Page 1

R E V I S T A ANO I • EDIÇÃO 1

DISPONÍVEL PARA ANDROID E IOS

PELO BEM COMUM HÁ MAIS DE UMA DÉCADA, A ABRADIMEX PROMOVE UM AMBIENTE SÓLIDO E FAVORÁVEL PARA OS NEGÓCIOS E BOAS PRÁTICAS NA DISTRIBUIÇÃO DE MEDICAMENTOS ESPECIALIZADOS, EXCEPCIONAIS E HOSPITALARES

DIAGNÓSTICOS INDECISÃO E ESPERA

OPINIÃO ANTÔNIO BRITTO

EXCEPCIONAIS FUTURO DO SEGMENTO

PODEM ACABAR

(INTERFARMA)

É PROMISSOR


ÍNDICE

EDITORIAL PREZADO ASSOCIADO E COLEGA DO SETOR, Você, que dedica este tempo para a leitura desta primeira edição da revista Abradimex, certamente deve ter passado pela experiência ou necessidade de utilizar medicamentos especiais e hospitalares em regime de urgência e emergência. Por meio de seus membros, a Abradimex é uma associação que dedica 24 horas do seu dia para atender a essa demanda em tempo, qualidade e proficiência em sua unidade hospitalar, ambulatório, clínica ou unidade de referência. E, mantendo o foco voltado sempre para o paciente crônico ou agudo, enfrentamos desafios técnicos, comerciais e logísticos para bem atender tanto aos grandes centros como também aos confins mais remotos do nosso país de dimensões continentais. Atualmente, temos que superar ainda a situação relativa à segurança patrimonial e à infraestrutura deficitária, entre outros problemas. Hoje, somos 13 empresas de grande e médio porte de capital nacional e estrangeiro, algumas das quais com ações em bolsa. Em cada uma dessas companhias, as regras claras de negócios, adequadas aos padrões de compliance, boa conduta e ética, coadunam com as regras das 100 maiores empresas multinacionais que operam medicamentos em todo o mundo. Buscamos a perenidade nos negócios com clientes públicos, privados e autarquias. Finalizando, sabe quando você solicita aquela medicação que tem que chegar em 24, 12, oito ou até quatro horas para salvar uma vida ou proporcionar mais conforto a um paciente familiar? Com certeza um associado da Abradimex estará lá, entregando o produto com rapidez e qualidade. Nesse momento, o funcionário da farmácia erguerá o telefone e dará a boa notícia: – Doutor, o medicamento já chegou. Essa é a Abradimex. Boa leitura. Marcos Marques, Presidente do Conselho Diretivo da Abradimex.

O e-mail contato@abradimex.com.br está à sua disposição. Esperamos seus comentários, dúvidas, sugestões e críticas.

EXPEDIENTE

Baixe na Apple Store e Google Play em seu celular ou tablet para escanear o código e conferir as edições da Revista Abradimex

06

PANORAMA

10

INOVAÇÃO

14

ARTIGO

18

MATÉRIA DE CAPA

26

TECNOLOGIA

28

LOGÍSTICA

A Revista Abradimex é uma publicação da Associação Brasileira dos Distribuidores de Medicamentos Especiais e Excepcionais. A Revista Abradimex é uma publicação da Editora CMN - DIREÇÃO EXECUTIVA: Alexandre Serpentino, Edison Lopes Bernardo, Tiago Serpentino DIREÇÃO EDITORIAL: Tiago Serpentino EDIÇÃO E JORNALISTA RESPONSÁVEL: Rafael Guedes - MTB 0011210/PR REDAÇÃO: Daniel Sender e Michelle de Geus DIREÇÃO DE ARTE: Raphael Freire REVISÃO: Diogo Coelho ATENDIMENTO: Edison Lopes ADMINISTRAÇÃO: Fabiana Cruz e Julia Cassia COMERCIAL: Tiago Serpentino (19) 97117-7435 - tiago.serpentino@editoracmn.com.br IMPRESSÃO: Gráfica NywGraf. CONTATO Editora CMN - (19) 3583-1251, www.editoracmn.com.br. RELAÇÕES COM A IMPRENSA: redacao@cmnrevistascustomizadas.com.br. A Abradimex não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos assinados, bem como pelas informações ou conteúdo dos anúncios publicados. A reprodução total ou parcial do conteúdo desta obra é expressamente proibida sem prévia autorização.

SETOR DE ESPECIALIZADOS CRESCE UNIÃO EM PROL DO DIAGNÓSTICO

ANTÔNIO BRITTO ABRADIMEX PELO INTERESSE COMUM O PODER DOS SISTEMAS NECESSIDADES ESPECIAIS


Panorama

ESPECIAIS PARA TODOS MOTIVADO PELA AMPLIAÇÃO DO ACESSO, FATURAMENTO DE MEDICAMENTOS ESPECIAIS, EXCEPCIONAIS E HOSPITALARES AUMENTA NOS ÚLTIMOS 12 MESES

Região Norte

DIVISÃO DO MERCADO POR REGIÃO O mercado de medicamentos especializados, excepcionais e hospitalares está dividido da seguinte maneira

4% mercado em vendas

esmo com as flutuações econômicas que afetam o Brasil há quatro anos, o mercado farmacêutico brasileiro se mantém positivo e apresenta bons resultados. De acordo com a empresa Close-Up International, especializada em pesquisa e análise do mercado farmacêutico, de janeiro de 2017 a fevereiro de 2018 foram comercializadas 3,8 bilhões de unidades, e o faturamento ultrapassou a marca dos R$ 70 bilhões. Os números também são animadores no setor de medicamentos especiais, excepcionais e hospitalares, usados no tratamento de doenças crônicas e raras, e que têm como principal característica o uso de alta tecnologia no seu processo de fabricação. No mesmo período, foram vendidas 200 milhões de uni-

