Informativo AMC - Edição 10

Page 1



D

IA MUNDIAL DE COMBATE AO CÂNCER

Dr. José Aurillo Rocha

Presidente da Associação Médica Cearense

Dia 07 de Fevereiro temos mundialmente o dia Mundial de combate ao Cancer. São inúmeras doenças diferentes de comportamento maligno e prognósticos diferentes. O Cancer é um dos principais problemas de saúde publica mundiais atuais; ao lado de doenças cardiológicas e da covid-19. Por ano são quase 10 milhões de mortes pela doença e 20 milhões de diagnósticos novos pelo câncer. No Brasil é a 2a principal causa de morte. Nesse enfrentamento temos as principais estratégias: prevenção de fatores de riscos, diagnósticos precoces e tratamentos adequados. A grande maioria dos canceres serão curáveis se diagnosticados precocemente. Alguns desses canceres não fazem mais sentido nesses tempos atuais; como exemplo o câncer de colo uterino; ainda com incontáveis mortes e hoje totalmente

prevenível. A vacinação das crianças pode erradicar essa doença quando forem adultas. Sim, cura pela adesão a prevenção e vacinação. Medidas simples mudam drasticamente o desfecho da doença e da sociedade. Nesses tempos de pandemia de covid fica mais importante esse alerta para o resgate aos exames preventivos e de rastreamento; uma necessidade de diagnósticos mais precoces e curativos. Isso resulta em avalanche de casos que não foram diagnosticados; represados pela pandemia. Pior ainda; a pandemia trouxe aumento dos fatores de risco: maior obesidade, pior saude mental, menos auto-cuidado; pior acesso aos exames de prevenção; tumores mais avançados que perderam oportunidade de cura e tratamentos. Em 2020, para correlacionar, tivemos uma queda nos números de biópsias e de diagnósticos de câncer em mais de 50% dos valores prévios de 2019. Além dos cuidados de prevenção e seguimento de saúde precoces outros cuidados podem ser alertados: evitar a obesidade, outra pandemia mundial; e o sedentarismo. Importante também o debate de acesso de medicamentos orais ao tratamento oncológico pela saude suplementar

3

I N F O R M AT I V O A M C | E D I Ç ÃO 1 0


observados a lista da ANS- Agencia nacional de saude suplementar. Hoje maioria dos medicamentos contra câncer são orais. A maioria baseados em terapias alvos direcionadas contra câncer. Alguns canceres tem prognósticos restritos e limitados; mas para maioria se detectados precocemente busca-se a cura e aumento de sobrevida. Dispor de opções de melhores tratamentos, com menos efeitos colaterais e de melhor qualidade de vida ao paciente oncológico são essenciais. Os desafios vão o desde diagnósticos, atrasados pela pandemia, e a agilidade dos tratamentos mais efetivos. Entender como os atrasos afetam o prognóstico e sobrevida; e é importante para toda sociedade. Segundo a OMS- Organização Mundial da Saúde, em 2020 tivemos mais de 600 mil casos novos; diagnosticados no Brasil; entre principalmente canceres de próstata, mama, pulmão, colo-retal e tireóide. Os números são frios! O diagnóstico chega como surpresa inicial ; já o enfrentamento e tratamento são desafiadores. Muitas vezes precisamos buscar diagnósticos moleculares genéticos, para definir tratamentos e prognósticos. Acesso e custo são dificuldades reais cotidianas. De modo geral, prevenção é sempre o foco. Mas as vezes é mais fácil tratar do que modificar esses fatores de risco na população. Cultura de dificuldade de auto-cuidado estão piores atualmente. Home office surge como outro fator de sedentarismo. Os níveis de tabagismo voltando a serem preocupantes; e todas mazelas que esses riscos trazem. Tem

sintoma novo, não deixar adiar essa consulta de rastreamento de câncer e outras doenças são fundamentais. Históricos preocupantes são quando há doenças de câncer na família, principalmente em pessoas de idade jovem, além de outros fatores de riscos envolvidos. Não esqueçamos também hoje de lembrar que os pacientes com câncer devem ser vacinados. Nos pacientes oncológicos o Covid-19 tem comportamento de maior risco! Tempo aqui vale realmente ouro. Certamente temos Centros Oncológicos de Excelência pelo pais e em Fortaleza! Trabalho em centro de referência; e claro, maior a responsabilidade profissional! Profissionais valorizados e engajados sempre são diferenciais nessa estratégia de saúde! Claro que temos inúmeras outras carências, mas cada dia uma luta para impactar. Assim, instituições e profissionais certificados podem ter desempenhos importantes nesse momento de combate ao Câncer. Prevenção e hábitos de cuidados de saúde mantem-se prioridade! Fazendo isso, investiremos na melhor estratégia possível: prevenir que um cenário pior aconteça!

