Page 1

ANDALUCÍA ....P/23

AMIC -contra limitaçoes à actividade piscatoria

Em algarvepress.net

um zapping pelo Algarve

DESTAQUES: QREN divulga incentivos aos empresários Pág..... 02

Associação de Moradores da Ilha da Culatra emite comunicado no qual alerta para a continuidade desta comunidade piscatória.

PÁG. 14

Regionalização sem fusão de freguesias é opção defendida por deputados algarvios

ANMP reúne-se com Desidério Silva

Pág..... 06 20 Chefs e muitas Estrelas Michelin no Vila Joya Pág..... 12 PS exige balanço do tráfego da Via do Infante Pág..... 13 Invasões Francesas apresentadas em livro Pág..... 18

“A Reforma da Organização Territorial” foi o tema de um debate promovido pela UAlg e pela AMALtendo os deputados eleitos pelo Algarve lamentando a PÁG. 03 ausência do tema regionalização nesta reforma proposta.

AEALG apresentada ao público. Pág..... 21


www.algarvepress.net – diário online

REGIONAL

2ª quinzena de janeiro de 2012

Sessão de divulgação para incentivos do PO Algarve 21 Está a decorrer uma nova fase de candidaturas ao PO Algarve 21, destinadas a PME e cujos apoios serão, sobretudo, para investimento não produtivo. Para esclarecer todos os interessados, realiza-se no próximo dia 26 de janeiro uma sessão de divulgação no Hotel Real Marina Hotel & Spa, em Olhão. As inscrições já começam.

Iniciou-se a 23 de dezem-

bro de 2011 uma nova fase de candidaturas aos Sistemas de Incentivos às Empresas do PO Algarve 21. O novo período para apresentação de projetos a financiamento no âmbito do Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME do QREN apoia fundamentalmente investimento não produtivo.

2

Esta fase tem como objetivo a promoção da competitividade das empresas, através do aumento da produtividade, da flexibilidade e da capacidade de resposta e presença ativa das PME no mercado global. Podem candidatar-se projetos de diferentes tipologias. Projetos I & DT Individuais, Núcleos I & DT, Inovação Produtiva PROVERE, Vale Inovação. Pode ser consultado no site da CCDR Algarve a lista e as respetivas datas de abertura e de encerramento dos novos concursos de candidaturas 2012. Para esclarecimento dos interessados realiza-se em Olhão uma sessão de divulgação que terá lugar no dia 26 de janeiro no Hotel Real Marina Hotel & Spa. As inscrições são gratuitas Recorde-se que dos projetos empresariais aprovados do Programa Operacional do Algarve, 71 são de Internacionalização, representando 6,1 milhões de euros de fundos europeus.

O investimento foi maioritariamente canalizado para o marketing internacional, feiras, marcas, prospeção de novos mercados, contratação de serviços e despesas associadas a reuniões

no estrangeiro. Em termos de mercados, as preferências dos empresários incidiram na Europa (Reino Unido), depois África (Angola), América do Sul (Argentina e Brasil), Magrebe (Marrocos)

e América do Norte (Estados Unidos). Refira-se que do universo de 71 projetos, 46 são novas empresas exportadoras. www.ccdr-alg.pt. www. poalgarve21.qren.pt


REGIONAL

2ª quinzena de janeiro de 2012

diário online – www.algarvepress.net

À Babuja Contra a Extinção de Freguesias e a Favor da Regionalização Num debate sobre “A Re-

forma da Organização Territorial” organizado no início da passada semana pela Universidade do Algarve e pela Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), os deputados do PSD, PS, PCP e BE eleitos pela região defenderam que a reforma da administração local só teria a ganhar com a criação de uma estrutura intermédia, em vez de se focar apenas na reforma dos municípios e das freguesias, e que a regionalização é a grande ausente desta discussão.

de “forma encapotada” que está em marcha para travar o processo da criação de uma estrutura intermédia da administração central, mostrando-se preocupada com o facto de esta proposta poder ser uma forma de “liquidar” o debate profundo em torno da regionalização. Mendes Bota, deputado do PSD, também afirmou que a regionalização é o grande ausente desta proposta e criticou a hipótese de serem atribuídas mais competências às comunidades intermunicipais porque não têm legitimidade democrática regional e os seus representantes foram eleitos localmente e não com um programa regional. O deputado considera ainda que “esta reforma não deve ser feita para os autarcas nem a pensar neles, mas sim para servir a população”.

Numa mesa redonda, moderada por Manuel Carvalho, jornalista do jornal Público, só o deputado do CDS-PP, Artur Rego, defendeu que em Portugal já existe uma estrutura intermédia, o distrito, e o que deveria ser revisto seria o seu papel e a atribuição de competências O deputado do PCP, Paulo a esta entidade para fazer a Sá, criticou o Documento gestão do território em conVerde da Reforma da Admijunto com os municípios. nistração Local apresentado O mesmo deputado consi- pelo Governo, considerando derou que o que se está a que não assenta em objetidiscutir é “apenas um pri- vos, nem fundamenta o pormeiro passo na proposta quê das alterações apresende reforma, não é um docu- tadas. Paulo Sá referiu ainda mento acabado”. Já a depu- que a fusão ou a extinção de tada Cecília Honório, do BE, freguesias terá pouco imreferiu-se ao que designou pacto orçamental (0,1% do

Orçamento de Estado) e não resolverá qualquer problema. “Esta proposta serve para abandonar o debate urgente sobre a regionalização, que é adiada há 35 anos”. Miguel Freitas, do PS, criticou o “poder desmesurado” que o Documento confere aos presidentes de câmara e o “intermunicipalismo” que, na sua opinião, é um equívoco e um fiasco, porque não resolve a escala intermédia que o País precisa. O deputado criticou ainda a intenção de serem criadas duas grandes áreas metropolitanas à volta de Lisboa e Porto sem se avançar ao mesmo tempo com a regionalização no resto do país, o que irá acentuar as assimetrias. As alterações à Lei Eleitoral, que pretendem criar executivos municipais homogéneos, com apenas uma lista para a câmara e assembleia municipais, também estiveram em foco neste debate, merecendo a contestação dos representantes do PSD, do PCP e do BE. Já Miguel Freitas defende que “quem ganha as eleições deve gerir

o executivo” e a “oposição deve ficar na assembleia municipal”. No final, o reitor João Guerreiro agradeceu a presença de todos e sublinhou que o debate em curso deveria servir para encontrar uma solução de estrutura administrativa que respondesse satisfatoriamente às novas dinâmicas sociais e económicas, protagonizadas pelas famílias e pelas empresas, tentando, desta forma, libertar as comunidades do peso excessivo que as diversas estruturas da administração pública têm assumido. Além do reitor da UAlg e do presidente da AMAL, Macário Correia, o evento contou ainda com as presenças de António Rosa Mendes (UAlg), que falou sobre “Os Antecedentes Históricos”, de Ana Paula Barreira (UAlg), que abordou “O Financiamento Local”, e de João Faria (Comissão Europeia), que se centrou na “Organização Territorial na Europa – competências, dimensão e governança” Manuel Luis

3


www.algarvepress.net – diário online

REGIONAL

2ª quinzena de janeiro de 2012

Portimão apresenta três candidatas às “7 Maravilhas P

raia da Rocha, Praia do Barranco das Canas (Alemão) e Praia de Alvor O Município de Portimão vai candidatar três praias às “7 Maravilhas – Praias de Portugal”, evento que pretende promover a qualidade ambiental do país, nomeadamente os seus recursos hídricos e a beleza da costa, rios e albufeiras, como um dos fatores decisivos da escolha de Portugal enquanto destino turístico.