M

6

ABRADIMEX EM REVISTA

dades dessa categoria de fármacos, que geraram R$ 21 bilhões em faturamento. Segundo Paulo Paiva, vice-presidente da Close-Up, esses medicamentos são pequenos no tamanho, mas grandes no rendimento. “Trata-se de um segmento importantíssimo para o mercado farmacêutico brasileiro. Apesar de representarem apenas 5% do total de produtos comercializados, eles correspondem a 30% do rendimento”, aponta. A matemática mostra que o mercado de medicamentos especializados está aquecido. Nos últimos 12 meses, houve um aumento de 15% em faturamento e 6% em unidades comercializadas. Na opinião de Paiva, um dos fatores que explicam esse crescimento é a ampliação do acesso – os medicamentos estão

9% mercado em vendas

15% mercado em vendas

55% mercado em vendas

17% mercado em vendas

8% dos hospitais

11% dos hospitais

27% dos hospitais

38% dos hospitais

16% dos hospitais

* Dados da Close-Up Internacional no período de janeiro de 2017 a fevereiro de 2018.


PARTICIPAÇÃO DOS MEDICAMENTOS ONCOLÓGICOS Veja a distribuição dos gastos com medicamentos oncológicos em todo o país

2% dos gastos

Região Nordeste

Região Centro-oeste

Região Sudeste

7% dos gastos

15% dos gastos

55% dos gastos

Região Sul

21%

INOVAÇÃO Outro fator que fez os números su-

FUTURO O vice-presidente da Close-Up enxerga com otimismo o futuro do mercado de medicamentos especiais, excepcionais e hospitalares. “O ano de 2017 foi difícil, mas, mesmo assim, o setor farmacêutico conseguiu crescer. Esse cenário deve se manter em 2018, ainda mais com o início da recuperação da economia”, acredita ele. “Além disso, o mercado de medicamentos especializados é bastante estável e deve se beneficiar com o aumento da capacidade governamental de suprir as demandas da saúde.”

dos gastos

MERCADO INSTITUCIONAL * Dados da Close-Up Internacional no período de janeiro de 2017 a fevereiro de 2018.

chegando a um número cada vez maior de pessoas. “A população não possui acesso direto a esses medicamentos. Eles são disponibilizados por meio de hospitais e clínicas. Por isso é tão importante que eles estejam chegando a quem precisa”, afirma ele, destacando que remédios especializados possuem um custo de fabricação maior do que o de outros produtos e são subsidiados pelo governo.

e junho de 2017, os produtos da área foram responsáveis por 45% do total geral de lançamentos, com 19 novos itens disponíveis no mercado. O diagnóstico e o acesso ao tratamento do câncer são mais comuns em algumas regiões. O Sul e Sudeste, atualmente, concentram 290 mil pacientes tratados com remédios quimioterápicos ou biológicos. Juntos, eles correspondem a 76% dos gastos com esse tipo de fármaco.

birem foram os investimentos em tecnologia e desenvolvimento de novas moléculas. “Essa indústria está muito ligada à inovação, e percebemos que ela vem investindo em biológicos e biossimilares nos últimos anos. Eles já correspondem a uma parcela significativa dos novos produtos lançados. É uma tendência que deve se manter”, analisa Paiva. Na categoria dos medicamentos especiais, excepcionais e hospitalares, a oncologia é o segmento de maior destaque. Entre julho de 2016

Atualmente o Brasil conta com 7.500 hospitais, sendo que 56% deles são públicos e 44% são privados. Estão disponíveis, aproximadamente, 500 mil leitos nesses hospitais. Veja a distribuição deles: • 9% dos hospitais correspondem a 40% dos leitos e possuem alto potencial de investimentos • 31% dos hospitais correspondem a 41% dos leitos e possuem médio potencial de investimentos • 60% dos hospitais correspondem a 20% dos leitos e possuem hospitais de baixo potencial de investimentos. * Dados da Close-Up Internacional no período de janeiro de 2017 a fevereiro de 2018.

ABRADIMEX EM REVISTA

7


Inovação

AGILIDADE NO DIAGNÓSTICO DE

DOENÇAS RARAS MICROSOFT, SHIRE E EURORDIS APOSTAM NA TECNOLOGIA PARA ACELERAR A IDENTIFICAÇÃO DE DOENÇAS RARAS

Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que 400 milhões de pessoas no mundo sejam portadoras de doenças raras. Essas doenças possuem um diagnóstico difícil e, frequentemente, são confundidas com outras enfermidades mais comuns. Enquanto não são corretamente identificadas, elas continuam progredindo e podem até mesmo se tornar debilitantes.

A

10

ABRADIMEX EM REVISTA

O diagnóstico das doenças raras é um desafio. A maioria das pessoas precisa fazer diversas visitas aos médicos antes de saber qual é a sua doença e poder, finalmente, iniciar o tratamento. Para tentar reverter esse quadro, a Organização Europeia de Doenças Raras (Eurordis), a Microsoft e a indústria farmacêutica Shire, líder global em biotecnologia focada em doenças raras, criaram

a Comissão Global para acabar com a odisseia do diagnóstico em crianças. A comissão decidiu se concentrar no público infantil porque mais da metade das doenças raras têm início na infância, e nessa fase é possível evitar que elas gerem complicações. O objetivo do trabalho é aperfeiçoar a capacidade dos médicos de identificar e diagnosticar portadores de doenças raras, dar aos


pacientes e familiares um papel mais ativo no tratamento e propor políticas públicas de saúde mais eficazes. O grupo espera lançar um relatório no início de 2019 com recomendações para o poder público e profissionais de saúde.

