Page 1

REVISTA DE BORDO

Julho 2013

14

Descobrir os Açores

FÉRIAS CÁ DENTRO

Prevenção Rodoviária

VERÃO A CURTIR COM ATENÇÃO AO TRAVÃO


O T I ED

L A RI ATLÂNTICOLINE UM MAR DE OPÇÕES PARA O SEU DESTINO DE FÉRIAS gora sim! Chegamos à altura “quente” da nossa operação. É nos meses de julho e agosto que atingimos a satisfação máxima enquanto empresa de transporte marítimo. Efetivamente, é agora que os nossos navios vão cheios de jovens, adultos e idosos que viajam com a alegria do regresso a casa, do visitar parentes ou amigos que há muito não vêem ou apenas com a esperança de uns dias bem passados na ilha de eleição. Para os açorianos, a partir de agora difícil vai ser escolher para onde viajar e selecionar as festas que se encontram um pouco por todas as ilhas.

A

E para que os passageiros tenham ainda mais liberdade, a Atlânticoline opera agora com as rampas de popa o que agiliza em muito o embarque e desembarque de passageiros e viaturas, as quais podem ter dimensões superiores às permitidas anteriormente. Agora não estranhe se vir embarcar autocaravanas, ou até mesmo pequenos autocarros. E como o que é bom acaba rápido, esta será a última revista da operação 2013, pelo que me resta desejar a todos os nossos leitores a continuação de uma boa-viagem, uma excelente estadia e, se for o caso, umas boas férias!

CARLOS REIS Presidente do Conselho de Administração

FICHA TÉCNICA Titulo da publicação Atlânticoline - Revista de bordo; Propriedade Atlânticoline S.A. - Gare Marítima do Terminal Oceânico, Portas do Mar, 9500 - 770 Ponta Delgada; Site: www.atlanticoline.pt Diretor Carlos Reis; Coordenação Sandra Santos, Maria João Santos;

Editor LMO - Zona de Ideias, Lda. Rua João Melo Abreu, nº11, 9500 - 316 Ponta Delgada. Site: www.zonadeideias.pt; Design Carolina Rodrigues, João Sousa, Maria João Pereira e Tânia Ferreira; Fotografia Foto capa - Jorge Góis Banco de Imagens Zona de Ideias;

Publicidade LMO - Zona de Ideias, Lda. Tel.: 296308600, Fax: 296308609, Email: geral@zonadeideias.pt; Impressão COINGRA - Companhia Gráfica dos Açores, Lda. - Parque Industrial da Ribeira Grande, lote 33, 9600 - 499 Ribeira Grande;

Agradecimentos Açoreana Seguros, Carla Pedro, Direção Regional da Cultura, Juan Nolasco, Prevenção Rodoviária Açoreana e Secretaria Regional dos Recursos Naturais.

> Depósito legal nº 293100/09; Tiragem: 25.000 exemplares; Distribuição gratuita.

REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

03


AO

DAS

SABOR ONDAS texto Magda Neto

fotografia Associação Turismo dos Açores

VIVER A EXPERIÊNCIA DE VISITAR OS AÇORES FICA CERTAMENTE INCOMPLETA SE NÃO FIZERMOS PELO MENOS UMA VIAGEM DE NAVIO. SÓ ASSIM OS VERDADEIROS CHEIROS E DIMENSÃO DESTE ARQUIPÉLAGO NOS CONSEGUEM SEDUZIR POR COMPLETO. partida do terminal de passageiros das Portas do Mar, em Ponta Delgada, onde a modernidade é bem evidente, dificilmente estamos preparados para os cenários pitorescos que cada ilha nos reserva, com cada freguesia que visitamos. Ao embarcar no Hellenic Wind a simpatia do pessoal de bordo e o conforto, mostram-nos bem a evolução que se registou no transporte de passageiros nos Açores, onde nomes como Carvalho Araújo ou até o Ponta Delgada nos invadem a memória.

A

Hoje a ilha Terceira está a umas meras três horas e meia de distância. Tempo que dá para, embalados pelo mar e envoltos na boa disposição de quem viaja em período estival, nos deixarmos emergir numa qualquer leitura. Da segurança, ao conforto a bordo até ao convidativo relaxamento total.


De repente houve-se um tão característico “já se vê terra!”. Da janela onde me encontro avisto a ilha Terceira,

imponente entre uma névoa que nos relembra o título de Ilhas de Bruma. Chegados à Praia da Vitória a hospitalidade dos terceirenses é por demais evidente. Conhecidos como um povo festeiro rapidamente acolhem quem visita esta ilha e facilmente

nos sentimos em casa ao deambularmos pela cidade de Angra do Heroísmo ou até pela magnífica paisagem dos Biscoitos, onde as vinhas e o mar dão um toque único a este local. Sanjoaninas e Festas da Praia são os eventos mais significativos durante o


trilhos às suas belas fajãs, nada

verão, mas a verdade é que, ao longo de todo o ano, animação não falta na terra das tradicionais touradas à corda. Enquanto tomo um café e como uma Dona Amélia, deixo-me relembrar histórias e lendas desta ilha como é o caso da Maria Vieira. Mas é hora de partir! A bordo do Express Santorini a boa disposição é constante. Instalo-me num banco no exterior do navio e deixo-me levar pela paisagem. De um lado S.

Jorge, a ilha do Dragão Adormecido, do outro a Terceira e a ilha Graciosa. Desta vez, o meu destino é S. Jorge, para onde seguimos após uma breve paragem na Graciosa, uma ilha de gente franca e hospitaleira. Ao olharmos com atenção para a costa de S. Jorge vemos as belas fajãs, espaços únicos, quase perdidos no tempo que encerram belezas naturais muitas vezes ainda por descobrir. Conhecida pelo seu queijo, a ilha de S. Jorge tem grande potencial turístico, dos magníficos

falta! Depois de almoçar pelas Velas decido visitar a Fajã dos Vimes. Uma das fajãs mais visitadas da ilha é aqui que se podem conhecer as tradicionais colchas locais, em lã de ovelha, e beber um café de sabor único cultivado na própria fajã e com aroma moldado pela proximidade ao mar. O pôr-do-sol emoldurado pela magnífica ilha Montanha e pela ilha do Faial proporcionam um final de dia único. Este é sem dúvida um lugar especial e de rara beleza! O segundo dia é dedicado a uma visita à Caldeira do Santo Cristo, uma das mais belas fajãs da ilha. O

percurso até lá é feito por um trilho que não inspira grande dificuldade, mas nos permite desfrutar de locais únicos. Chegados à Caldeira a paz que nos invade é quase transcendente, aqui o tempo tem outro ritmo, a terra tem outro cheiro e as gentes um sorriso alegre. A lagoa da Caldeira é magnífica nas suas tonalidades de verde e azul, onde a calma das suas águas nos convida a um relaxante banho de mar… É com pena que embarco rumo a S. Miguel, na bagagem levo um pouco mais do sabor destas ilhas e a certeza de que os Açores são um lugar mágico.

DISFRUTE TAMBÉM DESTA OU OUTRA EXPERIÊNCIA E EMBARQUE RUMO A UM PORTO QUE LHE ABRIRÁ PORTAS A MOMENTOS ÚNICOS. CONTACTE A ATLÂNTICOLINE E VENHA SENTIR O PRAZER DE NAVEGAR. REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

9


DESDE AS GRANDES CASAS RÚSTICAS À BEIRA MAR ATÉ ÀS CASAS DE CAMPO, TODAS OFERECEM O ESPAÇO ADEQUADO PARA QUALQUER OPÇÃO...

