Issuu on Google+

Ed i ç ã o 6 37 27| M A R| 2009

O circo

0001 0 1 0 0 1 1 1 011011000 1010011101101100010 10 01 1

O

jornalista Alexandre Secco é dono do seu próprio paradoxo. Como ele me anuncia passou “a vida pintando papel” em jornais e revistas, mas também experimentou cedo gosto de um mundo conectado quando descobriu o BBS, o serviço de comunicação que pode ser considerado como o avô da internet no Brasil. Repórter da Folha de São Paulo, editor de Veja, editor Executivo de Exame e atualmente diretor de conteúdo da Análise Editorial, Secco encontrou o local ideal para acomodar as duas variáveis. Desde a manhã desta sexta-feira, dia 27, ele integra a galeria dos jornalistas com blog. O que é uma boa notícia porque a maior parte dos profissionais de imprensa, mesmo sob forte ameaça dos produtores de conteúdo independentes, prefere virar as costas a enfrentar a realidade da internet. O blog de Secco, batizado de MediaCircus, vai tratar do mercado de mídia local e internacional, algo raro no noticiário brasileiro. “O Brasil é um dos poucos países do mundo no qual a mídia não faz reportagens regulares sobre a própria mídia”, afirma Tiago Dória, ou-

tro jornalista e um dos primeiros desbravadores na sua categoria. Desde 2003 ele produz um blog com boas notícias sobre web e mídia. O MediaCircus, como define seu editor, será o espaço para quem gosta de acompanhar o mercado de mídia sob o ponto de vista dos profissionais. Em geral, os jornalistas ainda não descobriram qual a sua vocação dentro do mundo das redes digitais de relacionamento onde qualquer pessoa com o mínimo de conhecimento produz conteúdo distribuído para centenas de milhares de outras pessoas. É o Broadcast entregando os pontos para o SocialCast, definição para o atual fenômeno da produção de conteúdo do diretor do Ibope Inteligência Marcelo Coutinho. É certa existência de muita informação de baixa qualidade na nos blogs, twitters e comunidades digitais, mas a diferença em relação ao conteúdo relevante que também está nesses locais é que a produção de baixa qualidade é melhor indexada, por enquanto, para os serviços de busca, como o Google. Ações como a de Secco, Dória, de outros jornalistas e da própria Bites que defende o jornalismo de indexação servem como alento para quem busca qualidade, competência, apuração e contexto na internet. Diante desse movimento, a entrada de Secco no clube dos blogueiros jornalistas é uma grande notícia e o MediaCircus tem as credenciais suficientes para ser um dos melhores blogs de mídia do Brasil.


undefined