ESFORÇOS SOMADOS A ideia da Comissão Global surgiu em 2017. De acordo com Flemming Omskov, diretor executivo da Shire,

DOENÇAS RARAS EM CRIANÇAS A Organização Norte-Americana de Doenças Raras revelou que 50% das pessoas portadores de doenças raras no país são crianças. Além disso, essas doenças são responsáveis por 35% das mortes infantis no primeiro ano de vida no país. Os dados reforçam a necessidade do diagnóstico precoce.

ABRADIMEX EM REVISTA

11


Inovação

a companhia já investia em tecnologia de ponta para oferecer novas soluções aos pacientes que sofrem de doenças raras. “Percebemos depois que, somando os nossos esforços com a capacidade da Microsoft de desenvolver abordagens inovadoras, poderíamos contribuir para diminuir o tempo que se leva para fazer o diagnóstico”, explicou ele à mídia internacional, enfatizando ainda que os pacientes chegam a consultar oito médicos, entre clínicos gerais e especialistas, antes de receber o diagnóstico correto. Essa jornada pelos consultórios costuma durar cinco anos ou mais, um tempo precioso de tratamento que é desperdiçado.

APOIO TECNOLÓGICO De acordo com a OMS, cerca de 80% das doenças raras têm origem

12

ABRADIMEX EM REVISTA

genética. É por isso que os pesquisadores da comissão estão interessados em estudar como as células dos pacientes se comportam e mapear o seu DNA. Para ajudar nesse trabalho, a Microsoft desenvolveu uma ferramenta que simula no computador a atividade celular de pacientes com doenças raras, analisa como elas reagem aos tratamentos, e compara com a atividade celular de pessoas saudáveis. “O programa é capaz de dizer ‘Se você enviar esse medicamento para um paciente com essa combinação genética, esses serão os resultados’”, contou Vivek Puthucode, gerente geral da Microsoft para o setor público, a veículos estrangeiros. Segundo Puthucode, com o apoio da tecnologia os médicos serão capazes de identificar os

casos de doenças raras mais cedo. “O objetivo final é fazer o diagnóstico correto o mais rápido possível, aumentando a qualidade de vida do paciente e minimizando o impacto econômico e social das doenças raras”, destacou. A Microsoft também acredita que o uso de inteligência artificial poderá ajudar a identificar padrões nas doenças raras. De acordo com Puthucode, a tecnologia pode ser uma maneira inteligente de extrair informações da enorme quantidade de dados existentes sobre sinais vitais, demografia e sequenciamento genético. “Se conseguirmos encontrar um padrão, poderemos propor novos tratamentos e desenvolver medicamentos mais eficientes”, afirmou.


Antônio Britto

INTERCAMBIALIDADE DE BIOSSIMILARES COM RAZÃO TÉCNICA E LEGAL, DEFINIU-SE QUE CABERÁ AO MÉDICO EXAMINAR AS CIRCUNSTÂNCIAS E RECOMENDAR UM MEDICAMENTO OU OUTRO A chegada dos medicamentos biossimilares está criando um novo desafio para a prática médica e a gestão da saúde, seja em hospitais públicos ou privados. Erra quem coloca um “x” entre biossimilares e medicamentos biológicos, a exemplo do que ocorreu no passado entre medicamentos genéricos e de referência. Existem diferenças entre os dois momentos. Primeiro, a complexidade do processo produtivo dos biossimilares talvez não resulte em preços tão distintos dos biológicos, como aconteceu com os genéricos. Segundo, precisamos entender quais são as diferenças entre biológicos e biossimilares, com base em critérios técnicos e evidências científicas, pois a intercambialidade entre ambos não será tão simples. No Brasil, já podemos celebrar o primeiro passo, anterior às discussões sobre intercambialidade, mas fundamental para que elas aconteçam. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) elaborou uma regulação que está ganhando notoriedade internacional. Essa regulação oferece uma garantia de segurança para o uso de biossimilares. A partir disso, podemos seguir adiante e discutir a intercambialidade entre biológicos e biossimilares. Não é simples dizer quando um pode ser prescrito no lugar do outro. Por isso, a Anvisa tem adotado a postura do que podemos chamar de “nem sempre, nem nunca”. Ou seja, nenhum medicamento

14

ABRADIMEX EM REVISTA

biossimilar é obrigatoriamente intercambiável, nem definitivamente proibido de ser intercambiável. Com absoluta razão técnica e legal, a agência definiu que caberá ao médico examinar as circunstâncias e recomendar um medicamento ou outro, sem preconceito entre eles. No setor privado, o paciente consultará um médico particular e receberá as orientações sobre as opções de tratamento. Quem buscar o Sistema Único de Saúde (SUS) talvez vivencie outra história. Isso porque o Ministério da Saúde (MS) está fazendo uma simplificação perigosa ao usar apenas o critério financeiro como decisivo para a escolha das terapias. De forma contraditória, o governo elabora regulamentações que admitem a complexidade da escolha entre biológicos e biossimilares, e remete à decisão ao médico. Ao mesmo tempo, o Ministério da Saúde e os governos estaduais promovem a tentativa de igualar medicamentos e pacientes desiguais, restringindo as opções terapêuticas. Entendemos que os médicos devem assumir o protagonismo nessa questão. Esperamos que toda a classe médica se preocupe com o tema, para que a consolidação dos biossimilares no Brasil siga ganhando notoriedade internacional, assim como já tem acontecido com a regulação do segmento. ANTÔNIO BRITTO, presidente-executivo da Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma).


