Page 1

40 ANOS DA REVOLUÇÃO DOS CRAVOS

ABRIL É SEMPRE NOVO ABRIL É SEMPRE POVO

Nº204 EDIÇÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE ALMADA | DISTRIBUIÇÃO GRATUITA | ISNN 1645-9903 www.m-almada.pt

ABR 2014

1ª CASA DA JUVENTUDE COMEMORA 25 ANOS AGENDA MENSAL NAS PÁGINAS CENTRAIS AUTARQUIA APOIA GRUPOS DE TEATRO

BOLETIM


2

ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

SUMÁRIO

INFORMAÇÕES ÚTEIS

04. Celebração

CÂMARA MUNICIPAL DE ALMADA Geral Almada Informa - Informações e Sugestões almadainforma@cma.m-almada.pt Linha Verde “Almada Limpa” Centro de Informação Autárquico ao Consumidor

Em abril o concelho celebra a revolução com um vasto programa para toda a população

212 724 000 800 206 770 800 206 017 212 724 763

JUNTA/UNIÕES DE FREGUESIAS

14. Entrevista

União das Freguesias de Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas 212 722 540 Almada 800 204 819 Recolha de Monos Domésticos 212 767 948 Cova da Piedade 800 204 771 Recolha de Monos Domésticos 212 747 136 Pragal 800 204 800 Recolha de Monos Domésticos 212 732 943 Cacilhas 800 204 825 Recolha de Monos Domésticos

A vereadora Mara Figueiredo aborda os assuntos mais importantes das suas áreas de trabalho

16. Revolução

União das Freguesias de Caparica e Trafaria Caparica Recolha de Monos Domésticos Trafaria Recolha de Monos Domésticos

212 954 688 800 205 061 212 946 910 800 204 803 União das Freguesias de Charneca de Caparica e Sobreda 212 972 827 Charneca de Caparica 800 205 093 Recolha de Monos Domésticos 212 946 634 Sobreda 800 204 802 Recolha de Monos Domésticos

Quatro décadas depois, saiba como se viveu o dia 25 de Abril de 1974 em Almada

20. Arte Nos jardins do Museu da Cidade uma obra perpetua o Poder Local Democrático

21. Taxas Valores indevidamente cobrados aos munícipes por operadora privada vão de ser devolvidos

União das Freguesias de Laranjeiro e Feijó Laranjeiro Recolha de Monos Domésticos Feijó Recolha de Monos Domésticos

212 509 570 800 205 031 212 586 230 800 204 801

Junta de Freguesia da Costa da Caparica Recolha de Monos Domésticos

212 911 089 800 204 853

EQUIPAMENTOS MUNICIPAIS E MONUMENTOS Ageneal - Agência Municipal de Energia de Almada Biblioteca Municipal José Saramago (Feijó) Biblioteca Municipal Maria Lamas (Caparica) Casa Pargana - Arquivo Histórico Centro de Arte Contemporânea Centro de Informática e Documentação Centro de Interpretação de Almada Velha (CIAV) Centro Juvenil de Santo Amaro Centro de Lazer (Costa da Caparica) Centro Municipal de Turismo Complexo Municipal dos Desportos do Feijó Complexo Municipal de Piscinas na Caparica Complexo Municipal de Piscinas na Sobreda Complexo M. de Piscinas na Charneca de Caparica Convento dos Capuchos Ecoteca de Almada Fórum Municipal Romeu Correia/Biblioteca Municipal Galeria Municipal de Arte Museu da Cidade Museu da Música Filarmónica Museu Naval Museu Medieval Oficina de Cultura Parque da Paz Pav. Municipal da Charneca de Caparica Pav. Municipal da Costa de Caparica Pav. Municipal do Laranjeiro Pista Municipal de Atletismo Ponto de Encontro - Cacilhas Posto de Turismo da Costa de Caparica Solar dos Zagallos Teatro Municipal Joaquim Benite

24. Freguesias Desde a pequena à grande obra, saiba o que está a mudar na sua localidade

212 722 510 212 508 210 211 934 020 212 724 900 212 724 950 212 723 077 212 724 170 212 548 220 212 918 250 212 739 340 212 587 100 211 926 760 212 549 370 212 964 220 212 919 342 212 722 510 212 724 920 212 724 700 212 734 030 212 724 023 212 724 980 212 724 760 212 724 050 212 508 710 212 972 591 212 911 189 212 545 161 212 537 579 212 748 210 212 900 071 212 947 000 212 739 360

URGÊNCIAS Direção Municipal de Administração Geral

Direção Municipal de Mobilidade e Valorização Urbana

(com exceção dos Departamentos de Organização e Informática e Recursos Humanos e da Divisão de Atividades Económicas e Serviços Urbanos)

Proteção Civil

Departamento de Estratégia e Gestão Ambiental Sustentável

VEREADOR RUI JORGE PALMA DE SOUSA MARTINS

PRESIDENTE JOAQUIM ESTÊVÃO MIGUEL JUDAS

Divisão de Ação Sociocultural

Recursos Humanos e Saúde Ocupacional Departamento de Recursos Humanos Serviço de Saúde Ocupacional Serviços Municipalizados de Água e Saneamento VEREADOR JOSÉ MANUEL RAPOSO GONÇALVES Direção Municipal de Planeamento e Administração do Território Fiscalização Municipal Centro de Arte Contemporânea VEREADORA MARIA AMÉLIA PARDAL Direção Municipal de Desenvolvimento Social (com exceção da Divisão de Ação Sociocultural)

Departamento de Comunicação Centro de Informação Autárquica ao Consumidor VEREADOR ANTÓNIO JOSÉ DE SOUSA MATOS

ECALMA

Divisão de Atividades Económicas e Serviços Urbanos Departamento de Organização e Informática VEREADORA MARA ANDREIA GONÇALVES FIGUEIREDO VITORINO

Bombeiros Voluntários de Almada Bombeiros Voluntários de Cacilhas Bombeiros Voluntários da Trafaria Delegação Marítima da Trafaria EDP - Piquete GNR - Almada GNR - Charneca GNR - Costa de Caparica Hospital Garcia de Orta Linha Azul de Emergência Polícia Marítima da Costa da Caparica Proteção Civil PSP - Almada PSP - Laranjeiro Setgás – Emergências

Vereadores não executivos

SMAS

JOAQUIM ANTÓNIO DA SILVA GOMES BARBOSA FRANCISCA LUÍS BAPTISTA PARREIRA VÍTOR MANUEL DOS SANTOS CASTANHEIRA ANTÓNIO JOSÉ PINHO GASPAR NEVES FRANCISCO MIGUEL PEREIRA CARDINA

ECALMA

Serviço de Atendimento SMAS - Piquete

Geral

212 722 290 212 722 520 212 946 569 212 950 823 800 506 506 212 738 160 212 964 070 212 909 340 212 940 294 800 205 146 212 913 101 212 946 577 212 721 400 212 558 530 800 273 030

212 726 000 212 726 161 212 726 152

212 743 918

Propriedade Câmara Municipal de Almada Redação e Administração DCOM da C.M.A. Largo Luís de Camões 2800-158 Almada Tel. 212 724 000 Fax 212 724 599 E-mail almadabm@cma.m-almada.pt Diretor Vereador António Matos Redação, paginação e fotografia DCOM/CMA Execução Gráfica Ancestra, Indústria Gráfica Lda. Tiragem 70.000 exemplares Depósito Legal N.º 76448/94 ISSN 1645-9903 * textos escritos ao abrigo do novo Acordo Ortográfico


ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

EM DIRETO

ABRIL É SEMPRE NOVO! ABRIL É SEMPRE POVO! Almada celebra o 40º Aniversário da Revolução do 25 de Abril de 1974, através de um vasto e intenso programa de atividades que se desdobra por todo o ano. Os valores e os princípios democráticos, que impulsionaram o Movimento dos Capitães em 25 de Abril de 1974 e o movimento popular que se lhe seguiu, mantêm-se como incontornáveis referenciais do processo de construção de uma sociedade mais justa e mais fraterna, objetivo primordial a que, quarenta anos passados, teimamos em não virar costas e menos ainda abandonar. A Revolução de Abril permitiu começar a traçar os rumos e a rasgar os caminhos de uma organização política, económica, social e cultural da sociedade, em que no quadro de plena soberania popular a vida de todos seja, cada vez mais, a afirmação de uma prática permanente. Onde à liberdade e aos direitos políticos fundamentais se juntam o direito ao trabalho com direitos e devida remuneração, o direito à habitação, à saúde, à educação, à segurança social, à paz, o direito à cultura e ao desporto e seu usufruto por todos. Direitos essenciais que são os alicerces do Portugal independente e do Estado de Direito Democrático que a Constituição da República Portuguesa consagrou. Constituição da República que respeita os princípios da autonomia das autarquias locais e consagra o Poder Local como um pilar essencial da organização democrática do Estado. Poder Local que se assumiu como um dos mais importantes motores da transformação do nosso País, contribuindo de forma inestimável para a melhoria das condições de vida e bem-estar das populações.

Comemorando Abril e a Liberdade conquistada temos no entanto bem presente quanto a realidade vivida se foi afastando dos seus ideais. Dividindo as populações e os democratas, passo a passo os derrotados de Abril recuperaram o seu poder. Contra a Constituição o poder económico voltou a prevalecer sobre o poder político, direitos sociais fundamentais, como o direito ao trabalho, o direito à saúde, o direito à educação e à cultura, o direito à habitação e o direito à segurança social não chegam a vastas camadas da população mantidas na pobreza e empurradas para a emigração. Pagou-se para que não se produzisse. Sectores fundamentais da riqueza nacional passaram para a mão de estrangeiros. A autonomia do Poder Local é constantemente violada. Os responsáveis pela entrega de importantes áreas da soberania nacional proclamam que Portugal é um Protetorado. Almada é terra de Resistência e de Luta. Almada que não se resigna e que se insurge. Almada que estuda e se cultiva, que se solidariza e que constrói. Esta Almada de que nos orgulhamos comemora em alegria os dias das suas vitórias. A vitória de Abril de 1974 e todas as que a antecederam e que se lhe seguiram. Vitórias alicerçadas na força do Povo que somos. Vitórias que se seguirão e que se repetirão no caminho difícil mas incontornável de desenvolvimento, de bem-estar, de solidariedade, de cooperação e de paz. Em Almada, Abril é Sempre Novo, Abril é Sempre Povo. Viva o 25 de Abril.

Joaquim Estêvão Miguel Judas Presidente da Câmara Municipal de Almada

3


4

ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

DESTAQUE

REVOLUÇÃO DOS CRAVOS

COMEMORAR 40 ANOS DE ABRIL MÚSICA, TEATRO, EXPOSIÇÕES, TERTÚLIAS DE POESIA, DEBATES ATIVIDADES DESPORTIVAS E INICIATIVAS PARA OS MAIS NOVOS CELEBRAM ESTA DATA HISTÓRICA NO CONCELHO

O

dia 25 de Abril de 1974 será lembrado pela autarquia e pelas freguesias, representantes do poder local democrático, e pelas associações e coletividades do concelho, através de diversas manifestações culturais e desportivas, mas também de debates e homenagens aos homens

e mulheres que lutaram ao longo de décadas contra o regime ditatorial. No dia 24 de abril, a partir das 22 horas, o projeto musical Terra de Abrigo, constituído pela Ronda dos Quatro Caminhos, a Orquestra Sinfonietta de Lisboa e o coro alentejano Cantares de Évora vão estar na Praça da Liberdade. À meia-noite acontece o habitual espetáculo de fogo-de-artifício, seguido de um grande concerto do Clã. Na manhã do dia 25 de abril, coletividades, associações e instituições do concelho participam no desfile, na Praça do Movimento das Forças Armadas, assinalando a conquista da liberdade há 40 anos e homenageando todos os resistentes antifascistas, com a colocação de flores junto ao Monumento aos Perseguidos. De seguida, no Parque da Paz, perto dos monumentos ao 25 de Abril e à Paz, junto ao Centro Sul, decorre a cerimónia de Evocação das Conquistas de Abril, com o fim da manhã a ser festejado com muitas atividades para as famílias.

