Page 1

TRADUÇÃO:

O SETOR DE EVENTOS E A GERAÇÃO Y No mercado de hoje, organizadores e fornecedores precisam tratar de educação, networking e negócios para uma plateia composta por quatro gerações – cada uma com seus atributos, motivações e princípios. O setor não pode mais servir apenas àqueles acima de 30 anos. A viabilidade depende agora da geração Y.

Gerações, às vezes chamadas de (ou divididas em) grupos, cortes, são analisadas dentro de um período de 20 anos. As divisões atuais incluem os matures, os baby boomers, geração X e geração Y. Seus membros muitas vezes dividem perspectivas, intenções e preferências, influenciados por experiências de vida em comum. A grande depressão e a segunda guerra mundial ajudaram a formar os matures (também conhecidos como silents, veterans e a grande geração), nascidos 1925 – 1945. Matures dão valor à família, ao 1


patriotismo e à consistência. A professora Arlene Nicholas descreve os matures, em seu artigo “Generational Perceptions: Workers and Consumers”¹, como obedientes, leais e trabalhadores, mas desconfiados de mudanças. Os matures, salvas exceções, continuam na mesma empresa por bastante tempo². Os baby boomers (1945 – 1964) passaram por prosperidade e colapso econômico. São descritos como idealistas, aplicados³ e excelentes mentores4. Baby boomers colaboram bem e fazem esforços combinados para serem visivelmente presentes no trabalho5, além de preferirem um ambiente estável no emprego6. Boomers nem sempre ficam confortáveis com novas tecnologias7, mas tendem a ser sociais e classificam o networking como um fator para o sucesso. Boomers normalmente equilibram trabalho com valor próprio8 e tendem a ser leais com as empresas9. Também demonstram a maior taxa de divórcios entre as gerações10. A geração X (1965 – 1980) enfatiza o desenvolvimento profissional11, deseja liberdade no ambiente de trabalho12 e prefere horários flexíveis13. A geração X não demonstra lealdade às empresas14, mas o acesso a oportunidades de desenvolvimento profissional aumentam a longevidade do empregado15. Para a geração X, segurança no trabalho é a possibilidade de transferir habilidades para futuras oportunidades de emprego16. Da mesma maneira, eles procuram salários mais altos e/ou melhores benefícios que outras gerações e não estão propensos a sacrificar a vida pessoal por uma carreira17. A geração Y (1980 até meados dos anos 1990), também tidos como mille-

nials, generation next, net generation ou echo boomers, mostram tendências parecidas com os matures – pátrioticos, sociáveis e valorizam o lar e a família. A geração Y é a mais tecnicamente letrada das quatro, prefere colaborações através da tecnologia18, deseja desafios intelectuais, procura desenvolvimento profissional e se esforça para “fazer a diferença”. Essa geração tem baixa tolerância com o tédio19 e precisa de flexibilidade pessoal, satisfação profissional e tem urgência na satisfação do trabalho20. Ela prospera nos novos desafios e espera responsabilidades desde cedo21. A geração Y demonstra altos níveis de confiança e quer flexibilidade22.

Objetivos do estudo Com a ajuda de uma doação feita pela Universal Orlando Resorts (que originalmente concebeu o projeto) para a MPI Foundation, o Rosen College of Hospitality Management da University of Central Florida foi solicitado a identificar as diferenças entre a geração Y e outras gerações de profissionais do setor de eventos, mais

especificamente nas seguintes áreas: 1. Motivação para participantes 2. Preferências na hora de selecionar hotéis 3. Níveis de apoio dos empregadores e envolvimento organizacional 4. Preferências em comunicação profissional e social (mídias sociais, telefone celular, e-mail, mensagem de texto) 5. Interação com YouTube e frequência de uso 6. Preferências em apresentações durante conferências (discussões em grupos, online ou presenciais, conferências web, power point, duração das sessões, resumos) 7. Compras 8. Comprometimento organizacional 9. Valores

Metodologia Pesquisas qualitativas e quantitativas permitiram uma análise mais aprofundada. O Rosen College conduziu focus groups e entrevistas com três grupos (qualitativos) da geração Y. Os resultados informaram o desenvolvimento da pesquisa (quantitativa) de 96 ques-

2


tões divididas em quatro partes. Pesquisadores usaram os focus groups para confirmar e/ou validar as variáveis de participação em eventos extraídas de literatura para assegurar validade conceitual. As questões foram refinadas em cooperação com a MPI Foundation e validadas por dois pesquisadores em gestão de eventos. O Rosen College utilizou um protocolo de questões semi estruturado, controlado o bastante para iniciar discussões e fornecer oportunidades para conversação. Em cada focus group havia de 12 a 15 participantes, com idades variando de 19 a 24 anos. Os participantes vinham de três organizações estudantis diferentes, cada uma afiliada à administração hoteleira e turística, duas com ênfase em eventos (leia carta no apêndice A). Os focus groups duraram aproximadamente 90 minutos, com questões administradas verbalmente. Todos tiveram o áudio gravado para permitir transcrição, da qual os pesquisadores selecionaram os principais temas (veja apêndice B para questões perguntadas). O desenvolvimento do questionário se baseou em a) temas dos focus groups; b)literatura prévia; c) feedback de um comitê de profissionais de eventos e d) experiência e expertise dos pesquisadores. Quarenta acadêmicos e profissionais do setor de eventos responderam um pré-teste da pesquisa para checar a validade e compreensão (38 deles deram feedback). Estudantes da geração Y de dois cursos de administração de eventos também verificaram o questionário. Pequenas melhoras resultaram em um questionário mais acessível para os futuros respondentes. O questionário final (apêndice D) consiste de escalas padrão e questões

