Comédias do Minho: Programa Anual de 2016

Page 1

2016 outros lugares 2 1


2


Alberto Carneiro

3


Wendy mascote

Vaz João Pedro tística ar o çã re di

4


Depois de um ano de explosão e festa (2014 foi o décimo aniversário das CdM) este é o segundo ano em que preparamos o futuro e viajamos para Outros Lugares sem deixar de alimentar o nosso território. Outros Lugares é o mote que permite a viagem em 2015/16 por zonas mais inesperadas, num biénio mais arriscado e experimental, cheio de contrastes. 2016 é também o segundo ano em que se faz a revisão da matéria dada, com a aposta nos criadores residentes CdM, um dos maiores ativos fundados por esta história de amor entre a população e os seus artistas. E o ano começa em grande com mais uma festa minhota em Lisboa (o sexto concelho das CdM este ano) fazendo do Teatro Nacional D. Maria II uma das nossas casas, com múltiplos serões de teatro para todas as idades, momentos de pensamento, discussão e até degustação minhota. Será este o início de mais uma viagem por Outros Lugares, que nos trazem sempre de volta ao centro do nosso universo. Façam-se assim as apostas para a segunda década das CdM.

5


6


7


4-21 FEV

o h n i M o d s a i d é m o As C tro Nacional no Teaia II – Lisboa r a M . D

ç a p u c O a t o h n i M Em fevereiro, as Comédias do Minho mudam-se de armas e bagagens para Lisboa. Numa autêntica festa de fim do inverno, esta Ocupação Minhota traz ao D. Maria II uma reflexão sobre todo um território, em registo de grande profanidade. Para a celebração de um novo entrudo minhoto, propõe-se um auto popular, teatro para crianças e jovens, uma exposição, um documentário e jornadas de trabalho e paladar, regadas por alguns dos melhores vinhos do mundo. Numa palavra, vai ser uma festa.

8


o ã ç a o ã ç a t n e s e r p A a d a c i l púb mação progra016 CdM 2 4 FEV 18:00 Salão Nobre

+ Inauguração da exposição Mutantes

9


4 FEV

10-19 FEV

Inauguração

Escolas

qui 18:00

Visitas guiadas

Vários espaços do teatro

para escolas antes dos espetáculos

s e t n a t Mu Exposição

Este foi um projeto que envolveu artistas e grupos de jovens adolescentes dos cinco concelhos do Vale do Minho. Ao longo de uma semana, em julho de 2015, cada grupo, acompanhado por um artista, construiu uma instalação a partir de um olhar sobre um lugar do território. As instalações finais resultam nesta exposição coletiva que fica patente em vários espaços do Teatro, com direito a visitas guiadas por esse novo mapa, criado pelos adolescentes do Vale do Minho. Visitas Guiadas Alice Silva Orientação do Workshop no Vale do Minho (2015) Cristina Azevedo (VN Cerveira/Pintura), Helena Passos (Valença/Arquitetura), Jorge Taveira (Melgaço/Lomografia), Patrícia Oliveira (Monção/ Escultura), Samuel Coelho (P Coura/Música)

10

o D Os s e r Pa a r F de


4-21 FEV Auto Profano qua 19:00 qui-sáb 21:00 dom 16:00 Sala Garrett

e z o s a ç ran Auto Profano

Um auto popular profano que conta como o Imperador Carlos Magno, cristão patrono dos doze pares do reino, enfrenta as hostes do mouro Almirante Balão, pai da mais do que superstar Floripes, moura dada a tantos encantos quantos as nossas ficções queiram fantasiar. Em Os Doze Pares de França gera-se um verdadeiro duelo entre uma máquina de paisagem que vem do Vale do Minho, corpo de todo um território, e uma máquina de teatro habilmente manipulada pelo elenco do D. Maria II. No fim, vencem os cristãos, mas um auto popular é assim mesmo, não tem suspense, serve como lugar de encontro e marcação de toda uma comunidade – a Sala Garrett, arena de teatro nacional popular. Encenação João Pedro Vaz Com Ana Água, Ana Valente, Filipe Caldeira, Gonçalo Fonseca, João Esteves, João Grosso, José Neves, Luis Filipe Silva, Manuel Coelho, Marco Mendonça, Mónica Tavares, Paula Mora, Rui Mendonça, Sílvia Barbosa, Tânia Almeida e a participação de Alice Silva, Celeste Domingues, Luís Carlos Silva, Pedro Morgado, Samuel Coelho, Vasco Ferreira Cenografia e figurinos Sara Vieira Marques Luz Vasco Ferreira Danças Filipe Caldeira e Luis Filipe Silva Música original e interpretação ao vivo Samuel Coelho e Vasco Ferreira Máscaras Gonçalo Fonseca Vídeo e apoio dramatúrgico Pedro Filipe Marques Produção Comédias do Minho Coprodução TNDM II M/12

