Page 1

1


Natal do 2019

Vi uma

Estrela Poemas e contos de Natal 2019

2

E-Book de Natal do


Ficha Técnica

Título

Vi Uma Estrela Tema Coletânea de poemas e Contos de Natal do Solar de Poetas - 2019 Coautores Poetas do grupo Solar de Poetas e outros convidados. Capa Arranjo de José Sepúlveda Revisão de textos Rosa Maria Santos Formatação José Sepúlveda Imagens extraídas do Google

Editado em E-book em dez. 2019 Biblioteca: ISSUU José Sepúlveda 3


Apresentação Há já vários anos que o Solar de Poeta vem a publicar com regularidade os seus E-books de Natal, evento que tem contado com a participação de muitos dos seus membros e cuja participação temos vindo a alargar a alguns convidados, do país e do estrangeiro, o que enriquece a publicação e abre novos horizontes à expansão do próprio grupo. Este ano, a Administração optou pela inclusão de poemas acompanhados de imagem alusiva, tendo alargado o âmbito da temática a pequenos contos de Natal, inclusão enriquecedora e que, temos a certeza irá agradar não só aos participantes, mas a todos os que ano após ano visitam as nossas publicações. A todos os participantes quisemos atribuir, como nos eventos anteriores, uma Distinção pelos trabalhos apresentados, que reputamos de grande qualidade poética e de texto. Uma vez mais, agradecemos aos participantes, que não paravam de aumentar, a quem felicitamos pela sua participação. Queremos aproveitar para estender a todos vós, amigos e familiares os votos de Festas Felizes. Bem hajam. Solar de Poetas 4


5


Poemas e Contos (por autor)

Coautores Poetas do grupo Solar de Poetas e outros convidados

6


7


Estrela Rainha Brilhava uma estrela No céu de Belém O mundo ao vê-la Viu Jesus também Uma estrela diferente Que à terra descia Sob o estábulo distante Onde Jesus nascia A estrela da Paz De fraterno fulgor Que ao mundo traz A luz do amor 8


Estrela que anuncia O que aconteceu “Da Virgem Maria Jesus nasceu” Indica o caminho Aos pastores e rei magos A Jesus pobrezinho Levam prendas e afagos E aquela estrelinha De brilho sem igual Era a estrela rainha Na noite de Natal!

Adelaide Simões Rosa

9


Estrela Dalva Na madrugada sombria, A Estrela Dalva nascia, Para anunciar a boa nova. Nasceu Jesus Salvador, Salvador do amor, Que o mundo renova! Nasceu o filho de Deus! Do reino dos CĂŠus Do EspĂ­rito Santo. Numa gruta fria, A Virgem Maria De luz o seu Manto. 10


Tomam todos os caminhos, Reis e pastorinhos, Com alegria a cantar. Nasceu a esperança! A paz, a bonança, Veio para nos salvar! O milagre aconteceu, Iluminou-se o Céu, Com a luz da verdade. Natal é amor, Num mundo melhor, É fraternidade!

Adelaide Simões Rosa

11


Sonho Dourado Sonhei com Jesus Um sonho dourado Num berรงo de Luz Em palhas deitado

12


S. José e Maria Eu vi a seu lado Vi o que aquecia O estábulo sagrado. Eu vi a vaquinha, O Burro, o borreguito, E vi uma estrelinha A vir do infinito. Vi na terra e no céu Brilhar nova luz Vi o filho de Deus O Menino Jesus. Vi homens de bem A darem as mãos Vi o mundo também Em renovação Quando acordei Feliz me sentia Logo triste fiquei Tudo era fantasia Apenas um sonho Sonho de ilusão. Pelo mundo tristonho Peço a Deus compaixão Adelaide Simões Rosa 13


14


Vi Uma Estrela Vi uma estrela, há mais de mil anos que a vi. Mas depois perdi a estrela luminosa que surgiu no firmamento. Ainda procuro a estrela com tanto carinho, Busco-a no pensamento para guiar meu caminho. Queria tanto encontrar a estrela daquele céu, para a mostrar aos humanos E levá-los até à grandiosa luz do menino.

Adelina Santos 15


16


Prendas de Natal Peço neste Natal em tempo de guaridas criança, pobre, velho, a quem tomou a dor tenham, como presente, um pouco mais de amor mais pão e menos frio em suas parcas vidas. É nesta intenção, pensar no Deus-Menino nascido em berço de palhinhas como templo querendo ao humano, transmitir exemplo humildade do Ser, tão breve e pequenino que ao ver nas ruas, mendigos e tristeza em multidões angustiados solitários anónima pobreza em luto envergonhada, peço aos "senhores do mundo": tenham a nobreza de sair do egoísmo!.. tirem dos calvários os que, além da dor, da fome, têm NADA!

Adelino Pais 17


18


Eu Vi Uma Estrela Quando já esperança ninguém consegue tê-la e antevê o fim da vida, a sua sorte nos olhos do enfermo no leito de morte no tempo de Natal eu vi uma estrela! Do pobre que resiste, a vida quer mantê-la com angústia, com fome, o parco pão mendiga a rua, sua casa, frio que fustiga no Natal, no olhar, eu vi uma estrela! Governos que concedem míseros aumentos aos velhos, inválidos, que não têm voz (perderam dignidade, em sofrimento atroz,) a luz deste Natal lhe mude os sentimentos (esta vida é fugaz ninguém pode detê-la) então possa dizer que vi uma estrela!

Adelino Pais 19


20


Memórias de Natal. Desponta aurora de mais um Natal onde, entre prendas, vislumbrei teu rosto num embrulho em que um sonho composto se transformou, no tempo, em irreal! Restam lembranças velhas que se apagam como o madeiro que ardia na lareira cinzas ficaram, memórias da fogueira junto ao presÊpio, imagens que me afagam... Tudo se foi na voragem do vento pelo tempo consumido o advento deixou ficar em mim eterno hino... iluminado, bem dentro do peito vejo um bercinho de palhinhas feito sorrindo, para mim, o Deus-Menino!

Adelino Pais

21


22


É Natal, outra vez Vi uma estrela no céu Que brilhava intensamente Lembrei da tua alegria e sorriso Em Natais de antigamente Minha mãe que já não tenho Nem Natal que me alegre Apenas junto de mim mantenho Memórias d'Amor que retenho Eu te peço Menino Jesus Tu que nasceste para nos salvar Embala com Teu Amor Minha mãe, nesse plano superior Vi uma estrela no céu Que brilhava intensamente Era o Natal a chegar O meu Natal de antigamente

Alda Melro 23


24


Jesus Nasceu Era noite, A noite mais brilhante que o Universo já vira O céu, uma tela pintada de anjos a sorrir Era chegada a hora do Salvador nascer E foi uma gruta, o local escolhido para o receber Sobre a gruta, uma estrela pousou Anunciando ao Mundo o nascimento de Jesus O Salvador que veio para nos libertar E que o homem mais tarde, pregou na cruz Neste Natal, meu menino Jesus Uma coisa te peço com fervor Não deixes que apenas nesta época Os homens se lembrem do Amor

Alda Melro

25


26


Noite de Paz e Amor Aleluia, Aleluia Tocam os sinos da minha aldeia É noite de Natal, Paz e Amor, nasceu o Redentor Coberto de luz, em palhas doiradas Nasceu pobremente o Salvador E o Mundo ainda não entendeu A mensagem que Ele nos deu Neste intervalo de vida Todos os dias são Natal Jesus ensinou-nos o Amor E por nós Seu corpo entregou à dor.

Alda Melro 27


28


Para Sempre Natal no Coração É Natal Paz A paz que eu quero ter para sempre. Este perfume da mensagem, Que não fique só nas palavras... Que o coração humano Perceba o que é doação. Natal Comunhão Nós estamos nesta vida para nos unirmos E caminharmos a um só destino, O amor O amor que não é uma fantasia O amor que me inspira E me trouxe à terra Paz na terra Paz É natal Luz da mensagem de amor Que muito nos fala em atitude Felicidade é promover o bem Vida Glória Amor É Natal. Alexsandre Soares de Lima 29


30


Eu vi uma estrela. Procuro uma estrela Vou andando e perguntando Ninguém me sabe dizer Onde se foi esconder Essa estrela quero encontrar Sei que me levará Onde Jesus nasceu Lá para a terra de Judá Alguém perguntou O que era aquela estrela A resposta lhe foi dada Que um rei ia nascer Presentes lhe ia oferecer Um rei tão pobrezinho Numas palhinhas nasceu Que vem dar a luz ao mundo E por ele morreu

Amélia Amado

31


Eu vi uma Estrela Eu vi uma estrela Era o Deus menino Deus luz ao mundo Saiu lá do fundo Fez-se presente Anunciou a boa nova Pôs todos à prova 32


Homens de bem querer Sacudiu a poeira De olhos vendados Curou os enfermos E os mal-amados Eu vi uma estrela No céu estrelado Algo está mudado O povo adormeceu De dia escureceu A nuvem chorou O mundo está mal As mãos estão distantes Já não brilham diamantes Nem a estrela cintilante Que ao mundo veio dizer Somos todos iguais Sem raça nem cor Feitos de amor Não de ódio nem raiva Somos a esperança Mais bonança Se todos sentirmos a luz Dentro de nós

Anabela Fernandes 33


34


Vi, uma Estrela Aproxima-se! Já é quase à vista, tempo que se avista, hora a chegar-se. Vinde, veja, não dista, tão personificado dia, corrida estrela que foi guia, em noite de céu em risca. Vi, além, alegria de Belém, e o imaginar revê-la. Além olhos, luzes, e um risco solo, dela, ela, uma estrela!

André Luiz 35


Attendo e prego Gesù Dolce e piccolo bambino Gesù, attendo il tuo cuoricino che si accosta nel mio lettino, Portami tanta bontà, per la gioia di mamma e papà. Ascolta con amore la preghiera del mio cuore. Una stella si avvicina, mentre ascolto una vocina che nel cielo si diffonde. Sono gli angeli del tuo coro, sono sereni e molto contenti, ricoperti di polvere d’oro, portano a tutti la lieta novella, 36


“Gesù è nato è in mezzo a noi , pace e amore sia con voi.” Grazie Gesù bambino, la preghiera hai esaudito, ora dormo più sereno, felice di averti a me vicino. Aguardo e por favor Jesus (tradução) Doce e pequeno menino Jesus, Esperando pelo seu coraçãozinho. Que se encosta na minha caminha, Traga-me muita bondade, Para a alegria da mamãe e do papai. Ouça com amor A oração do meu coração. Uma estrela se aproxima, Enquanto eu escuto uma vozinha Que no céu se espalha. Eles são os anjos do seu coro, Eles estão serenos e muito felizes. Coberto de pó de ouro, Eles levam a todos a feliz notícia, " Jesus nasceu está no meio de nós, Paz e amor esteja com vocês." Obrigado Jesus bebé, A oração você realizou, Agora eu durmo mais sereno, Feliz por ter você perto de mim. Antonella Causa 37


La Campana Per destarci stamattina, la campana suona solo per noi, din don din don din don dono l’amore in ogni cuore, annuncio la nascita di nostro Signore. Oggi ride felice la campana, dondolandosi su nel campanile, din don din don din don suona a festa squillante e gioiosa, annuncia una nascita maestosa. Si sente importante la campana, sempre pronta ad allietare, 38


din don din don din don Gesù è nato sta in mezzo a noi! Pace in terra a tutti voi.

O Sino (tradução) Para acordar esta manhã, O sino só toca para nós, Da don do don do don Presente o amor em cada coração, Anuncio o nascimento de nosso Senhor. Hoje ri feliz o sino, Balançando na torre do sino. Da don do don do don Soa a festa ritmada e alegre. Anuncia um nascimento majestosa. Sente-se importante o sino, Sempre pronta para alegrar, Da don do don do don Jesus nasceu está no meio de nós! Paz na terra a todos vocês.

Antonella Causa 39


Vi Una Estrella. En esta noche solitaria de Navidad vi una estrella brillar en la ventana su fulgor llegaba hasta mi alma al saludarme con cariĂąo y amistad. Esa estrella se hizo presente en mi hogar para convatir mi triste soledad, queriendome con sus palabras de caballerosidad infundir el amor que nunca muere en el lar. 40


El árbol con guirnaldas de Natal llenaba de luz la sombría estancia con el calor de una presencia astral. ¡La mesa repleta de manjar ancestral refleja la ausencia de la abundancia en la soledad de la vida marginal!. Eu vi uma estrela (tradução) Nesta noite solitária de natal. Vi uma estrela brilhar na janela. Seu brilho chegava até a minha alma Ao me cumprimentar com carinho e amizade. Essa estrela se fez presente em minha casa Para combater minha triste solidão, Amando com suas palavras de cavalheirismo. Dar o amor que nunca morre no lar. A árvore com guirlandas de natal Enchia de luz a sombria estadia Com o calor de uma presença astral. A mesa cheia de manjar ancestral Reflete a ausência da abundância. Na solidão da vida marginal!.. Antonia Rodriguez Ferreiro. 41


42


Navidad.

Navidad es tiempo de paz de las almas, albergando el calor de un verdadero hogar, cocimando suculentos manjares en el lar para la reunión familiar, deseando esperanzas. A veces se vive simplemente en soledad analizando los rincones escondidos del arca, vaciando el lastre de desdichas del karma para comenzar el perdón de la tranquilidad. Tiempo para hacer examen de reflexión soñando en la tranquilidad de la celebración esperado aquellos que partieron a un mundo mejor. Se tiende escalera de plata con la ilusión del milagro que encierra esta ocasión en una mística, celestial, universal reunión.

Antonia Rodríguez Ferreiro. 43


44


Soledad en Navidad. Soledad en Navidad es tristeza y amargura, la vida siempre fue dura en el silencio de maldad. Mirar por una ventana como cae la nieve en el campo, los copos de níveo blanco sirven de manto en la mañana. Lejanos están los villancicos que se cantaban después del manjar en los coros de los niños. Nada queda de un ayer de amar, en donde estaban todos reunidos y apresuradamente se han tenido que marchar. ¡Navidad en soledad!

Antonia Rodríguez Ferreiro. 45


46


"Natal... Estrela Divina que Iluminou o Mundo !!!"

Meia noite!... Trombetas soam no céu: Anunciam ... que um milagre : Aconteceu!... Numa gruta de Belém: Jesus o Deus Menino ... Nasceu!... Filho de Deus e Maria: Veio a para ser o Rei dos Reis, Cristo Jesus!.. Brilhou no mundo um novo dia!.. Natal!.. Glória a Deus… Paz...Amor!... Nasceu Jesus... o Salvador!.. No céu estrelas têm mais luz : Na terra brilhou o SOL.. JESUS!...

António Cláudio 47


48


Mãe de Jesus

Procuro-te Senhora Minha onde estais? Senhora de todas as minhas venturas... Confidente de todos os meus ais... Suporte de todas as minhas amarguras. Mãe de todos nós me perdoa, Se alguma vez te magoei ou ofendi... Sabes que há a dúvida que magoa... Sabes que há a alegria que perdi... Quero encontrar em Ti a minha paz, Essa paz, que minha alma procura... Sei que só Tu serás capaz... De trazer à minha alma a sua cura. Faz sorrir de novo minha alma, Que perdeu há muito essa vontade, Lhe dá por favor essa calma... Que quero voltar a ter com a idade.

António Jorge Mendes 49


50


Estrela guia

" Se uma estrela nos guia, É por bem não é magia" Uma estrela no céu brilhava mais, Que guiava no caminho para Jesus, Outros pontos reluziam davam luz, Eram quase todas muito iguais, Entre muitas só uma dava sinais, Alumiava o caminho aos visitantes, Levavam presentes muito importantes, Estrela guia que guiava bem demais. Estrela guia que já vinha do oriente, O caminho aos reis magos ensinou, De todos os lados chegava gente, Gente com fé que a estrela guiou, Para ver a Jesus omnipotente, Estrela que lá no céu sempre brilhou

Armindo Gonçalves 51


Era uma vez " O nascer é sentimento, O morrer é um momento" Era uma vez um menino, Vivia feliz e contente, Era tão meigo e ladino, Conhecia toda a gente, Era muito genuíno, Dos outros era diferente, Seu sorriso encantador, Olhos brilhantes de amor. Ajudava rico ou pobre, Do mais novo ao mais velhinho, Um gesto sentido e nobre, Que fazia com carinho, Certo dia então descobre, 52


Que nascerá pobrezinho, Pelos maus foi perseguido, No mundo andou fugido. Nasceu junto aos animais, Em manjedoura dormiu, Perseguido pelos demais, Em pouco tempo fugiu, No mundo deixou sinais, Mas seu coração abriu, Os três reis do oriente, Deram os três um presente. Mirra incenso amor e ouro, Em forma de gratidão, O nosso maior tesouro, Esta no nosso coração, Deitado num comedouro, Alimentava a razão, Nasceu o Salvador, Do mundo o redentor. Até que um dia acabou, A historia do verbo amar, De menino Homem ficou, Deu tudo o que tinha a dar, O pai então o chamou, Esta no céu a brilhar, Menino Jesus de Deus, Todos os filhos são seus

Armindo Gonçalves 53


Menino Jesus " Vamos seguir sua luz, A caminho de Jesus" Menino Jesus de além, Que nasceste pobrezinho, Foste nascer em Belém, E Maria sua mãe, Nunca o deixou sozinho.

54


No meio dos animais, Com Maria e São José, Todo o amor de seus pais, Entre as palhas nos palhais, Cenário de amor e fé. Da manjedoura fez berço, Das palhinhas o colchão, Menino Jesus te peço, Mas eu não sei se mereço, Trazer-te em meu coração. O amor de Deus menino, Tão pobrezinho nasceu, O seu coração pequenino, Em linhas de oiro fino, Um rei seu manto teceu. O mundo pediu para ver, Um nascimento tão nobre, Numa gruta foi nascer, Aquele pequeno ser, Com amor nasceu tão pobre

Armindo Gonçalves 55


A festa da passagem de ano A Ana Rita vestiu um pequeno avental e foi para a cozinha ajudar a sua mĂŁe. Esta cozinhou pratos requintados e muitas sobremesas, como por exemplo: Aletria, arroz-

56


doce, rabanadas, filhós, sonhos, leite-creme, pudins e ainda o bolo de tronco de chocolate. Depois do grandioso jantar, esperavam as doze badaladas. Muito antes da meia-noite, contou doze passas, cada uma era para cada mês do ano. Certamente com brilhantes desejos pedidos por ela! Os primos só olhavam para o relógio ansiosos que chegasse a meia-noite. Os tios já tinham posto o champanhe ao fresco, e o bolorei já decorava o centro da mesa. Os avós ensaiavam cânticos; os reis e as janeiras com a música da concertina tocada pelo pai da Ana Rita. Tudo corria às mil maravilhas. Passado, alguns minutos, ouviram-se foguetes e o céu começou a ficar iluminado com brilhantes cores. Os primos entusiasmados exclamaram: - Venham à varanda. Que lindo! Só foguetes a estourarem! Estavam felizes por passarem do ano velho para o ano novo.

57


Emocionados, festejaram o ano novo, comeram o bolorei, pois quem tivesse a sorte ou o azar de encontrar a fava na sua fatia, teria que pagar outro. Por ventura, a fava calhou à avó Ana. A alegria foi tanta que começou a chorar. O avô Manuel, ao vê-la assim, começou a chorar também. - Avô, estás a chorar? - Afinal, também se chora em momentos de grande alegria! – Afirmaram os netos entusiasmados com esta descoberta.

Quadras de Natal Natal do Menino Jesus Quadra, estrela brilhante Presépio cheio de luz Lâmpada, vela ardente.

Espírito de paz e alegria Ambiente de candura, Reencontro de famílias, Noite, doce ternura. 58


Singela Luz, verdade Místico tempo de reflexão Homens de boa vontade Revelam paz e perdão.

Vozes cantam hinos Acendem chamas de amor Corações puros, divinos, Louvam ao Deus criador.

Ó meu Divino Jesus Salvador do mundo Concede uma nova luz E outra paz ao mundo.

Nesta quadra de harmonia Leva aos famintos pão, Muita luz, mais alegria E paz em cada coração.

Ascensão Ferreira Lopes 59


60


É Natal Num berço improvisado, de palhinhas enfeitado, num desprovido abrigo, e num lugar escondido, por uma estrela revelado, eis que se escontra deitado, um menino tão esperado. traz consigo a luz do amor, sem distinção de raça ou cor, sem descriminações de crenças, sem evidenciar diferenças, este menino é o Emanuel, a luz da antiga Israel, que nos séculos se propagou, e entre os homens se instalou.

