Page 1

boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 1

n.º 244 | jan/FEV 2018

Ex Grupo de Campolide (1973) – atual Companhia de Teatro de Almada

edição da Câmara Municipal de Almada

JAN/FE

40 anos instalada no concelho SECÇÃO companhia de teatro de almada saneamento básico 60 anos ao serviço dos almadenses 20 anos a promover a leitura bibliotecas escolares


DESTAQUE

04

A temporada 2018 no Teatro Municipal Joaquim Benite apresenta mais de 40 espetáculos até dezembro

entrevista n.º 244 | JANEIro/FEVEREIRO 2018

06

Há 40 anos que a Companhia de Teatro de Almada funciona no concelho. Entrevista ao seu diretor, Rodrigo Francisco

244

concelho

08

O Natal foi marcado por muitas iniciativas, que culminaram com o Concerto de Ano Novo. Veja as fotos

dossiÊ

16

Há 20 anos que a rede de bibliotecas escolares está em crescimento. Hoje são mais de 50, ao serviço da leitura

perfil

27

O Estúdio AMATAM é um dos vencedores do German Design Awards 2018. Perfil do seu fundador, o almadense João Amaral

município

28

Em 2018, o Município avança com o IMI familiar, bonificando em 70 euros as famílias com três ou mais filhos

freguesias

34

Prosseguem as intervenções de manutenção do espaço público, pelas equipas municipais no concelho

ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS, COMUNICAÇÃO, PLANEAMENTO ESTRATÉGICO, MOBILIDADE E TRANSPORTES, REQUALIFICAÇÃO URBANA E CULTURA Gabinete da Presidência Gabinete de Apoio à Câmara Municipal Gabinete de Apoio à Assembleia Municipal Departamento de Comunicação Divisão de Relações Públicas, Protocolo e Programação Municipal Divisão de Qualificação de Mercados e Serviços Urbanos Autoridade Sanitária Veterinária Municipal Centro de Arte Contemporânea Divisão de Planeamento e Controlo, Estudos e Estatística Gabinete de Modernização Administrativa e Organização Departamento de Administração Financeira Divisão de Reabilitação e Revitalização Urbana e Espaço Público Divisão de Mobilidade Urbana Departamento de Cultura Presidência do Conselho de Administração dos SMAS - Serviços Municipalizados de Água e Saneamento Presidente Inês de Saint-Maurice Esteves de Medeiros Victorino de Almeida ECONOMIA E EMPREENDEDORISMO, TURISMO, SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, PLANEAMENTO URBANÍSTICO, OBRAS, EDUCAÇÃO, JUVENTUDE E DESPORTO Departamento de Desenvolvimento Local Departamento de Informática Departamento de Planeamento Urbanístico e Desenvolvimento Económico Departamento de Obras Municipais Departamento de Educação e Juventude Departamento de Ação Desportiva Vice-presidente João Luís Serrenho Frazão Couvaneiro

PROTEÇÃO CIVIL E SEGURANÇA, ASSUNTOS JURÍDICOS E FISCALIZAÇÃO MUNICIPAL, ADMINISTRAÇÃO URBANÍSTICA, ATENDIMENTO AO MUNÍCIPE Divisão de Fiscalização Municipal Departamento de Assuntos Jurídicos Serviço Veterinário Municipal Serviço Municipal de Proteção Civil Unidade de Apoio à Gestão da Direção Municipal de Ambiente, Mobilidade, Energia e Valorização Urbana Departamento de Administração Urbanística Gabinete de Atendimento Municipal Vereadora Francisca Luís Baptista Parreira RECURSOS HUMANOS E SAÚDE OCUPACIONAL, HIGIENE URBANA, AÇÃO E INTERVENÇÃO SOCIAL, HABITAÇÃO Serviço de Saúde Ocupacional Departamento de Intervenção Social e Habitação Departamento de Recursos Humanos Divisão de Salubridade Vereadora Maria Teodolinda Monteiro Silveira ESPAÇOS VERDES, AMBIENTE E ENERGIA Departamento de Energia, Clima, Ambiente e Mobilidade (com exceção da Divisão de Mobilidade Urbana) Departamento de Salubridade e Espaços Verdes (com exceção da Divisão de Salubridade) Vereador Nuno Filipe Miragaia Matias REDE VIÁRIA, LOGÍSTICA E FROTA Departamento de Rede Viária, Manutenção, Logística e Transportes Vereador Miguel Ângelo Moura Salvado VEREAção NÃO EXECUTIVa Joaquim Estêvão Miguel Judas José Manuel Raposo Gonçalves Maria Amélia de Jesus Pardal António José de Sousa Matos Joana Rodrigues Mortágua

Propriedade da Câmara Municipal de Almada Redação e Administração CMA Largo Luís de Camões 2800-158 Almada Tel.: 212 724 000 e-mail: almadainforma@cma.m-almada.pt Fotografia da capa Companhia de Teatro de Almada Redação, paginação e fotografia CMA Execução Gráfica Ancestra, Indústria Gráfica Lda. Tiragem 80 000 exemplares Depósito Legal N.º 76448/94 ISSN 1645-9903 Publicação isenta de registo na ERC ao abrigo do Decreto Regulamentar n.º 8/99, de 9 de junho, art.º 12.º, n.º1b) Textos escritos ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

INFORMAÇÕES ÚTEIS Geral Almada Informa – Informações e Sugestões almadainforma@cma.m-almada.pt Linha Verde “Almada Limpa” Centro de Informação Autárquico ao Consumidor JUNTA | UNIÕES DE FREGUESIAS Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas Almada Recolha de Monos Domésticos Cova da Piedade Recolha de Monos Domésticos Pragal Recolha de Monos Domésticos Cacilhas Recolha de Monos Domésticos Caparica e Trafaria Caparica Recolha de Monos Domésticos Trafaria Recolha de Monos Domésticos Charneca de Caparica e Sobreda Charneca de Caparica Recolha de Monos Domésticos Sobreda Recolha de Monos Domésticos Laranjeiro e Feijó Laranjeiro Recolha de Monos Domésticos Feijó Recolha de Monos Domésticos Costa da Caparica Recolha de Monos Domésticos URGÊNCIAS | SMAS | ECALMA Bombeiros Voluntários de Almada Bombeiros Voluntários de Cacilhas Bombeiros Voluntários da Trafaria Delegação Marítima da Trafaria EDP - Piquete GNR - Almada GNR - Charneca de Caparica GNR - Costa da Caparica Hospital Garcia de Orta Linha Azul de Emergência Polícia Marítima da Costa da Caparica Proteção Civil PSP – Almada (MIPP) PSP – Laranjeiro PSP – Pragal Setgás – Emergências SMAS – Serviço de Atendimento SMAS – Piquete ECALMA EQUIPAMENTOS MUNICIPAIS Ageneal - Agência Municipal de Energia de Almada Biblioteca Municipal José Saramago (Feijó) Biblioteca Municipal Maria Lamas (Caparica) Casa Pargana - Arquivo Histórico Casa da Cerca - Centro de Arte Contemporânea Centro de Informática e Documentação Centro de Interpretação de Almada Velha Centro Cultural Juvenil de Santo Amaro Caparica Sun Centre (Costa da Caparica) Centro Municipal de Turismo Complexo Municipal dos Desportos Cidade de Almada Complexo Municipal de Piscinas na Caparica Complexo Municipal de Piscinas na Charneca de Caparica Complexo Municipal de Piscinas na Sobreda Convento dos Capuchos Ecoteca de Almada Fórum Municipal Romeu Correia/Biblioteca Municipal Galeria Municipal de Arte Museu da Cidade Museu da Música Filarmónica Museu Medieval Museu Naval Oficina de Cultura Parque da Paz Pav. Municipal da Charneca de Caparica Pav. Municipal da Costa da Caparica Pav. Municipal do Laranjeiro Pista Municipal de Atletismo Ponto de Encontro – Cacilhas Posto de Turismo da Costa de Caparica Solar dos Zagallos Teatro Municipal Joaquim Benite

212 724 000 800 206 770 800 206 017 212 724 763

212 722 540 800 204 819 212 767 948 800 204 771 212 747 136 800 204 800 212 732 943 800 204 825 212 954 688 800 205 061 212 946 910 800 204 803 212 972 827 800 205 093 212 946 634 800 204 802 212 509 570 800 205 031 212 586 230 800 204 801 212 911 089 800 204 853 212 722 290 212 722 520 212 946 569 212 950 823 800 506 506 265 242 580 265 964 070 265 242 590 212 940 294 800 205 146 212 913 101 212 946 577 212 731 027 212 558 530 212 721 400 800 273 030 212 726 000 212 726 161/ 212 726 152 212 743 918 212 722 510 212 508 210 211 934 020 212 724 900 212 724 950 212 723 077 212 724 170 212 548 220 212 918 250 212 739 340 212 587 100 211 926 760 212 964 220 212 549 370 212 919 342 212 722 510 212 724 920 212 724 700 212 734 030 212 724 023 212 724 760 212 724 980 212 724 050 212 508 710 212 972 591 212 911 189 212 545 161 212 537 579 212 748 210 212 900 071 212 947 000 212 739 360


EM DIRETO boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 3

Novo Ano. Grandes Desafios O Ano de 2018 será marcado por novos e importantes desafios que se vão colocar ao concelho de Almada. Neste primeiro ano de mandato, entendo que é tempo de cuidar do presente e preparar o futuro. Um espaço público bem cuidado é condição de qualidade de vida e de atração de investimento para Almada. Esta edição ilustra bem o esforço diário das nossas equipas na manutenção da higiene e da segurança do nosso espaço público. Preparar o futuro significa lançar e consolidar as sementes que darão mais à frente os frutos desejados. Queremos um concelho mais plural, inclusivo, qualificado, solidário, eficiente e atrativo. Um concelho onde não esquecemos as pessoas, o território, o ambiente ou as atividades económicas. Destes objetivos daremos melhor conta na próxima edição do Boletim, após a aprovação das Grandes Opções do Plano e Orçamento pela Assembleia Municipal, a realizar durante o mês de fevereiro. Uma coisa é certa, a Costa da Caparica faz parte das nossas prioridades. Além da realização de mais uma edição do Caparica Primavera Surf Fest, que noticiamos neste Boletim, queremos promover o programa “Costa todo o Ano”. No final de março, a Costa da Caparica vai assumir-se como a grande capital europeia do surf, com mais de mil atletas participantes, aos quais se juntam seis noites de boa música. No entanto, queremos mais. Um programa anual de promoção e animação da Costa da Caparica vai permitir reforçar a sua atratividade turística, assim como contribuir para o desenvolvimento das suas atividades económicas, estando elas ligadas ao mar ou à gastronomia, ao turismo ou a tantos outros sectores de atividade. Mas a capa desta edição do Boletim vai para as comemorações dos 40 anos da presença da Companhia de Teatro de Almada no concelho. Como o próprio Joaquim Benite o relembrava, a mudança da companhia para Almada respondeu a uma lógica de descentralização teatral para a formação de públicos. Quarenta anos depois, o que constatamos é que esse objetivo foi plenamente cumprido, pois em Almada existe provavelmente o melhor público teatral do país, o mais atento, o mais participativo e o mais saudavelmente crítico. No programa da nova temporada do TMJB, citei o Jean Vilar, fundador do Festival de Avignon, relembrando que o teatro é uma necessidade

