Bruna Moreira,

DR

TAÇA FPA MARCHA Marcia Silva, Daniela Cardoso e Cristiano António

Daniela Cardoso

com Mariana Pinheiro (CAMG) a alcançar o 5.º lugar. Mais 4 jovens marchadoras a situaremse entre a 9.ª e a 12.ª posição, Marisa Oleiro (GDP), Marisa Dias e Joana Monteiro, ambas do Bairro dos Anjos e Joana Marques (JV). Por diferentes motivos não concluíram esta prova, Andresa Monteiro e Adriana Vieira ambas do Grupo Desportivo das Pedreiras e Daniela Cordeiro da Associação de Atletismo de Pombal (2AP). Nas infantis, em 3.000 metros, a vencedora e a 2.ª classificada são do Clube Atletismo de M.ª Grande, Tatiana Rodrigues e Marisa Paulino, com a representante do Atlético Clube de Vermoil, Patrícia Freire, a alcançar a 4.ª posição. Em benjamins, Leiria esteve igualmente bem representada por 3 atletas da Juventude Vidigalense, com Tânia Pires, Sara

Roberto e Patrícia Pacheco, que classificaram nos, 2.º, 3.º e 9.º lugares, respectivamente. Nos masculinos, os clubes leirienses estiverem menos representados que em femininos. Registamos a desistência, por indisposição, do juvenil, Bruno Pedro (GACV), que assim não pode confirmar os mínimos para o Mundial de Juvenis. Mas o colega do clube, David Simões, foi o melhor juvenil, ao concluir os 5.000 metros em 28:13.3 minutos. O melhor iniciado leiriense nesta distância foi Alexandre Carreira (BA) com 30:46.4 minutos. Nos infantis Marcelo Gomes (GDP), concluiu os 3.000 metros na 3ª posição em 16:06.2 minutos, enquanto nos benjamins foi André Roberto, pela Juventude Vidigalense, que, aos terminar os 1.000 metros em 7:23.5 minutos, foi o melhor leiriense, alcançando o 5.º lugar.


22

8 MAIO 2009

HÓQUEI EM PATINS

II DIVISÃO, ZONA NORTE

Turquel goleou e está on-line com a subida Orlando Joia

A vila de Turquel viveu mais um Sábado histórico. A 26ª jornada do Nacional da II Divisão, trouxe uma goleada “à moda antiga”, por 152, sobre os aveirenses do Bom Sucesso. Isto num dia marcado pela transmissão experimental, em directo, das imagens do jogo no site na internet do clube (www.hct.pt). Com este triunfo, a equipa de João Simões entra nas quatro derradeiras jornadas, com menos um ponto que o líder, Académica de Espinho, que conseguiu um triunfo muito importante nos Limianos, por 2-1. Quem se atrasou na luta pela subida, foi o Sp. Tomar, que depois de ganhar ao Juventude Ouriense, por 7-4, em partida em atraso da 25ª jornada, acabou por perder no Famalicense, por 4-3 e está agora a quatro pontos dos espinhenses. Já o Riba

Nuno Brites / Arquivo - Imagereporter

O HC Turquel continua a um ponto da liderança da zona norte do campeonato nacional da II Divisão. A formação do concelho de Alcobaça goleou o Bom Sucesso, por 15-2 e viu a Académica de Espinho passar em Ponte de Lima e Sp. Tomar e Riba D’Ave atrasarem-se na luta pela subida à I Divisão. D’Ave, também perdeu no Lavra, por 3-1 e já tem cinco pontos de atraso para os lideres. Na luta pela manutenção, o Juventude Ouriense goleou o Escola Livre, por 5-0 e deu um passo firme rumo à manutenção na II Divisão, uma vez que a equipa de Oliveira de Azeméis é uma das adversárias directas nessa luta. Turquel joga na Mealhada antes de receber Acad.ª Espinho Este Sábado, pelas 18h30, os dois da frente têm tarefas acessíveis. O Turquel visita o último, HC Mealhada e a Académica de Espinho recebe o tranquilo Infante Sagres. Jogos mais complicados têm os perseguidores, pois o Sp. Tomar recebe, pelas 18 horas, os Limianos e, às 21 horas, o 4º classificado, Riba D’Ave, recebe o quinto, HC Marco. Nesta luta pela subida directa à I Divisão, começa a

surgir como decisiva a partida marcada para dia 16, em que o Turquel irá receber a Académica de Espinho, até porque depois, os espinhen-

Biblioteca e Académica jogam para o título

Stella Maris sobe à II Divisão Stella Maris e Marrazes lutavam por uma vaga de subida, a formação de Leiria entrou melhor e chegou a estar a ganhar por 2-0, no entanto, o Stella Maris reagiu da melhor forma e acabou por garantir o triunfo, por 3-2. Com este resultado, a equipa de Peniche garantiu a subida, assim como os maiatos da Fundação Nortecoope, que ganharam no Seixal, por 3-0.

À procura de pontos para assegurar a manutenção, o Juventude Ouriense joga este Sábado, pelas 18 horas, em São João da Madeira.

III Divisão, Atribuição título nacional

III Divisão, Apuramento de subida

O Stella Maris garantiu a subida à II Divisão nacional. A formação de Peniche derrotou o Marrazes, por 3-2 e juntou-se à Fundação Nortecoope na subida de divisão. Nesta fase de apuramento de subida Seixal e Marrazes ficam aquém do objectivo e continuam na III Divisão. No derby distrital, disputado em Peniche, em que

ses só terão jogos frente aos dois últimos da classificação, Mealhada e Bom Sucesso. Já o Turquel terá ainda uma saída muito difícil, ao Sp. Tomar.