4

I N F O R M AT I V O A M C | E D I Ç ÃO 1 0


Aviso importante aos Associados 5

I N F O R M AT I V O A M C | E D I Ç ÃO 1 0


A

SAÚDE SUPLEMENTAR

Dr. Marcos Aragão

Presidente Unimed Fortaleza

Por meio de gestões técnicas e profissionalizadas, a Unimed Fortaleza vem conseguindo bons resultados nos últimos anos, com especial destaque para o enfrentamento da pandemia da Covid-19, quando a cooperativa teve uma atuação de destaque no tratamento dos seus clientes, sendo referência não só no Ceará, mas para outras empresas de todo o país. Atualmente passamos por um momento de arrefecimento da terceira onda da pandemia, e, sem dúvida, teremos impactos importantes de todos os efeitos pós-pandemia. Devemos somar a isso os impactos neste ano pela atualização do rol da ANS e pelo reajuste negativo aplicado pela agência para os planos de pessoa física.

O setor de saúde suplement a r, com to d a s u a complex id a d e e particularidades, precisa ser cada vez melhor compreendido pelos médicos que estejam inseridos neste contexto de desafios, em seus fundamentos, dinâmica própria e na sua regulação extremamente rígida. Apesar de todos os obstáculos, a Unimed Fortaleza possui uma janela Faz-se necessário aos profissionais de oportunidade nunca vista em sua de saúde o entendimento de que a longa história. A cooperativa mantém racionalização dos recursos voltados uma geração de caixa constante, os para os diversos tratamentos médicos indicadores exigidos pela ANS se será fundamental para a sustentabilidade encontram enquadrados e tivemos do setor. A Unimed Fortaleza está resultados operacionais positivos nos inserida neste cenário, sendo impactada últimos anos, com exceção do último diretamente por todos os problemas por conta do forte impacto dos custos estruturais existentes no setor, sejam de da segunda onda da Covid. Associada ordem regulatória ou de toda a cadeia a estes fatores temos uma oportunidade produtiva. de crescimento das nossas carteiras e de

6

I N F O R M AT I V O A M C | E D I Ç ÃO 1 0


melhoria ainda maior da qualidade do atendimento aos nossos clientes, com a finalização da construção do nosso novo hospital.

Fortaleza. Formas como pacotes, diárias globais e semi-globais e DRG já estão em desenvolvimento na nossa cooperativa e serão aprimoradas.

Elencamos abaixo uma série de ações 3. Verticalização que a atual diretoria da Unimed Fortaleza se propõe a realizar nos A nossa rede de parceiros prestadores próximos anos: de serviços é um dos nossos diferenciais competitivos, No entanto, estamos 1. Otimização e redução das despesas prontos para a verticalização de serviços, administrativas em especial daqueles que trazem altos custos e nos quais não conseguimos O s ava nço s t ec nológ ico s e o s negociações viáveis com prestadores. investimentos em tecnologia feitos pela O foco sempre será manter a qualidade Unimed, juntamente com o redesenho dos serviços, com redução de custos, constante dos nossos processos, nos que permitam a sustentabilidade da permitirão rever e aumentar a nossa empresa e a remuneração digna do eficiência, com consequente redução cooperado. considerável das nossas despesas administrativas. 4. For t a leci mento d a est r ut ura patrimonial Focaremos em parcerias já iniciadas com outras Unimeds, em especial no A consolidação da nossa estrutura Nordeste, visando a compartilhamentos de capital é fator preponderante para de serviços e a compras coletivas, o que nos mantermos fortes no mercado em nos possibilitarão aumento de escala e, que atuamos, visão de longo prazo e consequentemente, diminuição dos crescimento sustentável são conquistas custos. que não podem ser esquecidas ou deixadas de lado. Atualmente, o nosso 2 . Modelos de remuneração de segmento de mercado está ficando pr e s t a d o r e s p o r p e r f o r m a nc e , cada vez mais concentrado, com um diferentemente do Fee for Service alto poder de investimento por parte dos nossos concorrentes (medicina de Em especial com os grandes prestadores, grupo e seguradoras). É necessário com os quais temos a maior parte dos que cont i nuemo s for t a lec endo nossos custos, buscaremos modelos de nossa estrutura de patrimônio para pagamento que remunerem a eficiência continuarmos com o nosso ritmo de e tragam previsibilidade para a Unimed investimentos.

