Issuu on Google+

2011 Prémio S P A Melhor Programação Cultural Autárquica Candidatura da Câmara Municipal de Évora

Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Évora Praça do Sertório, 7004-506 Évora cmevora@cm-evora.pt www.cm-evora.pt


2011 Câmara Municipal de Évora

2

Apresentação institucional da candidatura

3

Évora cidade educadora também para a cultura

6

Évora dá palco

56

Em Évora vivem as Artes e a Cultura

68

Divulgação e comunicação

71

Alguns dados sobre Évora

73

Equipamentos culturais municipais

74


Câmara Municipal de Évora 2011 A PRESENTAÇÃO

INSTITUC IONAL DA CANDIDATURA

O atual Alentejo Central identifica-se sobretudo com o território de Évora e é esta sua centralidade, esta situação de ponto de confluência, de encontro de vários caminhos, que lhe permitiu afirmar-se de uma forma muito especial no Alentejo, consolidando um estatuto que, construído ao longo dos tempos, se afirma na contemporaneidade dos nossos dias e onde o reconhecimento do seu “génio do lugar” encontrou o expoente máximo com a inscrição em 1986 na lista do Património da Humanidade. No ano em que se assinalaram, a 25 de Novembro, 25 anos da Classificação do Centro Histórico de Évora como Património Mundial pela UNESCO, a Câmara Municipal construiu uma programação autárquica que trazia ainda de 2010 as comemorações do Centenário da República. O ano de 2011 foi, por isso, ano de finais e de começos, e foi também tempo em que se anunciou um futuro mais difícil para todos: indivíduos, coletividades e cidades. Tempo de balanço e de comemoração, mas também tempo de lançar bases para não se parar, nem interromper a construção do futuro. Desde logo importa destacar a tripla dimensão com que esta formulação foi entendida: ensino, criação e consumo. Uma aposta que pressupôs iniciativas que potenciassem, numa lógica de fileira, uma forte relação entre o Património, as Artes e a Cultura, procurando constituir-se Évora como um fator adicional de afirmação enquanto território de excelência, também no domínio do turismo. Encarando a Cultura cada vez mais de forma transversal, conjugaram-se e compatibilizaram-se as iniciativas de diversos serviços municipais. Do mesmo modo, também o relacionamento com instituições culturais da Cidade assim foi construído, privilegiando o estabelecimento de estratégias e/ou de projetos conjuntos que beneficiaram o desenvolvimento sustentado nesta área. Por outro lado, foram tentadas outras vias de intervenção conjunta com os agentes culturais do Concelho, para além da via cada vez mais incerta do subsídio, pois considerámos que para um desenvolvimento cultural sustentado e equilibrado, todos os agentes deveriam assumir um conjunto de responsabilidades, direitos e deveres, comprometendo-se com todos os seus pares no objetivo de acrescentar Cultura e qualidade de vida ao nosso Concelho. Da parte da Autarquia, atenta à crise com que estivemos e continuamos a estar confrontados e as dificuldades cada vez maiores que estes agentes culturais atravessam para o desenvolvimentos e colocação das suas produções noutros territórios, demos prioridade à apresentação do seu trabalho. O orçamento apresentado para o ano de 2011 não permitia dar cabal resposta à habitual expetativa dos agentes culturais, tendo sido já um ano bastante difícil. A imprescindível racionalização de custos e de grande contenção de despesas, e sobretudo as opções políticas municipais, conduziram-nos a uma aposta prioritária nas ações que beneficiaram de comparticipação financeira, no estabelecimento de redes, parcerias e colaborações.

3


2011 Câmara Municipal de Évora Importa, no ano de 2011, destacar os projetos em que Évora se envolveu e os que continuou a desenvolver e que mais influenciaram a programação cultural politicamente assumida pelo executivo municipal. Vindo do ano anterior, voltou a acontecer o Festival Terras do Sol, uma parceria de seis Municípios do Alentejo Central, candidatado no quadro das Redes Urbanas para a Competitividade e Inovação, e que em Évora privilegiou nos meses de Verão as atividades de rua, algumas já com uma história individual muito própria e que, desta forma e confirmando o seu êxito junto da população, puderam ser financeiramente apoiadas. Já no seu terceiro e penúltimo ano, o projeto Oralidades que coloca Évora à frente de um conjunto de cidades parceiras – Birgü (Malta), Idanha-a-Nova, Mértola, Ourense (Galiza, Espanha), Ravenna (Itália) e Sliven (Bulgária) – em que as tradições orais, através das palavras e da música, dos sons e das escritas, do cante e da poesia, tiveram encontro marcado em Évora, fez circular pela Europa um conjunto de agentes culturais eborenses, amadores e profissionais. Teve início o Teias, projeto precursor de uma rede de Teatros e Cine Teatros do distrito de Évora, sustentado numa parceria de onze Municípios e cuja filosofia foi desenvolvida privilegiando a programação dos agentes artísticos do território abrangido e que foram, por isso, aqui circulando. Finalmente, demos corpo ao projeto Recursos Educativos que de forma mais sistematizada oferece a um público definido, o público escolar, as propostas quer de atividades em equipamentos municipais e de responsabilidade do corpo técnico da autarquia, quer de atividades por parte de agentes artísticos locais e a que o Município facilita assim a divulgação e o acesso. A programação cultural de um território é e será sempre indissociável de quem cria as obras, o seu Autor, para serem usufruídas pelo seu público, os munícipes, que por sua vez são aqueles para com quem o executivo eleito tem um compromisso a cumprir, democraticamente. Da valorização do trabalho do Autor pelo público, cria-se também mais um, se não o mais importante, veículo de divulgação desse trabalho, e o território transformado em paisagem assim vivida torna-se ainda mais atrativo para visitantes e espetadores. Para os que vêm de fora, os turistas, mas também os que são de lugares sociais que cá dentro não têm o hábito de usufruir da oferta cultural que afinal está ali “à mão de colher”, Évora transforma-se, então, num palco.

4


Joaquim Carrapato

Câmara Municipal de Évora 2011

5


2011 Câmara Municipal de Évora Évora cidade educadora também para a cultura – a programação cultural promovida pela autarquia Desenvolvida em equipamentos municipais ou em espaço público, a programação de iniciativa exclusivamente autárquica é aquela em que o executivo e os serviços, com os seus quadros próprios e/ou em estreita colaboração com agentes artísticos e culturais locais, a gerem, propondo atividades, escolhendo propostas dos agentes ou sugerindo a programação para a cidade de Évora. O Município é aqui também, em certos momentos e lugares, o Curador do espaço cultural concelhio, responsável pela conceção, montagem e/ou supervisão de atividades. E programar no âmbito do Município implica pensar duas bases: a da qualidade dos produtos criativos e as necessidades dos públicos que são as populações do Concelho. Para se construir algo a partir destas duas bases há que não perder de vista: a descentralização, estendendo a vários “sítios” as atividades e envolvendo diferentes instituições (escolas, biblioteca, museu, por exemplo) e a formação e fidelização de públicos, numa política de reconhecimento de grupos-alvo, e de desenvolvimento nos públicos do sentimento de identificação com o agente criador, com a forma de expressão proposta ou com a temática tratada. Por outro lado, Évora escolheu ser uma Cidade Educadora em 2001, uma rede internacional (Associação Internacional de Cidades Educadoras) da qual fazem parte 47 Municípios portugueses (Rede Territorial Portuguesa de Cidades Educadoras). Sendo a Educação um pilar da sociedade, havendo na Cidade pessoas e lugares que dão a outras pessoas e aos lugares a sua criatividade e o seu trabalho para que, fruindo, usufruam dessas dádivas, a Câmara Municipal de Évora propôs em 2011 às escolas do Concelho de Évora um conjunto de atividades enriquecedoras pelo contacto entre a Escola e quem também faz a vida da cidade. Agentes culturais, técnicos municipais e instituições, todos com prática de oferecer de iniciativa própria as suas atividades para um público infanto-juvenil, reuniram-se para sistematizar e agilizar esta oferta em formato mais visível pela concentração num mesmo caderno e que, à partida, permitirá uma maior rentabilização de todos os esforços e levando para a frente esta ideia de que a nossa Cidade pode ser um recreio onde também se aprende. Com o mesmo espírito, também em 2011 teve início a Rota das Igrejas, percurso pedestre que veio juntar-se a outro tipo de passeios e visitas e que promovem o passeio e o lazer familiar, usufruindo do Património natural e cultural.

6


Câmara Municipal de Évora 2011

Todos p'ro nabo e nabo p'ra todos - Contos d'Oficina Projeto educativo - Metrologia 2010-2012 Produção: Câmara Municipal de Évora Divisão de Assuntos Culturais – Núcleo Museológico Casa da Balança

Com o objetivo de divulgar a Casa da Balança e trabalhar as grandezas no âmbito da metrologia com um público-alvo dos jardins-de-infância, as sessões decorrem com o acolhimento com cante Alentejano, a apresentação da unidade museológica e das técnicas envolvidas, apresentação de um conto e livros, montagem do conto e adereços, narração e dramatização do conto, apresentação de ideias e livros com que se construiu o conto, exploração individual de onze livros. Promoção da leitura e identificação das imagens usadas na construção do conto.

Cabinet 1799 Projeto educativo – História da ciência e da metrologia 2011-2012 Produção: Câmara Municipal de Évora Divisão de Assuntos Culturais – Núcleo Museológico Casa da Balança

Um velho baú, uma herança que a Casa da Balança recentemente recebeu, escondia uma coleção de instrumentos, caricaturas, ilustrações e livros que deram origem ao Gabinete de Curiosidades dedicado a uma unidade de medida – o metro. Na Casa da Balança, no animatógrafo, é apresentado o Livro 1 das Histórias do Sistema Métrico onde se relatam as aventuras dos sábios Pierre Méchain e Jean Delambre, protagonistas da epopeia de medição do meridiano terrestre de Paris, entre as cidades de Barcelona e de Dunquerque, na época da revolução francesa (1789-1799) em França e em Espanha. Com enigmas dirigem-se os visitantes ao Cabinet 1799 onde se realiza uma visita guiada às coleções de livros e documentos antigos, cartografia: mapas, cartas e globos terrestres e celestes, trajes e costumes, galeria de sábios e ilustres, caricaturas da época da revolução francesa e outras invulgaridades aí expostas. Para o público escolar a partir dos 6 anos e geral.

7


2011 Câmara Municipal de Évora

Fotógrafos, Títeres e outros Sonhadores Projecto Educativo - História da Fotografia em Évora Às quintas-feiras de Janeiro a Julho de 2011. Participação na BIME em Junho de 2011 Produção: Câmara Municipal de Évora - Divisão de Assuntos Culturais (Arquivo Fotográfico) Coordenação Geral e Conteúdos Científicos: Cármen Almeida Direcção Artística: Manuel Dias Conceção e execução das marionetas: Manuel Dias Texto: Susana Coelho Manipuladores: Cármen Almeida, Isabel Pereira, Susana Coelho, Rosa Balsa, Rosa Paes e Rui Melgão

Inspirada na expressão artística dos famosos títeres alentejanos, o Arquivo Fotográfico da CME, em colaboração com o marionetista Manuel Dias, concebeu, enquanto projeto educativo, um espetáculo de marionetas no qual é feita uma breve resenha dos momentos e figuras mais ligadas aos primeiros anos da chegada da fotografia a Évora.

À la minuta… Projeto Educativo - Projeção de documentário e introdução à técnica da fotografia à la minuta Às quintas-feiras. Participação no Festival de Curtas Metragens de Évora 2011 Produção: Câmara Municipal de Évora e Escola Profissional da Região Alentejo Realização: Vitor Moreira; Conteúdos: Cármen Almeida; Atores: Ananias José Pardal, Álvaro Corte-Real e vários funcionários do Arquivo.

A partir de um documentário produzido pelo Arquivo Fotográfico, no qual é narrada a vida de um dos últimos fotógrafos à la minuta de Évora, o Sr. Ananias Pardal é efetuada a explicação do processo fotográfico, podendo os participantes ver in loco todas as fases da técnica utilizada.

8


Câmara Municipal de Évora 2011

Loja dos Sonhos Projeto Educativo Autocarro itinerante Produção: Câmara Municipal de Évora – Divisão de Gestão e Equipamento de Ação Educativa Parceria: Projeto Hércules da Universidade de Évora

Recurso itinerante que no ano letivo de 2010/2011 aborda, através de atividades lúdico-pedagógicas, com recursos informáticos e contadores de histórias, a temática do Património (material e imaterial), promovendo o empréstimo de livros e fomentando o desenvolvimento de ações intergeracionais. Para os grupos de 5º ano a atividade suportou-se no documentário sobre a Villa Romana da Tourega e a sua exploração, naquilo que era mais importante na vida dos Romanos: como organizavam as cidades, importância da higiene do corpo e como se vestiam. A partir de como se vestiam e como davam cores às roupas surgiu a parceria com o Projeto Hércules da Universidade de Évora, onde alunos e professores puderam participar num atelier sobre “ Corantes e formas de tingir no passado”.

Água Contada - Oficina de Animação da Palavra Serviço educativo Jardins de Infância do Concelho De janeiro a junho Organização: Câmara Municipal de Évora Divisão de Assuntos Culturais – Núcleo Museológico da CEA

A educadora de infância da CEA desloca-se à instituição de educação para realizar atividades, em conjunto com a educadora/professor do grupo alvo, acerca da temática da água com base no caderno “Água Contada”. Numa primeira fase, conta-se a História Gota Gotinha e seguidamente realizam-se atividades de expressão plástica que visam complementar a história contada. Local: Jardins-de-infância/Público-alvo: ensino pré-escolar.