Na jornada final, a disputar este Sábado, pelas 18 horas, as partidas serão apenas para cumprir calendário e definição de quem ganha esta fase de apuramento de subida, com o Marrazes a receber a Fundação e o Stella Maris a jogar no Seixal. OJ

Com os triunfos alcançados fora de portas, Biblioteca e Académica adiaram para a última jornada a atribuição do título nacional da III Divisão. Este Sábado, basta o empate à equipa de Valado dos Frades para festejar o título em casa. A Académica de Coimbra venceu em Penafiel, por 5-3, frente ao Galegos e continua a três pontos de distância da Biblioteca na fase de apuramento de campeão nacional da III Divisão. Em Galegos, a Académica esteve a perder por 3-1, mas com uma 2ª parte de excelente nível, acabou por ganhar, por 5-3. Já a Biblioteca ganhou em Beja por esclarecedor 10-0. Este Sábado, pelas 18 horas, a formação do concelho de Nazaré, recebe a Académica, bastando o empate para a Biblioteca festejar o título nacional. Já o triunfo da Académica, fará com que os estudantes arrecadem o troféu. OJ


8 MAIO 2009

VOLEIBOL

23

“Tenho confiança na equipa”

CALDAS CAMPEÃO DA A2 Carlos Barroso / Imagereporter

Fim-de-semana frenético para o Sporting Clube de Caldas, onde se jogou a subida à Divisão A1 de Voleibol, frente à Associação Académica de S.Mamede. A equipa das Caldas da Rainha começou bem a série de três jogos, ao vencer o primeiro em casa, com o pavilhão repleto de adeptos pintados de verde e branco. Com a vitória (suada, mas merecida), ao fim de cinco “sets”, a equipa do professor Júlio Reis deu um passo certo na direcção da subida, mas ficariam a faltar dois jogos. Tiago Ramalho O mais importante, pela adversidade de jogar fora, foi jogado na passada sexta-feira, dia 1 de Maio. Parece que o Dia do Trabalhador deu o mote para a equipa caldense suar a camisola e a vitória eventualmente chegou, acompanhada de grande euforia. O resultado final, 3-2, mostrou ainda assim que cada jogo era bem disputado e equilibrado mas o pior já tinha sido ultrapassado e o último jogo seria jogado no Pavilhão Raul Jardim Graça. A subida de Divisão, jogada em casa, adquiriu grande cariz poético pois a equipa das Caldas jogou também com o apoio dos adeptos e a vitória era o prémio mais que merecido para o público. E que apoio este! Pavilhão cheio, com as cores verde e branco a difundirem-se entre a multidão que gritava incessantemente pela sua equipa. Parecia mesmo que o voleibol era o Desporto-Rei. Foram necessários cinco “sets” para o Sporting Clube Caldas superar o Académico S.Mamede, num jogo bastante competitivo, repleto de grandes jogadas, mas também de alguma ingenuidade na hora de bloquear, com erros a custarem vários pontos para ambas as equipas. O resultado final de 3-2 para os verde e brancos, liderados por um capitão incendiário, sempre a agitar as bancadas, surgiu como prémio para a equipa que mais fez pela vitória e , não podendo deixar de voltar a referir, para a massa associativa que não deixou que um segundo de silêncio prevalecesse no pavilhão.

“Capitão” João Santos

“O TÍTUL O NÃO TÍTULO NOS PODIA FUGIR!” João Santos, o capitão do Sporting das Caldas, estava exausto no final do jogo. Sempre inconformado, berrou, esbracejou, puxou pelo publico e marcou pontos decisivos. Mas também fora das quatro linhas se assume como líder, defendendo o grupo e exaltando o espiríto de sacrifício, partilhando o desejo merecido da vitória.

No final do jogo, treinador elevado sobre ombros, mais parecendo um herói dum épico de Homero. Se alguém merece esse prémio, não são só jogadores e adeptos, mas também o treinador Júlio Reis. Após a euforia inicial, surgiram palavras mais comedidas na entrevista ao Desportotal, mostrando-se um homem humilde, tranquilo mas também confiante nas capacidades da equipa que montou e orientou na epopeia em direcção à divisão máxima do Voleibol nacional. Treinador do Sporting Caldas- Prof. Júlio Reis Após ganhar o primeiro jogo, a confiança da equipa aumentou para os jogos seguintes? Sem dúvida nenhum. O primeiro jogo foi fundamental. Deu ânimo, deu confiança à equipa, não que ela já não tivesse porque ao longo do campeonato perdemos um jogo até hoje e era merecido nós conseguirmos passar esta fase e,

se calhar, sermos campeões. Quais eram as expectativas para esta final jogada em casa? Nós iamo-nos debater com a ansiedade, que se estava a instalar na equipa, o segundo jogo foi muito importante, a vitória lá deu-nos um maior alento. Ainda tinhamos margem para errar, só que não queríamos. Conseguimos e acho que muito bem. Foi um jogo muito disputado. Houve algum momento em que achou que poderia não ganhar? Em todos os sets pensamos isso. Que algo pode acontecer e mudar o rumo dos acontecimentos. A única coisa que tenho confiança é que tenho a melhor equipa. Os outros usufruem dos nossos erros. Aquilo que eu pedi aos atletas foi para que minimizassem o erro e tinha sempre confiança que íamos levar este jogo para nós e já estamos muito experientes nestes quintos sets. Temos ganho quase todos. Quais as expectativas para a Divisão A1? Ainda é cedo para fa-

lar nisso. Hoje é importante falar de festejar. O clube já pensou, não fez esta aposta a pensar que quando chegassemos iamos descer logo. Mas confio fielmente nos atletas que tenho e se calhar mais um ou não, não sei. Mas queremos lá continuar e não queremos já descer. O pavilhão está cheio. Como sente esse factor... Foi algo a que nos habituámos ao longo do campeonato, os próprios arbitros dizem que vale a pena vir cá arbitrar, que é sempre uma alegria constante na bancada. É logico que nestes últimos jogos ultrapassou tudo aquilo que era normal, mas nós estavamos habituados a este tipo de apoio e a esta nossa claque. Fora também há muito apoio? Há muito menos apoio, apesar de quase sempre ser a nossa própria claque. Neste ultimo jogo foi o delírio completo porque conseguimos levar um autocarro cheio e ficar gente à espera e deu-nos se calhar a força necessária para ganhar o jogo lá.

Sente que é verdadeiramente o líder? Fui eleito capitão de equipa e nesse papel procuro a melhor forma de incentivar a equipa e puxar pelos meus colegas quando eles estão em momentos menos bons e para ver se conseguimos chegar todos ao mesmo objectivo que é a vitória. O jogo teve de ir até ao quinto set. Achou que poderia não ganhar hoje? Não. Acho que o título não nos podia fugir aqui e apartir do momento em que fomos ganhar o jogo fora na semana passada, pensámos mesmo que podiamos fechar o jogo aqui, tivemos 2 momentos menos bons, nos 2 sets que perdemos quando estavamos na frente por 2 pontos e deixamos fugir os sets por erros infantis nossos que não poderiam acontecer. Mas conseguimos colmatar essas falhas vencendo depois a negra e conseguindo ganhar o jogo. O público foi fundamental para a vitória hoje? É, este publico é fantástico. Tem-nos acompanhado nos últimos jogos, nas saidas são autocarros a ir para os jogos, fazem mais barulho nos pavilhões quando nós estamos fora, do que os outros adeptos. Têm sido fantásticos, têm dado um excelente apoio e o barulho que fazem lá em cima torna o nosso pavilhão muito complicado de jogar para quem vem de fora. E agora em relação às expectativas da divisão A1? A divisão A1 é o topo do voleibol nacional. Obviamente que sabemos onde vamos. Já jogamos vários jogos com equipas de A1, em taças de portugal., temos vários elementos da equipa que já passaram por equipas de A1. Vamos para uma divisão muito mais competitiva e penso que o nosso objectivo principal tem de passar por manter, aguentar, porque esta subida tem piada se conseguirmos aguentar, para tentar mais tarde novos projectos... Agora subirmos para descer não é o nosso objectivo!