7

I N F O R M AT I V O A M C | E D I Ç ÃO 1 0


5. Mercado

aos novos modelos de negócio da Unimed Fortaleza, além de garantir a Criação de novos produtos, que melhoria dos nossos processos internos sejam viáveis, com margem de e da nossa comunicação com todos os lucro garantida, e que se adequem stakeholders. às necessidades dos clientes atuais e futuros, O foco sempre será vender V – Relacionamento com o cooperado bem, ou seja, vender produtos que tragam resultados para a Unimed O aperfeiçoamento de todos os canais Fortaleza. de comunicação com os médicos cooperados contribuirá para que Através da nossa corretora, que tem o associado entenda nosso modelo dado excelentes resultados nos últimos de negócio e cont r ibua para a anos, iremos fomentar a venda de sustentabilidade dele. A realização de produtos opcionais como remoção fóruns e encontros com os cooperados aérea e terrestre, seguros e planos utilizando os novos recursos das odontológicos para nossos clientes e plataformas on-line é um excelente para a população em geral, operação exemplo de como podemos utilizar a essa que traz receitas adicionais sem tecnologia em prol da comunicação. riscos para a Unimed Fortaleza e, consequentemente, para os cooperados. Estas são ações que serão desenvolvidas pela at ual diretor ia da Unimed 6. Governança para garantir a sustentabilidade da cooperativa, como também para trazer Aprimorar o modelo de governança maior retorno para os seus cooperados da Unimed Fortaleza, alinhado com o em forma de honorários e benefícios. que já é praticado por grandes empresas no mercado. É necessário evoluirmos para um desenho organizacional onde se aprimore o respeito e a segregação dos órgãos estatutários, e ainda confira aos mesmos agilidade na tomada de decisões e transparência no gerenciamento dos dados. 7. Tecnologia O c on t í n uo i nve s t i m en t o e m tecnologia contribuirá para dar suporte

8

I N F O R M AT I V O A M C | E D I Ç ÃO 1 0



DIA DO MASTOLOGISTA mutilação das mamas, levando à sua morte no dia cinco de fevereiro de 251. A Mastologia é uma especialidade nova, no ano de 2002 foi reconhecida como tal pela Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina.

Dr. Fernando Melo

Vice-presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia – Reg. Ce

Todos nos sabemos que no dia 18 de outubro é comemorado o dia do médico, esta data foi escolhida não por acaso, mas por ser dia de São Lucas. São reconhecidas mais de cinquenta especialidades médicas, algumas delas têm sua data comemorativa, da mesma forma que São Lucas é o patrono dos médicos, Santa Ágata por ser a protetora das pacientes portadoras de câncer de mama, tem a data de sua festa litúrgica, 05 de fevereiro, cedida para celebrar o dia do mastologista. Santa Agatha viveu na cidade Catânia na Sicilia, sul da Itália, dotada de especial beleza e inteligência, foi por muitos cortejada, por opção religiosa, manteve-se casta, o que não foi aceito por alguns poderosos. Quintianus, um poderoso senador ao ter seu amor recusado por diversas vezes, com apoio do imperador Décio impôs a Agatha humilhante processo condenatório, com tortura física, incluindo

O mastologista tem sua base de formação na ginecologia ou na cirurgia oncológica, tendo como missão o diagnóstico, prevenção, tratamento e seguimento das doenças benignas e malignas da mama. É o líder da equipe interdisciplinar que se dedica ao tratamento do câncer de mama, atuando ao lado do imagenologista, patologista, oncologista clínico, radioterapeuta, médico nuclear, cirurgião plástico, nutricionista, enfermeiro, psicólogo e fisioterapeuta A mamografia ainda é o principal método de imagem para o diagnóstico precoce, bem como o rastreamento do câncer de mama. Dia cinco de fevereiro é dia de Santa Ágata, dia da mamografia e dia do mastologista. Que Santa Ágata proteja nossas pacientes. Que Santa Ágata proteja quem cuida destas pacientes.

10

I N F O R M AT I V O A M C | E D I Ç ÃO 1 0


O maior e o melhor Arraiá ^ dos Doto vem aí 11

I N F O R M AT I V O A M C | E D I Ç ÃO 1 0


A IMPORTÂNCIA DE INCENTIVOS SOCIAIS PARA UMA MELHOR ADESÃO AO TRATAMENTO DE DOENÇAS: UMA REALIDADE CONHECIDA NA PRÁTICA interrupção da cadeia de transmissão.

