Issuu on Google+

conex達o ANA


conexão ANA Guia de auto proteção contra a violência sexual

Fortaleza - Ceará - Brasil Setembro de 2013


Ficha Técnica Organização e revisão nal Lídia Rodrigues e Brigitte Louchez Elaboração dos textos Lídia Rodrigues e Brigitte Louchez Apoio nanceiro Instituto C&A, Childhood Brasil e Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social do Estado do Ceará Projeto gráco e editoração eletrônica Tatiana Araújo Ilustração Alessandra Guerra Realização Associação Barraca da Amizade, Ecpat Brasil e Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes


Introdução ANA é a sigla de Aliança Nacional de Adolescente, que está criando esta cartilha de auto proteção, a ser utilizada antes, durante e depois da Copa do Mundo, como estratégia para lutar contra a exploração sexual, junto à Campanha ANA presente nas redes sociais desde agosto 2012. O nome da Campanha, ANA, batiza uma personagem que movimenta as ações virtuais. Ela é uma adolescente de 12 anos, estudante de escola pública, moradora de São Lourenço da Mata (município onde foi construído o estádio onde acontecerão os jogos da Copa em Pernambuco). Embora Ana não tenha computador em casa, ela vai se conectar em lan house, e partilha observações, questionamentos e informações, interagindo com os adolescentes de todo o Brasil. Vamos deixar ela se apresentar.

3


Olá gente, sou Ana! Tenho 12 anos, gosto de ler, escrever, jogar futebol, conversar com as minhas amigas, assistir televisão, ficar na internet, escutar musica, ah, tem um montão de coisa que eu gosto de fazer, mas com o tempo vocês vão me conhecer melhor.

Moro com meu pai, minha mãe e minha irmãzinha, nossa casa é pequena, mas gosto muito mesmo. Moro aqui desde que nasci e conheço todo mundo. Aqui perto tem um campinho onde no final da tarde organizamos um montão de brincadeiras, minha família também mora toda aqui pertinho.

Eu estudo em uma escola que não é tão pertinho da minha casa, mas que eu gosto muito, apesar de muitas coisas não funcionarem muito bem lá, mas eu e minhas amigas também não deixamos por isso mesmo, mas depois falamos mais sobre isso.

4


Estou escrevendo um blog porque eu sempre quis um espaço pra dizer o que penso, sabe, eu penso muitas coisas sobre o que acontece na minha vida e na vida de algumas pessoas que eu conheço, coisas que acho que nem sempre estão certas. E eu acho que temos que falar porque senão fica tudo na mesma, e agora, tenho visto muitas coisas acontecendo perto da minha casa e não sei se todo mundo fica sabendo.

Esse também é um dos motivos de escrever meu blog, descobri que escrevendo todos da minha cidade podem ler, e também do mundo inteiro, não é legal? Eu acho isso demais, gente que eu nem sonho em conhecer, mas que vão poder me ajudar nas muitas duvidas que eu tenho. E por falar em duvida, nem sei se falei...

É que o meu município é um dos lugares que vai ter jogos da copa do mundo. No começo achei ótimo já que eu adoro futebol, mas agora pelo que tenho visto nem sequer vou poder assistir um jogo no estádio.

5


Agora me toquei também, que nós, crianças e adolescentes, vamos ficar em perigo durante esta Copa do Mundo, pois com todas as pessoas vindo assistir ao jogo, gente de todo jeito, que ninguém sabe como vão se comportar, mas enfim, poderemos conversar sobre isso no meu blog.

Espero que todos gostem dele e deste guia e me ajudem a construir e também a tirar minhas dúvidas e possam ser também meus amigos, ah, já ia me esquecendo! É que agora eu também tenho facebook e twitter para gente poder conversar por lá, e claro como eu também adoro fazer amizades se você tiver face ou twitter é só me adicionar.

Ta aí meus endereços: Twitter: @falaana Facebook: Campanha ANA Blog: anamovimento.blogspot.com.br)

Ufa é isso!

6


A exploração sexual de crianças e adolescentes para ns comerciais, como o tráco de crianças e adolescentes, a prostituição de crianças e adolescentes, o turismo sexual e a pornograa envolvendo crianças e adolescentes acontecem no mundo inteiro.

Conra alguns números

O UNICEF estima que no mundo existam 150 milhões de meninas e 73 milhões de meninos que sofreram pelo menos uma das formas de violência sexual.

