Page 1

DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA / 1


2 / O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007


DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA / 3


EDIÇÃO COM 52 PÁGINAS

Editorial: Um prêmio para o empreendedor ....................... 7 Nova Vitrine ........................................................................ 8 Projeto continua em 2008.................................................... 10 Estratégias contra a criminalidade....................................... 12 Lançamento da 1ª Fest Noivas............................................. 16 2ª Corte de Anápolis garante bons resultados ..................... 18 Mérito Lojista 2007.............................................................. 21 Estratégias para o pequeno negócio..................................... 25 Um plano que faz toda diferença......................................... 28 Consórcio imobiliário.......................................................... 30 Atitude inclusiva ................................................................. 32 Democratização tecnológica................................................ 34 Base Aérea quer comprar em Anápolis . ............................. 35 Sucesso de público . ............................................................ 36 Saúde através dos alimentos................................................ 38

Fundada em 20 de setembro de 1962 Presidente Wilmar Jardim de Carvalho 1º Vice-presidente Luiz Pereira da Costa Vice-presidentes Olívio Porto Lima João Itagiba Nunes Júnior Orival Rodrigues Jardim Air Ganzarolli Reinaldo de Castro Del Fiaco Diretores Walter Jensen Barbosa João Batista da Silva Wanderley Camargo Iraci Custódio Ribeiro Makário Luiz Orozimbo Alexandre Marques Antunes Maria Edna Sanches Denys Junqueira Maryam Mikhael Francisco Carlos da Silva Elsio Alves Pereira Gerson Sant’Ana Latife Cury de Pina Elmo dos Reis Goulart Marco Aurelio Rodovalho

Convênios da CDL............................................................... 40

Conselho Fiscal João Batista de Souza Janilson Dutra Fonseca Antônio Gonçalves

Anápolis ganha mais um shopping...................................... 42

O LOJISTA

Compra com segurança . ..................................................... 44

Jornalista responsável Priscylla Dietz GO 01868 JP

Inclusão digital . .................................................................. 46 Outras Notícias..................................................................... 48

Assessoria comercial Rui Marques de Lima Diagramação e arte Robson Pereira da Silva Fotos Arquivo CDL e Divulgação Fotos do Mérito Lojista Centro Fotográfico Edvaldo Almeida

Articulistas desta edição Francisco Lima Júnior: Etiqueta para vendedores............... 20 Janaina Siqueira: Emergência na hora do Lazer ................. 37 Fernando Costa: CPMF – briga nova, história antiga ......... 50

4 / O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / JULHO 2007 4 / O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

Fotolito e impressão Gráfica e Editora Globo Tiragem 2.500 exemplares Importante Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não expressando necessariamente o pensamento da CDL de Anápolis


DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA / 5


6 / O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007


Um prêmio para o empreendedor A Câmara de Dirigentes Lojistas de Anápolis promoveu a terceira edição do Prêmio Mérito Lojista no último dia 23 de novembro. Neste editorial, poderíamos destacar toda a beleza da festa e sua organização, mas não queremos “olhar para nosso próprio umbigo”. Queremos apenas homenagear as grandes personagens deste grande momento: as empresas mais lembradas pela população anapolina em 2007.

“Esse troféu, na verdade, agracia empreendedores. Pessoas que investem em sua marca, que sabem a importância de se investir no seu negócio.”

A conquista do Mérito Lojista não significa vencer uma premiação qualquer. A pesquisa que apontou os escolhidos deste ano foi realizada pela Empresa Júnior da Universidade Estadual de Goiás. Foram 25 dias de consultas em diferentes pontos da cidade para que se chegasse aos destaques das diversas categorias pesquisadas. Diante desse universo de amostragem de uma população de mais de 325 mil habitantes (segundo dados recentes do IBGE), estar entre as mais lembradas merece, de fato, um grande reconhecimento. Todos sabem que não é tarefa simples sobressair no mercado. Estar na mente do consumidor é o maior anseio de qualquer dirigente de empresa, mas é nesse contexto que está o grande diferencial dos vencedores do Prêmio Mérito Lojista. Esse troféu, na verdade, agracia empreendedores. Pessoas que investem em sua marca, que sabem a importância de se investir no seu negócio. E num País como o Brasil, que tem uma carga tributária tão alta e agrega tão poucos investimentos para o crescimento na área comercial, ter a mentalidade empreendedora é um dos pontos que faz toda diferença para o sucesso. Por isso, com todo apreço e respeito, parabenizamos, em nome da CDL, as 67 empresas agraciadas pelo Prêmio Mérito Lojista 2007. Já aguardamos com expectativa o momento de premiar os principais empreendedores de Anápolis na próxima edição da festa em 2008.

Wilmar Jardim de Carvalho Presidente

DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA / 7


VISUAL

Nova vitrine Saiba como o trabalho do vitrinista, também conhecido como designer de vitrines, pode ser peça fundamental para o incremento comercial de uma loja estabelecimento comercial e adquirir produtos.

A vitrinista Kátia Jaime trabalha no ramo há 19 anos

Q

uem nunca ouviu dizer que a primeira impressão é a que fica? Se falarmos de pessoas, a frase nunca vai ser uma regra, mas se referirmos às vitrines de lojas é fácil apostar que praticamente não existem exceções. Essa parte tão importante de um estabelecimento comercial é que vai chamar a atenção de um futuro cliente e, portanto, precisa receber investimento especial do lojista. Existe um profissional que 8 / O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

cuida exclusivamente do assunto, conhecido como vitrinista ou designer de vitrines. A reportagem de O Lojista entrevistou Kátia Jaime, que atua na área há 19 anos, para saber mais detalhes dessa profissão, que pode agregar muito valor aos negócios. A formação de Kátia Jaime é ampla. Formada em Filosofia, essa “carioca de nascimento e anapolina de coração” fez diversos cursos na área

de desenho, decoração, paisagismo, modelagem, esmaltação, cerâmica, adequação de espaços e montagens de exposições, pintura metálica, painéis artísticos, fusing em vidros e outros. O interesse pelas vitrines surgiu a partir do incentivo de amigos. Hoje é uma apaixonada pelo vitrinismo que, de acordo com ela, tem a missão de criar um cenário que envolva o público de tal modo que haja o interesse do consumidor em entrar no

Kátia aponta que o retorno da loja para o investimento pode chegar a um aumento de vendas de até 70%. Por isso, o profissionalismo na hora de montar uma vitrine é indispensável para o sucesso do negócio, ou seja, o improviso não gera resultados. E quanto custa contratar um profissional? Kátia não cita valores na entrevista porque diz que eles são variados e dependem muito do que o proprietário da loja deseja e pode gastar. “Dá para montar algo bem acessível, com material a baixo custo, como o reciclado, e trabalhar com criatividade”, garante. PEÇAS ALUGADAS Kátia Jaime costuma alugar as peças que compõem as vitrines que trabalha. A vitrinista afirma que o intervalo de tempo básico para renovação de vitrines é a cada lançamento de coleções, que acontece quatro vezes ao ano. Ela explica que há lojistas que optam por mudar a sua vitrine toda semana, outros de 15 em 15 dias. O que recomen-


da é que o que foi montado para as coleções seja mantido, desde que haja uma troca permanente das roupas, dos manequins, para garantir uma clientela fiel e satisfeita com as novidades. E engana-se quem pensa que apenas lojas que trabalham com artigos de moda exigem uma boa vitrine. O serviço pode ser feito também em empresas do ramo de móveis, escritórios e outros. A atuação do designer de vitrines pode ser inclusive estendida para o interior da propriedade; tudo dependerá da vontade do cliente que o contrata.

Veja algumas vitrines desenvolvidas por Kátia Jaime

O vitrinista não é um profissional novo no mercado, mas em Anápolis existem poucos especialistas no ramo. A exigência fundamental para interessados em atuar na área é de que estejam dispostos a estar sempre em busca de novos conhecimentos. “O vitrinista tem que pesquisar sempre, fazer workshops, investir em livros, estar em contato com pessoas de fora para saber o que está acontecendo”, ensina Kátia Jaime.

DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA / 9


ESTUDO

Projeto continua em 2008

As Pesquisas de Intenção de Compras encomendadas pela CDL para datas sazonais permanecem no próximo ano. Em 2007, o último levantamento a ser divulgado retratará as tendências de vendas para o Natal

O

projeto de Pesquisa de Intenção de Compras foi implantado em 2007 pela CDL de Anápolis e já dá sinais de que foi uma idéia bem sucedida. O estudo tem o objetivo de traduzir as tendências de compra e do comportamento do consumidor em datas sazonais. Os três levantamentos que foram feitos até o fechamento desta edição (Dia dos Pais, Dia das Crianças e 13º Salário) foram divulgados na mídia e auxiliaram o lojista no preparo para as vendas. Para este ano, está previsto ainda o estudo para o dia 25 de dezembro, quando se comemora o Natal. O projeto terá continuidade em 2008. Os resultados são divulgados com 10 dias de antecedência aos dias comemorativos, ocasiões em que o comércio registra maior volume de vendas. De acordo com o coordenador da Escola de Varejo da CDL, Francisco Lima Júnior, o prazo de aplicação e divulgação do estudo é considerado ideal porque apenas na proximidade da data é que a pesquisa 10 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

conseguirá traduzir com maior fidelidade a real intenção de compra por parte das pessoas. “Ao se aproximar da data, a maioria dos consumidores já tomaram a decisão do que comprar e o quanto pode ou pretende pagar para adquirir determinada mercadoria”, completa. As pesquisas em Anápolis têm em média o número de questionários (400) e a metodologia de forma geral contém 5 % de erro (para mais ou para menos). A primeira encomendada pela CDL foi realizada pela Faculdade do Instituto Brasil (Fibra) e foi voltada para o Dia dos Pais. O segundo e o terceiro levantamentos ficaram a cargo da Empresa Júnior da Universidade Estadual de Goiás (UEG). Para 2008, estão previstas Pesquisas de Intenção de Compras para as seguintes ocasiões: • Dia das Mães • Dia dos Namorados • Dia dos Pais • Dia das Crianças • Liquida Interior • 13º Salário • Natal

Como é feita a pesquisa: • O método escolhido para a pesquisa é de amostragem por conglomerado (efetuada em locais de grande circulação de consumidores) associada à amostragem estratificada (realizada em diferentes bairros da cidade) • O tamanho da amostra foi determinado de acordo com um erro de 5% (para mais ou para menos) e um intervalo de confiança de 95%. O tamanho da amostra ficou estipulado em 400 questionários • Após a coleta, os dados receberão tratamento estatístico e analítico, quantificando e qualificando essas informações, traduzindo-as em um cenário de múltiplas informações

Fonte: Francisco Lima Júnior – coordenador da Escola de Varejo da CDL

O que cada pesquisa revelou sobre as tendências de compra dos anapolinos em 2007 Dia dos Pais

Cartaz da campanha do Dia dos Pais 2007

• A Pesquisa de Intenção de Compras encomendada para o Dia dos Pais mostrou que o consumidor anapolino daria preferência a peças do vestuário (28,75% das respostas), celulares (21,25%) e aparelhos eletroeletrônicos (8%) na hora de presentear os pais no próximo dia 12. O gasto médio com os presentes seria de R$ 120 • Realizada pela CDL em parceria com o Centro de Pesquisas Econômicas e Mercadológicas


(Cepem) da Faculdade Fibra, entre os dias 02 e 03 de agosto. Ao todo 400 pessoas foram entrevistadas nas principais ruas da cidade • A forma de pagamento preferida pelos entrevistados foi a dinheiro com 41,50% das respostas, seguido pelo crediário com 26,25% e cartão de crédito com 11%. Vale observar que a opção cheque obteve apenas 5,50% das respostas • Mais da metade dos consumidores (50,5%) apontaram as lojas de rua como preferência para as compras, seguidos de lojas de Shopping (30%) e camelódromos (11,50%). Dia das Crianças