ANÚNCIO


Capa

UNIDOS PELO INTERESSE

COMUM ALÉM DE PROMOVER O DIÁLOGO ENTRE OS ATORES DO SEGMENTO E AS ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS, A ABRADIMEX BUSCA OS MELHORES RESULTADOS PARA OS CLIENTES E A POPULAÇÃO ideal de promover um ambiente estável, seguro e propício para as boas práticas e negócios no setor dos medicamentos especiais, excepcionais e hospitalares é o que deu origem, no ano de 2007, à Associação Brasileira dos Distribuidores de Medicamentos Especializados e Excepcionais (Abradimex). Entidade representativa de abrangência nacional, a Abradimex reúne 13 distribuidoras que atuam em profunda cooperação para favorecer o diálogo entre os atores do segmento e as entidades privadas e governamentais da área de saúde. “A Abradimex acredita que, em

O

18

ABRADIMEX EM REVISTA

conjunto com seus associados, pode atuar de forma diferenciada no mercado dos medicamentos de alta complexidade, estabelecendo diretrizes concretas baseadas em ética, relevância, responsabilidade, comprometimento e seriedade”, afirma o presidente-executivo da entidade, Paulo Maia.

INTERESSE COMUM Na visão de Roger Vallim, economista e secretário-executivo da associação, a Abradimex tem como missão tornar o segmento mais competitivo, de modo que os interesses da cadeia sejam priorizados e tratados em conformidade com

o cumprimento das normas legais e diretrizes regulamentares. “Um dos aspectos mais importantes da Abradimex é a promoção do interesse comum em discussões que consideramos cruciais para o segmento, como as legislações fiscais e tributárias, e a representação junto aos órgãos governamentais e outras associações do setor”, explica. Ex-secretário executivo da entidade, Luis Liveri reforça a atuação da Abradimex em prol do bem comum e destaca que uma das principais bandeiras da associação é o compromisso com a qualidade. “Nós sempre trabalhamos para unir a classe e buscar interesses comuns


AS BOAS PRÁTICAS DE MERCADO QUE BUSCAMOS PROMOVER, EM CONJUNTO COM OS VALORES QUE TEMOS POR BASE, RESULTAM EM MELHORES SERVIÇOS PARA OS NOSSOS ASSOCIADOS E PARA A POPULAÇÃO PAULO MAIA, PRESIDENTE-EXECUTIVO DA ABRADIMEX para o setor, visando a sustentabilidade e, mais do que tudo, o acesso ao medicamento. Entre as principais bandeiras da Abradimex, está a garantia de que hospitais, clínicas e governo comprem medicamentos de empresas credenciadas, que tenham todas as suas licenças emiti-

das pelos órgãos reguladores.” Maia observa que a representatividade oferecida pela associação perante os elos da cadeia farmacêutica e as entidades governamentais cria um cenário favorável para o segmento e para a população. “As boas práticas de mercado que buscamos

promover, em conjunto com os valores que temos por base, propiciam a união entre as distribuidoras e os atores do segmento, resultando em melhores serviços para os nossos associados e também para a população que depende dessa variedade medicamentosa”, acrescenta.

UMA DAS PRINCIPAIS BANDEIRAS DA ABRADIMEX É A GARANTIA DE QUE HOSPITAIS, CLÍNICAS E GOVERNO COMPREM MEDICAMENTOS DE EMPRESAS CREDENCIADAS, COM LICENÇAS EMITIDAS PELOS ÓRGÃOS REGULADORES LUIS LIVERI, EX-SECRETÁRIO EXECUTIVO DA ABRADIMEX

ABRADIMEX EM REVISTA

19


Capa

UM DOS ASPECTOS MAIS IMPORTANTES DA ABRADIMEX É A PROMOÇÃO DO INTERESSE COMUM EM DISCUSSÕES QUE CONSIDERAMOS CRUCIAIS PARA O SEGMENTO ROGER VALLIM, SECRETÁRIO-EXECUTIVO DA ABRADIMEX

PONTO DE REFERÊNCIA O setor dos medicamentos de alta complexidade passa por uma fase de crescimento e consolidação em todo o mundo – e no Brasil não é diferente. Isso exige um nível cada vez maior na qualidade dos serviços e na diferenciação de mercado. Na avaliação de Vallim, é importante ter uma nova visão sobre as melhores práticas de mercado. “Tornase cada vez mais necessário acompanhar o desenvolvimento exigido para o setor e, nesse contexto, a Abradimex tem o importante papel de promover e levar a cabo essa mudança”, destaca. Maia acredita que a adaptação aos novos tempos se tornará

20

ABRADIMEX EM REVISTA

mais necessária nos próximos anos e exigirá um aporte maior de tecnologia para que a cadeia permaneça integrada. “A necessidade de recursos para que as implementações necessárias ocorram será um grande tema no futuro próximo, uma vez que as margens atuais não comportam tais avanços”, aponta ele, ressaltando ainda que a Abradimex terá um papel importante nesse cenário. “A associação se tornará um ponto de referência para o setor, buscando elaborar e orquestrar ações que promovam resultados cada vez mais expressivos para toda a cadeia”, analisa.

RAIO-X Atualmente, a Abradimex é composta por 13 associados: Biohosp, D-Hosp, Elfa, Expressa, FGFarma, Hospifar, Jaw, Mafra, MedComerce, Oncoprod, Profarma Specialty, ProHosp e Victória. A entidade distribui medicamentos especializados, excepcionais e hospitalares para mais de 20 mil empresas, entre hospitais, clínicas e órgãos governamentais. De acordo com dados da consultoria IQVIA, as distribuidoras associadas vêm crescendo rapidamente a cada ano. Em 2017, a participação delas cresceu 14,8% no canal institucional.