 Estima-se que a exploração sexual atinge 1,8 milhão de jovens no planeta

a cada ano;  No Brasil, a exploração sexual infantil foi verificada em 930 municípios;  O Nordeste lidera essas estatísticas, com 292 municípios;  O Pernambuco é o estado campeão, com 70 municípios;  A exploração sexual infantil gera, por ano, entre US$ 7 a 13 bilhões;  Com esse valor seria possível garantir o acesso de todas as crianças do

mundo à educação primária. Fontes: Save The Children Suécia / Fórum Internacional sobre Exploração Sexual Infantil

7


A Copa do Mundo da FIFA é um dos maiores eventos do planeta. A disputa entre as melhores seleções nacionais de futebol mobiliza bilhões de pessoas em todo o mundo, das mais variadas culturas e crenças. Provoca paixões e emoções, une povos, gera empregos e renda, ajudando a promover o desenvolvimento econômico do Paíssede. Mas quais serão os benefícios que a Copa do Mundo deixará para o Brasil e o seu povo? O Mundial realmente terá condições de promover melhorias em áreas como infraestrutura, turismo, criação de emprego e renda e promoção da imagem do País em escala global? É nesse cenário que entram as preocupações com a garantia dos direitos humanos e a proteção de crianças e adolescentes. Ao mesmo tempo em que um evento desse porte representa grandes oportunidades de desenvolvimento, ele pode agravar situações de vulnerabilidade entre crianças e adolescentes, caso não sejam tomadas medidas importantes no sentido de incluir socialmente esses meninos e meninas, prevenindo e enfrentando problemas como a exploração sexual.

8


Cidades sede da copa das confederações

Gente, como vocês devem saber, aconteceram os jogos da Copa das Confederações, que é uma especie de treino para a Copa do Mundo, e os jogos aconteceram em seis das doze cidades sedes.

O negócio foi bem complicado!

No período aconteceram as manifestações de rua, e uma das principais questões levantadas nas ruas, foi o imenso investimento público na copa enquanto as políticas básicas para atender a população local estão tão defasadas.

9


O problema foi que a polícia reagiu violentamente e muitas pessoas ficaram feridas, pra muitos, isso mostrou como a democracia que vivemos ainda é frágil.

Que tal pesquisar mais sobre esse assunto que marcou a história do nosso país?

Abraços e continuamos nos falando.

10


Ameaça de remoção Oi gente, tudo bem com vocês?

Comigo tá mais ou menos. Hoje eu escrevo com duas notícias, uma boa e outra ruim. Vou contar logo a ruim pra depois amaciar com a boa, poder ser?

É o seguinte, como vocês sabem, eu moro próximo à arena da Copa (estádio de futebol) que está sendo construída aqui em São Lourenço da Mata.

No começo ficamos super felizes com o projeto, porque veio um pessoal do governo e explicou que teria um monte de benefícios pra gente, tipo empregos, valorização dos terrenos e tal.

11


Nesse período, também não tinham muitas remoções das casas no projeto.

Acontece que entrou no projeto uma rodovia e estão inventando de botar ela bem pertinho da minha casa, e já vieram aqui em casa com um balde de tinta e marcaram.

A líder comunitária, dona Franscisquinha, disse que eles fazem isso nas casas que vão remover e está iniciando um movimento pra

Sabe o que é?

gente se organizar e isso não acontecer.

Embora eles deem outra casa pra gente, ela pode ficar muito distante, além de que não vai todo mundo, a gente mora aqui desde que minha mãe era mocinha e veio do interior.

A família toda mora perto e é aqui que eu tenho minhas amigas, minha escola, sei lá, minha história.

12


É como se quisessem tirar uma parte de mim, entendem?

Não sei mesmo o que fazer e não acho isso justo, mesmo porque da

Veio aqui uma

tal avenida tem uma

galera de uns

distância pra minha casa.

movimentos da universidade e explicaram que o governo quer fazer isso pra limpar

Fiquei muito revoltada

pobres de perto da

porque isso faz sentido,

copa.

mas não vamos deixar isso passar batido.

Vamos fazer barulho e não vamos sair da nossa casa! Torçam por nós e nos ajudem nessa mobilização.

Enfim, a boa noticia como eu prometi, é que foi lançado um concurso literário que minha escola vai participar, eu quero escrever já que é uma coisa que adoro e de quebra, o prêmio do primeiro lugar é um computador.

13


Se eu ganhar vai ser muito, muito bom pra mim, já que eu só escrevo aqui na escola e na lan house e, às vezes, fica muito difícil.

Além dos trabalhos da escola, que sempre é muito ruim fazer, porque ou o laboratório tá lotado ou tenho que pagar lan house.

Como eu estou passando por essa dificuldade na minha vida, pensei em escrever sobre isso, o que acham?

Me deem ideias gente, estou precisando mesmo ficar mais feliz, torçam muito por mim.