Cartaz da campanha do Dia das Crianças 2007

• A Pesquisa de Intenção de Compras para o Dia das Crianças revelou que pais e filhos anapolinos tinham opiniões diferentes para a escolha do presente. A tendência, por parte dos adultos, seria presentear com itens de vestuário (43%) seguidos por brinquedos (35%). As crianças entrevistadas, por sua vez, gostariam de ganhar produtos eletrônicos (41%) como celulares, Mp3, Mp4 e vídeo games • Os adultos estavam em busca de preços e vantagens, por isso as lojas de rua apareceram com 63% das intenções, seguidas de camelódromos com 22%. Já 73% das crianças gostariam de ganhar presentes dos Shoppings, devido a uma gama maior de entretenimento, em relação ao preço (escolhido pelos adultos) • A maioria dos pais (65%) pretendia pagar os presentes à vista, como forma de obter descontos, e dispunham o valor médio de R$ 75 para a compra do presente • O levantamento foi feito pela Empresa Júnior da Universidade Estadual de Goiás (UEG), entre os dias 28 e 29 de setembro. A pesquisa abrangeu 800

questionários, divididos em duas categorias principais: adultos e crianças • Como esperado, os filhos seriam novamente privilegiados, com 56% da intenção de serem presenteados, seguidos por netos e sobrinhos, com 16% e 15%, respectivamente

13º Salário • A Pesquisa de Destino do 13ª Salário mostrou que, ao receber as duas parcelas do benefício, os anapolinos priorizariam o pagamento de dívidas. O levantamento foi feito pela Empresa Júnior de Administração da UEG, entre os dias 12 e 16 de novembro de 2007, período em que foram aplicados 496 questionários em diversos pontos da cidade

• O questionário foi dividido em duas partes, sendo a primeira, responsável pelo quadro sócio-econômico e a segunda pela identificação do destino do 13º salário • A pesquisa separou as duas parcelas do 13º, pois as mesmas poderiam ter destinos diferentes. Para a primeira parcela, o pagamento de dívidas foi a prioridade de 33% dos entrevistados. Já para a segunda parcela, o mesmo quesito responde por 21%, o que o coloca em primeiro lugar das opções citadas, ao lado de carro/moto (aquisição, troca etc.) • Compra de presentes também estiveram em alta. 30% dos entrevistados usariam a primeira parte do 13º salário para esse objetivo enquanto 19% disseram que iriam comprar presentes com a segunda parcela. Outros destinos citados foram poupança, aquisição de bens materiais e reforma.

DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 11


SEGURANÇA PÚBLICA

Estratégias contra a criminalidade

PM oficializa inauguração do novo sistema de informatização do Copom e lança a Operação Boas Festas

Secretário da Segurança Pública, Ernesto Roller, presidente da CDL, Wilmar Jardim de Carvalho, e comandante do 3º CRPM, Coronel Raimundo Nonato

A

manhã do último dia 07 de dezembro foi de comemoração para a segurança pública em Anápolis. Nessa data, a Polícia Militar fez a apresentação oficial de um novo sistema de informatização do Copom (190) e iniciou a Operação Boas Festas (veja matéria correlata). 12 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

A ocasião também foi reservada para a solenidade de implantação do Telecentro da corporação (para oferta de cursos à distância aos seus servidores), bem como da entrega da reforma e ampliação dos gabinetes médico e odontológico. O evento contou com a presença de diversas au-

toridades e foi realizada no 4º BPM da cidade. O secretário estadual de Segurança Pública, Ernesto Roller, disse que o principal benefício alcançado com a informatização do Copom é a diminuição do temporesposta entre a demanda da população e a ação policial. O novo sistema concede esse desenvolvimento operacional porque promove a integração das atividades, além de informatizar o atendimento a emergências incluindo a “bina” para evitar trotes. O comandante do 3º Comando Regional da PM em Anápolis, Coronel Raimundo Nonato, informou que o serviço esteve em fase de testes durante os meses de outubro e novembro deste ano. “O sistema em caráter experimental já mostrou duas coisas impor-

tantes”, diz. “A primeira foi a agilização do atendimento a emergências pelo 190 e a segunda foi a obtenção de um raio-x nítido da criminalidade através dos relatórios”. O sistema de informatização do 190 vigora em Goiânia há dois anos. Anápolis é a primeira extensão do projeto. A CDL tem participação nessa conquista, pois fez solicitação da implantação do programa junto à Secretaria Estadual de Segurança Pública, por meio do diretor de Informática da entidade, Makário Luiz Orozimbo. Apesar de não adiantar datas, Ernesto Roller afirmou que o objetivo do governo estadual é levar o novo modelo do Copom a todos os municípios goianos, especialmente naqueles que estão localizados no entorno do Distrito Federal.

Autoridades durante a solenidade promovida no 4º BPM de Anápolis


Reforço policial no final de ano Major Edival Batista e Capitão Josmar Pedroza expuseram, na CDL, o planejamento da PM para o final de ano

R

epresentantes da Polícia Militar em Anápolis expuseram, na CDL, o planejamento de segurança durante o período de festas de final de ano. O tema foi tratado durante reunião ordinária da diretoria da entidade realizada no último dia 19 de novembro. A operação

da PM será feita entre os dias 7 de dezembro de 2007 e 5 de janeiro de 2008. O enfoque do trabalho será onde há maior concentração de pessoas nessa época do ano, ou seja, no setor Central, especialmente em locais como a Avenida Goiás e ruas Barão do Rio Branco e Engenheiro Portela e Praça Bom Jesus. As estratégias serão incrementar o número de viaturas e reforçar a quantidade de policiais espalhados no meio da população, inclusive à paisana. O Major PM Edival

Dicas de Segurança no comércio • Ao abrir e fechar a loja, procure faze-lo na presença do maior número de funcionários possível. Essa medida poderá inibir um possível roubo; • Evite expor mercadorias próximas à calçada, a fim de dificultar pequenos furtos. Analise a conveniência e o custo benefício entre contratar seguranças e/ou instalar vigilância eletrônica; • Fique atento e oriente os funcionários para observar os “clientes” que fazem perguntas sobre mercadorias de valor

e sobre rotinas da loja, como movimentação financeira do caixa, existência de cofres, dias de pagamento, etc. Muitos assaltantes estudam o ambiente e as suas vítimas, antes de praticar o crime; • Não deixe grande quantidade de dinheiro nos caixas da loja e nem no cofre. Crie mecanismos para depositar esses valores, antes do término do expediente bancário, principalmente na sextafeira ou véspera de feriados. Evite rotina e seja cauteloso se tiver que

Soares Batista explica que os outros bairros de Anápolis não ficarão desguarnecidos durante a operação cuja atenção especial é destinada ao Centro. Segundo o policial, pretende-se deslocar parte do efetivo que está estabelecido na área administrativa da corporação e lançar mão do banco de horas da PM. Os policiais sem farda terão contato com as viaturas através de rádios. “Nossa finalidade é a prevenção. Se nós deixarmos para atender ocorrências é sinal de que nós não

fizemos bem o nosso trabalho”, aponta o major. A expectativa do Major Edival Batista é de que o planejamento policial consiga atender às necessidades da população anapolina. “Apesar de não termos a segurança que gostaríamos de ter, temos a expectativa de podermos fazer um dos melhores policiamentos que já fizemos em Anápolis”. A justificativa dele para a afirmação é a frota nova e o banco virtual de horas da PM para que o trabalho seja executado.

deslocar com numerários para realizar os depósitos; • Alguns roubos e furtos têm a participação de ex-funcionários e de funcionários, no planejamento da ação criminosa, e às vezes até na execução; • Em nenhum momento devemos reagir ao assalto; a vida tem mais valor que bens materiais. Oriente seus funcionários a não esboçarem movimentos bruscos diante de um assaltante, pois ele pode interpretar como uma ameaça e atirar em alguém;

• Oriente seus funcionários a ficarem atentos a detalhes que possam servir de informações para a Polícia identificar e prender os criminosos, caso ocorra um assalto em seu comércio. Características físicas, cicatrizes, tatuagem, altura, cor, idade aparente, sotaque, roupas, calçados, armas utilizadas, bem como o meio utilizado para a fuga, se em veículo: cor, marca, modelo e placa; • Contato com a PM: ligue 190 Fonte: Polícia Militar de Goiás

DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 13


14 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007


DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 15


EXPOSIÇÃO

Lançamento da 1ª Fest Noivas

Com apoio da CDL, será realizada em março de 2008 uma feira totalmente voltada para segmento de noivas e festas em geral de Anápolis

Autoridades participam do coquetel de lançamento da Fest Noivas, que reuniu cerca de 150 pessoas

O

coquetel de lançamento da 1ª Fest Noivas, realizado na noite do último dia 26 de novembro na sede da CDL, foi um sucesso. Aproximadamente 150 pessoas estiveram presentes e puderam assistir à apresentação do projeto em vídeo com exclusividade. A Fest Noivas será uma feira anapolina do segmento de noivas que abrangerá ainda profissionais de festas em geral, como formaturas. O evento será realizado entre os dias 13 e 16 de março de 2008, no estacionamento coberto do Brasil Park Shopping, das 14 às 22

16 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

horas. O planejamento e organização completa da estrutura estão sob responsabilidade da agência Imagem Produções, com apoio da Câmara de Dirigentes Lojistas, Acia e Sincovan. Durante o coquetel, os 53 estandes disponíveis para a feira começaram a ser comercializados pela Imagem. Os espaços serão divididos e padronizados em 10m² cada montados em área acarpetada, com ambiente climatizado e confortável para os visitantes e expositores. A Fest Noivas seguirá padrões internacionais de produção. Na programação, estão previstas várias atrações como desfiles, exposição de bolos, mini-cursos, palestras, apresentações musicais e sorteio de brindes para o público visitante. O Sebrae dará suporte técnico aos lojistas participantes e seus colaboradores oferecendo-lhes palestras e treinamentos que visam profissionalizar o atendimento e as vendas durante a Fest Noivas. PREPARO - Até o lançamento oficial da

Fest Noivas, quatro reuniões foram realizadas entre a CDL e representantes do segmento de noivas. Os encontros foram conduzidos pelo gerente de Negócios da entidade, Rui Marques de Lima, ao lado da gerente do Departamento Comercial e SPC, Déa Lúcia Jorge. O primeiro deles ocorreu no dia 03 de setembro deste ano, quando a CDL promoveu um café da manhã para os empresários da área. Na ocasião, foram apresentados todos os serviços que a entidade oferece aos seus filiados e também foram recebidas as reivindicações do setor. Mais de 40 pessoas estiveram presentes. Resumidamente, a categoria solicitou o apoio da CDL para as seguintes ações: feira anual do segmento exclusivamente para os lojistas anapolinos; divulgações dos eventos ligados ao setor; reconhecimento da categoria junto aos órgãos oficiais; espaço na revista O Lojista, produzida pela Câmara de Dirigentes Lojistas. A idéia da primei-


Anote na sua agenda! FEST NOIVAS 2008 Empresários discutem detalhes da feira na CDL

ra reunião partiu de um grupo de lojistas do setor, que procurou a CDL a fim de que fosse iniciada uma parceria entre as partes. Rui Marques de Lima destacou que a entidade está à disposição da categoria. Ele então sugeriu que fosse forma-

da uma comissão de lojistas que ficaria responsável pelo planejamento da exposição. Os membros dessa comissão participaram então de outras três reuniões para acertar detalhes como a escolha da agência de produção do evento.

