Issuu on Google+

Projeto Integrado: Linha do tempo Alunos: Ernesto Costa e Vinicius Ferreira Turma: GDG 2013N


Sumário 1 - Introdução 2 - Fundamentos do Design II - História 2.1- Processo de criação 2.2 - Tipografia 2.3 Os 20 momentos da linha do tempo 3 - Ilustração II 3.1 - Colagem 3.2 - Harmonia cromática (contraste de matiz) 3.3 - A colagem na linha do tempo 4 - Cores no Design 4.1 - Paleta de cores 4.2 – Guia de luminosidade 4.3 – Uso das cores 4.4 – Referências de imagens 4.5 – Harmonia cromática (contraste de matiz) 5 - Interface e Usabilidade 5.1 - Wireframe 5.2 - Metas de usabilidade 5.3 - Descrição do Layout 6 - Considerações Finais 7 - Referências Bibliográficas


1 - Introdução O objetivo deste trabalho é criar uma linha do tempo para mostrar a história do jeans desde o seu surgimento até os dias atuais. Como o jeans, que foi criado como uniforme para mineradores nos Estados Unidos, se tornou uma peça tão popular e valorizada. Passaremos por 20 momentos para narrar, de forma clara e objetiva, como ocorreu sua criação, passando por sua popularização e valorização.

Primeira página da linha do tempo "A história do jeans"


2 - Fundamentos do Design II 2.1 - Processo de criação Para a criação da nossa linha do tempo nós utilizamos elementos oriundos da costura e o próprio jeans. Pensamos em algo que remetesse ao jeans de forma direta. E trazendo para os dias de hoje as informações com referências atuais de design e usabilidade.

2.2 - Tipográfia Para compor o trabalho foi utilizada a família tipográfica Blanch, na variação Caps. Por causa do seu formato sinuoso e curvilíneo, ela nós passa estilo e charme, adjetivos que acreditamos possuir o jeans. A sua legibilidade e distanciamento vertical e horizontal proporciona ao leitor uma fácil leitura. Tipográfia Blanch caps

2.2 - 20 Momentos para a linha do tempo Abaixo serão mostrados os 20 momentos que utilizamos para nossa linha do tempo.


"A história do jeans"

1853 - Um tecido mais resistente Acontecia nos Estados Unidos a corrida pelo ouro. Um jovem judeu alemão chamado Levi Strauss vendia lona para as carroças utilizadas na mineração. Percebeu que os mineradores precisavam de uma roupa mais resistente para trabalhar e confeccionou uma calça com o sobra do seu material que ficou conhecida como a calça 501, o número do seu lote de produção. 1860 - Denim: o algodão sarjado francês Levi Strauss percebendo que seu material era muito rígido e desconfortável passou a produzir suas calças com brim, um tecido de algodão sarjado fabricado na cidade francesa de Nîmes, por isso o nome "Denim". O material foi confeccionado primeiramente para o uso dos escravos do sul da França. 1861- Nasce o "jeans" O Brim importado da França, mais conhecido como denim, começou a ser exportado para os italianos para a confecção dos uniformes dos marinheiros do porto de Gênova. Esses genoveses eram chamados de "Genes" pelos franceses e de "Jeans" pelos americanos. Assim surgiu o nome conhecido até hoje. 1872 - Os rebites de cobre, a patente Um alfaiate da cidade de Reno chamado Jacob Davis escreveu uma carta para Strauss dizendo que com o tempo os bolsos das calças caiam graças ao peso das pepitas de ouro do mineradores. Então propôs colocar nos bolsos um rebite de cobre que era usado nas correias dos cavalos para suportar o peso. 1873 - Então surge a Levi's Strauss & Co. Devido ao sucesso, Strauss e Davis patentearam a ideia no dia 20 de Maio de 1873. Daí então começou uma parceria de sucesso. Com a ajuda dos seus irmãos e cunhados e seu mais novo sócio, Strauss cria a Levi's Strauss & Co. 1886 - A primeira etiqueta: "Dois Cavalos" Com a repercussão do jeans causada pelo uso das calças por cowboys é criada a primeira etiqueta de couro dos jeans XX com o logótipo "Two Horses" (dois cavalos). Demonstrando a incrível força do vestuário Levi's, essa etiqueta é usada até hoje.