14


O que é auto proteção? Um comportamento de autoproteção é, no dia a dia, tomar uma série de atitudes que visam a sua segurança. São medidas simples, que, em seu conjunto, geram uma cena que diculta a ação de agressores. É com o objetivo de fortalecer a cultura preventiva de enfrentamento à exploração sexual que encaminhamos este guia, no qual são apresentadas algumas atitudes de segurança para situações que podem acontecer no cotidiano.

O que é cidadania?

A cidadania deve ser exercida no dia a dia, nas relações com as outras pessoas e com o ambiente. Ela está presente nas atitudes em relação aos amigos, à família, aos professores, e, da mesma forma, nas ações destas pessoas para com o jovem. Ações simples de cidadania:  Não jogar papel no chão;  Não destruir os telefones

públicos;  Não furar las;  Respeitar as pessoas;  Ser cordial Falar em cidadania é falar em direitos. A partir da Constituição Federal e do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), crianças e adolescentes devem ser consideradas sujeitos de direitos. Mas, não é só. Além dos direitos fundamentais garantidos a toda pessoa, as crianças, adolescentes e jovens têm direitos especiais por serem pessoas em desenvolvimento.

A cidadania é uma palavra que signica que as regras sociais são igualitárias para todo mundo. Como cidadãos e cidadãs, todos têm os mesmos direitos, baseados em princípios de igualdade e justiça social.

15


A cidadania do adolescente, portanto, possui desaos próprios. De fato, é preciso superar a visão comum em nossa sociedade de que pela idade, criança e adolescente são cidadãos pela metade. Ser cidadão durante a juventude não é apenas obedecer às leis e ter seus direitos respeitados, mas também preparar-se para a cidadania em um sentido mais amplo no futuro.

16


Sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) Alguns direitos previstos no ECA:  Direito à proteção à vida com     

Para exercer seus direitos, nós adolescentes precisamos desenvolver 07 competências.

prioridade e sem discriminação; Direito à saúde; Direito à educação; Direito à convivência familiar e comunitária; Direito à prossionalização e respeito ao trabalho; Direito à liberdade, respeito e dignidade.

1 2

Provocar mudanças – fazer evoluir os modelos para lidar com a diversidade;

Organizar e dirigir a própria história;

17


3 4 5 6 7

Administrar a própria formação e enriquecimento contínuo; Administrar a própria vida com base em valores positivos;

Vivenciar e superar conflitos éticos;

Ter compromisso com a própria aprendizagem e a dos que o cercam;

Aprender e ensinar a convivência.

18


Os adolescentes do Brasil, ao contrário de muitos adolescentes no mundo, conquistaram o direito de votar. Após completar 16 anos de idade, o adolescente brasileiro pode solicitar seu título de eleitor na Justiça eleitoral, que lhe garantirá participação na escolha dos governantes e parlamentares do nosso país. Aí uma boa ocasião de exercer sua cidadania.

O Conselho de Direito da Criança e do Adolescente é um espaço de participação da sociedade para construir, elaborar e propor políticas públicas de atendimento à criança e adolescente.

O Conselho Tutelar é o órgão responsável pela garantia de cumprimento dos seus direitos. Se uma criança sofreu algum tipo de violência, a família pode proc urar o Conselho Tutelar de sua região e denuncia r o ocorrido para um conselheiro que tomará as devidas providências.

19


O direito a ser diferente e a diversidade sexual

Os direitos garantidos pela Constituição, a cada cidadão e os direitos garantidos pelo ECA a cada criança e adolescente, incluem o direito a ser diferente. O respeito à diferença é um principio fundamental em nossa democracia. Já que todos nós de alguma forma somos diferentes um dos outros. Somos pessoas únicas. A sociedade é feita por uma diversidade de pessoas, cada uma com suas características, anidades e diferenças. E para a sociedade funcionar, é preciso haver respeito a estas diferenças. Podemos chamar de diversidade humana todas estas diferenças existentes entre as pessoas: cor da pele, cabelo, forma de falar, de se vestir, etc... Os adolescentes têm suas próprias características e têm o direito de ser diferentes e suas diferenças devem ser respeitadas. “toda criança e adolescente tem direito ao respeito e à dignidade como pessoa humana” – art. 15 do ECA. Neste respeito à diferença, todas as pessoas têm direitos sexuais e reprodutivos. O que inclui entre outros o direito de ser livre para poder desfrutar e controlar sua vida sexual e reprodutiva e o direito de ser respeitado pelos outros nesta escolha.

20


A sexualidade faz parte de todos nós, desde quando nascemos até quando nós tornamos mais velho. Assim ela está presente na vida de cada um e se manifesta entre outras formas, na maneira como curtimos a vida, percebemos os sentimentos, demonstramos e recebemos os afetos e, inclusive, praticamos sexo. Como todas as pessoas, os (as) adolescentes também têm o direito de, com responsabilidade, escolher com quem, quando e como vão se relacionar, respeitando sempre o seu momento, seus valores morais e religiosos, seus desejos e o bem estar com o próprio corpo.

