Page 1

JORNAL OUT NOV DEZ 2014

.06

.09

.10

JORNADAS DE OURIVESARIA Jewellery Overseas

PROJETO DATAMATRIX Controlo de Metais Preciosos

GATTO JOIAS Entrevista


Brincos Art Deco by ELEUTERIO A maison portuguesa de joalharia Eleuterio é especialista em joias finas em ouro com a técnica da filigrana. A Eleuterio une as tradições do passado com um olhar contemporâneo, aliando habilmente a arte da filigrana e as tendências atuais da indústria de joias. Misturando uma elegante e criativa assinatura onde o estilo clássico e as linhas modernas tornam cada peça numa combinação única de tradição e excelência. Uma coleção especial que presta homenagem aos pioneiros do movimento Art Deco, que floresceram nos anos vinte. Uma homenagem a uma geração de joalheiros que foram os criadores da medida estética revolucionária que refinou a arte desse período. As peças desta coleção são uma reunião de elementos de filigrana em ouro branco e amarelo com diamantes.


Caros Colegas, Os relatórios internacionais indicam que o setor de ourivesaria mundial está preparado para um futuro brilhante. O apetite do consumidor parece ter voltado, depois de ter sido fortemente atenuado pela recessão que todos vivemos. Isto só pode ser um bom indicador para o nosso setor e para as nossas empresas. Terá que ser o mote motivador para o arranque do novo ano. No entanto, exige-se um forte dinamismo à nossa indústria e comércio, para acompanharem esta tendência de consumo. Não basta replicar negócios como de costume e esperar que resultem. Exige-se que o setor esteja atento e sensível às tendências e aos desenvolvimentos mais relevantes, ou então o risco de perder o comboio da frente para empresas mais ágeis e competitivas é muito elevado. Temos empresas para isso. Dizem os media, numa reportagem publicada nos últimos dias, que a nossa indústria é “moderna e mais internacional do que nunca”, e a verdade é que é. Temos sabido reinventar-nos e um dos segredos está em marcar a diferença. Chegados ao final do ano, que coincide com o fim de um quadro comunitário, e de um plano implementado, teremos que apresentar ao mercado novas linhas de orientação. É esse trabalho que a AORP está a desenvolver, e que apresentará ao setor em breve. Um conjunto de ferramentas que auxiliam as empresas nos processos de modernização e de internacionalização. Nesta última edição do ano do nosso Jornal a publicamos uma série de informações que fazem notícia na ourivesaria. São peças que constroem a história moderna deste setor. Destaques especiais para o percurso de sucesso de algumas empresas associadas, uma chamada de atenção para os números de final do ano da ourivesaria no panorama internacional, um relato da quinta edição das jornadas de ourivesaria, e vários outros tópicos de interesse. Por fim, e porque estamos em época de família e conforto junto daqueles que mais queremos, quero deixar um desejo de Boas Festas aos que fazem parte da ourivesaria portuguesa, que a constroem e dignificam todos os dias. Boas leituras e bons negócios.

(Presidente AORP)

CONCEPÇÃO GRÁFICA

FOTOGRAFIA CAPA

Sílvia Silva Gabinete de Comunicação e Imagem da AORP silvia.silva@aorp. pt

Orlando Gonçalves Brincos: Monseo Jewels

PROPRIEDADE

EDITORIAL

AORP Associação de Ourivesaria e Relojoaria de Por tugal geral@aorp. pt

AORP Associação de Ourivesaria e Relojoaria de Por tugal


05 TENDÊNCIAS

INNORO Anel em ouro rosa 19,2kt e diamantes.

Innoro Colar ouro rosa, diamantes e pérola.

EUGÉNIO CAMPOS Prata 925 com banho rosa e pedra quar tzo.

Peças que revelam personalidade, defineM estilos e confereM elegância e glamour à época festiva ALCINO SILVERSMITH Pato decorativo em prata 925. BRUNO DA ROCHA Joalharia de Sedução Brincos em prata 925, banhado a ouro.

Marco Cruz Anel em prata e ouro, com dendrite e diamantes.

Marsala será a cor de 2015, segundo a Pantone Tom que é uma mistura do CASTANHO com vermelho promete tingir a moda e a beleza no próximo ano.

ANA JOÃO JEWELRY Teddies Collection Colares em prata, cerâmica e pedra Svarowski.


06 JORNADAS DE OURIVESARIA

Navigating The Global Market Esta quinta edição das Jornadas de Ourivesaria, intitulada Jewellery Overseas, Navigating The Global Market, fecha um ciclo iniciado em 2010 com o lançamento das Jornadas de Ourivesaria destinadas à sensibilização sobre temas que afetam a competitividade da ourivesaria em Portugal. Os temas abordados ao longo das quatro edições anteriores foram: Acesso ao Internacional (2010); Tendências de Ourivesaria e Moda (2011); Eco-inovação

e Joalharia (2012) e Comunicar Ourivesaria - Agir Global (2013). Completa-se o trajeto com esta sessão que teve lugar a 4 de Dezembro, no Parque Tecnológico e de Negócios de Ourivesaria de Gondomar - criado para ser o centro de referência da indústria da ourivesaria em Portugal – com uma sessão mais abrangente que permite fazer o balanço e a prospetiva necessária para identificar o que podem fazer as empresas de hoje para estar entre os vencedores de amanhã. Nesta ocasião, como nas anteriores, contámos com uma plateia cheia de empresários, especialistas e jovens