Arthur Arcoverde Pinheiro Diretor Científico AMC Jovem

Bernardo Camurça Diretor de Assuntos Profissionais AMC Jovem

No dia-a-dia da saúde, é costumeiro nos depararmos com tratamentos incompletos, nos quais o paciente, à revelia do médico, acaba por abandonar a terapia indicada, o fazendo por inúmeras razões, ainda que isso importe na ausência de cura da enfermidade. Contudo, a questão torna-se mais preocupante, perpassando os limites do indivíduo medicado, quando estamos falando de doenças infecto-contagiosas, tal como a tuberculose, uma das doenças mais transmissíveis e mais letais do mundo, tendo em vista que a questão da saúde pública entra em cena. Não obstante os avanços no tratamento e na prevenção da tuberculose que ocorreram ao longo do século XX, especialmente a vacinação e quimioterapia antibiótica específica, a Organização Mundial de Saúde (OMS) continua reconhecendo tal moléstia como epidemia global e, especificamente no que tange ao Brasil, que, destaque-se, se encontra entre os 22 países onde a carga é alta, permanece alertando que o foco é reduzir a incidência de tuberculose no País, sendo mais eficaz na

Nesse cenário, tendo em mente o cuidado integral que deve ser destinado aos pacientes com tuberculose, uma vez que há evidente influência deste na carga e nos níveis de controle da doença, bem como na morbimortalidade associada, mostra-se válido, e muito necessário, nos preocuparmos com as taxas de abandono de tratamento e retratamento, e é aí onde emerge a abordagem multifatorial, por vezes tão ignorada pelos gestores públicos. A precária situação social, a demora na pro-

cura da assistência e a falta de informação acerca da enfermidade e sobre o esquema terapêutico são alguns dos elementos que contribuem para a não adesão ao protocolo medicamentoso e é nesse primeiro aspecto que o fornecimento de cestas básicas pode ser útil como estratégia para evitar o abandono de tratamento da tuberculose em unidades primárias de saúde. (resume bem, execelente) Em visita a uma Unidade de Atenção Primária em Saúde (UAPS), um grupo de acadêmicos de medicina, dentre os quais estes dois subscritores se incluem, teve a oportunidade de presenciar um momento de entrega de cestas básicas aos pacientes em tratamento para tuberculose que estavam se dirigindo às consultas e fazendo escorreito uso da medicação. Além de ajudar na distribuição dos produtos, o grupo se dispôs, sob orientação do professor

12

I N F O R M AT I V O A M C | E D I Ç ÃO 1 0


preceptor, a realizar uma intervenção naquele momento, organizando rodas de conversa com os pacientes que ali estavam, tratando temas como prevenção, transmissão, quadro clínico e tratamento da doença. Nas conversas cara-a-cara com os pacientes, tirando dúvidas e explanando melhor a temática, foi possível entender o quão benéfico se mostra esse incentivo alimentício na prática. Percebeu-se que alguns dos que ali estavam já se encontravam no segundo ou terceiro retratamento da doença e, justamente estes, eram os que tinham maiores problemas sócio-econômicos prévios, como baixa renda, moradia precária e dependência química. Nessas circunstâncias, o recebimento da cesta passava a ser talvez o único incentivo para que o paciente realizasse o tratamento, até mesmo porque pouco compreendiam acerca do risco e da transmissibilidade da doença. Também foi possível perceber, após compreender melhor a realidade de alguns pacientes ali presentes, que tal benesse oferecida pelo programa era, muitas vezes, essencial para a subsistência da família que vinha por trás do indivíduo e, outrossim, importante para a própria nutrição e, consequentemente, restabelecimento do enfermo.

De um modo geral, mostra-se concluir que a suplementação alimentar se torna um facilitador para a abordagem dos pacientes, notadamente aqueles mais vulneráveis, uma vez que leva em consideração os determinantes sociais, os quais, não raramente, são negligenciados no processo de cura. O olhar social do gestor precisa estar em dia, de modo a lhe permitir enxergar as nuanças que existem em torno do enfermo e, consequentemente, abordá-las da melhor forma possível, tanto em favor do paciente, como em favor da sociedade. Assim sendo, levando a referida terapia adjuvante vivenciada em consideração, a qual, frise-se, já tem eficácia reconhecida na literatura, não mais subsistem motivos para deixar de conferir maior atenção e políticas nesse sentido, até porque, no fim das contas, a “conta" sobra para o gestor que deixou de se preocupar.