21


Diversidade Sexual

Diversidade Sexual é o termo usado para falar das várias formas de expressão da sexualidade humana. O anteprojeto do Estatuto da Diversidade Sexual, no seu artigo 1º, destaca as seguintes ações para garantir o direito à diversidade sexual: promover a inclusão de todos, combater a discriminação e a intolerância por orientação sexual ou identidade de gênero e criminalizar a homofobia, de modo a garantir a efetivação da igualdade de oportunidades, a defesa dos direitos individuais, coletivos e difusos. No seu artigo 2º, ele estipula - É reconhecida igual dignidade jurídica a heterossexuais, homossexuais, lésbicas, bissexuais, transexuais, travestis, transgêneros, intersexuais, individualmente, em comunhão e nas relações sociais, respeitadas as diferentes formas de conduzirem suas vidas, de acordo com sua orientação sexual ou identidade de gênero. Isso signica que nenhum adolescente pode ser discriminado, ou vítima de preconceito por causa de sua orientação na expressão de sua sexualidade. Preconceito é uma ideia errada ou estabelecida por uma pessoa, ou por um grupo, diante de algo que não conhece ou entende bem.

22


O preconceito leva a atitudes de discriminação e de violência. Isto fere o direito a ser diferente e a ser respeitado na sua diferença. Os adolescentes de orientação sexual diferente da heterossexual têm também o direito a ser diferente e a ser respeitado. Isso é garantido pela Constituição, pelo ECA. Não respeitar este direito é também uma forma de violência sexual.

23


A Violência Sexual

É toda violação aos direitos sexuais de uma pessoa. Habitualmente se manifesta através de ato ou jogo sexual, hetero ou homossexual, onde o agressor está em estágio de desenvolvimento mais adiantado do que a criança ou o adolescente, portanto sempre tem a ver com o uso das relações de poder. Tais práticas eróticas ou sexuais são impostas pela violência física, por ameaças ou por indução da vontade. De acordo com o Código Penal Brasileiro (art. 224), a violência é sempre presumida, ou seja, é considerada violência, mesmo com o consentimento, em menores de 14 anos, decientes mentais ou quando a pessoa não pode, por qualquer outro motivo, oferecer resistência. A violência sexual pode apresentar várias formas, com ou sem contato físico entre a criança ou o adolescente e o aliciador.    

   

Os toques sexuais (beijos, carícias); O incesto (dentro da família); O estupro; Realizar ou assistir a imagens pornográcas colocando crianças ou adolescentes em cena; A exploração sexual comercial de crianças e adolescentes; O voyeurismo; O exibicionismo; Outros.

24


Como se trata de problema que é, muitas vezes, silenciado e negado por todos aqueles que estão direta ou indiretamente envolvidos, os prossionais da educação e da saúde assumem um papel importante na detecção e noticação dos casos de violência ou de suspeita desta. Nos primeiros estágios da agressão, nem sempre é fácil reconhecer as características da violência, pois o agressor pode se utilizar, inicialmente, de táticas de coerção, abuso emocional e psicológico para controlar a pessoa abusada. Muitas vezes, o controle sobre a criança e o adolescente se dá com a desculpa de boas intenções, de carinho ou como meio de educação. Este é um aspecto que pode tornar muito sutil o limite entre o que é ou não violência. A ruptura dos vínculos familiares, muito comum neste século, faz com que a segurança e o bem-estar físico e emocional dos lhos não seja mais a prioridade dos pais ou responsáveis. Nessa situação, crianças e adolescentes passam a representar um peso, um fardo a carregar e isso pode ser demonstrado nas mais variadas formas de violência.

25


É bastante comum que o próprio agressor, na sua infância, tenha sofrido o mesmo tipo de violência que impõe à criança e ao adolescente, pois esta é a maneira de se relacionar aprendida e, por isso, reproduzida. Desta forma, cria-se um círculo vicioso onde, possivelmente, a criança e o adolescente poderão reproduzir o mesmo comportamento na idade adulta, assim como ocorreu com o adulto que o violentou.

A violência sexual pode ser dividida em duas formas que são abuso sexual e exploração sexual

O que é abuso sexual? Por abuso sexual, se entende a violência sexual contra uma criança ou adolescente, onde alguém usa da relação de poder para obter satisfação sexual. Ela pode ser mediada pela violência física, por ameaças ou mesmo

pela sedução e manipulação dos afetos. O abuso sexual pode aparecer de diferentes formas: exibicionismo, carícias, práticas sexuais bucais, sodomia, penetração e pornograa. Em 85 % dos casos, a vítima conhece o agressor, parente, amigo da família ou vizinho. Em 40 % dos casos, o agressor é o pai ou o responsável paterno. Apenas 3% dos agressores são mulheres. Em 88 % dos casos, a criança é vítima de abusos sexuais repetidos. O agressor consegue convencer a criança a manter segredo e a situação pode perdurar muito tempo.