9


2011 Câmara Municipal de Évora

Centro Educativo para a Leitura (CEL) Biblioteca Pública de Évora Organização: Câmara Municipal de Évora e Biblioteca Pública de Évora Animadores: Rui Melgão e Sílvia Chambino (Câmara Municipal de Évora)

Com origem no projeto educativo municipal de promoção da leitura “A Fada Palavrinha” (de 2005 a 2010) surgiu o projeto do CEL, que no ano de 2011 se baseou em 3 atividades: SEGUNDAS NA BIBLIOTECA, com a receção de grupos escolares no espaço da biblioteca e dinamização das atividades “Imaginarium” – leitura participativa pela observação das imagens recorrendo a sons e objetos reais, “Dizeres de Poetas” – trabalhar a musicalidade e o ritmo das palavras, “Histórias em ponto de contar” – exploração de texto narrativo e de contos, “Entre linhas” – domínio da escrita criativa; PERNAS PARA CONTAR, visitas às escolas do concelho com dinâmicas para abordagem de livros infantis; HISTÓRIAS EM FAMÍLIA, potenciando a família como promotora da leitura e vice-versa, aos sábados ma Biblioteca. O CEL promove também semanas temáticas nas bibliotecas escolares e participa nas feiras do livro promovidas pelos agrupamentos escolares.

Vem conhecer a Câmara Visita guiada ao edifício e apresentação da instituição Atividade permanente destinada a alunos do 1º ciclo ao secundário Organização: Câmara Municipal de Évora Divisão de Assuntos Culturais – Núcleo de Documentação

Projeto constituído por duas vertentes: visita guiada ao edifício dos Paços do Concelho, na Praça do Sertório, e apresentação da instituição. A visita mostra as várias fases construtivas: no período romano, as termas; no século XVI, o palácio dos Condes de Sortelha; nos finais do século XIX e princípios do século XX, a Câmara Municipal. Os visitantes percorrem a frontaria e placas comemorativas, varandim e escadaria, cisterna, salas, salão nobre, gabinete do Presidente (quando possível), janelas geminadas, cofre-forte, mobiliário, bandeira da cidade, entre outros. A apresentação da instituição enquadra o poder local, o que é e para que serve, quem são os eleitos, o brasão e a bandeira.

10


Câmara Municipal de Évora 2011

Livraria Municipal com projeto “Gira Livros” Organização: Câmara Municipal de Évora Divisão dos Assuntos Culturais – Núcleo de Documentação

Criada em Abril de 2011, a Livraria Municipal afirma-se como um espaço dedicado à venda, promoção e divulgação de publicações editadas ou apoiadas pela Autarquia. A par da venda de livros, é também possível adquirir outros materiais do município, como postais, medalhas comemorativas, cd’s, vídeos, entre outros. Em virtude do espaço da Livraria Municipal estar inserido nas instalações do Núcleo de Documentação, biblioteca especializada em História e Património Locais, e um centro de apoio à investigação, a nível interno e externo ao Município, tal permite que os munícipes possam, não só comprar livros, mas também que os possam consultar e sobre eles usufruir de um esclarecimento e aconselhamento apropriados. O projeto “Gira Livros” consiste na dinamização da receção e oferta de livros doados pelos munícipes, livros de que já não precisam, para os quais já não têm espaço ou aos quais já não atribuem utilidade, e também para que outras pessoas possam adquirir livros, estes e outros que o Núcleo de Documentação entenda disponibilizar, sem por eles ter de pagar nada. O Núcleo de Documentação aceita doações de livros, particulares ou de outra índole, de volumes individuais ou coleções, e procede ao seu acondicionamento e posterior oferta, a todo e qualquer leitor interessado, gratuitamente. São aceites livros de todos os géneros e temas (excetuando livros escolares), que estejam ainda em bom estado de conservação. Os livros são disponibilizados para oferta, em local e suporte no Núcleo de Documentação, através de recolha direta pelos interessados.

Romãs ao Almoço Tertúlias à hora de almoço Núcleo Museológico do Convento dos Remédios 14 de janeiro: “Cultura dos aromas - origem da tradição dos perfumes no mundo antigo”, por Míriam Lopes 27 de janeiro: “Romance Histórico” por Margarida Pedroso 24 de fevereiro: “Matemática e a Natureza” por Maria João Figueira 17 de março: “Filosofia e criatividade” por Teresa Santos 28 de abril: “Poesia” por Rodrigues Dias 19 de outubro: “Arte Juvenil” por Teolinda Pascoal 21 de dezembro: “Vimieiro, uma história por contar” por Rui Miguel Lobo Organização: Câmara Municipal de Évora

Num contexto informal diversos convidados conversam sobre as suas atividades académicas e/ou criativas.

11


2011 Câmara Municipal de Évora

Arqueo-Conversas Tertúlias ao fim do dia Núcleo Museológico do Convento dos Remédios 28 de janeiro: “A necrópole da casa branca” por Telmo Silva e Tânia Casimiro 11 de março: “As novas tecnologias ao serviço do património histórico-arqueológico” por Gerardo Gonçalves e João Mendes 29 de abril: “Sociedade e necrópoles rurais da Idade do Ferro do Alentejo Central” por Rui Mataloto 12 de maio: “Tempo de Fenícios” por Manuel Patrocínio 27 de maio: “Depósito votivo de Garvão” por José Mourão, Lúcia Rosado, António Candeias, Conceição Lopes, Rafael Aferim e Deolinda Tavares 9 de junho: “Rocha da Mina” por Manuel Calado 29 de junho: “A idade do ferro - os ex-votos de bronze” por Esmeralda Gomes Organização: Câmara Municipal de Évora

Num contexto informal diversos convidados conversam sobre as suas atividades académicas e/ou criativas versando sobretudo temas sobre o património e arqueologia.

História da metrologia em Portugal "O Mundo do Trabalho e a Oficina de Aferição de Évora” (1881-1993) Exposição permanente Casa da Balança Produção: Câmara Municipal de Évora Divisão de Assuntos Culturais – Núcleo Museológico da Casa da Balança

Visitas guiadas ou livres às coleções de instrumentos da Casa da Balança e à exposição permanente.

12


Câmara Municipal de Évora 2011

Central Elevatória de Água Itinerário expositivo, permanente Câmara Municipal de Évora Divisão de Assuntos Culturais – Núcleo Museológico da Central Elevatória de Água

Percurso a pé que apresenta o itinerário da água desde o Aqueduto, passando pela Unidade Museológica CEA, chegando ao Reservatório de Água. Público alvo: todos os grupos de ensino e público em geral, com programa próprio para crianças. Partida: Largo do Chão das Covas ou na Rua do Menino Jesus (CEA). A CEA engloba um conjunto ímpar de estruturas imóveis, nomeadamente uma câmara de manobras, quatro reservatórios de chegada, uma estação elevatória e um reservatório de serviço regulador de distribuição de água. De todo o complexo, evidencia-se a estação elevatória, que alberga ainda a última maquinaria que aí funcionou, tendo o seu edifício a particularidade de apresentar elementos arquitetónicos de estilo internacional e estando decorado com elementos Arte Déco.

Vinha das Caliças – uma necrópole da Idade do Ferro Exposição Itinerante e conferência inaugural (pelo Dr. Rui Mataloto) 2 de Abril a 30 de Junho Organização: Câmara Municipal de Évora – Núcleo Museológico do Convento dos Remédios

Localizada no Alentejo, ao lado da barragem do Pisão - Beja, a necrópole da Vinha das Caliças, intervencionada em 2009 pela ARQUEOHOJE e financiados os trabalhos arqueológicos pela EDIA, pelas necessidades de prosseguir as obras de um canal de rega, reúne um núcleo de cinco dezenas de sepulturas escavadas no substrato de base - a caliça - que dá nome o local. O recinto funerário é semelhante a arquitetura tumular fenícia. A Vinha das Caliças protegeu durante 2.700 anos os enterramentos/ossadas de homens e mulheres dos séculos VIII e V a.C..

13


2011 Câmara Municipal de Évora

Aquedutos de Portugal, Água e Património Exposição e ciclo de conferências Convento dos Remédios 3 de novembro de 2011 a 2 de março de 2012 Organização e Produção: Câmara Municipal de Évora – Departamento do Centro Histórico, Património e Cultura Comissariado científico: Filomena Monteiro Exposição fotográfica: Pedro Inácio

Mostra fotográfica de Pedro Inácio sobre 21 dos mais significativos aquedutos de Portugal e mostra documental respeitante ao aqueduto da Água da Prata de Évora (sécs. XVI a XIX). A exposição integra um ciclo de conferências sobre o tema Água e Património e que incluem momentos musicais e visitas. A exposição também promove um concurso de fotografia digital sob o tema Água e Património dirigido aos participantes nas conferências, patrocinado pelas unidades hoteleiras M´ AR De AR Hotels e Pousadas de Portugal, e também um concurso de fotografia digital sob o mesmo tema dirigido a estudantes das cidades de Évora, Salvador (Brasil) e Zagreb (Croácia). Visitas guiadas.

Exposição Fotográfica da Sociedade Harmonia Eborense Museu de Évora 6 de janeiro a 9 de março Organização: Câmara Municipal de Évora e Sociedade Harmonia Eborense

Em 28 de Janeiro de 2010 a Câmara Municipal de Évora e a Sociedade Harmonia Eborense assinaram um Acordo de Depósito do acervo fotográfico daquela sociedade no Arquivo Fotográfico Municipal. Esta exposição apresenta uma parte do acervo, sendo a maioria das imagens de eventos relacionados com a vida social da Sociedade Harmonia Eborense: bailes, festas, exposições.

14


Câmara Municipal de Évora 2011

Blank Canvas 2nd Generation Exposição de Pintura Igreja de S. Vicente 5 a 27 de março Organização: Câmara Municipal de Évora - Divisão de Assuntos Culturais

One world, three dimensions (Um Mundo três dimensões). Blank Canvas é um grupo constituído por três artistas plásticos: Chris Alford, Peter de Jong e António Couvinha.

“Estou só a ver” de Jacobien de Rooj e Erik Mathijssen Exposição e Atelier de Pintura Igreja de S. Vicente 9 de abril a 15 de maio Organização: Fundação Obras e Câmara Municipal de Évora

Jacobien de Rooj e Erik Mattijssen são dois artistas plásticos e professores da Gerrit Rietved Academie de Amsterdam. “Estou Só a Ver” é um projeto artístico de dois artistas contemporâneos holandeses - Jacobien de Rooij e Erik Mathijssen – que se iniciou com um estúdio aberto na Igreja se S. Vicente, em que o público teve a oportunidade de observar o progresso do seu trabalho. O projeto completo é uma grande vista panorâmica, composta por desenhos de tamanho grande em papel e, em parte, diretamente na parede, que são inspirados por vários aspetos de Portugal.

15


2011 Câmara Municipal de Évora

Impressões de Mareille Martin Exposição de Pintura Palácio D. Manuel, sala térrea 2 a 30 de abril Organização: Câmara Municipal de Évora

Exposição de pintura, fotografia e escultura numa instalação da artista alemã, no âmbito de intercâmbio cultural entre as cidades de Évora e Spyer (Alemanha)

Carlos Roxo Exposição de Desenho Palácio D. Manuel, sala primeiro andar 2 a 30 de abril Organização: Câmara Municipal de Évora

Exposição de desenho do Arquitecto Carlos Roxo

16


Câmara Municipal de Évora 2011

Anfíbios – Uma Pata na Água e Outra na Terra Exposição Palácio D. Manuel 5 a 25 de maio Conceção e coordenação: CIBIO; Comissário: José Alves Teixeira Organização: Cátedra "Rui Nabeiro" Biodiversidade da Universidade de Évora Junta de Freguesia de S. Mamede, CEAI EcoEscola de S. Mamede (Évora) e Câmara Municipal de Évora

De forma lúdica e interativa a exposição mostra o mundo desconhecido destes animais misteriosos e o modo como sapos, rãs, relas, salamandras e tritões vivem entre o meio aquático e o meio terrestre ao longo das suas vidas. Exposição que ajuda a compreender o proquê dos anfíbios estarem a desaparecer, quais as suas principais ameaças em Portugal e no mundo e dá a conhecer os esforços que estão a ser feitos na sua defesa e conservação.

Olhares do Mundo Exposição de Pintura de Alice Alves Palácio D. Manuel 2 a 23 de julho Organização: Câmara Municipal de Évora

“O retrato está na génese da pintura, quando a pintura era forma de ligação entre o mundo dos presentes e o mundo dos ausentes, uma fixação da eternidade do retratado mas ao mesmo tempo um registo de um momento fugaz, registo de uma expressão eleita entre as milhares daquelas que o rosto constrói num só dia”.

17


2011 Câmara Municipal de Évora

VII Festival de Gravura de Évora – Bienal Internacional Exposição de Gravuras Palácio D. Manuel 6 a 27 de agosto Organização: Teoartis e Câmara Municipal de Évora

Com a participação e presença de artistas de Portugal, Alemanha, Canadá, Estados Unidos da América do Norte, Finlândia, Japão, Polónia, RAE de Macau (China), Roménia e Suécia o VII Festival de Gravura de Évora – Bienal internacional, com abertura oficial com a exposição de obras dos artistas: Desiree Bergström (Suécia), Mel (Macau), Sharon (Macau), Ciprian Ciuclea (Roménia), Dariusz Kaca (Polónia) e Melissa Strawser (EUA).