A partir das 21h30, sobe ao palco do Auditório Fernando Lopes-Graça o espetáculo “Há… 40 anos”, com direção musical de André Santos e participação da Companhia de Dança de Almada e da Associação Cultural O Mundo do Espetáculo, onde será lembrado Ary dos Santos. Também o Teatro Municipal Joaquim Benite se associa às celebrações da Revolução dos Cravos, entre 24 e 27 de abril, com um ciclo de três espetáculos sobre a história recente do país, com destaque para a peça “Um dia os réus serão vocês, uma ideia original de Joaquim Benite, baseada na defesa que Álvaro Cunhal apresentou para si próprio no tribunal que o julgou entre 2 e 9 de maio de 1950. Haverá também um ciclo de cinema dedicado a causas e valores de Abril, atividades na bibliotecas, debates com testemunhos de quem viveu a revolução, entre muitas outras iniciativas que podem ser consultadas em www.m-almada. pt/25abril


ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

DESTAQUE

EDUCAÇÃO

O ENSINO MOSTRA-SE

O

s alunos e famílias que visitaram a Mostra do Ensino Superior, Secundário e Profissional de Almada, que decorreu de 1 a 3 de abril no centro da cidade, puderam conhecer de perto a oferta de cada uma das 22 instituições de ensino ali representadas. Foi ainda possível participar nas animações e oficinas que desafiavam os estudantes a analisar uma cena do crime, participar em oficinas de robótica, aplicar a bioquímica na cozinha, entre outras propostas.

O programa incluiu momentos de música, dança teatro poesia e até a observação do céu noturno. No átrio do Fórum Municipal Romeu Correia esteve também patente uma exposição central, onde se mostrou a evolução do concelho e das instituições de ensino nos últimos 40 anos.

O presidente da Câmara Municipal de Almada, Joaquim Judas, sublinhou que “este evento pretende ser um instrumento de alavancagem para levarmos mais longe o desejo de concretizar os valores e ideais de Abril”, num concelho que é o 2º maior polo universitário da Área Metropolitana de Lisboa.

ENSINO SECUNDÁRIO, PROFISSIONAL E UNIVERSITÁRIO DO CONCELHO 10 escolas secundárias (5.136 alunos) 2 escolas profissionais (500 alunos, distribuídos por 25 cursos) 7 instituições de ensino superior (11.200 alunos) 62 licenciaturas 70 mestrados, pós-graduações e cursos de formação complementar, a que se associam 18 centros de investigação.

Muitos foram os visitantes que passaram pela Mostra do Ensino Superior, Secundário e Profissional de Almada

FESTIVAL

TUNAS ENCHEM ALMADA DE MÚSICA

A

Noite de Serenatas juntou centenas de pessoas junto aos Paços do Concelho, na noite de 7 de março. Este evento cultural fez parte da 22ª edição do Tágides - Festival Internacional

Noite de Serenatas frente aos Paços do Concelho pela anTUNIA - Tuna de Ciências e Tecnologia da UNL

de Tunas Universitárias, que há 22 anos acontece em Almada, numa organização da anTUNIA Tuna de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa. No Campus Universitário da

Caparica, também em março, decorreu a 13ª Marias – Festival de Tunas Femininas da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa.

5


6

ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

DESTAQUE

CAMPANHA

BEBA ÁGUA DA TORNEIRA COM 76 ENTIDADES

N

o dia 27 de março, no Auditório Fernando Lopes-Graça, 17 novas entidades aderiram ao projeto ambiental “Beba Água da Torneira”. Durante a sessão foi apresentado o balanço do projeto lançado pelos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Almada (SMAS) em 2011, no âmbito das comemorações dos seus 60 anos. Aumentar a confiança dos utentes relativamente à qualidade da água da rede pública é o objetivo da campanha, que já integra 76 entidades, entre as quais freguesias, associações, coletividades, escolas, instituições de saúde e de segurança entre outras.

Consumir água da torneira em Almada é uma opção segura, sustentável e económica

Em defesa do serviço público “Cada entidade aderente assume o compromisso de preservar e valorizar a água de Almada. Queremos assegurar que a nossa água é de qualidade no local de consumo e não apenas na rede pública”, sublinhou José Gonçalves, presidente dos SMAS, durante a cerimónia. Também Joaquim Judas, presidente da Câmara Municipal de Almada, evidenciou: “Garantiremos aos almadenses o carácter público e a qualidade da água no concelho. A água é um bem essencial à vida e à existência das nossas sociedades democráticas, por isso, o carácter

público e municipal da nossa água é algo em relação ao qual todos temos de estar unidos”. Água de confiança A água de Almada é segura, acessível, económica (em regra, mil vezes mais barata que a água engarrafada), equilibrada (contém todos os elementos e compostos químicos nas concentrações adequadas), e sustentável (evita a utilização de garrafas de plástico e a consequente produção de toneladas de dióxido de carbono). A cerimónia encerrou com a atuação do coro “Vozes d’Água”, formada por trabalhadores dos SMAS.

EROSÃO NA COSTA DA CAPARICA

CÂMARA DEFENDE OBRAS COM MAIOR CELERIDADE E EXTENSÃO

I

nvestigadores da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa desenvolveram o projeto “Change”, relativo ao estudo dos impactos sociais, ambientais e territoriais das alterações climáticas, onde concluíram que, na ausência das necessárias medidas de contenção, será possível o mar galgar o cordão dunar na Costa da Caparica em toda a extensão entre a Cova do Vapor e a Fonte da Telha no ano de 2025. Os especialistas preveem, ainda que, até ao ano 2100, poderão registar-se inundações que atinjam a cota dos 4,1 metros, sendo que a localidade da Cova do Vapor ficaria submersa quando a água do mar atingisse a cota dos três metros.

A reposição de areias nas praias da Costa da Caparica é uma necessidade absoluta, reivindicada pela autarquia

O presidente da Câmara Municipal de Almada, Joaquim Judas, defende que este diagnóstico “que deve ser lido, entendido e assumido com plena responsabilidade pelas entidades do Estado Português, primeiras responsáveis pela defesa e salvaguarda da integridade do território nacional, que por essa razão diretamente detêm as competências para definir e aplicar as medidas adequadas de contenção e mitigação destes problemas.”

A autarquia sublinha, de novo e no imediato, a absoluta necessidade de serem concretizados no terreno com a maior celeridade e em toda a sua extensão, os compromissos assumidos pelo Ministro do Ambiente relativos ao reforço das proteções aderentes e reposição de areias nas praias da Costa da Caparica há muito identificadas e previstas, em particular nas praias localizadas a norte (São João) e frente urbana.


ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

DESTAQUE

PARTICIPE

PRÉMIO LITERÁRIO MARIA ROSA COLAÇO

A

té 30 de abril é possível concorrer ao Prémio Literário Maria Rosa Colaço. Este galardão, instituído em 2006 pela Câmara Municipal de Almada, presta homenagem à ilustre escritora e incentiva a literatura infantil e juvenil. Em 2014 assinala-se a 9ª edição, que convida os autores portugueses a concorrer com obras inéditas de literatura juvenil. O júri é constituído por representantes da Associação Portuguesa de Escritores, da Seleção Portuguesa do IBBY (Internacional Board on Books for Young People) e da Câmara Municipal de Almada.

Nesta edição do Prémio Maria Rosa Colaço podem concorrer obras de literatura juvenil

Candidaturas e informações Secretariado do Prémio Literário Maria Rosa Colaço Biblioteca Central de Almada/Fórum Municipal Romeu Correia Praça da Liberdade, 2800- 648 Almada Augusto Calado - Tel.: 212 724 939 acalado@cma.m-almada.pt Normas de participação www.m-almada.pt/bibliotecas

EXPOSIÇÃO

TEATRO EXTREMO ASSINALA 20 ANOS

O

Teatro Extremo inaugurou uma exposição comemorativa dos seus 20 anos, com imagens das 44 criações desenvolvidas desde a formação do grupo, em 1994. A companhia é formada por uma equipa de apenas oito pessoas. Começou com uma estreia coletiva – “Os Infernos da Barca” – e, desde então, já apresentou 44 criações, atingindo este ano o meio milhão de espetadores. Assegura, há 19 anos, a organização do Festival Sementes – Mostra Internacional de Artes para o

Exposição comemorativa patente nas instalações do Teatro Extremo

Pequeno Público. “After Darwin”, de Timberlake Wertenbaker, é a peça com que se assinalam os 20 anos de atividade. Ainda em 2014 o Teatro Extremo repõe a peça “Retratos”, uma criação de Bibi Gomes, Rui Cerveira, Fernando Lopes Jorge, Francisca Lima e João Dacosta, que inclui a participação de um convidado mistério em todas as apresentações. Teatro Extremo Rua Serpa Pinto, 16, Almada Tel.: 212 723 660 teatro@teatroextremo.com www.teatroextremo.com

DUAS DÉCADAS EM NÚMEROS - 44 criações - 500.000 espetadores - 8 edições do Sorrisos de Natal – espetáculos nas freguesias - 18 edições do Festival Sementes – Mostra Internacional de Artes para o Pequeno Público.

7


8

ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

CONCELHO

119 ANOS

ACADEMIA ALMADENSE EM FESTA

E

m abril de 1895, a banda da Academia de Instrução e Recreio Familiar Almadense apresentou-se nas ruas da então vila de Almada para a primeira aparição pública. E é com a música que este mês se celebraram os 119 anos de uma das mais antigas coletividades do concelho. O programa de comemorações começou no domingo, dia 6 de abril, com a atuação da Banda Filarmónica da SFUAP, na mítica sala de cinema da Academia. No mesmo palco atuou a Banda Sinfónica do Exército, no dia 11 de abril. Ainda este mês é possível acompanhar o último concerto deste ciclo comemorativo, com a Banda Filarmónica da Academia Almadense, dia 27, às 16 horas.