24

8 MAIO 2009

MODALIDADES

Pentatlo Moderno

CROSS-COUNTRY S.C.Leiria e Marrazes/Fatibike domina em Monforte

Direitos Reservados

Maceirinha representa Portugal, conquistando um terceiro Lugar A ACRM é um clube especial e oferece aos seus atletas a possibilidade de praticar modalidades especiais. Hoje em dia as pessoas procuram diversidade, daí surgiu o Pentatlo Moderno e com bons resultados. Nos escalões mais novos, até iniciados, os atletas realizam provas de tiro (pistola de ar comprimido a 10 metros), natação e corrida. Ficam para os escalões etários mais velhos as provas de esgrima e hipismo. Neste desporto, desde 2006/ 07, a ACRM mostrou ter pernas para andar, com uma equipa composta por doze atletas, que viria a conquistar um título nacional, em benjamins masculinos e um segundo lugar, em iniciados femininos. Em 2007/2008, já com 14 atletas, conquistou três títulos

nacionais, em aprendizes femininos e masculinos, por Ana Fernandes e Rafael Lopes e em benjamins femininos, por Bruna Costa. Nesta época, a atleta Joana Jacinto está no Centro de Alto Rendimento do Jamor, prova que se trabalha bem por estes lados.

No dia 2 de Maio, o atleta da Maceirinha, Ricardo Rodrigues do escalão Infantis masculinos, foi a Barcelona, representar a selecção Portuguesa de Pentatlo Moderno, no “Troféu Internacional de Vila St. Boi”, de escalões jovens até Juniores, subindo ao pódio no 3º lu-

gar, provando mais uma vez, que mesmo com os melhores a selecção está bem representada. Participaram neste troféu; a selecção de Espanha, Itália, França, Suíça, as Ilhas Canárias e uma equipa de Galiza e Bordéus.

No passado fim de semana o S.C.Leiria e Marrazes/ Fatibike deslocou-se até Monforte(Coimbra), para realizar uma prova de CrossCountry. Num circuito digno de uma prova de grande nivel mundial com grande dificuldade fisica e técnica o S.C.L.M dominou quase por completo esta prova. Em femininos a Joana Seco ficou em 2ºlugar, na classe de Elite o Pedro Rasquete ficou em 1º e o Tiago Marques em 3º, na classe de Sub-23 ficou em 1º lugar do André Filipe, em 2º lugar do Diogo Laranjeiro e em 3º lugar o Nuno Santos, na Classe de Juniores o Artur Pires fez 2º e o Nélio fez 3º, em Veteranos A o vencedor foi o Nuno Cordeiro e em Veteranos B o Tózé ficou em 2º lugar. Por equipas o S.C.Leiria e Marrazes/Fatibike foi o Grande Vencedor desta prova.

VITÓRIAS COLECTIVAS

Atletismo leiriense em destaque Foi um fim-de-semana com muitos e bons resultados para o atletismo leirienses. Vitórias colectivas no Quilómetro Jovem das Beiras e no Olímpico Jovem das Beiras. Ainda dois recordes nacionais nesta última provam. Na estafeta 4x60 metros de infantis masculinos e nos 250 metros barreiras, iniciadas, por Anais Baptista. Também na Taça FPA de Marcha, realizada na tarde do passado sábado, na pista do Complexo Desportivo do Luso, os representantes de Leiria estiveram presentes em grande quantidade e qualidade. Carlos Carmino


25 Carlos Jorge Monteiro / Imagereporter

REMO

8 MAIO 2009

Regata da Queima das Fitas a maior de sempre E.O.

Clube Portuense conquista primeiro lugar da prova rainha. AAC fica com a segunda posição. Um dia quente de Primavera recebeu os mais de mil participantes na maior regata de sempre. Outros tantos foram ocupando as margens do Mondego para assistir à largada de 95 provas. A prova rainha, o Memorial José Matos, em que competem as embarcações shell de 8 com timoneiro, estava guardada para o final da regata. Um total de 1050 inscrições, 11 clubes estrangeiros, 17 na-

cionais e 4 mil tribulações: são estes os números do sucesso da Regata Internacional Queima das Fitas/Águas de Coimbra (RIQFAC). O organizador e presidente da Secção de Remo da Associação Académica de Coimbra (AAC), Rúben Leite justifica os números com as características da prova: "é uma regata citadina, inserida no meio envolvente da Queima das Fitas, com uma pista curta, rápida, muito disputada e entusiasmante". Mais do que satisfeita com o sucesso da prova, a organização sustenta que a crescente afirmação da competição é o "resultado do reconhecimento do trabalho da secção". O mesmo reconhecimento foi já tornado público várias vezes pela Câmara Municipal

de Coimbra. A autarquia tem dado sucessivos apoios, concretizados recentemente com a oferta da embarcação shell de oito com timoneiro e com um novo pontão para colocação dos barcos em prova. AAC conquista 2º lugar na prova rainha Nos 500 metros de pista balizada disputaram-se as categorias masculinas e femininas de infantis, iniciados, juvenis e absolutos nas embarcações skiff, double scull, quadri-scull, shell de 2 e shell de 4 sem timoneiro e shell de 8 com timoneiro. Durante a manhã teve lugar o Remo Jovem, à tarde as finais absolutas e o Memorial José Matos.

Na 28ª edição da RIQFAC destaque para o clube espanhol Miño com mais presenças no pódio e para o Real Clube Fluvial Portuense, primeiro lugar na prova shell de oito com timoneiro.

A AAC subiu 12 vezes ao pódio, uma das quais para receber o primeiro prémio (nos Juvenis Masculinos). NA estreia, o shell de 8 com timoneiro ficou-se pelo segundo lugar.