1890 - A cor indigo, nasce o "Blue Jeans" Pensando no apelo visual que uma cor traria as suas peças, Strauss tingiu o brim cru a um corante proveniente de uma planta Indiana chamada Indigus. Esse corante dava uma tonalidade verde as peças que se perdia ao expor ao sol, tornando-a azulada, cor que ficou conhecida mundialmente como azul indigo. 1895 - Calças para ciclistas, bermudas A Levi's Strauss & Co. criou as primeiras calças de ciclismo, também conhecidas hoje como bermudas de sarja. Só em 2011 foi criada uma linha especial de calças com elasticidade para acompanhar os movimentos dos ciclistas modernos. 1909 - As calças caquis Os integrantes do exercito britânico começaram a tingir suas calças brancas com café e caril no intuito de evitar que ficassem encardidas. Com grande êxito as calças caquis viraram padrão dos exércitos norte-americanos e britânico. 1910 - Bolsos traseiros Com um maior índice de uso para diferentes tipos de trabalhos entendeu-se a necessidade de se ter mais lugares para carregar coisas dentro do jeans. Foi então criado o bolso traseiro, dando enfim a forma final que a calça jeans e confeccionada desde então. 1918 - Jeans para elas Acompanhando os movimentos pelo sufrágio feminino são lançados os FreedomAlls. Um conjunto de túnica/calça feita para libertar as mulheres da limitação dos vestuários da época. 1922 - Um marco para o vestuário masculino, o cinto Marcando o começo de uma mudança no vestuário masculino foi inserido nas calças os espaços para o cinto. Nessa época as calças tinham tanto espaço para cinto quanto botões para o suspensório. Foi uma mudança divisora de águas para a moda mundial. 1945 - O jeans da guerra Durante a Segunda Guerra Mundial os soldados americanos usavam uniformes de denim atribuindo a peça a imagem de virilidade e nacionalidade. Após a vitória dos aliados o jeans se espalhou por toda Europa. 1954 - Fecha o zíper Para atender o mercado da costa leste dos Estados Unidos a Levi's trocou os botões de ferro pelo zíper, pois para muitos o jeans era novidade, principalmente pelo fato dele possuir botão. Finalmente o jeans ganhou todas suas características de hoje.


1955 - O jeans rebelde Com o surgimento do cinema, o jeans ganhou o público jovem no filme Juventude Transviada. O ator James Dean era um jovem rebelde com a composição clássica: calça jeans e camiseta branca. Elvis Presley e Marlon Brando contribuíram para o símbolo rebelde que o jeans vinha a se tornar. Essa imagem ficou tão forte que era proibido usar jeans em algumas escolas cinemas e restaurantes. Logo depois Marilyn Monroe transformou o jeans em sensual. 1970 - Paz, amor e jeans Surge o movimento Hippie e com ele uma juventude independente que amava o jeans por sua simbologia rebelde por seu valor baixo e sua funcionalidade. Foi nessa época que começou a personalização do jeans com técnicas de lavagens e bordados. 1977 - O jeans sobe a passarela A primeira vez que o jeans subiu a uma passarela foi com a grife Calvin Klein. O estilista recebeu muitas criticas na época, porem sua campanha virou um marco para a marca, com o slogan: "Você sabe o que há entre mim e a minha Calvin? Nada". A campanha foi feita com a jovem Brooke Shields e foi então que começou a corrida entre as grifes ao jeans, supervalorizando a peça e consolidando sua autenticidade e casualidade. 1980 - Da lavagem aos tons O jeans ainda era muito desconfortável. Esse desconforto só desaparecia após algumas lavagens domésticas. Surgem então as lavanderias industriais com a técnica "Stone Wash" , composta de pedras vulcânicas usadas na lavagem das calças criando um efeito envelhecido, permitindo criar vários tons de azul. 1998 - O jeans e o Brasil Com novas técnicas de mesclagem de tecidos como elastano, poliester e outros, o jeans brasileiro virou febre em todo o mundo graças ao seu "caimento perfeito" no corpo feminino. O jeans nacional tinha a fama de levantar o bumbum e afilar a cintura. Com isso em 1998 o Brasil se tornou o maior fabricante de jeans do mundo. 2010 - O jeans ID Com a evolução da tecnologia, a Levi's criou a linha Levi's Curve ID, constituída por um sistema de corte com base na forma do usuário. Criada para atender a qualquer tipo de corpo, essa calça é resultado de uma pesquisa feita por um scanner corporal em mais de 60.000 imagens corporais do mundo inteiro.


