Revista Welustra - 9ª edição

Page 1




Caros leitores, estou de volta, e já estava com saudades! Desculpe...? É primeira vez que nos encontramos? Sem problemas, posso me apresentar : Oi para você aí do outro lado! Sou o Weelu da revista WELUSTRA, feita pelos alunos do terceiro ano de Design Gráfico da FAAL ( Faculdade de Administração e Artes de Limeira ). Mesmo eles preparando todos os ingredientes para levar ao forno, também os ajudei na decoração ! Nessa revista você poderá encontrar informações voltadas para o tema do INCOMA desse semestre: o Surrealismo, dando cada passo com o clássico Salvador Dalí e as artes derivadas desse movimento. Elas não existem apenas nos museus e nas galerias de arte, mas também ao nosso redor na vida cotidiana, ou até em partes de nosso corpo. Além disso, também temos uma grande surpresa para você uma entrevista com o ilustrador do ramo! Você vai se inspirar muito por aqui, e eu ainda vou te contar alguns segredinhos para você conseguir se desenvolver no caminho da ilustração. Aproveite sua jornada em cada parágrafo, abrindo a janela da imaginação no mar da leitura.

Weelu e a equipe WELUSTRA, Junho, 2020 Juntos ilustramos nosso mundo!

1


Ma rcu s Vinicius H e nriqu e Be lli

Ra f a el Forte

G uil h e rme Te ixe ira G a rcia

E d ua r d o d a S i lva Ri b ei r o

Coordenação, revisão, ilustração, redação.

Ilustração, redação.

Ismael Ferreira Entrevista, auxílio.

Diagramação, redação.

Giovanna Bonezi Gerência.

Fernanda Zandoná Auxílio.

Gerência, revisão geral, diagramação, ilustração, redação.

Valmir Massafera Jr Supervisão.

P a lo m a Li m a

Redação, infográfico.

Redação, entrevista.

Contribuições adicionais:

W e Lu s tr a 2020 Co nh eç a a E q u i p e

Y i Ping W a ng

2


S u m A arte e a vida se misturam

Surrealismo no cinema

A arte urbana e entrevista com Fuga

Reportagem sobre tatuagem

3

05 07 09 13


á r i o 19 23 25 27

Entevista com Diberkato

O mundo dos direitos autorais

A importância da ilustração no mercado de trabalho

Concurso de portfolios

4


A a rte e a vi d a se m istu ra m Paloma Lima

Não é de hoje que vemos o poder da fantasia e da imaginação em criar diversas coisas inimagináveis. E no Surrealismo isso é realidade absoluta. Com ela, vem a valorização da fantasia e a loucura trazendo a oportunidade do artista criar pelo impulso, registrando tudo o que lhe vier à mente, sem se preocupar com a lógica. Pensando nisso, o quão incrível seria ver esse mundo na telinha dos desenhos animados?

O mundo surreal de Dalí e Disney no curta Destino

5


ois

é,

aconteceu

ele

existe

através

e da

grande parceria entre um dos importantes pintores do movimento surrealista, Salvador Dalí, e Walt Disney, responsável por grandes animações famosas. O curta-metragem

animado intitulado como “Destino” foi Wa lt Dis ney Stu dio s

idealizado em 1945, mas só foi finalizado 58 anos depois. Com os problemas que o estúdio enfrentou pós-guerra mundial o projeto foi cancelado. Depois de muito tempo adormecido, o sobrinho de Walt, decidiu retomar o trabalho montando uma equipe de 25 profissionais para montar os desenhos originais e animá-los com a ajuda da esposa de Dalí e John Hench (artista da Disney na época). A animação é baseada na

canção

do

compositor

mexicano

Armando Dominguez e cantada por Dora Luz. A história apresentada no curta nos mostra o amor entre Chronos (a personificação do tempo), e uma mulher mortal. Na qual percebemos as transformações e dificuldades que o casal de amantes passa para estarem juntos. Todo o cenário onde esse romance acontece é construído no estilo das pinturas de Dalí, em seu mundo surrealista.

6


S u rrea lism o no ci n e ma Paloma Lima

O surrealismo moldou a história do cinema e com ele surgiram inúmeras formas de se expressar através do

subconsciente, como nos filmes “Concha

e o Clérigo” de Germaine Dulac e “Um cão

andaluz” de Luis Buñuel com Salvador Dalí. Com o passar dos anos o cinema evoluiu, levando consigo as inspirações

7

Emily, a noiva cadáver

Warner Bros ©

desse movimento...


Walt Disney Studio s

O sur rea lism o pod e até ter pas sad o des per ceb ido , ma s mu ito s de nós já o con sum imo s. Me sm o que ess e est ilo ten ha sof rid o mo dif ica çõe s e ten ha nov as car act erí sti cas , ele tem est ado pre sen te nas tel inh as, rep res ent ado s por clá ssi cos film es, com o os de Tim Bur ton . Seu s film es mo str am a fus ão da rea lida de com a ima gin açã o, vár ios ele me nto s fan tas iosos e dif ere nte s ser es (co mo o per son age m Edw ard Mã os de Tes our a), cen ári os com cor es for tes e esc ura s em exc ess o, par a pro voc ar rea çõe s dos tel esp ect ado res e par a tra zer a que stão do que é rea l ou irre al. Em Ali ce no paí s das ma rav ilh as, é pos sív el ver tod as ess as car act erí sti cas com um toq ue do sur rea lism o pop . Com iss o, pod em os ver em com o o mo vim ent o tem est ado pre sen te em nos so me io, ass im com o nas tel as com ess es film es tão ine squ ecí vei s, que for am par te da inf ânc ia de mu ito s. Por tan to, com ece m a ten tar ide nti fica r as ins pir açõ es do mo vim ent o ao nos so red or, com o sua pre sen ça nos mu seu s, na lite rat ura ou até me sm o nas rua s.

8


A a rt e Urb a n a Eduardo Ribeiro

C

uriosamente, os conceitos do surrealismo estão constantemente incorporados à arte urbana. Muitas pessoas optam por esse estilo através da desconstrução da realidade, acrescentando brilhos coloridos da imaginação nos cantos desvalorizados das metrópoles, se tornando artistas de rua com intuito puro de se expressar. Na antiguidade, as paredes das cavernas eram ilustradas na intenção de registrar a vida cotidiana dos nativos, nós as nomeamos como rupestre ao longo do tempo. Porém, essas representações artísticas não existem apenas na pré-história, mas também na cultura urbana: os grafites nos muros altos demonstram o quanto o medo não os cerca, quando mais alto o prédio maior a adrenalina. Seja de ponta cabeça ou pendurado

@fuga.tpt

em um andaime, muitos têm o desejo de eliminar sua

9

arte por serem vistos como participantes de vandalismo, cujo o movimento ativista feito para demonstrar as manifestações e injustiças na sociedade.


o Brasil, a arte urbana nasceu num momento conturbado da história, cujo divisor era a chamada ditadura militar. Esse

movimento não teve muita

participação no começo de seu desenvolvimento, mas cresceu com uma continuidade excepcional ao longo dos anos, influenciando questões de discriminação e ignorância escondidas embaixo do avanço industrial, ajudando a população marginalizada encontrar sua voz. Assim, apresentando sua realidade com mensagens simbólicas para outros. Por isso, essas criações têm maior destaque em grandes cidades. Alguns exemplos relacionados isso

são

cartazes,

a

artes

públicas, grafite, estêncil, e apresentações que são feitas por poetas, músicos, @fu ga.t pt

dançarinos e performistas (como estátuas vivas). A cidade de São Paulo o adotou com grande maestria. Talentosos surgem da pobreza extrema e agora possuem mais uma opção para melhorar a sua qualidade vida. Músicos famosos como os rappers Sabotagem, Mano Brown e Emicida são alguns exemplos de sobrevivência, que sempre produziram seu som único, com as necessidades que o país passava. Por fim, a arte está conectada com todos detalhes do nosso dia a dia, seja nos prédios modernos, como nas sombras do por do sol, e até nos bueiros que nem reparamos no caminho cotidiano.

@fuga.tpt

10


E nt re v i sta co m F u ga Eduardo Ribeiro

go: Fuga ) Nom e: Dav idso n P. G. Soar es (vul Idad e: 34 ano s Cida de: Lim eira -SP Prof issã o: Con tabi lista s Atua ção no ram o da arte : 3 ano

is form ais, Sem pre vem os a arte em loca es. Poré m, a siçõ com o em mus eus ou expo noss a vida de ante dist arte não está tão cant os que em ntra enco se Ela a. coti dian aten ção. às veze s nem pres tam os mui ta de Lião regi da Con vida mos o arti sta o com o ecid conh es, Soar n mei ra, Dav idso eciconh é Ele o. -pap bate um Fuga , para de sua do por leva r para as ruas da cida do graf ite, expr essã o artí stic a por mei o ta de core s pale e cato cari com seu esti lo sage m aos men sua a o and pass s, vibr ante apre ciad ores dess a arte .

@fu ga.t pt

11


Como você começou no movimento?

não tinha uma ideia do que fazer, resolvi

Iniciei no movimento do Graffiti/Street art

juntar um animal que admiro pela beleza,

em Abril 2017, aos 30 anos. Sempre morei

um rosto humano e um símbolo religioso.

na periferia, e é onde meu trabalho pode

Geralmente eu forço meu processo

ser mais notado. Quando criança não tive

criativo escrevendo aquilo que quero por

contato algum com arte de rua e pouco

no papel. Para fazer os esboços, costumo

tive contato com arte nas escolas públicas

usar lápis e papel ou uma mesa digita-

onde estudei. Alimentei neste meio tempo

lizadora, no Graffiti (no muro) uso tinta

minha parte artística em meio a música. Fui

acrílica a base d’água e spray.

vocalista de bandas de Rock por 12 anos e

Para muitos, o Graffiti é o propulsor para

ainda sou. Tive meu primeiro contato com

um trabalho mais aprofundado com a arte,

Graffiti aos 17 anos, quando conheci um

para mim é uma fuga, algo que me distancia

cara que estudava comigo e que fazia suas

do cotidiano, da monotonia, por isso o

caligrafias por aí, o vulgo dele era “SUSTO”.

vulgo “Fuga”. Mas não é porque se trata

Me inspirei nele para fazer meus primeiros

de um “hobby”, que é menos importante.

rabiscos de letras no papel, mas após o

Procuro levar a sério as mensagens que

colegial, nunca mais tive contato com esse

passo através da minha arte e procuro

cara. Contudo sempre gostei de desenhar,

aprender mais a cada dia sobre a cultura

tanto personagens, quanto letras, daí então

Hip Hop e a arte de rua.

que vim a conhecer o Graffiti mais de perto. Quais suas influências? Minha maior influência são as pessoas que conheci fazendo meus trampos por aí e também as pessoas que eu sigo na redes sociais. Minhas maiores influências, citando nomes, são: Kiptoe, Ignoto, Binho 3m, Kueio, Smoe entre outros. Hoje em dia, é fácil acompanhar o trabalho de cada um desses caras e acho que minha arte tem um pouco de cada um, inclusive dos manos da minha querida TPT Crew. Crowface O esboço desse trampo foi feito durante o jantar na casa de minha noiva. Meus amigos e eu íamos pintar no outro dia e eu precisava preparar algo. Inicialmente eu

a (@f uga .tpt ) Art e Cro wfa ce feit a pelo Fug

12


R e p o rtagem s ob re t at u a gem Guilherme Garcia

A tatuagem tem uma popularidade inegável e é uma prática que vem ganhando cada vez mais espaço. Um exemplo disso foi seu crescimento no ano de 2017, com um aumento de 24% em relação a outros setores da economia. Entretanto, não é uma moda recente, mas sim, uma tradição ancestral, presente em

Cliente: Tony Viella

muitas culturas pelo mundo.

13


s Egípcios, maoris, polinésios e muitos outros povos têm em sua história registro de tatuagens. Ela tem inúmeros significados, que vão desde símbolos de status, até marcas religiosas. Independente da cultura, as técnicas de tatuar constituíam em fazer perfurações na pele usando instrumentos pontiagudos, enquanto tintas de origem natural eram aplicadas sobre essas perfurações.

N

Cliente Leandro Brasil

o Brasil, a tatuagem como nós conhecemos atualmente, chegou

pelas

dinamarquês

mãos

Knud

do

Harald

Lucky Gegersen, em 1959, com seu estúdio instalado próximo ao cais do porto de Santos – SP. Durante os períodos das décadas de 60 e 70, com a popularidade de movimentos políticos e sociais,

como os hippies e movimentos estudantis, a tatuagem foi ganhando cada vez mais espaço na sociedade. Hoje em dia, as normas de vigilância e regulamentação dos estúdios contribuíram para que essa prática deixasse de ser algo amador e estigmatizado, sendo mais seguro e aceito. l Pe s Cl ie n te Ca ro

Cliente Alexandre Dallier

14


E

mbora seja uma técnica milenar, o design contribui muito para a composição da tatuagem, influenciando na

escolha de cores, símbolos e questões culturais por trás dessa auto expressão. No início, a disponibilidade de cores era restrita com uma média de cinco cores. Porém, com o crescimento do mercado, foram criados mais de 70 tons de tinta, tornando as cores mais próximas das as encontradas na natureza.

A para

Clie nte : Gab i Bes sa

A

Clien te: Gust avo Teixe ira

s composições de cores

qual as cores passam a ser usadas

têm como objetivo gráfico

de forma psicológica, deixando de

uma

lúdica

lado os padrões convencionais e

progressão

por

transmitir

significado

relembrando a inconsciência.

e

sensações

distintas

Nas artes, modificações corporais

cada

indivíduo.

A

também

são

conhecidas

como

tilidade das cores influencia a

“body art”, tendência na qual o

perspectiva humana, pois desde

corpo constitui uma cultura, na

os primórdios, o ser humano

qual o indivíduo cria seus valores

busca registrar suas vivências e

e interage com o mundo e outras

emoções através de formas e

pessoas ao seu redor.

cores, como no surrealismo, no

s tatuagens vêm trans-

afirmação e domínio sobre sua

mitindo ao convívio social

imagem, com noções de luz e

do

pouco

sombra, profundidade, perspectiva

sobre sua personalidade

e proporção, para que desenho se

e estilo, tornando o corpo

enquadre com a composição de

humano cada vez mais, uma for-

cores que será utilizada no tipo de

ma de comunicação e propor-

pele a ser pintada.

indivíduo

um

cionando a tão almejada auto

15

versa-


A

s cores possuem significados

uma camada sobre a tinta, causando

diferentes de acordo com

um efeito de escurecimento sobre a

a cultura local e o desenho

ilustração. Já as peles com ausência de

escolhido. Porém, a escolha

melanina deixam a pigmentação sem

de um desenho não se limita somente

proteção, fazendo a tatuagem não se

à escolha das cores: um fator muito

fixar completamente, e se apagar a

importante é o tipo de pele onde a

longo prazo.

ilustração será gravada. Pessoas com

Mas isso não deve ser um motivo

peles muito finas e claras não aceitam

para você não fazer a sua. Hoje em

tintas conhecidas como ’intense’. Alguns

dia,

pontos

máquinas mais silenciosas e precisas,

de

podem

estourar, na

as técnicas cada vez mais avançadas,

ilustração. As peles com mais melanina

a tatuagem tem ganhado mais espaço

têm maior dificuldade com cores escuras,

nos corpos das pessoas, com maior

pois a cicatrização da melanina cria

diversidade de estilos.

um

efeito

borrado

Cliente : Paulo Monte negro

Cliente: Victor Octaviano

Cliente: BIU

Cliente: Douglas South

causando

Clie nte : Jean Gai a

tintas

com a sociedade mais aberta,

Cliente: Rafael Oliveira

16


esti l os de tatuagem : q Guilherme Garcia

NEW SCHOOL

Uma releitura do estilo ‘old school’, com traços mais grossos trabalhando mais temas além dos clássicos símbolos náuticos, com maior variedade de cores, sendo bastante influenciado nas artes modernas e gibis.

T o p o

AQUARELA

Técnica que simula a tinta diluída em água, saindo de seu contorno, dando a tatuagem um ar delicado e suave. ABSTRATO

Através de tendências mais figurativas, usando ponto, traços e outras formas de desenhos para compor tatuagens complexas e impecáveis.

LETTERING

Muitas vezes com o intuito de homenagear um familiar, um amigo ou até mesmo referenciar uma música ou um filme, as tatuagens feitas com base em tipografia têm bastante popularidade.

17 17

GEOMÉTRICO Criando dese nhos abstratos figurativos com formas como tr ângulos, círculo e quadrados.


q uant o s v ocê conhe ce ? PONTILHISMO

FREEHAND

Tradução literal, ‘mão livre’, ao contrário de outras técnicas onde o tatuador procura sempre estudar e conversar com seu cliente sobre o desenho, nessa o esboço é feito na pele do cliente, onde será tatuado.

, e -

O ee m rios

Tatuagens compostas por pequenos pontos, aumentando ou diminuindo a intensidade de acordo com o sombreado desejado.

BIOMECÂNICO

Estilo que simula a união orgânica entre o biológico e o metálico, incorporando desenhos com aspectos robóticos ao corpo, de forma mais realista possível.

REALISMO

Um dos mais impressionantes estilos, usando técnicas precisas de desenho tem como objetivo retratar de forma real um retrato.

MINIMALISTA

Desenhos pequenos, com linhas finas e delicadas, tendo pouco preenchimento, sem sombreamento, um estilo feito exclusivamente por traços.

ORIENTAL

Utilizando elementos das culturas japonesa e chinesa, são desenhos detalhados e cores fortes, cheios de significados.

TRIBAL Constituída por uma cor preta sólida, o desenho tem formas sinuosas, foi muito usado durante os anos 80 e 90.

18 18


E n t re v i sta com D i berkato Rafael Forte Colaborador: Ismael Ferreira

oa te nt e em m ei rr ea lis m o ex is su de sto vi ei re nc da O co na ru a: Nó s o fic a ap en as is ev tr en a St re et Ar t nã cê s um ou xe m os a vo id o ec nh co ta W el us tr a tr s ai m ra , o Br un o Fe rr ei or da o ta fe ita co m br as ile iro ab ta tis ar O o! at rk be Di , ch ao is m co tic as pe ss oa as ca ra ct er ís an te s br vi s te m a co m su m co re o do s ol ho s co PO P. ra ltu m an do at en çã cu da el em en to s e ou tr os m ai s

19


NOME Bruno Ferreira

IDADE 23 anos

CIDADE Álvaro de Carvalho (interior de SP) GRADUAÇÃO Arquitetura

Emprego Artista Freelance

20


Quais suas inspirações / referências?

Alguma dica que

- Minhas inspirações se baseiam basi-

você daria para ou-

camente em cultura pop, quadrinhos,

tros ilustradores?

nostalgia, filmes e artistas como Robert

- Manter sua arte

Sammelin e Maciej Kuciara, gosto de como

consistente e interagir

eles conseguem fazer algo meio a estilo de

com a comunidade.

quadrinhos mas com um certo realismo. Qual seu método Como você define seu estilo?

e os seus materiais

- Comic / Pop Art.

de desenho? - Meu processo é

Quando você sentiu que a fama chegou para você?

todo digital, eu uso um pen display.

- Quando atingi 150 mil seguidores em um ano, e meu objetivo era 5 mil, hahaha.

Qual foi seu es-

Mas foi principalmente depois que uma

tudo para chegar

arte de minha personagem ficou viral na

no ponto de hoje

comunidade.

( cursos )? - Eu aprendi tudo

Como você vê o mercado de trabalho da ilustração?

eu gostava bastante de reproduzir fotos

- Se você conseguir estabelecer uma boa base de seguidores

sozinho, no começo

clientes no exterior

com realismo, daí que eu tirei a base pra chegar onde estou hoje.

você consegue se dar bem! O que te fez entrar nesse mundo da Por que do uso de chifres, marcas ( Playstation, sega, etc. ), katanas, óculos e etc?

ilustração? E quando percebeu que gostaria de tornar isso sua profissão? - Eu entrei nesse mundo quando era

- Alguns elementos são frutos da constru-

adolescente, eu faço ilustrações digitais

ção da história da minha personagem

desde os 16 anos. Porém só tornei algo

Lorna, como os chifres. Agora o uso de

sério após o término da minha faculdade,

logos e etc é mais por uma questão de

quando fiquei com mais tempo livre pra

streetfashion mesmo, ou pra trazer uma

estudar anatomia e afins. Agora trabalho

certa nostalgia de marcas que estiveram

com isso por que depois que desenvolvi um

comigo na infância!

estilo próprio consegui ter várias propostas de trabalho como freelancer.

21


Quais foram suas dificuldades no meio desse processo? - Ter resiliência para estudar todo dia. Sou um artista meio preguiçoso. (risos) Quando decidiu mudar para a arte digital? - Aos 16 anos, quando percebi que meus artistas favoritos trabalhavam com arte digital. Na sua opinião, o que um artista pode/tem que fazer para sua arte ser reconhecida? - Trabalhar para desenvolver um estilo próprio na minha opinião é o ideal. E evitar ter sua arte parecida com a de outros artistas. Ter influência de outros artistas tudo bem, mas copiar não. O que desenhar significa para você? - Expressão máxima de ser, ver e sentir. Como se sente sabendo que sua arte é inspiração para vários novos artistas? - Eu acho ótimo, nunca pensei que influenciaria outros artistas com minha arte! Você tem uma ilustração favorita? Qual? - Minha primeira arte que se tornou viral no IG, onde minha personagem convida o público pra Marte! :)

22


O mundo dos direitos autorais Marcus Belli

C op y ri ght Copyright em sua tradução significa “direito de cópia”, ou seja, quando uma obra (seja uma imagem, ilustração, etc.) tiver direito de cópia, os autores originais têm pleno direito de domínio do seu conteúdo. Então se liga! Você não deve reproduzir essas obras por qualquer meio que seja, sem que tenha uma autorização prévia para isso. Isso protege o autor do uso indevido ou não consensual dos seus trabalhos. Não se esqueça que textos também são obras e por isso também possuem direito de cópia. No Brasil, uma lei fora decretada no ano de 1975 (lei número 9.610/98) que protege o autor do texto e sua obra automaticamente. Isso quer dizer que qualquer texto publicado (e isso também vale para publicações digitais) já está automaticamente protegido com direito de cópia.

R oya lt F r ee Você já se deparou com aquelas imagens que tinham centenas de marcas d’agua por cima, e por causa disso não conseguiu usá-la? A intenção do site detentor da imagem é justamente essa. Imagens com Royalt Free (como provavelmente foi o caso) são imagens que você

vai precisar pagar para utilizá-las.

Uma vez adquirida a licença, você pode usá-la livremente. Então fica o lembrete: Se você ver uma imagem desse tipo novamente e não pagar por ela, não use.

23


Tudo bem, esse pode não ser o assunto mais interessante do mundo em uma revista sobre ilustração, mas com certeza é um dos mais importantes - e por isso decicimos abordá-lo. Alguma vez você já usou uma imagem ou ilustração de outra pessoa? Ou criou algo a partir de um trabalho já existente? Os ilustradores são criadores de conteúdo. Para proteger essas pessoas de roubo intelectual, plágio ou de quaisquer atos que possam prejudicar a sua carreira profissional, existem os direitos autorais. De maneira bem prática: Os direitos autorais impedem as pessoas de saírem por aí fazendo o que querem com outras obras (podendo utilizá-las de forma adequada ou ganhando dinheiro com elas). Confira na matéria abaixo o que você precisa saber para utilizar outras obras ou até mesmo para proteger as suas:

Copyleft É um trocadilho com a palavra Copyright. Se por um lado o Copyright não confere o direito de cópia e reprodução de uma obra por outros, por outro lado, Copyleft significa o direito de permissão de cópia de uma obra. Agora sim, você tem a

liberdade de copiar, modificar e redistribuir, exigindo que

esse direito seja mantido em todas as versões modificadas. Copyleft transmite precisamente a ideia de que haverá sempre garantia de liberdade para os usuários reproduzirem a obra.

Ri gh t s -Managed Agora que você já entende como funciona o Royalt Free, não vai ser difícil entender essa próxima. Como você já sabe, pode utilizar como, aonde e da forma que quiser uma imagem com Royalt Free (desde que você tenha comprado, é claro); mas uma imagem com Rights-Managed é mais restrita...

algumas regras para utilização

ela exige

de seus direitos: Locais de

reprodução, formas com que poderão ser editadas, as mídias em que poderão ser propagadas, etc. As restrições variam. Se você comprar esse tipo de licença, leia bem o que não pode ser feito (se precisar, anote).

24


A impor t â n c i a da il u st r a ç ã o no mer cad o de t r a b a lh o Marcus Belli

Então quer dizer que as Ilustrações e as vendas estão andando juntos? Você não entendeu errado! Não subestime o poder de atração que uma ilustração publicitária acarreta nos espectadores. Ela valoriza o texto da propaganda, esclarece a mensagem e como passa outras informações e emoções. O espectador absorve de maneira mais positiva e muitas vezes mais rápida.

Dá só uma olha da: Red Bull , McD ona lds.. . Eu não estava brin cand o qua ndo fale i da imp ortâ ncia da ilus traç ão (e olha ndo esse s trab alho s, nem eles estã o).

Behance: EAT*, Jessica Souza

25

Be ha nc e: Sh un Izu mi , Ca sa Lo co mo tiv a Es tú dio


ilustradores brasileiros?

Cores + design + criatividade

Como vimos no parágrafo ao lado, as áreas

= Mãos à obra!

para ilustração são diversas, você pode

Junte o seu conhecimento sobre as cores

encontrar um cara lá no editorial, outro

(e sua influência), e com o design certo,

mais ligado no marketing direto, aquele lá

faça algo inesquecível para o cliente. Para

focado mais na web... O que geralmente

todas essas etapas, lembre-se: Seu objetivo

une esses criadores são as agências

é fornecer suporte ao texto escrito, portanto

de propaganda, já que são empresas

facilitar a compreensão da mensagem.

dedicadas a empregarem linguagens e

Mesmo depois da fotografia se tornar

ferramentas para deixar a mensagem

acessível à população, a ilustração ajuda

atrativa e estimular os receptores.

elucidar informações e é muito procurada pelas

empresas,

envolvendo

desde

a

criação de mascotes, charges, infográficos Mensagens

e até mesmo as animações, estas que vêm

carregadas de sentidos

ganhando muito espaço na web.

Estas

mensagens

correspondem

aos

objetivos de comunicação do produto

Lembre-se das redes sociais

ou serviço. Eles são produzidos a partir

Por último, mas não menos importante, não

de vários recursos dos quais os publi-

é? Para qualquer empresa hoje, a presença

citários lançam mão. Mas isso pode ser

no facebook, instagram, linkedin é de

bem delicado... cada código de informação

extrema importância! Várias delas buscam

é uma nova árvore de possibilidades de

espaço para aparecer para seu público. É

interpretação por parte dos espectadores.

uma grande oportunidade para promover

Portanto, caro ilustrador, você percebeu

essas empresas e conquistar novos clientes.

a importância do seu trabalho? Não é tão

Sabia que muitas empresas fazem a maior

difícil assim criar uma mensagem mal

parte de suas vendas por estes meios?

interpretada, que prejudique aquele cliente

Ah sim, lembre-se que em cada meio

que você estava ajudando. Um pouco de

existe uma estratégia diferenciada para

estudo sobre semiótica pode te ajudar

propagar a sua mensagem. Anúncios do

bastante a transmitir a mensagem certa,

facebook ou instagram, por exemplo,

uma vez que esse campo de conhecimento

quase não possuem textos escritos. Se você

retrata temas como significados e os

precisar atuar no meio digital, não deixe de

processos de geração de sentido em uma

analisar como são feitas essas publicações.

mensagem. Voc ê com cert eza dev e se lem bra r das incr ívei s ilus traç ões da MTV :

26

Saca só essa ilustra ção feita para uma edição limitad a de primav era da Fanta Behanc e: Russ Gray

Aonde estão os


Co n cur s o de portfolios

Aqui apresentamos os Welustradores mais criativos e talentosos, escolhidos a dedo para estarem nessa edição da revista! As técnicas e traços das ilustrações foram levadas em conta, assim como a criatividade, que tivemos de sobra.

Parabéns a todos os envolvidos, vocês são feras!

27


28


PORTFOLIO

Karina do

Santa Barbara

Estudante de desi

ParabĂŠns

29


VENCEDOR

os Santos

a d’Oeste - SP

ign gráfico (FAAL)

s, Karina!

30


AntĂ´nio Pereira Teixeira Piracicaba - SP Estudante

31


Felipe Ban deira Santa Ger trudes

Estudante

- SP

de design grรกfico (FA AL)

32


JosĂŠ Luiz da Silva Santo Antonio de Posse - SP Estudante

33


Laís Ramo s Mogi Guaç u - SP Estudante de design gráfico

34


Luigy Troque

Estudante

35


Esse foi mais um concurso de portifolios da revista WeLustra.

Parabéns, Welustradores! Vocês são demais! um futuro brilhante e cheio de cores aguarda vocês ;)

Seu portoflio não estava aí? Não se preocupe, você poderá aparecer nas próximas edições. Fique atento às redes sociais para receber notícias dos próximos concursos, então nos envie seus melhores trabalhos.

36


37