11


13 FEV

10-12 FEV

Famílias e Público

Escolas

em geral

Ensino Secundário

A partir dos 14 anos

qua–sex 11h

sáb 16:00

Sala Estúdio

Sala Estúdio

o ã N r a g u L Espetáculo de Teatro

de Marionetas

Os não lugares são um produto dos tempos modernos, são como que um efeito secundário do excesso de tempo, de espaço e de ego. São o contrário dos lugares, não têm identidade, história ou relação urbana. São espaços temporários de passagem, comunicação e consumo. Representam o declínio do homem público e a ascensão do homem egoísta e obsessivo, camuflado pelos cartões de crédito, pins, códigos e passwords que criam solidão e alienação. Textos a partir de Não-Lugares de Marc Augé e de O Livro do Desassossego de Bernardo Soares Criação Gonçalo Fonseca Cocriação e interpretação Luis Filipe Silva e Sílvia Barbosa Música original e interpretação ao vivo Samuel Coelho Cenário e adereços Gonçalo Fonseca, Luis Filipe Silva e Sílvia Barbosa com tutoria de Júlio Alves Desenho de luz e vídeo Vasco Ferreira Produção Comédias do Minho

12


20 FEV

17-19 FEV

Famílias

Escolas

A partir dos 6 anos

Ensino Básico – 1º Ciclo

sáb 16:00

qua–sex 11:00

Sala Estúdio

Sala Estúdio

e s o d Tu forma s n Tra Espetáculo de Teatro

Há um início e um fim para as coisas? Num caminho enérgico percorrem perguntas e incertezas. Umas atrás das outras circulam em constantes movimentos. Para onde nos levam? Ao encontro de verdades e mistérios, que por vezes são espantosos e inquietantes. Sobre isso pensamos...uns alto, outros baixinho... Criação Rui Mendonça Cocriação e interpretação Tânia Almeida e Wendy Cenografia Rita Nicolau Música original Vasco Ferreira Produção Comédias do Minho

13


6 FEV sáb 16:00 Sala Estúdio

r a r n o H a u aS a h n i V Documentário

Em 2012, as Comédias do Minho andaram em viagem pela Rota do Alvarinho em Monção e Melgaço. Pelo meio, André Martins e Rui Mendonça falaram com produtores, apanharam uvas, sol e chuva e o relato desses dias de trabalho surge num filme que, como qualquer bom documentário, não deixa de ser uma bela ficção. Após a projeção, terá a oportunidade de participar numa prova de Alvarinho e de produtos regionais do Vale do Minho. Frente-de-câmara Rui Mendonça Trás-de-câmara André Martins Produção Comédias do Minho e Fio Condutor

14


13 FEV sáb 11:00-15:00 Sala Estúdio

o ã ç a i Cr ritório r e T e Oficina

Desde 2004, as Comédias do Minho atuam artística e socialmente num território que ocupa cinco concelhos, contribuindo para a sua metamorfose através da criação artística. Nesta masterclass terá a oportunidade de ver apresentados e debatidos os trabalhos e os conceitos associados ao formato de intervenção cultural e artística das Comédias do Minho. Coordenação João Pedro Vaz (Diretor Artístico) e Alice Silva (Projeto Pedagógico CdM) Dirigida a alunos e professores do ensino artístico, artistas e criadores, agentes culturais, técnicos de cultura e público em geral. Haverá caldo verde e vinho Alvarinho na pausa de almoço para os participantes. Inscrições em www.teatro-dmaria.pt. Seleção dos inscritos por ordem de receção da inscrição.

15


nseca Gonรงalo Fo or ad ri /c ator

16


Luís C arlos Silva apoio admin istra produ tivo/ ção

17


25 FEV–2 ABR Aldeias do Vale do Minho Auto Profano

Comédias do Minho + TNDM II

Os Doze Pares de França nas Aldeias

18


Encenação João Pedro Vaz e Gonçalo Fonseca Com Ana Água, Ana Valente, Filipe Caldeira, Gonçalo Fonseca,

Depois da estreia na arena do Teatro Nacional D. Maria II, Os Doze Pares de França vêm para as aldeias numa versão intimista, em que o auto popular profano é o centro de um serão de teatro, memória de todas as noites de teatro (e dança e música) nas freguesias do Vale do Minho. A máquina de paisagem encontra nos rostos e corpos dos espetadores cúmplices ativos para contar a história de como o Imperador Carlos Magno, cristão patrono dos doze pares do reino, enfrenta as hostes do mouro Almirante Balão, pai da superstar Floripes.