Inês de medeiros PRESIDENTE DA Câmara Municipal de Almada

fundamental pois é a expressão da liberdade e que uma sociedade sem teatro é uma sociedade que tem medo de si própria. Nesse sentido, é com orgulho que vejo na grande afluência de público nos espetáculos da companhia, um extraordinário sinal de vitalidade e de plena vivência da liberdade em Almada, que em grande parte se deve ao trabalho desta fantástica companhia que muito nos orgulha. Uma palavra especial também sobre educação, pilar essencial na construção de uma sociedade mais culta, desenvolvida e justa. Foi com grande satisfação que recebemos a notícia que o Ministério da Educação autorizou a conclusão das obras na Escola Secundária do Monte de Caparica, que ficaram suspensas em 2010. Um importante passo para a melhoria das condições deste estabelecimento de ensino, frequentado por cerca de 500 alunos. Queria ainda sublinhar o destaque que é dado ao Estúdio AMATAM, vencedor do German Design Awards 2018, e ao seu fundador, o almadense João Amaral. De facto, não me canso de dizer que um dos grandes desafios de Almada é acrescentar inovação e empreendedorismo, ao capital social e cultural que já possuímos. E é criando as condições para o florescimento de mais exemplos destes que vamos chegar lá. Termino com uma palavra de tristeza pela perda que foi, para todos nós, o falecimento de Alexandre Castanheira, um homem que dedicou a sua vida à defesa da democracia, da cidadania, da cultura, da educação e do associativismo. Certamente que o seu legado há de ser perpetuado em Almada.

em DIRETO

2018


DESTAQUES boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 4

Crise no Parque Eduardo VII

Nathan, o sábio

Teatro Municipal Joaquim Benite

Nova temporada oferece 46 espetáculos Em 2018, conte com a programação do TMJB, onde pode ver espetáculos de teatro, música, dança, artes plásticas e uma exposição sobre o percurso da companhia, assinada por José Manuel Castanheira Almada começou o ano da melhor forma, com a apresentação da nova temporada do Teatro Municipal Joaquim Benite (TMJB). Em 2018, conte com 14 peças de teatro, 14 concertos, seis espetáculos de dança, e uma ampla oferta para as famílias e o público mais pequenino. A programação deste novo ano inscreve-se na tradição dos teatros de repertório, com textos de várias épocas que abordam temas diversificados. O TMJB acolhe não só as estruturas públicas de criação como também os grupos emergentes, que aqui encontram condições para se apresentar ao público. Rodrigo Francisco, diretor da Companhia de Teatro de Almada, fez a apresentação do programa para 2018, contando com a presença do ator João Reis, em representação do Teatro Nacional de S. João, do diretor da Companhia de Teatro de Braga, Rui Madeira, do encenador Carlos Pimenta e de Samuel Rego, do Conselho de Administração da OPART (Organismo de Produção Artística). Durante a apresentação da temporada, a presidente da Câmara Municipal de Almada, Inês de Medeiros, reforçou que este é «um município que sempre reconheceu e reconhece a importância do teatro», acrescentando que «Almada tem o melhor público de teatro do país». Quem quiser conhecer o percurso da Companhia de Teatro de Almada, que este ano assinala os 40 anos de trabalho em Almada, pode visitar a exposição documental concebida plasticamente por José Manuel Castanheira. Pelo meio, a Companhia de Teatro de Almada organiza o Festival Internacional de Teatro de Almada, entre os dias 4 e 18 de julho.

próximas Peças Já em janeiro, volta a subir ao palco Nathan, o sábio (12 a 28 de janeiro), uma produção da CTA, assinada pelo seu diretor artístico, Rodrigo Francisco, com base no texto de Gotthold Ephraim Lessing. Destaque ainda para Crise no Parque Eduardo VII (10 de fevereiro) uma

produção da Comuna – Teatro de Pesquisa, a partir de I’m Not Rappaport, de Herb Gardner. A adaptação, versão cénica e encenação é de João Mota, que classifica esta peça como uma comédia cruel sobre a epidemia de indiferença que grassa nos meios urbanos.

A música sobe ao palco Este mês, a Orquestra Metropolitana de Lisboa fez arrancar a eclética temporada musical deste teatro municipal, rematando-a também com o concerto de Natal, com a direção musical de Jan Wierzba. Mas por estes palcos passarão também a Orquestra Gulbenkian, a Orquestra Sinfónica Portuguesa, o projeto Músicas no Salão, com Patrícia Vasconcelos, e o Poyecto Voltaire, um dos êxitos do Festival Internacional de Teatro de Almada. Ao palco sobe ainda o fado de Aldina Duarte e de Gisela João, as melodias de Samuel Úria, a fúria de Carlão, as músicas do mundo de Mayra Andrade, o trio Remexido e até um pianista de boite, encarnado por Manuel João Vieira.

Programação em 2018 14 Peças de teatro 12 Peças de teatro para a infância 14 Concertos de música 6 Espetáculos de dança 16 Oficinas para a infância 20 Conversas com o público 10 Peças para digressão


DESTAQUES boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 5

A dança que o teatro tem Em fevereiro, arranca o primeiro de seis espetáculos de dança, que une a Companhia Paulo Ribeiro e o Teatro Viriato, com Um solo para a sociedade (23 e 24 de fevereiro), a primeira criação de António Cabrita e São Castro enquanto diretores artísticos desta companhia. O coreógrafo Olivier Dubois desafia-nos a pensar o conceito de humanidade com Tragédie (19 de maio), uma tragédia grega que estreou no Festival d’Avignon e que faz subir ao palco 18 intérpretes completamente nus. A Companhia Nacional de Bailado vai estar no TMJB em três momentos: primeiro para apresentar Passo, uma das obras mais emblemáticas da coreografa italiana Ambra Senatore, depois para os Contos em Abstrato, uma iniciação à dança para alunos do ensino básico, e finalmente rematar a temporada da dança, em dezembro. Pelo meio podemos ver PS Carmen, a nova criação da Companhia de Dança de Almada, inspirada numa das mais célebres óperas de Bizet.

Para os mais novos Este ano estão previstas 16 oficinas para a infância, baseadas em oito clássicos da dramaturgia mundial. Nas tardes de sábado, as crianças entre os 5 e os 11 anos podem vir até este teatro municipal para conhecer Shakespeare, Molière, Aristófanes, Tchecov, Calderón de la Barca, Beckett e o nosso Gil Vicente. Cada oficina tem duas horas de duração e foca temáticas como o movimento e a dança, o desenho e a pintura, a cenografia, a música, os jogos dramáticos e a luz. O objetivo é contribuir para a formação de públicos. Durante todo o ano, as famílias podem ainda contar com 12 peças de teatro especialmente criadas a pensar nos mais novos (ver caixa).

O fantasma das melancias

Peças para a Infância

Teatro todo o ano

O fantasma das melancias 10 a 18 de fevereiro Dança da chuva 3 e 4 de março Nunca 17 e 18 de março As aventuras de Guinhol 7 e 8 de abril O barbeiro de Sevilha 22 e 22 de abril Bela adormecida 5 e 6 de maio Pastéis de Nata para Bach 19 e 20 de maio D. Raposa e outros animais 29 e 30 de maio Muita tralha pouca tralha 13 e 14 de outubro Os gatos 10 e 11 de novembro Verdi que te quero verdi 17 e 18 de novembro O romance da raposa 1 a 16 de dezembro

Nathan, o sábio 12 a 28 de janeiro O libertino passeia por Braga, a idolátrica, o seu esplendor 2 e 3 de fevereiro Crise no Parque Eduardo VII 10 de fevereiro Um D. João Português 10 de março Lições de Dança para pessoas duma certa idade 23, 24 e 27 de março Macbeth 17 e 18 de março A noite da Dona Luciana 27, 30 e 31 de março Morte de um caixeiro-viajante 13 de abril a 6 de maio Um mini-museu vivo de memórias do Portugal recente 24 a 29 de abril (I)migrantes 12 e 13 de maio Humidade 22 e 23 de setembro A história assombrosa de como o capitão Michel Alban perdeu o seu braço 12 e 13 de outubro A boa Alma de Sé-Chuão 19 de outubro a 11 de novembro Mártir 23 de novembro a 16 de dezembro


entrevista boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 6

Rodrigo Francisco nasceu em Almada em 1981. Foi assistente de Joaquim Benite (1943-2012) a partir de 2006 e é, desde dezembro de 2012, diretor artístico da Companhia de Teatro de Almada e do Teatro Municipal Joaquim Benite

RODRIGO FRANCISCO DIRETOR ARTÍSTICO DA COMPANHIA DE TEATRO DE ALMADA E DO TEATRO MUNICIPAL JOAQUIM BENITE

«O Teatro Municipal Joaquim Benite é da cidade e do concelho de Almada» A Companhia de Teatro de Almada está, desde 1978, instalada no concelho. Para celebrar estes 40 anos, está patente, ao longo de 2018, a exposição documental CTA – 40 anos em Almada. Estivemos à conversa com Rodrigo Francisco, diretor artístico da companhia e do Teatro Municipal Joaquim Benite. Almada (A) – São 40 anos de muito trabalho? Rodrigo Francisco (RF) – O Grupo de Campolide é fundado em 1971 e, em 1978, instala-se aqui Almada, no teatro da Academia Almadense. Começa por chamar-se Grupo de

Campolide – Companhia de Teatro de Almada (CTA). Esta denominação só desaparece em 1988 quando é inaugurado o primeiro Teatro Municipal de Almada (TMA), agora Teatro-Estúdio António Assunção. E é, de facto, um longo caminho, feito de muito

trabalho, sob a liderança do Joaquim Benite, mas com a colaboração de muitas pessoas que estiveram envolvidas neste projeto. A 6 de janeiro, dia da apresentação da temporada de 2018 do Teatro Municipal Joaquim Benite (TMJB), inaugurámos uma exposição, com


entrevista boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 7

conceção do José Manuel Castanheira, dividida em vários períodos, e que se estende durante todo o ano, em vários espaços dos TMJB. É possível ver alguns materiais do nosso arquivo e que constituem um objeto de estudo muito interessante para quem quiser conhecer a história da renovação do teatro português. Vamos também publicar um catálogo, mais desenvolvido, com excertos de muitos textos de reflexão, de muita correspondência, porque também é muito interessante analisarmos as notícias daquela época para termos uma imagem do que foram os períodos que antecederam a Revolução de 25 de Abril e pós-revolucionário e de como o teatro era feito nessa altura.

A – Em 1988, a CTA muda-se para o primeiro Teatro Municipal de Almada (TMA) e, em 2006, para o novo TMA, agora Teatro Municipal Joaquim Benite. Um projeto ambicioso, mas indispensável? RF – É interessante porque quando a CTA vem para Almada já existe o projeto de construção de um teatro de raiz. Em 1985, a Câmara Municipal de Almada (CMA) cede um terreno, em direito de superfície, na Avenida Rainha D. Leonor, à CTA para a construção do Teatro da Parábola. O projeto era do arquiteto Manuel Graça Dias. Só que os financiamentos não acontecem e esse projeto foi sendo adiado, concretizando-se apenas com a construção do novo TMA, agora designado de TMJB, da autoria dos arquitetos Manuel Graça Dias e Egas José Vieira. O encenador francês Bernard Sobel, a primeira vez que viu este teatro, disse que este era «um ato de loucura e de poesia».