4

As Maravilhas candidatas «são organizadas pelas dez regiões turísticas do país em sete categorias distintas, sendo que Portimão aposta na sua diversidade e riqueza balnear, ao apresentar candidaturas em três categorias: “Praias de Arribas”, “Praias de Dunas” e “Praias Urbanas”. Praias selecionadas são conhecidas a 7 de fevereiro

Depois da divulgação, no próximo dia 7 de Fevereiro, das candidaturas selecionadas para a segunda fase, segue-se entre maio e setembro a votação pública, culminando todo o processo com o anúncio público das praias vencedoras nas sete

categorias consagradas, em cerimónia marcada para 8 de setembro e a transmitir em direto pela RTP. A eleição das “7 Maravilhas – Praias de Portugal” é um projeto de caráter privado com manifesto interesse público, organizado pela

EIPWU Lda., entidade licenciada oficialmente pela sociedade New Seven Wonders Portugal, e q ue conta com o apoio institucional do Ministério da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território e da Marinha Portuguesa.


REGIONAL

2ª quinzena de janeiro de 2012

diário online – www.algarvepress.net

Fuseta e Armona candidatas às 7 Maravilhas As praias da Fuseta e da

Armona, no concelho de Olhão, são candidatas às 7 Maravilhas – Praias de Portugal®.

Esta é mais uma iniciativa que pretende promover a qualidade ambiental do nosso país, nomeadamente a beleza da nossa costa e os nossos recursos hídricos. Podem ser feitas candidaturas em sete categorias, sen-

do as de Olhão na área de praias de dunas. Os 21 finalistas serão conhecidos a 7 de maio, seguindo-se depois a fase de votação pelos portugueses, até 7 de setembro. No dia seguinte será feito publicamente o anúncio dos sete vencedores, de acordo com cada uma das áreas. Mais informações em www.7maravilhas.sapo.pt.

Ingmar Bergman Na UALG 5

Decorreu no dia 10 de Ja-

neiro, no Auditório 05 da Universidade do Algarve, no Campus da Penha, uma conferência sobre Ingmar Bergman, tendo sido abordados temas relacionados com a vida do cineasta e o impacto que os seus filmes tiveram na sétima arte. Perante um auditório praticamente lotado o conferencista sueco Erik Hedling, professor de Literatura na Universidade de Lund, começou por fazer uma retrospectiva sobre as transformações sócio-económicas e culturais verificadas na sociedade sueca ao longo do último século, tendo posteriormente exibido pequenos excertos de filmes de Ingmar Bergman onde explicou as motivações e critérios do cineasta, inerentes a cada cena apresentada. No final da palestra os alunos da UALG da área das

Ciências da Comunicação e restantes presentes tiveram a oportunidade de questionar o conferencista sobre os filmes de Ingmar Bergman tendo Erik Hedling esclarecido todos os intervenientes. Luís Nadkarni


www.algarvepress.net – diário online

REGIONAL

2ª quinzena de janeiro de 2012

Associação Nacional de Municípios Portugueses Depois de Vila Nova de Poiares, foi a vez de Albufeira acolher a reunião do Conselho Diretivo da Associação Nacional de Municípios Portugueses, seguindo uma estratégia de descentralização e aproximação daquele órgão aos municípios nacionais.

A Biblioteca Municipal Lí-

dia Jorge, em Albufeira, foi o local escolhido pela ANMPAssociação Nacional de Municípios Portugueses para realizar a reunião do seu Conselho Diretivo, no passado dia 10 de janeiro.

6

A decisão de descentralização levou a Associação a agendar as suas reuniões de trabalho nos vários municípios que integram este órgão nacional e que, habitualmente, tinham lugar na sede da ANMP, em Coimbra.

Fernando Ruas (pres. da ANMP) recebe recordação do município pelas mãos de Desidério Silva ( presidente C.M.Albufeira)

Para o anfitrião, o presidente da Câmara Municipal de Albufeira, Desidério Silva, “foi com bastante agrado que recebemos esta reunião do Conselho Diretivo da Associação Nacional de Municípios Portugueses, considerando que se trata de um importante sinal de descentralização, que contribui para uma maior aproximação entre os vários municípios”. Durante o encontro, foram abordadas diversas temáticas de interesse para os municípios, com destaque para as questões relacionadas com o Ordenamento do Território, Reforma da Administração Local e Lei das Finanças Locais. Refira-se que no próximo mês, a ANMP irá reunir no município de Melgaço.

Desidério Silva ( presidente C.M.Albufeira) reuniu-se com membros da ANMP.


REGIONAL

2ª quinzena de janeiro de 2012

diário online – www.algarvepress.net

Cacela Velha vai ter novo centro de acolhimento de visitantes A autarquia de Vila Real de Santo António vai concluir, até ao primeiro trimestre de 2012, a empreitada de requalificação da antiga Casa do Pároco, em Cacela Velha, transformando aquele edifício num centro de recepção e acolhimento de visitantes.

O

imóvel quinhentista, agora recuperado, será um dos espaços de referência daquela vila histórica do concelho vila-realense, constituindo ainda um ponto de informação sobre o património de Cacela. Com este novo equipamento, a autarquia passa a desempenhar, com recursos próprios, o trabalho de acolhimento e informação ao turista que até agora era assumido pela Associação de Defesa, Reabilitação, Investigação e Promoção do Património Natural e Cultural de Cacela (Adrip), com base num contrato programa. A transferência da valência para a tutela do município

tem assim por base uma optimização de meios, já que será assegurado por funcionários autárquicos. Além da informação presencial o futuro centro de acolhimento de visitantes disporá de materiais informativos e de conteúdos didácticos e interactivos. A empreitada de requalificação da casa do pároco está orçamentada em 175 mil euros e é financiada a 75 por cento por fundos comunitários. Durante a obra, foram utilizados materiais tradicionais, respeitando a matriz original do edificado. Até ao final de 2011, e durante três anos, o centro de acolhimento de acolhimento de

visitantes de Cacela Velha esteve localizado na sede da Adrip. Estima-se que, durante este período, tenham recorrido ao espaço cerca de 15 mil visitantes. Cacela Velha foi a primitiva

sede do actual concelho de Vila Real de Santo António. A sua existência como centro urbano remonta, pelo menos em termos de vestígios arqueológicos, ao tempo de romanos e árabes, embora se lhe atribua origem fenícia.

Mantém tarifas de utilização tirá no rendimento real das urante este ano, a Câ- famílias e no consumo primara de Portimão vai manter vado. a tabela de tarifas em vigor Concorreu ainda para a todesde 26 de Maio de 2011 e mada de decisão a circunsrespeitante aos equipamen- tância de – como refere o tos desportivos municipais, princípio da equivalência para não desincentivar a prá- jurídica – o valor das tarifas tica desportiva dos muníci- não dever ultrapassar o cuspes com menores recursos to da atividade pública local financeiros. e o benefício auferido pelos

D

Na deliberação da medida foram ponderados fatores como as projeções do Banco de Portugal, que apontam para uma acentuada contração da economia portuguesa neste ano e para uma queda significativa da atividade económica, o que se refle-

munícipes, tendo em conta o coeficiente de incentivo e de desincentivo da política camarária prosseguida. Outro fator que pesou na manutenção da tabela, que entrou em vigor em setembro último, foi a sua aprovação num momento

de conjuntura económico-financeira excecionalmente adversa. Caso a Câmara de Portimão tivesse adotado o aumento automático de tarifas, de acordo com a média de inflação, que considera o índice de preços ao consumidor apurado pelo Instituto Nacional de Estatística, as mesmas seria acrescido da cobrança de IVA à taxa de 23 por cento. De referir que da medida não resultará desalinhamento com a receita prevista no Plano de Saneamento Financeiro e no Orçamento Municipal de 2012.

7


www.algarvepress.net – diário online

REGIONAL

2ª quinzena de janeiro de 2012

Mulheres Socialistas Algarvias Ana Passos (lista B), deputada socialista na Assembleia Municipal de Faro e ex-adjunta do extinto Governo Civil de Faro, então liderado por Isilda Gomes, venceu a ex-deputada Esmeralda Ramires (lista A) na candidatura ao DFMS, por 128 votos contra 84, entre um total de 217 votos. Também para o Conselho Político a lista B derrotou a oponente (126 – 89).

