Page 1

Prof. Dr. José Cotter Presidente da Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia A Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia (SPG) é uma associação cientí ca, sem ns lucrativos e de utilidade pública que se dedica à promoção de todas as atividades que se relacionam com a prática da Gastrenterologia, Hepatologia e Endoscopia Digestiva. Nesta edição da Magazine CENES fomos escutar a opinião do Professor Doutor José Cotter, Presidente da SPG, no que respeita ao reprocessamento de dispositivos médicos nesta área da saúde. Como surgiu a Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia e qual a vossa missão no âmbito da saúde gastrointestinal da população portuguesa? A Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia (SPG) emanou da Sociedade de Ciências Médicas de Lisboa, na sequência da autonomização da especialidade de Gastrenterologia da Medicina Interna. A este facto não foi alheio o grande desenvolvimento clínico da ciência gastrenterológica e a diferenciação técnica da endoscopia digestiva, cuja aprendizagem e execução fazem parte exclusivamente do curriculum gastrenterológico.

A SPG estatutariamente tem por primeiro objectivo promover o desenvolvimento da Gastrenterologia ao serviço da saúde da população portuguesa, estimulando a investigação na área da especialidade, difundindo ideias, promovendo trabalhos e a atualização de conhecimentos gastrenterológicos, promovendo contactos e o intercâmbio nacional e internacional entre os diversos pro ssionais ligados à especialidade, desenvolvendo atividades educacionais e exercendo atividades de consultadoria na área da gastrenterologia.


OPINIÃO

Quais os maiores desa os ou di culdades e quais as grandes conquistas que já foram feitas pela Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia? A grande conquista foi a inegável contribuição para tornar reconhecida a qualidade, a nível nacional e internacional, da gastrenterologia portuguesa e dos seus gastrenterologistas, contribuição essa fornecida não só pelo contínuo estímulo à formação mas também pela organização de múltiplos eventos cientí cos de elevada qualidade. Os maiores desa os consistem em manter a elevada qualidade atrás referida, seduzir os gastrenterologistas para uma maior participação associativa e elevar ainda mais o protagonismo do seu órgão o cial denominado “GE – Portuguese Journal of Gastro­ enterology”, tornando-o um “cartão-de-visita” da gastrenterologia portuguesa e catapultando-o até à indexação e pugnar através dos meios adequados para uma contínua melhoria dos cuidados de saúde gastrenterológicos prestados à população. A temática da esterilização e reprocessamento dos dispositivos médicos tem sido abordada pelos prossionais das doenças do foro gastrointestinal? A SPG não só esteve presente na elaboração, no âmbito da Direção Geral da Saúde, das Orientações sobre esta matéria, como também publicou as mesmas sob a forma de Recomendações no seu órgão o cial. Além disso, recorrentemente esta temática, pela sua pertinência, contínua evolução e atualidade, é abordada em diferentes eventos gastrenterológicos nacionais organizados pela SPG ou pelas suas Seções Especializadas, constituindo-se como uma das grandes preocupações dos gastrenterologistas no que à atualização diz respeito. Considera que pode existir uma relação direta entre a qualidade dos serviços de esterilização/ reprocessamento de dispositivos médicos e as infeções decorrentes de exames diagnóstico de gastrenterologia? Teoricamente essa questão pode colocar-se, mas na prática essas infeções são muito raras e a prova disso é que quando acontecem são reportadas na literatura de forma muito enfática. O que não invalida de forma alguma que essa qualidade deve existir, deve ser exigida e monitorizada por razões de segurança. De que forma pode a Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia ser um interveniente ativo na

Magazine

| CENES

sensibilização dos utentes, para a importância da correta esterilização de dispositivos médicos, no que respeita à utilização dos mesmos em exames de diagnóstico? Mais do que sensibilização dos utentes, compete à SPG sensibilizar permanentemente os gastrenterologistas que por inerência da sua atividade utilizam esses dispositivos e como tal têm funções de responsabilidade nesta área, para a importância desta vertente. Isso tem sido feito e a SPG não deixará de continuar a privilegiar essa área.

A grande conquista foi a inegável contribuição para tornar reconhecida a qualidade, a nível nacional e internacional, da gastrenterologia portuguesa e dos seus gastrenterologistas.

PERFIL José Cotter, MD, PhD Professor de Medicina na Escola de Ciências da Saúde da Universidade do Minho - Portugal Especialista em Gastrenterologia e Subespecialista em Hepatologia Diretor do Serviço de Gastrenterologia do Hospital da Senhora da Oliveira – Guimarães - Portugal Presidente da Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia Diretor do GE – Portuguese Journal of Gastroenterology Fellowship do European Board of Gastroenterology & Hepatology Atividade Cientí ca: 102 Publicações em livros e revistas nacionais e internacionais, com arbitragem cientí ca 541 Comunicações, Conferências e Palestras em reuniões cientí cas nacionais e internacionais Prémios e Condecorações: 11 Trabalhos cientí cos premiados Ordem do Mérito (Grau de Grande O cial) – Condecoração atribuída por Sua Excelência O Presidente da República Portuguesa

Entrevista com... José Cotter (Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia)  

Entrevista originalmente publicada na Revista CENES#3, de Novembro de 2015.

Entrevista com... José Cotter (Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia)  

Entrevista originalmente publicada na Revista CENES#3, de Novembro de 2015.

Advertisement