A Banda Filarmónica da Academia Almadense vai dar um concerto comemorativo no dia 27 de abril

PRIMEIRA CASA DA JUVENTUDE DE PORTUGAL

PONTO DE ENCONTRO CELEBRA 25 ANOS

F

oi há precisamente 25 anos, isto é, em abril de 1989 (inaugurado no dia 23), que abriu em Cacilhas a primeira “Casa da Juventude” de Portugal. O Ponto de Encontro, dotado de uma vista única sobre o rio Tejo, foi o primeiro equipamento municipal, iniciando-se então construção da Rede de Casas da Juventude do concelho de Almada. Até hoje o Ponto de Encontro tem funcionado como uma importante estrutura de apoio a projetos e iniciativas de grupos e associações juvenis. Além disso é um espaço de

O auditório da Casa Municipal da Juventude - Ponto de Encontro tem sido palco privilegiado de espetáculos para os mais jovens ao longo destes 25 anos

convívio e de reunião entre os jovens. Neste espaço realizam-se regularmente ações de formação, espetáculos multidisciplinares, concertos musicais, exposições, teatro, entre muitas outras atividades. Além do auditório, o Ponto de Encontro dispõe de bar, salas de ensaio e de música, estúdio e laboratório de fotografia. Ao longo destes 25 anos de existência, nomeadamente nas décadas de 1990 e 2000 o Ponto de Encontro acolheu diversos concertos de música moderna, espetáculos de

teatro, de dança e de outras áreas, tendo projetado muitos nomes e projetos que merecem hoje grande destaque no panorama artístico e cultural português. Casa Municipal da Juventude - Ponto de Encontro Rua Trindade Coelho, nº 3 Cacilhas 2800-297 Almada Terça: 15h00 - 23h00 Quarta e Quinta: 10h00/ 13h00 - 15h00/ 23h00 Sexta e Sábado: 10h00/ 13h00 - 15h00/ 24h00 Tel.: 21 2748 210 / 21 274 8362 juventude@cma.m-almada.pt www.m-almada.pt/juventude


ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

CONCELHO

CASA DA CERCA

ESTUFA REABRE COM “OS PADRÕES DE WILLIAM MORRIS”

R

eabriu ao público, a 26 de março, a Estufa do Jardim Botânico da Casa da Cerca. Encerrada durante quase três anos para melhorias, a estufa é o novo espaço expositivo do Centro de Arte Contemporânea. Com uma área de 150 m2, a reabertura da estufa é assinalada com exposição “Os Padrões de William Morris”, patente até ao final de 2014. Partindo do trabalho de William Morris (1834–1896), pintor, escritor e poeta inglês, fundador do Movimento Arts & Crafts (Artes e Ofícios), ele próprio criador de jardins, a Estufa do Jardim Botânico mostra alguns dos seus papéis de parede com motivos vegetalistas, em diálogo com as plantas em que se inspirou para os criar. William Morris será ainda homenageado, ao longo deste ano, no Jardim dos Pintores, através de plantações inspiradas na sua obra, que pretendem remeter os visitantes para o imaginário pictórico do artista. Casa da Cerca – Centro de Arte Contemporânea Rua da Cerca – Almada Tel.: 212 724 950 casadacerca@cma.m-almada.pt www.m-almada.pt/casadacerca

CENSOS 2011

O CONCELHO EM NÚMEROS

A

Câmara Municipal de Almada disponibiliza, em versão digital, a compilação e sistematização dos principais indicadores resultantes dos Censos 2011 relativos ao concelho de Almada.

A estufa está preparada para receber exposições, na Casa da Cerca - Centro de Arte Contemporânea

Censos 2011 fazem um retrato da evolução do concelho nos últimos anos

O objetivo é tornar mais acessível um conjunto de dados que permitem fazer um “retrato” do território. Recorrendo a gráficos, tabelas e mapas, é possível conhecer a evolução da população, níveis de instrução ou a dimensão média das famílias, entre outros indicadores. Para a elaboração deste documento foram utilizados os dados do Instituto Nacional de Estatística, também disponíveis em www.ine.pt, referentes aos Censos de 2011, bem como

dados dos Censos 2001, de forma a ser possível uma análise da evolução temporal registada nas freguesias do concelho. Todas as tabelas, gráficos e mapas apresentados, apesar de tratados pela Câmara Municipal de Almada de forma a serem mais acessíveis, têm sempre como fonte de informação o Instituto Nacional de Estatística. Disponível para consulta em www.malmada.pt, no menu Links Rápidos e em http://issuu.com/cmalmada

9


10

ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

CONCELHO

INFÂNCIA

PREVENÇÃO DOS MAUS TRATOS

E

m abril, a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Almada (CPCJ) promove um conjunto de iniciativas integradas no Mês Nacional da Prevenção dos Maus Tratos. O objetivo é consciencializar a comunidade para a importância da prevenção, promover o fortalecimento das famílias, contribuir para o crescimento e desenvolvimento harmonioso das crianças, o seu bem-

-estar e a promoção dos seus direitos. De 8 a 17 de abril a exposição itinerante “Crianças no Mundo com Direitos” que percorreu as Instituições Particulares de Solidariedade Social de Infância do concelho. Ao longo do mês serão realizadas sessões de prevenção sobre bullying em vários agrupamentos de escolas de Almada. A CPCJ preparou também um calendário com sugestões de atividades, para cada dia do mês, como ler uma história, passear no Parque da Paz, organizar um jogo infantil, visitar o Museu da Cidade ou rever os álbuns de família, ideias para estimular a relação entre pais e filhos. Ainda no dia 30 de abril, a partir das 14h30, a CPCJ promove o seminário “Maus tratos à criança na família”, na Sala Pablo Neruda, no Fórum Municipal Romeu Correia. Com entrada livre, esta iniciativa é dirigida, sobretudo, a técnicos da área social, educação, saúde e associações de pais. Comissão de Proteção Crianças e Jovens de Almada Rua Dr. António Elvas, 95 – Feijó Tel.: 212 744 679 | 967 610 023 cpcj.almada1@gmail.com

A ligação de ferries passará a ser entre a Trafaria e Belém, com passagem por Porto Brandão, por decisão da Transtejo

A 26 DE ABRIL

FERRIES NA TRAFARIA

A

Transtejo decidiu que, a partir de 26 de abril, quem quiser atravessar o rio de carro, usando os ferries da Transtejo, deverá dirigir-se à Trafaria. É a partir deste terminal

que será feita a ligação a Belém, com passagem pelo Porto Brandão. A transferência do serviço de transporte de viaturas do terminal de Cacilhas pretende, segundo a Transtejo, melhorar as acessibilidades entre as duas margens do Tejo e a distribuição do tráfego na cidade, descongestionando os centros urbanos e históricos de Almada e Lisboa. De acordo com a

empresa, esta alteração possibilita o aumento da capacidade de transporte de bicicletas (gratuito), permitindo uma articulação entre as ciclovias de Lisboa e Almada. A Câmara Municipal não deixará de avaliar os eventuais impactos desta medida, no âmbito do direito dos cidadãos à mobilidade.


ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

11

CONCELHO

EXCELENTES CONDIÇÕES

NACIONAL DE SURF ARRANCOU NA COSTA

A presença de muito público foi uma constante durante os três dias da competição

Foto ©Pedro Mestre/Liga MOCHE

rederico Morais, campeão nacional em título, e Teresa Bonvalot, com apenas 14 anos, foram os grandes vencedores da Allianz Caparica Pro, a primeira etapa da Liga Moche 2014, o Campeonato Nacional de Surf. Durante os dias 21, 22 e 23 de março o muito público que frequentou a Costa da Caparica assistiu a grandes momentos de surf, pelos melhores atletas nacionais. “A Costa da Caparica recebeu-nos com condições de luxo. A presença massiva do público vem dar corpo aquilo que pretendemos com estas etapas mais urbanas”, afirmou, no final, Francisco Rodrigues, presidente da Associação Nacional de Surfistas (ANS). A primeira etapa da Liga Moche foi organizada pela ANS, com o apoio da Câmara Municipal de Almada.

Foto ©Pedro Mestre/Liga MOCHE

F

NA BTL

ALMADA PROMOVEU WINDSURF

Frederico Morais começou, na Costa da Caparica, a defesa do título nacional com uma vitória

A

Câmara Municipal de Almada lançou o desafio e 40 pessoas aceitaram, algumas pela primeira vez, experimentar “andar” numa prancha de windsurf. A iniciativa, que contou com a colaboração da Escola e Centro de Windsurf Elisiário.com, com sede na Costa da Caparica, decorreu durante a Bolsa de Turismo de Lisboa 2014 (BTL) no fim-de-semana de 15 e 16 de março, em pleno rio Tejo, junto ao Centro Náutico do Parque das Nações. Ainda no âmbito da BTL 2014, teve lugar a segunda edição do Troféu

Os visitantes da Bolsa de Turismo de Lisboa foram convidados pela Câmara Municipal de Almada a experimentar a prática do windsurf

Experimente Almada, uma regata de windsurf, que contou para o Circuito Neilpryde RS: One Training Series 2014. As provas contaram com a participação

de 16 velejadores (sábado) e 19 velejadores (domingo). O circuito, após a primeira de seis etapas, é liderado por Francisco Pinheiro e Mário Pereira.


12

ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

CONCELHO

NA COVA DO VAPOR

CÂMARA APOIA BIBLIOTECA COMUNITÁRIA

A

Câmara Municipal de Almada (CMA) aprovou o Acordo de Cooperação, que regulamenta a existência e o funcionamento da Biblioteca do Vapor, na Cova do Vapor. No âmbito deste protocolo, a CMA assume a catalogação e disponibilização online do espólio. Apoia também a promoção das atividades, a colaboração de profissionais de animação cultural e o desenvolvimento do acervo desta biblioteca comunitária. A Biblioteca do Vapor é dirigida às crianças e jovens, mas também aos adultos, com o objetivo de despertar hábitos de leitura. O Acordo de Cooperação será formalizado entre a Câmara Municipal de Almada, a Associação Ensaios e Diálogos, a Associação de Moradores da Cova da Vapor, a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas e a União de Freguesias de Caparica e Trafaria. Atualmente esta biblioteca comunitária funciona numa das salas da sede da Associação de Moradores da Cova do Vapor, na Avenida António Martins Correia. A Biblioteca do Vapor faz parte do projeto Casa do Vapor, fruto de uma parceria do coletivo Exyzt com a Associação Ensaios e Diálogos e a Associação de Moradores da Cova do Vapor. A Casa do Vapor é um espaço de estímulo à partilha, à aprendizagem, à criação e à experimentação artística, que serve de impulso à participação ativa e à valorização cultural da comunidade local. Mais informações www.casadovapor.org

A Biblioteca do Vapor em 2013, nas instalações temporárias de madeira, junto à praia

A primeira Escola Industrial e Comercial de Almada foi criada em 1955, tendo-se transformado, em 1958, na Escola Industrial e Comercial Emídio Navarro

ESCOLA SECUNDÁRIA EMÍDIO NAVARRO

ENTRE AS MELHORES DO MUNDO

A

Escola Secundária Emídio Navarro (ESEN), em Almada, surge no 4º lugar do ranking Best Education Degrees, promovido por uma organização internacional com sede nos Estados Unidos da América e que escolhe as 30 melhores escolas do mundo, no que diz respeito à arquitetura e ao equipamento. A Câmara Municipal de Almada, no âmbito desta distinção, saudou “o seu corpo docente, os seus

trabalhadores e os seus alunos e a sua direção, na convicção de que esta distinção constituirá um novo contributo para o reforço do investimento de todos na qualidade do processo educativo, no qual a comunidade educativa de Almada tem desempenhado um papel de destaque.” Ao longo de mais de 50 anos de existência, já passaram pela Escola Secundária Emídio Navarro mais de 60 mil estudantes. A ESEN já recebeu vários prémios de mérito e excelência, com a participação e dinamização de projetos multidisciplinares, que envolvem alunos e professores. Esta é uma instituição “virada para o futuro”, como referiu o presidente da Câmara Municipal Almada a propósito da distinção.


ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

CONCELHO

HORTAS MUNICIPAIS

SUCESSO A REPLICAR

E

m setembro de 2013, depois de uma concorrida fase de candidaturas, foram atribuídos os 73 talhões das Hortas de S. João, as primeiras a integrar a Rede de Hortas Municipais, num terreno municipal devidamente preparado e equipado. Os hortelões selecionados receberam formação para usarem preferencialmente no seu talhão o modo de produção biológico e, regularmente, recebem visitas

técnicas de apoio, essenciais para tirar dúvidas e aprender mais sobre as culturas e métodos sustentáveis de as cultivar e manter. Com áreas entre os 30 m2 e os 113 m2, cada talhão é geralmente explorado pelo hortelão e pelos seus familiares próximos e amigos, estimando-se que nestas hortas estejam envolvidas diretamente mais de 200 pessoas. A experiência em S. João da Caparica tem sido um êxito a vários níveis, nomeadamente em termos socioeconómicos e culturais. Nestas hortas reúnem-se avós, filhos e netos, partilhando ideias e laços num projeto comum e criandose um complemento ao orçamento de muitas famílias.