A – Em 2006, a CTA muda-se para o novo TMA e o Rodrigo Francisco passa a assistente do Joaquim Benite? RF – Ainda não tinha pensado nisso, mas é curioso que exista essa coincidência. Eu fui assistente do Joaquim Benite na peça Dom Juan, de Molière, peça que inaugura este teatro municipal. Aliás, o Luís Miguel Cintra vem, este ano, ao TMJB fazer uma versão desse texto.

«Uma continuação do trabalho do Joaquim Benite»

A – Sentiu que estava a ser preparado para suceder ao Joaquim Benite?

A – O Festival de Almada é o trabalho mais marcante e visível?

RF – O Joaquim Benite não me preparou só a mim, ele preparou uma equipa e são esses homens e mulheres que agora estão à frente da CTA. No documentário que integra a exposição CTA – 40 em Almada, várias personalidades da cultura e não só, referem que ele era um grande constituidor de equipas e foi isso que ele fez. Este teatro é gerido pela equipa que ele criou e preparou para a gestão complexa deste edifício.

RF – Quando a companhia decidiu instalar-se em Almada, para além da criação e apresentação de espetáculos, fazia parte do projeto um vasto programa de animação cultural. A primeira edição aconteceu em 1984, no Beco dos Tanoeiros, com espetáculos montados por amadores. E a história do Festival de Almada é uma das partes importantes desta exposição comemorativa dos 40 anos da CTA aqui em Almada.

A – É o atual diretor artístico da CTA e do TMJB. Mudou alguma coisa ou houve uma continuidade intencional?

A – Ao longo destes anos, o apoio da CMA tem sido importante?

RF – Tudo o que se faça aqui será uma continuação do trabalho do Joaquim Benite. Mas é natural que as coisas evoluam, porque as pessoas são diferentes e têm outras sensibilidades. O próprio Joaquim Benite não gostava de manter as coisas. Ele próprio procurou evoluir e fazer com que as coisas evoluíssem. Este teatro municipal é sinal disso mesmo. Nós temos a perfeita noção de que tudo o que fizermos terá sempre origem no trabalho por ele realizado, mas também sabemos que a evolução é constante, sobretudo nos processos de criação teatral. Esta companhia, como é feita de pessoas, é um organismo vivo.

A – Mas este modelo de atividade é para manter ou deverá haver alterações? RF – Os princípios de rigor artístico e de amor pelo público serão para manter, porque eram valores que o Joaquim Benite já trazia quando começou a fazer teatro. Queremos colocar os espetadores sempre no centro do fenómeno teatral e ter um teatro que não seja um edifício fechado, ou seja, com um horário alargado, com valências distintas, aberto à comunidade local e que acolha as criações, de natureza distinta, de outros grupos ou companhias. O Teatro Municipal Joaquim Benite é da cidade e do concelho de Almada.

A – O Joaquim Benite e a CTA sempre defenderam a mobilização de públicos para o teatro e demais artes de palco. Este princípio também se mantém? RF – A afluência de público e a reação das pessoas fazem-me acreditar que ainda é este tipo de teatro, baseado nos grandes textos e dramaturgos, que mais agrada aos espetadores. É uma fórmula à qual não podemos escapar.

RF – Houve uma grande evolução. Quando a companhia chegou a Almada não existiam grande apoios. Eles foram sendo estabelecidos à medida que as condições assim o permitiram. Estive a ver a gravação vídeo da cerimónia de cedência do antigo Teatro Municipal à CTA, em 1988, e a presidente da CMA, na altura, Maria Emília de Sousa, falava que os primeiros anos, após a Revolução de Abril, foram de colmatar as necessidades básicas das populações, mas que nos anos 80 do século XX, começa a existir um desenvolvimento mútuo entre a CMA e a CTA, o que permite que no final dos anos 90 haja um grande apoio por parte do Ministério da Cultura, o que leva a que o Festival de Almada ganhe outra dimensão.

A – Ao longo dos anos têm passado pela CTA muito encenadores, atores e atrizes. Mantêm uma boa relação com estes profissionais? RF – Há histórias muito engraçadas… por exemplo, em 1984, a CTA convidou uma dupla de encenadores alemães, o Peter Schrott e o Peter Kleinert, para dirigirem aqui um espetáculo do Bertolt Brecht. E este ano, quase 40 anos depois, o Peter Kleinert vai voltar a Almada para dirigir outra peça do Brecht. Muitos destes atores e encenadores que, de alguma forma estiveram ligados à CTA, já desapareceram, mas também foi uma marca do Joaquim Benite ter formado gerações de pessoas ligadas ao teatro que, depois, desenvolveram os seus próprios projetos, em várias partes do país e do mundo. A vinda do Grupo de Campolide para Almada foi a semente que veio germinar todos estes frutos.


concelho boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 8

1

2

Programação arrancou em novembro

Foi assim o Tempo de Natal em Almada

5

7

6

8


CONCELHO boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 9

3

Oficinas de olaria, gastronomia, de construção de presentes de Natal. Concertos, teatros, horas do conto. Foram muitas as atividades programadas para este Tempo de Natal em Almada, onde não faltou um mercado com ideias solidárias e sustentáveis a pensar no Planeta, nem uma gigantesca Festa de Natal para as escolas e instituições de ensino do concelho. A Passagem de Ano também fez parte destes dias festivos, que incluíram o primeiro grande momento cultural de 2018, o Concerto de Ano Novo, assim como as tradicionais Janeiras

4

1 – Centenas de pessoas assistiram à cerimónia de abertura das iluminações de Natal, que começou com um espetáculo baseado no livro Feliz Natal Lobo Mau

da Terra e permitiu angariar bens alimentares para serem distribuídos pela Refood às famílias carenciadas do concelho

2 – De 25 de novembro a 7 de janeiro, as iluminações de Natal tornaram as ruas de Almada mais convidativas

6 e 7 – A passagem do ano levou a Cacilhas milhares de pessoas, que viram Os Azeitonas e o fogo de artifício

3 – Em novembro e dezembro o Solar dos Zagallos recebeu oficinas para as famílias, exposições, mercados de Natal e concertos de música

8 – O Solar dos Zagallos, na Sobreda, voltou a acolher as tradicionais Janeiras, que este ano reuniram cerca de 900 vozes na Noite de Reis

4 – Quase 12 mil crianças assistiram à Festa de Natal das Escolas, no Complexo Municipal dos Desportos Cidade de Almada, com direito a lanche e presente

9 – A sala da Academia Almadense encheu-se para ouvir a Música nas Américas, dia 7 de janeiro, interpretada pela Orquestra Promenade, com direção do maestro venezuelano Joshua Santos

5 – O passeio Dois Pedais Mais Natais, fez parte do Mercado de Natal Amigo

9


concelho boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 10

No Fórum Municipal Romeu Correia

Plano de pormenor do Cais do Ginjal em exposição

A Escola Básica n.º 2 do Laranjeiro terá a designação de Escola Básica Alexandre Castanheira

Almadense, democrata, docente, associativista

Inaugura a 6 de fevereiro, às 18 horas, a exposição sobre o plano de pormenor do Cais do Ginjal, no átrio do Fórum Municipal Romeu Correia, em Almada. A exposição inclui uma maqueta do plano de pormenor elaborado pelo arquiteto Samuel Torres de Carvalho e poderá ser visitada até 28 de fevereiro. O plano de pormenor desta frente ribeirinha única, com um quilómetro de extensão, situada entre o Jardim do Rio e o terminal fluvial de Cacilhas, propõe reabilitar o cais ribeirinho e criar habitação, hotelaria, comércio, serviços, apartamentos turísticos, espaços públicos – mercados das artes e diversos equipamentos de apoio. O Plano de Pormenor do Cais do Ginjal encontra-se em período de discussão pública até ao próximo dia 19 de fevereiro. www.m-almada.pt/consulta

Alexandre Castanheira – 1928-2018 A Câmara Municipal de Almada lamentou o falecimento do almadense Alexandre Castanheira (1928-2018), ao aprovar, por unanimidade, dois votos de pesar em reunião pública realizada a 17 de janeiro, um dia depois da sua morte. Reconhecido não só como docente, mas também como romancista, ensaísta, poeta, dramaturgo, dirigente associativo e difusor da cultura portuguesa, Alexandre Castanheira esteve também sempre presente na atividade educativa e cultural de Almada. Nasceu em Almada, em 1928, e licenciou-se em Histórico-Filosóficas, na Faculdade de Letras de Lisboa, e em Literatura Moderna, na Universidade de Paris VIII. Defensor das causas da liberdade e da paz esteve preso várias vezes. Viu-se forçado a passar à clandestinidade e a exilar-se em França. Regressou a Portugal após a Revolução do 25 de Abril e continuou ao serviço das causas sindicais, das coletividades e do Poder Local Democrático. Em 1994, a CMA atribuiu-lhe a Medalha de Ouro de Mérito Cultural e, em abril de 2004, o Presidente da República, Jorge Sampaio, confere-lhe o grau de Comendador da Ordem da Liberdade. No final de 2017, a Câmara Municipal de Almada decidiu, por unanimidade, após aprovação pelo Conselho Geral do Agrupamento de Escolas Professor Ruy Luís Gomes, atribuir a designação de Escola Básica Alexandre Castanheira à Escola Básica n.º 2 do Laranjeiro.

Pormenor da maqueta do plano proposto para o Cais do Ginjal, que pode ser vista até 28 de fevereiro, no Fórum Municipal Romeu Correia, em Almada


CONCELHO boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 11

Livro Jovens em Foco lançado a 30 de novembro

«Todos eles são excelentes»

O vereador João Couvaneiro, com os pelouros da Educação e Juventude, com o grupo dos Jovens em Foco, homenageados no Dia Internacional da Cidade Educadora, 30 de novembro

Almada assinalou o Dia Internacional da Cidade Educadora, 30 de novembro, com o lançamento do livro Jovens em Foco 2016/2017. «É difícil ser excelente no que quer que seja, e todos eles são excelentes naquilo que fazem», afirmou o vice-presidente da Câmara Municipal, João Couvaneiro, na apresentação desta edição municipal. São para nós um motivo de orgulho, continuou o autarca, que garantiu que o executivo se compromete a «fazer com que Almada seja uma cidade que permita a todos a oportunidade de permanentemente se desenvolverem». Nesta publicação encontramos o percurso de 61 jovens de Almada, entre os 17 e os 30 anos, com ligação ao concelho e reconhecimento nacional e/ou internacional do seu mérito em diferentes áreas. O rosto destes jovens esteve também visível nas ruas do concelho, através de uma campanha de comunicação que valoriza o percurso ao nível cultural, desportivo, educativo ou solidário, dentro e fora das nossas fronteiras. A publicação Jovens em Foco 2016/2017 está disponível em www.issuu.com/cmalmada.

Uma flor no meu deserto

Jerónimo Jarmelo vence Prémio de Poesia e Ficção de Almada O autor almadense Jerónimo Jarmelo é o vencedor do Prémio Literário de Poesia e Ficção de Almada 2017, dedicada ao género Prosa de Ficção, com o original Uma flor no meu deserto. O prémio, no valor de 2500 euros, foi atribuído dia 7 de dezembro, no Fórum Municipal Romeu Correia – Sala Pablo Neruda. Em 2017, as obras originais de prosa de ficção foram avaliadas por Luís Vendeirinho, em representação da Associação Portuguesa de Escritores, Modesto Navarro, em representação da Câmara Municipal de Almada, e Francisco Moita Flores, em representação da Sociedade de Língua Portuguesa.

