PI - Janeiro/Fev - 2022

Page 14

SUSTENTABILIDADE

14 – PLÁSTICO INDUSTRIAL – JAN-FEV. 2022

ESG, uma agenda que inclui os plásticos A sustentabilidade é uma pauta constante para o meio empresarial, e a indústria de plásticos não é exceção. Confira os últimos acontecimentos que impactaram esse segmento, que por vezes é encarado apenas como problema, mas que detém a maior parte das soluções.

F

alar atualmente de sustentabilidade sem incluir a indústria de plásticos é ignorar um dos principais aspectos da questão. Afinal, os resíduos desses materiais são encarados como um grande problema ambiental a ser eliminado. O tratamento dessa questão implica a realização de acordos, o desenvolvimento de novos materiais e de processos capazes de dar destinação correta aos resíduos, estabelecendo-se assim o alicerce para a economia circular no setor. Engajada no tema desde há muito tempo, a revista Plástico Industrial tem acompanhado nos últimos vinte anos a evolução dos materiais, as políticas públicas e a estruturação de segmentos como o de reciclagem e toda a cadeia a montante e a jusante dele. Esta evolução tem passado pelo desenvolvimento de equipamentos que viabilizam as suas atividades, bem como de um forte mercado consumidor para as resinas que ele origina. O setor ganhou um forte impulso após a instituição, em 2010, da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que atribuiu responsabilidades a fabricantes e importadores quanto à implementação de programas de logística reversa, de modo a desenvolver

sistemas de coleta ou recebimento de produtos que alcançaram o fim de sua vida útil. A lei foi atualizada recentemente, enfatizando a responsabilidade compartilhada no que se refere à destinação de produtos ao final de sua vida útil, o que deverá causar novo impacto positivo, levando-se em conta que bens de consumo como eletroeletrônicos, por exemplo, são constituídos de materiais de alto valor agregado, cujo reaproveitamento faz todo o sentido, inclusive economicamente. Outro aspecto da participação dos plásticos quando o assunto é sustentabilidade é a recente estruturação de um mercado para os bioplásticos, materiais levados em conta na hora de fechar a fatura de emissão de carbono em diversas empresas. As ações relacionadas a esses dois aspectos da cadeia de plásticos estão hoje sob o conceito guarda-chuva denominado ESG, ou Environmental,

Hellen Souza, da redação

Social and Governance, que abarca as práticas de uma empresa no que diz respeito aos aspectos ambiental, social e de governança.

Reciclagem, o carro-chefe da sustentabilidade no setor de plásticos Por mais que empresas e consumidores se engajem na proposta da reciclagem de materiais, ela só ganha expressão mesmo quando organizada como atividade econômica, e é isso que tem ocorrido nos últimos anos no Brasil. A mais recente pesquisa realizada pela Maxiquim para o Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast), da Abiplast, apontou que 23,1% dos resíduos plásticos pós-consumo no Brasil foram reciclados em 2020. Ainda segundo o estudo, houve um aumento de 12,2% na oferta de resina reciclada em relação a 2018.