26


O que é exploração sexual?

veiculados por meios convencionais ou pela internet. Para a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a exploração sexual é uma das piores formas de trabalho infantil.

A comercialização do corpo de crianças e adolescentes é chamada de exploração sexual infantil. Esse tipo de violência, que tem como objetivo principal a obtenção de lucro, também ocorre quando materiais como fotos, vídeos, lmes, pornográcos ou não, são

Na exploração sexual, a violação sexual acontece em troca de dinheiro, presentes ou favores. Em alguns casos essa recompensa é negociada diretamente com a criança ou o adolescente, mas podem existir outras pessoas que lucram com essa violência.

27


Gente...Não sei se vocês gostam de assistir novela, mas, eu gosto, e queria hoje falar com vocês sobre uma coisa que tá rolando na novela, mas que não é só faz de conta, acontece de verdade todo dia e mais do que agente pensa!

Sabem a Jéssica da "Salve Jorge”! Pois é, aquela situação que ela tá passando – Trafico para fins de exploração sexual- é uma situação que acontece muito.

No relatório da ONU Globalização do Crime (2010), o Brasil aparece como o maior fornecedor de escravas sexuais da América Latina.

28


Vi isso numa reportagem e achei muito importante falar pra vocês...

tenho ouvido muita gente dizer que é coisa de novela e tal, mas eu mesma já ouvi a história de muitas meninas, da minha cidade mesmo, que vão pro exterior ou até pra outras cidades do Brasil, com um sonho de ganhar dinheiro ou de casar e acabam numa situação dessas.

Aí tive uma ideia: Dar algumas dicas pra quem tá afim de viajar e trabalhar em outro lugar e vai de qualquer jeito mesmo, porque agente sabe que às vezes ficar não é uma opção né!

Eu mesma conheci uma menina uma vez que a

.....e ela não tinha mais

família toda tinha ido

a menor condição de

embora.....

se sustentar.

29


....ela era amiga duma tia minha, aí ela tava falando de ir pra São Paulo trabalhar numa empresa à convite de um conhecido, mas numa dessas, vai saber o que pode acontecer, né mesmo?

Claro, que se tratando de adolescentes (como eu e muitos de vocês), eles não devem mesmo ir, a menos que seja com a família ou algo mais certo, mas se tem mais de 18 anos e vai viajar acho que algumas sugestões interessantes são:

- Antes de viajar pegue todas as informações, de repente uma pesquisa na internet sobre a empresa ou pessoa que lhe convidou pra saber se o convite é certo ou não, sabendo que mesmo assim pode ser que você ainda seja enganada;

- Peça contatos, endereços e referências e deixe com alguém de confiança que não vai viajar, tipo, você pode fazer um acordo de se não mandar noticias em algum tempo a pessoa procurar a policia federal;

30


- Leve todos os contatos de embaixada e consulado se for para o exterior;

- Não entregue os seus documentos pra

- Não viagem para o

ninguém;

exterior sem saber ao menos pedir ajuda na língua do país;

- Se certifique de viajar apenas em condições legais, pra não ficar na dependência dos traficantes, para isso consulte a lei de visto do país;

Gente devem ter mais coisas, quem tiver mais uma dica pra quem tiver numa situação dessas comenta aí...

E vamos jogar no mundo essa informação pra tentar impedir que mais pessoas passem por essa situação que deve ser o O.

31


Consequências

Além das possíveis sequelas físicas e até, em casos extremos, da morte da criança ou adolescente, esse tipo de violência também pode levar a sérias consequências psicológicas e sociais. Nesse período da vida, a pessoa encontra-se em fase de formação de personalidade e de entendimento do sentido de família e proteção; espelha-se nos modelos adultos que lhe são oferecidos e organiza os conceitos morais que carregará para o resto da vida. A violência sofrida durante a infância e adolescência, pode desestruturar a base de formação física e psíquica da pessoa e toda a valorização de si mesma e dos outros, além de comprometer a formação da afetividade, personalidade e de valores. São marcas profundas que podem modicar seu modo de encarar o adulto e o mundo que ele representa. Os valores de família, amor, carinho e proteção podem ser distorcidos, gerando a destruição de importantes valores sociais. Para a sociedade, o resultado do rompimento de vínculos e desestruturação familiar pode reetir na progressão da violência de maneira global, onde o respeito ao ser humano e a valorização da vida deixam de existir.

