Page 1

FÉRIAS Por Rosana França Educadora Social/Assistente Social / Equipe Campanha ANA

Em fim, nossas férias chegaram. No mês de janeiro já é de lei que crianças e adolescentes estão de férias. Todas as escolas a partir da organização do calendário escolar estão de férias neste período e é só curtição. Embora para alguns as férias iniciam com um pouco de tristeza, pois nem todo mundo consegue ser apr ovado no calendário acadêmico, outras terão que mudar de turma, outras mudam de escolas, outras finalmente concluíram o ensino médio. É nesse período que muitas coisas legais acontecem; Viagem de férias, cinema com mais frequência, dormir até tarde, dormir na casa das amigas e amigos, praia, visita à família, consulta ao dentista para tratamentos mais prolongado... Um monte de coisas que em período de aula não dá para fazer, para não prejudicar os estudos. Mas nem tudo é tão simples assim para todas as crianças e adolescentes. Muitas e muitos no período de férias são obrigados a trabalhar com os pais, em atividades às vezes de risco. Outros são colocados em

ANA

da

Ano III - Nº 34 - Janeiro de 2015

ANA

a d

condições de grande vulnerabilidade, como vendedores ambulantes em praias, avenidas, bares entre outros lugares, que na maioria das vezes se tornam um ambiente perfeito para violação dos direitos sexuais. Muitas crianças e adolescentes são vítimas de violência sexual, por estarem inseridas na exploração do trabalho infantil. Elas ou eles iniciam as atividades vendendo balinhas, objetos e no processo acabam por receberem proposta em dinheiro para exploração do seu corpo. Alguns e algumas são submetidos a isto pelos próprios pais, outros são aliciados pela rede de exploração, oferecendo a realização do sonho de mudança de vida entre outros argumentos em troca do favor sexual. Nas comunidades também acontecem violações desse tipo, muito mais no campo do abuso sexual, muitas vezes praticados por pais, tios, vizinhos, amigos da família, que criam uma suposta relação de amizade com estas crianças e adolescentes, com o intuito de se aproximar e praticar esse crime. Nesse período de férias, têm muita criança e adolescentes que não viajam, não passeiam, não saiem de dentro de casa e muitos abusadores também se aproveitam disso. É importante que durante as férias, mães, pais e demais responsáveis por crianças e adolescentes fiquem atentos às possibilidades de perigo que possam existir, tanto dentro de

Imagem retirada da internet

casa como na rua. Evite deixar seus filhos com pessoas das quais você já suspeita de algo. Procure ficar atento para seu comportamento. Acompanhe os conteúdos acessados nas redes sociais, se comunique com seu filho/a, o/a escute mais e proponha programas legais para que possam relaxar bastante nas férias. E por falar em programas legais, não abram mão de coisas simples, mas que fazem toda a diferença como: assistir um bom filme juntos, ler livros, passear em parques, pegar uma prainha, visitar museus, pontos turísticos entre outras coisas. As maiorias desses programas citados não precisam de recurso para fazer. Mas, acima de tudo não abra mão de trocar ideias com seu/sua filha/o, durante esse período onde vocês estão com mais tempo junto, mesmo sabendo que alguns pais continuam trabalhando enquanto os filhos estão de férias. Proteger é preciso sempre!

1


Fique por DENTRO

“Publicidade infantil em questão no Brasil” Esse foi o tema da redação proposto na edição de 2014 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Como referência, a prova apresentou um texto jornalístico que discute se a publicidade infantil deve ser proibida no Brasil, um infográfico sobre a publicidade para crianças no mundo e além de outro texto sobre a criança como o consumidor do futuro. Isso deixou muito estudantes de calças na mão. E fez com que vários se dessem mal na redação. Pensando nisso, o Projeto Criança e Consumo do Instituto Alana elaborou um Guia para discutir publicidade infantil em sala de aula. Fique por dentro, pois esse é um assunto que vai perdurar.

Giro

DE NOTÍCIAS Cinema e Direitos Humanos: Projeto “Democratizando” chega a mais de 900 pontos de exibição em 2015

“Democratizando”: É uma estratégia criada no âmbito da Mostra Cinema e Direitos Humanos para ampliar e diversificar o público, o número de cidades e os locais de exibição dos filmes, permitindo que as produções audiovisuais possam alcançar parcelas da sociedade que têm pouco ou nenhum acesso à cultura. Trata-se de um circuito itinerante que chegará, por exemplo, a cidades do interior, periferias e em locais onde vivem pessoas em situação de vulnerabilidade social. Na primeira edição, realizada em 2013, o projeto foi exibido em 600 pontos por todo o país. A maior adesão ao projeto ocorreu na região sudeste, onde foram inscritos 385 pontos de exibição em 197 municípios. Em seguida, está o nordeste com 270 instituições participantes em 105 cidades, conforme mapa ao lado.

