Page 1


índice

Zoom 44 Saiba um pouco mais sobre a vida e o sucesso de Katy Perry

Vitrine

Moda

Bem viver

12 Estilo 14 Destaque 15 Infantil 19 Luxo para todos 20 Tendências 29 Comportamento 33 Beleza 26 Reportagem 60 Personal shopper 70 Vitrine masculina 73 Estilo

04 Editorial 42 Celebridade 52 Jóias 56 Unisssex 66 Conceito 69 Mulher

24 Gastronomia 31 Passeio 37 Viagem 54 Cultura 62 Dossiê 71 Esporte 72 Raio x


Fotos: Thomas Giddings


estilo

Beth Ditto Texto: Janaína Santos

Se os anos 80 e 90 tiveram Madonna como provocadora master de mudanças de comportamento, os 2000 não devem ficar para trás no que depender de Beth Ditto, vocalista da cultuada banda The Gossip, que acaba de lançar álbum novo, “Music for Men”. Projetada no mundo com o megahit “Standing in the way of control”, Ditto é presença garantida em dez de dez listas de meninas cool publicadas nos últimos anos. Essa pisciana de 28 anos tem afinação, vozeirão & fôlego de cantora lírica e alma essencialmente punk. Cheia de atitude, é feminista, gay, gordinha feliz e orgulhosa dos seus quilinhos a mais. Ela e o Planeta Fashion vivem

um apaixonado e fértil caso de amor. Lagerfeld e Gareth Pugh já mandaram produzir peças especialmente para o manequim da cantora, que estrelou editoriais em algumas das principais revistas de moda do mundo.

“Espero que as roupas inspirem [as pessoas] a pensar sob um novo ponto de vista” Fã declarada de Melissa, ela só usa Chanel n˚ 5 e acaba de tornar mais fácil a vida de meninas que, como ela, costumam sofrer para encontrar roupas legais. Lançou junto à marca inglesa Evans uma linha plus size. Como ela bem disse uma vez em alguma entrevista por aí, sua

linha de roupas vai ajudar pessoas que estão acima do peso e que, assim como ela, adoram moda e tem dificuldade de encontrar roupas legais. A coleção é um mix de referências aos anos 50 e 80 e vai ter muita legging, estampas florais e jaquetas de couro. “Espero que as roupas inspirem [as pessoas] a pensar sob um novo ponto de vista”, declara


destaque

Modelos “gordinhas” Texto: Patrícia Cabral

O nome dela é Whitney Thompson e, mesmo nem sendo assim tão gordinha (é que perto das modelos magrelas ela realmente parece maior), ela venceu o décimo ciclo do “America’s Next Top Model”! A Whitney é linda e se saiu super bem nas fotos! Espero que a vitória dela abra as portas da carreira para outras modelos “plus-size”, afinal de contas, os corpos delas se parecem muito mais com o corpo de uma mulher comum, a verdadeira consumidora da moda que é mos-

trada nas revistas e passarelas… quem sabe assim as marcas passem a desenhar roupas para esses corpos também! Aliás, o assunto está em alta! Recentemente a editora da Vogue britânica publicou uma carta pedindo aos estilistas que considerassem desenhar roupas com medidas maiores: as peças que as marcas andam mandando para os editoriais são tão pequenas que não andam entrando nem nas modelos magrinhas! Nesse último fim de semana,

Crystal Renn, a modelo “plussize” mais bem paga do mundo, acabou de lançar sua autobiografia, “Hungry”. Crystal já foi anoréxica e vivia desmaiando, até que resolveu dar um basta, assumir as curvas e encontrar seu lugar sob os holofotes da indústria fashion. Na foto acima, ela aparece num editorial da Vogue, num desfile de Jean-Paul Gaultier e em outro editorial de maquiagem. Ela venceu! E agora, foi a vez de outra revista britânica, a Glamour, causar alvoroço ao publicar a foto de Lizzie Miller, 20 anos, considerada muito gorda para ser modelo “plus-size”. A revista recebeu pencas de e-mails aprovando a publicação da foto! O sucesso foi tanto, mas tanto… que a revista já prometeu publicar mais fotos mostrando o corpo de garotas normais (e um pouco acima do peso) na sua edição de novembro.


infantil Texto: Amanda Meireles

Estilista mineiro circula pelo país para dar palestras e orientar artesãos Dizer que Ronaldo Fraga não pára se tornou até redundante. Isso porque o estilista mineiro de 41 anos, considerado um dos mais importantes do cenário nacional, é o movimento em si. – Há pouco tempo tentei desacelerar, mas aconteceu o inverso – conta ele. Além de suas inventivas coleções, apresentadas na São Paulo Fashion Week duas vezes por ano, está constantemente envolvido com novos projetos. Grande parte deles coloca a moda na merecida ca-tegoria de produção cultural. Atualmente ele integra o projeto Talentos do Brasil, promovido pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, que promove uma aproximação entre designers de moda e artesãos. Fraga atende três comunidades, em São Borja e Uruguaiana (Rio Grande do Sul), onde há um trabalho em lã e crina de cavalo; em Coxim, no Pantanal (Mato Grosso do Sul), com couro de peixe; e no Cariri (Paraíba), com renda labirinto. – Essas comunidades já dominam o manualismo, mas não têm produção – diz Ronaldo, que, a partir deste ano, abre espaço em suas lojas em Belo Horizonte e São Paulo para que as peças geradas através deste projeto possam ser vendidas. Mas ele se vê ganhando mais do que doando conhecimento, nesses projetos. – É uma via de mão dupla. Já que não tenho con

dição de voltar para escola, aprendo com eles – afirma. Por conta do atendimento às comunidades, localizadas em lugares distantes entre si, e também para divulgar outros projetos, Ronaldo passa bom tempo viajando. Em Florianópolis, onde esteve na semana passada, também ministrou palestra para estudantes e interessados em geral dentro da programação da Semana de Moda da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). O encontro integra um programa mantido pela Santana Textiles, fabricante de jeans da qual ele é um dos estilistas patrocinados. Em São José, apresentou a coleção de verão da sua marca infantil, Ronaldo para Filhotes. Lançada há sete a nos, ela agora está ganhando um status di- ferente.


infantil

– A linha Filhotes por muito tempo foi um filho bastardo. Hoje, o adulto ficou bastardo –diz Ronaldo, referindo-se ao fato de que, enquanto sua linha para grandinhos fica restrita a suas duas lojas, o infantil está espalhado por vários pontos de venda do País. E como é criar para crianças? – Em muitas marcas, o DNA do adulto não dialoga com o infantil. Aí as crianças viram miniaturas dos adultos. Na minha marca, a iconografia, as estampas e os shapes transitam tranqüilamente entre os dois. Acho que roupa de criança é roupa de criança. Eu procuro imprimir nas peças uma memória afetiva, elementos da cultura brasileira. E as formas do infantil têm ainda mais liberdade. As coleções infantis de Ronaldo sempre têm um vínculo com a temática da adulta, apresentada na SPFW. Mas também têm sua iconografia própria, como a estampa de Bolacha Maria, que se tornou marca registrada da linha.

Outras marcas que também apostam em linhas infantis

United Colors of Benetton

Jean-Paul Gaultier

Dolce & Gabbana


Texto: Amanda Meireles

Cabelo chanel, unhas pintadas de vermelho, roupas estilosas e um carisma comparável a qualquer superstar, Suri Cruise é o it-baby do momento. E não é para menos. Segundo a lista do site Forbes, dos 10 pequenos mais badalados de Hollywood, a gatinha dos olhos azuis, ultrapassa os filhos do casal Angelina – Brad, que arrasaram nas edições anteriores. O fantástico guarda-roupa de Suri é de causar inveja a qualquer fashionista de plantão. Armani, Bur-berry e Christian Laubotin, são alguns dos designers mais usados pela chiquérrima garotinha. Os looks que nunca se repetem, têm como principal ator, os vestidos. Listrados, floridos, os tradicionais poás, e até mesmo os monocromáticos, são compostos por sapatos de cores neutras que completam o efeito clássico-chique. O toque contemporâneo é causado pela unha pintada de vermelho. Puro Glamour! Chique, chique e chique! Linda, bem vestida e sorridente, Suri é uma promessa de estilo para as próximas gerações. Victoria Beckham, Kate Moss e irmãs Olsen que se cuidem! Suri veio para ficar.


luxo para todos Texto: Carmem Arruda

Nos últimos três anos nos Estado Unidos e mais recentemente na Europa tem surgido uma moda interessante... É o aluguel de bolsas de grifes de luxo!!!! Sim... agora qualquer pobre mortal pode desfilar por aí com a sua bolsa Gucci, Prada, Chanel, Hermès, Dior, Gucci ou Louis Vuitton, sem precisar ter uma recheada conta bancária. O serviço de aluguel de bolsas é feito pela internet, e já existe até lista de espera para alguns modelos que apareceram em revistas de moda nas mãos de grandes celebridades. Nos últimos quatro meses vários sites foram criados na França, apresentado resultados bastante rentáveis, a empresária responsável pelo primeiro site no país disse que esperava um retorno após o primeiro ano de serviço, mas que surpreendentemente viu suas cifras aumentarem nos 2 primeiros meses. O site francês Sacdeluxe possibilita descontos para assinantes, com uma mensalidade de R$ 123 por ano, mas é possível alugar as bolsas sem pre-

cisar pagar a taxa de assinatiura. Com cerca de 150 modelos de grifes de prestígio, os valores variam de 20 euros por duas semanas aluguel, sendo as bolsas mais alugadas em média 80 euros. Ícones de luxo chegam a custar cerca de 250 euros por duas semanas de aluguel. A Feel Chic é uma loja que aluga essas bolsas por preços que variam entre 180 e 500 reais. Essa é uma opção boa para quem não está podendo pagar cinco, dez mil reais por alguma dessas belezuras. As consumidoras destes serviços estão na faixa etária de 20 a 35 anos que querem acompanhar a moda sem precisar gastar muito. Se teorias concordam que o novo luxo está nos prazeres simples, ou que o consumo de luxo atualmente é muito mais hedonista do que simplesmente status, o fato é que ainda existe muita gente dando valor a grandes marcas de prestígio e que são capazes de pagar até 250 euros pelo aluguel de uma bolsa que apareceu desfilando entre celebridades... narcisista ou prazer pelo status o luxo está se democratizando...


tendĂŞncias

Estampas Dicas: - Polka dots ou as famosas bolinhas: grandes, pequenas, coloridas - Estilo artsy: aquareladas, indefinidas, mas lindas - Tropical: folhagens e flores - Animal: oncinhas e zebras

Produção: Fernanda Lischtenstein


tendências Dicas: - Não tenha de que pink is the new black - Misture tons fortes - Aposte no look de uma cor só