1ª Feira de Produtos e Serviços para Noivas, Formaturas e Festas em geral de Anápolis e Região Dias: 13 a 16 de março 2008 Horário de funcionamento: 14 às 22 h Local: Brasil Park Shopping ENTRADA FRANCA

DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 17


JUDICIÁRIO

2ª Corte de Anápolis garante bons resultados Em 90% das ações de cobrança, as pendências são resolvidas na primeira audiência. Quem utiliza o serviço, que está disponível para toda a comunidade, assegura a satisfação com o mesmo

Q

uem utiliza a 2 ª Corte de Conciliação e Arbitragem, que está instalada na CDL de Anápolis, garante que o serviço garante ações com Justiça mais célere, barata e menos burocrática (confira depoimentos abaixo). O índice dos resultados impressiona: em mais de 90% dos casos, os processos são resolvidos na primeira audiência. A 2ª Corte é regida pela lei 9.307/96, a qual

possibilita propositura de ação de cobrança para que o reclamante resgate os créditos que considerava perdidos. As etapas para solução do problema explicam o porquê de as ações impetradas na 2ª Corte de Anápolis serem tão rápidas. O processo inicia quando o reclamante entra em contato com a 2ª Corte munido de toda documentação necessária para comprovação do débito, tais como cheques, notas

promissórias e contratos. Para que o sucesso seja mais garantido, é importante que o reclamante tenha em mãos a cláusula compromissória em que as partes assinam quando firmam o contrato de serviço. Com a xerox dos documentos em mãos, é elaborada a ação de cobrança, que fica pronta em até três dias. São recolhidas as custas processuais por parte do reclamante. Se o interessado pelo serviço

Sala de audiências da 2ª Corte de Conciliação e Arbitragem de Anápolis

18 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

for associado da CDL, o valor a ser pago é R$ 60; para não-associados, o investimento é de R$ 90. Em ambos os casos, os valores estão inclusos o pagamento do oficial de justiça. SOLUÇÃO - A audiência é marcada para 15 dias após o recolhimento das custas. É neste período que o oficial intima o reclamado para que a audiência seja realizada. Em mais de 90% dos casos, o impasse é resolvido logo na primeira instância, ou seja, através da Conciliação. Em raras vezes, é lançada mão da etapa seguinte, a de Arbitragem. Nesse caso, não há mais custas com oficial porque a segunda audiência é marcada com os presentes durante a primeira. É importante frisar ainda que o reclamante tem as custas processuais ressarcidas pelo reclamado, ao firmar o acordo. A rapidez e eficiência nos processos da 2ª Corte de Anápolis é testificada por João Américo Monteiro, da Escola Pin-


guinho de Gente – Escola Educar. “Pendências consideradas insolvíveis foram resolvidas, fizemos muitos acordos e obtivemos êxito”, afirma. Na sua avaliação, as Cortes de Conciliação e Arbitragem são “os braços da Justiça” a serviço dos cidadãos que procuram nela a solução de questões simples como pendências de dívidas, desacordos, quebra ou não cumprimento de contratos. “São problemas simples sendo resolvidos de forma rápida, barata, eficiente, desburocratizada e transparente”. A supervisora de vendas da Madeireira Compensados Anápolis, Welda Cristina de Souza Pinto Carvalho, também comemora a eficácia da 2ª Corte. “Nas audiências, fica claro para o devedor q u e ainda

Veja o que diz quem usa a 2ª Corte de Conciliação e Arbitragem de Anápolis: “É um grande serviço. Tem dado um respaldo muito grande para os comerciantes que antes tinham que recorrer à Justiça comum. O acesso é mais rápido e o resultado das conciliações é bastante satisfatório”. Zilma Alves Teixeira – advogada da rede SuperVi “A respeito da 2ª Corte de Anápolis, posso testemunhar o seguinte: a parceira ideal que encontramos para resolver as nossas inadimplências. Portadora de credibilidade, a 2ª CCA é gerida por pessoas capazes e competentes para tal função, e em um curto espaço de tempo ganhou a nossa confiança. Pendências consideradas insolvíveis foram resolvidas, fizemos muitos acordos e obtivemos êxito”. João Américo Monteiro - Aux. Depto. Financeiro e Administrativo da Escola Pinguinho de Gente – Escola Educar “Eu acho uma maneira rápida e eficiente de se chegar a um consenso entre as partes. Trouxe agilidade onde a justiça é muito morosa. Em 70% de tudo que foi levado à 2ª Corte, houve acordos e os mesmos foram honrados”. Ian Moreira Silva – gerente geral da Conexão Elétrico e Hidráulico “Utilizamos a 2ª Corte há mais de um ano e tivemos sucesso em todas as ações. É (um serviço) muito bom. A gente vai e resolve”. José Humberto Oliveira – gerente da Imobiliária Jaó

existe Justiça neste País e que o não-cumprimento do acordo fi r m a d o gera uma pena”.

“A Madeireira Compensados Anápolis usa os serviços da 2ª Corte há aproximadamente um ano e meio e os resultados são bastante positivos, pois de 100% das ações aqui representadas, obtivemos 90% de resultado positivo imediato. O comportamento da nossa empresa mudou muito em relação à forma de recebimento de débitos de seus clientes”. Welda Cristina de Souza Pinto Carvalho - supervisora de vendas da Madeireira Compensados Anápolis

ATLANTA

®

www.atlanta.srv.br

A segurança do seu crediário DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 19


ARTIGO

Etiqueta para vendedores E

xiste um aspecto que é bastante avaliado pelos seus clientes e que influi diretamente na marca da sua empresa: a imagem dos seus vendedores. As pessoas que são avaliadas com uma imagem positiva conseguem demonstrar maior credibilidade. E sabemos que é a credibilidade que se firma como fator determinante no sucesso dos negócios, pois um cliente sente-se mais seguro ao adquirir um produto ou serviço de pessoas que passam confiança nas suas ações. Nesse contexto entra a etiqueta, que é a formalidade no trato social. Pressupõe urbanidade e respeito no trato entre pessoas, tanto no contato social, quanto no envolvimento profissional. A etiqueta profissional procura orientar as pessoas para que tenham um comportamento adequado no ambiente de

20 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

trabalho. Abrange desde o tom de voz até a forma de apresentação usada para a abordagem. Para a equipe de vendas ela se faz imperativa, pois a forma que se dará as interações com os clientes poderá definir o sucesso na negociação. Estudos realizados afirmam que, em um primeiro contato, os principais fatores que definem a imagem de um profissional são formados na seguinte proporção:

menta para se estabelecer sintonia com o cliente. As colocações devem ser pertinentes e sem erros de pronúncia, vícios de linguagem, gírias, expressões que denotem intimidade ou piadinhas. Quem irá definir o tom da conversa é sempre o cliente e o profissional deve ter habilidade suficiente para se adequar;

25% Aspecto visual – definida aqui pela aparência e pelas vestimentas;

O profissional deve compreender que a venda é muito mais que o comércio de produtos para suprir necessidades, pois ela envolve processos psicológicos de busca de satisfação. A forma como o vendedor se comporta ajuda na facilitação desses processos e, quanto melhor for a sua imagem e a atenção dada aos clientes, melhor serão seus resultados.

O Tom da Voz com 18% - o uso adequado da voz, como velocidade e volume, influencia na atenção que o cliente dará a conversa; A adequação das palavras utilizadas com 14% - a linguagem é uma importante ferra-

A Linguagem Corporal com 10% - a postura, o sorriso, a forma que gesticula...

Francisco Lima Administrador de Empresas, Instrutor de treinamento, consultor empresarial e gerente de treinamentos da Escola do Varejo da CDL de Anápolis

Cabe ao profissional de vendas ser uma pessoa: • Alegre, positiva, em face de qualquer circunstância, sorridente sempre; • Bem intencionada, curte um desejo sincero de que a empresa que trabalha cresça muito para que ele possa crescer juntamente com ela; • Cobre as falhas alheias; • Nunca vê defeitos dignos de ser comentados; • Dorme bem, veste-se bem, come bem e aproveita cada minuto de seu tempo; • Está sempre alerta para tudo; • Faz do entusiasmo uma maneira vibrante de viver ; • É educada, sabe o que significa TER EDUCAÇÃO ; • Se autopolicia a cada instante


TROFÉU

Mérito Lojista 2007

Realizada no dia 23 de novembro, a festa de premiação foi marcada pela organização e beleza sico americano, músicas italianas, axé, pagode, rock, funk e outros estilos musicais.

O Espaço Lune foi o local escolhido para a solenidade de premiação do Mérito Lojista 2007

S

ucesso absoluto. Nenhuma outra expressão pode descrever melhor o que foi a festa de premiação do Troféu Mérito Lojista 2007. Realizada no dia 23 de novembro, no Espaço Lune, 67 empresas dos mais diversos segmentos lojistas foram homenageadas pela CDL de Anápolis por terem sido as mais lembradas pela população anapolina durante este ano. Os escolhidos para a terceira edição do prêmio foram apontados por uma pesquisa de opinião pública coordenada pela Empresa Júnior da Universidade Estadual de Goiás. O objetivo principal do evento é estimular o empreendedorismo e a qualidade de prestação de serviços no comércio local. O público presente na festa de premiação ficou em torno de 500 pesso-

as. A programação do Prêmio Mérito Lojista 2007 teve início com as formalidades de entrada de bandeiras e discursos. Posteriormente, os agraciados receberam os troféus para que então fosse servido o jantar. Para o encerramento da festa, foi realizado o show de Rezende e Renato, que, ao contrário do que parece, não formam uma dupla sertaneja. O repertório dos dois é bastante eclético e inclui o clás-

RECONHECIMENTO Diversas autoridades prestigiaram a festa do Mérito Lojista 2007, como foi o caso do prefeito de Anápolis, Pedro Sahium. “Esse evento traz ética, responsabilidade e incentivo para aqueles que trabalham no comércio da cidade”, avaliou o chefe do Executivo municipal. O secretário estadual da Indústria e Comércio, Ridoval Chiareloto, também apontou a validade do reconhecimento garantido pelo prêmio. “Ninguém é homenageado por nada. Toda pessoa que é homenageada é porque participa da sociedade e da instância que representa”. Representantes da Caixa Econômica Federal e da Federação de Câmaras de Dirigentes Lo-

Dupla Rezende e Renato promoveu o show de encerramento da festa

jistas de Goiás (FCDL), órgãos que são parceiros do Mérito Lojista desde sua primeira edição, em 2005, também estiveram presentes no evento. A superintendente regional da Caixa em Anápolis, Marise Fernandes Araújo, disse que a parceria significa orgulho e agradecimento. “Eu acho que é muito inteligente essa iniciativa da CDL de celebrar a conquista, o sucesso, a integração das pessoas, das empresas. Para nós da Caixa, é um momento de muita alegria”. O presidente da FCDL, Agenor Braga e Silva Filho, lembrou que a CDL de Anápolis é uma das mais importantes do Estado. Registrou ainda que o período escolhido para a festa (final de ano) é muito apropriado porque gera um “misto de premiação e celebração”. Os presidentes da Acia e do Sincovan, Ubiratan da Silva Lopes e Ruy Abdalla, respectivamente, elogiaram a iniciativa da CDL. “Esse evento é da maior importância porque enaltece as empresas que estão liderando a área do comércio varejista de Anápolis”, afirmou Abdalla. Ubiratan, por sua vez, desejou vida longa ao evento. “Vamos dar todo apoio no sentido de que o Mérito Lojista continue por mais anos”, garantiu. DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 21


22 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007


DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 23


24 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007


PUBLICIDADE

Estratégias para o pequeno negócio

Stalimir Vieira, que tem 32 anos de experiência no ramo publicitário, ministrou seminário em Anápolis sobre o uso do marketing para sobrevivência e ascensão das empresas, especialmente as de pequeno e médio portes

T

pela Abap e contou com o apoio da CDL e outros parceiros. Com este e outros exemplos citados na palestra que ministrou, Stalimir pretendeu desfazer o mito de que publicidade deve ser pensada apenas pelas grandes marcas uma vez que essencialmente é cara. “O segredo não é quanto (gastar), mas quando. E o quando é sempre”, pontuou. “Se o empresário tiver dinheiro para atingir apenas 10 e não 100, trabalhe constantemente com os 10 que terá construção da marca”. Para construção do nome da empresa, o palestrante lembrou que é essencial que o trabalho de divulgação seja feito por profissionais de marketing. Por isso deu dicas de como o empresário pode identificar uma boa agência de propaganda, como por exemplo, tomar conhecimento de serviços prestados para outros clientes e do histórico Dezenas de pessoas participaram do seminário, realizado no auditório da Acia dos profis-

rês professores resolvem abrir um curso de idiomas a partir do FGTS em Salvador (BA). Com interesse em divulgar o novo negócio, procuram uma agência de propaganda e oferecem entre R$ 8 mil e R$ 10 mil pela divulgação. O valor é pequeno para fazer marketing em massa, mas os publicitários topam fazer o trabalho porque acham inteligente a proposta do trio em destacar que o aluno poderia escolher os dias e horários das aulas. A agência desenvolve uma mala direta para ser entregue na porta dos

cinemas da cidade. Na entrada, a primeira parte do folheto sugeria: “Tente entender o filme sem legenda”. E na saída, a segunda questionava: “E aí, gostou do filme? E do seu inglês?” e dava mais informações sobre o novo curso. A ação durou três finais de semana e, no final do processo, rendeu 12 alunos. Foi o grupo de partida. O curso hoje tem até franquia. A história acima é verídica e foi relatada pelo publicitário Stalimir Vieira, durante seminário Comunicar e Crescer, realizado no dia 30 de outubro passado, no auditório da Acia. A iniciativa foi promovida

sionais que trabalham na mesma. “A agência tem que ser ética, criteriosa e criativa”, resumiu. SOBREVIVÊNCIA No seminário, Stalimir Vieira destacou a importância da marca em todos os negócios de demanda de consumo que visam a sobrevivência no atual mercado. Entre os pontos relacionados por ele estão a referência para o consumidor, a reputação e prestígio do empreendimento, a garantia de força em meio a problemas e a estratégia mais barata e eficiente de se manter longe de crises. “O empreendedor se compromete, acredita que a maior defesa é o ataque”. Stalimir Vieira trabalha como publicitário há 32 anos. Entre outras agências de publicidade, dirigiu criação na DPZ, na W/Brasil, na Bates, em São Paulo, e na DDB Argentina, onde desenvolveu campanhas para grandes clientes como Nestlé, Johnson&Johnson, Banco Itaú, Bradesco, Kaiser, Sadia, GM, Grendene, McDonald´s. DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 25