Férias cá dentro

Descobrir os Açores Ter “mesmo aqui ao lado” as condições excelentes para umas férias em conforto e não aproveitar é, naturalmente, um desperdício. Numa altura em que há restrições nos orçamentos das famílias, a Associação de Turismo em Espaço Rural - Casas Açorianas, com um conjunto de mais de uma centena de casas associadas, constitui uma boa alternativa e opção de alojamento.


Os Açores cultivam a tradição e a paixão do bem receber. Gente hospitaleira que vive em localidades envolventes onde as paisagens são únicas e as histórias de encantar. Ingredientes que aliados ao conceito de turismo das Casas Açorianas farão das suas férias estadias únicas de descontração e hospitalidade. Fruto dessa dedicação o seu lazer em família, com amigos ou com uma companhia especial são alvo de um acompanhamento rigoroso e cuidado e de um serviço único e personalizado. Usufruir de bons momentos, bons vinhos, refeições animadas, longos passeios, excelentes convívios, conversas, festas típicas ou simplesmente desfrutar das paisagens paradisíacas e exuberantes das ilhas açorianas são os motivos suficientes para passado pouco tempo da sua estadia se sentir em casa.

É com a família que gostamos de partilhar a alegria de viver e de desfrutar de momentos de prazer e descontração. Enquanto os adultos procuram essencialmente descansar para carregar as baterias e quebrar as rotinas diárias, as crianças necessitam de companhia, diversão, descoberta de novos espaços e experiências num ambiente de segurança. As Casas Açorianas oferecem uma panóplia de características e opções em que facilmente encontrará a que mais se adequa ao seu ambiente familiar tornando as férias divertidas para os mais pequenos o que lhe dará a oportunidade de ter mais tempo para si mesmo. Desfrutar das férias com os amigos é outra opção e as casas açorianas têm ao seu dispor casas amplas e dos mais variados tipos que facilmente se enquadram naquilo que o seu grupo procura. Desde as grandes casas rústicas à beira mar até às casas de campo, todas elas oferecem

REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

11


bastante espaço para todos e certamente vão contribuir para tornar as suas férias ainda mais especiais e garantir que todos aqueles que mais admira estão presentes. Quantos mais melhor, os amigos, nas datas e momentos importantes da nossa vida quando aliamos férias a ocasiões especiais, aniversários ou escapadinhas de final de semana. Se por outro lado procura aquela paisagem magnífica e romântica para impressionar a sua cara-metade venha descobrir o paraíso bucólico entre o chilrear dos passarinhos, a fragância das flores, a brisa do mar, e calma do campo sempre acompanhado com a pessoa certa. Casas acolhedoras, com um ambiente encantador farão com que aproveite todos os momentos de lazer dedicando-se a quem mais ama e reforçando a ligação

entre os dois. Como vê, optando por fazer turismo em espaço rural pode usufruir do tempo livre sem pressões, relaxando e aproveitando tudo o que a vida tem de melhor para oferecer sem nunca abdicar do conforto e da comodidade que encontrará numa casa que é açoriana com certeza.


AS ATIVIDADES À chegada a cada casa encontrará sempre alguém, na maioria dos casos os próprios proprietários, que, para além do acolhimento afável e simpático, saberão aconselhar sobre o melhor e a não perder na ilha escolhida. As tradicionais atividades ligadas ao mar como a observação de cetáceos e golfinhos, a vela, o surf e o mergulho, bem como as praias calmas e as piscinas naturais escavadas na rocha da orla marítima, de águas quentes e límpidas, são as ofertas próprias de um arquipélago que foi bafejado pela excelência da sua natureza. Práticas e desportos mais radicais como kayaking, canyoning, rapel, parapente, entre outras, poderão ser opções alternativas que lhe trarão à flor da pele picos de adrenalina. Para além do mar, descubra o interior das ilhas através dos vários trilhos disponíveis e seguros que o levarão aos pontos mais recônditos e onde será surpreendido pela espetacularidade e exuberância da natureza. A observação de aves, o golfe, os passeios a cavalo, de bicicleta ou a prática de atividades de todo o terreno são uma forma de aproveitar o que a natureza destas ilhas têm para oferecer nunca descuidando a prática de exercício físico para uma vida mais saudável. O cenário envolvente é perfeito para a prática do geocaching, género de caça ao tesouro com o auxílio do moderno GPS. Inseridas numa cultura própria em que o bem receber está sempre patente, as Casas Açorianas levam-no também às festas religiosas e populares tão características deste povo. Os festivais, as touradas à corda, o artesanato, a gastronomia, os produtos regionais e a doçaria regional são manifestações vivas que terá a oportunidade de conhecer ou reviver. A localização de excelência destas casas aliada à preservação arquitetónica revelam a singularidade e história de um povo e o modo peculiar de habitar estas ilhas. Inseridas em meios rurais,

propriedades vinícolas ou quintas, elas constituem o princípio da exploração e da ligação autêntica do homem com o campo enquanto seu meio de subsistência. O quotidiano agricola inclui inúmeras atividades desde a recolha de frutos passando pela produção de compotas caseiras, até às atividades agropecuárias. Tudo isto proporciona dias repletos de descoberta e aventura em que o merecido descanso espera por si no conforto e comodidade de uma Casa Açoriana.

...DIAS REPLETOS DE DESCOBERTA E AVENTURA EM QUE O MERECIDO DESCANSO ESPERA POR SI NO CONFORTO E COMODIDADE DE UMA CASA AÇORIANA.

REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

13


AS UNIDADES CARACTERIZAM-SE POR UM ACOLHIMENTO FAMILIAR QUE SE DIFERENCIA DA OFERTA MASSIFICADA E DESPERSONALIZADA QUE CADA VEZ MAIS SE GENERALIZA POR TODO O MUNDO.

A ASSOCIAÇÃO A Associação de Turismo em Espaço Rural – Casas Açorianas, condecorada em 2009 pelo Governo Português com a Medalha de Ouro de Mérito Turístico, congrega cerca de seis dezenas de associados e mais de uma centena de casas espalhadas pelas ilhas dos Açores. As unidades caracterizam-se por um acolhimento familiar que se diferencia da oferta massificada e despersonalizada que cada vez mais se generaliza por todo o mundo. Todas as habitações foram alvo de uma avaliação pormenorizada, obedecendo a vários e exigentes critérios de qualidade, tendo obtido de forma geral excelentes notações. Estão inseridas no meio rural, com

uma arquitetura de traça regional e cuja recuperação invoca e respeita a história, nomeadamente no uso de materiais tradicionais, por vezes associados a tecnologia recente, que acrescentam modernidade e conforto.

www.casasacorianas.com


REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

31


texto Carla Pedro - PRA

PROTEJA AS CRIANÇAS É

difícil circular em segurança no trânsito quando se é criança, porque a forma como vemos, ouvimos e entendemos o trânsito depende de capacidades físicas e psicológicas que precisam de tempo para se desenvolverem.

Entre outras limitações, as crianças: São mais pequenas, sendo-lhes difícil ver e serem vistas;

As capacidades necessárias para uma integração autónoma e segura no trânsito só estão plenamente desenvolvidas aos 16 anos.

Têm um campo de visão menor, recolhendo menos informação que os adultos; São mais distraídas, impulsivas e irrequietas, colocando-se, com alguma frequência, em situações de risco. Por isso, é preciso protegê-las e ensiná-las a circular.

Como? Se for a pé, treine com a criança os percursos mais seguros, exemplifique os comportamentos a adotar enquanto peão e alerte-a para os principais perigos.