Projeto “Juntas pela Mu-

dança!” venceu Candidatura ao Departamento Federativo das Mulheres Socialistas do Algarve (DFMS).

8

Tal como na história, bem se pode dizer que foi a vitória da “David” contra a “Golias” no PS-Algarve, nomeadamente no que ás mulheres socialistas diz respeito, com Ana Passos a capitalizar o facto de se encontrar desempregada e, assim, ter conseguido tempo para fazer uma campanha porta-a-porta, onde encontrou grande parte das mulheres na mesma condição, por isso abertas ao diálogo e ao projecto apresentado pela equipa de Ana Passos – “Juntas pela Mudança”. Em declarações a Algarve Press, Ana Passos reconheceu: “Em vários locais do Algarve onde nos deslocámos encontrei muitas mulheres nas minhas condições. Primeiro olhavam-nos com

alguma desconfiança, mas quando sabiam que estavam perante uma mulher, mãe desempregada, abriram-se e acabámos a trocar experiências de vida, falando das dificuldades familiares, tudo de forma aberta e frontal”. Uma liderança partilhada para imprimir nova dinâmica ao Departamento Federativo das Mulheres Socialistas do Algarve (DFMS), é a proposta da candidata à presidência deste órgão, Ana Passos, que apresentou hoje, em Faro, o projeto “Juntas pela Mudança!”. A mensagem de mudança foi “a linha mestra da candidatura”, apresentada por todo o Algarve, com a colaboração de mais quatro mulheres socialistas, com a qual Ana Passos pretende “modernizar e revitalizar” o DFMS na região. Todas tinham vontade de ser ouvidas e dialogar. Vamos continuar com esta proxi-

Ana Passos (deputada socialista)

midade, o Partido Socialista (PS) precisa disto, tanto mais que o PS sempre foi e continua a ser um partido com muita sensibilidade social. Juntos somos capazes e vamos dar a volta”, sublinhou Ana Passos, enfatizando, a concluir, a ideia da “necessidade de maior próximidade e abertura” do partido aos seus militantes e à restante

sociedade civil. Recordemos que das várias ideias chave do manifesto que serviu de base à candidatura apresentada à eleições pela Lista B, vencedora das eleições ao Departamento das Mulheres Socialistas do Algarve, destacam-se as propostas para uma liderança partilhada pela distribuição de pelouros aos vários membros do secretariado, a promoção de acções de formação na área da capacitação e ideologia política e a criação de um Conselho Consultivo aberto à participação de simpatizantes do Partido Socialista. Criar uma rede regional de mulheres autarcas do PS e abrir o DFMS à sociedade civil constituem outras apostas do projeto “Juntas pela Mudança!”, que conta com o apoio de várias mulheres com uma vasta experiência em cargos de liderança política no Algarve.


REGIONAL

2ª quinzena de janeiro de 2012

diário online – www.algarvepress.net

Época balnear estende-se de maio a outubro

O presidente da Câmara Municipal reuniu com os concessionários das 25 praias do concelho para definir a data oficial de abertura da época balnear em Albufeira e debater outras questões relacionadas com o tema.

O Município de Albufeira,

a Capitania do Porto de Portimão e a ARH – Administração da Região Hidrográfica do Algarve – reuniram, no passado dia 9 de janeiro, com os diversos concessionários que representam as praias de Albufeira. O encontro permitiu definir alguns pontos de partida para a estratégia de valorização do concelho na chamada época balnear, de onde resultou a decisão de manter a extensão do referido período. Assim, em 2012, a Época Balnear decorrerá em Albufeira, entre 19 de maio e 21 de outubro. Desde 2009, que a autarquia prolongou a duração da sua época balnear, por considerar insuficiente para o concelho o período estipulado para a maioria dos municípios nacionais, que vai de 1 de junho a 30 de setembro. “A nossa região é diferente do resto do país, por isso temos tido a preocupação e abertura para criar períodos balneares mais alargados, conforme as necessidades dos concessionário, garantindo questões como a segurança e a vigilância”, referiu Desidério Silva. O presidente da Autarquia assegurou ainda que, ao contrário do que está a suceder em alguns municípios do Algarve, a Câmara de Albufeira continuará a assumir os encargos associados à época extra-balnear:

Estamos disponíveis para pagar as despesas relacionadas com as análises das águas durante o período extra da duração da nossa época balnear, desde que sejamos avisados atempadamente”. Neste encontro, os mais de cinquenta concessionários expressaram as necessidades das diversas praias do concelho e apresentaram sugestões para a valorização da zona costeira de Albufeira. O concelho dispõe de uma costa de 30 quilómetros distribuídos por 25 praias de areia fina e água cristalina. Aqui podemos encontrar algumas das mais belas praias do mundo. Trata-se de um magnífico Património Natural que tem

lidade de Ouro 13 I Praias Acessíveis 8 I Praias Saudáveis . A qualidade das águas, limpeza, segurança, acessibilidades, infraestruturas de apoio, informação e sensibilização dos utentes são aspetos tidos em conta

Desidérito Silva ( pres. C.M.Albufeira) reuniu com os concessinários das prais

sido defendido e preservado de forma equilibrada. A excelência das suas zonas balneares, fez de Albufeira o município com o maior número de galardões atribuídos em 2011: 20 I Bandeiras Azuis 18 I Praias com Qua-

pelo município, que ambiciona continuar a garantir o melhor período balnear do país. “7 Maravilhas: Praias de Portugal” Apostado em promover e dar ainda mais visibilidade às suas zonas balneares, o município vai

candidatar quatro das suas praias ao prémio As praias dos Arrifes e do Barranco das Belharucas concorrem pela categoria de “Praias de Arribas”. A primeira encontra-se abrigada por arribas baixas, onde se podem observar alguns algares. Já o Barranco apresenta um extenso areal com arriba contínua, alta e ravinada, transformando-se num dos locais ideais para os abelharucos, que dão o nome à praia, aí escavarem os seus ninhos durante época de reprodução. Como “Praias Urbanas”, Albufeira apresenta a praia do Peneco, pela sua beleza natural e por possuir caraterísticas incomuns, como a existência de um elevador direto para o areal. A envolvência natural do cordão dunar que protege a Lagoa dos Salgados, é a responsável pela candidatura da praia dos Salgados, na categoria de “Praias de Dunas”.

9


www.algarvepress.net – diário online

REGIONAL

2ª quinzena de janeiro de 2012

Autarquia inaugurou eb 1,2,3 da Guia F

oi ao som de uma música infantil interpretada pelos alunos do 1.º ciclo da EB 1,2,3 da Guia, que o executivo e convidados foram recebidos no equipamento pela comunidade escolar. O descerrar da placa marcou a inauguração oficial da escola, em funcionamento desde o início do presente ano letivo.

10

A Escola Básica 1.º, 2.º e 3.º ciclo da Guia, em funcionamento desde o passado mês de setembro, foi esta quinta-feira inaugurada oficialmente pela autarquia, numa cerimónia que contou com a presença do executivo, Direção Regional de Educação, entidades civis, militares e religiosas, e comunidade escolar. Após o descerramento da placa inaugural e bênção do equipamento por parte do

Autarquia inaugurou E.B. da Guia

pároco local, os convidados visitaram o recinto, desde o campo de jogos exterior, pavilhão desportivo, às salas de aula, refeitório, biblioteca e auditório. Foi neste último espaço que Desidério Silva se dirigiu aos presentes, salientando a importância da escola para a freguesia da Guia e para o concelho de Albufeira. “Apesar de ter sido um processo difícil e mo-

roso, a execução desta obra afigurou-se essencial para o desenvolvimento e dinamização da Guia, conferindo melhores condições de ensino e aprendizagem à comunidade escolar”, referiu o autarca. Os alunos residentes na freguesia deixaram, assim, de ser obrigados a deslocarem-se para a EB 2,3 Martim Fernandes, na freguesia de Albufeira, ou para outros

estabelecimentos de ensino localizados em Algoz, concelho de Silves. “Acreditamos que a área da Educação é prioritária e temos trabalhado nesse sentido. Ao longo dos últimos dez anos, criámos um conjunto de equipamentos e valências que aumentaram de forma significativa a qualidade de ensino dos alunos e as condições de trabalho dos docentes e educadores”, acrescentou Desidério Silva. Com um investimento total a rondar os 7 milhões de euros- incluindo o edifício escolar, pavilhão e acessos- a intervenção mereceu o elogio do diretor do Agrupamento de Escolas Albufeira Poente: “este é o equipamento a nível do concelho que reúne as melhores condições para a educação e conforto dos nossos estudantes”, afirmou Aurélio Nascimento, reconhecendo o empenho e esforço que o atual executivo tem dedicado à questão da Educação