Impressões Digitais de Manuel d’Olivares Exposição de Desenho Palácio D. Manuel, sala térrea 3 de setembro a 2 de outubro Organização: Câmara Municipal de Évora

Para esta exposição Manuel d’Olivares fixou-se nos pavimentos das cidades repletos de símbolos de lojas, indicações de zonas e locais, mas sobretudo tampas do sistema eléctrico, de águas, de esgotos, de comunicações, entre outros elementos. Fundidos em ferro, gravados em cimento ou em pedra, cravados no asfalto, com uma grande beleza plástica, são texturas, baixos-relevos que pisamos, muitas vezes sem nos darmos conta e que, aparentemente iguais, diferem de cidade para cidade. Estes elementos são para o artista as “Impressões Digitais” das cidades e as obras que constituem esta exposição foram realizadas em 6 cidades entre 2007 e 2011: Lisboa, Barcelona e Paris, Nova York, Veneza e Évora.

18


Câmara Municipal de Évora 2011

What Remains, ex-votos Exposição Coletiva Palácio D. Manuel 2 a 30 de setembro Organização: Câmara Municipal de Évora

"What Remains" é um projecto que se inspira na representação dos objectos intitulados "Ex-Votos". Serão apresentados trabalhos que se situam entre a Fotografia e a Gravura, Escultura e Instalação Audio-Visual. A exposição conta com as Artistas Finlandesas Maija Holma, Minja Revonkorpi, Päivi Hintsanen e a Artista Portuguesa Rita Vargas. Trata-se de uma "ponte" que liga o Norte e o Sul da Europa, entre visões e interpretações artísticas contemporâneas sobre a religião luterana e católica.

Gravura e Gravadores dos Leões Exposição Coletiva Palácio D. Manuel 8 a 30 de outubro Organização: Câmara Municipal de Évora

Exposição coletiva de artes plásticas por ex-alunos do Curso de Artes Visuais da Universidade de Évora. “(…) Somos um grupo de artistas que têm em comum o facto de terem contactado com a gravura e as técnicas de impressão, no curso de Artes Visuais da Universidade de Évora, na antiga Fábrica dos Leões (…) apresentamos agora no Palácio uma amostra do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido por cada um de nós nesta área.” Participação dos artistas Daniel Figueiredo, Leopoldo Antunes, Rita Vargas, Rute Cebola e Vanda Sim Sim.

19


2011 Câmara Municipal de Évora

João Concha Exposição de Escultura em Ferro Palácio D. Manuel, sala térrea 22 de outubro a 23 de dezembro Organização: Câmara Municipal de Évora

Exposição de escultura do artista plástico João Concha, natural de Santiago Maior, concelho do Alandroal e residente no concelho de Évora. As esculturas de João Concha são construídas com pedaços de metais usados, desperdícios e utensílios soldados entre si para formar, reformular e recriar objetos de características figurativas.

Sara Pereira Exposição de Pintura Palácio D. Manuel 5 a 20 de novembro Organização: Câmara Municipal de Évora

Sara Pereira nasceu em 1977 na cidade de Guimarães. Licenciou-se em Artes Plásticas, na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto.

20


Câmara Municipal de Évora 2011

Um olhar sobre o Alto de S. Bento 10 de setembro: Plantas aromáticas e medicinais. 17 de setembro: Arte com objetos da natureza 24 de setembro: Orientação para todos 15 de outubro: Himalaias no Alentejo 22 de outubro: Bosques Mediterrânicos Organização: Câmara Municipal de Évora

Programa de atividades dirigido ao grande público, com o objetivo de divulgar as ciências naturais, tirando partido das grandes valências pedagógicas do património natural da colina do Alto de S. Bento e da existência de laboratórios nos moinhos, que poderão apoiar as observações de campo.

Visitas Comentadas 7 de maio: visita orientada “Pontes Históricas do Concelho de Évora” 15 de maio: visita ao Museu da Escrita do Sodoeste 12 de junho: feitoria fenícia 3 de dezembro: “Arte Rupestre do Escoural” Câmara Municipal de Évora – Núcleo Museológico do Convento dos Remédios

Num contexto informal diversos convidados orientam e comentam visitas promovidas pelo Núcleo Museológico do Convento dos Remédios.

21


2011 Câmara Municipal de Évora

Rota dos Sabores Tradicionais Iniciativa de promoção gastronómica com edição de roteiro Janeiro: conferência de lançamento Fevereiro: Prova dos vinhos, sopas e doces e Matança do Porco Março: Ação de formação em fabrico de doce de escorcioneira e pastéis de Sta. Clara Abril: mostra gastronómica de sopas tradicionais Organização: Câmara Municipal de Évora e Entidade Regional de Turismo do Alentejo

A Rota de Sabores Tradicionais é, desde 2003, a principal iniciativa de promoção da gastronomia de tradição alentejana, em Évora. Ao longo da última década a Rota tem congregado múltiplas e renovadas dimensões culturais. Desde logo as que decorrem dos temas que sempre marcaram, no Alentejo, os ciclos festivos da mesa popular - da matança do porco ao borrego pascal, das sopas aos doces conventuais. Mas também as que decorrem da autenticidade e qualidade dos próprios sabores, pelo carácter único dos produtos da terra e pela arte de muitas mãos anónimas que o souberam preservar. Na Rota são os próprios restaurantes os fiéis depositários desses usos e costumes que o tempo apurou e o espaço de restauração o lugar privilegiado para a degustação de ementas simples ou sofisticadas.

Rota das Igrejas d’ Évora Iniciativa de promoção de património Visitas mensais acompanhadas por especialista Organização: Câmara Municipal de Évora, Gabinete de Arquitetura e Património da Arquidiocese e Comissão Diocesana dos Bens Culturais

Rota de espaços religiosos, entre ermidas e igrejas paroquiais e conventuais, inicialmente definidas 8 igrejas (Santiago, Santa Marta, São José Convento Novo, Nossa Senhora Do Ó, São Mamede, Espírito Santo, Nossa Senhora da Cabeça e Senhor Jesus da Pobreza), alargou-se em 2011 para 12 igrejas e continua a ser alargado. Além da abertura ao público dos espaços religiosos, a Rota das Igrejas de Évora criou ainda um programa de visitas temáticas mensais conduzida por um especialista, tendo por base um ou mais espaços religiosos que compõem este percurso.

22


Câmara Municipal de Évora 2011 Respondendo ao desafio do eixo do QREN - INAlentejo - Conectividade e Articulação Territorial, constitui-se em 2010 o projeto Teias – Rede Cultural do Alentejo que começou em 2011 a ganhar corpo e a permitir que, com a circulação de agentes artísticos, espetáculos por estes concebidos entrassem na programação das diferentes autarquias envolvidas, nomeadamente Alandroal, Borba, Estremoz, Évora, Montemor-oNovo, Portel, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Viana do Alentejo, Vila Viçosa e Palmela. A liderança do projeto encontra-se a cargo do Município de Évora. O projeto é composto por quatro componentes: ações educativas, itinerância de espetáculos, aquisição de bilheteiras eletrónicas e comunicação/divulgação. O programa de ação do Teias foi e será desenvolvido durante os anos de 2011 e 2012 pelos diferentes parceiros envolvidos na candidatura e tem objetivos ambiciosos e numerosos, mas que importa aqui destacar, pois trata-se de uma oportunidade de implementar uma prática de cooperação interconcelhia assente num paradigma de programação cultural que julgamos afigurar-se como mais sustentável para a região. Assim, são objetivos do Teias: aumentar o nível cultural da população, aumentando os níveis de consumo qualitativo e quantitativo; democratizar o acesso aos bens culturais, promovendo uma política cultural que atenda a todos os cidadãos nas suas múltiplas particularidades; fortalecer o tecido sociocultural e estimular a sua participação ativa na dinâmica cultural local; promover a coesão territorial e social assente na descentralização de políticas, equipamentos e atividades; fomentar a participação dos cidadãos em atividades culturais, quer enquanto públicos quer enquanto participantes ativos em iniciativas locais; promover e estimular ações que tenham como principal finalidade a formação de públicos diversificados (local de proveniência, grupo etário, realidade socioeconómica, etc.); implementar e apoiar ações de recuperação, conservação, divulgação e requalificação do Património Histórico, Artístico e Sociocultural; estimular, apoiar e promover a criação artística e cultural; desenvolver uma relação de maior e mais adequada proximidade com a Escola e o movimento associativo local; fomentar o trabalho em rede e estimular a criação de parcerias locais, regionais, nacionais e internacionais; criar uma base de dados para a Cultura, com vista a uma maior conexão entre as políticas e opções culturais; estimular o mecenato, dando um maior papel à iniciativa privada; transmitir uma visão lúdica e de prazer associada à Cultura; contribuir para aumentar e diversificar a oferta turística da região, pelo crescimento sustentado e coerente de ações de animação cultural; consolidar uma estrutura de trabalho em rede, a partir do sistema de governança deste projeto.

23


2011 Câmara Municipal de Évora

Gigabombos do Imaginário Praça do Giraldo 27 de maio Do Imaginário Associação Cultural Organização: Câmara Municipal de Évora, integrou programação da Feira do Livro

Projeto de animação cultural criado em abril de 2005, os GigaBombos do Imaginário assentam numa proposta de aproximação das novas gerações a práticas musicais e artísticas inspiradas nas tradições culturais do povo português. Gigantones, cabeçudos, bombos e gaitas, foram secularmente paisagem plástica e sonora de encontro festivo, celebrando um espaço de prazer estético e artístico, em encontro de gentes.

Contapetes Praça do Giraldo 31 de maio e 3 de junho Trimagisto, Cooperativa de Experimentação Teatral, crl Organização: Câmara Municipal de Évora, integrou programação da Feira do Livro

O conTApete é um espaço organizado, uma porção do mundo em miniatura feita de tecido, material tão próximo da criança, associado ao conforto da cama, do colo do adulto afetivamente significativo para a criança, da roupa que aquece e protege. E cada conTApete é a promessa de uma história a descobrir no livro que o acompanha.

24


Câmara Municipal de Évora 2011

Big Band Loureiros e Anabela Arena d’Évora 3 de julho Sociedade Filarmónica Palmelense “Loureiros” Organização: Câmara Municipal de Évora, integrou programação da Feira de S. João

Big Band Loureiros é uma formação extremamente intensa e dinâmica, repleta de originalidade e carisma, apostada na diversidade cultural e nas mais variadas linguagens e ambientes musicais. Anabela é já um nome incontornável na música e no teatro musical português, tendo colaborado em diversos espetáculos do produtor Filipe La Féria.

2 BOXE – dança contemporânea Criação de Nélia Pinheiro Teatro Municipal Garcia de Resende 3 de setembro Companhia de Dança de Évora

Impressões da vida a dois. O particular observado em detalhe como pretexto para falar da geração pós-25 de Abril. Numa casa duas pessoas iniciam um projeto de vida. A expressão da vida familiar está no centro e rasga o espaço. Projetos de vida concretizados e projetos pessoais falhados. Das coisas nascem sempre outras coisas. Não é só pela falta de recursos é porque é para ser mesmo assim. Depois existem os conflitos gerados pelas dúvidas, pelas indecisões. Vamos conseguir permanecer aqui durante mais tempo? Não, está na altura de partir! Podemos começar tudo de novo noutro local. Cada dia é vivido como se fosse o último. Uma celebração do valor da partilha.

25


2011 Câmara Municipal de Évora

Bonecos do Mundo Teatro Municipal Garcia de Resende 11 de setembro Trulé – Investigação de Formas Animadas Organização: Câmara Municipal de Évora, integrou programação do início do ano letivo

O espetáculo Bonecos do Mundo resulta do encontro de marionetas tradicionais de várias partes do Mundo com marionetas do TRULÉ também elas viajadas pelo Mundo e, por isso, do Mundo. Bonecos do Mundo é um espetáculo formativo e de informação do teatro de marionetas, que concilia a representação das várias técnicas de manipulação de marionetas com o percurso histórico desta forma teatral. Através do relato de pequenas histórias e de factos, dá-se informação da transformação e desenvolvimento das marionetas através dos tempos. Nele são manipuladas marionetas tradicionais do continente asiático, berço desta forma teatral.

Contos Ciganos Teatro Municipal Garcia de Resende 10 de setembro Era Uma Vez - Teatro de Marionetas Texto: José Carlos Alegria e contos Tradicionais Ciganos Bonecos e retábulo: António Candeias; Manipulação: José Carlos Alegria; Musica: Project Nanu a.k.a. Carlos Miguel Meira Alegria Organização: Câmara Municipal de Évora, integrou programação do início do ano letivo

O Jeremias Cigano gosta muito de viajar com a sua burra Bonita e o seu cão, o Pirilampo. Gosta de viajar e gosta de contar histórias. As histórias que o Jeremias conta neste espetáculo são “O sonho” um conto italiano, “O comerciante tolo que vendeu a sua própria barba” um conto dos ciganos suecos e “O Casamento do ratinho”, uma história que os ciganos trouxeram da India.

26


Câmara Municipal de Évora 2011

Um conto na Floresta - Animação e Workshop Teatro Municipal Garcia de Resende 10 e 11 de setembro Luís Macedo Organização: Câmara Municipal de Évora, integrou programação do início do ano letivo

“Um conto na floresta” permite que os participantes concretizem a montagem de uma história de criação original, durante a qual as crianças poderão criar e construir instrumentos musicais/objetos sonoros, utilizando materiais recicláveis.

Pão – Teatro dos Sentidos Teatro Municipal Garcia de Resende 13 de setembro Baal 17 Criação coletiva Encenação: Marco Ferreira Interpretação: Aline Catarino, Filipe Seixas e Vânia Silva Organização: Câmara Municipal de Évora, integrou programação do início do ano letivo

“Pão” é um espetáculo criado a partir de recolhas realizadas em torno das histórias e memórias do pão, percorrendo e explorando dramaturgicamente os seus diferentes significados, envolvendo-o como “personagem”, numa viagem aos trabalhos da terra, ao homem, ao amor, à descoberta e à poesia. Ateliê de teatro participativo e espetáculo.