customizadas, divididas em quatro partes: 10 questões sobre valores23, 69 questões (nenhuma de escala) vindas dos focus groups, 10 escalas relacionadas a materialismo24 e compromisso organizacional25 e por último, questões demográficas (idade, educação, sexo, associação a entidades). Pesquisadores então analisaram estudantes de seis universidades que oferecem graduação em hospitalidade e/ou turismo. Professores enviaram um link por e-mail aos estudantes e pediram participação na pesquisa online. Os pesquisadores também mandaram o link por e-mail para mais de 3.000 organizadores de eventos e fornecedores MPI (apêndice C). A taxa de respostas foi muito baixa para fazer comparações, então a MPI também distribuiu pesquisas impressas em duas de suas conferências (uma regional, uma nacional). Os esforços combinados resultaram em respostas utilizáveis de 348 organizadores de eventos e fornecedores (33%) e 702 estudantes geração Y (67%). Dos 1.050 respondentes, 729 eram mulheres (69%) e 308 (30%) eram homens (1% não identificou sexo. Organizadores de eventos (48% mulheres e 51% homens) estavam mais equilibrados em termos de representação de sexo do que a geração Y (80% mulheres, 19%

homens). Os pesquisadores analisaram os dados das seguintes maneiras a) comparando estatísticas descritivas para cada grupo, b) cruzando similaridades e diferenças em tabulações e c) usando regressão logística para determinar diferenças estatísticas significantes.

DESCOBERTAS Participação questões)

em

eventos

(nove

Profissionais de eventos dizem participar de conferências principalmente por educação profissional, e estão mais propensos a participar se seus empregadores financiam a viagem/ inscrição. Esses profissionais veem eventos como investimentos na carreira e consideram custos ao decidir se irão ou não participar. A geração Y está mais propensa a participar de eventos se esses incluem sessões sociais e se seus amigos e colegas também irão participar. Eles citam a atratividade do destino como prioridade. Os dois grupos concordam fortemente que ser membro de uma associação profissional ajuda em suas carreiras e que participariam de uma conferência para conhecer outros profissionais de seus setores. Preferência de hotel (nove questões) Os organizadores de eventos preferem

3


espaços upscale e estão mais propensos a participar do evento se o hotel tiver fácil acesso a atividades ao ar livre, como trilhas. A geração Y diz que opções de hotéis com preços médios influenciam positivamente na decisão de participar de um evento. Tendem a participar se o hotel for perto de um shopping center e oferecer vida noturna e acomodações para crianças. A geração Y e os organizadores de eventos concordam que hotéis upscale na região do evento não influenciam sua participação, e que opções de hospedagem de baixo custo são mais importantes que luxo. Tem opinião neutra sobre se atrações próximas poderiam encorajar sua particpação. Apoio e envolvimento do empregador (seis questões) O grupo composto por organizadores de eventos participam de conferências para aprender novas capacidades e conhecimento que possam usar no trabalho, e frequentemente se sentem obrigados a participarem de eventos para “apoiar o setor”. Em contraste, a geração Y é mais suscetível a participar se resultar em reconhecimento de seus empregadores e se o evento oferece um componente de responsabilidade social. Os dois dizem que participariam de um evento mesmo que seus empregadores não apoiassem e concordam que pessoas mais envolvidas em capítulos estudantis/locais/regionais mais provavelmente vão participar de evento. Comunicação (16 questões) Organizadores preferem eventos presenciais contra web ou vídeo conferências. Gostam de receber atualizações por e-mail antes do evento e usam redes sociais como ferramentas profissionais de comuni-

cação. Preferem o Twitter para atualizações (e para acompanhar o setor) e o LinkedIn e e-mail para cultivar contatos e se conectar com outros profissionais. A geração Y usa redes sociais para acompanhar amigos (uma tendência vista na pesquisa de relacionamentos Buy and Sell da MPI, www.mpiweb.org/store/5625). Eles usam o Twitter para comunicação pessoal e atualizações, e o Facebook para acompanhar eventos. Eles preferem pagar (um pouco) mais para ter todos os materiais de conferências no local. Mas os dois grupos concordam nos seguintes pontos: “Durante o evento, prefiro receber atualizações do mesmo via e-mail ou mensagem de texto”. “Prefiro ser responsável por imprimir todo o material da conferência antes da mesma”. “Imprimo a agenda do evento e panfletos de palestrantes previamente”. “Se disponível, eu faria o download da agenda da conferência e informações sobre os palestrantes previamente no meu dispositivo móvel”. “Já participei de um evento promovido via Facebook ou outra mídia social”. “Eu acho o Twitter um meio efetivo de promover eventos”. Uso do YouTube (oito questões) Organizadores de eventos frequentemente acessam os vídeos do YouTube profissionalmente e compartilham com seus colegas e clientes. A geração Y acessa o YouTube para uso pessoal

e compartilham vídeos com amigos. Mas também o usam diariamente para fins profissionais e frequentemente adicionam vídeos do YouTube às suas apresentações. Apesar de não haver uma diferença estatisticamente significante entre os dois grupos, quando perguntados se acessam o YouTube ao menos uma vez por dia por razões pessoais, os estudantes foram mais neutros em suas respostas, e organizadores de eventos eram mais propensos a discordar. Preferências em apresentações (11 questões) Os profissionais de eventos preferem sessões presenciais à web conferências, pequenas discussões em grupos no final de cada sessão como um apanhado do tema e painéis moderados (para manter tempos iguais). Eles também querem sistemas de avaliação que mostrem que nível de competência cada sessão requer. A geração Y quer sessões educacionais disponíveis via wecast para limitar o tempo na conferência. Eles gostam de sessões curtas e apresentações colaborativas usando lousas eletrônicas e querem aprender por anedotas. Profissionais de eventos e a geração Y concordam fortemente em sua preferência por vídeos em apresentações, pois torna a experiência mais cativante. Mas ambos discordam fortemente que estão “cansados de ver power points” e “preferem sessões longas”. Materialismo (seis questões) Os organizadores de eventos pensam que as pessoas, em geral, colocam muita ênfase em coisas materiais, mas a geração Y diz que lhes incomoda que não possam comprar tudo que querem. As quatro outras declarações não revelaram diferenças entre os grupos:

4


“Para mim é importante ter coisas muito legais” - Não “Eu gostaria de ser rico o bastante para comprar tudo que quero” Neutro “Eu seria mais feliz se pudesse comprar mais coisas” - Neutro “É verdade que o dinheiro compra a felicidade” - Neutro Comprometimento (quatro questões)

organizacional

Profissionais de eventos estariam dispostos a deixar suas empresas por mais liberdade criativa. A geração Y tem prioridades diferentes: Salários maiores e colegas mais amigáveis. Os dois grupos concordam que estariam dispostos a trocar de empresa se o novo emprego oferecesse maior status. Valores (sistema de pontuação – nove como máximo) Os organizadores de eventos valorizam “serem respeitados” mais do que a geração Y, que valoriza entusiasmo e segurança muito mais do que os anteriores. Outros valores se provaram similares entre os dois grupos (veja quadros).

DISCUSSÃO E RECOMENDAÇÕES A convergência do fluxo econômico e os avanços tecnológicos mudaram o setor de eventos drasticamente nos últimos cinco anos. Indiferentemente, a participação continua a agir como um contribuidor crítico para os budgets anuais – e profissionais de eventos precisaram recorrer a múltiplas gerações se quiserem continuar viáveis. Para os atuais organizadores de evento, a participação futura depende

de a) apoio financeiro dos empregadores, b) justificativa de despesas e c) eventos como investimentos na carreira. A geração Y, por outro lado, cita apenas uma influência financeira: um hotel de preço médio no local ou nas proximidades do evento. De fato, a geração Y tem algumas motivações diferentes daquelas de seus parceiros mais velhos – como a participação de amigos e colegas – que precisam ser tratadas. Profissionais de eventos podem querer criar programas de incentivo (dois por um ou traga um amigo) para aumentar a participação dessa geração. Programas similares para empregadores pode apoiar a participação de colegas. O segmento mais jovem pode, também, não estar ciente de reembolsos de despesas tradicionais. Os organizadores de eventos preferem hotéis upscale com ofertas ao ar livre (pense: trilhas). A geração Y, ao contrário, encontra motivação no destino em si, em suas ofertas sociais e shoppings próximos e/ou vida noturna. Também gostam de ambientes amigáveis às crianças (o que exige mais explicações quando ao porquê). No local, profissionais de eventos participam por desenvolvimento profissional. A geração Y vê conferências como eventos sociais, apesar de levá-los a sério. A geração Y diz que o reconhecimento de seus empregadores pode motivar uma futura participação.

te a participar de eventos. Hoje em dia, os organizadores de eventos muitas vezes pedem que os participantes revisem (e façam download, se necessário) os materiais antes da chegada, isso se traduz em economia e uma forma de visualização antecipada do material. Interessantemente, a geração Y diz estar disposta a pagar mais para ter cópias físicas no local. Organizadores podem querer oferecer esse serviço por uma taxa (e como fonte de receita adicional). Enquanto isso, profissionais de eventos podem usar tecnologia para melhorar os canais de comunicação antes do evento, para atualizações, anúncios e mudanças nos horários/ palestrantes. Preferências em design do evento variam. Organizadores e fornecedores devem focar nas influências já mencionadas de acordo com relevância. Profissionais de eventos preferem sessões presenciais; geração Y gosta de mesclar as ofertas virtuais e/ou webcasts. Profissionais de eventos avaliam sessões baseado no uso do tempo; geração Y gosta de sessões curtas para alocação de tempo limitada. Profissionais de eventos preferem pequenas discussões em grupo; a geração Y prefere colaboração em lousas eletrônicas. No futuro, organizadores podem ter de oferecer educação em tempo real baseada em eletrônicos para atrair participação.

Para esse fim, sessões de eventos frequentemente servem como plataforma para creditos de educação continuada e/ou pontos de certificação, que estão relacionados à credibilidade e ao credenciamento. Empregadores podem potencialmente aumentar a retenção de empregados geração Y apoiando-os financeiramen-

5


NOTAS FINAIS 1 Nicholas, A. J. (2009). Generational perceptions: Workers and consumers. Journal of Business and Economics Research, 7(10), pp. 47-52. 2 Allen, P. (2004). Welcoming Y. Benefits Canada, 28(9), pp. 51-53. 3 Yu, H.C. & Miller, P. (2003). The Generation Gap and Cultural Influence - A Taiwan Empirical Investigation, Cross Cultural Management, 10(3), pp. 23-41. 4 Kupperschmidt, B. (2000). Multi-Generation Employees: Strategies for Effective Management, Health Care Manager, 19(1), pp. 65-76. 5 Nicholas, A. J. (2009). Generational perceptions: Workers and consumers. Journal of Business and Economics Research, 7(10), pp. 47-52. 6 Wong, M.; Gardiner, E.; Lang, W.; & Coulon, L. (2008). Generational Differences in Personality and Motivations: Do they exist and what are the implications? Journal of Managerial Psychology, 23(8), pp. 878-890. 7 Eisner, S. P. (2005). Managing Generation Y. S.A.M. Management Journal, 70(4), pp. 4-15. 8 Nicholas, A. J. (2009). Generational perceptions: Workers and consumers. Journal of Business and Economics Research, 7(10), pp. 47-52. 9 Elsdon, R. & Lyer, S. (1999). Creating Value and Enhancing Retention Through Employee Development: the Sun Microsystems Experience, Human Resource Planning, 22(2), pp. 39-48. 10 Marconi, J. (2001). Future marketing: Targeting Seniors, Boomers, Generation X and Y. NTC Contemporary Publishing Group Inc., Chicago. 11 Hill, R.P. (2002). Managing Across Generations in the 21st Century: Important Lessons From the Ivory Trenches, Journal of Management Inquiry, 11(1), pp. 60-72. 12 Nicholas, A. J. (2009). Generational perceptions: Workers and consumers. Journal of Business and Economics Research, 7(10), pp. 47-52. 13 Krug, J. (1998). Understanding Generation X. Journal of Management in Engineering, 14(6), pp. 18-19. 14 Eisner, S. P. (2005). Managing Generation Y. S.A.M. Management Journal, 70(4), pp. 4-15. 15 Huntley, R. (2006). The World According to Y: Inside the New Adult Generation, Allen and Unwin, Sydney. 16 Bell, N. S. & Narz, M. (2007). Meeting the Challenges of Age Diversity in the Workplace. The CPA Journal, 77(2), pp. 56-59. 17 Krug, J. (1998). Understanding Generation X. Journal of Management in Engineering, 14(6), pp. 18-19. 18 Nicholas, A. J. (2009). Generational perceptions: Workers and consumers. Journal of Business and Economics Research, 7(10), pp. 47-52. 19 Goman, C. K. (2006). Communicating For a New Age. Strategic Communication Management, 10(5), pp, 8-9. 20 Sayers, R. (2007). The Right Staff from X to Y. Library Management, 28(8/9), pp. 474-487.