REGIONAL

2ª quinzena de janeiro de 2012

diário online – www.algarvepress.net

em Albufeira. A EB 1,2,3 da Guia veio permitir acolher mais 210 alunos (115 do 1.º ciclo e 85 do 2.º ciclo), aumentando a resposta às necessidades do concelho. Com a criação de mais cinco turmas do 1.º ciclo do ensino básico, o Município passou a ser dos poucos a nível nacional, onde a totalidade dos alunos frequenta o regime normal das 9h00 às 15h00, acabando-se assim com as aulas por turnos no primeiro ciclo. Esta nova escola inclui, ainda, quatro turmas do 2.º ciclo, e prevê-se um aumento do número de salas para o próximo ano letivo, com extensão do ensino ao 3.º ciclo. Na totalidade, o equipamento permitirá acolher perto de 450 alunos. “Na qualidade de representante do Ministério da Educação, sinto-me bastante orgulhoso e emocionado por presenciar esta inauguração. Os números que o Município de Albufeira apresenta em matéria de Educação fazem corar de inveja muitos dos autarcas deste país”, confessou Alberto Almeida, diretor regional de Educação.

E no que respeita a números, José Carlos Rolo, vice-presidente da autarquia albufeirense e responsável máximo pelo pelouro da Educação nos últimos dez anos, relembrou que a escola, para além de um pólo de ensino, é de toda a comunidade, que

Desidério Silva ( presidente C.M. Albufeira

pode usufruir da biblioteca, pavilhão e do próprio estacionamento incluído na obra. “Nesta última década construímos cinco escolas de raiz, num investimento de cerca de 16 milhões de euros. A primeira e última escolas a serem construídas ao longo deste tempo – EB1 de Paderne e EB1,2,3 da Guia, respetivamente- ficaram 50 mil euros aquém do preço contratado, o que demonstra a seriedade com que traba-

lhamos”, revelou José Rolo, acrescentando que “foram ainda ampliadas e requalificadas todas as salas de aula do 1.º ciclo; construídas 87 salas do 1.º ciclo e 17 salas do pré-escolar; colocados 137 quadros interativos; construídas 14 bibliotecas

escolares; e reforçado o apoio ao nível dos transportes e alimentação escolares.” Para o presidente da Assembleia Municipal, “esta obra distingue o concelho pela qualidade da sua edificação, com recurso a tecnologias amigas do ambiente. A prioridade da comunidade

““Apesar de ter

sido um processo difícil e moroso, a execução desta obra afigurou-se essencial para o desenvolvimento e dinamização da Guia, deve ser investir na juventude e contribuir para a sua formação e é isso que tem sido feito em Albufeira”, garantiu Carlos Silva e Sousa. Refira-se que na construção do edifício escolar foram aplicadas tecnologias sustentáveis com recurso a energias renováveis, que o tornam “amigo” do ambiente. Parte do aquecimento do ar é obtido através de painéis de aquecimento solar, que permitem aumentar a tem-

peratura interior do edifício. O mesmo se passa com as águas. Através de um sistema de painéis coletores solares, parte das necessidades energéticas do estabelecimento escolar são asseguradas. Durante os meses de primavera e verão, a escola torna-se auto-suficiente em termos de aquecimento de água, utilizada na cozinha da escola e para os banhos no Pavilhão Desportivo. Durante o outono e inverno, o aquecimento é assegurado com recurso a duas caldeiras, mas sempre ajudadas pelo contributo dos coletores solares. A EB 1,2,3 da Guia dispõe ainda de um sistema pioneiro, a nível do concelho, de reutilização de águas saponárias e pluviais para fins não potáveis. Depois de sujeita a um processo de tratamento, essa água é utilizada para descargas nos autoclismos das casas de banho escolares. Ao longo de toda a fachada do edifício é também possível encontrar palas de sombreamento, com a função de reduzir ou controlar a incidência da radiação solar.

11


www.algarvepress.net – diário online

REGIONAL

2ª quinzena de janeiro de 2012

6º Festival Internacional Gourmet Do Vila Joya  O Festival Internacional Gourmet – Tribute to Claudia, voltou a trazer a Albufeira os mais conceituados nomes da gastronomia internacional.

Durante dez dias, o Vila

Joya serviu de palco a este mediático evento, que contou com o apoio do município. Na sua sexta edição, o “Tribute to Claudia” voltou a assumir-se como a mais importante iniciativa do género no nosso país, e um dos festivais de relevo da Europa Estrelas com prémio Michelin estiveram em Albufeira mais uma edição do Festival Internacional de Gastronomia “Tribute to Claudia”.

12

O evento, que se realizou pelo sexto ano consecutivo, aconteceu entre os dias 12 e 22 de janeiro, no Vila Joya, em Albufeira. Ao longo de dez noites, este espaço com

vista para o mar recebeu chefs de cozinha de diversos países, para apresentarem os mais originais menus de autor, formados por um mínimo de sete pratos, aperitivos, vinhos e digestivos. Para além dos jantares, realizaram-se eventos pela tarde fora como provas de vinho e licores, torneios de golfe, festas temáticas com “after dinner parties”, e vários Workshops. Este ano, além das Estrelas Michelin, estiveram presentes várias Estrelas de Cinema apaixonadas pela Gastronomia e por Portugal, que se fizeram acompanhar pela imprensa Internacional nesta descoberta dos sabores nacionais.

A cantora Sheryl Crow e os atores Michael Imperioli (“The Sopranos”) e Matthew Modine (“Too Big Too Fail”) foram algumas das celebridades que marcaram presença durante o festival, que contou ainda com a presença do ator e comediante Mario Cantone (“Sex and the City”), Ricky Paull Goldin (“All My Children”) e Gretta Monahan (“The Rachael Ray Show”). Dieter Koschina, o premiado Chef com duas estrelas Michelin pelo seu trabalho no restaurante do Hotel Vila Joya, recebeu 20 Chefs Michelin de destinos como França, Itália, Suíça, Alemanha, Reino Unido, Países Baixos, Finlândia, Suécia, US, Canadá. A iniciativa, que contou com o patrocínio da autarquia, voltou a colocar Albufeira na rota dos grandes eventos gastronómicos internacio-

nais, privilegiando a excelência da sua gastronomia e restauração, que continua a atrair milhares de turistas. www.tributetoclaudia.com