27


2011 Câmara Municipal de Évora

Perdidos no Monte Teatro Municipal Garcia de Resende 15 de setembro Teatro do Montemuro Texto: Eduardo Correia; Encenação: Steve Johnstone Interpretação: Abel Duarte, Eduardo Correia e Paulo Duarte Organização: Câmara Municipal de Évora, integrou programação do início do ano letivo

Perdidos no Monte conta com a magia e o mistério dos contadores de histórias. “Perdida no meio da imensidão do monte, entre as serras o uivo do lobo e o casco do cavalo uma pequena floresta impõe-se como se se tratasse de uma revolução da natureza, ou talvez uma demonstração de teimosia, que revela que a nada em concreto pertencemos.”

Iniciação ao Teatro de Marionetas Convento dos Remédios 19, 20 e 21 de setembro Trulé – Investigação de Formas Animadas Organização: Câmara Municipal de Évora, integrou programação do início do ano letivo

Pretende-se fornecer os ensinamentos necessários para se iniciar, pela construção, a aprendizagem do Teatro de Marionetas. Ao longo das sessões é construída uma marioneta e são realizadas demonstrações pela manipulação de marionetas.

28


Câmara Municipal de Évora 2011

As Zaragatas em Chiozza Teatro Municipal Garcia de Resende 21 de setembro Theatron Associação Cultural Encenação: Hugo Sovelas; Produção: Sofia Sampaio, Susana Picanço e Tódinha Santos; Elenco: Ana Paixão, António Danado, Beatriz Silva, Bia Estróia, Dino Samina, Elisa Malhão, Fátima Matias, Filipe Armas, Helder Pais, Joana Matos, Joana Silveira, João Macedo, João Veiga, Maria João Crespo, Matilde Salgueiro, Paulo Quedas, Ricardo Matias, Vítor Guita, Zara Sampaio. Organização: Câmara Municipal de Évora

Chiozza, é uma pequena localidade piscatória próxima de Veneza e é nela que se desenvolve esta comédia de Carlo Goldoni, dramaturgo italianos do séc. XVIII. Um jovem barqueiro sedutor é o ponto de partida para o desenvolvimento desta história, que envolve pescadores, esposas e jovens casadoiras. Os ditos e os não ditos, a intriga e os ciúmes entre as personagens fazem estalar uma enorme zaragata, que agita a calma Chiozza, como uma tempestade empurrada para terra pelo vento que sopra do mar…. Um retrato das regras e da moral ao jeito de Goldoni, pintado com uma comicidade simples e desconcertante, capaz de fixar o espectador do primeiro ao último momento.

Mi Ré Miró Teatro Municipal Garcia de Resende 26 de setembro Produzido pela companhia Alouette Projects Dirigido e encenado por Sylvain Peker Organização: Câmara Municipal de Évora, integrou programação do início do ano letivo

O Mi Ré Miró é um espetáculo que associa sons e imagens intuitivos, relacionando as formas observadas nas obras do pintor espanhol Joan Miró. A ação cénica, em harmonia com a música, ajuda o espectador a apreender a linguagem musical de uma forma completamente natural, descobrindo ou redescobrindo a obra de Juan Miró.

29


2011 Câmara Municipal de Évora

Grupo Coral Cantares de Portel Arena d’Évora 13 de novembro Organização: Câmara Municipal de Évora, integrou programação do Mês do Idoso

O Grupo Coral Cantares Regionais de Portel, criado há 36 anos, marcou a diferença e uma certa evolução no cante alentejano com a introdução de alguns instrumentos. O acordeão, ferrinhos, bombo e a pandeireta.

Banda Filarmónica do Alandroal Arena d’Évora 13 de novembro Organização: Câmara Municipal de Évora, integrou programação do Mês do Idoso

A Banda da Escola de Música do Centro Cultural do Alandroal nasceu sobre a orientação do mestre Sardinha em 1982 e até 1995. Em 1996 a Câmara Municipal do Alandroal contratou o mestre António Alfaiate que imprimiu à Banda e à escola de música nova dinâmica. Presentemente a Banda é composta unicamente por executantes oriundos da Escola de Música do Centro Cultural.

30


Câmara Municipal de Évora 2011

Bonecos de Santo Aleixo Teatro Municipal Garcia de Resende 18 de dezembro Cendrev – Centro Dramático de Évora Actores/Manipuladores: Ana Meira, Gil Salgueiro Nave, Isabel Bilou, José Russo e Victor Zambujo Acompanhamento Musical: Gil Salgueiro Nave Organização: Câmara Municipal de Évora, integrou programação do Natal Clássico

Aproveitando a época festiva do Natal, os Bonecos de Santo Aleixo apresentam o “Auto do Nascimento do Menino Jesus”. O espetáculo começa com o Baile dos Anjinhos, seguindo-se os comentários do Padre Chancas e do Mestre Salas, sobre as profecias do Sol e da Lua. A primeira cena conta-nos a chegada de Maria e José a Belém: os estalajadeiros recusam-se a acolhe-los. Ouve-se um coro a convidar os pastores a entrarem nas “portas de Belém”. A Sagrada Família é apresentada e os pastores adoram o Menino Jesus. A cena seguinte retrata a adoração dos Reis Magos: um anjo avisa-os para não atravessarem as terras pertencentes ao Rei Herodes. A cena termina com a adoração dos Anjos ao Menino Jesus.

31


2011 Câmara Municipal de Évora Também o Festival Terras do Sol é uma iniciativa de promoção cultural da Câmara Municipal de Évora, integrada numa rede mais ampla, composta também pelos Municípios de Reguengos de Monsaraz (líder da parceria), Portel, Redondo, Alandroal e Mourão. Tem como objetivo geral a articulação de um conjunto de iniciativas culturais que se pretende que valorizem e se identifiquem com o território, encontrando nesta forma de financiamento do 3º eixo do QREN (2010-2012) uma oportunidade para, no atual cenário de dificuldades financeiras do Município, manter atividade cultural privilegiando os agentes culturais locais. A desejável manutenção de uma série de eventos a decorrer no Verão de cariz semelhante a este Festival Terras de Sol, no período pós financiamento, é uma intenção que afirmamos, e que dependerá sobretudo das rotinas de trabalho em parceria que se venham a estabelecer entre a Câmara Municipal de Évora e as várias entidades de promoção cultural envolvidas, bem como da disponibilidade orçamental do Município para o financiar. Neste sentido, este Festival de Verão cumpre também uma funcionalidade ao nível da intensificação das parcerias informais existentes particularmente relevantes para a sua sustentabilidade e enquanto estratégia de desenvolvimento territorial. Trata-se de um conjunto de eventos em que não se prevê a existência de receitas e em que apenas o recurso a patrocínios ou mecenas poderá assegurar a sua manutenção. Por este facto, o apoio da Entidade Regional de Turismo do Alentejo a este Festival se revelou fundamental.

Música nos Claustros Convento dos Remédios 9 de julho: Concerto de Canto e Piano, Valérie Vervoort e Jill Lawson 23 de julho: Concerto “Óperas e Musicais”, Abel Chaves (piano), Sofia de Castro (soprano), Inês Madeira (mezzo-soprano), Paulo Carrilho (tenor) e Diogo Oliveira (barítono) Organização: Eborae Musica

No âmbito do XI Ciclo de Concertos de Música Clássica, 2 concertos que contabilizaram 155 espetadores.

32


Câmara Municipal de Évora 2011

Cinema no Verão Praça do Sertório 19 de julho: “X-men, o início” de Matthew Vaughn 26 de julho: “As viagens de Gulliver” de Rob Letterman 2 de agosto: “Inside job – A verdade da Crise” de Charles Ferguson 9 de agosto: “Tu, que vives” de Roy Andersson 16 de agosto: “O Turista” de Florian Henckel von Donnersmarck 23 de agosto: “Rio” de Carlos Saldanha 30 de agosto: “Capitalismo, uma história de Amor” de Michael Moore Organização: Câmara Municipal de Évora e Cineclube da Universidade de Évora

8ª Edição do “Cinema no Verão”, que proporciona ao público uma forma menos convencional de cinema, através de uma projeção ao ar livre, aproveitando a noites quentes de Verão e com entrada gratuita, sessões às terças-feiras com início às 22h00. À semelhança das edições anteriores, o cartaz cinematográfico apostou na apresentação de produções mais recentes. 7 exibições contabilizando-se 2.700 espetadores.

Tocar de Ouvido/Aqui há Baile Teatro Garcia de Resende 29 de setembro: baile dos “Corpos Extraordinários” 30 de setembro: “Tradiccion” – Nova Galega de Dança 1 de outubro: Grupo Folclórico Academia de Coimbra Organização: Associação PédeXumbo

No âmbito do Festival de Encontro de Tocadores que promove o património de dança e música tradicional dando especial destaque ao Alentejo. Partilhas de saberes com bailadores tocadores alentejanos, formações, bailes e espetáculos. 3 eventos no âmbito do Festival Terras do Sol contabilizando 292 espetadores.

33


2011 Câmara Municipal de Évora

FIKE 2011 25 a 30 de outubro Auditórios Soror Mariano e da Universidade de Évora Cineclube da Universidade de Évora

10º Festival Internacional de Curtas Metragens de Évora. 43 Sessões de cinema e 125 filmes exibidos no Auditório Soror Mariano e Auditório da Universidade de Évora, contabilizando-se 6.503 espetadores.

“Émilie & Voltaire” de Arthur Giron 14 a 30 de julho Espaço Celeiros Organização: A Bruxa Teatro Encenação: Figueira Cid Interpretação: Figueira Cid e Mirró Pereira

Comédia dramática. A ação viaja até a véspera de Ano Novo, em Paris, na noite em que ela, Gabrielle Emilie, mudou a vida dele, Voltaire. Da autoria de Arthur Giron, traduzido por António Henrique Conde. Uma história verídica entre François Arouet (Voltaire) e Emilie du Chatelet releva-se uma tórrida obsessão alimentada pela filosofia e pelo amor genuíno. O espetáculo conta com Marta Inocentes na assistência de encenação, Pedro Fazenda na cenografia e figurinos, João Bacelar na sonoplastia e Henrique Martins no desenho de luz.. 6 espetáculos de teatro com 481 espetadores.

34


Câmara Municipal de Évora 2011

Teatro no Verão “Se o mundo fosse bom o dono morava nele” 11 de junho a 14 de setembro Freguesias rurais do concelho Organização: Cendrev – Centro Dramático de Évora Encenação: José Russo e Maria Marrafa Cenografia e figurinos: Inês de Carvalho Interpretação: Álvaro Corte Real, Ana Meira e José Russo Músico: André Penas

Espetáculo de rua, realizado a partir de textos de dois autores brasileiros - Ariano Suassuna e Januário de Oliveira - e de dois autores portugueses - Gil Vicente e Gregório Afonso. O público é convocado a participar numa fusão de atores/bonecos/músicos, subvertendo as unidades de tempo, lugar e ação. Uma dramaturgia que mergulha no universo popular para falar do desconcerto do mundo. 13 Espetáculos com 863 espetadores.

Escrita na Paisagem julho, agosto e setembro Vários espaços na cidade Organização: Associação Coleção B Direcção Artística e de Programação: José Alberto Ferreira; Assistente de programação: Rita Valente; Direcção de Produção: Rita Valente; Direcção Técnica: Carlos Arroja; Produção Executiva: Olga Moreira

“É em contextos assim [de tempos de crise] que os mitos ganham particular ressonância e a sua dimensão. Dispositivos do pensar coletivo, formas do narrarse, nos mitos e pelos mitos se vertem tantas vezes angústias quotidianas, expectativas e promessas de felicidade. É de mitos que se faz esta edição do Festival Escrita na Paisagem. Mitos clássicos, mitos históricos, mitos nacionais e mitos locais, mitos urbanos e mitos rurais compõem a paisagem que este ano escrevemos. E há-de o espectador encontrar o seu lugar, os seus mitos, o seu caminho.” Exposições, workshops, performances, instalações, teatros, cineconcertos, cinema ao vivo, músicas, danças. 24 iniciativas registando-se um total de 9.067 espetadores.

35


2011 Câmara Municipal de Évora O projeto Oralidades, integrado no Programa Cultura 2007-2013, coordenado pelo Município de Évora e cujos objetivos são a valorização da Cultura tradicional e do Património imaterial, promovendo o diálogo intercultural e a circulação internacional de agentes artísticos e culturais, investigadores e técnicos, desenvolve-se em três linhas de ação: circuitos e festivais de Música Tradicional e Popular, circuitos e festivais de Música Antiga e da Renascença e, finalmente, a criação de fóruns de discussão sobre Histórias de Vida, Contos Folclóricos, Cancioneiros e Romanceiros em espaços que funcionem também como Centro de Recursos da Tradição Oral. Em Évora, durante o ano de 2011, se os agentes artísticos atuaram em diferentes espaços públicos, e por vezes integrando eventos sazonais, a discussão e os espólios em torno da Tradição Oral assentaram e decorreram no espaço municipal do Convento dos Remédios.

"Michel Giacometti, 80 anos, 80 imagens" Exposição 27 de outubro de 2010 a 26 de fevereiro de 2011 Convento dos Remédios Organização: parceria entre a Câmara Municipal de Évora (Divisão de Assuntos Culturais - Projecto Oralidades) e a Câmara Municipal de Cascais (Museu da Música Portuguesa/Casa Verdades de Faria)

Exposição que assinala a efeméride dos 80 anos do nascimento de M. Giacometti. Cedida pelo Museu da Música Portuguesa, esta Exposição apresenta uma seleção de 80 imagens que fazem parte da coleção fotográfica deste etnólogo corso, que desenvolveu um trabalho de investigação, recolha e estudo da música tradicional em Portugal, entre 1960 e 1990.