6


21 Glass, A. (2007). Understanding Generational Differences for Competitive Success. Industrial and Commercial Training, 38(2), pp. 98-103. 22 Nicholas, A. J. (2009). Generational perceptions: Workers and consumers. Journal of Business and Economics Research, 7(10), pp. 47-52. 23 Kahle, L. (1986). The Nine Nations of North America and the Values Basis of Geographic Segmentation, Journal of Marketing, 50, 37-47. 24 Richins, M. (1987). Media, Materialism and Human Happiness. In Melanie Wallendorf and Paul Anderson (Eds.), Advances in Consumer Research (14), 352-356. Provo, UT: Association for Consumer Research. 25 Hunt, S., Chonko, L., & Wood, V. (1985). Organizational Commitment in Marketing. Journal of Marketing, 49, 112-126.

7


APÊNDICE A Carta para organizações de estudantes de hospitalidade Prezado membro MPI Student Association, PCMA Student Association e Hospitality Student Association, Nós gostaríamos de pedir sua participação em diversos focus groups que conduziremos no campus durante o verão. Estamos conduzindo uma pesquisa em Geração Y (pessoas nascidas durante os anos 1980 e 1990). O propósito do estudo é identificar o que vai motivar a geração Y a participar de conferências, determinar elementos de planejamento que possam ser de ajuda para organizadores, descobrir os tipos de serviços que fornecedores podem oferecer e a efetividade de mídias sociais na promoção de eventos. Sua resposta é valiosa para o sucesso do projeto e você irá se beneficiar sabendo que suas respostas estão sendo usadas para melhor instruir profissionais em eventos em como servir participantes da geração Y. Os resultados dos focus groups serão usados para ajudar a MPI a entender como servir à geração Y no futuro. Suas respostas são totalmente confidenciais e serão publicadas somente como sumários nos quais os respondentes não podem ser identificados. A participação é voluntária. Você pode escolher não responder quaisquer perguntas. Se você tem vontade de participar do focus group, por favor contate Dr. Kimberly Severt via ksevert@mail.ucf.edu ou ligue (407) 903-8052. Os focus groups durarão aproximadamente uma hora e acontecerão no Rosen College, na sala 102-J. Esperamos obter uma melhor compreensão das necessidades da geração Y e como ela afeta o setor de eventos. Conselho de Revisão Institucional University of Central Florida

APÊNDICE B Questões para os focus groups de estudantes 1. Você acredita que atuais estudantes estarão interessados em participar de eventos associativos depois de se formarem? 2. Que estilo de vida ou interesses sociais encorajariam a sua faixa etária a participar de eventos/ conferências? 3. Quando você participa de uma conferência, que tipos de comunicação você prefere? Por quê?

4. Você acha que pessoas que participam de eventos deveriam aderir à praxe de smartphones? Se sim, como e o que deveria ser essa praxe? 5. Como participar em conferências pode ajudar suas expectativas de careira? 6. Que valor eventos te proporciona? 7. Do que você não gosta quando participa de um evento? 8. O que chama a sua atenção e te mantém atento em uma sessão? 9. Quão importante você acha que a habilidade com pessoas é para a sua profissão? O que você pensa quando eu digo “habilidade com pessoas”? 10. Como você prefere se comunicar com colegas de trabalho? Da sua idade ou mais velhos? Por quê? 11. Como você acha que estudantes aprendem melhor? Você acha que isso continua igual uma vez que eles estão em suas careiras? 12. O que, na agenda de um evento, mais te encorajaria a participar? 13. Como você acha que o design e layout das salas de conferências se adéquam aos objetivos de aprendizado e encoraja o engajamento? 14. Você estaria disposto a pagar do seu bolso para participar de um evento do setor? Por que ou por que não? 15. Como um grupo, quais são as três coisas que são mais importantes para vocês?

APÊNDICE C Carta aos profissionais de eventos Prezado participante, Nós gostaríamos de pedir sua participação nessa pesquisa. Estamos trabalhando com a MPI Foundation para identificar o que irá motivar a geração Y (nascida nos anos 1980 e 1990) a participar de conferências. Por fim, os resultados vão auxiliar organizadores de eventos a determinar elementos do design apropriados para a geração Y participar e vão determinar a efetividade da mídia social na promoção de eventos. Sua resposta é valiosa para o sucesso do projeto e você irá se beneficiar sabendo que suas respostas estão sendo usadas para melhor instruir profissionais em eventos em como servir participantes da geração Y. Estamos pedindo que você participe em uma pesquisa online voluntária e anônima.