REGIONAL

2ª quinzena de janeiro de 2012

diário online – www.algarvepress.net

Deputados do PS exigem balanço sobre tráfego na Via do Infante O

s Deputados do PS eleitos pelo Algarve exigiram ao Governo que apresente um balanço do tráfego registado na Via do Infante durante o primeiro mês de portagens, tendo questionado o Ministro da Economia e Emprego quanto ao eventual prolongamento do regime de isenções para residentes e empresas, enquanto não existir uma alternativa credível a esta estrada na região. Sublinhando a acentuada redução de automóveis em circulação na Via do Infante desde o dia 8 de dezembro, com o consequente aumento assinalável do recurso à EN 125, Miguel Freitas e João Soares exigem que o Governo revele o balanço do tráfego nos primeiros 30 dias de implementação de portagens, relativamente ao mês

precedente e ao período homólogo de 2010 e reiteram a posição de responsabilidade do PS Algarve nesta matéria. “A aplicação de portagens depende de uma alternativa à Via do Infante, o que não se verifica sem a conclusão das obras na EN125, devendo por isso haver um regime de excepção para o Algarve durante o período em que não existirem as devidas condições de alternativa”, reclamam os Deputados do PS, para questionar o Ministro quanto ao plano e calendário de obras para a EN125, bem como se o Governo pretende manter na totalidade o que estava contratado com a respetiva concessionária. Relembrando que tanto o PSD como o CDS chegaram a equacionar, respetivamente, a possibilidade de uma “tarifa reduzida” ou da sus-

pensão de portagens na Via do infante, os Parlamentares socialistas insistem na necessidade de manter as isenções e descontos para residentes e empresas com sede na região, tendo questionado o Governo sobre o

prolongamento desta medida ou se, em alternativa, está disponível para discutir propostas de redução das tarifas nas SCUT. Defendendo que a Via do Infante deve ter um programa de investimentos que assegure a melhoria da plataforma e as condições de segurança, Miguel Freitas e João Soares sublinham ainda a necessidade de haver, face à aplicação de portagens, um compromisso de total qualidade desta via. Os Deputados socialistas exigiram por isso esclarecimentos sobre a intervenção do Governo junto da concessionária da Via do Infante, que garanta um Plano de Investimentos para cumprir integralmente os requisitos de qualidade e de segurança na SCUT do Algarve.

13


www.algarvepress.net – diário online

ECONOMIA

2ª quinzena de janeiro de 2012

AMIC Contra Limitações à Actividade Piscatória No âmbito do estatuto da Associação de Moradores da Ilha da Culatra (AMIC) sobressai a defesa dos interesses dos residentes na Ilha da Culatra, em natural concordância à do interesse ambiental.

N

o núcleo da Culatra existem em actividade 90 embarcações de pesca artesanal local e 6 de pesca costeira. Esta actividade, conjuntamente com a apanha e produção de bivalves, garante a sobrevivência desta comunidade.

14

A larguíssima maioria dos pescadores está limitada a exercer a sua actividade pesqueira numa área situada entre 1/4 de milha e 3 milhas a partir da costa e de 6 milhas para cada lado da barra. “Foi precisamente dentro desta área, onde desde sempre a comunidade piscatória fainou, que foi criada e delimitada a Área de Produção Aquícola da Armona (APAA), ocupando cerca de metade da área que utilizava, interditando o exercício da pesca e a navegação das

nossas embarcações dentro da mesma”, critica a AMIC, através de nota de imprensa (que transcrevemos) assinada pela presidente da Associação, Silvia Padinha. “Apesar desta Associação nunca ter concordado com a forma como foi feita a delimitação da referida área e sempre ter alertado as entidades competentes para

a existência de uma comunidade local a trabalhar no local por motivos de sobrevivência, nunca foi tida a devida consideração.

migração para Leste da barra) e perto da linha da costa, que inibe a entrada e saída das embarcações para o mar em segurança.

Alertou também para o facto de um dos extremos da referida área, mais precisamente a ponta Poente do rectângulo afecto ao projecto, se situar de tal modo à entrada da barra do Lavajo (fruto da

A AMIC ao longo dos últimos tempos e de forma consecutiva, tem vindo a solicitar às várias entidades competentes, empenho no sentido de se encontrar uma solução que minimize os prejuízos causados aos pescadores e suas famílias, com o objectivo de mitigar os impactos negativos da criação da APA Armona junto desta comunidade piscatória, até mesmo porque até ao momento os efeitos esperados com a implementação deste projecto (2008) continuam por aparecer. -Não deixa de ser questionável o porquê de manter interdições á navegação e á pesca dentro da área, quando apenas uma pequena parcela da APA Armona está a ser utilizada para o fim para que foi criada. A AMIC preocupada com a


2ª quinzena de janeiro de 2012

ECONOMIA

diário online – www.algarvepress.net

situação dos pescadores e suas famílias e até mesmo com a própria continuidade desta comunidade piscatória propôs o seguinte: -Re-localização da área destinada ao Projecto Culturas Marinhas Algarve – Armona face à quantidade de lotes livres dentro da APAA e, por questões de segurança de pessoas e bens, deslocar a balizagem desta estrutura Norte/Poente, 1km mais para Nascente, por forma a que ela não se situe na entrada da barra do Lavajo, uma vez que esta é uma zona com uma dinâmica evolutiva, com tendência a assorear, pondo em risco para além da navegação, as próprias estruturas de produção de bivalves, minimizando assim os problemas quer para os pescadores quer para as empresas concessionárias dos lotes. Autorização especial (conforme previsto artigo 5º do decreto regulamentar 9/2008) de navegação e pesca dentro da APA Armona, para as embarcações de pesca local e costeira

Silvia Padinha (esqª) e Daniel Santos (ao microfone) sempre em defesa dos culatrenses

desta comunidade com licença de pesca atualizada, mantendo-se um resguardo de segurança em torno dos lotes efectivamente ocupados, de forma a evitar possíveis interacções com as estruturas de produção. Apesar de todos os contatos feitos ao longo dos últimos anos, não nos foi dada qualquer alternativa, sendo certo que neste momento, os pes-

cadores estão a ser alvo de perseguições por parte das entidades fiscalizadoras, o que está a provocar revolta e descontentamento junto da comunidade piscatória. Com o objectivo de preservar e defender a comunidade piscatória da Ilha da Culatra, vem esta associação apelar ao bom senso e sentido de justiça das entidades com-

“Foi precisamente

dentro desta área, onde desde sempre a comunidade piscatória fainou, que foi criada e delimitada a Área de Produção Aquícola da Armona (APAA), petentes para que seja permitido aos pescadores com

licença de pesca a possibilidade de trabalhar dentro da referida área sem que sejam autuados uma vez que a mesma está sem utilização”, conclui o documento da AMIC.

15


www.algarvepress.net – diário online

REGIONAL

Foto Flashada

2ª quinzena de janeiro de 2012

Melhor destino de golfe europeu O Algarve foi considerado o destino de golfe com o melhor best value for money da Europa Continental nos prémios da revista britânica «Today’s Golfer», ficando à frente da Turquia ou da Costa Brava no título. A região reuniu 32 por cento dos votos dos 3276 eleitores, revelou a publicação. O destino algarvio foi o grande vencedor dos «Today’s Golfer Travel Awards», tendo sido a única região do país

Esta

16

foto recebemos do nosso colaborador “Osores”. Nestes tempos conturbados, onde milhares não têm emprego ou muitos que o têm mas não recebem o vencimento, esta foto”flashada” bem podia ser considerada uma autêntica IRONIA se não soubessemos que existe a Capela de Nossa Senhora do Vencimento (dedicada aos peregrinos que conseguiram vencer o seu acto de

fé) em Portugal, na localidade de S.João de Pesqueira, na Ribeira Grande – Ilha de S. Miguel e até no Brasil, no Povoado de Modruga, zona rural do distrito de Mataripe – distrito de Mataripe. Assim, no Continente, Ilhas ou Brasil, aos portugueses não falta uma Senhora do Vencimento a quem recorrerem, já que aos políticos… dirá o famoso “Gordo” Jô Soares …”é sempre pr ´ós mesmos…”!

que conseguiu figurar na lista dos premiados. Mas as distinções não ficaram por aqui. Nas categorias de «Melhor Campo de Portugal» e de «Melhor Hotel/Resort de Portugal», o Algarve continuou a liderar a preferência dos votantes: o Oceânico Old Course, em Vilamoura, e o Dona Filipa Hotel & San Lorenzo Golf Resort, em Vale do Lobo, ficaram em primeiro lugar, com 31,31 por cento e 15,4 4 por centos dos votos, respetivamente.


2ª quinzena de janeiro de 2012

REGIONAL

diário online – www.algarvepress.net

PALMAS PALMADAS &

Palmas para os deputados dos vários partidos eleitos pelo Algarve á Ass.da República, por estarem contra o desastroso encerramento de freguesiase defenderem a tão prometida Regionalização.