Mercado

MAIS FORTE A CADA ANO MESMO COM ALTOS CUSTOS DE OPERAÇÃO E ENTRAVES BUROCRÁTICOS, SETOR DE MEDICAMENTOS ESPECIALIZADOS, EXCEPCIONAIS E HOSPITALARES CRESCE NO PAÍS s medicamentos especializados, excepcionais e hospitalares possuem fórmulas complexas, passam por um processo delicado de elaboração e são fabricados com tecnologia de ponta. Geralmente prescritos para doenças severas como o câncer e condições neurodegenerativas, eles podem ser encontrados apenas em hospitais e farmácias próprias, que são capacitadas para atender a demandas que exigem cuidados especiais. De acordo com Antônio Britto, presidente-executivo da Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma), esses remédios se distinguem, principalmente, pela complexidade. “Essas drogas são fruto do avanço tecnológico que ocorre no segmento, abrangendo desde as drogas sintéticas de altíssima complexidade até as medicações biológicas e biossimilares que estão chegando no mercado”, explica.

O

CUIDADOS Segundo o presidente-executivo da Associação Brasileira dos Distribui-

22

ABRADIMEX EM REVISTA

dores de Medicamentos Especiais e Excepcionais (Abradimex), Paulo Maia, as características dos medicamentos especiais fazem com que o segmento seja altamente especializado, já que existem muitos pré-requisitos para se lidar com os produtos, que podem chegar a custar até R$ 15 mil. “Cada droga exige um cuidado específico destinado apenas a ela, o que envolve seu transporte, conservação e armazenamento. E tudo isso precisa ser feito nos mínimos detalhes, conforme a orientação indicada pelo fabricante”, aponta. Em virtude dos cuidados exigidos, o segmento conta com poucas distribuidoras e farmácias capacitadas para fazer o transporte, armazenamento e comercialização dos produtos. O principal comprador de medicamentos especializados é o governo federal, que adquire a variedade para os programas de saúde pública do Sistema Único de Saúde (SUS) e das Secretarias de Saúde de todo o país. No âmbito privado, os maiores compradores são represen-

POTENCIAL DE MERCADO De acordo com dados da Interfarma, aproximadamente 13 milhões de brasileiros sofrem de doenças raras, sendo que 80% têm origem genética e o restante possui causas infecciosas, virais ou decorrentes de síndromes degenerativas. Quase a totalidade dos tratamentos para essas condições acontece por meio de medicamentos paliativos e serviços de reabilitação. Apenas 2% dos casos são tratados com os chamados medicamentos órfãos, capazes de interferir na progressão da doença.

tados, principalmente, por hospitais, clínicas, planos de saúde e Organizações Sociais de Saúde (OSS).

MERCADO Enquanto em países como os Estados Unidos os medicamentos especializados já correspondem a um terço de todas as unidades comercializadas


PRINCIPAIS DOENÇAS E CONDIÇÕES QUE EXIGEM MEDICAMENTOS ESPECIALIZADOS Insuficiência renal crônica Hemofilia Anemia falciforme Câncer Psoríase Artrite reumatoide Doença de Parkinson Endometriose Epilepsia Hepatite autoimune Hepatite viral crônica B Hepatite C Hipotireoidismo congênito Osteoporose Diabetes insípido Esclerose múltipla Esquizofrenia refratária Puberdade precoce Hipertensão arterial pulmonar

O MERCADO DE SAÚDE É MUITO ATRATIVO, MAS HÁ A NECESSIDADE DE REINVENTAR O MODELO DE NEGÓCIOS PARA GARANTIR SUSTENTABILIDADE, CRESCIMENTO CONFORME AS INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS E ATENDIMENTO ÀS DIRETRIZES GOVERNAMENTAIS LEONARDO CAMPOS, DIRETOR DE ESTRATÉGIA E COMUNICAÇÃO DA ABRADIMEX anualmente, no Brasil o segmento ainda têm bastante espaço para crescer. Apesar disso, em 2017 as vendas das distribuidoras associadas à Abradimex tiveram um aumento de 14,8% acima da média do segmento farmacêutico, segundo dados da consultoria IQVIA. “Mesmo com todos os desafios, que envolvem altos custos de operação, além de aspectos burocráticos e legais, o segmento vem se expandindo e se consolidando a cada ano”, observa Maia. Diretor de Estratégia e Comunicação da Abradimex, Leonardo Campos

acredita que o mercado de saúde no Brasil é “muito atrativo”, mas destaca a necessidade de reinventar o modelo de negócios do setor para garantir sustentabilidade, crescimento conforme as inovações tecnológicas e atendimento às diretrizes governamentais. “A falta de profissionais, a distribuição desigual de recursos médicos, o subfinanciamento do governo, a alta carga tributária e o crescimento de alternativas de planos privados indicam que há muito a se fazer. Diante da complexidade do cenário, existe a oportunidade de evoluir o modelo de negócios

e também a estrutura de distribuição hospitalar”, indica. Para Britto, a maior disponibilidade de medicamentos biológicos e biossimilares, que deverão se tornar mais acessíveis para a população, será um dos pilares do avanço do segmento nos próximos anos. “A discussão que temos acompanhado atualmente, sobre a intercambialidade dos medicamentos especializados, biológicos e biossimilares, pode trazer ótimos resultados para o segmento, caso os órgãos competentes tomem as decisões corretas sobre sua regulamentação”, declara.

