Page 1

El flamenco Dezembro/2012 — Nº 8

Grupo de Dança Tablado www.grupotablado.cjb.net

Editorial LAPINHA: “QUEIMA DAS PALINHAS” Sendo a “queima das palhinhas” uma tradição popular hoje quase que esquecida da grande maioria da população, necessário se faz, que cada vez mais se apresente este costume como forma de preservação dos usos, das crenças e da maneira de ser do nosso povo. Existe o costume de que: a pessoa que montar um presépio ou lapinha deve repetir o feito por sete anos seguidos sem interrupção para que haja harmonia e prosperidade na família. Também reza a tradição que a lapinha deve ser montada com a ajuda de todos os familiares e que cada membro deve colocar uma das figuras, ficando o Menino Jesus por último, o qual deve ser colocado pelo casal chefe da família. Conta à lenda que o costume de armar uma lapinha nasceu em 1226 por iniciativa de São Francisco de Assis que montou o primeiro presépio numa gruta em Gubio, na Itália, véspera do natal, tendo Santa Clara se encarregado de espalhar essa tradição por todos os conventos. Podemos encontrar em seu pleno vigor nos sertões do Cariri cearense e no interior de Pernambuco, locais onde mais facilmente podemos registrar este costume. Essa tradição geralmente familiar, hoje pouco conhecida da população mais jovem, de queimar as palhinhas da manjedoura para apagar os vestígios da passagem da Sagrada Família pela

gruta de Belém, para que os soldados de Herodes não encontrem o Menino Deus. O valor simbólico dessa manifestação é de renovação, pois quando se queima as palhas da lapinha, queima-se também, tudo que de ruim possa ter nos acontecido no ano que passou, e se renovam as esperanças de um ano melhor e repleto de novas e melhores realizações. Wagner Pereira

Onde Estamos? Colégio Espaço Aberto Av. Dom Luis, 730, Aldeota Contatos: 9951.3788 / 8742.3214 / 8897.7624 AULAS REGULARES: Segunda e Quarta: INFANTIL - 16:00 às 17:30h; HOMENS - 17:30 às 19:00h; AVANÇADO de 19:00 às 20:30h Terça e Quinta: INTERMEDIÁRIO - 17:30 às 19:00h e 19:00 às 20:30h Sábado: INICIANTE de 9:00 às 10:30h; INTERMEDIÁRIO de 10:30 às 12:00h.

Contribuíram para esta Edição: Graça Martins, Karine Falcão, Lívia Parente, Raissa Martins, Solange Pincella, Vicente Leite. Contribua enviando textos, fotos ou dicas culturais para o e-mail groumartins@yahoo.com.br

Nosso Parceiro:


Linha do Tempo Era 2003 e o Grupo Tablado completava 10 anos. Pensamos em montar um espetáculo para comemorar e eu queria que a dramaturgia fosse o forte desse espetáculo. Criei a história e o corpo teria que dar conta dela. Nascia o “Ímpetu Gitano”, nome sugerido pela querida Candice Graziani (na época Nóbrega). Esse foi o espetáculo mais apresentado do nosso repertório. Estreou em 21, 22 e 23 de junho de 2003, no Theatro José de Alencar, se apresentou por duas vezes no Projeto “Quinta com Dança”, Teatro Dragão do Mar e fez várias temporadas, nos mais diversos equipamentos culturais dessa cidade. Narra a história de um triângulo amoroso entre o cigano Paco, a cigana Lola e o toureiro Ramón.

Castro e Sissi Matias. Esse espetáculo com várias versões e convidados ilustres como Marcelo Rodriguez, já foi visto por cerca de 7.000 pessoas, em mais de 20 apresentações.