3 - Ilustração II 3.1 - Colagem

A história do jeans

A colagem foi baseada em dois momentos da história do jeans: o seu surgimento e na sua popularização. Ao lado esquerdo da colagem temos algumas imagens que nos remetem aos mineradores, principais usuários do jeans durante o seu surgimento. No centro da colagem, Elvis Presley dá início ao processo que levaria o jeans a virar peça de status. E chegamos até o jeans como principal peça da moda, desejado por diferentes pessoas ao redor do mundo.

3.2 - Harmonia cromática (contraste de matiz) Foi utilizado um contraste de matiz, pois não utilizamos cores análogas.

3.3 - A colagem na linha do tempo Utilizamos a colagem como capa de apresentação da nossa linha do tempo, causando assim ao expectador uma assimilação do tema.


Linha do tempo - Capa de apresentação


4 - Cores no Design 4.1 - Paleta de cores

4.2 – Guia de Luminosidade 100%

0%

100%

0%

100%

0%


4.3 – Uso das cores Como nossa linha do tempo fala sobre o jeans, nós utilizamos cores que nos remetem ao jeans e à sua criação. Pensando primeiramente no jeans e em sua coloração, já definimos que o azul deveria ser predominando. Com base nas nossas pesquisas, descobrimos que o jeans teve sua origem nos Estados Unidos e isso foi importante na escolha de nossa paleta de cores. Utilizamos as três cores da bandeira dos Estados Unidos para fazer alusão à sua criação. E também, associando o azul da bandeira com o jeans, focamos a maior parte do trabalho no matiz azul, pois o jeans é o nosso objeto principal do trabalho. Assim, fizemos um link entre a bandeira e o jeans para utilizar o azul como base para todo o trabalho. Abaixo falaremos sobre cada matiz utilizado separadamente. O branco foi utilizado como margem base para as colagens na linha do tempo, para botões como logotipo, setas de direção e a própria linha do tempo. Junto foi utilizado textura para criar um aspecto de tecido. O preto foi utilizado na fita métrica interativa nos marcadores e também nos momentos que não estarão em evidência. Um matiz contrastante com o branco, que foi usado na fita métrica que representa nossa linha do tempo. O azul foi utilizado, principalmente, como referência ao jeans. Então utilizamos o azul nos textos principais da linha do tempo e no logotipo com efeitos e texturas para que ficasse com aparência do nosso objeto. É o matiz principal e também é o que mais aparece, para lembrar bem o tom do jeans “indigus”, que foi o primeiro a surgir. O vermelho foi utilizado para dar ênfase aos títulos dos assuntos e as datas da linha do tempo. Sendo o matiz que enfatiza os momentos importantes no nosso layout e, em nossa linha do tempo, diferencia o ano que está sendo mostrado. Assim, depois de concluir o trabalho, percebemos que a escolha dessas quatro cores nos ajudaram a criar uma boa identidade visual. Pois percebemos que ficou fácil assimilar visualmente, a partir do layout, o conteúdo que estava sendo passado. O matiz azul utilizado nos textos nos deu boa visibilidade e, o conjunto, ficou valorizado. E também as cores utilizadas para fazer os contrastes foram importantes, pois realçaram as imagens dos nossos artigos e também deixaram a fita métrica bem legível. Concluímos que essas escolhas fizeram a diferença para a identidade do trabalho e valorizaram cada elemento que estava presente em nosso artefato.


4.4 – Referência de Imagens

4.5 – Harmonia cromática (contraste de matiz) Foi utilizado um contraste de matiz, pois não utilizamos cores análogas.