ABRADIMEX EM REVISTA

23


Tecnologia

MAIS POTÊNCIA NA DISTRIBUIÇÃO SISTEMAS INFORMATIZADOS AUMENTAM A PRODUTIVIDADEE E PODEM ATÉ TRIPLICAR A CAPACIDADE DE EXPEDIÇÃO DE PRODUTOS UTOS erenciar um Centro de Distribuição (CD) representa um desafio em qualquer setor. Mas, quando se trata de medicamentos especiais, excepcionais e hospitalares, esse desafio é ainda maior, pois os produtos precisam ser armazenados em condições específicas, com refrigeração e atmosfera controladas. Há diversas normas técnicas complexas que devem ser seguidas para que o medicamento não sofra nenhuma alteração em

G

26

ABRADIMEX EM REVISTA

sua composição – o que reduziria a sua eficácia e até poderia prejudicar a saúde do paciente. Na visão de Marco Antônio Salvo, consultor nacional da Sankhya, os sistemas informatizados são uma excelente opção para quem deseja gerir o CD sem surpresas desagradáveis. “Os sistemas informatizados garantem que todos os procedimentos necessários sejam rigorosamente obedecidos, evitando perdas de lotes inteiros de medicamentos”, explica.

Nesse quesito, o que existee de mais res do semoderno para distribuidores temas de tor são os chamados Sistemas Gerenciamento de Armazéns, conhecidos pela sigla em inglês WMS (Wholesale Management System). De acordo com Salvo, eles reduzem erros, melhoram a qualidade do trabalho e aumentam a velocidade da execução das tarefas. “Algumas empresas conseguem dobrar e até triplicar a sua capacidade de expedição de produtos no mesmo ar-


mazém com o uso do WMS”, indica ele, mencionando o caso de um distribuidor que expedia cerca de 350 pedidos por dia e que em dois anos passou a expedir 1.100 pedidos por dia usando um software.

OUTROS BENEFÍCIOS Ronan Maia, vice-presidente de Distribuição e Varejo da TOTVS, observa que uma consequência importante do uso de sistemas é o aumento da competitividade. “Os softwares ajudam o distribuidor a evitar a falta de produtos pro no estoque e desvios de merca mercadorias, aumentando a eficiência e a competitividade da empresa”, ap aponta ele, acrescentando que essas ferramentas auxiliam na programa gramação de entrega das mercadorias, ev evitam prejuízos relacionados à perda da validade e garantem que os pro produtos sejam entregues dentro do prazo. Elas ainda oferecem a opçã opção de rastrear os lotes de medicam dicamentos. Um dos softwares de gestão de estoque empregados pela TOTV segundo Maia, é o WinThor TOTVS, Medic Medicamentos. “Com a ferramenta, os distribuidores podem separar produt por tipo de medicamento, produtos contro alvarás de clientes e fornecontrolar cedore integrar seus sistemas com cedores, entida entidades do setor, entre outros benefício exemplifica. nefícios”,

OS SISTEMAS INFORMATIZADOS IMPEDEM A FALTA DE PRODUTOS NO ESTOQUE E DESVIOS DE MERCADORIAS, AUMENTANDO A EFICIÊNCIA E A COMPETITIVIDADE DA EMPRESA RONAN MAIA, VICE-PRESIDENTE DE DISTRIBUIÇÃO E VAREJO DA TOTVS

ABRADIMEX EM REVISTA

27


Distribuição

LOGÍSTICA ESPECIAL PARA PRODUTOS ESPECIAIS GERENCIAMENTO DE MEDICAMENTOS ESPECIAIS EXIGE DIFERENCIAIS TECNOLÓGICOS E CUIDADOS PRÓPRIOS s medicamentos especializados, excepcionais e hospitalares possuem necessidades igualmente especiais em sua cadeia logística, já que muitas vezes os profissionais do setor lidam com substâncias de alta complexidade e extremamente sensíveis às condições do ambiente. Por conta disso, a variedade exige processos totalmente integrados em sua cadeia de distribuição, transporte e armazenagem, para que

O

28

ABRADIMEX EM REVISTA

não ocorram rupturas que causem a degradação dos produtos.

EXATIDÃO Nos processos logísticos, a utilização dos meios de transporte aéreos ou terrestres com capacidade de refrigeração contínua acaba se tornando essencial, pois muitos dos produtos são de extrema sensibilidade em relação aos seus parâmetros de armazenamento e podem perder sua eficácia caso

sofram variações de temperatura. Presidente-executivo da Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma), Antônio Britto afirma que a exatidão envolvida nos procedimentos de transporte e armazenamento de medicações complexas é um diferencial do segmento. “A cadeia de medicamentos de alta tecnologia é um ponto delicado, pois eles exigem um tratamento especial em todos os ínterins do processo”, explica.


NOS PROCESSOS LOGÍSTICOS, A UTILIZAÇÃO DOS MEIOS DE TRANSPORTE COM CAPACIDADE DE REFRIGERAÇÃO É ESSENCIAL, POIS MUITOS DOS PRODUTOS SÃO DE EXTREMA SENSIBILIDADE EM RELAÇÃO AOS SEUS PARÂMETROS DE ARMAZENAMENTO E PODEM PERDER A EFICÁCIA CASO SOFRAM VARIAÇÕES DE TEMPERATURA.

SISTEMAS Na logística de medicamentos especializados, excepcionais e hospitalares, cada variedade medicamentosa necessita de uma forma própria de armazenamento, com proteção térmica por meio de caixas em EPS (isopor) elaboradas para

atender às necessidades específicas de cada fabricante e produto. Além disso, os medicamentos precisam estar perfeitamente identificados por meio de um sistema de rastreamento em que constem todos os dados pertinentes, evitando que ocorram sinistros no processo.