Nesse sentido, importa dizer que, além de indivíduos com deficiência nutricional tenderem a não dar continuidade ao tratamento da tuberculose, fato que se dá por inúmeras razões, dentre elas intolerância gástrica, pacientes desnutridos tem alterações no sistema imunológico que acarretam numa menor eficácia dos medicamentos, dificultando a recuperação e, por conseguinte, na eliminação da doença.

13

I N F O R M AT I V O A M C | E D I Ç ÃO 1 0


14

I N F O R M AT I V O A M C | E D I Ç ÃO 0 6


Dr. Antonio Machado Barbosa e os colaboradores da AMC Isidoro e Nice

Dr. José Augusto Rocha Araujo - Médico cardiologista. Recebendo o certificado de honra ao merito.

Dra. Irene Holanda Costa, recebendo 15

o certificado de honra ao mérito

15

F O O DY M AG | I S S U E 0 1

I N F O R M AT I V O A M C | E D I Ç ÃO 1 0


Plano de saúde Bradesco Empresarial, para Associados 20% desconto na 1ª adesão 16

I N F O R M AT I V O A M C | E D I Ç ÃO 1 0


CAUSO MÉDICO: A MORTE DO DONO agendados daquela manhã, uma vez que muitas mães rechaçaram qualquer tentativa de remanejamento de consultas para outra data próxima.

Dr. Marcelo Gurgel Membro SOBRAMES

Dra. Fátima Gurgel (nome fictício), ciente e antevendo o problema, chegara até um pouco mais cedo ao Ambulatório, para iniciar os atendimentos. Por volta das 10h30, ela já estava na vigésima consulta, quando a Joaninha (nome fictício), a atendente dos consultórios, veio alertá-la de que Dona Gislena (nome fictício), a mãe da próxima criança a ser atendida, estava muito revoltada e fizera um escarcéu na sala de espera, com ameaça de denunciar o HIAS, no programa radiofônico do Paulo Oliveira.

O Ambulatório Geral de Pediatria do Hospital Infantil Albert Sabin (HIAS), naquela manhã de segunda-feira, estava lotado de pacientes, que, em parte, se acumulavam pelos corredores, em função da coincidência de datas com a realização de um grande congresso nacional de Pediatria em Fortaleza, motivando a liberação do trabalho, de dois dos pediatras escalados para o Logo que a mãe e o menino atendimento. ingressam no consultório, a Dra. Em vista disso, os três colegas, a Fátima Gurgel dirige-se à mãe postos no serviço, desdobravam- nos seguintes termos: se para dar conta dos pacientes

– Bom dia, D. Gislena! Está tudo 17

I N F O R M AT I V O A M C | E D I Ç ÃO 1 0


bem com a senhora e o seu filho? hospital, D. Gislena? – A médica tinha em mente que esse hospi– Bom dia, coisa alguma, doutora tal pediátrico de Fortaleza era, – repeliu asperamente D. Gislena. equivocadamente, denominado – Estou penando aqui desde sete de “Roberto Seis” por sua clientela horas e perdi o meu dia de faxina. pouco atenta e de baixa instrução. Quem é que vai pagar o meu pre– Era esse tal de “Alberto Seibe”, o juízo? Um dia perdido de serviço, que “bateu a cachuleta” na semana é dinheiro que vai fazer falta pras passada, o dono deste troço aqui – compras lá de casa. completou D. Gislena. – Lamento, senhora. Mas minhas Dra. Fátima Gurgel percebeu, duas colegas estão liberadas, nesta então, que o diálogo com a intersemana, para participar de um locutora materna não deveria congresso. Essa é uma atividade prosperar e concentrou a sua atenimportante para que os médicos ção nas necessidades mais visíveis fiquem mais atualizados e possam e imediatas da criança. prestar um melhor atendimento Extraído de: SILVA, Marcelo Gurgel Carlos da. Medicina, meu humor! Contando causos médicos. Fortaleza: Edição aos nossos pacientes. do Autor, 2012. 120p. p.19-21. – Isso é lorota! Elas devem estar é zanzando por aí, passeando ou fazendo compras nas boutiques das madames. Foi só o dono daqui morrer, ganhar um paletó de madeira, que esse hospital degringolou e essas médicas se aproveitaram da situação pra fazer corpo mole. – E quem era o dono desse 18

I N F O R M AT I V O A M C | E D I Ç ÃO 1 0


Desconto exclusivo para associado AMC, utilizando o cupom SOCIOAMC10 garanta 10% de desconto 19

I N F O R M AT I V O A M C | E D I Ç ÃO 1 0