Page 1

Câmara Municipal do Montijo


A 7.ª Arte em destaque nos 60 Anos de Cinema-Teatro Joaquim d’Almeida No ano em que se comemoram os 60 anos de abertura da Casa Maior da Cultura Montijense, o CinemaTeatro Joaquim d’Almeida apresenta o ciclo de cinema FILMES DO MUNDO. A programação integra uma seleção de filmes nomeados e premiados em célebres festivais internacionais, que habitualmente circulam fora dos grandes circuitos comerciais e por isso mesmo têm um acesso mais limitado por parte do grande público. Asseguramos com este ciclo de cinema o acesso dos montijenses à cultura cinematográfica dos quatro cantos do Mundo, num dos espaços culturais da cidade com maior tradição para a fruição da 7.ª Arte. Da Palestina à Noruega, passando pelo Brasil, Japão, Espanha Austrália, França, Alemanha, Índia e Portugal, entre Janeiro e Novembro teremos drama, comédia, romance, terror e documentário no nosso Cinema-Teatro. Será um prazer contarmos consigo para estas noites de cinema e para as comemorações dos 60 Anos do Cinema-Teatro Joaquim d’Almeida, que ao longo do ano terá ainda muito mais para oferecer. Venha assistir. Sinta-se em casa. O Presidente da Câmara Municipal de Montijo

Nuno Ribeiro Canta


1957 - Cinema-Teatro Joaquim d’Almeida | Fotografia: Estúdio Horácio Novais | Biblioteca da Fundação Calouste Gulbenkian


No ano em que se comemoram os 60 anos da abertura do Cinema-Teatro Joaquim d’Almeida Montijo começa uma nova fase da programação que viaja pelos 4 cantos do mundo.

Distribuição:

1957 - Cinema-Teatro Joaquim d’Almeida | Fotografia: Estúdio Horácio Novais | Biblioteca da Fundação Calouste Gulbenkian


Um filme de Hany Abu-Assad com Adam Bakri, Waleed Zuaiter e Leem Lubany Género Drama | País Palestina | Duração 96’ | 2014 Festivais e Prémios Festival de Cannes – Prémio do Júri Óscares – Nomeado para Melhor Filme Estrangeiro

CINEMA // M/12// 3€


2017

27jan.

sex. 21h30

OMAR

Omar está habituado a esquivar-se das balas de vigilância, para galgar o muro de separação, para visitar a sua amada secreta, Nadia. Mas a Palestina ocupada não sabe o que é nem amor simples, nem guerra clara. Do outro lado do muro, Omar, o jovem pasteleiro sensível, torna-se num combatente da liberdade que tem de enfrentar escolhas dolorosas em relação à vida e à idade adulta.

Desde cedo que OMAR revela a intenção de contar uma história no seio do conflito israelo-palestiniano. Mas a fita tem coragem para ser muito mais que isso, nomeadamente uma história de amor (...) Hany Aby-Assad encontra o tom certo. Time Out OMAR chega às salas portuguesas na altura certa, para ajudar os espectadores a compreender a extensão da tragédia palestiniana. Amor, lealdade, suspeita, patriotismo, valores familiares, sentimentos pessoais e interesses políticos misturem-se neste enredo tenso e realista - Diário de Notícias Um retrato íntimo, intenso e perturbante, das relações entre israelitas e palestinianos. - RTP Um filme palestiniano comprometido, mas não maniqueísta, que sabe jogar com as complexidades e ambiguidades dos homens e da política. – Serge Kaganski, Les Inrockuptibles Com OMAR, Hany Abu-Assad reencontra o filão do seu começo: suspense e reflexão, efeitos de cinema e política. Um número de equilibrista bem executado. – Frédéric Strauss, Télérama


Um filme de Anna Muylaert com Regina Casé, Antonio Abujamra, Helena Albergaria Género Comédia | País Brasil | Duração 111’ | 2015 Festivais e Prémios Festival de Berlim – Prémio do Público Festival Sundance – Prémio do Júri

CINEMA // M/12// 3€


2017

24 fev.

sex. 21h30

QUE HORAS ELA VOLTA? Val é o tipo de empregada interna que leva o seu trabalho muito a sério. Usa a sua farda de criada impecavelmente engomada, enquanto serve canapés perfeitos; trabalha de manhã à noite ao serviço dos seus patrões abastados de São Paulo, cuidando também com amor do seu filho adolescente, que criou desde bebé. Tudo e todos estão no lugar certo nesta casa elegante até ao dia em que Jessica, a filha ambiciosa e inteligente de Val, regressa da cidade natal para fazer os exames de entrada na universidade. A presença confiante e jovial de Jessica vem destruir o equilíbrio de poder mudo, mas estrito existente naquela.