Graça Martins

O Grupo de Dança Tablado que já interpretara a alegria, um dos mágicos sentimentos humanos, em espetáculos anteriores como Cantares de España, España em Fiesta, España de Lunares, Andalucia Baila e Caminos Sevillanos, num despertar audacioso, como numa evolução de sentimentos, habitava agora os palcos, fazendo emergir sentimentos adversos e tão mágicos quanto a própria alegria de dançar. A fúria, o ciúme, o desejo de morrer de amor, extinguir a vida pela busca do mais doce e insano prazer, erguiam-se indolentes das canções, das castanholas, dos sapateados e dos corpos vibrantes, a dançarem a vida. Vida a procura de solo livre e promissor até chegar aonde nunca se chega: à liberdade de existir! Vida! Ímpetu! Força! Errantes cheios de desejo, na louca desventura do amar, do sangrar, da luxúria agonizante das paixões ardentes, que o forte romper da música expressa na fibra de aço do tempo, para expor o universo de cada um de nós. Vida! Que é o próprio Tablado e cada um que o compõe. Fizeram parte dessa estréia: Adriana Melo, Carlos Pereira, Fábio Lessa, Júlio César, Keila Rodrigues, Paulo Rifane, Raissa Martins, Regina Mesquita, Viliane Bento e Vivia Castro. Convidados: Clerton Martins, Artur Rocha, Ivani Gomes, Nilton Fiore, Marcos Maia e Weber dos Anjos. Alunos: Alana Maia, Anderson Costa, André Luis, Carolina Cavancante, Erivaldo Miranda, Glauberto Sales, Ligênia Duarte, Marcelo Mota, Raquel Sales, Raquel Sampaio, Saray do Rocio, Sônia

Nós em Foco O Grupo Tablado registra e parabeniza os filhos de Karine Falcão nossa integrante. Os irmãos Viktor e Viktoria Almeida são exemplos de destaque nesta arte marcial. Viktor, o irmão mais velho, tornou-se faixa preta com apenas 12 anos de idade classificou-se para o Campeonato Estadual sagrando-se Vice-campeão Cearense de Kata por Equipe. Sua outra filha é Viktoria Almeida que no último dia 17/11, sagrou-se Vice- campeã Brasileira Escolar na modalidade Kumite (luta) o que lhe classificou para o Campeonato Sulamericano que será sediado no Brasil em 2013. Parabéns aos nossos jovens atletas.


De Olho na Saúde Cuidados com a pele! Durante todas as estações do ano, e mais especificamente no verão, os raios ultravioletas, podem causar aparecimento do câncer de pele e envelhecimento precoce, por isso sua pele precisa de maiores cuidados. Aqui vão algumas dicas para cuidar melhor desse órgão tão precioso: - A partir de seis meses de idade já podemos usar filtro solar, abaixo desta idade, os bebês devem ficar protegidos do sol à sombra, em caso do banho de sol deve ser feito por 15 minutos diários, antes das 10 ou após às 16hrs. Isto é recomendado para a síntese de vitamina D, ajudando a fortalecer os ossos e a evitar o raquitismo. - Use sempre um fator de proteção solar (FPS) 15 ou maior. Pessoas de pele muito clara são mais propensas ao câncer de pele e devem usar FPS 25 ou maior que deve ser aplicado aproximadamente 20 a 30 min antes da exposição ao sol reaplicando a cada duas horas, se houver muita transpiração ou após banho.

- Alguns alimentos podem ajudar na prevenção do dano que o sol causa à pele, como cenoura, abóbora, mamão, maçã e beterraba, pois contêm carotenóides, substância que se deposita na pele e retém as radiações ultravioletas, encontrada nas frutas e legumes de cor alaranjada ou vermelha. - É muito importante aumentar a ingestão de líquidos para pelo menos 2 a 3 litros por dia. Abuse da água, suco de frutas e da água de coco, assim você pode curtir todas as estações do ano! 

Visite um dermatologista pelo menos uma vez ao ano para avaliar a sua pele e prevenir doenças. Uma lesão maligna na pele, quando detectada precocemente, tem cura!

Karine Falcão

- As pessoas de pele negra têm uma proteção natural da pele, pela maior quantidade de melanina produzida pelos melanócitos, mas também devem se proteger do sol. Neles, o câncer de pele é menos freqüente, mas quando ocorre é de maior gravidade, pois geralmente o diagnóstico é tardio.

Cumpleaños Feliz!

- Não faça bronzeamento artificial, ele também causa dano à pele.

Nossos parabéns e nosso carinho especial, esse mês vão para:

- Use bonés, viseiras, chapéus, óculos escuros e barracas de praia grossas. E não esqueça de proteger os lábios e as orelhas.