Uma flor no meu deserto De acordo com o porta-voz do júri, Modesto Navarro, «Uma flor no meu deserto é um romance histórico de profunda humanidade e resistência ao fascismo, bem estruturado e escrito, que fala do concelho de Almada e de como o sofrimento e a revolta podem gerar esclarecimento e afirmação dos que sofrem e lutam pela liberdade e pela felicidade que merecem». Jerónimo Jarmelo, pseudónimo de Jerónimo Pereira Santos, nasceu em Castanheira do Jarmelo (Guarda). Estudou línguas Clássico-Româ-

João Couvaneiro, vice-presidente da Câmara Municipal de Almada, com Jerónimo Jarmelo, vencedor do Prémio Literário de Poesia e Ficção de Almada

nicas, na Faculdade de Letras de Lisboa. É membro efetivo da Associação Portuguesa de Escritores e professor na Unisseixal – Universidade Sénior do Seixal e na Unica – Universidade Intergeracional do Concelho de Almada. É autor dos romances As Ninfas do Índico, Filho de Ninguém e Eu vou ser como a serpente, e do livro de poemas Inquietudes.

Prémio Poesia e Ficção de Almada Organizado pela Câmara Municipal, desde 1995, o Prémio Literário de Poesia e Ficção de Almada pretende estimular a criação literária e o aparecimento de novos autores naturais, residentes ou que exerçam a sua atividade no concelho.


concelho boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 12

Contra o isolamento de pessoas com demência e seus cuidadores

Café Memória

Mais de três centenas de pessoas participaram nas 12 sessões do Café Memória de Almada em 2017. Estes encontros, que juntam cuidadores e doentes, vão continuar em 2018

No âmbito do protocolo assinado no dia 18 de dezembro vão realizar-se no Museu da Cidade, na Cova da Piedade, as 12 sessões de 2018 do Café Memória de Almada

O protocolo que permite a continuidade do Café Memória de Almada, em 2018, foi assinado no passado dia 18 de dezembro. Criado, em 2013, pela Associação Portuguesa de Familiares e Amigos de Doentes de Alzheimer, o Café Memória procura ser um local de encontro destinado a pessoas com Alzheimer e/ou outras demências, bem como aos respetivos familiares e cuidadores, para partilha de experiências e suporte mútuo.

Apoios municipais em 2018

No âmbito deste protocolo, os apoios da Câmara Municipal de Almada (CMA) passam por divulgar o Café Memória Almada e atribuir um apoio pecuniário de 834 euros à Alzheimer Portugal. A CMA cede também, a título gratuito, uma sala no Museu da Cidade, na Cova da Piedade, para a realização, em 2018, das reuniões mensais do Café Memória de Almada, e que tiveram início a 13 de janeiro. Estas sessões realizam-se no segundo sábado de cada mês, exceto em maio e dezembro, entre as 10h30 e as 12h30 (ver caixa).

Ajudar na difícil tarefa de cuidar

Na ocasião, a presidente da CMA, Inês de Medeiros, evidenciou «a difícil tarefa dos cuidadores que têm de gerir, simultaneamente, a vida familiar, a vida profissional e a prestação de cuidados ao doente que têm a cargo». A autarca falou ainda da importância deste tipo de «apoio, tantas vezes necessário». Dados da Alzheimer Europe apontam para cerca de 182 mil pessoas com a doença em Portugal. Com base nestas estimativas, considera-se que em Almada existam cerca de 2700 pessoas com demência, situação que afeta, no mínimo, igual número de familiares cuidadores.

Assinaram este protocolo a CMA e mais nove entidades – Sonae Sierra Portugal, S. A., Alzheimer Portugal - Associação Portuguesa de Familiares e Amigos de Doentes de Alzheimer, Santa Casa da Misericórdia de Almada, Centro Social Paroquial Padre Ricardo Gameiro, Associação de Professores do Concelho de Almada, Liga de Amigos do Hospital Garcia de Orta, Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos do Concelho de Almada, Centro Social Paroquial de Cristo Rei e Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos da Freguesia de Cacilhas. www.cafememoria.pt

Calendário das sessões em 2018 - 13 de janeiro - 10 de fevereiro - 10 de março - 14 de abril - 5 de maio (1.º sábado) - 9 de junho

- 14 de julho - 11 de agosto - 8 de setembro - 13 de outubro - 10 de novembro - 15 de dezembro (3.º sábado)

Para participar não é necessário efetuar inscrição, basta aparecer.


CONCELHO boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 13

Prémio Almada Cidade Inteligente

Autarquia distingue os melhores alunos A 6.ª edição do Prémio Almada Cidade Inteligente reconheceu o mérito de 23 jovens de 14 escolas do concelho no ano letivo 2016/2017 O Auditório da Faculdade de Ciências e Tecnologia - Universidade Nova de Lisboa, na Caparica, recebeu, no dia 7 de dezembro, a cerimónia final do 6.º Prémio Almada Cidade Inteligente, onde foram entregues os diplomas de excelência aos alunos e de participação às escolas secundárias, pela presidente da Câmara Municipal de Almada (CMA), Inês de Medeiros, e o vice-presidente da CMA, João Couvaneiro.

Promovida pela autarquia, esta iniciativa, que decorreu entre outubro e dezembro, pretende divulgar e valorizar o mérito académico dos jovens que concluíram o ensino secundário, nas variantes de ciências e tecnologias e línguas e humanidades, e nos cursos profissionais/tecnológicos. A cada um dos melhores alunos a autarquia atribui um diploma e um prémio no valor de 500 euros.

No dia 7 de dezembro, o executivo municipal entregou os diplomas de excelência aos melhores alunos do a ano letivo 2016/2017

Alunos distinguidos no ano letivo 2016-2017 Agrupamento de Escolas Anselmo de Andrade Daniela Costa e Joana Castanheira Agrupamento de Escolas António Gedeão Catarina Dionísio e Débora Gonçalves Agrupamento de Escolas da Caparica Afonso Ferreira e Gabriel Dias Agrupamento de Escolas Daniel Sampaio Alexandre Almeida e Joana Carrilho Agrupamento de Escolas Emídio Navarro João Gonçalves e Miguel Casaca Agrupamento de Escolas Francisco Simões Daniel Estevão Agrupamento de Escolas Prof. Ruy Luís Gomes Beatriz Santos e Neuza Magalhães

Agrupamento de Escolas Romeu Correia João Pedro Carvalho e Ricardo Leal Escola Secundária Cacilhas-Tejo Miguel Pereira e Beatriz Rocha Escola Secundária Fernão Mendes Pinto Ester Branco e Sabrina Oliveira Colégio Campo de Flores João Neves Externato Frei Luís de Sousa Marta Santos Escola Profissional de Almada Francisco Gervásio Escola Profissional de Educação Para o Desenvolvimento Ana Catarina André


concelho boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 14

26 anos ao serviço da população

Hospital Garcia de Orta investe na qualificação O Hospital Garcia de Orta assinalou o culminar das celebrações do 25.º aniversário com uma sessão comemorativa e com a inauguração da nova Unidade de Cirurgia de Ambulatório pelo ministro da Saúde

Daniel Ferro, presidente do Conselho de Administração do HGO, com Inês de Medeiros, presidente da Câmara Municipal da Almada (CMA) e Adalberto Campos Fernandes, ministro da Saúde

No dia 19 de dezembro realizou-se a sessão de encerramento das comemorações dos 25 anos do Hospital Garcia de Orta (HGO), na qual foi apresentado um balanço das atividades realizadas ao longo do último ano e atribuído o Prémio de Investigação Clínica Garcia de Orta 2017, que distinguiu a investigação realizada pelo Centro de Infertilidade e Reprodução Medicamente Assistida do HGO. A iniciativa contou com a participação da presidente da Câmara Municipal de Almada, Inês de Medeiros, que realçou a excelência do serviço prestado pelo HGO e a sua importância para o bem-estar da população do concelho de Almada, considerando-o «um equipamento essencial». Esteve também presente o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, que inaugurou a Unidade de Cirurgia de Ambulatório. Na ocasião foram visitados os espaços onde irá ser instalado o PET – Tomografia por Emissão de Positrões (Medicina Nuclear) e a futura Unidade de Internamento, com 30 camas, ainda em construção, bem como o Centro de Rastreio do HGO.

Investimentos em curso Centro de Rastreio O HGO integra, desde meados de 2017, o Programa da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo para centralização, na Península de Setúbal, do rastreio do cancro do colo do útero, do cólon e reto, e da retinopatia diabética. Do total de 34 mil utentes a rastrear, até ao final do ano estarão rastreados cerca de cinco mil doentes, sendo que 230 já necessitaram de tratamento. Investimento: 200 mil euros Tomografia por Emissão de Positrões A partir de março de 2018, será instalada o PET – Tomografia por Emissão de Positrões. A unidade de PET do HGO terá capacidade para realizar cerca de 4500 exames, que permitem detetar e localizar lesões oncológicas, auxiliando o diagnóstico e a escolha de terapêutica futura. Investimento: 2 milhões de euros, cofinanciado pelo Programa Portugal 2020

Unidade de Cirurgia do Ambulatório Entrou recentemente em funcionamento a Unidade de Cirurgia do Ambulatório (UCA), no espaço onde anteriormente existia o Arquivo Clínico do HGO. A nova UCA comporta duas salas de cirurgia e recobro cirúrgico. Com capacidade inicial para 2500 cirurgias, espera-se que chegue às 3000 cirurgias em 2018. Investimento: 490 mil euros Nova Unidade de Internamento O espaço da antiga Unidade de Cirurgia do Ambulatório, situada no piso 6, está a ser adaptado com vista à criação de uma enfermaria com 30 camas, destinada a aumentar a lotação do HGO, cuja taxa de ocupação é superior a 90%, com picos até 95%. Esta intervenção integra a primeira fase da ampliação do HGO, até à construção do edifício de ambulatório. Investimento: 450 mil euros


CONCELHO boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 15

Aplicação gratuita para melhorar o espaço público

Almada Mais perto dos munícipes

A aplicação Almada Mais Perto permite comunicar à autarquia os problemas no espaço público no concelho de Almada

Em funcionamento desde janeiro de 2017, a aplicação Almada Mais Perto registou cerca de duas mil ocorrências comunicadas pelos munícipes. Disponível para telemóveis, com sistemas Android e iOS (aplicação disponível no Google Play e da APP Store), sem qualquer custo para os utilizadores, a aplicação Almada Mais Perto é simples e intuitiva, contribuindo para uma melhoria da resposta da autarquia às reclamações e sugestões enviadas. A limpeza, a manutenção do espaço público, o trânsito, os espaços verdes e a iluminação pública são os temas (ver caixa) que têm registado o maior número de ocorrências através deste canal de comunicação.