que estão a integrar o setor, o que demonstra o interesse dos temas propostos e, também, da dinâmica incutida de renovação, de abertura e de cooperação. A agenda da “Jewellery Overseas” foi estruturada para explorar o seguimento do que acontece no mercado, as previsões e resultados esperados. Foi delineado progressivamente um panorama de vendas crescentes e de fronteiras que se esbatem entre setores. Os operadores presentes neste mercado, sujeitos a sair da zona de conforto, devem ir integrando outras formas de fazer negócio, para acompanhar as transformações que afetam o consumo e, também, a própria indústria.

Durante as intervenções falou-se de ourivesaria, comparando-a e/ou aproximando-a à moda e ao calçado. Porque na ourivesaria, tal como na moda, há segmentos que registam crescimentos inesperados e outros que são mais orientados para mudanças aceleradas. Similarmente acontece que as marcas e empresas estabelecidas vêem chegar novos players (agentes) o que obriga a reforçar as capacidades para entender os fenómenos e a reagir rapidamente para acompanhá-los. A possibilidade de navegar no mercado global surge conjuntamente com novos desafios, a dimensão do mercado incrementado gera novas necessidades. Neste contexto, a experiência dos operadores e as similaridades com outros negócios da moda permitem acompanhar


07 JORNADAS DE OURIVESARIA

(...) necessidade de desenvolver competências para a mudança que permitam navegar o mar de transformações que representa o mercado global.

2014

melhor as movimentações tanto da ourivesaria como da moda. Tal é o que foi proposto nesta quinta edição das Jornadas de Ourivesaria, onde se analisaram as mudanças no mercado e a forma como as marcas e a indústria fazem negócios. Os conteúdos apresentados com base em relatórios da indústria e na experiência dos participantes permitiram identificar tendências, reconhecer as melhores práticas e os erros a evitar. A sessão organizada em dois painéis destacou-se pelo pragmatismo das informações, seguindo a linha de intervenção da AORP de criar conteúdos facilmente transferíveis aos negócios de ourivesaria. A sessão de abertura contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Gondomar Marco Martins, do Vereador no pelouro de Desenvolvimento Económico e Empreendedorismo, Carlos Brás, assim como de outros responsáveis autárquicos. Pela AORP, o presidente, Manuel Alcino, inaugurou as jornadas acompanhado de outros membros da direção da associação. Francisca Bonet, da QuidIdeias, iniciou o turno de intervenções com a comunicação “Navegar o Mercado Global”, na qual traçou o cenário das transformações que atingem a ourivesaria juntamente com uma análise do setor em Portugal do ponto de vista da internacionalização e das exportações. O primeiro painel da tarde incidiu no âmbito dos negócios e das novas dinâmicas que os atingem no

mercado global (Negócios e Novas Dinâmicas). Foi composto por três intervenções. A primeira realizada por Pedro Caria, especialista português de marketing e consultoria estratégica na área do calçado, acessórios e moda, focou a temática da reconfiguração dos canais de venda e a importância do contacto com o consumidor. A segunda intervenção decorreu a cargo de Carla Pinheiro, presidente da AJORIO e vice presidente do IBGM, que enquadrou o seu discurso sob o título “Procurar a Eficiência nas Áreas Produtiva e Comercial”, percorreu um conjunto de boas práticas implementadas pela indústria da ourivesaria no Brasil. A terceira comunicação “Adaptar as Tendências da Moda e do Fast-Fashion”, animada pela experiência de duas jovens designers de sucesso, Ângela Lima, da marca Our Sins, e Luísa Pedroso, designer da firma Blue Bird. Permitiu perceber a relevância de saber seguir as tendências na ourivesaria e da capacidade de criar habilidades para as poder seguir, transformando-as em negócios e produtos de sucesso.

Herdeira de uma tradição milenar, a Ourivesaria portuguesa soube reinventar-se e conquistar um lugar nas montras das maiores ourivesarias do mundo.

O segundo painel dedicado à temática da Internacionalização (Internacionalização e Consolidação) foi mais focado em informações sobre a configuração do mercado global e a identificação dos pontos fortes e das falhas que as empresas nacionais têm no acesso ao exterior. O painel foi aberto por Hawa Soumano, diretora comercial internacional da Reed Expositions para a Bijorhca - Paris, que decifrou as singularidades da feira e proporcionou uma série de valiosos conselhos práticos para otimizar a participação nesta feira ou noutros eventos de promoção de ourivesaria. Seguidamente, Luís Reis, gestor de contas na AICEP Portugal Global, fez uma introdução sobre os desafios das empresas nacionais perante a internacionalização. Apresentou as principais linhas dos programas de apoio e a configuração da AICEP para apoiar os operadores empresariais na sua caminhada para o internacional. As Jornadas de 2014 encerraram com um animado debate entre público e oradores, onde se apontou a necessidade de desenvolver competências para a mudança que permitam navegar o mar de transformações que representa o mercado global. Apesar do desafio ser grande, o horizonte, em constante evolução, está cheio de oportunidades. Até para o ano!