Aurora Maria Martins 61


62


É Natal Os rostos se iluminam. os sorrisos se libertam, os olhares se trocam, os braços se enlaçam, os corações se abrem, as vozes se erguem. semeia-se a caridade perfuma-se a esperança, e o amor germina, em cada coração. Há palavras de perdão de paz e de união. Vozes se levantam, cantando um hino ao Deus menino

Aurora Maria Martins 63


64


É Natal… É Natal, tempo de renascer, de reflexão e de harmonia, de estar presente com alegria. É Tempo de comemorar a vida, é uma época de partilhar amor. É tempo de fraternidade, sentirmos paz, felicidade e distribuir solidariedade… É Natal, temos de espalhar esperança, carinho pelos amigos e familiares. É tempo de generosidade, perdão e de encheres de ternura teu coração. É Natal, tempo de sonhar e acreditar que tudo podemos fazer e mudar. É uma época muito especial, de comunhão e união familiar. É tempo de agradecer, é tempo de fazer acontecer!

Bernardina Pinto

65


66


Feliz Natal Aleluia, o Natal já chegou, há uma nova luz a brilhar. Há algo que no coração mudou e muito amor para partilhar. Jesus nasceu novamente, vem para todos amar… Eu sinto-o verdadeiramente, onde vivo, nas almas e no lar. Feliz Natal quero desejar todos e seus familiares. Que haja amor para dar, convém os “teus” amares. Aleluia, já cheira a Natal todos queremos comemorar. É uma época muito especial, paz e ternura devemos partilhar!

Bernardina Pinto

67


68


Celebrar O Natal Natal, tempo de amor partilhar entre família e amigos, conviver, É uma época para festejar, refletir e sempre agradecer. Que o espírito de Natal seja sentido por todos os irmãos, ricos e pobres. Que o calor da solidariedade seja mantido por todos os homens que sejam nobres. Que neste Natal haja muita alegria, que todas as crianças possam sorrir, possam brincar e fazer magia, no seu lar carinho e amor deva existir. É Natal, devemos de Jesus lembrar, do seu nascimento poder comemorar. Há no mundo uma linda estrela a brilhar e em cada coração, haja amor para dar.

Bernardina Pinto 69


70


Feliz Natal A noite estava muito fria e estrelada. Um menino pobre, sozinho, caminhava. Contava as pedrinhas da calçada. Olhava o céu e as estrelas admirava. Entre todas elas havia uma encantada, De brilho cintilante, sussurrava ao ouvido: - Feliz Natal meu menino, feliz Natal!... - Feliz eu? É noite de Natal e nada tenho! - Tens as pedras da calçada e as estrelas do céu. Não desistas! Caminha e sonha, Jesus vai nascer! Este diálogo gerou, no seu coração, magia… A estrela ora o olhava ora se escondia. À sua frente surgia uma luz de candeia, E, logo depois, aparecia uma pequena aldeia… Bateu a uma porta onde cheirava a sonhos. Alguém apareceu à porta e disse: - Feliz Natal! - Se partilhar comigo a sua ceia será feliz Natal. - Sim, entra! Vamos pôr a mesa, há sempre lugar… Feliz Natal para ti que caminhas só, sem luz, na vida! Feliz Natal para todos os que deixaram de sonhar! Feliz Natal para aqueles a quem roubaram os sonhos!...

Bertina Lopes 71


72


Jesus Nasceu! Estava muito próxima a chegada Do prometido Jesus e Rei divino, Quando uma estrela anunciava Aos Reis orientais: - Nasceu o Menino! Belém era a “cidade” indicada Pela bela estrela de brilho fino!... Também os pastores se serviram dela Para ir adorar o Deus “pequenino”!... Todos os Povos o poderão adorar Se abrirem o coração a essa Luz Que iluminou e fez brotar o amor… E, sem egoísmos a possam partilhar, - Tal como fez connosco Jesus na cruz -, Pelos que mais sofrem – ouvindo seu clamor!...

Bertina Lopes 73


74


Natal em Criança Recordo a época de Natal: Fazia-se um lindo presépio, Na capela da nossa aldeia… Em casa, o tronco de oliveira! Havia oração e muita magia… Na apanha do musgo, na missa… Era contagiante a grande alegria! E, a partilha nunca era omissa. Não haviam grandes fantasias. Era um tempo… De hoje desigual. Havia a fogueira e sem heresias Se ensaiavam cânticos de Natal! A noite quase sempre, muito fria, Aquecida a fazer doces, rabanadas… E com todos unidos… em família, A partilhar as iguarias da consoada. Na manhã, corria a ver a prendinha… …Como Jesus, era rica sendo pobrezinha!

Bertina Lopes 75


Hoje, eu vi o Natal Hoje, vi o Natal, Em cada rosto, que cruzou o meu olhar. Não me peçam que seja Natal, apenas nesse dia tão especial. Cada dia, cada noite, tem um Natal, que carrego e guardo em mim. 76


- "Hoje, para mim é natal" Jamais se esquece esta frase, e o brilho desta voz que se reflete no olhar, quando no frio do inverno se oferecem umas sapatilhas que calam o frio de um pés gelados, descobertos, pelos frios chinelos de dedo. Isto é ser Natal, e neste dia como em tantos outros, eu vejo o Natal, todo o ano... Hoje, eu ouvi o Natal… Naquela voz gélida, que suavemente acariciava o seu rosto num cachecol de lã, quente e suave que lhe oferecia o abrigo desejado... Hoje eu vi o Natal, Naquelas mãos rudes e frias, que se aqueceram num copo de leite. Hoje eu vi o Natal, Naqueles pratos de sopa, que saciaram a fome de tantos Amigos, sedentos de um alimento quente que lhes reconfortasse a alma por dentro. Hoje, eu vi o Natal… Hoje, eu ouvi o Natal… Hoje, eu sorri ao Natal… Hoje, eu fui Natal… Carla Ribeiro 77


78


Há um calor na alma que sabe a Natal Há um calor da alma que me aquece o corpo, Como o reforçar do sentir, de viver em cada dia. Há uma consciência despertar, que grita cá dentro, numa ânsia de ajudar, que de mãos vazias, vê a fome escoar-se em cada prato de sopa, num copo de leite, em cada palavra que me abraça. Há, um frio que me arrepia a alma e a espinha, num dorso cansado, aquecido numa cama vazia, carregada de sonhos destruídos por ilusões... Há uma consciência desperta, que se aquece na alma, de sorrisos no olhar, palavras que me gritam, numa ajuda que mesmo sem ser Natal, cresce em mim Natal... Há um calor na alma que sabe a Natal...

Carla Ribeiro 79


80


Vi-te numa estrela Vi-te numa estrela. Onde brilha o sol, e nele se guardam sonhos. Vi-te numa estrela. Como uma tela repleta de cor, onde pintamos os sonhos, os presentes desejados, que no trenó, transporta o Pai Natal, com Amor. Vi-te numa estrela. Espalhavas Amor, Para um Natal especial, Onde se renuncia ao materialismo, E se prioriza o Amor. Vi-te numa estrela, E, chegas nessa noite tão especial, que quero de Amor, todos os dias, e não neste dia que tantos cobrem de inverdade, materialismo e consumismo, de uma quadra transformada num vazio que se recheia de laços, perfumes e luzes coloridas. Vi-te numa estrela. Que quero de Amor, em cada dia e cada noite, para que seja Natal. Vi-te numa estrela, Sorrio-te porque és Natal. Carla Ribeiro 81


82


Natal de luz

Natal símbolo de harmonia e paz Luz que nos traz, Uma mensagem de um menino especial, Jesus, que para o Natal é essencial. Natal de ontem e hoje na memória, Sempre escrito com história. Vale a pena vivê-lo de verdade E encontrar a flor da liberdade.

Catarina Dinis Pinto 83


Reflexão Apesar de tanta luz Na época de Natal, Nem sempre vemos Por causa de tanto mal. Por vezes a humanidade Só sabe sobreviver sobre o gelo. Caem lagrimas de adversidade. Num quotidiano de flagelo. Saber olhar não é para todos as pessoas Muito menos sentir as mágoas Do mundo, no coração de Jesus. Catarina Dinis Pinto 84


Histórias de Natal Perdeu-se lá em cima, No céu cinzento, O pai Natal e as renas. Procuraram e procuraram, A estrela que os guiasse Até ao recém-nascido, O nosso menino Jesus. No céu frio, a busca continuava, Viam que cá em baixo, Ainda tão longe, Seguiam em fila Os três reis magos. Subitamente no fundo do horizonte, Encontraram a tão famosa estrela Que iluminava tudo em seu redor. Encaminhava os peregrinos Até ao rei dos céus. Catarina Dinis Pinto 85


Memórias de Natal Aqueles Natais distantes Cheios de memórias e alegria Eram Natais da minha infância Como os poderei esquecer um dia!... Natais em pleno Verão No meio de tempestades e magia Naquela terra distante Ai Deus, terra amada… ainda contagia!

86


Aqueles Natais tropicais Cheios de sonhos de infância Memórias que o tempo não levou Terra bendita, recordações… herança! Ai meninice, amor, inocência Infância tão feliz e amada Naquela terra distante, fiquei, No Natal, espero voltar um dia!... Natais com presépios e tudo Todo o brilho que o Natal contém Foram as melhores alegrias de menina Natais com praia, chuva, amor, pai e mãe! Natal é sempre uma Época Por mim muito abençoada, Fui crescendo no querer e na ideia, Que tem de ser bem festejada! Natal contém Paz e Amor Alegrias e Devoção, não se esqueçam Então… festejamos todos os anos O Nascimento do Redentor!

Cecília Pestana 87


88


Natal Seria Natal todos os dias, Se todos os Homens dessem as mãos Num gesto de humildade, Seria Natal todos os dias Se todos os Homens aclamassem Paz, Amor, Amizade, Num gesto de generosidade. Seria Natal todos os dias, Se todos os Homens não olvidassem, Que são todos os dias Que tem Voz a Solidariedade Perante um Mundo que se gesticula Adormecido, Egoísta… Vazio de Humanidade! Seria Natal todos os dias, Se todos os Homens dessem as mãos Num gesto de Amor, Paz e Igualdade. Seria então Natal… Natal todos os dias!...

Cecília Pestana 89


Poema de Natal Vi uma estrela lá longe A brilhar intensamente, Olhei para o alto dos céus Fixei a estrela cadente. Rapidamente os Reis Magos Perseguiram aquela Luz, A todos a curiosidade inspirou Seguiram a mesma estrada. À luz daquela estrela 90


Jazia o Menino, em Belém, Junto de José e Maria, Nas palhinhas, sorria para sua Mãe. Alvíssaras, alvíssaras aos céus Que o Messias ao Mundo veio, O tão esperado Salvador Alvoroço fez entre os Romanos. Jesus, Filho da Virgem Maria Nasceu pobre, mas Iluminado, Trouxe Paz, Amor e Caridade Veio salvar as almas do pecado. Todos os anos comemoramos O nascimento do Senhor, Clamam aos céus os sinos das Igrejas, Cantam os Anjos ao Jesus da Nazaré.

Cecília Pestana 91


92


Natal Do céu desceram flores em abundância Brancas e leves, singelas e imaculadas, Para vestir a noite de particular magnificência, Deixaram os seus castelos de névoas pesadas. Juntou-se-lhes uma luz penetrante da lua, também, Paradigma que o mundo considerou nunca visto, Revelando, à terra, um menino com Seu Pai e Sua Mãe, A quem foi dado o nome de Jesus Cristo! De entre as flores que do céu se desprenderam, E se dispersaram na imensidão do firmamento, Contaram-se inúmeros cristais que coroaram O Menino, anunciador do Novo Mandamento!...

Celeste Gonçalinho Duarte 93


Postal de natal Hoje, olhamo-nos, do alto da nossa estatura Para o fundo de nós, onde nos projetamos quase intactos Revendo as memórias que nos falam de natal. São traços definidos da nossa existência, Sobreviventes de amplas primaveras: De passar entre os pingos da chuva E, chapinhar nos charcos de lama, De deslizar felizes, sobre mantos imaculados de neve, De explorar o caráter glacial, Mas singular dos pendentes de gelo dos telhados, De esbracejar, Correndo livremente sobre a ampla brancura dos caminhos, 94


Saltando e rindo de contentamento!... Nos campos verdes da nossa inocência, Éramos, também nós, Personagens delicadas e adicionadas ao cenário do presépio Colocados, habilmente, transversais ao Menino, a Seu Pai e Sua Mãe, Aos pastores e reis magos, Aos animais… tudo conjugado no propósito De Honrar e Venerar o Pequeno Deus, Que, tranquilo, dormia numa modesta manjedoura. O verde acetinado do musgo, Servia de assentamento à encenação E, colhera-se, na véspera, na encosta da serra. A noite era longa e mística!… No singelo conforto duma lareira acesa, A ceia era partilhada em família À volta duma mesa, onde era rei o bacalhau, rainha a couve portuguesa, E acompanhantes o arroz doce, As rabanadas, a aletria e outras iguarias… A ânsia crescia, porque o Menino Jesus tardava A deixar os presentes no sapato Que O aguardava, desde a véspera, à entrada do quarto, Cabia tudo nele, porque tudo, era tão pouco!... Minúsculos chocolates com pratas multicores com lacinhos coloridos, Confeitos e figos secos… vestuário, tão poucas vezes!... Mas esses presentes, sendo tão humildes, Detinham um poder magistral no nosso coração de infância: Os presentes tinham vindo do céu, especificamente para nós!!! Celeste Gonçalinho Duarte 95


96


Natal Especialmente neste Natal Lembra o de há dois mil anos em Belém, Abre o teu coração a todos por igual, Suspende nele estrelas de fina brancura, Como metáforas do bem Em consonância com o exemplo que desde então perdura O qual nos foi dado por um Sábio Menino, Apresentado ao mundo como um simples mortal, Que sendo Deus, foi Dado à Luz, Com a fragilidade de um ser pobre e pequenino, Nascendo no humilde aconchego de um curral E, sabemo-lo o seu nome é Jesus!!!

Celeste Gonçalinho Duarte 97


É Natal. É tempo de pensar mais profundamente no outro, no que vive só, no que adormece sem agasalho, sem comida, sem um carinho, sem amor. É tempo de olhar a lareira e recordar a criança que ontem fomos, o adulto em que nos tornamos e avaliar todos estes anos passados. É tempo de reconciliações, de amar quem ignorámos, de presentear quem nunca presenteámos. 98


É tempo de respeitar quem não tem dinheiro, quem vive de mão estendida e a tudo é alheio. É tempo de sermos verdadeiros amigos, de não elevar o ego ao ponto de colocar alguém em perigo. Ter compaixão de quem sofre, ser seu irmão. Ser humano, antes de colocar à frente o dinheiro. E dar amor por inteiro. É tempo de saborear o frio as noites ao borralho, É tempo de pensar que a vida não é só trabalho. É tempo de construir pontes, derrubar muros, vencer obstáculos. É tempo de arrumar as armas, recolher tentáculos. É o teu tempo, é o meu tempo, é o tempo de abrir o coração. É tempo de fazer a travessia, deixar de lado a razão. É tempo de colocarmos todos os dias um cheirinho a Natal. De esquecermos quem nos fez mal. É tempo de descer do pedestal, de sermos apenas terrestres, humanos e sonhar, sonhar... sonhar que um dia todas as portas se fechem, abrindo-se um só portal. É tempo de abrir o coração e deixar o espírito do Natal entrar. Celeste Leite 99


Natal Eu ouço com emoção o badalar do sino da Igrejinha do Divino, sob a Colina. Meu coração bate feliz. O Menino Jesus nasceu. Corro para adorá-lo no seu presépio, na manjedoura que os seus pais o colocaram por não haver locais disponíveis. Os pastores avisados por um anjo correm a louvá-lo e os Reis Magos vêm do Oriente, guiado por sua estrela e oferecem-lhe ouro, incenso e mirra. Os fiéis entoam canções natalinas Na Igreja reina amor e devoção

100


A Natividade é tempo de oração, de perdão, de mãos dadas com Deus que enviou o seu filho para nossa redenção. É uma nova vida que chega para nós, de esperança e renovação. O Natal é comemorado todos os anos, em 25 de dezembro, chama os cristãos para o amor, e doação. Comemorado par anos guiar ao bem, ao perdão, a paz para o mundo tão afeito às guerras e à morte de pobres inocentes. Que seja celebrado de modo sublime pedindo a paz para as nações, bênçãos e graças para família. Não fazer do natal apenas banquetes, bebidas, presentes. Foi Deus que chegou para guiar-nos. Que todos nós possamos refletir sobre o seu Real Sentido Que É o Nascimento De JESUS. Que a harmonia e a caridade se unam para pedir o perdão para os pecados, agradecer as graças recebidas unindo povos e nações.

Cléa Rezende Melo 101


102


Outro Natal Outrora o Natal de Jesus era Celebrado na Missa com devoção, Mais fé, todos na Igreja, oração, O coração ao Menino Deus venera. Os sinos a boa nova proclamam. Como eram piedosos noutros tempos! No presépio idosos bendiziam, A vinda do Menino, seu advento. Na Igreja os fieis cantam contentes Chegou a salvação da humanidade, Enlevados de amor, felicidade. Celebravam com o coração ardente. No brilhoso céu a estrela cadente, Trazia paz, salvação a toda gente.

Cléa Rezende Melo 103


104


Sempre Natal Abraços apertados Fechados os olhos de emoção Natal dos meninos De pés nus, no chão molhado Sonham por dias melhores Beijos de mãe, colo e afagos Esperam pela estrela! Anjos que os protejam Sorrisos de Natal Laços coloridos E abraços! Abraços que sejam sempre quentes. Entrelacem as vossas mãos nas mãos de uma criança Vejam nos seus olhos a esperança de que seja Natal sempre!

Cris Anvago 105


106


Segue a Estrela Estrelas cadentes Passeiam pelo céu Olhos reluzentes Cabeça coberta pelo véu Peregrinos iluminados Cânticos de amor e paz Menino esperança Natal é alegria e contemplação Pensamento e oração Acorda e segue a estrela!

Cris Anvago

107


108


Vi uma Estrela Lágrimas de amor Na face de Maria Carinho e ternura Nos braços de José Menino amado, quente e aconchegado. Reis Magos e Pastores Uns de camelo, outros a pé Seguiam em oração Levavam amor e fé Belém era distante Mas seguiam confiantes A estrela mais brilhante!

Cris Anvago 109


Natale nel mondo ' Di nuovo Natale! Silenzio e magia! Si torna bambini, col naso in su Guardando il Cielo......che promette sorprese. Nell'aria, il profumo di festa, La gioia sempre nuova di ritrovarsi, 110


Scartando regali che nascono dal cuore, Lasciandosi cullare da antiche melodie che ci fanno sentire sempre amati. '.

Natal no mundo (tradução) De novo o Natal! Silêncio e magia! Você volta crianças, com o nariz para cima Olhando para o céu...... que promete surpresas. No ar, o perfume de festa, A alegria sempre nova de se encontrar, Desfazendo presentes que nascem do coração, Deixando-nos embalar por melodias antigas que nos fazem sentir sempre amados. '.

Cristina Giulia Sacchi 111


Natale nel Mondo Natale nel mondo 'È Natale, è Natale, è la festa dei bambini, è la festa di chi ama ritornare coi piccini. È la festa della gioia, Dell'Amore che si dona, Di Quel Dio che tanto ci ama, 112


Da farSiCarne in una capanna! Che farai tu o uomo? Tu in braccio Lo prenderai? ' Oppure tra mille affanni il cuore chiuderai? '.

Natal no Mundo (tradução) Natal no mundo ' é natal, é natal, É o dia das crianças. É a festa de quem gosta de voltar com os pequenos. É a festa da alegria, Do amor que se doa, Daquele Deus que tanto nos ama, De Farsicarne em uma cabana! O que você vai fazer ou homem? Você vai pegar no braço? ' Ou entre mil pesares o coração vai fechar? '.

Cristina Giulia Sacchi 113


Natale nel mondo 'La Stella ci guida all'umile capanna, Nasce l'Amore in silenzio..... Gli Angeli in Cielo e gli uomini in terra lodano La misericordia Divina. Uniamoci al coro, lodiamo anche noi, Che Cristo nasรงa ancora per noi! '

114


Natal no mundo (tradução) 'A estrela nos guia para a humilde cabana, Nasce o amor em silêncio... Os anjos no céu e os homens na terra elogiam A misericórdia divina. Unam-se ao coro, louvemos também, Que Cristo nasça de novo para nós! ' ' '

Cristina Giulia Sacchi 115


116


Natal Vivo caminhante... Correndo entre desesperados Amor e paz todos desejam. Solidariedade cultivada na esperança. Pessoas correndo atrás do dinheiro... Escolhas que determinam nossas travessias. Trabalho e ética, merecemos. Horizonte já desperta em novo amanhecer. Sol e chuva revigoram a liberdade da vida. Desejo calar todos os tumultos na revolta, Silenciar os corruptos, e dormir em paz.