Depois de enviadas, as ocorrências são encaminhadas para os vários serviços. Na aplicação os utilizadores podem consultar o estado das mensagens enviadas, se estão em tratamento, resolvidas ou mesmo encaminhadas para outras entidades, quando a resolução não é de competência municipal. Experimente e contribua para melhorar o espaço público no concelho. Não custa nada. Gabinete de Atendimento Municipal Linha Verde Almada Informa: 800 206 770 almadainforma@cma.m-almada.pt

TEMAS NA APLICAÇÃO Animais Captura de animais de companhia, controlo de população de animais (gatos e pombos), higiene e segurança alimentar. Espaços Verdes Árvores, floreiras, conservação de parques urbanos e jardins públicos, rega, bancos, bebedouros, fontes e tanques, pavimento. Limpeza Contentores, ecopontos, varredura e lavagem de rua, corte de ervas, dispensador de sacos para dejetos caninos, papeleiras, desinfestação. Iluminação Pública Manutenção e colocação de postes de eletricidades (exceto lâmpadas fundidas, que são de competência direta da EDP).

Manutenção do Espaço Público Mobiliário urbano (bancos, corrimões, apoios de praia), conservação de muros e muretes, limpeza de graffitis. Proteção Civil Risco de queda de árvores, estruturas, edifícios; incêndio, deslizamento de terras ou inundação, riscos de danos em redes elétricas, gás, outras. Parques Infantis Conservação do parque e equipamentos de recreio, bancos, pavimento, papeleiras e bebedouros. Trânsito Conservação do pavimento, passeios e calçada, arruamentos, impedimentos físicos, estacionamento abusivo, sinalização horizontal e vertical, transportes públicos.


DOSSIÊ

Biblioteca, a casa dos sentidos e da imaginação

© Zita (2016)

DOSSIê

boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 16

bibliotecas escolares

20 anos a promover a leitura


DOSSIÊ boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 17

DOSSIê

Em Almada, a Rede de Bibliotecas Escolares teve o seu início em 1997. Hoje, passadas duas décadas, as crianças e jovens almadenses podem usufruir de 51 bibliotecas escolares, distribuídas pelas 11 freguesias do concelho. Espaços onde se promovem a leitura e a escrita, competências fundamentais para aprendizagem. Espaços onde o saber não ocupa lugar.

Matilde, 9 anos, é uma das jovens utilizadoras das bibliotecas escolares existentes no concelho de Almada. «Na biblioteca temos oportunidade de requisitar livros para ler, estudar, saber o que se passa à nossa volta, mas também podemos aprender informática», conta. A paixão pelos livros e gosto pela leitura são, igualmente, partilhados pelos colegas Tomás, Leonardo, Helena e Henrique, alunos do 1.º ciclo da Escola Básica Cataventos da Paz, em Cacilhas, que, desde abril de 2017, dispõe de uma biblioteca escolar. Para todos, a visita à biblioteca é sempre um momento especial.

Uma biblioteca escolar é um espaço de integração social, de descoberta, das emoções, da criatividade, da imaginação. Uma “casa” onde floresce a aprendizagem

De acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), a leitura será uma das principais competências que os jovens devem dominar numa sociedade digital em constante mudança. «O papel das bibliotecas escolares no desenvolvimento do gosto e da competência leitora é fundamental. Importa que o aluno estabeleça um laço afetivo com a leitura e que o faça da forma que mais se lhe adequada: suporte livro ou digital, leitura de clássicos e de grande fôlego ou uma leitura de um texto mais simples que

o vá fidelizando e seja trampolim para voos mais altos», como defende João Paulo Proença, coordenador interconcelhio para as Bibliotecas Escolares dos Concelhos de Almada e do Seixal. A promoção de hábitos de leitura e escrita, a criação e fidelização de leitores aptos a ler em diversos suportes, que também sejam autónomos a encontrar a informação de que necessitam e leitores críticos na construção da cidadania, são alguns dos objetivos das bibliotecas escolares.


DOSSIÊ

DOSSIê

boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 18

Rede de Bibliotecas Escolares

Duas décadas, 51 bibliotecas escolares

Lançado em 1996, o Programa da Rede de Bibliotecas Escolares tem como objetivo instalar e desenvolver bibliotecas em escolas públicas de todos os níveis de ensino, disponibilizando aos utilizadores os recursos necessários à leitura, ao acesso, uso e produção da informação em suporte analógico e digital. No ano seguinte, surgem os serviços municipais de apoio às bibliotecas escolares (SABE) e são lançadas as candidaturas concelhias que permitiram o trabalho conjunto de redes concelhias de bibliotecas municipais e escolares.

Entre 2000 e 2002, integraram a Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) de Almada 27 bibliotecas escolares, ficando abrangidos todos os estabelecimentos do ensino secundário e do 2.º e 3.º ciclo do ensino básico. Passadas duas décadas, a RBE está consolidada. Atualmente, existem no concelho 49 bibliotecas escolares integradas na RBE e mais duas bibliotecas que recebem igualmente apoio da autarquia, num total de 51 bibliotecas escolares. Das 49 bibliotecas escolares, distribuídas pelas 11 freguesias do concelho, 30 são da responsabilidade municipal e estão instaladas nas escolas básicas do 1.º Ciclo. Os estabelecimentos de ensino que não possuem bibliotecas escolares, maioritariamente jardins-de-infância, são abrangidos pelo serviço de biblioteca escolar do agrupamento de escolas a que pertencem. Para esses alunos são também organizadas maletas pedagógicas, visitas de escritores ou autores, horas do conto e outras atividades de sensibilização à leitura.

SABE. O que é? Em Almada, o Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares (SABE) da Rede Municipal de Bibliotecas de Almada foi criado no ano 2000, quando teve início a integração das primeiras bibliotecas escolares do concelho de Almada na Rede Nacional. Inicialmente, o SABE apenas prestava apoio técnico à criação e organização das bibliotecas nas escolas e ao tratamento técnico das coleções. A partir de 2011, a intervenção ampliou-se, integrando uma vertente de apoio a projetos e atividades. Atualmente a sua missão é apoiar as bibliotecas escolares nas vertentes técnica e de promoção do livro, da leitura e das literacias, desenvolvendo e consolidando um trabalho de parceria que contribua para a criação de leitores aptos a ler, em diversos suportes, e capazes de encontrar, de forma autónoma, a informação de que necessitam.

Todos os anos, a Câmara Municipal de Almada atribui uma verba para apoio às bibliotecas escolares


DOSSIÊ

DOSSIê

boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 19

Investimento municipal Ao longo dos últimos 20 anos a autarquia investiu na consolidação da rede de bibliotecas escolares do município, através da aquisição de fundo documental, de mobiliário e equipamento informático. A criação das bibliotecas escolares obrigou, na maioria das escolas, à realização de obras de adequação e melhoramento do espaço físico das salas destinados. As escolas básicas mais recentes foram apetrechadas, de raiz, com a sala para a biblioteca escolar, mobiliário e um fundo documental inicial. Todos os anos, a Câmara Municipal de Almada atribui ainda uma verba para apoio às bibliotecas escolares, privilegiando as que estão a funcionar há mais tempo. De acordo com a avaliação, feita pelos professores bibliotecários em articulação com os técnicos municipais, são definidos os investimentos a realizar na renovação de mobiliário, equipamento e na atualização do fundo documental. Os fundos documentais do 1.º Ciclo do Ensino Básico têm mais de 30 mil documentos, que podem ser consultados no catálogo online em: http://catalogo.m-almada.pt.

Encontro de Bibliotecas Escolares Com o objetivo de sensibilizar a comunidade educativa para a importância que as bibliotecas nas escolas têm para a formação de cidadãos responsáveis e participativos na vida da comunidade, e de disseminar as boas práticas na promoção das literacias, a Câmara Municipal de Almada, em parceria com a Rede de Bibliotecas Escolares, organiza, desde 2013, o Encontro de Bibliotecas Escolares do concelho.

a leitura será uma das principais competências que os jovens devem dominar numa sociedade digital em constante mudança

Missão das Bibliotecas Escolares • Promover a leitura autónoma e por prazer, com o direito à escolha livre a autónoma • Incentivar a leitura e a escrita em distintos contextos, formatos e suportes • Estimular a transversalidade da leitura, numa perspetiva curricular integrada • Envolver as famílias e a comunidade na promoção e incentivo da leitura e da escrita


DOSSIÊ boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 20

DOSSIê

alguns Projetos dinamizados pelas Bibliotecas Escolares de Almada Projeto Europeu Read on Dinamizador: Agrupamento de Escolas Carlos Gargaté Início: 2017 Destinatários: Jovens dos 12 aos 19 anos Descrição/Principais objetivos: Até maio de 2021, o Agrupamento de Escolas Carlos Gargaté, Charneca de Caparica, e outros seis parceiros internacionais, incluindo escolas, festivais e centros de promoção cultural, da Noruega, Itália, Reino Unido, Espanha e Irlanda, vão promover diversas ações focadas na promoção da literatura nas diferentes vertentes, hábitos de leitura, narrativas e mundo digital, relação entre autores e jovens leitores. Algumas das iniciativas planeadas pelo projeto READ ON incluem a criação de antologias colaborativas, a produção de um podcast dedicado a formas emergentes de contar histórias, a criação de uma oficina permanente para fãs de ficção, uma competição para narradores e autores de banda desenhada, entre os 14 e os 20 anos, encontros entre autores e jovens leitores, e autores que envolvem jovens na criação de histórias. Mais informações em http://readon.eu/en/home

Os utentes do Centro Social Paroquial Padre Ricardo Gameiro, parceiro nuclear desta iniciativa, partilham igualmente recolhas de textos alusivos a um tema, poemas escritos pela sua própria pena, canções ou mesmo marcadores de livros e outros trabalhos manuais aos jovens que participam no projeto.

História a partir de um olhar Dinamizador: Escolar Secundária Ruy Luís Gomes Início: 2016/2017 Destinatários: Alunos do Curso Profissional de Técnico de Fotografia Descrição/Principais objetivos: A biblioteca surge no acompanhamento dos projetos de final de curso, Prova de Aptidão Profissional, como eixo estruturante no processo construtivo, quer das ideias, quer do desenvolvimento de projetos. Ao longo do processo de construção de uma narrativa literária e visual, é na biblioteca que estes alunos encontram “espaços” para a investigação. É também na biblioteca que procuram os recursos necessários, aqueles que existem, e aqueles que, quando não existem, se constroem ou se procuram.

Crescer para a Ciência Dinamizador: Agrupamento de Escolas Romeu Correia Início: 2010/2011, no âmbito do programa de apoio a bibliotecas escolares, iniciativa da Fundação Calouste Gulbenkian Destinatários: Crianças do pré-escolar, alunos do 1.º e 2.º Ciclos, alunos do Secundário Descrição/Principais objetivos: Estimular nos alunos mais jovens o gosto pela atividade científica através do contacto com várias vertentes da experimentação científica. Desenvolver nos alunos mais velhos aa capacidade comunicativa através da apresentação dos seus conhecimentos aos colegas mais jovens. Dotar a escola dos necessários meios materiais, quer na forma de instrumentos que permitam a experimentação científica, quer na forma de bibliografia que possibilite um estudo científico mais alargado.

Leituras encenadas e outras Dinamizador: Escolar Secundária Fernão Mendes Pinto Início: 2016/2017 (projeto bianual) Destinatários: Alunos do ensino secundário (turmas de 10.º ano, em 2016/17, e que presentemente frequentam o 11.º ano de escolaridade), em parceria com idosos do Centro Social Paroquial Padre Ricardo Gameiro Descrição/Principais objetivos: Despertar ou desenvolver nos jovens a fruição da leitura, nomeadamente de textos narrativos, poéticos e científicos, e a sua partilha com idosos, promovendo o contacto intergeracional.