32


Como se proteger

Uma criança ou um adolescente que passa por este tipo de violência não deve car calado e nem se sentir culpado pela violência que sofreu. Ser protegido é um direito. Então é importante saber que existem instituições e pessoas que podem mudar essa situação e ajudar a superar com mais facilidade a violência sofrida. Todas as violências sexuais são crimes e devem ser punidas e as vítimas devem ter seus direitos garantidos. Para isso é importante falar sobre essa questão e pedir ajuda a alguém de conança. A criança ou o adolescente confrontado com este problema deve saber o que fazer. A educação sexual deve ser encarada como uma das medidas de proteção. Saber com clareza o que é a sexualidade, o ato sexual, as diversas orientações sexuais, é um passo para que a criança e o adolescente possam estabelecer e manter os limites. Obter informações é o inicio do caminho para desenvolver a auto proteção. Por este motivo esta guia explicou anteriormente o signicado de cidadania, direitos, violência sexual, abuso e exploração.

33


O adolescente deve ter clareza na sua percepção em relação a possíveis violências e para isso precisa saber: 1. Que seu corpo lhe pertence e

que só ele sabe o que sente; 2. Que ele será ouvido e

acreditado quando expressar suas emoções; 3. Que existe um vocabulário fácil

de usar para demonstrar o que sente.

Dicas de auto proteção

“Sou responsável pelo meu bem estar e pela minha saúde” Cada um tem o poder de velar pela sua própria proteção. Este poder deve dar conança e segurança em si mesmo, para que o adolescente possa tomar suas próprias decisões. Cada um é dono de seu próprio corpo e único juiz de seus sentimentos. Existem algumas partes do corpo que são particulares, que nem tudo mundo pode tocar, olhar ou mostrar. O bem estar físico é um direito fundamental e ninguém pode agredir o outro de qualquer maneira. “Eu devo entender a situação e saber agir para assegurar minha própria proteção.”

34


Para cuidar da sua proteção, o adolescente deve ser capaz de identicar os atos que podem o colocar em riscos e as atitudes que podem ser usadas para se proteger dentro de uma situação problemática. Saber identicar seus sentimentos e agir em função deles é um elemento importante de autoproteção. O adolescente deve ter a capacidade de identicar se um ato vindo de outra pessoa é agradável ou desagradável para ele, de conar nestes sentimentos e de dizer não de maneira rme quando o sentimento gerado é desagradável.

35


Se alguém olhar ou tocar seu corpo e você se sentir desconfortável com isso, se afaste dessa pessoa e conte tudo a alguém de sua conança.

Se alguém tentar mostrar partes de seu corpo para você ou lhe zer presenciar contato corporal entre duas pessoas que faça com que você que com vergonha, medo ou desconforto, não que perto dessa pessoa.

Ninguém deve dar e nem recebe r qualquer tipo de carinho em troca de presentes , dinheiro ou favores. Não deixe ninguém fotografar ou lmar você sem roupas ou fazendo poses sensua is.

36


Não aceite se alguém quiser mostrar a você fotos ou lmes com cenas de sexo ou de pessoas exibindo as partes mais íntimas do corpo.

que Tenha sempre cuidado com as fotograas da ntos você posta nos sites de relacioname lares internet e nunca mostre as partes particu . e íntimas do corpo através da webcam

Eu devo dominar minha expressão e atitude corporal

A maneira que seu corpo se move demonstra seus sentimentos. É chamado de linguagem não verbal. A atitude do corpo ajuda a expressar de maneira clara seus sentimentos e com esta clareza de expressão o adolescente corre menos riscos de ser agredido ou aliciado. A atitude corporal pode dizer “Não” às vezes muito mais claramente do que a simples palavra, ou reforçar o sentido da palavra. Muitas vezes, por falta de conhecimento e por causa de ingenuidade, o adolescente pode demonstrar uma atitude corporal que gera confusão. Porém, a culpa de uma eventual má interpretação não é dele, mas sim do adulto que demonstra má fé.

37


EXPRESSÃO CORPORAL Posição Expressão do rosto Olhos Cabeça Mãos dos lados Palavras Tom da voz Volume Repetição

NÃO! CLARO

SIM! CLARO

Ereta Séria Olhos nos olhos Movimento negativo Imóveis e rigidas Não! Duro e baixo Voz forte Não!

Ereta Sorrindo Olhos nos olhos Movimento afirmativo Abertas Sim! Manso e claro Voz forte Sim!

Ande sempre com algum documento de identicação; Evite estar sozinho em lugares escuros e perigosos;

Não aceite dinheiro, presentes ou favores de estranhos; Nunca aceite convite ou carona de pessoas desconhecidas;

Não aceite bebidas alcoólica s ou outros tipos de drogas.