Diana Balis (Gisele Sant’ Ana Lemos) 117


118


Anjo caído O sonho cai do alto na torre da Igreja. Doze badaladas e cantigas. É Natal! O voo suave entre as névoas, desce cobrindo as árvores. Com o amor de folhas secas amarelas entre as flores silvestres, cresce a esperança dos portais. Uma brisa acelera a luz dos vitrais, um fluxo, no acalanto de Anjo caído, venerado no dia celeste. Um simples mortal, agradece E reza

Diana Balis (Gisele Sant’ Ana Lemos) 119


120


Amor sereno Cai à tarde na praia amena. O amor no Natal anseia solidariedade. Olhar de menino que pede o pão. O homem segue na blasfêmia impiedade. Mas no mundo cão, há quem faça amizades e estenda as mãos. Acariciam e o menino compreende. Segue a vida sem destino e ansiedade. No meio da contramão, amor é sereno e brota no coração. Feliz Natal é com pão, paz e poesia.

Diana Balis (Gisele Sant’Ana Lemos) 121


122


Vi uma estrela" Lá em cima Vi uma estrela piscando sem parar parecendo querer falar o que seria? Mas ela lá no alto e eu descalça no asfalto frio da minha vida ... Impertinente, ela continuava no céu piscando toda contente e de repente entendi ela queria ser minha confidente ser minha fada madrinha e eu que sempre sozinha recebi como um presente aquela amizade tão bela que a pequena estrela me oferecia Do céu ela piscava contente Eu aqui em baixo, retribuía ...

Edi Almeida 123


124


Vi Uma Estrela No céu vi uma estrela, tão bela tão serena, com seu brilho original. Na terra vi uma estrela, aquela, que enfeitou, nossa árvore de natal. Nas noites longas e insones, quando deito a falar teu nome... Penso nas estrelas, nas constelações do infinito... sinto teu beijo atrevido, e dou asas a imaginação... Te amo nos meus versos brancos, te quero para além da vida... Pra sempre serás, a minha, estrela querida... Para sempre estarás, no céu do meu amor.

Edi Almeida 125


126


Assim é o Natal. As flores de entrada são crisântemos Alegrando o ser para os reis, Entre os murmúrios e barulhos Toca-se o sino, para o infinito. E dominando a paz universal Como uma estrela em orla Seu corpo divino, soma-se felicidade Alimentando nossa esperança. É ébrio, contemplar alma boa E deixar que vá nos encaminhando Para restarmos, do lado do Senhor. Pelo natal, regendo a sabedoria Tornando Jesus, este ser valioso Com a ascensão da comemoração.

Ednaldo F. Santos 127


128


Tesouro. Onde o Natal se clama Santo Há festa louvando Fé e Natividade Unindo povaréus religiosos Doando ao irmão a fiel caridade! Bendito ventre da Virgem Maria Rebento da promessa e a salvação Concebendo para todos o tesouro Para a salvação da Humanidade! Estrela guia aos anjos celestes Têm de Alfa o Menino Jesus Ordenando a consagração caritativa! Oh! Senhor bem haja à benevolência Dante na união das almas vertentes Provendo com o Natal nosso ajuizamento!

Ednaldo F. Santos 129


130


Natal. O natal da minha infância' Havia paz, luz, vida e brincadeiras E os irmãos rindo na cachoeira Nos cultos sobre a orla do verão. Não ganhávamos presentes de montão, Pois éramos simples e humildes Papai, não dava conta dos filhos Nesta época, com tantas diversidades. Mas, a festa era uma alegria De beijos, junções e pessoas boazinhas Com cânticos, no lugar das estrelinhas. Nós tínhamos o Menino Jesus E a casa, decorada de amigos Enfeitando, os lugares, dos presentes.

Ednaldo F. Santos 131


Un' aura brilla. Un' aura luminosa è nel cielo, un suo dorato raggio in un velo scende e avvolge la capanna dove GesÚ Bambino fa la nanna, tra Maria e Giuseppe è la sua culla venuto alla luce senza nulla. I doni, oltre alla pace e all'amore, 132


da offrire ad ogni cuore c'è la stella a simbileggiar il Cristo al quale, ancor oggi senza aver visto, noi fedeli credenti festeggiamo nel giorno del Natale rinnoviamo, la nascita a Betlemme seguendo la stella fin dai secoli antichi cantiamo gloria al Bambinello.

Uma aura brilha (tradução) Uma aura brilhante está no céu, Um raio dourado dele em um véu Desce e embrulha a cabana Onde Jesus bebê faz a naninha, Entre Maria e José é o seu berço. Veio à luz sem nada. Os presentes, além da paz e do amor, Para oferecer a cada coração Há a estrela em simbileggiar o Cristo Ao qual, ainda hoje sem ter visto, Nós fiéis crentes comemoramos No dia do Natal, renovamos, O Nascimento em Belém seguindo a estrela Desde os séculos antigos, cantamos glória ao menino. Elisa Mascia 133


La stella dell'alleanza. Le tenebre illuminate da una luce ad indicar percorso che a Te conduce caro GesĂš, alla capanna, sei sorridente, nella culletta d'amor clemente, canti di dolci melodie diffondono i cherubini nell'aria festosa ad annunciare ai bambini e alle moltitudini di genti a seguire una delle stelle piĂš splendenti. Quella che da millenni riluce nel rinnovare il mistero della nascita e del donare l' amore fra tutti gli uomini dell'universo per avere finalmente un mondo diverso. Con il Figlio in mezzo al mondo nell'ottavo giorno della creazione : Ăˆ il Natale 134


in cui Dio, per stringere alleanza che vale, viene fra gli uomini per un bene profondo.

A estrela da aliança (tradução) As trevas iluminadas por uma luz Em indicar caminho que a você leva Querido Jesus, na cabana, você está sorrindo, Na Berçário de amor clemente, Canções de doces melodias espalham os querubins No ar festivo a anunciar às crianças E às multidões de povos A seguir uma das estrelas mais brilhantes. Aquela que há milénios brilha em renovar O mistério do nascimento e do doar O amor entre todos os homens do universo Para finalmente ter um mundo diferente. Com o filho no meio do mundo No oitavo dia da criação: é o natal Em que Deus, para apertar aliança que vale, Vem entre os homens para um bem profundo.

Elisa Mascia 135


Natale nel mondo. Su bambini venite con me insieme a vedere la stella com'è. Ăˆ a indicare a tutti la via che porta al cuore l'allegria. Si uniscono in fila anche i papĂ , vogliono donare quando arrivano lĂ  un sorriso a GesĂš, a Maria e a Giuseppe sempre presenti nel presepe e le mamme che non son da meno portano d'amore un cesto pieno con dentro tante cose ancora dicendo a tutti d'esser buoni ognora. Strada facendo gli zii e le zie si aggiungono, sono ti tutte le etnie 136


compreso i nonni pilastri portanti sa secoli nella società sono importanti. Tutti insomma dai fanciulli ai giovani ad annunciare la pace domani che brilla già in alto la stella ad annunciare che è nato il Bambinello. Natal no mundo (tradução) Em crianças, venham comigo. Juntos a ver a estrela como ela é. É para indicar a todos o caminho Que leva ao coração a alegria. Eles se unem na fila também os pais, Eles querem doar quando eles chegam lá. Um sorriso a Jesus, a Maria e a José Sempre presentes no presépio E as mães que não são de menos. Eles trazem um cesto cheio de amor Com tanta coisa ainda. Dizendo a todos que são bons sempre. Estrada fazendo tios e tias. Acrescentam-se, são te todas as etnias Incluindo os avós pilares Sabe séculos na sociedade são importantes. Toda a gente quer dizer das crianças aos jovens. A anunciar a paz amanhã Que brilha já no alto a estrela A anunciar que nasceu o menino. Elisa Mascia 137


138


Toca Estrela tudo que vejo Os olhos fitam Como dedos tocados, Uma estrela na noite, Que no peito o coração é nascimento. Do brilho ao rosto Do Menino entre o Céu, Declinado a vida No choro do corpo Humano do divino, no Olhar que mexe galáxias. Toca Estrela a tudo que vejo, A noite move ao Encontro. Deitada em minha alma. Teu rosto do tempo Me deu a eternidade, Abriste o Céu a poesia De teu sangue, E meu sangue escreve O amor diante do jardim Que não pude conter, Ao mais que paraíso de Teus olhos. A Luz neste Céu me leva Ao meu encontro em lágrimas, De sorrisos do teu perdão, Desce a noite e o encontro É a Salvação.

Fabiane Linhares 139


140


Ajoelho-me ao Nascimento Nasce em meu peito O Amor diante de uma estrela. Na humilde grandeza Que despoja o tempo, Ao presente que em mim Habita, diante Do berço em palhas, Que também deito-me, Abrigo que Também nasço, Refaz-se a flor Diante do fruto Do jardim. Explode a Vida, Na noite em que a Luz venceu. Cai a escuridão aos Pés do Menino, Rica pobreza É coroa, Ajoelho-me ao Nascimento .

Fabiane Linhares 141


142


Natal Natal, Abre em mim Teu nascer, A fonte do coração Que vive. Natal, luzes é Tua luz, Afago do bebê, que Abriu-me os braços, Ao abraço que Me leva na eternidade. Natal, as árvores que nas Bolas de espelho, vejo Tua alegria que me salvou, No nascer até a cruz, E hoje Tua festa. Te amo Cristo dos meus segundos, Me deste todas as horas. Me faz cantar em teu sorriso Sem fim de Teu abrigo que me olha.

Fabiane Linhares 143


144


Vi uma estrela Vi o Menino Jesus Nas palhas estava deitado São José, Nossa Senhora De joelhos a adora-lo. Trazia nos seus cabelos Laços de cor azul presos As vestes de cetim bordados Ofertadas pelos Reis Magos. Depois viu a brincar Num jardim de brancas flores Sua mão virgem Maria O guardava com todo o amor. São José a fazer estava Um banquinho pequenino Para se sentar o menino Na hora de fazer serão. Enquanto a mãe lhe fazia Umas meias pequeninas Para lhe aquecer os pés Que gelado os trazia. Fátima Monteiro 145


146


Vi uma estrela Numa noite muito fria Em que a neve caia Ainda Jesus e Maria Ao caminho se afoitaram Para chegar a Belém. Uma brilhante estrela Toda a viagem os seguiu Mostrando-lhe caminho e luz. Quando a Belém chegaram Já a hora era tardia A todas as portas bateram Para encontrar um abrigo Mas ninguém os abrigou. Até que foram encontrar Uma humilde choupana Onde foram descansar Enquanto José foi buscar lenha Eis que o menino nascia A irradiar alegria E a sorrir para Maria.

Fátima Monteiro 147


148


Vi uma estrela Estávamos quase no Natal O céu estava cor de anil A lua cheia nascera Cheia de encanto e beleza E ao mesmo tempo as estrelas Todas iguais e diferentes. Pois todas elas pareciam Trazer em seu redores fios De filigrana bordados Em ponto de cruz e luz. Para vestir o menino O meu Menino Jesus Que nascera em Belém Numa humilde cabana Deitado sobre palhinha Sem amparo de ninguém. Era noite de Natal No céu já se festejava Em graça e luz divina O nascimento de Jesus.

Fátima Monteiro 149


150


Uma estrela Uma estrela que cega o olhar Uma noite em Nazaré Uma estrela Norte Polar chegou Maria, Jesus e José! Sou caminho de Reis e pastores A indicar o recém nascido Nasceu pra ser Salvador Mas de todos está esquecido!

Fernanda Bizarro 151


152


Conto de Natal. Um vendaval de folhas leves caídas, pelas avenidas, era a passadeira para Ele passar, mas ele quem era? O Deus menino simplesmente sozinho! Veio cá á terra pra ver o Natal… As folhas douraram eram verdejantes, a neve as queimou e as tornou brilhantes! O menino passou nem as pisou, muito admirado como aqui era lembrado. Ia para o céu, ter com sua mãe, na terra ficou o pai adotivo, a cuidar da vida, para a comida. Lá foi o menino abraçar Maria com tanta alegria, se ouviu aqui, os sinos tocaram, as pombas voaram, a neve caiu, o frio gelou, o sol se abriu. As folhas regressaram abraçar as árvores lá se penduraram… brilhantes objetos, belos e estranhos, todos tamanhos, estrelas gigantes, palhaços, doces lá do céu, que Maria lançou para São José, e uma carta escrita, para o lembrar que sua presença nos anos do filho, não era ausência...Não! Não podia faltar!

Fernanda Bizarro

153


154


Vi uma estrela Já nos céus se ouvia O que na terra se passava, A Virgem Maria sorria Do seu filho se tratava. Que se faça a vossa vontade Maria foi a eleita Ouviu o que o anjo lhe disse Maria a mulher perfeita. Na cabana com o Menino E o seu companheiro ao lado Maria cheia de frio Olhava o céu estrelado. E viu a estrela mais bela A encaminhar os pastores Confiaram que na terra Nascera o Salvador!

Fernanda Bizarro 155


156


Natal Senti a luz Pintei o amor.

Fernanda Santos 157


Trabalho artĂ­stico de Fernanda Santos.

158


Eu vi uma estrela a brilhar Sempre que brilha uma estrela no ventre de uma mulher é Natal. Sempre que cresce um filho ao colo de sua mãe é Natal. Natal é carregar à cintura os filhos nascidos do amor.

Fernanda Santos. 159


Presépio aos pedaços recuperado e pintado por Fernanda Santos; galo da artista plástica Fátima Miranda e árvores artísticas de Sabina Figueiredo 160


Em tons d'oiro sobre azul Hoje o céu desceu ao meu presépio e pintou-o em tons d’oiro sobre azul. Logo a ele se juntou o galo e os anjos cantando um hino de paz. Suspensa de estrelas que se aninham na mão, não falta a fada invisível dos contos que povoam o mundo fantástico das crianças. E lá estão o burrinho e a vaquinha aquecendo o menino deitado no chão. Ao longe, a guerra, o monstro que se alimenta dos inocentes que definham na dor. Não, não poderemos ter natal enquanto as crianças chorarem lágrimas de sangue e as fadas não usarem as varinhas de condão.

Fernanda Santos 161


162


A Minha Estrela Maior Lá no alto do céu. Vi uma estrela. Sob um céu azul esplêndido, ela seguia o seu rumo. E eu a partir da terra, fiquei atenta a Ela! A ver a prudência do seu prumo. Tentei acompanhá-la, via-a na vertical e presa por um fio. Segui-lhe a direção, e Ela; Ela brilhava; e eu; Eu sentia a sua luz em Mim. Depois da observância senti a ânsia. Era um Sinal. Era a minha estrelinha Maior! Era a saudade de quem partiu, a desejar-me; um Feliz e Santo Natal. Era alguém que tanto amei e me fugiu! Era o meu Progenitor. O que agora passou a ser a minha estrela Maior. O que agora se tornou no meu outro Pai do Céu. O Natal continua ... e ELE...! Ele em mim não morreu. Apenas; adormeceu. ''E eu; que fiquei aqui tão envolvida, dentro da minha árvore Genealógica na saudade de um grande Amor. Quando tão bem, sei que É; a lei da Vida.'' Florinda Dias 163


164


Flor de Natal Quando era criança, e a minha Mãe descansava, e o meu Pai no seu colo; me carregava. Tão feliz eu Era. Era Inverno e eu sentia-me como se fosse, uma Flor na Primavera Era uma menina de luz, e; eu sentia-me tal qual. O Menino Jesus. Hoje sem colo, sinto o Primor de ser eu a dar Amor, de ser, um ser abrigo ao ter manto. Um vasto manto que cobre, aqueles que de mim precisam e assim me vou doando num ser Nobre.. Sou Família! Mãe, Filha, Avó. A que acolhe, a que é capaz, a que tanto venera a paz. Natal... Amor... Magia. Tão feliz assim Eu Sou. Sem me sentir Só. Florinda Dias 165


166


Esperança de Vida Montada num burrito. Seguia a Mãe Maria! Junto a pé, ia o Pai José. Havia silêncio, cansaço e procura, a procura de um abrigo para os acolher onde houvesse algum conforto; para o filho d'Eles nascer. Havia lá longe uma Luz, era um curral e um palheiro havia uma manjedoura para poder acolher o Menino Jesus. Contudo! Havia lá dentro a palha e o calor dos animais havia a vaca e o burro Havia uma manjedoura como berço Havia o Pai e a Mãe. E havia uma vontade cega de à vida se fazer Jus. Não era preciso mais. E assim! Nasceu Jesus. Florinda Dias 167


168


Vi uma Estrela Vi uma estrela tão linda Um dia que olhei para o Céu Era uma luz infinda Os anjos cantavam louvor Davam graças ao Senhor O Deus Menino nasceu Com tanta infinidade E tamanha alegria Fiquei feliz de verdade Vi o menino deitado Com animais a seu lado Junto à Virgem Maria

Francisca do Monte Pires 169


170


A Luz de Deus Maria mãe de Jesus Viajava no burrinho Por todo o ar via luz Durante o seu caminho A Deus agradecia Por tanta luz lhe enviar Mas finalmente ela via Que era o filho a se manifestar E o Menino nasceu Cheio de luz e amor Quando os magos chegaram Viram todo o esplendor Já a estrela lhe indicou O caminho da salvação E cada um ajoelhou Em sinal de gratidão

Francisca do Monte Pires 171


172


É Natal Numa gruta em Belém O Menino Jesus nasceu Ouviu-se a voz do além Que este recado deu Venham magos e pastores O Menino adorar Deem graças e louvores Porque o mundo vem salvar Segui a estrela brilhante Que vos fará companhia E da noite faz-se dia Dizei que chegou o rei Que torna o mundo especial É Natal

Francisca do Monte Pires 173


174


Sarà Natale... domani Sarà Natale … domani il mio camminare per le festose strade, con addobbati alberi a colorare le vie tra luminarie a splendere al passaggio nella notte che precede l’arrivo. Sarà Natale… domani vorrei che lo fosse per tutti, vorrei il sorriso splendere su ogni viso la gioia della vita trasparire dai volti vorrei… già vorrei con me tutti attorno al Presepe a pregar con le giunte mani. Domani il Bambino nascerà l’allegria crescerà in ogni animo col vento ad accompagnare la novena e vorrei tutti gai al desio si lo vorrei col cuore che la pace spera. Sarà Natale … domani la stella cometa guiderà i passi, il luminoso cammino verso fiorite albe e tu… tu sarai con me felice verso quella pace tra le braccia del nostro Signore. Giovanni Monopoli 175


Vai ser natal... amanhã (tradução) Vai ser natal... amanhã Meu caminhar pelas ruas festivas, Com árvores de árvores a colorir as ruas. Entre iluminações a brilhar na passagem Na noite que precede a chegada. Vai ser natal... amanhã Queria que fosse para todos, Eu queria o sorriso brilhar em cada rosto A alegria da vida transparecer pelos rostos Eu queria... já queria comigo. Todo mundo em torno do presépio Em rezar com as mãos. Amanhã, o bebé vai nascer. A alegria vai crescer em todos os espíritos Com o vento a acompanhar a novena E EU GOSTARIA DE TODOS JAI NO ESTARREJA Eu queria com o coração que a paz espera. Vai ser natal... amanhã A estrela cometa guiará os passos, O brilhante caminho para florescendo amanhece E você... você vai estar comigo feliz Rumo a essa paz Entre os braços do nosso Senhor. Giovanni Monopoli 176


177


178


A vida não espera Veio a neve, O frio cresceu no coração das gentes, Pecado maior de quem se desfez do bem. A Mão lançou âncoras no Rio da paz, O Sol lançou luz nos olhos do mal E o Natal plantou árvores azuis Em solos vermelhos. Venceu a brancura da neve, Cresceu o amor, A amizade de um menino Jesus A braços com um mundo louco. Magia de Natal, Traz mais dias à Terra, Traz mais céu às gentes, Faz-te bandeira da paz. A vida não espera!

Goreti Dias 179


180


Natal Se o teu Natal é sonho, Diz-lhe que desça à terra. Cada dia medonho, Outro de sol encerra. Se ainda assim quiseres Que o Natal seja irreal, Busca outros seres Que não queiram o teu mal. Procura gente de bem E serás seu parceiro Isto se queres também Um mundo verdadeiro. Não vivas com tristeza, O Natal quer ser sorrisos, Serão com toda a certeza Todos os que forem precisos.

Goreti Dias 181


182


Natal de todos os tempos Natal de todos os tempos, Que tempos tens tu? Outros de nadas e de tudos Ou de inconstantes presentes? Não te sei há muito, Não to sabem há eternidades… Gastem-se os tempos e as vontades Que o Amor não raia no horizonte. Venha o tempo do Mundo E o Amor por nascer; Venha a caridade e a paz Que o Universo por elas anseia.