“Simultaneamente drama estival, reflexão sobre a educação e declaração de amor à juventude brasileira, esta hábil interrogação sobre os mecanismos de servidão é também uma história cheia de reviravoltas, que deve muito à sua actriz Régina Casé, memorável enquanto ama que silenciou durante demasiado tempo os seus desejos.” - Première “Com o seu olhar matreiro e o seu sorriso firme como uma muralha, Regina Casé é uma Val de uma bondade desarmante, que gostamos particularmente de ver molhar os pés em plena noite na piscina dos patrões... por fim liberta.” - Télérama “[O filme] disseca com uma precisão cirúrgica e um humor acutilante temas como a diferença de classes, o amor de uma mãe versus o de uma ama e, ainda, a possibilidade de questionar ou de mudar os privilégios eo rumo de cada um.” - The Hollywood Reporter


Um filme de Naomi Kawase com Masatoshi Nagase, Kirin Kiki, Miyoko Asada, Etsuko Ichihara, Miki Mizuno, Kyara Uchida Género Drama | País Japão | Duração 113’ | 2015 Festivais e Prémios Festival de Cannes – Un Certain Regard Festival de Toronto – Selecção Oficial Mostra Internacional de São Paulo - Prémio do Público para Melhor Ficção Internacional Semana Internacional de Cine de Valladolid – Melhor Realizador Asia Pacific Screen Awards – Melhor Actriz

CINEMA // M/12// 3€


2017

24 mar.

sex. 21h30

UMA PASTELARIA EM TÓQUIO An [título original]

Sentaro gere uma pequena pastelaria de dorayakis – uma especialidade japonesa que consiste em duas panquecas recheadas com doce de feijão (“an”, no original). Quando Tokue, uma senhora com cerca de 70 anos, se oferece para trabalhar na pastelaria de Sentaro, ele aceita com relutância. No entanto, Tokue rapidamente prova que a sua receita de “an” é mágica. Graças à sua receita secreta, o negócio de Sentaro floresce rapidamente… Com o tempo, Sentaro e Tokue abrem os seus corações, e desenvolvem uma relação de amizade que vai revelando também algumas feridas do passado. “A arte da gastronomia não se aprende verdadeiramente senão na intimidade partilhada pelos corpos sobre os fogões, nos murmúrios sibilinos, e nos encontros que alimentam o coração.” - Le Monde “Todas as cenas na pastelaria entre as três personagens são belíssimas, cativantes e emocionantes. A sobriedade da cineasta é saborosa.” - Le Nouvel Observateur “Esta elegância do filme opõe-se à brutalidade da sociedade que retrata Naomi Kawase. A cineasta conta-nos a violência surda deste mundo delicado.” - Positif “Retomando os temas que lhe são caros – a natureza e a partilha -, a cineasta japonesa Naomi Kawase, após o notável ‘A Quietude da água’ (2014), propõe-nos uma delicada crónica em torno de três Robinsons, três náufragos da vida nas suas ilhas urbanas.” Paris Match “Estas ‘delícias” deixam-se apreciar sem desprazer.” - Cahiers du Cinéma “O novo filme da autoria de ‘Shara’ retrata muito bem o Japão contemporâneo e a transmissão do saber e do gosto. Um belo gesto.” - Les Inrockuptibles


Um filme de Michael Sturminger com John Malkovich, Miah Persson, Veronica Ferres, Florian Boesch, Anna Prohaska, Barbara Hanningan, Kate Lindsey, Topi Lehtipuu, Jonas Kaufmann, Victoria Guerra, Maria João Bastos, Maria João Luís, Ana Maria Pinto e Miguel Monteiro Género Drama | País Portugal | Duração 118’ | 2014 Festivais e Prémios Festival de San Sebastián Lisbon & Estoril Film Festival