26

8 MAIO 2009

MODALIDADES

Ténis

“Leiria tem ténis de bom nível” Miguel Sousa, natural de Leiria, entrou em contacto com o ténis quando tinha 13 anos, no Clube Escola de Ténis de Leiria. Aos 19 tirou o curso de professor de ténis e começou a treinar jovens tenistas na União Desportiva da Caranguejeira. O Centro Internacional de Ténis de Leira (CITL) e o Clube de Ténis de Pombal foram os outros clubes que se cruzaram no seu caminho enquanto treinador. Neste momento, divide a sua actividade entre o CITL, onde é treinador e director técnico e a Selecção Nacional, treinando os Sub-18 femininos.

Quais os jogadores que mais se destacam no distrito? José Frazão é um dos tenistas leirienses que mais se destaca. É campeão nacional de +55 anos e está em 1º no ranking nacional da época presente. Este destaque deve-se ao desenvolvimento do escalão de veteranos no distrito de Leiria que tem ganho muitos adeptos, com o número de torneios a acompanhar esse crescimento. Nos escalões juvenis femininos temos a Cátia Rodrigues (sub-18) que irá tentar participar no Estoril Open e a Ann Amalie (sub-16). No ténis masculino, Frederico Silva é, talvez, o jovem jogador português com maior projecção, sendo que depositamos muita confiança no crescimento deste jogador caldense que participa no escalão de sub-14. Obtém sempre bons resultados nos muitos torneios internacionais em que participa, torneios esses, que lhe dão a experiência de entrar em contacto com os melhores do mundo no seu escalão. Tem tudo para ser um grande jogador. Porque é que o escalão sénior não usufrui de tanto destaque?

O escalão sénior é aquele onde há menos pressão. Tal acontece porque muitos optam pela continuação da vida académica ou começam a trabalhar, relegando a prática do ténis para segundo lugar. O desenvolvimento é bloqueado e também não há incentivos suficientes para que os jovens permaneçam no ténis e apostem neste desporto. A única salvação para os portugueses que querem viver do ténis, passa por ingressar numa universidade americana, onde o sistema de ensino é adequado e adaptado para a prática de desporto de alta competição. Logo, o ténis é muito competitivo e forte nos escalões abaixo ou acima do sénior, contudo nesse escalão a pouca profissionalização e falta de tempo para dedicar ao desporto levam a que o escalão seja de qualidade inferior. Quais os últimos títulos conquistados por tenistas leirienses? Leiria tem um muito bom nível tenístico e nos últimos anos pôde celebrar alguns títulos. Os últimos foram no ano passado, com Cátia Rodrigues a ser campeã nacional de pares e de pares mistos com André Caiado, atleta leiriense que se sagrou campeão nacional de pares.

É campeão nacional de +55 anos e está em 1º no ranking nacional da época presente.

João Matias / Imagereporter

João Gaspar

Todos esses títulos no escalão de sub18. Também tivemos José Frazão que foi campeão nacional na categoria de maiores de 55 anos. As infra-estruturas no distrito são as necessárias para a prática do ténis? Apesar de não estarmos mal servidos, as pessoas querem sempre mais

apoio. Não se pode acusar a falta de infra-estruturas, nem a qualidade, mas sim o número de campos disponíveis para praticar ténis. Outro grande problema que afecta directamente o ténis é a falta de cooperação entre o sistema educativo e o desporto de alta competição, interferindo no desenvolvimento dos jovens atletas.

Badminton

“Não esperava ir à final” A atleta Telma Santos foi segunda classificada nos Campeonatos Internacionais de Badminton que se realizaram nas Caldas, obtendo igualmente a melhor participação de sempre de jogadoras nacionais em torneios realizados na cidade. Telma Santos no final da partida confessou que pretende ficar nas Caldas assim que o Pavilhão de Alto Rendimento para o Badminton estiver concluído para treinar e chegar a uma participação olímpica. “Eu venho mesmo para ficar a treinar cá. Se houver condições eu fico. O novo pavilhão dá-me todas as condições para evoluir e para finalmente realizar o meu sonho de ir aos Jogos Olímpicos”, disse. A atleta, quase caldense, contou também que apesar ter perdido o jogo da final, foi como tivesse vencido uma vez que este foi o primeiro torneio após uma lesão. “Eu não esperava ir a uma final. Desde a qualificação olímpica que deixei de treinar tantas horas por dia e depois de estar lesionada este foi o meu primeiro torneio. Espera dar o meu me-

lhor, mas ir à final não estava há espera. Para mim é como tivesse ganho o torneio”, disse. “Sinto-me muito feliz, não por ser a primeira, mas por representar Portugal numa final”, concluiu. Para o João Matos, presidente da Federação Portuguesa de Badminton a intenção de Telma Santos é bem acolhida, mostrando que além desta atleta existe outros que estão na calha para integrarem o Centro de Alto Rendimento “Fico satisfeito com as palavras da Telma Santos, porque as pessoas compreendem a oportunidade que é e as condições que conseguem ter para continuar a sua carreira ao nível internacional”, destacou. O presidente da federação acredita na data lançada por Fernando Costa para a inauguração, no dia 30 de Setembro.

João Matos por ultimo comentou a participação nacional neste torneio, referindo que “dos 129 países com 162 atletas, ter aqui quartos final com oito atletas nacionais, nos quartos final termos alguns jogadores e ter na final feminina uma atleta, é um resultado muito bom e que muitos nos honra para dar um toque especial a estes 44º Internacionais de Portugal em Badminton aqui no Pavilhão da Rainha D. Leonor que será uma despedida condigna deste pavilhão”. Telma Santos foi derrotada na final singulares femininos pela britânica Jill Pittard, mas antes deixou pelo caminho, nas meias-finais, a polaca Anna Narel e nos quartos-de-final, a francesa Elisa Chanteur. Texto e foto: Carlos Barroso