Os hortelões receberam formação sobre modos de produção biológicos

PRAIAS DE S. JOÃO

RECICLAR PARA PLANTAR MOBILIZOU FAMÍLIAS

RECUPERAR AS DUNAS

Casa Municipal do Ambiente acolheu a iniciativa “Reciclar para Plantar”, entre 19 e 21 de março. Os cidadãos trocaram materiais recicláveis por plantas típicas da flora mediterrânica. Foram recebidos quase 2 000 exemplares de resíduos, encaminhados para reciclagem: - 950 pacotes de leite e sumos - 550 kg de papel e cartão - 2.700 garrafas de plástico - 2.000 sacos plásticos - 2.000 pilhas - 800 garrafas e frascos de vidro - 2.000 rolhas de cortiça.

Mais informações Departamento de Estratégia e Gestão Ambiental Sustentável Tel.: 21 272 25 10 almada21@cma.m-almada.pt www.m-almada.pt/ambiente

Com a forte ondulação, estima-se que a praia tenha recuado cerca de 14 metros

DIA DA ÁRVORE

A

A diversidade de hortelões, desempregados, reformados e ativos, constitui igualmente uma experiência enriquecedora. O projeto tem-se também revelado como um valor acrescido em termos da promoção da biodiversidade, do reforço da estrutura hortícola do território e da proteção dos solos. Fruto do êxito desta primeira experiência, estão já a ser estudados vários locais para ampliação da Rede de Hortas Municipais de Almada, com características e modo de gestão similares.

D

epois das tempestades que assolaram a costa portuguesa, o Município de Almada e a Agência Portuguesa do Ambiente (APA ) celebraram um protocolo de colaboração para recuperar as dunas das praias de S. João. O protocolo visa a submissão de uma candidatura ao Programa Operacional Temático Valorização Território (POVT). ReDuna: Recuperação e Restauração Ecológica do Sistema Dunar de S. João da Caparica” é o nome do projeto, que visa a instalação de estruturas de condicionamento de acesso e controlo de pisoteio, a colocação de sinalética informativa e paliçadas, a povoação das dunas

com plantas adaptadas a estes ecossistemas, entre outras ações a levar a cabo pela Câmara Municipal, após a reposição da duna a efetuar pela APA. Prevê-se que decorra em articulação com a ação de recarga artificial de areia nas praias de S. João, da responsabilidade da APA, este ano.

13


14

Almada boletim abril 2014

Entrevista

VEREADORA MARA FIGUEIREDO

Tem responsabilidades sobre a ação sociocultural, atividades económicas, serviços urbanos e informática. Chama-se Mara Figueiredo e é o novo rosto feminino do Executivo Municipal

“Fazer com que as pessoas tenham mais sonhos e perspetivas”

Almada (A) – A dinamização do comércio local é um desafio. Como é que a autarquia está a trabalhar com os comerciantes? Mara Figueiredo (MF) – É um desafio, especialmente na atual conjuntura socio-económica das famílias. Mas temos uma estratégia, que passa pela parceria e pelo trabalho em rede. Associamos a este processo a intervenção no espaço público, ao nível da requalificação e renovação urbana. Nos próximos quatro anos faremos uma grande aposta na dinamização das nossas ruas e dos espaços urbanos, para que possam ser mais vivenciados pelas pessoas e mais

assumidos pelos comerciantes. Isto tudo é um pouco cíclico: se temos espaços dinâmicos, ruas alegres e movimentadas, com atividades, as pessoas vêm, as pessoas voltam, as pessoas trazem alguém. Criam-se dinâmicas que interessam às nossas cidades. A – Os mercados municipais são uma preocupação do executivo. Que medidas estão a ser pensadas para trazer mais pessoas a estes lugares? MF – Temos uma rede municipal de mercados que tem vindo a ser melhorada ao longo dos anos. Mas, hoje em dia não têm

a mesma importância na vida coletiva da comunidade que tiveram noutros tempos. Os hábitos e as necessidades são outros e há necessidade de adaptar horários e formas de funcionamento aos hábitos de consumo atuais. Só assim podemos conseguir alguns ganhos e cativar novos públicos. Temos de melhorar ao nível da formação, do serviço prestado, da qualidade daquilo que apresentamos e da forma como apresentamos. Oferecer novos produtos, novas iniciativas, novas atividades associadas a estes mercados. Este é um processo que terá de ser tão participado quanto possível


Almada boletim abril 2014

entrevista com quem melhor conhece estes espaços: os trabalhadores e os concessionários. Só assim poderemos obter os esperados resultados. A – A rede de mercados de agricultores locais é uma ideia para concretizar nos próximos anos? MF - Sim, até para trazer novos produtos e potenciar a economia local. As dificuldades socio-económicas geram estas novas economias. Aquilo que há uns tempos víamos como um passatempo, agora começa a ter muito peso no orçamento familiar. Temos também agricultores que desenvolvem esta atividade, fazendo dela o seu modo de vida, que necessitam de espaços para venda. A – A nova Rede de Quiosques está a avançar no terreno. Que espaços são estes? MF – Esta rede foi pensada para completar espaços urbanos. Alguns deles vão avançar nos próximos meses. Na maioria são jovens com ideias inovadoras, vontade de criar novas dinâmicas e ganhar o seu espaço dentro da cidade. Por exemplo, um situa-se no Parque da Paz e irá comercializar pequenas merendas e piqueniques; outro localiza-se em Cacilhas e vai apostar na disponibilização de bicicletas. Temos também dois previstos na Costa da Caparica. A – Quando se fala em tantos cortes na área da cultura, a Linha de Apoio à Produção para Grupos de Teatro de Almada, criada pela autarquia, faz ainda mais sentido? Quais são os objetivos? MF – Faz sempre sentido apoiar a cultura. Agora ganhou um peso maior, porque quando há maiores dificuldades aquilo que se corta de imediato é geralmente o que se considera de mais supérfluo. E a cultura é infelizmente entendida como tal. Em Almada temos tido esta política de ter a cultura como prioridade, porque assumimos que só um povo culto é capaz de

desenvolver, de criar, de progredir. O teatro é uma das frentes que temos vindo a assumir e onde vamos continuar a apostar com o movimento associativo e as companhias locais. A – Apoiar o movimento associativo é um desígnio para este mandato. De que forma pode a autarquia reforçar esta intervenção? MF - Em Almada temos centenas de associações, mais ou menos formais, umas jovens, outras centenárias. Isto é um peso histórico que trazemos, ligado ao crescimento e desenvolvimento da nossa cidade. Temos todo um leque de associações que é necessário apoiar, dar condições, para que se possam consolidar e crescer. Nas coletividades centenárias temos problemas com o edificado, que precisa de requalificação, temos de lhes dar novo fôlego, para manterem a sua intervenção. Depois temos os que acabaram de chegar e precisam de instalações e meios para desenvolver os seus projetos. Assumimos sempre esta vontade de trabalhar em parceria com o movimento associativo, porque é uma maneira de chegarmos a toda a rede do concelho. Neste mandato surge uma peça fundamental, que é um Gabinete de Apoio ao Movimento Associativo, que pretende ser uma mais-valia para a organização destas associações, uma estrutura que lhes dê resposta, seja parceiro e potenciar a sua articulação. A – Os jovens podem ter papel ativo no movimento associativo? É possível uma renovação? MF – É possível, mas não é fácil. Temos exemplos muito bons em que isso aconteceu. Mas os jovens têm de ser cativados e ter condições pessoais e profissionais para se dedicarem ao movimento associativo. O desporto, o teatro, as artes plásticas dentro das coletividades chamam os jovens, e eles não são tão alheios como se quer fazer crer. Temos jovens interventivos, preparados e que precisam do seu espaço.

A – Hoje vivemos uma crise económica e financeira. Esta situação torna mais exigente o trabalho da ação social na autarquia? AM – Esta é uma prioridade que nos é imposta por fora. As necessidades das famílias são cada vez maiores. Não tendo o Município uma competência direta, tem uma intervenção, enquanto parceiro, enquanto entidade de proximidade e que tem esta capacidade de articular e presidir à rede social. Cada vez é mais difícil intervir, nomeadamente quando não há um emprego que sustente a família de forma equilibrada e digna. E isto tem consequências na habitação, saúde, alimentação, acesso à educação… O que podemos fazer é lutar para que as coisas mudem e por outro lado, em rede, conseguir dar resposta a estas situações mais complicadas. A – A aposta nas novas tecnologias para relacionamento com os munícipes e visitantes é também uma aposta da autarquia? É necessário melhorar os elos de comunicação que permitam chegar mais rápida e facilmente aos munícipes e vice-versa. Os meios tecnológicos são sempre uma mais-valia. Temos um processo de modernização que tem sido feito ao longo dos anos e que temos de aperfeiçoar. A – É a nova vereadora deste executivo. Quais são as suas prioridades e que marca gostaria de deixar como resultado do seu trabalho? MF – A prioridade é integrar esta equipa, que é dinâmica, coesa, capaz de dar resposta aos desafios que aí vêm, cada um tem o seu espaço, as suas características, e que se completam. As marcas que vamos deixando são o resultado do trabalho coletivo e daquilo que vamos conseguindo fazer no território: projetar, concretizar, realizar ações que podem ser uma mais-valia para a população. Isto permite-nos fazer a diferença. Fazer com que as pessoas tenham mais sonhos e perspetivas.

15


16

ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

TEMA

ALMADA NA HISTÓRIA DO 25 DE ABRIL DE 1974 QUATRO DÉCADAS DEPOIS DA REVOLUÇÃO DOS CRAVOS, RECORDAMOS OS MOMENTOS HISTÓRICOS VIVIDOS PELO CONCELHO E PELO POVO ALMADENSE QUE CONTRIBUÍRAM, DE FORMA DECISIVA, PARA A QUEDA DO REGIME FASCISTA E A CONQUISTA DA LIBERDADE

H

á 40 anos, Almada teve um papel determinante na história do dia em que o povo português derrubou o regime fascista e opressor apelidado de Estado Novo que, durante quase meio século, perseguiu e torturou os homens e mulheres que corajosamente lutaram pela liberdade, a paz, a democracia e a justiça social. Em Almada, terra de tradições liberais e democráticas, ao longo de várias décadas o povo resistiu e lutou contra o fascismo, as injustiças sociais e a guerra colonial através de greves, manifestações populares e das campanhas eleitorais. Reunião na Costa da Caparica A partir do verão de 1973 a luta inicia uma nova fase: a conspiração de alguns setores das forças armadas como forma de protesto contra a publicação de dois decretos que tentavam suprir a falta de oficiais. Considerando-se prejudicados, os oficiais de carreira, sobretudo capitães, organizam-se em defesa dos seus direitos. A Revolução, que viria a acontecer a 25 de abril de 1974, começou a

Manifestação realizada a 27 de abril de 1974 na Rua Capitão Leitão, em Almada

ganhar forma alguns meses antes, no concelho de Almada. A 5 de dezembro de 1973 o Movimento dos Capitães estrutura-se numa reunião realizada na Costa da Caparica, numa vivenda pertencente a um familiar do Capitão Pinto Soares, onde é eleita a primeira Comissão Coordenadora, cuja direção é entregue a Vítor Alves, Vasco Lourenço e Otelo Saraiva de Carvalho. A partir de janeiro de 1974, o Movimento organiza comissões que estruturam a ação e um programa com os seus objetivos. Depois de um levantamento militar fracassado, em março, conhecido por “Golpe das Caldas”, o Movimento prepara a operação militar que vai pôr fim ao regime do Estado Novo. Nesta fase conspirativa, e clandestinamente, o movimento popular e democrático de Almada liga-se a setores militares que preparavam a Revolução. Na véspera da Revolução Na noite do dia 24 e na madrugada de 25 de abril de 1974 decorre a operação “Fim de Regime”. Depois das senhas transmitidas – as

canções “E Depois do Adeus”, de Paulo de Carvalho, cerca das 23 horas, e “Grândola Vila Morena”, de José Afonso (hora e meia mais tarde), as unidades militares saem dos quartéis para cumprirem, com êxito, as missões que lhes estavam destinadas: ocupação das estações de Rádio e da RTP, controlo do aeroporto e dos quartéis-generais das regiões militares de Lisboa e do Norte, cerco dos ministérios do Terreiro do Paço, entre outras ações planeadas. No Santuário do Cristo Rei Uma destas unidades desloca-se, em direção ao concelho de Almada. É uma coluna militar da Escola Prática de Artilharia (EPA), de Vendas Novas, composta por duas forças comandadas pelos capitães Oliveira Patrício e Mira Monteiro, que ocupam, pelas sete horas da manhã de 25 de Abril, as imediações do santuário do Cristo Rei. A bateria comandada pelo Capitão Oliveira Patrício tem como principal objetivo bater, em tiro direto, qualquer coluna militar afeta ao Governo que tentasse atravessar a ponte sobre o Tejo, ou qualquer navio hostil que


ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

TEMA

Foto ©Júlio Diniz, cedida por Vítor Soeiro

nas instalações das Escolas do Clube Desportivo da Cova da Piedade, situada na Rua das Salgadeiras, onde aprovam um comunicado em defesa do derrube do regime

manobrasse no estuário do Tejo. Uma outra coluna militar de viaturas do Regimento de Cavalaria n.º 3, de Estremoz, comandada pelo Capitão Alberto Ferreira, surge na Cova da Piedade, para depois de ir ao encontro dos militares instalados no Cristo Rei, e juntar-se às tropas comandadas pelo Capitão Salgueiro Maia, em Lisboa. Libertações no Forte da Trafaria Pelas 15h15, uma força da companhia de artilharia do Capitão Mira Monteiro recebe a missão de se deslocar à Casa de Reclusão Militar, na Trafaria, a fim de libertar os onze oficiais ali detidos, acusados na implicação de 16 de março, conhecido por “Golpe das Caldas”. Apoio ao MFA Neste dia 25 de abril de 1974, vários cidadãos de Almada ligados à resistência à ditadura do Estado Novo dirigem-se para o Café Calhambeque, em Almada, e para a Cervejaria Guadiana, na Cova da Piedade, dois locais de convívio e discussão política. Em sequela, alguns destes resistentes realizam uma reunião

Manifestações populares Mais tarde, este grupo volta a reunir-se na Escola das Barrocas. Aberto a todos os cidadãos, dada a falta de espaço desta escola, o plenário é transferido para a Sociedade Filarmónica União Artística Piedense (SFUAP). Aqui é sugerido que se dirigissem para o morro do Cristo Rei, onde se dão as primeiras manifestações populares de solidariedade no apoio aos militares, levando mantimentos. Os noticiários confirmam a ação militar para depor o regime do Estado Novo e implementar a Democracia em Portugal. Sucedem-se manifestações de grande alegria e confraternização. Do Movimento dos Capitães passou-se ao Movimento das Forças Armadas (MFA), que vai conduzir o processo revolucionário até às eleições da Assembleia Constituinte. A manhã seguinte Pelas 8 horas da manhã, do dia 26 de abril, um grupo de almadenses parte para Caxias, a fim de se juntar à população ali presente, proveniente de vários pontos do país, para reivindicar a libertação dos presos políticos. Por volta da meia-noite são libertados os presos políticos, alguns dos quais residiam no concelho: Marco Rolo Antunes, Manuel Judas e Fernando Nunes Pereira. Os dois primeiros ligados, na clandestinidade, ao Partido Comunista Português, e o terceiro à Liga de União e Ação Revolucionária (LUAR), regressam, agora em liberdade, à Cova da Piedade. O povo unido Face ao apoio popular que, por todo o concelho, é demonstrado ao ato revolucionário, a Comissão Concelhia do Movimento de Oposição Democrática do distrito de Setúbal organiza, em 27 de abril, uma manifestação na Cova da Piedade.

Nesta manifestação reafirmam-se os objetivos expressos no III Congresso da Oposição Democrática, realizado na cidade de Aveiro, em abril de 1973, sem os quais não era possível a democratização do País. Forma-se um entusiástico cortejo para apoiar o Movimento das Forças Armadas que derrubou a ditadura, com centenas de populares que iniciam a marcha na então Rua Salazar (já com a placa apeada e que o povo quer que seja designada “Rua da Liberdade”), e descem a Avenida Nuno Álvares Pereira, até à Praça da Renovação (atualmente Praça MFA). A multidão dirige-se depois à Rua Capitão Leitão e, junto à Incrível Almadense, o cortejo faz uma breve paragem. Alguns manifestantes, entre os quais José Gonçalves, Viriato Gonçalves, Álvaro Farinha, Artur Neves de Almeida e José António Martins Lopes, sobem a escadaria dos Paços do Concelho e afixam um cartaz, no qual se exigia a demissão do presidente da Câmara e respetiva vereação. Homenagear os resistentes Nesta manifestação foi alterada a toponímia local, com a substituição provisória de algumas placas a homenagear a memória daqueles cuja atividade de resistência ao Estado Novo, quer no concelho, quer no país, se mostrou exemplar pela abnegação individual em prol da conquista da liberdade coletiva. O 1.º de Maio O 1.º de Maio é festejado em liberdade por milhares de cidadãos no concelho, percorrendo as principais artérias da cidade, desde o Largo 5 de Outubro, na Cova da Piedade, com a Banda Filarmónica da SFUAP. Na Rua Capitão Leitão, em frente dos Paços do Concelho, os manifestantes voltam a reclamar a resignação voluntária da vereação das suas funções. O cortejo, depois de passar pelo estaleiro naval da Lisnave, na Margueira, onde são proferidos vários discursos, termina com um comício no campo de futebol do Clube Desportivo da Cova da Piedade.

17


18

ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

TEMA

OS DIAS DA REVOLUÇÃO 5 de dezembro de 1973 1 – Casa na Costa da Caparica onde se realizou a primeira reunião da Comissão Coordenadora e Executiva dando início o Movimento dos Capitães de Abril

25 de abril de 1974 2 – Coluna de militares no Cristo Rei Foto cedida por Oliveira Patrício

3 – Coluna de militares nas Torcatas à saída do Cristo-Rei

1

2

4

5

Foto cedida por Oliveira Patrício

4 – Forte da Trafaria onde foram libertados os onze oficiais ali detidos, acusados na implicação do “Golpe das Caldas”, a 16 de março de 1974

1 de maio de 1974 5 – 1.ª Comemoração em liberdade do Dia do Trabalhador Foto de Júlio Diniz

1 de junho de 1974 6 – Manifestação do Dia da Criança Foto de Júlio Diniz

TESTEMUNHOS ALMADENSES

O 25 DE ABRIL VIVIDO NA PRIMEIRA PESSOA

Marcos Antunes (1925) “No dia 25 de manhã não vieram guardas como de costume verificar se os ferros das grades estavam bem. (…) Dentro da cadeia ouvíamos o barulho lá fora. No dia 26 vieram-nos chamar. (…) Cá fora estavam milhares de pessoas, apesar de no dia 25 de Abril o MFA ter dito «tenham calma não saiam da casa». Mas as pessoas vieram para a rua. (…) Saímos dia 27 às 00h45 e no mesmo dia, às 10 da manhã, houve uma manifestação pelas ruas de Almada em que houve uma paragem em frente à sede da Câmara. Lá no alto das escadas, reclamámos a expulsão da vereação, nomeada pelo governo fascista, e que fosse nomeada uma Comissão Democrática Administrativa.” Participou nas campanhas presidenciais de Norton de Matos, Ruy Luís Gomes e Arlindo Vicente e Humberto Delgado. Participou na preparação dos três Congressos Democráticos de Aveiro e nas campanhas da Comissão Democrática Eleitoral. Preso político, em diferentes momentos, nas décadas de 1950, 1960 e 1970.

Da esquerda para a direita: Marcos Antunes, Raul Cordeiro (em cima), António Reizinho e Artur Neves de Almeida (em baixo)


ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

TEMA

CONQUISTAS DE ABRIL

40 ANOS DE PODER LOCAL DEMOCRÁTICO

3

6

Raul Cordeiro (1930) “Para mim, o 25 de Abril foi uma festa autêntica. Faz-me lembrar o seguinte: há uma família muito grande que está metida num barracão fechado. No dia 25 de Abril alguém abriu as portas e as janelas e entrou uma onda de luz e as pessoas saíram para a rua. (…) Foi um contraste enorme entre um período enorme de dificuldades de toda a ordem e as perspetivas que se abriam para o futuro: a reformulação da economia, a educação vinha aí, a saúde também…” Responsável pela biblioteca e seção cultural da Cooperativa Piedense. Importante ativista com funções de esclarecimento e contactos entre o Partido Comunista clandestino e as associações da Cova da Piedade. Preso político entre 1958 e 1964.

António Reizinho (1935) “Estávamos a fazer trabalhos lá na Lisnave e quando tive conhecimento que se dava o 25 de Abril fugi. Nem dei satisfação ao encarregado, nem aos colegas. Fui para o Largo do Carmo, onde participei naquelas manifestações. Eu estava lá nessa altura. Foi o Dia da Liberdade!”

Participou nas eleições de Humberto Delgado. Importante elemento de ligação do Partido Comunista às fábricas metalúrgicas do Concelho – do Arsenal à Lisnave. Criou a Sociedade Cooperativa de Indústrias Metálicas. Preso político entre 1967 e 1969.

Artur Neves de Almeida (1940) “Por volta das 2 da manhã um amigo bateu-me à porta vigorosamente. Pensei que era a PIDE e a minha primeira reação foi destruir vários documentos que tinha na minha posse. Qual não foi a minha alegria quando esse meu amigo me disse que se estava a concretizar aquilo que já sabíamos que estava a ser preparado, mas sem conhecermos quando iria acontecer. Às 8 horas a manhã já estava em Lisboa a acompanhar os acontecimentos. Vivemos esse dia de uma forma intensa e com uma imensa alegria. É indiscritível. Nem conseguimos recordar tudo o que vivemos”. Participou na primeira reunião realizada no dia 25 de Abril de 1974, na Escola do Desportivo da Cova da Piedade. Foi o segundo presidente da Assembleia Municipal de Almada, entre 1978 e 1985. Integrou também a comissão instaladora da Comissão Administrativa. Raul Cordeiro, António Reizinho e Marcos Antunes Fonte Arquivo Oral do Museu da Cidade

Nas últimas quatro décadas, o Poder Local Democrático transformou o concelho de Almada. Da requalificação urbana aos equipamentos culturais e desportivos, apostando da tecnologia e nas indústrias criativas, dos parques verdes aos estabelecimentos escolares, da saúde à segurança, foram muitas as conquistas de Abril refletidas na qualidade de vida do concelho. Desde o 25 de Abril, mais de uma dezena de espaços históricos do concelho foram requalificados e transformados em centros de cultura, turismo e lazer. Almada tornou-se um município mais verde. Hoje, além do Parque da Paz, o pulmão verde da cidade, existem mais de cinco dezenas de parques e jardins disseminados pelas onze freguesias do concelho. Além dos núcleos museológicos dedicados a preservar e divulgar o património, as artes e o associativismo, mantendo viva a história do concelho, nas últimas décadas foi também consolidada a rede municipal de bibliotecas, contribuindo para enriquecer o conhecimento dos almadenses. O abastecimento de água é outra das conquistas de Abril. Hoje os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento asseguram a 100% a gestão integrada do ciclo urbano da água a 170 mil habitantes. Além do Hospital Garcia de Orta, nas últimas décadas o Poder Local Democrático criou condições e cedeu terrenos para a rede de centros de saúde do concelho. Quarenta anos depois da Revolução de 1974, o município está dotado de estabelecimentos de ensino básico, creches e jardins-de-infância e de uma ampla e diversificada rede de equipamentos de recreio infantil, enquadrados em parques e jardins. A segurança tem sido outra das reivindicações da autarquia desde o 25 de Abril. Além do Conselho Municipal de Segurança dos Cidadãos, hoje o concelho conta com infraestruturas das forças de segurança em espaços também cedidos pelo Poder Local. Ao longo destes 40 anos, a liberdade e autonomia do poder local democrático permitiram transformar e melhorar as condições de vida das pessoas, no respeito pelos valores e causas de Abril.