8


Sua participação e respostas honestas beneficiarão a missão da MPI de oferecer educação de ponta e experiências valiosas para participantes em eventos. As perguntas da pesquisa variam de questões gerais a questões demográficas e influências na participação em eventos. Essa pesquisa é voluntária. Você pode escolher não participar ou não responder qualquer questão. Você poderá pular qualquer pergunta com a qual você não estiver confortável. Você pode recusar participar dessa pesquisa. Não existem riscos. Não responda a essa pesquisa se você tiver menos de 18 anos de idade. Essa pesquisa é anônima. Suas respostas nunca serão combinadas ao seu nome. O endereço de IP será removido da pesquisa quando essa for enviada. O estudo examina as motivações e inibições para a participação em eventos. A informação será inestimável para os executivos, organizadores e fornecedores da associação, em relação às experiências dos participantes. Por favor, responda às questões honestamente. Essa pesquisa leva 10 a 12 minutos para ser completada. A pesquisa segue essa informação e seu consentimento. Se você escolher participar, você pode completar a pesquisa imediatamente ou a qualquer momento até 15 de outubro de 2010. O seu retorno imediato à pesquisa será muito apreciado. Sua privacidade e registros de pesquisa serão mantidos confidenciais na medida da lei. Pessoal de pesquisa autorizado, o Conselho de Revisão Institucional da UCF e sua equipe e outros indivíduos agindo em nome da UCF podem inspecionar os registros desse projeto de pesquisa. Os resultados desse estudo poderão ser publicados. No entanto, na publicação, os dados obtidos de você serão combinados com dados de outros. Seu nome não constará na publicação nem nenhuma outra informação que possa te identificar de alguma forma. A pesquisa da University of Central Florida envolvendo participantes humanos é realizada sob supervisão do Conselho de Revisão Institucional. Questões ou preocupações sobre os direitos dos participantes da pesquisa devem ser direcionados ao escritório do Conselho de Revisão Institucional da UCF. Office of Research and Commercialization, 12201 Research Parkway, Suite 501, Orlando, FL

32826- 3246. Telefones (407) 823-2901 ou (407) 8822276. Obrigado por fornecer seu tempo e atenção para completar essa pesquisa. Apreciamos sinceramente sua participação. Rosen College of Hospitality Management, University of Central Florida

9


APÊNDICE D A pesquisa 1. Por favor, indique se você é um fornecedor, organizador ou estudante. 2. Em que ano você nasceu? Parte 1: A seguir uma lista de coisas que as pessoas desejam ou querem tirar de suas vidas. Por favor, estude a lista cuidadosamente e depois classifique cada item em importância na sua vida diária, onde um (1) é muito insignificante e nove (9) é muito importante. Insignificante

1

2

3

Muito importante

4

5

6

7

8

9

Sensação de pertencer Entusiasmo Relação amigável com outros Autorrealização Ser respeitado Diversão e alegria em viver Segurança Autorrespeito Sensação de tarefa cumprida Agora releia os itens acima e circule aquele que é o mais importante para você no seu dia a dia.

Parte 2. Por favor, circule sua resposta, onde um (1) é igual a discordo fortemente e cinco (5) representa concordo fortemente. Ser parte de uma associação profissional ajudará minha carreira.

1

2

3

4

5

Eu acho importante participar de conferências para me manter atualizado com minha profissão. Eu estaria mais propenso a participar de conferências se contassem com eventos sociais. Eu estaria mais propenso a participar de conferências se amigos ou colegas participassem. Eu estaria mais propenso a participar de um evento se meu empregador me ajudasse com a despesa O custo da participação em uma conferência é um investimento para minha carreira. Os custos de participação são considerações importantes ao decidir participar. Eu participaria de uma conferência se eu pudesse conhecer profissionais na minha área. Se o evento acontecer em um destino atraente, estou mais propenso a participar.

10


Prefiro espaços de eventos upscale. Hotéis upscale na região do evento influenciam minha decisão em participar. Se um hotel de preço médio está disponível próximo à locação do evento, isso irá influenciar minha decisão em participar. Estou mais propenso a participar de eventos onde o hotel anfitrião é próximo a atrações. Estou mais propenso a participar de eventos onde o hotel anfitrião é próximo a shoppings. Estou mais propenso a participar de eventos onde o hotel anfitrião oferece vida noturna no local ou nas proximidades. Estou mais propenso a participar de eventos onde o hotel anfitrião recebe bem crianças. Estou mais propenso a participar de eventos onde o hotel anfitrião oferece atividades ao ar livre, por exemplo, trilhas. Um menor custo com hotel é mais importante para mim do que um hotel luxuoso com mais serviços. Eu participaria de eventos se eu fosse aprender algo a ser usado no meu trabalho. Estou mais propenso a participar de eventos se recebesse reconhecimento do meu empregador por participar. Eu participaria de uma conferência, mesmo que meu empregador não apoiasse. Estou mais propenso a participar de conferências que incluem responsabilidade social (uma forma de retribuir para a comunidade local) Quanto mais envolvido eu estiver em um capítulo estudantil/local/ regional, mais propenso estou a participar de eventos. Eu tenho a obrigação de participar da conferência anual para apoiar o setor. Eu prefiro encontros presencias ao invés de vídeo ou web conferências. Antes do evento, eu prefiro receber atualizações por e-mail. Durante o evento, eu prefiro receber atualizações por e-mail ou mensagem de texto. Eu prefiro ser responsável por imprimir o material do evento antecipadamente. Eu prefiro pagar um pouco mais para ter o material disponível no local. Eu imprimo a agenda e informações sobre palestrantes antes de ir ao evento. Se disponível, eu faria o download da agenda e informações sobre palestrantes no meu aparelho móvel antes do evento.