A governadora civil

Isilda Gomes estava atratar do assunto em prol.da Assoc. de Moradores dos Hangares, mas o Governo Civil fechou..e agora.

Palmadas para o estado de abandono do posto de casas de habitação da antiga Guarda Fiscal no núcleo histórico e habitacional dos hangares.

Shool Boys. A Associação de Boxe do Algarve a levar o boxe juntos dos jovens demosntrando que, mais do que um desporto de combate, a pratica do boxe faz amizades e homens de amanhã.

17

Palmadas para os aumentos das taxas moderadoras de consultas no serviço nacional de saúde, incomportáveis para a maioria da população, grande parte idosos, ou não, sem fontes de rendimentos.


www.algarvepress.net – diário online

CULTURA

2ª quinzena de janeiro de 2012

Olhão, o Algarve e Portugal no Tempo das Invasões Francesas Foi apresentado ao público, na passada sexta-feira, 20 de janeiro, o livro Olhão, o Algarve e Portugal no Tempo das Invasões Francesas, uma edição do Município de Olhão, que reúne as atas do Congresso Histórico realizado nesta cidade em 2008 para assinalar os 200 anos da libertação de Olhão do domínio napoleónico.

António Rosa Mendes conversa com António Pina (esq. vice da autarquia olhanense)

Perante o auditório reple-

18

to de público da Biblioteca Municipal de Olhão, Isabel Trabucho, uma das duas dezenas de autores que agora veem a sua participação nas Comemorações dos 200 Anos da Restauração imortalizada com esta obra, assim como o coordenador cientifico do congresso de 2008, António Rosa Mendes, recordaram o importante passado de Olhão.

que agora se publica será uma referência nos estudos históricos sobre o período da Revolução Francesa”, acredita Rosa Mendes, para quem “a história tem negligenciado o papel dos olhanenses durante as invasões.

Francisco Leal - pres. da edilidade de Olhão (esq.) marcou presença no lançamento do livro de Rosa Mendes.

uma nota de rodapé no curso da história”, fez questão de salientar. Foi em Olhão que se registaram as primeiras manifestações de desagrado contra os ocupantes e em 16 de junho de 1808 eclodiu

Isabel Trabucho referiu o povo audaz que conseguiu expulsar os ocupantes franceses e reconheceu que descobriu muitas características de Olhão durante a sua pesquisa. Também o historiador António Rosa Mendes salientou a coragem do povo olhanense, dizendo esperar que “com esta publicação, Olhão passe a ter o lugar que merece na história por direito próprio”. Referiu o professor da Universidade do Algarve: “Em 2008 convocámos para Olhão investigadores, académicos, militares… A obra

acreditam os investigadores de várias universidades, e não só, que agora veem as suas intervenções publicadas na obra Olhão, o Algarve e Portugal no Tempo das Invasões Francesas. “Se não fosse a revolta de Olhão, a história não teria sido como foi”, acredita António Rosa Mendes. Uma opinião partilhada pelo edil olhanense, Francisco Leal, que tem feito vários esforços no sentido de colocar Olhão nos anais na história pelo real valor do seu povo. Referiu inúmeras iniciativas já realizadas neste âmbito, de que o Congresso de 2008 foi um dos momentos altos.

Neste congresso de 2008, ficou patente que o papel de Olhão não foi episódico nem

a revolta popular contra os franceses. Foi preciso muito heroísmo para encetar a sublevação que se seguiu,

“Repondo esta parte da história, Olhão passou a ser mais conhecido, o concelho tem tido figuras importantes no seu seio ao longo da história. Temos muito orgulho em ser os continuadores desses olhanenses”, referiu Francisco Leal, para acrescentar: “Num povo que se fez a si próprio, tudo tem de ser conquistado. Foi-o em 1808 e é-o em 2012”.


CULTURA

2ª quinzena de janeiro de 2012

diário online – www.algarvepress.net

Olhão: Cantaloupe Jazz Festival O Cantaloupe Café, nos Mercados de Olhão, avança com a realização do primeiro CANTALOUPE JAZZ FESTIVAL

Na sequência do trabalho

que tem sido desenvolvido, o Cantaloupe Café, em parceria com o Grémio das Músicas, o Real Marina Hotel e com o apoio da Câmara Municipal de Olhão, organiza o primeiro CANTALOUPE JAZZ FESTIVAL. Este evento, a decorrer entre 30 de Janeiro e 5 de Fevereiro de 2012, vai trazer durante uma semana, o JAZZ a Olhão, concertos com músicos Nacionais e

class, coordenados pela Associação Grémio das Músicas, decorreram entre o dia 30 de Janeiro e o dia 4 de Fevereiro 2012. Dia 1 de Fevereiro, terá lugar, no Real Marina Hotel, pelas 18H, um cocktail, marcando o início dos espectáculos ao vivo. Entre 1 e 4 de Fevereiro, o Real Marina Hotel junta-se a esta festa, propondo um jantar jazz, com o pianista e compositor João Galante que irá apresentar o seu último trabalho, “Standards à la

um duo histórico. Voltam-se a juntar num palco dois dos músicos que gravaram o primeiro álbum de jazz em Portugal – Rão Kyão (agora) nas Flautas e Zé Eduardo (ainda) no Contrabaixo. Este duo volta a tocar na Quinta-feira, dia 2, às 18h00. Quinta-feira, dia 2, às 22h00, sobe ao palco o trio do surpreendente guitarrista Francês Remi Charmasson, com Pierre François Maurin no Contrabaixo e Olivier Fauque na Bateria.

Internacionais, oriundos de vários horizontes musicais, workshops, masterclass e jam sessions. Os workshops e master-

Carte”, num espectáculo de piano e voz, vibrante e inesquecível. Os concertos no Cantaloupe Café iniciam-se Quarta-feira, dia 1, às 22h00, com

Também tocam na Sexta-feira, dia 3, às 18h00, 22h00 e Sábado, dia 4, às 18h00, o quarteto composto pelos mais promissores jovens e talentosos músicos Portugueses – João Firmino na Guitarra, Desidério Lazaro no Saxofone, João Hasseldberg no Contrabaixo e Luís

Candeia na Bateria. No Sábado, dia 4, às 22h00, é a vez do mais premiado bluesman da Península Ibérica aquecer a plateia do Cantaloupe Café – Mingo Balaguer no Harmónica e Félix Slim na Voz e Guitarra, têm uma encenação muito cuidada e proporcionam um excelente espectáculo. Algumas das críticas musicais, publicadas em diversos meios de comunicação, descrevem-nos como: “Em separado já são impressionantes, juntos são…‘QUE DEMÓNIOS’. Será este o duo que vai encerrar o primeiro Cantaloupe Jazz Festival no Domingo, dia 5, às 18h00. Nos dias 1,2,3 e 4, após os concertos da noite, no Cantaloupe Café, haverá Jam Session.

“Os Portas” no Auditório Pedro Ruivo Os Portas – Comédia da

Noite”, de John Godber, no Auditório Pedro Ruivo, em Faro, dia 4 de fevereiro, pelas 21h30. om António Melo, Almeno Gonçalves, Pedro Teixeira e Fernando Ferrão. 4 actores: múltiplas personagens sem nunca saírem de cena! 4 rapazes, 4 raparigas, 4 porteiros da noite… … e

ainda um Dj, um Punk, e outras criaturas que se cruzam em noites frenéticas! O antes, o durante e o depois das saídas nocturnas, vistos por todos os intervenientes. Uma comédia delirante! Um espectáculo marcante, um ritmo alucinante, e a versatilidade dos actores, bem conhecidos do Grande Pú-

blico, em papéis como nunca ninguém os viu fazer! Encenação a cargo de Almeno Gonçalves, conta ainda com o magnífico desempenho dos actotres António Melo, Fernando Ferrão, Pedro Teixeira e também de Almeno Gonçalves numa adaptação do original “The Bouncers” de John Godber.