Projeto educativo Livro Livre Dinamizador: Agrupamento de Escolas Daniel Sampaio Início: 2016/2017 Destinatários: Alunos da Escola Básica de Vale Rosal e da Escola Secundária Daniel Sampaio Descrição/Principais objetivos: O projeto educativo Livro Livre é um livro em construção sobre o 25 de Abril. Um livro inacabado, cuja versão final será sempre a do aluno, coautor, juntamente com a ilustradora Danuta Wojciechowska, o historiador Francisco Ruivo e a designer Joana Paz, seus criadores. Os testemunhos dos alunos e os resultados obtidos validam este projeto de articulação curricular que promove também a cidadania através da partilha intergeracional de conhecimentos.

Mar de Leituras Dinamizador: Agrupamento de Escolas Anselmo de Andrade Início: 2013/2014 Destinatários: Alunos dos diferentes níveis de escolaridade Descrição/Principais objetivos: Abordar temáticas ligadas ao mar de forma transversal a diferentes disciplinas e áreas curriculares; promover a leitura e a produção de textos de diferentes tipologias, tendo como tema o mar; conhecer a importância do mar enquanto recurso; incentivar a criatividade dos alunos. O trabalho desenvolvido inclui atividades que vão da pesquisa, seleção,


DOSSIÊ boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 21

Crescer e Partilhar – Avós do Coração Dinamizador: Agrupamento de Escolas Ruy Luís Gomes Início: 2011/2012 Destinatários: Jardim-de-Infância, em parceria com a Alma Alentejana e a Associação dos Reformados Pensionistas e Idosos do Laranjeiro e Feijó (ARPILF) Descrição/Principais objetivos: Promover a interação e a partilha de saberes e experiências entre crianças e idosos na diversidade da sua experiência de vida e na curiosidade natural das crianças que estão a descobrir o mundo. Valorizar o papel que os idosos podem desempenhar junto das crianças na transmissão da identidade cultural e do património oral. Sensibilizar as crianças para valores fundamentais como a solidariedade, a amizade, o respeito, a partilha e a interajuda.

Projeto solidário Histórias da Ajudaris Dinamizadores: Escola Básica de Vale Rosal, Agrupamento de Escolas Emídio Navarro, Escola Básica Elias Garcia, Agrupamento de Escolas Ruy Luís Gomes e Agrupamento de Escolas António Gedeão Início: 2012/2013 Destinatários: Crianças do pré-escolar e alunos do 1.º e 2.º Ciclos Descrição/Principais objetivos: Concretiza-se a partir da edição de livros escritos por crianças para crianças, colhendo a inspiração em temas como a cidadania, os afetos e o ambiente. Pretende promover a leitura, a escrita, a arte e estimular a prática da cidadania e da solidariedade. Em 2017, o tema abordado foi A Família.

Quem somos? Ler o nosso mundo Dinamizador: Rede Municipal de Bibliotecas de Almada, Rede Concelhia de Bibliotecas Escolares e Associação Portuguesa de Ética e Filosofia Prática Início: 2016/2017 Destinatários: Crianças e jovens do concelho

Projeto Multileituras Dinamizador: Agrupamento de Escolas Anselmo de Andrade Início: 2017 Destinatários: Alunos da turma B do pré-escolar Descrição/Principais objetivos: Projeto desenvolvido em colaboração com a Unidade de Apoio Especializado para a Educação a Alunos com Multideficiência deste agrupamento, que pretende ajudar os participantes a aprender a ler o mundo e a capacitarem-se para debater e construir opinião. Pretende ainda envolver pais e encarregados de educação no debate e a participar num projeto em rede no âmbito da Rede de Bibliotecas Escolares e da Biblioteca Municipal de Almada.

Descrição/Principais objetivos: Sensibilizar as crianças e jovens para a importância do livro e da leitura para um melhor conhecimento e compreensão do mundo, do eu e do outro que nos rodeia. Através de desafios filosóficos os alunos são levados a deixar de olhar para si próprios e para a sua forma de ser e estar no mundo como sendo única, procurando promover atitudes de aceitação das diferenças, de partilha, cooperação e solidariedade. Bibliotecas Escolares de Almada www.facebook.com/BEAlmada

DOSSIê

ilustração e produção de textos de diferentes tipologias, à sua reinterpretação e representação em diferentes registos e suportes, à realização de visitas de estudo e workshops, a sessões de leitura dramatizada, palestras, atividades de produção literária e artística.


concelho boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 22

Quartos de final da Taça Portugal em futebol

Cova da Piedade deu luta ao Sporting

O golo do Clube Desportivo Cova da Piedade foi marcado por Cléo, na marcação de uma grande penalidade, aos 58 minutos, e, na altura deu o empate à equipa piedense

O Clube Desportivo Cova da Piedade (CDCP) foi um digno adversário do Sporting Clube de Portugal (SCP) no jogo dos quartos de final da Taça de Portugal. A equipa piedense que, pela segunda vez no seu historial, marcou presença nesta eliminatória da competição, perdeu por 1-2, mas chegou mesmo a igualar o encontro, a uma bola, com um golo marcado, aos 58 minutos, pelo avançado Cléo. A partida, disputada no dia 10 de janeiro, no Estádio do Bonfim, em Setúbal, contou com a presença da presidente da Câmara Municipal de

Almada (CMA), Inês de Medeiros, e do vice-presidente da CMA, João Couvaneiro, a convite da direção do CDCP. Nos oitavos de final da Taça de Portugal, o CDCP tinha eliminado, na Madeira, o Marítimo (I Liga), na marcação de grandes penalidades (2-4). Na temporada 2017/2018, o Clube Desportivo Cova da Piedade encontra-se a disputar, pelo segundo ano consecutivo, o campeonato da II Liga de futebol profissional, jogando, as partidas, em casa, no Estádio Municipal José Martins Vieira, na Cova da Piedade.

24.º Campeonato Nacional de KaratE – Cadetes, Juniores e Sub-21

O karateca almadense Diogo Moreira, do Karate Clube Margem Sul (KCMS), revalidou, pela quarta vez consecutiva, o título de campeão nacional, desta vez em Kumite Sub-21. A vitória foi alcançada no Campeonato Nacional de Karate – Cadetes, Juniores e Sub-21, realizado a 9 e 10 de dezembro, na Maia, e onde participaram 139 clubes. Diogo Moreira foi um dos jovens distinguidos pela Câmara Municipal de Almada (CMA), em novembro, na Gala Jovens Talentos, com o Prémio Jovem Talento na categoria «Almada, Terra do Bem-Estar e do Desporto», com o júri a destacar «o seu carácter exemplar enquanto pessoa e atleta» e a sua capacidade de «superação constante». Também numa iniciativa da CMA, Diogo Moreira foi um dos 61 jovens almadenses que viram o seu percurso valorizado com a publicação do livro Jovens em Foco e uma campanha de comunicação de rua, no âmbito do Dia Internacional da Cidade Educadora. O KCMS participou neste Campeonato Nacional de Karate com mais duas atletas, com Carolina Henriques a conquistar a medalha de bronze em Kata Sub-21 e Filipa Gonçalves a alcançar um 5.º lugar em Kumite +54 kg. Os atletas foram acompanhados na competição pelos treinadores Ricardo Camisão e Ricardo Mendonça. O Karate Clube Margem Sul é um jovem clube de Almada, tendo celebrado, no passado mês de dezembro, o seu 10.º aniversário.

Diogo Moreira é tetracampeão

Diogo Moreira, no lugar mais alto do pódio, é atleta do Karaté Clube Margem Sul © fnkp


CONCELHO boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 23

30.º Corta Mato Escolar Concelhio

Parque da Paz animado com manhã desportiva

Miguel Oliveira (ao centro), eleito Atleta do Ano, acompanhado por Augusto Baganha, presidente do Instituto Português do Desporto e Juventude (à esq.), e Ilídio Trindade, vice-presidente da Confederação do Desporto de Portugal (à dta.)

Cerca de dois mil estudantes, em representação de mais de 40 escolas públicas e privadas, participaram a 23 de janeiro, na 30.ª edição do Corta Mato Escolar Concelhio de Almada. Na grande festa do Desporto Escolar, o verde do Parque da Paz ganhou outro colorido com as diferentes provas dos jovens atletas, divididos por vários escalões, consoante as idades. Nelson Cruz, atleta amador do Clube Pedro Pessoa – Escola de Atletismo (Sobreda), foi o padrinho desta edição, tendo sido, na ocasião homenageado pelo Município. Este Corta Mato é uma organização da autarquia e da Coordenação do Desporto Escolar da Península de Setúbal, com o apoio das escolas do concelho.

Jorge Rocha, presidente da Associação de Coletividades do Concelho de Almada, recebeu o Prémio de Personalidade do Ano das mãos de Luís Calvário, vogal do Conselho Fiscal da Confederação do Desporto de Portugal

Gala do Desporto 2018

Almadenses entre atletas e instituições distinguidas A Associação de Coletividades do Concelho de Almada (ACCA) recebeu o Prémio Personalidade do Ano na Gala do Desporto 2018, realizada no dia 17 de janeiro, no Casino do Estoril. Na mesma ocasião, o piloto almadense, Miguel Oliveira, foi distinguido com o Prémio Atleta do Ano. A distinção foi atribuída à ACCA pela Confederação do Desporto de Portugal, após proposta da Confederação Portuguesa das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto (CPCCRD), como «reconhecimento à sua intervenção e participação na divulgação dos jogos tradicionais». Fundada a 20 de novembro de 2001, a ACCA, com sede na Cova da Piedade, tem-se evidenciado pela promoção do desporto, em particular dos jogos tradicionais, sendo reconhecida, pela sua ação no concelho de Almada, mas também ao nível regional e nacional. No que diz respeito a Miguel Oliveira, o jovem piloto da Charneca de Caparica, estreou-se no Mundial de Motociclismo em 2011. No ano passado, conseguiu três vitórias na categoria de Moto2, terminando o campeonato no 3.º lugar.

Os cerca de dois mil inscritos no 30.ª Corta Mato Escolar Concelhio de Almada percorreram, consoante as idades, distâncias entre os 500 metros e os 3500 metros

Nelson Cruz (4.º a contar da esq. na foto), padrinho da edição 2018, foi homenageado pelo Município de Almada. O vice-presidente da Câmara Municipal, João Couvaneiro agradeceu ao atleta por levar «tão longe o nome de Almada»


concelho boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 24

De 22 a 31 de março

Caparica Primavera Surf Fest eleva a Costa a Capital Europeia do Surf

No final de março, a Costa da Caparica recebe mais de mil atletas de 25 nacionalidades, em 25 provas de 10 de modalidades de ondas, elevando esta cidade a Capital Europeia do Surf. O cartaz musical é liderado por HMB, Orelha Negra, Dead Combo, Carlão, Jimmy P, Sara Tavares, entre muitos outros

A apresentação do Caparica Primavera Surf Fest (CPSF) 2018 realizou-se no dia 17 de janeiro, na Costa da Caparica. Na foto: Miguel Inácio, diretor desportivo do evento, António Miguel Guimarães, diretor artístico e de produção do CPSF, Inês de Medeiros, presidente da Câmara Municipal de Almada (CMA), João Couvaneiro, vice-presidente e vereador do Desporto da CMA, e José Ricardo Martins, presidente da Junta de Freguesia da Costa da Caparica

De 22 a 31 de março, o Caparica Primavera Surf Fest (CPSF), promovido pela Câmara Municipal de Almada (CMA), chega à sua 4.ª edição, como o maior festival de desportos de ondas e música do país e um dos maiores da Europa. São dez dias de festa na Praia do Paraíso, na Costa da Caparica, que prometem ser vividos intensamente, dentro e fora de água.