As crianças não conseguem avaliar distâncias e velocidades como um adulto.

Se for de carro, verifique as boas condições do veículo e do condutor, saia com antecedência, acondicione a bagagem, adote uma condução tranquila e segura, cumprindo o código e evitando manobras perigosas, utilize o cinto e verifique se todos os ocupantes usam um sistema de retenção.

REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

39 17


TRANSPORTE EM SEGURANÇA A

s crianças com menos de 12 anos e menos de 1,5m de altura têm de circular no banco traseiro do veículo, devidamente seguras por um Sistema de Retenção para Crianças (SRC).

OS SISTEMAS DE RETENÇÃO AMORTECEM A FORÇA DO IMPACTO E REDUZEM A POSSIBILIDADE DOS OCUPANTES SEREM PROJETADOS OU COLIDIREM UNS CONTRa OS OUTROS.

Só é permitido transportar crianças no banco da frente se: A criança tiver menos de 3 anos e estiver a ser transportada num SRC virado para trás (sentido contrário ao da marcha do veículo) e com o airbag desativado se este existir;

UM SRC ADEQUADO, BEM INSTALADO E BEM UTILIZADO PODE REDUZIR ENTRE 50 A 80% O RISCO DE LESÕES.

A criança tiver 3 ou mais anos e o veículo não tiver cintos no banco traseiro; A criança tiver 3 ou mais anos e o veículo não tiver banco traseiro. O SRC deve ser homologado, apropriado ao peso/idade da criança e adaptável ao veículo.

Existem 5 grupos de SRC, classificados em função dos pesos das crianças:

Grupo

0

Designação comum

Alcofa

Peso

<10 Kg

Idade orientativa

Até ± 9 meses

+

I

II

III

Ovinho/Coque

Cadeirinha

Cadeira de apoio

Banco elevatório

<13 Kg

9 - 18 Kg

15 - 25 Kg

22 - 36 Kg

Até ± 18 meses

Até ± 4 anos

Até ± 7 anos

Até ± 12 anos

0

Apesar desta classificação, a maior parte dos SRC que existem atualmente no mercado abrangem vários grupos e podem ser utilizados progressivamente desde o primeiro ano de vida do bebé.


MODERE A VELOCIDADE A

velocidade continua a ser um dos principais fatores de risco na circulação rodoviária.

Para além da necessidade de cumprir os limites de velocidade, é fundamental adaptarmos a nossa velocidade às condições de circulação, mantermos uma distância de segurança dos outros veículos e aumentarmos a nossa atenção sempre que transportamos crianças ou circulamos em zonas frequentadas pelas mesmas. Uma pequena diminuição na velocidade de circulação faz toda a diferença na segurança dos que se encontram dentro e fora dos veículos.

Veja bem os números que se seguem e pense se vale a pena acelerar!

Campo de visão de um condutor, circulando a: 40 km/h = 104 º

50 km/h = 91 º

Distância de paragem de um veículo, circulando a: 40 km/h = 19 metros

A distância de segurança entre dois veículos é equivalente à distância percorrida em dois segundos.

50 km/h = 26 metros

Velocidade de colisão de um veículo com um obstáculo que se encontra a 20 metros, circulando a: 40 km/h = Pára 1 metro antes do obstáculo, não o chegando a colidir. 50 km/h = Colide a 35 km/h e precisava de mais 6 metros para não colidir. A esta velocidade de embate (35 km/h) uma criança de 30 kg, que circule sem sistema de retenção, é projetada para fora do veículo com uma força de aproximadamente 700 kg. E no caso de um atropelamento, 10% dos peões morrem.

Campo para Tempo de visão percorrer de um10 condutor, quilómetros, circulando circulando a: a: 40 km/h = 15 minutos

50 km/h = 12 minutos

Será que uma diferença de 3 minutos justifica as possíveis consequências? REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

19


Não conte apenas com as suas capacidades, porque no trânsito não estamos sozinhos. Tenha especial atenção junto a zonas onde existem crianças. Saia mais cedo e evite ter de “recuperar” tempo na estrada. Por vezes, a velocidade atrasa-nos!

Mais informação sobre este e outros temas pode ser consultada no portal do Governo Regional ou no site da Prevenção Rodoviária Açoreana

www.pracoreana.com

2ª Fase da Campanha de Prevenção Rodoviária

iniciativa:

Reportagem do lançamento da 1ª fase da Campanha de Prevenção Rodoviária

patrocínio:


REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

15


www.acoreanaseguros.pt

AÇOREANA CENTRA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO MERCADO DOS AÇORES

Açoreana Seguros elegeu mais uma vez os Açores como um dos seus principais polos de actividade. A gestão da seguradora irá apostar nesta região autónoma como um dos principais mercados para o desenvolvimento de novas abordagens ao mercado segurador, no âmbito da estratégia de aposta na inovação que tem vindo a ser seguida pela Companhia.

A

“Os Açores representam para nós um mercado absolutamente essencial na nossa estratégia. No fundo, é o berço da seguradora e onde temos uma das mais relevantes quotas de mercado, pelo que focar a estratégia para o cliente açoriano faz todo o sentido”, explica Diogo da Silveira, Presidente da Companhia de Seguros Açoreana. A estratégia da seguradora neste sentido prende-se, essencialmente, com os números que o mercado açoriano representa. Na verdade, a Açoreana Seguros é o maior empregador do sector no arquipélago, contabilizando presentemente o quádruplo do número de colaboradores das restantes concorrentes todas juntas. Em termos de rede, e para além dos seus agentes, a seguradora apresenta-se nos Açores com 17 pontos de venda próprios, assegurando desta forma uma quota de mercado de cerca de 50%. Em termos absolutos, este domínio de metade do mercado açoriano representa um patamar superior a 70 mil clientes particulares e mais de três mil clientes empresariais. Todo este universo traduz-se num montante de prémios Não Vida de 28,5 milhões de euros, enquanto nos segmentos Vida o volume de prémios ultrapassa os 20 milhões de euros. Esta presença de mercado acaba por fundamentar a estratégia de inovação da seguradora para este mercado, onde recentemente foi inaugurado, num projecto sem precedentes, um novo centro clínico completamente dedicado ao tratamento de Acidentes de Trabalho, com recursos próprios para os clientes da Açoreana.

PATROCINADOR OFICIAL DA CAMPANHA DA PREVENÇÃO RODOVIÁRIA AÇORIANA 2013

De acordo com a seguradora, os Açores serão sempre um mercado onde a Açoreana assumirá uma responsabilidade acrescida, não só pela estreita ligação da companhia à região autónoma como pela dimensão que assume localmente.


REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

23


EM CADA UMA DAS 9 ILHAS UM PARQUE NATURAL CONVIDA A SENTIR E A INTERPRETAR OS AÇORES fotografia SIARAM

través dos Centros de Interpretação geridos pelos Parques Naturais de Ilha, os visitantes são conduzidos em viagens à (re)descoberta de memórias legadas pela adaptação do Homem ao meio e a conhecerem a biodiversidade e geodiversidade que o arquipélago dos Açores conserva.

A

De Santa Maria ao Corvo, os Parques Naturais são, além de guardiões de uma herança coletiva que potencia investigação e inovação, anfitriões de férias de Natureza e guias para o conhecimento da riqueza do património natural e cultural de cada uma das nove ilhas. Desfrutando uma viagem pelo mar que as liga, propomos um roteiro que convida turistas e

residentes a sentir e a interpretar os Açores. O Parque Natural de Santa Maria integra 13 áreas terrestres e marítimas, de que se destacam alguns ilhéus pela sua riqueza subaquática e por constituírem verdadeiros berçários para muitas aves marinhas. O Centro de Interpretação

Ambiental Dalberto Pombo, em Vila do Porto, alberga a coleção particular do naturalista que lhe deu o nome. Aqui, o visitante pode perceber a importância de Santa Maria na rota migratória de aves e tartarugas marinhas e observar alguns dos maiores exemplares dos registos fósseis de Bivalves e Gastrópodes, exlíbris da ilha.