36


Câmara Municipal de Évora 2011

Encontros "Memória e Partilha" 14, 21 e 28 de janeiro e 4, 11 e 18 de fevereiro Organização: Câmara Municipal de Évora – Divisão de Assuntos Culturais

Organização de encontros informais à volta da obra de M. Giacometti e à volta das Oralidades, passadas e contemporâneas. Destes encontros resultou a publicação do livros "Oralidades ao Encontro de Giacometti".

Grupo Jackson's Zaqq u Tambur Município de Birgu (Malta) Praça do Sertório 14 de maio Organização: Câmara Municipal de Évora

O Grupo Jackson’s Zaqq u Tanbur Folk tem a sua origem nos grupos escoceses de gaita-de-foles, executa instrumentos tradicionais de Malta e foi fundado por Edmond Jackson em 1987. Foi Richard Jackson que inspirou o seu filho Edmond a continuar este interesse pela música, tendo sido, também ele um intérprete talentoso, grande conhecedor de música que fez transcrições para instrumentos de sopros. O grupo já participou, com grande sucesso, em competições internacionais, em Itália, no Zampogna d’Oro e em Erice, em 1987/1988. O grupo interpreta uma variedade de instrumentos tradicionais como a gaita de Malta, o pandeiro, o tambor de fricção, o apito flauta, o martelo de Malta, castanholas e sinos. Todos os instrumentos tocados pelo grupo são feitos à mão com materiais autóctones.

37


2011 Câmara Municipal de Évora

Grupo Cantares de Évora Município de Évora (Portugal) Praça do Sertório 14 de maio Organização: Câmara Municipal de Évora

O Grupo Cantares de Évora foi fundado em 1979, com o objetivo de preencher na cidade de Évora um “Espaço Cultural” dedicado ao Coral Tradicional do Alentejo. O seu repertório é preenchido por “Modas Antigas”, mantendo toda a fidelidade ao cancioneiro Tradicional, não sendo feitos quaisquer arranjos nem alterações às músicas nem aos poemas, sempre de origem popular. Tem a particularidade de ser um Coral misto, contando hoje com cerca de 25 vozes.

Xestreu Município de Ourense (Galiza, Espanha) Praça do Sertório 5 de agosto Organização: Câmara Municipal de Évora

Xestreu nasce no ano 2001 com a intenção de trabalhar no campo da recuperação das velhas cantigas de raiz popular. Na procura de raízes, levam a cabo um trabalho de recolha de cantares e romances da tradição oral, interpretando também temas recolhidos por grupos de outras nacionalidades, com a intenção de abranger no seu repertório um amplo leque de ritmos do mundo, sempre dentro da música tradicional. Este grupo de mulheres faz um percurso, com as suas vozes, pelos ritmos tradicionais, mergulhando nos cantos dos povos. Inicialmente o grupo foi formado por 9 componentes, na atualidade são 5 as mulheres que integram Xestreu. No seu repertório integram temas tradicionais dos Carpatos ucranianos, do Magreb, do Piamonte italiano, do México, da cultura Cherokee, da Safardita, da portuguesa, assim como, um conjunto de cantigas tradicionais galegas recolhidas pelas próprias componentes do grupo.

38


Câmara Municipal de Évora 2011 A vida cultural de um Município também se acerta com o calendário. Ciclicamente, as festas acontecem e a Autarquia junta a festividade e o evento cultural. Se há datas que de forma que ousaríamos adjetivar de automática, chegam ano após ano, sem número redondo a destacar de forma especial, outras há que se festejam como efemérides especiais. Ano após ano, e por isso também em 2011, o Carnaval, o Mês da Juventude, o 25 de Abril, a Feira do Livro, a Feira de São João, o À Noite nas Piscinas, o Mês do Idoso e o Natal Clássico contaram com eventos que animaram a Cidade, em organização própria ou coorganização do Município, com a regularidade a que o seu público se vai habituando e exigindo que, por isso, aconteçam.

CARNAVAL 2011 "A Quinta Assaltada" - fundamento da autoria de Raimundo José Lopes Brincas de Carnaval 5, 6, 7 e 8 de março Grupo de "Brincas” de Carnaval da Casa do Povo de Canaviais Apoio: Câmara Municipal de Évora

As Brincas carnavalescas da região de Évora, como reminiscências de antigos costumes comunitários das populações rurais das quintas dos arredores da cidade e dos grandes montes agrícolas circundantes, mantiveram e preservaram ao longo dos tempos. É difícil definir-se historicamente a origem deste tipo de manifestação cultural tradicional. Alguns autores apontam a origem destas manifestações ao século XVIII, outros remontam à época e aos autos de Gil Vicente no século XVI, outros ainda há que não arrisque quaisquer datas para a sua origem, isto devido ao simbolismo subjacente na sua coreografia e à sua estruturação espacial, fazendo-as remontar a tradições mítico-religiosas ancestrais, nomeadamente inseridas em contextos de culturas e vivências de forte conotação agrária. Ação dramatizada (o fundamento), é constituído por décimas de versos rimados. O seu público privilegiado são os habitantes das suas próprias zonas de origem, simultaneamente de pertença e de referência, ou de outras zonas com características semelhantes. O local de representação é a rua, ao ar livre, ou em casão agrícola cedido para o efeito. Este grupo fez 11 representações das Brincas em diversos locais do Concelho.

39


2011 Câmara Municipal de Évora

CARNAVAL 2011 "As Encantadas" - fundamento da autoria de Raimundo José Lopes Brincas de Carnaval 5, 6, 7 e 8 de março Grupo de “Brincas” de Carnaval do Rancho Folclórico Flor do Alto Alentejo Apoio: Câmara Municipal de Évora

Este grupo fez 16 representações das Brincas em diversos locais do Concelho.

MÊS DA JUVENTUDE 2011 Concurso de Bandas 12 de março Organização: Câmara Municipal de Évora e Associação Académica da Universidade de Évora

Concurso de bandas integrada no mês da Juventude. 41 bandas candidatas, 6 bandas finalistas mediante escolha do júri do concurso, que se apresentaram ao vivo em espaço municipal “Monte Alentejano”.

40


Câmara Municipal de Évora 2011

MÊS DA JUVENTUDE 2011 Exposição Arte Jovem - Ilustrações & 3[8]avos visuais & Concurso Linha Gráfica Palácio D. Manuel Março Pedro Henriques; Dulce Serrano Fialho, Lina Caixeiro e Paulo Archer Barbosa Organização: Câmara Municipal de Évora

Exposição de ilustrações do jovem eborense ilustrador Pedro Henriques e de 3 jovens estagiários finalistas do curso de Artes Visuais que apresentaram os trabalhos desenvolvidos no âmbito da sua atividade letiva com alunos da Escola André de Resende.

MÊS DA JUVENTUDE 2011 Um Olhar sobre o Património Exposição Artes Plásticas Palácio D. Manuel e Jardim Público Março Produção: Daniela Bravo Organização: Câmara Municipal de Évora

Exposição coletiva de artes plásticas idealizada por Daniela Bravo, aluna do curso de Organização de Eventos da EPRAL (Escola Profissional da Região do Alentejo), que realiza esta mostra no âmbito da sua prova de aptidão profissional. Nesta exposição estão patentes trabalhos de vários artistas plásticos, mais concretamente: Cristina Viana, Volker Schonwart, Peter Jones, Elisabete Barradas, Marcelino Bravo, Pedro Calhau, Sílvia Lopes e Vanda Sim-Sim. Também são apresentados alguns trabalhos da coleção do 11º Encontro Internacional de Arte Jovem, que é organizado todos os anos pela Associação Teoartis. Este ano Évora assinala o 25º aniversário da sua classificação como Cidade Património Mundial da UNESCO, e este foi o pretexto para Daniela Bravo organizar uma exposição que pudesse comemorar a nobre distinção da cidade através de uma mostra de artes plásticas.

41


2011 Câmara Municipal de Évora

MÊS DA JUVENTUDE 2011 Duarte Salão Nobre dos Paços do Concelho 28 de março Duarte Organização: Câmara Municipal de Évora

Enquadrado no mês da Juventude e comemorando o Dia Nacional da Juventude o concerto nos Paços do Concelho do jovem fadista eborense Duarte, fadista revelação em 2005/2006 pela Fundação Amália Rodrigues.

COMEMORAÇÕES DO 25 DE ABRIL Concerto “Pucarinho” Praça do Giraldo 24 de abril Luís Pucarinho (guit. Class e voz), André penas (Viola d´arco), Zeps (guit. Folk), Daniel Meliço (Bateria) e Afonso Castanheira (Contrabaixo) Organização: Câmara Municipal de Évora

O Espetáculo realizado na Praça do Giraldo assentou no reportório do disco de Luís Pucarinho "Na Rua Amarela" contando com a inclusão de temas de Zeca Afonso, Jorge Palma, entre outros. «Pucarinho» é um projeto musical português nascido em Setembro de 2008 na cidade de Évora. Temas abrangentes na sua escrita em português, numa voz rica e sensual que eleva a poesia dos textos nas histórias cantadas, histórias que caberiam em todos nós. Pucarinho deixa-nos repletos de uma sonoridade e voz muito particulares numa viagem que passa por o blues, o Jazz, o clássico e até mesmo o Rock.

42


Câmara Municipal de Évora 2011

COMEMORAÇÕES DO 25 DE ABRIL Apresentação aos jovens do livro “Gente comum – uma história da PIDE” por Aurora Rodrigues Espaço Jovem 28 de abril Organização: Câmara Municipal de Évora

Gente comum – uma história na PIDE é um relato transcrito, revisto e editado, centrado nos primeiros vinte e cinco anos da vida de Aurora Rodrigues. Aurora Rodrigues foi militante do MRPP durante seis anos, tendo sido presa pela PIDE em Maio de 1973 e sujeita a tortura. Como mais de 400 militantes daquele partido maoista, voltou a ser encarcerada pelo COPCON em Maio de 1975. Cessou toda a sua atividade partidária em 1977. É magistrada do Ministério Público no DIAP de Évora. A recolha, introdução, contextualização e notas são de António Monteiro Cardoso (Centro de Estudos de História Contemporânea Portuguesa do ISCTE/IUL e do Instituto Politécnico de Lisboa) e de Paula Godinho do Departamento de Antropologia e do Instituto de Estudos de Literatura Tradicional ambos da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas/UNL). Edição de 100 Luz.

COMEMORAÇÕES DO 25 DE ABRIL Concerto Comemorativo do Coro Polifónico Eborae Musica Museu de Évora 29 de abril Direção de Pedro Teixeira Organização: Eborae Musica, Câmara Municipal de Évora e Museu de Évora

O Coro Polifónico Eborae Musica atua tradicionalmente nas comemorações do 25 de Abril, tendo interpretado polifonia da Escola de Música da Sé de Évora (séc. XVI e XVII) e canções regionais portuguesas, terminando com a canção heroica “Acordai” (José Gomes Ferreira) de Fernando Lopes-Graça.

43


2011 Câmara Municipal de Évora

FEIRA DO LIVRO 2011 Praça do Giraldo 27 de maio a 5 de junho Organização: Câmara Municipal de Évora

A Feira do Livro de 2011 teve como tema o "Património", evocação dos 25 anos de classificação de Évora como Património Mundial pela UNESCO (25 de Novembro de 2011). Neste âmbito, a 27 de Maio foram lidos textos sobre Évora por 25 leitores de diversos grupos etários. Nos outros dias foram apresentados 12 livros pelos respetivos autores, sendo alguns eborenses ou de temática eborense. Ações de divulgação de autores, de obras e das Livrarias e dos livreiros. Venda de livros a preços promocionais.

FEIRA DO LIVRO 2011 Volta ao Mundo em 10 Instrumentos Praça do Giraldo 28 de maio Companhia Marimbondo Organização: Câmara Municipal de Évora

Espetáculo interativo onde o público, auxiliado por um enorme globo, escolhe o trajeto de uma viagem musical à volta do mundo. Matilde e Pipo apresentam em cada um dos destinos extraordinários instrumentos desse local. O xafoon do Hawai, o berimbau brasileiro, o washboard norte-americano, a kalimba africana, entre outros.

44


Câmara Municipal de Évora 2011

FEIRA DO LIVRO 2011 Macacos das Ruas de Évora Praça do Giraldo 29 de maio Organização: Câmara Municipal de Évora

Arranjos inventivos, tendo por base a música vinda de todo o mundo, interpretada com humor e expressão pessoal. Estes músicos, trouxeram várias riquezas culturais e conhecimento valorizando este espetáculo onde nenhum estilo de música está fora do alcance destes elementos. Com alguma regularidade eles compilam o seu repertório em datas e ocasiões específicas. Um grupo de animação musical que faz da rua o seu palco privilegiado.

FEIRA DO LIVRO 2011 Robertos e Outras Marionetas Praça do Giraldo 3 de junho Trulé, Investigação de Formulas Animadas Manipulador: Manuel Dias Organização: Câmara Municipal de Évora

Espetáculo composto pela Tourada na técnica de Robertos. Nele se mostra o tradicional pelas marionetas de fios ou a Tourada que acontece na barraquinha e em que o manipulador através da palheta com sons agudos sublinha o ritmo alucinante dos robertos.

45


2011 Câmara Municipal de Évora

FEIRA DE SÃO JOÃO 2011 Banda Filarmónica da Casa do Povo de Nossa Senhora de Machede Arruada e palco da Horta das Laranjeiras 23 de junho Organização: Câmara Municipal de Évora

Fundada em 1907, foi graças ao empenho e determinação de sócios e dirigentes da antiga coletividade União Instrutiva e Recreativa Machedense que se formou a banda Filarmónica. Atualmente a banda é constituída por 40 executantes de ambos os sexos e tem como Maestro, Professor e Director Artístico, deste Outubro de 1992, Francisco Henrique Canoa Ribeiro.