cat贸lica


09 DATAMATRIX

PROJETO DATAMATRIX Novo projeto de controlo e segurança na marcação de metais preciosos Foi apresentado pela Contrastaria aos agentes económicos do setor, um novo projeto de marcação de metais preciosos – DATAMATRIX, que se espera implementar brevemente. Este projeto visa essencialmente dar um salto tecnológico no sistema de legalização dos artefactos de metais preciosos. O sistema atual em vigor apenas permite ter uma leitura de conceção e filosofia de aposição das marcas oficiais e de responsabilidade, compreendida entre espaços de tempo demasiados longos, o que dificulta a projeção de resultados de dados estatísticos, regulação, fiscalização, certificação e de rastreabilidade dos produtos em causa. O novo projeto consiste na colocação nos artefactos de um código datamatrix, legível através de um leitor ótico, e tem os grandes objetivos de

proteger o consumidor final, ajudar a estimular as vendas dos artefactos de ourivesaria no mercado interno, e impulsionar uma entrada qualitativa e pioneira no mercado externo. Para além disso permitirá à contrastaria reconquistar a notoriedade junto das empresas do setor, e reaver o posicionamento de entidade necessária para a ourivesaria, recuperarando alguns valores de confiança perdidos nas últimas décadas. Este sistema quer de forma concreta e intelegível, acrescentar valor adicional à marcação de artefactos de metais preciosos, possibilitando criar novos instrumentos de trabalho que aumentem a confiança dos diferentes stakeholders que atuam no mercado. Com este código, que ocupará um espaço quase microscópico, permitir-se-á atribuir uma identidade unipessoal e codificada aos artefactos, criando um histórico na peça, desde a sua legalização até ao consumidor

final, permitindo-se ainda usar a informação para possíveis identificações em caso de furto ou perda pessoal. Junto do retalho, este datamatrix possibilitará a obtenção no imediato, ou a qualquer momento através da internet, de um certificado único de veracidade dos artefactos adquiridos pelos consumidores, que no panorama atual não é possível. Possibilitará ainda a consulta no portal da INCM, nas condições particulares de acesso para os operadores económicos, e sempre que acharem conveniente através da leitura do código, a informação que lhes poderá ser disponibilizada sobre o artefacto. Depois de apresentado o novo projeto aos agentes económicos do setor, este cumprirá ainda um período de aperfeiçoamento, e segundo os seus promotores seguirá em breve para uma fase experimental no terreno.


10 ENTREVISTA ASSOCIADO

GATTO A história de uma empresa que cumpre 25 anos de história e que nasce no feminino.

Foi pelas mãos da sua fundadora, Dulce Maria Rocha que a Gatto se construiu e é hoje uma marca de referência no mundo da joalharia. Símbolo de qualidade irrepreensível, as joias Gatto transmitem a paixão que está por trás de todo o processo criativo e produtivo. Não é difícil ficar seduzida pela história que encontramos do lado de lá dos portões que se abrem para a Gatto, e que nos conduzem por escadarias e salas pensadas até ao pormenor, confortando o ambiente perfeito para a construção de peças de encantar. Ali respira-se requinte e luxo. As joias falam por si, e sozinhas quase nos fazem tirar o fôlego. São misturas de viagens, culturas, aprendizagens e de um bom gosto próprio de quem tem uma sensibilidade para além dos limites da normalidade. A intemporalidade é a pedra de toque por trás da Gatto. São joias que nascem para serem eternas, que encerram contos, memórias, e emoções e geram a maior confiança para quem as usa. Num papel de liderança no feminino, situação ainda rara no setor da ourivesaria e em discurso direto, desafiamos Dulce Maria Rocha, a grande alma da empresa, a desvendar alguns segredos da sua casa, e partilhar o percurso que tem feito desde a criação da sua empresa.

Conte um pouco sobre a equipa que constitui a Gatto. Qual a vossa organização interna? Uma das carasterísticas fundamentais da Empresa é a sua estrutura, que é muito bem alicerçada em quatro pilares fundamentais: Departamento Financeiro, Departamento Criativo, Departamento Comercial e Produção. Todos os departamentos comunicam entre si, criando-se um espírito sólido de Equipa, que é a base da confiança que transmitimos para fora, e que nos identifica. A marca tem uma equipa que funciona e é muito experiente. Qual é a vossa estratégia de ação e quais os principais mercados de atuação. A nossa estratégia é, principalmente, centrada na Inovação, Originalidade e Qualidade. É nossa preocupação permanente, não só satisfazer as necessidades dos nossos mercados, seguindo um espírito provocador e estimulante, mas também estar atentos ao que de melhor acontece, pelo mundo fora. Começamos a ter um enfoque e a evoluir na nossa estratégia de internacionalização, que nos conduz para mercados como o Europeu, o Africano e Americano. Qual é o posicionamento como marca de luxo. Neste momento, recai sobre nós uma enorme responsabilidade. Somos