19


20

ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

FIGURA

PATRIMÓNIO

MEMORIAL AO PODER LOCAL DEMOCRÁTICO

I

dealizado pelo mestre Rogério Ribeiro, o Memorial ao Poder Local Democrático, instalado nos jardins do Museu da Cidade, na Cova da Piedade, representa uma das conquistas de Abril de 1974. A água é o elemento central do monumento. Inaugurado em 2005, o Memorial tem uma fonte com 30 bicas em bronze, simbolizando cada ano desde o 25 de Abril e da implementação do Poder Local Democrático.

Distribuída pelas bicas, a água verte por uma parede dando origem a um espelho de água que sugere a ideia do poder distribuído democraticamente por todos. O memorial é ainda revestido a azulejos pintados de azul, nos quais surgem descrições das principais obras realizadas pelo Poder Local no Concelho de Almada.


ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

MUNICÍPIO

REUNIÃO DE CÂMARA

PRESIDENTE CONTRA DESPEJOS PELA SEGURANÇA SOCIAL

O

Presidente da Câmara, Joaquim Judas, manifestou publicamente a sua indignação face à denúncia de despejo feitos pelos Serviços de Segurança Social. Esta tomada de posição ocorreu na sequência de uma reunião pública de Câmara, em que o executivo municipal foi confrontado com o relato de uma ação de despejo de um casal e filhos da sua residência, por incumprimento do pagamento da renda. Na sequência dessa ação, estas pessoas foram alojadas temporariamente numa residência abrigo pelos Serviços da Segurança Social. No entanto, dias depois, o casal foi despejado por estes serviços e as crianças retiradas da sua guarda. Perante este episódio, Joaquim Judas salienta que “a situação descrita de famílias desalojadas por incapacidade em assumir os compromissos relativos às rendas das habitações em que vivem é cada vez mais frequente,” acrescentando que a “Câmara Municipal de Almada relembra que a responsabilidade plena pelo devido atendimento a estas situações é dos Serviços de Segurança Social, manifestando a sua mais viva indignação pela manifesta insensibilidade social e humana revelada por aqueles serviços do Estado relativamente ao tratamento da situação descrita.”

Famílias desalojadas por incapacidade em pagar as rendas das habitações são cada vez mais frequentes, conforme tem vindo a constatar o Executivo Municipal

Câmara Municipal alertou as operadoras privadas para a cobrança ilegal de taxa no concelho de Almada

TAXA MUNICIPAL DE DIREITOS DE PASSAGEM

DEVOLUÇÃO DOS VALORES COBRADOS

A

Câmara Municipal de Almada alertou para a cobrança ilegal da Taxa Municipal de Direitos de Passagem (TMDP) que algumas operadoras privadas estavam a aplicar aos seus clientes, na fatura mensal. A autarquia informou estas empresas de que a TMDP, apesar de a legislação o permitir (Lei nº5/2004), nunca foi fixada no concelho de Almada. No seguimento do ofício enviado

pelo Município, a Portugal Telecom (PT) informou a CMA que vai “proceder à emissão de créditos aos clientes abrangidos”. A PT refere que “a situação já está regularizada relativamente aos nossos clientes que pertencem ao vosso Município e não iremos incluir mais nenhuma verba de TMDP nas suas faturas.” Se nas próximas faturas da PT, os consumidores verificarem que os valores cobrados, em faturas anteriores, não foram creditados, devem contactar a empresa, através do serviço de apoio a clientes. O Centro de Informação Autárquico ao Consumidor poderá ajudar a esclarecer dúvidas que possam persistir. Centro de Informação Autárquico ao Consumidor Av. D. Nuno Álvares Pereira, 74 D Almada Tel.: 212 724 763 / 752 / 739 / 758 defesaconsumidor@cma.m-almada.pt

21


22

ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

MUNICÍPIO

EMPRESA QUE DETÉM 51% DA AMARSUL

CÂMARA RECUSA PRIVATIZAÇÃO DA EGF

T

al como a Assembleia Municipal já o fez, também a Câmara de Almada manifestou oposição à privatização da Empresa Geral de Fomento (EGF), que detém 51% do capital social do sistema multimunicipal da AMARSUL (que faz o tratamento e valorização dos resíduos sólidos urbanos dos concelhos da Península de Setúbal). Em causa está a decisão do Conselho de Ministros em desencadear formalmente o processo de privatização da EGF. Numa moção aprovada em reunião pública a 19 de março, a autarquia

exige ao Governo que se disponibilize para “aprofundar o diálogo com os Municípios da Península de Setúbal, no sentido de ser encontrada uma solução adequada ao futuro do sistema multimunicipal AMARSUL compatível com os reais interesses das partes envolvidas, e sobretudo respeitando os legítimos interesses das populações dos Concelhos da Península, em particular do Concelho de Almada.” Neste âmbito a Câmara apela ainda à luta das autarquias locais, das populações e dos trabalhadores do Concelho de Almada no sentido de travar as intenções de transformação de um serviço público essencial e indispensável para o desenvolvimento do concelho de Almada e do país, num sistema em que o lucro para o capital se constitua como o único e último objetivo. O que significa a privatização da EGF Segundo a moção “a privatização da EGF/AMARSUL significará uma

O tratamento e valorização dos resíduos sólidos urbanos é feito pela AMARSUL

PROJETOS ESTRATÉGICOS

POR MAIS INVESTIMENTO NO CONCELHO

A

Câmara Municipal aprovou por unanimidade, a 19 de março, o seu parecer sobre o relatório Final do “Grupo de Trabalho para as Infraestruturas de Elevado Valor Acrescentado”. No documento remetido à Secretaria

de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações (SEITC), a autarquia exige que sejam considerados vários projetos, de grande importância para a região e para o país. Nestes incluem-se a conclusão da rede de base do Metro Sul do Tejo, com a concretização da sua extensão ao Barreiro, Lavradio e o estudo da sua extensão à Costa da Caparica; a construção de um nó de ligação intermédio na zona de Corroios, para acesso à A2; e a construção de um terminal de cruzeiros e marina nos antigos estaleiros navais da Lisnave, previstos no Plano de Urbanização Almada

perda ainda maior da capacidade de intervenção e decisão dos Municípios num setor que, por direito e por natureza integram e que lhes diz diretamente respeito”. Ao mesmo tempo, os cidadãos “deixarão de dispor de capacidade de exercício do controlo democrático sobre esta área estratégica da vida coletiva, uma vez que as administrações das empresas privadas que passarão a fornecer os serviços deixarão de estar dependentes dos eleitos locais que os cidadãos elegem”, refere o texto. A agravar, a “venda da EGF a interesses privados não resolverá qualquer problema económico do País, dos Municípios ou das Populações. Criará, ao contrário, condições para a promoção de interesses próprios de grupos económicos também na área da gestão dos resíduos sólidos, e transferirá ainda mais dificuldades e problemas para os Municípios e para as populações.”

Um dos projetos defendidos pela autarquia é a conclusão da rede do MST

Nascente, já aprovado e em vigor. No seu parecer, autarquia reitera ainda a rejeição à instalação de um terminal de contentores na Trafaria, que este relatório deixa em aberto. O Grupo de Trabalho foi criado pela SEITC com o objetivo de definir “projetos e recomendações que contribuam nos próximos sete anos para potenciar a competitividade da economia nacional e do tecido empresarial, sem negligenciar a coesão territorial”. O relatório final, produzido pelas 19 entidades que constituem este Grupo, esteve em discussão pública durante o mês de março.


ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

MUNICÍPIO

PRODUÇÃO TEATRAL

APOIO A GRUPOS DO CONCELHO PARA OS GRUPOS DE TEATRO DO CONCELHO, A AUTARQUIA DISPONIBILIZOU, ESTE ANO, MAIS DE 37 MIL EUROS

Durante a 17ª Mostra de Teatro de Almada, em novembro de 2013, duas dezenas de grupos de teatro subiram ao palco

A

Câmara Municipal de Almada, tal como tem sucedido em anos anteriores, aprovou, em março último, a atribuição de subsídios no âmbito da Linha de Apoio à Produção Teatral 2014 a 13 os grupos do concelho. Com este apoio, o Município assume a importância dos grupos de teatro almadenses nas dinâmicas culturais do concelho, através da criação artística, do envolvimento da população na conceção e realização dos seus projetos e na formação de novos públicos. No global, são 37 600 euros distribuídos pela Associação

Cultural O Mundo do Espetáculo, Associação Cultural e Recreativa O Grito, Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências e Tecnologia, A Menina dos Meus Olhos – Associação Cultural, Teatro ABC.PI – Associação, Sociedade Filarmónica Incrível Almadense, GITT – Grupo de Iniciação Teatral da Trafaria, Academia de Instrução e Recreio Almadense, Ninho de Víboras – Associação Cultural, Artes e Engenhos – Associação Cultural, Créme de la Créme – Associação, Associação Cultural Manuel da Fonseca, PROACID – Associação Cultural.

Estimular a criação artística Almada é hoje um território de criação contínua e palco de uma intensa vida cultural, ligada ao teatro e não só, com projeção regional, nacional e internacional. O Festival de Teatro de Almada, o Sementes – Mostra Internacional de Artes para o Pequeno Público e a Mostra de Teatro, são três exemplos que ajudam a colocar Almada no palco principal das artes cénicas em Portugal.

23


24

ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

FREGUESIAS

TRABALHO EM PROL DA POPULAÇÃO RETRATO DO TRABALHO DIÁRIO, QUE ENVOLVE VÁRIAS CENTENAS DE TRABALHADORES NAS 11 FREGUESIAS DO CONCELHO. EM ABRIL DAMOS CONTA DA PARTICULAR INTERVENÇÃO NOS ESPAÇOS VERDES E NAS REDES DE ÁGUA E SANEAMENTO

6

1

2

7

8

Almada 1 a 4 – No Campo de São Paulo, os SMAS efetuaram reparações na rede de abastecimento de água, bem como levaram a cabo uma intervenção de manutenção da rede de abastecimento de água na Rua Heliodoro Salgado, junto à Incrível Almadense. Foram também corrigidos dois ramais de águas residuais domésticas e pluviais na Rua da Liberdade.

Cacilhas 5 – A escada que permite a ligação do Largo da Boca do Vento ao Olho-de-Boi foi reparada. Caparica 6 – Os espaços verdes e espaços exteriores junto à Biblioteca Municipal Maria Lamas foram alvo de trabalhos de requalificação, que passaram pela remodelação do sistema de rega e plantação de novos arbustos.


ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

FREGUESIAS

25

3

4

5

9

10

11

7 – A antiga escola primária do “Bairro Cor de Rosa” foi igualmente alvo de limpeza geral e corte de ervas.

Charneca de Caparica 9 – A Rua Francisco Manuel do Nascimento, em Vale Fetal, foi repavimentada.

8 – Os SMAS procederam à reabilitação de uma conduta e ramais de água na Travessa do Monte e Largo Cândido dos Reis, junto à igreja.

10 – Os jardins localizados na Rua do Cristo Rei, Rua Manuel Ribeiro de Paiva e Rua Santa Rita (Aroeira) foram alvo de intervenções de conservação.