FEIRA DE SÃO JOÃO 2011 Grupo de Música Tradicional "Entre'O Cante" palco da Horta das Laranjeiras 24 de junho Daniel Monginho: Voz e Percussão; Jorge Amaral: Voz e Acordeão; Conceição Assis: Voz; Pedro Pais: Voz e Viola Baixo e André Miranda - Voz e Guitarra Acústica Organização: Câmara Municipal de Évora

As vozes, as cordas e a percussão, imprimem ao cante tradicional, as sonoridades que se respiram na imensidão da planície alentejana. Música intimista, "Modas" que permanecem na memória dos menos novos, descrevendo tarefas, ritos, valores e expressões caídas em desuso.

46


Câmara Municipal de Évora 2011

FEIRA DE SÃO JOÃO 2011 Desfile e Mostra Etnográfica Arena d’Évora 26 de junho Rancho Folclórico Flor do Alto Alentejo de Évora, Rancho Folclórico de Cortiçadas de Lavre, Rancho Folclórico As Azeitoneiras de S. Bento do Cortiço e Rancho Folclórico As Mondadeiras de Casa Branca Organização: Fundação INATEL e Câmara Municipal de Évora

Desfile e mostra etnográfica representativa do Distrito de Évora, realizado no âmbito das Festas Populares da Cidade – Feira de S. João, com o objetivo de divulgar e preservar a etnografia e folclore do Alentejo que apresenta características territoriais, climatéricas, sociais, religiosas, entre outras, que determinaram de forma singular os usos e costumes, maneira de ser e trajar da sua população. Com o desfile e mostra pretendeu-se retratar essas tradições e divulgar e promover o trabalho dos Grupos.

FEIRA DE SÃO JOÃO 2011 Fado por Patrícia Leal palco da Horta das Laranjeiras 30 de junho Acompanhada por Jorge Silva: Guitarra Portuguesa e Jaime Santos: Viola de Fado Organização: Câmara Municipal de Évora

Patrícia Leal nasceu em Évora, no Alentejo. O o seu contacto com o fado surgiu ainda pequena na casa dos avós, onde era habitual ouvirem vozes como Amália, Lucília do Carmo, Fernanda Maria, Cidália Moreira e Fernando Farinha. Pisou o palco pela primeira vez aos 16 anos e deste aí continuou a cantar. É o Fado na linha tradicional aquele que mais gosta de cantar.

47


2011 Câmara Municipal de Évora FESTAS DE VERÃO 2011 Festas Populares nas Freguesias do Concelho 9 a 10 de junho: festas populares de Sto. António (freguesia urbana) 1 a 3 de julho: em honra de S. Braz do Regedouro (freguesia rural) 15 a 17 de julho: festas populares da Malagueira (freguesia urbana) 29 a 31 de julho: festas de verão dos Canaviais (freguesia rural) 29 a 31 de julho: festas de verão de Valverde (freguesia rural) 29 a 31 de julho: festas populares de S. Miguel de Machede (freguesia rural) 6 a 8 de agosto: festas em honra de S. Sebastião (freguesia rural) 12 a 14 de agosto: festas de verão da Vendinha (freguesia rural) 13 a 15 de agosto: festas em honra de N. Sra. da Boa Fé (freguesia rural) 26 a 28 de agosto: festas em honra de N. Sra. da Boa Esperança (freguesia rural) 26 a 28 de agosto: festas em honra de N. Sra. da Graça do Divos (freguesia rural) 26 a 29 de agosto: festas de verão de S. Manços (freguesia rural) 2 a 5 de setembro: festas de verão de N. Sra. de Machede (freguesia rural) 10 a 12 de setembro: feira anual da Azaruja (freguesia rural) 17 de setembro: festa de despedida do verão de S. Sebastião (freguesia rural)

Organização: Comissões de Festas Coorganização e Apoio: Câmara Municipal de Évora

Festas populares com “bailaricos” e mostras tradicionais várias que decorrem por todo o território do concelho, sobretudo nas zonas rurais, marcando ciclos de vida rural.

FESTIVAL JAZZ NA CIDADE 2011 Largo Álvaro Velho, Largo Chão das Covas e Praça do Sertório 28, 29 e 30 de julho Organização: Do Imaginário Associação Cultural, Entidade Regional de Turismo e Câmara Municipal de Évora

Série de concertos de curta duração, ao ar livre e a decorrer em simultâneo em vários locais do centro histórico de Évora. O jazz a vaguear pelas ruas, largos e praças da cidade em três fins de tarde e noites ao sabor do fresco do calor de verão, dando relevo a nomes que despontam no panorama do jazz nacional e local. Programação variada, acessível a públicos mais amplos, mas esteticamente rigorosa obedecendo a um perfil temático de abordagem do jazz: o jazz dos metais, o jazz no feminino e o jazz dos instrumentos marginais. www.jazznacidade.com.

48


Câmara Municipal de Évora 2011

À NOITE NAS PISCINAS 2011 Noiserv Piscinas Municipais 8 de setembro Organização: Câmara Municipal de Évora

Espetáculo musical com um artista multi-instrumental considerado um dos melhores exemplos da música alternativa portuguesa.

À NOITE NAS PISCINAS 2011 Archybak Piscinas Municipais 15 de setembro Organização: Câmara Municipal de Évora

Um concerto eclético com estilos que vão de rock ao house ou folk, interpretado por um grupo de jovens de diferentes formações musicais.

49


2011 Câmara Municipal de Évora

MÊS DO IDOSO 2011 Seniores em Festa Arena d’Évora 13 de novembro Organização: Câmara Municipal de Évora

Realização de espetáculo musical contando com a participação de sete grupos corais das Associações de Idosos do concelho e a Tuna Seistetos, da Universidade de Évora. Representação das Associações e instituições do concelho, através da exposição, venda e divulgação do trabalho, bem como de mostra e venda gastronómica.

NATAL CLÁSSICO 2011 "Cantar do Avesso", pelo Grupo Vocal Trítono Museu de Évora 11 de dezembro Maria Filipa Teles, soprano; Mariana Vaz Freire, soprano; Odelinda Mesquita, soprano; Isabel Silva, contralto; Maria João Teles Martins, contralto; Alexandre Silva, tenor; Octávio Martins, barítono e Luís Pereira, baixo. Diretor Artístico: Octávio Martins; Apoio: Câmara Municipal de Évora e Museu de Évora

O Grupo Vocal Trítono foi criado em 1993 com o objetivo de divulgar através da interpretação vocal e instrumental o repertório Ibérico dos séculos XV e XVI. Inicialmente formado pelos seus três fundadores, alarga o número de elementos para se dedicar a um repertório mais eclético, abrangendo a música do renascimento ao nosso século. Em 1996 a nova formação atua na região de Évora e oferece o primeiro Concerto de Natal.

50


Câmara Municipal de Évora 2011

NATAL CLÁSSICO 2011 Banda Filarmónica "Liberalitas Julia" Palácio D. Manuel 11 de dezembro Diretor Artístico: António Manuel Alfaiate Apoios: Câmara Municipal de Évora; Juntas de Freguesia de Sr.ª da Saúde, S. Pedro, Bacelo, Santo Antão, Canaviais e São Memede; Escolas EB 2, 3 Ciclo Conde de Vilalva; Cooperativa Habitação "Giraldo Sem Pavor"; Fundação Inatel e Fundação Eugénio de Almeida; Rádios e Jornais locais

A Associação Filarmónica “Liberalitas Julia” tem como objetivos a promoção da cultura e a prática musical no concelho de Évora. Como o nome indica e como a maioria dos fundadores são músicos filarmónicos, a associação tem neste momento uma Banda uma Escola de Formação Musical para instrumentistas de sopro e percussão.

NATAL CLÁSSICO 2011 Coral Évora Igreja de Santo Antão 17 de dezembro Maestro: Octávio Martins Apoio: Câmara Municipal de Évora e Paróquia de Santo Antão

Fundado em 1978, O Coral Évora fez a sua apresentação pública no dia 31 de Janeiro de 1979 na Igreja da Graça, em Évora. A 25 de Maio de 1981 viu concretizada a sua oficialização com a aprovação de estatutos próprios. No ano de 1993 foi reconhecido, superiormente como Organismo de Utilidade Pública.

51


2011 Câmara Municipal de Évora

NATAL CLÁSSICO 2011 Concerto de Natal, pela Orquestra da Universidade de Évora Igreja de S. Francisco 19 de dezembro Maestro: Chrístopher Bochmann Apoios: Câmara Municipal de Évora e Paróquia de S. Pedro

Foi formada em 1999, mas só em Fevereiro de 2001 teve a sua primeira atuação. Trata-se de uma unidade cientifico-pedagógica de apoio ao ensino ministrado no departamento de artes da Universidade de Évora. Entre os objetivos da Orquestra estão ainda a prestação de serviços à comunidade, mediante a oferta de um programa de atividades musicais à região, bem como a representação da instituição.

NATAL CLÁSSICO 2011 Ópera "Cosi Fan Tutte" de W. A. Mozart, pelo Ensemble Comtemporaneus Teatro Municipal Garcia de Resende 23 de dezembro Interpretação: Alexis Heath, barítono; Carmen Matos, soprano; Joana Gil, soprano; João Merino, barítono; Marco Alves dos Santos, tenor; Margarida Marreiros, mezzo-soprano. Encenação: Helena Estanislau; Direcção Musical: Vera Batista. Produção: Contemporaneus, associação para a promoção da arte contemporânea; Organização: Direção Regional de Cultura do Alentejo; Apoios: Câmara Municipal de Évora e Cendrev

Ópera buffa em dois atos, KV 588. Libreto de Lorenzo da Ponte. Ensemble composto por Violinos (7), Violas (2), Violoncelos (1), Contrabaixo (1), Flautas (2), Oboés (2), Clarinetes (2), Fagotes (2), trmpas (2), Trompetes (2), Percussão (1) e Cravo (1).

52


Câmara Municipal de Évora 2011

NATAL CLÁSSICO 2011 Cante e Piano - Música Contemporânea do Alentejo Teatro Municipal Garcia de Resende 28 de dezembro Vozes: Joaquim Soares e José Rodrigues dos Santos; Piano: Amílcar Vasques-Dias; Coro: Grupo Cantares de Évora Organização: Câmara Municipal de Évora; Apoio: Éter

A partir do cancioneiro alentejano, uma experiência de recriação que associa as vozes de um grupo tradicional, dois solistas e um piano, em formas musicais contemporâneas.

53


2011 Câmara Municipal de Évora Em 2011, foram ainda efemérides o Centenário da República, na sequência de 2010, e os 25 anos de Évora Património Mundial. Assinalando este marco, o Artista que é o nome grande de Évora, João Cutileiro, concebeu a medalha comemorativa que ofereceu à Cidade, e uma série de eventos em torno desta classificação prolongar-se-ão pelo ano de 2012.

CENTENÁRIO DA REPÚBLICA Ciclo de Tertúlias 16 de março: Tertúlia da Música 28 de março: Tertúlia do Teatro 20 de abril: Tertúlia da Leitura 19 de maio: Tertúlia do Património Cultural 15 de junho: Tertúlia do Movimento Associativo Organização: Câmara Municipal de Évora

Ciclo de Tertúlias sobre cinco pilares fundamentais da vida cultural de Évora. A música, o teatro, a leitura, o património cultural e a capacidade de realização colectiva são temas de debate e refleção com todos os cidadãos com oradores e moderadores convidados e a parceria com o Departamento de Música da Universidade de Évora, Cendrev e Centro de Estudos de Teatro da Faculdade de Letras de Lisboa , Biblioteca Pública de Évora, Museu de Évora e Sociedade de Instrução e Recreio Joaquim António de Aguiar, respetivamente em cada sessão.

25 ANOS DE ÉVORA COMO PATRIMÓNIO DA HUMANIDADE Sessão Solene Salão Nobre dos Paços do Concelho 25 de novembro Organização: Câmara Municipal de Évora

Depoimentos de diversas personalidades acerca da distinção para cidade de Évora, tributo à geração Património Mundial: Jovens nascidos em Évora em 25 de Novembro de 1986. Conferência pelo Professor João Carlos Brigola (Universidade de Évora/IMC) e apresentação da Medalha Comemorativa da data, que foi concebida pelo artista plástico João Cutileiro.

54


Câmara Municipal de Évora 2011

25 ANOS DE ÉVORA COMO PATRIMÓNIO DA HUMANIDADE Apresentação do projeto 25|25|25 e Conferência Salão Nobre dos Paços do Concelho 25 de novembro Organização: Câmara Municipal de Évora

Apresentação do projecto “Évora, Percursos e Memórias - 25 Anos de Património Mundial da Humanidade, 25 Monumentos, 25 Lendas, histórias e devoções”. Este projecto contempla a realização de visitas guiadas, a decorrerem entre Novembro de 2011 e Novembro de 2012, a 25 edifícios emblemáticos da cidade, em percursos que, evocando a memória e a identidade da cidade, transportam os participantes para outras épocas e outras vivências. A sessão contou com uma conferência pela Professora Maria Cátedra (Departamento de Antropologia Social, Universidade Complutense, Madrid) intitulada “Das fundações da Cidade: de Elbora ao templo de Diana”

25 ANOS DE ÉVORA COMO PATRIMÓNIO DA HUMANIDADE Concerto comemorativo pela Orquestra de Câmara da Universidade de Évora Igreja de S. Francisco 25 de novembro Organização: Câmara Municipal de Évora

Fundada em 1907, foi graças ao empenho e determinação de sócios e dirigentes da antiga coletividade União Instrutiva e Recreativa Machedense que se formou a banda Filarmónica. Atualmente a banda é constituída por 40 executantes de ambos os sexos e tem como Maestro, Professor e Director Artístico, deste Outubro de 1992, Francisco Henrique Canoa Ribeiro.