11


Eu me comunico com amigos principalmente através de redes sociais. Eu me comunico por razões de negócios através de redes sociais, por exemplo, Facebook. Eu prefiro usar o Twitter para comunicação e atualizações de negócios. Eu prefiro usar o Twitter para comunicação e atualizações pessoais. Eu prefiro me comunicar com contatos profissionais através do Linked In e e-mail corporativo. Eu acesso YouTube pelo menos uma vez ao dia para uso pessoal. Eu acesso YouTube pelo menos uma vez por semana para uso pessoal. Eu compartilho vídeos do YouTube com meus amigos semanalmente. Eu frequentemente uso vídeos do YouTube em apresentações. Eu acesso o YouTube pelo menos uma vez ao dia para uso corporativo. Eu acesso o YouTube pelo menos uma vez por semana para uso corporativo. Eu acesso o YouTube pelo menos uma vez ao mês para uso corporativo. Eu compartilho vídeos do YouTube com colegas e/ou clientes. Eu gostaria de ver mais apresentações colaborativas usando lousas eletrônicas. Eu prefiro o uso de vídeos em apresentações porque torna a experiência mais cativante. Eu prefiro conversações de telefone contra mensagens de texto para comunicação corporativa. Eu prefiro conversações por e-mail contra mensagens de texto para comunicação corporativa. Eu já participei de um evento promovido via Facebook ou outra rede social. Eu acho que o Twitter é uma forma eficaz de promover eventos. Eu acompanho eventos através da minha página de Facebook. Eu prefiro mensagens de texto contra ligações telefônicas. Eu uso o Twitter para acompanhar o que está acontecendo no setor. Eu prefiro usar aplicativos no meu telefone para ter informações sobre eventos. Eu prefiro ter algumas sessões educacionais disponíveis via webcast ou online para limitar meu tempo no evento. Eu prefiro sessões presenciais contra web conferências. Estou cansado de ver power points. Prefiro sessões curtas (até uma hora).

12


Prefiro sessões longas (uma a três horas). Prefiro pequenas discussões em grupo no final de cada sessão como um apanhado do tema. Prefiro um moderador para que os panelistas tenham tempo igual.

APÊNDICE E Motivação para participar de um evento: Resultados da regressão logística Preferido pelos profissionais de eventos Preferido pela geração Y Variável independente

Coeficiente

Desvio padrão

B/S.E.

P

V14 Acompanhar minha profissão.

-0,353

0,099

0,703

0,000

V15 Probabilidade em participar se houver 0,403 um evento social.

0,076

1,497

0,000

V16 Probabilidade em participar se amigos 0,696 ou colegas participarem.

0,808

2,006

0,000

V17 Probabilidade em participar empregador ajudar com as despesas.

0,092

0,759

0,003

V18 Custos de participação como um -0,189 investimento.

0,095

0,828

0,046

V19 Custo é uma consideração em minha -0,377 decisão.

0,089

0,686

0,000

V21 Se o evento for em um destino atraente.

0,077

1,464

0,000

se -2,76

0,381

Teste de Hosmer e Lemeshow: P = 0,350 Qui-quadrado (sete graus de liberdade) = 8,906 P-valor (nível de significância observado) < 0,05; B = coeficiente de regressão S = desvio padrão Diferença em preferência de hotel: Resultados da regressão logística Preferido pelos profissionais de eventos Preferido pela geração Y Variável independente

Coeficiente

Desvio padrão

B/S.E.

P

V22 Eu prefiro espaços upscale de eventos.

-0,205

0,071

0,815

0,004

V24 Hotel de preço médio próximo à 0,206 conferência.

0,072

1,228

0,004

V26 Hotel anfitrião é próximo a um 0,506 shopping.

0,075

1,658

0,000

13


V27 Hotel anfitrião oferece programação 0,342 noturna.

0,077

1,408

0,000

V28 Hotel anfitrião recebe bem crianças.

0,070

1,222

0,004

0,069

0,804

0,002

0,201

V29 Hotel anfitrião tem atividades ao ar -0,219 livre.

Teste de Hosmer e Lemeshow: P = 0,350 Qui-quadrado (sete graus de liberdade) = 8,906 P-valor (nível de significância observado) < 0,05; B = coeficiente de regressão S = standard errors S = desvio padrão Percepções de apoio do empregador: Resultados da regressão logística Preferido pelos profissionais de eventos Preferido pela geração Y Variável independente

Coeficiente

Desvio padrão

B/S.E.

P

V31 Participar se eu for aprender algo para o -0,694 meu trabalho.

0,094

0,499

0,000

V32 Reconhecimento do empregador.

0,331

0,067

1,392

0,000

V34 Inclui responsabilidade social.

0,527

0,069

1,694

0,000

V36 Obrigação com o setor.

-1,73

0,059

0,841

0,003

Teste de Hosmer e Lemeshow: P = 0,350 Qui-quadrado (sete graus de liberdade) = 8.906 P-valor (nível de significância observado) < 0,05; B = coeficiente de regressão S = desvio padrão Preferências em comunicação: Regressão logística Preferido por profissionais de eventos Preferido pela geração Y Variável independente

Coeficiente

Desvio padrão

B/S.E.

P

V38 Antes do evento eu prefiro atualizações -0,337 via e-mail.

0,089

0,714

0,000

V41 Pagar para ter materiais no local.

0,342

0,064

1,407

0,000

V44 Comunicar-se com amigos 0,416 primariamente através de redes sociais.

0,075

1,516

0,000

V45 Comunicar-se profissionalmente em -0,311 redes sociais.

0,072

0,732

0,000

V47 Preferir Twitter para comunicação 0,251 pessoal.

0,087

1,286

0,004

14


V48 Prefere comunicar-se com contatos -6,39 profissionais via redes sociais.

0,064

0,528

0,000

V59 Profissionalmente, eu prefiro 0,193 conversações telefônicas a mensagens de texto.

0,075

6,556

0,010

V60 Para comunicação profissional, eu -0,253 prefiro conversações por e-mail a mensagens de texto.

0,082

0,777

0,002

V63 Acompanhar os eventos via minha 0,320 página do Facebook.

0,066

1,377

0,000

V64 Eu prefiro mensagens de texto a 0,322 ligações telefônicas.

0,067

1,381

0,000

V65 Usar Twitter para se manter atualizado -0,340 com o setor.