MODALIDADES

Será já no próximo dia 22 de Julho que terá início a primeira Volta a Portugal Master (Amadores com mais de 30 anos). Dividida em 5 etapas, totalizando 420 km esta vai ser a primeira prova do género realizada no nosso país. Os distritos de Leiria, Coimbra e Aveiro foram escolhidos como as áreas predominantes onde esta prova terá lugar. Teremos assim uma primeira etapa (22 de Julho) entre Alpiarça e Caldas da Rainha, na extensão de 95 km, considerada pela Organização como de baixa/média dificuldade. Será a primeira abordagem à prova e, como tal, não são de esperar grandes aventuras por parte dos ciclistas nem que se estabeleçam diferenças significativas no final da etapa. Para o segundo dia está destinada a realização do Contra-Relógio Individual, ao longo dos 12 km do percurso poderão ser estabelecidas hierarquias e diferenças de tempo já significativas. Disputada nos arredores da vila de Soure. Ao terceiro dia chega aquela que é considerada a etapa rainha. De grau de dificuldade elevado, esta poderá ser a etapa que tudo poderá decidir. As estradas entre Anadia e Sever do Vouga não são fáceis, os desníveis do terreno costumam fazer os seus estragos e criar diferenças entre os ciclistas. No entanto, dado o equilíbrio de forças que se regista nesta categoria, não será de admirar se no final deste dia ainda estiverem uma dúzia de ciclistas em posição de disputar a vitória final. Ao quarto dia a etapa mais longa da prova. Os “sobreviventes” terão cerca de 115 km pela frente, entre Aveiro e Vila do Conde, de baixa dificuldade, onde a quilometragem e eventualmente o vento, sempre mais forte junto ao mar, poderão ser os maiores inimigos dos ciclistas. Será, eventualmente, uma etapa propícia a alguns aventureiros que, insatisfeitos com as suas posições na geral, queiram melhorar a sua prestação e tentar algumas fugas. Para o último dia, o tira-teimas final. 100 km, com partida e chegada na Póvoa do Varzim. Percorrendo estradas onde o relevo provoca muitas oscilações de ritmo, esta é considerada uma etapa de dificuldade média/alta e onde de certeza só os melhores aparecerão em posição de disputar a vitória final. Como comparação, sempre que a Volta a Portugal para profissionais tem alguma etapa nesta região, só os principais favoritos costumam aparecer em posição de destaque. Joaquim Trindade

27

CAMPEONATO NACIONAL DA II DIVISÃO DE RUGBY

Caldas Rugby Clube: 12 vs Rugby Clube de Belas: 5 Carlos Barroso O Caldas Rugby Clube depois de ter vencido a formação de Belas assegurou o quinto posto da tabela classificativa do Campeonato Nacional da II Divisão de Rugby. Neste encontro equipa da casa entrou mais decidida e aguerrida, obrigando o adversário a ficar-se pelo seu meio campo durante quase toda a primeira parte. Apesar do esforço, quer pela forma contundente como a defesa do Belas actuava, quer por alguma ansiedade dos jogadores caldenses, estes só conseguiram marcar um ensaio durante toda a primeira parte através do emblemático Pedro Madaleno, concluído com um superior pontapé de conversão de Tomás Cambournac. No único erro cometido durante a primeira parte pelos caldenses, os jogadores do Belas conseguem sair do seu meio campo e marcar um ensaio, reduzindo o marcador para 7- 5 a diferença que se atingiu ao intervalo. A etapa complementar foi bastante diferente da primeira, logo nos primeiros 15 minutos com a formação da casa a conseguir a manter a superioridade territorial e aproveitou para marcar mais um ensaio, por Filipe Fazendeiro. A partir daqui, os jogadores caldenses deixam-se empurrar para o seu meio campo, cometendo erros e faltas sucessivas, que foram mal aproveitadas pela equipa do Belas.

Jogaram pela equipa caldense: Rui Santos, Luís Gaspar, Edilázio Prado, Ivo Crispim, Pedro, Ricardo Barra, Paulo Santos, Nelson Madaleno, Luís Correia, Tiago Sousa, Luís Barreto, Tomás Cambournac (2), Pedro Madaleno (5), Filipe Fazendeiro (5) e Filipe Ferreirinha. E ainda: Tiago Ribeiro, Salvador, Pedro Freitas, Luís Rodriguez Treinador: Patricio Lamboglia

Carlos Barroso / Imagereporter

CICLISMO Os amadores também têm Volta a Portugal

8 MAIO 2009


28

8 Maio 2009

MOTORES

JAGUAR DE 1955 LEVANTOU OS CABELOS AO DESPORTOTAL

Adélio Amaro

JAGUAR XK 140 o puro gato selvagem JAGUAR O nome Jaguar apareceu primeiro em 1935, aquando do lançamento de um roadster de dois lugares da Swallow Sidecar Company no Salão de Londres, Inglaterra. Contudo, só em 1945 é que William Lyons fundou a Jaguar Cars Ltd. A Jaguar foi uma das marcas que mais contribuiu para a história do automóvel, especialmente com os XK, que tomaram o mercado de assalto quando foram introduzidos em 1948 devido às cinco vitórias em Le Mans obtidas pelos posteriores carros desportivos de corrida tipo C e D e valor sem paralelo oferecido pelo agora e ainda actual lendário Tipo E. Adélio Amaro

Adélio Amaro

Adélio Amaro

O Desportotal conheceu mais de perto o Jaguar XK 140 e teve a oportunidade de experimentar as suas capacidades após mais de 50 anos, se ter estriado nas pistas e estradas do Mundo.

O Jaguar XK 140, que aqui apresentamos, é do ano de 1955, com motor de 3.400 cc, 210 cv, tendo a capacidade de atingir 210 Km/h de velocidade máxima. O XK 140 foi anunciado em Outubro de 1954 no London Motor Show, na In-

glaterra, tendo sido produzidos 3.347 Roadster e 2.797 Coupé. O Desportotal teve o prazer de dar “umas voltas” pela região, escutando o belo som das duas saídas de escape que o XK 140 apresenta. Após 54 anos, o exemplar que trouxemos a esta página, tem ainda a virilidade de um desportivo moderno. Com um consumo médio de 12,9 l, este modelo da Jaguar é, sem dúvida, um dos mais belos que alguma vez aquela marca produziu. Sendo, mesmo assim, um dos mais económicos da sua época, no que diz respeito a viagens de longa duração. Este modelo, com 4 velocidades, ficou marcado pela sua excelente estabilidade em alta velocidade. O modelo XK foi comercializado após a Segunda Guerra Mundial, tendo sido o XK 120 o veículo mais vendido. O XK na década de 40 venceu por

cinco vezes a famosa corrida de Le Mans, substituindo o modelo 120, antecedendo o pouco conhecido XK 150. O XK 140 apresenta algumas diferenças do XK 120, principalmente a nível de linhas exteriores. A nível de motor o XK 120 apresentava 160 cv, contra os 180 e 210 dos XK 140. O XK era conhecido pela carroçaria em liga leve, pela dupla árvore de cames, pelos dois carboradores SU e pela sua suspensão dianteira independente. Naquela época o XK 140 era considerado uma versão modernizada do modelo XK 120.