Para atender a essas exigências, muitas distribuidoras estão buscando a implantação de sistemas de rastreamento por meio de chips. Eles são capazes de armazenar o histórico do transporte e temperatura durante toda a jornada, desde a indústria até o revendedor final.

ABRADIMEX EM REVISTA

29


Parceiro

EDITORA OFERECE KNOW-HOW PARA FAZER A DIFERENÇA NO RELACIONAMENTO COM PARCEIROS E CLIENTES CMN Content Marketing é uma editora especializada em publicações corporativas customizadas. Com mais de 15 anos de atuação, conta em seu portfólio com clientes de toda a cadeia de consumo (indústria, distribuição, varejo, serviços, entidades classistas) e variados segmentos: • Farmacêutico: Abradimex, IQVIATM, Plena, Extrafarma, entre outros; • E mais: arquitetura e decoração; fitness; mercado pet; supermercadista; variedades; infantil; agropecuário; de educação; de gastronomia, entre outros.

A

A editora produz revistas customizadas para empresas de pequeno, médio e grande porte. Oferecemos custo reduzido para os nossos clientes terem acesso à revista pronta, sem se preocupar com o processo de criação, produção e gráfica. Com excelente qualidade editorial, as publicações da CMN abrangem um universo que vai ao encontro dos desejos e anseios do cliente. O conceito de customizar refere-se a personalizar, fazer sob medida, adaptar a determinado público. As revistas customizadas oferecem conteúdo específico e direcionado para cada objetivo. O leitor encontra matérias, artigos e anúncios voltados para o seu universo, aquilo que é do seu interesse. Fator relevante é o custo acessível, se comparado a outras mídias tradicionais. A CMN entrega a revista pronta, desde a concepção do projeto até as mãos do lei-

30

ABRADIMEX EM REVISTA

IMPRESSÃO QUE O LEITOR TEM DAS REVISTAS Leem toda a publicação

33%

77%

Leem 1/4 ou mais da publicação

43 minutos Tempo de leitura

79% Querem continuar recebendo as publicações

82% Acham as publicações atraentes e com apresentação profissional

75% Acham as publicações confiáveis

Contato Comercial Tiago Serpentino (19) 97117-7435 tiago.serpentino@editoracmn.com.br www.editoracmn.com.br

tor. A editora cuida de todas as etapas do processo: da definição dos objetivos, passando pela modelagem das linhas gráfica e editorial, escolha das pautas, direção de arte, controle de qualidade na impressão, logística, apoio na distribuição e na captação de recursos. Com uma revista customizada, é possível oferecer espaço para fidelizar grandes clientes corporativos, conquistar novos parceiros, divulgando sua marca, estreitar laços com fornecedores e ampliar ainda mais a rede de relacionamento. Por exemplo: um distribuidor de medicamentos decide fazer uma parceria com uma indústria. Por um lado, o distribuidor tem seus projetos divulgados em uma revista própria, por outro, a indústria ganha em divulgar seu produto direto no PDV (ponto de venda). O resultado revela incremento nos negócios e fidelização dos clientes. Como vivemos em um mundo globalizado, com fortes tendências virtuais, complementamos cada edição compartilhada nos meios digitais, produzindo links para os clientes, além de apps, que podem ser distribuídos para os leitores. Tudo isso é pensado para que você divulgue sua marca e alcance o maior número de inserções em cada publicação. Hoje em dia, temos orgulho de afirmar que mais de 150 empresas de todo país, além de 11 países da América Latina, publicam nossas revistas customizadas, veiculadas em diferentes idiomas. CMN, conteúdos que conectam marcas e pessoas!


Notas

MERCADO ONCOLÓGICO BRASILEIRO Dados da IQVIA apontam que, de março de 2017 a fevereiro de 2018, quase 475 mil pacientes foram tratados ou reembolsados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em tratamentos oncológicos, a um custo de mais de R$ 2,5 bilhões. Em geral, os pacientes são idosos, pois já tiveram uma exposição prolongada aos fatores de risco durante a vida e também porque o envelhecimento provoca alterações nas células, aumentando sua predisposição ao crescimento desordenado. Quanto aos tipos mais comuns, apenas os cânceres de mama e próstata somam juntos 58% do total de tratamentos. O câncer já aparece na maioria dos municípios como a patologia que mais faz vítimas. A Abradimex desempenha um importante papel na distribuição desse mercado, representando 36% do setor em R$PF no MAT Março 2018, com alta participação, principalmente, nas regiões Sudeste e Norte. RELEVÂNCIA DA ABRADIMEX NO MERCADO TOTAL DE ONCOLOGIA