5 – Interface e Usabilidade 5.1 - Wireframe Com base na ideia dupla, nosso wireframe exemplifica bem a proposta de uma linha do tempo objetiva e intuitiva. Seguindo os princípios de usabilidade, chegamos a um site em que os usuários não terão problemas de navegação. Segue abaixo o wireframe:

5.2 - Metas de usabilidade Eficácia: com um layout bem intuitivo, os usuários conseguirão realizar suas tarefas facilmente; Eficiência: com todos os momentos da linha do tempo expostos na parte inferior do site, as tarefas serão realizadas com maior nível de produtividade; Aprendizagem: por ser muito intuitivo, o usuário não encontrará dificuldades de aprender a usar as funcionalidades. Memorização: em uma próxima visita o usuário saberá exatamente como funciona o sistema e não terá dificuldades de lembrar como funciona.


Consistência: Elementos semelhantes em todas as páginas. E também alguns princípios de design são seguidos como: visibilidade, feedback, mapeamento e affordance.

5.3 - Descrição do layout

Na parte inferior encontram-se os 20 momentos da linha do tempo. O usuário pode passar cada momento em ordem crescente ou decrescente clicando nos botões laterais e também pode clicar em qualquer ano na linha do tempo para visualizar um momento específico. Cada momento será mostrado no centro da página com referência fotográfica e com o artigo referente ao lado.


Capa Linha do tempo

A linha do tempo começa com uma apresentação ilustrativa com a colagem "A historia do jeans" fazendo referencia ao estilo da linha do tempo, logo abaixo encontramos o botão iniciar linha do tempo que te leva a linha do tempo na hora que o usuário achar apropriado.


Logotipo

Para compor bem com o fundo criamos uma logotipo simples econdizente ao tema, atráves de efeitos e texturas para criar consistência com o conceito da linha do tempo, está posicionada no topo pois é o usual.


Conteúdo Informativo

O conteúdo informativo foi divido em três partes imagem, título do artigo e artigo informativo, o título do artigo foi colocado em vermelho para dar ênfase e relacionar com a data na linha do tempo que se encontra na mesma cor.


Botões de navegação

Os botões de navegação direcionam para a data seguinte ou anterior apontada na linha do tempo. Mapeando-a de forma simples e ilustrativa com a fita métrica usada para representação da linha. O alfinete aponta em qual momento você se encontra e as datas mudam de cor para tornar isso mais explicito para o usuário.


6 - Considerações Finais O processo de pesquisa foi muito interessante para conhecer mais sobre uma peça que está presente em todos os armários. Todas as curiosidades e informações foram importantes para compor a linha do tempo. Dificuldades foram encontradas, principalmente por falta de imagens do surgimento, material é bem escasso. Mas nada que impedisse a realização do trabalho.


7 - ReferĂŞncias BibliogrĂĄficas http://origemdascoisas.com/a-origem-dos-jeans/ http://www.levi.com/PT/pt_PT/about/history-heritage http://queilaferraz.fashionbubbles.com/historia-da-moda/a-historia-do-jeans-a-trajetoriainicial-parte-14/ http://www.youtube.com/watch?v=KpaiKYh9R2I http://gutie.blog.br/aniversario-de-140-anos-do-jeans/ http://mundodasmarcas.blogspot.com.br/2006/05/diesel-for-successful-living.html http://www.mundodasmarcas.blogspot.com.br/2006/05/levis-lenda-americana.html http://www.mundodasmarcas.blogspot.com.br/2006/06/calvin-klein-american-fashionwear.html http://www.mundodasmarcas.blogspot.com.br/2008/07/seven-all-for-mankind.html http://modaparahomens.com.br/2013/10/01/a-historia-da-calca-jeans/ http://www.portaisdamoda.com.br/noticiaInt~id~17825~n~a+historia+do+jeans.htm http://abduzeedo.com/levis-501-design-evolution-icon http://levisvintageclothing.com/products/1890-xx501-jeans-90501.html http://modaumaopiniao.blogspot.com.br/2013/07/a-historia-do-jeans-brasileiro-por.html http://ellus.com/historico/apresentacao/


A História do Jeans, por Ernesto Costa e Vinicius Ferreira -