11 – Na zona da Quinta da Morgadinha decorreram também trabalhos de corte de ervas e limpeza geral.


26

ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

FREGUESIAS

12

13

14

18

19

20

12 – Os SMAS reabilitaram mais de 600 metros da rede de abastecimento de água, substituíram ramais e hidrantes nas Ruas do Benvindo e Fernão Seco. Costa da Caparica 13 – Intervenções nas vias de acesso às praias do Rei, Morena, Nova Vaga e Bela Vista, no âmbito da preparação para o início da próxima época balnear.

14 – No Jardim Urbano da Costa de Caparica foi cortado o prado junto aos caminhos e efetuada limpeza de arbustos. Cova da Piedade 15 – As árvores existentes na Avenida da Fundação foram substituídas por novas espécies mais adaptadas às condições ali existentes.

16 – Os sumidouros e grelhas da Avenida Aliança Povo M.F.A. têm agora um novo modelo de grelha que permite uma maior segurança na circulação de veículos de duas rodas. Feijó 17 – Na Rua Vila do Seixal o passeio foi requalificado.


ALMADA BOLETIM ABRIL 2014

FREGUESIAS

27

15

16

17

21

22

23

Laranjeiro 18 – Na Rua Sebastião Lopes, a passadeira foi rebaixada, estando agora mais acessível a pessoas com mobilidade reduzida. 19 – A Escola Básica nº3 do Laranjeiro também sofreu obras de manutenção. 20 – O passeio da Rua Bento de Jesus Caraça foi requalificado.

Pragal 21 – Na Rua Luís Serrão Pimentel foram realizados trabalhos de execução de reentrâncias para contentores de recolha de resíduos sólidos urbanos. Sobreda 22 – Cortes de ervas e limpeza geral na Rua do Vale Linhoso.

Trafaria 23 – Requalificação dos espaços verdes e espaços exteriores em frente ao Quartel Bombeiros Voluntários da Trafaria, com a remoção de palmeiras infestadas com o escaravelho da palmeira, remoção sebes, instalação de sistema de rega, plantação de árvores e sebes e sementeira de relvado.


A CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA EA

REVOLUÇÃO PREÂMBULO

A 25 de Abril de 1974, o Movimento das Forças Armadas, coroando a longa resistência do povo português e interpretando os seus sentimentos profundos, derrubou o regime fascista. Libertar Portugal da ditadura, da opressão e do colonialismo representou uma transformação revolucionária e o início de uma viragem histórica da sociedade portuguesa. A Revolução restituiu aos Portugueses os direitos e liberdades fundamentais. No exercício destes direitos e liberdades, os legítimos representantes do povo reúnem-se para elaborar uma Constituição que corresponde às aspirações do país.

Princípios fundamentais Artigo 1º República Portuguesa Portugal é uma República soberana, baseada na dignidade da pessoa humana e na vontade popular e empenhada na construção de uma sociedade livre, justa e solidária. Artigo 2º Estado de direito democrático A República Portuguesa é um Estado de direito democrático, baseado na soberania popular, no pluralismo de expressão e organização política democráticas, no respeito e na garantia de efectivação dos direitos e liberdades fundamentais e na separação e interdependência de poderes, visando a realização da democracia económica, social e cultural e o aprofundamento da democracia participativa. Artigo 9º Tarefas fundamentais do Estado São tarefas fundamentais do Estado: a) Garantir a independência nacional e criar as condições políticas, económicas, sociais e culturais que a promovam; b) Garantir os direitos e liberdades fundamentais e o respeito pelos princípios do Estado de direito democrático; c) Defender a democracia política, assegurar e incentivar a participação democrática dos cidadãos na resolução dos problemas nacionais; d) Promover o bem-estar e a qualidade de vida do povo e a igualdade real entre os portugueses, bem como a efectivação dos direitos económicos, sociais, culturais e ambientais, mediante a transformação e modernização das estruturas económicas e sociais; e) Proteger e valorizar o património cultural do povo português, defender a natureza e o ambiente, preservar os recursos naturais e assegurar um correcto ordenamento do território; f) Assegurar o ensino e a valorização permanente, defender o uso e promover a difusão internacional da língua portuguesa; g) Promover o desenvolvimento harmonioso de todo o território nacional, tendo em conta, designadamente, o carácter ultraperiférico dos arquipélagos dos Açores e da Madeira; h) Promover a igualdade entre homens e mulheres.

A Assembleia Constituinte afirma a decisão do povo português de defender a independência nacional, de garantir os direitos fundamentais dos cidadãos, de estabelecer os princípios basilares da democracia, de assegurar o primado do Estado de Direito democrático e de abrir caminho para uma sociedade socialista, no respeito da vontade do povo português, tendo em vista a construção de um país mais livre, mais justo e mais fraterno. A Assembleia Constituinte, reunida na sessão plenária de 2 de Abril de 1976, aprova e decreta a seguinte Constituição da República Portuguesa:


2

EXPOSIÇÕES

Segunda a sexta Exposição Na rota do progresso: a indústria naval em Almada Museu Naval, Olho de Boi, Almada 9h30-13h | 14-17h30

Quarta a domingo Memórias das cidades na cidade do pintor Solar dos Zagallos, Sobreda 10h-12h | 14h-17h30 (qua. a sáb) | 14h-17h30 (dom.)

Viagem no tempo à zona ribeirinha, através de um conjunto de peças, fotos, imagens em movimento, documentos e testemunhos. A exposição aborda as linhas históricas essenciais da atividade da construção e reparação naval em ferro e aço, de meados do século XX até à atualidade, cujo dinamismo marcou fortemente a identidade social, económica e cultural do concelho.

O trabalho do artista plástico Carlos Pé-Leve é a expressão solitária de vivências, memórias recolhidas ao longo de mais de 30 anos de sucessiva partida e regresso ao seu atelier em Almada, onde constrói as obras que agora estão expostas na Sala dos Arcos do Solar dos Zagallos. Exposição patente até 25 de maio.

VISITAS GUIADAS Quarta a domingo Visita ao Convento dos Capuchos Convento dos Capuchos, Caparica 10h-14h | 15-18h Mediante marcação prévia. A paisagem e a história tornam incontornável uma visita ao Convento dos Capuchos, construído em 1558 para albergar uma comunidade de 40 frades franciscanos. Hoje, este espaço centenário é uma casa de cultura, onde é possível assistir a concertos e visitar exposições. Destaque para os jardins e para o miradouro sobre a frente atlântica, onde se localiza o monumento Mil Olhos, em homenagem a Pablo Neruda.

23 quarta Expo FCT Campus da FCT/UNL, Caparica 9h-17h O Campus da Caparica abre as portas aos jovens do ensino secundário. Nesta mostra de ciência, tecnologia e inovação, promovida pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (FCT/UNL) serão apresentadas mais de 120 experiências e demonstrações científicas e tecnológicas, realizadas visitas guiadas aos departamentos e apresentada a vida académica na sua vertente mais lúdica, com atividades desportivas radicais e a atuação das tunas e de grupos de dança e de teatro.


15 e 29 Terça Música Jazz’Me Cine Incrível, Almada 22h Tributo a Monk com Nuno Tavares, Paulo Neves e Sérgio Caldeira (15 de abril) e concerto do italiano Massimo Cavali (29 de abril).

16 Quarta

16, 23 e 30 Quarta Na rua Mercado Biológico de Almada Largo Alfredo Diniz, Cacilhas 14h-18h30 Fruta, legumes, ervas aromáticas, azeite, mel ou vinho são alguns dos produtos que poderá encontrar neste mercado, onde se reúnem produtores biológicos certificados da região.

Jardinagem Voluntários às Quintas Casa da Cerca - centro de arte contemporânea, Almada 10h-12h | 14h-16h Todas as quintas-feiras o Centro de Arte Contemporânea recebe todos os jovens e adultos interessados em participar nas atividades de jardinagem na Casa da Cerca.

18 Sexta

Sessão Solene Associação Manuel da Fonseca, Pragal 21h Iniciativa da União das Freguesias de Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas integrada nas comemorações dos 40 anos do 25 de Abril. Cinema 48 Auditório Fernando Lopes-Graça Fórum Municipal Romeu Correia, Almada 21h30 Filme realizado por Susana de Sousa Dias que retrata o período histórico do Estado Novo, através de testemunhos de antigos prisioneiros do regime de Salazar.

17 e 24 Quinta

17 Quinta

Música Projecto Bug Cine Incrível, Almada 22h Espetáculo animado por canções conhecidas, ritmos cativantes, ambiente contagiante e muita animação.

Música Sebastião Antunes: Cá Dentro Auditório Fernando Lopes-Graça Fórum Municipal Romeu Correia, Almada 21h30 Concerto do músico mentor do grupo Quadrilha, onde será apresentado o seu primeiro disco a solo. Música Blue Trash Can Meu & Teu Cine Incrível, Almada 22h Blue Trash Can: quando não há bateria, ensaia-se com caixote de lixo. Meu & Teu é um projeto rock cantado em português, com um toque a sonoridades clássicas. Exposição 40 Anos Abril Sede da Imargem, Pragal 21h Apresentação pública da serigrafia produzida no âmbito das comemorações dos 40 anos do 25 de Abril e abertura da exposição de pintura e escultura.

18 e 19 Sexta e Sábado Desporto Almada Futsal Cup 2014 Pavilhão Municipal da Charneca de Caparica 9h-21h | Entrada livre Torneio de futsal de formação (benjamins e infantis), no qual participam equipas dos distritos de Setúbal, Lisboa, Porto, Coimbra, Leiria, Viseu e Braga.

AGENDA ALMADA ABRIL 2014 destaques

3


4

19 Sábado Teatro História de Portugal Auditório da Costa da Caparica 16h Peça levada à cena pelo G Teatro que inclui excerto da recriação da reunião de 8 de dezembro de 1973, uma das mais importantes reuniões para o início da Revolução. Música A Naifa Teatro Municipal Joaquim Benite, Almada Sala Principal 21h30 Concerto onde será apresentado o mais recente trabalho discográfico do grupo português que assinala este ano uma década de existência.

21 Segunda Exposição 40 anos da Revolução de Abril Posto de Atendimento da freguesia da Charneca de Caparica Iniciativa organizada pela União das Freguesias de Charneca de Caparica e Sobreda. Conferência A proclamação da República em Almada Centro de Documentação de Instituições Religiosas e da Família, Cova da Piedade 15h Conferência no âmbito do Ciclo de Conferências de Estudos Históricos e Religiosos, com Alexandre Flores e António Policarpo.

23 Quarta Literatura “O Botequim da Liberdade” Fórum Municipal Romeu Correia, Almada Sala Pablo Neruda 21h30 Apresentação do livro de Fernando Dacosta, uma obra que recorda as tertúlias realizadas por Natália Correia, no Dia Mundial do Livro. Cinema Até Amanhã, Camaradas Fórum Municipal Romeu Correia, Almada Auditório Fernando Lopes-Graça 21h30 Filme de Joaquim Leitão baseado no romance homónimo de Álvaro Cunhal, que retrata Portugal em 1944.

22 a 24 Terça a Quinta

Música Que sede é esta Auditório da Costa da Caparica 22h Espetáculo de pop rock integrado nas comemorações do 2.º aniversário da associação A Gandaia. Música Tragic Comic Cine Incrível, Almada 22h Concerto da banda almadense de rock progressivo com a participação de ex-membros e apresentação de temas inéditos.

19 e 26 Sábado Teatro All you need is love Teatro Extremo, Almada 21h30 Um espetáculo que conta histórias de amor. Uma comédia quase romântica em que o público são todas as pessoas que já provaram o amor ou o desamor.