0,084

0,712

0,002

Teste de Hosmer e Lemeshow: P = 0,350 Qui-quadrado (sete graus de liberdade) = 8.906 P-valor (nível de significância observado) < 0,05; B = coeficiente de regressão S = desvio padrão Preferências em uso do YouTube: Regressão logística Preferido por profissionais de eventos Preferido pela geração Y Variável independente

Coeficiente

Desvio padrão

B/S.E.

P

V50 Acessar o YouTube ao menos uma vez 0,260 por semana para uso pessoal.

0,061

1,297

0,000

V51 Compartilhar vídeos do YouTube com 0,228 meus amigos semanalmente.

0,087

1,257

0,008

V52 Usar vídeos do YouTube 0,714 frequentemente em minhas apresentações.

0,086

2,042

0,000

V53 Acessar o YouTube profissionalmente 0,348 ao menos uma vez por dia.

0,129

1,416

0,007

V54 Acessar o YouTube profissionalmente -0,356 ao menos uma vez por semana.

0,121

0,700

0,003

V55 Acessar o YouTube profissionalmente -0,338 ao menos uma vez ao mês.

0,088

0,713

0,000

V56 Compartilhar vídeos do YouTube com -0,276 colegas e/ou clientes.

0,084

0,759

0,001

Teste de Hosmer e Lemeshow: P = 0,350 Qui-quadrado (sete graus de liberdade) = 8.906 15


P-valor (nível de significância observado) < 0,05; B = coeficiente de regressão S = desvio padrão Preferências em apresentações: Regressão logística Preferido por profissionais de eventos Preferido pela geração Y Variável independente

Coeficiente

Desvio padrão

B/S.E.

P

V67 Sessões educacionais disponíveis online 0,157 para limitar o tempo de evento.

0,059

1,170

0,008

V68 Preferir sessões conferências web.

0,069

0,827

0,006

0,069

1,339

0,000

V72 Pequenas discussões em grupo após -0,465 cada sessão como um apanhado.

0,068

0,628

0,000

V73 Moderadores para que os painelistas -0,465 mantenham tempos iguais.

0,068

0,628

0,000

V74 Querem experiências reais do setor.

0,079

1,211

0,016

V75 Sistema de classificação a cada sessão -0,356 para determina competência.

0,071

0,700

0,000

V77 Apresentações colaborativas usando 0,181 lousas eletrônicas.

0,061

1,199

0,003

presenciais

V70 Sessões curtas (Até 1 hora).

a -0,190 0,292

0,191

Teste de Hosmer e Lemeshow: P = 0,350 Qui-quadrado (sete graus de liberdade) = 8.906 P-valor (nível de significância observado) < 0,05; B = coeficiente de regressão S = desvio padrão Visão materialista: Resultados da regressão logística Preferido por profissionais de eventos Preferido pela geração Y Variável independente

Coeficiente

Desvio padrão

B/S.E.

P

V86 Me incomoda que eu não possa pagar as 2,14 coisas que quero.

0,052

1,239

0,000

V87 As pessoas colocam muita ênfase em -0,151 coisas materiais.

0,058

0,860

0,009

Teste de Hosmer e Lemeshow: P = 0,350 Qui-quadrado (sete graus de liberdade) = 8.906 P-valor (nível de significância observado) < 0,05; B = coeficiente de regressão S = desvio padrão 16


Comprometimento organizacional: Resultado da regressão logística Preferido por profissionais de eventos Preferido pela geração Y Variável independente

Coeficiente

Desvio padrão

B/S.E.

P

V89 Vontade de trocar de empresa por um 0,318 salário maior.

0,068

1,375

0,000

V90 Vontade de trocar de empresa se o novo -0,316 emprego oferecer mais liberdade de criatividade.

0,078

0,729

0,000

V92 Vontade de trocar de trabalho se o novo 0,432 emprego for com pessoas mais simpáticas.

0,067

1,756

0,000

Teste de Hosmer e Lemeshow: P = 0,350 Qui-quadrado (sete graus de liberdade) = 8.906 P-valor (nível de significância observado) < 0,05; B = coeficiente de regressão S = desvio padrão Frequência e porcentagem de itens de valores de vida. Sensação de pertencimento

Desimportante

Nenhum

Importante

Total

Profissionais

31 (9%)

27 (8%)

288 (83%)

346 (100%)

Geração Y

58 (8%)

45 (7%)

599 (85%)

702 (100%) 1,048

Entusiasmo Profissionais

33 (10%)

29 (8%)

283 (82%)

345 (100%)

Geração Y

51 (7%)

36 (5%)

615 (88%)

702 (100%) 1,047

Bom relacionamento com os outros Profissionais

28 (8%)

10 (3%)

307 (89%)

345 (100%)

Geração Y

39 (6%)

19 (3%)

644 (91%)

703 (100%) 1,048

Autorrealização Profissionais

24 (7%)

7 (2%)

314 (91%)

345 (100%)

Geração Y

34 (5%)

19 (3%)

649 (92%)

702 (100%) 1,047 17


Ser respeitado Profissionais

24 (7%)

4 (1%)

318 (92%)

346 (100%)

Geração Y

35 (5%)

23 (3%)

644 (92%)

702 (100%) 1,048

Diversão e aproveitamento da vida Profissionais

21 (6%)

5 (2%)

318 (92%)

344 (100%)

Geração Y

34 (5%)

7 (1%)

661 (94%)

702 (100%) 1,046

Segurança Profissionais

36 (10%)

22 (7%)

288 (83%)

346 (100%)

Geração Y

48 (7%)

35 (5%)

619 (88%)

702 (100%)

Profissionais

24 (7%)

5 (1%)

316 (92%)

345 (100%)

Geração Y

41 (6%)

16 (2%)

645 (92%)

702 (100%)

Autorrespeito

1,047 Sensação de realização Profissionais

24 (7%)

7 (2%)

314 (91%)

345 (100%)

Geração Y

35 (5%)

16 (2%)

651 (93%)

702 (100%)

Desimportante = extremamente desimportante, fortemente desimportante, muito desimportante, desimportante. Importante = extremamente importante, fortemente importante, muito importante, importante.