Goreti Dias 183


Luz de Natal! Surgiu no firmamento Mais brilhante que o sol Uma luz cintilante Que a todos iluminou, Vinda do Oriente A humanidade presenteou Com um espírito diferente Poucos a compreenderam Mas ela do ser humano jamais desistiu, Todos os anos se renova Esse fervor que clama Por essa estrela anunciando Esperança 184


Reunindo os povos Num tempo de bonança, Vem como uma chama Incendiar os seres adormecidos Essa luz que ofusca A noite sombria Irradiando novo dia É preciso renascer, É como um fogo Que arde na alma da gente Consumindo nosso querer, nosso sentir, É amor que brota dessa fogueira Que inflama o coração Com um novo amanhecer, É abrigo Tabernáculo Fonte e plenitude De amor profundo Onde os sedentos desta vida Saciam a sede De verdade e humanidade, Luz de Natal Intensidade e serenidade Transparência e concordância Oásis e nascente Tempo e luar Reflexo da essência Que um dia nos viu nascer! Graça Canhao 185


O Natal na Minha Rua! O Natal na minha rua Não tem candelabros Ou toalhas acetinadas A enfeitar a hipocrisia de quem não sente, Não existem castiçais dourados ofuscando a miséria humana Ou luzes que escondem a realidade ali presente, O Natal na minha rua Não tem pressa de ali passar É uma noite como tantas outras noites Onde o frio despe a alma E, a solidão é insônia que vagueia na calçada da madrugada O silêncio é companheiro que nunca se ausenta Partilha a fome 186


Partilha o pão, A saudade é passado que nunca se esquece A tristeza o colo que embala a dor, O Natal na minha rua Tem sonhos escritos nos muros da indiferença Mas, a minha crença é ser Esperança Esperar sem desistir Que o Natal um dia também por ali passe Acendam os sorrisos das crianças para iluminarem o cinzento da humanidade, Eu também aqui moro Porque a diferença não tem residência Somos as minorias e os rejeitados da sociedade Que se abrigam nesta rua sem nome, O Natal na minha rua Tem cor de infância permanente E, as gargalhadas são de inocência abandonada O sabor é amargo, mas, tem horas que a amizade o torna mais doce que o mel, O cheiro é a vidas que sofrem, mas, também cantam Porque a alegria tem porta aberta todo o dia, O Natal na minha rua Pode ser tudo Se os homens quiserem Celebrar a Mensagem!

Graça Canhão 187


Era Uma Vez, “O Tempo De Natal...” Eu era criancinha e lembro-me docemente... “O TEMPO DE NATAL...” era de Celebração pelo NASCIMENTO DE JESUS CRISTO!... Na minha meninice “O TEMPO DE NATAL...” era de Louvar JESUS CRISTO... ”e não, “o Pai Natal”. Carinhosamente, eu recordo esse tempo lindo... “da minha infância”, nessa feliz e encantadora “vivência!...” Hoje, eu sinto saudade e nostalgia... e dou por mim enternecida... “a reviver esse Tempo de Natal!...” 188


Era tempo de férias escolares e assim, de mais acalmia... então, havia permissão para mais brincadeira... e que alegria! Oh, como é bom reviver as boas emoções, dessa alegria sentida... “nesse Tempo de Natal!” Nesse tempo de outrora, eu, acompanhada pelos “meus adoráveis Paizinhos e as minhas irmãzinhas”, íamos pelos campos fora, a correr a sorrir a saltar e assim a brincar; “íamos ao musgo para enfeitarmos o nosso presépio de Natal”. Oh, quantas saudades eu tenho, desse tempo de menina. Enternecida eu vislumbro esse tempo de outrora... e no sentir de amor e de dor... o meu coração chora “fluem lágrimas de dor... perfumadas de saudade e de amor...” “O TEMPO DE NATAL...” era também, de inspiração no incentivo “à reflexão...” A Família em comunhão “vivia em fraternização... na doação ao nosso Irmão”, por dever... “ao apelo do coração”. Nesse “Tempo de Natal...” a nossa casa tinha mais alegria... ela abarcava harmonia “na mais linda simbologia... que eu via nesse presépio de Natal”, onde tudo era encantador... “São JOSÉ e a Virgem MARIA” emanavam Amor... “devotado ao Filho amado “JESUS!” Enternecida... “a candura do Menino JESUS” enchia o meu coração de menina “da Sua Divina Luz!...” E a Família agradecida... “cantava hinos de Louvor ao Menino JESUS!” O Nosso SALVADOR!... 189


A Família reunida em redor da mesa, “agradecia a JESUS...” a nossa ceia de Natal à Portuguesa, “a tradicional”: cozido “de bom bacalhau”, com azeite regado e com batatas, couves, ovos cozidos, cebolas e cenouras. Era habitual também, “arroz de polvo seco, “o tradicional!” A sobremesa era também, à Portuguesa, “a tradicional”: rabanadas, mexidos, sonhos, bolo-rei, leite creme, aletria e frutos secos. Ah, havia “vinho fino” mas somente, para quem “era crescidinho!” No final da feliz... Ceia de Natal, “em oração de Fé...” a Família reunida e agradecida... “Louvava O Menino JESUS!...” Nessa alegria e magia... “da Noite de Natal em Família”, não faltava a brincadeira tradicional: “rapa, tira, deixa, põe...” e tudo, a pinhões. Com saudade... ainda me enlevo nessas belas emoções! Nessa “Noite de Natal” eu, e as irmãzinhas estávamos felizes... mas, era hora de dormir e dar a todos, “um beijinho”. Já estávamos na caminha mas, “não vinha o soninho” e, expectantes ficávamos a esperar “as lindas prendinhas pedidas ao Menino JESUS”, nas cartinhas escritas “pelo nosso adorável Paizinho”. Nós éramos criancinhas e não sabíamos escrever cartinhas e então, “o nosso adorável Paizinho, fazia-nos esse miminho...” 190


Eu, e as irmãzinhas bem despertadas... “íamos espreitar devagar, pé ante pé, para ninguém acordar” e, entusiasmadas... “ficávamos a esperar algum sinal de JESUS por ali passar, e as nossas prendinhas nos ofertar!” E que alegria... “nessa Noite de Paz e Luz...” à nossa casa chegou “O Nosso Amado “JESUS!” Que “DEUS” predestinou... ser no Mundo “O SALVADOR a emanar Amor e Luz!...” JESUS CRISTO... O Nosso SALVADOR! “Consagrou-se ao Mundo...” no exemplo de bondade, humildade... “Deu a VIDA... por Amor à Humanidade!” Reconhecida... “eu imploro a JESUS” que a Humanidade renasça “no Espírito de Natal...” com gestos de amor, paz, dignidade, integridade, fraternidade, humanidade... “a doar-se de coração... em dádiva de amor pelo mais carenciado e sofrido Irmão”. “O TEMPO DE NATAL...” pode e deve ser “Todos os Dias “nos Corações dos HOMENS de BOA VONTADE!...” “O TEMPO DE NATAL...” é somente, “se a Humanidade Viver “no ideal Amor!” A Abraçar “o exemplo de JESUS CRISTO... O Nosso SALVADOR!” “Amai-Vos uns aos outros, como EU Vos Amei!” Helena Maria Simões Duarte 191


192


É Natal, então que seja Natal! Faça crescer a força do denodo Que se honre o Amor e a Fraternidade... D´Alguém que veio ao Mundo, de modo Humilde. Pra salvar a Humanidade... Nasceu na dita caverna em Belém, Tão pobre na mui bela noite fria, Jesus, Filho de José e Maria; E a Estrela iluminou Jerusalém… Os anjos lá do alto inda estão cantando É Natal! Nasceu o Deus Menino… Repostam os sinos em sintonia: Divinas odes mil notas sangrando… Tal prece! Onde o presépio é Hino Eterno… narrando pura poesia!...

Helena Martins 193


194


Jesus Nascia... Pouco importava o frio, gelo ou neve, que os corpos, mal agasalhados sentiam, porque o que interessava mesmo, era a Estrela que seguiam... Ela os encaminharia até àquela gruta, por Deus escolhida e do ventre de Maria, eis que Jesus nascia... No estábulo, os animais os aqueciam... enquanto Maria, seu filho aconchegava e para Ele sorria, não havia dor, porque, era tanto o amor, que os aquecia... e a Estrela Guia parou junto ao estábulo... que os recebia!

Ilda Ruivo 195


196


Uma Estrela cintilava Olhei para o cÊu uma Estrela cintilava mesmo em noite de breu um nascimento anunciava. Nascimento de Jesus que no Seu ventre com amor Maria, a escolhida, aconchegava p´ra mais tarde, ser pregado na cruz e com seu sofrimento de dor o Mundo salvava. Carregada de simbolismo a Estrela, por fim, parou numa Estrebaria que Deus indicou iria nascer com todo o simplismo Aquele Rei Nosso Senhor.

Ilda Ruivo 197


198


Anjos me abordaram! Eram tantas as Estrelas que no céu vi a cintilar mas como era bom vê-las embora não as pudesse contar. Depois de tanto olhar meus olhos se cansaram Anjos me abordaram segredando-me para rezar. Rezar ao Deus Menino que em Belém nascia sobre uma manjedoura tão pobre, mas que nos adoraria. Fiquei tão espantada n'outros tempos que já lá vão minhas mãos e cara enrugadas parecia de outra geração.

Ilda Ruivo 199


200


Afinal, é Natal Eu vi uma estrelinha brincando ao faz de conta corria atrás de Jesus, e a minha alegria foi tanta Que me perdi no tempo olhava tão atenta, aquela estrela de Natal havia uma, que corria lenta era aquela que me deu sinal! Sinal para ser feliz sinal para fazer o bem sinal para a todos amar sinal para não descriminar, Sinal para amar o Deus menino e pensar o quanto nos ama seu aniversário está a chegar pois o Natal, é para festejar!

Joana Rodrigues 201


202


Eu Vi a Estrela de Jesus Eu vi uma estrela era Natal de Jesus me lembrei que era para nós um sinal de que muitos o esquecem os sinais aparecem, são caminhos de luz, nada terminou, com aquela cruz talvez, o começo e para não esquecer de que Deus existe, há um recordar, na estrela que vi Jesus eu te peço, acorda o povo chama-o à razão, que não faça das crianças armas de arremesso toca-lhes no coração!

Joana Rodrigues 203


204


Jesus é Minha Estrela, Um dia conversei com uma estrelinha que dizia ser feliz olhou para mim e me disse sabes o Natal se avizinha? eu vou mandar uma estrela para ti era Jesus aquela estrela que eu vi como há tanta estrela no céu! mas todas elas têm nome, Jesus, foi quem, minha estrela escolheu e sabendo que eu a amava e tanta vez para o céu olhava que Jesus, sua estrela me ofereceu e no Natal me a enviava, e no presépio permaneceu,

Joana Rodrigues 205


Apenas um homem JĂĄ segui a estrela guia Passei o deserto e o mar Para encontrar a alegria Que todo o mundo seguia Sem ninguĂŠm a encontrar Fui rei mago, fui pastor Passei os rigores do tempo Lutei por paz e amor Procurei o salvador Esperei seu nascimento 206


Fui bobo, fui cavaleiro O romano que o matou Fui José o carpinteiro Fui a faca e o cordeiro E quem o sacrificou Fui aquela coroa de espinhos A cruz e o que ela pesava Sou as veredas e os caminhos Onde procuro os carinhos Que Jesus sempre encontrava Sou o pinheiro iluminado As lágrimas de quem tem fome Serei o Natal desejado Consumismo exacerbado Sou apenas mais um homem

Jorge Raposo Caraça 207


É Natal Recordo o silêncio do povo O madeiro que ardia na solidão Os olhos que choravam por algo novo Aquelas mãos, que nada tinham, como as recordo E aqueles lábios que calavam o coração Recordo o primeiro Natal em liberdade A força de um cravo, um grito do peito O Natal que me deixou tanta saudade Onde o sorriso dos homens, ganhou vontade A esperança que nascia no frio do leito 208


As figuras de barro no presépio da pobreza Os sonhos no coração de quem nada tinha O calor da chaminé era agora certeza Ali se queimava de outros Natais toda a tristeza Dos cantares de liberdade esta força vinha O natal que foi chorado agora é conquistado É luz, exaltação e cor Consumismo exagerado Ainda que cantado Com lindas canções de amor É Natal Partilho o amor e o pão Canto, construo um dia novo Abro a porta, mas também o coração Sorrio, dou um abraço e dou a mão Mas recordo o silêncio do povo

Jorge Raposo Caraça 209


Fingimento É Natal Vamos lá festejar Este é o dia do fingimento, Fingimos amar Fingindo dar, Fingimos ser bons a cada momento Fingimos que festejamos Fingindo que somos nós, Que somos, que estamos Que sempre chegamos, Fingindo até, ser amor e ser voz 210


As ruas estão agora iluminadas Olho para as montras e lá está a nossa imagem, Ali estamos fingindo estar e mais nada Dentro daquela montra recheada, No meio dos brinquedos somos coragem Vestimos o melhor fato e a melhor gravata Os velhos sapatos pintados de novo, Tanto fingimento aos poucos nos mata De mãos doces e sorriso de lata, Caminhando e fingindo no meio do povo Fingimos arrependimento De joelhos no confessionário, Fingimos sorrindo, chorando por dentro Damos como esmola um simples lamento, Juramos a Deus pensando o contrário Somos o que fingimos ou fingimos que somos Dizemos o bem, pensamos o mal, Será isto tudo o que temos Ou apenas o que merecemos, Para mostrar que agora é Natal

Jorge Raposo Caraça 211


212


A força do Natal Estrelas cintilantes e belas árvores de Natal às janelas. Luzes cintilam às cores os sinos tocam louvores. O pobre pedinte pergunta: - O que se passa, afinal? As pessoas respondem em uníssono: - Levanta-te e vem connosco! Deixa a cama de cartão. Hoje não comes só pão. Acontece o habitual, é Dia de Natal! O pobre levanta-se e diz: - Se Deus o permitir e todos me aceitarem, festejarei convosco algo já muito visto, o nascimento de Cristo e do qual não desisto, mas não voltarei pra isto!!!!

José António de Carvalho 213


214


Afinal… O que é Natal? O que veem os meus olhos dolentes Tantas angústias esta vida traz Serão sempre iguais, sempre diferentes Como o dia que na noite se desfaz. Os sinos bem repicam estridentes: Tlim, tlam, tlom… num tinir bem eficaz As crianças felizes, sorridentes. São sonhos de Natal, Hinos de paz... Pinheiros que espreitam pelas janelas Prendas com laços, calças e flanelas Lenços, doçuras, ainda outras loucuras, Dão especial brilho aos olhos delas, Sapatilhas, camisas e chinelas... É Natal! Tantas prendas e ternuras...

José António de Carvalho 215


O Natal vem para ficar Quem ousa dizer que o Natal na minha terra não é o mais o bonito? Ou que o Natal no meu país não é o mais fraterno? Quem ousa dizer que o meu país não é um país de Cristo? Que deixem de se ousar a tais coisas, porque não desisto. 216


Então não é Natal, ver casas iluminadas monte acima? Parecendo estrelas no céu, no frio da noite e no breu? Não é Natal abrirem-se todas as portas fechadas durante o ano? Abrirem-se os sorrisos e os interiores, de cada casa que há em nós? Ah!… E quando neva… Que na minha terra quase nunca neva… É como se o Natal chegasse nesse dia, em qualquer dia ou noite fria. O Natal na minha terra, na terra de Portugal, é feriado mundial. E é do mundo, porque Cristo nasceu e renasce a cada segundo. Não tenho dúvidas deste Natal, daquele que a alma encerra, Em que os Homens, as Crianças e os Anjos O aclamam em toda Terra, Mesmo convencidos que nunca foram vencidos Pela estrela que nos guiou e pela mensagem que ficou, Ainda que a dúvida possa insistir em continuar, Todos queremos, Um Natal que venha para ficar!

José António de Carvalho 217


218


Vi uma estrela Se o brilho dessa estrela não viesse A aparecer no céu, no infinito, Talvez numa choupana não nascesse Esse Menino, humilde, mas bendito. Talvez a sua mãe não padecesse E não soltasse o acutilante grito, Ao vê-lo numa cruz, p’ra que morresse, Por todos nós, conforme foi predito. Talvez não fosse nada, se diria, Mas quis o Deus bendito, nesse dia, Fazer brilhar a estrela lá no céu. E nessa noite escura, triste, fria, Naquela tão singela estrebaria, Esse Menino, ali, por fim, nasceu.

José Sepúlveda 219


220


Ide e anunciai! Deixai que brilhe a estrela lá no céu A anunciar a vinda do Menino Que veio restaurar o que era Seu E conduzir Seu povo peregrino. Deixai que brilhe, sim, haja alegria Ide e anunciai nos campos ao redor, Que numa manjedoura parca e fria, Nasceu Jesus, o nosso Salvador. Cantai, cantai, e ide a toda a gente Levar a linda história, alegremente, Com regozijo, aqui e mais além. Correi e anunciai: Jesus nasceu! Os anjos em canção, virão do céu, E irão convosco aos campos de Belém!

José Sepúlveda 221


222


Os Reis do Oriente Naquela madrugada, lá na serra, Algo se deu de sobrenatural: O nosso Criador desceu a terra E viu a luz do dia num curral. Ninguém imaginava, rei, pastor, Que num lugar humilde como aquele Na noite fria, o seu Libertador Ali vinha nascer. Sim, era Ele! E logo essa notícia foi levada No decorrer de toda a madrugada, A toda a parte, ao povo peregrino. Seguindo a estrela, reis do Oriente, Vieram e trouxeram por presente O ouro, o incenso e a mirra, ao Deus Menino.

José Sepúlveda 223


Este Natal Este natal é um natal para viver esquecendo, deixando o racismo para trás e o preconceito também, natal para erguer a cabeça e parar de chorar... para correr atrás daquele que você despreza e passar a valorizar. Este natal 224


é mais um natal para olhares além e o passado mostro esquecer! Eh... Este natal É só para rir e não ficar triste, amar esquecendo que o ódio existe. natal para afastar-se da tristeza e viver cheio de alegria! de deixar a cor verde, voar em volta da tua fé rosa ser a cor que faz o teu coração bombear e a cor branca estar grudado em teu pé Este natal É um natal p'ra mostrar diferença e ser diferente um natal para não olhar atrás e seguir enfrente Este natal É um natal para mim para ti e para toda gente! Josiclénio Poeta Sebastião 225


226


Nascimento Chegaram os pastores Para adorar o menino: Foi o Anjo que os acordou Com o brilho de sua Luz Dizendo: Nasceu Jesus! Ide e dizei a todos Que hoje nasceu o Rei Que trará o Amor ao Mundo! Assim foram os pastores Anunciando a Boa Nova. Nasceu o menino Jesus Aquele, que nos guiará Para uma nova Era; Onde haverá igualdade Ao cimo da terra. Aos poucos foram chegando. Ao verem o menino Numa manjedoura, pensaram: Tão pobrezinho…ajoelharam-se Fazendo preces ao doce menino.

Laura DaSilva 227


228


O pinheiro de Natal Um pinheiro alto reluzia Com todas as luzes que o vestiam. Era na floresta, sua casa Que gostaria de estar Mas um ser humano, Acabou por o ir cortar. Sentiu-se bonito Com seu novo manto Mas não tardaria, seria despojado De todo o seu brilho. Conformado, pelos belos momentos De Alegria que presenciava. Assim compensava Os instantes que durava. Aos seus pÊs colocavam Belos embrulhos Que abriam sorrisos Nos rostos das crianças. Os adultos, rodeavam-no. Os idosos, apenas o avistavam. Assim findava O pinheiro de Natal.

Laura DaSilva 229


230


O Brilho do Natal Um brilho diferente nos corações é o brilho do Natal! Trazendo um novo dia celebrando a vida presentes, alegrias festas, emoções, esperanças... O despertar dos sonhos desafios, perspetivas Então é Natal... O brilho que irradia o amor O nascimento do Salvador, e da vida...

Lucélia Gomes 231


232


De onde vem o Natal... Vem de um celeiro Sem ostentação Sem raça, nem cor O natal é o amor e a esperança Que move o coração... É o sentimento puro, de bondade Que regenera e perdoa a humanidade Para uns é argumento Pra o cristão é convicção É o nascimento de Jesus É a luz quebrando a escuridão... Natal vem de dentro É instrumento de transformação Para aqueles que ignoram o sentido Um aviso: abra bem os ouvidos Ouça a voz da sabedoria Receba: paz e harmonia E o nascer de um novo dia... Feliz natal!!! .

Lucélia Gomes 233


234


Postal de Natal Pintei um postal de Natal… Um postal enorme e especial Que não tinha pai Natal Mas onde cabiam a paz, o amor, a saúde e o alimento De todos os desprotegidos do mundo. Pintei-o, é certo, mas não chegou a ser visto Porque as pingas de suor dos homens, Despendidas na ganância e no conflito… Desbotaram-no. Tenho imensa pena! Olhem, fiquem outra vez com o Pai Natal... E esta imensa vontade de mudar o mundo.

Lúcia Ribeiro 235


236


Foi-se o Natal! Para alguns, muitos, passou o Natal e, com ele, as maleitas do corpo provocadas pela fartura, pelo exagero, pelo desvario. Para outros, muitos, também, vão ficar registadas na alma, mais uma vez, a fome e a carência de afeto. Os primeiros já se preparam para um novo ano marcado pelo exagero, esquecidos que estão dos desmandos cometidos. Os segundos, já nasceram “preparados” para a miséria, que os há de embalar todo o ano...toda a vida.