conotados como a melhor marca de Alta Joalharia em Portugal e a cada ano, reforçamos a nossa presença no mercado externo, estando aí, também presentes, nas melhores lojas. Cuidamos para que os princípios que nos posicionam neste nível sejam mantidos nos mais elevados padrões de qualidade. Somos muito exigentes. Como é que trabalham a comunicação externa da marca. Acreditamos que o nosso Produto é a melhor estratégia de divulgação da Marca Gatto. Desenvolvemos acções de promoção em parceria com os clientes, nos diferentes mercados onde estamos presentes, mantemos estreito contacto e promovemos um acompanhamento personalizado junto dos nossos parceiros de negócio. Somos muito atentos ao que acontece, e posicionamo-nos em conformidade com o que pretendemos que a Gatto seja. O nosso enforque é a joalharia, e estando atentos às tendências, temos sempre o sentido do que vendemos, que são joias, e que estas têm que ter em si, os valores da intemporalidade. Como perspetivam o futuro próximo? Acreditamos que, ao fim de 25 anos, celebrados este ano, de trabalho consistente, responsável, sério e dedicado à Joalharia, o futuro nos reservará um espaço que, consolidadamente, temos vindo a construir e que será nosso.


...respira-se requinte e luxo. As joias falam por si, e sozinhas quase nos fazem tirar o fôlego. São misturas de viagens, culturas, aprendizagens e de um bom gosto próprio de quem tem uma sensibilidade para além dos limites da normalidade. A intemporalidade é a pedra de toque por trás da Gatto. São joias que nascem para se-rem eternas, que encerram contos, memórias e emoções e geram a maior confiança para quem as usa.


APOIO:

PROGRAMA DE MARKETING DE PRODUTOS E SERVIÇOS DE LUXO DURAÇÃO: 60 HORAS

5ª EDIÇÃO: 23-JAN a 11-ABR-2015 6ª feiras, 16h-20h e Sábados, 9h30-13h30 6ª EDIÇÃO (FORMATO INTENSIVO): 05-FEV a 13-FEV-2015 8 dias completos

Candidaturas Abertas www.clsbe.lisboa.ucp.pt/executivos/luxo Tel.: (+351) 217 227 801 ou (+351) 217 214 220 E-mail: acduarte@ucp.pt

Católica Lisbon School of Business & Economics is ranked among Europe’s Top 25 Business Schools. Consistently ranked the Best Business School in Portugal. Triple Crown Accredited.


13 ENTREVISTA ASSOCIADO

Não somos alheios às circunstâncias atuais, que nos trazem maiores dificuldades, mas somos otimistas e trabalhamos para um patamar de consumo muito emocional, que transcende muitas vezes a racionalidade. Vendemos histórias, emoções, paixão.

conquistou um lugar de destaque neste setor. Mais do que nunca, o cliente final é seletivo nas suas decisões de compra, elegendo produtos onde reconheça valor, e é aí que queremos que a Gatto esteja. Obviamente que sentimos que o momento atual nos exige uma grande Como fintam o mercado atenção. Temos consciência do inatual? vestimento constante que se tem que Naturalmente, sendo nós próprios. fazer, ao nível empresarial, na oficina, Sem falsas modésitas, somos inonos departamentos produtivo e criavadores e criativos, sérios e respontivo, e isso é uma preocupação, mas sáveis. Focamo-nos na qualidade e no também se constituiu num desafio serviço pós-venda. O nosso empenho para o nosso crescimento. é na consolidação da imagem que a Marca Gatto já conquistou nos Quais os principais mercados. desafios e objetivos? Mantermo-nos fiéis à nossa forma Qual a vossa ideia do de estar neste mundo da Joalharia, setor atual? continuando a desenvolver o nosso Atualmente e ao longo dos últimos trabalho, de forma a incrementar a anos, vimos sentindo que a Joalharia presença da Marca Gatto no mer-

Esperamos continuar a surpreender e a satisfazer os sonhos da Mulher atual, independente, ativa e que sabe o que quer. cado português, assim como nos mercados externos. Esperamos continuar a surpreender e a satisfazer os sonhos da Mulher atual, independente, ativa e que sabe o que quer. Na Gatto temos um mote que repetimos até à exaustão, mas que no fundo nos define e estimula: “fazemos as coisas acontecer e elas acontecem mesmo”.


APRENDER OURIVESARIA!

Um setor constrói-se a partir de uma base de aprendizagem permanente. Uma análise crítica ao setor da ourivesaria em Portugal forçosamente conclui pela necessidade de aposta em planos de formação permanentes, atualizados e estimulantes, capazes de impor dinâmica de desenvolvimento nas empresas e nos seus agentes. Já foi o tempo em que a oferta nesta área de aprendizagem de ourivesaria era escassa. O período de crise económica que o país atravessa teve o mérito de despoletar comportamentos pro ativos, de criação de novos caminhos, de abordagens diferentes à tradicional forma de pensar a ourivesaria nacional, e muito se deve às novas ofertas de aprendizagem. Do público ao privado, das áreas mais técnicas às mais conceptuais, encontramos no mercado uma série de propostas prontas a qualificar as novas e velhas profissões da ourivesaria.


16 APRENDER OURIVESARIA

centro de joalharia de lisboa O Centro de Joalharia de Lisboa (CJLX) foi fundado e é liderado por profissionais da indústria e da área de design de produto. Adopta uma metodologia de formação única, individualizada e a oferta formativa abrange diferentes necessidades e objetivos, focando-se na aquisição de competências técnicas e artísticas relevantes em contexto oficinal ou criativo. O CJLX está certificado pela DGERT.

CURSOS ALTA JOALHARIA Técnico e Criativo de Alta Joalharia (Profissionalizante); 1200 horas Módulos do curso: • Iniciação às técnicas de Joalharia • Técnicas de Alta Joalharia • Projeto • Gemologia • Desenho • RhinoGold CAD for Jewellery • Materiais e Produção DESIGN DE AUTOR Técnico e Criativo de Joalharia de Autor (Profissionalizante) 1200 horas Módulos do curso: • Iniciação às técnicas de Joalharia • Técnicas Design de Autor • Projeto • Gemologia

• Desenho • RhinoGold CAD for Jewellery • Materiais e Produção CRAVAÇÃO 252 Horas (Especialização) Módulos do curso: • Introdução teórica às técnicas de cravação/preparação de ferramenta; • Cravação com cortes decorativos e granitos; • Cravação de pedras: losango, folha, caixa quadrada e oval; • Cravação “à inglesa”; • Cravação de “calibré”. HOBBY 320 horas Aprendizagem ocupacional de joalharia. FORMAÇÃO À MEDIDA Aulas individuais • Programa técnico personalizado, ajustado às necessidades de formação

CJLX

Centro de Joalharia de Lisboa Rua João Saraiva, 28 R/C 1700-250 Alvalade Lisboa geral@centrodejoalhariadelisboa.com T. +351 213929673 M. +351 916229417 www.centrodejoalhariadelisboa.com


17 APRENDER OURIVESARIA

Emilie Zubillaga

Michaela Scherer

e aos objetivos do formando; • Maior flexibilidade na escolha da modalidade de frequência (número de aulas) e horário; • Possibilidade de desenvolver projetos individuais, com acompanhamento de profissionais; • Aulas individuais, com acompanhamento exclusivo. WORKSHOPS Curta duração/Iniciação ou aperfeiçoamento Programação 2014/2015: Iniciação à Joalharia; Fotografia de Joalharia; Crochê em metal; Anodização de titânio e alumínio; Mokumé Gane; Modelação de cera Nível I e II; Banhos galvânicos; Cinzelagem e repuxagem; Porcelana; Esmaltes; Resinas e moldes de silicone Nível I e II; Granulação e reticulação; Joalharia em vidro; Filigrana Nível I e II e Laca japonesa. PÚBLICO-ALVO A Joalharia desperta interesse em públicos com qualificações e faixas etárias diversificadas. Todos os interessados em Joalharia,

com aptidão para trabalhos manuais minuciosos, com idade a partir dos 16 anos e com o 9º ano de escolaridade, poderão iniciar um percurso de aprendizagem. DESAFIOS As competências técnicas, oficinais ou projetuais, desenvolvidas ao longo de um curso, são as ferramentas de construção da identidade criativa do Joalheiro. Joias de elevado valor artístico nascem da capacidade reflexiva do seu Autor, da experimentação e conhecimento de materiais e técnicas. OBJETIVOS DO CJLx • Promover formação técnica e artística profissionalizante, adaptada à evolução tecnológica e tendências estéticas, enquadrada na legislação específica do setor; • Formar profissionais/criativos capazes de definir um percurso identitário no universo da joalharia; • Fomentar e apoiar o empreendedorismo de recém-formados, disponibilizando recursos próprios. “Formar para empreender”, assumindo um

papel proactivo na criação e revitalização de “microindústrias”. VISÃO DO ENSINO DA OURIVESARIA EM PORTUGAL E DO MERCADO Os centros de formação e as universidades deverão reforçar o papel de agentes indutores de inovação e diferenciação no setor, formando profissionais com competências multidisciplinares nos domínios técnico, criativo e em gestão empresarial, fundamentais na revitalização e crescimento do tecido empresarial e enquanto estratégia de diferenciação comercial. As competências em gestão e o fomento do empreendedorismo, revestem-se de importância adicional nas regiões Centro e Sul do país, com fraca tradição industrial e lacunas ao nível da formação profissional. Os programas de formação profissionalizante do CJLX percorrem as componentes técnica e artística, dando a conhecer também as especificidades legislativas do setor, o processo de acesso à atividade, a

Natalia Russu

gestão de um negócio de joalharia e a ética profissional. A ligação entre as duas ocorre através do Desenho e do Projeto, complementados pelos módulos de RhinoGold, Materiais e Produção e Gemologia.


18 APRENDER OURIVESARIA

Conversas d’ouro entre gerações Diana Ferreira e Ricardo Carvalho


19 APRENDER OURIVESARIA

Jovens licenciados, formandos do CINDOR, visitaram empresas nacionais do ramo da ourivesaria e estiveram à conversa com os seus empresários

O curso de Empreendedorismo e E-Marketing dinamizado pelo Centro de Formação Profissional da Indústria de Ourivesaria e Relojoaria (CINDOR), em parceria com a AORP e outras entidades, integrada no projeto europeu Jobtown, surgiu com o objetivo de integrar jovens licenciados oriundos do concelho de Gondomar no mercado de trabalho nacional e alargar as suas competências, experiências e horizontes profissionais a outras áreas e realidades, neste caso específico o setor da ourivesaria. Para conhecerem a realidade do ramo, o perfil dos seus empresários e presenciarem a dinâmica diária vivida pelas empresas portuguesas, os formandos do curso tiveram a possibilidade de, em grupos constituídos por três elementos, visitar várias empresas do distrito do Porto e conversar com os responsáveis. As empresas António Marinho Jewellery, Astorga Jewels, Bruno da Rocha, F.A. Joalheiros, Isidro & Isidro, Manuel Alcino & Filhos e Tochas Representações foram as anfitriãs dos jovens formandos do CINDOR. Os empresários partilharam a sua ex-

periência profissional e empresarial, falaram da realidade do mercado nacional, das suas potencialidades e dos grandes desafios da área da ourivesaria em Portugal e no mundo. Apesar de representarem empresas com perfis variados e com posicionamentos diferentes no mercado, todos os empresários com quem os formandos tiveram a oportunidade de partilhar a experiência, realçaram os desafios que o futuro traça a quem se aventura nesta área de atividade. E todos, sem exceção, destacaram o rigor, a convicção, a dinâmica, a determinação, a firmeza e a criatividade como algumas das principais qualidades para conseguir o sucesso em Portugal e noutros mercados. Em resultado da crise económica e financeira que atualmente se vive em Portugal, a procura de produtos de ourivesaria, por parte do mercado nacional, tem sido cada vez mais reduzida, não existindo, por isso, grandes oportunidades de negócio entre portas. Por esse mesmo motivo, os empresários visitados assinalaram a aposta numa estratégia de expor-

tação e de internacionalização como uma alternativa para ultrapassar esta crise registada no mercado nacional, destacando a presença em feiras internacionais, dinamizadas maioritariamente no continente europeu. Não é de estranhar então que, para os empresários, a solução passe, ou deva passar, por uma aposta constante na modernidade e na criação de produtos inovadores, diferenciadores e de qualidade comprovada, que se possam facilmente adequar às exigências e necessidades dos mercados, tendo em conta que o mercado nacional e internacional está em constante mutação. É, por isso, uma exigência reconhecida que as empresas sejam capazes de se adaptar a estas mutações, de forma a manter, ou até aumentar, o nível de competitividade dos seus negócios. Foi um momento especial e um contato privilegiado e intenso com um grupo seleto de empresas, que realçou ainda mais a vontade dos jovens de interagir com este setor e contribuir para o seu sucesso.


13 OURIVESARIA FORA DE PORTAS

cat贸lica


21 NOTÍCIAS

NOTíCiAS PROTOCOLO AORP/MGEN

Na AORP a saúde e bem-estar dos nossos associados são também uma preocupação. Por isso, desenvolvemos um protocolo com a MGEN, uma entidade mutualista que partilha os princípios de universalidade e solidariedade e assegura uma proteção de saúde de qualidade. Acreditamos que com esta parceria poderá ter acesso aos planos de saúde que melhor se adaptam a si e à sua família mas também aos colaboradores da sua empresa e respetivas famílias. Entre em contacto com o representante da MGEN e informe-se dos planos que melhor se adaptam às suas necessidades. J. César Rocha rochaalves@sapo.pt M.916 985 358 Rua de Faria Guimarães, n.º33 1.ºDrt. Trás 4000-206 Porto www.europamut.pt/mgen

PROGRAMA INVESTE JOVEM O Programa Investe Jovem tem como objetivo promover e fomentar o empreendedorismo, a criação de emprego e o crescimento económico, através de apoios financeiros ao investimento e à criação do próprio emprego e micronegócios. Os objetivos serão alcançados através das seguintes medidas: • Apoio financeiro ao investimento; • Apoio financeiro à criação do próprio emprego dos promotores; • Apoio técnico na área do empreendedorismo para reforço de competências e para a estruturação e consolidação do projeto. O Programa destina-se a jovens, com idade igual ou superior a 18 anos e inferior a 30 anos, inscritos como desempregados no IEFP, e que possuam uma ideia de negócio viável e formação adequada para o desenvolvimento do negócio. Requisitos do Projeto: • Apresentar um investimento total entre 2,5 e 100 vezes o Indexante de •

Apoios Sociais (IAS=419,22euros); • Apresentar viabilidade económicofinanceira; • Não incluir, no investimento a realizar, a compra de capital social de empresa existente. Os projetos devem manter a atividade da empresa e assegurar a criação do posto de trabalho a tempo inteiro, dos promotores, durante pelo menos 3 anos. Podem participar no capital social outras pessoas desde que 51% do capital social seja detido pelos destinatários promotores. Apoio financeiro até 75% do investimento total elegível é atribuído sob forma de empréstimo, sem juros, amortizável no prazo máximo de 54 meses. Os promotores devem assegurar, pelo menos, 10% do investimento total elegível, em capitais próprios.

AUMENTO SALÁRIO MÍNIMO A vigorar desde 1 de outubro de 2014 e até dezembro de 2015, o salário mínimo foi atualizado para 505€ no continente e 530,25€ na Região Autónoma dos Açores. Esta atualização de 485€ para 505€ foi resultado das negociações entre o Governo e os parceiros sociais subscritores do Acordo Tripartido sobre o aumento da retribuição mínima e promoção da competitividade e emprego. O aumento do salário mínimo nacional será acompanhado da redução da taxa social única (TSU), que as entidades descontam para a Segurança Social, em 0,75 pontos percentuais, passando de 23,75% para 23%. Destina-se apenas a entidades que empreguem trabalhadores “que auferiram a retribuição mínima mensal garantida entre janeiro e agosto de 2014, tal como consta no Decreto-Lei n.º 154/2014. Fonte: Boletim do Contribuinte 2014, n.º20

VIDA ECONÓMICA PACOTE ESPECIAL ASSOCIADOS AORP até 28 de fevereiro

No âmbito do protocolo de cooperação subscrito entre a AORP Associação de Ourivesaria e Relojoaria de Portugal e o Grupo Editorial Vida Económica está estabelecido que a Associação, seus órgãos sociais e associados podem beneficiar de descontos gerais na aquisição de bens e serviços comercializados pelo Grupo Vida Económica. Em particular neste momento, e até 28 de Fevereiro, o Grupo Vida Económica promove junto dos associados da AORP a venda, por apenas 40€, dum pacote das seguintes sete publicações por si editadas: . Código do IRS . Código do IRC . Código do IVA . Estatuto dos Benefícios Fiscais – EBF . Código Contributivo . Lei Geral Tributária . Código Sociedades Comerciais Os associados que se mostrem interessados na aquisição deste conjunto de publicações devem proceder à respetiva requisição via endereço encomendas@vidaeconomica.pt ou via telefone 22 3399400, identificando-se devidamente como associado da AORP.


22 ENSINAR OURIVESARIA


23 ESTATÍSTICAS

JEWELLERY AT A GLANCE UMA ANÁLISE AOS NÚMEROS NO FINAL DE 2014 O ano de 2014 trouxe boas previsões para a ourivesaria em Portugal e no estrangeiro. Nos primeiros meses defrontamo-nos com valores favoráveis de exportações na indústria. A perspetiva internacional também mostrava dados interessantes e positivos. Neste momento, fazemos um balanço, e aguardamos o lançamento dos valores atualizados das vendas de 2014, que serão publicados nos primeiros dias de 2015. A nível internacional, relativamente ao mercado global de ourivesaria, são vários os relatórios que indicam desenvolvimentos positivos. Entre eles destacamos o realizado pela consultora McKenzie, intitulado “A multifaceted future: The jewellery industry in 2020 ”. Nele é anunciado um crescimento das vendas de até 5 a 6 por cento anual até 2020, passando de 148€ bilhões em 2013 para 250€ bilhões em 2020. Indica, ainda o mesmo estudo, existir um crescente apetite dos consumidores de joias, que embora tenha sido atenuado pela recessão global, agora parece mais voraz do que nunca. Para além de outros números interessantes relativos ao poder crescente das marcas no mercado, augura-se um volume de vendas de produtos de marca de 30 a 40% para 2020, em contraposição com os quase 20% atuais. Outras tendências marcantes

que coexistem com estas são a da globalização, a da reconfiguração dos canais, a da consolidação de um tipo de consumo misto e a do alinhamento acelerado com a moda e as configurações de fast-fashion. A nível nacional, os números confirmam a dinâmica de renovação, a abertura e a maior cooperação incutida no setor nos últimos anos de intervenções e apoio dos fundos estruturais. Em 2014 mais empresas portuguesas apostaram na internacionalização como via de crescimento. Neste ano também um maior número de operadores nacionais teve atividade no mercado internacional registando-se uma intensificação nos processos de internacionalização e um incremento nas exportações.

Contabilizamos mais de 31 projetos de internacionalização inscritos no QREN desde o início do Quadro Comunitário, em 2007. Também a marca internacional da ourivesaria portuguesa, Portuguese Jewellery Shaped with Love, se conseguiu implantar no mercado com mais atividades internacionais, como a promoção coletiva em 6 feiras internacionais (Bijorhca na França, Inhorgenta na Alemanha, IJL no Reino Unido, Jubinale na Polónia e Joya em Espanha) e o lançamento de uma publi-reportagem intitulada Geo-Graphic na Vogue Gioiello, única revista de joalharia de referência e abrangência global... Esta dinâmica permitiu que mais empresas fossem abrangidas positivamente pela dinâmica, que esperamos que avance com dados ainda mais positivos para os próximos anos, se as

Partidas Produtivas (7113, 7114, 7115, 7116, 7117)

condições se mantiverem. Em termos de vendas, o final de 2013 deparou-se com um incremento inter-anual de 43% nas exportações produtivas, entre 2012 e 2013. Este ano significou um regresso à normalidade para o setor que vive numa certa dualidade com duas realidades divergentes mas enquadradas no capítulo geral das exportações de ourivesaria (71). Por um lado um setor produtivo com um dinamismo exportador crescente (7113, 7114, 7115, 7116 e 7117), e por outro uma área não produtiva de vendas de metais usados com um enorme volume de vendas, mas que apresenta em 2013 um franco decréscimo, como pode ser observado nos gráficos apresentados a seguir.


