Page 1

Leitura do densímetro e termômetro

740745750755760765770775780785790795800-

1000 900 800 700 600 500 400 300 200 100 0

A leitura deverá ser feita na linha horizontal. Fixe o olhar Fig. 1 na superfície onde o líquido corta a haste do densímetro e termômetro. Faça a leitura em ângulo reto, considerando a escala inicial do densímetro e termômetro. Procure utilizar sempre a proveta com base de vidro. A base de plástico, em contato com o produto, tende a empenar e acaba influenciando na apuração do resultado final. Na proveta de 100ml calibrada, a tampa deverá ser de vidro esmerilhado ou polietileno. Os valores deverão ser corrigidos através de tabela de correção. Os termômetros com escala interna são mais práticos e precisos na leitura.

10090807060-

-

50403020100-

62

-

60 -

Fig. 2

-

SOLUÇÃO SALINA

-

GASOLINA S/ ÁLCOOL

-

GASOLINA

Se o teor alcoólico encontrarse entre 24 e 26%, o produto atende as especificações. Caso contrário, uma análise mais completa deverá ser feita em laboratório especializado.

Alguns cuidados para identificação de problemas na comercialização da gasolina: • Mistura com solventes: através da densidade, pode-se ter um indicativo de adulteração.

V = (A x 2) + 1 V = Percentual em volume de álcool na gasolina A = Aumento volumétrico da camada aquosa em ml.

Para a ALE, qualidade não é diferencial, é obrigação.

-60ºc -55ºc -50ºc -45ºc -40ºc -35ºc -30ºc -25ºc -20ºc -15ºc -10ºc -05ºc -0ºc

• Teor elevado de álcool: exija o teste no posto revendedor. O produto deve estar com teor entre o mínimo de 24% e o máximo de 26%. • Preço abaixo da média: pode significar problemas fiscais ou de qualidade.


Nosso comprometimento com você está testado e aprovado. Pode confiar! Este informativo tem como objetivo esclarecer os procedimentos para as análises básicas sobre controle de qualidade de combustíveis. A resolução da ANP de nº 09 de 09 de março de 2007, em seu art. 8º, parágrafo único, estabelece que “o revendedor varejista fica obrigado a realizar as análises mencionadas no item 3 do Regulamento Técnico sempre que solicitado pelo consumidor.”

Aspecto visual

Densidade

Teor de Álcool na Gasolina

Este teste dá uma indicação visual de uma possível contaminação do produto.

Este teste indica se o produto é puro ou possui misturas.

No Brasil, os veículos são regulados para consumir uma gasolina com teor de álcool na faixa de 24 a 26%, em volume. Caso este produto seja adicionado em excesso, ou em menor teor do que o especificado, poderá comprometer o bom funcionamento do motor.

Coletar o produto numa proveta de vidro transparente, limpa e seca, com capacidade de 1000ml e observar contra a luz natural, verificando se há presença de água e materiais em suspensão, como poeira, ferrugem, etc. Estes, quando presentes, podem reduzir a vida útil dos filtros de combustíveis dos veículos e prejudicar o funcionamento dos motores. Para que o produto esteja dentro da conformidade, o aspecto deve estar límpido e isento de impurezas.

Cor Gasolina: Pode variar de incolor a amarela para gasolina comum e verde para gasolina aditivada.

No recebimento do combustível, deverá ser efetuado o teste da densidade e o resultado encontrado comparado com aquele constante na nota fiscal do produto. É importante lembrar que a densidade varia de acordo com a temperatura. Colocar o densímetro e o termômetro em uma proveta de 1000ml contendo o produto e fazer a leitura conforme Figura 1. Gasolina A densidade deve apresentar-se na faixa de 0,7300 a 0,7800 g/ml a 20ºC. (A densidade da gasolina não é especificada pela ANP.)

Etanol: Incolor.

Óleo Diesel A desidade do diesel S-10 deverá apresentar-se na faixa de 0,820 a 0,850 G/ML. Para o diesel S-500 o intervalo será de 0,820 a 0,865 e o S-1800 de 0,820 a 0,880, a 20°C.

Diesel: Diesel S-1800 amarela; Diesel S-500 vermelha; Diesel S-10 amarela.

Etanol Hidratado O grau INPM (teor alcoólico) deve apresentar-se na faixa de 92,5 a 93,8% a 20ºC.

Procedimento (observe Figura 2): • Em uma proveta de 1000ml, preparar uma solução salina a 10%, colocando 100 gramas de cloreto de sódio (sal de cozinha) e completando até 1000ml com água destilada. Misturar em seguida. • Colocar 50ml de amostra de gasolina tipo C na proveta de 100ml com tampa. • Adicionar a solução de cloreto de sódio até completar o volume exato de 100ml. • Misturar a solução com a amostra, invertendo a proveta, evitando agitação enérgica. • Deixar a proveta em repouso em local plano e aguardar até que ocorra a separação em duas camadas.

Folder ligados na qualidade  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you