Cores


tendências

Romântico

Dicas: - Os laços aparecem tanto em acessórios quanto em roupas - Ombros marcados com delicadeza é hit absoluto - Franjas também romantizam a roupa - Aproveite a tendência e enfeite os cabelos


Dicas: - A tendência está na variação do bege: mais rosado, às vezes mais acinzentado ou esverdeado - o importante é se parecer com cor-de-pele. Aposte no nude, não só em roupas e em acessórios também.

tendências

Nude


gastronomia Ingredientes: 125 g de farinha de trigo com fermento 125 g de açúcar refinado 125 g de manteiga sem sal, em temperatura ambiente 2 ovos ½ colher (chá) de extrato de baunilha 2 colheres (sopa) de leite, aproximadamente

Ingrediente: 1 xícara de farinha de trigo 1 xícara de açúcar ¼ xícara de chocolate em pó ¾ colher (chá) de bicarbonato ¾ xícara de leite 1/a xícara de manteiga 1 colher (chá) de extrato de baunilha 1 ovo

Preparo: Pré-aqueça o forno a 200ºC e forre 12 forminhas de cupcake com forminhas de papel. Em uma tigela média, bata a manteiga com o açúcar até obter um creme. Junte os ovos, um por vez, com um pouquinho da farinha. Bata bem. Adicione a baunilha e o restante da farinha, misturando. Junte o leite até conseguir uma consistência para “pingar” a massa nas forminhas. A massa vai parecer pouca para fazer 12 bolinhos, mas pode prosseguir porque ela é suficiente. Asse por 15-20 minutos ou até que eles estejam dourados e assados por dentro – faça o teste do palito se preferir. Retire do forno e coloque os cupcakes sobre uma grelha para resfriarem. Decore depois de completamente frios.

Ingredientes: 2 ½ colheres (sopa) de manteiga ou margarina ¼ xícara de cacau em pó ou chocolate em pó 2 xícaras de açúcar de confeiteiro 2 colheres (sopa) de leite, aproximadamente

Preparo: Bata a manteiga por 30 segundos, até amolecer. Acrescente o cacau em pó e 1 xícara de açúcar até incorporar. Junte metade do leite e o restante de açúcar até incorporar. Continue acrescentando leite, se achar necessário, até obter a consistência desejada.


Conheça um pouco mais sobre a adorável atriz e cantora Zooey Deschanel Texto: Carla Ambrósio

Apesar de nascida na Califórnia, cresceu em diversos locais diferentes, por causa do trabalho de seu pai. Sua irmã, Emily Deschanel, também é atriz. Seu avô paterno era francês (seu sobrenome quer dizer “dos canais” ou “dos pequenos jarros”) e o restante de sua ascendência é irlandesa. Sua irmã revelou em uma recente entrevista à imprensa francesa, que elas quando crianças, passaram muitos verões em Lyon, França. O nome “Zooey” foi inspirado pelo personagem de mesmo nome, da Livro de J. D. Salinger “Franny and Zooey” Deschanel cursou a “Crossroads School” em Santa Monica, Califórnia e cursou a Universidade “Northwestern” antes de sair para levar a cabo sua carreira ativa. Deschanel apareceu como companheira da atriz Samantha Shelton na cena do cabaré, do filme If All the Stars Were Pretty Babies, assim como cantou e tocou em diversos outros filmes, como por exemplo Bridge to Terabithia e Winter Passing. A sua composição para piano “Bittersuite”, foi tematicamente utilizada em Winter Passing, no qual ela estrelou. Já gravou uma versão da música

“Hello Dolly” do musical de mesmo nome. Deschanel recentemente apareceu em uma entrevista numa rádio de Seattle juntamente com M.Ward para promover seu próximo álbum, o qual é uma mistura de Country and Rock and Roll. Durante a entrevista no talkshow da rádio, Deschanel e Ward apresentaram quatro canções. Em março de 2007, Jason Schwartzman’s band Coconut Records gravou um álbum chamado “Nighttiming”, o qual teve a participação de Zooey em duas canções : (“Slowly” e “Ask Her To Dance”). Hoje, Zooey, além de atriz, é vocalista da banda She & Him. Pra quem não conhece She & Him é uma dupla folk-pop que lembra muito algumas bandas dos anos 70. Formada pela atriz e pelo músico M. Ward, rapidamente alcançaram sucesso de público e crítica. A voz de Zooey é o destaque da banda, ela é um pouco triste e dá muita profundidade as canções. Um bom exemplo da sonoridade da dupla é Sentimental Heart que faz parte do primeiro álbum do duo "Volume One". Uma música pequena e com uma letra muito simples mas, cantada com muita emoção.


reportagem

She & Him A dupla norte-americana que é uma das novas apostas do folk-pop com seu primeiro álbum, Volume One. Durante as filmagens de The Go-Getter (2007, ainda não lançado no Brasil), Ward e Deschanel tiveram de gravar, por pedido do diretor Martin Hynes, um cover de “When I Get to the Border” (que não está no álbum), de Richard & Linda Thompson. Resolveram formar a dupla e gravaram em Portland o material que Zooey já tinha pronto. As sessões deram origem a Volume One. A maioria das canções do álbum são de autoria de Zooey, que canta e toca piano e banjo. Já Ward toca guitarra e é responsável pela produção do disco. O som tem bases de folk, soft rock e pop dos anos 60,

com letras românticas e texturas delicadas. “Sweet Darlin’” é tão inocente que chega a ser luminosa – lembra Belle & Sebastian, assim como “This Is Not a Test”. “Sentimental Heart”, “Why Do You Let Me Stay Here?” e “I Thought I Saw Your Face Today” são outros exemplos da doçura e do charme do álbum. Destaque também para os covers de “I Should Have Known Better”, que abre o álbum, e “You Really Got a Hold On Me”. A primeira ficou famosa nas vozes dos Beatles e agora ganha uma roupagem havaiana e sedutora. Já a segunda, também gravada por John Lennon e cia., na verdade é dos The Miracles e ficou ainda mais encantadoramente triste na voz de Zooey.


blazers

deles

Texto: Janaína Castro

Atual coqueluche dos fashionistas e apaixonados por moda, o estilo boyish apresenta uma forte tendência inspirada no guarda roupa masculino, principalmente o jeans boyish que tem um forte apelo junto às mulheres mais contemporâneas que prezam conforto versus novidades up to date. As formas são sempre mais largas, o cavalo é levemente rebaixado dando a impressão de que a peça foi ‘emprestada’ do guarda roupa masculino. O jeans boyish fica ainda mais evidenciado em produções Hi Low onde as demais peças são absolutamente femininas.

sapato oxford

boyfrien short & boyfriend pants

Ultrapassando os jeans, ainda predomina nas produções o corte mais straight, as cores sóbrias, os sapatos oxford, as gravatas, camisaria, blazer pouco estruturados, calças de alfaiataria e muito suspensório. A invasão do território masculino não para nesta estação e parece perdurar para a temporada mais solar do ano: o verão. O que se viu no SPFW foi uma profusão de formas amplas, uma cartela de cores convencional e a elegância da silhueta boyish. gravata

comportamento

Assaltando o guarda-roupa


passeio

F U N D A Ç Ã O

Iberê Camargo

Texto: Paulo da Silveira Ilustrações: Vanessa Samurio


passeio

Por que visitar

A fundação reúne a obra de Iberê Camargo (1914-1994), um dos maiores nomes da arte brasileira do século XX. Conta com nove salas de exposição distribuídas em três pavimentos. No subterrâneo, há uma área de reserva técnica equipada para abrigar as obras que não estão em exposição.

Não deixe de ver

O edifício que o arquiteto português Álvaro Siza projetou para abrigar os 216 óleos, 329 gravuras e 4 000 desenhos do artista plástico Iberê Camargo (1914-1994) é, em si, uma obra de arte. Premiado na Bienal de Veneza de 2002, esta verdadeira escultura de concreto aparente valorizou ainda mais o magnífico acervo da Fundação Iberê Camargo.

O que a escola pode trabalhar

“Em sala de aula, vale abordar os aspectos da memória e das vivências que se ligam à filosofia. A arte de Iberê tem tudo a ver com isso, nas paisagens, por exemplo, pode se trabalhar a questão do enquadramento versus imaginário, além da subjetividade de sua pintura”, explica Luciano Laner.

Melhor para

Adolescentes que já tenham aprendido um pouco sobre o modernismo. Ou para quem gosta das séries Os Carretéis, Os Ciclistas e As Idiotas, as mais famosas do pintor.

Na agenda

Avenida Padre Cacique, 2000, Praia de Belas, tel. (51) 3247-8000, site: www.iberecamargo.org.br. D terça a sexta-feira das 10h às 19h; sábados e domingos, das 11h às 19h.

Entrada: gratuita.


1

Na modelo: batom (1) Lancôme Rouge à Lèvres Attraction, na cor Beige Nude. Outras dicas: batons Nyx Lip Smacking Fun Colors nas cores (2) Iris e (3) Summerlove, e o gloss (4) Helena Rubistein Full Kiss, na cor Addictive Fling.

4

2 3

7

PINK FOSCO

5

6

Na modelo: batom (5) L.A. Girls Last Night. Outras dicas: batons (6) MAC Amplified Show Orchid, e (7) Nyx Lip Smacking Fun Colors, na cor Chloe.

beleza

Make it work

NUDE


beleza

ROSA CLÁSSICO e PINK BRILHO 9

7

Na primeira foto Look Rosa Clássico

12

10

Na modelo: batom (8) Chanel Rouge Allure, na cor Pink Saphir. Outras dicas: batons Contém 1g My Lips na cor Rosa Queimado Cintilante, e (9) Chanel Rouge à Lèvres Creme Lipstick, na cor Paris Pink. Na segunda foto Look Pink Brilho

Na modelo: batom L.A. Girls Last Night + gloss (10) Lancôme Juicy Tubes Strawberry Funk. Outras dicas: glosses (11) Lancôme Color Fever Lip Gloss, na cor Volcanic Pink, e (12) Sephora Band Ultrashine Lip Gloss Hot Pink. 11

CORAL 14

15 16

Na modelo: batom (13) Revlon Super Lustrous Liptick, na cor Soft Silver Red. Outras dicas: batons Nyx Lip Smacking Fun Colors, nas cores (14) Miracle e (15) Margerita.


beleza

LARANJA FOSCO e BRILHO Na primeira foto Look Laranja Fosco

Na modelo: batom (16) Lancôme Le Rouge Absolut, na cor Orange Sacrée. Outras dicas: batons (17) Natura Brilho Aquarela cor 06, e (18) MAC Amplified Morange. Na segunda foto Look Laranja Brilho Na modelo: o mesmo batom da primeira foto + gloss (19) L'Oréal Melon Punch. Outras dicas: glosses Natura Aquarela Laranja 13 e (20) Victoria Secrets Honey Do.

16 20

17 19 18

VERMELHO FOSCO 22 21

23

Na modelo: batom (21) Nyx Lip Smacking Fun Colors, na cor Fire. Outras dicas: batons (22) MAC, Russian Red, e (23) Duda Molinos Vermelho Opaco.


beleza

VERMELHO BRILHO

Na modelo: batom (21) Nyx Lip Smaking Fun Colors, na cor Fire + gloss Outras dicas: glosses (24) Koloss 05 e (25) Bourjois Effect 3D, na cor Rouge Sunset.

21

24

25

Eis a listinha de produtos usados pela super maquiadora para completar o make: 1 – corretivo Effacernes Longue Tenue na cor Beige Sable, da Lancôme, aplicado com a pontinha dos dedos em leves batidinhas pra corrigir olheiras e imperfeições. 2 – sombras do quarteto Les 4 Sombres Beiges Velours, da Chanel: rosa claro na pálpebra superior, e marrom claro no côncavo e cantinho externo dos olhos. 3 – iluminador Mosaic Powder Higlighter, da Nyx, aplicado com pincel no topo das maçãs do rosto. 4 – lápis bege da Vult na linha d’água pra abrir um pouco o olhar. 5 – blush Subtil Sheer, da Lancôme, pra dar um arzinho saudável. 6 – todos os batons foram aplicados com o pincel 316 da MAC. Texto e maquiagem: Simone Barcelos


Estados Unidos É um dos destinos mais tradicionais, Lá, além de aprender inglês, você pode visitar atrações como parques da Disney!

Intercâmbio sem erro

30 dicas de experts no assunto para você não perder a viagem Texto: Luciana Hruby

Morar no exterior é, no mínimo, uma oportunidade de aprender um idioma estrangeiro, mergulhar em outra cultura, fazer novos amigos e, claro, passar um tempo bem longe dos olhos dos pais. No mínimo. “Os valores que a garota ganha no intercâmbio, ninguém tira. Ela vai perceber que o mundo vai além da casa dela e que, apesar de haver tanta diferença entre os países, é possível conviver com todas elas.” Diz Mariana Schwartzmann, psicóloga da Unicamp. Parece intenso demais? E é! “Foi a melhor coisa que vivi até hoje. Costumo dizer que não foi um ano da minha vida, mas a vida em um ano”, diz Alessandra Maia, 20, que foi para os EUA. Mas, para aproveitar ao máximo essa experiência, é preciso tomar alguns cuidados. Para saber quais são eles, falamos com especialistas e fomos atrás das maiores experts no assunto: meninas que já fizeram a viagem. Eles contaram 35 coisas que não dá para esquecer se quiser se dar bem e driblas as frias em cada fase do intercâmbio.

viajem

Os 5 mais procurados


Os 5 mais procurados

Canadá

Nesse país, você pode aprender inglês ou francês, dependendo da região. Além disso, é superseguro e oferece uma ótima qualidade de vida.

A DECISÃO 1.Pesquise o tipo ideal para você. “Quando comecei a ir atrás de um intercâmbio, achei tudo muito caro. Até que conheci o programa Au Pair, que é barato e seguro”, diz Gabriela Mian, 18 anos, que está nos EUA. 2.Converse com seus pais É natural que eles tenham um monte de dúvidas e preocupações. Responda pacientemente às perguntas dos dois, divida as descobertas e, se possível, faça com que eles conversem com ex-intercambistas. 3.Prefira fazer o intercâmbio sozinha. Acredite: sem amigas por perto, você vai aproveitar melhor. “Quando você não tem alguém o tempo todo ao seu lado, tem que se virar e correr atrás para fazer

amizade com os nativos e se infiltrar na cultura deles”, diz Kyrian Melo, 17 anos, que foi para a Austrália.

conta Anmali Ramos, 18 anos, que foi para a Alemanha.

O DESTINO

7.Pesquise o máximo sobre o lugar Essa é a melhor maneira de prevenir sustos e aquela sensação de “o que estou fazendo aqui?”. Procure informações na internet e use um mapa da cidade para marcar os pontos turísticos e traçar roteiros.

4.Fuja do lugar-comum. “Ir para Taiwan não estava nos meus planos, mas, como não consegui vaga para o país que queria, aceitei. A principal vantagem de ir pra lá foi aprender a falar chinês, que pode contar pontos ao meu favor em uma entrevista de trabalho”, diz Amanda Cibele, 19 anos. 5.Leve em conta o clima do local. Se você odeia o frio, evite ir para o hemisfério norte nos meses de dezembro e janeiro, quando os países nessa porção do globo terrestre enfrentam seus dias mais gelados. Prefira destinos no hemisfério sul, como África do Sul e Austrália, onde é verão nessa mesma época. 6.Procure conhecer meninas que já fizeram intercâmbio. Algumas agências promovem essa aproximação. ”Nesses encontros, é possível trocar informações com quem já morou no país para onde você quer ir. Isso ajuda a conhecer a cultura, as leis e como são as pessoas de lá”,

A PREPARAÇÃO

8.Leia publicações do país para onde você vai Pode ser na internet ou em jornais e revistas vendidos em bancas especializadas. “Um ano antes de viajar, fiz uma assinatura de uma revista americana para adolescentes. Isso me ajudou a ter uma idéia de como as meninas de lá pensavam e se comportavam”, conta Mariana Santarém, 18 anos. 9.Programe-se com antecedência para evitar imprevistos O atraso com o meu visto adiou em seis meses a minha viagem. A embaixada da Austrália sempre me pedia um documento que eu já havia mandado. Quando tudo parecia que tinha dado certo, a data do visto veio errada. “Acabei ficando um pouco desiludida, mas hoje dou graças a Deus de


não ter desistido”, conta Bruna Lima, 18 anos. 10. Prepare-se para a burocracia “O visto para o Reino Unido é muito difícil. Eles quiseram saber se eu teria como me manter lá sem trabalhar, pediram extratos dos últimos seis meses das contas dos meus pais, um certificado de algum curso de inglês, declaração de imposto de renda”, diz Thais Palma, 21 anos, que foi para a Inglaterra. 11. Confira (e reconfira) os documentos antes de embarcar. “Demorei uns cinco meses para resolver a documentação. Além do que a agência pedia, tinha o visto e a autorização para que eu viajasse sozinha. Mesmo assim, quase não saí de São Paulo porque nos papéis faltava a palavra ‘desacompanhada’”, diz Mariana Consenza, 17 anos, que está na Bélgica. 12. Leve objetos que garantam seu conforto Especialmente se não ficar em casa de família. “Uma amiga que já tinha vindo a Salamanca me alertou para trazer roupa de cama e um cobertor. Foi ótimo!

Os 5 mais procurados

Reino Unido

Aqui, modernidade e tradição conivvem lado a lado. Além do inglês, você tem a chance de praticar outros idiomas nas visitas a outros países da Europa.

Muita gente que está aqui no albergue comigo passa frio à noite.” Conta Luisa Álvares, 21 anos, que está na Espanha. A LÍNGUA

Depois, perguntava a alguém da família de lá que ela significava e acabava decorando”, diz Kyrian Melo, 17 anos, que foi para a Austrália.

13. Não tenha vergonha de errar “Vim para a Holanda sem saber holandês. Comecei a praticar o idioma na rua, quando ia comer ou visitar algum lugar Pensava: nunca mais vou ver essas pessoas! Então, não tinha vergonha”, diz Camila Gomes, 16 anos.

16. Evite falar português Por maior que seja a tentação, resista. Essa atitude fará toda a diferença no seu aprendizado da língua. “Mesmo tendo família na Inglaterra, fiz questão de ficar em uma casa de ingleses para aprender o máximo possível. Até com os amigos brasileiros, eu tentava conversar em inglês o tempo todo”, afirma Lays Tedesco, 17 anos.

14. Tenha sempre por perto um dicionário... “Eu e uma amiga resolvemos fazer beijinho (o doce). Mas, na hora de pedir os ingredientes, esquecemos como se falava coco em inglês e falamos em português mesmo: in portuguese we say coco. Minha mãe de lá achou que tinha entendido e me deu uma lata de cacau, que em inglês é cocoa”, conta Bianca Carvalho, 19 anos, que foi para o Canadá. 15. ...Ou faça um personalizado. Assim fica mais fácil aprender. “Anotava em uma agenda as palavras desconhecidas que ouvia ou lia em placas, revistas e livros.

A ESCOLA 17. Opte por uma escola com menos alunos Assim fica mais fácil se sentir acolhida. “Minha escola tem uns 800 alunos. O que mais gosto é que conheço grande parte deles – e eles me conhecem. Todos são superamigáveis comigo e não tem tantos grupinhos fechados como em escolas maiores”, conta Denise Lie, 17 anos, que está nos EUA. 18. Se não se adaptar, cogite mudar.


viagem

Os 5 mais procurados

Austrália

Tem o clima muito parecido com o do Brasil. Para quem estuda lá em período integral por mais de quatro meses, este país oferece a possibilidade de realizar um trabalho temporário.

“Estava em uma escola só para meninas, que não faziam a menos questão de se enturmar. Até que abri o jogo com minha família e consegui mudar para uma escola muito melhor”, diz Bruna Lima, 18 anos, que está na Austrália. 19. Prepare-se para explicar sobre o Brasil “A mãe de uma menino da escola me perguntou de onde eu tinha vindo. Respondi que era do Brasil. Ela ficou com uma cara... Era como se estivesse pensando ‘ué, mas ela não é morena e não samba!’. Tive que explicar que eu era do Rio Grande do Sul, de uma cidade colonizada por alemães’, conta Daiane Lautert, 21anos, que foi para a Alemanha.

20. Dedique-se às aulas Mais tarde, você pode precisar das boas notas que tirar lá. “Para entrar na faculdade aqui, nos EUA, eles pediram meu boletim dos últimos seis meses de intercâmbio. Ainda bem que tinha me esforçado e tirado boas notas. Isso contou muito para eu ser aprovada”, conta Ingrid Barros, 18 anos.

A COMIDA 21. Experimente de tudo... “No primeiro dia, minha mãe holandesa disse que tinha feito sua especialidade: lasanha de berinjela. Até então, eu não comia vegetais. Mas não tinha

como falar que não ia querer, né? Sentei à mesa e comi tudo o que tinha no prato”, conta Marina Murad, 18 anos, que está na Holanda. 22. ...Mas controle o apetite! “Como os horários das refeições eram muito diferentes, acabava comendo duas vezes no almoço e no jantar. Engordei 11 kg! Se pudesse voltar atrás, me policiaria para não comer tanto ou optaria por alimentos mais saudáveis”, diz Mariana Sabó, 18 anos, que foi para os EUA. 27. Ponha a mão na massa! Se for alérgica ou não curte a comida da sua casa lá, se ofereça para cozinhar ou ajudar nas compras. Você pode fazer aquele prato especial do seu estado e das à sua nova família um gostinho do Brasil.

A CURTIÇÃO 23. Gaste seu dinheiro com o que realmente vale a pena. Eleja suas prioridades. “Viajo muito aqui e, então, economizo dinheiro para isso. Se for com-


Nova Zelândia

É considerado por muitos o país da aventura e dos esportes radicais. O bungee jumping, por exemplo, foi criado por um neozeolandês.

prar roupas, é melhor esperar a temporada de liquidação, que é ótima. Encontre coisas de 30 euros por apenas 5”, Dia Marina Murad, 18 anos , que está na Holanda. 24. Explore o país. Você vai conhecer costumes que nunca pensou que existiam. “No norte da Romênia, famílias com filhas solteiras colocam, ao lado de fora da casa, panelas em uma árvore sem folhas. Se a panela mais alta for branca é porque a menina é virgem. Aí, o homem que se interessar, bate na porta”, conta Juliana Ávila, 18 anos.

A SAUDADE 25. Use o telefone com moderação. E pense duas vezes antes de levar o celular. “Levar o celular foi um grande erro! Meu pai ficou doido quando a conta chegou: deu quase R$2 mil!”, diz Isis Barbosa, 19 anos, que foi para o Canadá. 26. Acredite que a saudade vai melhorar. Para acelerar o processo, converse bastante com as pessoas, passeie, visite lugares bacanas. “No quarto dia aqui, eu estava

desesperada para voltar. Mas, depois de duas semanas, já estava tudo bem e a angústia passou”, conta Gabriela Mian, 18 anos, que está nos EUA. 27. Desligue-se da vida no Brasil. Ficar horas no telefone com a galera ou fuçar todo o dia no orkut para saber o que está rolando no Brasil está por fora. Mas cuide para não perder contato com as amigas daqui. Combine de trocar e-mails semanais contando tuuudo. “Nos e-mails, minhas amigas não contavam nada! Quando voltei, era como se fôssemos pessoas estranhas”, dia Ana Carolina de Melo, 19 anos, que foi para os EUA.

A VOLTA 28. Lembre: seus pais não mudaram tanto quanto você “Nos EUA, me acostumei tanto a não dar satisfação. Quando voltei, saí e não disse nada para o meu pai. Aí, ele me ligou desesperado, para saber onde eu estava e marcando hora para eu voltar. A princípio, achei o cúmulo, mas depois entendi”, diz Alessandra Maia, 20 anos. 29. Cuidado com o excesso de bagagem.

Pesquise se vale a pena mandar algumas coisas antes pelo correio. “Comprei muito e paguei caro pelo peso extra. O limite era 20 kg e a minha mala pesou 78 kg”, conta Camila Borges, 18 anos, que foi para o México. 30. Prepare-se para ter que se readaptar. Estranhar um pouco as coisas é normal. “Nos EUA, as roupas são mais comportadas. Quando cheguei aqui, achei tudo vulgar! Outro problema foi com o português. Parecia que eu tinha esquecido todas as palavras!”, diz Paula Orlandi, 18 anos.

viagem

Os 5 mais procurados


celebridade

Copie o look Texto: Renata Schneider

Calรงa jeans R$125,00 Blusa com babados R$ 95,00 Sapato R$87,00

Shenae Grimes

Vestido jeans R$190,00 Blaser R$ 217,00 Sapato R$99,00 Colar R$46,80

Hayden Panettieri


Ashley Tisdale

Saia R$137,00 Blusa R$ 65,00 Sapatilha R$83,00 Colar R$45,00

Taylor Swift

celebridade

Vestido floral R$125.00 Regata branca R$22.50 Cardigan Cinza R$75.90 Black Buckle Boots $21.99 Bota preta R$142.99 Pulseiras R$13.80 cada テ田ulos Wayfarer R$111.00


Texto: Fernanda Catania

Você deve ter ouvido falar muito mais coisas sobre Katy Perry do que apenas sobre sua música. Desde que estourou com seu primeiro sucesso, I Kissed a Girl, a apimentada cantora não deixa de causar polêmica no show business. Katy arrumou uma encrenca com Lily Allen, ao declarar que era uma versão mais magra da inglesinha. Mesmo pedindo desculpas publicamente, o barraco não terminou tão cedo, e Lily retrucou dizendo que, se Katy continuasse, ela espalharia o telefone da americana para todo mundo. Fora isso, a garota já simulou striptease em programa de televisão, se vestiu de oncinha e ovo frito (!) em shows, pulou em um bolo gigante numa premiação da MTV e levou um tombaço na frente de milhões de telespectadores. Nem dá pra acreditar que a americana de 24 anos, que sacudiu o mundo com sua atitude descolada e engraçada, mal conhecia a Madonna ou qualquer outro astro pop há alguns anos, quando era mais novinha. Mas, para quem ainda não sabe, nem só de polêmica vive Katy. A garota suou muito antes de conseguir seu lugarzinho ao sol no mundo da música! Foram anos de dedicação e muitas portas fechadas, antes de descolar um contrato com uma grande gravadora e, finalmente, ter suas músicas conhecidas nos quatro cantos do mundo. Falamos com Katy por telefone no começo de março, enquanto ela estava na Alemanha, em sua turnê pela Europa. Superfofa e simpática, ela disse que sua vida não é tão glamorosa quanto pensamos, fez propaganda de seu blog e revelou que pretende vir para o Brasil, ainda este ano. Estamos torcendo por isso!

zoom

HELLO KATY


zoom

Como está a turnê pela Europa? Eu estou na Europa há três semanas. Tive uma gripe bem no comecinho da turnê, e fiquei mal. Mas, agora, eu já estou bem. Vou fazer mais dois shows aqui na Alemanha e, depois, vou para os Estados Unidos finalizar a turnê. E como é conhecer o mundo todo? Você já tinha viajado antes, ou só depois que ficou famosa? Eu já estive na Europa algumas vezes, antes. Mas, desde que eu estourei com o meu primeiro hit, comecei a fazer um ziguezague pelo planeta. Eu fui da Austrália para o México, para o Japão, para a Europa, visitando todos esses lugares. E acumulando muitas milhas aéreas, claro (risos)! É muito empolgante, a maioria dos artistas não tem a oportunidade de estourar desse jeito. Muitos fazem sucesso apenas em alguns países ou regiões. E é tão intenso viver isso! Eu não trocaria por nada! Posso ver o mundo todo! Claro que eu não posso ver muita coisa, porque, muitas vezes, tenho que ir a duas cidades no mesmo dia. Quer dizer, não é tão glamoroso quanto as pessoas pensam, mas, de vez em quando, eu consigo... e já vale a pena! Você estourou há pouco tempo, e já recebeu muitas indicações e prêmios importantes. Como se sente? Muito feliz, claro! Fico feliz que todo esse trabalho duro tenha compensado. Porque, mesmo parecendo que foi num período bem curto de tempo, nos bastidores eu estava trabalhando muito. Trabalhei intensamente, durante cinco anos, todo santo dia. Eu passava quase 300 dias por ano no estúdio, tentando fazer meus discos. Coloquei todo meu suor e sangue nesse trabalho. Em alguns momentos, cheguei a pensar que não ia valer a pena. E, depois de cinco anos, de uma montanha-russa de altos e baixos, valeu! Sempre digo para as pessoas que estão preocupadas, perdendo a esperança, para continuarem, que chegarão lá. Você usa ferramentas de relacionamento como Twitter, Facebook e blog, para falar com seus fãs? Eu tenho Twitter. Comecei a "twittar" há algumas semanas. E também tenho blog. Umas cinco mil pessoas leem meu blog todos os dias, muitas seguem e deixam comentários. Meu blog é uma das coisas que eu mais gosto de fazer. É algo que eu criei antes de sair meu disco, antes desse sucesso

todo. Meu blog é o lugar para eu fazer as pessoas rirem, para falar o que eu penso, dar notas exclusivas sobre a turnê. E qualquer pessoa pode ver. O endereço é katyperryblog.com. Então você não é diferente na sua vida pessoal do que vemos em seu blog e na TV? Não, eu não entro em um personagem, eu sempre sou o personagem. Isso quer dizer que você é tão glamorosa acordando, quanto nós a vemos na televisão, ou numa sessão de fotos? Ninguém é! Ninguém é glamorosa quando acorda. Isso leva algum tempo, tenho que fazer o cabelo e maquiagem, claro! Mas, sabe, esse é o meu trabalho. Eu sempre posso sonhar com coisas maravilhosas. Eu estou para filmar outro clipe, e vai ser em Las Vegas, com Ferraris. Vai ser demais! Eu posso sonhar com coisas malucas e vivê-las. E essa é a parte mais legal de tudo isso! Você é vista como uma pessoa bastante estilosa, como uma pinup. Você se inspirou em alguém? Não me inspirei em ninguém. Meu estilo não é sempre de pinup girl. Acho que não posso ser sempre assim, pois ficaria irritante depois de um tempo. Por isso, gosto de ser outras coisas, também. O que eu gosto mesmo é de fazer as pessoas dar risada. E as fantasias? Você já se vestiu de ovo, pantera, usou vestido com smiles gigantes. Você curte ser engraçada? Sim! Eu acho que meu mundo muda com o humor. E você escuta isso na minha música, faço muitas piadas, gracinhas subentendidas. Eu gosto muito de fazer piadas. Mas isso é bem diferente do clipe de Thinking of You. Como já disse, não posso sempre ser essa pinup girl, porque seria irritante, e também não posso ser sempre aquela menina que faz brincadeiras o tempo todo. Eu tenho um lado diferente, como todas as garotas. Somos criaturas emotivas, e temos todos os tipos de sentimentos. E Thinking of You é definitivamente um lado diferente, um olhar diferente. É meio que o meu lado mais vulnerável, mostra que eu também posso ter meu coração partido,


tava vivendo a minha vida ao máximo.

Foi muito difícil filmar esse clipe? Não, não foi... Escrevi o roteiro, tive a ideia, e quis que tivesse um clima bem vintage e bem dramático. Peguei algumas referências de imagens nos meus filmes preferidos, como Diário de Uma Paixão e Lolita.

E o Brasil? Você vem pra cá? Sim. Acho ótimo ter que ir trabalhar em lugares como Brasil porque é como fazer uma viagem de férias. Se eu for para qualquer lugar do mundo, o Sol não vai ser tão brilhante como é aí e não vai haver tantas praias. Eu estou morrendo de vontade de ir para o Brasil! De verdade! Sempre peço ao pessoal que agenda meus shows para marcar uma apresentação no Brasil! Acho que eu conseguiria relaxar um pouco aí, para variar. Bem que vocês podiam pedir pra eles também, né? (risos) Nós iríamos adorar um show seu, aqui! Eu ia amar! Tenho certeza que esse ano eu consigo ir.

E você gosta de atuar? Bom, eu gosto de contar as histórias das minhas músicas. Mas, e se você recebesse um convite para fazer um filme, você aceitaria? Eu recebo muitos convites, mas acho que não vou fazer qualquer coisa. E quero me concentrar na música, nesse momento. Muitas vezes, o público não consegue se concentrar em muitas coisas ao mesmo tempo, e eu quero que eles conheçam apenas minha música. Não quero tentar ser atriz, modelo, cantora, tudo ao mesmo tempo. Isso pode confundir as pessoas. O que você seria se não fosse cantora? Nunca tive um plano B (risos). Não sei o que eu seria... Mas já que amo roupas, mostrar minha personalidade pelo o que eu uso, acho que trabalharia com moda. Ajudo os meus amigos a se vestir. Mas, qualquer coisa que fizesse, seria criativa. Você teve uma educação bem rígida. O que isso influenciou na sua carreira e personalidade? Eu não podia ouvir música pop ou rock'n'roll, não podia assistir MTV. Eu mal sabia quem era a Madonna, New Kids On The Block, não tinha ideia de quem ninguém era! Então, nunca tive nenhuma referência pop. Mas eu saí de casa quando tinha 17 anos, e cresci bem rápido. Como foi descobrir esse mundo novo? Foi fantástico! Por muito tempo, pensei que o mundo fosse "quadrado" (risos). E, depois que me mudei, vi que o mundo era muito maior do que eu pensava. Comecei a experimentar coisas diferentes, e não me arrependo. Eu fui abençoada por poder viajar o mundo todo, por ter tido experiências incríveis. Mas, não se engane, é muito trabalho também, não é sempre tão glamoroso! E, mesmo antes do disco, de ter essa oportunidade, eu já es-

O que você sabe sobre o Brasil? Eu só conheço o que vi nos cartões-postais. Mas é muito bonito. Acho que é tão bonito quanto Cannes, onde estou agora. Deve ter gente muito bonita e mulheres lindas (risos) Você pretende vir pra cá? Sua vida mudou muito com a fama? Agora tenho mais coisas para fazer. Costumava acordar imaginando o que fazer no dia, sem muito propósito. Hoje acordo sabendo toda a minha agenda. E tem coisas legais! Por exemplo, uso vestidos lindos e os estilistas me mandam roupas incríveis. Tenho que devolver depois de usar, claro. Gente, mas eu não posso nem usar de novo? (risos) Você já está rica? Hmmm... Ainda não! Mas posso falar que passei por experiências maravilhosas. Conheci todos os tipos de pessoa e fui para lugares bem divertidos. Você se lembra do que comprou com seu primeiro salário? Levei a minha família para o México. Acho que foi com o que eu mais gastei dinheiro. Foi muito legal e divertido. Dei de presente de Natal e paguei tudo. Depois de todos esses anos pegando dinheiro dos meu pais, eu dei para eles essa viagem. E qual foi a roupa mais incrível que você já comprou? Bom, eu não costumo gastar muito dinheiro com

zoom

que não sou tão forte quanto as pessoas pensam.


zoom

roupa... Jura?! É, porque agora eu consigo roupas de graça! Então, eu nem gasto mais dinheiro com isso. Mas uma vez eu comprei um vestido de uma vez eu comprei um vestido de uma marca australiana, chamada Stretis. Era maravilhoso e eu usei em um evento em Londres. Ele tem a imagem de corujas, lobos e da Lua. É o vestido mais legal que eu já comprei. Que sonho de consumo você quer realizar? Eu quero comprar uma casa em Santa Barbara, onde eu nasci. Fica a uma hora de Los Angeles. Não é longe se eu precisar ir para lá. Ser famosa já te irritou? Sim, ter que lidar com o fato de as pessoas ficarem inventando histórias sobre mim incomoda. Parece com a época de escola, as pessoas fofocando, sabe? (risos) E qual foi a pior situação? Não passei por nada muito ruim. Às vezes, estar em turnê é difícil. Fiz um show em Dezembro e, no local, não tinha nenhum chuveiro. Eu entrava e saía do palco, tudo muito rápido - cada set durava 30 minutos -, sem tomar banho. E estava calor! Foi bem difícil! Qual é a pior coisa em ser famosa? Ai, não sei ainda. Talvez seja a agenda. Bastante responsabilidade, que eu não tinha um ano atrás. É como se eu tivesse que me virar em 15 pessoas. Você já conheceu uma celebridade muito incrível que te deixou nervosa? Sim, a Dita Von Teese (uma artista conhecida pelo estilo pin-up). Para mim, ela era a melhor. Achei que ela seria metida porque ela é tão perfeita. (risos) Mas provavelmente ela é uma das pessoas mais pé no chão que já conheci. Dita é uma garota qualquer. Se você pudesse trocar de lugar com alguma celebridade, quem seria? Angelina Jolie. Ela volta pra casa e encontra o Brad Pitt todas as noites. (risos) E ela também está fazendo do mundo um lugar melhor.

Quais são seus planos pra 2009? Já comecei uma turnê nos EUA, chamada Hello Katy Tour. E estou pensando em novas parcerias. Tenho algumas ideias novas, mas acho que não vou gravar até o fim do inverno. Espero que a gente tenha um novo material disponível na primavera de 2009. Muitas mudanças aconteceram ano passado e já estão acontecendo esse ano. Tenho muitas histórias para contar. Sobre o que fala a letra da música Thinking of You? O clipe já está passando aí? Na internet sim. Na TV, ainda está passando o clipe Hot'n'cold. Ah, sim. Parece que Hot'n'cold não vai morrer aqui também. (risos) Thinking of You é diferente. Como assim? Minhas outras músicas, I kissed a Girl e Hont'n'cold, são engraçadas e grudam na cabeça. Já Thinking of You mostra que eu tenho outro lado. Uma outra Katy Perry? É um lado meu mais vulnerável. A música fala sobre arrependimento e é muito triste porque escrevi na época em que terminei um namoro que eu não queria ter acabado. Aí, quando eu conhecia alguém, sentia como se estivesse traindo o cara. Tipo, você ama tanto a pessoa que não se vê sem ela. O que você diria para uma garota que está a fim de uma cara que não liga para ela? Eu diria que há muitos peixes no mar, por que você não nada com um deles? (risos) aprendi isso com meus erros. Sempre achei que não existisse uma pessoa legal para mim, mas sempre tem. É assim até encontrar o cara certo. Como você se recupera da fossa? Quando fico depressiva ou me sinto sozinha, vou caminhar ouvindo minhas músicas preferidas e me sinto melhor. E também é muito bom ter bons amigos por perto. E, por favor, não beba! (risos) O que você sempre leva na bolsa? Um monte de maquiagem? Maquiagem, um jornal em que pego ideias de roupas para usar no show e também para letras de


zoom

músicas. Ah, e agora eu carrego um gravador, a biografia da Madonna... (risos) E muuuito gloss labial. (risos) Dá uma dica de maquiagem pra gente? Com um bom pó bronzeador e um rímel, você está feita! O pó dá mais definição ao rosto e o rímel aumenta os olhos. Se eu tivesse que escolher apenas dois artigos pra levar na nécessaire, eu levaria exatamente esses. Você anda maquiada todo o dia? Gosto de usar muita maquiagem poruqe gosto de testar vários looks. Mas se tem uma coisa que eu sempre uso é a sombrancelha bem definida, tipo a da Audrey Hepbum. E cílios postiços, claro. Você é rápida na hora de se vestir? Não sou do tipo insegura, mas... Depende. (risos) Ás vezes, eu sei exatamente o que quero vestir, mas outras vezes eu demoro uma hora para escolher. Tipo essa manhã manhã, quando demoreiuma hora para decidir o que eu ia usar essa noite. Como escolhe o que vai vestir? Eu não sei. Gosto de exprimentar diferentes looks. Acabei de cortar meu cabelo bem curto. E essa noite eu vou usar um terno branco. Isso muda muito. Ano passado, eu usei muito looks dos anos 40, bem pin-up. Em 2009, acho que vou apostar mais nos anos 20. Verdade que fizeram uma boneca sua? Sim. Quando eu fiz o clipe de Ur so Gay, tinha uma boneca minha. Um designer viu e gostou tanto que ele fez a Katy Perry de brinquedo. Você não tem medo que façam um vodu com ela, tipo um ex? Elas são muito difíceis de encontrar, é uma edição limitada. Então eles teriam que se esforçar muito para conseguir achar. Sério que você bejaria a Miley Cyrus? Disse isso brincando porque eu sabia que as pessoas iam espantar. Mas você não beijaria? Não sei. A miley ainda precisa crescer um pouco. (risos)


j贸ias

Por Amanda Leal

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

1 - Yellow Goat 2 - Etsy 3 - We heart it 4 - Corky 5 - Etsy 6 - Etsy

7 - Oye Modern 8 - Etsy 9 - Etsy 10 - Etsy 11 - Etsy 12 - Melanie Fraveau


j贸ias 13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

13 - Mary Mary Handmade 14 - Mary Mary Handmade 15 - Cute Ability 16 - Etsy

17 - Yellow Goat 18 - Oye Modern 19 - Cute Ability 20 - Etsy 21 - La Ninja 22 - Cute Ability


cultura

A volta do

vinil A ironia do momento na indústria fonográfica: enquanto os cds agonizam, as velhas bolachas e os tocadiscos ressurgem com força em pleno século 21

Texto: Sérgio Ruiz Luz

O chiado das velhas bolachas, a arte de acertar a agulha no início da faixa preferida, as mensagens satânicas que podem ser ouvidas rodando o disco de trás para a frente, as capas e os encartes maravilhosos, alguns assinados por artistas como Andy Warhol, a barreira física de pouco mais de 20 músicas de cada lado, onde cabem até seis petardos de roqueiros como os Ramones, ou o Bolero, de Ravel, dependendo do gosto do freguês... Esse mundo do disco de vinil parecia enterrado para sempre com o advento do CD, em meados dos anos 80. Numa das reviravoltas mais surpreendentes e carregadas de ironia da história da indústria musical, eis que a situação hoje é mais ou menos a seguinte: o CD perdeu grande parte de seu encanto e parece estar com os dias contados, atropelado pelo tráfego de arquivos musicais na internet e todas as suas consequências, como o iPod; enquanto isso, o LP ressurge das cinzas e, como atestam as vendas crescentes de álbuns e de equipamentos analógicos, tem mais chance de garantir um lugar ao sol no século 21, ainda que apenas como um nicho de mercado. Nos Estados Unidos, o principal mercado do mundo, as vendas de LPs em 2009 devem chegar a 2,8 milhões de unidades, ou 50% mais que o número de 2008, segundo dados da Nielsen SoundScan,

entidade que monitora a indústria fonográfica. Os CDs seguem em direção contrária, embora representem um mercado muito maior. A última estatística disponível, referente a setembro, chegou a ser comemorada -- queda de "apenas" 5,9% nas vendas. O sopro de otimismo da indústria ocorreu porque foi o segundo mês do ano com um declínio menor que dois dígitos. Em resposta a esse ressurgimento do som analógico, a indústria de equipamentos de som vem apresentando versões para o século 21 dos toca-discos. Durante boa parte dos anos 80 e 90, a tecnologia desse produto simplesmente hibernou e ele era visto com mais freqüência nas mãos de DJs do que nos equipamentos de som domésticos. Agora, a coisa mudou. Agulhas de ouro, dock para gravação das músicas direto para um iPod e feixe de laser para ler os sulcos das bolachas estão entre os acessórios disponíveis nessa nova geração de vitrolas. Os preços podem superar os 500 000 reais. No Brasil, embora não existam estatísticas referentes às vendas de LPs, é possível ver que algo diferente está acontecendo por meio de pistas indiretas. A principal delas é a reabertura da Polysom, no Rio de Janeiro, prevista para ocorrer no próximo mês. A Polysom foi a última fábrica de discos de vinil a fechar no país, em outubro de 2008. O es-


jóias

O relançamento de bolachões de alguns dos dinossauros do rock pode dar a falsa impressão de que o renascimento do vinil faz parte de uma onda saudosista, da mesma veia retrô que transformou as velhas geladeiras em objetos descolados de decoração. Na verdade, até consumidores da era digital andam à procura de LPs e toca-discos nas lojas especializadas. Na montagem de modernos home theaters, os equipamentos de som analógicos passaram a ser itens cada vez mais requisitados. "Em 20% dos projetos, nossos clientes pedem para incluirmos toca-discos", afirma Patrícia Duarte, uma das sócias da Raul Duarte, um dos pontos de venda mais tradicionais de São Paulo no comércio de aparelhos de som de última geração. Além da qualidade sonora -- para muitos audiófilos, o vinil ganha de goleada do CD nesse quesito --, a falta de praticidade do produto é, curiosamente, um dos diferenciais que provocam fascínio entre os compradores. "Não dá para ouvir um vinil no ônibus, na praia, na pista de cooper", afirma o baterista Charles Gavin, que se divide entre o trabalho com os Titãs e as funções de produtor musical especializado no relançamento de pérolas perdidas no catálogo das gravadoras. "As novas gerações estão descobrindo o prazer que há no ritual de colocar um disco para ouvir na vitrola. Para essa turma, é uma forma diferente de degustar suas bandas preferidas."

Você sabia que ainda existe uma fábrica

de disco de vinil no Brasil? Descobri que existe uma última – e única da América Latina-, a Polysom, que fica em Belford Roxo, no Rio de Janeiro e pretende voltar a fabricar as “bolachonas”. A produção será pequena, 40 mil peças por mês, mas por ser uma companhia inteiramente independente a empresa promete atender a todas as gravadoras - e aos nostálgicos de plantão! (me incluo nesta lista, há anos quero trazer para casa minha coleção de vinil que está guardadinha na casa dos meus pais e só não o faço porque não tenho mais toca-discos… mas aceito doações!) Dados informam que nos EUA as vendas de discos de vinil aumentaram 50% em relação a 2008. Neste filão, gravadoras grandes, como a Sony, fazem experiências na área, relançando álbuns históricos num formato de luxo em edição limitada, com LP original com áudio remasterizado mais um CD. O preço, em média de R$ 150, é salgado, mas os colecionadores estão animados com o relançamento de trabalhos de estreia de Chico Science & Nação Zumbi, Vinícius Cantuária, Engenheiros do Hawaii, Inimigos do Rei, João Bosco, Skank, Zé Ramalho, Sérgio Dias e Maria Bethânia.

cultura

pólio acabou nas mãos do empresário João Augusto, dono da gravadora Deckdisc, que ficou com o negócio ao assumir as dívidas da Polysom (ele não revela o valor da transação). "Estamos nos preparando para produzir quase 30 000 LPs por mês", diz. As gravadoras nacionais que lançam álbuns de seus principais artistas com versões em vinil (uma política cada vez mais comum aqui e lá fora) são obrigadas hoje a importar a matéria-prima. A Sony do Brasil, por exemplo, colocou na praça no início deste ano a coleção Primeiro Disco, com bolachas de artistas como Chico Science & Nação Zumbi e João Bosco. Em 2010, a coleção segue com AC/DC, Pink Floyd e outros astros internacionais.


unissex

música Humbug – Arctic Monkeys [2009] Por Fernando Corrêa

C_mpl_te – Móveis Coloniais de Acaju [2009] Por Brunna Radaelli

Ser interrompido por Humbug na playlist que tocava pelos meus fones de ouvido foi impactante. Não pelo clima stoner das já conhecidas “My Propeller” e “Crying Lightning”, embora elas resumam o espírito e o potencial do disco e, não à toa, receberam o tratamento de singles. É que a surpresa se mantém no mecânico e lânguido verso de “Dangerous animals”, um duelo entre o som de Alex Turner e cia. e a produção de Josh Homme, com solos filhos de Black Sabbath. Poucos momentos interrompem o peso e a densidade do disco, o folk de “Secret Door” é um deles, “Cornerstone”, a única em que os tons maiores e alegres dominam, é outro. “Fire and the thud” funciona, com uma harmonização que os Klaxons esqueceram de criar, sobre um andamento letárgico. O Monkeys não resbala em Humbug. Justo “Pretty Visitors”, o mais perto que se chega dos álbuns anteriores, é a prova de que o Monkeys é uma banda em um momento diferente. Um Last Shadow Puppets e um produtor de raízes pesadas depois, o Arctic stoned da maioria de Humbug é bem diferente da maioria do Arctic de antes, ainda que a psicodelia folk apenas vista o clima raver de outrora.

O segundo álbum dos brasilienses do Móveis Coloniais de Acaju traz a banda em excelente forma. Os bons arranjos somados aos vocais afinados de André Gonzáles ganham brilho em um produto mais bem acabado, mas que pouco inova em relação ao antecessor Idem. A bela “Adeus” abre o disco apontando para novos horizontes, o que não se confirma já na segunda faixa, com metais e guitarras atacando com força. “O tempo” traz a mistura de elementos característica do grupo, acertando ao intercalar melodia e peso na medida certa. “Indiferença” encerra bem o disco, partindo do flerte com o indie para fechar no melhor estilo soul setentista. Com o pé no freio, C_mpl_te talvez chegasse ao posto de Bloco do Eu Sozinho do final da década.


unissex Por Sérgio Almeida

Pearl Jam – Backspacer Por Daniel Rosemberg

Cinema, de Cachorro Grande por Raphael Sanchez

Os quarentões do grunge surfam a onda de outras grandes bandas e ressurgem com o lançamento de um álbum independente. Backspacer inicia na mesma linha dos discos anteriores: com músicas pesadas de vocais rasgados, como nas destacadas Gonna See My Friend e Got Some. O que segue são composições com pitadas de new wave, que gradativamente assumem caráter mais intenso, profundo e intimista. As letras de Ed Vedder desvinculamse da problemática de Bush e focam-se no labor da entrega e recuperação. O disco é repleto de canções amigáveis à radiodifusão – duas delas, Just Breath e The End, soam como remanencências do trabalho solo do vocalista em Into the Wild. A competente produção de Brendan O’Brien – ausente por mais de uma década, desde o excelente Yield – possibilita que a bateria de Matt Cameron finalmente venha à tona. Backspacer é um álbum saboroso, que flerta com diferentes tendências, e que agradará boa parte dos numerosos fãs.

A banda já consolidou sua carreira com o lançamento anterior de “Todos os Tempos”. Agora, em vez de apenas dar um passo adiante, dá um passo acima. Busca Idéias, sensações, texturas, sabores e sons mais elevados, que não ficam no alcance fácil e comum. Cinema é um convite a algo novo. Irrecusável. Toda banda participa na composição de ao menos uma música. A primeira delas a ser executada nos shows e disponibilizada na internet é “Dance Agora”. A guitarra de Marcelo Gross contrasta o rock and roll tradicional com o moderno. Outro ponto forte do álbum é “Luz”. Com certeza você já ouviu algo parecido ao escutar alguma música dos White Stripes. Mas aqui são cinco músicos que se fazem presente. Mesmo com a semelhança com a dupla norte-americana, em “Luz” você percebe a banda inteira, afinada, alinhada. Mas é “Eileen”, de autoria de Beto Bruno e Pedro Pelotas, que mais supreende. E encanta. As primeiras notas te levam para alguma música da carreira solo de John Lennon e a voz única de Beto Bruno a traz de volta para o álbum. São minutos únicos no álbum e na carreira da banda.


unissex

Superbad

Seth (Jonah Hill) e Evan (Michael Cera, o George-Michael de Arrested Development. Alguém mais assistia essa série?) são melhores amigos, e melhores amigos nerds, do tipo de conversarem usando diálogos cheios de referências Pop e esnobados pelo resto dos estudantes. Faltando três semanas para terminarem o colegial, cada um irá pra uma faculdade diferente. E do nada, os dois impopulares são convidados para uma festa na casa de uma mina. E ainda são encarregados de comprarem as bebidas. E como você sabe, nos EUA só adquire cachaça gente maior de 21 anos e, ainda assim, só apresentando a identidade. Logo, para conseguirem a birita, que supostamente lhes proporcionaria a chance de chegarem juntos às respectivas minas pras quais eles pagam pau, embarcam numa verdadeira jornada épica. Simples assim. Como se pode ver, o tema é pra lá de batido, mas o que faz toda a diferença é o roteiro sensacional e os atores. Superbad parece um filme do Kevin Smith, com diálogos espertíssimos, com muitas referências à cultura nerd e cheios de palavrões. E 90% deles gira em torno de sexo. A única diferença é que, ao invés dos protagonistas serem jovens de 20 e poucos ou 30 anos, são adolescentes. Ou seja, esse é o filme que Smith faria se tivesse começado a filmar quando estava no colegial.

Fãs de Quentin Tarantino, tremei! Bastardos Inglórios é um ótimo filme pra quem andava com saudades de produções feitas por Tarantino. A história começa de um jeito bem peculiar. É início da Segunda Guerra Mundial e estão invadindo a França. Existe um grupo destinado a procurarem judeus e extermina-los. Mas os judeus conseguiam se esconder até que surge o coronel nazista Hans Landa(Christoph Waltz). Em uma casa no meio do campo é exterminada uma família judia, com uma única sobrevivente, Shosanna Dreyfus(Mélanie Laurent). Quatro anos depois, após a França já estar sob domínio alemão, vemos um grupo norte-americano liderado pelo Tenente Aldo Reine(Brad Pitt). A equipe de extermínio é composta apenas por judeus que conseguiram fugir da Europa, e se intitulam Bastardos Inglórios. Com a intenção de exterminar qualquer nazista que encontrar pela frente. A produção dessa película demorou cerca de quatro anos pra sair do papel. Com até cotação de Leonardo DiCaprio para fazer o personagem que foi personalizado por Brad Pitt. Quem acompanha seriados, encontrará o Ryan(B.J Novak) do The Office interpretando um dos soldados do grupo de Reine. Se você viu Kill Bill verá a Sofie Fatale(Julie Dreyfus) como Francesca Mondino, tradutora franco-germânica. Enfim, todos traços que Tarantino usa em seus filmes. Desde usar alguma coisa da produção passada, seja take de câmera, mesma trilha sonora, Quem quiser ter todo esse tempo de diversão, tiros, piadas sobre guerra, ufanismo, intriga e espancamento de nazistas, Bastardos Inglórios é sua pedida.

Bastardos Inglórios


Os Delírios de Consumo de Becky Bloom Por Alex Gonçalves

Rebecca Bloomwood (sla Fisher ) é uma consumidora compulsiva que acumula em seu quarto inúmeras peças de roupas e calçados sem ao menos ter como pagar por tudo isto. Portadora de uma carteira repleta de cartões de crédito, Becky Bloom se mete em encrencas quando calcula com sua amiga Suze (Krysten Ritter) o total de dívidas que acumula. Daí a nossa shopaholic não sabe o que fazer, vendo que o valor é altíssimo (quase 16 mil dólares) e que está sem emprego após o cancelamento da revista na qual trabalhava. Dá que lhe aparece uma oportunidade quando, na verdade, tenta agarrar aquela que é o seu sonho: trabalhar na Alette Magazine, a mais famosa publicação voltada à moda feminina comandada pela elegante Alette Naylor (Kristin Scott Thomas). Só que ela acaba sendo contratada pelo editor Luke Brandon (Hugh Dancy) cobrindo artigos de Finanças em outra revista da mesma editora. O que era para se tornar o seu declínio profissional acaba sendo aquilo que a fará muito famosa já no seu primeiro artigo publicado, que a fará ser conhecida como ‘A Garota da Echarpe Verde’. Mas como Becky vai ser capaz de lidar com o este trabalho que a faz esconder o seu espírito consumista? Assim como em “O Casamento do Meu Melhor Amigo” e “Peter Pan”, Paul J. Hogan se mostra um diretor dinâmico e muito eficiente na direção de elenco em “Os Delírios de Consumo de Becky Bloom”, dando ênfase à ternura que Hogan apresenta em seus filmes, sempre resultando em programas muito adoráveis.

unissex

filmes


personal shopper

Puro design Alguns objetos práticos e lindos para enfeitar a sua vida

3

1

2 5

4

8

6

7

1. Máquina fotográfica R$ 595,00, Poketo 2. Pen drive R$ 86,00, Perpetual Kid 3. Chiclete ímãs R$ 55,00, Fred and Friends 4. Almofada e porta pijama R$ 69,00, Imaginarium 5. Luminária R$ 125,00, O segredo do vitório 6. Anel giz de cera R$ 125,00, Oye Modern 7. Doorstop R$ 99,50, Fred and Friends 8. Porta caneta R$ 57,90, Perpetual Kid


blá

Guia de

O que você precisa saber para dominar o mundo virtual sem cometer aqueles pecadinhos que podem custar sua reputação! Texto: Catarina de Andrade


Assuma que sabe sobre a vida dele

Não adianta passar a tarde fuçando no orkut e twitter e, depois, quando encontra-lo no msn, fingir que não sabe nada da vida do garoto. Isso só faz você parecer falsa. O melhor é ser natural e... Discreta! Não chegue fazendo perguntas nem repercurtindo o que leu na página dele. Ms, se o garoto tocar em algum assunto que você viu lá, siga a conversa sem fingir surpresa.

Não implore respostas no Twitter

-'Sempre respondo quando a menina manda um recado carinhoso.Mas não adianta mandar 500 recados pedindo para falar um oi.Posso até responder, mas vou ficar com a impressão de que ela é meio chatinha.' Thiago Camargo,16 anos,Concórdia(SC), tem mais de 9 mil seguidoras no Twitter.

Puxe papo no Msn, mas seja sutil

Cá entre nós: puxar conversa já é uma forma de xaveco, né? E garotos costumam se assustar quando sua paquera é, digamos, objetiva demais. Pedimos a 31 meninos de todo o país que selecionassem as melhores frases para começar uma conversa pelo Msn.

...Nem tente ficar chamando a atenção a todo custo

Assim, você parece desesperada. Pode incluir no pacote: entrar e sair no msn várias vezes para a janela aparecer para ele, colocar subnicks chamativos, tipo “estou facinha para você”, fazer comunidades com o nome dele no orkut, cita-lo a cada duas twittadas... Quando o assunto é paquera, o mundo virtual tem muito a ver com o mundo real, apesar de aparente proteção que a tela dá. Então, procure dar demonstrações sutis de carinho e interesse, como adiciona-lo no orkut com um convite fofo ou twittar sobre um assunto que você sabe que ele gosta.

Não exponha demais seus sentimentos

Imagine aquele dia de aula, na hora do recreio, todo mundo no pátio -inclusive aquele garoto que você ama. Você sairia gritando seus sentimentos para a galera toda ouvir? Não,né? Então,saiba: o equivalente a isso no mundo virtual é ficar postando o que sente no Twitter e Orkut. Além de não mobilizar o garoto, isso até pode ter o efeito contrário e afastá-lo de você. Já pensou que ele pode não gostar de ser exposto? Mesmo na internet, é legal fazer aquele mistério que pode despertar a curiosidade dele...

Seja econômica nos recados

É legal você tomar a iniciativa, mas há limites! Depois de deixar um recado fofo para o garoto (tipo: “Vi você aqui, entre os meus amigos, ,as a gente nunca conversou... Que tal começarmos agora?”), insista só mais duas vezes. Se ele não se manisfestar, parta para outra. A maioria dos garotos é como você e checa a página de recados quase todo o dia. Se ele se interessar, vai responder ou tomar outra atitude, como falar com uma amiga sua ou puxar papo no msn.

dossiê

Arrase na paquera


dossiê

Cuide da sua imagem Nunca deixe de seguir uma pessoa só porque ela deixou de te seguir antes Você vai parecer vingativa! No lugar disso, dê uma bombada nos posts do seu twitter para atrair muito mais seguidoras.

menina que torcia pelo término de vocês há tempos... E, mais tarde, se você e seu namorado quiserem voltar, ele sempre vai poder justificar as atitudes dele pela sua: “Mas você tinha colocado solteira no orkut!”.

Cuide para não parecer criança

Como? Com excesso de fofura. Tipo usar emoticons ou abreviações demais, e, pior: só escrever com letras enormes e coloridas. Na nossa enquête, a maioria das meninas disse achar isso uó porque é infantil ou brega.

Bombando no twitter

- Poste todos os dias; Mas sem exagerar: senão você passa a impressão de desocupada e viciada na internet. - Dê dicas de links legais. E procure postar fotos também. Assim você dá uma movimentada na sua página. - Chame a atenção de quem tem muitos seguidores. Como? Passando informações legais para eles! Assim aumentam as chances de eles te linkarem.

Use fotos com poucos retoques e... bonitas!

Quando uma pessoa a vê pela primeira vez, forma uma imagem de você em 30 segundos. Então, cuide das fotos exibidas na internet! Escolha seu melhor ângulo e disfarce coisas pequenas, como espinhas, no photoshop. Mas não exagere! Fotos em que está maquiada demais ou com um vestido chiquérrimo fora do contexto, por exemplo, podem passar a impressão de artificialidade e você corre o risco de passar por baranga!

Não mude toda hora o status de namoro no orkut

Só porque o orkut tem espaço para isso, não significa que precisa preenchê-lo. Se seu namoro é daqueles tipo iôiô, então... Você não vai querer platéia para cada inda e vinda, né? Lembre que essa informação estará disponível para aquela

Coloque subnicks legais no msn

Sim, as pessoas prestam atenção no que você escreve ali. Então, seja positiva sobre si mesma – só não exagere para não soar metida. E cuidado com as frases que a fazem parecer cafona ou vulgar, como “boboleta apaixonada” ou “ousadia pura”.

Apague posts inconvenientes

As mensagens que seus amigos deixam no orkut contribuem para a imagem que as pessoas fazem de você. Não tenha dúvida de que aceitar um depoimento em que um amigo seu fala milhares de palavrões ou uma amiga faz a maior fofoca sobre uma colega sua vai fazer parecer que você apóia esse tipo de atitude ou que também age assim! Então, se ligue e seja seletiva: só deixe entrar na sua página mensagens que tenham a ver com o que pensa ou sente!


Cuidado com o espaço que você dá para os outros Não aceite qualquer pessoa no msn para parecer legal. Ter que bloquear depois é muito pior! Então, só adicione quem realmente quiser. No orkut, você pode até ser um pouco menos seletiva. Afinal, é legal ter um monte de amigos lá. Mas, ainda assim, só adicione pessoas que tenha referências seguras. Se não quiser parecer antipática na hora de negar um convite, deixar uma mensagem no seu perfil explicando seus critérios ajuda. Assim você se previne dos criminosos de plantão.

vocar seu namorado é a maior furada. Primeiro, porque ele pode perceber suas intenções. Segundo, porque você dá espaço para o garoto fazer a mesma coisa. Se quiser dar aquela chacoalhada nele, do tipo “sabia que você pode me perder?”, prefira dar uma sumida no mundo real e virtual, enfim: em todos que conseguir! Deixe a saudade agir e, se ele não voltar, hora de pensar em fazer sua fila andar!

Não exiba fotos comprometedoras

Além de isso ser ruim para a sua imagem (já pensou se aquele menino lindo da escola te vê toda descabelada, caindo de bêbada?), você nunca sabe em que mãos irão parar essas fotos. E isso vale também para as imagens das suas amigas!

Ignore o seu ex

Fuçar o orkut e twitter dele é perdoável, mas só por uns dias. Ficar meses obsessiva com a vida do seu ex ou citar o nome dele toda hora (tipo: “Tomei sorvete e lembrei do @fulano”) é uma forma de se prender a ele e, ainda, mostrar que você não superou o fim do namoro.

...E também da atual dele Evite cyberbullying

Nada de ficar colocando apelidos ou xingando via e-mail, twitter, msn ou recados no orkut de colega/vizinho/amigo. O cyberbullying chega a ser pior que o bullying – seu agravante é que, como é feito pela internet ou via celular, ele pode atingir todas as pessoas que convivem com o alvo dos xingamentos. Então, ele deixa a pessoa praticamente encurralada. E você não quer ser parte de algo tão ruim assim, né?

Não registre um ataque de ciúmes

Lembra quando rolou aquele boato de que a Vanessa estava com ciúme do Zac com a Megan Fox? Imagine se no meio de tudo isso ela tivesse deletado do perfil dele as fotos da Megan e escrito m recado mal educado para ela... Com que conceito ela ficaria com você (e o resto do mundo)? Abaixo de zero! Então, antes de fazer algo assim, lembre: nada de agir com a cabeça quente. Senão aquelas palavras pesadas e decisões impulsivas das quais você normalmente se arrepende vão ficar gravadas e expostas!

Nem tente provocar um

Ficar simpática demais com aquele seu amigo encantado por você ou até com seu ex só pra pro-

Querer atacar a atual do seu ex pode acabar tendo efeito contrário do desejado (que a gente sabe: é fazer os dois brigarem ou só encher a menina mesmo).

Não faça posts sobre assuntos delicados

Isso tornaria público aqueles segredos que você só costuma partilhar com sua best e olhe lá! Há momentos em que preservar é o melhor: assim você ganha um tempo para colocar as coisas em ordem dentro de si mesma antes de ter que dar explicações e satisfações sobre o que está rolando.

dossiê

Preserve sua intimidade


conceito


conceito

Design brasileiro para o Texto: Antônio Peixoto

Há dez anos, uma primeira geração de designers brasileiros vem abrindo espaço na mídia nacional e internacional. Para se ter uma idéia do prestígio conseguido, neste período, as peças de design entraram na lista dos ícones de consumo mais desejados de alguns brasileiros. Além disso, os expoentes seduziram a exigente indústria italiana de design, principalmente a de Milão. E não estamos falando de uma legião de designers, e sim, dos irmãos Fernando e Humberto Campana, donos de muita ousadia e criatividade e maiores representantes do design brasileiro na Europa. Contrariando as formas convencionais de projetar e confeccionar objetos de decoração, móveis e luminárias, os irmãos Campana estão mudando o conceito do design brasileiro. Trabalhando com materiais pouco comuns, como papelão, cordas, pedaços de madeira ou de plástico e até tubos de PVC, a dupla vem ganhando a cada dia mais respeito e reconhecimento pelo mundo do design. O primeiro contato entre os irmãos e o público aconteceu em 1989, através da exposição "Desconfortáveis", onde apresentaram 40 móveis de ferro no Galpão Nucleon 8, em São Paulo. A partir daí,

foram diversas mostras individuais e coletivas no Brasil e no exterior, como "A Arquitetura da Luz", também em 1989 e Brazilian Design - Limn Show Room, em San Francisco, nos Estados Unidos (1990). Mas foi em 1994, quando se apresentaram na Feira Abitare il Tempo, em Verona, que os italianos ligados ao mercado de mobiliário e decoração se renderam ao arrojo das suas obras. Atualmente, várias peças dos Campana são licenciadas pelas empresas de vanguarda do design italiano, como a luminária Estela, feita em tela de borracha (produzida pela O Luce, de Milão) e as cadeiras Vermelha, Azul e Verde (Edra Mazzei, de Pisa), feitas a partir de um rolo de corda de algodão que, segundo os próprios criadores, representam uma espécie de ninho. Em 1998, a dupla ganhou seu maior reconhecimento: uma retrospectiva no Museu de arte Moderna de Nova York (MoMa), com direito a ter alguns dos objetos, como uma mesa inflável, licenciados pelo museu e à venda em sua loja. Um prêmio aos irmãos e a certeza de portas abertas a outros artistas brasileiros.

1 2

5 4 3

1. Cadeira Jenette 2. Cadeira sushi 3. Cadeira Itália 4. Cadeiras California Rolls 5. Melissa


Isla Fisher

Hugh Dancy

Joan Cusack

Tudo o que ela queria era um pouco de crédito..

CONSUMO

DE BECKY BLOOM

Touchstone Pictures e Jerry Bruckheimer apresentam, Isla Fisher, Hugh Dancy, Joan Cusack e Krysten Ritter Confessions of a Shopaholic | EUA | Comédia / Romance | 104 minutos |2009 | Distribuição: Buena Vista Figurino: Michael Kaplan | Música: The Dust Brothers | Editor: James Haygood | Roteiro: Jim Uhls

Um filme de: P.J. Hogan


Texto: Júlia Almeida

Já há algum tempo se houve falar muito sobre a grande ascensão dos blogs de moda. Alguns poucos pretendem tratar o tema de forma mais fenomenológica, enquanto estudo filosófico mesmo, abordando suas formas de produção de sentido e suas implicações em relação a outros produtos culturais. Outros (a grande maioria) tratam do varejo, ou seja, do que está ligado mais diretamente ao nosso cotidiano, como as tendências, o que e como usar, a moda urbana e os desfiles de moda. Dentro dessa última categoria, tem me chamado especial atenção os blogs dedicados ao look do dia, aqueles em que a blogue-

ira posta diariamente fotos dela mesma com as mais variadas formas de coordenação de peças. Não sei muito bem quando esse fenômeno surgiu, mas acho que ele tem muito a ver com o boom dos blogs de moda de rua. De repente se descobriu que a moda é um fenômeno vivo, que não está restrito apenas às semanas de moda, às revistas e às celebridades. Passou-se a perceber como a moda pulsa diariamente nas ruas das cidades. Aliado à popularização dos blogs de moda de rua, temos a popularização da figura do personal stylist. Nos blogs estilo "meu look do dia" as pessoas meio que entendem que são

http://www.leblogdebetty.com/

seus próprios personal stylists e que, ao mesmo tempo em que são inspirados pela moda urbana e por estilistas, acabam também inspirando outras pessoas. Atualmente se diz que o que está na moda é ter seu próprio estilo, que não existe mais essa coisa de tendência tão pré-definida como antes. Se isso é certo, os blogs de look do dia refletem muito o momento em que estamos vivendo, onde as questões identitárias são fundamentais. Através das diferentes combinações de roupas, os blogueiros tentam definir seu estilo e mostrar sua personalidade.

http://alicepoint.blogspot.com/

mulher

Querido diário...


masculino

Naked no more Camisetas com estampas bem diferentes e criativas que encantam a todos os gostos.

Texto: Carlos Freitas

O site americano Threadless possui um vasto catálogo de camisetas, que conta com mais de 500 entampas. Apesar de gringo, o site abre a possibilidade de envio para o Brasil. E o melhor, os preços são super camaradas. Além de camisetas, você pode comprar moletons com as entampas ou ainda adquirir apenas a arte. O site é perfeito para garotos, que gostam de se vestir bem mas odeiam passar horas no shopping comprando roupas.


Natação queima muitas calorias, mas abre o apetite Texto: Caroline dos Santos

A água azul convida e o resultado consagra o esforço. Em pouco tempo, a pessoa que começa a praticar natação já se sente e se vê melhor. Não é à toa que ela é considerada um dos exercícios mais completos. Além de envolver os principais grupos musculares do corpo, ela também estimula o coração e os pulmões, desenvolvendo a capacidade aeróbia. Para quem quer emagrecer, a natação é uma boa opção. Ela ajuda na queima de calorias em excesso, aumenta a capacidade de usar gordura como fonte energética, previne a obesidade e melhora a postura corporal. Nadar uma hora queima em média 500 kcal. Uma pesquisa feita pelo American College of Sports Medicine levou a fórmulas que informam o gasto calórico em diversas atividades físicas, entre elas, nados específicos. Por outro lado, percebe-se que exercícios feitos na água abrem mais o apetite do que outras atividades aeróbicas, como andar e correr. Isso ocorre provavelmente por causa da dissipação de calor corporal na água, exigindo que o corpo produza mais calor. Assim, quem nada deve procurar controlar os impulsos de comer demais que, se concretizados, podem botar tudo a perder. Da mesma forma, quem pratica natação com freqüência e pára deve passar por uma reeducação alimentar para não continuar comendo como antes. O risco de lesões nas atividades aquáticas é pequeno porque a água amortece os impactos. Ao contrário, elas são indicadas para a recuperação de lesões.

esporte

Nade


raio-x

Cami Nome: Camila Fernandes Idade: 20 Signo: Gêmeos Porque escolheu o design: Pois sempre foi a única coisa que me interessou Grande inspiração: ffffound.com Blog que visita com frequência: Fashion Indie Um designer precisa... Ser sempre bem informado Como é o local de trabalho: Costuma ser organizado e com muitos toysRestaurante em Porto Alegre: Outback Compras: Maria Filó Programa de tv: Friends O que não pode faltar na bolsa: Maquiagem, moleskini, óculos de sol Objeto de mimo: O Leopoldo (Monstro de pelúcia, ganhado de presente. Foi feito a partir de um desenho da Camila) O que faz no tempo livre: Namoro, pinto e durmo Música no ipod: Lykke Li


Materiais

Quer aprender fazer uma tiara super fofa? Há alguns meses vi essa matéria na TeenVogue e achei super legal! A tiarinha é versátil, fácil de fazer e ótima para dar aquele “up” no visual!

1

Você vai precisar de uma tiara fininha, um pedaço de cordão de São Francisco branco, super bonder e chá mate ou chá preto

Para dar uma cara mais vintage, mergulhe o cordão em um copo com chá e deixe por alguns segundos. Depois é só tirar o excesso e esperar secar. O passo do chá é opcional, você pode também usar um cordão já colorido da cor que preferir.

2

Dobre o cordão ao meio e dê um nó. Mas faça o nó de maneira que ele fique mais pra uma ponta do que pra outra, pra ficar “de ladinho” (se fizer no meio o nó vai ficar no topo da cabeça, o que não é a nossa intenção aqui, entendeu?)

3

Agora é a hora de colar o cordão com o nó na tiara. Posicione o nó (é bom dar uma experimentadinha e testar a posicão exata que vai querer qu o nó fique) e é só colar. CUIDADO pra não colar os dedos, o super bonder tem que ser aplicado com bastante atenção.

4

Agora é só cortar as pontinhas que sobrou. Dica: o cordão de São Francisco desfia com facilidade quando cortado, então enrole uma fita crepe para segurar enquanto corta. Depois de cortar você pode dar um acabamento nas pontinhas se quiser, cobrir com um pedacinho de fita de cetim ou tecido, fica a critério de cada uma!

estilo

Faça vocêtiaramesma com nó


expediente ESPM Escola Superior de Propaganda e Marketing Design Visual Projeto III Vanessa Rodrigues Samurio vanessa.samurio@gmail.com


Lolita  

Revista de moda produzida para o curso de Design da ESPM-RS por Vanessa Samurio.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you