João Grosso, José Neves, Luis Filipe Silva, Manuel Coelho, Marco Mendonça, Paula Mora, Rui Mendonça, Sílvia Barbosa, Tânia Almeida e os músicos Samuel Coelho e Vasco Ferreira Cenografia e figurinos Sara Vieira Marques Luz Vasco Ferreira Danças Filipe Caldeira e Luis Filipe Silva Música Vasco Ferreira e Samuel Coelho Máscaras Gonçalo Fonseca Vídeo e apoio dramatúrgico Pedro Filipe Marques Produção Comédias do Minho Coprodução TNDM II

19


26 MAR

VN Cerveira Espetáculo Comunitário

Queima de Judas Remix

s o n a 0 1

Para comemorar os dez anos da Queima de Judas revisitam-se os melhores momentos de sempre, num espetáculo musical e colorido com algumas personagens surpresa, que vão voltar a VN Cerveira para uma representação de pendor judaico-cristão, onde se condena Judas, o traidor, e se festeja a ressurreição de Jesus Cristo. Criação Luis Filipe Silva Interpretação Atores e equipa CdM, Outra Cena e convidados especiais

20


ABR

Vale do Minho Espetáculo

Nove’s Fora Sessões Público Escolar 11:00+14:30 Melgaço 11 ABR Ginásio do Centro Escolar de Melgaço Monção 12 ABR Cineteatro João Verde Valença 13 ABR Edifício da Alfândega VN Cerveira 14 ABR Antigo Quartel dos Bombeiros P Coura 15 ABR Centro Cultural

Neste espaço ∞ entre o ½ nenhures e o ¼ algures, há que olhar ± para todas a direções, contar X, calcular Y, medir² e certificar que tudo terá exatamente ≠ no sítio + certo e à hora certa -1. Se tudo correr bem, nove’s fora = nada! Uma abordagem poética do universo da matemática através do circo contemporâneo. Um cruzamento entre o malabarismo, equilíbrios, música, iluminação e instalações cenográficas. O tempo, números, formas, ritmos, direções, medidas e velocidades são alguns dos ingredientes para uma visão entusiasmante e poética da matemática. Direção artística Vasco Gomes Assistência de direção Julieta Guimarães Interpretação André Borges e Jorge Lix Música João Quintela Iluminação Romeu Guimarães Assessoria pedagógica Professor Pedro Carvalho Público-Alvo 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico

21


MAR-ABR

Vale do Minho Laboratório de contadores de histórias

Sessões Agentes Educativos 18:00 Melgaço 9+10 MAR Casa da Cultura Monção 16+17 MAR Biblioteca Municipal P Coura 6+7 ABR Centro Cultural

Um, dois, três… conta lá outra vez!! Quantas histórias e lugares cabem no nosso imaginário? Sugerimos uma ação de formação, onde a criatividade dá lugar à criação e à narração de histórias. Umas de algibeira, outras que trazem da rua ou do pensamento... Criação e orientação Ana Madureira

Valença 18+19 ABR Biblioteca Municipal VN Cerveira 27+28 ABR

Atlas da Imaginação Biblioteca Municipal

22


ABR – MAI Vale do Minho Espetáculo de teatro

Dama Pé de Mim Sessões Público Escolar 10:00+14:00 Monção 5-9 ABR Biblioteca Municipal Valença 12-15 ABR

Era uma vez um rei que tinha três filhas. Esta é a história da mais nova, que usava sapatilhas. Como não era materialista, não era de terras que andava em conquista. Ela queria conquistar gente, só assim ficava contente. Mas não sabia como. Ofereço-lhe sumo? Sugiro-lhe rumo? Será que é assim, ou tenho de dar-lhe a mão, para vir ao pé de mim? Um espetáculo sobre a Amizade e os mundos que ela abre.