26 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007


DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 27


TELEFONIA MÓVEL

Um plano que faz toda diferença

Menor tarifa do mercado, chamadas grátis entre o grupo e controle total dos custos são algumas das muitas vantagens do CDL Celular O presidente da CDL, Wilmar Jardim (D), com o diretor executivo da Consult, Luis Miguel, e o gerente da entidade, Rui Marques (E)

A

CDL de Anápolis termina 2007 com o mérito de ter promovido a implantação de um grande serviço na área de telefonia móvel. Lançado no início do segundo semestre, o CDL Celular tem tido grande aceitação no mercado devido às inúmeras vantagens que oferece, especialmente quanto aos valores de tarifas. Com apenas R$ 0,25 por minuto, é possível fazer ligações locais (considerados todos os prefixos 62) para qualquer operadora, inclusive telefones fixos. Além disso, existem outros benefícios como a isenção de adicional de chamada e deslocamento e a modalidade Tarifa Zero para ligações entre os participantes do grupo. 28 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

Saber previamente os custos também agrada o usuário do plano. Com o CDL Celular, o valor contratado é o que é pago. Ter esse controle foi possível graças à implantação de um software de gerenciamento, compatível para este serviço que promove em tempo

real o consumo individual. Assim, as empresas podem repassar o benefício de um melhor plano para seus funcionários e familiares com a tranqüilidade de saber o quanto cada um irá pagar pelo

serviço. O CDL Celular é fruto de uma parceria entre a entidade classista e a empresa de consultoria em telecomunicações Consult.


Entrevista – Luis Miguel Mendes

“Vamos ter mais benefícios”

O diretor-executivo da Consult, Luis Miguel Mendes, ainda não adianta detalhes, mas garante que o CDL Celular oferecerá mais vantagens ao usuário do plano de telefonia móvel a partir do próximo ano. A Consult é a empresa parceira da Câmara de Dirigentes Lojistas de Anápolis na implantação e gerência do CDL Celular. Revista O Lojista - Como surgiu a idéia de criar o plano empresarial de telefonia celular da CDL? Luis Miguel Mendes - A idéia surgiu da necessidade de integrar empre-

sas, atividades diversas, pessoas físicas e jurídicas com uma comunicação mais barata. O Lojista - Como foi possível chegar a tarifas tão reduzidas? Luis Miguel - Através de pesquisas de mercado que nós fizemos durante seis a oito meses. Antes de fechar negociação, nós detectamos as reais necessidades, tiramos o que era supérfluo e negociamos com a melhor operadora, o que trouxe o valor mais em conta, com a necessidade atingida pela pesquisa. De acordo com o volume apresentado pela CDL à

Vantagens do CDL Celular: ◘ Chamadas grátis entre o grupo

◘ Isenção de adicional de chamada e deslocamento

◘ Controle total dos custos

◘ Menor tarifa do mercado:

operadora, foi possível chegar a essa tarifa. O Lojista - Que tipo de retorno o senhor tem observado dos participantes do plano? Luis Miguel - Para quem não sabe, esse plano de celular já é integrado com a Tarifa Zero, ou seja, todos os membros do grupo, todas as pessoas que entrarem para esse plano vão poder falar entre si de graça. A gente observa que, à primeira mão, o usuário não se dá conta de quanto isso é válido, mas à medida que os usuários começam a falar mais entre si, vêem que o custo cai muito. Então a - R$ 0,25 o minuto para ligações locais (para qualquer operadora, inclusive de telefones fixos) - R$ 0,26* o minuto para ligações interurbanas para celulares Claro - R$ 0,49* o minuto para ligações interurbanas

maior observação positiva dos usuários é quanto à comunicação intragrupo a custo zero. O Lojista - É possível adiantar novidades para 2008? Luis Miguel - Nós não podemos dar os nomes ainda, mas de antemão já podemos dizer o seguinte: vamos ter ainda maiores benefícios para esses que já estão utilizando o plano, tarifas mais baixas, uma condição diferenciada, uma expansão e uma divulgação, um plano de marketing para essas empresas que estão entrando no sistema sem custo algum a mais. para Telefones Fixos - R$ 0,88* o minuto para ligações para celulares de outras operadoras *Estes valores são válidos para ligações através do 21 (Embratel) para qualquer região ou cidade do Brasil.

Para mais informações, ligue (62) 3328-0008 ou acesse www.cdlanapolis.com.br

DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 29


INVESTIMENTO

Consórcio Imobiliário

O Lojista entrevistou dois representantes de instituições que oferecem consórcio imobiliário em Anápolis, uma de caráter público e outra de característica privada. Eles apresentam os detalhes desse ramo, que tem se mostrado uma boa alternativa de investimento, especialmente para quem deseja mais segurança e isenção de taxas de juros. O investidor pode adquirir imóveis conforme seu projeto, mas vale lembrar que a aquisição pode não ser imediata, pois a carta de crédito sai por sorteio ou lance.

que faz parte de um dos maiores grupos do Brasil (Nasa). O grupo de imóvel é autônomo em relação aos demais, possuindo patrimônio próprio.

Wesley Filardi – gerente de vendas do Consórcio Nasa em Anápolis • Como funciona o consórcio imobiliário Nasa O consórcio imobiliário da Nasa é seguro, confiável e um investimento garantido pelo Grupo Nasa e fiscalizado pelo Banco Central do Brasil. As contemplações são realizadas mensalmente por sorteio e lance, contemplando quantos créditos o saldo do grupo permitir. O crédito poderá ser utilizado para aquisição, construção ou reforma (imóvel comercial, urbano ou rural) em qualquer localidade do País. • Detalhes O consórcio imobiliário Invest Nasa é um excelente investimento para quem vive de aluguel e tem condições de pagar 30 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

as parcelas do consórcio, pois proporciona parcela fixas durante o ano, proporcionando o investidor a economizar e ao mesmo tempo participar dos sorteios e ter o sonho da casa própria realizado. O mercado de consórcio imobiliário era carente, havia muita gente que fazia o consórcio de carro e depois usava o dinheiro para adquirir imóvel. No nosso consórcio imobiliário, as parcelas são fixas e sua valorização acontece uma vez no ano INCC (Índice Nacional da Construção Civil), que garante ter o crédito sempre com poder de compra. • Administração O Invest Imóvel Nasa é um grupo administrado pela Nasa Administradora de consórcio, empresa com mais de 12 anos no mercado de consórcio

• Vantagens Hoje na área de investimentos, o consórcio imobiliário Invest Nasa é um dos mais seguros que tem no mercado porque não se paga juros e nem parcelas intermediarias (balões), não corre o risco de perder o que pagou, todo valor é atualizado de acordo com o valor do bem. O custo final é bem mais barato do que qualquer outro investimento financeiro. Proporcionamos planos com até 160 meses para pagar o imóvel sem juros, o FGTS pode ser utilizado para oferta do lance ou complemento do crédito, aceitamos oferta de veículo usado ou imóvel para oferta de lance, tudo que o consorciado antecipa pode complementar no pagamento, participa com o lance livre, ou seja, há a liberdade de ofertar o quanto quiser. Depois de contemplado por lance, podemos reduzir o valor das parcelas em 20%; quando do pagamento superior a 30% isenta-

mos o fiador (cadastro sujeito à análise) e temos uma taxa administrativa menor no mercado. • Quem investe em consórcio imobiliário Empresários, comerciantes, assalariados, profissionais liberais e todas as pessoas que desejam fazer um ótimo negócio tanto investindo no futuro, economizando ou mesmo as que desejam comprar a sua casa própria, porque é mais flexível e fácil do que o financiamento. • Requisitos básicos: A pessoa deve ter ciência de que será um poupador / investidor, escolher o plano que melhor lhe convier, efetuar o pagamento das parcelas em dia. Quando for contemplada, deverá apresentar o cadastro para análise, ser maior de idade, comprovar rendimentos e não possuir restrições no nome. • Contatos com a Nasa Nosso telefone de contato em Anápolis é (62) 3321-3833. Em Goiás, a Nasa está presente nas cidades de Anápolis, Goiânia, Brasília, Rio Verde, São Luis dos Montes Belos e Itaberaí.


Marise Fernandes Araújo – superintendente regional da Caixa Econômica Federal em Anápolis • Como funciona o consórcio imobiliário Caixa O Consórcio Imobiliário Caixa é uma excelente alternativa para quem deseja adquirir, construir, reformar ou ampliar um imóvel residencial ou comercial. Mensalmente são contemplados três consorciados, conforme a seguinte ordem de prioridade: sorteio; lance fixo (corresponde a 20% do saldo devedor); lance livre (vence o de maior percentual sobre o valor do crédito). • Detalhes Este consórcio tem tido uma aceitação fantástica porque a pessoa também pode usá-lo para fazer poupança, para investir e

realizar operação comercial. O consórcio virou um produto demandado pelo mercado, pois antes você tinha que insistir para que o cliente o adquirisse, hoje não, ele vem e compra. Em Anápolis, o consórcio imobiliário responde por cerca de 30% das nossas operações ligadas à área.

forme variação do INPC dos últimos 12 meses.

pode ultrapassar 30% da renda declarada.

• Vantagens É o único consórcio imobiliário do mercado com a garantia da Caixa. Não há cobrança de juros sobre o saldo devedor e a Caixa possui uma das menores taxas de administração do mercado. Há a possibilidade de utilizar o FGTS para oferta de lances, desde que siga as regras da utilização do FGTS para moradia e a carta de crédito não tem prazo de validade. O grupo é rapidamente constituído devido a abrangência nacional do nosso consórcio.

• Requisitos básicos No contrato de adesão não é feita a pesquisa cadastral do cliente, mas há alguns requisitos básicos para utilização do recurso. Para o caso de pessoa física, ela deve ter capacidades civil, financeira e de pagamento; ter maioridade (se menor, possuir emancipação); ser brasileiro nato ou naturalizado; se estrangeiro, ser detentor de visto permanente. Para pessoa jurídica, é exigido que esteja legalmente constituída no Brasil, registrada na Junta Comercial e na Secretaria da Receita Federal e possuir CNPJ ativo.

• Quem investe em consórcio imobiliário O Consórcio Imobiliário Caixa é voltado tanto para pessoas físicas quanto jurídicas e a adesão pode ser feita em qualquer agência bancária da Caixa, apresentando somente documentos pessoais. A carta de crédito varia entre R$ 20 mil e R$ 300 mil, com prazos de pagamentos entre 60 e 120 meses e o valor das parcelas não

• Contato com a Caixa Os interessados podem procurar qualquer uma de nossas agências em Anápolis, pois temos profissionais capacitados para orientá-los em todas elas. A busca por mais informações também pode ser feita pela internet, pelo site www.caixa. gov.br.