Brevemente, irá abrir ao público um novo Centro de Interpretação na Pedreira do Canto. O Parque Natural da Ilha de São Miguel integra todas as áreas protegidas classificadas da ilha, incluindo a Lagoa das Sete Cidades, eleita uma das 7 Maravilhas Naturais de Portugal.

O Centro de Monitorização e Investigação das Furnas (CMIF), na margem sul da Lagoa das Furnas assume um papel importante na tradução da linguagem científica para formas capazes de cativar os visitantes. O Parque Natural da Terceira, com uma área total de 95,78 km2, é constituído por 20

áreas terrestres e marinhas. A ilha Terceira tem, assim, cerca de 22% da sua área terrestre integrada no Parque Natural, criando condições para gestão e conservação da paisagem e dos recursos naturais. Das áreas integradas neste Parque Natural, destaca-se a Serra de Santa Bárbara com cerca de 13 km de diâmetro

e uma altitude de 1021 m, cujo Centro de Interpretação abre brevemente ao público. O Parque Natural da Graciosa, ilha que desde 2007 faz parte da Rede Mundial de Reservas da Biosfera da UNESCO, integra oito áreas protegidas terrestres e marítimas. REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

25


Localizado no Monumento Natural da Caldeira da Graciosa, o Centro de Visitantes da Furna do Enxofre (CVFE) é o núcleo da Reserva da Biosfera e do Parque Natural da Graciosa, funcionando também como porta de entrada para a Furna.

Cristo e dos Cubres. Na Casa do Parque e Ecomuseu, no Norte Grande, o Parque Natural da Ilha de São Jorge dá ainda a conhecer as suas diferentes valências.

lávico português; e a Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico, Património Mundial da UNESCO.

O Parque Natural de São Jorge engloba 24% da área total da ilha, repar-

O Parque Natural da Ilha do Pico é o maior parque natural dos Açores, compreendendo 22 áreas protegidas numa área territorial que abrange cerca de 35% da superfície terrestre da ilha (sensivelmen-

O Parque Natural do Pico disponibiliza aos seus visitantes diversos Centros Ambientais, com valências e produtos diferenciados e, ainda, uma pequena estrutura , o Moinho do Frade, na área classificada como Património Mundial. A Casa da Montanha tem

tindo-se por 13 áreas protegidas classificadas. O Centro de Interpretação da Fajã da Caldeira de Santo Cristo foi concebido de modo a disponibilizar ferramentas que permitam ao visitante conhecer a história geológica, biológica e humana das Fajãs de São Jorge, em especial das Fajãs da Caldeira de Santo

te 156 km²), a que acrescem cerca de 79 km² de área de proteção marinha. Deste parque sobressaem imagens cuja dimensão e importância se tornaram um símbolo dos Açores: a Montanha do Pico (uma das 7 Maravilhas de Portugal, ponto mais alto do País e o 3.º maior vulcão do Oceano Atlântico); a Gruta das Torres, o maior tubo

como principal função o registo e controlo das subidas à Montanha, através do registo obrigatório dos caminhantes ou grupos que recebem um rastreador GPS. A Gruta das Torres é um Centro de Visitantes cuja arquitetura foi já premiada e o formato de visitação é pioneiro em Portugal, sendo o visitante guiado dentro de uma cavi-

dade vulcânica praticamente virgem. O Centro de Interpretação da Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico, no coração do núcleo do Lajido de Santa Luzia, constitui-se como ponto de partida para a compreensão deste valioso património cultural. O Parque Natural do Faial que foi distinguido pela Comissão Europeia como destino

para representar Portugal no programa EDEN (European Destinations of Excellence – Destinos Europeus de Excelência), galardão atribuído aos melhores locais da Europa para atividades turísticas sustentáveis, tem 13 áreas protegidas que ocupam 18% da área terrestre e cerca de 189 Km2 de área marítima. Localizado numa antiga ex-


ploração agrícola, no Vale dos Flamengos, o Jardim Botânico do Faial, com cerca de 8 000 m2, presta um importante contributo científico, pedagógico e ecológico e de lazer, integrando o Banco de Sementes dos Açores. O Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos foi concebido de modo a preservar a paisagem existente na área afetada pela erupção do Vulcão dos Capelinhos em

1957/58, na ponta oeste da Ilha do Faial. O edifício encontra-se envolto nas areias vulcânicas, enterrado até à cota do terreno antes da erupção, sendo possível neste espaço fazer uma viagem muitas vezes virtual e interativa ao mundo dos vulcões submarinos. O Complexo do Monte da Guia inclui a Casa dos Dabney (es-

paço de visitação que retrata a vida desta família norteamericana na ilha do Faial, no séc. XIX) e o Aquário de Porto Pim – Estação de Peixes Vivos (onde podem ver-se algumas das espécies costeiras mais comuns, uma estação de transferência de peixes vivos, uma exposição sobre o Parque Marinho dos Açores e um filme sobre o mar profundo da plataforma continental contígua ao arquipélago).

O Parque Natural das Flores é constituído por ecossistemas terrestres e marinhos encerrando nos seus limites as componentes mais representativas da biodiversidade e da geodiversidade desta ilha que ingressou em 2009 na rede Mundial de Reservas da Biosfera da UNESCO. O Centro de Interpretação Ambiental do Boqueirão

foi concebido nos tanques onde se armazenava o óleo da baleia que era derretido na fábrica. Aqui é possível conhecer desde as aves, residentes e migratórias, aos seres que vivem na zona entre-marés e coluna de água, até aos cetáceos e fontes hidrotermais. O Parque Natural do Corvo integra uma significativa biodiversidade e uma grande variedade de habitats, tendo, por exemplo, 48 espécies de plantas endémicas dos Açores. A nidificação de importantes colónias de aves marinhas é uma

das razões que justifica a importância internacional da Ilha. A Ilha do Corvo, com apenas 17 km2, geograficamente inserida no extremo ocidental do arquipélago açoriano, também mereceu por decisão da UNESCO o reconhecimento como Reserva da Biosfera, integrando também o programa “O Homem e a Biosfera”. O Centro de Interpretação Ambiental e Cultural do Corvo (CIAC) funciona num edifício recentemente recuperado característico da arquitetura desta Ilha e está integrado na zona classificada do núcleo histórico da Vila.

Uma das formas de percorrer os Parques Naturais de Ilha é através dos trilhos (pedestres, equestres ou de BTT) e miradouros. Em cada trilho podem-se descobrir pontos de interesse onde são destacadas paisagens e edifícios, ocorrência de algumas espécies de fauna e/ou flora, bem como de formações geológicas. Estes trilhos mostram também um pouco da história dos Açores, pois muitos deles eram caminhos de ‘pé posto’, por onde passavam as gentes possibilitando o contacto entre populações e a troca de produtos agrícolas, peixe, entre outros.

Para mais informações sobre trilhos pedestres, pode aceder-se a http://www.trails-azores.com

REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

27


Descobrir Natália Correia PELO SEU ACERVO DOCUMENTAL texto Rute Gregório, Odília Gameiro, Catarina Pereira

atália Correia nasceu em 1923 e morreu em 1993. Poetisa, escritora, figura política, pela sua casa passaram gerações de pintores, escritores, políticos e artistas. De toda esta atividade literária, política e da extensa rede social que a rodeava guarda memória o seu acervo documental, composto por uma apreciável biblioteca e pelo arquivo pessoal. Por vontade testamentária de Dórdio Guimarães, viúvo e único herdeiro de Natália Correia, falecido em 1997, tanto o próprio acervo como o da escritora foram doados maioritariamente ao Governo Regional dos Açores, cabendo à Biblioteca Nacional de Portugal a propriedade dos inéditos dos seus arquivos. A biblioteca de Natália Correia foi depositada na Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada em 1998. Composta por 10 613 exemplares, apresenta como temática dominante a literatura portuguesa do século XX, nos mais variados géneros literários (romance, poesia, teatro, etc.), nela se encontrando também obras sobre arte, política, história, livros de temática açoriana, etc. Particular relevância merecem aqui as primeiras edições das obras de Natália Correia, muitas delas com anotações e correções manuscritas da autora, as quais serviram de base para edições mais recentes das referidas obras. Outra documentação a destacar é também a meia centena de livros que compunha a biblioteca privada de Manuel Cardoso Marta, conhecido bibliófilo, com quem Natália manteve uma relação de amizade. Parte destes documentos é constituída por livros antigos, impressos nos séculos XVI, XVII e 1800 inclusive. Entre estes, colecionados por Cardoso Marta, e outros que a poetisa foi adquirindo, a biblioteca de Natália conta com cerca de 400 títulos de livros impressos antes de 1800. É igualmente de salientar a qualidade e o valor das obras que compõem esta biblioteca particular. Nela encontramos

N


obras de vários dos seus contemporâneos, tais como Sophia de Mello Breyner Andresen, José Saramago, Eugénio de Andrade, Mário Cesariny, Alexandre O’Neill, David Mourão-Ferreira, entre muitos outros. A maioria dos livros encontra-se autografada pelos seus autores, com dedicatórias a Natália Correia. Além de seus contemporâneos, muitos destes escritores faziam parte do seu círculo de amigos, como é o caso de David MourãoFerreira e de Mário Cesariny. Relativamente ao arquivo de Natália Correia, em 1997 foi depositado, juntamente com o de Dórdio Guimarães, na Biblioteca Nacional de Portugal. O reconhecido mérito da poetisa justificou que, logo após o depósito, se desse início ao tratamento técnico. Este trabalho prolongou-se por cerca de dez anos, vindo a ser interrompido em 2007. Três anos volvidos o arquivo foi então transferido, a 10 de janeiro de 2011, para a Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada, juntando-se à biblioteca da poetisa. Atualmente, e desde 2012, um técnico superior especializado em arquivo conclui o respetivo tratamento técnico, num projeto que se prevê finalizar em meados de 2015. Entretanto, a documentação encontra-se à disposição dos utilizadores que se interessam por esta figura ímpar da literatura portuguesa do

século XX, apenas com as limitações técnicas inerentes ao procedimento em curso e que os serviços tentam ultrapassar no imediato em prol do respetivo acesso e difusão. Constituído por manuscritos de autor e de terceiros (poesia, prosa, teatro, edições e traduções), correspondência, documentos biográficos, recortes de imprensa e impressos, o arquivo de Natália Correia corresponde a 36 metros lineares de documentação. Desta faz também parte uma importante coleção de fotografias, as quais resumem em imagens as várias fases da vida da poetisa, desde a mais tenra idade até aos últimos anos da sua existência. O arquivo cobre ainda um âmbito cronológico que remonta a finais do século XIX, com algumas fotografias de ascendentes da poetisa, e vai até 13 de março de 1993, data do último texto escrito por Natália Correia, apenas três dias antes da sua morte, na madrugada do dia 16 de março do referido ano. Analogamente é possível conhecer um pouco mais de Natália Correia através do arquivo de Dórdio Guimarães, figura

...A DOCUMENTAÇÃO ENCONTRA-SE À DISPOSIÇÃO DOS UTILIZADORES QUE SE INTERESSAM POR ESTA FIGURA ÍMPAR DA LITERATURA PORTUGUESA DO SÉCULO XX... que desde a década de sessenta foi seu companheiro em múltiplos projetos. O acervo documental deste poeta e cineasta vale também pelo valor intelectual do seu produtor, bem como pelos testemunhos biográficos e literários que nele se encontram de seu pai, o cineasta Manuel Guimarães, responsável por obras cinematográficas como a “Costureirinha da Sé”, “Saltimbancos” ou “O trigo e o joio”. REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

29


ALUNAS DE SANTA MARIA VENCEM COMPETIÇÃO EUROPEIA DE MINISATÉLITES

CANSAT 2013 Escola Básica e Secundária da ilha de Santa Maria, participou uma vez mais na competição internacional da Estação Espacial Europeia, CanSat 2013 e, desta vez, trouxe para casa o primeiro lugar.

A

Joana Baptista (Telecomunicações), Francisca Coelho (Aerodinâmica), Mariana Sousa (Software) e Rute Silva (Eletrónica), alunas do 10º ano, da área de Ciências e Tecnologias, e os professores coordenadores Juan Nolasco (docente de

Informática) e Hélder Chaves (docente de Física-Química), compunham a equipa “Air Sat One Team”, selecionada pela Agência Espacial Europeia (ESA) para participar na final desta competição que se realizou na Universidade de Tecnologia de Delft (Holanda) entre os dias 10 e 14 de abril e em que estiveram presentes mais 14 equipas de diversos países europeus que, ao longo de vários meses, construíram e configuraram minisatélites (CanSat), que foram lançados e avaliados pelo seu desempenho, nesta prova final. REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

31


A equipa da Escola Bento Rodrigues, de Santa Maria, Air Sat One Team, composta por 4 meninas de 15 anos, preparou um minissatélite da dimensão de uma lata de refrigerante que, após ser lançado dos 1000 metros de altitude por um foguete, executou uma missão predefinida pelas alunas. Durante a competição foram usados quatro foguetes, fornecidos pela T-Minus Engineering, para levar as CanSats até a uma altitude de 1 km. As cargas em

miniatura separaram-se então do seu foguete, de forma a poderem concluir as suas missões científicas e tecnológicas, antes de regressarem ao solo, com a ajuda de um paraquedas, de forma a serem recuperadas pelas equipas. Ao longo da competição foram lançados doze CanSats que voaram autonomamente e dos quais foram feitos registos e se coligiram dados num trabalho que avançou sempre pela noite dentro. Foi entretanto à equipa de Santa

Maria, que encaixou um mecanismo de planador na CanSat, que coube o 1º lugar, na categoria avançada. Natacha Callens, coordenadora do Departamento Educacional da ESA e membro do júri na competição, afirmou ter ficado impressionada com o trabalho da equipa vencedora, na Categoria Avançada. Tal como em 2011/2012, quando pela primeira vez os alunos se envol-


veram nesta competição com a equipa Azores Shearwater CanSat Team e obtiveram um honroso 3º lugar pelo lançamento de um mini satélite que teve como missão medir a temperatura e pressão do ar a várias altitudes em Andøya, na Noruega; este ano, os coordenadores do projeto Juan Nolasco e Hélder Chaves, e todos os que acompanharam os trabalhos ao longo dos meses viveram ainda mais esta vitória, que representou o culminar de um trabalho que vem sendo desenvolvido há dois anos

por estes dois docentes. De realçar que, em setembro, alguns dos alunos da escola interessados neste tipo de projetos estiveram em Amesterdão, na Holanda, a participar no programa “SPHERES: Zero Robotics 2012”, uma competição que consistia na programação de robôs em gravidade zero, entre pequenos satélites (spheres) a bordo da Estação Espacial Internacional. Esta iniciativa é organizada pelo MIT e teve o apoio da NASA e da Estação Espacial.

FOI ENTRETANTO À EQUIPA DE SANTA MARIA, QUE ENCAIXOU UM MECANISMO DE PLANADOR NA CANSAT, QUE COUBE O 1º LUGAR, NA CATEGORIA AVANÇADA.

REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

33


Todas estas equipas foram recebidas com orgulho pela comunidade mariense e em especial pela escola. Este ano, à chegada ao aeroporto, a equipa do AIR SAT ONE TEAM, teve até direito a música. O reconhecimento destes projetos extracurriculares mereceu o louvor do Parlamento Regional dos Açores que aprovou um voto de congratulação por esta vitória, salientando “o interesse da comunidade de Santa Maria nos temas relacionados com o espaço, o que poderá dever-se, em parte, à permanência na ilha da antena de seguimento da Agência Espacial Europeia”.

O RECONHECIMENTO DESTES PROJETOS EXTRACURRICULARES MERECEU O LOUVOR DO PARLAMENTO REGIONAL DOS AÇORES QUE APROVOU UM VOTO DE CONGRATULAÇÃO POR ESTA VITÓRIA...


REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

25


No passado dia 31 de maio, dia em que se celebrou o dia da Criança nas Portas da Cidade, em Ponta Delgada, a nossa mascote - o Kiko animou todas as crianças que por lá brincavam, oferecendo balões e tirando fotografias ao lado delas. Foram muitos os meninos e meninas que tiveram a oportunidade de interagir com o Kiko, que continua a animar todos aqueles que viajam a bordo dos nossos navios!

Este ano, a conclusão das rampas ro-ro nos portos das ilhas açorianas, permite que os navios da Atlânticoline agilizem ainda mais o processo de embarque e desembarque, bem como o transporte de veículos com dimensões superiores às possíveis nas operações anteriores. Assim, para os veículos maiores, criou-se uma nova classe - Classe I, que engloba todos os veículos que excedem as dimensões de acesso das rampas

laterais dos navios e vão até ao máximo de 3.500kg. De toda a forma, o transporte de veículos desta classe, independentemente do canal de distribuição que preferir, carece sempre da nossa análise prévia, sendo a aprovação e emissão ativadas pela Atlânticoline.

fotografia Manuel Bettencourt


Férias tranquilas? Navegue até à ilha das Flores! Precisa de um fim de semana tranquilo e revigorante? Aproveite uma das cinco viagens que a Atlânticoline preparou para si. Estas acontecem nos meses de julho e agosto e têm como opção de destino: a ilha das Flores. É aqui que irá reencontrar-se com a natureza,

passear por entre flores e admirar paisagens de “cortar a respiração”. E se no final do dia quiser conhecer um pouco mais da cultura deste povo, aproveite o fim de semana de 19 a 22 julho e celebre com os habitantes da ilha o regresso dos seus emigrantes, na afamada Festa do Emigrante.

Atlânticoline associa-se a campanha

Açores em Família A campanha Açores em Família foi criada pela Associação de Turismo dos Açores com o objetivo inicial de proporcionar melhores condições para os não residentes viajarem para as ilhas do arquipélago. Posteriormente, e baseada no conceito “Faça férias cá dentro”, esta campanha foi alargada ao turismo regional. Crianças até aos 11 anos, desde que acompanhadas pelos pais e com estadia marcada numa das unidades hoteleiras aderentes, não pagam a viagem a bordo dos nossos navios, nem a estadia (mínimo de duas noites). Esta é uma promoção fantástica para toda a família. Aproveite e faça, este ano, as férias por que tanto esperou! Venda exclusiva nas agências de viagem afetas a esta campanha. Bons momentos passados em família são recordações que perduram para sempre!

Visite Santa Maria numa viagem de ida e volta, no mesmo dia Com partida de São Miguel, pela manhã, e regresso ao final da tarde, a “Escapadinha a Santa Maria” realiza-se, em datas fixas, às quartas-feiras (julho e agosto) e sábados (julho). Navegue até à ilha onde se encontra uma das mais belas praias dos Açores, passeie por entre paisagens deslumbrantes até chegar à Baía de São Lourenço ou à Baía dos Anjos. Se for um amante de desportos náuticos, está no sitio certo. A ilha de Santa Maria é conhecida também pela pesca desportiva, mergulho, vela ou windsurf. O custo desta viagem é de 60€ com possibilidade de levar a sua viatura ligeira por 20,75€. Oferecemos ainda condições especiais na aquisição antecipada de uma refeição a bordo. Datas: 4ªs feiras: 03, 17 e 31 de julho; 07, 14, 21 e 28 de agosto Sábados: 06, 13, 20 e 27 de julho


Dê uma Escapadinha até à ilha Terceira A cidade património mundial, o areal da Praia da Vitória, a gastronomia, as festas e as tradicionais touradas à corda são razões mais que suficientes para uma Escapadinha à Terceira. A viagem, com partida de São Miguel às quartas-feiras e regresso no dia seguinte, tem um desconto excecional ficando a 60€ e ainda pode levar a sua viatura ligeira por 32€. Caso queira adquirir antecipadamente uma refeição terá condições especiais. Datas: 10, 24 e 31 de julho; 07, 14, 21 e 28 de agosto

Agarre já a revista Quinto Toiro Sente-se sozinho durante a viajem? Não sabe como passar o tempo? Isso já não é problema, pois a Atlânticoline tem nova oferta ao dispor dos seus passageiros. Faça milhas no atlântico e salte de ilha em ilha na companhia do Quinto Toiro, a nova revista de tauromaquia açoriana. Agora tem a possibilidade de se manter atualizado, através deste espaço de informação e divulgação do melhor que se faz nos Açores em relação à Festa Brava. Navegue ao sabor do Quinto Toiro, tenha acesso à agenda mais completa de touradas nas ilhas, crónicas, entrevistas, galerias fotográficas, concursos e oferta de posters. Já disponível nas lojas de venda nos navios da Atlânticoline, Express Santorini e Hellenic Wind.

Atlânticoline Onboard A Atlânticoline e a Silvergrey – Produções Audiovisuais, Lda. através da sua marca Beyond Azores realizaram uma parceria da qual resulta o canal Atlânticoline Onboard. Este produto audiovisual consiste em diversos vídeos alusivos às várias ilhas dos Açores, bem como aos principais eventos culturais das ilhas, intercalados com informações sobre a Região, conselhos de saúde, publicidade e informações versando os diversos serviços da Atlânticoline. Exibidos nos televisores de bordo dos navios da Atlânticoline, estes vídeos visam sobretudo despertar o interesse dos passageiros para as diversas belezas do arquipélago, apelando à mobilidade inter-ilhas.


VENDAS A BORDO*

Todos os artigos selecionados encontram-se à venda nas lojas Just for Travellers International Airport Shopping Lisbon.Oporto.Faro.Azores * Produtos limitados ao stock existente.

Perfumes SENHORA

ARMANI ACQUA DI GIOIA 50ml

BRITNEY SPEARS FANTASY TWIST 50+50ml

BURBERRY BODY 60ml

51,00€

33,00€

54,00€

CAROLINA HERRERA 50ml

Ch 212 SUMMER LTD 2013 60ml

CK ONE SHOCK FOR HER 100ml

53,00€

42,00€

38,00€

REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

43


perfumes senhora

ESCADA CHERRY IN THE AIR 50ml

ESPECIALLY ESCADA 50ml

ESCADA TAJ SUNSET 50ml

43,00€

50,00€

43,00€

GIVENCHY DAHLIA NOIR L´EAU 50ml

MOSCHINO PINK BOUQUET 50ml

PACO RABANNE BLACK XS FOR HER 80ml

50,00€

46,00€

50,00€

PACO RABANNE LADY MILLION 80ml

TOMMY HILFIGER GIRL 30ml

GUCCI GUILTY BLACK

67,00€

41,00€

50ml

56,00€


Perfumes HOMEM

BOSS BOTTLED NIGHT 100ml

CAROLINA HERRERA MEN 50ml

ch 212 MEN SUMMER LTD 2013 100ml

59,00€

46,00€

42,00€

CK ONE SHOCK FOR HIM 100ml

HUGO RED 75ml

JEAN PAUL GAULTIER LE MALE 75ml

38,00€

41,00€

42,00€

MONTBLANC LEGEND 100ml

PACO RABANNE 1 MILLION 100ml

PACO RABANNE BLACK XS L’EXCES 100ml

53,00€

55,00€

55,00€

REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

45


perfumes homem

TOMMY HILFIGER 30ml

YVES SAINT LAURENT LA NUIT DE L´HOMME 60ml

38,00€

47,00€

Perfumes UNISEXO

CK ONE 100ml

CK ONE SUMMER 100ml

38,00€

32,00€


CHOCOLATES

Milka Milk Tablet 300g

Milka Whole Hazelnuts TABLET 300g

4,70€

4,70€

M&M Peanut Pouch 430g

M&M Choco Pouch 430g

6,20€

6,20€

Kinder Bueno T8

Kinder Chocolate (8x4 uni.)

7,10€

7,10€

Toblerone Gold Milk 400g

vidal mega sortido Saqueta 400 grs

6,60€

4,30€

Milka Triolade Tablet 300g

4,70€

M&M’s Crispy XL Pouch 335g

6,20€

Mentos JUMBOROLLS FRUIT MIX 6x38g

4,30€


Porta-Chaves 2€ / uni.

Bola de Praia 2€ / uni.

Caneca 4€ / uni.

Isqueiro

1,50€ / uni.

Manta 6€ / uni.

Baralho de Cartas 2€ / uni.

Íman 1€ / uni.

Lápis de cor e afia 1€ / uni.

Sacos 1€ / uni.

T-Shirt 7€ / uni.

Bola anti-stress 2€ / uni.

Peluche Kiko 6€ / uni.


segurança a bordo “ a sua segurança é o Ponto de partida para o sucesso. ” Segurança é um conceito muito abrangente que nos dias de hoje tem aplicabilidade em todos os tipos de áreas, quer sejam pessoais, públicas ou privadas. A base do sucesso da atividade da Atlânticoline tem sido a preocupação constante com a segurança dos nossos passageiros a bordo. Para a nossa empresa, é uma área de esforço contínuo e quase invisível. A nossa atitude pró-ativa ao longo dos anos, e o “know-how” acumulado levou-nos a uma cultura de segurança, transversal a todos os processos, ações e departamentos. Uma das áreas de maior investimento é na formação dos nossos tripulantes, indispensável e obrigatória para que cada novo funcionário fique habilitado a responder a situações de emergência. A formação obrigatória é integrada num curso de 112 horas de duração, dividido pelos seguintes módulos: Familiarização em Navios Ferry, Assistência Directa a Passageiros, Controlo de Multidões e Segurança Básica. Este último módulo é de vertente essencialmente prática, envolvendo: - Combate a incêndios com extintores e agulhetas de pressão. - Orientação com máscaras de respiração artificial em ambiente de visibilidade nula. - Natação – é fundamental saber nadar e utilizar o colete salva-vidas. - Jangada pneumática – como efetuar a sua abertura e a utilização. Para além destas formações, todos os tripulantes realizam testes de familiarização a bordo dos navios.

A Ajude-nos a contribuir para o sucesso desta Operação.


A liderar as equipas de tripulantes dos nossos navios estão Marlene Terra, Comissária de Bordo do navio Hellenic Wind e Paulo Fragata, Comissário de Bordo do navio Express Santorini. Têm ambos alguns anos de experiência na área estando aptos para qualquer eventualidade que possa surgir.

Elaborámos cursos técnicos de certificação internacional (STCW), em parceria com o Instituto de Tecnologias Náuticas, para 25 novos tripulantes, nas seguintes temáticas:

+ Familiarização em Navios Ferry + Assistência Direta a Passageiros + Controlo de Multidões + Segurança Básica (envolve combate a incêndios, orientação com máscaras, natação, utilização de jangadas pneumáticas).

Os navios da Atlânticoline e respetivas tripulações são, também, submetidos a um rigoroso processo de certificação pelo IPTM (organismo que tutela o transporte marítimo em Portugal) de modo a garantir que todas as normas de segurança são cumpridas. A segurança para a Atlânticoline não é um conceito abstrato e teórico, mas sim um alvo de forte investimento cujo o retorno tem sido o esperado. Com Recursos Humanos cada

vez mais experientes, qualificados e devidamente formados estamos cientes que a 7ª Operação vai decorrer com tranquilidade para todos. Posto isto, e para que tudo funcione, é imprescindível que respeite todas as indicações transmitidas pela tripulação, pois eles estão treinados para o ajudar. A segurança deste navio começa em si! Diretor de Operações Pedro Carvalho (pedro.carvalho@atlanticoline.pt)

REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

53


HORÁRIOS ATLÂNTICOLINE Express Santorini

Hellenic Wind

Flores

Festa do Emigrante

S. Jorge

15 juLho - 24 juLho (juLY) 2013

Festival de Julho Calheta

Pico

Festa de Sta. Maria Madalena

15 juLHO - 24 JULHO (JULY) 2013

REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

55


Graciosa

57

Festa Ilha Branca

Flores

Cais das Poças

Pico

Cais Agosto

25 juLho - 9 AGOSTO (juLY-AUGUST) 2013

Graciosa

Festas da Praia da Vitória

Terceira

Nossa Senhora do Guadalupe

Flores

Semana do Mar

Faial

Festas da Praia da Vitória

Terceira

Festa Ilha Branca

Express Santorini Hellenic Wind

25 juLho - 9 AGOSTO (juLY-AUGUST) 2013

REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE


Graciosa

Graciosa

Graciosa

Festa Ilha Branca

Terceira

Festas da Praia da Vit贸ria

Santa Maria

Santo Cristo

Faial

Semana do Mar

10 AGOSTO - 26 AGOSTO (AUGUST) 2013

Mar茅 de Agosto

Festa dos Rosais

S. Jorge

Terceira

Festas da Praia da Vit贸ria

Pico

Festa dos Baleeiros

Festa Ilha Branca

Express Santorini Hellenic Wind

10 AGOSTO - 26 AGOSTO (AUGUST) 2013


Express Santorini 27 AGOSTO - 14 SET. (AUGUST-SEPT.) 2013

Hellenic Wind 27 AGOSTO - 9 SET. (AUGUST-SEPT.) 2013

Horários sujeitos a alteração por motivos de gestão de navios. Schedule may be changed due to ship management.

REVISTA DE BORDO ATLÂNTICOLINE

59


Express Santorini 15 SET. - 21 SET. (SEPT.) 2013

Lancha Ariel Corvo e Flores (Sta. Cruz/Lajes) JULHO (JULY) 2013

Para mais informações sobre horários e tarifas consulte:

www.atlanticoline.pt

Express Santorini 22 SET. - 30 SET. (SEPT.) 2013

Lancha Ariel Corvo e Flores (Sta. Cruz/Lajes) JULHO (JULY) 2013

Ou contate-nos através do número

800 500 501


POSTOS DE VENDA Os bilhetes da Atlânticoline também estão à venda em qualquer loja Riac.

PARA MAIS INFORMAÇÕES

RIAC

ATLÂNTICOLINE Gare Marítima do Terminal Oceânico - Portas do Mar 9500-770 Ponta Delgada, S. Miguel, Açores Tel. 296 304 310 Fax. 296 304 311

Rede Integrada de Apoio ao Cidadão Tel. 800 500 501 www.riac.azores.gov.pt/RIAC

www.atlanticoline.pt SANTA MARIA Micaelense

Edifício Praia de Lobos - Rua M, nº 2 9580-525 Vila do Porto Tel. 296 882 040 irina@micaelense.pt

SÃO MIGUEL Açoribérica

Av. D. João III, nº1 Calheta 9500-310 Ponta Delgada Tel. 296 205 750/1 victor.rebelo@acoriberica.pt

Almeida Viagens

Av. D. João III, 63 9500-310 Ponta Delgada Tel. 296 652 133

pontadelgada.centro@almeidaviagens.com

Açortravel

Rua da Cruz, nº 53 9500-051 Ponta Delgada Tel. 296 302 090 ana.cabral@acortravel.website.pt

Abreu

Rua São Francisco, nº 64 9600-537 Ribeira Grande Tel. 296 470 630 ribeiragrande@abreu.pt

Abreu

Lado Sul da Matriz, nº 68/69 9500-118 Ponta Delgada Tel. 296 304 450 matriz@abreu.pt

Abreu

Av. D. João III 30-r/c 9500-310 Ponta Delgada Tel. 296 650 880 djoaoiii@abreu.pt

Francisco C. S. Martins

Melo

Rua de Santa Luzia, nº 7/11 9500-114 Ponta Delgada Tel. 296 205 380 outgoing@melo-lda.pt

Micaelense

Travessa de São Pedro, nº 3 9500-329 Ponta Delgada Tel. 296 206 600 micaelense@micaelense.pt

Solresor

Rua Cruz, nº 5 9500-051 Ponta Delgada Tel. 296 281 540 finance.pdl@solresor.se

TUI

Av. Inf. D.Henrique, nº 71 Centro Comercial Solmar, Loja 121 9504-529 Ponta Delgada Tel. 296 205 320 acores@tui.pt

TUI

Rua do Municipio, nº 13 9650-411 Vila da Povoação Tel. 296 585 321 p.linhares@tui.pt

Panazórica

Rua Manuel Inácio Correia, nº 81 9500-087 Ponta Delgada Tel. 296 301 720 paulamonte@panazorica.pt

Top Atlântico

Rua Açoreano Oriental 9500-013 Ponta Delgada Tel. 296 201 880 S.miguel@topatlantico.com

Turangra

Av. Infante D. Henrique (Portas do Mar) 9500-150 Ponta Delgada 296 304 780 pontadelgada@turangra.com

Rua Marquês da Praia, nº 38 9500-089 Ponta Delgada Tel. 296 306 300 viagensfmartins@mail.telepac.pt

TERCEIRA

Francisco C.S. Martins Rua Dr. Augusto Botelho Simas nº11 9680-152 Vila Franca do Campo Tel. 296 583 000 viagensfmartins@mail.telepac.pt

Rua da Alfândega, nº 15 9760 - 411 Praia da Vitória Tel. 295 545 490 pvitoria@abreu.pt

Full Services

Rua António Joaquim Nunes da Silva nº55 9500-022 Ponta Delgada Tel. 296 630 314 fsp@fullservicesgroup.com

Interpass

Rua Bento José Morais, nº1 R/C, Loja F 9500-772 Ponta Delgada Tel. 296 650 810 Telm. 925 982 830 mmedeiros@interpass.pt

Abreu

Abreu

Rua Direita, 71-73 9900-066 Angra do Heroísmo Tel. 295 204 660 angra@abreu.pt

Almeida Viagens

Rua Alto das Covas, nº 4 9700-220 Angra do Heroísmo Tel. 295 707 170/1/2 angradoheroismo@almeidaviagens.com

Angra 2000

Via Graciosa

Rua Carreira dos Cavalos, nº 26-A Apartado 135 9700-167 Angra do Heroísmo Tel. 295 215 555 geral@angra2000.com

Rua Serpa Pinto, nº 19 9880 – 386 Santa Cruz da Graciosa Tel. 295 732 981 geral@viagraciosa.com

Angratravel

SÃO JORGE

Rua de Jesus, nº 50 9700-103 Angra do Heroísmo Tel. 295 206 900 geral@angratravel.website.pt

Teles

Rua da Sé, nº 138 9700 Angra do Heroísmo Tel. 295 213 236 tta.angra@telestravel.com

Teles

Av. Álvaro Martins Homem, nº 15 a 21 9760-412 Praia da Vitória Tel. 295 542 800 tta.praia@telestravel.com

Aquarius

Rua Infante D. Henrique, nº 21 9800-554 Velas Tel. 295 432 006 antonio@viagensaquarius.com

Oceano

Rua Dr. Manuel de Arriaga 9800-549 Velas Tel. 295 412 033 vocean@mail.telepac.pt

Via São Jorge

Rua do Roque 9850-079 Calheta Tel. 295 416 042 geral@viasaojorge.com

Top Atlântico

PICO

Top Atlântico

Av. Machado Serpa, nº 26 A 9950-321 Madalena Tel. 292 628 900 pico@abreu.pt

Rua Direita, 91-93 9700-066 Angra do Heroísmo Tel. 295 214 035 terceira@topatlantico.com Edifício T-308 Arts&Crafts Center Base das Lajes 9760 Praia da Vitória Tel. 295 512 722 lajes@topatlantico.com

Abreu

Aerohorta

Rua de São Francisco, nº 8 9930-135 Lajes do Pico Tel. 292 672 660 eamaral@aerohorta.com

Turangra

Teles

Viavitória

Oceano

Viavitória

FAIAL

Rua Carreira dos Cavalos, nº 47- A 9700-167 Angra do Heroísmo Tel. 295 401 515 angra@turangra.com Rua da Palha, nº 46 9700-144 Angra do Heroismo Tel. 295 212 066 fernada@viavitoria.website.pt Largo Conde da Praia, nº 8 (Largo da Luz) 9760-438 Praia da Vitoria Tel. 295 512 101 geral@viavitoria.website.pt

GRACIOSA Turangra

Rua Jacinto Cândido, nº 4/6 9880-357 Santa Cruz da Graciosa Tel. 295 732 401/3 graciosa@turangra.com

Rua Carlos Dabney, nº 1 9950-327 Madalena Tel. 292 622 258 pico_telestravel@mail.pt Rua Conselheiro Terra Pinheiro, nº 3 9950-329 Madalena do Pico Tel. 292 623 835 vocean@mail.telepac.pt

Abreu

Praça Infante D. Henrique, nº 20 r/c 9900-144 Horta Tel. 292 208 490 horta@abreu.pt

Aerohorta

Rua Conselheiro Medeiros, nº2 r/c 9900-144 Horta Tel. 292 208 130 incoming@aerohorta.com

Top Atlântico

Rua Vasco da Gama 9900-017 Horta Tel. 292 208 140 horta@topatlantico.com


Atlânticoline 14  

Revista de Bordo. Azorean Magazine

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you