Greyce Guimarães – 08.12 (Al Andaluz) Marcionilia Pimentel – 15.12 (Al Andaluz)

Dica da Vez CLASSIFICAÇÃO DOS CANTES FLAMENCOS A arte flamenca é muito extensa, e o cante como forma de agrupamento sugere também a sua difusão e misturas. Desta forma, os cantes flamencos estariam divididos em quatro grupos: * Primeiro Grupo - Cantes flamencos básicos. É relativo ao surgimento do cante flamenco. A sua pureza se dá por ser integralmente gitana. São quatro as modalidades básicas: Siguiriya, Soleá, Toná e Tango. * Segundo grupo - Cantes flamencos relacionados (semelhantes) aos básicos ou influenciados por eles: Este é o maior grupo. São cantes gitano-andaluces. Neste grupo encontramos os relacionados com a Siguriya: as Livianas e Serranas; os relacionados com a Soleá: o Polo, Bulerias, Caña, Alboreá, Romance; os relacionados com a toná: as Saetas; e influenciados pela Soleá: Alegrías, Romeras, Mirabrás, Caracoles e toda a gama de Cantiñas em geral. * Terceiro grupo - Cantes flamencos derivados do fandango

andaluz. É um grupo integralmente andaluz e também muito extenso. Neste grupo encontramos Fandangos de Huelva, Fandangos de Lucena, Verdiales, Rondeñas, Taranta, Taranto, Jaberas, etc. * Quarto grupo - Cantes folclóricos aflamencados. É o grupo onde cantes folclóricos ou de origem hispanoamericanos tomam "ares" flamencos. Este grupo subdivide-se em três por questões geográficas: - Cantes folclóricos aflamencados andaluzes: neste subgrupo encontramos as Peteneras, Sevillanas, Marianas, etc. - Cantes folclóricos aflamencados de procedência galaicoasturiense: Farrucas e Garrotines. - Cantes aflamencados de origem hispanoamericano: este subgrupo também por vezes denominado de ida-e-volta, encontramos as Guajiras, Colombianas, Rumbas, Habaneras, etc.


Compartilhando A Praça Verde do Dragão do Mar de Arte e Cultura, nos dias 23, 24 e 25 de novembro, foi palco de um dos maiores eventos de Cultura Popular Tradicional do Ceará, o I Festival Internacional de Folclore do Ceará. Uma produção da Encena Produções, sob o comando de Sheila Fernandes e Ilka Salatiele, o evento contou com a participação de Grupos de Projeção Folclórica, de todas as regiões do Brasil, grupos de Etnias e Grupos locais. Sucesso total! Fica aqui os nossos mais sinceros parabéns a toda equipe de produção e aos Grupos participantes. Nosso respeito e estima, são de vocês! E que venha a segunda Edição do Festival em 2013!!!

Foto por Alex Hermes Os alunos do curso de Formação Básica em Dança da Vila das Artes apresentaram seu espetáculo ‘Um de Tudo’ nos dias 5 e 6 de dezembro, às 17h e 19h, no teatro Antonieta Noronha. Grande trabalho e grandes promessas! O Alpendre – Casa de Arte, Pesquisa e Produção trouxe, mais uma vez, o espetáculo que une dois ícones da história da dança no Ceará: Graça evidência um de percurso. Graça Martins, sob direção de Andrea Bardawil, une sua história de vida a movimentos conceituais da dança, que através da contemporaneidade nos mostra que todo tipo de dança original de um só conceito: o corpo e a naturalidade dos seus movimentos. Quem pôde ir conferir, nos dias 3 e 5 de dezembro, constatou que palavras não bastam para definir tamanha arte de viver!