• Administração No Consórcio Imobiliário Caixa, não existe cobrança de juros sobre o saldo devedor; o cliente só paga a taxa de administração que varia entre 13% e17% e é calculada sobre o crédito contratado. O valor da carta de crédito e, consequentemente do saldo devedor e das parcelas, são atualizados a cada 12 meses, contados a partir do mês da assembléia de inauguração do grupo, conDEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 31


SOCIEDADE

Atitude Inclusiva

Conheça histórias que mostram os benefícios alcançados com a abertura de vagas de trabalho a portadores de necessidades especiais

O

sorriso largo e feliz é a marca registrada de Luciano Ramos, de 25 anos. Quando o assunto é ambiente profissional, ele fala de forma empolgada sobre seu primeiro emprego. A conquista tem um sabor ainda mais especial para ele. Portador de necessidades especiais, Luciano trabalha como ajudante de estocagem há aproximadamente um ano e meio. A rotina mudou muito desde que começou a trabalhar. Depois de 16 anos passando o dia todo na Apae de Anápolis, hoje vai à unidade de atendimen-

to apenas aos domingos para jogar futebol, um de seus maiores prazeres, além de ir aos cultos da igreja evangélica que freqüenta. Luciano diz, com orgulho, que com o salário que recebe ajuda a mãe com os gastos de casa. Outro benefício apontado por ele devido ao serviço é a esfera de trabalho. “Gosto (do emprego) porque todo mundo aqui é legal. O Ivo é um pai pra mim”. O Ivo a que Luciano se refere é Ivo Gonçalves Moreira, gerente comercial da Irmãos Soares em Anápolis e chefe dele. A ad-

miração é recíproca. “O Luciano mudou o nosso ambiente de trabalho. Ele conquistou todos aqui”, afirma. De acordo com o gerente, a empresa está muito satisfeita com o desempenho do ajudante de estocagem. “Claro que temos que coordenar o trabalho dele, mas eu costumo dizer que o Luciano é o melhor funcionário que nós temos”. INTERESSE - A contratação de Luciano na Irmãos Soares foi intermediada pela Apae de Anápolis, que faz o encaminhamento de profissionais que possuem

Luciano Ramos (2º da esq. para dir.), entre os colegas de trabalho 32 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

necessidades especiais a empresas interessadas. A primeira experiência da Apae nesse sentido aconteceu em 2002, mas apenas em 2006 o projeto se consolidou. A dinâmica baseia-se no atendimento das solicitações feitas pelos próprios empresários. A instituição faz uma pré-seleção interna de acordo com o perfil desejado. O processo é acompanhado por educadores e uma psicóloga. A contratação é semelhante às feitas no mercado. A única diferença é que a Apae emite um laudo sobre a condição do novo trabalhador para que o Ministério do Trabalho tenha conhecimento quando for fiscalizar a empresa. A fiscalização é feita em cumprimento à Lei 8.213 de 24 de julho de 1991, que determinou cotas para contratação de funcionários portadores de deficiência e reabilitados (veja box). “A lei é um caminho, uma perspectiva, mas mais do que uma lei, é preciso uma mudança de atitude da sociedade”, considera o coordenador técnico das oficinas da Apae, Marcelo Mello Barbosa. Na sua avaliação, essa mu-


dança de atitude só será observada a partir do momento em que todas as empresas contratarem um portador de necessidades especiais não apenas para cumprimento de uma legislação, mas pela iniciativa de promover a inclusão social de fato. RETORNO – Marcelo aponta que o principal benefício alcançado ao contratar um portador de deficiência é a possibilidade de se humanizar o ambiente organizacio-

Araújo de Souza, que é coordenadora pedagógica das oficinas profissionais da Apae, ressaltam que os portadores de deficiência necessitam de uma supervisão especial nas empresas. Elizabeth afirma que o trabalho tem um significado muito especial para os portadores de necessidades especiais. “Eles se sentem importantes e valorizados devido à autonomia que alcançam”. Tamara Estrella, de 20 anos, é um exemplo que

Elizabeth Araújo de Souza e Marcelo Mello Barbosa fazem parte da coordenação de educação profissional da Apae

nal. “Conviver com a diversidade passa a ser uma vantagem e é na diferença que a gente vai construir a igualdade”. De acordo com o coordenador, os comentários sobre o desempenho dos alunos que têm sido encaminhados pela Apae às empresas são bastante positivos. “O que temos ouvido dos empresários é que eles (os alunos) têm produzido igual ou melhor do que os outros funcionários, pois são dedicados e extremamente responsáveis”, comemora. Apesar da boa avaliação, Marcelo e sua colega de trabalho, Elizabeth

confirma a declaração da coordenadora. A satisfação dela, que foi contratada pelo Mc Donalds há cerca de seis meses, é pagar a conta no restaurante quando a família sai para jantar fora. O caso de Tamara é ainda mais significativo quando é observada a abrangência que o posto de trabalho dela representou também para sua família. A mãe de Tamara, a professora Alba Aparecida Santos Estrella, fica com os olhos brilhando quando fala da conquista da filha. “A gente como pai, como mãe, se sente realizada (com o trabalho

O orgulho de Tamara Estrella é pagar a conta no restaurante com seu próprio salário

de Tamara). A felicidade é geral porque ela está se sentindo uma cidadã mesmo, uma pessoa incluída”, diz. Alba conta que nunca perdeu a esperança de ver um dia a filha no mercado de trabalho, mas confessa que já ficou temerosa de isso não ocorrer “devido ao preconceito

e discriminação”. Hoje, no entanto, ela comemora o retorno já alcançado com a filha dentro desta questão, pois avalia que Tamara ganhou mais autonomia e responsabilidade. “Todos nós, quando temos um trabalho, nos sentimos valorizados. Com ela está sendo assim também”.

O que determina a Lei 8.213, de 24 de julho de 1991 Empresas (número de funcionários) De 100 a 200 De 201 a 500 De 501 a 1000 De 1000 em diante

Cotas para portadores de deficiência e reabilitados 2% 3% 4% 5%

Anote! • A Apae de Anápolis possui atualmente seis oficinas profissionalizantes: Limpeza e conservação; Horta e Jardinagem; Corte e costura; Serigrafia; Reciclagem de papel ; Culinária • As áreas para encaminhamento do profissional podem ser para recepcionista, produção nas indústrias, limpezas e conservações e outras • Contato com a coordenação de educação profissional da Apae: (62) 3098-3535

DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 33


SERVIÇO

Democratização tecnológica

CDL de Anápolis e HD Tecnologia firmam contrato para implantação do CDL Gestão, que oferece soluções para o gerenciamento de micro e pequenas empresas

Assinam o contrato do CDL Gestão, o presidente da CDL, Wilmar Jardim (E), o diretor executivo da HD, Hdir Gondim (C), e o coordenador do projeto, Neto Borges (D)

A

tecnologia antes disponível apenas para grandes empreendimentos agora está ao alcance de micro e pequenos empresários. Em novembro deste ano, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Anápolis e a HD Tecnologia assinaram contrato para operação do CDL Gestão, que é um produto da CDL/ SPC. O projeto visa fornecer soluções para área tecnológica a associados da entidade classista, especialmente em micro e pequenas empresas (veja box). São oferecidos serviços de consultoria, software e hardware de automação comercial, treinamento através da Escola de Varejo, implantação, suporte e co34 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

municação. O CDL Gestão foi elaborado há mais de dois anos e está em pleno funcionamento há mais de um. A CDL de Goiânia foi a primeira a experimentar o serviço e hoje possui mais de 100 filiados utilizando-o. O diretor executivo da HD Tecnologia, Hdir Gondim, explica que a CDL de Anápolis, que é a primeira expansão do projeto, ficará responsável por apontar, através de metodologia própria, um grupo de associados que fará parte do primeiro piloto na cidade. A estimativa é de que este trabalho inicial, que inclui formação de consultores, seja implantado em dezembro de 2007 e dure

entre 60 e 90 dias. Concluída esta etapa, o CDL Gestão estará disponível para todos os filiados da entidade. Para que o sistema fique bem fixado, é exigido o prazo mínimo de dois meses, período previsto para que o lojista já domine todo o processo. O primeiro passo do funcionamento do projeto é a transmissão do conhecimento de gestão administrativa feita pela Escola do Varejo da CDL. Durante um período de 15 horas, os empresários revêem conceitos de gerenciamento de empresas em sala de aula. Posteriormente, tudo que foi revisado teoricamente é colocado em prática em mais 15 horas, desta vez dentro do estabelecimento do lojista e já com a implantação do software. “(Nessa fase) São feitos alguns levantamentos e certificações como os equipamentos, infra-estrutura lógica, elétrica, enfim, os requisitos necessários para que se tenha um bom resultado”, resume Hdir Gondim.

Vantagens do CDL Gestão - Para os empresários: • Acesso à gestão informatizada; • Agilidade na consulta de crédito do cliente; • Cumprimento da legislação fiscal que obriga a emissão de cupom fiscal; • Aprimoramento da administração da empresa; • Melhor controle de gastos; • Aumento da lucratividade; • Redução de inadimplência; • Redução de gastos com informática; • Facilidade para obtenção de crédito; • Melhor gestão de relacionamento com clientes, fornecedores e funcionários.


CONCORRÊNCIA

Base Aérea quer comprar em Anápolis A unidade militar organiza um cadastro de fornecedores para fomentar a participação de empresários anapolinos em suas licitações

P

reocupada com a pouca participação de anapolinos em suas licitações, a Base Aérea de Anápolis iniciou um cadastro de fornecedores para a unidade militar. No dia 22 de outubro, o comando da instituição participou de uma reunião na CDL para explicar o interesse em ter licitantes locais em suas concorrências. Na ocasião, foi falado sobre escritório facilitador montado na ACIA com o objetivo de estreitar as relações entre a Base e os empresários da cidade. O subcomandante da Base Aérea, Tenente-Coronel Aviador Luís Cláudio da Fonseca Bragança Pinheiro, informou que uma equipe foi indicada para fazer um levantamento para saber o que o mercado anapolino pode oferecer à unidade.

“Queremos que os empresários anapolinos participem mais das nossas licitações”, pontuou. O escritório facilitador tem o objetivo de cadastrar as empresas, incentiva-las a participar da modalidade licitatória “pregão eletrônico” e aplicar a Lei Complementar 123/2006. O Tenente Pablo Henrique Borges explicou que esta lei permite um tratamento diferenciado para micro e pequenas empresas em licitações que atinjam até 25% do orçamento da Base Aérea. “Apesar do privilégio, o princípio da menor oferta ainda é válido”, ressalvou. Podem ser feitas licitações de cunho local ou regional e podem ser realizados consórcios entre micro e pequenos empresários no caso de licitações maiores. Um dos benefícios apontados pelo tenente

Membros da Base Aérea falaram sobre as licitações da instituição durante reunião na CDL

é que a regularização fiscal só é exigida a partir da assinatura do contrato de prestação de serviço. A Base Aérea é um dos maiores compradores do Estado de Goiás. Os itens adquiridos por ela são colocados em um banco de dados que serve como referência para estabelecimento de preços para concorrências futuras. No edital, os produtos são descritos detalhadamente para evi-

tar erros e garantir qualidade às operações. O pagamento ao vencedor da licitação é feito em 30 dias a partir da aceitação do material. Para o caso de aquisições de até R$ 8 mil, o prazo é de apenas cinco dias. A única ressalva é para o caso de o licitante cometer algum equívoco no processo (na emissão de notas, por exemplo) e então existe a prorrogação do período pré-determinado.

DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 35


EVENTO

Sucesso de público A 48ª Convenção Nacional do Comércio Lojista, realizada na capital do Rio Grande do Norte, contou com mais de quatro mil participantes

M

ais de quatro mil pessoas participaram da 48ª Convenção Nacional do Comércio Lojista, realizada em Natal (RN), entre os dias entre os dias 23 e 26 de setembro deste ano no Centro de Convenções da cidade. O cálculo foi feito pela comissão organizadora do evento que é o maior do comércio lojista do Brasil. A CDL de Anápolis liderou comitiva de 50 pessoas das CDLs de Inhumas, Goianésia, Trindade, Cidade de Goiás, São Luís de Montes Belos e Iporá. Em uma ocasião especial, no dia 06 de setembro, foi realizada uma confraternização na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas de Anápolis com todos os participantes da comitiva para entrosálos. O jantar realizado na véspera do feriado do Dia da Independência do Brasil foi muito bem recebido pelos dirigentes lojistas. “Recebi o convite com gratificação muito elevada”, apontou o presidente da CDL de Inhumas, Edson Mar36 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

Mário Lúcio Sobrosa

Confraternização entre representantes CDLs de Goiás realizado durante a Convenção de Natal

ques Ribeiro, na época. Durante a Convenção de Natal, outra confraternização dos membros da CDLs goianas também foi promovida, desta vez sob iniciativa da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de Goiás (FCDL/GO) A 48ª Convenção Nacional do Comércio Lojista foi organizada pela CNDL, FCDL/RN e CDL de Natal e teve como tema central: “O

Crescimento Econômico Através da Educação”. Paralelamente à convenção, foram realizados o 73º Seminário Nacional dos SPCs; o 8º Encontro Nacional CDL Jovem; a 36ª Fenal – Feira Nacional Lojista; a 4ª Mostra RN. Catorze palestrantes conduziram os trabalhos, como o senador Cristovam Buarque, o jornalista Alexandre Garcia, o economista Raul Velloso, o escritor Ariano Suas-

suna e a psicóloga Rosa Avello. Na festa de abertura da 48ª Nacional do Comércio Lojista, foi promovido o show “Grande Encontro Potiguar”, com artistas locais, acompanhados da Orquestra Sanfônica do Estado. Já o show de encerramento foi embalado pelos sucessos dos anos 60, com animação de Renato & seus Blue Caps e Perfume de Gardênia.


ARTIGO

Emergência na Hora do Lazer Janaina Siqueira Responsável técnica pela Clínica Radioluz. Especialista em endodontia pela UNESPAraraquara e em radiologia pela USP - Bauru

Muitas vezes, quando estamos em um momento de descontração, podem ocorrer inevitáveis acidentes. O perigo pode estar em um jogo de futebol, na piscina, nas brincadeiras de rede...

O que devo fazer caso ocorra um acidente e o dente frature?

• Se a pancada provocar corte e sangramento, deve-se colocar sobre o ferimento, uma compressa de gaze ou um pano limpo e pressionar bem para estancar o sangramento; •

Caso seja necessário suturar, procure um dentista;

• Quanto ao fragmento (dente), é importante guarda-lo em soro fisiológico para ele não se desidratar, e procurar o mais rápido possível um dentista para realizar o procedimento clínico de colagem e fazer as radiografias necessárias para avaliar a vitalidade deste dente, pois quase sempre é inevitável o tratamento de canal; • É necessário acompanhar radiograficamente para observar se o trauma não desencadeou uma reabsorção radicular.

DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 37


E N T R E V I S TA

Saúde através dos alimentos

Dra. Renata Marques Conte Nutricionista

A

busca para se enquadrar no padrão de beleza atual cujos maiores ícones são modelos muito magras angustia várias pessoas, especialmente mulheres. A cultura da magreza estabelecida em nossa época gera sacrifícios como se submeter a dietas miraculosas que prometem emagrecimento rápido. A nutricionista Renata Marques Conte garante, no entanto, que essas receitas podem até funcionar por um curto período, mas a longo prazo nunca surtem o efeito desejado. Na avaliação da profissional, o grande se38 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

gredo para se ter um corpo saudável é ter uma alimentação regida pelo equilíbrio e a variedade, agregada com a prática de atividades físicas. “Podemos consumir praticamente tudo, só devemos tomar cuidado com os excessos”, diz Renata. A nutricionista aponta que, ao cuidar do corpo, o foco das pessoas não deve ser a perda de peso somente pelo fator estético. Para ela, o fundamental é entender que a gordura em excesso é prejudicial para a saúde do ser humano. Na entrevista a seguir, ela explica quando a pessoa deve se preocupar com o problema e fala ainda sobre como a alimentação inadequada pode estabelecer prejuízos nas duas pontas do iceberg, seja na forma da obesidade mórbida, seja em distúrbios alimentares como a anorexia e a bulimia.

Revista O Lojista Como o nutricionista pode auxiliar para tornar a vida de uma pessoa mais saudável? Renata Marques Conte – O/A nutricionista que trabalha na área clínica deve priorizar, inicialmente, a reedu-

cação alimentar do indivíduo para que o seu objetivo possa ser alcançado e mantido a longo prazo. O Lojista – Por que as dietas geralmente não funcionam a longo prazo? Renata – As dietas elaboradas por um profissional devidamente capacitado, que levem em conta a individualidade do paciente, normalmente funcionam a longo prazo, dependendo da adesão do paciente ao tratamento. No entanto, essas dietas da moda, que saem nas revistas, não funcionam a longo prazo porque elas não levam em consideração essa individualidade e não promovem a reeducação alimentar, além de proporcionarem uma perda de peso rápida e excessiva, que não é aconselhável. Uma perda de peso considerada saudável é de no máximo três quilos por mês. Num curto período, as dietas milagrosas vão funcionar só que você não aprendeu a se alimentar e quando você volta a ter sua rotina normal, ganha facilmente o peso que perdeu. O Lojista – E ninguém dá conta de cumprir essas

dietas até o final...

Renata – Ninguém dá conta de tomar sopa por um longo período. Essas dietas da moda não têm calorias suficientes e com o tempo o organismo vai reclamar a falta de energia para que possa realizar as atividades básicas diárias. Eu não utilizo muito o termo dieta com os meus pacientes porque ele já ficou muito estigmatizado pela mídia. Prefiro o termo plano alimentar. Mas é muito importante que o plano seja elaborado por um profissional capacitado, que seja individualizado e leve em consideração aspectos como peso, idade, altura, sexo do paciente, etc. O Lojista – Que tipos de conseqüências a alimentação dos tempos modernos acarretaram à humanidade? Renata – No Brasil, tivemos o que se pode chamar de transição nutricional, que nada mais é do que a substituição do problema da desnutrição pelo problema da obesidade, a qual pode ser caracterizada como uma epidemia mundial, já que atinge milhões de pessoas em todo o mundo. E essa transição


se deve à alimentação que adotamos há alguns anos, rica em gorduras, açúcar, sódio e que é muito prejudicial à saúde porque ela pode gerar obesidade, pressão alta, diabetes, problemas cardíacos, dentre outros. O Lojista – E quais são os grandes “vilões alimentares” de nossa época? Renata - São os alimentos ricos em açúcar, gordura. Com relação às gorduras, temos uma grande vilã que é a gordura trans que está sendo muito falada e causa sérios prejuízos à saúde. O Lojista – Qual o grau de influência dos pais para o futuro alimentar do filho? Renata - Eu diria que a responsabilidade dos pais é 100%, porque é através deles, e da família, que a criança vai conhecer os alimentos. Se a família tem hábitos alimentares inadequados, a criança também terá, com certeza. É muito importante que a criança aprenda a ter uma alimentação saudável, porque fora de casa ela estará apta a escolher alimentos melhores, diante de uma oferta enorme de alimentos inadequados. O Lojista – Quais são os alimentos indicados e desaconselhados para o ser humano? Renata - Na verdade não tem muito isso de alimento bom e alimento ruim. Podemos consumir praticamente tudo, desde que tomemos cuidado com os excessos. Mas destacando os alimentos

indicados, podemos falar das frutas, verduras, alimentos integrais que são ricos em fibra, carnes magras. Os alimentos menos indicados seriam aqueles ricos em gordura e açúcar. Para você ter uma alimentação saudável, ela tem que se basear em três pilares: variedade, equilíbrio e moderação. O Lojista – A que se deve essa cultura de magreza? Quais são suas conseqüências? Renata – A cultura da magreza vem da imposição que a mídia coloca principalmente nas mulheres de terem os corpos perfeitos e magros. Mesmo mulheres que não têm o biotipo físico para serem bem magrinhas são bombardeadas pela mídia de que a modelo Gisele Bündchen, por exemplo, é perfeita e então desejam se parecer ou ser iguais a ela. É preciso tomar muito cuidado com essa cultura da magreza para que ela não se transforme em uma obsessão e acabe gerando problemas muito mais sérios, como a anorexia e a bulimia. O Lojista – Como tratar doenças como anorexia e bulimia? Como se pode ajudar a pessoa vítima dessas doenças e como ela mesma pode se ajudar? Renata – O tratamento para quem apresenta esses transtornos alimentares tem que ser multidisciplinar, com acompanhamento psicológico, nutricional, médico; e além disso é necessário que a família lhe dê todo

suporte, principalmente emocional. O Lojista – O que é obesidade mórbida? Renata - Nós temos três graus de obesidade (I, II, III). A obesidade mórbida é a obesidade grau III, e é caracterizada por aquelas pessoas que têm o IMC (Índice de Massa Corpórea) acima de 40, ou entre 35 e 39,9 com alguma doença associada (pressão alta, diabetes, ect). É importante lembrar que o IMC normal fica em torno de 18 a 24,9. O Lojista – A partir de qual grau de obesidade, a pessoa tem que se preocupar? Renata - Se a pessoa estiver com o IMC em estágio de sobrepeso, que seria um IMC entre 25 e 30, já tem que ficar atenta. É preciso tomar cuidado em todos os estágios de excesso de peso porque a gordura é prejudicial para nossa saúde e para nosso desempenho físico. O Lojista – Como se calcula o IMC? Renata - O IMC é calculado pela quantidade de peso (kg) dividido pela altura (metros) ao quadrado. O IMC é muito utilizado porque é um método fácil de ser calculado, mas devem-se tomar alguns cuidados, pois para atletas, por exemplo, o resultado é um pouco mascarado porque ele não diferencia gordura de músculo. Por isso, além do IMC, devem-se utilizar outros parâmetros para realizar o diagnóstico nutricional.

O Lojista – Fala-se muito na cirurgia de redução de estômago, mas sabemos que ela não é apropriada para todos. A quem se recomenda? Renata – Para a realização da cirurgia de redução de estômago é necessário que o paciente tenha o IMC acima de 40 ou estar acima de 35, mas com alguma doença associada; tenha sido submetido ao menos a um tratamento convencional prévio, conduzido por profissional qualificado, por período mínimo de seis meses, sem resultado; idade entre 18 e 60 anos. O Lojista – No caso de lipoaspiração e lipoescultura, se não for acompanhada por um nutricionista não tem validade, não é? Renata – Para um bom resultado a longo prazo é necessário um acompanhamento nutricional, pois o indivíduo precisa “reaprender” a se alimentar, para o peso seja então mantido. Alguns estudos mostram que pessoas que fizeram lipoaspiração e continuaram com a alimentação que tinham antes da cirurgia, engordaram até duas vezes mais do que o peso que apresentavam antes da cirurgia. Em alguns casos o melhor é procurar uma alternativa mais saudável e menos invasiva: aliar atividade física e acompanhamento nutricional. DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 39


BENEFÍCIO

Convênios da CDL O serviço que inclui CDL Saúde e CDL Odonto se destaca pela qualidade e variedade de profissionais e estabelecimentos conveniados

R

eformulado em 2005, o Departamento de Convênios da CDL sedimentou o quesito qualidade em sua marca. Em média, são 500 guias de atendimento expedidas por mês no setor, que possui mais de 160 profissionais e aproximadamente 70 estabelecimentos cadastrados. O serviço é voltado a associados da entidade, funcionários e respectivos familiares que desejam obter descontos em consultas médicas, odontológicas e em outras áreas de saúde, além de procedimentos hospitalares, clínicos, cirúrgicos e exames laboratoriais e outros. Por meio da CDL, o aposentado Jaime Saldanha Santarém, de 56 anos, usufrui de descon-

O aposentado Jaime Saldanha é atendido por Érica Silva no Departamento de Convênios da CDL

tos em consultas e exames médicos há mais de dez meses. Ele soube dos convênios através da filha, que é funcionária de uma empresa filiada à entidade. Quando passou

Dr. Jorge Aziz Kosac é um dos mais de 160 profissionais conveniados à CDL 40 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

pelo check-up inicial, o aposentado descobriu que deveria fazer um tratamento a longo prazo. “Se eu estivesse fazendo (o tratamento) particular, ia onerar bastante”, afirma. “Estou satisfeitíssimo com o convênio. A gama de profissionais é muito boa.”. Entre os profissionais, a satisfação com serviço também é visível. O neu-

rologista e neuropediatra Jorge Aziz Kosac, por exemplo, tem avaliação positiva sobre a iniciativa. “É um convênio excelente tanto para o paciente, que tem um desconto especial, quanto para o médico, que recebe seu honorário de imediato mantendo sempre o atendimento de alto nível”, aponta o médico, que oferece atendimento


neurológico em período integral e consultas com hora marcada na Clínica de Excelências Médicas, onde atende seus pacientes. Os interessados em usar este importante benefício oferecido pela CDL devem seguir duas orientações básicas: agendar a consulta e outros procedimentos com profissionais conveniados e depois se dirigir ao Departamento de Convênios da entidade para pegar a guia de encaminhamento, que é indispensável para obtenção dos descontos. Os documentos exigidos para primeira utilização do serviço são RG e comprovante que atesta a ligação com a empresa associada (como carteira de trabalho, contracheque). Todos os detalhes dos procedimentos estão disponíveis no setor de Convênios. Os valores são pré-fixados. Para consultas, a tabela de referência é a da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM). Já exames e outros seguem catálogos diversos. O pagamento é feito diretamente ao profissional ou estabelecimento conveniado.