Os artistas das ondas… Mais de mil atletas vão dar o seu melhor nas 25 provas de surf, longboard, bodyboard, bodysurf, windsurf, kitesurf, kayaksurf, sup e skim. Das dez competições internacionais, merecem destaque as etapas do Circuito Mundial de Qualificação e do Junior Qualifying Series, promovidas pela WSL – World Surf League. Este ano, pela primeira vez, a Costa da Caparica recebe o Campeonato Europeu de Bodyboard Pro, com a presença dos melhores bodyborders europeus, entre os quais a portuguesa Joana Schenker, atual campeã do circuito e campeã mundial. O programa desportivo engloba ainda a realização de sete campeonatos nacionais, oito campeonatos regionais e nove provas de exibição.

… e dos palcos E com as ondas e o areal sempre por perto, o CPSF 2018 faz-se também de boa música. Orelha Negra, Dead Combo, Poli, Carlão e Jimmy P têm presença mar-

cada para o palco da grande tenda instalada junto à praia, aos quais se juntam ainda, muitos outros, como os HMB, Sara Tavares ou Valete. No total, são 24 artistas e DJ`s para seis noites temáticas, com concertos que vão do hip hop ao rock, da nova pop ao afro.

Costa todo o ano Na apresentação da edição 2018 do CPSF, a 17 de janeiro, a presidente da CMA, Inês de Medeiros, afirmou que para o Município «a Costa da Caparica é uma prioridade», nomeadamente através da «promoção do programa Costa Todo o Ano», com o objetivo de «trazer mais vida e reabilitar a Costa da Caparica para as mais diversas atividades, incluindo o turismo e o desporto». Para João Couvaneiro, vice-presidente da CMA, o concelho de Almada tem «uma frente de costa de exceção, uma das zonas mais bonitas do país». Para além das vertentes ligadas à educação, através do Desporto Escolar, e à ação social, a importância da vitalidade económica associada aos desportos de ondas foi também abordada pela presidente da CMA, lembrando que existem na Costa da Caparica «quatro clubes ativos, sete fábricas de pranchas, cerca de 30 escolas, para além de dezenas de outras que visitam regularmente estas praias, 12 surf shops e o Museu do Surf, único no país». Informações www.caparica-primaverasurffest.pt www.facebook.com/caparica-primaverasurffest


CONCELHO boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 25

Cartaz musical Todos os dias – 18h/22h Red Dragon Beach Club - Praia do Dragão Vermelho

DJ SET COM RUI ABREU

22 março, 5.ª feira – 22h

29 março, 5.ª feira – 22h DEAD COMBO POLI BATEU MATOU DJ KITTEN

HMB MGDRY ENOQUE DJ GLUE

30 março, 6.ª feira – 22h

23 março, 6.ª feira – 22h

31 março, sábado – 22h

SLOW J MISHLAWI OS QUATRO E MEIA BONS RAPAZES DJ SET

Carlão ©Vera Marmelo

Poli ©Mike Ghost

CARLÃO JIMMY P SAM THE KID & BIG DJ SET SARA TAVARES LOONY JOHNSON RICKY BOY NELSON CUNHA DJ SET

Dead Combo ©Direitos Reservados

24 de março, sábado – 22h VALETE ORELHA NEGRA GROGNATION NOITE COPENHAGEN

COM DAVID PINHEIRO E SHAKA LION DJ SET

Eu também vou ao CPSF 2018 Competições desportivas: - Entrada livre Concertos: - Bilhete diário: 10 euros (8 euros, mediante apresentação de Cartão de Estudante) - Passe 10 dias: 30 euros (25 euros, mediante apresentação de Cartão de Estudante) Bilhetes e passes à venda em www.ticketline.sapo.pt e lojas Fnac (a partir de 1 de fevereiro) e, brevemente, na Loja do Munícipe (Almada), Centro Municipal de Turismo (Cacilhas) e Posto Municipal de Turismo (Costa da Caparica).

HMB ©Direitos Reservados

Sara Tavares ©Ana Trindade


concelho boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 26


perfil

Perfil Perfil

boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO boletim almada 244 JANEIro 2018 2018 27

Arquiteto

João Escaleira Amaral Veio do concelho vizinho (Seixal), mas vive e trabalha em Almada, onde em conjunto com a sua esposa, também arquiteta, formou o Estúdio AMATAM, no Quarteirão das Artes. Foi a segunda empresa a instalar-se nesta incubadora de empresas, criada em 2013, pela Câmara Municipal de Almada. Na bagagem trazia uma licenciatura na Faculdade de Arquitetura de Lisboa, um mestrado em estudos avançado na ETH, uma das mais conceituadas universidades do mundo, na Suíça, e as experiências profissionais que o levaram à Holanda, Itália e Brasil, país onde participou na reorganização de 120 hectares de uma favela em São Paulo. O primeiro projeto do Estúdio AMATAM foi a reformulação de um espaço para crianças num ginásio em Linda-a-Velha, que foi finalista dos 2014 Win Awards, destacando-se entre os 610 projetos concorrentes, de todo o mundo. A empresa foi crescendo, apesar da crise que se viveu em Portugal, projeto após projeto, contando já com mais quatro arquitetos. Apesar de não os valorizar muito, nestes quatro anos, os prémios têm distinguido o trabalho deste estúdio, onde já é difícil desdobrar uma planta de arquitetura sem incomodar o colega do lado. Este ano venceram os German Design Awards 2018, na categoria de Interior Architecture, com um projeto de um ginásio em Braga. Ginásios, moradias, apartamentos. Os desafios sucedem-se. O maior de todos foi há quase três anos e atende pelo nome de Gui. É que além de arquiteto viajado, e de cozinheiro de mão cheia, João é também um pai babado, como se lê no site de apresentação desta empresa de Almada.


MUNICÍPIo boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 28

Em 2018, o IMI no concelho de Almada vai manter-se em 0,36%

Deliberações da Assembleia Municipal

IMI familiar avança em 2018 Este ano, as famílias com três ou mais filhos vão ter uma redução de 70 euros no Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI). A decisão foi tomada pela Assembleia Municipal de Almada • Na última sessão do ano da Assembleia Municipal de Almada (AMA), reunida a 21 e 22 de dezembro, foram aprovadas as seguintes taxas relativas ao Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), a vigorar em 2018: • Taxa de IMI de 0,36% para os prédios urbanos; • Agravamento de 30% na taxa do IMI para os prédios degradados; • Aplicação do triplo da taxa de IMI, para os prédios urbanos que se encontrem devolutos há mais de um ano e para os prédios em ruínas; • Redução em 20% da taxa de IMI para os prédios habitacionais arrendados cujos proprietários hajam feito prova do respetivo arrendamento, junto da Câmara Municipal, até 30/06/2017; • Redução em 15% da taxa de IMI para os prédios urbanos com eficiência energética, considerando como tal os classificados com A/A+, ou que, em resultado de obras de construção, reconstrução, alteração, ampliação e conservação de edifícios, a classe energética atribuída ao prédio seja superior, em pelo menos duas classes, face à classe energética anteriormente certificada; • Redução em 30% a taxa de IMI para prédios localizados em zonas

delimitadas nas freguesias, cujos proprietários tenham comprovado, até 30 de setembro de 2017, a realização de obras, efetuadas entre outubro de 2016 e setembro de 2017; • Isenção de IMI nos prédios urbanos localizados em áreas de reabilitação urbana, que tenham sido objeto de ações de reabilitação por um período de cinco anos a contar do ano, inclusive, da conclusão da mesma reabilitação; • Isenção do Imposto Municipal de Transações Onerosas de Imóveis (IMT) para as aquisições de prédio urbano, ou de fração autónoma, destinado exclusivamente a habitação própria e permanente, na primeira transmissão onerosa do prédio reabilitado, quando localizado na área de reabilitação urbana; • Isenção de IMI para as coletividades de cultura e recreio, as organizações não-governamentais e outro tipo de associações não lucrativas, a quem tenha sido reconhecida utilidade pública, relativamente aos prédios utilizados como sedes destas entidades; • Redução de 70 euros no IMI para o prédio ou parte do prédio urbano destinado a habitação própria e permanente do sujeito passivo ou do seu agregado familiar cuja composição integre três ou mais dependentes.


MUNICÍPIo boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 29

A Assembleia Municipal saudou o 40.º aniversário da Faculdade de Ciências e Tecnologia, localizada no Campus da Caparica

Derrama

Em 2018, a Derrama (imposto que incide sobre o lucro tributável das empresas) vai situar-se nos 1,25%. Tal como nos anos anteriores, ficam isentos do pagamento deste imposto as empresas cujo volume de negócios não ultrapasse 150 mil euros.

A AMA aprovou também as seguintes deliberações: - Regulamento de Funcionamento do Corpo de Voluntários de Proteção Civil de Almada; - Fixação do percentual de 5% relativo ao IRS para aplicar sobre os rendimentos do ano de 2018; - Fixação da Taxa Municipal de Direitos de Passagem em 0,25% sobre o total da faturação medida emitida pelas empresas que oferecem redes e serviços de comunicação eletrónicas acessíveis ao público;

- De recomendação sobre a necessidade de intervenção em dois painéis de arte pública; - De condenação pelo reconhecimento de Jerusalém como capital do Estado de Israel pelo Presidente dos Estados Unidos da América (duas moções); - Pela reposição dos órgãos autárquicos nas 11 freguesias do concelho de Almada; - De preocupação pela segurança no concelho de Almada; - De recomendação para o Governo executar obras de requalificação no telhado da Estação Fluvial de Cacilhas; - Contra a falta de qualidade e segurança nos transportes públicos; - Pela modernização do Arsenal do Alfeite e a sua reintegração na Marinha; - Pela gestão pública dos CTT, em defesa do serviço público postal;

- Fixação da Taxa de Resíduos Urbanos para o ano de 2018;

- De saudação ao 40.º aniversário da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa;

- Relatórios de monitorização de operação de reabilitação das Áreas de Reabilitação Urbana Simples do Pragal e do Monte de Caparica;

- De saudação à realização do XXIII Congresso da Associação Nacional dos Municípios Portugueses;

- Criação de uma Comissão Eventual para Análise das Opções do Plano e Orçamento para 2018.

- De saudação pelo apuramento do Clube Desportivo Cova da Piedade para os quartos-de-final da Taça de Portugal em futebol;

Foram ainda aprovadas as seguintes moções:

- De saudação à Cooperativa Fruta Feia pela criação de uma delegação e correspondente entrega de frutas e legumes em Almada;

- Votos de pesar pelo falecimento de Zé Pedro e de Roque Lino; - De reconhecimento da ação dos Bombeiros Voluntários do Concelho de Almada; - De solidariedade para com as populações atingidas pelos incêndios florestais;

- Pela alteração do Regulamento de Estacionamento do Concelho de Almada, considerando as necessidades das pessoas com deficiência; - De saudação à Associação de Coletividades do Concelho de Almada pela conquista do Prémio Personalidade do Ano, atribuído pela Confederação do Desporto de Portugal.