Valores de vida: Resultados da regressão logística Preferido por profissionais de eventos Preferido pela geração Y Variável independente

Coeficiente

Desvio padrão

B/S.E.

P

Entusiasmo

0,143

0,042

1,154

0,001

Segurança

0,125

0,053

0,866

0,007

Ser respeitado

-0,143

0,053

0,866

0,007

Teste de Hosmer e Lemeshow: P = 0,350 Qui-quadrado (sete graus de liberdade) = 8.906 P-valor (nível de significância observado) < 0,05; B = coeficiente de regressão S = desvio padrão

18


University of Central Florida – Rosen College of Hospitality Management A University of Central Florida é atualmente a terceira maior escola em hospitalidade nos Estados Unidos. O Rosen College of Hopsitality Management ostenta o maior número de matrículas de alunos de hospitalidade no país. Ele oferece três diplomas de graduação (gestão de hospitalidade, gestão de restaurantes e gestão de eventos), um master e um doutorado em educação em hospitalidade. Existem mais de 3.000 alunos frequentando aulas na faculdade, que está situada no maior laboratório de gestão em hospitalidade do mundo, a alguns quilômetros do Universal Orlando Resort.

Universal Orlando Resort O Universal Orlando Resort criou alguns dos parques temáticos mais inovadores do mundo, baseados nos filmes e estórias mais atraentes da cultura pop. Visitantes vivenciam dois empolgantes parques temáticos – Universal Studios e Islands of Adventure e Universal City Walk, um complexo de entretenimento de 30 acres, com restaurantes, lojas e vida noturna – bem como instalações para produções cinematográficas de primeira linha, 250.000 pés quadrados de centro de convenções em resort e 2.400 apartamentos em três hotéis – Loews Portofino Bay Hotel, Hard Rock Hotel e Loews Royal Pacific. O Universal Orlando Resort recebe cerca de 1.800 eventos anualmente em todas as suas variadas salas, com o número de participantes variando de 20 a 20.000. Jen Frys Manager-Resort Marketing Universal Orlando Resort Principal Investigators Jill Fjelstul Assistant Professor University of Central Florida Rosen College of Hospitality Management Jill.Fjelstul@ucf.edu Kimberly Severt Assistant Professor

University of Central Florida Rosen College of Hospitality Management Kimberly.Severt@ucf.edu Deborah Breiter Tourism Events and Attractions Department Chair University of Central Florida Rosen College of Hospitality Management Deborah.Breiter@ucf.edu

MPI Staff Marj Atkinson, Research Manager Jason Judy, Graphic Designer Jessie States, Editor, Meeting Industry Sobre a MPI Foundation A MPI Foundation está comprometida a trazer visão e prosperidade para a comunidade global de eventos invéstindo em iniciativas orientadas por resultados que moldam o futuro e trazem sucesso para a comunidade de eventos. Para mais informações, visite www.mpifoundation.org. Sobre a MPI A entidade funciona desde o final da década de 1970 e, atualmente, está em operação em 65 países e tem mais de 20 mil associados. Procura agregar representantes de toda a cadeia produtiva envolvida na preparação de um evento e, principalmente, ser um polo disseminador de conhecimento e boas práticas no mercado. “Todos têm a ganhar com a chegada da MPI no país. Empresas, agências especializadas, profissionais de marketing, gestores de viagens e de eventos, entre outros, vão poder saber em primeira mão quais são as tendências do setor e como tornar um evento ainda mais produtivo.”, diz Ricardo Ferreira, um dos membros fundadores da MPI no Brasil e sócio da Alatur, uma das maiores agências de viagens corporativas do país. Recursos e oportunidades valiosas para todos os mercados Desenvolvimento profissional para melhorar sua carreira Oportunidades comerciais no mercado de compradores e fornecedores Inclusão de novos profissionais A MPI possibilita crescimento profissional por meio de recursos estratégicos e metodologias específicas a partir de grandes conferências educativas em âmbito regional, nacional e internacional. 19


MPI no Brasil Nos últimos anos, a MPI recebeu membros brasileiros de forma esporádica. A partir de 2006, inicia-se a participação mais efetiva, com a presença de um membro – Ricardo Ferreira – na conferência global, número que passou a três em 2007. Nesse mesmo ano ocorreram iniciativas mais organizadas para a constituição do capítulo brasileiro: em 29 de março houve uma apresentação sobre a entidade e uma palestra de Jack Phillips, autor do livro Providing the value of meetings and events – how and why to measure ROI. Oito novos membros se inscreveram e, com Ferreira, constituíram o grupo de voluntários para trabalhar em prol da entidade. Realizaram-se reuniões bimensais que resultaram num plano de ações para a divulgação da entidade no mercado brasileiro: tradução do livro sobre ROI, realização de pesquisa sobre o uso estratégico de eventos nas empresas brasileiras e proposta para um evento em março de 2008. Alinhado à missão e à visão da MPI, o Brazil Chapter objetiva tornar bem sucedidos os profissionais brasileiros, por intermédio da construção de conexões entre pessoas e conhecimentos/ ideias, relacionamentos e mercados, numa via de dupla mão com o organismo internacional. MPI Brazil Chapter é entidade legalmente constituída no Brasil, criada em novembro de 2007, com sede em São Paulo. Sedes da Meeting Professionals International 3030 LBJ Freeway, Suite 1700 Dallas, TX 75234-2759 tel +1-972-702-3000 fax +1-972-702-3089 Europa/África 28, Rue Henri VII L-1725 Luxembourg Grand Duchy of Luxembourg tel +352-2610-3610 fax +352-2687-6343 Oriente Médio PC5 Offices, Education City, Doha, Qatar tel +974-454-8000 fax +974-454-8047 Canadá 6519-B Mississauga Road Mississauga, Ontario L5N 1A6 20

geracao y  

geração y, eventos, alatur, hrg

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you