Coordenação Adélio Amaro adelio.amaro@gmail.com

8 MAIO 2009

MOTORES

29

DESPORTOTAL COM A DUPLA VASCONCELOS AO VOLANTE DO PORSCHE 911 S

Entre as 90 inscrições foram quatro as duplas leirienses que participaram nas "500 Milhas ACP", tendo a dupla Vasconcelos alcançado o 14.º lugar. Adélio Amaro Os dias 1 a 3 de Maio de 2009 ficaram marcados pelas "500 Milhas ACP Aveiro - Tavira". Com cerca de 90 participantes, automóveis fabricados até 31 de Dezembro de 1974, fizeram mais de 750 quilómetros entre Aveiro e Tavira. Durante os três dias foram 16 as horas de condução em desafio de resistência e regularidade. Da nossa região participaram quatro

duplas, nos seguintes automóveis e respectivas classificações: Luís Filipe Vasconcelos / João Vasconcelos, Porsche 911S, 1968, 14.º classificado; José Manuel de Matos / Horácio Freire Marques dos Santos, Renault 16 TS, 1973, 41.º classificado; Jorge Soares Almeida / João Clemente Almeida, Austin Mini Cooper S MKI, 1966, 56.º classificado; Ivan Edgar Graça / Jaime Loureiro, Renault R8S, 1972, por problemas de embraiagem não se classificou. Esta prova passou por lugares simbólicos de Portugal, como são exemplo Caramulo, Serra da Estrela, Portalegre, Castelo de Vide e Alqueva. Saindo da zona Litoral (Aveiro) esta prova percorreu grande parte da zona Interior de Portugal, atravessando o Alentejo até alcançar o Algarve. A distribuição de prémios teve lugar no Golf Monte Rei.

FV

Leirienses aceleram nas 500 MILHAS ACP

Luís Filipe Vasconcelos / João Vasconcelos, Porsche 911S, 1968

DIAS 9 E 10 DE MAIO NA ZONA DESPORTIVA

TUNINGPARTY na Batalha Mais uma vez, a Vila da Batalha irá servir de cenário para a 6.ª Tuningparty, em que a organização se predispôs a preparar e a levar a cabo uma concentração onde, novamente, se vai poder desfrutar da mais completa festa do Tuning, com o apoio da Câmara Municipal da Batalha.

A 6.ª Tuningparty irá ter lugar na zona desportiva da Batalha, com óptimas condições para o divertimento dos visitantes e tuners, com toda uma variedade de actividades, desde a mais radical até à mais origi-

nal passando também pelos grandes momentos hilariantes de Freestyle Stunt Riding,

Moto Trial, Car Wash Girls, Carro Alivia o Stress, Hora do Presunto, entre outras. O Tuning é um fenómeno em expansão e vai estar na ordem dos dias 9 e 10 de Maio do corrente ano. A festa do tuning terá início às 20:30 horas de Sábado, 9 de Maio, com actividades radicais e cheias de adrenalina, como o Moto Trial com o Campeão Nacional Pedro Sousa, ao som do DJ de serviço e Show de Neons, encerrando às 2 horas. No domingo, com a abertura às 9 horas, será a vez das verificações técnicas, SPL / DB Drag Campeonato Nacional, destaque para o Seminário Tuning pelas 11:30 horas, Top 50 Nacional, Top 10 Internacional, demos de Aeromodelismo e Anima-

ção Total com Moto Trial, Freestyle Stunt Riding com Team Arrepiado, Carro Alivia o Stress, Car Wash Girls, Pit Stop Cup, Telebomba, Hora do Presunto, etc.. Num local já habituado ao ambiente de festa da Tuningparty, onde na edição anterior se registaram 8000 visitantes, 597 viaturas participantes, 21 expositores, semelhança dos anos anteriores, irão estar presentes, também, algumas entidades, como a Guarda Nacional Republicana, União Portuguesa de Tuning, terá também a presença da Cercilei e a União Humanitária de Doentes com Cancro e vários expositores com material Tuning. De salientar, ainda, que este evento terá parque de campismo no interior do recinto e não faltará o tradicional comes e bebes.

riques Jorge Hen

KART 12 horas nocturnas O Núcleo Desportos Motorizados de Leiria está a promover as 12 horas nocturnas em kart para a noite de 19 para 20 de Junho (sexta e sábado), a realizar no Kartódromo Internacional de Leiria. A prova de resistência terá início às 20:30 horas, com verificações administrativas. Depois dos treinos livres a corrida terá a sua partida às 22:30 horas, para terminar às 10:30 horas de sábado, seguida da entrega de prémios. Nesse mesmo dia, à noite, haverá caldo verde, surpresas, tenda musical, festival DJ, entre outras actividades.


30

8 MAIO 2009

ANDEBOL

Um pouco de Leiria na Selecção...

Atletas da “Juve” na Noruega Desportotal foi ao pavilhão onde se treina a Juventude Desportiva do Lis entrevistar duas jovens promessas do andebol nacional. Vamos às apresentações: Gizelle Carvalho, 17 anos, começou a praticar Andebol em meados de 1998, sendo um "produto" da formação da Juventude Desportiva do Lis. resultados e óptimas exibições que Gizelle foi convocada para jogar no Torneio Scandibérico de Selecções. Inês Silva, 15 anos, ganhou o gosto pelo andebol em 2003, onde começou a jogar pela União Desportiva de Leiria. Pouco faladora fora das quatro linhas, mas com tremendo potencial quando no piso do

pavilhão, admitiu que o andebol não é tudo na vida... Mas é grande parte! Com 15 anos, já se estreou pela Selecção e o torneio Scandibérico será o palco ideal para mostrar as suas capacidades. Sendo um torneio internacional, jogado em na Noruega, a Selecção Nacional irá defrontar adversários bastante fortes,

entre as quais a anfitriã Noruega, a Alemanha, Suécia e Dinamarca, e será um desafio para estas duas jovens atletas da Juventude Desportiva do Lis, mas também um prémio pela óptima época que realizaram, ao ajudarem a sua equipa a apurar-se para as finais do Campeonato Nacional de Juniores femininos,

chegando ao 4º lugar do ranking de melhores equipas ao nível nacional no seu escalão. Apesar de alguma timidez no jogo de palavras, ambas as atletas falaram do seu passado no andebol, as suas expectativas, prioridades e o futuro na Selecção. Por Tiago Ramalho

tempo... Onze anos na Juve... Seria muito difícil. Só se a proposta fosse mesmo irrecusável.

lecção? Vão jogar pela Selecção B, não é? G: Sim, que é o nosso escalão. Quero continuar lá, e trabalhar para continuar a estar lá e ajudar a Selecção a atingir os melhores resultados. I: Exactamente.