MUNICÍPIo boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 30

A recolha e tratamento das águas residuais pelos SMAS garantem a saúde pública, qualidade de vida e preservação ambiental do concelho

Saneamento básico

60 anos ao serviço dos Almadenses Há seis décadas que o saneamento, um direito fundamental (ver caixa), é municipalizado em Almada. A gestão pública municipal assegura esse direito tendo em conta as suas componentes sociais, económicas, intergeracionais e ambientais. Essenciais para a saúde pública, qualidade de vida e preservação ambiental, a recolha e tratamento das águas residuais são garantidas, a 100%, pelos Serviços Municipalizados de Almada e Saneamento (SMAS) de Almada.

Para onde vão as águas residuais

As águas residuais produzidas no concelho são recolhidas através de 1110 quilómetros de coletores construídos. Estas extensas e complexas redes públicas instaladas no subsolo, de águas residuais (esgotos) e de águas pluviais (chuva) – para prevenir cheias e alagamentos –, estão organizadas em sete grandes bacias de drenagem que abrangem todo o território: Almada, Aroeira, Alfeite, Caparica, Trafaria, Norte e Corroios.

Os Serviços Municipalizados de Almada e Saneamento de Almada garantem, a 100%, a gestão do saneamento e o tratamento das águas residuais do concelho. Conheça como é realizada esta missão, essencial para a saúde pública, qualidade de vida e preservação ambiental

Um direito fundamental «O saneamento básico é um direito humano fundamental, no entanto, mais de 2,4 mil milhões de pessoas em todo o mundo vivem sem acesso a instalações sanitárias condignas e a sistemas de esgoto adequados, milhares morrem diariamente de doenças motivadas pela falta de saneamento, condições de higiene e abastecimento precário». Fonte: Organização das Nações Unidas


MUNICÍPIo boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 31

Da recolha ao tratamento

Os grandes sistemas emissários transportam depois os efluentes drenados para tratamento nas Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR). O traçado das redes permite que a drenagem seja maioritariamente gravitacional, isto é, «joga» com o declive dos terrenos. Quando as cotas não são favoráveis são utilizados sistemas de bombagem, instalados nas 18 Estações Elevatórias de Águas Residuais e nas três Estações Elevatórias de Águas Pluviais.

Gestão em tempo real

A telegestão das Estações Elevatórias de Águas Residuais (EEAR) e das Estações Elevatórias de Águas Pluviais permite gerir, em tempo real e por controlo remoto, a quase totalidade destas infraestruturas. A partir do posto de comando instalado na EEAR do Torrão é assegurada a verificação e o controlo das estações – medição de caudais, estado das «bombas» (em funcionamento, paradas ou avariadas), medição de níveis de energia e falhas, horas de trabalho. O posto de comando dispõe de quadros sinóticos (dispositivos que resumem a atividade), com imagens da localização das estações no concelho e informação online dos equipamentos. As águas pluviais, não exigindo tratamento nas ETAR, são drenadas por redes de coletores, valas hidráulicas e bacias de retenção e conduzidas ao meio mais próximo – ribeira, rio ou mar. Em algumas zonas do concelho, as bacias de retenção contribuem para a valorização da paisagem urbana, como é o caso do Parque da Paz.

Mapa das sete grandes bacias de drenagem: Almada, Aroeira, Alfeite, Caparica, Trafaria, Norte e Corroios

Saneamento em números • • • • • • • • • • • •

O laboratório de águas residuais avalia a eficiência desse tratamento, com programas de controlo analítico da qualidade

• •

608 km de rede de drenagem doméstica 502 km de rede de drenagem pluvial 18 Estações Elevatórias de Águas Residuais 3 Estações Elevatórias de Águas Pluviais 7 bacias de drenagem 98% de cobertura águas residuais 4 ETAR em funcionamento 1 laboratório de águas residuais 15 500 000 m3 de água residual tratada 81% de autonomia água tratada nas ETAR para uso próprio 32% de autonomia energética ETAR 8000 toneladas lamas para valorização agrícola (corresponde a 91% das lamas produzidas nas ETAR) 8279 análises às águas residuais 100% de tratamento de águas residuais


MUNICÍPIo boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 32

as quatro estações de Tratamento de Águas Residuais

ETAR do Portinho da Costa (Caparica) Trata as águas residuais drenadas nas freguesias da Costa da Caparica, Trafaria, parte da Charneca de Caparica, Sobreda e Caparica

ETAR da Quinta da Bomba (Miratejo, Seixal) Trata as águas residuais drenadas nas freguesias do Feijó, Laranjeiro, Sobreda, Charneca de Caparica, Corroios e Amora (ETAR gerida em parceria com a Câmara Municipal do Seixal)

ETAR da Mutela (Cova da Piedade) Trata as águas residuais drenadas nas freguesias de Almada, Cacilhas, Cova da Piedade, Pragal e parte do Laranjeiro e do Feijó

ETAR de Valdeão (Pragal) Trata os efluentes provenientes do Hospital Garcia de Orta e de parte do Bairro do Matadouro

Sustentabilidade ambiental O tratamento das águas residuais é fundamental na resposta de saneamento do concelho de Almada. Foi iniciado há mais de 20 anos e é realizado nas quatro ETAR do município: Quinta da Bomba, Valdeão, Mutela e Portinho da Costa, com uma capacidade instalada para tratar todas as águas residuais produzidas (ver caixa As Quatro Estações de Tratamento de Águas Residuais) e devolvê-las ao rio Tejo em condições ambientais seguras. O laboratório de águas residuais avalia a eficiência desse tratamento, com programas de controlo analítico da qualidade. As ETAR têm características diferenciadas, privilegiam o enquadra-

mento paisagístico e a eficácia do tratamento. Dispoõem de modernos equipamentos e tecnologia (como o tratamento ultravioleta) e realizam uma série de processos que removem as substâncias contaminantes e poluentes, que chegam às ETAR no efluente. As águas residuais tratadas são lançadas no rio e estuário do Tejo. A produção de energia térmica e elétrica, a valorização agrícola das «lamas» e a reutilização de águas (após tratamento e desinfeção) em fins compatíveis (regas e lavagens), comprovam a sustentabilidade e eficácia ambiental do processo de tratamento. www.smasalmada.pt


MUNICÍPIo MUNICÍPIo boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 20182018 boletim almada 244 JANEIro/FEVEREIRO 33 33

Almada Pavimenta

Repavimentação e pintura de sinalização horizontal

As obras de beneficiação de vários arruamentos do concelho continuam. São intervenções que visam a conservação da rede viária, promovendo uma melhor circulação automóvel e maior segurança rodoviária

Av. da República, Sobreda

Rua Oliveira Feijão, Almada

Reparação de calçadas na Rua da Cerca (01)

Rua Capitães de Abril, Charneca de Caparica

Rua do Moinho ao Raposo, Caparica

Trabalhos de corte de vegetação espontânea no Parque Urbano Filipa D’Água (02)

Rua Vila do Seixal, Feijó


FREGUESIAS boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 34

intervenções nas freguesias

Nas freguesias sucedem-se, diariamente, as diferentes intervenções por parte dos vários serviços municipais

almada

CHARNECA DE CAPARICA

01

02

Alteração do sistema de contentorização na Av. Rainha D. Leonor (01)

04

Poda de árvores (04)

Corte do relvado do Parque Comandante Júlio Ferraz (02)

CAPARICA

COSTA DA CAPARICA

03

Plantação de herbáceas no Jardim do Convento dos Capuchos (03)

05

Reparação de calçadas na Rua Duarte Pacheco Pereira (05)


FREGUESIAS boletim almada 244 JANEIRO/FEVEREIRO 2018 35

COVA DA PIEDADE

PRAGAL

06

Execução de remates de asfalto na Praceta Gomercindo de Carvalho (06)

LARANJEIRO

09

Bancos de jardim reparados, pelos serviços municipais, na Rua Alfredo Keil (09)

SOBREDA

07

Reparação de escadas na Estrada dos Álamos (07)

10

Trabalhos de desmatação (10)

feijó

08

Poda de árvores do Parque da Paz (08)

11

Plantação de árvores (11)


10 DiaS De mÚSiCa e SurF PRAIA DO PARAÍSO 24 MARÇO_SÁBADO

valete orelha negra grognation noite CoPenhagen Com DaviDe Pinheiro e ShaKa lion Dj Set

29 MARÇO_QUINTA-FEIRA

DeaD Combo Poli bateu matou Dj Kitten

30 MARÇO_SEXTA-FEIRA

22 > 31_MARÇO_2018 22 MARÇO QUINTA-FEIRA

hmb mgDrv enoque Dj glue

31 MARÇO_SÁBADO

Slow j miShlawi oS quatro e meia bonS raPaZeS Dj Set

www.caparica-primaverasurffest.pt PatrociNadores

Produto oficial

Parceiros desPortivos

Sara tavareS loony johnSon riCKy boy nelSon Cunha Dj Set

Dj Set Com rui miguel abreu RED DRAGON BEACH CLUB PRAIA DO DRAGÃO VERMELHO 18H00_20H30 / DIÁRIO

caparica-primaverasurffest Parceiros iNstituciNais

aPoios

Parceiros media

INFORMATION:

EMBOSS:

DATE: 21/02/2012 CLIENT: SAGRES JOB NAME: SAGRES JOB NUMBER: SAGR 11/01 FILE NAME: SAGR 11/01SagresBrandOnWhite4C VERSION: 1 GENERATION: ADOBE CS 5 SAVED TO: ADOBE CS 5

CLAESSENS HOUSE 3 MANDEVILLE PLACE LONDON W1U 3AP TEL: +44 20 7935 0770 FAX: +44 20 7935 3359 ISDN: +44 20 7224 1362 www.claessensglobal.com

clubes e marcas

Rui Garrido Design Foto: Nuno Fontinha

Dj Set

23 MARÇO_SEXTA-FEIRA

Produção

Carlão jimmy P tnt Sam the KiD & big

0

COLOURS:

printing colours: for non pantone colours, please see supplied sheet.

PROCESS CYAN

PROCESS MAGENTA

PROCESS YELLOW

PROCESS BLACK

Non printing colours

EAN CODE: N/A

50 ADDITIONAL INFORMATION/NOTES: THIS ARTWORK FILE CONTAINS NO TRAPPING, SPREAD OR CHOKE, AND THEREFORE DOES NOT CONSTITUTE A REPROGRAPHIC FILE.

100

150

WHILST EVERY EFFORT HAS BEEN MADE TO ENSURE THIS ARTWORK IS CORRECT, IT IS THE CLIENT'S RESPONSIBILITY TO ENSURE NO ERRORS HAVE OCCURRED. ©2009 reproduction of this material is strictly prohibited, without prior written consent from the copyright owners.

200

Promotor

Profile for Câmara Municipal de Almada

Almada Boletim Municipal nº 244 - janeiro fevereiro 2018  

Edição mensal da Câmara Municipal de Almada com distribuição gratuita.

Almada Boletim Municipal nº 244 - janeiro fevereiro 2018  

Edição mensal da Câmara Municipal de Almada com distribuição gratuita.

Profile for cmalmada
Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded