Page 1

Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO ANA ROSA

RELATÓRIO DE ATIVIDADES – 2015


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

RELATÓRIO 2015 1__ Apresentação 2__ Assembleias e Reuniões 3__ Entrosamentos com os Órgãos Públicos 4__ Situação Econômico-Financeira 5__ Subvenções e Contribuições 6__ Nova Redação do Estatuto 7__ Recursos Humanos 8__ Organograma 9__ Projetos Pedagógicos 10_ Propostas Socioassistenciais 11_ Serviços Específicos CEI – Centro de Educação Infantil CCA – Centro para Crianças e Adolescentes CJ – Centro para a Juventude 12 _ Programas Gerais Biblioteca Saúde e Nutrição Assistência Odontológica Patrimônio Segurança e Manutenção Aquisições e Serviços Programa de Gestão Ambiental Projeto “Coleta do Resíduo de Óleo Vegetal” 13_ Preito de Saudade 14_ Relação de Conselheiros e Voluntários 15_ Voluntários 16_ Parecer do Conselho Fiscal

1


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

1- Apresentação

Ao longo de sua trajetória, a Associação Barão de Souza Queiroz – Instituto Dona Ana Rosa soube defender seus interesses, dando sua contribuição para o desenvolvimento do terceiro setor, fomentando a prática da responsabilidade social. Trata-se de uma missão permanente. Apresentamos o relatório anual de atividades e ações realizadas em 2015, como também os resultados alcançados. Destacamos os aspectos socioeducativos, administrativos e financeiros devidamente auditados pela BDO – RCS Auditores Independentes. Este relatório informa as ações realizadas nos programas desenvolvidos com as parcerias da Secretaria Municipal da Assistência Social, Secretaria Municipal de Educação e SENAI, envolvendo crianças, jovens, educadores, funcionários, voluntários, gestores e comunidade local. Agradeço o apoio e colaboração recebidos da diretoria, funcionários e de todos os nossos parceiros. Externo aqui minha satisfação do dever cumprido.

Angélica Brotero Pereira de Castro Presidente

2


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

2- Assembleias e Reuniões Realizou-se durante o ano de 2015, uma Assembleia Geral Ordinária em 18 de março, reunião do Conselho Diretor em 26 de agosto e Assembleia Extraordinária em 05 de dezembro.

3- Entrosamentos com os Órgãos Públicos A Associação manteve em ordem toda a documentação exigida por lei para a renovação dos registros certificados dos órgãos públicos em âmbitos municipais, estaduais, federais, bem como os de parcerias com instituições particulares.

4- Situação Econômico-Financeira Apresentamos as demonstrações financeiras e o relatório da auditoria independente referentes ao exercício findo de 2015. O fato mais relevante nas presentes demonstrações é a reavaliação dos imóveis de nosso ativo permanente, historicamente contabilizado pelo valor nominal de aquisição. Após reiteradas sugestões das empresas de auditoria independentes que nos auditam, a diretoria resolveu, neste exercício, adequar o balanço de acordo com as normas contábeis em vigor. Embora as despesas operacionais tenham crescido abaixo da inflação do período, houve a redução nominal das receitas aumentando o déficit operacional no exercício. O expressivo aumento das receitas financeiras, no entanto, mais uma vez, compensaram o déficit operacional, garantindo um substancial aumento do superávit do exercício.

3


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

5- Subvenções e Contribuições Os programas desenvolvidos no Instituto Dona Ana Rosa concretizaramse através de verbas próprias (aluguéis de imóveis e renda de aplicações financeiras), de recursos recebidos dos convênios com a Secretaria Municipal da Assistência Social, Secretaria da Educação Municipal e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. No ano de 2015, foi concedida ao CEI – Centro de Educação Infantil pela Secretaria de Educação o valor total de R$ 1.708.240,40 entre verbas mensais e adicionais pagas em duas parcelas, sendo 50% no mês de junho e 50% no mês de outubro. Foi também concedida pela Secretaria Municipal de Assistência Social, verbas mensais e adicionais, perfazendo a soma de R$ 1.112.565,97 para o CCA - Centro para Crianças e Adolescentes, e R$ 844.501,46 para o CJ Centro da Juventude. Com os recursos adicionais, foi possível realizar projetos previstos no decorrer do ano, como manutenções, reparos no imóvel, reposições de equipamentos e aquisições de materiais de consumo. Foram doados em espécie por Marina Queiroz do Amaral Turrin e Família Puppo perfazendo um total de 2.400 reais. O banco Itaú doou 1 cesta com itens variados.

6- Nova Redação do Estatuto Por ocasião da Assembleia Geral Extraordinária da Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude realizada em 05 de dezembro de 2015 tendo como finalidade, comunicar sobre a reforma do Estatuto Social da Associação e adequações ao novo Marco Regulatório (Lei 13.019/14) que trata da legislação do Terceiro Setor no âmbito da Assistência Social. Informamos que nada foi modificado quanto as suas finalidades, mantido vivo o ideal de seus criadores. Apenas houve a necessidade de melhor adequá-lo às exigências Legais que trata das parcerias com o Poder Público, repasse de recursos públicos, para as atividades conveniadas. O Estatuto encontra-se a disposição para conhecimento de todos em sua sede de origem.

7- Recursos Humanos 4


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

O Instituto D. Ana Rosa se empenha em oferecer aos seus 108 funcionários um suporte organizacional consistente, com serviços que promovam o bem estar individual e coletivo. Além dos benefícios e encargos legais, foi mantido o benefício do cartão alimentação, reajustado conforme o acordo coletivo do sindicato do 3º setor no percentual de 9,5%. Visando o melhor atendimento aos funcionários, seus respectivos dependentes e uma gestão eficiente e de qualidade do plano de saúde, alteramos a operadora de Assistência Médica. Contratamos a operadora Amil - Assistência Médica Internacional. Esta mudança foi motivada pela intervenção da ANS (Agência Nacional de Saúde) decretando a alienação da carteira de clientes da Unimed Paulistana. Durante o ano de 2015, os funcionários do Instituto Dona Ana Rosa participaram de diversos treinamentos comportamentais e técnicos, visando à melhoria na execução dos serviços prestados aos nossos usuários. Os treinamentos foram específicos para cada setor: ADM - NR-10 - Segurança em eletricidade, Trabalho em equipe, Técnicas administrativas e Administração de tempo; CEI – Segurança no trabalho, Técnicas administrativas, Música e teatro no desenvolvimento infantil, Compreensão do papel do Professor para fortalecer a competência de planejar e desenvolver atividades; CCA - Comunicação e Relação Interpessoal, Técnicas administrativas, Temas sobre sexualidade Infantil e na adolescência, DST e AIDS; CJ - Comunicação e Relação Interpessoal, Técnicas administrativas, Temas sobre sexualidade Infantil e na adolescência, DST e AIDS. S.A - Higiene e Manipulação de alimentos, Postura profissional, Segurança no trabalho, Estratégias inovadoras para o tratamento da obesidade, Treinamentos específicos para a elaboração de pratos, quitutes, molhos, etc; No primeiro e no segundo semestre houve a aplicação da Pesquisa de Clima, com o intuito de mensurar a satisfação dos funcionários em trabalhar no Instituto D. Ana Rosa. O resultado da pesquisa serviu de base para que o RH juntamente com a equipe de gestores desenvolvesse um plano de ação com melhorias. Este foi apresentado aos funcionários para aplicação durante o ano de 2016. Também foi feita a Avaliação de Desempenho onde, cada funcionário foi avaliado individualmente recebendo um “feedback”. Alguns funcionários foram promovidos (promoções horizontais e verticais) segundo o plano de carreira do Instituto. Foi realizada a revisão das descrições de cargos que foram elaboradas em 2014, para garantir que as atividades executadas pelos funcionários estivessem de acordo com a realidade do Instituto.

5


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

8- Organograma

6


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

9- Projetos Pedagógicos Os projetos pedagógicos, numa forma ampla e complexa, têm o intuito de fortalecer a identidade histórica e cultural dos usuários, desenvolver o senso crítico, a autonomia e a capacidade de liderança, contribuindo assim, para a formação de cidadãos participativos e conscientes de seu papel na comunidade e na sociedade. Em cada projeto descrevemos as ações realizadas bem como os resultados obtidos. 10- Propostas Socioassistenciais Promover a integração entre a comunidade, pais, usuários e funcionários, com o intuito de estreitar laços e desenvolver de forma habitual, atividades que propiciem um vínculo entre o Instituto e a família, de modo a assegurar a esta última seus direitos de atenção básica. 11- Serviços Específicos CEI – Centro de Educação Infantil 304 usuários Faixa etária: 0 a 3 anos Horário de atendimento: 7h30 às 17h30 O Instituto Dona Ana Rosa segue os princípios da educação sociointeracionista, formadora de crianças cooperativas, que tenham compromisso com o mundo e com o outro, que saibam tanto expor suas ideias quanto ouvir. O objetivo do CEI é promover à criança oportunidades de conviver, brincar, cuidar de si, do outro e do ambiente; expressar-se e comunicar-se, ter iniciativa e buscar soluções para problemas e conflitos. Tem como princípios básicos em todas as suas ações junto às crianças a liberdade de escolha, a ludicidade, a autonomia, a integração entre pares e diferentes faixas etárias, a diversidade de respostas e as expectativas de aprendizagem, seguindo as “Orientações Curriculares para a Educação Infantil” da Secretaria Municipal de Educação. Principais Ações Projeto - Adaptação O Objetivo foi propiciar um ambiente acolhedor e seguro para a criança, possibilitando um pleno desenvolvimento físico, emocional e social. 7


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

Familiarização das crianças com as professoras, funcionários e com outras crianças. Também com os espaços, ambientes e com a rotina; Familiarização das professoras com as crianças, seus familiares e responsáveis; Conhecer e reconhecer as dependências do CEI; Estabelecer contato com a rotina do CEI; Que os pais e ou responsáveis reconheçam e identifiquem as professoras, funcionários, grupo e sala de seu filho (a); Que os pais identifiquem os funcionários do CEI pelas suas respectivas funções. Resultados obtidos: Apesar do choro das crianças, ansiedade dos pais, da adaptação às novas rotinas de horários de sono, alimentação, entrada e saída do CEI o Projeto Adaptação atingiu seus objetivos acontecendo de forma gradual e com sucesso, respeitando-se as necessidades e diversidades das crianças e familiares. Projeto - Volta ao CEI com Muita Diversão O Objetivo foi conhecer este novo espaço (nova sala), a fim de constituir vínculos e sentimentos de confiança com o ambiente e as pessoas que nele se encontram. Promover espaços e situações para que a criança possa manifestar seus desejos, vontades, necessidades, desagrados e sentimentos por meio da linguagem corporal e oral; Resultados obtidos: Mesmo com as alterações de grupo, professora e das férias com a família, o período de readaptação foi tranquilo. A organização do espaço e de atividades integradoras proporcionou um ambiente acolhedor e apesar de algumas crianças terem tido dificuldade em separarem-se das respectivas famílias, em pouco tempo criaram novos vínculos com os colegas e professoras. Projeto Quem Sou Eu O Objetivo foi conhecer a si mesma, os seus amigos e as diferenças entre eles, sentindo-se integrada a escola; Conhecer partes do corpo; Aprender a cuidar do corpo evitando situações de perigo que o ambiente possa apresentar; Fazer autorretrato, medir a altura comparando com a dos amigos etc. Familiarizar-se com a imagem do próprio corpo; 8


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

Explorar as possibilidades de gestos e ritmos corporais para expressarem-se nas brincadeiras e nas demais situações; Deslocar-se com destreza progressiva no espaço, desenvolvendo atitude de confiança nas próprias capacidades motoras; Experimentar situações onde possa explorar e conhecer a si mesmo e o mundo, por meio de descobertas e novos desafios; Explorar o ambiente, manifestando interesse e curiosidade pelo mundo social, natural e cultural. Resultados obtidos: Os objetivos da criança se reconhecer como indivíduo e parte ativa do grupo foram alcançados com sucesso. Observou-se que durante o ano, a partir do crescimento das crianças o projeto pode desenvolver-se com melhor aproveitamento, pois eles se encontravam mais confiantes e seguros no espaço do CEI. Projeto - Adeus As Fraldas O Objetivo foi estimular a retirada da fralda; Trabalhar em parceria: CEI e família; Tornar o desfralde um momento mais lúdico e prazeroso para a criança. Resultados obtidos: O projeto alcançou todos os objetivos propostos. As atividades e a forma lúdica com que a criança foi convidada a se desprender das fraldas bem como o olhar atento da professora em conjunto com a Técnica de Enfermagem fizeram que o processo fosse tranquilo. Observamos que quando não houve a continuidade do projeto em casa o processo de desfralde aconteceu de forma mais lenta e algumas vezes tivemos que convocar a família lembrando-a da importância da sua participação. Projeto - Horta O Objetivo foi sensibilizar e conscientizar as crianças de que a vida depende do ambiente e o ambiente depende de cada cidadão deste planeta. Despertar o interesse das crianças para o cultivo de horta e conhecimento do processo de germinação; Conscientizar as crianças da necessidade de conservação dos recursos naturais; Dar oportunidade aos alunos de aprender a cultivar plantas utilizadas como alimentos; 9


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

Conscientizar da importância de saborear um alimento saudável e nutritivo; Degustar o alimento semeado, cultivado e colhido; Criar no CEI, uma área verde produtiva, pela qual, todos se sintam responsáveis; Estimular os alunos a construírem seu próprio conhecimento no contexto interdisciplinar; Contextualizar os conteúdos aos problemas da vida urbana; Construir a noção de que o equilíbrio do ambiente é fundamental para a sustentação da vida em nosso planeta; Conhecer alguns alimentos e seu valor nutricional; Conhecer a importância do solo na reprodução de alimentos e os cuidados com a preparação dele. Resultados obtidos: O projeto foi muito prazeroso para as crianças, pois gostaram muito do contato com a terra, de participar do processo de plantar, cultivar, colher e saborear os alimentos. Observamos que a escolha das sementes/mudas é de extrema importância, o tempo de cultivo não deve ser demorado, pois nessa faixa etária a espera pelo resultado é aguardada com ansiedade pelas crianças. Projeto - Educação Alimentar O Objetivo foi promover uma educação alimentar com o consumo de alimentos saudáveis; Contribuir para a promoção da saúde de uma forma atraente, lúdica e educativa; Ferramenta no auxílio das escolhas das crianças no que comem; Coletivamente, elas se sentem motivadas a degustarem alimentos variados e saudáveis; Criação de bons hábitos de alimentação. Promover o consumo de frutas, legumes e verduras; Promover atividades que valorizem e aproximem os alunos dos alimentos menos aceitos; Conhecer, nomear e identificar os diferentes tipos de alimentos; Entrar em contato com textos de gêneros diferentes (lista de frutas e receitas); Observar as cores e perceber os sabores e textura dos alimentos; Conscientizar-se, através da informação do cardápio diário, da importância da boa alimentação sem desperdícios;

10


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

Resultados obtidos: Através do projeto as crianças conheceram alimentos que muitas vezes não fazem parte do consumo diário das famílias. Observamos que as crianças estavam aceitando melhor os diversos alimentos propostos no cardápio. Alguns familiares também nos deram esse retorno. A relação das crianças com os profissionais do Serviço de Alimentação foi muito positiva, pois sempre conversavam contando o que comeram, o que gostaram ou não e sugeriam novas preparações. Brinquedoteca A brinquedoteca é um espaço organizado com fantasias diversas para adultos e crianças, brinquedos de casinha, carrinhos, entre outros. Nesse espaço as crianças desenvolvem a fantasia, o pensamento mágico e a criatividade. O brincar é uma atividade natural, espontânea e necessária para criança, constituindo-se em uma peça importantíssima para sua formação. Seu papel transcende ao mero controle de habilidades, sendo muito mais abrangente. Sua importância é notável, já que por meio dessas atividades, a criança constrói o seu próprio mundo. É pela brincadeira que a criança aprende sobre a natureza, os eventos sociais, a dinâmica interna e a estrutura de seu corpo. A criança que brinca livremente, no seu nível, à sua maneira, não está apenas explorando o mundo ao seu redor, mas também comunicando sentimentos, ideias, fantasias. Além disso, enquanto estimula o desenvolvimento intelectual da criança, também ensina, sem que ela perceba, os hábitos mais necessários ao seu crescimento, como persistência, perseverança, raciocínio, companheirismo, entre outros. Parques O CEI possui seis espaços externos equipados de playgrounds específicos para cada faixa etária, localizados em espaços repletos de estímulos para brincadeiras, desafios de movimentos e descobertas sensoriais. Acreditamos que a brincadeira é um componente socialmente construído, que ajuda a criança a entender a si mesma e ao universo cultural. Nesses espaços elas poderão criar diferentes situações de aprendizagem nas quais as crianças possam se divertir, brincar, falar, representar diferentes brincadeiras, sempre com o acompanhamento das professoras.

11


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

Em 2015 foram transferidos dois parques que estavam localizados próximos à entrada e saída de veículos do Instituto, para uma área verde próxima ao espaço do CEI. Esta melhoria trouxe tranquilidade a todos e alegria para nossas crianças.

CCA – Centro para Crianças e Adolescentes 360 usuários Faixa etária: 6 a 14 anos e 11 meses Horário de atendimento: 7h30 às 17h15

No ano de 2015, os trabalhos desenvolvidos no CCA foram pautados nos projetos pedagógicos que contribuíram muito no desenvolvimento cognitivo, social e afetivo dos usuários, possibilitando a construção significativa dos saberes. Durante o ano, foram trabalhados os temas: música, jogos e brincadeiras, com o objetivo de resgatar as brincadeiras populares, bem como todo universo popular. As brincadeiras foram realizadas em grupos divididos por faixa etária, as quais cumpriram seus principais objetivos, uma vez que tivemos uma multidisciplinaridade de atividades. Além dessas propostas, os usuários buscaram ampliar seu repertório através da memória dos pais, questionando-lhes a respeito de como eram suas brincadeiras. Dessa forma, os usuários puderam conhecer e ampliar seu repertório de brincadeiras e a origem das mesmas. No panorama das artes, tivemos como objetivo despertar no usuário o tripé das artes: apreciação, produção e reflexão. As atividades realizadas foram finalizadas através da construção coletiva de um livro, em que os usuários descreveram e ilustraram o que aprenderam.

Projetos

12


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

Brincadeira de Criança – (de 06 a 08 anos de idade) O projeto Brincadeira de Criança teve como objetivo proporcionar através do lúdico um encontro com a infância, pela necessidade e importância do brincar. Ter a brincadeira, o brinquedo e a música como referência e aprendizado para amenizar a questão da falta de espaço e tempo. Conhecer os diversos tipos de brincadeira; Proporcionar alegria, diversão, prazer e aprendizagem; Desenvolver a imaginação, fantasia, criatividade e habilidade; Assimilar combinados e regras favorecendo a convivência; Desenvolver equilíbrio emocional. Resultados obtidos: O projeto foi escolhido a partir da identificação da necessidade de trabalhar e se fazer saber mais a respeito da cultura lúdica contemporânea da criança. Foi possível observar como o processo se deu através das propostas oferecidas, alcançando ótimos resultados. Percebemos o quanto os usuários demostraram amadurecimento nos modos de socialização e das experiências vivenciadas, de tal maneira que, juntos puderam participar do processo de construção de suas aprendizagens e transformá-las, valorizando significativamente seus papeis sociais. Música, Brincadeira e Jogos (09 a 12 anos de idade) Brincar é um direito de todas as crianças porque é vital para o desenvolvimento e bem estar. O brincar demanda tempo e espaço próprios, consiste em experiências culturais e universais. O brincar facilita o crescimento e conduz aos relacionamentos grupais, proporcionando uma forma de comunicação consigo mesmo e com os outros. Acreditar que os usuários desenvolvam-se melhor física, social, e emocionalmente, estimulando de maneira lúdica a curiosidade e o aprendizado, por meio de músicas, brincadeiras e jogos. Resgatar tradições populares, transformando o dia-a-dia dos usuários em pura diversão, valorizando assim as atividades lúdicas, brincadeiras em grupo, gincanas, danças e a construção de jogos. Vivenciar a partir da música, jogos e brincadeiras, laços de companheirismo e vínculos afetivos não desrespeitando as regras próprias para participação dos jogos; Desenvolver a organização e autonomia para o trabalho individual, em dupla e em grupo; Documentar jogos e brincadeiras conhecidas pelas crianças; 13


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

Desenvolver o espírito de trabalho em equipe. Apresentação de brincadeiras antigas e atuais; Origem das brincadeiras; Registro das brincadeiras, jogos e músicas; Registro das regras; Registro dos sentimentos; Desenhos; Confecção de brinquedos: peteca, cinco Marias, bilboquê, perna de lata, pipa, boliche, etc. Resultados obtidos: As brincadeiras realizadas em grupo cumpriram seus principais objetivos, uma vez que tivemos uma multidisciplinariedade de atividades. Todas essas atividades contribuíram para o desenvolvimento físico, cognitivo, criativo, e, sobretudo social, além de aumentar o repertório do brincar. Fez-se assim uma troca de experiências e aprendizagens de brincadeiras novas e antigas. Como resultado final, os usuários criaram um único livro, onde todos participaram com suas experiências adquiridas. Uma Experiência Harmônica (13 a 14 anos e onze meses de idade) A música desempenha um papel fundamental no desenvolvimento integral do usuário, devendo proporcionar, qualquer que seja sua aptidão musical, experiências ricas e significativas. Estimula o aprendizado e tem o poder de despertar a criatividade. Ela auxilia o usuário no desenvolvimento de suas potencialidades, usando o próprio corpo como meio de comunicação e expressão. Estimular a formação global do usuário, dando-lhe a oportunidade e os meios para utilizar-se de seus sentidos, conhecimentos e interesses para pesquisar e aprofundar-se nos assuntos abordados. Proporcionar o desenvolvimento do pensar e do fazer artístico e da percepção estética do usuário, permitindo uma interação crítica com a realidade. Motivar e integrar as crianças através do cantar, apreciando a sonoridade e a melodia; Estimular, através da música, a capacidade de execução das crianças, envolvendo-os com os movimentos do corpo; Desenvolver hábitos de leitura a partir da utilização de músicas; Incentivar a partir da música, a produção textual; Vivenciar momentos de descontração, alegria e aprendizado mediante a execução de dinâmicas com músicas; Apresentar diferentes estilos musicais. 14


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

Das atividades que foram realizadas estão: Pesquisas na biblioteca; Conhecimento sobre instrumentos musicais e sua origem; Confecção de instrumentos musicais; Músicas folclóricas. Resultados obtidos: O projeto foi desenvolvido com a adesão integral dos usuários. Através de jogos dramáticos musicalizados possibilitaram aos usuários um novo olhar no que se refere ao brincar. Diversas atividades realizadas despertaram o olhar crítico da realidade, e fez com que os jovens se sentissem a vontade para questionar alguns padrões sociais. Tiveram a oportunidade de se expressar, trazendo assim questões em relação aos seus sentimentos, buscando sensações, permitindo a abertura de um canal de comunicação entre os demais. Projeto Fazendo Arte Pela Arte (06 a 14 anos e onze meses de idade) Nossa experiência em artes, seja como artistas, que todos somos, ou como apreciador, depende da compreensão da arte. A compreensão, por sua vez, depende de algo bem mais estreito, um conceito. O conceito é o eixo em torno do qual se situa nossa compreensão, é com ele que entendemos e que elaboramos nossa visão das coisas e de nós mesmos. Pensando nesse conceito de arte, quero propor aos usuários a “arte pela arte”, despertar o que a arte pode fazer aos usuários em todas as suas faces: criação, pensamento, interpretação, reflexão... Ter como objetivo despertar no usuário o tripé das artes: apreciação, produção e reflexão. Trabalhar várias modalidades artísticas em sala; Despertar o senso crítico; Estimular a imaginação e a sensibilidade através dos objetos, corpo, visual, sons; Promover aspectos socioeducativos ligados às várias culturas.

Resultados obtidos: A oficina de artes propiciou aos usuários uma viagem ao universo de descobertas, inovações e criações, além de aprender a ver, a interpretar, a analisar, a comparar, a falar ou escrever sobre o que vê, pensa e sente. 15


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

Dessa forma, tivemos a oportunidade de trabalhar o desenvolvimento de múltiplas habilidades, bem como o raciocínio, a criatividade, o desenvolvimento da linguagem oral, a afetividade e principalmente a socialização. Coral Infantil O coral é uma atividade artística que se desenrola num processo de musicalização e culmina num produto final através dos concertos e apresentações. Quando a criança se apresenta para um público grande ou pequeno, ela terá um crescimento musical e um desenvolvimento na sua personalidade, que é representada pela sua voz. O Canto Coral tem como objetivo principal o aperfeiçoamento da voz cantada através do trabalho em conjunto e o desenvolvimento da musicalidade com o aprendizado do repertório proposto das atividades musicais, dos jogos e brincadeiras. Resultados obtidos: As aulas e apresentações de canto em conjunto proporcionaram muitos ganhos para os usuários participantes desse projeto. Tivemos um número aproximado de 100 envolvidos, com dois grupos divididos por faixas etárias. 2015 foi um ano muito proveitoso com excelentes resultados. Fizemos apresentações para as famílias, comunidade, colaboradores, usuários e educadores do CCA. Fechamos o ano com a apresentação na “Festa do Barão” que contou com a participação do coral, flauta regida por uma voluntária e o teatro que encenou o auto de natal. Os associados prestigiaram esse momento. Banda O objetivo foi de contribuir para a formação integral do jovem, preparando-o para os desafios da vida. A banda ofereceu ao jovem a oportunidade de compreender seu espaço dentro da sociedade desenvolvendo competências individuais e coletivas, além de manifestar e lidar inconscientemente com seus sentimentos através da música. Possibilitou ainda ao aluno reconhecer e aprimorar suas habilidades e aspectos relacionados à psicomotricidade. Resultados obtidos: Os objetivos foram alcançados seja no aprendizado do instrumento musical escolhido, como no desenvolvimento dos elementos atitudinais próprios desta fase e das especificidades da banda. 16


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

Participaram 16 alunos do CJ e 15 do CCA, totalizando 31 integrantes. Uma das principais apresentações foi a comemoração de natal “Festa do Barão” onde a banda apresentou um repertório rico e vibrante, que envolveu todos os convidados e mostrou a composição do grupo que privilegia o desenvolvimento das habilidades e competências individuais integrando-as ao coletivo em uma relação dialógica com toda a instituição. Sala das Letrinhas Brincar é o que torna a criança ativa, criativa e lhe dá oportunidade de relacionar-se com os outros, também a faz e por isso mais propensa a ser bondosa, amar o próximo e ser solidária. Brincando ela desenvolve potencialidades, ela compara, analisa, nomeia, mede, associa, calcula, classifica etc. Assim na Sala das Letrinhas o jogo e a brincadeira são veículos para o desenvolvimento social, emocional e intelectual de cada usuário. O objetivo foi de integrar o usuário à nova turma, possibilitando que ele tivesse autonomia perante as atividades propostas e se sentisse capaz de ampliar sua capacidade de ler e escrever e brincar. Desenvolver a capacidade de pensar e expressar ideias, através das diferentes linguagens. Conhecer a língua na sua função social através dos mais variados portadores de texto. Valorizar a leitura como fonte de apreciação e prazer. Apropriar-se e fazer uso do código alfabético e numérico. Participar de diferentes atividades corporais, pessoais e da comunidade procurando adotar uma atitude cooperativa. As atividades foram individuais, coletivas, lúdicas e didáticas utilizando recursos disponíveis, dentro e fora da sala. Os usuários foram estimulados a desenvolver suas habilidades visuais, olfativas, gustativas, táteis e motoras. Foram desenvolvidos cantinhos pedagógicos na sala com ênfase no trabalho coletivo como forma de construção de aprendizagem que ocorreram por meio de atividades variadas, dando ênfase aos portadores de texto e as datas comemorativas de cada mês.

Campanha de Apadrinhamento de Natal

17


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

Realizamos nossa V Campanha de Natal, onde contamos com a colaboração e dedicação de 240 voluntários, amigos e parceiros, que contribuíram com um presente para as crianças e adolescentes. A entrega aconteceu no dia 17/12/2015. Nosso Papai Noel esse ano veio de skate, acompanhado de um duende para deixar ainda mais animada a tradicional entrega dos presentes.

CJ – Centro para a Juventude 1º Semestre 240 usuários - 2º Semestre 240 usuários Faixa etária: 15 a 17 anos e 11 meses Horário de atendimento: 7h30 às 17h00 No ano de 2015, o serviço Centro de Juventude se consolidou na sua tipificação como serviço de convivência e fortalecimento de vínculos, se constituindo como um espaço de referência para o desenvolvimento de ações socioeducativas e oficinas de iniciação profissional. Oferecemos atividades pautadas em experiências lúdicas, culturais e esportivas como forma de expressão, como também atividades que promoveram a interação, aprendizagem e sociabilidade. A concepção metodológica do nosso trabalho visa promover o desenvolvimento integral dos jovens, abrangendo e articulando as diversas dimensões de sua vida como individuo e como futuro profissional. As atividades socioeducativas desenvolvidas no CJ foram embasadas nos três eixos norteadores: Convivência Social, Participação Social e Mundo do Trabalho. Foi um ano de muitas conquistas e aprendizado, tivemos um envolvimento significativo das famílias e dos usuários nas diferentes ações realizadas, possibilitando a criação de um espaço de pertencimento social entre as famílias atendidas e o Serviço CJ.

Principais Oficinas e Projetos Técnicas Administrativas 18


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

A oficina de Técnicas Administrativas foi importante no contexto atual da nossa juventude porque desenvolveu conjuntos de competências que permitiram o conhecimento e preparo nas áreas administrativas das empresas e comércio, bem como aprendizado das normas trabalhistas e técnicas operacionais. A oficina abrangeu tanto o conteúdo organizacional de uma empresa, bem como fundamentos de logística e administração financeira. Na parte da informática foi desenvolvido o conhecimento das ferramentas das termologias básicas da Informática: Windows, Excel, Paint e Power Point. A oficina também abrangeu conteúdos socioeducativos com ênfase nos três eixos de trabalho: Convivência Social; Participação Cidadã e Mundo do Trabalho. O objetivo geral foi promover a qualificação e a capacitação de jovens para o mundo do trabalho, habilitando-os nas ferramentas de Informática e Administração básicas, bem como prepará-los como cidadãos conscientes quanto à importância do bom convívio social e ético. Resultados Obtidos: Notamos que os jovens apresentaram conhecimento necessário para utilizar um computador, enviar e receber mensagens e realizar pesquisas na Internet de forma satisfatória para o seu desenvolvimento pessoal e profissional. Percebemos através das avaliações feitas que 80% dos usuários demonstraram domínio de conhecimentos teóricos e práticos relativos ao exercício de uma profissão, bem como capacidade e iniciativa de apresentação de suas competências adquiridas na Oficina. Informática e Manutenção de Micros A cada dia que passa, a informática vem adquirindo cada vez mais importância na vida das pessoas e nas empresas. Muitas famílias já possuem em suas residências um computador e o mesmo é utilizado como ferramenta que auxilia pais e filhos mostrando-lhes um novo jeito de aprender e ver o mundo. Em todas as empresas que existe computador, é necessário ter profissionais que saibam operá-los, programá-los, configurá-los ou consertálos de forma autônoma. O mercado exige cada vez mais pessoas qualificadas para exercer funções no campo tecnológico, áudio visual e computação. Portanto a oficina foi de extrema importância para inserção no mundo digital e qualificação de nossa juventude para o mundo do trabalho. O objetivo geral foi proporcionar ao adolescente, oportunidade de adquirir conhecimentos, desenvolver habilidades e auxiliar na sua formação para o mercado de trabalho e para seu desenvolvimento pessoal, tendo em vista a inclusão digital. 19