Lúcia Ribeiro 237


238


Natal para todos Eu quero neste Natal Coisas lindas verdadeiras; Coisas sérias, que p’ra alguns Não passam de baboseiras. Quero dar um pouco de mim Nesta quadra especial, Pois quero que todos tenham Um Santo e Feliz Natal. Para as crianças quero ofertas De carinho e afetividade… Daquelas que, sendo invisíveis, São fontes de felicidade. Quero presentes p’ra todos Sem haver qualquer exceção, Que todos sejam felizes Abaixo a discriminação.

Lúcia Ribeiro 239


240


Natal?! As horas que antecedem São de extrema euforia E os raios que assim procedem Toca ao coração que sorria E faz tudo, uma total alegria! Cálido, e mais- que- perfeito, Envolvente linguagem, rude inicia, Em momento mágico no seu efeito... E quando esse dia nos chega Tudo passa, sem nenhum sentido, Pois; o que vale a mente é o que se achega... Faz a esperança gritar de verdade E, é o Natal que faz transformar o que senti! Em seu eco explode em toda idade...

Luciene B Gomes 241


242


Natal! E os raios brilhantes do sol Desponta, no céu com alegria, As palavras mágicas são: Respeito, Gratidão e Amor! Os pensamentos se organizam em esperanças E irá assemelhar-se, ás correntezas das nascentes... O encanto do momento é para a sua chegada Á festa mais linda, e mais completa do universo! Que chega, encantando por onde passa... E tudo pode acontecer: Frio, Vento, Tempestades, Brisa, Calor e as adversidades... Mas; é Natal! A alegria chega para aquecer o corpo Fazer sorrir a alma realizar os sonhos do espírito... É Natal! Cante uma canção bonita, se cubra das fantasias para as realizações acontecerem... Sim; é Natal!

Luciene B Gomes 243


Natal... Dizem que no universo, toda festa é de alegria, Porém; existe mais um quê?! Que completa a euforia É Natal! Que chega realizando fantasias... E aproxima no coração o despertar de Sentimentos que trazem; sempre emoção... A Cidade que agora se enfeita, Para aquecer, as nossas vidas, São os encantos Natalinos Feitos das cores, aromas e imensidão... Eis, o Natal em minha vida! 244


Que sempre trará transformação Toca á todos sem restrição: Meninos, meninas, Jovens, adultos, mais também o ancião! Ao olhar aquela praça em total contemplação O seu movimento continuo, e o pulsar no coração, Faz nos lábios, desejos contidos sem limites, Em lembrar, com saudade da mocidade... Das alegrias e surpresas que invadem Sem licença, e sem razão... E somente coloca alegria Fazendo feliz, com Emoção, Paz, Amor em toda Vida, Jamais, á guerra... #NUNCAAA!!! Não...

Luciene B. Gomes 245


Talvez... (um Natal diferente)

Talvez... este ano seja diferente... Talvez haja calor e que comer para toda a gente! Talvez ... desponte amor no coração de todos nós, Talvez... Velhinhos este ano 246


não fiquem sós! Talvez... Este ano, se calem de vez os silvos e estrepitar das balas, O rouco arrebentar das bombas, num qualquer país deste mundo! Talvez... não haja este ano o convulsivo choro de uma mãe, derramando lágrimas na mortalha do filho amado Talvez... este ano, não veja, nem sinta, o soluçar de uma criança aflita Talvez... este ano, seja por uma vez diferente! Talvez...Talvez...Talvez!

Luís Filipe Coimbra 247


248


Em Busca do Natal À Tua busca, meu Senhor, eu sigo A passos lentos, triste, pelas ruas... Ouço palavras que não são as Tuas, Ando com gente que não vai Contigo. Voltadas para o céu minhas mãos nuas São brancas garças procurando abrigo. Quero rezar, meu Deus, mas só consigo Dizer palavras maldizentes cruas. Assim vou eu: tão triste e sem destino, Na busca de encontrar meu Deus menino, Levando esta dor que me aniquila. Quem sabe a Estrela Guia de Teu filho Há de passar por mim com tanto brilho Que – como Baltasar – hei de segui-la!

Luiz Roberto Judice 249


250


Os Três Reis Magos – Senhora, eu sou Gaspar e trago incenso... E dobro-me aos pés desta criança. Tão grande é o meu amor... Como o deserto Que atravessei tão cheio de esperança. – Senhora, eu sou Melchior e trago a mirra E venho adorar teu doce filho. Tão grande é minha fé... Como essa estrela Que aqui me conduziu com tanto brilho! – Sou Baltasar, senhora, e trago ouro E curvo-me diante ao teu menino. Tão grande é a esperança de que um dia Ele possa guiar nosso destino. Gaspar, Melchior e Baltasar... São eles Que nos ensinam que na nossa lida Cristo ressurge organizando o caos, Para cobrir de Luz a nossa vida.

Luiz Roberto Judice 251


Pintura de Madalena Macedo

252


A Noite Nem réstia de infinito nas fronteiras da noite. Da lua… só mesmo a luz do velho lampadário que veste de magia as negras silhuetas das árvores. Estendem seus ramos sôfregos à tão prometida chuva, em uníssono com o cantar dos galos. O amanhecer faz-se nuvem de fogo na languidez do horizonte desfeito. Adormecido. Hoje não haverá despedida. A noite continuará abraçada à lua num lusco-fusco enganador de um tempo sem memória. O céu desorientado corre de ti para mim. Serão as aves a transportar as palavras empurradas no vento. Hoje tudo é vago. A chuva será água ou luz. Mas a estrela brilha. Sabe que estamos aqui

Madalena Macedo 253


Pintura de Madalena Macedo

254


Céu de Estrelas Pés nus na luz serena do céu noturno Vou andando silenciosa para não acordar o dia. O tempo tem seu tempo. Sinto a frescura do brilho da bruma que cai docemente no perfume da terra. Amam-se casualmente nos apeadeiros desertos os viajantes celestes. A noite é feita de paixão. O galante da noite exala o seu charme. Nasce mais uma história no lugar da pedra ausente da velha muralha. Estendo a mão e toco docemente o fogo ardente que se liberta da linha escura, lá ao longe, onde conversam as estrelas… A manhã não tem pressa em nascer.

Madalena Macedo 255


“Natal é Tempo de Amar” Natal é tempo de amar Estrelas cintilantes Árvores de Natal Presépios recheados de amor Janelas enfeitadas Luzes que brilham fulgurantes 256


Sinos tocando Crianças cantando Cânticos de Natal Jesus nasceu Para mudar o mundo Mas qual mundo? O mundo dos ricos Porque o dos pobres Esse…. Continua sempre igual Que bom seria Que todos tivessem Natal Houvesse pão e amor Em todos os lares E o mais importante Seria existir paz no mundo Tudo isto é uma utopia Mas deixo aqui este desejo Que seja Natal todos os dias Na alma e no coração dos homens Vamos dar as mãos Neste Natal E tentar que seja Natal todos os dias… Feliz Natal para todos…

Magda Pacheco Brazinha 257


“Daqui a Pouquinho” Daqui a pouquinho já é Natal! Já lhe sinto o cheiro… Olho por entre os vidros embaciados já é noite a luz reflete-se nas ruas molhadas 258


ao longe ouvem-se ruídos citadinos… Cai-me uma lágrima! Relembro outros Natais… Tantas ausências… O Natal é alegre e triste como as crianças o adoram… Perco-me a olhar a escuridão da noite não vejo nada só vejo a vida embaciada… O futuro como será? Noutros Natais havia tanta alegria tanto amor tanto riso… Onde estão os meus amores? Onde estão os meus sonhos? Enganos e desenganos… De repente… Chamam por mim! Então, não vens para a mesa? Euforia…Risos…Gargalhadas… Cheira a fritos…Cheira a amor Afinal sempre chegaste…Natal! Apenas eu não te via… Estava embrenhada… Nas minhas recordações… Obrigada por ainda existires…Natal! Magda Pacheco Brazinha 259


"Vi uma estrela" Uma carta ao Pai Natal meu bom e santo Pai peço para todos os meninos uma casa para viver uma cama quentinha um pão uma sopinha família de sangue, ou não pessoas com coração peço afagos e carinhos 260


amor e muitos beijinhos mas não só para as crianças não esqueças os velhinhos estão tristes coitadinhos alguns não tem ninguém toda a família foi embora lembram os tempos de outrora lareira acesa, casa cheia mesmo à luz da candeia eram felizes assim todos à volta da mesa tinham a plena certeza que a união que Deus dava entrava na sua casa como o filho de Maria E o seu amor também Cristo redentor, Amém.

Maria Amália Pereira 261


Uma estrela diferente Era uma estrelinha tremula, tĂŠnue no brilhar dessa luzinha havia uma lagrimazinha qual pinguinha que caia e rolava redondinha No rosto duma menina de olhitos reluzentes quais estrelitas cadentes escorriam duas gotinhas quando alguĂŠm lhe perguntou: 262


Minha estrelinha dourada porque choras desolada? é Natal, vais ter prendinhas que Jesus traz para ti anda menina sorri! A menina olhou surpresa limpou o rosto sorrindo notava-se a leveza da sua ingenuidade e sorrindo perguntou: sério, eu que posso pedir a prenda que tanto desejo? OH que bom!! Bom Jesus eu quero ver o meu pai dar-lhe um abraço e um beijo!! Por favor, vais atender?! é que, há anos, que não o vejo. Obrigada meu Jesus.

Maria Amália Pereira 263


264


"Vi uma estrela" Natal!!! Sim é Natal!! Falam os homens de boa vontade Natal é Amor Natal é paz Benevolência, caridade Partilha, Bondade Sonhos, solidariedade Somos irmãos Damos as mãos Montras enfeitadas Crianças felizes Entusiasmadas Brinquedos, diversos Sentidos dispersos Fantasia, alegria Tudo brilha e reluz Sim é Natal Vem, Jesus!

Maria Amália Pereira 265


Estrela Alva Conta-se há séculos uma história. Que chega até os nossos dias Sobre a noite em que uma Estrela nos céus irradiaria uma luz que anunciava um acontecimento marcante, para o povo da Galileia e do mundo circundante. Nascia Jesus menino, numa simples manjedoura 266


por animais, aquecido tendo por companhia seus pais e gente humilde, que chegava a quem a Estela anunciara que Jesus era nascido. Vieram de longe Reis para humildemente o honrarem sabendo que aquele menino era o céu que o mandava. Sendo Ele o Rei dos reis, numa manjedoura deitado era humildade e amor o que Dele irradiava. E a Estrela lá no alto, era alva como o dia enchendo o curral de luz e a noite de magia. Anunciava o Menino filho da Virgem Maria. Numas palhinhas deitado com S. José a seu lado, sorrindo com alegria

Maria De Fátima Soares 267


Os Natais de Antigamente Trago na alma bem guardado, aquele Natal do passado, tão diferente dos, de agora. Genuinamente vivido, sem aparato ou alarido… Em cetros comerciais, feiras e festivais que apelam ao consumo, fazendo-nos perder do rumo do que verdadeiramente implica. Relembro a simplicidade, felicidade e a emoção com que celebrávamos antes, 268


o nascimento de Jesus. Ainda que um pouco mais pobre, parecia-me mais linda e nobre a partilha que era feita, e o calor dessa união. Hoje passa-se sem olhar, num agastar apressado… Sem nos outros reparar, ou parar para pensar, se é em tudo que gastamos que está o significado. Hoje existe, de outrora, uma imitação barata. Como as que se compram em bazar, para despachar a oferta. Natal transformou-se para muitos, noutra “coisa” obsoleta. O que é feito da alegria? Daquela cumplicidade? Quando o Pai Natal aparecia, Jesus nas palhinhas sorria E a família toda unida, enchia a casa de amor, aquecida pelo calor da lareira a crepitar e do pinheiro a brilhar… Ah, que saudade! Fosse no campo ou cidade. O natal era das festas a mais mágica e especial. Hoje com tão pouca empatia… Só consumo e desalegria, nem me parece Natal. Maria De Fátima Soares 269


Que pedir, neste Natal? Que pedir... neste Natal? Para todos, em geral. Para os meus, que amo tanto? Que caiba num sapatinho. Ou numa meia tricotada, com motivos de Natal, na lareira, pendurada? Pediria o trivial. O que se quer todo o ano. Paz, saĂşde, trabalho e amor. 270


Um mundo, muito melhor, onde todo o sofredor, encontre conforto na luz, da Estrela que anunciou Jesus e nos ilumina o caminho. Que pedir este natal? Quantos tantos, nada têm e são mais ricos em esperança humildade e bom coração. Que pedir este Natal... que não seja, mais tolerância. empatia e união?

Maria De Fátima Soares 271


272


A tal estrela, não vi Lembro-me que senti frio nevava A estrada deserta mostrava sombras das árvores curvadas e a chorar entre uma estrela Não me lembro mas creio ser eu também que chorava e me atrasava procurando minha mãe ela esperava por mim Ainda hoje não sei se mais alguma estrela vi

Maria dos Santos 273


274


Uma estrela nas palavras Mesmo de seu ar cinzento com muito querer ou crer lá nos surge uma estrelinha no meio do pensamento Alguém diz se bem o sente que algo de novo virá as crianças ansiosas pedem presentes para adornarem na mesa um belo centro E assim ficou a estrela bem ameio da parede do seu ninho e no chão um adorado pequenino.

Maria dos Santos 275


276


Vimos uma Estrela Creio que vimos uma estrela A vida a nossa vida toda feita de canseiras uma mĂŁo cheia de nada a outra de igual maneira Tanto trabalho e suor tanta dor por esses montes que nos restava ter fĂŠ naquele anjo - nosso repousado na esteira.

Maria dos Santos 277


278


Natal dos Sós De azevinho enfeitada a mesa da consoada e uma ceia inventada com um pouquinho de nada... Sentados na nossa mesa estão os não-convidados: a saudade e a tristeza a lembrar natais passados. Sem nada para esperar porque o amor nunca esquece Natal só não faz sonhar a quem, mesmo, envelhece. Na chaminé, sapatinho à espera de um milagre dádiva de amor, carinho e de sentida amizade!

Maria Gonçalves 279


280


Será Natal Será Natal quando debaixo do mesmo céu se possa viver em alegria... Será Natal quando se souber partilhar o que cada um tem para dar... Será Natal quando formos capazes de sentir a pureza de criança... Será Natal quando se sonhar ainda com um mundo colorido com as cores da esperança... Será Natal quando a palavra na boca faminta for canção... É Natal quando o amor veste o corpo frio de solidão!

Maria Gonçalves 281


282


Brilhou Uma Estrela Venham dos confins da terra os que viram a estrela quanto sua luz encerra olhos ao céu para vê-la. Venham de alma pura aberta sem guerras, confrontações cada um a hora é certa abri à paz, corações. E voltai alegremente contai aos que estão além nasceu Jesus em Belém... dizei aos que são gente: são urgentes mundos novos com paz, amor, entre os povos!

Maria Gonçalves 283


284


Havia uma estrela no céu Havia uma estrela brilhante no céu Nascia ali o menino Deus redentor Foi tão esperado Jesus nessa época Para trazer ao mundo, paz e amor. Cresciam pinheirinho para os presépios Famílias felizes esperavam o menino adorado Nasceu em Belém um vinte e cinco de dezembro Ficou na história para ser sempre relembrado! Natal, nascimento de Jesus redentor Crianças levaram presentes ao divino O mundo se iluminou com amor e louvor É Natal no coração de cada menino.

Maria José

285


286


É mais um Natal… É mais um Natal para mais pequeninos Com ansiedade e esperança e emoção Dá gosto ver a alegria destes meninos Dando o seu melhor, cheios de ilusão! Cedo começam a pedir os brinquedos E seus pais com amor tentam comprar Guardam com cuidado como segredos Embrulhados com laços para adornar! É noite de Natal, uma noite de magia Cresce em seus corações a ansiedade Os meninos sorriem com grande alegria Cantam ao Natal cheios de bondade!

Maria José 287


288


O significado do Natal Enquanto as crianças faziam um presépio belíssimo Procuravam a estrela mais brilhante na noite escura Pensavam coloca-la no cimo do pinheirinho com ternura Para encher de luz e harmonia ao Deus menino. Seus pais preparavam o melhor jantar natalício Reinava a alegria, nem sinais de amargura! O cheirinho dos doces nesse dia, que beleza Ainda a felicidade de toda a família na mesa! Contavam-se histórias sobre outros Natais As histórias mais lindas que se haviam ouvido Nos seus corações não existia o mal, jamais Só queriam a felicidade do seu rei nascido!

Maria José 289


290


Pedido ao Menino Jesus Queria pedir-te por favor que me desses condições p’ra que o amor Reinasse em todos os corações… Gostava de fazer um presépio. E de escrever um cartão faz-me Jesus esse obséquio e ajuda-me ao carrinho de mão… Onde carrego o pinheiro E a esperança das crianças A quem não tem dinheiro dou-lhe doces e esperanças…! Gostava de dar aos meninos Neste natal uma estrela Harmonia… e hinos de esperança e com amor vivê-la…!

Maria Tavares 291


292


Natal Noite de Luz Noite de forte nevada Um burrinho na estrada Vai a caminho de Belém São José serve de guia Transportam Santa Maria Que está prestes a ser Mãe Numa gruta escura e fria Nessa noite fez-se dia Nasce Deus Menino JESUS Anjos entoaram hinos Na terra tangem os sinos No Mundo raiou mais luz Aleluia! Aleluia! Cantam os Anjos no Céu Os homens louvam a DEUS E Natal, Paz Amor Aleluia! Aleluia! Bendito seja esse dia Que Deus e a Virgem Maria Deram ao Mundo o Salvador

Maria Tavares 293


294


Natal: a festa da esperança Agraciado por Deus, seu pai. De espanto e medo, sorria Maria. Grávida da vida, plena de luz, Ela esperava o menino Jesus. Rei dos reis, Senhor dos senhores. Filho do Altíssimo, Senhor da glória. Natal é sempre o tempo dEle, Ontem, hoje, amanhã e agora. Acolhido numa simples manjedoura, A esperança, enfim, se nos deu. Celebramos com alegria ao Natal, Que por amor a minha alma reviveu.

Maroel Bispo 295


296


Seja sempre Natal Na simples manjedoura, Ele nasceu. Anúncio de novos tempos. Uma linda aurora vislumbrada. Certeza de grandes momentos. Iluminando de graça o cosmo, Sua vinda nos trouxe tanta luz Plantando sementes de amor, Veio a nós o amado Senhor Jesus. Natal é tempo de acolhida, De doar vida e de perdoar. Oxalá seja sempre Natal, Que seja sempre o tempo de amar.

Maroel Bispo 297


298


Natal de tanta gente

Não espero presentes de Natal não tenho botinhas na chaminé durmo no chão em colchão de cartão faço da rua minha casa de solidão... Natal quadra linda e tão pouco sincera na vida de tantos é sonho que fica por sonhar é vida que é chama duma vela ... Natal feito de paz e luz, que todos possam celebrar com felicidade a vinda do Menino Jesus... Tanta gente só, nessa rua sem família, sem ceia, sem nada, vão por essa estrada sem pão e sem alegria, à espera duma nova alvorada…

Mary Horta 299


300


O Menino de Belém Luzes brilhantes, coloridas e a piscar nesta noite de encantar. Toca o sino, bem-vindo seja o Deus Menino ... É Natal, dia tão belo, todo o mundo está feliz porque na noite do caramelo nasceu um lindo petiz... Feliz Natal, o da nossa infância, cheio de magia e brandura ... recordo, com saudade, tempos de tanta ternura ... Já nasceu o Deus Menino venham todos, que alegria, nasceu hoje em Belém o filho da Virgem Maria.

Mary Horta 301


302


Dia de Natal É dia de Natal, na cidade neva, no aconchego do lar a família celebra a noite de paz. No mundo todos celebram com ceias e belos manjares... Na casa do pobre falta o aconchego dos jantares... Cai neve branca e fria a branquear a paisagem... Por trás da minha vidraça, embarco numa viagem... Tocam os sinos além, nasceu o Deus Menino numas palhinhas deitado num estábulo de Belém...

Mary Horta 303


Poesie di Natale 2019 Al momento di presentare delle rimembranze sul Natale della mia infanzia ho notato che, nel loro insieme, queste si presentavano come un trittico, raffigurante i 3 più importanti emblemi natalizi: Il Presepe, l’Albero e la Natività di Gesù che si compenetravano ed si integravano a vicenda. Per questo motivo, qualora fosse possibile, raccomanderei di pubblicare uniti ed in sequenza tutti i tre testi, in modo si possa avere un ampio quadro d’insieme complessivo.

304


Poesia de Natal 2019 (tradução)

Na hora de apresentar as lembranças da minha infância no Natal, notei que, como um todo, elas se apresentavam como um tríptico, representando os três emblemas de Natal mais importantes: o Berço pequeno (Presepe), a Árvore e a Natividade de Jesus que se interpenetraram e eles se complementaram. Por esse motivo, se fosse possível, eu recomendaria publicar todos os três textos juntos para que possamos ter uma visão geral mais ampla.