Abradimex

36%

PARTICIPAÇÃO DA ABRADIMEX POR REGIÃO – ONCOLOGIA %

42%

Sudeste

34% 34%

Sul Nordeste Outros

64%

CRESCIMENTO EM R$PF ONCOLOGIA %

Centro Oeste Norte

15%

Mercado

33%

Abradimex

21% 41%

Outros

TOP 7 NO MERCADO ONCOLÓGICOS

7%

Mercado

RKG

Laboratórios

Produtos

1

Roche

Herceptin

2

Roche

Avastin

3

Roche

Mabthera

4

BMS

Opdivo

5

Eurofarma

Oxaliplatina MG

6

AstraZeneca

Zoladex LA

7

Janssen Cilag

Zytiga

Fonte: IQVIA – MAT MARÇO 2018 – R$PF

PADRÃO MODERNO E RIGOROSO ENTRE A INDÚSTRIA E O PACIENTE

Fundado em 1989, em João Pessoa (PB), o Grupo Elfa evoluiu de uma empresa familiar para uma potência nacional com aspirações latino-americanas. Inicialmente focada na distribuição de medicamentos especiais, hoje a companhia define seu trabalho como “soluções em saúde, a serviço da vida”. Desde 2015, três outras empresas foram incorporadas ao grupo: a Cirúrgica Jaw, a Cristal Pharma – que foi a responsável por introduzir a Elfa no mercado dos genéricos – e a Majela Medicamentos. Com o tempo, a Elfa realizou sua entrada no mercado de serviços por meio do GTPlan, que faz a gestão de parte do estoque do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo (SP), e da Central Elfa de Apoio ao Paciente (CEAP), que se propõe não só a entregar, mas a realizar a gestão do medicamento destinado ao paciente crônico que é tratado em casa. A maior missão da empresa é ser uma conexão estratégica entre a indústria e o paciente.

32

ABRADIMEX EM REVISTA

O Grupo D-Hosp atua na área de distribuição de medicamentos de alta complexidade, contando com um grande acervo de clientes no segmento de medicamentos especiais, oncológicos, hospitalares e medical device. Fundada em 1974, hoje a empresa dispõe de um moderno e rigoroso padrão de qualidade em seus serviços. Como resultado desse tratamento responsável do produto, todos os processos de medição e monitoramento são validados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com Certificado de Boas Práticas de Armazenagem e Distribuição. Para saber mais sobre o grupo, acesse o site: www.dhosp.com.br Para conhecer a sua farmácia virtual, acesse: www.dhmedicamentos.com.br.


Notas

O DIFERENCIAL DA GOVERNANÇA CORPORATIVA Em um cenário econômico marcado pela escassez de crédito, queda no consumo e alta concorrência, a governança corporativa é uma ferramenta essencial para levar competitividade às empresas. Integrante do Grupo Hospfar, a Hospfar Indústria e Comércio de Produtos Hospitalares é um exemplo de profissionalização da gestão. O processo teve início em abril de 2016 e a mudança preparou a empresa para uma nova fase de crescimento. O Grupo Hospfar acredita que, de modo geral, o sucesso é resultado da consolidação de princípios como meritocracia, transparência, equidade, prestação de contas, conformidade e responsabilidade corporativa.

EXCELÊNCIA E INOVAÇÃO NA SAÚDE Desde 2001, a Prohosp Distribuidora de Medicamentos realiza atendimento especializado da classe médica e dos agentes do mercado da saúde, com unidades no Rio de Janeiro, Paraná e Minas Gerais. A companhia se compromete a oferecer soluções inovadoras e levar excelência e inovação nos cuidados com a saúde aos seus clientes – hospitais, clínicas, órgãos públicos, laboratórios de análises clínicas, profissionais de saúde, fundações, universidades, serviços de diagnóstico por imagem e oftalmológicos. Com equipe multidisciplinar, a Prohosp busca o melhor desempenho em suas relações, disponibilizando atendimento técnico por meio de profissionais treinados e altamente qualificados. A empresa possui um processo de entrega rápido e eficiente em todo o Brasil por meio de transportadoras rastreadas, vias aérea e terrestre. Além de todo o armazenamento ser certificado pelas maiores multinacionais do mercado farmacêutico, o despacho recebe rígido controle desde a embalagem até a aferição de temperatura.

BIOHOSP: DISTRIBUIR SAÚDE À VIDA Sediada em Belo Horizonte (MG), a BioHosp nasceu de um sonho de empreendedores que decidiram colocar os seus conhecimentos e experiências em um negócio próprio. Em abril de 1998, a empresa veio à luz para tornar-se uma das mais importantes distribuidoras de medicamentos e materiais médico-hospitalares do Brasil. Em 2009 foi aberta a filial na cidade do Rio de Janeiro (RJ). A BioHosp trabalha com Medicamentos Hospitalares, Oncológicos, Biológicos, Hemoderivados, Oftálmicos, Radiológicos, Transplantes, Farmácia Básica, Termolábeis e outros. Na área de materiais médico-hospitalares temos Indicadores para Esterilização, Campos e Placas Cirúrgicas Descartáveis, Curativos, Bolsas de Estomia e seus Acessórios, Tiras Reagentes para Glicemia, Bomba de Infusão de Insulina e seus Insumos, Dispositivos Médicos de Segurança, Materiais Descartáveis para CME e Centro Cirúrgico. Atendemos Hospitais, Clínicas, Home Care, Laboratórios de Análises, Centros de Imagem, Órgãos Públicos, Fundações de Saúde, Drogarias e Cirúrgicas. Saiba mais: www.biohosp.com.br ou 0800 283 0080.

34

ABRADIMEX EM REVISTA

GARANTIA DE AGILIDADE Com 22 anos de história, a Mafra Hospitalar é uma distribuidora de materiais hospitalares, vacinas, e medicamentos oncológicos e importados. Além de toda a linha de referência em medicamentos, a companhia conta com um amplo mix de materiais hospitalares, somando mais de 8 mil SKUs (em inglês, “Stock Keeping Unit”, geralmente traduzido como “Unidade de Manutenção de Estoque”) ao todo. Para atender com qualidade e excelência a seus mais de 7.000 clientes em todo o território nacional, a Mafra dispõe de 11 centros de distribuição, além de frota própria com mais de 200 veículos, que possibilitam que as entregas sejam realizadas em até 24 horas.


REVISTA ABRADIMEX  
REVISTA ABRADIMEX