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

Resultados Obtidos: Os resultados obtidos na oficina foram o domínio de conhecimentos teóricos e práticos relativos à utilização ao computador e suas ferramentas. 70% dos jovens reconheceram a importância da comunicação eletrônica no seu contexto pessoal, social e mundo do trabalho. Foram muito significativos os resultados que tivemos com os jovens. Eles ampliaram seus conhecimentos através das pesquisas e programas da área da informática e apresentaram atitudes de autonomia na tomada de decisões, utilizando o diálogo e a internet para se capacitarem em diferentes meios de estudo e qualificação profissional. Sabor e Arte A oficina “Sabor e Arte” procurou ao longo do ano difundir e apresentar a cultura gastronômica no Brasil através da elaboração de diferentes pratos típicos, filmes conceituados de grandes “chefs”, competições, noções de matemática, cidadania e habilidades pessoais, bem como conhecimento do mercado de trabalho e visitações a espaços voltados para gastronomia. A instituição ofereceu oportunidades práticas e teóricas para o jovem aprimorar o conhecimento profissional e as habilidades de gestão e visão empreendedora.

O objetivo geral foi preparar os usuários para iniciação ao mundo do trabalho na área de alimentação, desenvolvendo a capacidade de exercer a atividade com responsabilidade, empreendedorismo, habilidade na manipulação e elaboração de receitas, transpondo todo o conhecimento adquirido para a vida pessoal, social e o mundo do trabalho. Resultados Obtidos: A oficina “Sabor e Arte” proporcionou aos jovens a oportunidade de vivenciar conhecimento em diversas culturas. Percebemos que os jovens apresentaram uma melhora na postura, desenvoltura e competência para executar as tarefas, com domínio e autonomia nas preparações. Realizamos uma competição entre os confeiteiros amadores denominada “I Bake Off Ana Rosa”, que trabalhou muito os conceitos de trabalho em equipe, criatividade, solidariedade, agilidade e responsabilidade. Foi uma rica experiência que permitiu um amadurecimento nas relações interpessoais e amplo conhecimento de técnicas e receitas do mundo gastronômico. Artes Gráficas 20


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

Na oficina de iniciação profissional de Artes Gráficas, os jovens tiveram a oportunidade de aprimorar as competências necessárias para a operação em sistemas manuais e semiautomáticos de guilhotina linear, alceamento, blocagem, encadernação e manuseio de livros, conhecimento de matériasprimas, equipamentos e ferramentas necessárias para execução do trabalho. Obtiveram conhecimento de Corel Draw (informática). Os usuários tiveram experiências significativas com relação aos conteúdos socioeducativos e formação humana. Vivenciaram teorias e práticas das atividades envolvidas no fluxo operacional gráfico, nas áreas de pré-impressão, impressão e pósimpressão.

Resultados Obtidos: Os jovens tiveram a oportunidade de conhecer o “mundo gráfico”, onde experimentaram várias noções práticas e modernas do setor. Com isso, sentiram-se estimulados a buscar uma futura experiência profissional no mercado gráfico, até então desconhecida por eles. Prática Esportiva A prática esportiva aconteceu todas às terças-feiras com os jovens das oficinas do período da manhã e da tarde. O objetivo desse momento é promover atividades voltadas para o coletivo facilitando o convívio social, interação e cooperação entre os jovens. As modalidades que mais se destacaram no campeonato foram o futebol, vôlei, queimada e basquete. Atendendo a solicitação da parte dos jovens, tivemos uma professora de dança para compor e enriquecer nossa prática. Os ritmos apresentados foram zumba, músicas dos anos 60 e dança do ventre. Parcerias Projeto Coaching- FMU O Programa de Orientação Profissional para os jovens aconteceu no período de março a abril com encontros quinzenais. O objetivo dos encontros foi levar aos jovens a compreensão e gerenciamento das próprias emoções, promovendo mudanças nas relações interpessoais, propiciando a percepção do próprio comportamento, desenvolvendo o conceito da inteligência emocional. Através de dinâmicas realizadas, o jovem conseguiu refletir, contribuindo para um processo de amadurecimento pessoal, possibilitando assim uma boa e segura escolha profissional. Acreditamos que, ao final do trabalho, os jovens tiveram oportunidade de discernir sobre as profissões e eles próprios encontraram-se aptos para suas escolhas profissionais. O 21


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

trabalho foi realizado por dez alunas do 10º Semestre do Curso de Psicologia da Faculdade FMU, contemplando vinte jovens.

Semana das Profissões Realizamos a Semana das Profissões, com profissionais das áreas de psicologia, recursos humanos, jornalismo, música, artes, gastronomia e formação tecnologia do SENAI, com o intuito de promover o desenvolvimento integral dos usuários, nas dimensões humanas e profissionais. Tivemos como foco propiciar e articular os jovens para esclarecimentos de dúvidas, questionamentos sobre a carreira acadêmica, mundo do trabalho e principalmente disseminar mitos e verdades das profissões. Os palestrantes convidados buscaram ampliar o conhecimento do jovem sobre o mundo do trabalho e ajudaram a construir a reflexão em torno do tema. O Instituto possibilitou e ampliou o convite para nossos ex-usuários para participarem do evento. CIEE O Centro de Integração Empresa Escola - exerce o papel de agente de integração, por meio da inserção dos jovens estudantes ao mercado de trabalho, ajudando a aperfeiçoar sua qualificação profissional. Este objetivo é viabilizado por meio de palestras, encontros e treinamentos para os usuários através de funcionários da instituição CIEE. A instituição promoveu no CJ Ana Rosa, oficinas de capacitação com as seguintes temáticas: Orientação de Carreira; Teste: Perfil de Empregabilidade e Dicas para Escolha Profissional, com o objetivo de orientar e melhor preparálos para o ingresso no mercado de trabalho. O programa atendeu todas as turmas e cumpriu o objetivo promovendo ações para sensibilizar os participantes sobre a importância da escolha profissional consciente. Parceria Didática com SENAI As oficinas de iniciação profissional contam com a parceria didática do SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), que mantêm uma relação de compromisso na construção de um desenvolvimento social, aliado a formação de jovens através dos conteúdos das oficinas de Técnicas Administrativas, Informática, Panificação, Confeitaria e Gráfica. A principal ação é estabelecer ações conjuntas ofertando programas de educação profissional para todos os jovens inseridos nas oficinas. Participamos de reuniões trimestrais com o propósito de alinhar as ações para emissão dos certificados. 22