55


2011 Câmara Municipal de Évora Évora dá palco Pelas características que destacámos – centralidade, confluência, encontro de caminhos – mas também pela sua excelência patrimonial, Évora é muitas vezes solicitada para fazer parte de circuitos de espetáculos, ou tournées, pelos seus Autores e Produtores. É assim que a Cidade e os seus equipamentos se transformam mais uma vez num palco procurado por quem vem de fora permitindo, em articulação com a Autarquia, aos munícipes serem espetadores privilegiados na sua própria casa, a Cidade de Évora.

56


Câmara Municipal de Évora 2011

Concerto Operação Triunfo Arena d’Évora 5 de fevereiro Organização: RTP, Endemol Apoio: Câmara Municipal de Évora

Os 15 finalistas da Operação Triunfo da RTP em direto da Arena de Évora. Uma grandiosa gala na cidade de Évora, com os cantores portugueses convidados: Anjos, Kátia Guerreiro, Jorge Fernando & Sam the Kid, UHF, Nu Soul Family e Muxima.

Ballet Flamenco Olé Madrid Arena d’Évora 12 de fevereiro Produção: On Stage Organização: Câmara Municipal de Évora

Companhia composta por 14 elementos: quatro como base instrumental e dez como corpo de baile. Desde 2003 que apresentam o seu espetáculo pelos quatro cantos do mundo (Roménia, França, Argentina, Inglaterra e Emirados Árabes). Este espetáculo intitula-se Brindis Flamenco e propõe a todos um reencontro com o passado oferecendo todas as possibilidades da arte flamenca.

57


2011 Câmara Municipal de Évora

Expensive Soul & Jaguar Band Arena d’Évora 26 de março Organização: Câmara Municipal de Évora

Os Expensive Soul expressam-se musicalmente através dos ritmos do “hip-hop”, do “reggae” e da “soul”. Nas pistas de dança, nas rádios, nas televisões, nos tops das operadoras de telemóveis, a exultação musical do grupo de Leça sustenta letras reveladoras de uma madura consciência social, passando uma mensagem ativista sem acinzentar a alegria festiva e o clima de diversão que caracteriza as suas canções. Nesta digressão o grupo promove o seu último álbum de inéditos, intitulado “Utopia”, mas neste concerto não irão faltar os êxitos da banda, como “Quando Dizes Ho”, “Eu Não Sei”, “Brilho”, “13 Mulheres”, “1ª Fila” e o mais recente “O Amor é Mágico”.

Terrakota – documentário e concerto Teatro Municipal Garcia de Resende 25 de março Terrakota Organização: Pachamama e Crew Hassan Apoio: Associação PédeXumbo, Câmara Municipal de Évora e Associação Académica da Universidade de Évora

Enquadrado no mês da Juventude e Festival da Primavera. Documentário "Terrakota no Topo do Mundo", que lança um olhar sobre a carreira da banda. Depois de 10 anos a viajar pelos cinco continentes e a cruzar influências e culturas, lançaram "World Massala" no qual expandem ainda mais a gama de cores, sabores e cheiros que usam para pintar um mundo sem fronteiras. O ponto de partida é a Índia, mais precisamente Ladakh, nos Himalaias, onde os Terrakota foram convidados a tocar em Agosto de 2009.

58


Câmara Municipal de Évora 2011

U know who I am - One man, a thousand instruments and a Polaroid David Fonseca a solo Teatro Municipal Garcia de Resende 24 de março David Fonseca: voz, piano, guitarras e bateria

Inspirado pela canção "U know who I am", do seu mais recente trabalho "Between Waves", David Fonseca concebeu um espetáculo de características únicas em que, tal como o subtítulo indica, estará em palco apenas acompanhado dos seus instrumentos e de uma máquina fotográfica. Com conversa e com silêncio, acústico e elétrico, com música e com imagens.

Concerto de Jazz – Myra Melford Teatro Municipal Garcia de Resende 7 de abril Myra Melford, Piano; Paulo Gaspar, Clarinete; José Menezes, Saxofone; Mário Delgado, Guitarra; Mário Franco, Contrabaixo; Eduardo Lopes, Bateria. Organização: Escola de Artes da Universidade de Évora e UnIMEM; Apoios: Câmara Municipal de Évora, Centro Dramático de Évora, Diário do Sul e Audex-Audiovisuais

Uma compositora/pianista ambiciosa com gosto pela aventura, Myra Melford surgiu no fim de 80, princípios de 90 como uma das mais respeitadas jovens pianistas da altura. Melford partilha uma afinidade com os “blues” que ouviu e estudou quando jovem em Chicago (cresceu nos subúrbios de Evanston, no Illinois), e que incorpora na sua sensibilidade de vanguarda.

59


2011 Câmara Municipal de Évora

Por este Andar Fernando Tordo Teatro Municipal Garcia de Resende 8 de abril Tordo Produções Apoio: Câmara Municipal de Évora, Cendrev e Antena Sul

O cantor Fernando Tordo apresenta um espetáculo com novos temas do seu futuro álbum intitulado “Por este Andar” e clássicos como “Adeus Tristeza”; “Tourada” e “Estrela da Tarde”, entre outros. Fernando Tordo é um dos mais emblemáticos nomes da música portuguesa, sendo compositor, cantor e intérprete. Tocou e cantou na banda “Sheiks” e participou em diversos festivais da canção. Trabalhou com José Carlos Ary dos Santos, tendo os seus temas sido interpretados por outros artistas como Carlos do Carmo, Paulo de Carvalho, Tonicha, Beatriz da Conceição e Simone de Oliveira, entre muitos outros.

O Carteiro Paulo – uma missão especial Teatro Municipal Garcia de Resende 14 de abril Organização: Lemon Apoio: Câmara Municipal de Évora e Cendrev

Pela primeira vez em palco, o Carteiro Paulo e o seu carismático Gato Quico prometem encantar num musical cheio de diversão e alegria. Este espetáculo conta a história de uma Missão Muito Especial, em que o Carteiro Paulo é promovido a Chefe da Nova Estação dos Correios e passa a ter a seu cargo desafios ainda mais importantes.

60


Câmara Municipal de Évora 2011

39 degraus de John Buchan e Alfred Hitchcock Teatro Municipal Garcia de Resende 22 e 23 de abril Encenação: Cláudio Hochman Intérpretes: Inês Castel-Branco, Joaquim Horta, João Didelet, Rui Melo Produção Statement Apoio: Câmara Municipal de Évora e Cendrev

Baseada no filme do mestre do suspense, a história inclui perseguições, assassinatos, trocas de identidade, paixões e outras confusões, magistralmente interpretadas por quatro atores que dão corpo a mais de 150 personagens durante 100 minutos de humor hilariante. Vencedora do Tony Award para melhor comédia 2008 e um Laurence Olivier em 2007.

XI Edição do PortugalGym Gymnaestrada Nacional Arena d’Évora e espaços públicos 13 a 15 de maio Organização: Federação de Ginástica de Portugal e Câmara Municipal de Évora com o alto patrocínio do Comité Olímpico de Portugal

PORTUGALGYM é um festival de ginástica para todos, que envolveu mais de 2.200 ginastas de todo o País mobilizando toda a cidade com espetáculos de ginastas em vários locais. Participaram neste espetáculo gímnico, 52 clubes com exibição de 82 classes.

61


2011 Câmara Municipal de Évora

Pig Parade Exposição urbana Organização: Câmara Municipal de Évora

No âmbito do II Congresso Ibero-Americano de Suinicultura, que Évora acolheu de 21 a 24 de junho, “desfilou” em vários espaços públicos da cidade, uma vara de 50 porcos em fibra de vidro decorados e transformados por escolas e instituições do concelho. Os porcos foram leiloados na Feira de S. João, revertendo a totalidade das receitas a favor da APPACDM.

Bailado “Uma Coisa em Forma de Assim” Pela Companhia Nacional de Bailado Teatro Municipal Garcia de Resende 22 de junho Coreografia: Clara Andermatt, Francisco Camacho, Benvindo Fonseca, Rui Lopes Graça, Rui Horta, Paulo Ribeiro, Olga Roriz, Madalena Victorino e Vasco Wellenkamp Música e Interpretação: Bernardo Sassetti (piano) Direcção Artística: Luísa Taveira

A união destes criadores, com percursos coreográficos muito diferentes, em torno da Companhia Nacional de Bailado, para além do simbolismo inerente que pretendem sublinhar, pretende conjugar as qualidades dos corpos altamente disciplinados e tecnicizados dos intérpretes da Companhia, com a diversidade de entendimentos sobre a criação coreográfica contemporânea. A Bernardo Sassetti cabe não só a composição como a interpretação musical. “uma coisa em forma de assim”, é o título de trabalho desta obra, descaradamente roubado a Alexandre O’Neil.

62


Câmara Municipal de Évora 2011

Vamos contar mentiras Teatro revista Arena d’Évora 2 de julho Produção: C2E Interpretação: Octávio Matos, Luís Aleluia, Isabel Damatta, Paulo Oliveira, Ana Roque e Diogo Cruz Organização: Câmara Municipal de Évora

Na noite do 15º aniversário do casal há grande confusão! Estava previsto jantarem fora com o padrinho de casamento mas uma alteração de última hora faz com que fiquem em casa. E esta mudança vai prejudicar o plano de assalto da empregada doméstica para essa noite, em conjunto com o irmão e o namorado... Inspirada na obra de Alfonso Paso, esta peça é um tributo a Raúl Solnado e Armando Cortez.

Tony Carreira - O Mesmo de Sempre digressão 2011 Arena d’Évora 17 de setembro Produção: Regi-Concerto, Produções Musicais e Audiovisuais, Lda. Organização: Câmara Municipal de Évora Apoio: Continente

Tony Carreira apresenta ao vivo o seu último álbum de originais intitulado “O Mesmo de Sempre”, que foi editado no final do ano passado e que revelou ser mais um sucesso de vendas na carreira do cantor.

63


2011 Câmara Municipal de Évora

Emanuel – O Ritmo do Amor Arena d’Évora 12 de novembro Organização: Artiévora, AM Produções Apoio: Câmara Municipal de Évora, Diário do Sul, Rádio Telefonia do Alentejo e Gráfica Eborense

O cantor Emanuel apresenta o seu último disco, intitulado “O Ritmo do Amor”, em que foi buscar inspiração aos ritmos quentes da América Latina e de África. Segue-se a atuação de Nunos & Nunettes, com Nuno Graciano e Nuno Eiró, e da banda MAXI.

José Cid & Big Band Arena d’Évora 3 de dezembro Promotor: On Stage Apoios: Câmara Municipal de Évora , Diário do Sul e Telefonia do Alentejo

Concerto de José Cid com entrada de Zé Perdigão, Outros Fados e depois do concerto Mega Hits Party, The Double Trouble Dj’s.

64


Câmara Municipal de Évora 2011

Musical “Panda Vai à Escola” Arena d’Évora 10 de dezembro Promotores: Chutos e Pontapés – produções musicais, lda Apoio: Câmara Municipal de Évora

O musical “Panda Vai à Escola” apresenta mais uma aventura do Panda e dos seus colegas de escola. Um espetáculo que promete muitas surpresas e sempre com muita alegria, cor, dança e muita música. Onde todos, pequenos e grandes, cantam e dançam, ao ritmo dos grandes sucessos da coleção “Panda vai à Escola”.

Bailado “O Lago dos Cisnes” de Piotr Tchaikovsky Pelo Russian Classical Ballet Teatro Municipal Garcia de Resende 21 de dezembro Promoção: Classic Stage Libreto de Vladimir Begichev e Vasily Geltzer, coreografia de Marius Petipa e Lev Ivanov, cenografia de Evgeny Gurenko, figurinos de Irina Ivanova e desenho de luz de Denis Danilov Apoio: Câmara Municipal de Évora

O Lago dos Cisnes é considerado o mais espetacular dos bailados clássicos, repleto de romantismo e beleza, é epítome dos bailados clássicos; a coreografia exige dos bailarinos destreza e aptidão técnica na representação das personagens da história. A sua popularidade é por outro lado motivada pela música inspirada de Tchaikovsky, mas também a coreografia inventiva e expressiva de Petipa que, relacionando o corpo humano com os movimentos de um cisne, revela a sua genialidade, o seu potencial coreográfico e criatividade artística. O "Lago dos Cisnes" narra a história de um príncipe que procura a mulher ideal e vê na figura do cisne a suavidade e o encanto feminino, que o deixam loucamente apaixonado. Mas, na verdade, o cisne é a transfiguração de uma bela princesa encantada, um tema de verdadeira poética romântica.