Como é que se sentem por chegar à Selecção de Portugal? G: É muito bonito, especialmente quando se ouve o hino... É mesmo espetacular. I: Sim, ouvir o hino é fixe.

Sérgio Claro / Imagereporter

A sua capacidade técnica e atlética permitiu-lhe já com 17 anos jogar pelos séniores e o futuro passa pela Selecção, onde conta com mais de trinta internacionalizações. Apesar de a época não estar a correr de feição no escalão de séniores, a verdade é que em juniores as coisas são completamente diferentes e foi pelos bons Com a chamada à Selecção, "vê-se" que a época correu bem... G: Sim, a júniores conseguimos estar na fase final agora, o que surpreendeu muita gente. Foi pelo nosso esforço, temos trabalhado imenso. As séniores não tem estado mal, temos tentado manter o nosso objectivo que é não descer de divisão. Por enquanto ainda conseguimos manter a manutenção, ainda falta, dois jogos... Mas está a correr bem. Vocês começaram a jogar andebol na Juve? G: Sim, eu comecei na Juve. I: Eu comecei na União de Leiria. Qual a vossa experiência? G: É muito bom, apesar de ser um desporto, ajuda as pessoas e hoje em dia é necessário fazer desporto. E também o contacto com as outras pessoas, conhecimento de outros lugares, forma-se muitas amizades e aprende-se muito até a viver em convívio com outras pessoas. I: Eu acho que aqui em Portugal não se dá muito valor ao andebol, é mais ao futebol.. Como é conciliar os estudos com o Andebol? G: Não é fácil, falo por mim. Meto o andebol à frente dos estudos, mas consigo conciliar e consigo até ter bons resultados na escola. I: Eu meto os estudos à frente do andebol... Pretendem seguir carreira no andebol?

Nome: Gizelle Carvalho Idade: 17 anos Escalão: Júnior; Sénior Posição: Ponta Esquerda Ano de iniciação:1998 Nome: Inês Silva Idade: 15 anos Escalão: Juvenis; Juniores Posição: 1ª L Ano de Iniciação: 2003

I: Não quero seguir carreira, mas quero continuar a jogar até ser sénior, até poder... G: Não sei, talvez... Quem sabe. Mas como está agora... Nunca se sabe. Mas se conseguir era bom! Neste momento a Juve no vosso escalão é a 4ª melhor equipa nacional. Como vêem jogar por outros clubes se houver propostas? I: Isso não sei.. Eu não ia ter coragem para mudar de clube! G: Eu não sei, mas tendo em conta que estou aqui à muito

Ao nível de Selecção quantas internacionalizações? G: Tenho 30 e poucas internacionalizações. Ao nível de vários escalões? G: No meu escalão e no escalão acima. I: Tenho para aí umas cinco internacionalizações. Quais são as vossas expectativas em relação à Se-

Em relação ao torneio, quais são as vossas expectativas? G: O Scandibérico? As equipas são difíceis, mas vamos tentar obter os melhores resultados... Vamos trabalhar e lutar dentro de campo e honrar Portugal.

Num futuro, se forem regularmente chamadas à selecção como vêem as prioridades entre o estudo e ter de ir para o estrangeiro? G: Como já tinha dito, meto o andebol à frente dos estudos. I: Não sei, vai ser difícil... Mas logo se vê.


SOCIAL / MODALIDADES Amanhã serão conhecidos os vencedores

PRÉMIOS BENTO PESSOA – CASINO FIGUEIRA Ao fim da manhã de amanhã, serão conhecidos os vencedores da 2ª edição dos Prémios BENTO PESSOA – CASINO FIGUEIRA. O Júri reúne no Casino pelas 10,30 horas, anunciando os premiados em Conferência de Imprensa a realizar no final da reunião. Quem sucederá a Vanessa Fernandes, Moniz Pereira, Ribeiro Cristóvão, Eduardo Nery, Rute Costa e à Real Federação Espanhola de Ciclismo?

OS PRÉMIOS DESPORTIVOS DE ÂMBITO NACIONAL • ATLETA OU EQUIPA • DIRIGENTE, TÉCNICO OU INSTITUIÇÃO • JORNALISTA (DESPORTIVO) • PERSONALIDADE LIGADA À FIGUEIRA DA FOZ (Qualquer área, excluindo o Desporto) • PERSONALIDADE DO GINÁSIO CLUBE FIGUEIRENSE ATLETA, TÉCNICO OU DIRIGENTE O JÚRI • Prof. Eng. Eduardo Marçal Grilo – PRESIDENTE • Comte. Vicente de Moura • Prof. Doutor José Pedro Ferreira • Eng. António Duarte Silva • Dra. Teresa Machado • Dr. Domingos Silva • Ribeiro Cristóvão • Comte. António Marques Guerra • Dr. Joaquim de Sousa • António Alves Barbosa • Fernando Alves do Vale • Eng. José Tomé • SECRETÁRIA (sem direito de voto) – Alice Mano Carbonnier

Futsal iniciados

LEIRIA e ACREDEM discutem título

No dia 10 de Maio pales 10 horas da manhã vai jogar –se no pavilhão de Pousos em Leiria a última jornada do campeonato de iniciados, com as equipas da união de leioria e Acredem - Maças Dona Maria, e quem vencer será o campeão da zona norte.

8 MAIO 2009

31

FUTSAL Empate emotivo em “derby” decisivo O Núcleo Sportinguista de Leiria recebeu no passado Domingo o Parceiros, para arrancar "in extremis" um empate a quatro golos, num "derby" emotivo, disputado num pavilhão cheio de adeptos das duas equipas. Este era definitivamente um jogo decisivo: à partida deste jogo, o Núcleo Sportinguista de Leiria liderava o campeonato, mas apenas com um jogo a mais, pois de resto mantinham um estrito empate: 16 vitórias e dois empates para as "leoas", 15 vitórias e dois empates para os Parceiros. Em caso de vitória em qualquer uma das equipas, o empate na classificação ficaria quebrado e o título para um dos lados era certo. Logo, nenhuma das equipas tinha margem para erros. Apesar da emotividade, em termos de tabela, tudo ficava na mesma, com o Núcleo Sportinguista na frente, com um jogo a mais do que o Parceiros No final, Nídia Prata, a técnica do NSL, afirmou que as jogadoras acusaram o nervosismo inicial. No lado dos Parceiros, Bruno Bértolo considerou que "entramos bem no jogo, na primeira e segunda partes, apesar de não termos sido organizados." P.A .T