19


www.algarvepress.net – diário online

CULTURA

2ª quinzena de janeiro de 2012

Shinegow - primeira obra literária aos 18 anos Íris Alfarra é uma jovem de 18 anos que se aventurou no mundo da escrita . A ideia do livro surgiu a meio de uma aula entre ela e as amigas. Começaram por escrever a historia as três. O livro ainda nem estava a meio e as amigas acabaram por desistir, Íris acabou por ter de o escrever sozinha.

20

É um livro juvenil que se centra na historia de três irmãs vivem no mundo de magia, e que são separadas quando são pequenas, indo viver com famílias em países diferentes. Acabam por se reencontrar na adolescência, começando a aventura quando descobrem uma casa abandonada.

“várias personagem decifrar.”

para

É um livro que se lê muito bem, ao entramos na história não conseguimos parar de ler, queremos saber o que vai acontecer às personagens . É um livro envoltente. Aconselho a todas as jovens e não só, para lerem a história. No dia 7 de Fevereiro pelas 18h até às 21h vai ser a apresentação do livro Shinegow na Biblioteca Municipal de Faro. O livro Shinegow está à venda em todas as livrarias a partir do dia 7 de Fevereiro. Elsa Ramos

Íris Alfarra aposta numa triologia e explica porquê: “Deixei várias pontas soltas.

A origem da ria formosa  Investigadores do Centro

de Investigação Marinha e Ambiental (CIMA) da Universidade do Algarve iniciaram uma campanha de sondagens na Ria Formosa para conhecer detalhadamente a estrutura de sedimentos do mais importante sistema lagunar do País. Estas sondagens, realizadas em colaboração com a firma GEOALGAR, atravessarão na íntegra os depósitos lagunares, acumulados durante os últimos 7/8 mil anos, sobre a superfície continental alagada. Financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnolo-

gia, no âmbito do projeto SIHER – Processos de Preenchimento Sedimentar e a Evolução Holocénica do Sistema Lagunar da Ria Formosa, este estudo permitirá estabelecer a sequência cronológica dos processos que conduziram à formação da laguna. Será igualmente reconstruída a evolução ambiental/ climática e a história da ocupação antrópica no Algarve, que acompanharam a formação da Ria Formosa. Com elevado valor socioeconómico e ambiental, a Ria Formosa é o mais extenso sistema lagunar português. O SIHER aborda os pro-

cessos físicos e geológicos, resultantes das alterações climáticas naturais, durante a transição do último glaciar para interglaciar, às quais se adicionam os efeitos da atividade antrópica. O conhecimento que atualmente a comunidade científica tem acerca da magnitude e frequência das alterações climáticas e sobre o nível médio do mar está ainda bastante limitado aos resultados decorrentes da pesquisa empírica, baseados nas respostas da linha de costa às alterações climáticas e do nível médio do mar.


DESPORTO diário online – www.algarvepress.net

2ª quinzena de janeiro de 2012

Combate à sazonalidade e no fortalecimento da hipoterapia

Marcelo Calixto (esq.) Joaquim Guerreiro ( centro) Manuel Bandeira ( dt.)

Os órgãos sociais da As-

sociação Equestre do Algarve (AEALG), recentemente fundada (23-11-2011), com sede em Faro, liderada pelo empresário Marcelo Calixto, apresentou esta segunda feira à comunicação social o seu plano de ação. “Orientados por um conjunto de medidas previamente delineadas e com o apoio da Federação Equestre Portuguesa (FEP), acreditamos que este será um projecto de futuro e uma mais valia para o desporto equestre algarvio.

da direção da AEALG sublinhou em jeito de apelo: “O desporto equestre pode e deve ser visto pelas entidades competentes como um bom veículo para ajudar a combater a sazonalidade turística na nossa região”. A Associação pretende levar a cabo algumas iniciativas, como a Poule de Saltos em Vilamoura, nos próximo dias 28 e 29 de Janeiro, mas Marcelo Calixto e o seu elenco diretivo promete dar

A prática do hipismo a nível distrital tem todas as condições para ter um maior impacto e protagonismo, regional, nacional e internacional, aproveitando o facto de nos encontrarmos na maior região de turismo portuguesa”, começou por destacar Marcelo Calixto. Ladeado pelo presidente da Assembleia Geral, Joaquim Guerreiro, e do secretário-geral da Federação Equestre Portuguesa (FEP), Manuel Bandeira, o presidente

especial atenção à realização de “protocolos de colaboração com centros hípicos especializados na hipoterapia e equitação terapêutica”, terapia destinada a todo o tipo de população com de-

ficiências variadas, como as crianças portadoras de autismo. Criação de um centro hípico regional, contactos e protocolos com clubes, associações, centros hípicos, autarquias e entidades ligadas ao turismo e saúde para apoio à prática da modalidade, participação em workshop´s, ações de formação na equitação e de candidatos a oficiais, provas para juízes, diretores de campo e comis-

sários, estágios de saltos, dressage e atrelagem, são outros dos objetivos anunciados pela AEALG nesta conferência de imprensa, realizada na sede da Associação.

A cerimónia, onde compareceram igualmente cavaleiros(as) e diversos parceiros da AEALG, ficou ainda marcada pelo anúncio do secretário-geral da FEP, Manuel Bandeira, dando conta que, “em breve, estará concluído o processo burocrático de adesão da AEALG à FEP, passando a constituir-se como a primeira Associação Regional Equestre do País ”. Por seu turno e a concluir, o presidente da AG da AEALG, Joaquim Guerreiro, alinhando pelo mesmo diapazão da equipa diretiva da AEALG, informado pelo dirigente da FEP que “80% dos clubes hípicos algarvios não estão registados na FEP”, salientou a “grande importância do aparecimento da Associação, em defesa de maior rigor e organização da modalidade no Algarve”, e sublinhou “a capacidade que o hipismo tem de contribuir para a diminuição dos efeitos da sazonalidade turística na região, bem como a aposta da AEALG na formação”.

21


www.algarvepress.net – diário online

DESPORTO

2ª quinzena de janeiro de 2012

Estádio Algarve recebe equipas europeias

De 28 de janeiro a 7 de fevereiro, o Estádio Algarve recebe a segunda edição do Torneio “The Atlantic Cup”, evento promovido pelo antigo futebolista Stefan Schwarz e pela Sporting Events Limited, com o apoio das Autarquias de Loulé e de Faro.

E

ste ano irão disputar o troféu três clubes de topo da Europa – Wisla Krakow (Polónia), Rapid Vienna (Áustria) e Dinamo Zagreb (Croácia) – e três clubes da Escandináva – Helsingborg IF (Suécia), FC Midtjylland (Dinamarca) e Odense BK (Dinamarca).

22

Quatro das equipas inseridas na prova já venceram os respetivos campeonatos nacionais ou encontram-se atualmente entre os primeiros lugares, para além das presenças nas competições europeias, fatores que irão contribuir para um torneio de elevado nível. “The Atlantic Cup 2012” será um torneio “round robin” (por grupos) onde cada equipa irá disputar três jogos.

Cup 2012”.

As duas equipas com o maior número de pontos serão apuradas para a final, a realizar dia 7 de fevereiro, pelas 17h00, seguindo-se a entrega da taça ao vencedor do torneio “The Atlantic

Para quem quiser assistir aos jogos haverá dois tipos de bilhete: nos dias de 1 jogo, o preço dos bilhetes é de 5 euros, e nos dias em que haverá 2 jogos o preço é de 10 euros.