38


Eu devo identicar pessoas de referência

Como já foi visto, uma vítima de violência sexual não pode car calada. A criança ou o adolescente deve saber a quem se dirigir para conversar, receber apoio e denunciar. Os amigos, a família, os professores, os prossionais de saúde, mas também o conselheiro tutelar ou o técnico do CRAS são possíveis pessoas que podem escutar o adolescente. Em todo o Brasil existe um serviço de denuncia de violência sexual contra criança e adolescente implantado pela Secretaria de Direitos Humanos. É o DISQUE 100.

Sempre que for sair de casa, avise a alguém aonde vai e com quem estará; Apresente seus amigos ou amigas a sua família; Caso algo lhe incomode, procure uma pessoa para conversar a respeito.

39


Proteção no mundo virtual

O abuso sexual não é uma ameaça presente apenas no mundo real das crianças e adolescentes. Na internet, é cada vez mais frequente a utilização do meio virtual para a difusão de crimes sexuais envolvendo o público infanto-juvenil. Existem algumas dicas simples para se proteger no mundo virtual e nas redes sociais:  Sempre relatar atividades suspeitas

ou material indevido recebido;  Saber utilizar as dicas de

segurança das redes sociais;  Nunca divulgar dados pessoais na    

Internet; Utilizar apelidos, prática comum no meio; Cuidado com as fotos postadas; Conhecer os amigos virtuais; Não marcar encontros com pessoas conhecidas através da internet, sem referência. Caso haja o encontro, marque em local público e vá acompanhado.

40


Infestação virtual na escola

Gente, hoje eu tô escrevendo para falar de coisa que aconteceu e me deixou muito passada.

Seguinte, tenho uma amiga que estuda na mesma escola que eu e que pegou um vírus na internet no e-mail dela. Pelo que ela falou, foi numa lan house.

41


E ela só descobriu porque o vírus mandava altos e-mails do e-mail dela pedindo pra galera baixar fotos de uma festa, tipo assim: “Olha aí as fotos que bati naquela festa! Ficaram muito legais.”

Aí todo mundo da escola naquela curiosidade de ver as fotos foi lá no email e clicou no link que dizia que era para baixar as fotos. Resultado: Infestação geral.

Isso me deixou meio assustada, mas tão curiosa que fui dar uma pesquisadinha na internet sobre como ter mais segurança, porque ouvi falar que alguns desses vírus capturam tudo que você faz no PC. Imagine aí que transtorno pra vida não é?

42


Encontrei uma página de uma organização chamada Safernet e eles dão dicas de segurança bem interessantes pra se proteger também no espaço virtual, como não divulgar senhas, nomes completos, endereços, nem fotos íntimas.

Não gravar as senhas nos computadores mesmo os de uso pessoal, tomar cuidado para baixar arquivos, etc.

Não vou contar tudo, mas recomendo uma visita na pagina. Precisamos de informações que nos ajudem a nos cuidar não é mesmo?

43


Mudanças de comportamento nos seus amigos

No contexto de hoje, onde os índices de exploração sexual de crianças e adolescentes estão em constante aumento, e onde os riscos aumentam nas cidades onde irão acontecer os jogos da Copa, os amigos devem car atentos a eventuais mudanças de comportamento de um deles. A criança ou o adolescente agredido nem sempre é capaz de falar o que aconteceu. Porém alguns sinais podem assinalar aos próximos que algo aconteceu, e assim iniciar a corrente de ajuda.  A criança ou o adolescente pode

     

não querer mais ir a alguns locais que frequentava antes; Pode ter sintomas de uma doença sexualmente transmissível; Pode ter o sono perturbado, insônias, etc...; Pode procurar a solidão; Pode desenvolver fobias, medos irracionais; Pode perder ou apetite ou ao contrario apresentar bulimia; Pode não querer mais voltar para sua casa, ou querer fugir.

Estes comportamentos indicam uma perturbação. A causa pode ser outra, mas, é sempre melhor conferir a possibilidade de abuso sexual.

44


Como lidar com os romances? Então gente.....

aconteceu um daqueles babados!!

É cada uma, mas vou escrever sem colocar os nomes, porque

Inclusive, vi umas dicas

não quero entregar ninguém

que dizem que é melhor

(muito menos eu mesma, rs!).

tomar cuidado com as informações pras coisas não fugirem do nosso controle...

Mas bem, não vou mais deixar vocês ansiosos, vou dizer qual é o primeiro babado....

Acho que estou apaixonada (rs), é um menino da escola (claro que não vou dizer o nome, mesmo porque nem ele sabe), e como não sei o que fazer não vou dizer não, estou morrendo de vergonha e fico toda babaca quando vejo ele.