Cantinho do Leitor Cheguei no Al-Andaluz para experimentar um retorno à dança. Depois de muito tempo sem dançar, senti um desejo de fazer novamente a única atividade física que me agrada. Comecei pensando assim, em uma atividade física. Havia esquecido que dançar, para mim, é muito mais que sair do sedentarismo. Levei os primeiros meses no processo de conhecer uma linguagem corporal nova, com uma grande curiosidade de aprender mais, quando a Graça anunciou o show em comemoração aos 15 anos do Tablado. Um espetáculo do qual todos participariam, membros do grupo e alunos. Essa notícia me fez lembrar dos tempos de Ballet. Passei a maior parte da minha adolescência fazendo aulas na Academia Hugo Bianchi e participando de todos os festivais de fim de ano do período. Aquela rotina de aulas, ensaios e espetáculos fez parte do meu cotidiano e influenciou na construção da minha identidade. Foram muitas as influências daquele período que me acompanharam. Quando tive que me afastar da dança por causa do famigerado vestibular, senti como uma grande perda. Perda de toda a vivência e até daquele traço que me identificava. Eu deixara de ser a bailarina. A perspectiva de um show depois de tanto tempo sem pisar num palco acendeu uma luzinha. Interessei-me de pronto! Vi tudo acontecer de novo. Eu conhecia todo o processo de construção. Aprender a coreografia sem música, colocar na música depois, encomendar o figurino, provar. Foi interessante repetir isso tudo depois de adulta e ver que aquela curtição que eu tinha quando adolescente não era coisa de momento. Eu me envolvi do mesmo jeito! É engraçado lembrar da admiração que eu sentia – e sinto – pelos integrantes do Tablado ensaiando e comparar com aquela antiga admiração pelos solistas do Ballet. O período final dos ensaios que fizemos no Espaço Aberto a na Vila das Artes, com todo o elenco reunido parecia a coisa mais empolgante que eu havia vivido nos últimos tempos. Os dias de show chegaram trazendo toda aquela ansiedade já conhecida. O Ritual teve dois dias de apresentações em novembro de 2008. Foi um momento muito feliz para mim! Lembro de ter chegado em casa nas nuvens. Não sei como passei tanto tempo longe disso tudo. A dança havia me ganhado novamente, e eu me sentia muito bem com isso. Foi um resgate daquele traço da minha identidade que tinha se perdido: eu voltei a ser a bailarina. Paula Celedônio


O que vem por aí? SESC Natal nos Bairros e Comunidades O projeto leva ao público durante todo o mês de dezembro apresentações de manifestações tradicionais que representam a história e a memória de práticas e saberes culturais, por meio de grupos de reisado, bois e pastoris. Além das apresentações, também estão incluídas na programação oficinas como pintura de tecido, customização, biscuit e a produção de enfeites Natalinos. O projeto acontece em vários bairros de Fortaleza, já as oficinas acontecem no SESC Fortaleza. Confira toda a programação e mais informações no site do SESC Ceará ou no link http://migre.me/c8AF1 Natal de Luz. Quem se deslocar, em especial, para a praça do Ferreira todos os dias de dezembro, vai poder conferir uma programação bem eclética. Orquestras, solistas, bandas, corais, reisados e teatro. Além da apresentação diária do Coral de Luz, com as 120 crianças na sacada do Hotel Excelsior as 18h; a casa do Papai Noel, o posto de troca das mudas e as atrações no palco principal da praça. A programação completa das apresentações podem ser

Momento UUUUIIII!!!! Direto do Túnel do Tempo! Dessa vez, o nosso Momento Ui foi transportado de muitos anos atrás, mais precisamente 8 anos, durante a festa de 15 anos da Rá (Raissa, aquela, a filha da diretora). Nossos queridos Pereira e Fábio Lessa prepararam aquele look, ensaiaram aquela pose e mal sabiam que iam acabar aqui, heim? Mas vamos combinar que esse cabelinho do Lessa e esse corpitcho de palito de picolé, graças a Deus ficaram no passado. Que bom, meninos, que vocês são como vinho bom...melhoram com o tempo!

Ouro da Casa E pra alegrar o nosso jornal, ninguém melhor pra iluminar o ouro da casa do que o nosso Pereira! Hilário, cheio de marmotas e especialmente criativo pra compor letras de música em outras línguas, suas tiradas são as mais oportunas e inesperadas, fazendo todo mundo cair na gargalhada. Mas não se engane com esse seu jeito espontâneo de ser...quando ele pega uma capa e começa a torear (com aquelas pernas alongadéeeerrimas), não tem pra ninguém! E é por essas e por outras, Pereira, que você é e vai ser sempre dono do nosso melhor sorriso e do mais sincero carinho!


Click e Arte - Ă?mpetu Gitano (Grupo Tablado)

El Flamenco 08  

El Flamenco é um periódico mensal dos Grupos de Dança Tablado e Al Andaluz

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you