305


Il Presepe (Aspettando Gesù) Verso novembre, all’idea di far il Presepe, Subito allora, s’apriva un frenetico cantiere Popolato da giovani e bimbi pieni di pepe. Tanta voglia di fare poi, tutto era da vedere. Ai grandi era data la logistica degli acquisti E la supervisione d’un pugno di incollatori, Di inesperti falegnami e improbabili elettricisti, Mentre i più piccini erano gli abili cercatori. Carta blu con le stelle e il cielo sembra vero Cartone color roccia sagomato per la grotta Sassolini bene scelti a tracciar ogni sentiero. Cascata di stagnola pare acqua che borbotta Ancora, il pozzo con muschio corda e secchio Infine il laghetto è il frammento d’uno specchio.

306


O presépio (Esperando Jesus) (tradução) Em Novembro, à ideia de fazer o presépio, Logo então, abria-se um estaleiro frenético Povoado de jovens e bebês cheios de pimenta. Muita vontade de fazer depois, tudo era para ver. Aos grandes foi dada a logística das compras E a supervisão de um soco de incollatori, De inexperientes carpinteiros e improváveis electricistas, Enquanto os mais pequenos eram os melhores garimpeiros. Papel azul com estrelas e o céu parece verdadeiro. Papelão cor de rocha de para a caverna Pedrinhas bem escolhidas para tracciar cada caminho. Cachoeira de alumínio parece água que a Mais uma vez, o poço com musgo corda e balde. Finalmente, a lagoa é o fragmento de um espelho.

Massimo Penna 307


Marachella Di Natale Quando ero bambino vivevo il Natale Circondato e protetto da tanto affetto. Molti agi erano a venire, ma poco male V’erano molti bimbi sotto lo stesso tetto. Una notte, una gaia banda di Elfi rapaci Rubò dolci al ricco Abete, con fare felino. Poiché a restar in silenzio s’era incapaci, Alte grida di disputa allo spartir del bottino. “Gesù vi vede!”, fu il rimprovero meritato. Pianti, risa, corse, capricci, gioia e colori In questi bei giorni di festa del passato. 308


Ogni cosa rimarrà incisa nella mia mente, Tutto resterà parte viva nei perduti amori. Dei sentimenti al cuore mai sfugge niente.

Asneiras de Natal (tradução) Quando eu era criança, eu morava o natal. Rodeado e protegido por muito carinho. Muitos luxos estavam a vir, mas pouco mal. Havia muitos bebês sob o mesmo telhado. Uma noite, uma gaia bando de elfos aves de rapina Roubou doces ao rico abeto, com um felino. Porque a ficar em silêncio era incapaz, Altos gritos de disputa no repartir do espólio. " Jesus vê-vos!", foi a repreensão merecida. Plante, risa, corridas, birras, alegria e cores Nestes belos dias de festa do passado. Cada coisa ficará gravada na minha mente, Tudo ficará parte viva nos perdidos amores. Sentimentos ao coração nunca escapa nada.

Massimo Penna 309


Prodigio Di Natale Vien da lontano, molto lontano Quindi discreto sorge lentamente, Timido si fa strada e piano piano, S’insinua lieve, nella nostra mente. Lo Spirito del Natale fa ogni cuore Tintinnar al suon d’una campanella Che invita a mostrar il vero amore. Ciò renderebbe ogni storia più bella. Mentre s’acquieta di greggi il belato, S’accende il cielo con faville tremule, A rallegrar gaie l’oscurità del Creato. 310


Adesso, dalla greppia si leva un pianto, E’ nato Gesù bambino, or dal ciel esule. E subito Maria lo dispone al suo fianco.

Prodígio de natal (tradução) Vem de longe, muito longe. Então, discreto nasce lentamente, Tímido se faz caminho e devagar, Insinua-se leve, na nossa mente. O Espírito do Natal faz todos os corações Tintinar no toque de um sino. Que convida a mostrar o amor verdadeiro. Isso tornaria cada história mais bonita. Enquanto se acalma em rebanhos o belato, Acende-se o céu com arrasar cozinhar, Em propagação alegres a escuridão do criado. Agora, a partir do crib, você tira um choro, Nasceu Jesus bebê, ou do ciel exilado. E logo Maria o dispõe ao seu lado.

Massimo Penna 311


La Stella smarrita E’ Natale, Natale per tutti. Gesù Bambino è nato stanotte, con Giuseppe e Maria è nell’umile grotta. Gli fan compagnia il bue e l’asinello, è Lui per noi il dono più bello! E’ venuto 312


per chi ha l’odio nel cuore: che sotto l’albero ritrovi l’amore! E’ nato per redimere ogni Caino, di suo fratello vigliacco assassino. E’ venuto per chi muore di fame: che possa avere presto il suo pane! E’ nato per il nostro pianeta che ha smarrito la stella cometa: che torni ad essere il giardino profumato che il Padre Celeste ci aveva donato! E’ Natale, Natale per tutti: Che finiscano presto i tristi lutti! Che ritorni la pace sulla nostra Terra, in ogni suo angolo non ci sia più guerra. Per questo è nato Gesù Bambino, luminosa scintilla dell’amore divino! 313


A estrela perdida (tradução) É Natal, Natal para todos. Jesus bebê Ele nasceu hoje à noite. Com José e Maria. Está na humilde caverna. Os fãs da companhia O boi e o burrinho, É Ele para nós. O melhor presente! Ele veio. Para quem tem o ódio no coração: Que debaixo da árvore Encontre o amor! Ele nasceu Para redimir todos os Caim, Do seu irmão Covarde assassino. Ele veio. Para quem morre de fome: Que possa ter Em breve o seu pão! Ele nasceu Para o nosso planeta Que perdeu A estrela do cometa: Que volte a ser O jardim cheiroso 314


Que o pai celestial Ele tinha-nos doado! É Natal, Natal para todos: Que acabem em breve Os tristes de todos! Que volte a paz Na nossa terra, Em todos os seus cantos Não há mais guerra. É por isso que ele nasceu. Jesus bebê, Brilhante faísca Do Amor Divino!

Michelangelo La Rocca 315


La Stella smarrita E’ Natale, Natale per tutti. Gesù Bambino è nato stanotte, con Giuseppe e Maria è nell’umile grotta. Gli fan compagnia il bue e l’asinello, è Lui per noi il dono più bello! E’ venuto 316


per chi ha l’odio nel cuore: che sotto l’albero ritrovi l’amore! E’ nato per redimere ogni Caino, di suo fratello vigliacco assassino. E’ venuto per chi muore di fame: che possa avere presto il suo pane! E’ nato per il nostro pianeta che ha smarrito la stella cometa: che torni ad essere il giardino profumato che il Padre Celeste ci aveva donato! E’ Natale, Natale per tutti: Che finiscano presto i tristi lutti! Che ritorni la pace sulla nostra Terra, in ogni suo angolo non ci sia più guerra. Per questo è nato Gesù Bambino, luminosa scintilla dell’amore divino! 317


A estrela perdida (tradução)

É Natal, Natal para todos. Jesus bebê Ele nasceu hoje à noite. Com José e Maria. Está na humilde caverna. Os fãs da companhia O boi e o burrinho, É Ele para nós. O melhor presente! Ele veio. Para quem tem o ódio no coração: Que debaixo da árvore Encontre o amor! Ele nasceu Para redimir todos os Caim, Do seu irmão Covarde assassino. Ele veio. Para quem morre de fome: Que possa ter Em breve o seu pão! Ele nasceu Para o nosso planeta Que perdeu A estrela do cometa: 318


Que volte a ser O jardim cheiroso Que o pai celestial Ele tinha-nos doado! É Natal, Natal para todos: Que acabem em breve Os tristes de todos! Que volte a paz Na nossa terra, Em todos os seus cantos Não há mais guerra. É por isso que ele nasceu. Jesus bebê, Brilhante faísca Do Amor Divino!

Michelangelo La Rocca 319


La Stella indicherà la meta? E’ Natale. E’ Natale per tutti? E’ Natale dove c’è la guerra che sporca di sangue la nostra Terra? E’ Natale per chi è in prigione in disumana condizione? E’ Natale negli ospedali dove si soffrono atroci mali? 320


E’ Natale dove si muore di fame per una logica assurda ed infame? E’ Natale a Lampedusa dove l’altro non si ama ma c’è chi lo annusa? Vadano i Re Magi a trovare il Bambino, Lui è innocente, è ancora piccino. Ma non portino oro, né mirra, né incenso, in tempi di crisi non ha più senso! Portino pane a chi ha tanta fame mettendo fine a una logica infame. Speriamo che un giorno la stella cometa indichi a tutti una nuova meta e sia Natale davvero per tutti, senza violenza, né tristi lutti! Che sia Natale su tutta la Terra, vivendo in pace senza la guerra. Sia Natale 321


su ogni pianeta. ovunque brilli la stella cometa. Sia Natale nell’intero universo un Santo giorno, davvero diverso! A estrela vai indicar a meta? (tradução) É Natal. É Natal para todos? É Natal. Onde está a guerra? Que sujo de sangue A nossa terra? É Natal. Para quem está na prisão Em condição desumana? É Natal nos hospitais. Onde se sofrem terríveis males? É Natal. Onde se morre de fome Por uma lógica Absurda e infame? É Natal em lampedusa. Onde o outro não se ama Mas há quem o cheire? Os Reis Magos vão. A encontrar o bebê, Ele é inocente. 322


Ele ainda é um bichinho. Mas não tragam ouro, Nem Mirra, nem incenso, Em tempos de crise Isso não faz mais sentido! Tragam pão A quem está com tanta fome Colocando fim A uma lógica infame. Tomara que um dia A estrela cometa Indique a todos Uma nova meta E seja natal Realmente para todos, Sem violência, Nem tristes! Que seja natal Em toda a terra, Vivendo em paz Sem a guerra. Seja Natal Em todos os planetas. Onde quer que brilhe A estrela do cometa. Seja Natal Em todo o universo Um Santo dia, Muito diferente!

Michelangelo La Rocca 323


324


Sim, vi uma estrela! Vi uma estrela da janela! Pensei naquela Família simples, sagrada e tão bela, sob a luz da estrela-guia! Verdade pura e singela Esse Amor não é fantasia! Ouço o sino da capela e o Natal se faz poesia. Não saiam de mim seus encantos! Seja o cenário completo... O Natal é sempre santo! O presépio bem discreto... Posso ouvir, dos anjos, cantos... É o Reino de Deus "concreto"!

Mirian Menezes de Oliveira 325


Natal devia ser todos os dias Nasceu o Menino Jesus Numa manjedoura de feno, deitado Para nos dar o exemplo da humildade Maria e José estão a seu lado! Deixa-nos algo maravilhoso, Considerando-se nosso irmão Dá sua vida por nós Espero que não seja em vão! 326


Menino Jesus… Mais um Natal chegou, vamos todos te louvar Pelo Teu nascimento GLÓRA a DEUS vamos dar Queria pedir-te um presente… Que nos desses saúde e paz, dores amenizar! E de todas as criancinhas, te venhas lembrar! Menino Redentor do mundo Dai-nos a todos nós pecadores Paz, amor e humanidade… Ao próximo tenhamos amor! Faz-nos acreditar JESUS, que tudo isto é possível! Para que tenhamos um mundo melhor E não pratiquemos o mal… E que todos os dias seja Natal!

Naná Gonçalves. 327


É Natal Mais um natal está a chegar Mas quantos corações sem esperança Quantas famílias sem pão Quantos pais sem trabalho, sem confiança! Quantas lágrimas se vertem Em rostinhos de crianças Sem sequer terem abrigo Para não falar das prendas! Quanto menino descalço Rotinhos e sem abrigo 328


Estendendo a mão pro mundo Com tristeza em seu rostinho! Se eu fosse poderosa Mais que um pobre ser Não deixaria no mundo Nenhuma criança sofrer! Por isso menino Jesus Quando à meia noite Ouvir o sino tocar Farei uma oração, a ti vou adorar! Quero pedir-te paz pro mundo Muito amor prós pequeninos Alegria pra quem chora E pão prós mais pobrezinhos! Se ajudarmos quem tanto sofre E a todos dermos a mão Passaremos o natal Com mais amor no coração!

Naná Gonçalves 329


Vi Uma Estrela. Na noite de Natal Alegram-se os pequenitos; JĂĄ sabem que o bom Jesus Costuma levar presentitos Aos lares aconchegados. VĂŁo deitar-se os mais pequenos Mas nem dormem de contentes Somente lĂĄ pelas dez Adormecem inocentes Esperando a alvorada. 330


Perguntam logo de madrugada Quando acorda a criançada Se Jesus lhes não deu nada Ou se deixou, onde ficou, O que a Jesus encomendou. Dizem os pais sorridentes, Deu sim, muitos presentes Querendo logo levantar E sorrindo de contentes Vão os embrulhos rasgar. Desejam de coração aberto Que o amor de Jesus chegue Enquanto as estrelas vão Iluminar o presépio Como luzes acesas a reluzirem!

Naná Gonçalves 331


Encanto Di Natale Un profumo di dolci natalizi si spande profumando l’aria nella fitta nebbia di un dicembre freddoloso. Scoppietta allegramente il fuoco nel camino, rivestito di lustri e di paillettes, mentre un piccolo alberello, addobbato a festa rallegra coi canti di Natale il sorriso del risveglio mattutino. GesÚ 332


s’avvicina silenzioso e accende in ogni cuore la voglia d’amare. Fanno festa le luci colorate accanto al focolare, regalando al cuore la magìa del sorriso e la voglia di sperare. E’un Natale di pace, di luce, di colori. Una dolce musica sale da ogni dove. Per far nascere davvero-Gesù nel nostro cuore.

333


Encanto de natal (tradução)

Um perfume De doces festas de natal Se dinheiro cheirar O AR Na neblina densa de um Dezembro Chilly. - alegremente o fogo Na lareira, Revestido de anos e lantejoulas, Enquanto um pequeno rebento, Enfeitado em festa Alegra Com os cânticos de natal O sorriso do despertar matinal. JESUS JESUS JESUS JESUS JESUS JESUS JESUS JESUS Aproxima-se silencioso E liga Em cada coração A vontade de amar. Eles fazem festa As luzes coloridas ao lado Na lareira, Dando ao coração A magia do sorriso e a vontade De esperar. É um natal de paz, De Luz, de cores. 334


Uma doce música sobe de todos os lugares. Para fazer nascer de verdade-Jesus No nosso coração.

Natalina Di Legge 335


Una Stella Speciale Guidami nella sera fredda e bruna per gli scalini di selci e nei sentieri di pietrisco, dove il muschio cresce tra le crepe antiche e s’insinua nelle pareti porose delle rocce. Guidami di bottega in bottega dove lo scricchiolÏo degli artigiani intenti alle consuete fatiche distrae il silenzio del mio cuore. E gli armenti e le cascine delle massaie trasudano un fresco e buon odore di cacio e di focaccia. 336


Guidami fino all’umile capanna dove giace Gesù, sul mucchio di paglia, perché l’anima mia, quieta e sonnolenta, lieta s’adagi nel suo regno di Pace.

Uma estrela especial (tradução) Guie-me na noite fria e morena. Para os degraus de sílex E nas trilhas de balastro, onde o musgo Cresce entre as rachaduras antigas E insinua-se nas paredes porosas das rochas. Me guie de loja na oficina Onde o gratis dos artesãos intenções No trabalho habitual Distrai o silêncio do meu coração. E os manadas e as cascine das donas Exalam um fresco e bom Cheiro de cacio e focaccia. Guie-me até a humilde cabana. Onde jaz Jesus, na pilha de palha, Porque a minha alma, silenciosa e sonolenta, Feliz se adágios no seu reino de paz.

Natalina Di Legge 337


Apri La Porta Del Tuo Cuore Fratello, apri la porta del tuo cuore. Vengo da lontano, là dove imperversa l’orrore della guerra. Anche per me è Natale, ma è un Natale di miseria,di fame e di violenza. Sto bussando alla porta del tuo cuore. Non chiedo granchè,solo un po’ di fuoco per scaldarmi in questa fredda notte, un pasto caldo e un giaciglio per poter riposare qualche ora. Poi me ne andrò. Apri,fratello! Apri la porta del tuo cuore. Sono un uomo come te, 338


l’uomo di tutti i tempi, l’uomo di tutti i cieli. L’uomo che ti somiglia. Abra a porta do seu coração (tradução) Irmão, Abra a porta do seu coração. Eu venho de longe. Lá onde grassa o horror Da Guerra. Para mim também é natal, Mas é um natal de miséria, de fome. E de violência. Estou batendo À porta do teu coração. Não peço muito, só um pouco. De fogo Para aquecer Nesta noite fria, Uma refeição quente E uma cama Para poder descansar algumas horas. Depois eu vou embora. Abre, mano! Abra a porta do seu coração. Eu sou um homem Como você, O homem de todos os tempos, O homem De todos os céus. O homem que se parece com você. Natalina Di Legge 339


Dolce Bambino Dolce Bambino allarga le tue braccia e accogli il mondo a Te che è alla deriva; da quella culla fredda lascia traccia del tuo passaggio e in tutti i cuori arriva. LassÚ c'è la cometa che ancor brilla per indicar la meta da seguire; infondi nella mente la scintilla di quell'amor che porta al tuo soffrire 340


là sulla Croce per il gran peccato d'Adamo che l'offesa fece a Dio. Irradia luce e pace al cuor dannato e fa' che non sprofondi nell'oblìo l'anima in cerca di sole e d'azzurro con gli occhi spalancati in un sussurro! Doce bebé (tradução) Doce bebé, amplie seus braços. E receba o mundo a você que está à deriva; A partir daquele berço frio deixa faixa Da sua passagem e em todos os corações chega. Lá em cima está o cometa que ainda brilha Para indicar a meta a seguir; , na mente a faísca Daquele amor que leva ao seu sofrer Lá na cruz para o grande pecado De Adão que a ofensa fez a Deus. Irradia luz e paz para o coração maldito. E faz com que não se desmorone no esquecimento A alma em busca de sol e azul Com os olhos arregalados em um sussurro! Pasquale Vulcano 341


La Luce Del Natale Mi prostro innanzi a Te,mio Salvatore, con l'anima che piange e si tormenta; t'offro Bambino tutto il mio dolore, nel mentre fuori e dentro la tormenta urla con furia e non s'acqueta mai ! Non so domani cosa ancor m'attende, chÊ per la china e alla deriva è ormai la vita mia ,sÏ stanca,che s'arrende;

342


ma poi contemplo il viso tuo celeste, anche se al freddo d'una mangiatoia e la speranza il cuore spento investe e attendo che ritorni nuova gioia in questa luce che risplende attorno, che calma la mia pena e ancor fa giorno!

A luz do natal (tradução) Me prostro antes de você, meu Salvador, Com a alma que chora e se atormenta; Ofereço-te criança toda a minha dor, Enquanto lá fora e dentro da tempestade Grita com fúria e nunca se acqueta! Não sei amanhã o que ainda me espera. Que para a China e a deriva é agora A vida minha, sim cansada, que se rende; Mas, depois, contemplo o teu rosto celestial. Mesmo que no frio de uma manjedoura E a esperança o coração desligado investe E eu espero que você volte nova alegria. Nesta luz que brilha ao redor, Que acalma a minha pena e ainda faz dia! Pasquale Vulcano 343


344


Aquela estrela… Vi uma estrela cadente Vinda do céu até mim Era a estrela do oriente Porem, não vi outra assim… O seu brilho incandescente – Mais parece Querubim – Guia-me além do presente Porque o natal é sem-fim! Aquela estrela de luz Que me orienta e conduz Ao divino verbo amar; Vem anunciar ao mundo Jesus, fé e amor profundo… O natal está a chegar!

Pedro Lima

345


346


Deixai Brilhar a Estrela Deixai-me no pretérito perfeito do verbo concebido sem pecado, deixai-me o redentor entrar no peito e faça do presente o meu passado! Deixai, deixai seguir a luz, um feito inédito ficou imaculado; Jesus, o salvador… Menino eleito me guie por esse céu lindo estrelado! E lá, bem junto a ti na estrebaria, ao lado de José e de Maria, a noite de Belém seja vivida com fé, amor, partilha e comunhão; qualquer que seja a nossa religião, deixai brilhar a estrela renascida!...

Pedro Lima 347


348


Astro Divino. La notte di Natale sta arrivando. Soffia forte il vento; Maria depone il bambinello nella steppa. Gli Angeli intonano allegre canzoni. L'alito del bue lo riscalda. Avanti,cetra e arpa,suonate,con Gioia. Coraggio, campane, risuonate,la Pace. Venite, massaie e pastori, portate l'Amore. O genti vicine e lontane, annunciate: " Ăˆ nato il bambino". Ti adoro Astro Divino.

Pina Iannacci 349


350


Intona un Canto. La Neve scende sui tetti, imbianca le strade e Babbo Natale, corre con le dodici renne. Sulla slitta un sacco pieno di toppe, porta regali tutta la notte. Certo, non sbaglia conosce tutti i nomi dei bambini più Buoni. Intona un canto: Preparate il cuore perché la stella luminosa scende qua giù; Ecco che NASCE GESÙ .