Acesse: http://zip.net/brqCKL

Leia mais em: http://www.sdh.gov.br/noticias/2015/janeiro/cin ema-e-direitos-humanos-projeto201cdemocratizando201d-chega-a-mais-de-900pontos-de-exibicao-em-2015

Conhecendo a

Rede

ANDI (Agência de Notícias dos Direitos da Infância) - é uma organização da sociedade civil, sem fins de lucro e apartidária, que articula ações inovadoras em mídia para o desenvolvimento. Suas estratégias estão fundamentadas na promoção e no fortalecimento de um diálogo profissional e ético entre as redações(jornais), as faculdades de comunicação e de outros campos do conhecimento, os poderes públicos e as entidades relacionadas à agenda do desenvolvimento sustentável e dos direitos humanos. E vem atuando desde 1990. Já em março de 2000 foi iniciada a Rede ANDI Brasil uma articulação entre organizações não-governamentais (ONGs) com foco na defesa e promoção de direitos

da criança e do adolescente, e atuação na área da comunicação. A Rede ANDI Brasil e ANDI, com base na experiência acumulada tanto no campo dos direitos de crianças e adolescentes como da comunicação, têm se dedicado a buscar uma incidência nas políticas de comunicação com a perspectiva da infância e vice-versa. Sua linha de atuação visa dar uma visão de conjunto a um debate que, em geral, ocorre fragmentado, embora a importância que a mídia e as tecnologias de comunicação e informação assumem hoje na socialização e na educação das crianças. Saiba mais sobre a ANDI acesse: http://www.andi.org.br/

ANA

da

2


Instagram Envie suas fotos para o Boletim da Campanha ANA

da

ANA

Oficinas Campanha ANA para lançamento do Informe de Monitoramento realizada nas cidades de Pecém e Taíba / CE em 11 de dezembro de 2014

Para enviar as fotos é simples. Basta marcar a Campanha ANA nas suas fotos com a frase #ANA_INSTAGRAM com uma pequena legenda que iremos publicar em nossas redes e no Boletim mensal da campanha.

Para seguir o perfil da ANA Acesse: http://instagram.com/anamovimento

s? féria dinha e o s à o i o estã nha rap er vatóri s o m i s o Ob arad te co ireit Gen uma p , com o is de D os ó o dá s e janeir naciona e Direit )? l a t T R r A Que até 31 d es Inte etaria d DH/P e é ECP a n i c u (S cr ir çõ Ofi ribu menda pela Se pública obre o q t n o c s e co h. do e Re s, lança cia da R er mais ser vad r b o s ano residên i conhec a.br/ob m tô m u é p H s da P m va r tici is tamb a é o p b . n a a w am Humk você t DH ww férias m as va lin No o Obser eitando gada! v li apro ô t Eu

ANA

da

3


a

Fica dica Livros

Filmes "Convergente", de Veronica Roth. Diários de Motocicleta Che Guevara (Gael García Bernal) era um jovem estudante de Medicina que, em 1952, decide viajar pela América do Sul com seu amigo Alberto Granado (Rodrigo de la Serna). A viagem é realizada em uma moto, que acaba quebrando após 8 meses. Eles passam a seguir viagem através de caronas e caminhadas, conhecendo novos lugares e pessoas. Em Machu Pichu a dupla conhece uma colônia de leprosos e questiona a validade do progresso econômico da região, que privilegia apenas uma pequena parte da população.

Mandela - A Luta pela Liberdade - James Gregory (Joseph Fiennes) é um típico branco sul-africano, que enxerga os negros como seres inferiores, assim como a maioria da população branca que vivia na África do Sul sob o apartheid dos anos 60. Crescido no interior, ele fala bem o dialeto Xhosa. Exatamente por isso, não é um carcereiro comum: atua, na verdade, como espião do governo com a missão de repassar informações do grupo de Nelson Mandela (Dennis Haysbert) para o serviço de inteligência. Mas a convivência com Mandela cria um forte laço de amizade entre eles e o transforma em um defensor dos direitos negros na África do Sul.

Terceiro livro da série "Divergente", história que se passa em uma Chicago do futuro, onde a sociedade foi dividida em cinco grupos. Cada facção se dedica ao cultivo de uma virtude em especial - a abnegação (altruísmo), a amizade (paz), a audácia (coragem), a franqueza (sinceridade) e a erudição (inteligência). Todas as pessoas, quando chegam aos 16 anos, são submetidas ao grande teste de aptidão, que ajuda a escolherem a facção que melhor corresponde à sua personalidade, e em seguida participam da cerimônia de escolha, onde os jovens devem decidir a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas. Neste último volume, Tris, personagem principal, é colocada diante de novos desafios e mais uma vez é obrigada a fazer escolhas que exigem coragem, fidelidade, sacrifício e amor.

Acompanhe e compartilhe a Campanha ANA em nossas redes sociais

ana.movimento@gmail.com

Realização

Apoio

Brasil

ANA

da

4

Boletim ana edição nº 34 férias  

Férias. Publicidade Infantil, Cinema e direitos humanos, Andi, Dicas de filme, livros

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you