24 ESTATÍSTICAS

Nas exportações produtivas o incremento real registado em finais de 2013 foi de 45,6%, o que representa um crescimento de 33,75 milhões de dólares de vendas em 2012, para 49,13 milhões em 2013, ou seja um incremento líquido de 15,37 milhões de dólares no valor das exportações. Consolidava-se também nessa altura a primazia de duas categorias de produtos que concentravam as exportações e, também, os crescimentos, nomeadamente os produtos de ourivesaria... (7113) que passaram de 25,79 milhões de dólares em 2012 para 40,11 milhões em 2013 e a fashion jewellery ou bijutarias (7117), com 14,17 milhões de dólares em 2012 e 19,42 milhões em 2013. 2013 foi ainda o palco de uma outra

tendência fortemente favorável, a da gradual desconcentração quanto ao destino das vendas e o alargamento da lista de países destino, que parece estar irremediavelmente a alargar com países como a França e a Espanha nos primeiro do ranking, crescimentos significativos em Angola e a Polónia, entre outros... O final de Dezembro permitir-nos-á recolher os novos números relativos a 2014 e identificar novas tendências.


25 SEGURANÇA


26 NOTÍCIAS

TOPÁZIO

1

Celebra 140 anos

A portuense Topázio, que celebra este ano o seu 140º aniversário, é dona de um catálogo muito versátil – que inclui peças de mesa, artigos decorativos e acessórios – e está presente em mais de 20 países. Para celebrar tantos anos de história, a marca convidou 14 artistas, entre eles Dino Alves, Cristina Santos Silva, Fernando Brízio, Vihls, Nini Andrade Silva, Marco Sousa Santos, Joana Vasconcelos e Toni Grilo (o diretor criativo da Topázio), a criar uma série de peças comemorativas que já estão disponíveis no site e nas lojas da marca em Lisboa e no Porto. O MUDE - Museu do Design e da Moda, no âmbito da rubrica “Made in Portugal”, acolhe a coleção “Topázio – 140 anos de Prata”. Desde o dia 13.12, as peças de autor criadas para celebrar o aniversário da marca portuguesa de pratas estão disponíveis para visita, com entrada gratuita. A coleção permanece em exposição até ao dia 28 de março. Cada uma das peças está disponível para venda, num total de 10 unidades por peça. HORÁRIO DA EXPOSIÇÃO “Topázio – 140 Anos de Prata” Terça a domingo, das 10h00 às 18h00 Topázio \\\ Rua Capela da Lagoa, 463, Valbom \\\ +351 22 519 1500 \\\ www. topazio.pt

2

LILIANA GUERREIRO A filigrana de Liliana no MAD Museum

A filigrana, ou a intricada arte de transformar os mais nobres metais em pequenos fios, malhas e contas, é mais antiga do que a nacionalidade e tão internacional quanto a língua de Camões. Alvo de sucessivas reinterpretações ao longo dos séculos, tem na designer Liliana Guerreiro uma embaixadora à altura. Nascida e criada em Viana do Castelo, capital desta arte, Liliana diz que desde cedo fez e desfez os colares da mãe para lhes decifrar os segredos. Depois de devidamente apurada a técnica no curso de arte e joalharia da ESAD e no Centro de Joalharia do Porto, Liliana começou a assinar as suas próprias criações: uma espécie de desconstrução minimalista das peças tradicionais. Liliana Guerreiro foi uma das 50 convidadas da LOOT – MAD about jewellery, uma das maiores montras de joalharia contemporânea do mundo. As criações da designer estão em lojas portuguesas, espanholas, austríacas, belgas, dinamarquesas e, claro, no website. A partir do próximo ano, as peças estarão também à venda no Museu de Arte e Design de Nova Iorque. Liliana Guerreiro \\\ www.lilianaguerreiro. com

TED NOTEN

3

Exposição: Ted Noten: “GOLD, SWEAT & PEARLS/ RETRO – 25 YEARS OF TED NOTEN”

A coleção de Ted Noten esteve presente na Galeria de Arte Putti até ao passado dia 11 de outubro. A galeria apresentou uma exposição pessoal do famoso designer de joias holandês Ted Noten “OURO, SUOR & PÉROLAS / RETRO - 25 ANOS TED Noten” para celebrar os seus 25 anos de carreira. O designer de joias holandês Ted Noten começou a sua carreira no início dos anos noventa, em nome próprio. Desde 2005 deu-se a conhecer com o nome de Atelier Ted Noten. As suas peças variam entre joias artesanais e objetos esculturais que fazem fronteira com design de joias, instalações, vídeos e projetos para museus ou espaços públicos. “A joalharia detém tantas oportunidades para se comunicar. Ela forma um link direto para o ser humano, para as pequenas coisas, à natureza absurda do destino, e a psicologia por detrás das tradições, o corte do outro lado, os tempos e nacionalidades”, diz o designer Ted Noten. Ted Noten /// www.tednoten.com


FERNANDO ROCHA


Jornal AORP OUT.NOV.DEZ 2014  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you