CINEMA // M/14// 3€


2017

28 abr.

sex. 21h30

VARIAÇÕES DE CASANOVA Casanova Variations [título original]

“Viva la libertà!” Sozinho na sua mansão isolada, Giacomo Casanova clama e depois desmaia. De seguida a misteriosa e bela escritora Elisa van der Recke vem visitá-lo, dando uma nova vida ao homem envelhecido. Um filme-ópera que capta o mito do maior sedutor de todos os tempos, Giacomo Casanova. A sua história é contada em palco, numa ópera de câmara, e fora dele em interpretações que desvendam as histórias das suas aventuras, as suas paixões e o seu medo da Morte. Protagonizado por JOHN MALKOVICH e VERONICA FERRES (“Klimt”), o filme de MICHAEL STURMINGER é inspirado na obra “História da Minha Vida”, de Giacomo Casanova, mas também em algumas cenas de óperas de Wolfgang Amadeus Mozart e Lorenzo da Ponte. O elenco do filme inclui ainda alguns dos mais prestigiados cantores líricos da actualidade, nomeadamente os tenores JONAS KAUFMANN (o mais famoso tenor da actualidade) e TOPI LEHTIPUU, os barítonos FLORIEN BOESCH e CHRISTOPHER PURVES, as sopranos BARBARA HANNIGAN, MIAH PERSSON, ANNA PROHASKA, KRESTIN AVEMO e a portuguesa ANA MARIA PINTO. O filme, que foi rodado inteiramente em Portugal, nomeadamente no Teatro Nacional São Carlos, é uma co-produção portuguesa, francesa, austríaca e alemã. Contou com a participação do ICA – Instituto do Cinema e do Audiovisual, Câmara Municipal de Lisboa, Associação de Turismo de Lisboa e da RTP.


Um filme de Jaco Van Dormael com Benoît Poelvoorde, Yolande Moreau, Catherine Deneuve, François Damiens e Pili Groyne Género Comédia | País Bélgica, França | Duração 104’ | 2016 Festivais e Prémios Quinzena dos Realizadores – Seleção Oficial Globos de Ouro – Nomeação para Melhor Filme Estrangeiro

CINEMA // M/14// 3€


2017

26 mai.

sex. 21h30

DEUS EXISTE E VIVE EM BRUXELAS Deus existe! Vive em Bruxelas, é um estupor e maltrata a mulher e a filha. Sabemos muito do seu filho, mas pouco se sabe da sua filha. Ela chama-se Ea e tem 10 anos. Um dia, Ea revolta-se contra o pai, entra-lhe no computador e revela por sms a toda a gente o tempo que lhe resta a viver. Apresentado na Quinzena dos Realizadores e nomeado para Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro.

Original, absurdo, surreal e subversivo, mas com bom fundo e a única oportunidade na história do cinema para ver Catherine Deneuve a apaixonar-se por um gorila - este novo projecto de Jaco Van Dormael está recheada de boas e hilariantes ideias (...) que tornam o filme encantador - Sábado Uma ave rara com o seu charme - Diário de Notícias Uma história animada, original e (muito importante) muito doce - The Guardian Um enérgico miminho: mais espirituoso do que herético, é de um polimento acetinado suave e provoca um malicioso sorriso. - Indiewire Algures entre AMÉLIE, BRAZIL e Bruxelas - Cineuropa Um trabalho de imaginação irresistivelmente divertido - The Hollywood Reporter Hilariante, comovedor e provocador. - Première


Um documentário de Cyril Dion e Mélanie Laurent Género Documentário | País França | Duração 118’ | 2015 Festivais e Prémios Prémios César - Melhor Documentário

CINEMA // M/12// 3€


2017

03 jun.

sáb. 16h30

AMANHÃ

E se mostrar soluções, contar uma história positiva, fosse a melhor forma de resolver as crises ecológicas, económicas e sociais que atravessam o nosso mundo? Após a publicação de um estudo que anuncia a possibilidade do desaparecimento da humanidade até 2100, Cyril Dion e Mélanie Laurent partiram com uma equipa de quatro pessoas, para investigar em dez países aquilo que poderá provocar esta catástrofe e, sobretudo, como evitá-la. Durante a sua viagem, encontraram pioneiros que reinventaram a agricultura, a energia, e economia, a democracia e a educação. Ao juntarem todas estas iniciativas positivas, eles começam a ver emergir aquele que poderá ser o mundo de amanhã ...