Biblioteca Municipal

Criação e interpretação Ana Madureira

VN Cerveira 19-21 ABR

Público-alvo Alunos do Ensino Pré-Escolar

Biblioteca Municipal P Coura 26-28 ABR Centro Cultural Melgaço 2-4 MAI Casa da Cultura

23


MAI

Vale do Minho Festival Itinerante de Teatro Amador

24

ComĂŠdias do Minho + Fegatea + Feteacyl + Revista Galega de Teatro


13-15 MAI

Fim de semana Platta Plataforma Transfronteiriça de Teatro Amador (PT/ES) 13 MAI P Coura Centro Cultural 21:00 Abertura do 6º Fitavale 14 MAI P Coura Centro Cultural durante o dia VII Mesa de Trabalho PLATTA Oficina para atores amadores Valença Auditório de Verdoejo 21:30 Espetáculo de Castela e Leão 15 MAI P Coura Centro Cultural durante o dia VII Mesa

20–22 MAI

Fim de semana Vale do Minho 20 MAI P Coura Centro Cultural 21:30 Outra Cena 21 MAI Monção Cineteatro João Verde 16:00 +TAC Melgaço Casa da Cultura 21:30 Associação Filarmónica Milagrense 22 MAI VN Cerveira Cineteatro 16:00 VerdeVejo Valença Aud. de Verdoejo 21:30 Os Simples

de Trabalho PLATTA Oficina para atores amadores 16:00 apresentação final da Oficina 18:00 espetáculo da Galiza

25


Celeste Domingues comunicação

Sílvia Ba rbosa atriz/cria dora

26


eira Vasco Ferr écnica /t ão uç od pr

27


30 JUN-31 JUL Vale do Minho Espetรกculo-Concerto

#Nรฃo Somos Cactos#

28


Porque o futuro parece querer encurtar distâncias ao terror. Porque tudo o que assusta faz-nos virar costas. Pretende-se criar uma distância “segura”, um filtro poético e emocional para falar da crescente escassez de água potável no mundo e respetivos refugiados, cujo fluxo promete abalar as nossas noções de humanismo e humanidade. Uma realidade que em surdina vem cavalgando a onda do medo e da intolerância, até ao dia em que com estrondo se abaterá sobre os castelos de areia onde a vida e o futuro passam férias. Encenação e dramaturgia Rui Mendonça Apoio dramatúrgico Ruben Silva Vídeo André Martins Música original e interpretação ao vivo Samuel Coelho e Vasco Ferreira Desenho de Luz Vasco Ferreira Interpretação Gonçalo Fonseca, Luis Filipe Silva, Rui Mendonça, Sílvia Barbosa, Tânia Almeida, Vasco Ferreira

29


JUL

Vale do Minho Workshop de formação artística para jovens

2ª edição

30


11-16 JUL Vale do Minho 16 JUL Apresentação dos cinco grupos (em percurso, pelos cinco municípios) Melgaço Serigrafia Ana Torriê e Valter Almeida (Chapa Azul) Monção Cinema de Animação a definir (com o apoio da Casa da Animação) Valença Arte Urbana Octávio Pinho (Urban-Art) VN Cerveira Cerâmica Margarete Barbosa P Coura Design Gráfico Sofia Gomes e Cidália Abreu (Oupas!Design)

Caminhar no espaço, recolher cheiros, sons, e imagens… imaginar aquele lugar no futuro…Reinventar o lugar. Qual a imagem que retemos daquele espaço? Vamos olhar os lugares sem imposição de limite, e alimentar o imaginário através de uma experiência plástica e artística. Mutantes, um projeto que irá envolver artistas e grupos de jovens adolescentes dos cinco concelhos do Vale do Minho. Ao longo de uma semana cada grupo, acompanhado por um artista, irá construir uma instalação a partir de um olhar sobre um lugar.

31


9-11 SET

Vale do Minho Cinema Documental e Comunitário

3º Doc. com

32

O 3º DOC.COM continua com a vontade de mostrar outros projetos comunitários e/ou em rede espalhados pelo país. Mostram-se filmes de criadores que são velhos e novos amigos das CdM com imagens doutros lugares que também se abrem à criação artística contemporânea com envolvimento das populações. Cada sessão será seguida de conversa com os realizadores, criadores e responsáveis pelos projetos nacionais apresentados, fazendo do DOC.COM um intenso fórum documental e comunitário.


AO LONGO DO ANO

Vale do Minho Encontros Informais

Conversas de Porta Aberta Literatura, dramaturgia, arte, encenação, texto, processo criativo, pedagogia, públicos e… teatro, enfim. Abre-se a porta e convida-se à conversa, com pergunta na algibeira ou resposta improvisada. Os convidados de outros territórios podem contar da sua experiência e do seu universo artístico, bem como da sua relação com as Comédias do Minho. Os convidados de cá contam de si também.