Play-off principia no dia 16

I. D. João V defronta Benfica O Instituto vai defrontar o Benfica nos Play-off, após ter terminado a fase regular na oitava posição. A formação de André Lima era o adversário menos desejado pelos responsáveis da turma do Louriçal, mas a classificação de ambas as equipas assim o ditou. Nuno Dias, técnico do Instituto salienta que “ não tivemos bem nestas duas últimas jornadas, há que o reconhecer. Somamos uma derrota diante do Módicus e um empate com o Olivais, mas conseguimos o objectivo principal, que era a ida aos Playoff”. O Benfica é o adversário que se segue e Nuno Dias confia no potencial da sua equipa. “vamos tentar fazer história, sabendo que va-

mos defrontar, a melhor equipa da fase regular e o actual campeão nacional. Já vencemos esta temporada uma vez o Benfica, por isso acredito que é possível seguir em frente nos Play-off, embora tenha consciência que vai ser uma eliminatória muito complicada”, salienta. Já é oficial a continuidade de Nuno Dias, no comando técnico do Instituto. O técnico não esconde a satisfação por continuar mais uma época à frente do Instituto. “ Posso confirmar a minha continuidade no Instituto, facto que me deixa extremamente feliz, até porque é sinal que os responsáveis do clube, reconhecem o meu trabalho”, considera.


Jorge Henriqu es

8 MAIO 2009

ÚL TIMA ÚLTIMA Artur Agostinho irá colaborar com o Desportotal, através de um artigo de opinião mensal. Sem dúvida, uma força de um grande profissional para este jovem projecto. Ficamos ansiosos por ver e ler os apontamentos com que Artur Agostinho irá brindar os nossos leitores.

TRÊS PERGUNTAS A...

Adélio Amaro Artur Agostinho é conhecido como um homem do Desporto. Entre as diversas áreas em que trabalhou, como é que surge o jornalismo desportivo na sua carreira? Desde miúdo que, por influência do meu irmão mais velho, comecei a interessar-me pelo desporto, como espectador e, mais tarde, como praticante. Gostava muito de futebol, de atletismo, basquetebol e de ciclismo. Mais tarde, quando comecei a frequentar o Campolide Atlético Clube, além do meu interesse pelo teatro amador, cheguei a praticar basquetebol, ténis de mesa e tiro reduzido. Posteriormente, por motivos de saúde, tive de abandonar o basquetebol mas continuei a praticar o tiro e a jogar ténis de mesa (tendo chegado a representar nos anos 30 – primeiro o Ateneu e, depois, o Técnico). Devo dizer que, nessa altura, não pensava incluir a área desportiva nos meus sonhos radiofónicos. Isso aconteceria por força do acaso, já estava então ao serviço da Emissora Nacional onde o titular do desporto era o Alfredo Quádrio Raposo. Um dia, estava ele na Suíça, onde acabara de fazer a cobertura do tradicional Torneio de Hóquei em Patins de Montreux, quando uma greve nos aeroportos suíços o impediu de regressar a tempo de relatar um encontro de futebol entre o Benfica e o Futebol Clube do Porto. O problema causou alguma perturbação nos Serviços de Produção da EN mas o poeta Adolfo Simões Muller que era funcionário da Secção Literária, lembrou ao director de programas que eu era – como diziam – um locutor polivalente e, além disso, espectador assíduo dos encontros

Jorge Henriques

ARTUR AGOSTINHO o mestre da comunicação patins (Emídio Pinto, Raio, Edgar, Jesus Correia e Correia dos Santos) ou grandes atletas como Manuel Faria, Manuel Oliveira, Carlos Lopes, Mamede ou ciclistas como Alves Barbosa, Ribeiro da Silva, Sousa Santos, Sousa Cardoso, Jorge Corvo, João Roque e o incomparável Joaquim Agostinho.

de futebol. A princípio manifestei relutância em substituir o Quádrio Raposo tratando-se, para além do mais, de um jogo de tão grande responsabilidade, mas acabei por ceder. Algum tempo depois, em consequência do seu afastamento, fui incumbido das funções de relator desportivo. Durante as décadas de quarenta e cinquenta acompanhou grandes vedetas do Desporto. Quais foram os nomes que mais recorda? Foram tantos que, se tivesse a veleidade de os citar a todos, correria o risco de cometer a injustiça de esquecer alguns

deles. Em todo o caso, desde as grandes figuras dos tempos mais recuados, como Azevedo, Carlos Gomes, Chico Ferreira, Félix, Manuel Passos, as famosas “torres de Belém”, o Barrigana, ou os inesquecíveis “cinco violinos” do Sporting (Jesus Correia, Vasques, Peyroteo, Travassos e Albano). Depois, os “europeus” do Benfica (entre os quais Costa Pereira, Germano, Coluna, José Augusto, Águas, Torres, Simões e Eusébio), o Morais, do Sporting, que me deu aquela extraordinária alegria da conquista da “Taça das Taças”, ou os “heróis” do Mundial de 66, são nomes guardados para sempre na minha memória, como a “velha guarda” do hóquei em

Como foi acompanhar o maior feito de sempre da Selecção Nacional de Futebol, no Mundial de 1966? Foram grandes as emoções vividas durante o Campeonato do Mundo de 1966 que nos levou à inesquecível fase final, em Inglaterra, onde conquistámos um excelente terceiro lugar. Isto, depois de termos estado à beira de fazer história com a conquista de uma presença na final, diante da grande e poderosa Alemanha. Caímos na meia-final frente à selecção do país organizador – a Inglaterra – mas a atitude dos “Magriços” foi de verdadeiros vencedores. Curiosamente, todo o País vibrou, assim como os nossos emigrantes, naquela altura, com momentos muito semelhantes aos que foram vividos, muito recentemente, durante o “mundial” da Alemanha. Por grande coincidência, em ambos os casos, o comando técnico da selecção portuguesa era… brasileiro – Otto Glória, em 1966, e Luís Felipe Scolari, em 2006. Como é natural, vivi toda essa fase com grande emoção, muitas alegrias e alguns sustos, como foi o caso desse inesquecível Portugal x Coreia do Norte – um “duelo” impróprio para cardíacos, em que estivemos a perder por 3 x 0 e acabámos por ganhar pelos maravilhosos 5 x 3, graças a um grande “festival” proporcionado pelo nosso então jovem Eusébio.

Nº 4 - 8 de Maio de 2009  

Edição Nº 4 do Jornal Desportotal.