Pina Iannacci. 351


352


Gioia universale. Oh mondo crudele , cosa mi fai vedere? Noi vorremmo aiutare quei bambini che stanno a tremare. Ogni giorno,succede qualcosa che non si può vedere. Non importa sei rosso,giallo, bianco o nero. Sei tanto magro e affamato. Mi sembri ,mal nutrito. Un giorno,questo mondo cambierà , grazie alla Gioia del Tuo Amore nelle diverse nazionalità.

Pina Iannacci . 353


354


É Natal É Natal sempre que um Menino surge e é esperança de um lar melhor e o amor nos emociona longe das ideias brutais que alimentam os homens com ódios desnecessários, com grandes ambições. Natal é um tempo que une alguns no amor fere outros porque é da cor do sangue! Talvez seja melhor o Natal quando a luz do sol desfizer a neve nas ruas que atravessamos. Não estendemos os braços talvez porque neva sem parar o diálogo é pobre, as luzes artificiais. O meu Natal seria feliz se as rosas se transformassem em pão outra vez e crescessem papoilas pelos passeios Então, os homens desejariam a paz sóbria!

Pompeu José Vieira Pais 355


356


O rosto do Natal O rosto deste Natal pode ser o rosto da dor pela cidade intrépida pelas cheias do rio. O rosto deste Natal pode até ser o rosto da dor mas nele mora a flor que há de desabrochar. O rosto deste Natal terá de ser aragem de pinheiros frios emoções do tamanho de navios. Terá de ser o rosto do amor que há de chegar.

Pompeu José Vieira Pais 357


A Estrela Nessa manhã ainda escura, Seguíamos de mão dada Observando essa aventura Da sacra estrela dourada. Dirigia-se a Belém, Àquela gruta sagrada, Onde um pai e uma mãe Zelavam na madrugada. 358


Ali perto, em todo o lado, HĂĄ pastores ao redor Apascentando o seu gado Quando ouviram um clamor. Os anjos, entre as estrelas, Cantava o Seu nascimento, Que maravilha era vĂŞ-las E viver esse momento. Melodia harmoniosa Nos sussurrava baixinho: Jesus nasceu e repousa Naquele humilde cantinho. E nessa santa choupana, Uma luz resplandecente Brilhava enquanto, ufana, LĂĄ cantava toda a gente.

Romy Macedo 359


Nasceu o Menino Um pastor olhava o cĂŠu E sorria alegremente A estrela alva apareceu Ali mesmo Ă sua frente. Ă“, quanta felicidade, Foi acordar os amigos E foram para a cidade Enfrentando mil perigos. 360


O povo se reunia À volta da manjedoura: Cumpria-se a profecia Que se ouvia desde outrora. O Menino era nascido Na choupana de Belém, Um Rei que tinha descido À terra, p’ra nosso bem. E por todo o universo Se cantava em Seu louvor, Naquele singelo berço Lhes nasceu o Salvador. Vinde, povo, dar-Lhe a mão, Cantai com muita alegria Louvemos em união Jesus, filho de Maria.

Romy Macedo 361


Guia-me, Estrela Vinde ver aquela estrela Lá no céu a anunciar, Vejam bem como ela é bela E não para de brilhar. A noite desce mansinho No pequeno povoado E o povo, com carinho, Vai ver seu Menino amado. 362


Um nascimento invulgar Para o bem da humanidade, Veio do céu p’ra salvar Quem n’Ele crer de verdade. Vamos, pois, em comunhão Adorar o Deus Menino Entregar-lhe o coração E também nosso destino. Vejo no céu um clarão: É um anjo que anuncia Que sejas p’ra teu irmão Uma tocha que alumia. Com os meus olhos no céu, Um pedido vou fazer Que essa Estrela que me deu Guie todo o meu viver.

Romy Macedo 363


Raul e a Estrela Alva - Raul! - chamava a avó Requelina, à porta do quintal da sua pequena e modesta casinha, na Aldeia de Sericaya. - Onde estará o rapaz? Pensava a avó Raquelina Não, não seria capaz De ir em busca da estrelinha! 364


Diziam os mais idosos Que na véspera de Natal, Logo, andavam receosos Que algo corresse mal. Uma estrela aparecia Aos meninos curiosos. Pensavam ser fantasia, Mas ficavam ansiosos. Raul ouviu essa história, E bem cedo, ao levantar, Saiu numa correria Na ânsia de a encontrar. A avó ficou em cuidados E procurava o netinho Ali, por todos os lados: - Onde estará Raulzinho? Albertina, uma vizinha sua, abeirou-se de Raquelina e disse-lhe: - Ai, Raquelina, não tens mãos no teu neto. Filho de sonhador, sonhador será! - Pois é, Raul é demasiado sonhador, gosta de andar por aí, calcorrear os cantos do parque. E tu, melhor do que ninguém, sabes bem o quanto ele sai ao pai. Sabes, minha amiga, quanto estimo o Raul, dou-lhe o melhor que tenho, não quero que nada lhe falte. Desde o desaparecimento do pai, o meu saudoso filho, não faço outra coisa que não seja zelar pelo seu bem. 365


- Não será nada de preocupação, minha amiga, logo vais encontrá-lo. - Pobre filho meu, desde que a esposa faleceu, foi-se por esse mundo fora e nunca mais deu sinais de si, tal foi o desgosto. O filho vai agora fazer oito anos. Nem conhece o pai. Que parto esse! - Olha, Raquelina, eu sei que é teu filho. Mas, cá para nós, nunca deveria ter abandonado o miúdo. O Raul precisa de um pai, um progenitor que lhe ensine o que é a vida. Tu, por muito que tentes fazer, não consegues substituílo. É vivaço, o rapaz! Passa o tempo a correr desenfreado pelo parque, cheio de energia. E tu lá ficas por aí à deriva, à sua procura! Logo que sai da escola, é vê-lo de cavalete de baixo do braço, a desenhar tudo o que lhe aparece pela frente. - Verdade, Albertina. O meu netinho é como o pai, gosta de pintar, tem espírito de artista. - O Raul é uma criança, eu sei, superativa, talvez, mas há que haver alguém que o pare um pouco! O teu coração de avó merece um pouco de descanso. - Deixa lá isso, mulher! Eu tenho ainda genica o suficiente para o saber domar – disse com um sorriso – Está a meu cargo e hei de levar a água ao moinho, vais ver.. No parque Sailoy, olhando o lago, Raul acabara há pouco de colocar o seu pequeno cavalete. De repente, vê uma pequena borboleta azul, que esvoaçava ao redor. Olhoua, curioso, no seu bailado ímpar. Esvoaçava com graciosidade, como uma pena leve ao sabor do vento. E logo irrompeu atrás dela, cheio de alegria. - Aonde vais, borboleta, Por entre tanto arvoredo? 366


O carmim, o violeta, Aquele enorme rochedo. Entre um recuo, um avanço, Um salto, uma pirueta, Eu olho, nunca me canso De te ver chegar à meta. É tão tua a liberdade De voar no céu azul Entre estrelas, na verdade, Ora p’ra norte, p’ra sul. O teu sonho era seguir Aquela estrela brilhante! Não, não o deixes cair, Segue-a, mesmo que distante! Olha bem minha avozinha, Tao meiga e afetuosa. Quando algum mal se avizinha, Luta e fica mais formosa. Ali, não margem do lago, de repente desperta do seu desvario emocional, cai em si e eis que pela frente surge a Estrela d’Alva. - Desce à terra, vê então, Quão lindo é este cantinho, Vem, estende a tua mão E não me deixes sozinho. 367


E ali ficou a sonhar durante um tempo sem tempo. E ao vaguear no sonho, ouve: - Vem, filho, dá-me um abraço. Quantas saudades de ti! Perdida nesse embaraço, De repente, te perdi! Agora, no alto céu, Feliz, sinto-te crescer E peço a Deus, filho meu, Que te possa proteger. Abre os olhos, meu filhinho, Os olhos do coração, Não te percas no caminho Finda minha solidão! Raul desperta em sobressalto. Era a mãe que o destino lhe roubara. Como ela é linda, ó Deus! - Não vás, mãe, fica ao meu lado! Eras tu aquela estrela? - Quando cresceres, vais entender. Por ti parti, por teu amor me rendi. - Nem vais acreditar, mãe. Este Natal, pedi a Jesus que trouxesse de volta os meus queridos pais. Precisava de os conhecer. Todos os meninos lá da escola têm pai e mãe! Eu tenho a minha avozinha, bem sei… - Eu sei, meu filho! Sorte que tens uma avó especial. Quanto ao mais, logo o paizinho vai voltar, vais ver. Se soubesses quanto ele te ama! Naquele cenário intenso, ouve-se ao longe alguém chamar: 368


- Raul, Raul, onde estás, meu querido? Não me deixes assim aflita, por favor. - Vai ter com a tua avó, meu pequeno príncipe. Ficarei aqui à tua espera, sempre! Não me esqueças nunca, por favor! Lá do alto, velarei por ti. Estes momentos lindos são bruscamente interrompidos. - Ai, meu filho, que bom que te encontrei. Estava tão aflita! Sabes que dia é hoje? - Eu sei, avó, é dia de consoada. Amanhã é dia de Natal. - Olha, diz-me, com quem estavas a falar? - Com a minha mãe, agora, é uma estrela que lá do céu protege em cada momento. Sabes o que me disse? Que o meu pai brevemente vai voltar para nós! - Assim fora, meu querido. Não sabes quantas saudades sinto do teu pai! Quem sabe, a tua mãe esteja certa. - Vai voltar, sim, minha avó, eu sei que vai. - Bom Jesus, neste Natal Te peço, dá-me um presente, Algo mesmo especial Meu pai volte, finalmente.

Rosa Maria Santos 369


Caminhando A teu lado eu caminho meu Deus Pedindo uma prece por todos e pelos meus… Para que neste Mundo conturbado Nunca nos esqueçamos do Natal… Dia em que tu nasceste neste Mundo humanado… Que se encontra tão conturbado E tudo está modificado…. Crianças desnudas com frio e fome, sem amor, Velhos sem abrigo, sem saúde com pouca vestes, A tiritar de frio, com fome e pouca vontade de viver, 370


Guerras, morte, vitimas de ganância e poder, Um viver para muita gente em sofrimento… Mesmo assim, meu Deus, não quero esquecer o Natal, Nem o Menino Jesus que foi adorado por todos Os que o amavam e alertados por aquela Estrela Divina. Vieram adorá-lo e presenteá-lo com o pouco que tinham, Mas ofertado com amor. Também os Reis Magos o adoraram e trouxeram as suas prendas Que são símbolo do Mundo Cristão. O meu Natal é amor, família e generosidade Assim, eu vivo e creio no Natal.

Rosete Cansado 371


Natal Celebremos o Natal com amor e reflexão… A noite estava fria, as estrelas brilhavam no céu… Os pastores guardavam os seus rebanhos no campo! Eis que surge uma estrela com um brilho muito intenso… Como que avisando que algo muito importante, aconteceu. Todos os homens que eram humildes Tiveram esta bela visão, seguiram a estrela com alegria, A estrela fixou-se na entrada de um pequeno estábulo… Ao entrarem os pastores viram o menino, igual a todos nós, Mas diferente. O Salvador do Mundo nascera… 372


Todos se prostrarem por terra e louvaram a Deus… Jesus foi concebido pelo Espirito Santo no ventre da Virgem Maria. Podia ter nascido num berço de oiro, num palácio… Mas nasceu como todos nós, humanado, para transmitir-nos O seu amor, a sua humildade, a sua generosidade Que não existem diferenças entre os homens e que todos Somos irmãos… Que este seja o espírito de celebrarmos o Natal, Que haja o amor entre todos os povos, e generosidade, Que haja bondade e felicidade, Alimentos para quem tem fome, Roupa para quem tem frio, Saúde para quem está doente e sofre, Um lar para quem não tem abrigo, São dádivas que quem ama almeja. Que se risque da estrada da vida… As guerras, o ódio, a mentira, as diferenças, E o sofrimento… Assim o Natal terá mais sentido e será vivido Em partilha e de mãos dadas… Sei que é apenas um sonho o meu desejado Mas com o meu sonho serei mais feliz… Um Natal doce em amor, alquimia, e muita Paz.

Rosete Cansado 373


Nesta noite de Natal Nesta noite de Natal Ama-me o mais que puderes Amor como o nosso não há igual Basta tu me quereres. Quero perder-me no teu abraço Sentir o teu calor Deitar minha cabeça em teu regaço Aquecer o meu coração com o teu amor. E se tu não me amares Eu amo-te pelos dois Nesta noite gélida de Natal O resto deixamos para depois. Beija-me com um beijo profundo 374


Nesta noite de Natal Com aquele beijo que faz parar o mundo E me faz esquecer de tudo Nesta noite que me arrepia Com o frio que faz lรก fora Ficamos aqui sรณ os dois A desfrutar do hoje A viver o agora.

Sandra Silva 375


Neste Natal Neste Natal Quero encontrar Jesus Quero amar o próximo Encher o meu coração com a sua luz. Neste Natal não quero prendas Não me quero preocupar Com o jantar que não está terminado Se tenho a cozinha desarrumada Com louça espalhada por todo o lado. Não consigo ser egoísta Não consigo ser feliz Tento ser realista Com verdade que me entristece 376


E que está mesmo à frente do meu nariz. Olho para o lado E vejo um velhinho em solidão Nesta noite de Natal Está tão triste o seu coração. Vejo a criança Que anda descalça na rua Sem ter o que vestir ou calçar Com o seu corpo sem roupa E a sua alma nua. Neste Natal o meu desejo É que não exista dor Quero dar a minha mão ao sem-abrigo E encher o seu mundo de esperança e amor.

Sandra Silva 377


Jesus minha Luz O Natal está a chegar E nele celebramos o teu nascimento Sob a luz da estrela polar Tu nasceste em silêncio Não há mais belo momento Do que a tua vinda ao mundo Que veio mudar nossos corações Por entre esse grito mudo Que Maria não podia libertar No momento em que te expulsou do seu corpo Nessa noite iluminada pelo luar Embora estivesse muito fria Nada podia ser mais bonito 378


E mais sincero que a alegria Que Maria sentia. Nasceste para sofrer Logo de pequenino Já tinhas o teu destino traçado Multidões te amaram E caminharam do teu lado. Encheste o mundo de amor Mostraste o que era ter bom coração Nessa tua curta vida que tiveste E que em momento algum Sofreste a dor da solidão. Eis que chegou o momento De o mundo te ver partir Muitas lágrimas correram em silêncio Muitos se entregaram ao lamento Ficando desorientados Ficando sem vida Vivendo um enorme sofrimento. E onde andas tu agora Não te consigo ver Não te consigo sentir Porque me entreguei ao meu sofrer Preciso de ti para seguir Esta caminhada tão dura E para na Noite de Natal Ter o meu coração cheio Sem me sentir tão só Sem me sentir tão insegura. Sandra Silva 379


380


Noite de Natal Uma estrela veio nos avisar que nascia na pobre cabana o Menino que logo seria Rei por ter uma missão e por lei: gerar a paz na alma humana e luz sobre toda a escuridão instalando em cada coração o desejo de ser bom e amar.

Sílvia Regina Costa Lima 381


382


Espírito De Natal E, numa caixa bem delicada, coloquei, do ar, a estrelinha; pus, do mar, uma conchinha, da terra, a semente sagrada. O amor, na forma consagrada, eu encaixei ali, nessa caixinha, porque ela mesma já continha, o fogo da minha poesia amada. Senti que reproduzia o mundo no meu presente tão emotivo, cheio de significado profundo. Essa minha dádiva sentimental foi pra que permanecesse vivo todo o divino Espírito de Natal!

Sílvia Regina Costa Lima 383


384


Uma Estrela A noite dos tempos desceu depressa e tomou conta da linha do horizonte cobriu mares, desertos e cada monte escureceu fronteiras e toda travessa. Uma estrela brilhou como promessa com sua luz em forma de uma fonte ligando o Céu e a Terra feito ponte e tinha a linda mensagem expressa. Ela nos dizia - além de qualquer teoria que a partir dali haveria mais Harmonia e nada mais (jamais) seria algo em vão! Que uma doce criança estava a caminho e nunca mais o ser humano seria sozinho pois, um dia, Ela multiplicaria amor e pão.

Sílvia Regina Costa Lima 385


386


Viver O Natal Refletimos sobre a paz No nosso encontro natalino Reconciliando o amor Fraternidade caridade perdão São atitudes nobres Deus entrega grandioso presente Humildade afeição afeto Justiça sempre comete Agradecimento a Deus Pelo dom de respirar Do natal a vida a nascer Transformação em graça Espirito solidariedade união Alegria satisfação vem suprir Iluminação do brilho a luzir Estrelas amigos famílias irmãos Ao aceder a luz do coração Que faz o sino despertar Alegria gozo felicidades Na verdade e na fé Reverte-se de poder o Natal Se transformando em amor. Tânia M de J B de Melo 387


388


O Saco Do Bom Velhinho Viva Jesus Menino Conviva a noite de natal Festa do bom velhinho Papai Noel dádiva a entregar Um saco de alegria Outro de muita paz Mais um de felicidade Tolerância compreensão se faz Deixando Jesus Menino Viver em seu coração Toneladas de sacos de amizades Amor saúde e paz Viva o bom velhinho Persista a festa de natal O despertar do amor Assim somos presenteados Por Deus nosso salvador.

Tânia M de J B de Melo 389


O Sonho De Natal Surgiu o dia de natal Data histórica da humanidade Trazendo muita esperança Amor ternura e paz Nascimento de Jesus Menino Que nos traz a salvação Digníssima razão da vida Deus na grande imensidão 25 de dezembro a data especial 390


O nascer e renovar a existência O espirito perfeitíssimo acolher Pai da humanidade a abençoar Na fraternidade solidariedade caridade O necessário a viver bem-aventurado Na paz saúde alegria No lar repleto de amor Partilhando o sentimento belo Sonho realização bondade e fé Entre todos os irmãos Pedindo a Deus proteção A essa grande nação Com justiça e liberdade A encontrar a igualdade Transmitindo grande unção

Tânia M de J B de Melo 391


Jesus, Verdades e Vitórias! Cante forte, pense forte! Há um caminho a seguir, Sempre avante! Vá em frente! Jesus logo vai surgir, Trazendo à humanidade, Todo Amor e Bondade: Do Seu coração emana! Vem salvar a todo cristão, Que pelo Seu nome clama! Vinde, Irmãos! Nós somos, todos, Crentes em Jesus! 392


É Cristo, que vem de novo Para salvar o Seu povo, Novo Império vai surgir! Jesus de Amor e Bondade Vem trazer à humanidade Muito Amor e muita Paz! Vem salvar a todo cristão! Vem para nos trazer a Paz! Cante Glória! Glória! Mais um Natal há de vir, Jesus, Verdade e Vitórias Para os dias do porvir!

Tânia Mara Oliveira de Castro 393


Canção de Natal Vem de muito além, Vem do azul do céu, Vibrações de Amor E canções de Paz! Cristo, meu Irmão, Também Ele está Com muito carinho, Aqui para ficar!

394


Vem do além! Vem do céu! Vibrações de paz! É Jesus, meu Irmão, Que vem para ficar! Ele está comigo Onde eu estou, E está contigo No teu coração! Por isso é que canto, Mais feliz eu sou, Porque encontrei Paz Em Cristo, meu Senhor!

Tânia Mara Oliveira de Castro 395


396


Cantemos o Natal Vamos! Cantemos o Natal que somos e propomos Acreditemos em nós sem receio de sermos. E vamos! Acreditemos! Que ninguém nos tolha o passo. Que ninguém nos mate o sorriso. Não deixemos que nos roubem a cor E a luz do olhar A identidade e a felicidade de viver. Vamos! Acreditemos! O Natal é nascimento. E contentamento. E tentemos que cada um renasça Em cada dia com a alegria que lhe pertence. E que esta seja causa comum. E o mundo será, assim, de toda a gente.

Teresa Almeida Subtil 397


O grito E do lixo saiu o grito E do grito saiu a vida E a vida ĂŠ tĂŁo bela Que o lixo serve de estufa A uma nova estrela Expurgado o dia entre o terror E a alegria O mundo amedrontado Prossegue a lenta agonia Sabendo que a cada momento HĂĄ ceifas de humanidade 398


E o caixote poderá ser O mar, o camião, a vala, O forno crematório, a podridão. E o grito sairá de qualquer lugar Para esmagar a falsidade, o ilusório A maldade e os jogos de poder E do lixo saiu o grito E do grito saiu a vida E a vida é tão bela Que o lixo serve de estufa A uma nova estrela

Teresa Almeida Subtil 399


A Casa Nas janelas faltam chilreios E gerânios esculpidos no horizonte. Não vejo a ponte e as cores do alvoroço. Só os verdes das magnólias E as flores brancas dizem de nós. E o azevinho de bolas vermelhas Aproxima a ternura do Natal Que desenhavas no olhar Chegaram os primeiros frios E, talvez, a fogueira 400


Arda no peito e o azevinho enfeite O parapeito da chaminé E o Natal comece hoje pela manhã E o poema rebente na euforia de outrora E o vazio se desfaça agora Como se a casa voltasse Em toda a harmonia do traço E do laço branco que ataste Nos meus cabelos de menina.