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

12 - Programas Gerais Biblioteca A biblioteca “Baronesa de Souza Queiroz” tem sido um dos espaços do Instituto mais convidativo e visitado pelas crianças, jovens e adolescentes. Existe um acervo de aproximadamente 8.840 exemplares, computadores para pesquisas escolares, em um ambiente aconchegante para leitura. O atendimento é feito por uma bibliotecária auxiliada pelos orientadores, professores e voluntários. Com isso atingimos resultados surpreendentes. As crianças conquistaram maior autonomia nas buscas e uso de informações e pesquisas, desenvolvendo novas competências e habilidades na mediação da leitura. Os jovens passaram a interagir mais com o universo da leitura. O número de obras por empréstimos aos usuários atingiu uma porcentagem significativa, contabilizando um interesse maior pela leitura, prática do direito informacional à cultura, ao lazer e à educação. No ano de 2015, as ações realizadas pela equipe de voluntários foram focadas no acompanhamento dos jovens na Biblioteca, empréstimos de livros e ações de incentivo a leitura. No total tivemos voluntários frequentes e voluntários com ações pontuais, como por exemplo, a participação na Semana das Profissões. Saúde e Nutrição O Serviço de Alimentação do Instituto Dona Ana Rosa serviu em 2015, 395.901 refeições. Foram realizadas avaliações nutricionais em crianças do CEI. Foi implantado o Programa de Educação Alimentar em conjunto com a área pedagógica. Práticas lúdicas foram desenvolvidas com o objetivo de incentivar a alimentação saudável e o bom hábito alimentar. Ao longo do ano as crianças foram agraciadas com “Kits de alimentação” comemorativos, promovendo muita alegria. Assistência Odontológica Mantivemos o atendimento odontológico às crianças e jovens do CEI, CCA e CJ com a prevenção e tratamento curativo. Procuramos ter como objetivo ensinar a escovação correta com o uso da pastilha evidenciadora. 23


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

No CEI contamos com o apoio de uma equipe voluntária de dentistas, que em conjunto realizaram 135 atendimentos com 60 procedimentos clínicos. Fizeram um trabalho excelente de prevenção e tratamento para nossas crianças. Foram feitas três palestras, ilustradas com filmes educativos, abordando questões e temas como a alimentação adequada para a manutenção de uma boa saúde bucal e prevenção ortodôntica. O objetivo foi o de orientar os pais dos pequenos, quanto ao uso incorreto de mamadeiras, chupetas e dedos. Foi esclarecido aos pais o trabalho a ser realizado pela equipe e os mesmos autorizaram que seus filhos fossem atendidos. No CCA os usuários de 6 a 11 anos acompanharam os usuários de 12 a 14 anos, através do programa “Monitores de Escovação Supervisionada”. Já os de 12 a 14 anos foram acompanhados pelo dentista. No CCA foram 642 atendimentos com 357 procedimentos clínicos. Foi observado que o trabalho em conjunto com os educadores e o profissional de odontologia favoreceu uma melhor integração e mudança no comportamento, possibilitando assim uma melhoria significativa no hábito de escovação. O Atendimento com os usuários do CJ foi direcionado ao acompanhamento, avaliações e ações preventivas diretamente com os jovens, bem como curativos e procedimentos emergenciais. Ao longo do ano foram realizadas oito palestras para os usuários e suas respectivas famílias, onde o tema foi “Saúde Bucal”. No CJ foram 338 atendimentos com 217 procedimentos clínicos. O trabalho preventivo da “Saúde Bucal” vem evoluindo nos últimos anos e com isso o tratamento curativo vem diminuindo para os usuários antigos.

Patrimônio Com a finalidade de atender o cumprimento de exigências legais e assegurando a veracidade das informações foi realizado o Laudo Técnico de Avaliação dos Imóveis da Associação Barão de Souza Queiroz, executado pela empresa FBC Engenharia S/S Ltda., com a devida autorização e acompanhamento do Diretor do Patrimônio.

24


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

Segurança e Manutenção Durante todo o ano foram realizadas benfeitorias visando à manutenção do patrimônio e o bem-estar de todos. É com imensa satisfação que informamos que obtivemos o documento Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVB) que é emitido pelo Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Este certificado indica que a edificação possuem condições de segurança contra incêndio, prevista pela Lei. Aquisições e Serviços No ano de 2015, fizemos as aquisições e manutenções nos setores abaixo relacionados: CEI -

Aquisição de móveis para refeitório (mesas e bancos); Aquisição de cortinas e persianas (sala de vídeo e copa); Aquisição de um computador para o atendimento às mães (EOL); Aquisição de 100 colchonetes; Manutenção dos brinquedos de madeira playground; Colocação de duas portas divisórias com visor; Pintura dos parques e manutenção preventiva.

CCA -

Pintura do setor; Aquisição de móveis para salas; Aquisição de instrumentos de percussão; Troca de nove vasos sanitários com caixas acopladas.

CJ -

Pintura do setor; Aquisição de móveis para salas (sala multiuso); Aquisição de um computador; Compra de jogos pedagógicos; Compra de um aparelho de “data show”; Troca de nove vasos sanitários com caixas acopladas. 25


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

SA -

Reforma geral da coifa externa e limpeza da coifa interna; Troca do piso da despensa II; Compra de persianas rollon para área de distribuição do CEI; Reforma no forno, colocação de chapa de inox; Aquisição de uma batedeira planetária. Compra de um Forno GLP; Compra de talheres; Manutenção no sistema de aquecimento na máquina de lavar louça; Troca de quatro vasos sanitários com caixas acopladas.

Biblioteca -

Higienização dos estofados; Confecção de capas para os estofados; Compras de livros; Compra de dois ventiladores.