45


Não consigo falar com ele e acho que as vezes até fico implicando ou, sei lá,

Acho que tenho medo que alguém desconfie. Mas não sei o que fazer também, e acho que sou muito nova, não sei, ele é mais ou menos da minha idade, acho que não teria problema. O que vocês acham, hein?

Pensei em mandar um bilhete sem assinar vocês acham uma boa ideia? Por favor, gente, me ajuda que eu tô aperreadinha...

O segundo babado é um pouco mais grave e eu acho até perigoso.

Seguinte......

46


Tenho uma amiga, ela tem 13 anos e mora na minha cidade.

Há uns três dias um dos homens da obra (ele tá trabalhando lá nos acabamentos da construção da arena) começou a chegar junto dela, dar presentinhos, diz que ela é linda, manda poesia, todo romântico.

O pior é que ela tá caidinha por ele, ele tem uns 28 anos por aí... Prometeu casar e um monte de coisas desse tipo, mas ele quer por que quer uma prova de amor.

Adivinhem qual é a bendita prova de amor? Sexo.

Eu disse pra ela ter cuidado, mas acho que ela tá caidinha por ele.

47


Aí, eu mexendo na internet descobri que relações com menores de 14 anos é crime de qualquer jeito, chamam estupro por presunção de violência, que significa que mesmo que a pessoa queira fazer sexo, a lei diz que quando tem menos de 14 não pode decidir por isso então o maior é o responsável.

Enfim, eu tenho dito pra ela: - Procura alguém mais da tua idade, e coisa e tal... Mas, vocês sabem como é quando a pessoa se apaixona, né?

E agora eu tô desorientada sem saber o que fazer pra ajudar... Vocês tem alguma dica?

48


Conclusão Como em muitos casos, a prevenção é sempre mais fácil e ecaz do que o tratamento. No caso de violência sexual, a prevenção passa pelo conhecimento. Saber o que é exatamente, como se defender, poder se defender sozinho, conhecer seu corpo, seus limites, sua vontade, conhecer seus direitos, não ter medo de partilhar problemas e angustia, são instrumentos para evitar se tornar uma vítima. Nesta guia, procuramos compartilhar o máximo de informações possíveis, de maneira simples e acessível. Porém existem serviços de referência no Brasil aos quais podem ter acesso em caso de dúvida ou violação, tais como: Conselho Tutelar, Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Posto de Saúde, Delegacia Especializada da Criança e do Adolescente, dentre outros.

49


Bibliografia Constituição Federal de 1988; Estatuto da Criança e do Adolescente; Estatuto da Diversidade Sexual; Plano nacional de Enfrentamento à exploração sexual de Crianças e Adolescentes; http://www.promenino.org.br PROJETO COPA DO MUNDO DE 2014 CHILDHOOD BRASIL - PREVENÇÃO E ENFRENTAMENTO À EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO CONTEXTO DO MUNDIAL - Relatório realizado entre maio e agosto de 2012; WWSF preventionGuide - 2009; MANUEL DE FORMATION SUR LA LUTTE CONTRE LA TRAITE DES ENFANTS À DES FINS D'EXPLOITATION DE LEUR TRAVAIL, SEXUELLE OU AUTRES FORMES – bureau internacional Du travail – UNICEF – 2009;

50


Descrição de um processo terapêutico em grupo para adolescentes vítimas de abuso sexual; Maria da Graça Saldanha Padilha Universidade Tuiuti do Paraná Paula Inês Cunha Gomide Universidade Federal do Paran; AMANE – Association Meilleur Avenir pour Nos Enfants; MON CORPS, C'EST MON CORPS Guide familial - Un programme de lms destinés à prémunir l'enfant contre les abus sexuels - Une production de l'Ofce national du lm du Canada, Studio de vancouver; Caderno de Violência Doméstica e Sexual Contra Crianças e Adolescentes - CODEPPS/SMS; Adolescência, identidade e cidadania by ariadnemonitoria.

51


Contatos úteis Por telefone: Disque 100 (discagem gratuita em todo o território nacional) Sistema Nacional de Combate à Exploração Sexual Infanto - Juvenil Ministério da Justiça - Secretaria dos Direitos Humanos. Pela internet: Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos - SaferNet www.denunciar.org.br Campanha Nacional de Combate à Pedolia na Internet www.censura.com.br Departamento de Polícia Federal www.dpf.gov.br E-mail para denúncias: dcs@dpf.gov.br Centro de Defesa da Criança e do Adolescente - CEDECA/CE http://www.cedeca.org.br/denuncie.php

52


Realização

Brasil

Apoio


Conexão ana guia de autoproteção