“A qualidade das imagens e a clareza das explicações conferem-lhe um valor pedagógico inegável.” - Le Monde “’Amanhã’ está cheio de iniciativas positivas. O filme prova sobretudo que cada um de nós pode realmente contribuir para criar o futuro.” - National Geographic


Um filme de Jacques Audiard com Marion Cotillard, Matthias Schoenaerts, Armand Verdure, Céline Salette, Corinne Masiero, Bouli Lanners Género Drama | País França | Duração 120’ | 2012 Festivais e Prémios Festival de Cannes Official Selection Toronto Film Festival Telluride Film Festival

CINEMA // M/16// 3€


2017

29 set.

sex. 21h30

FERRUGEM E OSSO

De Rouille et d’Os [título original]

Tudo começa no Norte. Ali depara-se com a responsabilidade de ficar com Sam, o filho de 5 anos, nos braços. É filho dele mas mal o conhece. Sem casa, nem dinheiro, nem amigos, Ali encontra refúgio em casa da irmã em Antibes, no Sul de França. Ela acolhe-os, trata do pequeno e até o clima parece ajudar. Após uma luta numa discoteca, o seu destino cruza-se com o de Stéphanie. Ela leva-o para casa e deixa-lhe o número de telefone. Ele é pobre; ela é bonita, e muito segura - uma princesa. Tudo os separa. Stéphanie é treinadora de orcas no Marineland. Será necessário que o espectáculo se transforme num drama para que um telefonema nocturno os volte a reunir. Quando Ali a encontra, a princesa está numa cadeira de rodas: perdeu as pernas e muitas ilusões. Ele vai simplesmente ajudá-la, sem compaixão, sem piedade. Ela vai voltar a viver ... FERRUGEM E OSSO , contou com 9 nomeações, incluindo MELHOR FILME, MELHOR REALIZADOR, MELHOR ACTRIZ (para MARION COTILLARD), MELHOR ARGUMENTO ADAPTADO e MELHOR MÚSICA ORIGINAL, entre outros.


Um filme de Ritesh Batra com Irrfan Khan e Nimrat Kaur Género Comédia Sentimental | País Índia | Duração 104’ | 2014 Festivais e Prémios Festival de Cannes - Semana da Crítica Toronto Film Festival Sundance Film Festival

CINEMA // M/12// 3€


2017

27 out.

sex. 21h30

A LANCHEIRA

The Lunchbox [título original]

Um erro no usualmente eficaz serviço de entrega de lancheiras (as “Dabawallahs”, serviço de entrega de refeições em Bombaim) provoca a relação entre Ila Vaid, uma jovem mulher desprezada, e Saajan Fernandes, um homem perto da idade da reforma. Por via destas lancheiras, ambos iniciam uma correspondência e começam a sonhar com outra vida.

A LANCHEIRA é um filme que nos cinge e nos acolhe (…) tem inteligência narrativa, gosta de pessoas, é extremamente bem feito – o que pedir mais? - Expresso Um filme encantador (...) uma história de afectos terna e invulgar - Luís Salvado, Time Out Lisboa Uma história com aromas inesperados. - Miguel Branco, Jornal i A LANCHEIRA, de Ritesh Batra é uma pequena dádiva. Tudo gira em torno da melancolia, mas de uma melancolia eufórica. Os filmes que dispõem bem, como A LANCHEIRA, são sempre muito solicitados. - Pierre Murat, Télérama Um filme que dispõe bem e nos toca o coração! - Jay Weissberg, Variety Uma história elegante e espirituosa, que decorre nas ruas de Bombaim, A LANCHEIRA é um encanto aromático inesperado do estreante Ritesh Batra. – Fionnuala Halligan, The Screen Daily


Um filme de Jennifer Kent com Essie Davis, Noah Wiseman e Daniel Henshall Género Terror, Suspense | País Austrália | Duração 94’ Festivais e Prémios Festival de Sundance - Selecção Oficial Festival de Nova Iorque - Selecção Oficial MotelX - Selecção Oficial

CINEMA // M/16// 3€


2017

31 out.

ter. 21h30

O SENHOR BABADOOK The Babadook [título original]

Uma mãe, atormentada pela morte violenta do marido, luta contra o medo nocturno que o filho tem por um monstro. Mas rapidamente descobre que uma presença sinistra se esconde na sua casa.