Comum a todos - Recarga dos extintores; - Dedetização; - Desobstrução da rede de esgoto; - Lavagem das caixas d’água; - Compra de grelhas; - Reforma das canaletas de escoamento de água; - Limpeza e manutenção de todos os ventiladores; - Higienização e manutenção do sistema de ar condicionado; - Manutenção preventiva da cabine primária; - Serviços de serralheria, telas, cadeiras e portões; - Manutenção de câmeras de segurança; - Reforma da centrífuga, tampa de inox; - Confecção de abrigo externo para produtos de limpeza (lavanderia); - Transferência do cavalete de água (Sabesp) e confecção do abrigo local; - Aquisição de um cortador de grama; - Podas de árvores; E pequenos consertos de manutenção no edifício, mobiliários e equipamentos. 26


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

Programa de Gestão Ambiental O Instituto continua a ser contemplado com o Projeto Ambiental de Plantio de Mudas de Árvores idealizado e coordenado pelo SENAI. Os objetivos principais do projeto são: - Conscientizar os colaboradores e usuários sobre a importância do plantio de árvores. - Auxiliar na manutenção da biodiversidade e no aumento das áreas reflorestadas no Estado. - Promover a recuperação da mata, contribuindo para a ampliação da cobertura vegetal. Periodicamente recebemos a equipe do SENAI para visita ao local com o intuito de evidenciar as mudas e acompanhar o processo de crescimento. Projeto Coleta do Resíduo de Óleo Vegetal Em 2015 continuamos com a parceria com o Instituto Triângulo de Desenvolvimento Sustentável que tem como missão incorporar atitude sustentável no dia a dia das pessoas que vivem nas cidades e estabelecer mudanças de atitude individual que, somadas, representa um grande impacto coletivo, em prol de um ambiente urbano mais sustentável. A proposta não é apenas o descarte adequado do óleo vegetal usado. O Instituto Triângulo cede ao Instituto Dona Ana Rosa bombonas utilizadas para o armazenamento adequado desse óleo usado e, quando cheias, as coletam para em seguida encaminhar a usina para ser transformado em sabão ecológico. A cada bombona cheia com 50 litros de óleo são oferecidos 04 litros de Sabão Líquido ou 1 kg de sabão em pedra.

27


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

13- Preito de Saudade A Diretoria expressa sentimento de profundo pesar às famílias dos associados falecidos em 2015. Pedimos a Deus que os recompense pelo bem que realizaram quando estavam entre nós.

28


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

14- Relação de Conselheiros e Voluntários

CONSELHO DIRETOR Angélica Brotero Pereira de Castro Presidente José de Souza Queiroz Neto Vice Presidente Alfredo Egydio Setubal Diretor Tesoureiro Rodrigo Brotero Pereira de Castro Diretor do Patrimônio Adriana de Souza Queiroz Diretora Social Vera Cecília Meira de Castro Paes Barreto Diretora Secretária Heloisa Meira de Castro Diretora de Promoções Humanas José Octávio de Souza Queiroz 1º Diretor Adjunto Luiz Vicente de Souza Queiroz Ferraz 2º Diretor Adjunto Carlos Eduardo Uchôa Fagundes Junior 3ª Diretor Adjunto Maria Thereza de Souza Aranha 4ª Diretora Adjunta

CONSELHO FISCAL Ana Maria Morelli Ferraz Carlos Eduardo Uchôa Fagundes Maria Lúcia Meirelles Reis Marina Queiroz do Amaral Turrin Olga Álvares Rubião

SUPLENTE CONSELHO FISCAL João Carlos de Assumpção Martins Maria Alice Meirelles Reis Sônia Vianna Vanzolini 29


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

CONSELHO CONSULTIVO Beatriz Castro de Abreu Beatriz Soares de Camargo Correa da Fonseca Laura Cópolla Uchôa Fagundes Luiz Roberto de Souza Queiroz Sergio Meira de Castro Neto Sylvia de Assumpção

30


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

15- Voluntários No ano de 2015, as ações realizadas pela equipe de voluntários demonstraram um espírito de entusiasmo e disposição para o trabalho. No total tivemos 22 voluntários ligados direta e indiretamente aos serviços. Equipe de Voluntários / 2015 Nome Completo

Setor

Atividade

01 Beatriz Helena Macedo

CCA

Biblioteca

02 Ana Paula Campagnoli

CEI

Dentista

03 Elisa De Araujo R. da Silva

CCA

Psicóloga Grupo Spiral

04 Gislene Marinelli Murad

CEI

Odontologia (Aux.)

05 Kátia Aguiar Eleutério

CJ

Biblioteca

06 Laima Remencius

CEI

Odontologia

07 Maria Isaura Monteiro Buelau

CEI

Dentista

08 Maria Isabel Tavares Aguiar

CEI

Odontologia

09 Marina Turrin

CEI

Berçário

10 Maria Fernanda de Medeiros Redi IDAR

Advogada Trabalhista

11 M. Silvia C. M. de Almeida

CCA

Biblioteca

12 M. Tereza de S. Aranha

CJ

Biblioteca

13 Pedro Ribeiro do Vale

CCA

Biblioteca

14 Priscila Carrijo C. Generoso

CEI

Dentista

15 Rita de Cassia R. Fortes

CJ

Biblioteca

16 Teresa Lopes

CCA

Sexualidade Infantil

17 Viviane Virginia O. Antonio

CEI

Odontologia

18 Roberta Barcena Calvo

CEI

Odontologia

19 Keila Aparecida da Silva

CEI

Odontologia (Aux.)

20 Marilia Gabriela F de Carvalho

CEI

Odontologia

21 Heloisa Vianna de Almeida

CEI

Odontologia

22 Gabriela de O M Araújo

CEI

Odontologia

31


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

16- Parecer do Conselho Fiscal Os abaixo-assinados, membros do Conselho Fiscal da “Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude”, tendo examinado o Balanço Geral, encerrado em 31 de dezembro de 2015 e a respectiva Demonstração de Contas de Receitas e Despesas do ano findo, havendo encontrado tudo em perfeita ordem, são do parecer que as contas apresentadas pelo Conselho Diretor merecem a aprovação pela Assembleia Geral Ordinária.

São Paulo, 31 de dezembro de 2015.

__________________________________________________ Ana Maria Morelli Ferraz

__________________________________________________ Carlos Eduardo Uchôa Fagundes

__________________________________________________ Maria Lúcia Meirelles Reis

__________________________________________________ Marina Queiroz do Amaral Turrin

__________________________________________________ Olga Álvares Rubião

32


Associação Barão de Souza Queiroz de Proteção à Infância e à Juventude INSTITUTO DONA ANA ROSA

34

Relatório de Atividades - 2015  
Relatório de Atividades - 2015  
Advertisement