Crianças até aos 16 anos não pagam. A Sporting Events Limited acredita que com as infraestruturas dos hotéis, campos de treino individuais e hospitalidade dos portugueses, juntamente com a experiência da Sporting Events Limited neste mer-

cado, este evento será, mais uma vez, um torneio digno de se recordar. As equipas participantes – Wisla Krakow – Atualmente na fase a eliminar da Liga Europa; – Helsingborg IF – Campeões da Suécia; – Dinamo Zagreb – Campeões da Croácia e vencedores da Taça da Croácia; – Rapid Vienna – Atualmente em primeiro lugar na Liga Austríaca; – Odense BK – Obteve a qualificação para a fase de grupos da Liga Europa; – FC Midtjylland – Atualmente em 3º lugar na Liga Dinamarquesa. A Sporting Events Limited irá realizar uma conferência de imprensa dia 11 de janeiro, quarta-feira, às 16h30, no Estádio Algarve. www.theatlanticcup.eu


ANDALUCÍA

2ª quinzena de janeiro de 2012

Andalucía inicia en Fitur la promoción del destino

diário online – www.algarvepress.net

70% es mujer en la plantilla del sistema público

Junta reforzará la presencia de la marca turística de la región en zonas clave de Madrid

Andalucía intensificará su promoción como destino turístico en Madrid con motivo de la edición 2012 de la Feria Internacional de Turismo (Fitur), que se celebrará en el recinto ferial Ifema entre el 18 y el 22 de enero, con los objetivos de reforzar el liderazgo del destino dentro del mercado nacional, potenciar la presencia de la marca de la comunidad e impulsar el negocio turístico. El consejero de Turismo, Comercio y Deporte, Luciano Alonso, inicia el martes, 17 de enero, las actividades organizadas por el Gobierno autonómico para esta cita turística con la presentación en la Casa América de la capital madrileña del calendario de grandes eventos deportivos nacionales e internacionales con repercusión mediática que acogerá Andalucía a lo largo de este año. Asimismo, la Junta ha emprendido diversas acciones directas enfocadas al consumidor, que se vienen desarrollando de forma simultánea en diferentes zonas estratégicas desde el pasado 9 de enero y que se

intensifican en la semana de la feria. Estas actuaciones, que amplían su temporalidad y radio de difusión respecto a años precedentes, se celebran en hoteles, centros comerciales, estaciones de metro, centros universitarios y calles céntricas de la ciudad, y cuentan con la participación de animadores que se encargan de difundir la oferta andaluza en la muestra y de registrar in situ a personas a compartir experiencias en la Comunidad Turística de Andalucía. Ya a partir del miércoles, 17 de enero, el destino continuará su promoción en el Pabellón 3 de Ifema, donde volverá a disponer de una superficie expositiva similar a la del año pasado (6.139 metros cuadrados). El stand estará dividido en dos áreas principales: una destinada a la presentación de la oferta por provincias que dará cabida a los diferentes patronatos, y otra dirigida a la creación de negocio, con espacios habilitados para los contactos entre los profesionales.

El 70% de la plantilla del sistema sanitario público andaluz es mujer y la edad media es de 47 años. El Estudio de Necesidades Profesionales 2011-2039 elaborado por la Consejería de Salud muestra que la sanidad se ha convertido en un sector en el que predominan las mujeres, según ha manifestado la consejera María Jesús Montero, que ha presentado la actualización de este informe, que permite “monitorizar la foto fija de las distintas profesiones, ver el impacto de las medidas que se han tomado y hacer la proyección conforme a los crecimientos previstos”, según ha señalado Montero. En esta ocasión, una de las conclusiones más significativas del estudio es la feminización de las profesiones sanitarias, que ya es evidente en enfermería, pero que “avanza a pasos agigantados en el resto de profesiones”. Según los datos del estudio, el peso de la mujer va creciendo en el global de la población médica. En la actualidad tan solo el 16% de los médicos mayores de 62 son mujeres, pero esta cifra alcanza un 65% en la población menor de 32 años. En cuanto a enfermería, la tasa está más repartida ya que la tasa de mayores de 65 está en un 61% y la de menores de 35 en un 79%.

Esta evolución va a promover innovaciones en la planificación de los recursos humanos para atender las necesidades de un colectivo que, según Montero, “probablemente ponga más el acento en la calidad del empleo”. Actualmente, el 70% de la plantilla del sistema sanitario público es mujer, una oscilación que va desde el 59% de las personas mayores de 59 años al 75% de las menores de 32. Tres de cada cuatro personas que se incorporan al sistema son mujeres: cuatro de cada diez enfermeras y tres de cada diez, médicas. Ficha Técnica Algarve Press info@algarvepress.net Diretor: Manuel Luís Redatores:

Manuel Andrade, Geraldo de Jesus

Colaboradores:

António Cartaxo, Carla Franco, Luís Nadkarni, Luís Neves, Nélson Pires, Octávio Escolástico, Ricardo Gomes, Rogério Barroso

Fotógrafos principais: OSORES Paginação:

Elsa Ramos (www.switch.com.pt)

Revisão:

Vico Ughetto (www.switch.com. pt) Morada: Pcta. Azedo Gneco, Lj-21 • 8000-163 Faro

23


www.algarvepress.net – diário online

Hospital Central “PS ignora compromissos” “PS ignora compromissos e é o principal responsável pelo atraso na construção do Hospital Central do Algarve”, acusa o PSD-Algarve

O

PSD/Algarve repudia as afirmações proferidas esta segunda-feira pelo líder do PS/Algarve, Miguel Freitas, e considera que a sua posição, exigindo o avanço imediato da construção do futuro Hospital Central do Algarve, apenas revela demagogia e inconsistência política. «Além de querer ignorar o compromisso já assumido pelo ministro da saúde, que classificou a construção do Hospital Central do Algarve como uma prioridade nacional, o PS esquece-se também de que foi no seu ruinoso mandato que o processo de implementação deste equipamento conheceu sucessivos revés», nota o presidente da Comissão Política Distrital do PSD Algarve, Luís Gomes.

«Na verdade, o principal responsável pelo adiamento da construção do hospital foi o PS que, entre 2005 e 2011, anulou sucessivos concursos e desperdiçou os recursos e as oportunidades que já permitiriam ter o equipamento a funcionar», nota Luís Gomes. «Sabemos que esta é uma obra necessária numa região onde o turismo representa a principal actividade, mas continua a ser nossa prioridade encontrar uma solução equilibrada que nos permita, por um lado, encontrar a disponibilidade financeira para a sua construção e, por outro, honrar os compromissos assumidos no âmbito do programa de assistência financeira a Portugal», prossegue o presidente da Comissão Política Distrital do PSD. Para Luís Gomes, não se deve confundir um processo

Luis Gomes (presidente da Comissão Política Distrital do

PSD Algarve ) concursal, que está a decorrer – e deve ser devidamente avaliado –, com a efectiva vontade de construir o hospital, desígnio que, aliás, foi assumido publicamente pela tutela. «As reformas estruturais que o Governo está a operar na área da saúde são sinal de empenho político, fórmula que será igualmente aplicada na construção do Hospital Central do Algarve assim

que estiverem assegurados todos os mecanismos de financiamento público-privados», refere ainda o líder do PSD/Algarve. «Este não é o tempo ou o assunto para o presidente do PS/Algarve Miguel Freitas fazer um mea culpa ou construir discursos de ocasião. É antes a altura de avaliar a realidade de uma forma objectiva e definir prioridades», conclui o líder do PSD/Algarve.

A Pessoa em Situação Crítica Gestão do Risco em Meio Hospitalar O

Serviço de Urgência Geral do Hospital de Faro promove no próximo dia 27 de Janeiro um seminário dedicado ao tema “A Pessoa em Situação Crítica e a Gestão do Risco Clínico em Meio Hospitalar”. Aberto a todos os interessados, a iniciativa terá início pelas 9:00 horas, no

auditório do Hospital, e trará à discussão técnicas e procedimentos implicados na prestação de cuidados à pessoa em situação crítica, promovendo ainda a reflexão sobre a gestão do risco clínico nos hospitais. Os interessados poderão inscrever-se gratuitamente em www.hdfaro.min-saude. pt ou pessoalmente no se-

cretariado do Serviço de Urgência Geral do Hospital de Faro. A iniciativa insere-se no âmbito do estágio de Cristina Oliveira, mestranda do Curso de Mestrado em Enfermagem com Especialização em Enfermagem Médico-Cirúrgica da Universidade Católica Portuguesa.

Algarve Press  

2a Quinzena Janeiro 2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you