CONFIRA QUAIS ÁREAS O DEPARTAMENTO DE CONVÊNIOS DA CDL ATENDE CDL ODONTO Cirurgia Dentística Endodontia Implantodontia Odontopediatria Ortodontia Periodontia Prótese Radiologia Bucal CDL SAÚDE Acupuntura Alergologia Anatomia Patológica e Citopatologia Anestesiologia Obstétrica Angiologia Cardiologia Clínica Cardiologia Hemodinâmica - (Cateterismo) Cirurgia do Aparelho Digestivo Cirurgia de Cabeça e Pescoço Cirurgia Cardiovascular Cirurgia Geral Cirurgia Pediátrica Cirurgia Plástica Reparadora E Estética Cirurgia Torácica Cirurgia Vascular Clínica Médica (Clínica Geral) Dermatologia Endocrinologia Gastroenterologia Geriatria Ginecologia E Obstetrícia

Hematologia Homeopatia Imunologia Infectologia Mastologia Medicina Nuclear Medicina do Sono Medicina Ortomolecular Medicina do Trabalho Nefrologia Neurologia Neuropediatria Nutrição Oftalmologia Ortopedia e Traumatologia Otorrinolaringologia Otorrinopediatria Pediatria Pneumologia Proctologia Radiologia Reumatologia Tratamento da Obesidade Urologia Urodinâmica Vacinação Outras Especialidades Estética Fisioterapia Fonoaudiologia Nutricionista Esportivo Psicanálise Psicologia Psicopedagogia Terapia Ocupacional Exames Complementares

Análises Clínicas (Exames Laboratoriais) Anatomia Patológica E Citopatologia Ecocardiografia Ecodoppler Eletrocardiografia Eletroencefalografia Endoscopia Digestiva/ Vídeo Laparoscopia Endoscopia Per Oral Ergometria Densitometria Óssea Mapeamento Cerebral Radiologia Ressonância Nuclear Magnética Tomografia Computadorizada Ultrassonografia Estabelecimentos Hospitalares Clínicas Especializadas Medicina Veterinária Farmácias e Drogarias Planos de Saúde OUTRAS ÁREAS Academias de Ginástica Restaurantes / Churrascarias Locadoras de Vídeo/ DVD Ensino Profissionalizante Cursos de Idiomas Estrangeiros Ensino Básico / Fundamental Outros

DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 41


EMPREENDIMENTO

Anápolis ganha mais um shopping O Pop Shopping, que será instalado na Vila Jaiara, será inaugurado em fevereiro de 2008

Maquete da parte externa do Pop Shopping

E

stá previsto para a primeira quinzena de janeiro de 2008 o lançamento oficial do Pop Shopping. O centro de compras será instalado na antiga indústria têxtil Vicunha, na Vila Jaiara, em Anápolis, e fará parte do Vicunha Trade Center. A solenidade será realizada na futura sede. A inauguração ocorrerá em fevereiro do mesmo ano. Na primeira etapa serão comercializadas 60 lojas; posteriormente estarão disponíveis para vendas outras 60. A instalação do shopping está a cargo da Etenco Engenharia, em 42 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

parceria com o grupo Vicunha. De acordo com a advogada da Etenco, Maria Edna Sanches, o aluguel e condomínio das lojas estão com preços acessíveis. Ela também destaca outras vantagens como a localização privilegiada do setor (Avenida Fernando Costa) e espaços com corredores largos. O Supermercado Vicente (Rede Super Vi) já fechou contrato com a Etenco e será uma das lojas âncoras do shopping. Uma unidade da Clínica Radiológica de Anápolis também será instalada no local e oferecerá

variadas especialidades e procedimentos médicos a preços populares. Não haverá associação de lojistas. Todas as negociações serão feitas diretamente com o grupo responsável. Além do shopping, o complexo Vicunha Trade Center será composto

ma que a expectativa é de que sejam gerados mais de 400 empregos diretos na primeira etapa do empreendimento. Serão aproximadamente 35.000 m² de área construída revitalizada e readequada para o projeto, num terreno de 88.000 m².

“Aluguel e condomínio das lojas estão com preços acessíveis”, diz a advogada da Etenco, Maria Edna Sanches

por um condomínio de empresas do segmento industrial, educacional (faculdade) e residencial (condomínio fechado com aproximadamente 300 unidades). O presidente da Etenco, o engenheiro civil Anastácios Apostolos Dagios, afir-

Para mais informações sobre o Pop Shopping: Etenco Engenharia (62) 3321 -1000


Cidadania, Responsabilidade e Trabalho

Informe Publicitário

Ao iniciar o ano de 2007, o ano do Centenário de Anápolis, os projetos futuros e as perspectivas de dificuldades a serem enfrentadas eram grandes desafios para a administração da cidade e motivo de incertezas para a população. O Conselho Consultivo do Executivo Municipal de Anápolis – CONCEMA, que então iniciava seu segundo ano de atividades ainda pouco conhecidas e sem contar com a credibilidade de grande parte da população, pode mostrar, por mais um ano, a que veio e o tamanho das responsabilidades que assumia. Através do CONCEMA, cidadãos voluntários e prontos a trabalhar em favor da comunidade anapolina, colaboraram de forma bastante eficaz com a administração de Anápolis. Foi um trabalho em equipe. Uma equipe grande e competente, com nomes que se destacaram à frente de ações bem sucedidas, como as inúmeras campanhas de saúde pública; os projetos culturais que colocaram Anápolis na pauta nacional; os investimentos na área da educação; as correções e os acertos da equipe administrativa e financeira; a eficiência do Conselho Municipal de Trânsito; o trabalho artístico daqueles que recriaram praças e avenidas; a competência e criatividade de nossos empresários, da CDL e da ACIA. Enfim, uma equipe formada por profissionais, muitas vezes anônimos, que simplesmente realizam o trabalho sem a busca de aplausos e com o caráter nobre daqueles que sabem receber críticas com humildade. Após tantas lutas, chega ao fim mais um ano. Dois mil e sete foi um ano especial: *o ano do Centenário; *ano do CONCEMA; *ano de grandes realizações; *correções e *redirecionamento administrativo. Um novo ano se aproxima e é bom poder recebê-lo com o sentimento de missão cumprida. Agora é hora de celebrar as vitórias e renovar as forças para enfrentar novos desafios, com a certeza de que o trabalho desenvolvido nos últimos meses fará com que os próximos anos sejam muito melhores. Com esta perspectiva, o CONCEMA parabeniza Anápolis por tudo o que foi realizado ao longo dos últimos trezentos e sessenta e cinco dias, desejando a todos um Natal de Paz e um Ano Novo Próspero e Feliz! Pedro Fernando Sahium – Presidente Augusto César Rocha Ventura Carlos Hassel Mendes da Silva Jorge Miguel Hajjar José Ricardo de Oliveira Mounir Naoum Mounir Naoum Filho Munir Caixe Samir Bittar Samuel Martins Gonçalves DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 43


C O N S U LTA

Compra com segurança Com o SPC Auto, associados da CDL de Anápolis têm acesso a informações completas sobre veículos e seus proprietários antes de fechar a transação comercial. O serviço também está disponível a não-filiados da entidade

Q

uem está interessado em comprar um veículo deve tomar alguns cuidados para evitar uma surpresa desagradável, como descobrir que adquiriu um produto roubado. Com o objetivo de oferecer segurança para esse tipo de transação comercial, o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) criou o SPC Auto. Disponível há mais de um ano ao público em geral através da CDL de Anápolis, o SPC Auto é um serviço oferecido pelo SPC Brasil, que abrange informações gerais e específicas de veículos e seus proprietários. A base de dados é gerada a partir dos registros feitos junto ao Registro Nacional de 44 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

Veículos Automotores (Renavam) e na base estadual do Detran. Para associados da CDL, a consulta pode ser feita pela internet no site www.cdlanapolis. com.br. Já para pessoas físicas e jurídicas que não são filiadas à entidade, é preciso comparecer na mesma para obter as informações que desejam. Com o SPC Auto, é possível atingir os seguintes pontos: evitar negociações com veículos fraudados, roubados, com restrições e multas; identificar a legitimidade dos dados do veículo (marca, motor, ano de fabricação, origem, etc); confirmar a propriedade de veículo(s) de pessoas físicas e jurídicas; apoiar

a análise de crédito em situações de risco, a partir dos dados relacionados a bens materiais. As chaves de entrada para consulta são flexíveis e podem ser obtidas através do CPF ou CNPJ do proprietário, número do Renavam, chassi, pla-

ca, número do motor e número da caixa de câmbio. Além de fornecer subsídios adicionais na pesquisa de crédito, quem consulta o SPC Auto tem acesso a um diferencial: o serviço ligado ao SPC apresenta todos os dados que são registrados


no Cadastro de Registro de Automóvel, permitindo a análise na íntegra das informações, o que não está disponível em consultas públicas. Para mais informações: (62) 3328-0008.

Saiba mais sobre o SPC Auto Quando utilizar Sempre que for necessário: • Confrontar e identificar a legitimidade do proprietário • Confirmar os dados do veículo:

- GRAVAMES (ex: alienação fiduciária, arrendamento mercantil-leasing etc.). Formas de apresentação • Propriedade de Veículos – por CPF/CNPJ • Nacional – por Renavam

A quem se destina • Comércio de veículos: - Concessionárias de veículos - Agências de automóveis • Transações fiduciárias envolvendo veículos: - Banco de Montadores - Financeiras • Prestadoras de serviços do setor automobilístico: - Seguradoras - Peças e Acessórios - Despachantes • Empresas do Varejo e outros segmentos: - Como ferramenta para informações de apoio e/ ou garantia na concessão de crédito • Público em geral

- Placa, Chassi, nº de motor, ano de fabricação etc. - Restrições (alienação tributária, administrativa ou judicial); - Situação do veículo em relação ao pagamento do Seguro Obrigatório; - Ocorrências de Roubo/ Furto; - Débitos de Multa e IPVA;

• Nacional – por Chassi • Nacional – por Placa • Nacional – por Motor • Nacional – por Caixa de Câmbio • DPVAT – por Chassi • GRAVAME – por Chassi • Roubo e furto – por Placa • Roubo e Furto – por Chassi • Estadual – por Placa • Estadual – por Chassi • Nacional + DPVAT + GRAVAME – por Chassi

Fonte: SPC Brasil

Veículos sinistrados No portal da CDL, existe a consulta ao cadastro nacional de veículos automotores sinistrados. Para ter acesso às informações, é preciso ter em mãos o número da placa e/ou chassi. Confira no: www.cdlanapolis.com.br

DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 45


ENSINO

Inclusão Digital CDL firma parceria com cinco sindicatos e uma associação classista para utilização da Escola de Informática da entidade

Alunos da Escola de Informática da CDL

A

qualidade da Escola de Informática da CDL foi estendida a associados de cinco sindicatos e uma associação de Anápolis (veja box). Em