Atenção à navegação: há uma nova voz a dar cartas no cinema de terror e essa voz é feminina. (...) Uma longa assustadora e inteligente (...) Um óptimo filme de sustos e gritaria (...) A não perder. - Time Out Lisboa Um filme de terror muito inteligente e subtil - Visão Criativo e verdadeiramente assustador (...) profundamente perturbante, o filme revitaliza o género do terror - Jornal i Elegante e tenso, a película australiana explora os temas da culpa, mágoa, perda, amor e loucura e merece um lugar entre os melhores e mais complexos filmes de terror do nosso tempo. - Vogue Portugal História de assombração psicológica ou psico-analítica sobre o horror da maternidade, O SENHOR BABADOOK será o grande filme de terror do ano! - A Pala de Walsh Uma primeira longa-metragem surpreendente - Les Inrockuptibles Uma obra-prima inquestionável. - Indiewire


Um filme de Joachim Trier com Isabelle Huppert, Gabriel Byrne, Jesse Eisenberg, Devin Druid Género Drama | País Noruega, França, Dinamarca | Duração 109’ Festivais e Prémios Festival de Cannes- Selecção Oficial

CINEMA // M/12// 3€


2017

25 nov.

sáb. 21h30

ENSURDECEDOR

Louder Than Bombs [título original]

A preparação de uma exposição em homenagem à fotógrafa Isabelle Reed três anos após a sua morte prematura traz Jonah, o seu filho mais velho, de volta a casa. Há muitos anos que Jonah não passava tanto tempo com o pai Gene e o irmão mais novo Conrad, um jovem excessivamente reservado. Com os três na mesma casa, Gene tenta desesperadamente recuperar o contacto com os dois filhos, mas todos têm dificuldade em conciliar os seus sentimentos sobre a mulher que recordam de forma tão diferente. Do realizador de REPRISE (2006) e OSLO, 31 DE AGOSTO (2011). Um dos melhores novos cineastas contemporâneos (...) uma visão delicada do despertar do primeiro amor, da traição sem culpa, dos fantasmas depressivos, dos erros involuntários, do arrependimento. Sábado Um filme complexo e delicado (...) onde as interpretações são de grau superlativo. Time Out Lisboa Belo e fantasmagórico – Les Inrockuptibles A sensibilidade de Trier para a dinâmica familiar, a descrição de memórias nebulosas e o pormenor da vida (o filme está cheio de belas e complexas cenas), dá vontade de o ver pela segunda vez. - Indiewire / The Playlist Peças de um puzzle elaboradas e invulgares encaixam-se de forma inesperada neste primeiro filme em língua inglesa do realizador norueguês Joachim Trier. A velha regra de fazer primeiro o céu ou começar por montar a moldura não se aplica: isto é matéria deliberada dum melodrama, habilmente estruturado de forma a que a rotatividade das histórias as informe e realce mutuamente, mesmo quando o destaque é feito a um único personagem. - Time Out London


de terça a sábado: 16h30 às 21h30 E-mail: bilheteira1@mun-montijo.pt Informação e Reservas tel.: 21 232 78 82 (levantamento de reservas até 24h antes do espetáculo)

www.mun-montijo.pt

© Câmara Municipal do Montijo | Gabinete de Comunicação e Relações Públicas 2017

Horário da Bilheteira

Filmes do Mundo // 2017  

Cinema-Teatro Joaquim d'Almeida // Câmara Municipal do Montijo

Filmes do Mundo // 2017  

Cinema-Teatro Joaquim d'Almeida // Câmara Municipal do Montijo

Advertisement