65


2011 Câmara Municipal de Évora Sendo apoiados com a cedência de espaços municipais onde residem, transformados por si próprios em sedes, lugares de formação e, por vezes, também de espetáculo, são vários os agentes culturais, constituídos em Associações, que levam a cabo atividades regulares, constantes e com uma programação própria, em que a Autarquia não tem responsabilidade de programação, mas que constituem um importante contributo para que Évora tenha a oferta cultural que tem para o público em geral e a participação dos munícipes, quer enquanto espetadores, quer enquanto formandos ou associados. Teatro Municipal Garcia de Resende

Espaço Municipal Ex-Celeiros da EPAC

Espaço Municipal Fábrica da Música

Espaço Municipal Convento dos Remédios

66

CENDREV – Centro Dramático de Évora Atividade: teatro

www.cendrev.com

PedeXumbo – Associação Promoção Música e Dança Atividade: música, dança e formação

www.pedexumbo.com

A Bruxa Teatro Associação Atividade: teatro

abruxateatro.blogspot.pt

Coleção B Associação Cultural Atividade: projetos transversais

www.escritanapaisagem.net

Grupo Coral Etnográfico Cantares de Évora Atividade: cante e formação

cantoalentejano.com

Companhia de Dança Contemporânea de Évora Atividade: dança e formação

www.cdce.pt

Coral Évora Atividade: música

coralevora.no.sapo.pt

Associação Cultural Trítono Atividade: música e formação

actritono.blogspot.com

Associação Musical de Évora Eborae Musica Atividade: música, ensino e formação

eborae-musica.org


Câmara Municipal de Évora 2011

Espaço Municipal Escola Primária de S. Bento

Pintaí Associação Cultural Atividade: teatro e formação

www.pimteatro.pt

Espaço Municipal Casa dos Bonecos

Associação Casa dos Bonecos Atividade: teatro

www.eraumavezmarionetas.com

67


2011 Câmara Municipal de Évora Em Évora vivem as Artes e a Cultura Outras instituições com casa própria, de carácter público ou privado, algumas serviços descentralizados do Estado, nasceram ou escolheram viver em Évora. Com missões várias, a programação cultural também ali acontece de forma intensa e são essenciais para a identificação de Évora como Cidade das Artes e da Cultura. A Autarquia é chamada a colaborar de diversas formas, tendo dependido sempre mais da solicitação que lhe é feita do que da sua própria iniciativa. São, no entanto, parceiros fundamentais que merecem por isso referência nesta candidatura, contribuindo de forma muito expressiva para o enriquecimento da agenda cultural de Évora.

68


Câmara Municipal de Évora 2011

Museu de Évora

museudevora.imc-ip.pt

Biblioteca Pública de Évora

www.evora.net/bpe

Fundação Eugénio de Almeida

fundacaoeugeniodealmeida.pt

Museu de Arte Sacra da Sé de Évora

Museu de Artesanato e Design de Évora

museumade.pt

Museu do Relógio

www.museudorelogio.com

Palácio dos Duques de Cadaval

www.palaciocadaval.com

Universidade de Évora

www.uevora.pt

Galeria da Casa de Burgos

69


2011 Câmara Municipal de Évora

Sociedade Harmonia Eborense

soc-harmonia.blogspot.com

SOIR Joaquim António d’Aguiar

soirjaa.wordpress.com

Sociedade Dramática Eborense

srdeborense.pt

Do Imaginário Associação Cultural

www.doimaginario.org

Convento do Espinheiro

www.conventodoespinheiro.com

70


Câmara Municipal de Évora 2011 Divulgação e comunicação Tratando-se de programação cultural, o encontro dos Autores e das suas criações com o Público depende muito, como é sabido, da divulgação que delas é feita. Se muitas associações e instituições têm circuitos próprios de divulgação dos seus eventos, o Município tem alguns instrumentos de comunicação. A Agenda Cultural em formato eletrónico que está disponível no Nosso Quiosque Digital no site da Câmara Municipal de Évora. Uma página AGENDA CULTURAL ' ÉVORA na rede social Facebook é atualizada quase diariamente e a folha volante Guia da Semana sai, impressa, todas as sextas-feiras para circular em estabelecimentos comerciais e públicos. Disponíveis em pasta de anexos que integram esta candidatura. Importa no entanto referir que em Évora existe desde 1942 o conceituado Boletim de Cultura da Câmara Municipal – A Cidade de Évora que, por razões orçamentais, não tem sido publicado, sendo o último número do ano de 2009. Trata-se de uma publicação de caráter mais erudito que, ainda assim, não deixa de cumprir uma função informativa. Já a revista trimestral Évora Mosaico de caráter muito mais divulgativo, de distribuição gratuita e com uma tiragem de 5.000 exemplares, teve em final de 2011 o seu décimo número dedicado precisamente ao Centro Histórico de Évora a propósito da sua Classificação como Património da Humanidade. O nº 10 da revista Mosaico vem, de certa forma, expor ao longo dos seus capítulos uma visão dos dias de hoje sobre outras visões que desde o tempo de, pelo menos, Gabriel Pereira se tiveram sobre o Centro Histórico de Évora. É esta visão também ela um mosaico, já que mesmo sendo da responsabilidade de uma só pena, o jornalista José Frota, colhe de fontes várias e de diferentes quadrantes olhares e opiniões, relatos de ações e iniciativas e, algumas das vezes, até discordantes entre si. Da leitura ainda que em diagonal deste número percebemos logo que é precisamente do equilíbrio entre a herança do passado e as exigências da vida dos dias que vivemos, que é precisamente desse equilíbrio que se faz não apenas a gestão de um centro histórico, mas também a própria vivência individual dos cidadãos que nele vivem, ou trabalham ou até onde se deslocam em ócio ou negócio. 71


2011 Câmara Municipal de Évora Porque só mesmo assim é possível olhar, criticar, propor e mudar, para melhor, sempre para melhor, um território que se liga afetivamente àqueles que o povoam e o transformam em paisagem na sua forma e atitude de o viverem. Este quase álbum de família do Centro Histórico de Évora, com história e histórias dentro, sendo um meio de divulgação do próprio sítio património, é também ele um instrumento educador de cada um dos seus leitores, um desígnio que se enquadra igualmente naquilo para que Évora se constrói há pelo menos 10 anos: ser, na plenitude do conceito, uma Cidade Educadora.

72


Câmara Municipal de Évora 2011 Alguns dados sobre Évora

Município de Évora 2 1.306 Km

Cidade de Évora 2 16,43 Km

Total

Área urbana

Centro Histórico de Évora 2 1,03 Km

Área rural

Freguesias

19

7

12

Área (Km2)

1.306

112

1.205

População residente (INE, 2011)

56.596

45.350

11.246

43,3

404,9

9,3

Densidade populacional (hab/Km2)

A maioria da área do território é rural mas a maioria da população vive em áreas urbanas, sendo que a densidade populacional média do Concelho de Évora (43,3 hab/Km2) é marcadamente menor que a média nacional (114,6 hab/Km2). Freguesias Rurais: Canaviais, N. Sra. da Boa Fé, N. Sra. da Graça do Divor, N. Sra. de Guadalupe, N. Sra. de Machede, N. Sra. da Tourega, S. Bento do Mato, S. Mansos, S. Miguel de Machede, S. Sebastião da Giesteira, S. Vicente do Pigeiro e, Torre de Coelheiros. Freguesias Urbanas: Bacelo, Horta das Figueiras, Malagueira, Sé e S. Pedro, S. Mamede, Sto. Antão, Sra. da Saúde.

73


2011 Câmara Municipal de Évora Equipamentos culturais municipais

Arena d’ Évora Pavilhão multi-usos remodelado pela Câmara Municipal de Évora segundo projeto do Arquiteto Carlos Guedes de Amorim sobre o edifício da Praça de Touros (de 1889), que se encontrava em estado decadente. Inaugurada em 2007, a Arena d’Évora tem acolhido uma grande diversidade de eventos potenciando a sua multifuncionalidade. Em 2011 acolheu 27 eventos diversos (sendo 10 deles espetáculos tauromáquicos de programação da responsabilidade da Terra Brava, empresa de organização de eventos) com um quantitativo de 44.454 espetadores nos 17 eventos de programação e organização da Autarquia

Teatro Municipal Garcia de Resende Equipamento municipal de 1892, tem o CENDREV-Centro Dramático de Évora como companhia residente. Além da Sala de Espetáculos, palco e bastidores, Salão Nobre e Sala Estúdio, possui uma série de outras salas para fins vários. Em 2011 acolheu 52 espetáculos de teatro, música e dança num total de 138 representações e 21.485 espetadores (+68% do que no ano de 2010)

74


Câmara Municipal de Évora 2011 Igreja de São Vicente Equipamento municipal atualmente com funções culturais de galeria. Uma Igreja de 1467 que em 1559, em estado muito arruinado, foi alienado voluntariamente e ficou na posse do município eborense, responsável pela sua transformação e manutenção desde então. Localiza-se num largo pedonal confluente de circuitos turísticos e movimentos quotidianos, conferindo-se como um privilegiado espaço de encontro da cidade Em 2011 registam-se 36.575 visitantes, um grande aumento de público relativamente ao ano anterior que contabilizou 10.825 visitantes, que se deveu à decisão de complementar a programação municipal em parceria com a Associação Coleção B, no âmbito do Escrita na Paisagem e posteriormente de uma forma mais alargada.

Palácio D. Manuel – Paço das Damas O Paço das Damas do Palácio de D. Manuel é o que resta do conjunto palaciano de S. Francisco, datada da primeira vintena do Séc. XVI e integrada no ciclo manuelino-mudejar. Espaço municipal cheio de história, que alojou reis e que foi sede na luta pela independência filipina. Cedido em 1865 à Câmara foi utilizado como Museu Arqueológico, teatro e sala de exposições. Em Março de 1916 foi destruído por um incêndio, tendo assim permanecido até 1943, data em que foi recuperado pelos Monumentos Nacionais, que restauraram o imóvel e salvaram as partes essenciais do antigo pavilhão. Hoje, cumpre a função de “sala de visitas” da cidade e galeria de exposições. Em 2011 registam-se 11.521 visitantes às exposições patentes nos espaços de galeria do Palácio D. Manuel.

75


2011 Câmara Municipal de Évora

Núcleo Museológico do Convento dos Remédios Núcleo Museológico de Arqueologia dotado de duas exposições permanentes, uma dedicada à Évora Romana e outra ao Património Megalítico. Complementa a sua oferta com duas amplas salas para exposições temporárias. O espaço acolhe ainda o serviço de Património Cultural e a Oficina de Conservação e Restauro, estando dotado de cafetaria com esplanada. Em 2011 o núcleo acolheu 7 exposições e 44 atividades de dinamização das exposições e do Convento, registando 5.512 visitantes

Núcleo Museológico da Casa da Balança Núcleo museológico dedicado à metrologia, apresenta exposição sobre pesos e medidas, exibindo objetos com datação a partir do século XV. Desenvolve sobretudo projetos de animação dedicados ao público mais jovem, com destaque para o contexto escolar. Em 2011 o núcleo recebeu 1.324 visitantes.

Núcleo Museológico da Central Elevatória de Água Núcleo museológico dedicado ao Património Industrial. Exibe todos os equipamentos inerentes a uma central de bombagem de água do século XIX, incluindo outros objetos que explicam o sistema de gestão da água. Desenvolve sobretudo projetos de animação dedicados ao público mais jovem, com destaque para o contexto escolar. Em 2011 recebeu 4.702 visitantes.

76


Câmara Municipal de Évora 2011

Núcleo Museológico do Arquivo Fotográfico Este pequeno núcleo museológico apresenta duas exposições permanentes: um estúdio fotográfico com luz do norte e o escritório do último fotógrafo de Évora do século XIX. Enquadrando este núcleo está o Arquivo Fotográfico propriamente dito, o qual acolhe, trata e conserva mais de 300.000 espécimes fotográficos. Em 2011 regista um assinalável aumento de público, totalizando 5.769 visitantes.

Núcleo Museológico do Alto de S. Bento Constituído por dois antigos moinhos recuperados com a função de laboratórios (Moinho da Geologia e Moinhos da Florística), pela Casa do Guarda, pelo “moinho raso” e por cerca de 7,7 ha de terreno envolvente, numa elevação localizada a 3 Km do centro da cidade de Évora. Dispõe de um conjunto de 19 projetos para trabalho com escolas. Em 2011 regista 138 sessões para um público de 3.23 participantes.

Núcleo de Documentação e Livraria Municipal Contando tematicamente com Évora e o Alentejo, recolhe um apreciável conjunto de obras em vários suportes. No ano em apreço foram lançados duas iniciativas que alcançaram grande relevo: “GiraLivros” e a “Livraria Municipal”. O núcleo investe ainda na edição do boletim científico “A Cidade de Évora” e um plano de educação para o Património.

77


2011 Câmara Municipal de Évora A Loja dos Sonhos Equipamento móvel que consite num autocarro equipado com material informático para itinerância no concelho, atualmente a ser adaptado para, além das atividades lúdico-pedagógicas, passar a integrar, numa parceria com a Biblioteca Pública de Évora e apoiado pela Fundação Gulbenkian, a valência de Biblioteca Itinerante. Em 2011 foram realizadas um total de 154 sessões (60 para o pré-escolar, 92 para o 1º ciclo e 2 para o 2º ciclo), registando-se um total de 3.711 alunos.

Ex- Celeiros da EPAC Espaço Público de Atividade Cultural, os ex-Celeiros é um edifício de 4.100 m2 dedicado ao trabalho de diversos agentes culturais, nomeadamente a Companhia de teatro “A Bruxa”, PédeXumbo (espaço que privilegia a dança nas suas diversas vertentes), Colecção B (associação que promove diversas iniciativas transdisciplinares, em torno das artes contemporâneas) e o Grupo Cantares de Évora.

Fábrica da Música Edifício que se encontra repartido em duas frações: uma black box, cedida à Companhia de Dança Contemporânea de Évora (CDCE) – na foto - e uma outra cedida ao Trítono e Coral de Évora.

78


Câmara Municipal de Évora 2011

Igreja do Convento dos Remédios Igreja que cumpre funções de sala de espetáculo. Não só a igreja mas parte do convento está cedida à Eborae Musica, num total de 1.600 m2, cumprindo funções de escola de música do conservatório.

Antiga Escola de S. Bento Edifício de escola primária desativada cedido à companhia PIM Teatro para seu espaço sede e espaço de formação teatral de públicos juvenis e infantis.

79


2011 Câmara Municipal de Évora

Helena Guerra

Medalha Comemorativa dos 25 anos de Évora como Património da Humanidade, da autoria de João Cutileiro

80


Evora - Candidatura