33


Pedro Morgad o gestão/produ ção

Alice Silva o projeto pedagógic

34


Rui Mendonรงa ator/criador

Luis Fili pe Silva ator/criad or

35


OUT–NOV

Nova criação em residência

Comédias do Minho + Festival Internacional de Marionetas do Porto + Teatro Municipal do Porto

bolsa de criação

Isabel Alves Costa 2ª edição Porto (FIMP+Rivoli) OUT Vale do Minho OUT + NOV

Depois de uma primeira edição lançada ainda em 2014, as Comédias do Minho, o FIMP e o Teatro Municipal do Porto, abrem a 2ª edição da Bolsa de Criação Isabel Alves Costa, que dispensa apresentações. O projeto vencedor será ensaiado em residência artística e apresentado no Vale do Minho e no Porto, num ritual que imortaliza o legado da eterna mentora das CdM. Mais info www.comediasdominho.com

36


Ação de Exploração Temática Paralelamente à apresentação do espetáculo, o Projeto Pedagógico prepara uma ação/atividade de exploração temática para os alunos do ensino secundário. A proposta de atividade será construída em conjunto com os criadores do projeto vencedor da 2ª edição da bolsa.

37


NOV’16FEV’17

Vale do Minho Espetáculo de teatro

Deixa-me ser! Quero saber tudo até à hora do almoço, e depois dos gomos de laranja quero saber mais e mais, até me cansar. Até a hora do lanche chegar. Quero devorar o que não sei como devoro a fruta do jardim e depois carregar para longe as sementes na boca e cuspi-las de pescoço esticado. Quero ver as folhas cair no outono e ser chuva no inverno, Quero ser areia no verão e voar com as abelhas na primavera. E quando for grande quero ser criança e brincar, e jogar até à hora de jantar. Quero ser sempre o mesmo e diferente a cada manhã. Vou ser ave e rato, e lagarto, e pedra, e rio e mar. Vou ser estrangeiro em qualquer lugar, e olhar tudo com toda a força, E perguntar, perguntar… Criação Luis Filipe Silva Cocriação e interpretação Nuno Preto Público-alvo Alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico e Famílias

38


AO LONGO DO ANO

Vale do Minho Ensaios Abertos

Personagens Paralelas Personagens paralelas são as personagens que se descobrem por entre as que sobrevivem no palco. Ou aquelas que se escondem. Ou as que se perdem na ausência de voz. Neste espaço, elas vão ser resgatadas, através da leitura da(s) história(s) que têm para contar. Em paralelo ao processo de criação dos espetáculos em cena.

39


Calendário 2016

JAN Ocupação Minhota Os Doze Pares de França Queima de Judas Remix Atlas da Imaginação Nove’s Fora Dama Pé de Mim 6º Fitavale #Não somos Cactos# Mutantes 3º Doc.com Bolsa de Criação Isabel Alves Costa Deixa-me Ser Personagens Paralelas Conversas de Porta Aberta

40

FEV

MAR


ABR

MAI

JUN

JUL

AGO

SET

OUT

NOV

DEZ

até FEV’17

41


Tânia Alme ida atriz/cria dora

42


43


A programação apresentada poderá estar sujeita a alterações.

Equipa Direção da Associação Vítor Paulo Pereira Pres. Maria Joana Rodrigues Vice-Pres. José Rodrigues Sec. Comissão Artística (Consultiva) Ana Lúcia Figueiredo Cristina Grande Igor Gandra Joana Rodrigues Miguel Honrado Direção Artística João Pedro Vaz Gestão/Produção Pedro Morgado Comunicação Celeste Domingues Projeto Pedagógico Alice Silva Produção/Técnica Vasco Ferreira Apoio Administrativo/ Produção Luís Carlos Silva Atores/Criadores Gonçalo Fonseca Luis Filipe Silva Rui Mendonça Tânia Almeida Sílvia Barbosa (2015-16) Design Gráfico studiodobra.com Fotografia Pedro Lobo Vídeos Promocionais André Martins/Fio Condutor Site LabDesign


45


Promotores

Mecenas

Estrutura Financiada

Parceiros 2016

Platta

Prémios

Prémios Novo

Prémio da

Norte 2010

Crítica 2011

46


47


48