Teresa Almeida Subtil 401


O Meu Natal de Menina O meu natal de menina Tinha cheiro a avelã, erva doce e canela Grandes recordações eu guardei de pequenina O cheirinho do pinheiro enfeitado, junto à janela Crepitavam os troncos na lareira Jogávamos cartas antes de deitar Aroma do chá de folhinha de laranjeira Memórias em mim para sempre vou guardar 402


O meu natal de menina tinha magia A mãe contava histórias de encantar Broas, bolo de mel, filhós e muita alegria Tão triste eu ficava quando o presépio tinha de desmontar No meu natal de menina Não havia consumismo nem riqueza a celebrar Havia sim um lar cheio de afectos e amor Eram os melhores presentes que entre nós se podiam partilhar

Tita Leal 403


Nasceu Jesus A noite estava fria O céu com o brilho especial A madrugada pouco a pouco rompia Nascia novo dia. Era natal Deu à luz virgem Maria Nasceu menino Jesus o salvador De tanto frio o Divino tremia No regaço sua mãe o protegia com amor 404


Era bem cedo quando o menino nasceu No firmamento uma estrela maior brilhava José numa manjedoura entre palhinhas o aqueceu Num velhinho estábulo a sagrada família pernoitava

Tita Leal 405


406


Noite de Natal Na noite de natal Estrelas cintilavam Anjos louvavam Pastores anunciavam O universo sorria Todos se alegravam SĂł o bebĂŞ dormia.

Valdinete Afra Bulhoes 407


Jesus Se Fez Homem Na escuridão da noite Surge uma estrela refulgente Iluminando o céu de Belém Anunciando ao mundo O salvador nasceu Na plenitude do tempo Jesus se fez homem O imortal tornou-se embrião num ventre mortal. 408


A Estrela anunciava Jesus chegou O Presente divino O Amado redentor Ele é o Caminho, Verdade e Vida Agua que sacia a alma O Pão da vida O Bom Pastor Alivio para o cansado Semelhante ao Messias não existiu Nem existirá Em Poder, Glória e Majestade

Valdinete Afra Bulhões 409


Natal Tempo de Celebração. Natal, nos lembra a alegria dos anjos, enchendo o céu com a maravilhosa melodia Glória a Deus nas alturas, paz na terra entre os homens. Paz na terra O Rei dos reis chegou! Uma estrela iluminou A humilde e insignificante estrebaria na cidade de Belém onde sua manjedoura serviu de berço Para o Rei dos reis Senhor dos senhores 410


Natal, é alegria Tempo de celebração É o aniversário do Salvador Jesus.

Valdinete Afra Bulhões 411


412


Natal Iluminado O Natal Iluminado, no Bairro da Liberdade; é Natal mais animado, animado de verdade. É Natal organizado, com responsabilidade; é por todos esperado, pela sua qualidade. Tem Música, tem Poesia, contém encanto e magia, transmitindo muita Paz; pois a nossa alma ilumina, dessa forma nos anima, na Mensagem que nos traz!

Wilson De Oliveira Jasa

413


Natal Iluminado O Natal Iluminado, ilumina o Coração; é por todos esperado, porque transmite emoção. É momento tão Sagrado, de sublime inspiração; 414


marco de Paz exaltado, que emociona a multidão; emitindo Amor profundo, de sentido fecundo, com muito encanto e fulgor. O espírito do Natal, de valor universal, contém essência de Amor.

Wilson de Oliveira Jasa 415


Índice Ficha Técnica .................................................................................. 3 Apresentação ................................................................................. 4 Poemas e Contos .......................................................................... 6 Estrela Rainha ................................................................................. 8 Adelaide Simões Rosa ............................................................ 9 Estrela Dalva ................................................................................. 10 Adelaide Simões Rosa .......................................................... 11 Sonho Dourado ........................................................................... 12 Adelaide Simões Rosa .......................................................... 13 Vi Uma Estrela .............................................................................. 15 Adelina Santos ......................................................................... 15 Prendas de Natal ........................................................................ 17 Adelino Pais .............................................................................. 17 Eu Vi Uma Estrela ........................................................................ 19 Adelino Pais .............................................................................. 19 Memórias de Natal..................................................................... 21 Adelino Pais .............................................................................. 21 É Natal, outra vez ........................................................................ 23 Alda Melro ................................................................................ 23 Jesus Nasceu ................................................................................ 25 Alda Melro ................................................................................ 25 Noite de Paz e Amor ................................................................. 27 Alda Melro ................................................................................ 27 Para Sempre Natal no Coração ............................................. 29 Alexsandre Soares de Lima ................................................. 29 Eu vi uma estrela. ........................................................................ 31 Amélia Amado ......................................................................... 31 416


Eu vi uma Estrela ......................................................................... 32 Anabela Fernandes ................................................................ 33 Vi, uma Estrela ............................................................................. 35 André Luiz ................................................................................. 35 Attendo e prego Gesù .............................................................. 36 Antonella Causa ...................................................................... 37 La Campana .................................................................................. 38 Antonella Causa ...................................................................... 39 I Una Estrella. ................................................................................ 40 Antonia Rodriguez Ferreiro. ............................................... 41 Navidad. ......................................................................................... 43 Antonia Rodríguez Ferreiro. ............................................... 43 Soledad en Navidad. ................................................................. 45 Antonia Rodríguez Ferreiro. ............................................... 45 "Natal... ........................................................................................... 47 António Cláudio ...................................................................... 47 Mãe de Jesus ................................................................................ 49 António Jorge Mendes ......................................................... 49 Estrela guia.................................................................................... 51 Armindo Gonçalves ............................................................... 51 Era uma vez................................................................................... 52 Armindo Gonçalves ............................................................... 53 Menino Jesus................................................................................ 54 Armindo Gonçalves ............................................................... 55 A festa da passagem de ano .................................................. 56 Ascensão Ferreira Lopes ………………………………………… 58 Quadras de Natal ........................................................................ 58 Ascensão Ferreira Lopes ...................................................... 59 417


É Natal ............................................................................................ 61 Aurora Maria Martins ............................................................ 61 É Natal ............................................................................................ 63 Aurora Maria Martins ............................................................ 63 É Natal… ......................................................................................... 65 Bernardina Pinto ..................................................................... 65 Feliz Natal ...................................................................................... 67 Bernardina Pinto ..................................................................... 67 Celebrar O Natal ......................................................................... 69 Bernardina Pinto ..................................................................... 69 Feliz Natal ...................................................................................... 71 Bertina Lopes ........................................................................... 71 Jesus Nasceu! ............................................................................... 73 Bertina Lopes ........................................................................... 73 Natal em Criança ........................................................................ 75 Bertina Lopes ........................................................................... 75 Hoje, eu vi o Natal ...................................................................... 76 Carla Ribeiro ............................................................................. 77 Há um calor na alma que sabe a Natal .............................. 79 Carla Ribeiro ............................................................................. 79 Vi-te numa estrela ...................................................................... 81 Carla Ribeiro ............................................................................. 81 Natal de luz ................................................................................... 83 Catarina Dinis Pinto ............................................................... 83 Reflexão ……………………………………………………………………. 85 Catarina Dinis Pinto ….……………………………….…………… 85 Histórias de Natal ……………………………………………………... 86 Catarina Dinis Pinto ……………………..………………………… 86 418


Memórias de Natal .................................................................... 86 Cecília Pestana ......................................................................... 87 Natal ................................................................................................ 89 Cecília Pestana ......................................................................... 89 Poema de Natal ........................................................................... 90 Cecília Pestana ......................................................................... 91 Natal ................................................................................................ 93 Celeste Gonçalinho Duarte ................................................. 93 Postal de natal ............................................................................. 94 Celeste Gonçalinho Duarte ................................................. 95 Natal ................................................................................................ 97 Celeste Gonçalinho Duarte ................................................. 97 É Natal. ........................................................................................... 98 Celeste Leite ............................................................................. 99 Natal ..............................................................................................100 Cléa Rezende Melo ..............................................................101 Outro Natal .................................................................................103 Cléa Rezende Melo ..............................................................103 Sempre Natal .............................................................................105 Cris Anvago ............................................................................105 Segue a Estrela ..........................................................................107 Cris Anvago ............................................................................107 Vi uma Estrela ............................................................................109 Cris Anvago ............................................................................109 Natale nel mondo.....................................................................110 Cristina Giulia Sacchi ...........................................................111 Natale nel Mondo (2) ..............................................................112 Cristina Giulia Sacchi ...........................................................113 Natale nel mondo (3) ..............................................................114 Cristina Giulia Sacchi ...........................................................115 419


Natal ..............................................................................................117 Diana Balis (Gisele Sant Ana Lemos) .............................117 Anjo caído ...................................................................................119 Diana Balis (Gisele Sant’ Ana Lemos) ............................119 Amor sereno ...............................................................................121 Diana Balis ...............................................................................121 Vi uma estrela" ..........................................................................123 Edi Almeida .............................................................................123 Vi Uma Estrela ............................................................................125 Edi Almeida .............................................................................125 Assim é o Natal. ........................................................................127 Ednaldo F. Santos .................................................................127 Tesouro.........................................................................................129 Ednaldo F. Santos .................................................................129 Natal. .............................................................................................131 Ednaldo F. Santos .................................................................131 Títolo : Un' aura brilla. .............................................................132 Elisa Mascia .............................................................................133 La stella dell'alleanza. ..............................................................134 Elisa Mascia .............................................................................135 Natale nel mondo.....................................................................136 Elisa Mascia .............................................................................137 Toca Estrela tudo que vejo ....................................................139 Fabiane Linhares ...................................................................139 Ajoelho-me ao Nascimento ..................................................141 Fabiane Linhares ...................................................................141 Natal ..............................................................................................143 Fabiane Linhares ...................................................................143 Vi uma estrela ............................................................................145 Fátima Monteiro ...................................................................145 420


Vi uma estrela ............................................................................147 Fátima Monteiro ...................................................................147 Vi uma estrela ............................................................................149 Fátima Monteiro ...................................................................149 Uma estrela .................................................................................151 Fernanda Bizarro ...................................................................151 Conto de Natal. .........................................................................153 Fernanda Bizarro ...................................................................153 Vi uma estrela ............................................................................155 Fernanda Bizarro ...................................................................155 Natal ..............................................................................................157 Fernanda Santos ...................................................................157 Eu vi uma estrela a brilhar .....................................................159 Fernanda Santos. ..................................................................159 Em tons d'oiro sobre azul ......................................................161 Fernanda Santos ...................................................................161 A Minha Estrela Maior ............................................................163 Florinda Dias ..........................................................................163 Flor de Natal ...............................................................................165 Florinda Dias ..........................................................................165 Esperança de Vida ....................................................................167 Florinda Dias ..........................................................................167 Vi uma Estrela ............................................................................169 Francisca do Monte Pires ..................................................169 A Luz de Deus ............................................................................171 Francisca do Monte Pires ..................................................171 É Natal ..........................................................................................173 Francisca do Monte Pires ..................................................173 Sarà Natale... domani ..............................................................175 Giovanni Monopoli ..............................................................175 421


A vida não espera .....................................................................179 Goreti Dias ..............................................................................179 Natal ..............................................................................................181 Goreti Dias ..............................................................................181 Natal de todos os tempos .....................................................183 Goreti Dias ..............................................................................183 Luz de Natal! ..............................................................................184 Graça Canhao.........................................................................185 O Natal na Minha Rua! ...........................................................186 Graça Canhão …………………………………………………….…… 188 Era uma vez "O Tempo de Natal" …………………………… 189 Helena Maria Simões Duarte ...........................................191 É Natal, então que seja Natal! ..............................................193 Helena Martins ......................................................................193 Jesus Nascia... .............................................................................195 Ilda Ruivo .................................................................................195 Uma Estrela cintilava ...............................................................197 Ilda Ruivo .................................................................................197 Anjos me abordaram! .............................................................199 Ilda Ruivo .................................................................................199 Afinal, é Natal .............................................................................201 Joana Rodrigues ...................................................................201 Eu Vi a Estrela de Jesus ...........................................................203 Joana Rodrigues ...................................................................203 Jesus é Minha Estrela, .............................................................205 Joana Rodrigues ...................................................................205 Apenas um homem .................................................................206 Jorge Raposo Caraça...........................................................207 É Natal ..........................................................................................208 Jorge Raposo Caraça...........................................................209 422


Fingimento ..................................................................................210 Jorge Raposo Caraça...........................................................211 A força do Natal ........................................................................213 José António de Carvalho..................................................213 Afinal… O que é Natal? ...........................................................215 José António de Carvalho..................................................215 O Natal vem para ficar ............................................................216 José António de Carvalho..................................................217 Vi uma estrela ............................................................................219 José Sepúlveda ......................................................................219 Ide e anunciai!............................................................................221 José Sepúlveda ......................................................................221 Os Reis do Oriente ...................................................................223 José Sepúlveda ......................................................................223 Este Natal.....................................................................................224 Josiclénio Poeta Sebastião ................................................225 Nascimento .................................................................................227 Laura DaSilva ..........................................................................227 O pinheiro de Natal .................................................................229 Laura DaSilva ..........................................................................229 O Brilho do Natal ......................................................................231 Lucélia Gomes........................................................................231 De onde vem o Natal... ...........................................................233 Lucélia Gomes........................................................................233 Postal de Natal ..........................................................................235 Lúcia Ribeiro ...........................................................................235 Foi-se o Natal! ...........................................................................237 Lúcia Ribeiro ...........................................................................237 Natal para todos .......................................................................239 Lúcia Ribeiro ...........................................................................239 423


Natal?!...........................................................................................241 Luciene B Gomes ..................................................................241 Natal! .............................................................................................243 Luciene B Gomes ..................................................................243 Natal... ...........................................................................................244 Luciene B. Gomes .................................................................245 Talvez... .........................................................................................246 Luís Filipe Coimbra...............................................................247 Em Busca do Natal ...................................................................249 Luiz Roberto Judice .............................................................249 Os Três Reis Magos..................................................................251 Luiz Roberto Judice .............................................................251 A Noite .........................................................................................253 Madalena Macedo ...............................................................253 Céu de Estrelas ..........................................................................255 Madalena Macedo ...............................................................255 “Natal é Tempo de Amar” .....................................................256 Magda Pacheco Brazinha ..................................................257 “Daqui a Pouquinho”...............................................................258 Magda Pacheco Brazinha ..................................................259 "Vi uma estrela" .........................................................................260 Maria Amália Pereira ...........................................................261 Uma estrela diferente..............................................................262 Maria Amália Pereira ...........................................................263 "Vi uma estrela" .........................................................................265 Maria Amália Pereira ...........................................................265 Estrela Alva ..................................................................................266 Maria De Fátima Soares .....................................................267 Os Natais de Antigamente ....................................................268 Maria De Fátima Soares .....................................................269 424


Que pedir, neste Natal? ..........................................................270 Maria De Fátima Soares .....................................................271 A tal estrela, não vi ...................................................................273 Maria dos Santos ..................................................................273 Uma estrela nas palavras .......................................................275 Maria dos Santos ..................................................................275 Vimos uma Estrela ....................................................................277 Maria dos Santos ..................................................................277 Natal dos Sós .............................................................................279 Maria Gonçalves ...................................................................279 Será Natal ....................................................................................281 Maria Gonçalves ...................................................................281 Brilhou Uma Estrela .................................................................283 Maria Gonçalves ...................................................................283 Havia uma estrela no céu ......................................................285 Maria José ...............................................................................285 É mais um Natal… .....................................................................287 Maria José ...............................................................................287 O significado do Natal ............................................................289 Maria José ...............................................................................289 Pedido ao Menino Jesus ........................................................291 Maria Tavares .........................................................................291 Natal Noite de Luz ...................................................................293 Maria Tavares .........................................................................293 Natal: a festa da esperança ...................................................295 Maroel Bispo ..........................................................................295 Seja sempre Natal ....................................................................297 Maroel Bispo ..........................................................................297 Natal de tanta gente ...............................................................299 Mary Horta ..............................................................................299 425


O Menino de Belém .................................................................301 Mary Horta ..............................................................................301 Dia de Natal ................................................................................303 Mary Horta ..............................................................................303 Poesie di Natale 2019 .............................................................304 Massimo Penna .....................................................................307 Marachella Di Natale ...............................................................308 Massimo Penna .....................................................................309 Prodigio Di Natale ....................................................................310 Massimo Penna .....................................................................311 La Stella smarrita.......................................................................312 Michelangelo La Rocca.......................................................315 La Stella smarrita.......................................................................316 Michelangelo La Rocca.......................................................319 La Stella indicherà la meta? ..................................................320 Michelangelo La Rocca.......................................................323 Sim, vi uma estrela! ..................................................................325 Mirian Menezes de Oliveira ..............................................325 Natal devia ser todos os dias ...............................................326 Naná Gonçalves. ...................................................................327 É Natal ..........................................................................................328 Naná Gonçalves ....................................................................329 Vi Uma Estrela. ...........................................................................330 Naná Gonçalves ....................................................................331 Encanto Di Natale .....................................................................332 Natalina Di Legge .................................................................335 Una Stella Speciale ...................................................................336 Natalina Di Legge .................................................................337 Apri La Porta Del Tuo Cuore .................................................338 Natalina Di Legge .................................................................339 426


Dolce Bambino ..........................................................................340 Pasquale Vulcano .................................................................341 La Luce Del Natale....................................................................342 Pasquale Vulcano .................................................................343 Aquela estrela… .........................................................................345 Pedro Lima ..............................................................................345 Deixai Brilhar a Estrela ............................................................347 Pedro Lima ..............................................................................347 Astro Divino. ...............................................................................349 Pina Iannacci ..........................................................................349 Intona un Canto. .......................................................................351 Pina Iannacci. .........................................................................351 Gioia universale. ........................................................................353 Pina Iannacci . ........................................................................353 É Natal ..........................................................................................355 Pompeu José Vieira Pais ....................................................355 O rosto do Natal .......................................................................357 Pompeu José Vieira Pais ....................................................357 A Estrela .......................................................................................358 Romy Macedo........................................................................359 Nasceu o Menino .....................................................................360 Romy Macedo........................................................................361 Guia-me, Estrela ........................................................................362 Romy Macedo........................................................................363 Raul e a Estrela Alva .................................................................364 Rosa Maria Santos................................................................369 Caminhando ...............................................................................370 Rosete Cansado ....................................................................371 Natal ..............................................................................................372 Rosete Cansado ....................................................................373 427


Nesta noite de Natal ...............................................................374 Sandra Silva ............................................................................375 Neste Natal .................................................................................376 Sandra Silva ............................................................................377 Jesus minha Luz ........................................................................378 Sandra Silva ............................................................................379 Noite de Natal ...........................................................................381 Sílvia Regina Costa Lima ....................................................381 Espírito De Natal .......................................................................383 Sílvia Regina Costa Lima ....................................................383 Uma Estrela .................................................................................385 Sílvia Regina Costa Lima ....................................................385 Viver O Natal ..............................................................................387 Tânia M de J B de Melo ......................................................387 O Saco Do Bom Velhinho ......................................................389 Tânia M de J B de Melo ......................................................389 O Sonho De Natal ....................................................................390 Tânia M de J B de Melo ......................................................391 Jesus, Verdades e Vitórias! ....................................................392 Tânia Mara Oliveira de Castro .........................................393 Canção de Natal ........................................................................394 Tânia Mara Oliveira de Castro .........................................395 Cantemos o Matal ....................................................................397 Teresa Almeida Subtil .........................................................397 O grito ..........................................................................................398 Teresa Almeida Subtil .........................................................399 A Casa ...........................................................................................400 Teresa Almeida Subtil .........................................................401 O Meu Natal de Menina ........................................................402 Tita Leal ....................................................................................403 428


Nasceu Jesus ..............................................................................404 Tita Leal ....................................................................................405 Noite de Natal ...........................................................................407 Valdinete Afra Bulhoes .......................................................407 Jesus Se Fez Homem ...............................................................408 Valdinete Afra Bulhões .......................................................409 Natal Tempo de Celebração. ................................................410 Valdinete Afra Bulhões .......................................................411 Natal Iluminado.........................................................................413 Wilson De Oliveira Jasa ......................................................413 Natal Iluminado.........................................................................414 Wilson de Oliveira Jasa .......................................................415

429


430

Profile for José Sepúlveda

Vi uma Estrela  

Coletânea de Natal do Solar de Poetas Poesia e Conto 81 poetas participantes Natal 2019

Vi uma Estrela  

Coletânea de Natal do Solar de Poetas Poesia e Conto 81 poetas participantes Natal 2019

Advertisement