Adaury Borges, idealizador das parcerias 46 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

outubro deste ano, a Câmara de Dirigentes Lojistas procurou os representantes classistas para formalizar parcerias para usufruto do curso básico de informática oferecido pela CDL, em sua sede. A proposta inclui ainda os familiares dos filiados. A estimativa é que o público-alvo dos contratos englobe até 10 mil pessoas. O curso é aberto a toda comunidade. O responsável pelo setor de Convênios da CDL, Adaury Borges, aponta que a promoção da inclusão digital é a grande conquista almejada pela entidade. Na avaliação do ideali-

zador das parcerias, os sindicatos e a associação têm a oportunidade de proporcionar mais um importante benefício a seus associados, uma vez que a maioria deles não possui uma escola de informática. As vantagens de participar da Escola de Informática da CDL são muitas, a começar pelo custo. O valor total do curso é de apenas R$ 70 os quais podem ser divididos em uma entrada de R$ 30 e mais duas parcelas iguais de R$ 20 cada, vencidas em 30 e 60 dias, respectivamente, da data da inscrição. O interessado deverá apresentar, no ato da matrícula, documento expedido em seu nome pelo sindicato ou associação comprovando que, efetivamente, pertence ao seu quadro de associados. O contrato determina que o parceiro da CDL seja responsável pela divulgação dos detalhes da parceria para os seus associados e familiares. AVALIAÇÃO POSITIVA - O presidente da Associação dos Cabos e Soldados PM /BM do Estado de Goiás (unidade Anápolis), João Bosco Roriz Hipólito,

considerou a iniciativa de parceria com a CDL “brilhante”. Na sua avaliação, a importância a ser evidenciada é de que os contratos estabelecidos fomentarão o desenvolvimento tecnológico. “Anápolis tem carência de profissionais com preparo tecnológico e a Escola de Informática da CDL vem suprir essa falta, com preço bem acessível”. A questão da formação tecnológica também é assinalada pela presidente do Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Privados de Ensino de Anápolis e Região (Sinpror), Márcia Cristina Silva Mendonça. “Com o mundo informatizado, precisamos capacitar nossos professores”, diz. “Sabemos também que os monitores (da Escola de Informática da CDL) são de alto nível”. A líder sindical destaca ainda que a parceria com a entidade significa um avanço para o sindicato que representa pelo fato de a CDL ser reconhecida pela seriedade e credibilidade de suas ações. “Nossos associados merecem o que é bom e essa parceria é muito boa para todos eles”, afirma Márcia.


• O que é oferecido no curso de informática: -Windows XP -Microsoft Word -Microsoft Excel -Microsoft Power Point -Internet Duração do curso: 40 horas Tempo médio: três meses

• Vantagens do curso: - 10 alunos por turma - Professores altamente capacitados - 01 aluno por computador - Certificado de Conclusão - Material didático incluso (apostila completa e uma unidade de disquete) - Sala Climatizada - Horário nos três turnos (manhã, tarde e noite)

• Quais são os novos parceiros da Escola de Informática da CDL: - Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensino do Setor Privado e Setor Público Municipal de Anápolis e Região (SINTEEA)

- Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Anápolis

- Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas, e de Material elétrico de Anápolis (SindMetana)

• Objetivos da Escola de Informática da CDL:

• Para maiores informações:

- Promover a empregabilidade dos alunos no mercado de trabalho; - Incentivar o estudo e o desenvolvimento dos alunos; - Melhorar o nível e desempenho da mão-deobra das empresas; - Utilizar a informática como inclusão social e profissional

Telefone: (62) 3328-0008

- Sindicato dos Professores da Rede Municipal de Ensino de Anápolis (Sinpma) - Associação dos Cabos e Soldados PM /BM do Estado de Goiás (unidade Anápolis)

Sede da CDL: Rua Conde Afonso Celso, nº 25, Centro, Anápolis-GO

DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 47


Outras Notícias

Banco de Talentos da CDL

Quem está de olho em uma vaga no mercado de trabalho não pode deixar de acessar o portal da CDL (www.cdlanapolis. com.br). No menu principal da página, é possível cadastrar currículos para o Banco de Talentos da entidade, que é ligado à Escola do Varejo que tem como uma das suas

atribuições o encaminhamento de profissionais a empresas. No cadastro, são pedidos dados gerais do candidato, como nível de escolaridade e experiência. No mesmo espaço do Banco de Talentos, é possível que empresários disponibilizem vagas de emprego também. Informações: 3328-0008

FCO e Sebrae Itinerante “Mutirão da Cidadania Empresarial”

Mini-cursos e palestras voltadas para o empreendedor foram ministradas durante o FCO Empresarial e Sebrae Itinerante - Mutirão da Cidadania Empresarial - realizado entre os dias 20 e 22 de novembro deste ano, em Anápolis. O evento teve como público-alvo: empresários, proprietários de micro e pequenas empresas, produtores rurais, em-

preendedores e demais interessados. Alguns dos temas discutidos foram Lei Geral da Micro e Pequena Empresa; FCO ( Fundo Constitucional de Financiamento do centro-Oeste); Buscando Oportunidades de Negócios; Preparação de embalagens: Sacolas; Marketing para Micro e Pequenas Empresas. A CDL foi parceira da iniciativa.

Iluminação natalina

SPC Busca

O SPC Brasil lançou um novo serviço em outubro deste ano, chamado SPC Busca, que permitirá aos associados a identificação do número do CPF de consumidores 48 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

a partir da digitação do nome completo do cliente ou parte do mesmo. Para saber mais informações sobre o SPC Busca, ligue: (62) 3328-0018 ou 3328-0001.

O governo estadual liberou verba de R$ 150 mil para decoração natalina em Anápolis. A informação foi dada pelo secretário estadual de Indústria e Comércio, Ridoval Chiareloto, durante almoço realizado no dia 21 de novembro,

com a participação de cerca de 80 empresários, líderes classistas e profissionais da imprensa. A Prefeitura de Anápolis participará da iluminação de Natal com as decorações das praças Bom Jesus (foto) e Santana e a avenida Brasil.


Material da Urna do Cinqüentenário será exposto

Funcer inaugura Casa Brasil Tião Marks

No período de 08 a 22 de dezembro acontece uma exposição especial nas dependências do Brasil Park Shopping. Tratase da mostra do material da Urna do Cinqüentenário (foto), que foi aberta no dia 31 de julho, após ser desenterrada da Praça Bom Jesus. De acordo com coordenadora do Comitê do Centenário,

Ivana Pazin, o acervo inclui fotos, flâmulas, jornais, objetos diversos, cartas e declarações. Todo o material foi acondicionado em três vidros e em algumas garrafas, e passou por uma análise e restauração no IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). (Fonte: Prefeitura de Anápolis).

Novo presidente da CNDL

Roque Pelizzaro Júnior (foto) venceu a eleição para liderar a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Ele foi eleito no dia 09 de novembro de 2007. O novo líder da CNDL é natural de Curitibanos (SC) e tem

41 anos. Presidente da FCDL/SC desde 2005, foi reeleito neste ano para mais um mandato, até 2009. Trabalha atualmente nos ramos de papelaria, revenda de informática, telefonia, móveis, eletroeletrônicos e decorações. Pretende prosseguir com o processo de saneamento das contas da CNDL, iniciada pela Junta Governativa, para depois fortalecer a expansão das CDLs por todo o país, além de reestruturar o relacionamento com as FCDLs. (Fonte: www.cndl.org.br).

A Fundação Universitária do Cerrado (Funcer) inaugurou a Casa Brasil (foto) no último dia 30 de outubro. Instalada em um local que atende as exigências do projeto, ela foi implantada no Recanto do Sol, um setor com elevada densidade demográfica e baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Para viabilizar o projeto Casa Brasil, além de se aliar com o governo federal, dono da idéia, a Funcer buscou a parceria da UEG e da Prefeitura Municipal. A Casa Brasil vai

proporcionar a inclusão digital da comunidade, com a ministração de diversos cursos na área de informática e acesso à Internet através do Módulo Telecentro; e a inclusão social com a abertura da Casa para diversas ações de cidadania para os jovens e adultos da localidade. O incentivo à leitura também será viabilizado com a implantação do Módulo Biblioteca Popular. Ao longo do ano de 2008, outros quatro módulos serão instalados na Casa. (Fonte: Assessoria de imprensa da Funcer)

Senado e Assembléia homenageiam Anápolis Duas Casas Legislativas homenagearam Anápolis pela passagem de seu centenário, comemorado no dia 31 de julho de 2007. A primeira homenagem partiu do Senado Federal, por iniciativa do senador Marconi Perillo. A sessão especial

foi realizada na manhã do dia 25 de outubro. Já a segunda foi realizada na Assembléia Legislativa de Goiás na tarde do dia 29 de novembro. Esta comemoração foi uma proposta do deputado estadual Frei Valdair. DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 49


ARTIGO

A

CPMF – briga nova, história antiga

CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) é uma cobrança que incide sobre todas as movimentações bancárias, exceto negociação de ações na Bolsa de Valores, saques de aposentadorias, seguro-desemprego, salários e transferências entre contas correntes de mesma titularidade. Ela foi aprovada em 1993 e passou a vigorar no ano seguinte com o nome de IPMF (Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira) à época, a alíquota era de 0,25% e durou até dezembro de 1994 quando, como já estava previsto, foi extinto. Dois anos depois, em 1996, o governo voltou a discutir o assunto, com a intenção de direcionar a arrecadação desse tributo para a área da saúde. Foi então criada de fato a CPMF através da lei 9.311, que passou a vigorar em 1997 com alíquota de 0,2%. Em junho de 1999, a CPMF foi prorrogada até 50 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

2002 através da Emenda Constitucional nº 21, sendo que a alíquota passou a ser de 0,38%. O objetivo da elevação era ajudar nas contas da Previdência Social. Em 2001, a alíquota caiu para 0,3%, mas em março do mesmo ano, voltou a 0,38%. Em 2002, a CPMF novamente foi prorrogada desta vez através da Emenda Constitucional nº37, o que ocorreu novamente em 2004 através da Emenda Constitucional nº 42. CRÍTICAS À CPMF Apesar de a CPMF ter sido criada em caráter provisório e com destino certo para o Fundo Nacional de Saúde, hoje já decorreram 11 anos desde a sua criação. O governo deseja prorrogála por mais quatro anos. O caráter provisório e o destino certo perderamse no tempo. Da experiência internacional, observa-se que as alíquotas de impostos parecidos com a CPMF foram fortemente redu-

zidas, ou eliminadas, com o passar do tempo. Atualmente subsistem no Brasil (0,38%), na Argentina (1%) e na Colômbia (0,4%). No caso da Argentina, o valor pago nesse imposto pode ser compensado no pagamento de outro tributo. Estudos indicam que a CPMF tem efeito direto sobre as taxas de juros. Esse efeito é importante, pois eleva essas taxas, o que desestimula o crescimento econômico e reduz a base de contribuição e a arrecadação dos demais tributos. Além disso, esse efeito na taxa de juros aumenta as despesas públicas, inibe o investimento (maior custo de capital) e desestimula a expansão do crédito (efeitos nocivos sobre a produtividade da economia). A CPMF tem caráter regressivo (os mais pobres acabam arcando proporcionalmente mais com esse tributo): a.) Mesmo isento da CPMF no recebimento

Fernando Costa Advogado sócio do Escritório Naves Assessoria e Consultoria Jurídica; Assessor jurídico da CDL/Anápolis; Juiz Arbitral da 2ª Corte de Conciliação e Arbitragem de Anápolis; Professor de Direito Comercial e Tributário nos Cursos de Graduação e Pós-Graduação da UniEvangélica; Professor e Coordenador do Curso Axioma Jurídico em Goiânia e Anápolis

dos salários, o trabalhador arca com a carga embutida no custo dos produtos e serviços que consome; b.) Como a carga é regressiva, quanto menor o rendimento, maior o impacto da CPMF. A CPMF, como contribuição que é, tem destinação específica, qual seja, a Saúde pública. Questiona-se, no entanto, a real destinação dos recursos arrecadados pela CPMF, tendo em vista a situação precária que se encontram os hospitais públicos e do atendimento a pacientes. A arrecadação do imposto, no entanto, foi desviada para o financiamento de programas sociais, como o Bolsa Família e assim não está sendo destinado à Saúde, configurando-se como uma das causas da crise atual da saúde pública.


DEZEMBRO 2007 / CDL ANÁPOLIS / O LOJISTA/ 51


52 /O LOJISTA / CDL ANÁPOLIS / DEZEMBRO 2007

Revista O LOJISTA  
Revista O LOJISTA  

Dezembro/2007

Advertisement