Exposição Romeu Correia e Maria Rosa Colaço – Dois Escritores de Abril Fórum Municipal Romeu Correia, Almada 10h-18h Ilustrações de passagens de romances de Romeu Correia, realizadas por alunos da USALMA, e de passagens de obras de Maria Rosa Colaço, por alunos da Escola 2/3 D. António da Costa.

22 Terça Conferência e debate O 25 de Abril de 1974 Auditório da Costa da Caparica 21h Nesta iniciativa, organizada pela associação A Gandaia e a Junta de Freguesia da Costa de Caparica, estará presente o coronel Manuel Duran Clemente, Capitão de Abril.

24 Quinta Conferência A Censura no Estado Novo – De Salazar a Marcelo Caetano Externato Frei Luís de Sousa, Almada 15h Conferência proferida por Joaquim Cardoso Gomes, uma organização da USALMA e da Associação de Professores do Concelho de Almada.


Encontro Revolução de Abril 74: Antes e Depois Escola Básica de Vila Nova de Caparica, Caparica 21h Participam nesta iniciativa, do Clube de Peões da Caparica e União das Juntas de Caparica e Trafaria, Manuel Dias, Gaspar Barreira, Manuel Rodrigues e Augusto Flor.

25 Sexta Desfile Homenagem aos Resistentes Antifascistas Monumento aos Perseguidos Praça do MFA, Almada 9h30 | Entrada livre Tradicional desfile que reune população, coletividades e associações para assinalar esta data emblemática.

Poesia Vivo o 25 de Abril Vivo Teatro Extremo 21h30 | Entrada livre Serão de poesia com atores do Teatro Extremo e convidados para assinalar os 40 anos do 25 de Abril. Música Ronda dos Quatro Caminhos com Orquestra Sinfonietta de Lisboa e Cantares de Évora Fogo-de-artifício Clã Praça da Liberdade, Almada 22h | Entrada livre Espetáculo comemorativo dos 40 anos do 25 de Abril.

Música Vinil Riot Cine Incrível 22h | Entrada livre Convite para trazer um vinil com músicas da Revolução e ouvir os temas que marcaram esta época.

Música Há 40 anos - Espetáculo Comemorativo Fórum Municipal Romeu Correia, Almada Auditório Fernando Lopes-Graça 21h30 | Entrada livre Espetáculo de homenagem à Revolução dos Cravos e a Ary dos Santos com direção musical de André Santos e participação da Companhia de Dança de Almada, Teatro & Teatro e Associação O Mundo do Espetáculo. Música Tributo a Ary dos Santos e Zeca Afonso Largo do Porto de Lisboa, Trafaria 21h30 Espetáculo de homenagem a Ary dos Santos e a Zeca Afonso.

Desporto 12 horas de Andebol Pavilhão Municipal da Charneca de Caparica 9h30-21h30 Participação de oito equipas e mais de 150 pessoas na iniciativa promovida pelo Grupo Desportivo e Recreativo Quinta Nova. Poesia Romeu Correia e Maria Rosa Colaço – Dois Escritores de Abril Fórum Municipal Romeu Correia, Almada 14h30-18h | Entrada livre Sessão de poesia onde serão recordados dois grandes escritores de Almada, com projeção de pinturas de Louro Artur, Carlos Canhão e Albino Moura. Palestra Almada na Revolução de Abril Arquivo Histórico – Casa Pargana, Almada 16h | Entrada livre Palestra pelo Coronel Andrade da Silva, em torno de Almada e do triunfo da Revolução de Abril.

Música Tributo a Zeca Afonso Cine Incrível, Almada 22h Homenagem do Movimento de Bandas do Seixal ao maior expoente da música de intervenção portuguesa.

25 e 26 Sexta e Sábado Desporto Groms Search 2014 Praia do CDS, Costa da Caparica 9h-19h Competição de surf para atletas portugueses Sub16, Sub14, Sub12 masculinos e Sub16 femininos. Teatro Diz-lhes que não falarei nem que me matem Teatro Municipal Joaquim Benite, Almada Sala Experimental 21h30 A dura experiência de encarceramento de Carlos Costa, resistente antifascista que esteve preso 15 anos e participou, com Álvaro Cunhal, na célebre fuga de Peniche.

AGENDA ALMADA ABRIL 2014 destaques

5


6

26 Sábado Hora do conto A ovelha que fazia múuuuuu Biblioteca Municipal de Almada, Almada 11h | Gratuito mediante marcação prévia Dos 3 aos 5 anos A partir da história de uma ovelha que fazia múuuuu vamos brincar com os sons e inventar um verdadeiro laboratório sonoro.

Visita Exposição “Raul Cunca. O Design Plural” Casa da Cerca – Centro de Arte Contemporânea, Almada 15h | Atividade gratuita Visita orientada à exposição do designer português.

Crianças Trabalhar, cantar e… tocar! Centro de Interpretação de Almada Velha, Almada 15h | Gratuito mediante marcação prévia A partir dos 3 anos Uma oficina musical, com um toque de espírito almadense.

Dança Projeto “Dançar e Dizer abril” Biblioteca Municipal Maria Lamas, Caparica 15h-18h | Gratuito mediante marcação prévia Oficina de hip hop e rap que pretende montar um espetáculo de danças urbanas e a realização de poemas para a construção de um rap sobre o 25 de Abril.

Hora do conto A contar é que a gente se entende Biblioteca Municipal Maria Lamas, Caparica 16h | Gratuito mediante marcação prévia Dos 4 aos 5 anos Hora do conto com a escritora Leonor Tenreiro.

Visita Jardim Botânico “O Chão das Artes” Casa da Cerca – Centro de Arte Contemporânea, Almada 16h Visita orientada ao Chão das Artes, dando enfoque ao seu programa científico. Hora do conto História de uma flor Biblioteca Municipal José Saramago, Feijó 16h | Gratuito mediante marcação prévia Dos 4 aos 10 anos História de uma flor que vivia num lugar triste, sem sol que lhe desse cor e um olhar que a tocasse. No dia 25 de Abril de 1974 tudo mudou.

Exposição Jorge Vieira Casa da Cerca – Centro de Arte Contemporânea, Almada 10h-18h (ter. a sex.) | 13h-18h (sáb. e dom.) | Entada livre Apresentação da maqueta do Monumento à Liberdade, inaugurado em 1999, no âmbito do projeto de divulgação do Acervo da Casa da Cerca. Música Daniel Schvetz Septeto – Tango Fórum Municipal Romeu Correia, Almada Auditório Municipal Fernando Lopes-Graça 21h30 | Entada livre Interpretação de arranjos originais e obras compostas, em que o tango e o jazz coexistem de forma harmónica.

Crianças Oficina Palavras para Abril Biblioteca Municipal de Almada, Almada 16h | Gratuito mediante marcação prévia Dos 6 aos 10 anos Construção de um mural de histórias agarrando palavras de Abril de 1974 para olhar Abril de 2014.

Música Nó Auditório da Costa da Caparica 21h30 Concerto de encerramento da iniciativa “Gandaia está em Festa”.


Música Flamenco Cine Incrível, Almada 22h Espetáculo com Diego el Gavi (cante) e Idan Balas (guitarra).

26 e 27 Sábado e Domingo Teatro Depois da Revolução Teatro Municipal Joaquim Benite, Almada Sala Principal 21h30 Este espetáculo é uma homenagem lúcida ao 25 de Abril e uma reflexão sobre os tempos em que vivemos.

Música 119.º Aniversário da Academia Almadense Cineteatro da Academia Almadense, Almada 16h Sessão de encerramento das comemorações do 119.º Aniversário da Academia Almadense com a atuação da Banda Filarmónica da Academia Almadense. Música A Casa do Fado Fórum Municipal Romeu Correia, Almada Auditório Fernando Lopes-Graça 17h Serão de fado com Sónia Santos, acompanhada por André Santos (viola) e Hugo Edgar (guitarra).

30 Quarta

27 Domingo Desporto 2.ª Meia Maratona de Almada Almada Fórum, Feijó 10h30 O programa da prova inclui a Meia Maratona (21,1km) e a Corrida de Almada (10 km). Vai ainda realizar-se a Caminhada Solidária (5 km).

Conversa Dois Dias | Duas Plantas: Lírio e Rosa Casa da Cerca – Centro de Arte Contemporânea, Almada 18h30-20h | Entada livre O tema da conversa será sobre duas flores de grande relevância artística e botânica: o lírio e a rosa. Cinema Mandela: Longo Caminho para a Liberdade Fórum Municipal Romeu Correia, Almada Auditório Fernando Lopes-Graça 21h30 Inspirado na autobiografia homónima de Nelson Mandela, este filme acompanha a jornada de um dos maiores ícones mundiais.

Música PJ Nelson Cine Incrível, Almada 22h PJ Nelson e músicos apresentam um conjunto de canções num processo íntimo e único.

Até 30 Quarta Exposição Raul Cunca. O Design Plural Casa da Cerca – Centro de Arte Contemporânea, Almada 10h-18h (ter. a sex.) | 13h-18h (sáb. e dom.) Exposição retrospetiva sobre o trabalho desenvolvido pelo designer Raul Cunca desde os anos 80 em diferentes áreas – equipamento, produto, museografia e equipamento urbano. Exposição Trabalho de Mulher e Criança Galeria Municipal de Arte, Almada 10h-12h30 | 14h-18h (seg. a sex.) | 14h-18h (sáb.) Exposição comemorativa do Dia Internacional da Mulher, da autoria do biólogo e fotógrafo José Paula, sobre a diversidade de ambientes da zona costeira de Moçambique e Tanzânia. Exposição 40 anos do 25 de Abril Edifício Sede do Poder Local, Feijó 9h-17h Exposição de cartazes antigos ligados à temática do 25 de Abril de 1974. Uma iniciativa da União das Freguesias de Laranjeiro e Feijó. Exposição Abril saiu à rua Auditório da Junta de Freguesia da Trafaria 9h-12h | 14h-17h (seg. a sex.) Exposição integrada nas comemorações do 25 de Abril, organizada pela União das Freguesias de Caparica e Trafaria.

AGENDA ALMADA ABRIL 2014 destaques

7


8

TEATRO

CERIMÓNIA

24 quinta Um Dia os Réus Serão Vocês Teatro Municipal Joaquim Benite Sala Principal, Almada 21h30

25 sexta Evocação das conquistas de Abril Rotunda do Centro Sul e Parque da Paz, Cova da Piedade 11h

Peça baseada na defesa que Álvaro Cunhal apresentou para si próprio no tribunal que o julgou entre 2 e 9 de maio de 1950, uma contundente acusação à ditadura fascista, esta dramaturgia é uma homenagem às mulheres e homens que dedicaram as suas vidas à defesa da Liberdade. Encenado por Rodrigo Francisco a partir de uma ideia original de Joaquim Benite.

No Centro Sul, junto aos monumentos ao 25 de Abril e à Paz, decorre uma cerimónia de evocação das conquistas alcançadas com a Revolução dos Cravos. Seguem-se muitas atividades para toda a família no grande pulmão da cidade, o Parque da Paz.

OFICINA 26 sábado Oficina “Dons de Família” Centro de Interpretação de Almada Velha, Almada 15h-18h | Atividade gratuita mediante inscrição prévia Até junho, a Câmara Municipal de Almada com o Teatro ABC. PI propõem, aos sábados à tarde, oficinas para famílias (crianças dos 3 aos 12 anos, acompanhadas por um ou dois adultos) e adultos, no Centro de Interpretação de Almada Velha. Através de atividades artísticas, lúdicas e pedagógicas, proporcionamse momentos férteis de diálogo e interatividade, com diferentes linguagens expressivas e criativas.

Almada Boletim Municipal nº 204 - abril de 2014  

Edição mensal da Câmara Municipal de Almada com distribuição gratuita

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you